Page 1


página 2

Ano 7 número 58 Prezados irmãos de fé e caros leitores, o fim do verão se aproxima, março ialcaminha, r as chuvas se intensiito ficam, o novo ano segue se erguend E do, as turbulências apresentam-se frequentes, as transformações em nosso planeta seguem vorazes, o ambiente clama por preservação, a Mãe Natureza mantém seus sucessivos alertas quanto ao comportamento do homem, o descaso com uma gama enorme de idosos é gritante, o desamparo, os maus tratos, e a crueldade contra milhões de crianças ao redor do mundo é muito mais que assolador, guerras por poder seguem dizimando nações e dilacerando sonhos, a necessidade de mudanças drásticas e urgentes na maneira de agir, pensar e viver do ser humano são notórias. Diante de todo esse contexto, é crucial que direcionemos todos os nossos esforços em busca de um convívio mais harmônico, mais igual, mais respeitoso e mais solidário efetivamente, lembrando que uma vez estando bem conosco e possuindo condições para tanto, devemos prestar o devido suporte ao nosso próximo que requer amparo nos mais diversos sentidos.

Sendo certo que o ato de caridade não é sinônimo de destacável condição financeira, saber ouvir, ceder o ombro amigo a uma pessoa em estado de agonia ou desespero interior é exteriorizar caridade. Frente a esta tormentosa situação mais acentuados são os motivos para fortalecermos e valorizarmos os princípios do ser humano do bem: o amor, a honestidade, a compreensão, o respeito mútuo, a solidariedade e promoção incansável da paz no mundo. Ante o mar de corrupção que assombra a maioria das nações do planeta, se faz fundamental que saibamos fazer valer os nossos direitos, fundamental que cobremos de forma enfática e contínua os políticos por nós eleitos para que sejam exemplos de boa gestão, de competência e hombridade, igualmente, elementar que exerçamos nossa cidadania zelando pela manutenção de relações cordiais e alicerçadas no bom caráter, zelando pela manutenção de cidades limpas e cuidados com a natureza, pois, temos da mesma maneira o dever por ser exemplo daquilo que cobramos dever ser respeitado. Tão salutar e crucial quanto nos atermos aos nosso direitos e deveres na construção de um mundo melhor é celebrarmos a vida a cada instante e agradecermos a Deus a oportunidade de estarmos

vivos e com saúde, a oportunidade de convivermos com pessoas que amamos, agradecermos ao nosso Pai Oxalá o maior exemplo de amor ao próximo e de superação já vistos na humanidade, agradecermos aos Guias e Orixás toda luz, amparo e suporte diário que recebemos. E mesmo diante de todos os descompassos e calamidades mundiais, temos que saber valorizar a vida buscando maior compreensão e espírito de gratidão para dizer aos céus: DEUS OBRIGADO, VIVA A ESSÊNCIA DA VIDA QUE É MARAVILHOSA!!! Que Oxalá ilumine o caminho de todos nós! Salve a Umbanda, que é amor e caridade, Salve Zambi! Alexandros Barros Xenoktistakis

EXPEDIENTE istakis els B. Xenokt oradini g En r: to e ir D lC Arte: Danie istakis Direção de kt o n e X B. ls e g Redator: En s: Adriano Camargo / re Colaborado ares e n Li o ld Rona s Xenoktistaki ndros Barros s Alexandro xa le A : a ic ríd Assessoria Ju OAB/SP 182.106 – s ki ta os.com.br is kt o n Xe eiadecabocl ld a l@ a rn jo contato:

PREVISÃO BARALHO CIGANO Cartas: cruz- árvore- âncora

Amor

Momento de maior liberdade dentro do relacionamento onde você deve buscar seu espaço e a sua liberdade dentro do relacionamento. Se você está sozinho( a) amorosamente será um ótimo momento para conhecer pessoas novas e se refazer amorosamente.

Profissional e Financeiro

Momento de buscar conhecimentos, estudos e aperfeiçoamento dentro do que você trabalha ou até mesmo pensar em novas oportunidades atravès de estudos. Invista em você e se abra para novas amizades e alianças.

Saúde

Para as mulheres será um periodo onde estará mais fértil tendo possibilidades de gravidez. Aos homens cuidado com colunas e até mesmo ombros e braços.

Carol Amorim- Taróloga e Dirigente do Templo de Umbanda Estrela do Oriente. Rua Bengali 29- Parque Novo Oratório Santo André. Atendimento online ou presencial. Informações: 11-23694241 ou via whatsapp 11 947393262


página 4

Foto: Divulgação

Ano 7 número 58

a n s ia a v lde r E A

O QUE NOS INSPIRA Salve sagrados irmãozinhos e irmãzinhas nas ervas! Salve filhos e filhas de Mamãe Natureza, buscadores e conhecedores da sua própria natureza, humana por excelência! Existem pessoas que sonham, e que vivem sonhando... Existem pessoas que realizam, e nem se dão conta do que realizam... Existem pessoas que sonham, realizam e tem a maior satisfação em realizar, para si, para o próximo, para a humanidade! É muito bom, bom mesmo, saber que pessoas estão se transformando para o bem, a partir do conhecimento. E se for o conhecimento que temos a oportunidade de dividir por aqui, nessas matérias, melhor ainda, pois alimentam nossa satisfação, e dão energia para continuarmos. Muitos acreditam que precisam ser humildes a ponto de não reconhecerem seu próprio trabalho, pois isso seria EGOísmo... será mesmo? Acredito que quem não reconhece seu próprio trabalho é porque não reconhece o trabalho alheio também, ou acredita que sempre o externo, o que é dos outros é muito melhor. Falam que as marchas de outras religiões são sempre mais cheias dos que as nossas procissões e eventos, mas nunca se fazem presentes para perceber a energia, a empolgação, o brilho nos olhos dos irmãozinhos que estão ali, que vieram simplesmente para louvar seus Orixás; ou aqueles que muitas vezes estão ali virando a noite para que as coisas aconteçam, para que os sonhos se tornem realidade. É muito gratificante saber que alguém se tornou uma pessoa melhor depois que te conheceu, ou que conheceu seu trabalho. E isso não quer dizer sobre o que você é ou acha de si mesmo, mas sobre como a pessoa começou a

se sentir, sobre si mesma, depois disso. Tenha certeza que essas pessoas compartilharão das suas atitudes com outros, a partir de si, formando assim uma grande corrente do bem. Incentivar as pessoas a melhorar é tudo! Não existem pessoas que não querem se desenvolver, mediúnica, psicológica, social, econômica, ou humanamente. Existem sim, pessoas que ainda não foram tocadas em espírito pela forma mais correta. Aquela forma que faz os olhos brilharem, a pele arrepiar e a mente se encher de luz com a certeza de que é possível. E não foi assim que se sentiram os apóstolos de Cristo (os verdadeiros) ao ouvirem suas ideias e depois propaga-las ao mundo? E os irmãos que abraçaram as ideias de Pai Zélio e do Sagrado Caboclo das Sete Encruzilhadas e sob sua determinação abrir tendas de Umbanda para a prática do amor e da caridade? Mestre inspiradores! Que fazem pensar, sorrir, chorar, amar, odiar, sentir enfim e nunca mais te deixam voltar a ser o que era! Vejo muita gente se orgulhando de não ter mestres. Arrogantes que acreditam que o conhecimento é natural nelas. Esquecem que na infância, adolescência, somos movidos pelos ídolos, que determinam tendências, moda, comportamento. As novelas ditam regras subjetivas, que vemos o tempo todo modificando o mundo para que fique igualmente abstrato. Eu tenho muitos mestres, muitos inspiradores, mentores que nem sabem que eu existo e que um dia mudaram minha vida e continuam mudando-a. Escrevo inspirado pelos mestres do astral, mas também influenciado pelos sagrados espíritos que Deus, Nosso Pai Criador permite que estejam aqui na terra, encarna-

dos para nos inspirar através dos seus livros, cursos, etc. E seria muita arrogância eu dizer que TUDO é meu, tudo é obra minha e inspirada por mim. Vejo o trabalho com as ervas uma extensão do trabalho de muitos outros mestres, os reconheço e respeito seu trabalho e dedicação. Sou umbandista com muito orgulho e não canso de dizer que Pai Rubens Saraceni me manteve umbandista, com todo seu trabalho na Umbanda, pois quando eu larguei tudo e me tornei abstrato porque não encontrava respostas, voltando para a religião pela dor, depois de anos de busca, foi seu trabalho que encontrei e que me deu um norte, um caminho a seguir. Tenho muito orgulho em ser seu filho e discípulo e ser um propagador desse trabalho, que se um dia me transformou, sei que através de mim também transforma outras pessoas. São dezenas, talvez centenas de mestres que gostaria de citar aqui, mas o espaço não permite. Mas quem é sabe que é, e sabe onde e porque está. Então, sintam-se honrados também com essas palavras e tenham a minha eterna gratidão. Agradeço aos editores do Jornal Aldeia de Caboclos e peço desculpas por te alongado tanto essa matéria, saibam que essas linhas também são para vocês e para todos os veículos que permitem que eu escreva minhas matérias. Pensem nisso, pense em quem os inspira. Pra não passar em branco, vamos falar de pelo menos uma erva muito usada na nossa amada Umbanda. Gratidão a todos, sucesso, saúde e muita inspiração! Adriano Camargo Erveiro www.erveiro.com.br adriano@ervasdajurema.com.br


Ano 7 número 58

página 5


página 6

Ano 7 número 58

o g i t r A

Prezados leitores! Neste número damos sequencia ao resgate da memória da Umbanda com a interessante matéria de Eurico Lagden Moerbeck. Banhos de descarga e defumadores – Um olhar da década de 1940 Este é um tema recorrente no dia a dia dos terreiros de Umbanda. Por vezes as Entidades Espirituais recomendam determinados tipos de banhos de descarga e defumações. Nem sempre, porém, os consulentes ou os próprios cambonos tem a preocupação de pedir esclarecimentos, a essas Entidades, sobre a função de tais práticas. Mostramos a seguir um estudo apresentado pela Tenda Espirita Fé e Humildade, na reunião de 22 de outubro de 1941, por intermédio do Senhor Eurico Lagden Moerbeck, no Primeiro Congresso Brasileiro do Espiritismo da Umbanda. É muito interessante notar a brilhante explicação sobre a atuação dos espíritos obsessores no corpo astral e no corpo físico da pessoa obsidiada, além da apresentação de uma síntese histórica sobre a ancestralidade do uso dos banhos e defumações. “É comum ouvir”-se de pessoas mais ou menos cultas, ocupando posições de relevo na vida social, palavras de sincera estranheza acerca da recomendação frequentemente ouvida dos trabalhadores invisíveis na chamada Lei de Umbanda, quanto aos banhos de descarga e defumadores. Não podem compreender essas pessoas – e confessam-no em sua boa fé – que uma infusão de ervas silvestres de aroma nem sempre agradável ao nosso olfato, possa produzir efeitos terapêuticos em um organismo depauperado ou momentaneamente enfermiço. E por tal não compreenderem, deixam de executar as recomendações dos caboclos amigos, continuando a ostentar no seu ambiente físico as causas que as levaram às sessões (Naquela época, as giras de caridade eram comumente

denominadas de sessões, por analogia às sessões espiritas kardecistas). Outra prática com a qual não concordam muitos dos leigos no assunto, é a dos defumadores individuais ou coletivos, como meio de se libertarem das más influências que porventura os persigam. Alegam, alguns, que semelhante prática só poderá ter cabimento em ambientes destituídos de certa cultura, no meio dos simples e humildes, e nunca entre pessoas esclarecidas que nenhum alcance descobrem em trabalhos desta natureza. E não há de ser pequeno o número das pessoas que se sentiriam diminuídas perante si próprias e os seus familiares, se uma visita às surpreendesse de fogareiro à mão a percorrer, atentas, todos os recantos do seu confortável palacete, a espargir delicados évolos de fumaça impregnada de incenso, mirra ou benjoim, ou dos três para um mesmo efeito. Certo não encontrariam de pronto, para dar à visita, uma explicação bastante credível que lhe não transmitisse a convicção de se encontrar em face de alguém que frequenta sessões espiritas. Não há, porém, nenhuma novidade para os atuais viventes da terra, na adoção dos banhos de descarga como meio de restabelecer o equilíbrio orgânico, nem no uso de defumadores aromáticos para a limpeza do ambiente psíquico. Tanto um quanto outro datam de tempos imemoriais, e foram adotados por todos os povos cultos do passado, constituindo ainda uma prática generalizada entre várias das raças espiritualmente mais adiantadas do presente. Entre os hindus como entre os fenícios, duas das raças orientais mais evoluídas do passado, assim como entre os gregos, godos e visigodos que imperaram por largos séculos no Ocidente, os banhos aromáticos e a queima de resinas odorantes constituíam hábitos a que não se escusavam

as suas mais nobres figuras, Faziam-no – sabemos hoje – não por um simples apego à tradição avoenga (Ancestral) ou por um diletantismo qualquer, mas, sim, por um principio de higiene psíquica, para manter à distância os inimigos ocultos, ou, segundo os dogmas religiosos de então, para tirar o demônio do corpo. Ora, isto nada mais representava que uma prática perfeita de alta magia, ensinada e recomendada aos seus contemporâneos pelos magos ou oráculos de então, que outra coisa não era senão os espiritas de hoje. Como os trabalhos de passes magnéticos não existissem naqueles tempos, os banhos e defumadores realizavam o tratamento. Esta é a síntese histórica dos atuais banhos de descarga no organismo humano que consiste na limpeza dos fluídos maléficos nele depositados por entidades perturbadoras ou malfazejas, com a intenção de transmitir a enfermidade àquele que lhes caiu no desagrado. Tais entidades conseguem os seus objetivos pela aproximação da criatura que desejam perturbar, espargindo sobre ela, ou na parte que lhes parecer mais suscetível, os fluídos maléficos de que são portadores. Pela delicadeza de sua constituição e pela importância de sua função no organismo, quase sempre são os pulmões, o fígado, os rins ou o coração, os órgãos mais diretamente visados. Sobre eles os obsessores vão concentrando os seus fluidos dia por dia, ao mesmo tempo em que vão transmitindo ao espirito da criatura a ideia persistente da doença, até conseguirem impressioná-la. Desta ação invisível resulta, não raras vezes, o calvário de numerosas criaturas. Certas de que estão sofrendo do coração, por exemplo, dirigem-se ao médico, a quem relatam tão pormenorizadamente os sintomas da moléstia, que este não pode deixar de concordar com elas. Ao examinar o coração, porém,


página 8

Ano 7 número 58

não encontra o facultativo (Médico) a confirmação do que ouviu, porque esse órgão entrou a funcionar com admirável precisão. É que o obsessor está presente e removeu os fluidos para o fígado, a fim de desviar a atenção do clínico e transformar-lhe o diagnóstico. Examinando este órgão, encontra-o o médico positivamente afetado, não lhe sendo difícil convencer o cliente de que tudo quanto ele sentia e julgava ser do coração, era de origem hepática. Receita, pois, para o fígado, e o doente inicia o tratamento. O obsessor, entretanto, que é inteligente, remove novamente os fluidos para o coração e deixa o obsidiado esgotar o tratamento hepático. Se este volta ao médico para lhe dizer que não melhorou, o facultativo, certo da sua ciência, examina-o mais atentamente, concluindo ainda uma vez que o coração nada tem. Já então percebe qualquer irregularidade no funcionamento do baço e concilie que deve ser este órgão realmente afetado. Imagina logo ter-se equivocado muito provavelmente na vez anterior, desviando sua atenção para o fígado. Receita desta vez para o baço e o paciente submete-se ao novo tratamento. Novamente o obsessor, para desconcertar os dois, desviara os fluidos para o baço, deixando livres o coração e o fígado. E assim continuará o sofrimento da criatura, com possibilidade de ter de suportar até intervenções cirúrgicas dolorosas, se alguma entidade amiga, o seu Guardião, por exemplo, não intervir em seu favor. Imaginemos agora que assim aconteceu, e doente encontra meios de comparecer a uma sessão da chamada Lei de Umbanda. Conduzido à presença do Guia, trata este inicialmente de investigar o seu ambiente psíquico, que se encontra seriamente perturbado pela ação fluídica de um ou mais obsessores. A primeira coisa a fazer, então, é a atração dos obsessores ao recinto dos trabalhos, donde são enviados ao Espaço, afim de que se regenerem no meio daquelas falanges de trabalhadores. O doente, entretanto, ostenta uma boa carga de fluidos maléficos nele deixa-

dos pelo obsessor, e que se torna urgente retirar para restabelecer o equilíbrio orgânico.

Dentro das caixinhas do famoso Defumador Indiano eram encontrados brindes como este (1954)

Para a retirada, pois, desses fluidos, são recomendados tantos banhos de descarga quantos forem requeridos pelo seu estado, e que devem constituir séries de três, sete ou vinte e um, segundo a indicação do Guia, os quais deverão ser tomados em dias seguidos, sem nenhuma interrupção, para que o efeito corresponda à necessidade do doente. O defumador passa a ter, aí, um papel de relevo na limpeza do ambiente. A queima das substâncias indicadas para este fim, e que tanto podem constar de ervas secas escolhidas pelas suas propriedades magnéticas, como da reunião de resinas aromáticas apropriadas, – produz no campo mental do doente uma espécie de profilaxia, expulsando de lá as entidades incompatíveis com os elevados sentimentos do bem e da fraternidade espiritual. A elevação de uma prece a Jesus durante o defumador, e a salvação aos nomes das entidades graduadas da Lei de Umbanda, ou daquelas santificadas pelo seu devotamento à causa sagrada da humanidade, tem a virtude de atrair algumas falanges de trabalhadores invisíveis, que passam a cooperar na limpeza psíquica do ambiente doméstico. E aí reside uma das causas por que o Espiritismo (Naquela época considerava-se a Umbanda como uma modalidade de Espiritismo) consegue realizar curas consideradas impossíveis pela ciência contemporânea, depois de esgotar os recursos aconselhados à especialidade. É que, em se tratando de m ales de origem psíquica, a sua cura só se poderá processar no mesmo plano, pelo conhecimento e remoção das respectivas causas. Quase se pode afirmar que, hoje em dia, oitenta por cento dos males que afligem a humanidade, provem daquela origem. A ciência combate efeitos; mas se as causas persistirem, só o Espiritismo as removerá”.

Propaganda do defumador “Quebra Azar” - Jornal Notícias Populares, 16/6/1986

Matéria de: Diamantino Fernandes Trindade


Ano 7 número 58

página 9


página 10

Ano 7 número 58

almas perdidas, muitas vezes por conhecimentos desvirtuados ou equivocados.

al

a d n

g Le

Temos caboclos atuando em todas as áreas e, independentemente dos orixás que abrem seus campos pra que eles trabalhem, todos trabalham sob o mistério vegetal de Pai Oxóssi.

ba

Um

O Mistério Caboclo na Umbanda é o arquétipo do homem simples, da terra, indígena ou não, e é sem dúvida ao lado da linha dos Pretos-Velhos a mais atuante na umbanda. Os caboclos representam a força e atuam muito no mental dos médiuns, através do chakra frontal. Dão passes, consultas, realizam trabalhos de cura através da manipulação das ervas, das quais são profundos conhecedores. Espíritos das mais variadas religiões e culturas se manifestam na Umbanda através do Mistério Caboclo, e seu valor para a umbanda é inestimável, pois são aguerridos no combate ao mal e no direcionamento de encarnados e desencarnados. Sua característica direcionadora é simbolizada pela flecha, um de seus instrumentos mágicos; tanto que, quem tem olhos para ver, observa flechas energéticas serem lançadas por eles dentro dos terreiros, ora limpando e ora energizando o ambiente e as pessoas que nele estiverem.

PAI OXÓSSI – O TRONO DO CONHECIMENTO Regente masculino do Trono do conhecimento, Pai Oxóssi é o Orixá responsável pela expansão, em todos os campos da nossa vida. A Umbanda não é uma religião estática, muito pelo contrário, é dinâmica e está em constante renovação. O universo dos Orixás é vastíssimo e a cada novo aprendizado nossa consciência se expande, abrindo novos horizontes e, com eles, infinitas possibilidades... O mistério de Pai Oxóssi faz parte deste processo, pois sempre que algo precisa expandir de alguma forma – seja material, financeira, intelectual, emocional ou espiritualmente – é a ele que devemos oferendar. O brilhante Albert Einstein disse que a mente que se abre a uma nova ideia jamais volta a seu tamanho original, e é verdade. Na umbanda, quando nos dispomos a aprender, seja com os guias espirituais, seja na literatura ou seja com nossas próprias experiências dentro de nossos terreiros, a expansão do raciocínio, do pensamento e consequentemente da consciência é constante. Como dizia o saudoso Pai Rubens Saraceni, a Umbanda é a religião dos mistérios. E quanto mais buscamos, mais nos surpreendemos com a grande-

za da nossa religião. E vou mais longe: só não revelaram mais porque somos lentos nesta busca e a maioria dos umbandistas ainda não assimilou o que já foi passado. Seria como dar um automóvel nas mãos de quem não sabe dirigir... Não tenho nada contra os que acham que o conhecimento dentro do terreiro tem que ser passado de boca em boca, como ocorria no passado, e tenho plena convicção de que a sabedoria é superior ao conhecimento, mas é inegável a contribuição que os livros psicografados pelo Pai Rubens Saraceni e outros umbandistas trouxeram à Umbanda, pois para muitos são a única fonte onde se pode aprender algo sobre a religião. Mas acredito que os guias esperam que façamos a nossa parte, buscando o saber para que nossa parceria com eles resulte num trabalho mais eficiente e realizador, pois quando o médium aprende sobre ervas, por exemplo, o caboclo se alegra de ver seu filho buscando novos conhecimentos, não tenho dúvidas. Não por acaso os caboclos de umbanda são regidos por Pai Oxóssi, pois são doutrinadores das

O conhecimento é importante em todas as religiões e em todas as áreas de nossa vida, sem dúvida. Mas na Umbanda ele é imprescindível, pois ter uma explicação fundamentada sobre temas pertinentes à nossa religião é nossa principal arma pra que as pessoas entendam a universalidade dos Orixás e o porquê das nossas práticas, que nada têm de arcaicas, muito pelo contrário. Só estudando poderemos explicar às pessoas que a Umbanda cultua os Senhores da Natureza, cujos elementos estão em nosso corpo físico, e cujas energias são essenciais à vida, como a água, o vento, o sol, a chuva, o ar etc. Que o conhecimento nos conduza ao caminho da evolução e da ascensão, Axé!

Por Mãe Valéria Siqueira

Terreiro de Umbanda Pai Oxóssi, Caboclo 7 Flechas e Mestre Zé Pilintra

Críticas e sugestões: t.u.paioxossi@hotmail.com


Ano 7 número 58

página 11


página 12

Ano 7 número 58

b

n

do

la Fa

m U e

a

d an

d

O8 de março - Dia Internacional da Mulher Em 1975, quando a ONU passou a utilizar o dia 08 de março para celebrar o Dia Internacional da Mulher, além de homenageá-las por todas as dificuldades, falta de direitos, muitas lutas e o terrível acidente que vitimou mais de cem mulheres em Nova York, tinha também o objetivo de realizar conferências, debates e reuniões onde pudessem discutir o papel da mulher na sociedade: direitos básicos, trabalhistas, sociais e até mesmo o de não sofrer violência física. De 1788 a 2017 foram muitos anos e muitas injustiças até acontecerem as mudanças. Ainda falta muito, muitas reivindicações não foram cumpridas e muitas ainda sofrem com violências, mas muito foi mudado e o importante é a utilização da voz para sermos ouvidas. Na vida de uma mulher de vive em 2017 existem poucos vestígios da vida daquela que viveu em 1950, 60 ou 70. A terceira idade nunca foi tão valorizada e respeitada. Uma mulher divorciada não fica “mal falada”; a grande maioria trabalha e tem seu próprio dinheiro; a virgindade não é mais requisito para “bom casamento”; a maioria dos homens ajudam nas tarefas diárias e cuidam dos filhos com carinho e amor; quase não se ouve mais as frases: “Isto é coisa de homem” ou “Isto é coisa de mulher”. Com a evolução da medicina vem a longevidade e a qualidade de vida. Exercícios, danças, passeios e festas não são mais “coisas dos jovens”, idosos também têm vida social e se divertem, têm seus círculos de amizades e fazem bom uso das redes sociais. A medicina estética corrige e melhora o que “não se gosta” permitindo que as pessoas demorem mais a

demonstrar sinais de envelhecimento. Ah! Chegamos ao ponto que eu quero me concentrar: Pois bem, até aqui falamos de empoderamento feminino, conquistas de direitos, igualdade entre sexos e valorização da mulher . Isso me faz pensar em algo que tenho percebido e me entristece: o desespero de algumas mulheres em ficarem eternamente jovens a qualquer custo. Para isso fazem dietas maluquíssimas, exercitam-se em excesso, utilizam-se de todos os meios estéticos para ficarem bronzeadas, sem celulites, sem estrias, com cabelos perfeitos, peles perfeitas, sobrancelhas perfeitas, unhas perfeitas, e o pior, morrem em cirurgias para reduzirem três ou quatro quilos sem fazer regime alimentar. Negam o peito aos seus filhos para não deixarem os seios flácidos, ou então, postam vídeos em que dão de mamar excessivamente para mostrar o quanto emagreceram enquanto seus bebês sugam o leite. Sou totalmente favorável a qualquer um desses procedimentos (fora os que envolvem os bebês), desde que com bom senso e seriedade. O excesso é que é ruim. Deixar-se levar apenas pela aparência é muito triste. Achar necessário sofrer para agradar o outro é muito triste. Essas mulheres não estão se dando conta de que não estão fazendo isso por elas, mas sim para serem aceitas por pessoas que não as merecem. É comum se comparar envelhecimento com algo ruim, depreciativo ou humilhante. Portanto, ninguém quer envelhecer! Mas isso é apenas uma etapa da vida que passamos, tal qual a infância, adoles-

cência, vida adulta, enfim... Conheço algumas pessoas que ficaram mais bonitas conforme foram envelhecendo e fico pensando que o motivo só pode ser a experiência, o amadurecimento e a aceitação pessoal. Todos queremos ter um rosto e um corpo jovem eternamente, porque o inconsciente coletivo assim exige. Porém os mais equilibrados e resolvidos lidam muito bem com a velhice. Na minha opinião a velhice traz consigo toda a magia, o encanto e o arrebatamento de uma vida. Assim como as pessoas são únicas, suas vidas também são. Então, uns sofrem mais que outros; alguns têm muito poder aquisitivo, outros nenhum; umas famílias enfrentam doenças severas e tragédias, enquanto outras passam muito tempo em viagens e diversão. E por que eu chamo de mágico? Porque nada disso importa quando se tem luz interna, quando se vive em paz. Um lixeiro pode ser (e algumas vezes é) mais feliz do que um rico empresário (não é incomum serem alcoólatras ou dependentes químicos, pois são profundamente infelizes e depressivos). Cuidar-se, ser vaidosa, gostar de ficar bonita é muito saudável, é sinal de vida. Mas querer ser eternamente jovem é uma luta que custa muito caro ao orgulho porque sempre haverá mais um passo a dar. A guerra nunca estará vencida. A autoestima sempre cobrará mais e mais. Olhar-se no espelho e gostar do que vê não tem a ver com beleza física, mas com paz de espírito e amor-próprio. Cada dia é diferente, cada um é diferente, cada filho é diferente. Trabalho, casamento, família. Fi-


Ano 7 número 58 lhos; noites mal dormidas amamentando bebês, medindo febre, socorrendo das cólicas; trabalho; escola; trabalho; adolescência; trabalho; preocupações; ficam adultos e se vão. Sozinhas novamente será a primeira vez que nos olharemos nos olhos diante de um espelho. Passaram-se quanto? Vinte anos? Trinta? Tínhamos 20 e agora 50, 60? Será possível vermos a mesma imagem? Sim, se olharmos com os olhos do coração. Os mesmos que nos trouxeram até aqui. Os olhos que enxergavam as responsabilidades, as necessidades, as prioridades, os deveres. Esses olhos que não tinham tempo para o espelho porque viam diante de si apenas o propósito prático, lógico e real de ser fiel aos seus objetivos. E se está tendo a oportunidade de se observar, tenha a certeza de que sua meta foi atingida! Devemos ter orgulho de quem somos. Cuidar-se, embelezar-se, arrumar-se e ficar linda, sempre! Mas para nós mesmas. Assim como a tristeza e a preocupação deixam marcas em nossos rostos, a felicidade também ficará estampada nele. A felicidade e a paz suavizam as marcas e deixam a face iluminada. Você já deve ter ouvido mil vezes dizerem que “mulher grávida é linda”. Será que só as mulheres bonitas ficam grávidas ou será que a felicidade pela gravidez as tornam lindas? Para finalizar, gostaria de dizer que quando estiver se sentindo muito diferente do que era, pegue suas fotos e dedique-se cuidadosamente a elas. Comece com as mais antigas e reveja toda sua vida. Quantos momentos felizes, quantas alegrias, passeios e diversos momentos que ficaram eternizados para sempre. Sinta novamente todas as emoções. Você se lembrará da época que estava vivendo, das dificuldades que estava passando (algum carro amassado após um acidente, um gesso no braço ou na perna, um dia de cama), bebês, crianças, adolescentes, formaturas, casamentos, netos... e ao terminar, você terá a exata medida de tudo o que fez, de tudo que passou. Isso é o que realmente importa. Cada ruga tem seu motivo e cada motivo teve seu grau de dificuldade. Ser como somos é o resultado de toda uma vida e não se pode mudar o passado. Temos sim que ficar orgulhosas de quem somos e nos sentir poderosas, pois temos uma história e, cada qual... a sua história. Parabéns meninas !!! Pai Ronaldo Antônio Linares, presidente da Federação Umbandista do Grande ABC é responsável pelo Santuário Nacional da Umbanda. www.santuariodaumbanda.com.br federacaoabc@terra.com.br www.facebook.com/ santuariodaumbanda.fugabc

página 13


Ano 7 número 58

página 14


Ano 7 número 58

página 15


Ano 7 número 58

página 16


Ano 7 número 58

página 17


Ano 7 número 58

os t n

e Ev

Dia Internacional da Mulher Em virtude do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 08 de março, com a iniciativa do vereador Quito Formiga, a Aldeia de Caboclos no comando de Pai Engels de Xangô, realizou quinta feira (02/03), uma homenagem para celebrar todas as mulheres que, a cada dia, contribuem para o engrandecimento do Município. Chefes de família, religiosas, professoras, empresárias, doutoras, filantropas, são alguns dos perfis das 38 mulheres como autoridades a deputada federal Renata Abreu, a deputada estadual Leci Brandão. Destacando a importância de se celebrar o Dia Internacional da Mulher e de reconhecer sua importância do empoderamento feminino capaz de transformar as organizações nos mais diferentes aspectos, tanto no âmbito cultural, político, econômico e social. A homenagem não se restringiu às 37 mulheres indicadas, mas efetivamente foi extensiva a todas as mulheres do Município, parabenizando-as pela justa condecoração, por serem grandes merecedoras desta homenagem!!!LISTA DAS HONRADAS HOMENAGEADAS E FOTOS

página 18


página 19

Ano 7 número 58

Drª Juliana Ogawa Drª Katia Boulos Drª Carmen Dora de Freitas Ferreira Professora Elisa Lucas Rodrigues Maria Nazareth Dória Monica Peralli Broti Andrea Aparecida Falcone Fonseca Maria Silvia Silva Bahia Eunice de Paula Silva Renata Abreu Leci Brandão Tatiana Keli Bueno

Sonia Regina Patrício de Lima Leticia Nascimento Graciete Miranda de Oliveira Pinto Luci Rosa Solange Aparecida Marques Camargo Vanilda Aparecida Costa Silvério Baby Amorin Ana Angelica Dias Costa Alvarina Martins Vera Luz Yalorixá Ana Yemojá

Mãe Ivone de Oxum Mãe Fernanda de Xangô Mãe Juveni de Iansã Sandra Santos Regiane Zeretzky Maria das Graças Aparecida da luz Karina Dadalt


Ano 7 número 58

página 20


Ano 7 número 58

página 21


Ano 7 número 58

os t n

e Ev

29ª EDIÇÃO DA PROCISSÃO “ÁGUAS DE OXALÁ” Aconteceu no dia 29 de janeiro de 2017, a 29ª edição das Águas de Oxalá, um maravilhoso evento da nossa querida e amada Umbanda. O Tradicional Evento foi organizado e realizado pela Tenda de Umbanda Cacique Pena Vermelha e Ogum Iara sob o comando da Mãe Sebastiana, Mãe Rita De Cássia Cordeiro e Pai Isidoro, e com o apoio excepcional do Afoxé Filhos do Cacique. O emocionante evento recebeu vários templos e distintos convidados que vieram prestigiar e participar da tão aguardada Procissão, caminhando, vibrando e louvando o nosso Pai Oxalá pelas ruas do bairro da Vila Antonieta na Zona Leste de São Paulo. Parabéns aos responsáveis pelo amor, carinho e dedicação!

página 22


19 de março

Ano 7 número 58

á d n

e l a

C

rio

19 de março

6ª HOMENAGEM AOS CABOCLOS BRASILEIROS Barreto Organização: Ogã Franklin Data:19-03- 2017 Horário: partir das 12Hs etaria da Educação Local:Falc- Auditório da secr ia,245 Alde da ada Estr o: ereç End Jd Marilu- Carapicuíba SP - 11 9 4565-3516 Contato: 11 9 8670-9600

02 de abril

8 de abril

áscoa Bingo de P te Benefiegca en

49ª Homenagem ao Orixá Oxóssi e Caboclo Arranca Toco

Organização: Tambor de Orixá Data: 19-03- 2017 Horário: 15:00 Local: Colégio Pai Benedito de Aruanda Endereço: Rua Serra da Bocaina, 427 – Belém Contato: 11 3228-9588 39840181 - 996227909

11 de abril

30 de abril

30 de abril

60 anos de Festa de Ogum-União de Tendas

Vamos Saravá Ogum 2017-A.U.E.E.S.P Organização: A.U.E.E.S.P Data: 30-04-2017 Horário: 16:00hs Local: Clube Escola Mooca Endereço: Rua Taquari,635-Mooca Contato:9 9784-2668-Sandra Santos

o 25 de junh

ão 13ª Procissem Homenag i Xangô a Pa e Louvação boclos-

Ca : Aldeia de Pena Verde Organização e Caridade Caboclo or Templo Am 6-2017 Data: 25-0 go in om D : ia D hs Horário: 13 ooca e escola M ca Local: Club i 635-Moo 09 Rua Taquar : ço re de 94726-76 En \ 4 87 -5 5 78 94 o: at nt Co

asOrganização: União de Tend Equipe Quito Formiga 9hs Data: 11-04-2017 Horário:1 SP Local: Câmara Municipal de 100 Endereço: Viaduto Jacareí, - (11) 3062-4370 Bela Vista, São Paulo – SP

09 de maio

m ao dia Homenage das Mãermsiga

uito Fo : Equipe Q Organização 017 -2 5 -0 9 0 Data: hs Horário:19 ipal de SP ara Munic 100 Local: Câm o Jacareí, ut ad Vi : Endereço ulo – SP Pa o Sã a, Bela Vist Q Contato: E-

29 de julho

09 de julho

5 Festival de Curimba e Dança Batuqueiros da Luz queiros da Organização: Web Rádio Batu Data: 09-07-2017 Horário: 11hs Matilde Local: GRES Nenê De Vila ,1Endereço: Rua Júlio Rinaldi o Penha, 03615-030 São Paul an Contato: 97749-7849 Willi

29 de março

Religiosa IntolerânpecQuiaito Formiga Equi Organização: 3- 3017 Data: 29-0 Horário:19:hs de SP a Municipal Local: Câmar careí, 100 Ja to du ia V Endereço: o Paulo – SP 2 Bela Vista, Sã 29 11 3396-4 = Contato: EQ

15 de abril

Sessão Solene em Comemoração aos 60 anos 5ª Caminhada de Ogum de Homenagem ao (Comemoração à 64º. aniversário da Orixá Ogum FUCESP, homenagearemos o seu Patrono com a 5ª.edição da Caminhada de OGUM.) União de Tendas Fucesp-Pai Salum

: Alfa & Om Organização 017 -2 4 Data: 08-0 Dia: Sábado hs a Horário: 16 Alfa& Omeg atheus ro Espirita 22-São M Local: Cent o Giorgio 2 st gu Au a 4 Ru 12 Endereço: – 97247-9 018-0879 Contato: 2

Organização: Primado do Brasil Data: 02-04-2017 Horário: 13:00hs Local: Clube escola Mooca Endereço: Rua Taquari,635-Mooca SP Contato: 2694399 2796-8466 – 98939-7034

Organização: União de Tendas e Associação Paulista de Umbanda Data: 30-04-2017 Horário: 09hs Local: Vale dos Orixás-Juquitiba Endereço: Estrada cachoeira do França nº 200 ( KM 332 da Rodovia Régis Bittencourt) Contato: (11) 3062-4370

Formatura Tambor de Orixá 2017

página 23

Luz

II Premio Nilton Fernandes Organização: Filhos do Cacique Data: 29-07-2017 Horário: 19:00 Local: Clube Atlético Juventus Endereço: Rua Comendador Roberto Ugolini, 20 -Mooca Contato: (11) 2721-3015

Organização: Data: 15-04-2017 Horário: 09:00 hs Local: concentração na sede da Fucesp Endereço: Alameda Yayá 79, 07060-000 Guarulhos Contato: (11) 99937-1770 Pai Salum

21 de maio

46ª Festa Vamos Saravá Ogum-Osasco

Organização: U.R.U.Z.O.G.S.P Data: 21-05-2017 Horário: 13:00hs Local: Ginásio de Esportes Prof. José Liberatti-Pq Lucas Pavão Endereço: Praça Lucas Pavão s\n Presidente Altino-Osasco Contato: (11) 3682-6679

30 de julho

6ª Procissão em Homenagem a Nanã 2017

á Organização: Pai Élcio de Oxal Data: 30-07-2017 e Local: Clube atlético São Jorg Horário: 15hs 1828 - Vila Antonieta Endereço: R. Rêgo Barros, Contato:2231-0270


página 24

Ano 7 número 58

os t n

e Ev

O Templo Escola de Umbanda Sagrada Pai João de Aruanda e Caboclo Pena Branca do Estado de Minas Gerais, (Família TEUS ) inaugurou sua nova sede no sábado, dia 11 de fevereiro, onde foi realizada uma festa a nosso pai Oxossi e nossa mãe Obá, recebendo a graça de nossos amados Caboclos e Boiadeiros. A nova sede localizada na cidade de Cambuí, Minas Gerais, conta com um espaço amplo para abrigar os projetos sociais que serão ampliados e desenvolvidos pelo Instituto Cultural Família TEUS. O casal de dirigentes, Pai Leonardo e Mãe Karina, levam a bandeira da umbanda por onde passam. Formados com o Mestre Rubens Saraceni, seguem seus ensinamentos oferecendo a expansão de conhecimento para a região Sul de Minas. Mestre Rubens deu a direção e o amparo necessário para o crescimento espiritual dos dirigentes. “Com imensa alegria e honra, recebemos em nosso

templo a família Aldeia de Caboclos. Pai Engels, Mãe Ivone e os filhos da Aldeia, trouxeram muita alegria ao nosso templo”. – Pai Leonardo Como disse um dos médiuns: “Eles tocam com amor e sempre sorrindo, com um canto que vem da alma.”. Em 2012 participaram pela primeira vez do dia da Umbanda e do Umbandista realizado pelo Aldeia de Caboclos no estado de SP. A partir de então o TEUS se fez presente no evento todos os anos, compartilhando desse momento de união e humildade. ”Fiquei deslumbrada, a energia, a união, a dedicação. Todos juntos sem guerra, todos num só coração." Mãe Karina - TEUS A partir deste momento a Família Aldeia de Caboclos fez toda diferença em nossa jornada. "O acolhimento do Pai Engels foi essencial em nossas vidas, ele nos deu colo e nos deu força para não desis-

tir diante as dificuldades.” Mãe Karina - TEUS A Umbanda vem crescendo e tudo que é feito com o coração é promissor ao homem. Hoje a religião conta com muito mais adeptos, quebrando as barreiras do preconceito e a intolerância religiosa. A Família TEUS vem trabalhando e elucidando todos os irmãos ao caminho do progresso espiritual. "Acredito na religião, pois foi desta fonte que me alimentei e semeei bons frutos aos amigos e familiares. ” Pai Leonardo - TEUS Hoje podemos contar com cada vez mais elos de uma única corrente, a Umbanda. Não depende apenas de vertente, nem unicamente de pais e mães. Depende de nós mesmos, bons umbandistas, bons seres humanos.


Ano 7 número 58

página 25


Ano 7 número 58

página 26

os t en v E

PROCISSÃO EM COMBATE À INTOLERÂNCIA RELIGIOSA E LAVAGEM DA ESCADARIA DA IGREJA DO ROSÁRIO DOS HOMENS PRETOS DA PENHA

A belíssima e vibrante Procissão ocorreu no dia 05 de março de 2017. O destacável evento foi organizado pelo Templo de Umbanda Filhos da Luz do Cacique Pena Branca e pelo Templo de Umbanda Pai Xangô e Vovó Luiza, e se desenvolveu sob o comando do Afoxé Filhos do Cacique e da Curimba Geração de Luz. A Família Umbandista se fez presente participando ativamente deste marcante evento, frise-se, que foi abrilhantado pela presença do ícone Umbandista Pai Élcio de Oxalá.


Ano 7 número 58

página 27


9 9877-2354 umbanda@tendadeumbanda.org www.tendadeumbanda.org

Fundado em: 18-01-1975

Trabalhos Espirituais aos Sรกbados as 19:00 hrs Avenida Vila Ema, 3248- Vila Ema Sรฃo Paulo/SP Tel.: 11 2604-5524 / 98564-1207

Nextel=78250655 id122*72459

Email-silvio.humberto@hotmail.com

Anuncie conosco! de Caboclos jornal@aldeiadecaboclos.com.br

Endereรงo: Rua Viela Espinard nยบ 17 Picanรงo- Guarulhos cabocloseteflexaebaianoseveria@gmail.com Contato:94726-7609

Jornal da Aldeia março 2017  

Edição 58 do Jornal Aldeia de Caboclos

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you