Issuu on Google+

LOBISOMEM? Veja a história de três irmãs que nasceram com a síndrome do lobisomem Pág. 8

CONTAGEM-MG | ANO 1 | Nº 7 | FEVEREIRO DE 2012

CLAÚDIO VIEIRA

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

ANUNCIE! NOSSOS LEITORES ESPERAM POR VOCE! (31)2551-7797

Buracos! Merecemos tantos? Todo ano é a mesma coisa. O período chuvoso vem e quando se assusta as ruas das cidades já estão tomadas por verdadeiras crateras. Na nossa região não seria diferente, e visando o bem estar da população da região, o Jorna l

Al ameda fez um levantamento dos locais com situações mais críticas. A relação foi encaminhada para a prefeitura, que informou que todos os reparos que ainda não foram feitos as vias da região, serão feitos em breve. Pág. 3

Olheiras indesejáveis Quem é que nunca teve uma noite mal dormida e acordou com aquelas enormes olheiras? Entenda quais são os vários motivos que podem provocar estas tão indesejadas manchas nos olhos, que

podem ser causadas por stress, sono e, até mesmo, pelo fator genético. Veja também as formas de cirurgia para acabar com o problema e ainda aprenda várias receitas caseiras. Pág. 4

Carnaval A festa mais esperada do ano já chegou. Com toda certeza um grande número de pessoas, principalmente jovens, já está se preparando para a folia, sendo que a grande maioria vai viajar.

Garota Alameda Em um ensaio super envolvente,

do fotografo Cláudio Vieira, que a cada

Thaís Alves mostra que sinuca não é

edição brinda nossos leitores com

lugar só para marmanjo. Além de char-

ensaios criativos e inusitados.

me e beleza, ela encanta com seu sor-

A bola da vez foi o Ponto Chic Bilhar,

riso fácil, esbanjando simpatia. Confira

localizado

em

Belo

Horizonte.

o resultado de mais um belo trabalho

Participe você também! Pág. 7

No artigo desta edição, Rafael Melgaço fala sobre o carnaval e os cuidados e responsabilidade que todos devemos ter, principalmente em uma época como esta. Pág. 2

Elas estão famintas! Com toda certeza você já viu uma planta carnívora, ainda que tenha sido apenas em desenhos animados. E elas existem. É claro que não são devoradoras de humanos, mas matam para comer.

Elas só se alimentam de insetos e, de vez em quando, de pequenas aves. Aprenda mais sobre este lado um pouco desconhecido da flora do Brasil e do mundo. Pág. 4


Bairro e região

2 • Alameda

HUMOR

Editorial

Carnaval Esburacado Fevereiro mal chegou e o carnaval já está aí, para alegria dos mais foliões. Uns vão se esbaldar nas cidades históricas, como Ouro Preto e Diamantina; já outros vão procurar o sossego da natureza para aproveitar mais um feriado prolongado; enquanto alguns preferem aproveitar as cidades vazias e a folga para curtir a família. Mas nem tudo são festas. Com o verão veio o período de chuvas e então, consequentemente, começaram a surgir um dos problemas com maior índice de reclamações na época: os buracos. É verdade, é impossível que os órgãos responsáveis consigam prevenir-se de todas as crateras que surgirão. Mas a população fica na espera de que o problema será resolvido assim que possível, porém, quase dois meses após os inícios das chuvas e os buracos continuavam lá. Alguns tomaram proporções enormes e os próprios moradores tentaram tapar com entulhos, outros já foram consertados dezenas de vezes, mas a água vem e leva todo o asfalto novamente. As operações tapa-buraco são emergenciais, resolvem um problema que já existia (pode-se observar que os buracos costumam surgir todos os anos nas mesmas regiões). É realmente difícil resolver todos os problemas quando não se pode trabalhar com chuva e a água não para de cair. Mas e o restante do ano, quando estava seco? Algo foi planejado para evitar os próximos buracos que surgirão?

Opinião

Leitor, este é o seu espaço. Nele você pode colocar suas queixas, dúvidas, procurar pessoas desaparecidas e enviar sugestões e críticas ao jornal Alameda. Para fazer isso, basta entrar em contato pelo telefone (31) 2551-7797 ou enviar e-mail no endereço jornalalameda@gmail.com.

Festejo com segurança Recebi recentemente um email falando sobre o índice de violência nas cidades preferidas pelos foliões. Entre os dados, uma imagem fazia alusão à compra de um abadá, mas que, na verdade, era um colete à prova de balas utilizado pela Polícia Militar. Vale pela iniciativa e para criticar o poder público pela falta de estrutura e condições de trabalho oferecidas para estes profissionais e também segurança para os foliões. Vale tudo, cidades históricas sofrem com a degradação gerada por esta exploração turística. Não sou contra o carnaval, pelo contrário, gostaria que em Contagem tivesse uma festa tão bonita, como acontece na cidade de São Paulo e na capital carioca. É uma pena que nem tudo seja festa, ainda sofremos com o descaso e com a falta de consciência do poder público e educação de alguns mais exaltadinhos. Carnaval é época de festa, mas também é época de precaução, como não dirigir alcoolizado – principalmente nas estradas – e só fazer sexo com camisinha. Há 1 ano, no município de Bandeira do Sul, no Sul Estado, 16 pessoas morreram após o rompimento de um cabo de alta tensão durante o carnaval. Os laudos concluíram que o cabo de energia que se rompeu e atingiu os foliões foi mesmo provocado por uma serpentina metálica jogada. Ou seja, a prevenção continua sendo o melhor remédio, portanto procure evitar excessos. Respeite a vida.

Direção Almerindo Camilo almerindo@acsmidia.com.br Departamento comercial Rafael Melgaço rafael@acsmidia.com.br Jornalista José Vítor Camilo josecamilo@acsmidia.com.br Diagramação Antonio Dias e Wanderson F. Dias wadiagramacao@gmail.com

Soltando o verbo

Rafael Melgaço

Tiragem 3 mil exemplares Impressão O Tempo Serviços Gráfico Bairros de circulação Arvoredo, Cabral, Kennedy e São Joaquim

Sugestão Sugestão Parabenizo a iniciativa pela criação deste veículo de informação tão importante para a nossa região que é o Jornal Alameda! Acredito que seria importante ser feita a divulgação do mapa do bairro Cândida Ferreira e a informação sobre a diferença entre os bairros Cabral e Cândida Ferreira. O Cândida Ferreira inicia-se na Alameda dos Comerciantes, após a Rotatória do Cabral, e termina na Avenida Wilson Tavares. Diferente do Cabral, onde as alamedas tem nome de pássaros, no Cândida Ferreira, as alamedas tem nome de profissões. Esta é uma diferença básica que serviria para qualquer pessoa orientar-se na região. Acredito que esta informação é muito importante! No mais, agradeço a atenção da equipe e desejo muito sucesso para o Jornal Alameda!

Contato jornalalameda@gmail.com / (31) 2551-7797 Veículo de comunicação vinculado à AC&S Mídia CNPJ: 05.373.616/0001-21

*Os artigos e anúncios publicados não representam a opinião deste jornal

Um abraço, Professor Cássio de Souza


Bairro e região

Alameda • 3 FOTOS: JOSÉ VÍTOR CAMILO

Buraco pra

dar com o pau Veja quais são os lugares mais críticos quando se fala das crateras abertas no Ressaca pelas chuvas deste ano

PREJUÍZO No Cabral, buraco perto da rotatória chegava a prejudicar todos que passam por lá; já no bairro Kennedy (detalhe acima), a cratera tomou conta, literalmente, da rua.

Por José Vítor Camilo Todo ano, nos meses com maior índice de chuvas, a história se repete: buracos proliferam e brotam da noite para o dia em toda a cidade. Boa parte não chega a incomodar, pois são pequenos e fáceis de desviar. Outros, porém, alcançam tamanhos gigantescos e acabam provocando acidentes e danos aos veículos, forçados a trafegar sobre eles. Na regional Ressaca são muitas as crateras que atrapalham o trajeto não apenas de carros, mas também de ciclistas e, em alguns casos, até mesmo de pedestres. O ponto mais crítico está na rua Jorge Pedro Norman, no bairro Kennedy. No local, cruzamento com a rua Democracia (também chamada de Prefeito Newton Cardoso), a chuva abriu uma cratera que assusta todos que passam pelo lugar. A primeira visão que se tem ao chegar no local é de uma mesa de bar no meio da rua, para alertar os desavisados sobre riscos do tamanho do buraco. Ela foi colocada lá pelo comerciante Orozimbo Martins, de 58 anos, que mora há 45 no bairro. “Deixaram um buraco enorme aí, com o esgoto passando em baixo. Tive que botar essa mesa pra evitar um acidente. Imagina se uma criança brincando cai dentro de um lugar destes?”, adverte o comerciante, proprietário de um bar em frente ao local onde o asfalto cedeu. Na sequencia da rua Democracia o grande número de buracos continua, mas o ponto mais crítico mesmo da região está no fim da rua Jorge Pedro Norman.

Os moradores reclamam que há aproximadamente 20 anos são obrigados a conviver com o esgoto a céu aberto. “Na primeira chuva forte mesmo que deu este ano já inundou todas as casas dessa parte aqui, perto do córrego. Mas o cheiro terrível, ratos, insetos e doenças estão presentes o ano inteiro, não só na chuva”, reclama Orozimbo Martins. Outros pontos críticos Ao longo da avenida Wilson Tavares Ribeiro, principalmente nas proximidades do número 443, em frente à empresa Semep, abriram enormes crateras feitas pela chuva. Porém, pouco tempo depois, os maiores buracos foram tapados. O “Jornal Alameda” ouviu alguns trabalhadores da região. Eles denunciam que o reparo na pista já foi feito diversas vezes, mas na época da chuva a água simplesmente leva o asfalto todo, pondo em cheque a qualidade do serviço realizado. Já no bairro Cabral, enormes buracos estão atrapalhando a passagem na rotatória no encontro das alamedas dos Pelicanos, Cotovias, Gralhas e Sabiás. Na avenida Águas Marinhas, principalmente no trecho entre os cruzamentos com as ruas Tenente Paulo Afonso de Sousa (Arvoredo) e Diamante (São Joaquim), os moradores tentaram improvisar colocando entulhos nos buracos, depois de se cansarem de esperar pelo reparo na pista que deveria ser feito pela prefeitura.

Resposta da Prefeitura Questionada sobre o grande números de buracos na região, a Prefeitura enviou nota à redação do “Jornal Alameda”. De acordo com a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos, que assina o documento, informa que a operação tapa-buracos priorizou primeiramente os principais corredores de tráfego das 22 regiões do município. Nestes trechos, segundo a pasta, o serviço foi feito nos primeiros dias de estio que se seguiram aos 23 dias seguidos de chuvas sobre Contagem e região no final de 2011 e primeiros dias do ano novo. A Secretaria destacou que o índice pluviométrico deste período chuvo ficou três vezes acima da média histórica. De acordo com a nota, os pontos indicados pelo “Jornal Alameda” foram recuperados no início de fevereiro, inclusive o trecho da avenida Águas Marinhas. A Secretaria informou ter se preparado para o período chuvoso reforçado o número de trabalhadores nas equipes escaladas para a execução do Descaso 20 anos com o esgoto ao lado serviço de tapa-buracos.


Bairro e região

4 • Alameda

Olheiras Por Juliana Baeta As olheiras são manchas escuras ao redor ou apenas embaixo dos olhos, e podem ser causadas por stress, noites de sono mal dormidas e até mesmo pelo fator genético. Este problema atinge muitas pessoas, e incomoda pelo fato de deixar a aparência mais velha e cansada, e por ser mais aparente do que outros problemas estéticos como rugas e cabelos brancos, por exemplo. Há diversas maneiras de se tratar, prevenir e evitar o surgimento das olheiras. A mais comum delas e muito eficiente, ainda que superficial, é o uso da maquiagem corretiva. É um truque de beleza muito utilizado pelas mulheres, antes de sair ou até mesmo no dia-a-dia. Basta aplicar um corretivo, de acordo com o seu tom de pele, embaixo dos olhos, espalhar bem de forma a deixá-lo uniforme. Na maioria dos casos, um simples corretivo resolve, mas se quiser incrementar ainda mais a produção, podese utilizar também uma base corretiva de acordo com o seu tom de pele e um pó compacto por cima, tomando cuidado para cobrir as olheiras, mas não deixar que a

maquiagem destoe muito do seu tom e textura de pele. Este método produz resultados em curto prazo, e pode ser utilizado em situações específicas, como quando a pessoa teve uma péssima noite de sono e por isso acordou com olheiras ou quando precisa sair e quer aparentar mais saudável. Existem outras formas de se acabar com as olheiras, como o tratamento de olheiras a laser que consiste na utilização de feixes de luz para suavizar as camadas da pele. Estes feixes são visíveis, sejam infravermelhos ou ultravioletas, e criam ondas que se movem sobre a pele, liberando a energia a partir da luz e atingindo a pele, fazendo com que seja absorvida através de diferentes camadas da pele para corrigir as pigmentações irregulares. São necessários cerca de três procedimentos de 40 a 60 minutos, com uma peridiocidade de 10 a 15 dias, dependendo do grau de olheiras, tipo de pele e reação ao tratamento. Outra forma de tratamento a laser, utilizado geralmente em pessoas com a pele mais escura, é à base de CO2 ou o tratamento chamado luz intensa pulsada. Há ainda métodos mais simples que também produzem resultados eficientes e são mais baratos que os tratamentos a laser.

Saiba quais as causas das indesejáveis olheiras e descubra como tratar do problema

LETMESHOWYOUHOWIDOIT.BLOGSPOT

????

Além destes produtos, há ainda algumas receitas caseiras que reduzem as olheiras. São elas: • Fazer compressas de algodão com água quente e creme hidratante na região dos olhos por cerca de 10 minutos antes de dormir; • Colocar rodelas de pepinos em volta

dos olhos e deixar agir por 20 minutos. Também contribui para diminuir o inchaço na área dos olhos; • Lave o rosto com água quente para esti-

mular a circulação do sangue; • Corte duas fatias finas de batata e colo-

que nos olhos por cerca de 20 minutos e enxágüe com água fria;

Genética São várias as causas das olheiras, podendo ser até hereditária Existem vários cremes próprios para reduzir as olheiras no mercado, para todos os tipos de pele, que contém diversos produtos – alguns até naturais, como o pepino, muito utilizado para diminuir as olheiras – em sua fórmula. São facilmente encontrados em lojas especializadas em cosméticos, drogarias e supermercados, entre outros.

• Use creme hidratante no rosto logo

após acordar. Se o seu problema de olheiras for genético, consulte um dermatologista para lhe aconselhar ao tratamento mais adequado ao seu tipo de pele e ao seu tipo de olheiras. Vale lembrar que a pele do rosto, principalmente na área em volta dos olhos, é extremamente fina e sensível, por isso evite tratamentos agressivos antes de consultar um especialista.

Plantas famintas Já viu uma planta carnívora sem ser na televisão? Entenda esta curiosa parte da flora MORGUEFILE/DIVULGAÇÃO

Por Bruno Delecave Agência Invivo/Fundação Oswaldo Cruz Com apenas água, sol e terra, um vegetal é capaz de produzir seu próprio alimento. Isso é verdade para quase todos, mas algumas espécies exóticas também precisam comer carne. Estamos falando das incríveis plantas carnívoras. Toda planta carnívora é capaz de atrair, prender e digerir vida animal. Mas não se assuste, não há risco de você virar jantar de plantas. Apenas animais pequenos – tais como insetos, aranhas ou pássaros miúdos – correm este risco. Para comer, antes uma carnívora precisa atrair sua presa. Flores comuns atraem polinizadores com cores quentes e odores de néctar. As carnívoras utilizam as mesmas estratégias com o fim de devorar o que atraírem. A luz refletida nas gotas colantes de algumas espécies também é atrativa. Armadilhas vegetais Depois de atrair, é preciso prender a presa. Para isso, existem diferentes tipos de armadilhas – jaulas, jarros, folhas colantes e sucção. As jaulas são folhas modificadas com a aparência de uma boca com dentes. É dividida em duas metades e, quando um animal

pousa no meio, aciona um gatilho e fica preso. A Dionaea muscipula e aAldrovanda vesiculosa possuem armadilhas deste tipo. Os jarros – também chamados de ascídios – são folhas ocas, repletas de líquido digestivo. Algumas espécies têm tampas sobre os jarros – para proteger o líquido da água da chuva e impedir a fuga de animais capturados –, enquanto outras não. Os maiores espécimes de plantas carnívoras – pertencentes ao gênero Nepenthes – ostentam este tipo de armadilhas e são capazes de digerir, além de insetos e aranhas, ratos, rãs e pássaros pequenos. As folhas colantes são as mais simples entre as armadilhas vegetais. Elas são formadas por gotas de uma substância pegajosa – a mucilagem – cobrindo folhas e caule. Quando um animal – geralmente um inseto voador – pousa, fica preso nas gotas, e, dependendo da espécie, a planta se dobra sobre ele para devorá-lo mais rápido. Comum no cerrado brasileiro, a Drosera montanaprende suas presas desta forma. Diferentemente das coloridas e chamativas armadilhas dos gêneros Nepenthes e Drosera, as de sucção ficam escondidas. Pequenas bolsas subterrâneas ou submersas ficam fechadas até terem seus gatilhos acio-

Presas Estas plantinhas se alimentam de insetos, aranhas e pequenas aves nados por uma presa. Quando isto ocorre, uma porta se abre e a diferença de pressão faz com que tudo ao redor – inclusive a presa – seja sugado rapidamente para dentro da bolsa. Depois da porta se fechar, começa a digestão. Diversas espécies de Utricularia e Genlisea possuem armadilhas deste tipo. Comer para quê? As plantas carnívoras retiram dos animais devorados substâncias essenciais para sua sobrevivência, em especial o nitrogênio. Sem ele, um vegetal não consegue fazer a clorofila, necessária para transformar luz em

energia química – processo conhecido como fotossíntese. Sem o nitrogênio, estas plantas também não conseguiriam crescer e se multiplicar, já que o DNA e as proteínas também são ricos em nitrogênio. As plantas carnívoras ficam livres da dependência por solos ricos em nitratos, que são os compostos geralmente absorvidos pelos vegetais. Assim, elas prosperam onde outras plantas não conseguem, como no cerrado, em desertos, restingas e outros habitats com solos pobres em nutrientes. Mas, por outro lado, passam a depender do nitrogênio contido em proteínas animais.


Bairro e região

Alameda • 5


Bairro e região

6 • Alameda

Horóscopo

Fonte: www.portalangels.com

Áries 21/3 a 20/4

Cruzadas diretas

Touro 21/4 a 20/5

Os arianos se sentirão com algumas limitações, que serão criadas apenas pela sua cabeça, uma vez que este será um mês em que terá progresso, terá que encarar a vida de frente e não temer novos desafios. Pode realizar algo que já desejou fazer ou ter no passado.

Passarão por situações que farão crescer e serão os condutores de suas vidas. Quando sentirem que uma relação está segura não a deixe adormecer, tenha mais iniciativas que tragam alegria para a vida a dois. Programe fins-de-semana fora de lugares habituais.

Gêmios 21/5 a 20/6

Câncer 21/ a 21/7

As pessoas do signo de gêmeos começarão este período com algumas ilusões e muitas preocupações, principalmente em relação ao setor econômico, mas notará ao longo do mês de que este é o setor que vai correr melhor.

Os cancerianos devem acreditar que tudo pode melhorar e, após uma ruptura, poderá surgir uma pessoa com quem terá grande cumplicidade e com quem poderá viver momentos agradáveis e sem preocupações. Evite fazer comentários da sua vida privada. Virgem 23/8 a 23/9

Leão 22/ a 22/8

Que é do signo de leão terá crescimento e progresso desde que saiba observar, esperar e programar todos os passos a serem dados. A estratégia será a sua melhor aliada. Necessita acreditar mais nas suas capacidades, já que tende a passar por alguns períodos de insegurança.

Existe a possibilidade de realizar coisas novas ao longo deste mês, podendo surgir uma mudança de emprego que aumentará a qualidade de vida, graças ao seu esforço. Os virginianos devem estar atentos, pois poderão desiludirse com uma pessoa que consideravam como amiga.

Libra 23/9 a 23/10

Escorpião 23/10 a 21/11

Os librianos começarão o mês com grandes responsabilidades, mas, também, terão as capacidades necessárias para resolver e conduzir as suas próprias vidas no período. Os astros prevêem momentos de grande felicidade e triunfo ao longo deste mês para as pessoas deste signo.

Existe a tendência a entrar em um período mais frio e distante. Muitas dúvidas poderão pairar no ar. Passar um tempo sozinho, apenas com os seus pensamentos será a melhor forma de encontrar as respostas que precisa para continuar ou terminar um relacionamento. Capricórnio 22/12 a 20/1

Sargitário 22/11 a 21/12

Profissionalmente os sagitarianos terão de improvisar em algumas situações, uma vez que estará sujeito a alterações de última hora. Existe uma tendência a sentir-se nervoso nestas horas, mas procure mostrar sempre segurança nas suas atitudes, já que tudo vai correr bem.

As pessoas do signo de capricórnio estarão protegidos ao longo de fevereiro e não devem dar grande importância a alguns períodos de ansiedade que tendem a ter. Não encontrará motivos para estas ânsias, pois de uma forma geral tudo tende a correr muito bem neste mês.

Aquário 21/1 a 19/2

Peixes 20/2 a 20/3

Os aquarianos terão um mês protegido, ainda que complicado. Terão de correr alguns riscos. Poderão fazer mudanças muito significativas em suas vida, já que terão ideias e oportunidades para realizarem alguns dos seus projetos, sendo que estes trarão os retornos merecidos.

Quem for do signo de peixes deve dar mais oportunidades aos outros de se mostrarem. Na primeira quinzena estará mais feliz, já que irá compreender e conviver mais com o seu parceiro. Os amigos poderão ser um excelente apoio para você ao longo dos próximos 30 dias.

Você é o chef COZINHADERETALHOS.BLOGSPOT.COM

Filé ao Molho Madeira Fonte: cozinhaderetalhos.blogspot.com

Modo de preparo • Temperar o filé mignon com sal, alho e um pouco de tempero caseiro. • Em uma panela aqueça um pouquinho de óleo e cozinhe a carne até dourar completamente • Retire a carne e, na panela, coloque a margarina com a cebola, deixe dourar e acrescente a farinha de trigo para torrar • Acrescente água para dissolver, junte o molho inglês, a mostarda, caldo de frango em pó e o champignon, deixe ferver por no máximo dois minutos • Coloque o molho sobre a carne e sirva com arroz e batata palha.

Ingredientes • 500 grs de filé mignon • Óleo • Sal • Alho • Tempero caseiro • 1 colher de sopa de margarina • 1 cebola ralada

• 3 colheres de sopa de farinha de trigo • água • molho inglês • mostarda • caldo de frango em pó • 150 grs de champignon

Empanado de Frango recheado Fonte: receitas.com.br

Ingredientes • 4 filés de frangos cortados em fatias finas • Alho e sal para temperar • 8 fatias de queijo mussarela

• 4 fatias de presunto magro • Farinha de rosca • Maisena • Clara de 2 ovos • Palitos de dente

EMPANADO DE FRANGO/DIVULGAÇÃO

Modo de preparo • Tempere os filés de frango • Limpe para tirar o excesso de alho • Cubra um filé com uma fatia de queijo, outra de presunto e mais uma de queijo • Enrole cada filé como se fosse um rocambole, prenda com dois palitos e reserve • Coloque em pratos separados a farinha de rosca, a maisena e as claras • Pegue cada filé enrolado, passe-o envolvendo na maisena, depois nas claras e então na farinha de rosca

• Frite em óleo bem quente até ficar a seu gosto Dicas • Prenda exatamente com dois palitos para não soltar • Faça exatamente a seqüência maisena-claras-farinha • A maisena deixa os filés mais crocantes • As claras, sem as gemas, deixam o prato mais leve • Depois de todos fritos, aqueça-os em forno e sirva em seguida com arroz branco e creme de milho • Decore com folhinhas de salsa

No jornal Alameda o chef de cozinha é você. Neste espaço você pode enviar a sua receita favorita, ensinando o próximo a preparar e se deliciar com o prato. Se você deseja que a sua receita e a foto do prato sejam publicados, basta enviar por email para jornalalameda@gmail.com


Bairro e região

Alameda • 7


Bairro e região

8 • Alameda

Síndrome do Lobisomem REPRODUÇÃO/DAILY MAIL

Conheça a família indiana em que três irmãs nasceram com pelos por todo o corpo Por José Vítor Camilo Uma das doenças mais raras do mundo – um caso a cada bilhão de pessoas. Esta é a alteração genética hypertrichosis universalis, também conhecida como Síndrome do Lobisomem. A doença ocorre por conta de células que costumam inibir o crescimento de cabelos em determinadas partes do corpo, como pálpebras e testa, que passam a provocar o efeito contrário, gerando um cres-

cimento exagerado de pelos em lugares nunca imaginados. O mais estranho foi quando três mulheres de uma mesma família, na Índia, nasceram com a alteração nos genes. As irmãs Savita, de 23 anos, Monisha, de 18, e Savitri Sangli, de 16, possuem cabelos grossos por todo o corpo, da cabeça aos pés. A família vive numa vila perto da cidade de Pune, e já descobriram que as filhas herdaram a doença do pai. Outro detalhe curioso é que as indianas ainda possuem três outros irmãos que não têm a doença. Elas tentam controlar o crescimento dos pelos com um creme especial. Porém, esperam um dia ter dinheiro suficiente para pagar uma cirurgia a laser para retirada definitiva dos cabelos. A cirurgia custará aproximadamente R$ 12 mil para cada uma das irmãs. O cineasta Sneh Grupta está planejando fazer um documentário sobre as garotas para ajudá-las a pagarem o tratamento.

Outro sonho em comum das três irmãs é com relação ao casamento. Segundo informações do jornal britânico Daily Mail, as garotas sonham, mas não têm muita espe-

rança de encontrar alguém. “Não é provável. Quem vai casar-se com alguém que tem pelos crescendo no rosto?”, conformou-se Savita, em entrevista ao jornal inglês.


Jornal Alameda ed.07