Page 1

JORNALZEN ANO 9

SETEMBRO/2014

AUTOCONHECIMENTO

Nº 115

BEM-ESTAR

R$ 2,00

www.jornalzen.com.br

CIDADANIA

CULTURA

Heloísa Capelas Pág. 3

Pág. 6

CULTURA DE LETRAS Pág. 10

TESOUROS DA VIDA Pág. 11

SAÚDE

Mostra em SP contribui para cultura de paz

ZENTREVISTA

MOMENTO DE REFLEXÃO

A biblioteca do Centro Universitário Senac-Santo Amaro, em São Paulo, recebe até 4 de outubro a exposição Brasil e Holanda – Paz e Justiça. A ação cultural foi desenhada para ser apresentada em cidades-sede da Copa do Mundo e possibilita mostrar ao público que a relação entre Brasil e Holanda vai muito além do futebol, abrangendo uma vasta herança cultural compartilhada e focada em temas como justiça internacional, direitos humanos e educação para uma cultura de paz. A mostra é aberta ao público, de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h horas, e aos sábados, das 8 às 17 horas. O Centro Universitário Senac-Santo Amaro fica na Avenida Engenheiro Eusébio Stevaux, 823.

Pensamentos de

Padre Haroldo Pág. 7

Viva Bem Pág. 14

BEM NUTRIR Pág. 15

ARTIGOS

Abordagem ayurvédica para uma vida saudável Pág. 2

Danças circulares e inclusão Pág. 10


JORNALZEN

2

Abordagem ayurvédica para uma vida saudável Rose Marques

O

termo ayurveda é a junção de dois termos sânscritos: ayur, vida; e veda, ciência, sabedoria ou conhecimento. Esta tradição indiana possui cerca de 5 mil anos de história e um grande acervo literário com instruções preciosas que pautam o trabalho de médicos e terapeutas na Índia e em várias outras partes do mundo, inclusive no Brasil. A racionalidade desta ciência baseia-se nos cinco elementos: éter, ar, fogo, água e terra que são componentes presentes em todas as formas de vida do planeta. O ar se conecta com o magnetismo ao adentrar o organismo por meio da respiração e governa todos os movimentos sensoriais e motores e percorre os canais por onde circulam as substâncias que precisam ser levadas de um ponto ao outro, encaminhando essa condução. A água é um solvente químico básico e está presente no sangue, fluido cérebro-espinhal, secreções glandulares, saliva, urina, suor, etc. A terra está representada pelos minerais, mantém e lubrifica todas as estruturas rígidas do corpo, enquanto o fogo mantém a temperatura corporal, as enzimas digestivas, aminoácidos e todos os processos metabólicos. Os três princípios que comandam todas as funções biopsicoenergéticas é chamado sistema tridosha: Vata, Pitta, Kapha. Por definição, dosha é “combinação de elementos”. Da união do elemento éter com o ar surge o dosha Vata. A junção do fogo com a água, Pitta; e da combinação água com terra, Kapha. Os doshas estão associados ao prâna, energia cósmica que está presente em todos

os processos biológicos, ativa a inteligência celular, faz a troca de gazes, comanda a atividade metabólica e a imunidade. Todos os seres carregam dentro de si uma porção de cada um dos doshas, em uma combinação única tal qual o DNA. A qualidade presente em cada elemento direciona de certo modo, as reações emocionais e mentais além de criar a dinâmica necessária para que o organismo mantenha a estabilidade das estruturas (músculos, artérias, ossos, etc.), temperatura, oxigenação das células e a quantidade correta de água para hidratar todos os tecidos corporais. Tais qualidades estão sujeitas a desequilíbrios em função dos hábitos alimentares, sedentarismo, ansiedade e estresse, etc. O perfeito funcionamento dos doshas depende do estilo de vida, alimentação adequada e equilíbrio emocional. Os ensinamentos milenares do ayurveda ampliam a disposição física e energética, o aumento da imunidade e a melhora da função dos órgãos dos sentidos. O tratamento é composto de minucioso exame para identificar os desequilíbrios, seguido de sessões de massagens, sugestões de alimentação, dieta de desintoxicação, bem como uso de ervas para auxiliar no processo de reequilíbrio. As massagens são feitas com óleos vegetais aquecidos e especialmente medicados com ervas e óleos essenciais. Entre os benefícios destaca-se o relaxamento da musculatura, o alivio de dores, a melhora da circulação sanguínea, da digestão e do sono. Conheça esta arte de cuidar da saúde com terapias que promovem a saúde e o bem-estar. Rose Marques é terapeuta ayurvédica

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

DIRETORA Silvia Lá Mon EDITOR Jorge Ribeiro Neto JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508

Informar para Transformar TELEFONES Redação (19) 3324-2158 Comercial (19) 3044-1286 contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br

circulação: Campinas, Indaiatuba, Holambra, Hortolândia, Valinhos e Vinhedo; Vila Madalena (SP)

SETEMBRO/2014

AGENDAZEN CAMPINAS CONSTELAÇÃO FAMILIAR 23 e 30/9 (terças-feiras), das 20h às 22h – workshop com Antonio Carlos Dornellas de Abreu (Toni), no IPEC - Instituto de Pesquisa e Estudo da Consciência (Rua Monte Azul, 85 - Chácara da Barra). Mais informações: (19) 3252-1565, ipec. campinas@terra.com.br ou www. ipec-transpessoal.com.br FENG SHUI 19/9, às 19h30 – palestra “Feng Shui e a Prosperidade”, com a consultora Mari Geuer, no espaço Hikari (Rua Eng. Edward de Vita Godoy, 828 - Barão Geraldo). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3324-6904 ou 992146726 ou contato@marigeuer.com HILDEGARDA DE BINGEN 12/9, das 14h30 às 15h30 – encontro sobre a vida e obra da Santa, no anfiteatro da Casa de Saúde (Rua Duque de Caxias, 705 - Centro). Aberto ao público. Mais informações: (19) 37363493, grupoviriditas@gmail.com ou jardinsdehildegarda.blogspot.com.br QUALIDADE DE VIDA 25/9, das 8h30 às 10h – palestra

“Criando tempo para viver melhor”, com Bernadete Mattos, no auditório do Museu da História Natural (Rua Coronel Quirino, 2 - Bosque dos Jequitibás). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3295-5850 e 3251-9849 YOGA DANCE 27/9, às 11h – aula inaugural com a professora Andréa Souza, no Espaço Castro Alves (Rua Castro Alves, 298 Taquaral). Aberto ao público. Inscrições e mais informações: (19) 3044-1286 ou espacocastroalves@gmail.com

INDAIATUBA YOGA 4/10, das 9h às 12h30 – 5º Yoga é União, na Arena Clube 9 de Julho (Avenida Presidente Vargas, 2.000 - Vila Homero). Palestras e práticas. Entrada: 1 litro de leite. Mais informações: (19) 3875-9833

SÃO PAULO FLORAIS 23 a 27/9 – Semana de Terapia Floral de Bach, no Instituto Avalon (Avenida Liberdade, 702). Aberto ao público. Mais informações: (11) 3341-6010 ou www.institutoavalon.com.br


SETEMBRO/2014

JORNALZEN

A

ZENTREVISTA Heloísa Capelas

brir mão de uma carreira estável e migrar para outra, focada no desenvolvimento humano. Passados quase 20 anos, Heloísa Capelas não se arrepende do ato de coragem que a levou a sair do Banco do Brasil, onde começou a trabalhar aos 18 anos. Graduada em Assistência Social e pós-graduada em Administração com ênfase em Recursos Humanos, ela está à frente do Centro Hoffman, instituto internacional focado em despertar o autoconhecimento e a qualidade de vida. Heloísa também é terapeuta familiar e coach. Conferencista internacional, ministra palestras sobre temas como liderança e relacionamentos. Nesta entrevista ao JORNALZEN, Heloísa Capelas fala sobre sua trajetória profissional, os benefícios do método Hoffman e afirma que a melhor maneira de permanecer ligado à espiritualidade é a partir da respiração. A partir de sua experiência profissional, quais premissas devem ser levadas em conta na busca pela felicidade? Ter consciência de tudo o que somos e de como nos constituímos é o melhor caminho para que possamos alcançar a felicidade tal como a enxergamos. Em meu mais recente livro, O Mapa da Felicidade, falo essencialmente sobre esse assunto. É preciso resgatar a sua própria história para que consiga descobrir quais das suas escolhas têm trazido consequências positivas e quais deixam a desejar. Da mesma forma, é necessário identificar onde, como e com quem aprendeu esses comportamentos cujos resultados têm sido pouco positivos, para que possa desaprendê-los e iniciar novos comportamentos. Quando tem essa consciência, você se torna apto a perdoar a si mesmo pelo o que não deu certo, o que também é essencial para a felicidade. A partir de todas essas informações sobre si mesmo e novas habilidades que nascerão a partir do seu desejo em ser feliz, você descobrirá o que a felicidade significa de fato para você e saberá como e o que fazer para desfrutá-la diariamente. Qual o conceito básico e os diferenciais do método Hoffman? É um treinamento intensivo de autoconhecimento e reeducação emocional reconhecido mundialmente por sua eficácia em quesitos como melhores índice de bem-estar, empatia, liderança, entre muitos outros aspectos. Ele foi criado por Bob Hoffman na década de 1960. Em São Paulo, tenho estado à frente do curso há mais de duas décadas. Em essência, o curso propõe a integração das quatro inteligências do ser (emocional, intelectual, intuitiva ou espiritual e corporal) como caminho para que se possa viver uma vida mais plena e harmoniosa. A partir do resgate da própria história, o aluno que passa pelo curso tem a oportunidade de identificar as programações mentais e comportamentais que têm prejudicado seu caminho,

3

O MAPA DA FELICIDADE Para especialista em desenvolvimento humano, o autoconhecimento é ferramenta essencial para o equilíbrio emocional e a qualidade de vida Divulgação

para que possa afastá-las e criar, então, novas e mais positivas maneiras de se relacionar consigo mesmo e com o mundo ao redor. Por que é importante desenvolver as inteligências emocional e espiritual para lidar com relacionamentos? Por muito tempo olhamos só a inteligência intelectual e as inteligências emocionais e espirituais ficaram de lado. No entanto, integrar todas essas inteligências é crucial para que se possa viver com maior satisfação, inclusive nos relacionamentos. Quando queremos mudar e não sabemos como, surgem conflitos internos. Minha cabeça diz uma coisa e meu sentimento outra, vem o medo do novo, a insegurança, o pensamento de que não sou capaz, a paralisia e, o pior, surgem as doenças por conta da fragilidade emocional. As

pessoas se tornam incapazes de ouvir sua própria intuição. Então, para que se possa melhorar uma relação, é mesmo necessário integrar todas essas inteligências, afinal não se pode mudar o que você nem percebe em si mesmo. As incertezas e dúvidas fazem parte de todo processo de mudança e nada acontecerá se você não se mexer para procurar algo novo. O autoconhecimento, portanto, é a chave para que se possa perceber e afastar as insatisfações a partir de novas escolhas que tragam resultados positivos. É um caminho de tentativas e erros, não há mágica, a única saída é começar a ‘fazer diferente’. Como conseguir um efetivo estado de equilíbrio emocional? O equilíbrio emocional também requer autoconhecimento. Se você sente que uma área da sua vida está

“O perdão é uma poderosa ferramenta de revolução interna”

descompensada, ou seja, que algo vai mal nesse departamento, mas não consegue identificar o que precisa ser feito ou mesmo a origem dessa sensação, é bom ligar o alerta e questionar a si mesmo. O equilíbrio vem da consciência que você tem sobre si próprio. Qual comportamento tem causado esse “problema”? O que pode ser melhorado? Como pode ser melhorado? Se você responder essas perguntas com honestidade, saberá modificar a si mesmo para conquistar aquilo que deseja. Pessoalmente, adota alguma prática relacionada à espiritualidade? É importante enfatizar que, dentro da metodologia Hoffman, o termo espiritualidade não tem conotação religiosa. Ele designa uma das quatro inteligências do ser, ou seja, trata-se de uma das partes que nos compõe, ao lado das inteligências emocional, intelectual e física. A grande diferença, digamos assim, entre a espiritualidade e as outras inteligências é que ela já está pronta, ela nasce pronta, e não precisa ser trabalhada ou desenvolvida. O seu principal papel é manter nosso vínculo com a sabedoria inata que nos acompanha desde o nosso nascimento. Por isso, estar conectado à espiritualidade nos mantém abertos a ouvir a voz da intuição. Sendo assim, sempre digo que a melhor maneira de permanecer ligado à espiritualidade é a partir da respiração. Respirar com atenção e com consciência por alguns minutos permite que mantenhamos o foco em nós mesmos, de forma que nos tornamos aptos a ouvir e entender o que nosso ser espiritual está dizendo. Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? Desculpar a si mesmo pelos erros e pelas decisões que não deram certo é parte essencial do processo de transformação pessoal. Quando reconhecemos a nós mesmos, com sinceridade, abertura e sem julgamentos, invariavelmente detectamos comportamentos que temos repetidos à exaustão sem perceber que eles nos trazem prejuízos. A autocrítica excessiva em nada ajuda nesse processo. Falhar é humano. Se houver consciência disso e, principalmente, de que é possível evitar a repetição dos mesmos padrões que levam aos mesmos resultados, cria-se a oportunidade de transformação. Responsabilizar-se por si mesmo e pelas próprias escolhas requer capacidade de perdoar a si mesmo pelas eventuais falhas cometidas ao longo do caminho. O perdão é uma poderosa ferramenta de revolução interna.


JORNALZEN

4

Silvia Lá Mon la.monica@terra.com.br – cronicasdesilamon.blogspot.com

As Leis do futuro próximo Para quem está lendo esta coluna pela primeira vez, ou que ainda não entendeu porque estou escrevendo todo mês sobre uma Lei diferente, esclareço que estou descrevendo e interpretando neste espaço o Codex. Trata-se de um código que rege as leis da Quinta Dimensão e que foi canalizado por grupos espiritualistas. Nesta edição, darei início ao quarto capítulo, referente às Leis que regulam os ganhos, méritos, presentes e as energias de troca. A Lei da Credibilidade: ganhar, receber e aceitar o crédito pelo que se faz e recusar o crédito quando não se fez. A credibilidade é cumulativa em relação à energia e precisa estar alinhada com a consciência. “A maior parte de suas vidas neste plano e nesta dimensão é dedicada a adquirir energia de troca e isso compreende um conceito ao qual chamamos de credibilidade. É uma das Leis que regem as questões de

troca e significa ganhar, receber, aceitar o crédito pelo que se faz e recusá-lo quando não se fez. Muitos dos problemas relacionados à energia de troca referem-se a questões de credibilidade. Algumas vezes se faz mais do que a energia de troca proporciona e outras vezes, menos. A energia de troca será estável quando todos esses propósitos estão alinhados. A credibilidade é cumulativa em relação à energia. Se um ser recebe sempre mais por aquilo que fez, as energias sabem disso e se aproximarão menos dele. Seria uma questão de sintonia e de afinação. Devem ser claros e exatos em seus contratos sociais, pessoais, individuais e grupais, ao dizer e ao atestar a credibilidade. Cosmicamente falando, um ser tem seu ‘nome sujo’ quando ganha mais do que faz por merecer, em termos práticos, ou quando não aceita e não recebe, ou aceita e recebe menos do que executou. Isto também não está alinhado com os propósitos cósmicos.”

SETEMBRO/2014

PANORAMA FOTOS DE AMYR KLINK O Espaço Cultural Conjunto Nacional (Avenida Paulista), em São Paulo, sedia até o dia 2 de outubro exposição que reúne 30 fotografias do acervo do velejador Amyr Klink. Todo o material é montado em base sustentável, seguindo os princípios do projeto, de estimular a reflexão sobre consumo consciente. A entrada é aberta ao público. Mais informações: (19) 3256-4500. AGRICULTURA ORGÂNICA A 11ª Semana de Agricultura Orgânica de Campinas será realizada de 15 e 20 de setembro. A Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), no Jardim Chapadão, sedia a maior parte das atividades. No último dia, o Largo do Rosário (Centro) terá feira de produtos orgânicos e oficinas de compostagem, planejamento para produção e consumo responsável. Mais informações: (19) 3235-1566 ou acidadeorganica@gmail.com ALMOÇO BENEFICENTE A Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas realiza dia 13 de setembro almoço em prol do Centro Infantil Boldrini e da Creche da Tia Léa. O evento de gastronomia ibérica terá início às 12h, no salão Paço dos Nobres do Royal Palm Plaza. Haverá apresentação de fados, grupos folclóricos e arte flamenca. Convites pelo telefone (19) 3787-5115, com Cristina. CINEMA GRATUITO Indaiatuba receberá, de 29 de setembro a 3 de outubro, o projeto Conexão Cultural Tigre. Trata-se de um caminhão adaptado que oferece ao público filmes rodados em um telão de 120 polegadas. Até o dia 2, o Cinemóvel estará no Parque Temático (Jardim Monte Verde), e no dia 3, na Apae local (Alameda das Crianças, 100 – Vila Vitória), com sessões às 8h, 10h, 13h e 15h30. CONCURSO DE POESIA A Universidade São Judas está com inscrições abertas para concurso de poesia a alunos do ensino médio. A iniciativa é parte do Programa Comunidade, composto por ações sociais, culturais e esportivas. Gratuitas, as inscrições podem ser feitas, até 19 de setembro, no portal www.saojudaspoesia.com.br.


SETEMBRO/2014

JORNALZEN

5


JORNALZEN

6

MOMENTO DE REFLEXÃO JOÃO BATISTA SCALFI – scalfi@terra.com.br

Ação para harmonização Considerando-se que os sofrimentos são causados pelo desequilíbrio emocional e espiritual, que desarmonizam o fluxo da energia vital, permitindo a instalação das enfermidades físicas, mentais e morais. A forma eficaz para que cessem deve atingir o seu foco gerador, cujo comportamento interromperá a onda perturbadora. Na mente lúcida surgirá então a tranquilidade, encarregada de produzir a saúde, que se irradiará por todo o organismo, produzindo o equilíbrio. Muitas pessoas que, embora sem conhecimento das regras que promovem a harmonia íntima, gozam de saúde, apresentando-se bem dispostas e fortes. São esses, no entanto, fenômenos automáticos do organismo, que se contaminará ou não durante a existência, de acordo com a conduta moral e mental que se lhe imprima. A antiga sabedoria budista estabeleceu um sistema de meditação, pelo qual a saúde se instala e o sofrimento desaparece. Jesus, portador de equilíbrio pleno, considerava o amor como a causa única para a realização ideal do ser. A ausência do amor em Deus, ao próximo ou a si mesmo, produz a insatisfação, o desajuste, o desequilíbrio da energia, tornando-se fator causal de doenças e sofrimento. O desamor é, em realidade, uma doença, cuja manifestação se dá de imediato ou posteriormente, assinalando o ser com processos degenerativos da personalidade, que instalam no organismo os vírus e bacilos agressivos. A somatização dos problemas emocionais que decorrem da insegurança e do medo, da mágoa e do ódio, do rancor e do ciúme é responsável por graves patologias orgânicas, produzindo distonias emocionais e perturbações psíquicas. Quando o amor, conforme o conceito de Jesus, apossar-se do ser humano, vitaliza-o e irradia paz, gerando uma psicosfera rica de vibrações de equilíbrio, graças às quais a saúde se exterioriza de forma positiva, inundando a vida de esperança, de altruísmo e de realizações edificantes. O recolhimento interior, mediante meditação e análise profunda dos recursos ao alcance, favorece para que se encontre os meios que fazem cessar o sofrimento. No interior do diamante bruto, escuro e informe, fulgura uma estrela que aguarda ser arrancada a golpes de cinzel e lâminas lapidadoras. Assim é o ser humano, que precisa de um choque, um tropeço na vida para acordar e refletir. A vida é um permanente desafio, rica de oportunidades de crescimento nos seus profundos arcanos, que se revelam cada vez mais fascinantes e grandiosos. Por isso, não cessa o desenvolvimento dos valores intelectomorais do Espírito na sua faina de evoluir. Do pensamento à palavra, à ação, passo a passo se agiganta a intenção que se converte em realidade criadora, retributiva, desenvolvendo recursos de alta magnitude. Essa movimentação de energia positiva é saudável esforço para evitar-se o sofrimento ou dele libertar-se. Fonte: Plenitude (Divaldo Franco/Joanna de Ângelis)

SETEMBRO/2014

Doença de Alzheimer – uma marcante vivência Maria Carmen de Luca Menezes

C

om o avanço da neurociência e da tecnologia, estamos vivendo mais e com melhor qualidade de vida. A expectativa de vida hoje ultrapassa os 70 anos de idade. No entanto, os inevitáveis sinais do tempo também acompanham essa população: cabelos grisalhos (que insistem em serem loiros, ruivos, pretos...), dores no corpo, rugas (com botox ou sem) e as doenças características da idade que para muitas já tem tratamento adequado e com bons efeitos. Mas para as doenças que atingem o cérebro a ciência ainda não desenvolveu terapias eficazes principalmente para aquelas com perdas da memória e das funções intelectuais que interferem nas atividades do cotidiano, como no caso da doença de Alzheimer que é a mais importante causa de demência. Outras doenças que causam demência incluem a Vascular, Corpúsculos de Lewy e as demências frontotemporais. Mas é importante salientar que apenas 6% dos idosos são acometidos por algum tipo de demência. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), há pelo menos 35,6 milhões de pessoas no mundo com demência e este número poderá dobrar em 2030 e triplicar em 2050. A doença de Alzheimer é responsável por 60% dos casos de demência. No Brasil afeta cerca de 1 milhão e 200 mil pessoas. A doença de Alzheimer foi descrita pela primeira vez pelo neurologista alemão Alois Alzheimer em 1907. É uma doença neurológica, degenerativa, caracterizada por um progressivo e irreversível declínio nas funções intelectuais como memória, orientação no espaço e no tempo, diminuição da capacidade de executar tarefas rotineiras, mudança de personalidade e afeta todos os aspectos da vida de uma pessoa, como ela pensa, sente e age. Nos estágios mais avançados da doença, a habilidade mental fica comprometida e são afetados também o comportamento e

as emoções. A pessoa acometida pela doença de Alzheimer vai perdendo a independência gradualmente. A doença pode se manifestar a partir dos 40 anos, mas é mais comum por volta dos 65 anos. Evolui lenta ou rapidamente levando em média de 5 a 20 anos para se desenvolver completamente. Não se conhece a causa da doença, sabe-se que as alterações encontradas no cérebro de portadores da doença de Alzheimer são resultados de uma série de eventos complexos que acabam por reduzir o número de neurônios e de sinapses (ligações entre os neurônios) impedindo novas aprendizagens. Pesquisadores de todo mundo buscam propostas de intervenção em patologias degenerativas como a doença de Alzheimer e afirmam que além do tratamento farmacológico é indicado também um procedimento de estimulação cognitiva com estímulos adequados a diferentes estágios evolutivos da doença proporcionando melhoras nas funções cognitivas e gerando um impacto positivo indireto nas atividades diárias do paciente portador da doença de Alzheimer nos primeiros estágios, além de auxiliar no controle dos distúrbios comportamentais e retardar a evolução da doença. O resultado será, portanto, uma melhor qualidade de vida desse paciente e da família que passa a ter que cuidar e conviver com esse mal. Em comemoração ao Dia Mundial da Doença de Alzheimer, dia 21 de setembro, a Amada – Associação Maior Apoio ao Doente de Alzheimer – fará realizar o 13º Encontro Amada, no dia 19 de setembro, às 14h, com palestras para familiares, cuidadores e interessados na doença, no Centro de Estudos do Hospital Irmãos Penteado – Santa Casa de Campinas, com entrada franca. Venha participar conosco! Maria Carmen de Luca Menezes é diretora científica da Associação Maior Apoio ao Doente de Alzheimer (Amada)


JORNALZEN

SETEMBRO/2014

Pensamentos de

Padre Haroldo Motivação Motivação é uma das principais ferramentas para o tratamento da dependência química. A palavra motivação vem da raiz latina que significa “mover (se)” e é uma tentativa de compreender o que nos movimenta ou por que fazemos o que fazemos. É uma série inferida de processos que fazem com que a pessoa se mova em direção a um objetivo específico. Os psicólogos James Prochaska e Carlo DiClemente descreveram os estágios que podem ser aplicados para entender melhor a dependência química. São eles: pré-contemplação, contemplação, preparação, ação e manutenção. Em primeiro lugar, quero aplicar os estágios a um casal normal namorando. Pré-contemplação – só se gostam e vão ao cinema. Contemplação – começam a se amar e pensam em casamento. Preparação – são noivos e juntam dinheiro para as coisas da casa como geladeira, fogão, etc. Ação – casam-se. Manutenção – com muito amor, vivem com alegria. Vamos aplicar os mesmos es-

tágios à dependência química: Pré-contemplação – sem intenção de parar com o uso de drogas; estão contentes e não pensam nos resultados nefastos. Contemplação – começam a pensar em parar com o uso de drogas; procuram informações; não estão completamente prontos para mudar. Preparação – a atitude é positiva e começam a autorregular o comportamento; decidem parar com o álcool e com outras drogas. Ação – param mesmo com o uso do álcool e das outras drogas; procuram uma vida de felicidade. Manutenção – vivem uma vida de sobriedade; têm muito cuidado para evitar gatilhos e fissuras; usam todos os recursos para não terem uma recaída. O terapeuta deve planejar bem todas as intervenções e estratégias a serem utilizadas nos diferentes estágios do tratamento. É necessário prestar muita atenção ao comportamentodo doente. É essencial mostrar muita empatia e amor. Haroldo Joseph Rahm é presidente de honra da Instituição Padre Haroldo hrahmsj@yahoo.com

7

Terapia multidimensional O que pode acontecer durante uma sessão da terapia Cura Cristalina?

• Doação de amor, cura e proteção a crianças interiores feridas; • Modificação da vibração da pessoa e atração de novas situações e pessoas com afinidade vibratória.

• Rescisão de contratos antigos, pactos e as promessas feitas em vidas passadas que podem impedir a manifestação do livre arbítrio atual; Durante a sessão, o • Transmutação de me- ELIZETE CRISTINA AGUIAR paciente fica sentado em mórias traumáticas desta frente ao terapeuta, relaReikiana e terapeuta vida e das passadas e tamxado. O terapeuta abre o credenciada em bém da vida intrauterina ; seu coração e envolve o Cura Cristalina • Limpeza de energias paciente na vibração de negativas; Amor maior possível, contexto no • Paz com os “inimigos”; qual vários seres de luz e guias espi• Conexão profunda à terra e ao rituais (do terapeuta e do paciente) coração da terra; auxiliam na cura de tudo o que for • Limpeza e alinhamento de chacras; prioritário no momento. • Limpeza áurica de pensamentos O paciente faz a escolha dele tóxicos e de inveja; e precisa estar aberto à cura e o • Modificação da vibração da pes- terapeuta deve Amar a ele próprio soa e atração de novas situações e e a pessoa que está a sua frente pessoas com afinidade vibratória; aceitando a escolha do paciente. A • Libertação de amarras mentais, duração do processo de cura é de obsessão e outras formas de mani- 21 dias. A questão tratada pode ser pulação do ser humano; resolvida em uma ou mais sessões. • Abertura do Coração ao Amor; Podem surgir outras questões du• Transmissão de informações im- rante o processo de limpeza. A teraportantes para o paciente; pia trata de inúmeros temas além do • Cura de assuntos cármicos que que é prioritário para o paciente, por dificultam relacionamentos; isso é chamada de multidimensional.

Terapia “Cura Cristalina” com Elizete Cristina Aguiar AGENDE SEU ATENDIMENTO: (19) 99755-1311 - elizeteaguia@uol.com.br Campinas, Indaiatuba e Capivari


JORNALZEN

8

CULTURAZEN Silvia Lá Mon

Fabiana Beraldo e Milena Dias na comemoração pelos oito anos de atividades da Oficina Zen em Campinas e região

SETEMBRO/2014 Silvia Lá Mon

O palestrante Marcos Pontes com Ronald dos Santos Santiago, presidente da Academia Campineira de Letras, Ciências e Artes das Forças Armadas

Silvia Lá Mon

Maharaja Chandramukha Swami esteve em Campinas para show promovido por Amyr Cantusio Jr. e conheceu o JORNALZEN

Divulgação

Divulgação

O tenor Jorge Durian durante apresentação a pacientes, parentes e convidados na unidade de radioterapia do Centro Infantil Boldrini, em Campinas

Andréa Souza e Elaine Cristina Paes comemoram o primeiro aniversário da Casa do Yoga, em Indaiatuba


JORNALZEN

SETEMBRO/2014

MANDALA PARA PINTAR

- OZENI LUCAS -

9

Recanto do Poeta Diante da herma

(a Guilherme de Almeida)

Mesmo erma a herma, poeta, a praça é tua, À sombra de dois plácidos coqueiros... Ao longe, ouve-se a voz dos seresteiros: É o povo que entre acordes te cultua... Teus versos, esculpindo a pedra nua, São notas que fecundam os celeiros. Á tarde, o vento sopra nos outeiros, E, à noite, te contempla a luz da lua. Teu estro vive em poemas e canções... Teu nome singra os mares, as fronteiras, E enche de ardor e gozo os corações... Foste mestre de imagens cristalinas! Teu canto foi o hino das trincheiras... Soldado, herói, poeta de Campinas!...

(por Luno Volpato)

Amor, sonho e luz Nos braços da via láctea, um aglomerado de astros, manto estrelado cintilante ali, edifiquei um ninho encantado para o nosso amor. Sonhos deslumbrantes,

Recebemos colaborações para este espaço. Envie sua mandala para jornalzen@terra.com.br

pelo cosmo vagando enfeitiçados, com a nossa paixão alucinante. Na vastidão, suspensos, impregnados de amor, unidos vamos flutuantes. Em peregrinação, nos teus braços, usufruir a sólida união, gerada com amor, pelo criador. Profunda e irradiante, pelo espaço magnífico de luz continuarão; e assim continuará, o nosso amor.

(por Geni Fuzato Dagnoni)


JORNALZEN

10

CULTURA DE LETRAS CRÔNICAS DE ARUÂNGUA – mceu.idt@terra.com.br

O motorista de Cajati (1)

T

rabalhávamos no escritório, naquela tarde chuvosa e fria de julho... O telefone tocou: – Mãe, o pai está aí? – Sim! O que foi, filha? – Mãe, pede ao pai para vir aqui fora. Estou na frente da casa de vocês e tem um homem deitado na calçada debaixo de chuva que parece estar doente. Estou com medo de sair do carro. Estou com os meninos comigo dentro do carro. – Entendi! O pai vai aí fora! Dá uma volta na quadra e espera dentro do carro. Relatei rapidamente ao meu marido o que ocorria. Ele, imediatamente largou o que estava fazendo, pegou o controle do portão e foi à garagem olhar o que acontecia na calçada. Não demorou muito até que ele abrisse o portão e em alguns minutos eu tinha um homem ruivo, com cara de louco, escorrendo água, dentro da minha casa. Não dei conta direito do que acontecia. – É epilético, estava passando mal – disse meu marido, olhando nos meus olhos com os seus de pidão Trazia o homem corredor adentro, apoiado contra seu ombro, em direção à sala. Fiquei mais atônita ainda e sem ação.

Roberto mandou o homem encharcado sentar no nosso sofá enquanto lia o cartão de identificação que o desconhecido trazia pendurado ao pescoço e lhe havia posto nas mãos. – Eu sou epilético – reforçou o nosso visitante, com olhar vacilante como se estivesse encabulado. – Vou chamar o resgate – falei, aflita. – Não! Não precisa! Está tudo bem. Olhe só o que está escrito neste papel. Não precisa chamar o Samu nem o resgate. A crise passa logo. É só me deixar quieto. Só preciso descansar um pouco. – Beto! Vamos chamar a ambulância do hospital, então! É melhor! – eu não conseguia pensar direito. – Não! Não precisa! Já passou. A crise não vai voltar! Já estou acostumado. – dizia, atrapalhado, o ruivo de cabelo desalinhado. – Ele não é daqui – disse meu marido, com dó do doente. – Roberto! – implorava eu – Melhor chamar a Assistência Social. Eles sabem melhor o que fazer num caso destes. Onde o senhor mora? Para quem a gente liga? (continua na próxima edição)

SETEMBRO/2014

UROLOGIA ORESTES MAZZARIOL JR.

Qualidade de vida e envelhecimento (2) Há que se não só planejar o envelhecimento, mas também saber lidar com ele. Todo idoso tem direito a se divertir, e não estou falando de baile da saudade. No entanto, há muitos idosos que se tornam apáticos e não querem sair de casa. Os filhos (e muitas vezes eles mesmos) atribuem o problema à idade, quando em boa parte das vezes trata-se de uma depressão subclínica, um tipo de depressão que não é tão fácil de classificar. De outras vezes, o que se identifica como tristeza ou “vontade de não fazer nada” é mera perda de testosterona ou de hormônios femininos. O que fazer? Em primeiro lugar, saber que idade não é doença. Se há uma mudança de humor, uma tristeza, uma apatia ou um comportamento estranho, procure um médico que tenha cultura geriátrica mais ampla e que saiba falar com os pacientes. Outra questão são as casas de repouso: se por um lado há as que

realmente se preocupam em oferecer toda a estrutura e carinho aos que as procuram, de outro há verdadeiros depósitos de pessoas que não oferecem condições e sequer são fiscalizados adequadamente pelas autoridades, famílias e sociedade. Sim, digo pelos três porque, pelo Estatuto do Idoso, a responsabilidade de cuidar é tripartite: governo, família e sociedade. Acima de tudo, porém, é preciso mudar a cultura que vem produzindo gerações de idosos infelizes. É preciso parar de tratar anciãos como se fossem crianças de 2 anos — com a diferença cruel de que os pequenos têm a vida pela frente e achando que a eles vem a morte. A morte vem para todos, mas ser velho não é estar morto. Ser velho pode ser, sim, sentir-se muito vivo, sentir-se bem, sentir-se útil. Você, assim como eu, envelhece, mas sua vida não precisa envelhecer. Ela se renova a cada dia, desde que você queira.

Danças circulares e inclusão Lize de Block

A

dança de roda é uma atividade utilizada em escolas, Apae’s e tantos outros lugares para estimular, inserir, ensinar crianças e adultos. Mas não é apenas dessa inclusão que queremos falar. Quando participamos de uma roda, e de fato damos a mão para o outro, recebemos outra mão. Sempre temos pessoas de mãos dadas na roda. Essa sensação é boa! É um tipo de dança em que não é necessário um companheiro, um par. Se dançamos danças de pares, a cada momento podemos ter outro par. E não existe a necessidade de um número igual de homens e mulheres na roda. Facilita muito entrar nessa roda. Somente com a presença de um grupo é possível termos o benefício desse tipo de atividade. É uma dança que não faz apresentação, não é de palco. Dançamos por que gostamos de dançar. Dançamos

para nós mesmos. Porque faz bem para o indivíduo dançar. E por que faz bem dançar? Tá aí uma pergunta que fazemos sempre! Por que as musicas são lindas? Por que movimentamos no ritmo e na melodia com passos organizados? Por que temos passos diversificados a cada música com a qual nosso corpo fica feliz? Ou será que nosso corpo se exercita e nosso inconsciente “acessa coisas” inexplicáveis, a gente relaxa, ficando mais feliz ainda? Não sabemos. Ou será que quase todos nós sentimos que somos capazes de dançar. E sentimo-nos incluídos. Sem precisar falar, sem precisar ser, apenas por estar lá, na roda. Porque sem a nossa presença a roda não seria a mesma. A roda precisa de nós pra existir. Aquele que tem um pouco de dificuldade, seja no ritmo ou em memorizar os passos, na expressão, todos são necessários na roda. Aliás, todas as pessoas que entram na roda experimentaram uma

dificuldade alguma vez, em algum dia, com uma dança, um passo ou um ritmo, mas na maioria das vezes a dificuldade é vencida. Pois nas danças circulares os passos são repetidos e temos a chance de tentar várias vezes na mesma musica. Com o tempo, acertamos. O que nos dá uma sensação de poder sobre si. O que é muito bom. Nesse aspecto, percebo que a dança circular nos inclui. A dança circular inclui danças do mundo todo. Danças que revelam culturas, crenças, artes, reverências, rituais, folclore, modismos, canções que tocam a alma para todas as

idades. Quando dançamos a alegria de um povo em seu ritmo e melodia original, entendemos melhor aquele povo e percebemos que a alegria é igual para qualquer ser humano. E assim podemos fazer essa ponte com a tristeza, com as cantigas de roda, com os rituais de vida e até com a fé. Independentemente da idade e da região em que ele nasceu neste planeta. Nesse aspecto, percebemos que a dança inclui o mundo todo. Lize de Block é focalizadora de danças circulares e cofundadora do Instituto Dança Viva


JORNALZEN

SETEMBRO/2014

Tesouros da Vida JULIANO SANCHES

Faça, mesmo que demore Estou acostumado a ver gente que se comove com a ideia de ter mais controle externo na vida, como se transferisse a responsabilidade de si, e pagasse muitas moedas por isso. O que significa pensar assim? Perder a capacidade de negociar critérios, medo de enfrentar os próprios demônios, carência, falta de iniciativa. Os crédulos dirão que é melhor absorver um modelo já construído, de manejo rápido, como um Miojo, com um pacotinho capaz de conferir sabores aonde, a princípio, não existiriam. Há um medo em lidar com o manual. Poucos se arriscam a mexer com terras, plantas, comidas, bichos. Sob o olhar da modernidade tardia, as coisas se apresentam de uma maneira muito asséptica, o que, no fundo, revela-se, longe de uma escolha técnica, uma obsessão pelo previsível. Fazer pizza, pão e preparar bebidas, como batidas com vodca e suco de frutos, são ideias que conferem sentido ao dia a dia, enquanto manifestações de um orgulho em especial, o do domínio da matéria em favor do hedonismo. Estar entre amigos e curtir (ou só) a possibilidade de conduzir o alimento, desde as etapas iniciais até a composição última, têm a ver com a potência, enquanto ser, e percepção da existência. Em muitos casos, os aromatizantes funcionam como ansiolíticos,

pois esperamos mais de um lanche da tarde do que, de fato, ele o é. Comprar a felicidade imediata é banal, assim como fazer um workshop em um dia e achar que dominou completamente o tema. Nossos aprendizados ocorrem não na tranquilidade, com tudo estável e regulado. Desde a pré-história, brigamos com o exterior, com a intenção de fazer com que consigamos atravessar o percurso até a outra margem do pântano. Lapidamos pedras, com a finalidade de promover um ato especial, fazê-las se curvar diante de nossa vontade, como se pudessem nos confidenciar um segredo. O espírito humano, inconstante e cheio de desejo, encontrou na natureza uma maneira de imprimir silhuetas do social. Sons ecoaram pelas cachoeiras. Flechas produziram movimentos... Afrouxar-se diante do obstáculo se tornou tendência em nosso tempo. A maioria abandonou o conceito de resistência. Muito mais do que cultuar um herói, é preciso se sentir parte da narrativa da vida, enquanto personagem de ponto de virada, capaz de lidar com as tragédias que se apresentam, e contemplá-las intensamente, de modo substancial Juliano Sanches é jornalista

11

Retorno à nossa essência “Meu marido havia falecifrequências de cura. do e eu recebi o diagnósAs frequências recotico de câncer. Grande banectivas atuam no nível que. O câncer consumia molecular, aperfeiçoanas minhas mamas. Passei do a atividade do nosso pela Cura Reconectiva e o corpo físico e mental, diagnóstico foi mudando. trazendo serenidade, paz Da previsão de retirada interior, concentração, autotal das mamas, optamento de desempenho, mos por fazer a cirurgia intuições e inspirações. somente em um dos lados Reconexão e a Cura HELOISA GARBUGLIO da mama direita. A quiReconectiva são experiTerapeuta certificada mioterapia foi tranquila de ências de vida transforThe Reconnection (Nível I, II, III) aguentar. Não sofri enjoos madoras, apoiadas firmee muito pouco mal-estar. mente na física nuclear e Apesar de tanta tristeza, comecei a quântica. A ciência tem confirmado ver uma luz no fim do túnel. Hoje, essas duas frequências de cura por recebi alta do oncologista e quis di- meio de evidências mensuradas em vidir com vocês essa alegria.” (M.H.Z.) laboratórios, hospitais e universidades. Não está ligada à fé, crenças ou Reconexão é o retorno à nossa es- a ritos religiosos. Possibilitam cura sência. Acelera o nosso processo que transcendem às limitações de evolutivo e nos encaminha para a re- nossos preconceitos. alização do nosso propósito de vida. Diabetes, fadiga crônica, câncer, Ativa a glândula pineal e reestrutura epilepsia, artrite reumatoide, paralinosso DNA por meio das linhas axia- sia cerebral, fibromialgia, depressão, tonais, permitindo acesso a uma rede esclerose múltipla e muitas alteraatemporal de inteligência universal, ções mentais e emocionais podem com diferentes níveis de vibração e se beneficiar desse tratamento.


JORNALZEN

12

Terapia energética corporal A terapia energética ção, bloqueando a função corporal é um ramo da sentir e fazendo com que psicoterapia corporal a função mental se exacerreichiana que visa inbe. O segundo bloqueio tegrar os níveis físicos, é o diafragmático, que emocionais, mentais e impede que a energia espirituais do ser humasaia do coração e chegue no. Parte do pressuposto à pelve, que impede o ser que todos os aspectos do humano de alcançar a poser humano estão ligatência orgástica. O terceiro dos, por tanto não existe, TERAPEUTA PEDRO MOTTA bloqueio é na musculatura por exemplo, separação Mestre em Saúde Coletiva; do períneo que impede entre o corpo e espírito. mestre-professor de Reiki; que o ciclo energético se Desbloqueando o fluxo graduado em Fisioterapia; complete fazendo com de energia corporal, que graduando em Psicologia; que a energia se potengeralmente está obstru- e membro do Laboratório cialize e suba pelas costas de Práticas Alternativas, ído devido a emoções e em direção aos cosmos Complementares e crenças infantis, podeativando potenciais pósIntegrativas (Lapacis) mos ativar os potenciais genitais e transpessoais. superiores da consciência Esta terapêutica parte do humana, potenciais estes que foram pressuposto que o ser humano é em descritos pelo Dr. Dimas Calegari essência bom, belo e amoroso, e que como potenciais pós-genitais. o que impede de sermos quem reO movimento da energia no almente somos são as travas decorcorpo se inicia no osso sacro, sobe rentes de vivências traumáticas que pelas costas e desse pela frente re- paralisam o pulsar da existência em começando e retroalimentando sua nossa consciência. É indicada a todos origem sacral. Basicamente existem que buscam desenvolvimento pestrês bloqueios corporais principais, o soal, cura de traumas e uma vivência primeiro é o cervical, que impede que espiritual empírica, livre de dogmas o fluxo de energia cheque ao cora- e verdades pré-estabelecidas.

Terapeuta Pedro Motta Terapia Energética Corporal, Microfisioterapia, Reiki, Renascimento, Frequência de Brilho CONTATOS: 19 3383-7339 / 19 98875-2012 terapeutapedromotta.wix.com/pedromotta - terapeutapedromotta@hotmail.com

SETEMBRO/2014

Líricas Bulhufas MARCELO SGUASSÁBIA

Encontrão marcado Será mais ou menos como a mão de um gorila esmagando uma pulga. Avisar a população significa criar um pânico inútil, todos da Comissão B7 somos unânimes neste ponto. Se a Terra não sairá de sua órbita e a colisão é inevitável, é melhor que os sete bilhões de futuros cadáveres permaneçam ignorantes e felizes até o momento final. Não há o menor sentido em sofrer por antecipação. Alguns poucos objetaram, argumentando sobre o direito de cada um em tomar suas próprias decisões nesse meio tempo, já que faltam ainda 16 anos para o fim de tudo. O livre arbítrio, no caso, seria necessariamente egoísta e insano. Um “salve-se quem puder” de proporções mundiais faria com que o caos reinante acabasse com tudo antes que o planeta se espatifasse. O apocalipse próximo justificaria qualquer comportamento antiético ou ato criminoso, sugar a intensidade de cada segundo da forma mais devassa e reprovável se tornaria a única lei possível. Não há o que fazer, toda tentativa de defesa resultará inócua. Somado o arsenal bélico disponível, e contando que seja viável dispará-lo simultaneamente, provocaríamos um reles arranhãozinho na couraça do monstrengo. A destruição da raça humana seria tão instantânea

que não haveria tempo nem para a dor, nem para a consciência do ocorrido. Melhor assim do que acabar em fome, tsunami, peste ou guerra, onde o extermínio é gradual. A coisa (assim a chamamos até o momento) é aproximadamente 2,5 vezes maior que o sistema solar inteiro, e sua rota não admite probabilidade de desvio. Líderes religiosos do B7 chegaram a propor que a notícia seja divulgada considerando-se a catástrofe como uma possibilidade, não como certeza. Esse disfarce da verdade certamente mobilizará multidões de todos os países para uma grande corrente ecumênica de orações, rogando à mão divina um safanão no assassino. Já alguns cientistas russos consideram seriamente a aplicação de telecinésia coletiva, ou seja, a suposta capacidade que temos de mover objetos pela força do pensamento. Outros sugerem uma tentativa mais privê, reunindo um seleto grupo de notáveis paranormais para atentativa, liderados pelo hoje quase septuagenário Uri Geller. Qualquer que seja a modalidade adotada para a performance redentora, a Coca-Cola já garantiu antecipadamente a quota principal de patrocínio. Marcelo Sguassábia é redator publicitário


SETEMBRO/2014

JORNALZEN

INDICADOR TERAPÊUTICO

13

Do alto da montanha Feche os olhos e imagine que você está no alto de uma montanha. Lá de cima, olhe o horizonte e contemple a amplitude presente em todos os lados. Olhe para baixo e veja os vales que se formam entre as montanhas. Tudo o que é visto lá de cima parece muito pequeno, a sua visão se amplia e você consegue perceber a grandiosidade de toda a natureza. Ao se imaginar nessa montanha, perceba que o seu padrão mental também se eleva, seus pensamentos alcançam uma dimensão de vibração expansiva. Olhe para baixo e veja os problemas relativos da vida cotidiana, bem pequeninos, e coloque esses problemas e dificuldades em seus devidos lugares e proporções. Perceba que quando a sua mente está muito densa sua vibração permanece pesada e os problemas podem parecer maiores do que são, mas quando você eleva sua mente, tudo se torna mais claro.

Lá de cima você percebe tudo mais amplo, soluções começam a aparecer, porque você tem a possibilidaMÁRCIO ASSUMPÇÃO de de ver mais Professor de yoga e diretor do Instituto de Yogaterapia longe e em várias direções. Do alto da montanha você observa as nuances de luzes e sombras nos vales, assim como sua mente, que também tem luz e sombra. Imagine a luz do sol iluminando todo o seu Ser, eliminando a escuridão e o medo. Lá de cima, perceba que todos os acontecimentos em sua vida são relativos, que todas as coisas e pessoas a sua volta são transitórias e que o Absoluto está manifestado no silêncio da sua contemplação. Namastê!


JORNALZEN

14

Viva Bem elianamattos@uol.com.br

Bate-Papo

A

gente sempre se choca quando acontece uma morte trágica e inesperada. Neste momento em que escrevo para vocês, todos ainda estão sob o impacto da morte do Eduardo Campos e seus assessores, mais os dois pilotos do avião. No dia seguinte à tragédia, conversei com pessoas que me disseram: “como pode acontecer isso? Ainda ontem eu o vi no Jornal Nacional”. Pois é. Como pode acontecer isso é a pergunta mais ingênua a se fazer. Responder que para morrer basta estar vivo é a coisa mais óbvia. Porém, verdadeira. Infelizmente ninguém está preparado para perder algum ente querido de forma trágica. Quando a pessoa está doente e vai piorando gradativamente, a gente vai se conformando com a partida iminente. Claro que não deixamos de sofrer, porém parece que de uma forma mais confortável. Mas o inesperado sempre nos surpreende e nos deixa perplexos. Não sei se por causa desse clima todo, sonhei que estava morrendo num acidente com meu carro. Ele começava a capotar e quando percebi que o inevitável estava chegando, simplesmente tirei as mãos da direção e me soltei, como se me entregasse já que não havia nada a fazer. Nesse instante comecei como que a flutuar junto com o carro e uma sensação de leveza muito grande se apossou de mim. Não foi uma coisa ruim. Talvez morrer seja isso... Um soltar-se, uma não resistência, um deixar-se levar... Para quem acredita em reencarnação, dizem que desencarnar é mais fácil do que reencarnar, uma vez que a nossa vida é mesmo no mundo espiritual e não aqui na Terra. Sei lá. O fato é que, apesar de tantos problemas, misérias, doenças, guerras, a gente gosta de viver aqui. Por isso talvez seja tão difícil a hora da partida, o desapegar. Há alguns anos, por recomendação da minha amiga e ex-terapeuta Marta Hubert, comprei o Livro Tibetano do Viver e Morrer, de Sogyal Rinpoche, que confesso nunca passei do prólogo. Mas é do prólogo que tiro um parágrafo escrito por Dalai Lama, para encerrar nosso Bate-Papo: “A morte é parte natural da vida, que todos nós com certeza teremos de enfrentar um dia. Para mim, há dois modos de abordar a questão enquanto estamos vivos. Podemos escolher ignorar ou então olhar de frente para a perspectiva de nossa própria morte e, pensando claramente nela, tentar minimizar o sofrimento que traz. Entretanto, em nenhum desses casos podemos de fato vencê-la.” Grande beijo pra você!

SETEMBRO/2014

Primavera chegando Não sabemos ainda se será uma estação fria ou quente, porque amena provavelmente não será. O tempo está muito louco e não dá para fazer grandes previsões. Mas a primavera é uma estação deliciosa. Por renovar nossos jardins, parece que renova a nós mesmos também. E já que o forte desta estação é o colorido, consuma alimentos com

mais cor, como verduras – quanto mais verdes, mais vitaminas contêm. Também abuse dos legumes crus (que regulam o bom funcionamento do organismo). Aproveite e tempere a salada com o delicioso molho de iogurte light do nosso Forno & Fogão de hoje. E, é claro, consuma muita fruta! Seu corpo vai agradecer.

FORNO & FOGÃO Bolinho de mandioca Ingredientes: ½ kg de mandioca cozida 1 cebola ralada 2 ovos inteiros 3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado 1 colher (chá) de fermento em pó 2 colheres (sobremesa) de salsinha picada Sal a gosto

Modo de fazer: * Amasse bem a mandioca ou passe pelo espremedor * Misture bem com a cebola * Junte a salsinha, os ovos sem bater, o queijo ralado, sal e o fermento * Faça bolinhos, passando-os em farinha de rosca * Frite em óleo quente e escorra em papel absorvente

Molho de iogurte para saladas (light) Ingredientes: 1 copo de iogurte desnatado 1 colher (sopa) de salsinha picada 1 colher (sopa) de cebolinha picada 1 colher (sopa) de cebola ralada

Sal a gosto

Bolo Suflair

Modo de fazer: * Bata tudo no liquidificador * Leve para assar em forma com furo central pequena (para pudim) * Depois de pronto desenforme e cubra com um brigadeiro mole * Querendo, salpique chocolate granulado por cima e leve para gelar

Ingredientes: 6 ovos 1 pacote de 100 g de coco ralado 2 colheres (sopa) de chocolate em pó 2 colheres (sopa) de margarina 3 colheres (sopa) de açúcar

Modo de fazer: * Misture todos os ingredientes e use para temperar saladas

Manjericão: saiba usar Originário da Ásia, África e ilhas do Pacífico, o manjericão se deu bem no Mediterrâneo e daí se difundiu pelo mundo. Seu perfume e gosto levemente picantes combinam perfeitamente com o tomate, em todas as suas formas de preparo. Vai bem em sopas, suflês, omeletes e outros pratos à base de ovos. Indicado também em certas receitas de peixe e cogumelos, não se recomenda a mistura com outros tipos de ervas.

Vasos & Jardins Adoro copo-de-leite. Acho uma flor requintada, cheia de classe e beleza. Mas fiquei sabendo, outro dia, que um simples toque nas delicadas, porém firmes pétalas brancas podem provocar dermatite. Você já tinha lido sobre isso? Li também que, se ingeridas, os sintomas são inchaço na língua e intenso mal-estar. E por ser tóxica, é bom tomar cuidado quando tiver criança por perto.


JORNALZEN

SETEMBRO/2014

BEM NUTRIR 63,5% se dizem responsáveis quanto a consumo consciente Há alguns anos intensificou-se o amplo debate acerca do impacto da ação humana sobre os recursos naturais – e, nesse processo, teve início o debate sobre as responsabilidades individuais, corporativas e coletivas. A obsolescência de produtos, a aquisição de alimentos orgânicos e a adequação de processos de produção que privilegiem a economia de água e energia elétrica passaram a ser uma preocupação de cidadãos de diferentes vertentes, que se converteram em eco-friendly. Nesse contexto, o conceito de consumo consciente surgiu em forma de um movimento que tem impelido o indivíduo a adotar práticas para minimizar o impacto ambiental do consumo. Pesquisa exclusiva da Shopper Experience em parceria com a revista Consumidor Moderno mostra o quanto a tendência está presente na vida do consumidor brasileiro. A pesquisa Consumo Consciente – que conta com 1.520 entrevistas, homens e mulheres, das classes A, B e C, de 21 anos a 65 anos, residentes nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Curitiba – aponta que 63,55% dos consumidores brasileiros acreditam que o próprio consumidor é responsável por atitudes responsáveis com relação ao consumo. Na segunda posição do ranking, aparece o governo (57,17%), seguido por empresas brasileiras (45,99%); empresas multinacionais (45,33%); organizações internacionais (36,51%); ONGs (36,18%); países ricos (32,04%); e países pobres (28,09%). A pesquisa traz um ranking com as empresas que mais representam o consumo consciente nas categorias alimentos, refrige-

rantes, limpeza para casa, higiene pessoal e perfumaria, eletrodomésticos, eletrônicos, carros nacionais, varejo eletro, varejo moda, supermercados, hipermercados, farmácia, fast-food, varejo materiais de construção, loja virtual e companhias aéreas. Segundo Stella Kochen Susskind, presidente da Shopper Experience e coordenadora da pesquisa, a crise econômica mundial trouxe a busca por uma vida sustentável – tendência que influenciou o brasileiro. “A pesquisa mostra claramente que o consumidor brasileiro está repensando valores e atitudes; reposicionando o modo de viver e avaliando o impacto dos hábitos de consumo na saúde econômica e socioambiental do planeta”, avalia a executiva, acrescentando que o consumidor quer ter marcas e governos como parceiros nesse processo de consolidação de um consumo mais consciente em toda a cadeia de produção. “Mas, cabe ressaltar que poucas marcas estão prontas para serem parceiras desse novo consumidor”, finaliza. Já Roberto Meir, especialista internacional em relações de consumo e idealizador da pesquisa, ressalta a importância de se alinhar o discurso das marcas e governos a esta nova ética de consumo. “É fundamental que empresas e autoridades se adequem a esta nova cultura, que visa à redução de impactos ambientais e eficiência de recursos”, afirma o especialista, complementando que, com o aumento do poder aquisitivo, ficou evidente um maior desperdício e indolência por parte da população. “É preciso fornecer cada vez mais informações para orientar as escolhas dos consumidores.”

15

PONTOS DE VENDA DO JORNALZEN (novas edições sempre a partir do dia 10) CAMPINAS BARÃO GERALDO BANCA CENTRAL - Avenida Santa Isabel, 20 BARÃO ERVAS - Avenida Santa Isabel, 506 IDEAL REFEIÇÕES - Rua Vital Brasil, 200 BOTAFOGO BANCA RODOVIÁRIA - Avenida Andrade Neves, 880 BOSQUE BANCA DO BOSQUE - Avenida Moraes Sales, 1.748 CAMBUÍ BANCA CAMBUÍ - Rua Cel. Quirino (ao lado Massa Pura) BANCA DA ALICE - Avenida Júlio de Mesquita, 500 BANCA DONA SINHÁ - Rua Cap. Francisco de Paula, s/n (Praça Adamina Del Soldato) BANCA MARIA MONTEIRO - Maria Monteiro, 1.201 BANCA RIVIERA - Rua Coronel Silva Teles, 37 BANCA SANTA CRUZ - Rua Santa Cruz, 176 BANCA SUPER PLÁ - Rua São Pedro, 285 CASTELO BANCA NAKAZONE - Avenida Andrade Neves (balão) CENTRO ALMAZEN - Rua Barreto Leme, 1.259 BANCA CAMÕES - Rua 11 de Agosto, 558 BANCA CONCEIÇÃO - Rua Conceição BANCA DO ALEMÃO - Rua General Osório, 986 BANCA DO MIRO - Avenida Campos Salles, 663 BANCA EVEREST - Av. Campos Sales (em frente nº 737) BANCA GUILHERME - Avenida Andrade Neves, 555 BANCA REAL DISNEY - Rua General Osório, 1.325 BANCA ROSÁRIO - Rua Barão de Jaguara esq. c/General Osório BANCA TANNO - Avenida Francisco Glicério, 1.580 CIDADE UNIVERSITÁRIA BANCA BARÃO - Avenida 2 - Atílio Martini, 50

INDAIATUBA CENTRO BANCA DA CIDA - Rua Humaitá, 708 JARDIM CALIFÓRNIA BANCA DO JANUBA - Praça Renato Villanova VILA NOSSA SENHORA APARECIDA SAÚDE NATURAL - Rua Candelária, 1.751 VILA SUÍÇA PADARIA SUÍÇA - Rua Pedro de Toledo, 1.855 * Avenida Pres. Vargas, 472 * Avenida Eng. Fábio Roberto Barnabé, 1.083 (Parque Ecológico) VILA VITÓRIA BANCA DO JAIR - Rua Humaitá esq. Av. Pres. Vargas

FLAMBOYANT BANCA DO ISMAEL - Rua Mogi Guaçu (em frente à padaria Abelha Gulosa) GUANABARA BANCA DO DIRCEU - Rua Oliveira Cardoso, 62 BANCA ITAMARATI - Rua Eng. Cândido Gomide, 287 PARQUE IMPERADOR BANCA CARREFOUR - Rodovia Dom Pedro I PROENÇA BANCA DO ROBERTO - Av. Princesa D’Oeste, 994 SANTA GENEBRA BANCA SANTA GENEBRA Avenida Pamplona, s/nº SOUSAS AVIS RARA Rua Rei Salomão, 295 BANCA RICCO PANE Av. Antônio Carlos C. de Barros, 871 TAQUARAL BANCA DO EDUARDO - Rua Thomaz Alva Edson, 115 BANCA TAQUARAL - Rua Paula Bueno, 1.260 VILA ITAPURA BANCA SACRAMENTO - Rua Eng. Saturnino Brito, s/nº VILA JOÃO JORGE/JARDIM DAS OLIVEIRAS BANCA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS - Avenida Washington Luís, esq. com Rua Vitoriano dos Anjos VILA NOVA BANCA VILA NOVA - Av. Imperatriz Leopoldina, 100 VILA POMPEIA BANCA POMPEIA - Avenida Mirandópolis, 701

HOLAMBRA ESPAÇO TERRA VIVA - Avenida Rota dos Imigrantes, 605

HORTOLÂNDIA BANCA MOTTA PAULISTÃO - Rua Luis Camilo de Camargo, 332 (estacionamento supermercado Paulistão) CIPAN - Rua Vanderlei de Costa Camargo, 223 (Remanso)

VALINHOS em todas as bancas da cidade

VINHEDO* Unidade I: Avenida dos Imigrantes, 575 (Jardim Itália) Unidade II: Estrada da Boiada, 2.845 (Nova Vinhedo) * e em todas as bancas da cidade


16

JORNALZEN

SETEMBRO/2014

Profile for Webmaster JornalZen

Jornalzen Setembro 2014  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há nove anos no mercado, circula e...

Jornalzen Setembro 2014  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há nove anos no mercado, circula e...