Page 1

JORNALZEN ANO 14

OUTUBRO/2018

AUTOCONHECIMENTO

Nº 164 •

BEM-ESTAR

www.jornalzen.com.br

CIDADANIA

CULTURA

SAÚDE

DIVULGAÇÃO

ZENTREVISTA

Ricardo Laurino Pág. 3

DA

AN

AM LA

ARTIGO

Efeitos danosos do álcool Pág. 2

A

NIC

MO

YOGA É LUZ Flagrante da 17ª edição do encontro promovido em Campinas no Dia Nacional do Yoga (22 de setembro), que teve uma semana de aulas abertas na região

PARA ASSINAR OU ANUNCIAR: (19) 99109-4566 DIVULGAÇÃO

CULTURA ESCANDINAVA A tradicional Feira Escandinava acontecerá no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo, nos dias 6 e 7 de novembro. O evento reúne grande variedade de produtos da Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia, desde alimentos, bebidas, brinquedos até objetos de decoração. Com entrada aberta ao público, a feira atrai uma média de 12 mil pessoas anualmente há mais de 50 anos. A maior parte da renda é destinada a projetos sociais, ajudando mais de 11 mil crianças.


JORNALZEN

2

Necessário mea-culpa

Outubro/2018

CIÊNCIA DA FELICIDADE

Recentemente, visitei o ressam. centenário Museu de HisPor exemplo: não faltória Natural em Londres ta investimento de publie uma das curiosidades cidade de empresas em que observamos foi uma festas de rodeios, futebol, pedra de esmeralda de carnaval, com investimais ou menos dez centímento do governo local metros doada ao museu ou estadual em manifespor Dom Pedro I. tações diversas. Então, se No mesmo dia, soube SILVIA LÁ MON as pessoas não visitam os da notícia do incêndio no Diretora do JORNALZEN museus, eles ficam sucaMuseu Nacional, do Rio teados (como vem aconde Janeiro, e então soutecendo); se não leem libemos que existia um museu belís- vros, as livrarias e editoras fecham simo no Brasil, bem perto de nós, (como vem acontecendo com granonde estava o crânio do mais anti- des redes). Se trocam o jornal imgo registro humano das Américas presso pelas redes sociais, os jore uma múmia egípcia também do- nais acabam fechando (como vem ada por Dom Pedro. Estarrecida, acontecendo). veio-me a seguinte reflexão: quanEm Londres, muitas vezes via tos brasileiros sabiam da existên- uma pessoa lendo um livro no bancia ou visitaram esse museu? co do metrô ou num canto de um A verdade é que só é preserva- café. Todos os museus estavam do aquilo que é valorizado. É uma cheios diariamente, e não eram só cadeia sistêmica. O governo prefe- turistas. Cada pessoa carregava re investir naquilo que as pessoas um pão, de um lado, e um jornal, do se interessam e consomem. O que outro. E nós aqui lamentamos, ficainteressa aos governantes é o voto mos indignados, culpamos o goverdas pessoas, então eles dão mais no, mas o que estamos fazendo? daquilo que elas querem e deixam Nossa cultura erudita está morem segundo plano aquilo que dei- rendo dia a dia e a responsabilidaxam de consumir ou não se inte- de é de cada um de nós.

Compreenda a essência da meditação A meditação é uma arte muito profunda e vasta. Hoje se expandiu, tornando-se parte da rotina de muitas pessoas. Mas é de difícil compreensão. Precisa ser aprofundada por meio da prática diária, não basta compreendê-la na teoria. Para começar, não é suficiente sentar-se e ficar de olhos fechados. Nem é uma técnica para concentrar a mente em uma única coisa. Há muitos estilos de meditação que ensinam uma boa postura e maneiras de relaxamento. Mas métodos que dão muita ênfase a técnicas corporais acabam associando a meditação mais à forma do que à prática de sua verdadeira

As reflexões desta coluna são extraídas dos livro O Milagre da Meditação, do japonês Ryuho Okawa, pensador, líder religioso e escritor na área da espiritualidade

Efeitos danosos do álcool Guilherme Messas

O

s resultados da maior pesquisa mundial sobre os efeitos danosos do álcool, publicados pelo prestigioso periódico científico The Lancet, são claros: não há nível seguro para a utilização da substância. Nos últimos anos, repetidas evidências cientificas vêm mostrando que o álcool não deve ser tratado como uma droga branda, sem maiores riscos para os indivíduos e a sociedade, em relação à qual apenas um pouco de moderação no uso bastaria para sua ampla aceitação social. Quero aqui defender três argumentos que mostram porque é urgente a tomada de medidas firmes para o controle do álcool. E essas razões não passam por um moralismo antiquado ou um paternalismo autoritário: elas são a expressão das necessidades de uma sociedade moderna, que coloca a

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

Informar para transformar

saúde pública, a segurança pública e a qualidade de vida de seus cidadãos como prioridades. Em primeiro lugar, o álcool é uma droga perigosa porque lesa a sociedade por várias maneiras diferentes. Na população jovem, é a principal causa de morte precoce, em geral ligada à vulnerabilidade a doenças infeciosas, acidentes de carro e violência interpessoal. Se, hipoteticamente, toda a população mundial resolvesse parar de usar álcool, haveria 20% de redução das mortes e das condições de saúde incapacitantes. Acima de 50 anos, a hipotética supressão do álcool reduziria as mortes por câncer em mulheres em 25%! Esses dados alarmantes, no entanto, são insuficientes para convencer a população da necessidade de mudança de comportamento. Isso ocorre pelo segundo motivo que quero ressaltar. A segunda razão para se com-

DIRETORA SILVIA LÁ MON JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508

essência. A primeira condição para se meditar do modo correto é acreditar na existência do divino, pois, do contrário, não há como realizar uma meditação verdadeira. Sem isso, a prática da meditação não tem como produzir mudanças significativas. Na língua japonesa, o termo “meditação” combina dois caracteres: um significa “olhos fechados” e outro, “pensamento”. Ou seja, afastar a mente deste mundo e ter pensamentos elevados, iniciando uma conexão do nosso interior com o mundo celestial. Acreditar em uma existência superior é o segredo para alcançar uma profunda transformação interior por meio da meditação. O mundo espiritual existe. Essa é uma verdade imutável. O mundo espiritual é o nosso verdadeiro lar. A meditação serena a mente e alinha nosso estado interior com as vibrações do mundo celestial.

bater o uso desregulado do álcool é sua invisibilidade. Como beber é uma prática cultural disseminada, há um nítido descompasso entre os danos que provoca na população e a percepção das pessoas destes danos, para si mesmas e para terceiros. É muito difícil para as pessoas reconhecerem que aquilo que estão acostumadas a fazer é muito mais nocivo do que lhes parece. Por isso, é fundamental que o assunto seja tratado não apenas do ponto de vista informativo, mas também propositivo. São necessárias medidas efetivas que, depois de discutidas com a população e pactuadas com todos, permitam de fato um controle do álcool. Foi assim, por exemplo, no caso do cigarro e hoje se vê como as medidas de restrição do fumo, muitas vezes combatidas no início de sua implantação, são quase um consenso na população. Por fim, é importante ressaltar

TELEFONES Redação (19) 3324-6062 Publicidade (19) 99109-4566

contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br

que o uso de álcool aumenta à medida que as sociedades enriquecem. O uso problemático do álcool é, de certo modo, um efeito colateral do avanço das sociedades contemporâneas. Pouco a pouco, o álcool vai se tornando um fator de risco fundamental para a carga de doenças nessas sociedades. No caso brasileiro, por exemplo, já é a terceira causa de anos de vida perdidos. Assim sendo, oferecer políticas de álcool adequadas é o caminho inevitável para um desenvolvimento social compatível com as aspirações de modernidade de uma sociedade. Não haverá uma sociedade justa e moderna que não tenha na política do álcool um dos seus pilares de sustentação. É urgente que o Brasil coloque em sua agenda uma ampla discussão sobre o uso controlado do álcool. Guilherme Messas, psiquiatra especialista em álcool e drogas, é professor e coordenador do Programa de Duplo Diagnóstico em Álcool e Outras Drogas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É coordenador da Câmara Temática Interdisciplinar sobre Drogas do Conselho Regional de Medicina de São Paulo.

Publicado por JORNALZEN EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA. Fundado em janeiro/2005


Outubro/2018

V

egetariano desde os 17 anos e vegano desde os 30, o empresário Ricardo Sérgio Parisi de Laurino atribui as mudanças no estilo de vida à postura que sempre teve com os animais. O paulistano de 45 anos, morador de Curitiba (PR), é consultor de empresas. Antes de se tornar presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), em 2015, foi coordenador da entidade durante três anos. Por meio de campanhas, convênios, eventos, pesquisa e ativismo político, a SVB promove a conscientização sobre os benefícios do vegetarianismo e trabalha para aumentar o acesso da população a produtos e serviços vegetarianos. Ricardo também coordena a Mostra Internacional de Cinema pelos Animais e é palestrante sobre esse tema e outros, como nutrição, meio ambiente e ética. Durante visita ao restaurante Raízes Zen, em Campinas, para lançamento de seu segundo livro, Ricardo Laurino concedeu entrevista ao JORNALZEN.

JORNALZEN

3

ZENTREVISTA|Ricardo Laurino

OPÇÃO VEGETARIANA AMANDA LA MONICA

Empresário preside entidade precursora em alavancar no Brasil o movimento que defende a exclusão de produtos de origem animal da alimentação

Quando foi fundada a SVB? E quais as demandas para que ela tivesse sido criada? A SVB foi criada em 2003 com a demanda de trazer o 26º Congresso Vegetariano Internacional para o Brasil, o que aconteceu em 2004. Daí em diante, pela quantidade de pessoas que participaram do evento e o interesse delas em se filiar, a SVB acabou ganhando força desde sua fundação. Esse evento trouxe o vegetarianismo da forma como a gente vem entendendo hoje e, principalmente, a alimentação sem nada de origem animal. As pessoas começaram a entender como isso era possível. Do que se trata a campanha que você veio lançar em Campinas? É mais que uma campanha. Trata-se de um programa, chamado Opção Vegana. É voltado para atender e a estimular as empresas e os estabelecimentos a terem opções veganas. Primeiramente, podemos atender ou oferecer orientações à empresa. Então, fazemos uma análise do cardápio, identificando as melhores possibilidades de alguns pratos veganos com sabor, atrativos e que os chefs e cozinheiros tenham condição de fazê-los. Depois, entramos no processo de inclusão no cardápio. Já tivemos a adesão de uma centena de lojas, entre redes de sorveteria, temakeria e batatas. Localmente, temos grupos para que possam atender esse público, que cresce cada vez mais. A campanha “Segunda sem Carne” também foi promovida pela SVB? É uma campanha mundial que a SVB trouxe para o Brasil. Esse projeto cresceu tanto que, no Estado de São Paulo, são mais de cem cidades, incluindo a Capital. Uma vez por semana, nas escolas públicas, é servida na merenda uma refeição isenta de produtos de origem animal. São mais de 48 milhões de refeições veganas no prazo de um ano. É um grande sucesso. A SVB também promove com a Faculdade Federal de Recife a

primeira pós-graduação de nutrição vegetariana. Também promovemos todos os anos o Vegfest, que é uma das maiores celebrações do movimento vegetariano das Américas. Este ano, acontece até 14 de outubro em São Paulo. Temos, ainda, uma campanha vegetarianismo contra o câncer que contou apoio e adesão de quase uma centena de médicos e nutricionistas. Outro projeto superbacana que é o Selo Vegano, uma certificação para que os produtos industrializados levem esse selo para que o consumidor tenha certeza de que não há nenhum ingrediente de origem animal ou que tenha sido testado em animais, ou ainda que insumos desses produtos não tenham sido testados. Hoje, são mais de 700 produtos com esse selo. Do que trata os livros que escreveu?

Quando lancei o primeiro livro, O Último Teste, em 2013, me sentia na obrigação de falar sobre outros aspectos do veganismo. Escrevi sobre o uso de animais em pesquisas e toda polêmica nos questionamentos em relação a isso. Ao invés de escrever algo documental ou opinativo, tentei trazer uma história com personagens e visões que se entrelaçam numa história de ficção investigativa. O leitor acaba se identificando e se envolvendo com a história. Dessa forma, a mensagem que queria passar sobre o uso de animais nas pesquisas acabou sendo passada de forma mais tranquila. O livro que estou lançando, A Última Morte, segue a mesma ideia. É uma continuação. São histórias independentes, mas com as mesmas personagens. Trata do veganismo em geral com o mesmo conceito de ficção investigativa.

“Temos um impulso natural de termos compaixão com os animais, sermos saudáveis e manter o planeta habitável”

Como avalia a proposta do JORNALZEN? Esse tipo de abordagem e a leitura que vocês proporcionam, leve mas com conteúdo, é superimportante. A gente vive num mundo muito corrido. As pessoas têm muitas dúvidas, indagações sobre seu futuro, seu presente. Leituras como essa ajudam a fazer com que, através da qualidade de vida, a gente sinta mais prazer naquilo que se propõe a fazer, ainda que nem sempre a gente consiga fazer tudo aquilo que quer. Então, é muito válido. Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? Não há bem-estar psicológico melhor do que a gente se sentir bem e ter uma postura de benevolência em relação aos animais, à nossa saúde e ao nosso próprio planeta. E a postura através do vegetarianismo é uma das melhores formas de a gente sentir isso. Temos um impulso natural de termos compaixão com os animais, de sermos saudáveis e naturais e de manter o nosso planeta habitável, cada vez mais cheio de riquezas naturais preservadas, com uma biodiversidade rica e uma vida próspera. O vegetarianismo é a melhor forma de conseguir isso, quando vamos nos alimentar, nos vestir e nos divertir.


JORNALZEN

4

Outubro/2018

A força do amor Narra-se que, em uma carta dirigida à sua filha, o gênio admirável Albert Einstein teve a coragem de declarar que a maior força do Universo é o amor. Considerou as quatro leis básicas conhecidas: a gravidade, a eletricidade, a quântica forte e a quântica fraca, sobrepondo o amor, que transcende qualquer expressão de outra ordem, como o quinto e mais vigoroso elemento responsável pelo equilíbrio cósmico. Referiu-se ainda que, ao apresentar a primeira teoria da relatividade do tempo e do espaço, sofreu zombaria e menosprezo de outros cientistas, e tinha certeza de que, novamente, se voltariam, os adversários do progresso, a criticá-lo e desconsiderá-lo, em razão do conceito então apresentado, o amor na sua grandeza real. Numa reflexão mais profunda, em face dessa declaração, percebe-se que o amor pode ser considerado como a alma da vida, levando-se em consideração que é a expressão mais vigorosa do Criador. Na raiz dos grandes feitos da Humanidade, o amor encontra-se como causa essencial. Todas as lutas e incertezas experimentadas durante a execução da obra tornam-se possíveis por causa dessa energia poderosa que se encontra em toda parte, exteriorizada do Autor do Cosmo. As mais eloquentes realizações do mundo, que exigiram sacrifícios inomináveis, batalhas intermináveis, longas discussões que superaram os interesses políticos, sociais e econômicos, tornaram-se vitoriosas por causa do sentimento de amor que revigorava seus idealistas incansáveis, que perseveraram firme até o fim. Pode-se dizer que o amor é a força aglutinadora das moléculas na formação de todos os elementos existentes, particularmente ricas de vitalidade. Causa universal da vida, ei-lo ma-

nifestando-se nos seres humanos como afetividade, unindo-os e trabalhando a glória da inte- JOÃO BATISTA SCALFI ligência e da ra- Vice-presidente do Educandário Deus e a Natureza (Indaiatuba) zão, assim como da comunhão de ideias que vêm tornando a cultura e a civilização melhores. Quando o amor surgiu no homem e na mulher, no passado, coroando os elementos dos instintos primários e fortes, iniciou-se a era da felicidade no planeta terrestre. Anteriormente, as manifestações dos instintos – primórdios das emoções – gravitavam mais no automatismo das ações sem os correspondentes efeitos das transformações edificantes das existências. Os progressos da humanidade, a sua lenta saída das trevas para a luz, operaram-se e vêm-se realizando graças à presença do amor, que se transforma em energia vigorosa para auxiliar e construir os ideais de enobrecimento e de libertação da ignorância na marcha inexorável para o infinito. Quando o amor irriga a alma com a sua ternura e seu encantamento, a debilidade fortalece-se e os sentimentos logram a modificação da aspereza da sua manifestação, dando lugar à doçura, à afabilidade, à beleza e ao carinho. Mede-se a grandeza de um povo pelas expressões de amor e sacrifício que são vivenciados. “Desarma-te das precauções afetivas, anula na mente os insucessos vividos, esquece as angústias e a ingratidão, e deixa que o amor te dê vida.”

Fonte: Luz nas Trevas (Divaldo Franco - Joanna de Ângelis)

Barão Geraldo - Campinas AGENDA – OUTUBRO/NOVEMBRO 2018 Outubro: 9 anos de Sabiah! Inscreva-se em nosso canal no Wsp: (19) 99117-5544 CONSTELAÇÃO FAMILIAR MUSICAL (Janaína Campos e Adriano Dias) 9 e 30/outubro (terça-feira), às 19h (para constelar: agendar por e-mail; para participar: contribuição consciente) CONSTELAÇÃO MUSICAL COLETIVA – tema: As Dores da Infância (todos os participantes são constelados) – 16/outubro (terça-feira), às 19h CONSTELAÇÃO TSFI (Maria Angélica) 28/outubro (domingo), às 14h ATENDIMENTO POPULAR THETAHEALING® E FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM (horários no site e agendamento por e-mail: contato@sabiah.com.br) TODA SEMANA NO SABIAH RENASCIMENTO EM GRUPO (com Renata Borges) Prática de respiração meditativa e terapêutica que promove estados de consciência expandida, abrindo espaço para a manifestação do potencial de autocura que reside em cada ser humano – segunda-feira, às 20h DANÇAS CIRCULARES – Meditação ativa para todas as idades (Janaína Campos) – quinta-feira, das 18h15 às 19h30 GRUPO SAMAÚMA – Preparação para o parto natural para gestantes e casais – quinta-feira, das 19h30 às 22h GRUPO PÓS-PARTO toda quarta-feira, das 9h30 às 11h30 YOGA MAHI terça e quinta-feira, das 17h às 18h30 | segunda e quarta-feira, das 18h30 às 20h YOGA E MEDITAÇÃO (com a instrutora indiana Neeranjna Bajpai) segunda, quarta e sexta-feira, das 8h30 às 9h30 YOGA MATERNA – Para gestantes e mães com bebês (Paula Ubinha) terça e quinta- feira, às 11h CURSOS (inscrições e mais informações por e-mail: contato@sabiah.com.br) 19 a 21/outubro – Tantra Sagrado: Iniciação ao Caminho do Amor (para solteiros e casais), com Ronald Fuchs 26/outubro – Queijos Veganos, com Lucas Montanari

PARA ASSINAR OU ANUNCIAR, LIGUE: (19) 3324-6062 | 99109-4566 OU ACESSE: www.jornalzen.com.br

• GRUPOS DE PATHWORK® • MEDITAÇÃO SONORA • YOGA E YOGA MATERNA • GRUPO SAMAÚMA (Preparação para o parto natural e apoio pós-parto e amamentação) • LEITURA DE AURA • AULAS DE TÉCNICA VOCAL (técnica Alexander) • DANÇAS CIRCULARES • RODAS DE CURA • THETAHEALING® E FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM • PSICOTERAPIA SISTÊMICA • GRUPOS TERAPÊUTICOS • FORMAÇÃO EM CONSTELAÇÃO SISTÊMICA Agendamento e mais informações: (19) 99117-5544 (WhatsApp)

Rua Paulo Lanza, 91 (entrada de Barão Geraldo) – Campinas/SP (19) 3327-0910 – contato@sabiah.com.br – www.sabiah.com.br


JORNALZEN

Outubro/2018

Como nasce um livro? A 2ª Jornada Literária de Campinas, que vai de 22 a 25 de novembro, patrocinada pelo Fundo de Investimento de Cultura de Campinas (FICC) traz uma extensa e atrativa programação nas mais diversas áreas. Faz parte da jornada a mesa literária “Como Nasce um Livro”, que ocorrerá no dia 24 de novembro, às 16h, sob organização de Maria Branca Eventos. Além do livro comercial, que segue o caminho tradicional editoralivraria-leitor, há os esforços conjuntos das escolas, das prefeituras, das empresas, das famílias, das pessoas que acreditam na diferença que a educação faz na vida do cidadão, no futuro das pessoas e do País de criar projetos que estimulem a produção de livros de novos autores ou de autorias coletivas. Todos os anos, o Instituto Educacional Imaculada, de Campinas, relaciona o projeto do pré I com a Campanha da Fraternidade, que neste ano tem como tema “Fraternidade e superação da violência”. Foi escolhido como tema do Projeto 2018: “O respeito nos une: cada um com seu jeito e o jeito de cada um”. “Para desenvolvermos a nossa proposta, escolhemos o livro paradidático Ca-ta-ri-na. Conhecendo a história dessa menina que como todo mundo, é um pouco igual, um pouco diferente! O outro personagem é o João, que gosta da Catarina do jeito que ela é, pois a enxerga além da visão, enxerga com o coração. Nosso objetivo principal é trabalharmos com as crianças a importância de respeitar as pessoas, então relacionamos o livro Cata-ri-na com o circo, e nós, professoras, montamos uma outra história chamada ‘Catarina e seus amigos vão ao circo’. Com essa proposta, trabalhamos com os alunos os diversos talentos e habilidades e com isso valorizamos o que o outro tem de melhor e respeitamos o jeito de ser de cada um. Nas ativi-

dades de registro, tivemos o envolvimento das famílias, que contribuíram com o JANICE FLORIDO nosso livro janice.florido@uol.com.br coletivo da série, enriquecendo ainda mais o nosso projeto”, relatam as professoras do pré I, Carolina Bittar, Fernanda Banhara, Luciana Tozzi, Rachel Fonsechi e Simone Souza Silva. O projeto Ler e Escrever: Fonte do Saber, organizado por Maria Lucia Serrano, Angelina Ceballos e Eliane Doratiotto, da Secretaria de Educação da Prefeitura de Atibaia, conta com duas ações: a Jornada Literária, que conta com atividades culturais e lúdicas, aprendizado, leitura e interação com autores de livros infantis, e a feitura de um livro pelas turmas dos quintos anos e da EJA das escolas municipais. Cada classe produz e ilustra coletivamente um conto, que são reunidos em um livro, distribuído aos alunos autores. Para Magda Krauss, proprietária da Livraria Saber e Ler, iniciativas como essas criam novos públicos, estimulam a leitura e fazem com que a educação realmente ganhe em qualidade e em importância dentro da nossa sociedade. “O que está faltando, porém, é o estímulo às pequenas livrarias, às livrarias de bairro, para que as pessoas possam sair de casa, andar dois, três quarteirões, ir a pé a uma livraria, ver o que há de novo nas prateleiras, quais autores estão lançando livros, dar uma espiada nas novidades e também naqueles livros que elas não tiveram oportunidade de ler anteriormente. As pequenas livrarias têm importância fundamental para atingir um público maior, finaliza Krauss.

www.sabereler.com.br sabereler@sabereler.com.br Facebook: MariaBrancaEventos

telefone: (19) 3231-2672

5

Padre Haroldo Vozes inconscientes Um templo cheio de sinos pequenos e grandes numa tempestade afundou no mar. Uma lenda indiana ensinava que, frequentemente, se podia ouvir os sinos. Certo jovem passou um mês na praia tentando escutá-los, mas não conseguiu. Decepcionado, no último dia, repousando em silêncio profundo, escutou o bimbalhar de um sino, depois outro e mais outro e logo após milhares deles. No relaxamento, esta suave sinfonia encheu seu coração alegremente. Nosso Criador se comunica conosco espiritualmente abraçando-nos no seu amor e nos direciona para o melhor caminho no serviço da Divina Majestade. Deus fala diretamente ao coração e nos conduz com delicadeza, com carinho, com poder e com liberdade para seguir as vozes interiores, grandes e pequenas. Com corações abertos, atentos, nos sintonizamos com as cinco vozes. Estas cinco vozes inconscientes são as dinâmicas que ocorrem

em toda a nossa volta. 1 - A primeira voz vem diretamente do Cristo na força do Espírito; 2 - A procura da diversão e prazer, dinheiro, da carne, que São Paulo chama “Sarx”; 3 - A procura de perfeição humana como no budismo (que não é uma religião, porém, uma filosofia de vida) não desejando nada. Santo Inácio espiritualmente aperfeiçoa a ideia com “desapego”; 4 - A ciência procurando servir a humanidade não porque segue Cristo, mas, simplesmente, para aperfeiçoar a humanidade comum; 5 - A “voz das trevas” com assassinatos, subversão da liberdade, vivendo na “máfia da vida”. Os que decidem levar a vida no Espírito Santo procuram se afastar das vozes das trevas e tornam-se discípulos sérios libertados de Sarx. Os discípulos sérios preferem fazer o bem por amor a Cristo em vez do humanismo natural. Haroldo Rahm é presidente emérito do Instituto Padre Haroldo hrahmsj@yahoo.com


JORNALZEN

6

PANORAMA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL A Associação Brasileira dos Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável (Abraps) promove sua oitava reunião temática no dia 26 de outubro, a partir das 15h30, na Unibes Cultural, em São Paulo. O evento acontece mensalmente e é aberto a qualquer interessado. Nele são apresentados projetos de grupos de trabalho da Abraps e ações de parceiros. A Unibes fica na Rua Oscar Freire, 2.500 (Sumaré). OUTUBRO ROSA 1 Entre os eventos do Outubro Rosa, campanha de incentivo à prevenção do câncer de mama, no dia 21 de outubro, às 8h, a Praça Arautos da Paz (Taquaral) , em Campinas, recebe a Caminhada Laço Rosa. No mesmo dia, das 9h às 12h, a Praça Carmela de Vita Godoy (Vila 31 de Março) terá oficinas artísticas, atividades esportivas, música e palestras abertas ao público. Até o fim do mês, os shoppings Iguatemi e Galleria sediam exposições fotográficas. OUTUBRO ROSA 2 Quem passar neste mês pelo Parque D. Pedro Shopping, em Campinas, poderá conferir o bazar beneficente do Núcleo de Voluntárias do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism) da Unicamp. Entre os produtos artesanais à venda estão panos de prato, bordados, caminhos de mesa, nécessaires e bolsas. O bazar fica no corredor da Entrada das Pedras e funciona de segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingos e feriados, das 12h às 20h.

-

Outubro/2018

Bom trânsito para nós! Marks Pintija

Permissão internacional para dirigir A Permissão Internacional para Dirigir (PID) é um documento válido para o motorista quando permanecer em outros países por mais de 180 dias. O condutor brasileiro precisa, por precaução, saber se a nossa CNH (Carteira Nacional de Habilitação) é aceita naquele país. Vale ressaltar que existem diferenças na nomenclatura das categorias dos veículos que o cidadão possa dirigir e assim, se faz necessária a consulta da equivalência. Na América do Sul, a Argentina, Chile, Peru, Paraguai e Bolívia seguem uma regulamentação básica entre eles assim como Moçambique, Espanha e Itália aceitam a reciprocidade. Para saber sobre os demais casos é possível consultar a listagem de 76 países nos canais de divulgação do Detran-SP. Nessa relação constam os países considerados “partes contratantes” da Convenção de Viena sobre Trânsito Viário, firmada em 1968. Para solicitar a PID, o condutor vai até o Detran,

ou através de seu procurador, e apresenta seus documentos pessoais e o comprovante de endereço, além da CNH original dentro do prazo de validade, com a condição de não estar cumprindo processo de suspensão ou cassação nem estar realizando uma mudança de categoria da atual habilitação. O prazo máximo de validade da PID será de três anos. Caso a CNH atual tenha o vencimento antes desse período, então essa será a duração da nova PID emitida. O valor da taxa de emissão da Permissão Internacional em 2018, no Estado de São Paulo, é de R$ 282,70 e caso seja solicitada a entrega via postal, acrescenta-se o valor da postagem. Marks Pintija é especialista e educador em trânsito

Cristina Corsini

O

tema educação socioemocional vem sendo muito discutido nos dias de hoje como um grande desafio do século 21. Puro modismo? Certamente, não! As últimas décadas do século 21 e início deste novo século foram marcados por grandes processos de mudanças sociais, econômicas e políticas que afetaram diretamente as relações de trabalho e o dia a dia das pessoas, instituindo novas demandas e necessidades. O mundo atual exige habilidades, tais como resiliência, criatividade, responsabilidade... Que vão além das chamadas habilidades cognitivas. Isto quer dizer que, não basta mais a pessoa possuir uma inteligência brilhante, porém não sabe trabalhar em equipe. Além do mais, vivemos hoje uma era pautada na velocidade – tudo é muito rápido e acelerado! Graças à universalização dos meios de comunicação e ao acesso ao universo digital cada vez mais acelerado, as informações estão cada vez mais dinâmicas e propagam-se à velocidade da luz! Assim, outra habilidade necessária nos dias de hoje é a capacidade de formar redes de conexões; não há mais espaço para aquele su-

jeito que quer trabalhar isolado. Mas, enquanto o mundo exige e cobra que os nossos jovens concluam a educação básica sendo capazes de solucionar problemas de maneira colaborativa, demonstrem empatia, pensem criticamente e façam escolhas responsáveis, sendo protagonistas de seu próprio desenvolvimento e de suas comunidades, a educação do nosso país, apesar de infinitas mudanças, ainda se mostra retrógrada e engessada com um modelo que remete a Grécia Antiga, cujo cerne do trabalho era a transmissão de conteúdos. A base da docência dos nossos educadores e a ênfase do trabalho pedagógico ainda privilegiam o pensamento lógico e recaem sobre modelos criados para atender demandas antigas – o acúmulo de conhecimento, exercícios, repetições e testes que podem até resultar em uma nota maior, mas que não preparam o aluno de forma integral e, muito menos, dão conta de desenvolver todas as competências que ele necessita para enfrentar os desafios do século 21. Obviamente ninguém está questionando a importância do desempenho ou do aprendizado nas diferentes áreas do conhecimento. Os conteúdos que compõem as grades

SHUTTERSTOCK

Educação socioemocional: tendência do século 21

curriculares das disciplinas são muito importantes. Mas é preciso ir além. Tabus devem ser quebrados e novos paradigmas deverão ser adotados. Transformar a escola não é mais uma opção. É uma necessidade. Precisamos, com urgência, preparar nossos alunos para os desafios do mundo para além dos muros das escolas. Mas, se o “chão da escola” precisa transformar-se, é necessária a produção de saberes e fazeres que se concretizem na criação de novas modalidades de práticas na escola. Ou seja, o cuidado, atenção

e construção de um novo olhar da atuação pedagógica. Um novo olhar para a educação sem levar em conta a formação de professores, para que estes, intencionalmente nas aulas, desenvolvam um trabalho mais colaborativo e que busque promover o pensamento autônomo dos alunos, será um esforço que poderá virar letra morta. Cristina Felipe Corsini Pasinato é psicopedagoga, coordenadora da pós-graduação em educação socioemocional do Instituto Brasileiro de Formação de Educadores (IBFE) e orientadora pedagógica do Anglo Center V


JORNALZEN

Outubro/2018

Dr. Orestes Mazzariol Câncer e problemas sexuais Uma vez que a sobrevivência do câncer começa assim que alguém recebe diagnóstico da doença, as diretrizes podem melhorar os cuidados para ambos os pacientes que ainda estão planejando seu tratamento e aqueles que estão passando por tratamento ou terminaram a terapia ativa. Os problemas geralmente são causados por danos físicos aos nervos, vasos sanguíneos e hormônios envolvidos em uma resposta sexual normal, embora os problemas emocionais também tenham um papel. Muitas das emoções negativas que acompanham o diagnóstico de câncer desaparecem após um tratamento bem-sucedido, mas os problemas sexuais tendem a demorar sem ajuda profissional. Idealmente, a ajuda deve incluir terapias para problemas mé-

dicos como problemas de ereção, dor com relações sexuais e perda de desejo sexual, bem como aconselhamento para ajudar o sobrevivente e o parceiro do câncer a se comunicar abertamente e ajustar sua rotina sexual. Se um problema específico for encontrado, você precisará de uma avaliação mais aprofundada e seu médico deve sugerir tratamentos. Para as mulheres, as diretrizes mencionam a perda de interesse em sexo, perda de sensações sexuais, secura vaginal ou dor durante o sexo e dificuldade em chegar ao orgasmo. Para os homens, fiquei triste em ver que as diretrizes se concentram muito em problemas de ereção. É verdade que os problemas de ereção são a questão sexual que mais frequentemente leva os homens a buscar ajuda, mas também vemos muitos homens com perda de desejo, dor durante o sexo ou orgasmos secos, fracos ou com vazamento de urina. Orestes Mazzariol Junior é urologista

7

Constelação sistêmica familiar – um ato de amor A história de nossa faprecederam e esta ma mília nos pertence. Eslha pode conter nós (ematamos a ela vinculados, ranhados) por algo que ela é uma parte de nós ocorreu no passado e e marca a nossa persoque está dificultando o nalidade, com todas as fluxo de nossa vida atual. forças e fraquezas que Quando membros de temos. uma geração da família A constelação visa, deixam situações por reROSÂNGELA de forma prática e visolver, membros das geVIRGÍNIA FAÉ vencial, dissolver antirações posteriores poPsicoterapeuta gos padrões familiares dem inconscientemente (conflitos e doenças que se repe- assumir a responsabilidade de restem) que de alguma forma impe- tabelecer a “ordem” nesta família, dem o livre fluxo de amor entre trazendo à tona problemas e/ou os membros de um sistema. dificuldades pelos quais não são Baseia-se no fato de que to- responsáveis. do ser humano é o resultado de Através da constelação é posseus antepassados. sível que os emaranhamentos apaSomos a soma de nossos pais, reçam e também as soluções. Enavós, bisavós, e assim por diante. tretanto, é fundamental ressaltar Não só biologicamente, mas que esse processo é terapêutico, também energeticamente. Faze- exige experiência do profissional mos parte do inconsciente cole- que o conduz e acima de tudo, tivo de nossa família. Temos em exige entrega de ambas as parnossas células memórias regis- tes, discrição e isenção de julgatradas de nossos antecedentes. mentos. Por isso o nome constelação: Constelar pode ser um ato cuuma malha interligada de amor, rador, benéfico e amoroso. de conexão com todos que nos Informe-se mais a respeito.

WhatsApp: (19) 99738-1523 | Campinas/SP

CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS E ÓLEOS ESSENCIAIS - Cultivo orgânico e uso terapêutico -

Pedro Melillo de Magalhães - agrônomo (CPQBA - Unicamp) Eloísa C. Pimentel de Magalhães - médica (clínica CHAI) 27 de Outubro | Sítio São Pedro | Serra Negra-SP www.bemtefazoleos.com.br | bemtefaz@gmail.com 19 99282-8004


8

JORNALZEN

O desafio de viver em equilíbrio O mundo é dual: dia e rém a pessoa dominada noite; sol e lua; positivo e por rajas torna se agitanegativo; razão e emoção. da, ansiosa, agressiva e Negar a dualidade deste impulsiva, extremamenmundo relativo é querer te tensa e nervosa. viver em sofrimento. Ele Mas também existe sempre será assim, pois sattva, que é a qualidade essa é a sua manifestado equilíbrio presente nos ção. O próprio Tao nos enmovimentos harmônicos sina que o yin se comda natureza, em alimenplementa com o yang, num MÁRCIO ASSUMPÇÃO tos com propriedades cuconstante ciclo de equilí- Professor de ioga e diretor rativas e até mesmo num do Instituto de Yogaterapia brio dos opostos. estado mental de mediPara o yoga, existem tação, cujo equilíbrio se três qualidades que regem toda a faz presente. A diferença de sattva matéria: tamas, rajas e sattva. Tudo com as outras é que ela não conseo que existe em termos materiais, gue nos dominar. Temos de buscar incluindo a matéria sutil, como o pen- diariamente a qualidade do equilísamento e as emoções, tem essas brio através de um estilo de vida que três qualidades. Tamas é a inércia, a nos traga uma vida em harmonia. qualidade de tudo o que está num Esse estilo de vida se chama yoga. estado mais vagaroso, pesado e es- O yogi é aquele que busca viver em tático, como por exemplo uma ro- equilíbrio neste mundo dual e isso cha, a gordura presente nos alimen- não é nada fácil. O que a maioria faz tos ou até mesmo uma sensação de é se acomodar em tamas e rajas. preguiça. Tamas é necessário em nosA pessoa dominada pela inércia so dia a dia, como na hora de dor- não quer sair do lugar, detesta mumir para termos um sono mais tran- danças e não faz reflexões sobre sua quilo, na nutrição, pois precisamos própria vida. E a dominada por rajas de uma pequena quantidade de ali- vive num futuro ilusório, fugindo do mentos mais densos. O problema momento presente e sem conseguir passa a existir quando somos domi- estar aqui e agora. A busca pelo equinados por uma qualidade e desta for- líbrio não é estimulada em nossa soma nasce o desequilíbrio. A pes- ciedade, por isso, exige daquele que soa dominada por tamas sente pre- a pratica um esforço maior para sair guiça o dia todo, tem dificuldades da aparente normalidade e buscar excessivas em fazer mudanças, se- verdadeiramente uma vida mais saugue a lei do mínimo esforço e pode dável. Mesmo assim, é importante apresentar uma alimentação incor- saber que é impossível manter-se reta, consumindo grande quanti- sempre em sattva porque isso tamdade de alimentos pesados, geran- bém pode gerar distorções e apegos. do disfunções metabólicas. Entender a dualidade da vida e O mesmo acontece com rajas, começar a enxergar além do aprisioque é a qualidade da agitação. Ela namento do tempo e espaço é tamestá presente nos movimentos da na- bém uma forma de viver em equilítureza, é necessária para que a vida brio proposta pelo yoga. Tudo é nesiga o seu fluxo. Por exemplo, a mo- cessário na medida certa e aprender vimentação do ar que gera o vento, esse ensinamento é uma grande saum alimento que ativa o metabo- bedoria. Assim como as outras qualismo e até um “estresse natural” que lidades, o equilíbrio é impermanencoloca o organismo para agir rapi- te, por isso o desafio é conquistá-lo damente diante de um desafio. Po- todos os dias. Namaste.

Outubro/2018

UNIVERSO DIGITAL Amanda La Monica

Inovação em ação Você tem estado atento às novas tendências que vêm surgindo e adequa seus produtos a elas, ou cria novos? Muitas vezes nos limitamos a nichos e serviços de mercado conhecidos, onde a concorrência já está estabelecida e a estrutura está organizada. Sabemos o que deve ou não ser feito para que tenhamos sucesso. Desta forma, estamos seguros, porém limitados. O estágio extraordinário de sua empresa acontecerá no momento em que começar a pensar nas novas possibilidades. Anali-

se os comportamentos atuais da sociedade, prevendo o que o futuro precisará e então aja como um pioneiro. É mais difícil e complexo. Você deverá analisar os nichos de interesse, avaliar dados e pesquisas atuais, colocar a criatividade e a inovação em ação para gerar novas ideias e adaptações. Uma boa dica é sair de sua rotina. Viaje, faça novas conexões, conheça novas culturas e esteja atento para receber os insights que o mundo nos dá a todo momento. Boa criação!


Outubro/2018

JORNALZEN

Padre Haroldo tem a vida contada em livro poético A escritora Sandra Sahd lançou na terça-feira (9), no Centro de Eventos Loyola, em Campinas, o livro Medo de nada, só amor – a semente de um jesuíta. Na obra, ela conta de forma poética a história de vida de uma das figuras mais importantes no cenário religioso e humanista atual: o padre Haroldo Joseph Rahm, sacerdote jesuíta envolvido com ações para a promoção da vida e obras de recuperação de dependentes químicos. Desde muito cedo, a autora sempre esteve próxima do pároco, o que lhe possibilitou receber do sacerdote mensagens de vida, otimismo, fé e amor à pessoa do próximo. Toda essa vivência auxiliou na formação de seu caráter, temperamento, personalidade, visão de mundo e da pessoa, aproximando-a de uma nova concepção que a fez mudar o foco de trabalho do tratamento das causas dos vícios para sua prevenção por meio do desenvolvimento das virtudes. A fim de expandir esse aprendizado vivencial, Sandra fundou a ONG Embaixadores da Prevenção em 2011 com a missão de “formar uma nova geração de pessoas que, por meio de escolhas e hábitos saudáveis, transformem o mundo em um lugar melhor”. A base da organização social é o desenvolvimento das virtudes na pessoa humana, missão totalmente vinculada ao legado de padre Haroldo. “O padre Haroldo tem uma ligação muito forte com a cidade e com os campineiros. Eu mesma cresci muito próxima às filosofias dele e do próprio Instituto, que foi fundado com ajuda dos meus pais. Até por isso muito da missão, dos valores e do trabalho que a Embaixadores executa reflete essa vivência, mas para um foco diferente, preventivo mesmo. Falo muito sobre mudar o mundo e que essa melhoria está atrelada às ações da nova geração, então nada melhor do que inspirar através de uma das maiores figuras da cidade. E, embora o personagem seja um religioso, a intenção do meu livro novo é convidar o leitor (de qualquer idade) a encontrar-se e acreditar na sua missão de vida, seja ela qual for. Costumo

REPRODUÇÃO

dizer que transformar o mundo é trabalho de formiguinha, não se muda 7 bilhões de pessoas de uma vez, é gradativo... e o padre Haroldo é aquela figura carismática que estimula a reflexão do porquê um brasileiro abandonaria ou desistiria do Brasil, quando um americano vem para o nosso país exatamente por acreditar ser possível transformá-lo. Isso a história dele nos ensina com perfeição”, comenta Sandra. Homenagem Entre os diversos meios de propagação dessa mensagem de começar a melhorar o mundo pelo Brasil, o livro é uma delas. E é diante de uma nova linguagem que Sandra entrega ao leitor fatos biográficos de padre Haroldo, inclusive como forma de homenagem ao pároco. A leitura leve e interessante instiga a todos – crianças, jovens e adultos – a experimentarem o amor espiritual em suas próprias vidas entendendo que este é um sentimento de fonte inesgotável que nada teme, assim como acreditavam São Paulo Apóstolo e o próprio padre Haroldo. “O padre vive hoje um momento delicado, até pela idade e as dificuldades que ela impõe. Então essa homenagem é uma forma de registrar essa importância. Nunca antes havia escrito em rima, foi uma inspiração que veio em uma madrugada e acho que fez todo sentido, coube muito bem para o momento... acho que, além de emocionar, é um livro que vai trazer o padre um pouco mais para perto de cada leitor pela história, pelo exemplo e pelos sentimentos que carrega cada verso”, completa a autora.

9


10

Viva Bem

JORNALZEN

elianamattos@uol.com.br

BATE-PAPO “Quando eu flor Quando tu flores Quando ele flor... Nós flores seremos. E o mundo florescerá. Que esta primavera perfume o seu coração com todos os aromas da alegria. Que o calor seja suave. E que a brisa seja amena. Que o perfume seja doce. E que cada dia valha a pena. Que estes três meses lhe renovem a paz, o amor, a saúde e a força para seguir com os projetos da sua vida. Deixe que a vida faça contigo, o que a primavera faz com as flores. Encante-se! Transborde cor! Espalhe amor! Primavere-se!” Recebi de uma amiga e adorei! Acredito que, nesta era de muita rapidez nas comunicações, vocês já devem ter lido esse poema. Mesmo assim, quis compartilhar no nosso Bate-Papo. Já disse isso várias vezes aqui, mas talvez, por ter nascido na primavera, amo esta estação do ano. Sei que é lugar comum, mas com a natureza renovando-se, parece que a gente tem vontade de se renovar também! Então, que possamos aproveitar esses próximos meses para jogar fora tudo que não nos serve mais. Não só as roupas, sapatos, móveis, utensílios, mas também as coisas velhas que estão entranhadas dentro da gente. O que somos nós senão a natureza? Renovemo-nos então! Grande beijo!

BATOM CERTO PARA MULHERES NEGRAS, MULATAS E MORENAS Elas podem tudo! Vermelho-sangue ou mais escuros e aquelas cores tipo cor de boca, ficam perfeitos também. Só tome cuidado para não aumentar demais os lábios. Use um lápis marrom fazendo o contorno logo abaixo da linha da boca e só depois passe o batom.

Outubro/2018

FORNO & FOGÃO - Especial Doces Torta de morango sem forno Ingredientes: • 1 lata de leite condensado • ½ xícara (chá) de leite • 4 gemas • 300 g de creme de leite fresco • alguns biscoitos champanhe • 300 g de morangos em fatias Modo de fazer: Em uma panela, coloque o leite condensado, o leite e as gemas peneiradas. Leve ao fogo baixo, sempre mexendo até obter um creme. Leve para a geladeira e

deixe esfriar bem. Bata o creme de leite até ficar em ponto de chantili. Junte delicadamente o chantili na mistura do leite condensado. Coloque parte desse creme no fundo de um refratário. Sobre ele, coloque uma camada de bolacha champanhe, mais creme e morangos. Faça mais uma camada de bolacha, creme e morangos. Finalize com o creme. Leve para a geladeira e na hora de servir decore com morangos.

Bolo gelado de doce de leite e coco Ingredientes: • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo • 1 pitada de sal • 7 gemas • 2 xícaras (chá) de açúcar • ½ xícara (chá) de óleo • 1 xícara (chá) de água fervente • 7 claras • 3 colheres (chá) de fermento em pó • 300 g de doce de leite • 1 ¼ xícara (chá) de leite • 100 g de coco queimado em flocos Modo de fazer: Misture a farinha com o sal e reserve. Bata as gemas com

o açúcar e o óleo. Adicione, alternadamente, a água e a farinha na mistura das gemas. Bata bem. Em seguida, o fermento e, por último, as claras batidas em neve. Despeje a massa em uma forma untada e enfarinhada e leve ao forno preaquecido a 180 graus, por uns 40 minutos. Enquanto isso, misture numa tigela o doce de leite e o leite. Quando o bolo estiver pronto e ainda morno, despeje o doce de leite sobre ele e leve à geladeira. Quando desenformar para servir, salpique o coco queimado em flocos.

DICAS PARA RALAR QUEIJO • Passe uma escova com um pouco de óleo no ralador. Deste modo, o queijo se desprendera com mais facilidade. • Use um espremedor de batatas quando precisar passar um queijo mole pela peneira.

• Para cortar tirinhas de queijo para saladas ou como enfeite de pratos, use um descascador de batatas. • Uma faca cega é melhor do que uma faca afiada para cortar queijos. • Aqueça a faca antes de cortar o queijo e ficará mais fácil cortá-lo.

ERVAS AROMÁTICAS • Manjerona: é um sabor suave que combina com frangos, sopas e peixes. • Manjericão: molho de tomate fica muito melhor se você acrescentar algumas folhinhas de manjericão. Experimente salpicá-lo sobre saladas e massas. E na pizza então, não tem como resistir. • Noz-moscada: molho branco sem noz-moscada não é molho branco! Experimente em purê de batata ou salpicado em legumes cozidos. • Páprica: você pode escolher entre doce ou picante. Tempere carnes e frangos.


JORNALZEN

Outubro/2018

Marcelo Sguassábia

Barba, pra que (não) te quero O Paulo Coelho sem cavanhaque, o Roberto Carlos de barba, o Sigmund Freud imberbe e com rosto de bumbum de neném. De adorno facultativo, a barba (ou a sua falta) não tem nada: ela compõe a personalidade de maneira marcante. Mas dá trabalho. E difícil é saber o que é mais cansativo – manter o rosto liso ou a barba no esquadro e na altura desejada. Felizmente, soluções redentoras estão chegando ao mercado. Uma delas é um preparado que entope os folículos pilosos, impedindo o crescimento de pelos. O processo é irreversível. Nunca mais o sujeito que fizer essa laqueadura capilar verá nascer uma penugem que seja no seu rosto. Tudo muito prático, rápido e definitivo, poupando preciosos minutos diários aos não-lenhadores. Já o tônico batizado de “Parejá” no nordeste, e exportado como “StopNow” para 19 países, promete efeito ainda mais revolucio-

nário. Uma vez aparada a barba na altura e com os contornos bem definidos, o camarada besunta a fórmula no rosto como se fosse uma loção. Pronto. O que está ali assim ficará até o final dos tempos, sem branquear nem exigir tosa futura. Foram décadas de pesquisas com caucasianos, afrodescendentes e asiáticos, de barbas espessas e ralas, em tons brancos, grisalhos, castanhos ou amarelados pela velhice. O resultado foi o mesmo – independente de etnia, dieta alimentar, dosagem hormonal ou herança genética. Comprovadamente, a barba ficava para sempre ao gosto do freguês. Como não poderia deixar de ser, os dois tônicos milagrosos foram comprados e patenteados por poderoso grupo multinacional. O fato inusitado, nessa história toda, é que parte dos acionistas da empresa estuda com carinho a possibilidade de retirar do mercado as duas minas de ouro. Isso porque há uma proposta trilionária, oferecida pela Gillete, que literalmente irá cortar pela raiz o sucesso crescente dos produtos, dando sumiço nas duas fórmulas. Este texto é obra de ficção. Marcelo Sguassábia é redator publicitário

José Trigueirinho Netto

* 15/9/1931 † 15/9/2018

Homenagem póstuma do JORNALZEN ao filósofo espiritualista idealizador e fundador da Comunidade Figueira, um dos membros fundadores da Fraternidade – Federação Humanitária Internacional e co-fundador da Ordem Graça Misericórdia

11


JORNALZEN

12

CULTURAZEN DIVULGAÇÃO

Professores participantes do encontro Yoga é Luz, que teve a 17ª edição no último dia 22 de setembro, na Lagoa do Taquaral, em Campinas DIVULGAÇÃO

Os autores Yunare Targino e Marcos Rocha no lançamento do livro Desenvolvendo Organizações: Uma Abordagem Transpessoal em Campinas

Outubro/2018

Jornalzen Outubro 2018  
Jornalzen Outubro 2018  
Advertisement