Issuu on Google+

Reportagem ACADÉMICO sobre UMinho in transition

E se em vez de ir ao supermercado, pudesses ir à tua própria horta?

Jornal Oficial da AAUM DIRECTOR: Vasco Leão DISTRIBUIÇÃO GRATUITA 164 / ANO 6 / SÉRIE 3 TERÇA-FEIRA, 20.MAR.12

academico.rum.pt facebook.com/jornal.academico twitter.com/jornalacademico

universitário

campus

cultura

Propinas aumentam 30 euros

Bibliotecas da uminho emprestam portáteis

O festim negro dos Wraygunn em novo disco

Página 07

Página 06

a n i t ” n T a C COS e d W s o O L p “ tem e m s i e cr

Página 16


FICHA TÉCNICA 20.MAR.12 // ACADÉMICO

EM ALTA

NO PONTO

EM BAIXO

Gata na Praia ‘12 Parece que já é um sucesso, mesmo antes de começar. A julgar pelo número de inscritos nesta atividade desportiva/recreativa, o Minho irá proporcionar a primeira grande enchente do ano em Albufeira. Serão cerca de 600 estudantes a rumar ao Algarve para mais uma edição da Gata na Praia. Em tempos de crise, este foi daqueles momentos em que os estudantes não tiveram dúvidas das suas prioridades. E a Gata é uma delas!

Uminho in Transition Já fizemos (há uns meses atrás) data do início de atividade das hortas comunitárias na UM, uma abordagem no ACADÉMICO. Passado algum tempo é com prazer que voltamos ao tema e deparámo-nos com algumas novidades e um grupo coeso de “agricultores/cultivadores” que para além da vizinhança do seu talhão, partilham um sem-número de iniciativas que visam o crescimento de um Mundo sustentável. De louvar!

Insegurança em torno da UM (parte II) Parece que continua a saga. Depois de, na passada semana, termos dado voz a um movimento que pretende chamar a atenção para a crescente onda de violência em torno da UM, esta semana tivemos conhecimento de um “tiroteio”, bem junto ao campus universitário. Até quando vamos continuar passivos nesta matéria? Até quando alguém com pulso firme para resolver esta situação? Estão à espera de quê?

SEGUNDA PÁGINA

FICHA TÉCNICA // Jornal Oficial da Associação Académica da Universidade do Minho. // Terça-feira, 20 MARÇO 2012 / N164 / Ano 7 / Série 3 // DIRECÇÃO: Vasco Leão // EDIÇÃO: Daniel Vieira da Silva // REDACÇÃO: Adriana Couto, Alexandre Rocha, Ana Lopes, ana Pinheiro, Ângela Coelho, Bruno Fernandes, Carlos Rebelo, Cátia Alves, Cátia Silva, Daniel mota, Daniela Mendes, Eduarda Fernandes, Fabiana Oliveira, Filipa Barros, Filipa Sousa, Joana Neves, José Miguel Lopes, José mateus pinheiro, Mariana Flor, Maura Teixeira, Miguel Araújo, Neuza Alpuim, Sara Pestana, Sónia Silva e Vânia Barros // COLABORADORES: Elsa Moura, José Reis e Maria joão Pinto // GRAFISMO: gen // PAGINAÇÃO: Daniel Vieira da Silva // MORADA: Rua Francisco Machado Owen, 4710 Braga // E-MAIL: jornalacademico@rum.pt //TIRAGEM: 2000 exemplares // IMPRESSÃO: GráficaAmares

BARÓMETRO 30/01/2012

637988-6_MER_SMART_172x250.pdf


PÁGINA 03 // 20.MAR.12// ACADÉMICO

LOCAL cinefocum promove curtas e a cultura dá o mote FILIPA BARROS pipasgoth11@live.com.pt

Neste ano de 2012, o CineFOCUM, um dos vários e relevantes núcleos formados pela Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM), alia a sua atividade com a consagração de Guimarães como Capital Europeia da Cultura. O CineFOCUM vive para o mundo da sétima arte, oferendo o melhor que há na área aos universitários, num pequeno mundo em que não existem hierarquias, exigências, compromissos ou taxas mensais. A única coisa necessária é somente a paixão pelo universo cinematográfico. Deste modo, o grupo lança mais um desafio à comunidade estudantil. Em parceria com a AAUM, o CineFOCUM convida todos os estudantes da Universidade do Minho a participarem no 4º Festival de Curtas Metragens, realizando uma “curta” que tenha como tema subjacente o conceito “Cultura”.

“É esperado, com esta atividade, dar a conhecer novas formas de percecionar a arte cinematográfica, dando à Academia Minhota um lugar especial num nicho de intervenção artística que potencia a capacidade criativa”, cita fonte do núcleo. Esta iniciativa, conjugada à eleição de Guimarães para Capital Europeia da Cultura 2012, será um marco de aproximação entre as populações estudantil e a cidade que a acolhe. “Tal como em outras edições, o que se espera e se pede aos nossos colegas da academia, é iniciativa da parte de todos com o objetivo de estimular a criatividade, a aglomeração e a circulação de ideias através da câmara de vídeo”, sublinha o núcleo através da nota enviada à redação do ACADÉMICO. As fichas de inscrição para esta iniciativa já estão disponíveis e podem ser entregues via e-mail para cinefocum@gmail.com ou nos Gabinetes de Apoio ao Aluno (GAA) de Gualtar e Azurém. As “curtas” devem

Inscrições abertas até 30 de março ser entregues em suporte DVD, também nos GAA de ambos os polos da universidade, assim como nas secretarias da AAUM. Ainda assim, as inscrições deverão ser enviadas, jun-

tamente com o trabalho a concurso, até ao dia 30 de março de 2012, sendo que a entrega da “curta” metragem deverá ser até 16 de abril. Todas as “curtas” serão

presentes ao público numa Gala, cuja data ficará definida posteriormente. Os três melhores trabalhos serão premiados, sendo os prémios divulgados em breve. PUB.


LOCAL PÁGINA 04 // 20.MAR.12 // ACADÉMICO

CAMPUS

dia mundial da poesia comemorado na uminho ADRIANA COUTO drianascouto@gmail.com

O Conselho Cultural da Universidade do Minho promove esta quinta-feira um recital no Salão Medieval do Largo do Paço em Braga. Interpretado pelo Sindicato da Poesia, “DiZei Beckett in the House” é um recital de poesia de um autor conhecido pelas suas peças de teatro e por ter sido um dos percursores de um movimento designado por «teatro do absurdo». O Sindicato da Poesia, associação cultural que, desde outubro de 1996, trabalha o ato performativo de dizer poesia, afirma que “com Beckett disputamos nexos, seguimos o trilho dos sen-

tidos e percorremos as palavras às vezes estranhas, às vezes desconexas, da sua poesia, geralmente catastrofista, lírica às vezes”. Segundo os mesmos, “os espetadores são convidados a acompanhar as palavras, a seguir-lhes o ritmo, percorrendo eles também um corpo diverso, feito de degraus e portas, de sons e imagens, de luz e de trevas, de corpos e vazios. As palavras vão fazer-se ouvir, mas os corpos que as enunciam vão pedir para que os vislumbremos igualmente e que atentemos à sua ressonância prerrogativa, à sua narratividade desconstruída“. O Conselho Cultural da Universidade do Minho comemora assim o Dia Mun-

DR

A Uminho evoca o dia Mundial da Poesia com interpretação do Sindicato de Poesia dial da Poesia num evento que promete ser uma experiência única para os espectadores, amantes ou não de poesia, dando a oportunida-

de de assistir a um espetáculo que combina efeitos de luz ou coreografias diversas com a poesia de Beckett. A acontecer dia 22 de mar-

ço pelas 21h45 na Reitoria da Universidade do Minho, o recital decorrerá nos espaços envolventes do Salão Medieval. A entrada é livre.

balanço positivo feito à semana da lei CÁTIA SILVA catiaff_11@hotmail.com

Depois de uma semana de atividades, o balanço feito à Semana da Lei é positivo. “Apostamos numa continuidade do que foram as anteriores Semanas da Lei, tentando introduzir novos desafios e convidados que apelassem à participação dos alunos”, diz André Pimenta, um dos organizadores. Esta atividade anual foi organizada pelo Centro de Estudantes de Engenharia Informática da Universidade do Minho (CESIUM) e decorreu entre 12 e 16 de março, no campus de Gualtar. Com atividades de cariz cultural, desportivo, recreativo e pedagógico, a edição deste ano contou com

um público diversificado. Professores, alunos da licenciatura em Engenharia Informática, alunos de mestrado e ex-alunos aderiram a mais uma edição que visava “enaltecer o curso de Engenharia Informática e o departamento”. O primeiro dia da atividade ficou marcado pela atuação dos iPum e dos diversos torneios de jogos. Miguel Gonçalves, responsável pela agência de trabalho “Spark Agency”, e conhecido como empreendedor de sucesso, marcou presença no segundo dia com um discurso motivador dirigido aos alunos que em breve ingressarão no mercado de trabalho. Este dia contou ainda com um Time Trial Talks, um conjunto de micro-apresentações de cinco minutos,

feitas por alunos, sobre diversos temas. Daniel Araújo, do 2º ano da licenciatura em Engenharia Informática, aceitou o desafio e falou sobre o recaptcha, diz: “achei um conceito interessante para partilhar e uma oportunidade para melhorar os meus “skills” de apresentações em público”. Miguel Vicente, técnico de audiências na Microsoft

Portugal, foi o convidado da palestra que iniciou o terceiro dia da Semana da Lei e que terminou com um jantar de curso e festa no Sardinha Biba. Os últimos dois dias desta edição foram preenchidos com torneios de diversos jogos, a exibição do filme “O Rei Leão” e a competição Android Application Challenge, em que os partici-

pantes foram convidados a desenvolver aplicações para a plataforma Android. A semana terminou com uma tertúlia com ex-alunos. Miguel Pinto, aluno da licenciatura em Engenharia Informática, afirma: “Foi uma semana que cumpriu as expectativas”, destacando as palestras de Miguel Gonçalves e de SISCOG as que mais gostou.


CAMPUS PÁGINA 05 // 20.MAR.12 // ACADÉMICO

saldos também chegam às cantinas da uminho FABIANA OLIVEIRA fab.i@hotmail.com

Desde a passada segunda-feira, dia 19 de março, os preços nas cantinas, da Universidade do Minho (UM), tornaram-se mais acessíveis. Até então, a senha correspondente à refeição completa custava 2,45 euros e incluía o prato, pão, sumo, sobremesa e sopa. Contudo, agora é possível optar por uma refeição simples, por apenas 1,95 euros, que inclui apenas o prato principal e água. Com o aumento do custo de vida e do desemprego e a diminuição dos salários, Carlos Silva, Administrador dos Serviços de Ação Social

da Universidade do Minho (SASUM), afirma que “na nossa perspetiva temos preços que vão ao encontro desta situação”. Mas uma das principais razões sobre esta nova opção para os alunos da UM relaciona-se com o desperdício a que se assiste, diariamente, nas cantinas. Apesar deste serviço reduzir a ementa ao prato principal e, consequentemente, o preço da senha, não haverá alteração na qualidade prestada: “o serviço e a qualidade serão exatamente os mesmos”, assegura Calos Silva. Esta redução de preços nada tem que ver com a diminuição da frequência do número de alunos às cantinas. Muito pelo contrário, ao longo dos últimos anos,

o número de alunos tem-se mantido estável, até porque a instituição tem, desde sempre, tentado manter os mesmos preços. Na opinião de João Monteiro, aluno do 3º ano do Curso de Ciências da Comunicação, esta é uma boa opção: “normalmente, só consumo o prato principal e a bebida, não como sopa e raramente pego na fruta. Portanto, é uma boa opção para quem faz o mesmo que eu”, explica. Além disso, esta pode ser uma forma dos jovens frequentarem com mais assiduidade as cantinas da Universidade, já que “a diferença do preço em relação aos restaurantes junto da universidade fica maior, o que permite à cantina

DR

Prato principal e um copo de água por 1,95 euros na cantina tornar-se mais competitiva” afirma o aluno. Mesmo assim, Carlos Silva menciona a diversidade no “leque de escolha alimentar no interior da Universidade

do Minho” tendo em conta o tipo de serviço procurado. O aluno tem à sua disposição refeições com valores compreendidos entre os 1,95 e os 8 euros.

gata na praia’12 com elevada afluência JOSÉ MATEUS PINHEIRO jose_pinheiropr@hotmail.com

No passado dia 13 de março decorreram as inscrições para a Gata da Praia’12 nos Gabinetes de Apoio ao Aluno dos campi de Gualtar e Azurém, respetivamente. Assim sendo, a Gata na Praia’12 toma especial destaque este ano, dado que a Associação Académica da Universidade do Minho

(AAUM), optou por mudar o local da sua realização para Albufeira, mais propriamente para o Aldeamento Grande Real Santa Eulália Resort & Hotel Spa. Por consequência, muitas das equipas começaram logo a marcar o seu lugar no dia anterior, ainda na madrugada de segunda-feira, pelas 6 da manhã, fazendo inúmeros turnos entre si com o objetivo de não falharem à chamada de equipas que se fazia regularmente. Como primeira experiência na Gata na Praia, Pedro Pa-

checo conta-nos que gostaria de encontrar o “companheirismo universitário típico deste evento, pois a equipa que consegui arranjar à última da hora é, ainda hoje, totalmente desconhecida por mim. Contudo, espero encontrar grande animação, tanto à tarde, como nos jogos na praia”, conclui o aluno. Embora a AAUM ainda não possa avançar com números oficiais, estima-se a viagem rumo ao algarve de mais de 500 estudantes a representar um número a rondar as 70 equipas.

Já Catarina Lima, aluna de Ciências da Comunicação, relata-nos que a sua equipa se chama “Gruta-Manzancene”: “Esta é a minha quarta presença na atividade, e espero que o tempo não nos atraiçoe no sentido de podermos participar em tudo e ao mesmo tempo aproveitar a praia.” Já Nelson Carvalho, aluno de Engenharia Informática, ressalva a experiência magnífica que vivenciou no ano passado em Lagos: “O hotel proporcionou um bom ambiente, o cartaz estava impe-

cável, e aquela tarde na piscina jamais será esquecida, para além de que tive uma equipa que deixou saudades”, revela-nos o membro da equipa “Mother of Gata”, nome que surgiu enquanto alusão aos célebres memes. Por fim, Ana Quatro, de Engenharia Civil, sublinhou que aguarda com alegria “uma gata na praia inesquecível, através de boas condições de alojamento, bom tempo e muita diversão acima de tudo”, graças à sua equipa “A fruta do Mário II”. PUB.


CAMPUS PÁGINA 06 // 20.MAR.12 // ACADÉMICO

cecri debate primavera árabe ANA PINHEIRO anafilipapinheiro1@hotmail.com

Está de volta mais uma edição dos Colóquios de Relações Internacionais que se vai realizar já nos dias 20 e 21 de março, no Auditório A1 do Complexo Pedagógico I do Campus de Gualtar e cujo tema será: primavera Árabe “Quo Vadis?” A finalidade deste evento centra-se em criar um fórum de discussão entre especialistas e estudantes, abordar as revoltas do Médio Oriente que se iniciaram em dezembro de 2010 e, dentro do campo das Relações Internacionais, estudar as suas origens e a sua

importância no panorama político, social e diplomático a nível global. Os Colóquios irão dividir-se em quatro painéis em que constarão as seguintes

temáticas: “A Religião e o Estado: Liberdade Religiosa e Atores Religiosos no Pós-Revolução”, “Internet e Redes Sociais: as novas armas do povo”, “Uma nova ordem

política no Magrebe e Médio Oriente: novos tempos, novos desafios” e “Responsabilidade de Proteger: o dilema da intervenção externa na primavera Árabe”. Para estes Colóquios, já estão confirmadas várias figuras como os constitucionalistas Jorge Bacelar Gouveia e Pedro Bacelar de Vasconcelos; a repórter da SIC, Cândida Pinto, o ex-ministro da Administração Interna, Ângelo Correia e o ex-líder parlamentar do BE, José Manuel Pureza. Segundo Carlos Videira, Presidente do Centro de Estudos do Curso de Relações Internacionais (CECRI), “nestes Colóquios, prevemos uma grande afluência,

o tema é bastante apelativo. Pretendemos discutir aquilo que foram os acontecimentos que ocorreram no ano de 2011, perspetivar as transições para a democracia nestes países e a situação mais crítica noutros. Teremos também um conjunto de oradores muito consagrados e figuras mediáticas. A abertura será feita pelo Reitor da Universidade do Minho, António Cunha e Manuela Fraga do Instituto Diplomático do Ministério dos Negócios Estrangeiros. (…) Estamos otimistas para um evento que achamos que vai marcar estes dois dias na Universidade do Minho”, confessa o presidente do CECRI.

bibliotecas da uminho emprestam computadores portáteis ângela coelho angelacfcoelho@gmail.com

Os Serviços de Documentação da Universidade do Minho (SDUM) vão passar a disponibilizar, de forma gratuita, computadores portáteis para empréstimo, no âmbito de um protocolo com a Universia. O acordo inclui oito computadores que estarão distribuídos pela Biblioteca Geral, Biblioteca de Guimarães, Biblioteca dos Congregados e Biblioteca da Escola de Ciências da Saúde. Este novo serviço destina-se a todos os alunos, docentes,

investigadores e funcionários da UM que podem requisitar um computador portátil durante três horas, (que podem ser renovadas), para utilização dentro das instalações das bibliotecas. Apesar da maioria dos estudantes já possuir o seu próprio computador portátil, Eloy Rodrigues, diretor dos SDUM, explica ao ACADÉMICO que os serviços sentiram que, ainda assim, “existiam estudantes que podiam ter necessidade de ter acesso a este equipamento”. Os Serviços de Documentação sabem que os com-

putadores instalados nas bibliotecas têm uma taxa de utilização elevada, mas “como estão fixos não permitem que as pessoas possam ir com eles para a sala

de leitura consultar um livro ao mesmo tempo que estão a trabalhar no computador”, admite Eloy Rodrigues. O diretor dos SDUM acredita que o número de com-

DR

São oito os computadores disponíveis nas bibliotecas

putadores portáteis para empréstimo na UM pode aumentar no futuro, dependendo da procura que estes terão. “Se existir uma procura muito elevada e se nós constatarmos que há filas de espera ou que há estudantes que regularmente não têm acesso aos computadores encararemos a hipótese de aumentar este número”, afirmou Eloy Rodrigues. Contudo, para já, os Serviços de Documentação consideram que oito computadores é um número adequado, tendo em conta a dimensão da biblioteca e o número de utilizadores. PUB.


CAMPUS PÁGINA 07 // 20.MAR.12 // ACADÉMICO

UNIVERSITÁRIO

propinas aumentam 30 euros BRUNO FERNANDES micanandes@gmail.com

Da reunião do conselho de reitores das universidades portuguesas (CRUP) da passada semana, saiu uma recomendação que fez “tremer” os estudantes: o aumento de 30 euros no valor da propina máxima já no próximo ano letivo. Os estudantes e os institutos politécnicos estão contra. O aumento será para financiar um fundo para apoiar estudantes em dificuldades financeiras. Universidades disponíveis para aumentar propinas Na passada quarta-feira os reitores mostram-se “disponíveis” para aumentar os valores pagos pelos estudantes. A reitoria da universidade de Aveiro já fez saber que se “declara solidária com a decisão do CRUP”, enquanto que o reitor da universidade de Coimbra (UC) assegurou, ao “Público”, “estar disponível” para aumentar o valor de propina que, neste momento, está no valor máximo de 999,71 euros. Já no dia seguinte, João Gabriel Silva referiu,

que na UC “não haverá nenhum aumento de propinas”. O responsável disse que se está a falar “de uma atualização da propina em função do índice do consumidor” e que o aumento não terá efeitos na UC pois “temos o apoio social que até foi aumentado este ano para responder às dificuldades acrescidas dos estudantes”. A medida apenas terá efeito nas universidades em que não existe este fundo social. António Rendas, presidente do CRUP, referiu, em entrevista ao “Diário Económico”, no passado dia 5

de março, que o fundo terá 4,2 milhões de euros para ajudar os estudantes que não podem pagar propinas: “Cada universidade está disponível para criar um fundo de apoio social para esses estudantes, utilizando a verba do aumento da propina máxima”. O projeto será aplicado “horizontalmente” em todas as universidades. Estudantes e politécnicos contra a medida As associações académicas alertam que os orçamentos familiares estão no limite e

Público

Académicas descontentes com a hipótese

que um aumento de propinas poderá limitar o acesso de estudantes mais carenciados ao ensino superior. O dirigente da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM), Hélder Castro, encara “com alguma resistência” a proposta da CRUP: “Disse sempre que um aumento das propinas não seria bem visto e a minha posição mantém-se, apesar da nuance da criação do fundo de apoio que agora é proposta”. Luís Rebelo, presidente da Federação Académica do Porto (FAP), também tem dúvidas e diz que é preciso saber como vai funcionar o fundo e “quais os critérios” para atribuição aos estudantes: “É preciso saber se vai ou não abranger mais estudantes, caso contrário poderá acentuar as famílias que ficam ligeiramente acima do limiar de acesso aos apoios da ação social. Os alunos passariam a pagar mais, sem ter nada em troca”, conclui. Os dirigentes estudantis são unânimes ao dizer que o fundo anunciado é um reconhecimento de que a ação social é insuficiente: “Os reitores reconhecem assim

que os apoios sociais não chegam para responder às necessidades dos estudantes”, refere o presidente da AAUM. O presidente do conselho coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), Sobrinho Teixeira, reagiu à notícia dizendo “este ano, claramente, não devem ser aumentadas as propinas”. “Podem ser estudadas outras formas, para além do aumento da propina, que poderão ajudar a minorar as dificuldades que alguns dos jovens estão a sentir face à situação financeira do país”, refere o também presidente do Politécnico de Bragança. Para este responsável, é muito importante saber “qual é a disponibilidade dos próprios estudantes para haver um aumento de propinas que possa conduzir a esse fundo comum de ajuda aos mais necessitados” e perceber como vai ser gerido o fundo, sendo que a gestão tem de ser “completamente visível pelos estudantes para não poder haver qualquer tentativa de fazer disso uma forma menos clara de incorporar mais propinas”.

tuna universitária do minho conquista cidade invicta REDAÇÃO jornalacademico@rum.pt

A Tuna Universitária do Minho (TUM) esteve presente no I Noites de Ronda – Festival de Tunas organizado pela Tuna de Medicina do Porto, nos passados dias 9 e 10 de março. O espetáculo decorreu na Casa da Música do Porto no Sábado, dia 10, onde a TUM iniciou a vertente competiva

do certame com a apresentação do seu novo tema vocal denominado “Alborada”, seguido do clássico original “Boémia”, que demonstrou a musicalidade característica das suas raízes geográficas. A música “Porto Sentido” foi dedicada a todas as donzelas presentes e também , como forma de agradecimento, a todos os portuenses que esgotaram a sala de

espetáculos. A atuação continuou com o instrumental “Partizan”, um medley de temas balcãs, e com o tema CSS

clássico italiano “Con te Partirò”, na voz do seu solista. Terminou-se o espetáculo com o desempenho dos pandeiretas e bandeiras em “Adeus é sempre adeus”. Pelo mesmo palco passaram também a Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto, a Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra, a Tunadão 1998 - Tuna do Instituto Politécnico de Viseu, e ainda, extra-con-

curso a Tuna Feminina de Medicina do Porto e os anfitriões da Tuna de Medicina do Porto. Relativamente às lembranças, a TUM trouxe para Braga os prémios de Melhor Tuna, Melhor Instrumental e Melhor Solista, neste que foi um fim de semana recheado de muita música, festa e convívio entre elementos de várias gerações, símbolo da amizade que une estas Tunas.


PÁGINA 08 // 20.MAR.12 // ACADÉMICO

cursos ao raio-x luís pipa MÚSICA

curso de música entre os melhores do mundo lénia rego leniarego@hotmail.com

O que é que os alunos podem aprender com este curso? Temos três ramos e oferecemos praticamente todos os instrumentos musicais. Temos uma orquestra sinfónica académica a funcionar em pleno. Paralelamente, oferecemos a área de direção coral e as ciências musicais, para uma abordagem mais teórica, menos prática, embora uma das nossas características seja fazer com que todos os alunos frequentem o coro, o conjunto vocal de coro e conjunto instrumental. Tem então uma grande componente prática associada a este curso... Há muita investigação que se faz em torno da música

e componente teórica que é preciso dominar, mas a nossa grande “montra” é efetivamente a interpretação. Há diversos concertos. Para além da orquestra académica temos vários agrupamentos como pequenos grupos de música de câmara, a orquestra de sopros, etc... Ou seja, depois de terminarem o curso, os alunos podem ser dirigentes corais e instrumentistas. Quais são as outras saídas profissionais? Podem ser instrumentistas profissionais. Temos um corpo docente de grande qualidade, reconhecido internacionalmente e, portanto, os nossos alunos saem com uma excelente formação e capacitados para prosseguirem cursos de pós-graduação em qualquer

universidade estrangeira. No entanto, oferecemos agora o mestrado em Ensino de Música. De acordo com a legislação é obrigatório ter este mestrado para aceder à carreira de professor. Depois há todo um conjunto de carreiras associadas, nomeadamente nas ciências musicais e investigação. Poderão trabalhar em programação cultural, câmaras municipais ou poderão optar pela regência coral e pela criação de novos grupos. Podem ainda seguir a via do ensino, não só a nível de formação vocacional, mas podem fazer pós-graduações em várias áreas e dedicar-se ao ensino. É então um curso onde ainda há emprego... Fizemos uma estatística e o índice de empregabilidade ultrapassava os 95 por

cento. É um bom indicador. Dos nossos mestrandos, 95 por cento estão a trabalhar, são trabalhadores estudantes. Acha que os alunos deste curso ainda podem procurar emprego em Portugal ou será melhor pensarem numa carreira no estrangeiro? Uma das características de um músico é que viaja muito. A música sendo uma linguagem universal permite essa internacionalização, que é até desejável. No entanto, ainda temos uma oferta de emprego em Portugal. É uma questão de opção de vida. E alunos do estrangeiro a frequentar o curso? Temos alguns. Nós temos procurado alargar os nossos

protocolos a nível de Erasmus e temos alguns alunos, embora o nosso sistema não seja muito aberto, porque exige várias coisas que são demasiado específicas, nomeadamente a questão do 12º ano e a prova de Língua Portuguesa que condiciona a nossa capacidade de atração de alunos que venham do estrangeiro. A nível de diferenças, em que é que este curso é diferente dos que existem a nível nacional? Por um lado é importante integrar-se numa linha que se insira não só nos cursos nacionais, mas também internacionais. E em termos internacionais, este curso tem uma “bitola” padrão que é comparável à dos países mais avançados a nível musical. Damos enfoque à música portuguesa, que procuramos preservar. PUB.


PÁGINA 09 // 20.MAR.12 //ACADÉMICO

INQUÉRITO

concordas com as refeições “low cost” nas cantinas da uminho? Para Mariana Santos, aluna do módulo de Jornalismo e Informação do curso de Ciências da Comunicação, a oferta de dois menus a preços diferentes na cantina pode ter sido uma boa escolha por parte dos SASUM. No entanto, faz questão de referir que “acaba por ser uma ilusão para os estudantes porque há uma descida do preço pouco significativa e só têm direito ao prato principal.” Acrescenta também que “em algumas situações, pode compensar ir aos restaurantes e snack-bares junto da universidade pois os preços não são muito diferentes, o serviço é feito à mesa e não se perde tanto tempo.” Na opinião da futura jornalista, “a principal vantagem das refeições feitas na cantina da Universidade era, precisamente, o usufruto de elementos como a sopa, o pão e a sobremesa e com a implementação desta nova refeição deixa de haver esse benefício, a não ser que passemos a optar pelo menu completo e, sendo assim, continuaremos a pagar o mesmo preço”

MARIANA SANTOS 2ºAno // CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO

joão CARVALHO 1º ANO// CONTABILIDADE

Também João Carvalho, estudante do curso pós-laboral de Contabilidade, concorda totalmente com esta medida. O aluno justifica a sua opinião dizendo que “com os tempos de crise que se vivem no nosso país, esta descida de preço nas senhas da cantina é sempre uma ajuda para quem lá faz as suas refeições”. No entanto, no que diz respeito aos alimentos que foram retirados da refeição para que houvesse esta baixa de preços, João não deixa de manifestar o seu desagrado: “esta descida de preço das senhas não deveria estar relacionada com os produtos oferecidos como o pão e a sopa, porque isso só vai fazer com que os alunos, numa tentativa de tentarem poupar mais dinheiro, tenham uma refeição menos equilibrada”. João vai mais longe e diz mesmo que, apesar da descida de preço, com este menu menos completo, “poderá haver cada vez menos alunos a ir à cantina”.

Mónica Cerqueira é aluna do curso de Direito e é também apoiante desta nova refeição “low cost”: “Penso que é uma medida importante perante a crise económica em que nos encontramos”. Apesar de a aluna da academia minhota não considerar justo o facto de o pão, a sopa e a sobremesa terem sido retirados do menu, compreende o porquê da decisão: “penso que é preferível termos um menu mais acessível economicamente, apesar de não ser tão completo, do que termos apenas um menu com tudo incluído, mas mais caro”. Na opinião de Mónica, a existência de dois menus diferentes com preços igualmente distintos “é uma forma de permitir o acesso de todos os estudantes a uma alimentação barata e saudável”. A finalista de Direito relembra ainda que “as refeições na cantina, na maior parte das vezes, são de boa qualidade e é importante ter isso em conta quando comparamos a relação preço/qualidade de outros locais como os restaurantes perto da universidade”.

MÓNICA CERQUEIRA 4º ANO // DIREITO

joão félix vieira 2º ANO//

rITA MAGALHÃES

ritasmaga@gmail.com

optometria e ciências visão

João Félix considera que esta “é uma excelente medida” pois, pelo que costuma observar, “são muitas as pessoas que não consumem o menu completo, evitando então que as mesmas gastem dinheiro desnecessariamente”. Por outro lado, João refere que para os alunos que consomem o menu completo habitualmente “não haverá benefícios com esta redução”, mas relembra que “continua a ser mais proveitoso comer na cantina do que noutro local, porque as refeições são variadas e com valores nutricionais assinalados.” O aluno de OCV é da opinião de que “o preço da senha normal é um pouco elevado”, mas diz ter “consciência de que quem está responsável por esse assunto não dita os preços ao acaso, e se não está mais barato é porque não dá”. João Félix deixa ainda uma sugestão: “poderia ser adotado o método das escolas secundárias, em que se a compra da senha para o dia”x” fosse feita antecipadamente, haveria uma redução de 30 ou 40 cêntimos no valor”.

Os Serviços de Ação Social da Universidade do Minho oferecem, a partir desta semana, uma refeição “low cost” nas cantinas da universidade, que custa apenas 1.95€ e resume-se ao prato do dia. O menu menos completo foi criado a pensar, sobretudo, nos alunos que atravessam agora um período mais difícil em termos económicos. A refeição completa que inclui, também, pão, sopa e sobremesa, mantém-se disponível para quem desejar pagar 2.45€ pela senha. Com base nestas alterações de preços, o ACADÉMICO foi saber a opinião de alguns alunos da universidade que frequentam a cantina do campus de Gualtar.


PÁGINA 11 // 20.MAR.12 //ACADÉMICO

REPORTAGEM

“VER BRAGA POR UMA LENTE” o estilista bracarense

O fotógrafo gosta de apanhar o “street style” na cidade de Braga

joana neves joana_neves15@hotmail.com

E se tudo o que precisasses

para ser “modelo” fosse carisma natural? João Mota tem feito desta ideia uma filosofia pessoal, utilizando

as ruas de Braga como pano de fundo. Artisticamente conhecido como “O Estilista Bracarense”, João procura

no “Street Style” a inspiração, a cor e o movimento que têm permitido ao seu blogue ganhar inquestionável notoriedade. Para o fotógrafo, este é um género que faz todo o sentido, uma vez que a moda está em todo o lado, “não está somente nas passerelles, nem nos eventos de moda. Na rua é que acontece tudo, na rua é que se têm as tendências. A rua é o real”. Assim, facilmente se compreende que o Estilista não vá atrás da peça da marca X ou Y, mas de toda uma concordância, harmonia e “estilo natural”, no qual a roupa não passa de um complemento. Contudo, desengane-se quem julga que a moda é uma coisa para os jovens e que só eles têm direito a ser fotografados, “vejo tanto um jovem com um estilo espectacular, como vejo um senhor de idade com um estilo ainda mais espectacular”. Aquilo que começou por ser um passatempo passou a um “emprego a sério”, ocupando neste momento grande parte do tempo de João, ainda que este não retire daqui, para já, qualquer recompensa monetária. Quando questionado sobre o que o move para continuar

a fotografar, o Estilista Bracarense partilha que não há nada como o prazer “daquele click”, daquele momento, que para si “será sempre pelo prazer”. Os “clicks instintivos” já valeram ao fotógrafo freelancer bracarense uma nomeação para o Best New Blog 2011, bem como mais de 380.000 visualizações do seu blogue. Ainda que tenha dado início ao projecto na cidade de Braga, João sublinha que não quer limitar o seu trabalho a esta área, aspirando inclusive, se assim tiver oportunidade, ir até cidades para si inspiradoras como “Nova Iorque, Londres, Milão ou Paris”. Embora já tenham surgido algumas comparações do seu trabalho com o desenvolvido por Zé Cabral (O Alfaiate Lisboeta), João Mota não as vê como depreciativas, até porque considera que o colega alfacinha faz um “excelente trabalho”. Para além deste, faz também questão de seguir blogues de moda como o “The Sartorialist” ou o “Stockholm StreetStyle”. No que toca ao futuro, o Estilista Bracarense promete continuar a fotografar, na rua, enquanto a inspiração e o prazer o acompanharem.


ENTREVISTA PÁGINA 11 // 20.MAR.12 // ACADÉMICO

REPORTAGEM E SE EM VEZ DE IR AO SUPERMERCADO, PUDESSES IR À TUA PRÓPRIA HORTA? ximadamente um ano (abril 2011), o balanço do projeto que permite que estudantes e funcionários da universidade tenham os seus próprios cultivos é “francamente positivo”. Presentes nos campi de Azurém, Gualtar e Congregados, as hortas comunitárias contam já com a envolvência de cerca de cem pessoas, entre cultivadores e colaboradores, num total de cinquenta talhões cultivados. Só nas Hortas de Gualtar estão envolvidas 23 pessoas: 8 alunos, 9 funcionários docentes e 6 funcionários não docentes. Para ser “proprietário” de um

DR

destes “espacinhos” de cultivo, o processo é muito simples: “no blogue da UMinho in Transition (http://umintransition.blogspot.com/ ), os interessados poderão fazer o download da Ficha de Candidatura, sendo esta concretizada mediante o seu envio por e-mail”. O único requisito exigido é ter algum tipo de ligação à Universidade do Minho. Contudo, não só destes três espaços de plantação comum se ocupa o projeto. Neste momento, o UMinho in Transition está igualmente a preparar a criação de duas hortas urbanas, em

dois bairros da cidade de Guimarães, bem como um projeto de investigação sob o tema «Transição para uma vida mais sustentável». “Esperamos vir a criar, a prazo, um foco de interesse científico e social pelo potencial das hortas urbanas comunitárias”, esclarecem alguns colaboradores do projeto ao ACADÉMICO. Os responsáveis pela dinamização das hortas comunitárias acreditam que só agindo, desde já, conseguirão estar preparados para quando “a economia Pós-petróleo barato for a nossa realidade”. Hortas encontram-se no campus de Gualtar, Azurém e no edifício dos Congregados

joana neves joana_neves15@hotmail.com

Que os tempos não estão fáceis, já todos sabemos. Que o petróleo faz girar o mundo, também não é uma novidade. Que todos os dias nos deparamos com a necessidade de fazer escolhas, porque o dinheiro no bolso diminui “a olhos vistos”, todos sentimos. Mas que a Universidade do Minho

(UM) tem à nossa disposição meios para minorar estes efeitos, podemos nem todos estar a par. Alarmado com as “mudanças prementes e inevitáveis” na economia e na sociedade, e ciente do cariz prioritário da “autossuficiência” no que toca aos bens alimentares, um grupo de docentes, de entre os quais Luís Botelho Ribeiro, conseguiu implementar na UM um projeto intitulado “UMinho in Transition”. Em funcionamento há apro-


FILIPE MELO

Esta semana, a Burning List gravita pela órbita de Filipe Melo. Músico, realizador, autor de banda desenhada, é um dos grandes talentos do Portugal contemporâneo. A título de exemplo, Filipe já venceu o Fantasporto, já tocou com Carlos do Carmo e Camané e já foi premiado no Festival de BD da Amadora, apenas para citar alguns exemplos. Filipe nasceu em Lisboa, sendo que um dos seus grandes feitos de juventude foi conseguir ser detido e interrogado pela polícia por pirataria informática. Desde então o jazz passou a ser uma das suas grandes paixões, a par do cinema e da banda desenhada. Estudou no Hot Clube de Portugal e graduou-se no Berklee College of Music em Boston, nos Estados Unidos da América. Uma das suas grandes paixões é o cinema. Apesar de Filipe encarar a sétima arte como um hobby, o facto é que já venceu a edição de 2004 do Fantasporto com “I’ll See you in my dreams”, tendo ainda realizado a série para televisão “Um Mundo Catita” para a RTP. Outra das áreas de destaque do trabalho de Filipe Melo é a banda desenhada, em que a sua obra “As Incríveis Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy” tem recebido inúmeros elogios, vencendo o prémio de melhor argumento no Festival de BD da Amadora 2010. Filipe confessa que por vezes torna-se difícil decidir qual a área a seguir. Mas, apesar de não ter tido tempo para o seu trabalho a solo, é um músico extremamente requisitado, tendo acompanhado inúmeros músicos portugueses, por entre JP Simões, Luísa Sobral, ou Marta Hugon. Daí que se entenda que a sua principal paixão seja o jazz.

Segunda: Keith Jarrett - Jasmine (Jasmine, 2010) “É impossível falar de piano sem falar no Keith Jarrett que é, sem dúvida, um dos gigantes vivos da história do Jazz e do piano em geral. Ele tem uma reputação de ser rude com o público - eu vi um concerto dele em Lisboa que foi muito tenso e em que toda a gente pensava que ele iria embora a meio! Mas também vi-o a tocar em Nova Iorque a tocar, há uns anos atrás, num concerto de três horas em que toda a gente se sentiu abraçada pelo grupo. É sempre imprevisível!” Terça: Bill Evans - Some other Time (The Complete Village Vanguard Recordings, 1961) “O Bill Evans é um dos mais influentes músicos da história do Jazz.Ele veio numa altura em que a maioria dos pianistas tocava um estilo chamado bebop, caracterizado pelo uso da mão direita em em que a mão esquerda é apenas um acessório rítmico. Como o Bill Evans tinha formação clássica, começou a trazer para o Jazz uma série de acordes e harmonias que vinham de Debussy, Bach e Chopin. Ele é o verdadeiro Cavalheiro do Jazz e influenciou pianistas desde então.” Quarta: Beatles - Across the Universe (Let it Be, 1970) “Uma pessoa que diga que não gosta dos Beatles é alguém que não tem grande sensibilidade! É o mesmo que dizer que não se gosta de música ou que não se gosta de beber água! Os Beatles são, incontestavelmente, a melhor banda do mundo estou a brincar - mas digo isto porque há algo de impressionante: desde o lançamento do primeiro single à última gravação decorreram nove anos,

o que é pouquíssimo tempo. Depois foram inteligentes: começaram no rock e foram evoluindo até terem um conceito musical, artístico e visual muito avançado.” Quinta: Nat KIng Cole - September Song (Nat King Cole Sings/George Shearing Plays, 1962) “Acho que o Nat King Cole tem uma forma muito simples e, ao mesmo tempo, muito especial de cantar os temas. Lembro-me do Nat King Cole já de miúdo, porque o meu pai fartava-se de ouvir aquilo e eu odiava! E não sei exatamente quando é que comecei a gostar - penso que foi na altura em que passei a nutrir uma grande paixão pelos Standards. É uma canção que foi aparecendo em momentos chave na minha vida e não há temas que emanem tamanho carisma. Quando se ouve o Nat King Cole não se sente qualquer esforço! “ Sexta: Glenn Gould - Aria (Bach: The Goldberg Variations, 1955) “O Glenn Gould é, sem dúvida, um monstro do piano. É um dos músicos mais inteligentes que já surgiu e vê-lo a trabalhar é incrível, é um génio quer em termos de velocidade quer em termos de musicalidade. Não há muito mais a dizer!”


TECNOLOGIA E INOV empreendedorismo feminino) . E foi depois de sermos premiados e do júri entender que havia potencial que resolvemos abrir e constituir a empresa. Esse passo de se lançar no mercado de trabalho foi fácil de tomar? Acho que sim, porque antes de lançarmos a empresa fizemos um estudo às carências do mercado. Verificámos que a informação geográfica que aparecia DANIEL VIEIRA DA SILVA daniel.silva@rum.pt

em muitos processos não era a melhor, não era a ideal e tinha, inclusivé, erros de análise. Assim, identificámos aqui algumas lacunas nessa área. Com o nosso método de análise simplificamos o processo de avaliação. Achamos e acreditamos que o nosso serviço vai dignificar a justiça, vai contribuir para uma diminuição do número de litígios em tribunal e para a celeridade dos processos e para o contentamento em geral.

gados, magistrados e tribunais. recentemente desenvolvemos também um serviço para as autarquias.

Que GeoJustiça é esta? É uma spin-off da Universidade do Minho e resultou de uma investigação na mesma universidade. O que a empresa disponibiliza é conhecimento na área da geografia à justiça, procurando objetivar a prova.Trabalha essencialmente para advo-

Nascem em março de 2010. Qual o motivo de se lançar para uma empresa? Identificaram aqui um nicho de mercado? Após a minha investigação, resolvi candidatar a minha ideia de negócio ao SpinUM e vencemos dois prémios (2ª melhor ideia de negócio e prémio de

MIGUEL ARAÚJO tmc_miguel@hotmail.com

produto às lojas, uma vez que a empresa anunciou que já não irá aceitar mais reservas online.

Esgotaram as reservas para o novo iPad

Portugueses fazem 30 milhões de pesquisas por dia

revelou ainda que existem 5 milhões de caixas de correio eletrónico no nosso país. Todos estes indicadores levam a responsável a afirmar que “Portugal é, de facto, digital.”

Estão esgotadas as reservas para o novo iPad, apenas uma semana após o anúncio da sua comercialização. Segundo a Apple, a elevada procura superou mesmo as suas expectativas iniciais. Aos interessados, resta-lhes agora esperar pela chegada do

Considerando uma estimativa de 5,7 milhões de cibernautas no país (cerca de 60% da população), isto dá uma média de 5,3 pesquisas por dia por utilizador. Estes dados foram revelados por Mónica Bagagem, diretora de marketing da Google em Portugal. A gigante das buscas

twittadas

35 mil euros para jogar computador 35 mil euros, é quanto custa a nova cadeira para jogar computador lançada pela empresa canadiana Modern Work Environment Lab. Com 3 ecrãs tácteis LCD de 24 polegadas,

sistema de filtragem do ar, luz solar artificial e um assento de pele, a Emperor 200 promete o maior conforto possível enquanto o utilizador disfruta dos seus jogos favoritos. Pensando em quem acha este preço proibitivo, a empresa lançou ainda a versão económica do produto, a Emperor 1510. O preço desta versão ronda os 4800 euros. Internet também derruba ditaduras Hoje em dia, a Internet é o melhor aliado do povo contra as

ditaduras. Um relatório dos Repórteres sem Fronteiras dá conta do crescimento do papel da Web na luta contra os regimes nãodemocráticos, no ano passado, bem como do aumento das tentativas de controlá-la. Segundo os dados divulgados, a Internet teve um papel importante na divulgação dos acontecimentos nos países onde eclodiu a “primavera Árabe”. No entanto, também a repressão sobre quem a usa como meio de luta e de comunicação com o exterior aumentou nesses países.

PUB


OVAÇÃO

PÁGINA 15 // 20.MAR.12 // ACADÉMICO

liftoff, gabinete do empreendedor da AAUM noticia... > 21 MARÇO 11 Seminário “O Capital da Juventude” Braga

> 28 MARÇO 12 Workshop “Transição para o Mercado de Trabalho”

Semanas temáticas empreendedorismo

O Dep. de Saídas Profissionais e Empreendedorismo da AAUM encontra-se a organizar as Semanas Temáticas. A primeira semana, dedicada à Saúde, irá decorrer entre os dias 27 e 30 de Março. Dia 27 será abordado o tema “Gestão e Saúde: Sustentabilidade do Sistema Nacional de Saúde” e contará com a presença do Prof. Dr. Jorge Simões, Presidente da Entidade Reguladora Saúde e ainda “Tecnologia e Saúde: Uma oportunidade na Cri-

se” com a presença do Eng. António Murta e do Dr. Alexandre Gouveia. Dia 30, na Escola Ciência Saúde, A0.02, contará com a presença do Dr. Miguel Guimarães, Presidente Secção Regional Norte da Ordem dos Médicos, que abordará “Empregabilidade na Saúde: Será a saída de Portugal a alternativa?”. Mais informações em www. aaum.pt ou para o email saídas_prof@aaum.pt

> 11 ABRIL 12 Flash Talk Inova Têxtil Guimarães

Fórum Emprego 2012 - Jornadas universitárias de emprego

Esta iniciativa enquadra-se no programa EURES Transfronteiriço Norte de Portugal – Galiza e pretende facilitar e agilizar o processo de integração dos estudantes no mercado de trabalho, tanto a nível local, como transfronteiriço e europeu. O programa centra-se na divulgação de técnicas de procura de emprego e na explicação dos objectivos e funcionalidade do programa de emprego EURES da União Europeia. A edição de 2012 tem como tema “Competências Transversais no Acesso ao Mercado de Trabalho”. O evento realiza-se no dia 23 de março de 2012, pelas 14h15, no auditório 1.01 da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho.

> 18 ABRIL 12 Workshop “Marketing Pessoal”

> 23 ABRIL 12 Workshop “Networking”

O So You Think You Can Pitch está de volta!

Já abriram as inscrições para a 3ª edição do So You Think You Can Pitch, que este ano conta com o carimbo da Capital Europeia da Juventude. Trata-se de um evento que reúne empresas com uma nova geração de talentos num registo hiper cool, trendy e bem disposto. A quantidade e, sobretudo, a

qualidade das empresas presentes, com disponibilidade e vontade para recrutar os melhores é entusiasmante. Se quiserem conhecer melhor o projeto podem consultar o site: www.sopitch.com ou www.facebook.com/SoPitch, ou contactá-los através do e-mail: go@sopitch.com.

Ofertas de emprego by

- Engenheiro (M/F): Web developer - Braga - Gestor de Clientes (M/F) Numa perspectiva de expansão, empresa de Braga, com certificação ISO9001 que actua na área da consultadoria, desenvolvimento e concepção de soluções Web pretende admitir um Gestor de Clientes. Perfil: - Dinâmico, pró-activo, ambicioso e com sentido de equipa; - Licenciatura na área das Engenharias;

- Forte vocação comercial e trabalho por objectivos; - Condições de elegibilidade ao estágio profissional do IEFP; Oferta: - Condições previstas pelo IEFP (bolsa + Subsídio de alimentação); - Viatura de serviço; - Telemóvel; - Computador portátil; Informação adicional: Após este estágio profissional e mediante o desempenho, o

candidato terá a real possibilidade de integração nos quadros da empresa. Recursos Humanos (M/F) Braga Empresa especialista em Recursos Humanos, com filial em Braga pretende recrutar Estagiário/a. Perfil: - Formação em Psicologia das Organizações/ Psicologia do Trabalho, Gestão de Recursos Humanos ou Sociologia.

Oferta: - Estágio Curricular / Estágio de Curta Duração: Não Remunerado. Outras ofertas disponíveis: - Educação (Estágio de Curta Duração / Estágio Profissional) (M/F) - Guimarães; - Programador Web (m/f) Porto; - Operadores de Call Center (M/F) Braga; - Engenheiro Químico (M/F) - Bolsa de Investigação - Maia.

>


CULTURA o festim negro dos wraygunn em novo disco “L’Art Brut” marca o regresso aos discos dos Wraygunn. A banda de Paulo Furtado apresenta um conjunto de 11 canções, onde a “energia surge mais controlada” e onde os sons da música negra continuam a marcar passo. JOSÉ REIS jose.reis@rum.pt

“L’art Brut” é aquilo que quisermos dizer dele. “Se for pronunciado em francês, temos que retirar o ‘t’ do final. Mas para tornar as coisas mais fáceis, podemos pronunciar todas as letras”. Assim, entre “l-arte brú” e “l’arte brute”, o que interessa é que este é o conceito que sintetiza todo o álbum de regresso dos Wraygunn. “No fundo, para nós, a ‘arte bruta’ é o último local onde existe inocência, verdade e arte pela arte. Foi o local para onde olhámos para nos inspirarmos para este disco”. Quem o diz é o frontman da banda, Paulo Furtado, que, despida a pele de tigre, veste a pele do mestre de cerimónias neste festim burlesco.

“Fomos muito egoístas a compor este disco. Geralmente somos egoístas a compor, mas neste fomos ainda mais. Tentámos ao máximo abstraírmo-nos do que nos rodeava, a nível de edições, agências e concertos”, revela Paulo Furtado. Tudo para que no final “conseguíssemos fazer um disco que nos desse muito prazer”.

De Femina... O alheamento acabou por dar frutos. “L’art Brut” é o disco que traz de volta os Wraygunn, cinco anos depois do último “Shangri-La”. “Sim, sabemos que cinco anos é imenso tempo entre discos. Mas a verdade é que não foi tanto. Entre o tempo de composições, ensaios e gravações, para nós foi muito menos. Mas sim,

para o público, cinco anos é muito tempo”. Este álbum surge na ressaca de uma temporada “excepcional” de concertos de Paulo Furtado enquanto Legendary Tigerman e um disco muito bem recebido (também a nível internacional) chamado “Femina”. “Para mim acabou por ser uma surpresa toda a boa recepção que o álbum teve. Não pensei que tivesse os concertos que tive”, confidencia Paulo Furtado. Um tempo que inviabilizou outro tempo: o tempo dispendido para a reunião dos Wraygunn. ... a L’Art Brut! “Este disco começou com uma canção composta pela Raquel Ralha, apenas guitarra e voz. Ela enviou-me o tema para ouvir e senti que estava na altura de voltarmos a editar”, revela o mú-

sico. Um disco diferente em relação ao (muitas vezes mal compreendido) “Shangri-La”. “Antigamente estávamos sempre a descarregar energia em disco. Agora a forma como a descarregamos é mais controlada. O sítio onde fomos beber a inspiração foi diferente. Onde antigamente havia soul hoje há mais doo-wop”. Um disco ainda assim marcado pelo imaginário negro, onde “as vozes de Raquel Ralha e Selma Uamusse” surgem mais “exóticas”. “As harmonias de vozes estrão mais depuradas e mais pensadas. Neste momento acabamos por ser uma banda com duas guitarras, que influencia muito a sonoridade”, conta Paulo Furtado. Um disco que, apesar dos cinco anos passado, não esconde a vida irrequieta que lhe dá corpo.

preciso ver para crer. Enter the Void é um filme que se ama ou se odeia, sendo capaz de provocar acesos debates. De qualquer maneira, depois de feitas as contas, é um filme que não

deixa ninguém indiferente. Acima de tudo, vale pela experiência que representa, que rompe todos os cânones cinematográficos estabelecidos. E nisso, há que dar o devido mérito.

SALA DE CINEMA

“enter the void” ALEXANDRE ROCHA alexandremvrocha19@live.com.pt

Já vai com dois anos de atraso, mas finalmente estreou Enter The Void, um dos filmes mais ousados e provocantes dos últimos anos. Irá polarizar o público e promete ficar gravado na memória de todos os que o assistirem. Depois do mais que polémico Irreversível, Gaspar Noé apresenta um “melodrama psicadélico”, passado numa Tóquio noturna iluminada por fortes luzes de néon e onde as drogas têm uma presença muito vincada. “Viajamos” pela cidade através da perspetiva da alma de um traficante de droga

chamado Óscar (Nathaniel Brown), libertada do seu invólucro carnal após este ser alvejado mortalmente pela polícia. A partir daí o protagonista acompanha a forma como as pessoas mais próximas dele lidam com a sua morte, ao mesmo tempo que revisita os momentos mais traumáticos do seu passado. Enter The Void assume-se como uma viagem caleidoscópica, tecnicamente arrojada, que diluí a continuidade entre espaço e tempo. A alma de Óscar é a câmara, que se metamorfoseia de acordo com a ação do filme. Temos, desde planos de perspetiva na primeira pessoa, passando por planos

omniscientes, que ultrapassam os obstáculos físicos, até a zooms e close-ups que revelam cenas de uma intimidade e violência chocantes (desde trips de DMT, passando por um ato de penetração/ejaculação filmado de dentro do corpo de uma mulher). Nada na nossa experiência individual nos pode preparar para aquilo que o mais recente filme de Gaspar Noé tem para oferecer. Ver Enter The Void assemelha-se, em tudo, a uma experiência extrassensorial e transcendental. É um potente alucinogénio audiovisual. Pode parecer exagerada esta classificação, mas não existe outra comparação possível. É


PÁGINA 17 // 20.MAR.12 // ACADÉMICO

RUM BOX

AGENDA CULTURAL

TOP RUM - 11 / 2012

BRAGA

16 MARÇO

1 RAPARIGA ELÉCTRICA Tens de sair

13 BEST YOUTH - Hang out 14 DJANGO DJANGO Hail bop 15 RADIOHEAD - Lotus flower

2 BLACK KEYS, THE Lonely boy 3 SHINS, THE - Simple song

16 AIR - Seven stars 17 LITTLE DRAGON Ritual union

4 A NAIFA - Gosto da cidade 5 ANNA CALVI - Suzanne & I

18 WRAYGUNN Don’t you wanna dance

6 PJ HARVEY The words that maketh murder

19 DEATH CAB FOR CUTIE You are a tourist

7 MARK LANEGAN BAND The gravedigger’s song

20 DESTROYER - Chinatown

8 TOM WAITS Back in the crowd

POST-IT 19 março > 23 março

9 M83 - Midnight city 10 DEUS - Constant now

ICONOCLASTS Stranger In A Strange Land

11 A JIGSAW The strangest friend

ROSIE THOMAS Where Was I

12 B FACHADA Não pratico habilidades

LEE RANALDO Off The Wall

MÚSICA 24 de Março Capitães de Areia – O Verão Eterno Fnac Braga TEATRO 20 a 23 de março Último Acto – Companhia de teatro de Braga Theatro Circo 21 e 22 de março

A Ilha Desconhecida – Quadrilátero/ cie l´allinea Theatro Circo

23 de Março Dave Clarke São Mamede

GUIMARÃES

FAMALICÃO

DANÇA 24 de Março Piracema – Lia Rodrigues CCVF

MÚSICA 23 de março Sérgio Godinho Casa das Artes

MÚSICA 23 a 25 de Março Guimaramus 2012 CCVF

24 de Março A Diferente Tima, de Narta Hugon Casa das Artes

LEITURA EM DIA Os Leões de Al-Rassan - Guy Gavriel Kay - Saída de Emergência). A Península Ibérica, como cenário de um romance “fantástico”, na escrita de um grande escritor.

Jonas Savimbi de Emídio Fernando - Dom Quixote. A vida do líder da Unita, obstinado, que passou ao lado da História de um modo trágico. Memórias de Anne Frank de Theo Coster - Asa. Os colegas de Liceu de Anne Frank recordam os tempos de adolescência antes da tragédia.

para “orientar” os pais e educadores no crescimento dos adolescentes. Não Sou um Serial killer de Dan Wells Contraponto. Aproveitando a onda vampiresca, um bom divertimento literário. Para ouvir de segunda a sexta (9h30/14h30/17h45) na RUM ou em

O Adolescente Indomável de Ángel Peralbo - Esfera dos Livros. Uma excelente proposta

CD RUM

kindness profetiza a mudança do mundo

JOSÉ REIS jose.reis@rum.pt

World, You Need A Change of Mind é mais do que uma frase. É uma estado de espírito, um sentimento necessário em tempos indefinidos como aqueles que vivemos, chamado de “crise”. A máxima surge como lema e resumo do novo – e primeiro – álbum de “Kindness”, o projeto de Adam Brainbrid-

ge com edição marcada para esta semana, pela Female Energy. Um disco pop, feito de muitos momentos eletrónicos e onde a house dos anos 90 marca forte influência em grande parte do registo dicográfico. Mas há ainda tempo para baladas melancólicas – “House” é um bom exemplo disso, a roçar a soul, mas assente em pilares pop açucarados. Há meses que a chegada do disco tem vindo a ser anunciada, muito graças a um tema chamado “Cyan”, que

nos mostra Adam Brainbridge, o músico, pelas ruas de Nova Iorque, de forma resoluta, ilustrado por murais pintados de cores quentes. Agora, o álbum vem comprovar que Kindness é um projeto interessante e com várias vidas, que se cifram em diferentes faixas, em diferentes sons, em diferentes caminhos. Se o álbum de estreia não tiver sucessor (que acreditamos que não), já não nos importámos. Se este cumprir o desígnio do título, já nos chega.

DR

podcast: podcast.rum.pt Um espaço de António Ferreira e Sérgio Xavier.


PÁGINA 18 // 20.MAR.12 // ACADÉMICO

DESPORTO

karaté do minho brilha nos cnu’s de aveiro

sporting braga assume-se como candidato ao título MAURA TEIXEIRA maura.cvt@gmail.com

Karaté da UMinho evidencia-se no CNU da modalidade realizado em Aveiro CARLOS REBELO c.covasr@gmail.com

Mais um Campeonato Nacional Universitário (CNU) de Karaté, mais um título de vice-campeã para a Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) que no passado dia 10 e 11 do mês de março, na cidade de Aveiro, conquistou mais medalhas para a sua Academia. Na modalidade Kumité (combates), Filipe Silva (Ciências da Computação) conseguiu a

medalha de prata, João Meireles (LEI) o bronze, Sara Rodrigues (Biologia Aplicada) também o bronze, e Cláudia Pereira a prata. Na modalidade Katas (formas), Olívia Carvalho (Medicina) obteve a medalha de bronze. No total, os atletas do Minho conseguiram cinco medalhas individuais e, contabilizando essas medalhas, a AAUM obteve mais uma, a medalha de prata por equipas. No Judo, a AAUM não conseguiu qualquer medalha. A esperança residia no judoca

Ricardo Pereira (Engenharia Biológica), mas devido a uma lesão no ombro ocorrida no seu segundo combate o judoca minhoto teve que desistir não conseguindo, pelo menos, igualar o feito do ano passado, a medalha de bronze. Já no squash, Carla Guimarães (Tecnologias de Sistemas de Informação) conquistou uma medalha de bronze para os minhotos. No quadrante masculino, a AAUM não conseguiu chegar aos lugares mais altos do pódio. PUB.

Este fim de semana realizou-se a 23ª jornada do Campeonato Nacional de Futebol, Liga Zon Sagres. O SC Braga teve a sua 12ª vitória consecutiva para o campeonato ao derrotar o Feirense por 4-1. Este resultado, favorável à equipa minhota, faz com que esta esteja a apenas um ponto do primeiro classificado, o FC Porto. O Vitória de Guimarães empatou a dois golos com o Olhanense, num encontro disputado no Estádio D. Afonso Henriques. Até fecho desta edição, o encontro entre o Gil Vicente e o Sporting ainda não se tinha realizado. No que diz respeito ao andebol, o ABC deslocou-se à Madeira, na sexta-feira, onde foi derrotado pelo Madeira SAD (23-15), após uma série de cinco vitórias.

espaço

scbraga/aaum by DVS

Nova jornada, mais uma derrota para o Sp. Braga/AAUM que vê, com o passar dos jogos, o objetivo manutenção ficar cada vez mais complicado. Nesta jornada, à partida, a conquista da vitória parecia muito complicada, uma vez que os pupilos comandados por Pedro Palas tinham pela frente o campeão nacional Sporting. Ai-

Por sua vez, o Xico Andebol venceu o S. Bernardo (34-24) em jogo da 2ª jornada da fase de manutenção, do Campeonato Nacional da 1ª divisão. Relativamente ao basquetebol, este fim de semana as equipas minhotas não jogaram, uma vez que se disputou a final da Taça de Portugal, que foi entregue ao FC Porto, após vitória ante a Académica. Por último, mas não menos importante, o Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Hóquei em Patins teve, esta semana, uma pausa por causa dos jogos para a Taça CERS, a segunda mais importante competição europeia de clubes. Nessa competição, o HC Braga defrontou o Friedlingen e venceu por 7-4, naquela que foi a primeira mão dos quartos de final da prova. Este foi um grande passo dado pela equipa minhota em direção à final four. nda assim esse facto pareceu não assustar os jogadores que colocaram o conjunto minhoto em vantagem por 0-2 nos primeiros minutos da partida. Depois, com o desenrolar da partida, a superioridade natural do Sporting veio ao de cima e traduziu-se em três golos sem resposta. Os leões ainda dilataram para 4-2, mas só no minuto final, quando chegaram ao 5º golo, puderam descansar. O Sp. Braga vendeu cara a derrota e necessita agora de ganhar fôlego para o que falta do campeonato. A próxima jornada joga-se no pavilhão da Universidade do Minho, onde os estudantes recebem o AMSAC, que se encontra imediatamente atrás dos bracarenses na tabela classificativa, logo, um rival direto na luta pela fuga à despromoção.


Parlamento da Capital Europeia da Juventude: Braga 2012 Braga 2012: Capital Europeia da Juventude organiza, com o Fórum Europeu da Juventude, o Parlamento da Capital Europeia da Juventude: Braga 2012, dias 23 e 24 de Março de 2012, no Theatro Circo. O evento será precedido de

uma semana de trabalho, durante a qual Braga receberá estudantes secundários de 12 países europeus e a comunidade escolar do distrito de Braga. O ERASMIAN EUROPEAN YOUTH PARLIAMENT

surgiu em 2009 na organização da primeira Capital Europeia da Juventude - Roterdão 2009. O ERASMIAN EUROPEAN YOUTH PARLIAMENT realizou-se em todas as Capitais Europeias da Juventude

desde a sua fundação. Este projeto de cidadania e participação Juvenil baseia-se em diversos encontros entre as delegações do parlamento jovem e as comissões de trabalho com o objectivo de encontrar soluções realistas dos temas a serem abor-

dados. Desenvolver-se-ão dinâmicas ativas e criativas de estímulo à participação juvenil e está programado um encontro destes jovens com decisores políticos de acordo com as metodologias do Diálogo Estruturado.

Link +351 Agenda semanal: pretende conectar Braga com a Europa O projeto LINK+351 é um festival itinerante que pretende conectar Braga com a Europa, e acima de tudo, promover os artistas bracarenses, funcionando simultaneamente como um programa de intercâmbio de jovens artistas Europeus, dinamizando o panorama cultural de Braga. Braga prepara-se para receber artistas de toda a Europa e simultaneamente, dar a conhecer artistas da cidade num projeto de partilha e reconhecimento das qualidades artísticas de toda a Europa. LINK+351 pretende desenvolver a imagem desta iniciativa como um atividade centrada nos jovens, focando o seu ativismo, criatividade e modernidade assim como a Capital Europeia da Juventude. O campo de ação

deste projeto prende-se com a possibilidade de oferecer espetáculos singulares e de grande potencial a todos os bracarenses e o contrário. A primeira banda nacional partiu hoje rumo à República Checa onde atuará a 19 de Março, seguindo o périplo por mais países como Eslovénia, Áustria e Suíça. Os PARTICULA são uma banda natural de Braga que através do Hip-Hop tentam elevar o Norte do país, tendo já gravado dois álbuns e participado em inúmeras colaborações. Partem agora atrás do sonho, Europa, apoiados no LINK+351. “Levar Braga à Europa” é o lema deste projeto, uma parceria da Capital Europeia da Juventude com a NAAM, Núcleo de Apoio às Artes Musicais.

Limpar Portugal 2012 24 de Abril A ação Limpar Portugal 2012 - Braga da Amo Portugal, em parceria com a Braga 2012: Capital Europeia da Juventude, no âmbito das iniciativas previstas levar a cabo até ao dia 24 de Março, envolvendo não só o jovens do concelho como a própria cidade, em mais esta ação cívica de educação e proteção ambiental; reflecção sobre a problemática do lixo e do desperdício; ciclo dos materiais .e do crescimento sustentável; alternativas energéticas. É objectivo comum de ambas as entidades, manter o espírito total de voluntariado que sempre caracterizou as ações Limpar Portugal - Amo Portugal. Com esta parceria, Braga será mais uma vez uma referência de voluntariado na área da proteção ambiental. YFARM 23 de Março – 10h/13h – Parque de Exposições de Braga YFARM é um conjunto de eventos direcionados à promoção da atividade agrícola e pecuária, com relevância e

tradição na zona do Minho. Pretendemos promover a cooperação com a Quinta pedagógica de Braga no sentido de dar a conhecer às escolas do distrito as atividades inerentes, proporcionando ainda o contacto dos jovens com esta realidade.

Arqueologia do passado ao futuro 24 de Março - Museu D. Diogo de Sousa Pretende-se realçar a importância da arqueologia como factor de conhecimento e valorização da identidade das cidades / comunidades e factor de desenvolvimento local. Nesta atividade os jovens serão arqueólogos por um dia através da simulação de uma escavação arqueológica com vista a conhecer metodologias de trabalho, complementada por visita ao laboratório de restauro e práticas laboratoriais elementares. Organização: Jovemcoop Em caixote 23 de Março – 22h/23h – Rossio da Sé DJ Sound Project | Kala

Hari

24 de Março – 11h/23h Bombos de Novais de Sousa – 11h/11.30h – Praça da República Espetáculo David Martin – 11.30h/12h – Cruzamento Rua do Souto Animação : “Contrucionista” Marlene Soraia – 12h/12.30h – Cruz. Rua do Souto Inauguração – 16h/16.45h – Largo D. João Peculiar “Quem canta um conto...” – 17h/17.30h – Cruzamento Rua do Souto Performance de Dança – 22h/22.30h – Praça S. Francisco “Projecto S” – 22h/23h – Largo D. João Peculiar/Jardim Santa Barbara Músicos Soltos Rock – 22.15h/23h – Centro Histórico/Rua do Souto Allantantou – 22.30h/23h – Praça da República Rapariga Elétrica – 23h/23.30h – Rossio da Sé 25 de Março – 16h/18h A Velha Velhota – Rua do Castelo Plácido Fole - Praça da República


24 marรงo 22H00 ToUraL / aLamEDa / LarGo Da mUmaDoNa

TEmpo para Criar La fUra DELs baUs CCTar CLara aNDErmaTT


ACADÉMICO 15