Page 1

Ano 1, nº12 - 20.000 exemplares - Distribuição Gratúita

www.aldeiadecaboclos.com.br


página 2

Um Ano de Amor ao Próximo e Alegrias Compartilhadas Meus queridos amigos e irmãos de ideal, como é bom ver o bem florescer, dar frutos e renovar-se a cada dia no coração dos seres humanos de boa vontade. Este jornal nasceu com o anseio de levar aos nossos irmãos umbandistas e ao público leigo, que não conhece a Umbanda, um pouco dos preceitos dessa doutrina sagrada, que sempre baseou os seus passos na caridade, no entendimento mútuo, no louvor à nossa mãe natureza e no amor ao próximo. Como é bom comemorar um ano junto da companhia de amigos queridos do coração. Nestes tempos de transição planetária e de mudanças tão intensas em

Agradecimento

nossa sociedade, nunca se precisou tanto de periódicos como esse, que semeiam palavras de amor e ensinamentos salutares a todos os homens de mente aberta que já adquiram, como disse o nosso mestre Jesus, “olhos de ver” e “ouvidos de ouvir”. Como vereador pela cidade de São Paulo e amigo pessoal dos editores desse jornal, uso esse espaço gentilmente cedido, para parabenizar a todos os envolvidos nesse projeto e peço a Deus, ao nosso grande pai Oxalá, possam multiplicar em suas vidas bênçãos de grandes vitórias e conquistas no bem. Vereador Quito Formiga

Editorial Prezados amigos e irmãos de fé, a Umbanda está em festa! Realizou-se na mais plena alegria, harmonia e união a 2ª Semana da Umbanda na cidade de São Paulo, evento este idealizado pelo nobre Vereador Quito Formiga, e cuja notável direção e produção foi desenvolvida pelo nosso querido irmão Pai Engels de Xangô, com todo amor, garra e competência.

A nação umbandista a cada dia mais vista, unida e atuante através do Jornal Aldeia de Caboclos, relevantíssimo veículo de comunicação que comemora um ano de edições mensais ininterruptas. Força e longevidade ao jornal símbolo de combate a intolerância religiosa, de destacável divulgação dos cultos afros com um todo, de amor e valorização a Umbanda! Agradecemos de coração a todos os leitores, irmãos de fé e colaboradores deste jornal. À todos vocês o nosso muito obrigado! Parabéns Umbanda, a vitória é de todos nós!!! Pai Engels de Xangô

Tivemos a oportunidade de apreciar a beleza, o fortalecimento e um considerável aumento do respeito para com a nossa amada Umbanda através dos espaços concedidos e da amplitude de divulgação das diversas atividades realizadas nesta memorável semana. A segunda edição da semana em comemoração a instituição do dia da Umbanda e do Umbandista, fruto da lei municipal 15.323/2010, tratou-se, também, de um relevante meio para um maior conhecimento e visualização de nossa religião. Durante esta formidável e marcante semana, a Nação Umbandista vibrou, participou e, igualmente, foi brindada com momentos memoráveis, pois, puderam presenciar positivíssimas engiras, empolgantes e belíssimas apresentações de curimba e danças indígenas, primoroso e produtivo debate interreligioso, enriquecedor círculo de palestras e uma encantadora mostra da cultura umbandista pelas crianças que crescem ao som dos atabaques e no sei desta exemplar religião. Apreciamos com muita dignidade e alegria a um

salutar fortalecimento da Umbanda. Frisamos que a nossa empreitada continua, e para que a Umbanda siga crescendo, sendo valorizada, verdadeiramente respeitada e admirada, para que esta iluminada religião tenha o espaço e a credibilidade que tanto merece, necessário se faz uma real conduta de união, harmonia e maciça representatividade de todos nós no cotidiano de nossa sociedade. Este edificante Jornal segue firme e vibrante na missão de cada vez mais elevar o nome da Umbanda e o respeito aos cultos afro em geral, caminha a passos confiantes e com ampla atuação para repelir os abusos e violações aos nossos cabais direitos. Viva a 2ª Semana da Umbanda na cidade de São Paulo, viva a valorização e o fortalecimento da Umbanda! Que Oxalá ilumine o caminho de todos nós! Salve a Umbanda, que é amor e caridade, Salve Zambi! Alexandros Barros Xenoktistakis

EXPEDIENTE Diretor: Engels B. Xenoktistakis Direção de Arte: Daniel Coradini Redator: Engels B. Xenoktistakis Colaboradores: Adriano Camargo / Ronaldo Linares e Alexandros Xenoktistakis Assessoria Jurídica: Alexandros Barros Xenoktistakis – OAB/SP 182.106 contato: jornal@aldeiadecaboclos.com.br


página 3

Aconteceu

2ª. SEMANA DA UMBANDA NA CIDADE DE SÃO PAULO por Sandra Santos

Mais um ano os nossos irmãos, o vereador Quito Formiga e pai Engels de Xangô, capitanearam uma semana intensa em comemoração aos 103 anos da religião de Umbanda. Dia 15 de novembro, embaixo de uma chuva torrencial, foi aberta a II Semana da Umbanda com uma grande confraternização, engira e oração com bênçãos dos Caboclos. Presentes nesta abertura a Federação Umbandista do Grande ABC com a Babá Dirce, pai Edson dos Anjos, da Associação Paulista de Umbanda, Sandra Santos, da Associação Umbandista e Espiritualista do Est. de SP - AUEESP, pai Rubens Saraceni, do Colégio de Umbanda Sagrada, Ogã Juvenal, Mãe Conceição Florindo do Centro de Estudos Iniciáticos Evolução, Adriano Camargo “Erveiro da Jurema”, Mãe Nair Cacique Xingú, e pai Aguirre representando a União de Tendas, Ogã Severino Sena, Marcelo Fritz e Daniel vindos do Rio, entre outros convidados, Mãe Juveni Xenoktistakis do Templo Amor e Caridade Caboclo Pena Verde. Dia 16/11, na Câmara Municipal de São Paulo, aconteceu o Diálogo Inter-Religioso: “Umbanda por uma cultura de paz”, com uma mesa muito especial composta pelo Babalorisà Nélson de Yemanjà Diretor da Federação de Umbanda e Cultos Afro-Brasileiros de Diadema – FUCABRAD, Rev. Christian Lepelletier da Igreja da Unificação, Dom Marcelo Rezende Bispo

da Igreja Católica Liberal, Moré Ventura representante do judaísmo, Cris Gimenez membro da Wicca, Alfonso Odriozola representante da maçonaria e Paullo Santos membro da URI, grandes interlocutores que prontamente aceitaram o convite para participar desta noite especial, e com muito carinho nos abençoaram com suas palavras e carismas. Dia 17/11 ainda na Câmara Municipal de São Paulo, ocorreu uma Sessão Solene em comemoração a Lei 15.323/2010 Dia da Umbanda e do Umbandista na cidade de São Paulo.

A Mesa foi composta com os decanos Ronaldo Linares, Edson dos Anjos, Milton Aguirre, Silvio Mattos e ainda Rubens Saraceni, Sandra Santos, Ogã Juvenal, Ogã Franklin de Ogum- FUC.Federação Umbandista Carapicuibana, pai Engels e o proponente vereador Quito Formiga. Pai Rubens explicou que: “Somos uma religião que vem se elaborando, se transmutando e se adaptando. Se hoje estamos aqui, temos que agradecer ao vereador Quito Formiga, que viabilizou através de um projeto de lei a semana em homenagem à umbanda”.


página 4 Dia 18/11 na sede da Associação Paulista de Umbanda, um círculo de palestras foi realizado, onde pai Edson dos Anjos fez vários relatos do trabalho realizado por pai Demétrio Domingues, fundador da Associação e um dos idealizadores dos festejos à Iemanjá em Praia Grande, destacando ainda que na distinta ocasião pai Edson dos Anjos homenageou Pai Engels de Xangô com a Medalha de Honra ao Mérito Demétrio Domingues. Em seguida Ogã Juvenal, discorreu sobre intolerância religiosa e leis absurdas que foram colocadas em votação. Mãe Imaculada da cinquentenária Tenda Santa Rita nos contou um pouco sobre o início do trabalho de seu pai carnal e espiritual Durval dos Santos, na década de 40 junto a Associação Paulista e ao Primado do Brasil. Sandra Santos fez um resumo dos trabalhos realizados na II Semana da Umbanda. Pai Edson Ludogero falou sobre crianças na Umbanda, lembrando os projetos Axé-Mirim e da APEU, que já tem trabalhos consagrados com as crianças, o futuro da nossa religião. Pai Aguirre encerrou esta mesa falando de sua trajetória na religião. Dia 19/11 na Câmara Municipal de São Paulo, o Projeto Crianças na Umbanda, teve a participação das crianças da APEU, Angaraí dos Raios, Filhos do Cacique e Aldeia de Caboclos ,que fizeram as preces de abertura, cantaram, dançaram, tocaram tambor e atabaques, mostrando que a nossa religião tem futuro sim! As competentíssimas coordenadoras Ariane Aguiar da APEU e Francine Pierangeli do Projeto Axé-Mirim, expuseram a forma dos trabalhos realizados em suas instituições. Francine espera que a corrente formada seja a semente, que multiplique e que no futuro tenhamos muito mais umbandistas conscientes, e que saibam representar e defender nossa religião. Se fizeram presentes dando grande apoio nesta data a Drª Juliana Ogawa e Dr. Jader da OAB/SP, Mãe Cidinha e Iyá Ekedji Ogunlade do Pirmado do Brasil.

Dia 20/11 encerrando com chave de ouro essa 2ª. Semana, o Clube da Mooca, mais uma vez recebeu os umbandistas para a “Virada do Tambor”, onde 12 grupos se apresentaram, quais sejam: Ogã Severino Sena, Sandro Bernardes, Curimba Colégio de Umbanda Pai Benedito de Aruanda, Filhos da Aldeia, Filhos da Umbanda, APEU, Vinha de Luz, Razão Para Viver, Filhos do Cacique, Cabocla de Iansã, Umbanda e Ecologia, mais uma vez homenageando os 103 anos da religião de Umbanda.

bandistas, agradecemos as principais federações e associações co-irmãs, e aos umbandistas que estiveram presentes, irmanados, nestas justas homenagens. Pessoas realmente sérias, éticas e comprometidas sempre com a religião de Umbanda, e que resgatam diariamente o “Orgulho de Ser Umbandista”. Novamente a comunidade umbandista parabeniza pai Engels de Xangô pelo empenho e dedicação, nessa tarefa de agregar a todos, nestes dias de comemoração. Em nome de Mãe Silvia Miessa, parabenizo todos os integrantes da família Aldeia de Caboclos pela sempre brilhante organização e recepção, e agradecimentos de forma especial ao Vereador Quito Formiga e Nélson Alves pela determinação e carinho com a família umbandista.

Na memorável ocasião Pai Edson dos Anjos foi homenageado com a Medalha Zélio de Moraes de autoria do Icapra e entregue pelo Primado do Brasil. Fomos premiados com uma vibrante apresentação de dança dos índios da etnia Kariri Xocó, liderados pelo cacique Tekaine. A apresentação de dança da Aldeia de Caboclos levantou o público presente, extasiados com a performance e profissionalismo deste seleto grupo. E lembrando sempre a frase do Caboclo Mirim: Umbanda é coisa séria para gente séria. Mais uma vez, numa semana de intensas atividades, mas de alegria para os um- Parabéns UMBANDA !!!


página 5

(17/11/2011 ) Fonte: SITE DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Por iniciativa do vereador Quito Formiga (PR), a Câmara prestou homenagem nesta quinta-feira, em sessão solene, ao Dia da Umbanda e do Umbandista, comemorado no dia 15 de novembro. A Umbanda surgiu em 15 de novembro de 1908 com o médium Zélio Fernandino de Moraes, que na época tinha 17 anos de idade. É comum ouvir dizer que a Umbanda foi trazida ao Brasil pelos escravos, entretanto considera-se que a Umbanda surgiu sobre o amálgama das crenças negras e nativas com o cristianismo. O vereador Formiga é autor do projeto de lei que instituiu a data no calendário comemorativo de São Paulo. “É um momento de alegria muito grande na nossa Casa, na Câmara, promover junto com vocês um evento como este. Vocês já pensaram em como deve ser triste não ter uma religião? Como deve ser triste para alguém acreditar que não acredita em Deus? Não é possível que uma pessoa assim sinta felicidade. Para a umbanda e para o movimento espírita eu não sou o vereador, mas o amigo Quito Formiga”, disse o vereador proponente. No decorrer do evento, várias pessoas representando entidades do Estado de São Paulo foram homenageadas. “Eu vejo aqui uma oportunidade de ouro para a gente resgatar o trabalho bom que a umbanda tem feito. É mais uma oportunidade de dar conhecimento ao publico que nós existimos. Somos uma religião estruturada, com um passado do qual podemos nos orgulhar. Somos a primeira religião verde-amarela”, defendeu o presidente da Federação Umbandista do Grande ABC, Pai Ronaldo Linares. Segundo o escritor e presidente do Colégio de Umbanda Sagrada Pai Benedito de Aruanda, Rubens Saraceni, é importante trazer para dentro do espaço público as lideranças religiosas do País. “Somos uma religião que vem se elaborando, se transmutando e se adaptando. Se hoje estamos aqui, temos que agradecer ao vereador Quito Formiga, que viabilizou através de um projeto de lei a semana em homenagem à umbanda”, disse Saraceni, autor de 57 livros que tratam dos diversos aspectos da religião.


página 6

Falando de Umbanda

Semeando a Umbanda com o Jornal Aldeia de Caboclos T.U OGUM MEGÊ

Ao sentar para escrever a matéria para o jornal Aldeia de Caboclos qual não foi a minha surpresa ao perceber que era décima segunda vez que eu fazia isso. Mas que grata surpresa! Que alegria ao perceber que o jornal completa um ano de vida. Um ano de informação, divulgação, dedicação e comprometimento com a seriedade da informação, respeito e amor à religião que abraçamos. Ao longo do tempo um ano é um piscar de olhos, mas, se pensarmos no dia-a-dia, nas dificuldades que enfrentamos e nas barreiras que temos que transpor, um ano significa muito e a recompensa pelo trabalho pelo trabalho árduo e sério é a perpetuação dos seus frutos. Lembro-me de cada ocasião que tivemos o Engels presente nos momentos mais importantes do SANTUÁRIO NACIONAL DA UMBANDA e da FED-

ERAÇÃO UMBANDISTA DO GRANDE “ABC”. Um menino dedicado e interessado. Cresceu, evoluiu, casou-se, tornou-se pai, Babalaô, criou a Escola de Curimba Aldeia de Caboclos e, num vôo mais alto, lançou o Jornal Aldeia de Caboclos, ufa! Dizem que quem faz as coisas com amor, dedicação, seriedade e competência se estabelece. Então, é por isso que hoje comemoramos um ano do Jornal Aldeia de Caboclos. Isso mesmo, simples assim! Nossos parabéns ao Engels e a toda sua equipe, pois sabemos que sozinhos caminhamos, mas juntos, conquistamos. Pai Ronaldo Linares O plantador de florestas FEDERAÇÃO UMBANDISTA DO GRANDE ”ABC” Mantenedora do SANTUÁRIO NACIONAL DA UMBANDA

CABOCLO FLEXEIRO E BAIANO ZÉ DO COQUINHO

Sessões às sextas-feiras, a partir das 20:00 horas. Orientação espiritual do Babalorixá Luciano ty Ogun.

Rua Professor Alberto Levy, n° 6 - Bairro Vila Leonor

Tel.: (11) 2218.2790


O maior santuário ao ar livre da América Latina SANTUÁRIO NACIONAL DE UMBANDA

Santuário dos Orixás

Imagem de Oxossi restaurada Abertura do ano espiritual

Reserve sua área!

Faça uma excursão e venha conhecer! Loja

Oferendas e Trabalhos

Conheça os livros de Pai Ronaldo Linares

Amplo estacionamento, Lanchonete, Loja de Artigos Religiosos, Locais para trabalhos e oferendas. Como chegar no Santuário De ônibus: Existe uma única linha de ônibus que vem até o Santuário. A boa notícia é que temos um ponto de ônibus bem em frente à Portaria. Esta linha chama-se LINHA 26 - BARALDI e passa em frente aos seguintes terminais: Terminal do Paço Municipal de São Bernardo do Campo Terminal Ferrazópolis de São Bernardo do Campo Se você estiver na cidade de São Paulo, a melhor alternativa é dirgir-se à Estação Jabaquara do Metrô. Lá, pegue um Trólebus que venha até o terminal Ferrazópolis de São Bernardo do Campo. Em frente ao terminal, pegue o Linha 26 - Baraldi.

www.santuariodeumbanda.com.br federecaoabc@terra.com.br

Estrada do Montanhão 700 - Pq. do Pedroso - Santo André - SP

(11) 4338-0946 / 4238-5042 / 4338-0261


página 8

Umbanda Legal

Quem Surgiu Primeiro, a Umbanda ou os Guias Espirituais?

Em 1981 ou 1982 comprei um livro cujo autor desenvolvia a tese de que a Umbanda era uma religião milenar cuja origem datava do tempo da Lemuria ou da Atlântida, da Índia, etc., sendo que, por isto, não havia sido o Pai Zélio o seu fundador encarnado e nem o Senhor Caboclo das Sete Encruzilhadas era o seu anunciador espiritual, porque muito antes dele se apresentar e anunciar o início dela, em algum outro lugar já havia acontecido a incorporação de um espirito cujo nome era, se não me engano, Caboclo Cugurussu. Este autor umbandista criou esta polêmica 48 anos depois da fundação da Umbanda, apresentando a dele, denominada umbanda esotérica, esta sim verdadeira, pois remontava a milhares de anos no passado. E ele, baseado unicamente na informação de que alguém incorporava um espirito com o nome acima citado antes da manifestação do Caboclo das Sete Encruzilhadas, então que este não poderia ter fundado a Umbanda. Pois bem! Esta informação ficou em minha mente e alguns anos depois, ao ouvir de Pai Ronaldo Linares que ela havia sido anunciada pelo Senhor Caboclo das Sete Encruzilhada dentro de um Centro Espirita, quando ele foi convidado a se retirar dos trabalhos porque ali não era o local adequado para ele. E, no dia seguinte, às 20 horas no Bairro de Neves em Niterói a Umbanda teve sua primeira gira, com o Caboclo abrindo-a e anunciando que “com os espíritos mais evoluídos se aprenderia, aos mais atrasados se ensinaria e a nenhum se renegaria”. Duas informações contraditórias ficaram em minha mente e mais adiante descobri que havia uma discórdia dentro da Umbanda sobre sua origem, discórdia esta muito parecida com aquela sobre “o ovo e a galinha”, quando se pergunta a alguém: Quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha? Se o inquirido responder que foi o ovo, o inquiridor vem com outra pergunta: E quem pôs o ovo? Esta é uma questão sem resposta porque sem um não existe o outro, certo? Mas no caso da Umbanda, logo mais adiante um Espirito Guia respondeu à minha pergunta acima dizendo isto: --Filho, quando a Umbanda foi fundada milhares de espíritos já se manifestavam tanto no Espiritismo Kardecista quanto nos Cultos de “resistência religiosa afro brasileira”, onde davam consultas e ajudavam as pessoas que frequentavam suas reuniões. E isto

não acontecia só Estado do Rio de Janeiro, pois estas manifestações, ainda que com outros nomes, aconteciam por todo o Brasil. E ele prosseguiu: --Filho, a incorporação de espíritos vem acontecendo no mundo todo desde eras remotas, não sendo privilégio deste ou daquele povo tal fenômeno. Procure livros de pesquisadores sérios sobre este assunto e verá que há outro embate muito mais antigo entre as religiões, com umas condenando a manifestações dos espíritos e outras defendendo-as. Você verá que sempre houve manifestações de espíritos incorporados em seus médiuns, não sendo privilégio do Espiritismo tal coisa e sim, Allan Kardec só codificou os tipos de mediunidades. Fiz o que ele recomendou e, de fato, descobri que o embate já era muito antigo mesmo, e que os espíritos sempre interferiram, ora a nosso favor, ora contra, mas que sempre estavam presentes. Quando tornei a conversar com aquele Guia Espiritual perguntei-lhe o porquê desta interferência dos espíritos junto das pessoas e ele respondeu-me isto: --Filho, a vida neste planeta é um “ir e vir” contínuo

entre os seus dois lados, sendo que quem volta para o lado espiritual sempre deixa estes queridos do outro e vice versa. E isto faz com que quem esta de um lado interfira em favor dos seus entes queridos que estão no outro lado. Isto tem sido assim desde o inicio dos tempos e sempre será assim. --Assim tem sido e assim sempre será! Sentenciou ele, com sua voz firme e convicta. E prosseguiu: -- Eu mesmo, logo depois de desencarnar, procurei um jeito de ajudar meus familiares que haviam ficado para traz, no plano material. --Então. E ele não me deixou prosseguir, pois falou isto: --Filho, você leu a descrição de uma sessão Espirita, onde espíritos incorporam em seus médiuns e realizam todo um trabalho em beneficio das pessoas presentes a ela, não? --Li sim meu pai. -- E você leu sobre uma reunião de um centro de Macumba, não? --Eu li sim meu pai. -- Em ambas as sessões não eram espíritos que incorporavam em seus médiuns a cada sessão, para auxiliarem as pessoas presentes a elas? -Foi isto que li, meu pai.


página 9 --Então sua pergunta inicial esta respondida e esta polemica sem fim não tem razão de existir, pois caso você não saiba, até o Espirito Mensageiro da Umbanda aprendeu a incorporar, incorporando dentro de um centro de Macumba, onde trabalhou atendendo pessoas e dando consultas quando incorporava em seu médium de então, que era o mesmo filho Zélio, mas encarnado em outro corpo, no corpo de um mestiço, de um “caboclo”, como eles eram chamados então, sabe? -- Isto eu não sabia, meu pai. -Espíritos de ex sacerdotes africanos, de ex pajés indígenas, de ex benzedores, ex padres cristãos, de mestiços ou caboclos brasileiros, todos movidos pela vontade de auxiliarem os encarnados, já baixavam na Macumba, na Cabula, no Catimbó, na Jurema, no Batuque e em vários outros Cultos, todos anteriores à Umbanda. Pretos e Pretas, velhos benzedores e velhas rezadeiras, todos já iniciados em algum dos muitos Cultos de Nação de então, após desencarnarem, voltavam para ajudar seu entes queridos ainda encarnados. E, conhecedores de rezas e mandigas poderosas, incorporavam quase que à força nos seus médiuns e começavam a dar conselhos (consultas) e a recomendar trabalhos aos necessitados. Dizer que estes espíritos só começaram a se manifestar depois da fundação da Umbanda é faltar com a verdade, mas recorrer ao nome de um Pajé indígena

que incorporava em um médium antes da fundação da Umbanda, para negar os seus idealizadores e fundadores e remeter a existência dela a um passado remoto e improvável, também é faltar com a verdade. Principalmente por alguém que se apresentava como o criador da umbanda esotérica, esta sim, a “verdadeira Umbanda”.

Nova para a humanidade: A Umbanda! Isto, eu não tenho como provar com você encarnado. Mas quando você desencarnar, cada palavra dita a você por mim, te provarei! E até o conduzirei até eles, pois você, assim como eu, fazia parte desta imensa legião de espíritos que os acompanhou e os auxiliou na semeadura de uma nova religião em solo brasileiro.

Ou trata-se de ignorância, pois desconhecia a existência de tantos cultos religiosos, também mediúnicos e nos quais os médiuns incorporavam espíritos ou trata-se de má fé, tentando apresentar-se como o “verdadeiro fundador” da “verdadeira umbanda”, atribuindo à fundada pelo Senhor Caboclo das Sete Encruzilhadas como uma falsa Umbanda.

--E quanto a esta polemica sem fim dentro da Umbanda, meu pai? --Deixe ela prosseguir, pois assim como o autor do livro que nega a fundação dela em 1908 hoje amarga um imenso remorso e um amargo arrependimento, sentimentos estes vibrados muito fortes por ele após descobrir que blasfemara contra o Anjo Mensageiro de Boas Novas para a humanidade, e que o negativaram de tal forma que ele foi parar na terceira faixa vibratória negativa, de onde se recusa sair devido à vergonha que ainda sente por ter escrito tantos absurdos e bobagens e, com certeza, seus arautos também passarão por esta decepção amarga.

Que julgue quem quiser, pois fora desses dois casos, não é possível imaginar outra hipótese. Saiba também que o filho Zélio, antes de reencarnar mais uma vez, já era um médium que trabalhava com vários espíritos em um centro de Macumba. E ele desencarnou em um dia e no seguinte, ainda inconsciente, já foi reconduzido a uma nova encarnação, amparado o tempo todo pelo Anjo Mensageiro de Boas Novas para a humanidade, meu filho! Ele não veio sozinho à carne não! Uma legião muito grande de Espíritos Guias acompanharam-no o tempo todo e, no momento certo, o verdadeiro “Pai da Umbanda” se manifestou nele e anunciou a Boa

O Tempo, que é Deus em ação contínua sobre toda a Sua Criação, no tempo certo mostrará a cada um deles como estavam enganados! Capitulo retirado do livro psicografado por mim, mas ainda não publicado denominado “A IDEALIZAÇÃO ASTRAL DA UMBANDA”. RUBENS SARACENI


página 10

Ervas na Aldeia

Umbanda e a Tecnologia a Serviço do Bem

Salve sagrados irmãozinhos e irmãzinhas em Jurema. Salve Umbanda. Saravá. E com muito prazer que tenho assinado essa coluna no Jornal Aldeia de Caboclos, onde de forma simples o objetiva procuro dividir, multiplicando o conhecimento sobre as ervas, elementos naturais e a nossa amada religião de Umbanda. Quero levantar um caloroso parabéns ao irmãozinho Engels e toda a família Aldeia por essa brilhante iniciativa que resultou nesse trabalho consistente e vital para a religião. Um ano de Jornal da Aldeia de Caboclos. Um ano de conhecimento e de formação de opinião isenta. Formar pessoas não quer dizer apenas criar cursos e mais cursos e enchê-los de pessoas para justificar seus valores, é também levar informação digna de ser lida. Temos vários veículos interessantes na nossa religião e sempre destaco o Jornal de Umbanda Sa-

grada e agora o Jornal Aldeia de Caboclos pela competência e isenção, fatores indispensáveis para que sejam naturalmente aceitos e tenham permanência na vida dos leitores. Conheço meus irmãos que tem essas iniciativas, e conheço seus propósitos, e se não fosse assim, não colocaria meu nome junto aos deles nessa empreitada. Sucesso, saúde e muitos anos de vida para o Jornal da Aldeia! Não canso de usar essa mesma frase e aqui ela cabe sob medida: As palavras encantam, mas os exemplos arrastam! Falando sobre exemplos, é sempre bom lembrar que ninguém tem méritos em apenas criticar o trabalho alheio. Aqueles que se dedicam a isso, principalmente dentro dos seus terreiros devem lembrar que estão dando exemplos aos seus filhos e, se agora criticam os terreiros por onde passaram, e desonram as

escolas de onde saíram, deveriam ter aprendido alem das práticas de terreiro também boas maneiras, ética e educação. Saibam que amanhã serão eles os alvos de sua própria semeadura. Renovar é preciso e constante em nossas vidas. Não há nada de novo em religião já a alguns milhares de anos e se não fossem as renovações, com certeza não estaríamos por aqui. Somos seres com capacidade de renovação, adaptação e ajuste conforme a circunstancia. Devemos seguir as leis vigentes e as regras de sociabilidade para que continuemos crescendo. É preciso que o ensino na Umbanda seja constante, que as coisas boas da religião sejam declaradas, senão estaremos condenados ao ostracismo de sempre. ( de ostra mesmo, fechado em si mesmo e isolado). Muitas vezes somos criticados por mostrar o que fazemos, e por abrir, na forma de cursos o conhecimento sobre a religião.


página 11 Tive a grata oportunidade de dar curso de ervas numa plataforma virtual de ensino a distância, onde alunos de várias partes do Brasil e do mundo (Portugal, Espanha, EUA, Japão) puderam participar, o que não aconteceria se fosse de forma presencial, ou se simplesmente a gente dissesse para eles que aprendam com seus guias e que ninguém pode te ensinar nada pois isso não é da Umbanda, essa coisa de ensinar não é da Umbanda e que pior ainda é pela internet que (só falta isso...) é coisa do diabo, etc...

Questione seu dirigente com respeito, e se ele ou ela tentar impedir que você estude, questione-o mais uma vez. Sempre com respeito, pois isso não tem a ver com medo, mas com educação, questione os por quês de não estudar e aprender sobre aquilo que você tem com filosofia de vida para você e sua família.

Não vivemos mais nessa época e se quisermos ser uma religião forte, que as novidades tecnológicas funcionem a nosso favor. Há de se filtrar muita coisa que é postada nos sites na internet, porque quando temos s disponibilidade e a velocidade da informação como temos agora, é obvio que de tudo vãos encontrar. Use o bom senso, siga seu princípio racional.

Devo apenas ser chamado de macumbeiro, adorador do demo ou outras coisinhas básicas do gênero e ficar quieto pois, resignação e humildade fazem parte da nossa vida religiosa, ou posso sim aprender mais sobre aquilo que escolhi para mim como poder transformador e colocar a minha religião em palavras do coração baseadas num conceito racional e equilibrado para que assim, quem sabe, pessoas a nossa volta passem a nos respeitar cada vez mais, pois sabem que em cada um de nós há sabedoria suficiente para defendermos nosso ponto de vista e a religião que levamos no peito? Pense nisso!

Assim como um banho de ervas deve ser um processo agradável, pois e não for causará num primeiro impacto e principalmente para alguém que está iniciando na religião, uma verdadeira desmotivação. A pergunta será a mesma: pra eu ser um religioso de umbanda preciso realmente passar por isso? Somos cada vez mais críticos e assim é que devemos ser. Quanto mais estudamos e conhecemos a nossa religião menos ficaremos nas mãos daqueles que pretendem apenas colocar seu ego e vaidade a serviço de si próprios.

Alias questione a si próprio se o seu dirigente inspira em você medo ou respeito natural, será muito saudável para ambos saber essa diferença.

Não há pessoas iguais e não há terreiros iguais em normas e procedimentos, pois são feitos em cima de pessoas e conceitos pessoais. O que podemos ter em comum é o propósito de estudo, entendimento e liberdade com bom senso. Se o Caboclo que se manifesta no terreiro que eu freqüento fuma charuto e o seu fuma cachimbo, pou-

co importa, os dois estão corretos, pois se serviram do entendimento que nós dois damos à mesma coisa. O que realmente importa é que os dois venham fazer o bem, sem olhar a quem, sem rejeitar ninguém, e encontrem em cada médium um ser humano livre e capaz de oferecer sua capacidade mediúnica sem medo, com conhecimentos, habilidade e atitudes equilibradas para que o bem possa fluir em plenitude. Quem ganha é o consulente, somos nós, é a Umbanda, é a humanidade e o planeta. Quero finalizar parabenizando mais uma vez o Jornal Aldeia de Caboclos pelo aniversário, e pedindo licença para divulgar aqui alguns sites que eu acho interessantes para o conhecimento da nossa amada religião de Umbanda. Sucesso, saúde e muita alegria a todos! Adriano Camargo – O Erveiro da Jurema (adriano@ ervasdajurema.com.br) Idéias e ideais que merecem ser compartilhados na internet: www.aldeiadecaboclos.com.br www.facebook.com\umbandaeucurto www.erveiro.com.br www.teologiadeumbanda.com.br www.colegiodeumbanda.com.br www.jornalnacionaldaumbanda.com.br


página 12

Reforma Íntima

r s o e a Q u e s ti n

“SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO”

Shakespeare

Tudo na natureza vive em constante movimento e mutação. A evolução das formas e dos seres é intrincada e complexa. Nossa realidade e a maneira com que enxergamos as coisas mudam a cada nova descoberta, a cada novo conhecimento adquirido, a cada horizonte desbravado pela nossa inteligência. Vi vemos com “certeza” em um mundo de “incertezas”. Onde nada é certo e nada é errado, tudo é relativo. No entanto, às vezes, julgamos ter as respostas definitivas para todas as questões do universo. Fechamo-nos em nossos paradigmas, em nossos pré-julgamentos e decidimos revogar a lei do progresso, uma lei de Deus. Em nosso orgulho, julgamo-nos infalíveis e senhores das verdades eternas. “Os espíritos que se julgam donos da verdade às vezes permanecem nesta fixação mental por muitos séculos”... “Não há violência; o despertar espiritual não acontece por nenhuma espécie de constrangimento”... Chico Xavier

A verdade, é que sabemos tão pouco sobre a vida na terra e sobre o funcionamento do universo infinito, que uma simples coleta de dados, baseada em números conhecidos pela ciência estabelecida, já serviria para quebrantar a vaidade e o orgulho milenar do homem e todas as suas falíveis certezas. Como nos relatou o bondoso e estimado Padre Zezinho, em seu livro, “O Incômodo e Magnífico Jesus de Nazaré”: • A terra possui 12.757km de diâmetro. • Gira a uma velocidade de 107.000km por hora ao redor do sol. • Atrelada ao sol, ao redor da via Láctea, sua velocidade é de 774.000km por hora. • Voa junto com a via Láctea a uma velocidade de 2.172.000km por hora, em torno de um conglomerado de 2.500 galáxias ainda maiores que a via Láctea, em direção não se sabe de quê. • Só nesta “insignificante” via Láctea, existem cerca de 100 bilhões de estrelas, sendo que a maioria delas são maiores que o Sol. • Somente para dar a volta na via Láctea, nosso Sol e o seu sistema solar levam 200 milhões de anos. • Só o nosso sistema estelar tem cerca de 2.500 galáxias, todas elas com outros 100 bilhões de sóis tão grandes ou ainda maiores que o nosso. • Para ir a Antares, uma das estrelas mais próximas do nosso Sol, voando na velocidade da luz, levaria 424 anos luz.

• Nossa terra é uma partícula de poeira cósmica no universo. Pode-se compara-la a um grão de areia na areia de todas as praias e mares do mundo. Neste profundo e misterioso universo uma ínfima e pequeníssima partícula de poeira cósmica está voando em direção ao desconhecido. Dentro dela, neste momento, viajam entre 5 e 6 bilhões de seres humanos. Nós fazemos parte destes passageiros que nasceram durante a viagem; viagem que começou há cerca de 5 bilhões de anos e que ninguém sabe quanto tempo vai durar e nem onde vai dar. Aqui neste “planetinha”, não dominamos os ventos, não dominamos as chuvas, não dominamos as condições climáticas, não dominamos as enchentes, não conhecemos todas as possibilidades do solo, sabemos muito pouco o que há no profundo dos mares e ainda não podemos prever o que acontecerá com as devastações florestais e explosões atômicas até agora acontecidas no planeta... Neste pequeno espaço de 12.757km de diâmetro, há uma longa História vivida por mais de 100 bilhões de seres humanos que, se calcula, já respiraram os ares deste planeta e já experimentaram a fascinante aventura de viver. Estão todos mortos. Sobramos nós, que não somos nem 6 bilhões e que dentro de 80 anos estaremos também quase todos mortos... “O que sabemos é tão pouco que não temos senão o direito de continuar perguntando quando, como, o porquê, de onde e para onde, de quem e para quem”... Padre Zezinho. Você está no caminho certo, rumo à sua evolução?... Quais são os seus objetivos na vida?... Como você define a felicidade na sua vida?... Diante de verdades tão absolutas, de dados tão incomensuráveis, diante de tão poucas certezas e de insondáveis dúvidas, só nos resta reconhecer a bondade e a perfeição infinita da inteligência suprema e causa primária de todas as coisas e questionar constantemente nossos valores e atitudes, mantendo sempre a mente aberta para as mudanças... O modelo supremo sempre será Jesus de Nazaré que,

depois de ter criado a terra e tudo que nela existe, reencarnou entre nós para nos deixar o exemplo de conduta que nos libertará deste ciclo de reencarnações sucessivas, rumo ao infinito dos espaços... “Eu não sei como alguém pode duvidar da existência de Deus! Acreditar que o universo possa ser obra do acaso?!... Diante da grandeza da criação, nós ainda estamos de rastros, somos poeira cósmica – ciscos pensantes... Não deveríamos sequer nos atrever a olhar as estrelas, sem reverência!...” Chico Xavier.


página 14

Trabalho Cultural e Social Exemplar em Benefício da Aldeia Indígena Piaçaguera Amor ao próximo

Mãe Verônica realiza um belissímo trabalho sócio-cultural com apoio integral do Templo de Umbanda Caboclo Juremeiro em prol da comunidade indígena da Aldeia Piaçaguera. Trabalho este construido com muito empenho, dedicação e mediante uma excepecional atuação. São desenvolvidas atividades constantes de arrecadação de alimentos, citando como exemplo a obtenção de meia tonelada de alimentos advindos da arredação feita no último Encontro de Mediuns e Curimbas promovido pela FENUG, bem como eventos objetivando dar maior visibilidade a encantadora cultura em questão. O trabalho diferenciado tem como base promover uma integração desta comunidade com nossa sociedade, frise-se, zelando em alto grau pela preservação dos costumes e das tradições indígenas e promovendo mostras desta rica e maravilhosa cultura em diversas épocas do ano. No mês de dezembro mãe verônica e sua equipe estão organizando uma bela festa de final de ano para a grande aldeia parceira de inúmeros trabalhos. Todos aqueles que desejarem colaborar é só entrar em contato até o dia 17/12/2011 pelos telefones e e-mail indicados a seguir: CONTATOS: 11 2482-1604 / 8762-6019 / 6480-5563 veronicvasconcelos@hotmail.com

PRESERVAR A CULTURA INDÍGENA É ZELAR POR NOSSAS RAÍZES!


página 16

Festival de Corimba e Dança Félix Nascentes Pinto Eventos

A União dos Divulgadores de Umbanda fixou o dia 15 de novembro, dia oficial da Umbanda e do umbandista, a data para a realização de seus festivais de Corimba. Para comemorar os 103 anos de oficialização da Umbanda e chamar a atenção da sociedade para seu aniversário (a Umbanda tem uma origem e uma data de fundação) e pratica a moral do Cristo, médium supremo, na vibração de Oxalá. No ano de 2011, a U.D.U – União dos Divulgadores de Umbanda – escolheu o baluarte umbandista Félix Nascentes Pinto para ser homenageado por seu festival de corimba e dança, em parceria com o Primado do Brasil e Mãe Maria Aparecida Naléssio. Em 15 de novembro, a cidade amanheceu chuvosa – chovia em São Paulo há mais de 24 horas, uma chuva fina e fria –. Foram feitos todos os esforços para a divulgação do evento, com a distribuição de cinco mil convites, 10 mil flyers, cartazes, banners e listas de Internet. Nosso grande porta-voz na WEB foi o Jornal Nacional da Umbanda, com mais de 2.500.000 de assinantes. Esse foi o raio de ação para divulgar a Umbanda por meio do festival. Sem dúvida, não fosse a chuva enviada por Iansã, não teríamos onde abrigar tantos umbandistas, que com certeza estariam presentes.

Na abertura do festival, foi feita uma homenagem ao Sr. Zé Pelintra, realizada pelo sacerdote e babalorixá Pai Tinho D’Odé. Logo em seguida, foi dada a palavra a Alexandre Cumino, que falou sobre a história da religião de Umbanda, e Ogan Daniel interpretou brilhantemente o hino da Umbanda.

Eram 15 horas e já tínhamos recebido mais de 800 e-mails com pedidos de desculpas por não poderem comparecer ao evento, por causa da chuva que caía sem parar em São Paulo. Porém, a expectativa era total: Tínhamos 12 corimbas prontas para apresentar seus pontos e mais quatro convidados, que engrandeceram ainda mais o evento – Pai Élcio de Oxalá, Ogan Severino Sena, Ogan Sandro Mattos e a Corimba da APEU, vencedores do Festival Aldeia de Caboclos em 2009, o primeiro realizado pela U.D.U, Aldeia de Caboclos, campeã do Festival Tambor de Orixá, de 2010 e Ogan Daniel, vencedor do 2º Prêmio Atabaque de Ouro, que veio especialmente do Rio de Janeiro para o evento.

Patrocinadores: Jornal Nacional da Umbanda, AUEESP – Associação Umbandista e Espiritualista do Estado de São Paulo e Madras Editora. Apoio Cultural das lojas: Flora Xangô, Reino de Osun e Ogún Níger, Casa Branca de Oxalá, Ogum Megê, Velas Santa Rita, Imagens Bahia, Casa de Umbanda Zezinho Baiano, Yorimá Artigos Religiosos, Sol do Oriente, Núcleo de Corimba Tambor de Orixá, Personal Camisetas, Conchitas Roupas Ciganas, Colégio Pai Benedito de Aruanda, Santuário Nacional da Umbanda, Federação Umbandista do Grande ABC, Colégio Pena Branca, Portais de Libertação, FUCABRAD, e Federação Espiritualista reino dos Orixás – FERO.

Planejamento e produção: Marques Rebelo, com apoio da União dos Divulgadores de Umbanda. Som e Iluminação: Rosset Produções Filmagem e Edição: RAS Eventos Corpo de Jurados: Pai Varela (SOUESP), presidente do Júri, Ogan Oscar (presidente da FENUG), Roberto Zangrande (presidente da FEUCESP), Marcelo Fritz (ICAPRA, Atabaque de Ouro), Ogan Daniel, Marcos Boeing (ASSEMA, FUEP), Sandrinha Sargentelli, Genildo D’Oxossi, Ortiz Belo de Souza (Federação das Ordens Iniciáticas), Pai Aguirre, Pai Sílvio (APEU), Senhor Edson (Presidente do Clube Tietê), Senhor Olinto e Senhora Solemar (Primado do Brasil). As notas foram abertas, dadas pelos jurados ao microfone, logo após a apresentação de cada corimba. Por Marques Rebelo – UDU/Revista Espírita de Umbanda


página 17 CLASSIFICAÇÃO 1º Colocado: Colégio Pai Benedito de Aruanda Pontuação Corimba: 130 pontos

5º Colocado: Templo Cabocla de Iansã Pontuação Corimba: 124 pontos

9º Colocado: Filhos de Umbanda Pontuação Corimba: 118 pontos

2º Colocado: Sandro Bernardes Pontuação Corimba: 129 pontos

6º Colocado: Adalberto de Oxossi Pontuação Corimba: 120 pontos

10º Colocado: Templo da Luz Azul e Caboclo 7 Estrelas Pontuação Corimba: 109 pontos

3º Colocado: Filhos do Cacique Pontuação Corimba: 126 pontos

7º Colocado: Núcleo de Umbanda Evolução Sr. Catacumba Pontuação Corimba: 119 pontos

11º Colocado: Templo da Luz da Lei Pontuação Corimba: 106 pontos

4º Colocado: Filhos do Axé Pontuação Corimba: 125 pontos

8º Colocado: Templo Ogum Naruê e Vovó Maria Conga Pontuação Corimba: 119 pontos

12º Colocado: Templo Vinha de Luz Pontuação Corimba: 103 pontos

MELHOR INTÉRPRETE

MELHOR COREOGRAFIA

1º Colocado: Colégio Pai Benedito de Aruanda 2º Colocado: Filhos do Cacique 3º Colocado: Sandro Bernardes

1º Colocado: Colégio Pai Benedito de Aruanda 2º Colocado: Sandro Bernardes 3º Colocado: Templo Ogum Naruê e Vovó Maria Conga

MELHOR LETRA

MELHOR TORCIDA

1º Colocado: Colégio Pai Benedito de Aruanda 2º Colocado: Corimba Filhos do Axé 3º Colocado: Núcleo Evolução Sr. Catacumba

1º Colocado: Colégio Pai Benedito de Aruanda 2º Colocado: Templo Ogum Naruê e Vovó Maria Conga 3º Colocado: Corimba Filhos do Axé


página 18

7° Encontro de Médiuns e Curimbas realizado pela FENUG Federação Espirita Núcleo Umbandista de Guarulhos. Dia 02 de Novembro de 2011 foi realizado no Teatro Adamastor Centro de Guarulhos SP o 7° Encontro de Médiuns e Curimbas pela FENUG – Federação Espirita Núcleo Umbandista de Guarulhos. Fundada em 13 de fevereiro de 2006, a Federação é uma instituição que tem o propósito de documentar e legalizar terreiros de matrizes afro-brasileiras (umbanda e candomblé), bem como ministrar cursos voltados à religião. Filiada ao Superior Órgão de Umbanda do Estado de São Paulo, a FENUG vem lutando junto com grandes amigos e irmãos de outras federações para elevar o nome da religião em sentido religioso e sócio-político, para que todos tenham direitos iguais perante a sociedade! O Evento contou com Grandes participações, entre elas a Escola de Curimba Aldeia de Caboclos, Umbanda e Ecologia; Emoriô etc... Também tivemos a participação do Pai Élcio de Oxalá que com sua belíssima voz deu inicio a abertura cantando o hino da Umbanda.

Outra apresentação muito especial foi da Aldeia indígena Piaçaguera onde a Mãe Verônica faz um trabalho excepcional. Entre muitos convidados que foram homenageados, Ogan Juvenal foi um deles. Ele falou da importância do encontro agradecendo a todos e não se esquecendo de citar mais uma vitória da religião, pois no dia 26 de outubro participou de uma comissão de religiosos em uma reunião com o Deputado Estadual Feliciano para tratar do assunto de sacrifício de animais nos ritos religiosos. O Deputado Feliciano concordou em mudar o decreto onde proibia os sacrifícios dos animais, mas colocaria outro no lugar sob a supervisão dos membros Religiosos de Umbanda e Candomblé. . Parabéns a FENUG, Ogan Oscar Daniel, Wanderley de Oxalá e a todos que contribuíram para este belo evento.


página 20

3º Festival de Dança e Curimba Afro Brasil

O evento ocorreu com muita alegria em 13/11/2011 na Casa de Cultura Itaim Paulista na cidade de São Paulo. REALIZAÇÃO: Instituto Cultural Umbandista da Cidade Tiradentes presidido pelo Sr. Genildo D’Oxossi e a FECUCANB - Federação de Candomblé e Umbanda das Nações do Brasil

RESULTADOS - QUADRO GERAL 1º Grupo Filhos do Axé Total Geral- 298 Pontos Ponto: Xangô Meu Pai Protetor

5º Grupo Filhos da Aldeia Total Geral- 261 Pontos Ponto: Boiadeiro Tião

2º Grupo Filhos de Umbanda Total Geral- 295 Pontos Ponto: Caboclo Lírio Branco

6º Grupo Tenda de Umbanda Gruta de Xangô Total Geral- 256 Pontos Ponto: Ogum de Ronda General da Umbanda 7º Grupo Guerreiros de Iasã Total Geral- 251 Pontos Ponto: João Corisco

3º Grupo Escola de Curimba C. de Senzala Total Geral- 279 Pontos Ponto: Amor Por Ogum 4º Grupo Templo de Umbanda C.de Iasã Total Geral- 268 Pontos Ponto: Saudação Ao Exu Meia Noite

Torcida Organizada: 1º Lugar Filhos do Axé: 2º Lugar Escola De Curimba Curimbeiro De Senzala:


página 22

Casa de Umbanda Vovó Catarina e Zé Pilintra realiza homenagem ao Sr. Zé Pilintra

Localizada na cidade turística de Campos do Jordão, a CASA DE UMBANDA VOVÓ CATARINA E ZÉ PILINTRA, realizou no dia 07 de outubro de 2011 no Clube Cata-Vento uma homenagem ao Sr. José Pilintra.

mesa de farta frutas, e para aquecer aquela noite, fora o calor humano e espiritual que já estava vibrante no local, foi servido aos convidados um caldinho verde e canjiquinha, ambos deliciosos.

Homenagem esta que surgiu de um pedido do próprio Sr. José Pilintra a Dirigente da casa Mãe Ana Paula, onde o Sr. José Pilintra gostaria que reunissem todos os Dirigentes e médiuns que fossem aparelhos de Zé Pilintra e que pedissem como colaboração alimentos para ajudar no trabalho social que a casa realiza.

Esteve presente na festa a Escola de Curimba Caboclo Girasol através do seu fundador Roncali, que entoou vários pontos em homenagem ao Sr. Zé Pilintra juntamente com outros Ogãs que lá estavam. Igualmente, estiveram presentes na empolgante festividade o Templo de Umbanda Caboclo Pena Branca através de sua Dirigente Mãe Márcia e seus filhos, o Templo de Umbanda Mestre Quebra Pedra e Zé Pilintra tendo como Dirigente o Pai Alberto e a Tenda Espírita de Umbanda Yemanjá.

Mãe Ana Paula e todos os filhos de fé ficaram um pouco assustados, pois desde a fundação da casa para a prática da caridade, nunca tinham feito uma homenagem fora dela. Mas como pedido de entidade são ordens, a Mãe Ana Paula e seus filhos correram atrás do local e até mesmo de patrocinadores para que pudessem realizar esta homenagem. Homenagem que foi coroada com a sua singeleza e afeto de todos os filhos que na chegada dos convidados recebiam todos com grande carinho. O salão muito bem preparado composto com uma

Parabéns a Mãe Ana Paula e a todos os seus filhos de fé pela linda homenagem realizada ao Sr. José Pilintra, e a todos os presentes que também abrilhantaram a festa. Agradecemos aos queridos patrocinadores que ajudaram de uma forma ou de outra esta homenagem acontecer, dando crédito a nossa querida religião que por falta de esclarecimento de alguns a apedrejam sem conhecer.

Saravá Umbanda, saravá seu Zé Pilintra! Fotos e matéria: Roncali (12) 9108.9466 roncali.moreia@gmail.com Rep. do Jornal Aldeia de Caboclos no Vale do Paraíba


página 23

3° Seminário: A Bandeira Branca da Umbanda na Diversidade Contemporânea

PEDIDOS DE DESCULPAS E RETIFICAÇÃO

Eu Roncali, venho por meio desta solicitar ao Jornal Aldeia de Caboclos a publicação de minhas desculpas e retificação do nome do Sr. JOÃO LUIZ COMMODO (SACERDOTE RELIGIOSO) da TENDA DE CARIDADE VOVÓ LUIZA E PRETO VELHO PAI JOAQUIM DA BAHIA, situada a RUA DONA MARAIA FRANCISCA GALVÃO DE FRANÇA, 140 – Bairro do Pedregulho na cidade de Guaratinguetá SP. O qual na 11ª Edição saiu como José Luiz e Pai Joaquim das Almas. O destacado evento aconteceu com grande sucesso no dia 15 de novembro na Rua Marques de São Vicente, 539, bairro do Parque Bitaru, na cidade de São Vicente - SP Organização: Primado do Brasil e Associação Flhos de Aruanda Coordenação: Iyá Ekedji Ogunlade

Aos médiuns, simpatizantes e toda a espiritualidade da Casa de Vovó Luiza, minhas sinceras desculpas. Roncali (12) 9108.9466


Tenda de Umbanda Caminhos de Aruanda Aldeia do Caboclo Tupinambá Todos estão convidados a participarem das nossas atividades. Sejam bem vindos a Aldeia do Sr. Tupinambá.

11- 2765-6908

Pai Cristiano D´Oxosse

Rua Morro do Espia, n 218 - Altos - Jardim Imperador São Paulo - SP - Tel: (11) 9947-5097

Avenida Vila Ema, 3248- Vila Ema São Paulo/SP

Tel 2604 5524 / 85641207

Email-silvio.humberto@hotmail.com

Quintas-feiras:

NOVEMBRO  

www.aldeiadecaboclos.com.br Ano 1, nº12 - 20.000 exemplares - Distribuição Gratúita

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you