Issuu on Google+

Inelegível por mais 8 anos... Câmara reprova as contas de 2005 do ex-prefeito Manoel Marcos Foto: Cacá Alberti/A Balsa

Os vereadores de Ilhabela aprovaram por unanimidade o parecer da Comissão de Finanças e Orçamento que reprova as Contas Anuais da Prefeitura de Ilhabela no exercício de 2005 durante a sessão Ordinária de terça-feira (6/8). A análise da Comissão de Finanças e Orçamento, formada pelos edis Sampaio Junior (PTdoB), Adilton Ribeiro (PSD) e Dra. Rita Gomes (PTdoB) acompanhou o parecer prévio do Tribunal de Contas do Estado, que foi desfavorável à aprovação. Os principais motivos alegados pelo Tribunal de Contas para a emissão do parecer

A BALSA - Ed. 47.pmd

1

desfavorável à aprovação das Contas e que foi corroborado pela Câmara, foram a inversão da ordem no pagamento de precatórios em desrespeito à regra Constitucional e à Lei 8666/93 e a abertura de crédito adicional sem observação dos limites estabelecidos no artigo 42 da Lei 4320/64. O relatório elaborado pelo presidente da Comissão, vereador Sampaio Junior, apresentou um breve relato sobre as Contas, que chegaram à Câmara em 2008, foram votadas e reprovadas em 2009, mas tiveram a votação anulada após o ex-prefeito Manoel Marcos de Jesus Ferreira acionar a

justiça alegando cerceamento do Direito de Defesa. A nova legislatura reapreciou as contas e concedeu ao exprefeito o Direito de Defesa, que foi apresentado por escrito à Comissão de Finanças e Orçamento da Casa de Leis do arquipélago. Foi outorgada ainda a Manoel Marcos a oportunidade de sustentação oral por parte de seus advogados constituídos durante a sessão, no entanto, ninguém se inscreveu e a votação transcorreu conforme preconiza o Regimento Interno da Câmara. Ainda de acordo com o relatório apresentado pela Comissão

de Finanças e Orçamento, ao inverter a ordem de pagamento de precatórios ignorando a precedência de antiguidade dos créditos, como prevê a Constituição, foi configurado ato de improbidade administrativa, ferindo três princípios constitucionais: impessoalidade, legalidade e moralidade. Já a abertura de crédito suplementar sem a devida autorização do Legislativo, torna ilegal qualquer ato que vise à alteração da Lei Orçamentária. “Urgência ou outras desculpas não podem dar legitimidade ao descumprimento da Lei”, salienta o vereador Sampaio no relatório. Em outro trecho, o documento afirma ainda que os vereadores não podem fechar os olhos às aparentes pequenas falhas, sob pena da falência do Estado de Direito. “Se nós, fiscais oficiais da administração municipal, fecharmos os olhos a essas aparentes pequenas mazelas, estaremos decretando a falência do Estado de Direito e a falta de ne-

20/08/2013, 18:12

cessidade da existência de vereadores nas cidades brasileiras”. Por fim, o relatório destaca ainda que além da análise prévia do Tribunal de Contas, fatores como os processos de denúncia existentes no Ministério Público e no Tribunal de Justiça, como também ações praticadas no decorrer de toda a gestão do ex-prefeito foram considerados para elaboração do voto pela rejeição das contas. Na justificativa de voto, o presidente da Comissão de Finanças e relator do parecer, declarou que não havia alternativa à Casa senão manter o relatório inicialmente apresentado. “Nós não estamos fazendo mais do que a nossa obrigação em reprovar essas contas que apresentam erros grosseiros apontados pelo Tribunal. Existem ainda “n” motivos para sustentar essa reprovação, no entanto, os principais apontamentos do Tribunal de Contas são mais que suficientes para que esta Casa acompanhe o parecer”, concluiu.

Lei Ficha Limpa - Lei Complementar 135/ 10 | Lei Complementar nº 135, de 4 de junho de 2010 Altera a Lei Complementar no 64, de 18 de maio de 1990, que estabelece, de acordo com o § 9o do art. 14 da Constituição Federal, casos de inelegibilidade, prazos de cessação e determina outras providências, para incluir hipóteses de inelegibilidade que visam a proteger a probidade administrativa e a moralidade no exercício do mandato. ... g) os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, salvo se esta houver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário, para as eleições que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do art. 71 da Constituição Federal, a todos os ordenadores de despesa, sem exclusão de mandatários que houverem agido nessa condição.


E tudo aquilo que Você vai encontrar o seu jornal A Balsa nos publiquei nos últimos seguintes pontos de distribuição: anos neste jornal A Balsa continua recebendo - Supermercado Ilha da Princesa aval da Justiça. - Supermercado do Frade - Supermercado do Pai As contas de - Supermercado Colina da Barra 2005 do ex-prefeito Velha Manoel Marcos foram - Mercado Água Branca julgadas novamente - Mercado da Barra pela Câmara Municipal - Mercado do Reino e novamente e nova- Baepi Express mente foram reprova- Mercado Baepi das por apontarem atos - Mercado Itaquanduba de improbidade adminis- Sorveteria Daqui trativa. Esta também - Stand Bye foi a indicação do Tri- Padaria Guarubela bunal de Contas do Es- Barbearia do Roque tado de São Paulo, que - Rádio Cidade também expediu pare- Bar do Wilson cer rejeitando-as. Agora são duas Para ler a versão on-line no Facebook, basas contas de Mané reta entrar no grupo do Jornal A Balsa: https://www.facebook.com/groups/ provadas pela egrégia Câmara... 2005 e 2006. 285929314875327/ Para ficar bem claro, a Lei Ficha Limpa é quem regulamenta os casos de inelegibilidade, prazos de cessação

blicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, salvo se esta houver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário, para as eleições que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do art. 71 da Constituição Federal, a todos os ordenadores de despesa, sem exclusão de mandatários que houverem agido nessa condição”. Ou seja, como as contas de 2005 (assim como as contas de 2006) do ex-prefeito foram reprovadas por conterem atos dolosos de improbidade administrativa, Mané amarga-

AQUI OUVIMOS, VEMOS E FALAMOS. AQUI A JIRIPOCA VAI PIAR!!!!!!

Cacá Alberti Jornalista Responsável

e determina outras providências, para incluir hipóteses de inelegibilidade que visam a proteger a probidade administrativa e a moralidade no exercício do mandato, especifica em sua alínea G: “os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções pú-

por unanimidade a conta de um prefeito... Atenção, muita atenção Com a nova ciclovia no Perequê e o novo traçado do trânsito, tanto ciclistas como motoristas devem multiplicar a atenção no trânsito. Saídas dos estacionamentos assim como pontos críticos (posso citar como exemplo a esquina do Bar do Aldinho) tornaram-se locais de grande perigo para os incautos que não olharem para os dois lados antes achando que a preferencial é sempre sua. Pesquisas... mas já? E em menos de 2 semanas fui entrevistado em duas pesquisas cujo foco principal é a eleição municipal de 2016. Até aí, tudo bem, mas um pouquinho de metologia científica não faz mal a ninguém ou a coisa acaba descambando e essas “pesquisas” acabam virando moeda de troca.

rá mais uma inegibilidade de 8 anos, não podendo assim se candidatar a nenhum cargo público neste período. Parabéns a todos os vereadores de Ilhabela, que acompanharam o parecer do TCE e pela 1a. vez na História do município, rejeitaram

TELEFONES ÚTEIS Associação Comercial

3895-7102 Associação de Hotéis

3895-1041 Balsa Hora Marcada

0800 773 3711 Banco Bradesco

3896-1240 Banco do Brasil

3895-1276 Banco Caixa Econômica F.

3896-9300 Banco Itaú

3896-6168 Banco Santander

3896-9100 Biblioteca Municipal

3896-2555 Bombeiros

3895-1045/6118 Câmara Municipal

3896-9600 Cartório de Notas

3896-2509 Ciretram Ilhabela

3896-1599 Correios

3896-2437 Delegacia de Polícia

3895-8564 Elektro

0800 701 0102 Fórum

3895-8718 Guincho - Resgate

3896-1870 7850-5547 Hospital Municipal

0800 757 9000 Polícia Ambiental

3862-0811 Polícia Militar

3895-8562 Polícia Rodoviária

3883-1048 Poupatempo Caraguá

0800 772 3633 Prefeitura Municipal

3896-9200 Receita Federal

3891-2600 Rodoviária de Ilhabela

Expediente Cacá Alberti MTB: 42587 Editor e Jornalista Responsável

Fone: 8112-7739 tiragem - 6.000 Exemplares Periodicidade - Quinzenal E-mail: jornalabalsa@yahoo.com.br

A BALSA - Ed. 47.pmd

2

É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer matéria sem prévia autorização do editor. Matérias que não estão assinadas tem como fonte a Comunicação da Prefeitura Municipal de Ilhabela. O jornal A BALSA é uma publicação da Em Pauta Comunicações Ltda CNPJ: 09.008.023/0001-17

20/08/2013, 18:12

3895-8247 Rodov. de S. Sebastião

3892-1072 Sabesp

3896-3264 Santa Casa de Ilhabela

3896-1710 Viação Fênix

3895-8321


Câmara derruba Parecer e continua discussão sobre Proibição de Bebidas em logradouros de Ilhabela Os vereadores de Ilhabela derrubaram por seis votos a dois o parecer da Comissão de Justiça e Redação,formada pelos vereadores Dr. Thiago Santos (PSDC), Luizinho da Ilha (PTdoB) e Adilton Ribeiro (PSD), contrário ao Projeto de Lei 39/2013, que “Dispõe sobre a proibição do uso de bebidas alcóolicas nos logradouros da cidade” durante a sessão ordinária desta terça-feira (13/ 8). Os autores do projeto, Prof. Valdir Veríssimo (MD), Sampaio Junior (PTdoB) e Dra. Rita Gomes (PTdoB), apresentaram recurso ao Plenário, contestando o Parecer da Comissão de Justiça e Redação, que apontava em suma, inconstitucionalidade, confronto com o Código Civil e falta de clareza quanto à punição que será imputada ao cidadão infrator. O recurso dos edis, pautado na análise técnica da Procuradoria Jurídica da Câmara, destacou que o artigo 30 da Constituição Federal rege que o município pode legislar sobre assuntos de interesse local e suplementar legislação federal no que couber. Além disso, os autores do Projeto ressaltaram que “a matéria não proíbe a venda, nem tampouco o consumo de bebidas, apenas regulamenta”. O PL 39/2013, de autoria dos vereadores proíbe o uso de bebidas alcóolicas em calçadas, ruas, avenidas, servidões e caminhos de passagem, praças, ciclovias, pontes, píeres, pátios e estacionamentos de estabelecimentos comerciais que estejam conexos à via pública e que não sejam cercados, além de área externa de campos de futebol, ginásios, quadras e espaços esportivos, repartições públicas e adjacências

A BALSA - Ed. 47.pmd

3

Vereadores derrubam veto, transferem bens e aprovam Títulos de Cidadão Honorário em Extraordinária Leninha Viana/CMI

Os vereadores de Ilhabela realizaram sessão Extraordinária na última terça-feira (13/8) onde deliberaram sobre dois vetos, um projeto de Lei que transfere bens para o Executivo e seis projetos de Decreto Legislativo que concedem Títulos de Cidadão Honorário de Ilhabela e de Gratidão Caiçara. Os parlamentares derrubaram o veto total ao PL 20/2013, de autoria do vereador Luizinho da Ilha (PCdoB), que “Declara como de relevante interesse social, econômico, histórico, cultural, turístico e ambiental os ranchos de pesca artesanal localizados no município”. Na discussão da matéria, o vereador Prof. Valdir Veríssimo levantou a questão de que o Plano Diretor deixa claro que os ranchos podem ser protegidos e, que neste sentido, o vento enviado pelo Executivo seria “equivocado”. “O projeto do Luizinho não é tombamen-

to. Esse projeto não passa pela minha comissão, mas embora já tenha recebido os demais pareceres, é possível refletir e votar de uma forma diferente”, salientou. Diante do argumento apresentado por Veríssimo, os demais vereadores resolveram rejeitar os pareceres e se posicionaram contrários ao veto, com exceção do vereador Dr. Thiago Santos (PSDC) que se absteve da votação. Já o veto parcial ao projeto que cria o programa Bolsa-Orquestra (PL 24/2013) de autoria do próprio Executivo, foi mantido, com abstenção dos edis Prof. Valdir Veríssimo (MD) e Sampaio Junior (PTdoB). Outra aprovação da noite foi o projeto de Lei 48/2013, que transferiu para o Executivo três veículos, mobiliários e equipamentos de informática que não tinham mais utilidade para o Legislativo. Homenagens

20/08/2013, 18:12

A Extraordinária foi marcada ainda pela aprovação de seis projetos de Decreto Legislativo, que concedem Títulos de Cidadão Honorário de Ilhabela e de Gratidão Caiçara, honrarias entregues tradicionalmente durante a Sessão Solene do Aniversário da cidade. Luizinho da Ilha (PCdoB) propôs o Título de Cidadão Honorário ao velejador Beto Pandiani, que ganhou o mundo com expedições marítimas a bordo de veleiros e escolheu Ilhabela para ser seu “Porto Seguro”. Outra pessoa que será homenageada pelo parlamentar é a professora Lygia Pannocchia, frequentadora assídua e proprietária de residência em Ilhabela há mais de 50 anos, responsável por diversas ações beneméritas na cidade. A vereadora Professora Dita (PTB) apresentou a proposta de concessão do título de Gratidão Caiçara ao senhor Vicente Molinari Neto, filho de Ilhabela

que se destacou no cenário esportivo mundial como mergulhador e caçador submarino. Já a professora Silvana Maria de Luca, referência no ensino ambiental e na divulgação do município por meio do cultivo de orquídeas, foi a escolhida pela parlamentar para receber o Título de Cidadã Honorária. O vereador Professor Valdir Veríssimo (MD) indicou o título de Cidadão Honorário de Ilhabela para o sindicalista, ex-vereador, exprefeito de Guarulhos e ex-deputado estadual Sebastião Almeida, responsável pelo decreto que declara Guarulhos e Ilhabela como “cidades irmãs”. Já a presidente da Casa, vereadora Gracinha Ferreira (PSD), apresentou proposta de concessão do Título de Cidadão Honorário de Ilhabela ao professor Antônio Cornélio de Moraes Filho, ex-secretário de educação da cidade e filho de família tradicional do arquipélago, tendo nascido, por conta de complicações na gestação, na cidade de São José dos Campos. Os projetos foram aprovados por unanimidade e os seis homenageados receberão a honraria no dia 3 de setembro, durante a Sessão Solene em comemoração aos 208 anos de emancipação político-administrativa de Ilhabela.


A Prefeitura de Ilhabela promoveu uma Audiência Pública para apresentar e discutir o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, na tarde da última quinta-feira (15/8), na Câmara Municipal. O plano tem o objetivo de ordenar a questão dos resíduos sólidos gerados no município, desde a sua geração até o seu tratamento final, tendo como objetivo mudar costumes e maneiras de consumo da população, diminuir a geração de resíduos, segregar orgânicos e recicláveis e resguardar o meio ambiente para melhorar a qualidade de vida. Atualmente, a população local produz em média 28,9 toneladas de resíduos sólidos urbanos por dia e a previsão é que, em 2022, este número seja de 48,9 toneladas diárias, conforme estimativa levantada pela Prefeitura. O consultor ambiental Victor da Silva Santos apresentou o diagnóstico pelo qual a Prefeitura se baseou para propor o Plano, destacando inclusive uma análise gravimétrica do lixo domiciliar. Apontou que alguns bairros não estão fazendo corretamente a separação do lixo reciclável, que é prensado e vendido, gerando renda para diversas famílias associadas do Centro de Triagem. O plano recebeu algumas sugestões durante a audiência, que contou com a participação de cerca de 80 moradores de Ilhabela; da coordenadora Esméria Regina; dos associados do Centro de Triagem; representantes do Parque Estadual e do Instituto Ilhabela Sustentável e de representantes do Legislativo e do Executivo municipal. Com relação à responsabilidade dos resíduos gerados, a Lei da Política Nacional do Meio Ambiente (Lei nº 6.938/81) estabelece o princípio do “poluidor-pagador”, no qual cada gerador é responsável pelo manuseio e destinação final do seu resíduo gerado. “Esta audiência é uma exigência legal para a aprovação do Plano de Resíduos e o município realmente está aberto para receber sugestões a serem acrescidas de modo a aperfeiçoá-lo” explicou o Chefe de Gabinete, Julio Cezar De Tullio, que acrescentou que esta não é a última discussão e a Secretaria do Meio Ambiente ainda programará outros encontros sobre o assunto com as pessoas interessadas em contribuir com o plano.

A BALSA - Ed. 47.pmd

4

Consema faz audiência pública em Ilhabela e revisão do Gerenciamento Costeiro do LN terá novas discussões Foto: Cacá Alberti/A Balsa

O Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) promoveu na noite da última segunda-feira (12/8) em Ilhabela uma audiência pública para discutir a “Proposta de Zoneamento Ecológico-Econômico para o município”, de responsabilidade da Coordenadoria de Planejamento Ambiental-CPLA, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Trata-se da revisão do chamado “Gerenciamento Costeiro do Litoral Norte”. Mais de 500 pessoas participaram da audiência realizada no ginásio de esportes, no bairro Itaquanduba. Foram mais de quatro horas de discussão e a maioria dos presentes se posicionou contrária às alterações propostas no Grupo Setorial do Gerenciamento Costeiro, formado por representantes do Governo do Estado, Prefeitura e sociedade civil. O grupo vem trabalhando

desde 2010 na revisão do texto do decreto estadual e este ano iniciou os trabalhos de revisão do mapa. Representantes de diversas entidades se manifestaram ao longo da audiência, bem como moradores de comunidades tradicionais como Bonete e Castelhanos, todos contrários às alterações no mapa. Também houve a participação da promotoria estadual e federal. O prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, disse que o mapa apresentado cumpriu um cronograma exigido pelo Estado. “Não existe a cidade que o prefeito quer, mas a cidade que todos nós queremos para os próximos 10 anos. Defenderemos sempre a vontade da maioria, a vontade das comunidades tradicionais. Seguimos um cronograma e hoje acontece esta discussão com a sociedade de

20/08/2013, 18:12

Ilhabela”, disse Colucci. Para o prefeito, o decreto precisa definir zonas especiais nas comunidades tradicionais. Ela ainda falou da possibilidade de expansão da indústria do turismo. Antes de encerrar, Colucci também manifestou que irá cobrar a conclusão do Plano de Manejo do Parque Estadual de Ilhabela. Ao final da audiência, o biólogo Luiz Roberto de Oliveira, o Bepo, coordenador do Gerenciamento Costeiro de São Paulo pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente, salientou que o grupo setorial vinha trabalhando há dois anos na minuta do decreto e que num determinado momento considerou que estava pronto para avançar. “Ficou claro o que a população de Ilhabela quer, a valorização das comunidades tradicionais”, enfatizou o coordenador. Ele destaca

que, após esta audiência, outras reuniões serão realizadas nos municípios, com a participação de outras entidades com vivência no setor para discutir tecnicamente determinadas questões. “Depois disso teremos novas audiência públicas com novas propostas, seguindo para uma avaliação regional de todo o litoral paulista e ao Consema”, explicou. O decreto atual do Zoneamento Ecológico-Econômico do Litoral Norte Paulista vence em dezembro de 2014. Audiências como a realizada na última segundafeira em Ilhabela serão promovidas nos demais municípios da região. Entenda o ZEE O Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE) ou Gerenciamento Costeiro é composto por um mapa em que se visualiza o zoneamento da região e de um decreto estadual, no qual constam as normas que balizam este zoneamento. O Grupo Setorial vem trabalhando desde 2010 na revisão do texto do decreto e este ano iniciou os trabalhos de revisão do mapa. O processo de revisão do mapa abrange um trabalho de análise dos dados de diagnóstico, verificados nos últimos 10 anos e cotejados com os planos setoriais e políticas públicas incidentes na região, de forma a projetar cenários de sua evolução para os próximos 10 anos, prazo de vigência do ZEE.


Colucci acompanha Grupo de dança de Ilhabela é o destaque diretor do DER em do Brasil no Mundial de Hip-Hop nos EUA vistoria às obras da Primeiramente, queremos formar cidadãos, Estrada dos Castelhanos pessoas de bem, com O prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, acompanhou na tarde da última quintafeira (8/8) o diretor da Regional Taubaté do DER (Departamento de Estradas e Rodagens), Antonio Moreira Junior, em uma vistoria às obras de recuperação da Estrada Parque dos Castelhanos (SPA 04-131). Também participaram da visita o chefe da Defesa Civil, Walter Faustino, o diretor de Comunidades Tradicionais, Gerson Margarido, e a diretora do Parque Estadual de Ilhabela, Joana Fava Alves Cardoso, além de técnicos da Fundação Florestal e representantes da TCL, construtora contratada pelo Estado para a execução dos serviços. O grupo vistoriou as principais intervenções, como a estruturação da base da estrada, pontos de contenção e, principalmente, as canaletas de drenagem ao longo de todo o percurso. O investimento é de R$ 4,3 milhões e os trabalhos seguem em ritmo acelerado com homens, máquinas e caminhões ao longo da estrada e com alguns pontos de pare e siga. A obra inclui a contenção de encostas, drenagem com linhas de tubos para controlar as saídas de água, perenização com solo-brita do trecho do cume até a praia. No mês passado, a estrada foi interditada por um dia para a reforma da primeira ponte, que fica antes da guarita de controle. O projeto da estrada passou pelo Conselho Consultivo do Parque Estadual. O primeiro trecho da estrada já havia passado por melhorias em 2011, com investimento de R$ 3 milhões. A estrada de terra tem pouco mais de 17km e dá acesso à Praia dos Castelhanos, a maior do arquipélago com cerca de 1,8 km de extensão e localizada a extremo leste. É um dos pontos turísticos mais visitados da ilha, onde vive uma comunidade tradicional caiçara com mais de 200 pessoas.

saúde e alegria, sempre. A dança nos proporciona isso e é o que queremos levar para todos os nossos alunos”, ressalta Kléber.

O grupo “Dança de Rua é Arte”, de Ilhabela, alcançou o 38° lugar no Mundial de HipHop, realizado entre os dias 6 e 11 de agosto, em Las Vegas, nos Estados Unidos. A equipe participou da competição na categoria juvenil (dos 10 aos 17 anos) com outras três equipes brasileiras e mais 45 grupos de hip-hop. Estreante na competição, o “DRA” ficou com a melhor colocação entre os grupos brasileiros. As outras três equipes nacionais já disputaram o torneio em três oportunidades. Ao todo, o evento reuniu 21 países, com 2,5 mil dançarinos, 250 grupos e 40 coreografias. O grupo ilhabelense é formado por dançarinos do projeto “Dança de Rua é Arte”, idealizado pelo coreógrafo Kléber Moreira, e

desenvolvido pela Fundaci (Fundação Arte e Cultura de Ilhabela), com o apoio da Prefeitura de Ilhabela. Campões da etapa nacional em Belo Horizonte (MG), o grupo garantiu vaga para o mundial, levando cinco atletas do arquipélago para a disputa. E quem teve a reponsabilidade de levar o nome do país e do município na competição foram os dançarinos: Henrique dos Santos Oliveira (10 anos), Thayana Leandro dos Reis (13), Fernanda de Macedo Renzo (15), Gabriella Souza Silva (16) e Mascionilia Beatriz da Silvera (17). “Dança de Rua é Arte” O trabalho começou há 15 anos, mais precisamente, em 1998, no município de Ilhabela. Naquele ano

Ponte de madeira Um dos temas discutidos pelo grupo durante a vistoria na última quinta-feira foi a construção de uma pequena ponte de madeira, com cerca de 4,5 metros de largura, para passagem de veículos, ciclistas e pedestres, o que evitaria os constantes danos ambientais no Ribeirão dos Castelhanos. Atualmente, veículos e motos passam por dentro do leito do rio, o que tem provocado o assoreamento e o alargamento das margens, além da morte de peixes e plantas. Segundo o prefeito Toninho Colucci, a ponte de madeira - construída de maneira artesanal - evitaria tais danos, como também proporcionaria o acesso mesmo em dias de cheia do rio e alta da maré. Ele salienta ainda que a Prefeitura pretende utilizar uma área pública de aproximadamente 5 mil metros quadrados para estacionamento, evitando que veículos trafeguem pela praia. O projeto da ponte de madeira será discutido no Conselho Consultivo do Parque, apesar deste trecho não estar na área do Parque Estadual. Cabe ressaltar que ao longo da estrada já existem pontes de madeira.

A BALSA - Ed. 47.pmd

5

20/08/2013, 18:12

surgia o projeto “Dança de Rua é Arte”, idealizado e desenvolvido pelo coreografo Kléber Moreira. O objetivo era levar a Dança de Rua para as comunidades do arquipélago, inserindo cultura e arte. Foi mais que isso. O projeto chegou a contar com 900 alunos de todas as idades e em diversos bairros do município e foi sucesso entre alunos de 6 a 60 anos. Em 2009, as atividades foram mais constantes e presentes em toda a cidade. Atualmente, o projeto alcança todos os bairros do município, com aulas de Dança de Rua, Dança Sociais e com aulas de dança para a terceira idade, com aproximadamente 600 alunos atuantes. “O principal objetivo do trabalho é a questão da cidadania.

Participe As aulas de dança de rua são realizadas em todos os bairros do município, todos os dias (exceto aos finais de semana), em horários diferenciados e os alunos podem participar dos 6 aos 25 anos. Já as danças sociais tem suas aulas também todos os dias, em horários variados, nos bairros da Água Branca, Gren Park e no Centro Cultural “Prefeito Roberto Fazinni”. A Terceira Idade também está presente e conta com aulas às terças e quintas-feiras, das 9h às 12h, e com alunos a partir dos 60 anos. Quem ministra as aulas são os professores: Kléber Moreira, Camila Santos, Marcos Rodrigues e Fábio Henrique. Todos os professores são funcionários da Prefeitura de Ilhabela, e contam com o apoio da Fundaci (Fundação Arte e Cultura de Ilhabela).


Ilhabela apresenta proposta oficial para ser sede da Copa São Paulo de Futebol Júnior O radialista João Zanforlim, o chefe Município será o primeiro no Litoral Norte a receber a competição de Gabinete da Prefeitura de Ilhabela, que começa em janeiro Julio Cezar De Tullio, o presidente da Federeção Paulista, Marco Polo Del A cidade de Ilha- Federação Paulista de nicipal, no Itaquandu- de de recebermos uma bela poderá ser sede da Futebol (FPF), Marco ba e o Polo de Educa- grande equipe. É ótima Nero Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2014. A Prefeitura de Ilhabela, representada pelo chefe de Gabinete, Julio Cezar De Tullio, protocolou o ofício na manhã da última segundafeira (12/8) na sede da Federação Paulista de Futebol, em São Paulo. A decisão definitiva deve acontecer até o fim deste mês, mas o município tem ótimas chances. A Copa São Paulo é a maior competição de categorias do futebol nacional. Julio Cezar De Tullio, esteve reunido com o presidente da

Polo Del Nero, o vicepresidente do Departamento de Competições da Federação Paulista, coronel Isidro Suita Martinez, juntamente com o presidente da Comissão de Arbitragem e diretor de Segurança e Prevenção da Federação Paulista, coronel Marcos Cabral Marinho de Moura, e o major Lídio Costa Junior. No último dia 1º, representantes da Federação Paulista de Futebol visitaram o município e aprovaram as condições estruturais para a cidade receber a competição. O Estádio Mu-

ção Integrada de Ilhabela, o PEII, na Barra Velha, passarão por alguns ajustes para receber os jogos. O documento enviado a Federação ressalta o desejo do município em receber equipes de grande expressão da região Sul e Sudeste. Flamengo, Fluminense, Palmeiras, São Paulo, Corinthians, Vasco, Botafogo, AtléticoMG, Cruzeiro, Internacional e Grêmio, estão entre os favoritos. “Esperamos que a Federação Paulista confirme Ilhabela como uma das sedes. Há a possibilida-

oportunidade para movimentarmos o município em todos os aspectos, além da divulgação espontânea na mídia, principalmente, com os jogos televisionados”, concluiu Cezar De Tullio. Em 2014, a Copa São Paulo deve reunir 98 equipes, divididas em 24 sedes. Atletas com até 19 anos podem participar. A competição serve como vitrine para as novas revelações do futebol brasileiro. A final será realizada no dia 25 de janeiro, no estádio do Pacaembu.

Gastronomia Moqueca de Garoupa e Camarão com pirão

Ingredientes

Alho Colorau (semente de Moqueca: 2 kg de garoupa em urucum em pó) Pimenta do reino branpostas 1 kg de camarão médio ca Noz moscada sem casca Suco de 1 e 1/2 limões 2 tomates sem pele e sem sementes picados grandes 2 colheres (sopa) de 2 litros de água amido de milho Cebola

A BALSA - Ed. 47.pmd

6

1 pimentão grande picado 1 pimenta malagueta ou dedo de moça sem semente Ramos de alfavaca picados Cheiro verde Azeite de dendê Leite de coco

para temperar nos 2 litros de água, com o suco de limão e sal a gosto Em seguida, refogue em parte do azeite de dendê primeiro a cebola, depois o alho, acrescente o colorau, a pimenta-do-reino e a noz-moscada, pois só assim eles se dissolvem uniformemente pelo prato Adicione os tomates, acerte o sal e refogue por alguns minutos Adicione os 2 litros de água usados para temperar o peixe e o camarão Enquanto espera ferver, dissolva as 2 colheres de amido de milho em um pouco de água fria Sal a gosto e acrescente quando Pirão: levantar fervura 2 a 3 xícaras de farinha Sem parar de mexer, de mandioca você perceberá que o Azeite de dendê caldo irá começar a enCaldo da moqueca grossar, sendo que a espessura do caldo é Modo de preparo: você quem determinaInicialmente, coloque rá acrescentando ou as postas e o camarão não mais água (só não

20/08/2013, 18:12

pode ficar grosso demais para ao peixe poder cozinhar) Acrescente o azeite de dendê restante (reservando um pouco para o pirão) e o leite de coco e mexa bem É hora de colocar as postas e o camarão Lembre-se que o peixe e o camarão têm o cozimento rápido, no máximo 10 a 15 minutos, dependendo da potência da chama de seu fogão No final do cozimento coloque o pimentão, a pimenta e os ramos de alfavaca e o cheiroverde picados Espere levantar fervura e prove o sal Pirão Refogue a farinha de mandioca em um pouco de azeite de dendê, acrescentando o caldo da moqueca aos poucos Acerte a espessura que desejar, prove o sal e está pronto


A BALSA - Ed. 47.pmd

7

20/08/2013, 18:12


Circulando no Festival do Camar達o, na Vila...

A BALSA - Ed. 47.pmd

8

20/08/2013, 18:14


A Balsa ed 47