__MAIN_TEXT__

Page 1

JORNALZEN ANO 15

SETEMBRO/2019

Nº 175

AUTOCONHECIMENTO

BEM-ESTAR

www.jornalzen.com.br

CIDADANIA

LUAN ALMEIDA

ZENTREVISTA

Camila Hirsch Pág. 3

EM DEFESA DA ONÇA Tânia Turcato no momento em que customiza uma das primeiras esculturas de onças-pintadas estilizadas da Jaguar Parade, intervenção artística urbana em que as peças são pintadas ao vivo, até 22 de setembro, em ateliê aberto ao público no Shopping Market Place (Zona Sul), em São Paulo. A exposição chama a atenção para a degradação da fauna silvestre do País. Depois de prontas, as esculturas ficarão expostas por um mês nos shoppings JK, Iguatemi e Pátio Higienópolis e, no final de outubro, ganharão as ruas e praças da capital paulista.

NOVO COLUNISTA Elpidio Pinheiro, terapeuta holístico, enfoca temas como mapeamento pessoal, eneagrama, saúde mental e relações comportamentais. Página 15

VIDA EM HARMONIA Novo espaço do JORNALZEN traz dicas, receitas e informações para que possamos nos conectar de forma harmoniosa com a nossa realidade Página 14 DIVULGAÇÃO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Cerca de 400 escoteiros da região de Campinas participaram do projeto 1.000 Hortas, no Parque Municipal Jayme Ferragut, em Vinhedo. Os jovens aprenderam sobre estilos mais sustentáveis de vida por meio do cultivo de hortas e de uma nova relação com os alimentos e o meio ambiente. A atividade fez parte do evento ELO (Escoteiros Locais em Ação), um acampamento que acontece no mesmo final de semana em todos os cantos do Brasil.

CULTURA

SAÚDE


JORNALZEN

2

Pedagogia da felicidade Luís Fernando Lopes

C

om manifestações expressivas nas universidades de Harvard e Yale, nos Estados Unidos, um fenômeno que tem chamado atenção de estudiosos e do público em geral é a busca por cursos que ensinam felicidade. Essa busca tem sido maior do que para cursos que oferecem a possibilidade de uma carreira profissional de reconhecimento e sucesso financeiro. Não por acaso, um dos temas marcantes de toda a história da filosofia é o da felicidade. Desde o surgimento da filosofia no Ocidente e mesmo antes disso, pensadores de todos os tempos dedicaram-se a essa questão em algum momento ou ao longo de sua trajetória de vida. Pela sua relevância histórica e social e ao mesmo tempo por sua importância subjetiva, o tema ‘felicidade’ desperta interesse ontem e hoje. Filosoficamente, a felicidade pode ser compreendida como um estado de satisfação e realização. Estar feliz equivale, portanto, a sentir-se satisfeito, realizado. Embora tal satisfação não tenha uma duração permanente, são as experiências de momentos felizes que conduzem ao desenvolvimento de uma vida feliz, ou seja, uma vida realizada. Epicuro (341-270 a.C.) inicia a Carta a Meneceu, mais conhecida como Carta sobre a Felicidade, com uma exortação ao exercício da filosofia, atividade que tem como finalidade tornar feliz o homem que a pratica. Assim, se alguém acredita que ainda não chegou ou que já passou o momento de se dedicar à filosofia, é como se dissesse que ainda não chegou ou que já passou o momento de ser feliz. Para Epicuro, o caminho mais adequado para alcançar a felicidade está na satisfação equilibrada dos desejos, sendo o prazer o início e o fim de uma vida feliz. Nesta perspectiva, não existe vida feliz sem prudência. Na sequência da carta, Epicuro apresenta o seu tetrapharkom (quatro remédios) ou elementos necessários para uma vida feliz: 1) não atribuir falsos juízos aos deuses; 2) não temer a morte; 3) não há mal que seja eterno; 4) o bem é facilmente alcançável. Diferente de Epicuro, nosso tem-

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

Informar para transformar

po é marcado, entre outras características, pelo imediatismo, que traz consigo a potencialização da ansiedade e suas consequências. Assim, quando uma expectativa não é concretizada no menor tempo possível, advém a frustração e com ela a insatisfação e a infelicidade. A própria busca “desesperada” da felicidade, a preocupação demasiada em ser feliz (e, junto com ela, a fuga de qualquer atividade), sentimento ou situação que leve à frustração, inclusive com o uso de medicamentos, pode provocar frustrações e converter-se no seu oposto, ou seja, produzir ainda mais insatisfação e infelicidade. Considerando essa problemática, que caminho seguir? Como ensinar e aprender a felicidade ou o caminho para ela? Se estar feliz é sentir-se satisfeito, realizado, a dimensão da autoconsciência precisa ser considerada, ou seja, como me sinto, me compreendo, me considero? Quais são minhas prioridades? O que eu compreendo que pode me fazer mais feliz e por quê? Não raro, existe uma discrepância entre o modo de compreender a si mesmo e o mundo no qual se vive com a realidade concreta da vida. Por exemplo, podemos considerar que para sermos mais felizes é necessário ficar mais tempo com a família e amigos, mas quando isso se torna possível? De um modo geral, quando estamos reunidos preferimos ficar no celular ou absorvidos nas próprias preocupações com pouco ou nenhum envolvimento. Uma solução simplista poderia indicar que é apenas necessário começar a pensar como se vive ou começar a viver como se pensa a fim de superar a discrepância e encontrar-se. Contudo, não somos seres totalmente programáveis respondendo a estímulos que produzem efeitos previamente estabelecidos. Podem existir tantas receitas para ser feliz quantas sejam as vidas que habitam no planeta. Ainda que bons exemplos e comportamentos possam ser ensinados, é necessário que cada ser humano e cada comunidade humana encontre os caminhos para sua realização e felicidade. Luís Fernando Lopes é professor do curso de filosofia e da área de humanidades e atua no setor de inovação da Escola Superior de Educação do Centro Universitário Internacional Uninter

DIRETORA SILVIA LÁ MON EDITOR JORGE RIBEIRO NETO (MTB 25.508)

SETEMBRO/2019

CIÊNCIA DA FELICIDADE

Torne seus sonhos realidade As melhores fases de nossa vida são aquelas em que conseguimos cultivar pensamentos positivos e dar passos decisivos para tornar nossos sonhos realidade. Quem, em especial na juventude, não sonha em proporcionar dias melhores para seus pais, cursar uma boa faculdade, trabalhar para comprar uma casa, ou para construir um casamento feliz? Como é bom sonhar. E melhor ainda é fazer planos, definir metas e criar um projeto para nossa vida, sem desistir diante dos inevitáveis obstáculos e conscientes de que há infinitas rotas possíveis para chegarmos a nosso destino. Se você costuma pensar em algum evento negativo que ocorreu no passado, como um erro que cometeu, talvez esteja fazendo com que o passado o impeça de ser positivo no presente. Pode ser que tenha tanto medo de cometer outro erro que isso mantenha a felicidade fora do seu alcance. Nos momentos de dificuldade, lembre-se: os períodos difíceis

da vida geralmente não duram mais que um ano. Tenha paciência e persevere, e o tempo abrirá um novo caminho para você. No devido momento, as lutas dentro de sua mente irão se dissolver, e você sentirá uma nova esperança nascendo em seu coração. Ajuda e bondade irão aparecer onde antes havia apenas obstáculos. Por fim, vale dizer que alcançar metas e realizar sonhos é parte importante para uma vida feliz. Todos fazemos o possível para definir ideais elevados. Mas é normal, às vezes, ficarmos perdidos, não conseguir enxergar a estrada e sofrer com a incerteza. Se você acha que está num beco sem saída, não sabe para onde ir ou se sente derrotado ou sobrecarregado, lembre-se de que a oração é ferramenta poderosa, sempre disponível, sem contar que, se precisamos da ajuda de outras pessoas para realizar nossos sonhos, podemos juntar nosso coração ao de nossos amigos e orar juntos.

As reflexões desta coluna são extraídas de Convite à Felicidade, do japonês Ryuho Okawa, pensador, líder religioso e escritor na área da espiritualidade

PANORAMA LEITURA E CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS A Associação Viva e Deixe Viver abriu turmas extras do projeto Sacola Literária para os dias 14, 21 e 28 de setembro. Os cursos (na sede da ONG, na Vila Buarque, em São Paulo) estimulam a arte da leitura e da contação de histórias por meio da construção de um acervo. Inscrições gratuitas. Mais informações: vivaedeixeviver.org.br/projeto-sacola-literaria CURSO DE CANTO PARA IDOSOS O Sesc Santo Amaro, em São Paulo, promove às sextas-feiras, até 4 de outubro, às 10h, curso gratuito que alia a prática de cantar à forma terapêutica do coral. Com a proposta de integrar e socializar alunos com mais de 60 anos, as aulas exploram a potência da voz do público idoso. O Sesc Santo Amaro fica na Rua Amador Bueno, 505. CINEMA INCLUSIVO O Topázio Cinemas, em Indaiatuba, iniciou este mês a Sessão Azul, projeto que promove sessões para pessoas com distúrbios sensoriais, autistas e suas famílias. O ambiente é especialmente preparado, com acompanhamento de voluntários capacitados. As sessões acontecerão bimestralmente, aos finais de semana, no Cine Topázio do Shopping Jaraguá. CORRIDA SOLIDÁRIA Alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), em parceria com a Prefeitura de Valinhos e o Grupo Rosa e Amor, promovem no dia 27 de outubro a 2ª Corrida Solidária Outubro Rosa. A concentração será às 7h30, no Centro de Lazer do Trabalhador Ayrton Senna da Silva. Inscrições até 8 de outubro no site equipelurdessalgados.com.br

TELEFONES Redação (19) 3324-6062 Publicidade (19) 99109-4566

contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br

Publicado por JORNALZEN EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA. Fundado em janeiro/2005


SETEMBRO/2019

E

sportista desde pequena e trabalhando há mais de 20 anos com condicionamento físico e qualidade de vida, Camila Hirsch sempre soube que seu trabalho estaria ligado ao movimento e ao estímulo para uma vida melhor. Depois de se formar em esporte pela Universidade de São Paulo (USP) e fazer especialização em fisiologia do exercício pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), ela passou alguns meses na Califórnia (Estados Unidos) em cursos de extensão universitária. Ao longo dos anos de carreira, Camila descobriu que a melhor forma de ajudar as pessoas a levarem uma vida saudável é mostrar a elas que as possibilidades e os caminhos são individuais e devem ser trilhados de forma consciente, sob monitoramento profissional e com as ferramentas adequadas. Sob essa premissa e tendo como público-alvo pessoas em situação de vulnerabilidade, a paulistana de 44 anos está à frente do recém-lançado projeto 3ML Social, cujo objetivo é criar conexões entre ideias e ações ligadas à prática esportiva para melhorar a vida de pessoas. Consultora e palestrante, Camila Hirsch comanda desde 2011 o programa de rádio BandNews Em Forma. Mãe de dois filhos e sempre tentando achar espaço na agenda para treinar, a ex-nadadora, bailaria e triatleta concedeu entrevista ao JORNALZEN, na qual fala mais sobre seu projeto de empreendedorismo social e como conseguir mais qualidade de vida. Como surgiu a ideia de lançar o projeto 3ML Social? Em meu trabalho no rádio e como profissional de atividade física, sempre estive presente em campo, dando aula, e em teoria, atendendo ouvintes, tirando dúvidas e entrevistando profissionais da área da saúde. Isso me expôs e possibilitou ter acesso a pessoas que precisavam de ajuda em projetos lindos. Eu sei e a ciência comprova que a atividade física muda, transforma, desenvolve o ser humano de uma maneira verdadeira. Ensina disciplina, comprometimento, respeito, tolerância, resiliência, trabalho em equipe. Ensina a cair e levantar, a saber que não podemos desistir, desenvolve parceria e empatia mesmo com quem não temos afinidade. Por fim, abre portas para a mistura das pessoas sem levar em conta a cor, de onde vem, o gênero, a idade, a ideologia, a religião, o julgamento. Somos iguais e somos nós na essência. Em que consiste tal projeto e como ele irá funcionar? Busco projetos de atividade física e esporte que acho interessantes. Analiso, vejo a seriedade deles, dos profissionais, das condições e a possíveis chances que tenho de fazê-lo

JORNALZEN

3

ZENTREVISTA|Camila Hirsch

MUDAR É POSSÍVEL

Atleta, treinadora e empresária lança projeto de prática esportiva para melhorar a vida de pessoas em situações de vulnerabilidade DIVULGAÇÃO

bilidade de estar com as mais ricas e em seus ambientes. E os mais ricos devem transitar pelo mundo deles. Mas sair da bolha de cada um não é fácil. Precisamos facilitar esses caminhos. Qual a melhor forma de ajudar as pessoas a ter qualidade de vida? Na maioria das vezes, é necessário mudar hábitos e tirar de nossas cabeças clichês e teorias baseadas em nada. As pessoas se apoiam em crenças e teorias que muitas vezes afastam elas de melhorar a saúde, a vida e a tranquilidade mental. Precisamos não querer ser o outro ou ter a vida que os outros dizem que têm. E as redes sociais vêm muitas vezes para atrapalhar. As mudanças devem ser iniciadas aos poucos, escolhendo uma atividade que atraia. Pode começar praticando três vezes por semana. E não é necessário abrir mão 100% das coisas que gostamos de comer. Devemos pensar em metas a curto prazo. Subir um degrau de cada vez nas mudanças da alimentação e do exercício pode ser muito mais eficiente a médio e longo prazos.

crescer. Levo esses projetos para minha equipe de conselheiros. A partir da opinião deles, escolho como conduzir. A partir daí, vou atrás de verba, estrutura física necessária, pessoas e profissionais, materiais básicos e formas de controle. Claro que tudo é alinhado com os responsáveis. De que forma a prática esportiva pode contribuir para melhorar a vida de pessoas em situações de vulnerabilidade?

A prática diária de atividade física tira qualquer pessoa do consumo de drogas, do tráfico, da depressão e de outras doenças. Sabendo disso, comecei a ver grupos de pessoas e projetos que, se fossem maiores ou existissem, poderiam atender muito mais pessoas. Para mim, organizar treinos e projetos misturando as classes sociais, abrangendo todas as idades, cor e gênero é a solução para um mundo de oportunidades e inclusão. As pessoas mais pobres devem ter a possi-

“A atividade física abre portas para a mistura das pessoas sem quaisquer preconceitos. Somos iguais e somos nós na essência”

Particularmente, adota alguma prática relacionada ao autoconhecimento ou à espiritualidade? Faço terapia desde os 23 anos de idade. Fiz cursos de meditação, mas confesso que não tenho regularidade na prática. Hoje, eu e meu marido buscamos livros e conversas diárias que nos impulsionam e nos estimulam a mudar, a fazer diferente, a questionar nós mesmos, as pessoas, a vida e a nossa sociedade, sempre pensando na evolução do ser humano. Como avalia a proposta do JORNALZEN? Qualquer atitude ou ação que tem o bem como objetivo maior é bemvinda e necessária. Só assim conseguiremos mudar, evoluir e melhorar internamente e ao nosso redor. Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? Cada vez mais precisamos acabar com os grandes chavões, as teorias, os clichês. Muitas vezes, nos perdemos devido à nossa educação e cultura, mas depende de sairmos disso para mudar e evoluir. Sabemos que não é fácil, mas é muito gratificante e necessário para um futuro de sociedade e vida mais justos.


JORNALZEN

4

Decisão e atitude Sua decisão no momento responderá pelos seus dias futuros. Não se precipite. A meditação o ajudará a discernir com clareza e segurança. A indecisão prolongada ante uma posição a assumir gera a complicação do problema que deverá ser enfrentado, por mais tempo adiado permaneça pendente. Não cultive receios. Ore e consulte o Evangelho, após o que não tarde em demasia a definição. Aja com elegância mesmo quando diante de circunstâncias perturbadoras. Não reaja movido pelas paixões inferiores. Todos somos chamados, inevitavelmente, a testemunhos que aferem nossos atos e os valores individuais, na pauta da evolução de cada um. Quando não tenha conhecimento pessoal de uma ocorrência desagradável, ouvindo a narração sem a necessária calma, você não estará em condições de assumir responsabilidade e repassá-la. O desequilíbrio dos outros contamina também os que participam emocionalmente do problema, ofuscando-lhes a lucidez.

Harmonize -se antes, para ajudar com elevação e sabedoria. Pudor e escândalo depen- JOÃO BATISTA SCALFI do Educandário dem de quem Vice-presidente Deus e a Natureza (Indaiatuba) cultiva honorabilidade e insensatez. O que você cultiva, rebeldia ou serenidade, exterioriza-se, quando você for testado, no momento de sua posição real perante a vida. Resguarde-se da ira, fuja dos momentos da rebeldia, liberte-se do mal que teima em residir no seu íntimo. Não amargure suas horas, mediante a sustentação do clima pessimista, em decorrência de amigos, situações e atitudes. Faça sua luz brilhar, e quando se decidir pelo bem, não recue, não se arrependa, não reclame. Não exija santificação dos outros. Melhore-se primeiro a aprenda a decidir e agir com Jesus em qualquer conjuntura. Não julgueis, a fim de que não sejais julgados. Fonte: Momentos de Decisão (Divaldo Franco/Marco Prisco)

Turismo e espiritualidade é tema de fórum em São Paulo O 1º Fórum de Turismo e Espiritualidade receberá, dia 18 de setembro, em São Paulo, importantes nomes da indústria de viagens para debater destinos que trabalhem a espiritualidade em sua estratégia de promoção. O evento é aberto ao público e tem apoio do JORNALZEN. O primeiro painel, cujo tema é “França Espiritual”, será apresentado por Caroline Putnoki, diretora para América Latina do escritório de promoção turística da França. Além de trazer o case de Lourdes – a segunda cidade mais visitada da França depois de Paris –, a diplomata vai falar das cidades de Lisieux e Ars, e também o que a França tem a oferecer para fiéis de outras religiões. No segundo painel – “Brasil: destino de muitas crenças” –, o secretá-

rio de Turismo de São Paulo, Vinicius Lummertz, fala das estratégias e rotas de fé do Estado. Já o diretor da Bahiatursa, Jorge Ávila, vai explicar como a Bahia tem se posicionado nesse sentido. Para finalizar, o painel “Israel muito além do convencional” traz Tarcila Ferro, diretora de redação da revista Viajar Pelo Mundo; Carolina Dias, gerente de promoção do Ministério de Turismo de Israel, e Marcelo Micheletto, diretor da MH Tour, que contam suas experiências e apontam novas perspectivas para a Terra Santa. O 1º Fórum de Turismo e Espiritualidade terá início às 18h e vai até as 21h, na Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2.500 – Sumaré). As inscrições devem ser feitas pelo e-mail contato@promonde.com.br .

SETEMBRO/2019


JORNALZEN

SETEMBRO/2019

Encontro de almas Aconteceu em Florianópolis – a “Ilha da Magia” – o 5º Encontro Nacional de Psicoterapia Reencarnacionista, do qual tive o privilégio de participar. Seja como palestrante ou como participante, todos pudemos sentir a força do amor que nos une como profissionais e pessoas que acreditam e trabalham por uma nova psicologia da alma. Foram momentos de partilhas de conhecimentos e emoções que nunca senti em qualquer outro tipo de curso ou evento profissional. É um verdadeiro encontro de almas afins, que buscam e acreditam nos mesmos sonhos, de desenvolvimento profundo do ser humano com a sua busca evolutiva individual e coletiva. A psicoterapia reencarnacionista, que nos foi trazida pelo mundo espiritual em 1996, por meio do dr. Mauro Kwitko, está crescendo cada vez mais, tanto em número de profissionais – espalhados por 18 Estados e já começando em alguns países, como Portugal e Espanha – quanto na qualidade das experiências e pesquisas desses profissionais. No congresso catarinense tivemos a oportunidade de conhecer trabalhos desenvolvidos através da

investigação do inconsciente em diversos grupos, tomando um contorno de especialização, como SILVIA LA MONICA a psicoterapia silvialamonica15@gmail.com para crianças, para o grupo familiar, direcionada para questões da sexualidade e para animais. Seguindo a teoria e prática da PR, tem sido feito um lindo trabalho por parte de doulas, tornando o nascimento um momento profundo e curativo para o novo espírito que chega à Terra (o bebê). Também foram apresentadas pesquisas científicas e propostas de materiais didáticos. Volto dessa preciosa experiência com a fé renovada neste belo trabalho que tem sido minha escolha de atuação profissional, além de meu processo de desenvolvimento pessoal. Silvia La Monica é psicoterapeuta reencarnacionista associada à ABPR (19) 99109.4566

5


JORNALZEN

6

A importância do aspecto transgeneracional As experiências vividas pelos nossos antepassados têm profunda influência sobre nossas vidas. Este conceito, chamado de transgeneracional, parte da premissa de que determinados comportamentos inconscientes se transmitem de geração em geração, na tentativa de uma solução mais adequada e definitiva para o conflito em questão. A natureza busca em cada clã indivíduos aptos a resolverem determinados conflitos vivenciados pelas gerações anteriores e não resolvidos, para que este não se perpetue dentro daquele clã. Desta forma, simultaneamente e em perfeita harmonia, a natureza busca inconscientemente uma descendência apta dentro de um determinado contexto para obter soluções adequadas para a sobrevivência e a melhor resolução de conflitos biológicos. Em relação à vida pré-natal temos o chamado Projeto Sentido Parental. É tudo aquilo que os genitores projetam consciente ou inconscientemente sobre o bebê esperado, assim como a atmosfera que plasma naquele momento, considerando-se 72 dias que antecedem a concepção o tempo de maturação dos gametas, ou seja, o campo mórfico que atua sobre os gametas materno e paterno. Existe também uma ordem exata de nascimentos entre filhos de sexo masculino e feminino de acordo com a fragilidade daquele clã, de acordo com a história daquele clã para que o conflito até então não solucionado vivenciado previamente possa então ser resolvido. A isto denomina-se grade de lealdade familiar. Atua-se por afinidade entre os membros do clã como uma teia de pertencimento e vínculo na bus-

ca de equilíbrio e da ordem sistêmica. Não herdamos todos ELOÁ SANCHES os conflitos do Médica, acupunturista e clã, mas esta- decodificadora biológica mos predispostos em alguns trajetos e dispomos de ferramentas possíveis para administrar e superar a história deste clã. Observa-se a evolução dentro do clã de padrões de repetições. Uma primeira geração vivencia um conflito biológico que atua sobre ela. Ela recebe a ação. A geração seguinte vai reagir ao conflito vivenciado pela geração anterior na tentativa de resolução. Neste momento em relação a desordens físicas não observamos sintomas importantes. A terceira geração tem a informação do conflito anterior, mas não tem a experiência, ela busca o entendimento consciente. A quarta geração revive a experiência, materializa o conflito, porém de forma mais virtual. A quinta geração busca a conscientização e apresenta novas possibilidades de mudança. A sexta geração manifesta fisicamente um programa biológico, sintomas físicos, na tentativa de resolver definitivamente o conflito. A sétima geração é o recomeço do ciclo. A decodificação biológica busca estas informações e experiências transgeneracionais para encontrar muitas das raízes de nossos padrões limitantes que nos mantêm em sofrimento. Eloá Sanches é médica com pós-graduação em Medicina Tradicional Chinesa, formação internacional em Leitura Biológica, formação internacional em Memória e Informação; e aromaterapeuta clínica

SETEMBRO/2019


SETEMBRO/2019

JORNALZEN

7


8

JORNALZEN

Refletindo o encontro de casal Bert Hellinger aponta que segredos... nossos... e dos o “relacionamento de caque nos precederam. Disal é uma comunidade de versos aspectos inconsdestino”. Há uma sintocientes, ocultos, desconia, uma busca, uma innhecidos vão integrar a requietação, questionamenlação de casal. Talvez istos, há um resgate aconso se transforme através tecendo nos relacionada relação de casal... talmentos que nos envolvez amargue a relação de vem e nos quais nos en- RENÉ SCHUBERT casal... talvez a finde Psicanalista volvemos. Nos tomam e rapidamente... talvez a convidam a dançar. prolongue... talvez seja Numa relação de casal há mui- doloroso... talvez seja suave... taltas pessoas envolvidas e copartici- vez limite... talvez enrijeça... talvez pando... direta e indiretamente – flexibilize... talvez, leve além... consciente e inconscientemente. O “O primeiro obstáculo em um individual encontra-se com o cole- relacionamento é que um não retivo. Com o próprio coletivo e com conheça ou tenha dificuldades em o de outrem. Eu, minha família, o reconhecer que o companheiro tem outro e a sua família... E, se surgi- raízes diferentes das suas e, porrem filhos, torna-se a nossa família. tanto, está marcado de maneira diOu seja, quando acho que es- ferente. Que não se pode fazer de tou namorando/casando com (A) e ambas raízes diferentes uma só raapenas com (A), na verdade, eu (B) iz, senão que elas permanecem diestou me relacionando/casando com ferentes. Pois, assim como o ho(A) e com todos aqueles (As) que mem e a mulher são diferentes, aso(a) compõem. Da mesma forma sim também são suas famílias de (A), quando casa comigo, casa não origem. E como entre o homem e apenas comigo, mas comigo e com a mulher deve haver um processo todo(a)s o(a)s que me compõe (to- que une o que é diferente, assim da minha família). é também com relação à sua faAs famílias de (A) e (B) convi- mília de origem. Condição prévia dam, assim, o casal a dançar. A mú- para tanto é que cada um recosica e ritmo já tocavam antes e o nheça a família do outro, a valocasal encontrar-se-á, ou não, neste rize e a ame.” (Bert Hellinger) ritmo e movimento. Entrarão em O tecido individual vai junto ao sintonia, ou não, e seguirão os rit- tecido coletivo trilhar, tecer os camos que pulsam em seus corpos e minhos dos destinos e tentar manmotivam o corpo a criar, os passos tê-los, sofrê-los, reconhecê-los, ada movimentar... ministrá-los, elaborá-los, transforE assim compartilhamos expe- má-los... sozinho ou em conjunto. riências, vivências, sentimentos, Será que em algum momento crenças, hábitos, comportamentos, estamos, realmente, sozinhos?

-

SETEMBRO/2019

Bom trânsito para nós! Marks Pintija

CNH especial para PCD A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) especial é a carteira de motorista para pessoas com deficiência (PCD) ou com mobilidade reduzida, sendo portadoras de doenças que afetam as funções motoras ou cognitivas e diminuam a capacidade de dirigir. Essa condição é exigência prevista na legislação para que a pessoa esteja apta a dirigir e também é requisito inicial para aquisição de veículo com isenções de impostos e preço reduzido. Doenças neurológicas, amputação de membros, próteses e nanismo são alguns dos casos que preveem a possibilidade de obter a CNH especial. O processo de primeira habilitação especial é o mesmo da CNH convencional. É necessário ter 18 anos de idade, possuir RG, CPF e endereço atualizado. O cidadão comparece ao Detran e solicita o encaminhamento para fazer um exame de aptidão física e mental

junto ao médico da banca especial. Nesta ocasião deverá apresentar os laudos médicos com as devidas restrições indicadas com código CID (Classificação Internacional de Doenças). O médico anotará no processo quais restrições o candidato deverá adaptar no veículo para que sejam feitas as aulas e o exame prático. Este exame, com data agendada pelo Detran, terá a presença do examinador e um dos médicos credenciados. Com a aprovação no exame prático a CNH é emitida com a letra de restrição informada no campo de observações, que vai de A (restrição ocular) até U (não dirigir após o pôr do sol) e X (outras restrições). A validade é a mesma prevista para todos os condutores, de até cinco anos para quem possui até 65 anos de idade ou até três anos para acima dos 65. Marks Pintija é especialista e educador em trânsito


JORNALZEN

SETEMBRO/2019

9

Dr. Orestes Mazzariol

A respiração e os chacras

Idosos e tratamento precoce

Chacras são centros de sim como para a glânduenergia localizados ao la pituitária. Os efeitos dessa respiração alcanlongo do corpo. çam todo o caminho paA palavra chacra deriva do sânscrito e sigra a parte posterior do cénifica “roda”. rebro quase imediataA roda gira ao redor mente. Quando respiramos do próprio eixo; ela poapropriadamente, alide revolver lenta ou raHIRANA FAÉ pidamente. O chacra, mentamos cada parte de Psicoterapeuta por sua vez, gira de acorcada sistema do corpo. O do com o grau de energia do sis- oxigênio que penetra em nossos tema de cada ser humano e pode pulmões representa apenas cerca simbolizar os inúmeros padrões de 20% do total do ar que respicíclicos da vida. Quando você res- ramos e exatamente um quarto pira conscientemente neles, você dessa quantidade é trocada por os integra. Os chacras podem es- dióxido de carbono, principal protar bloqueados ou movendo-se de duto residual de nosso metabomodo contrário e a respiração aju- lismo. O restante é expelido com cada exalação. da a desbloqueá-los. Os outros 80% que respiramos Cada chacra corresponde a determinados sistemas físicos e a consistem de vários gases que têm seus respectivos órgãos. Funcio- pouco ou nenhum efeito sobre nosnam como transmutadores de e- sos sistemas. Portanto, metabolizanergia de um nível para outro, dis- mos apenas cerca de 5% da quantribuindo energia prânica ao cor- tidade total do ar que penetra em nossos pulmões. Todo o ar que respo físico. Quando você respira, o ar pe- piramos, entretanto, é energia vinetra pelo nariz juntamente com tal que proporciona vida e que nos a energia vital (prana) e, juntos, nutrirá se tivermos consciência basfluem para os órgãos vizinhos, as- tante para fazê-lo atuar.

O processo de envelhecimento resulta de sucessivos danos sofridos pelas estruturas moleculares ao longo do tempo. A velocidade de envelhecimento em um indivíduo depende da interação entre danos, manutenção e reparação molecular, influenciados pela genética e fatores ambientais. Também é reconhecido que as idades cronológica e biológica podem variar consideravelmente. No entanto, mesmo na ausência de doença coexistente sabida a idade avançada é sempre acompanhada por um declínio geral na função do órgão e, especificamente, por alterações na estrutura e função. O controle das causas de mortalidade foi possível em função do desenvolvimento da ciência, que contribuiu significativamente para o aumento da longevidade. Isso levou a um aumento da prevalência da disfunção do trato urinário inferior (LUTS) tanto em homens como em mulheres. É importante definir como o envelhecimento e doenças crôni-

cas específicas influenciam a homeostase das vias reguladoras do trato urinário inferior, quando desafiados por estressores (enchimento da bexiga, isquemia, estresse oxidativo, infecção, alteração da microbiótica). E precisamos desenvolver uma compreensão mais profunda dos fatores potencialmente modificáveis que envolvem os indivíduos e que contribuem para o risco aumentado da perda da qualidade de vida em pacientes com LUTS, para implementar o conceito de tratamento precoce. Profissionais que tratam idosos com LUTS devem entender que a idade está relacionada com alterações fisiopatológicas do trato urinário inferior. O conhecimento da fisiologia do envelhecimento pode ajudar a reduzir as complicações relacionadas com a idade. A profilaxia bem-sucedida é dificultada pela heterogeneidade de alterações relacionadas à idade, interações fisiológicas, farmacológicas imprevisíveis e dificuldades diagnósticas.

WhatsApp: (19) 99738-1523 | Campinas/SP

Mais produtividade: faça yôga e mude sua vida

WhatsApp JORNALZEN (19) 99109-4566 (19) 99149-1256

Alcançar altos índices de produtividade requer determinadas condições. Todos queremos produzir mais em espaços de temCLÉLIO BERTI po cada vez Professor sênior no mais curtos. Yôga Flamboyant A busca pela produtividade a qualquer preço poderá afetá-la substancialmente. Para um bom desempenho, precisamos de boa saúde, excelente alimentação, sono reparador e cabeça fresca. Sem uma ferramenta para administrar o cotidiano, afundamos em compromissos, correria e queda de produtividade. Os primeiros sintomas apare-

cem com a dificuldade de concentração, a sensação de que o dia não rendeu como o esperado e o acúmulo de afazeres. O excesso de preocupações, a noite mal dormida e outras mazelas fazem com que o próximo dia já comece embotado. Ter um desempenho satisfatório implica na ideia de fazer tudo o que precisamos, do ponto de vista profissional, e ainda sobrar tempo de qualidade para a família, para os

amigos e para solucionar as pequenas coisas como lavar o carro, etc. Aprender a respirar adequadamente, trabalhar o corpo para mantê-lo forte e com boa resistência muscular e desenvolver uma concentração afinada formarão a base para uma produtividade qualificada, quer seja no ambiente profissional, quer seja na vida pessoal. Faça yôga e mude a sua vida.

Av. José Bonifácio, 1.030 Jd. Flamboyant - Campinas WhatsApp: 19 99725.4241

www.yogaemcampinas.com.br


JORNALZEN

10

As três portas do yoga Quando tinha 14 anos de idade, lendo em algum lugar a palavra yoga, questionei para alguns familiares: “o que é yoga?”. Um deles respondeu: “é um tipo de ginástica sensual”. Ainda bem que não me convenci de sua resposta e, tempos depois, tive a oportunidade de conhecer e me aprofundar no tema. É incrível, mesmo com tanta divulgação, que ainda muitas pessoas associem o yoga apenas no seu aspecto físico. Observando a mim mesmo e meus alunos, pude concluir que temos que abrir três portas no caminho da compreensão do que é yoga. A primeira porta que leva uma pessoa ao yoga é a busca do bem-estar. O praticante busca através das práticas psicofísicas: um alinhamento do corpo; aprender a respirar; desenvolver a concentração; relaxar e, assim, pode passar muitos anos desenvolvendo técnicas e habilidades na prática, pode tornarse um exímio praticante ou em algum momento desiste na busca de novas modalidade e desafios para o corpo. Aqueles que conseguem atravessar essa primeira porta podem abrir a segunda, quando o praticante desperta para o estudo e começa a entender que, além das posturas, o universo do yoga abrange um conteúdo filosófico maravilhoso de conhecimentos. Começa a participar de palestras e cursos, estuda os textos antigos e, assim, abre um leque grandioso de possibilida-

des. Alguns se tornam grandes intelectuais no tema; outros correm o risco de vi- MÁRCIO ASSUMPÇÃO rarem com- Professor de yoga e diretor do Instituto de Yogaterapia putadores ambulantes de conhecimentos adquiridos e não assimilados. Muitos desistem em busca de novas ideias e filosofias. Até que a maturidade leve o praticante para abrir a terceira porta do yoga: o autoconhecimento. Nesse momento, tudo o que foi estudado deve ser colocado em prática. A filosofia só tem sentido se praticada e a prática é enriquecida com a filosofia. Os conhecimentos vão sendo digeridos, assimilados e transformados em sabedoria. O corpo torna-se um meio e não um fim da vivência do yoga; a meditação deixa de ter hora marcada, para que haja o desenvolvimento de um mente meditativa; a ética não são apenas palavras bonitas nas escrituras sagradas, mas um compromisso com a vida. De fato, para compreender o que é yoga é preciso ter uma mente pluralista e não tentar classificá-lo em setores, como se fossem departamentos separados: o setor da ginástica; da meditação ou da filosofia. Yoga é tudo isso e muito mais para quem está preparado para abrir todas as portas. Namastê.

SETEMBRO/2019

UNIVERSO DIGITAL Amanda La Monica

Persona da empresa (2) Como foi o mapeamento dos comportamentos de seus atuais clientes? Vamos ao passo a passo para estruturar as personas da empresa, baseado em um cliente existente: 1) Defina qual foi a principal dor/o maior problema que o cliente tinha ao procurar sua empresa; 2) Escreva qual era o objetivo desse cliente: o que ele estava buscando ao identificar seu principal problema; 3) Reflita e descreva qual o desafio desse cliente: em relação ao objetivo, ele tinha um desafio de como resolver o problema? 4) Com estes três itens descritos, escreva qual a solução principal oferecida pela sua empresa;

5) Rascunhe uma rotina criando a persona como um ser real: dê um nome, crie uma rotina de trabalho e consumo, para que você visualize potenciais canais de divulgação. Importante: é interessante ter mais de uma persona por empresa, mas não passe de cinco, para não perder o foco da solução. Estruturar uma persona não é um processo simples. Leia, releia, apague e reescreva até chegar na principal pessoa que será seu potencial cliente. Na consultoria de marketing fazemos este processo durante um longo período, detalhando cada etapa. Estou à sua disposição!


JORNALZEN

SETEMBRO/2019

O casal alquímico Se você procurar imagens de “alquimia” na internet, com certeza encontrará figuras contendo os símbolos do Sol e da Lua. Esse casal é muito importante na alquimia. O Sol representa os genes que herdamos do pai, a energia masculina, e está ligado aos chacras básico, umbilical e laríngeo. Esses centros de energia, quando equilibrados, fortalecem a segurança, a força realizadora, a expressão, a mente analítica. Ao contrário, quando em desequilíbrio, podemos nos sentir inseguros, sem vitalidade, tímidos ou com dificuldades em nos expressar adequadamente. Já a Lua representa a herança genética da mãe, a energia feminina, e está conectada com os chacras esplênico, cardíaco e frontal, ligados, respectivamente, ao prazer, à autoestima e à intuição. Quando em desequilíbrio, podemos sentir falta de vaidade e autoestima,

depressão e dificuldades de aprendizado ou de visão de futuro. A união desLUISA CATELLI se casal alquíTerapeuta floral mico se faz no chacra coronário, que é sabedoria e inspiração. O funcionamento desses centros de força é essencial para a saúde física, emocional e mental. Por isso, na terapia com florais alquímicos, realiza-se a limpeza das serpentes masculina e feminina: um processo no qual o alquimista receita florais que limpam essas energias, fortalecem-nas e, na última etapa, realizam a integração das duas. O resultado é um indivíduo mais saudável, equilibrado e com força para mudar padrões negativos que nada têm a ver com sua Essência.

11

EDUCAÇÃO EM FOCO Elizete Cristina Aguiar

Cidade educadora Uma cidade educadora é aquela que vai além de suas funções administrativas tradicionais. Ela “educa” a população e forma integralmente seus cidadãos. Nela, a escola é parte essencial desse processo e em parceria com a comunidade e com outras instituições, ela auxilia nessas transformações locais (a princípio) e posteriormente se torna permanente, ao longo da vida. Ela ultrapassa os muros da escola, ensina e ao mesmo tempo aprende. Todas as atividades curriculares são desenvolvidas e integradas entre si. O currículo é transdisciplinar: por meio de projetos de estudos definidos por consenso. Se fortalece o desejo de aprender, com significado para a vida. No Brasil, a ideia de uma cidade educadora está em permanente diálogo com o trabalho de diversos autores, entre eles, Anísio Teixeira (escolas-parque), Mário de Andrade (parques infantis), Paulo Freire (educação cidadã), Milton Santos (território), Moacir Gadotti (escola cidadã) e Ladislau Dowbor (educação e desenvolvimento local), para citar alguns. Como defende Jaume Trilla, “é possível aprender na cidade (cidade como espaço onde a aprendizagem ocorre), aprender com a cidade (cidade lida como texto, como emissora constante de aprendizados) e aprender a cidade (cidade como intervenção, passível de transformação, de ação política).” A cidade educadora é mais limpa, mais justa, mais segura, os espaços públicos são acessíveis e inclusivos. Seus cidadãos, sendo mais participativos, conseguem exercer com dignidade a sua cidadania. É uma cidade que busca acolher a diversidade, respeitando as particu-

laridades de cada um. Atividades agroecológicas são vivenciadas diariamente, proporcionando qualidade de vida e aprendizagens significativas, sempre por meio da experiência: cultivo de hortas comunitárias e escolares (agricultura sustentável): onde todos possam aprender os conhecimentos tanto empíricos quanto práticos e acabar com a fome, alcançando a segurança alimentar e a melhoria da nutrição; respeito aos animais: através de paradas pet, microchipagem e criação de associações de amigos dos pets; produção de papel reciclado; separação de lixo e reutilização de materiais. Os ODs (objetivos de desenvolvimento sustentável criados pela ONU) são implantados, implementados e respeitados; a educação para o trânsito é o foco ao invés de gastos com obras, saúde e multa. Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos. Reduzir substancialmente a desigualdade, a corrupção e o suborno em todas as suas formas. Pois, corrupção, suborno, roubo e evasão de impostos custam cerca de R$ 1,26 trilhão para os países em desenvolvimento por ano. Enfim, não há políticas fragmentadas, as experiências em diálogo com a cidade educadora evocam a necessidade de articulação entre os diferentes setores do governo e da sociedade em um pacto pelo desenvolvimento humano e social. Elizete Cristina Aguiar é administradora, professora de geografia e pedagoga. Foi diretora, coordenadora pedagógica, vicediretora do Programa Escola da Família (PEF) e secretária municipal de Educação em Elias Fausto (SP).


12

JORNALZEN

O que determina quem somos? Seu passado, seja ele fazem crescer, movimenqual for, não pode detar-se, sair do comodisterminar quem você é mo. O comodismo não eou quem você deve ser. leva. Adoece. Seja presenSeus sonhos, suas te e importante na vida de vontades, seus desejos alguém. Querendo ou não, são inatos em cada ser sua consciência é eterna, humano. Você é o único assim como sua essência. responsável pelo camiA energia em que você nho de sua vida. A es- FABIANA BERNARDES vibra é que vai direcionar Ortodontista colha é livre, embora tequem caminha com você. nhamos crenças limiO que você prefere por tantes que muitas vezes nos im- perto? Pessoas carentes, derrotapedem de progredir. das, que te levam para baixo, ou Sua história ou o que fizeram pessoas que te levantam, motivam, com você são importantes, mas não embora não digam o que você presão impossíveis de mudar. Reflita cisa ouvir. sobre o que aconteceu com você. Tenha vontade de crescer. NunAprenda coisas novas. Nunca é tar- ca pense que já sabe de tudo. Só de para recomeçar. assim poderá ajudar a si mesmo e A ignorância é perdoada, porém aos outros. lembre que existem consequências. Use os dons e presentes espeO que o futuro te reserva precisa ser ciais que Deus te deu nesta vida. idealizado no plano das ideias, pa- Não desperdice aquilo que te faz ra depois virar algo concreto. Deve ser um ser humano melhor. ser plantado com consciência, comAprenda a ser feliz todos os dias. promisso e alguns sacrifícios. Com Se quiser ser mediano, a escolha a maturidade vamos aprendendo a é sua, não há problema nenhum dar valor ao que realmente vale nes- nisso. Mas não arrume desculpas ta vida. Ao trabalho digno, a ser jus- nem culpe os outros. to, honesto. Aprendemos que é imNão confunda aproveitar a vida portante deixar algo que seja rele- com desperdiçar a vida. Nunca divante e faça a diferença na vida de ga que não tem tempo. Sempre tealguém. mos tempo sobrando para o que julNão culpe os outros, jamais, nem gamos importante para nós. do sucesso nem do seu fracasso. DeSe quer ser diferente da maiopendem somente das suas escolhas. ria, haja de forma diferente. E quanNinguém pode viver a sua vida. As- do precisar fazer algo que não gossuma suas responsabilidades e te- ta, lembre que isso é um degrau que nha comprometimento em tudo o vai te levar aonde quiser chegar. que se dispuser a fazer. Tenha um modelo de pessoa de Nos estudos, no trabalho, na fa- sucesso. Somos altamente influenmília, dê sempre um pouco mais ciados pelo meio. Tenha empatia e do que foi esperado. Seja acima da compaixão pelas pessoas que ainmédia. Cuide da sua espiritualida- da não compreendem nem buscam de, da sua saúde, da sua vida social. um sentido para a vida. Cuide bem do único corpo físico que Se puder, ajude. Se não puder, Deus lhe deu. ofereça seu amor incondicional, sem Agradeça todos os dias. se omitir, seguindo sua intuição. O Seja franco, não viva de descul- seu mundo e o mundo lá fora serão pas e enfrente os obstáculos que te um lugar muito melhor para se viver.

SETEMBRO/2019

Marcelo Sguassábia O fim das curtidas Isso é uma baita sacanagem. Não é possível uma injustiça assim, todo mundo precisa saber quanta gente curtiu meu post! Pelo menos os amigos mais chegados. Eu vou fazer um print screen da tela. Se não der certo pra postar o print screen eu fotografo a tela mesmo, depois publico a foto, dando um superclose nos “joinhas” conquistados. Aí não tem erro. São 283 curtidas, a humanidade precisa saber disso. Eu bato o meu recorde de likes e a glória fica só pra mim? Ninguém mais vê? Quando eu tinha cinco, seis curtidas, o numerozinho medíocre saía publicado sempre, e na hora que eu estou bombando o Insta me boicota? Garanto que nesse meu jeitinho os caras do Instagram não pensaram. Essa vai pro currículo: o dia em que eu fiz o Mark Zuckerberg de bobo. Aí, se a moda pega e todo mundo copiar o que eu fiz, eles vão ver que não adianta querer acabar com os likes, e voltarão atrás com essa mudança ridícula. Contei o plano para um amigo meu, só que ele acha que não vai dar certo. Segundo ele, as grandes redes sociais pagam gente do mun-

do inteiro para monitorar o que é postado na plataforma. Uma espécie de controle mundial de qualidade. Se detectada alguma irregularidade, eles suspendem o usuário por um tempo e podem até mesmo expulsá-lo. Acontece que aí é uma liberdade que eu tenho de pegar algo que está no meu perfil – no caso, o número de curtidas – fazer disso uma imagem e postar no Instagram. Ninguém pode falar nada! E o melhor de tudo é que eu posso ganhar muito dinheiro com esse meu insight genial. Influenciadores digitais e youtubers, que dependem dos likes para fazer dinheiro e monitorar sua aceitação pelo público, podem boicotar a imposição da nova regra fotografando suas telas e postando-as como imagens. Mais: as curtidas podem ser “anabolizadas”, já que uma imagem fotografada é facilmente manipulada pelos photoshops da vida. E aí? Como é que fica? Curtiu, Instagram? Observação: a tese defendida por este texto é diametralmente oposta à opinião do autor.

Marcelo Sguassábia é redator publicitário


SETEMBRO/2019

JORNALZEN

13

Respiração é vida! Respiramos em média 22 mil vezes por dia, expandindo e contraindo todo o corpo, sendo ao mesmo tempo consciente e inconsciente, num ritmo análogo ao do mar. A onda inspiratória começa de dentro do ventre, no centro vital do indivíduo. Quando ela se move para cima, em direção à garganta e à boca, realiza uma inalação; e quando procede na direção contrária, realiza uma expiração. A respiração está diretamente relacionada ao estado de excitação do corpo. Ter a percepção da respiração, percebendo se respiramos pela boca ou pelo nariz ou até se a prendemos é importante, pois a maneira como respiramos é reveladora. Revela um ritmo, um bem-estar interior ou demonstra tensão, desconforto, pressão e intranquilidade. Quando nos encontramos num estado de calma e relaxamento nossa respiração torna-se lenta e suave. Já numa grande emoção fica mais rápida e intensa. Com medo, respiramos rapidamente, prendendo o fôlego. Em estado de tensão ela se torna bem pouco profunda. Perdemos a habilidade de respirar naturalmente expandindo o tórax e a barriga na inspiração e soltando e relaxando todo o corpo na expiração. Aprendemos a respirar superficialmente principalmente para reprimirmos sentimentos associados ao abdômen, como a tristeza. Se prestássemos mais atenção à nossa respiração perceberíamos como estamos nos sentindo. Na parada ou restrição respiratória o corpo sente como uma ameaça vital. Quanto mais tensão, menos respiração, resultando na ansiedade. Já quando suspiramos é nosso corpo nos chamando – a atenção no quanto estamos “prendendo o fôlego”, pois nos alerta para a necessidade

de “saída de ar”. Já o bocejo é indicação de que há necessidade de “tomada de ar”, para que SUELY B. MALVESTITI a energia se- Psicoterapeuta corporal ja reposta. Então, preste atenção à sua respiração. Observe o ar entrando e saindo. Como é isso? Ao inspirar elevo o peito empurrando os ombros para cima? Ou utilizo meu abdômen também? O que é mais fácil para mim, inspirar ou expirar? No processo respiratório, inspirar é encher e conter, convida à ação. Já expirar é um convite a ceder e a liberar. Pessoas que têm medo de ir ativamente ao encontro do mundo tem dificuldades em inspirar, e pessoas que têm medo de se soltar para a vida e o viver apresentam dificuldades para expirar. Basta um movimento respiratório bem amplo para fornecer ao corpo todo o oxigênio de que ele necessita para um minuto de atividade vital. O ritmo respiratório relaxado constrói um senso de concentração. Uma pessoa está centrada quando está ligada ao ritmo da sua respiração. O exercício a seguir pode ser uma maneira de você começar a se conectar com sua respiração... Sente-se em uma cadeira, sentindo seus pés no chão, inspire e expire lentamente. Observe as sensações e seu ritmo respiratório. Mantenha sua expiração num ritmo mais lento que sua inspiração, até que você consiga expirar pelo dobro do tempo da sua inspiração (2:4/4:8... e assim por diante). Fica aí o convite para prestarmos atenção à nossa respiração, pois respiração é vida!


JORNALZEN

14

SETEMBRO/2019

VIDA EM HARMONIA O

ser humano, assim como os animais, as plantas, os minerais, estão inseridos no grande sistema planetário e está submetido às leis de mutação da natureza que rege este sistema. O homem é o único a possuir a qualidade da razão e da consciência e, portanto, da escolha, po-rém sofre pelas influências externas de consumo que encontram res-sonância em seus estados emocionais. A partir daí podem ocorrer escolhas nocivas para sua saúde e bem-estar. Acreditamos que, para viver em harmonia, devemos escolher de maneira consciente, observando as necessidades de nosso organismo, que naturalmente está de acordo com o que a natureza nos oferece, a cada estação, com as mudanças no clima, ou com a cultura em que vivemos. Vivemos num país tropical, onde o clima é quente na maior parte do ano, e temos de ter hábitos que não sobrecarreguem o nosso organismo. Seguindo essa filosofia, o JORNALZEN traz, a partir desta edição, dicas, receitas e informações para que possamos nos conectar de forma harmoniosa com a nossa realidade. Vamos viver de maneira mais simples e natural possível para que assim possamos ter uma Vida em Harmonia.

PRIMAVERA Setembro ganha um novo encanto com o início da primavera. Para você que curte plantas, aceite o convite e plante um jardim, seja em um cantinho de seu apartamento ou algumas ervas na janela da cozinha. Comece a mexer na terra: é saudável e relaxante!

CUIDADOS COM AS PLANTAS • Use vasos de barro, xaxim ou amianto, que permitem que a raízes respirem livremente. • As plantas colocadas próximas às janelas tendem a crescer na direção da luz. Vire os vasos de vez em quando, para receberem luz de todos os lados. • Lave as folhas das plantas para que elas respirem melhor. Vaporize ao menos duas vezes por semana. Elas adoram! Observe: • Folhas murchas são consequência do apodrecimento da raiz. • Folhas amarelecidas e caídas são sintomas de superirrigação. • Folhas que começam a nascer menores são sinal de que está na hora de mudar de vaso. • Planta murcha e folhas caindo – pode ser que elas não estejam recebendo luz suficiente.

PARA ANUNCIAR NESTA PÁGINA: 19 99109-4566 (WhatsApp)

FRUTAS DO MÊS Abacaxi, banana, figo, laranja, mamão, melão, morango, nêspera, pera, maçã Dica: O figo é uma fruta que contém uma das maiores concentrações de açúcar. Portanto, fermenta facilmente, não devendo ser guardado por muito tempo.

SUCOS DE FRUTAS ALGUMAS DICAS: • Mamão, abacate e maçã rendem sucos suaves. Limão, laranja, abacaxi e maracujá dão sucos mais ácidos e acentuados. Uma dica equilibrada é misturar as frutas desses dois grupos. Use a criatividade. • Suco de morango mais forte se obtém espremendo a fruta numa peneira. • Suco de maçã também pode ser feito assim: cozinhe a fruta cortada em quatro até amaciar e coe sem pressionar. Calcule duas xícaras de água para cada seis maçãs.

RECEITA

Homus de abóbora com limão siciliano Ingredientes: • 400 g abóbora cabotiá lavada e picada (cerca de duas xícaras) • 2 colheres (de sopa) de Tahine Macedônio • 1 limão siciliano (cerca de três colheres de sopa) • 2 colheres (de sopa) de azeite • 1 dente de alho pequeno • Sal a gosto

Cozinhe a abóbora como preferir ou asse, até ela ficar macia e uma faca atravessá-la com facilidade. Você pode manter a casca da abóbora, que dá um gostinho especial. Coloque em um processador ou liquidificador potente, e adicione o tahine, o suco de limão, o azeite, o alho, e tempere com sal a gosto. Bata até obter uma pasta uniforme. Está pronto!


JORNALZEN

SETEMBRO/2019

Mapeamento pessoal Nesta fase do desenvolvimento da humanidade, importa que as pessoas ampliem seu nível de consciência e que busquem alinhar suas ações exteriores com o chamado/ convite que a Vida lhes faz para a manifestação de todo o seu potencial (vivenciar seu dom): recuperar o viço do ser (estar a serviço de si e da sociedade). A partir da data de nascimento é possível traçar o “mapeamento pessoal”, que faz o diagnóstico do tipo da “personalidade” (como é vista no mundo); identificar seu “condicionamento” (comportamentos que podem estar se repetindo em seu cotidiano, sem que a pessoa tenha a percepção sobre eles); traz à consciência do consulente qual o seu dom essencial (o que veio fazer na Terra) – qualidade que pode ainda estar latente, sendo impedida de se manifestar, pelo fato de estar vivenciando o condicionamento de sua personalidade. Podem se beneficiar deste atendimento jovens que estejam em fase de definição da área de estudos acadêmicos ou para escolha de car-

reira profissional; para gestores e executivos que queiram acelerar a melhoria de seu desempe- ELPIDIO PINHEIRO nho profissio- Terapeuta holístico nal e de suas relações interpessoais, em corporações ou no convívio social; ou para definir um plano para criação de seus próprios negócios; e para aqueles que estejam vivenciando dúvidas existenciais e queiram ampliar o conhecimento sobre si mesmo para melhorar seu estado anímico e de suas relações interpessoais e familiares. Nossa meta de desenvolvimento é vivenciar o impulso (fazer germinar a semente que nos foi implantada no ventre materno), utilizando a forma de personalidade disponível, superando o condicionamento. Assim, poderemos ser mais eficazes em nosso trabalho e mais felizes em nossos relacionamentos familiares, sociais e profissionais.

15


JORNALZEN

16

CULTURAZEN LUCIANA YURIE

O especialista Valdemar Setzer e Solange Costa (centro), diretora da escola Aldeia Akatu, de Barão Geraldo, ladeados por participantes da palestra sobre o impacto dos meios eletrônicos e a pedagogia Waldorf DIVULGAÇÃO

O artista multimída Ca Cau com a escultura do projeto Olho D’Água, inaugurada no Parque Portugal, em Campinas, que visa despertar para questões ambientais DIVULGAÇÃO

Tarde de pintura promovida pela Fundação para Arte no Hospital, dos Estados Unidos, no Centro Infantil Boldrini, em Campinas

DIVULGAÇÃO

Mutirão promovido por programa da Fundação Educar para ajudar escola no Jardim São Domingos, em Campinas, por meio de jovens que foram treinados para se tornarem agentes locais de mudança

SETEMBRO/2019

Profile for JORNALZEN

Jornalzen Setembro 2019  

Jornalzen Setembro 2019  

Advertisement