a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

JORNALZEN ANO 14

NOVEMBRO/2018

Nº 165

AUTOCONHECIMENTO

BEM-ESTAR

www.jornalzen.com.br

CIDADANIA

CULTURA

SAÚDE

ACERVO/GRUPO TEATRO DO GRANDE URSO NAVEGANTE

TEATRO INFANTIL A peça infantil A Pipa e a Flor (foto) será apresentada no dia 25 de novembro, às 11h e às 16h, na Praça do Coco (Rua José Martins, 738), em Barão Geraldo, distrito de Campinas. Adaptação do livro homônimo do escritor, educador e psicanalista Rubem Alves, o espetáculo conta a história de uma pipa que, ao encontrar uma flor, começa a fazer reflexões sobre a liberdade, a felicidade e o amor. Um dia antes (24), no mesmo local, às 16h, será encenada a peça O Passe e o Gol, cujo texto original é do jornalista Juca Kfouri. As sessões são gratuitas.

ZENTREVISTA

João Gonsalves Pág. 3

Será que o outro pode me fazer feliz? Pág. 11 GIULIANO MIRANDA

Viva Bem Pág. 10

CULTURAZEN Pág. 12

ARTIGOS

A difícil arte de educar Pág. 2

Novembro Azul Pág. 6

PARA ASSINAR OU ANUNCIAR: (19) 99109-4566

MÚSICA CLÁSSICA A Orquestra Sinfônica de Indaiatuba, em parceria com o grupo Ópera Estúdio, da Unicamp, traz pela primeira vez à cidade a montagem da ópera Gianni Schicchi, do compositor italiano Giácomo Puccini. As apresentações serão nos dias 17 e 18 de novembro, às 20h, no Centro Integrado de Apoio à Educação de Indaiatuba (Ciaei). A entrada é gratuita e por ordem de chegada.


JORNALZEN

2

As regras e leis divinas Para ampliar nossa cons3) Por último, desenvolver ciência e evoluir enquanto a misericórdia em relação seres humanos, devemos a nós mesmos e aos ouatentar para regras de contros. Conferir o perdão a si duta que formam a base e aos outros seres, na mede todos os indivíduos. dida em que esses seres 1) Não julgar. Significa que tenham entre si algum ennão se pode comparar um volvimento relacionado a ser com outro no que tanalguma situação específige ao desenvolvimento. To- SILVIA LÁ MON ca. Não se “perdoam pesdos os seres têm em si a Diretora do JORNALZEN soas”; cancela-se o víncupossibilidade de desenvollo com situações, o que talverem-se em sua plenituvez torne mais fácil esse de. Tudo no Universo é dado para processo para cada um dos indivíque ele se desenvolva em sua plena duos. Como poderiam perdoar pespotência. Cada ser é único e segue soas se todos saíram do mesmo seu próprio percurso, por isso não local e são praticamente o mesmo cabe a nós julgar o outro no seu ser, individualizado de formas dientendimento das coisas. ferentes? 2) Ser humilde. Dessa forma, Enfim, ter conhecimento e consagimos de acordo com a Lei do ciência de que cada ser existente Amor, que pede para colocarmos tem do Universo todas as condições o bem-estar, nossa ocupação, toda para desenvolver-se com pleno ponossa energia, nossos sentimentos, tencial, para crescer e para desfruem função dos outros seres. Acima tar, independentemente de sua fordo nosso ego e de nossas necessi- ma de individualização. Isso signidades. O que entendemos como fica que não se pode comparar um maior presente e possibilidade de ser com outro. Devemos aceitar nosexpansão do ser é dar-se a si, sem sas diferenças em todos os níveis e nenhum tipo de amarra, trava, al- amar ao outro como a si mesmo. gema, corrente ou expectativa. O Assim, podemos fazer o salto quânamor segue a menor resistência. tico em direção à 5ª dimensão.

A difícil arte de educar Edson D’Addio

T

em sido cada vez mais difícil a missão de educar uma criança. Um dos fatores que ocasiona essa maior dificuldade certamente é a falta de clareza dos papéis. Anos atrás, tínhamos uma sociedade onde esses papéis eram muito bem definidos, a família tinha claro o que desejava para seus pequenos, inclusive no que diz respeito aos valores. Essa definição facilitava com que pais falassem sim, mas que também dissessem não quando assim fosse necessário. Os pais tinham a segurança para agir dessa maneira. O mundo, porém, mudou, e o dinamismo impactou no desenvolvimento educacional. Hoje, as crianças têm muito mais espaço para falar e expor suas opiniões e desejos, com mais independência para diversas ações. Do outro lado, a cada dia as demandas mudam e as pessoasofrem com a escassez de tempo para

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

Informar para transformar

refletir. E no meio desse duplo caminho há a disseminação da felicidade como sendo fundamental e essencial o tempo todo, durante toda a vida. O preocupante cenário se complementa com pais mais ausentes de casa e crianças com acesso irrestrito a tudo a que se pode imaginar, sem qualquer tipo de filtro, consumindo informações por vezes sem que estejam prontas para digeri-las e comprendê-las, o que torna o processo de educação ainda mais desafiador. Para tentar compensar essa falta de tempo e com medo de que seus filhos fiquem para trás, muitos pais acabam por sobrecarregá-los de mimos e cuidados, pensando em garantir a eles uma vida mais fácil daquela que tiveram, com melhores condições e menos percalços. Tornam-se mais permissivos, deixando de ensinar o não e sentimentos como a frustração, tão importantes para a formação e desenvolvimento. Nesse universo onde pode-se tu-

DIRETORA SILVIA LÁ MON JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508

Novembro/2018

CIÊNCIA DA FELICIDADE Gostar do que faz e ser útil aumenta a satisfação interior Alguns pré-requisitos são importantes para obter sucesso no mundo do trabalho – seja como funcionário de escritório ou prestador de serviços, seja como empreendedor e dono do próprio negócio, como escritor, professor, cientista etc. Lembre-se de que, perante a lei, todos têm garantia de igualdade. Não importa em que família você nasceu, se é rico ou pobre ou qual é o trabalho dos seus pais: você é livre para escolher que carreira gostaria de seguir. A primeira condição para obter sucesso é gostar do trabalho, encontrar prazer nele e se dedicar a ele aproveitando ao máximo a própria capacidade. A recompensa pelo trabalho é o próprio trabalho. Sua competência deverá ser comprovada no mundo real. O tipo de capacidade que faz a diferença é a que vem do verdadeiro prazer de trabalhar. Pes-

soas que não gostam de trabalhar nunca conseguirão o verdadeiro sucesso. O segundo pré-requisito é tornar-se alguém útil, benéfico para a sociedade ou empresa em que trabalha. O importante é passar de uma pessoa competente para uma pessoa útil. A competência só terá valor se a pessoa estiver numa posição em que consiga utilizá-la. O terceiro pré-requisito é analisar seu trabalho para adquirir uma boa compreensão do que pode fazer sozinho e do quanto deve contar com outras pessoas para levá-lo adiante, usando suas competências gerenciais. Há ainda o sucesso sob a ótica da satisfação interior do ser humano. Mesmo sem alcançar uma posição muito elevada na sociedade, a pessoa encerra a vida terrena com muita riqueza no coração.

As reflexões desta coluna são extraídas dos livro Trabalho e Amor, do japonês Ryuho Okawa, pensador, líder religioso e escritor na área da espiritualidade

do, muitas de nossas crianças acabam procurando e copiando modelos, inclusive de comportamentos, mesmo sem estarem prontas e compreenderem o que estão seguindo. Como, então, atuar para transformar tal missão em uma empreitada educacional bem-sucedida? Não há um roteiro garantidor, mas há caminhos que podem facilitar o processo. O primeiro caminho é ter consciência sobre sua responsabilidade. Muitos pais acabam por terceirizar a tarefa somente para a instituição de ensino. Porém, apesar de possuir enorme relevância, a escola exerce papel complementar. Sozinha, ela não consegue transmitir os valores essenciais para a formação do educando. O trabalho deve ser conjunto. Para dar certo, os valores da escola devem ser os mesmos praticados pela família. É a família, inclusive, que deve passar tais valores desde os primeiros anos de vida, ensinando os nãos e servindo de modelo principal para o ser humano que está se desenvolvendo. Ao falar a mesma linguagem, escola e família trazem pa-

TELEFONES Redação (19) 3324-6062 Publicidade (19) 99109-4566

contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br

ra as crianças mais segurança, maior sensação de proteção, já que ela precisa de unidade de valores, de ideias e de compreensão do mundo. É preocupante observar a falta de diálogo entre famílias e a falta de clareza das pessoas sobre o que fazer, como educar. Ao terceirizarem essa maravilhosa missão de educar, deixam de transmitir e fixar nos pequenos suas raízes, o que é fundamental para sua construção e formação. Não temos que ser felizes o tempo todo. Não temos que compensar momentos de tristeza, mas também de aprendizado, com presentes. Hoje, evitam-se os embates em família, as discussões de ideias. A qualquer custo, pais acreditam que o sim ou o cuidar do filho é não deixá-lo se machucar, se frustrar, levar um tombo, não só físico como emocional. Eles devem saber que esses momentos são essenciais no caminho da evolução do ser humano e devem fazer parte da educação da criança. Edson D’Addio é educador e diretor pedagógico do Colégio Palmares, em São Paulo

Publicado por JORNALZEN EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA. Fundado em janeiro/2005


Novembro/2018

JORNALZEN

A

ZENTREVISTA|João Gonsalves

curiosidade foi, desde sempre, o estímulo condutor da trajetória do escritor e pesquisador João de Deus Martins Gonsalves. Com 57 anos, o empresário nascido em Tocantins diz ter como missão levar harmonia por meio do autoconhecimento. Gonsalves estudou hipnose, programação neurolinguística, terapia de vidas passadas, psicologia transpessoal, psicoterapia reencarnacionista, regressão e emotologia (conjunto de conhecimentos inter-relacionados que promovem a mobilização das potencialidades humanas). A partir de suas experiências com expansão da consciência, o terapeuta desenvolveu a autosofia, técnica que permitiria o desenvolvimento da sabedoria individual a partir da compreensão de como podemos influenciar os diversos aspectos de nossa vida. Em 2007, fundou o Universo da Criação Consciente (Uniccon), com o propósito de dar ênfase à capacidade de nos tornarmos criadores da realidade que queremos viver. Com mais de 1.300 pessoas atendidas, João Gonsalves ministra palestras e coordena um grupo de estudos sobre autosofia. Nesta entrevista ao JORNALZEN, ela fala mais sobre seu trabalho e como agir em tempos de desrespeito e intolerância.

3

SABEDORIA INTERIOR Escritor e pesquisador sobre comportamento humano criou técnica terapêutica baseada em experiências com expansão da consciência

DIVULGAÇÃO

O que o levou a enveredar pelo caminho do autoconhecimento? Sempre tive grande curiosidade em saber a lógica dos acontecimentos. Por muito tempo busquei entender como e por que as coisas acontecem, me perguntando quem decide o destino ou o que poderia ser do futuro. Tinha muito interesse em entender a causa dos acontecimentos da nossa vida. Como foi criada a autosofia? Foi o resultado de sete anos de experiências na busca por conhecimento com a terapia regressiva e a expansão da consciência através do relaxamento com questionamentos. Em 2010 tive uma expansão libertadora e muito reveladora, com a qual entendi a causa das experiências que vivenciamos e a origem da vida, assim como o dinamismo eterno que se mantém. Durante essa expansão entendi como poderia ajudar as pessoas a acessar o conhecimento a que estava tendo acesso. Qual o diferencial dessa técnica terapêutica? Ela propicia acesso ao conhecimento dentro da consciência da própria pessoa. Através de um relaxamento profundo e plenamente consciente, são acessados os níveis em que opera ou age, inclusive a dinâmica com outras pessoas e suas influências. Todo o processo é facilitado com perguntas, que vêm de forma privilegiada e lúcida nesse estado consciencial.

O que é a Uniccon – Universo da Criação Consciente? É uma associação sem fins lucrativos que nasceu em 2007 com o objetivo de criar conscientemente nossas experiências, partindo da premissa de que somos os criadores do que vivemos. Como se comportar em tempos de intolerância e polarização política? Esse é um exercício valiosíssimo. Ouvir opiniões divergentes, que nos afetam diretamente, colocando em xeque nossa liberdade e a capacidade de prosperar, gera em nós uma re-

ação mais parecida com um vulcão em erupção. Manter-se lúcido requer observar tudo como uma diversidade de pontos de vista, lembrando que as experiências de cada pessoa e suas conclusões sobre essas experiências é que definem como ela se manifesta ou reage. Ter a compreensão de que mesmo opiniões ou atitudes opostas devem ser validadas por estarem embasadas na experiência e conclusão de quem as emite. Seria como a lei da atração? As atitudes cotidianas e a maneira negativa de pensar contribuem diretamente para uma vida mais pesada,

“Manter-se lúcido requer observar tudo como uma diversidade de pontos de vista, sem condenações”

cheia de medos e angústias. Se uma pessoa só tiver atitudes e pensamentos negativos, os reflexos também serão negativos. É importante que a pessoa tente se conhecer para entender o que a está levando a uma situação de crise a fim de encontrar maneiras de reverter esse processo. Como avalia a proposta do JORNALZEN? É excelente. Disponibiliza informações essenciais para nosso bem-estar e, ao mesmo tempo, oportuniza o contato entre as várias vertentes terapêuticas, facilitando a escolha e acesso do leitor a esses conhecimentos e terapias. Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? A busca é sempre produtiva, mesmo quando não tem indícios aparentes. Os efeitos da busca daquele que quer saber estão brotando do seu interior, e quando se tornar aparente a compreensão do quanto valeu cada etapa da jornada. Confiar e prosseguir. Temos a solução dentro de nós.


JORNALZEN

4

Novembro/2018

Ação e valor Tudo o que fizerdes, fazei-o de coração, como ao Senhor e não aos homens (Paulo - Colossenses - 3:23.) Para cada problema, uma solução especial. Quem pretende resolver dificuldades múltiplas de uma só vez confunde-se e termina por agir erradamente. Atitude precipitada – confusão antecipada. No exercício das pequenas dificuldades resolvidas a seu tempo, adquire-se capacidade para os complexos emaranhados que, não poucas vezes, convidam o homem a decisões seguras. Se você programa cada realização em seu tempo e lugar, nenhuma impossibilidade ocorrerá no desdobramento das suas tarefas. Solução adiada – inquietação a caminho. Encare toda realização com seriedade e valor. Muitas coisas insignificantes perturbam ou ajudam as grandes realizações. Uma gota de óleo lubrificante resolve o emperramento de uma peça metálica defeituosa. Um pouco de ácido sulfúrico no corpo humano produz ferida. Uma palavra gentil acalma um interlocutor violento. Uma expressão facial de ódio

perturba um companheiro ao lado. Uma vírgula altera o sentido de um texto. Um sinal signifi- JOÃO BATISTA SCALFI cativo trocado Vice-presidente do Educandário Deus e a Natureza (Indaiatuba) num cálculo redunda numa operação errada. Descuido no freio, desastre no veículo. Tudo é importante na vida. Com uma pagina cristã, você dispõe de subsídios relevantes para a manutenção da paz. Com o conhecimento do Evangelho, você tem ao alcance a chave para todos os problemas. E se, por acaso, nas ações, você sentir-se vencido, com a humildade evangélica você encontrará a forma feliz para triunfar sobre si mesmo, o que, aliás, é o importante. Não adie os compromissos de enobrecimento a pretexto de falta de forças, de escassez de recursos, ou de ausência de oportunidade. Cada minuto na vida de um cristão decidido tem valor expressivo, porquanto significa ensejo de ajudar, de ascender, de conquistar a felicidade, com a consciência pura e livre de culpas. Fonte: Momentos de Decisão (Divaldo Franco/Marco Prisco)

Barão Geraldo - Campinas AGENDA – NOVEMBRO/DEZEMBRO 2018 Inscreva-se em nosso canal no Wsp: (19) 99117-5544 CONSTELAÇÃO FAMILIAR MUSICAL (Janaína Campos e Adriano Dias) 27/novembro e 11/dezembro (terça-feira), às 19h | 15/dezembro (sábado), às 14h (para constelar: agendar por e-mail; para participar: contribuição consciente) MEDITAÇÃO SONORA – Canta Sabiah 13/novembro e 4/dezembro, às 19h CONSTELAÇÃO TSFI (Maria Angélica) 16/dezembro (domingo), às 14h SERESTA E CAFÉ SABIAH – Café da tarde com cantoria e serenata 15/novembro (quinta-feira), às 16h ATENDIMENTO POPULAR THETAHEALING® E FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM (horários no site e agendamento por e-mail: contato@sabiah.com.br) THETAHEALING® – Manifestação de Abundância e Prosperidade TODA SEMANA NO SABIAH RENASCIMENTO EM GRUPO (com Renata Borges) Prática de respiração meditativa e terapêutica que promove estados de consciência expandida, abrindo espaço para a manifestação do potencial de autocura que reside em cada ser humano – segunda-feira, às 20h DANÇAS CIRCULARES – Meditação ativa para todas as idades (Janaína Campos) – quinta-feira, das 18h15 às 19h30 GRUPO SAMAÚMA – Preparação para o parto natural para gestantes e casais – quinta-feira, das 19h30 às 22h YOGA MAHI terça e quinta-feira, das 17h às 18h30 | segunda e quarta-feira, das 18h30 às 20h YOGA E MEDITAÇÃO (com a instrutora indiana Neeranjna Bajpai) segunda, quarta e sexta-feira, das 8h30 às 9h30 YOGA MATERNA – Para gestantes e mães com bebês (Paula Ubinha) terça e quinta- feira, às 11h CURSOS (inscrições e mais informações por e-mail: contato@sabiah.com.br) 1º/dezembro, das 14h às 17h – O Poder de Cura e Proteção Maternos, com Natália Alberice (fisioterapeuta, mãe, facilitadora de encontros de Feminino e criadora da técnica Reconexão Bioquântica) 8/dezembro, das 10h às 16h – Workshop de Mudras para Casais Gestantes, com Larissa Sanchez [educadora do Temple of Peace - Prenatal Education and Cosmic Energies, organização associada à Omnio Future (Índia)].

• GRUPOS DE PATHWORK® • MEDITAÇÃO SONORA • YOGA E YOGA MATERNA • GRUPO SAMAÚMA (Preparação para o parto natural e apoio pós-parto e amamentação) • LEITURA DE AURA • AULAS DE TÉCNICA VOCAL (técnica Alexander) • DANÇAS CIRCULARES • RODAS DE CURA • THETAHEALING® E FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM • PSICOTERAPIA SISTÊMICA • GRUPOS TERAPÊUTICOS • FORMAÇÃO EM CONSTELAÇÃO SISTÊMICA Agendamento e mais informações: (19) 99117-5544 (WhatsApp)

Rua Paulo Lanza, 91 (entrada de Barão Geraldo) – Campinas/SP (19) 3327-0910 – contato@sabiah.com.br – www.sabiah.com.br


Novembro/2018

JORNALZEN

5


JORNALZEN

6

PANORAMA NOVEMBRO AZUL: EXAMES GRÁTIS A Clínica Urohominis, situada no bairro Guanabara, em Campinas, oferecerá no dia 24 de novembro, das 8h às 11h, cinquenta atendimentos gratuitos, com exames clínicos da próstata (toque retal) e de sangue (PSA). Podem participar homens com idade entre 40 e 50 anos que tenham histórico de tumor de próstata ou com mais de 50 anos. As inscrições devem ser feitas pelo telefone (19) 3284-4420, em horário comercial. *** CAPACITAÇÃO A PESSOAS COM DEFICIÊNCIA O Centro Interdisciplinar de Atenção à Pessoa com Deficiência (CIAPD), vinculado à Pró-Reitoria de Extensão da PUC-Campinas, está com inscrições abertas para 11 modalidades de oficinas gratuitas voltadas à preparação da pessoa com deficiência para o mercado de trabalho. Os interessados em participar devem entrar em contato pelo telefone (19) 3343-7116 e agendar uma visita ao local, para posterior triagem. *** DOAÇÕES EM CONDOMÍNIOS A Casa da Criança Paralítica (CCP) está promovendo campanha nos condomínios de Campinas para recolher doações ao Bazar do Sonho, uma das principais fontes de renda da entidade. É possível doar roupas, móveis, livros, brinquedos, eletroeletrônicos e eletrodomésticos usados ou seminovos. Interessados na participação do condomínio na campanha devem contatar a CCP pelo telefone (19) 2127-7230 ou e-mail ccp@ccp.org.br .

-

Novembro/2018

Bom trânsito para nós! Marks Pintija

Nova lei da desburocratização Entrará em vigor no País, no dia 23 de novembro, a lei federal 13.726/18, que vem sendo chamada como lei da desburocratização. Trata-se de uma racionalização dos atos e procedimentos feitos pela administração pública, nas esferas federais, estaduais e municipais, mediante a supressão ou na diminuição de exigências formais que sejam consideradas desnecessárias ou que causem maiores despesas ao erário ou ao cidadão levando em consideração ao nível de um possível risco de fraude. Na prática, o que pode ser esperado é a substituição da apresentação dos documentos com assinatura reconhecida firma em cartório e a de cópias autenticadas. A previsão é que o cidadão apresentará o documento no original junto com a cópia para que o agente administrativo, dentro de suas prerrogativas, faça a conferência atestando ou não a autenticidade. Naquilo que se refere aos órgãos de trânsito, esta lei trará alterações quando da

necessidade do cidadão solicitar serviços, por exemplo, na transferência de propriedade pela compra e venda de veículos, comunicação de venda, recursos de multa e de suspensão ou cassação da CNH, indicação de condutor infrator, petições de liberações de documentos, comprovação de residência e diversos outros requerimentos que são protocolados para análise de deferimento. Considerando a diminuição de despesas e no tempo despendido para providenciar tais formalidades, certamente esta medida contribuirá para a melhoria da relação cidadão versus cidadania, e que seja mais um avanço para a execução de procedimentos obrigatórios sem a necessidade de intermediários. Marks Pintija é especialista e educador em trânsito

Novembro Azul Luis Gustavo Morato de Toledo

O

câncer de próstata é conhecido como uma doença do envelhecimento masculino, ou seja, aumenta a sua incidência com a idade. Após os 50 anos, um em cada seis homens apresentará a doença e essa frequência aumenta com o avanço da idade. Todo homem que chegar aos 100 anos de idade será acometido pelo câncer de próstata, porém a neoplasia, nesta idade, geralmente não traz repercussões à sua saúde. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), são estimados 68 mil casos novos de câncer na próstata no Brasil em 2018, e cerca de 14 mil mortes por esta doença. Este é o segundo câncer mais frequente no homem, perdendo apenas para o câncer de pele não melanoma. É o quarto mais frequente na população, incluindo homens e mulheres. O rastreamento para o câncer de próstata (PSA e toque retal) é recomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia, anualmente, para todos os homens dos 50 aos 75 anos. Homens negros ou com história familiar, pai ou irmão, de câncer de próstata, apresentam maior risco de desenvolver a doença, e por isso devem iniciar o rastreamento a partir

dos 45 anos. Um estudo recente realizado na Califórnia (EUA) com mais de 400 mil homens mostrou que o rastreamento anual do câncer de próstata, além de reduzir a mortalidade relacionada a essa doença em 64%, reduziu também, em 24%, a mortalidade por outras causas, ou seja, o homem que faz os seus exames de próstata anualmente acaba se cuidando melhor de forma geral. Existem duas doenças que coexistem na próstata: a hiperplasia, que é benigna e ocorre no centro da próstata ao redor da uretra, e o câncer de próstata, que é maligno e ocorre na periferia. O câncer, em sua fase inicial, por estar longe da uretra, não causa sintomas. Quando o paciente apresenta a neoplasia em sua fase inicial e tem sintomas urinários, estes se devem à hiperplasia benigna, que comprime a uretra e dificulta a micção. Assim recomenda-se aos homens que não esperem os sintomas aparecer, pois se não houver compressão uretral pela hiperplasia, não haverá sintomas. A detecção precoce é importante para evitar o diagnóstico em fase avançada, quando não há chance de cura, e facilitar o tratamento, evitando suas complicações e sequelas.

Importante mencionar que o câncer de próstata não é uma doença uniforme. Existem diversos tipos, com diversas apresentações, diferentes índices de gravidade e padrões de agressividade, desde os qualificados como “indolentes” que não progridem e não causam qualquer repercussão à saúde, até os mais agressivos, que por serem muito diferentes do tecido prostático, não produzem o PSA, dificultando o diagnóstico pelo exame de sangue, portanto, uma doença complexa, cuja classificação, diagnóstico e tratamento vêm sofrendo modificações e atualizações muito frequentes, alvo de intenso debate e pesquisas na sociedade médica. Neste contexto, o rastreamento populacional do câncer de próstata

recebe críticas por fazer diagnóstico de tumores que não necessitariam de tratamento, indolentes, implicando em excesso de tratamento e sequelas ou, no mínimo, impacto emocional ao paciente, e custos ao sistema pelos exames repetidos na vigilância ativa dos casos não tratados. É importante esclarecer e ressaltar que o rastreamento não faz o diagnóstico de câncer na próstata. Isso é feito através da biópsia. Então, é a biópsia que deve ser indicada, com critérios, selecionando os pacientes, discutindo com o paciente e sua família os prós e contras, no sentido de se evitar o diagnóstico de tumor indolente e não deixar passar um tumor clinicamente significante. A ressonância magnética nos ajuda atualmente nessa decisão e outros exames estão chegando para nos auxiliar a diferenciar os pacientes que precisam ou não de biópsia. Exames genéticos já nos ajudam, depois da biópsia, a diferenciar tumores indolentes dos clinicamente significantes. O rastreamento deve ser feito, e seu principal objetivo é evitar o diagnóstico tardio. Por outro lado, a indicação da biópsia deve ser criteriosa para se evitar o “excesso” de diagnóstico de tumores indolentes. Luis Gustavo Morato de Toledo é chefe do serviço e professor adjunto da disciplina de Urologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo


JORNALZEN

Novembro/2018

Dr. Orestes Mazzariol Cosmetologia íntima A sexualidade é um fator importante na qualidade de vida. O desejo sexual hipoativo (DSHA) não está relacionado somente com as variáveis hormonais, mas também com a aparência genital. Portanto, na avaliação clínica são importantes novas abordagens sobre a sexualidade. A aparência estética íntima tem fator importante na autoestima. Depois da menopausa ocorrem flacidez vaginal, escurecimento genital e incontinência urinária. São situações passiveis de correção por cirurgia, aplicação de alta frequência ou laser, que devolvem à mulher sua autoestima. Além das técnicas cirúrgicas, a alta frequência pode ser utilizada para “estreitamento” vaginal, melhorando as condições locais. Estudos demonstraram que um certo grau de energia térmica depositada na parede da vagina estimula

a proliferação de epitélio enriquecido com glicogênio, neovascularização e formação de colágeno na lâmina própria, com melhora da lubrificação natural e controle da micção, melhorando a pele e a sensibilidade. A temperatura controlada da alta frequência estreita os tecidos vulvovaginais por um período de meses e é efetiva para tratamento não cirúrgico, além de reduzir a flacidez local. Também age nas situações de incontinência urinária de esforço (perda de urina ao tossir, espirrar, fazer esforço) leve e bexiga hiperativa (vontade imperiosa de urinar). A alta frequência e o laser melhoram o fluxo sanguíneo vaginal e normalizam a umidade, melhorando a sensibilidade do clitóris e da vulva. A alta frequência também pode ajudar na disfunção orgástica.

7

Diga sim à vida! Somos seres duais, ambivalentes – nem sempre bons, nem sempre maus –, compostos de moléculas, átomos, energia, enfim. E essa composição de energia vital, revestida de ossos, músculos, pele, que nos define como seres únicos, distintos uns dos outros, traz em si uma diversidade de características que se constroem e reconstroem através de nossos antepassados, de suas histórias, suas dores, seus amores, suas batalhas e lutas pela vida. Somos o resultado de todos nós, seres humanos, de nossa evolução através dos tempos. Somos a luz e a sombra, a dor e o prazer, o masculino e o feminino, o amor e o ódio, o dia e a noite, o positivo e o negativo. Essa malha de condições, acontecimentos e memórias é moldada pela vida que escolhemos levar, pelo caminho que optamos seguir. E esse caminho por muitas vezes é incerto, desconhecido, assustador, mas nem sempre precisa ser as-

sim. Pode ser desafiante, emocionante, alegre, de aceitação... O que deROSÂNGELA terminará as VIRGÍNIA FAÉ “cores” de sua Psicoterapeuta trilha? Olhe para dentro de si mesmo, busque suas verdades, ame-se acima de tudo. E para cada sombra que encontrar, pense na luz, no dia que nasce a cada 24 horas independente de nossa vontade. Para cada momento de dor, escolha encará-la de frente e tomá-la como sua e ela te fará crescer e você verá que ela pode ser suavizada, que ela não dura para sempre. Como diz Brigitte de Ribes, “nos transformamos naquilo que rejeitamos e no que tememos”. Ao dizer “não” à nossa vida, às nossas dificuldades, ao que nos pesa, nos unimos a isso, enquanto que o “sim” nos libera e permite a mudança. É paradoxal, mas é assim que é.

WhatsApp: (19) 99738-1523 | Campinas/SP

WhatsApp

CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS E ÓLEOS ESSENCIAIS

JORNALZEN

Pedro Melillo de Magalhães - agrônomo (CPQBA - Unicamp) Eloísa C. Pimentel de Magalhães - médica (clínica CHAI)

(19) 99109-4566 (19) 99149-1256

PARA ASSINAR E ANUNCIAR

- Cultivo orgânico e uso terapêutico -

24 de Novembro | MAAS - Museu de Arte Sacra de Campinas Rua Dr. José Ferreira Camargo, 844 - Nova Campinas - Campinas/SP www.bemtefazoleos.com.br | bemtefaz@gmail.com | 19 99282-8004


JORNALZEN

8

Como lidar com os tormentos da mente Yogasutra é um texto clássico escrito por Patanjali, um grande mestre que compilou os aforismos do yoga. Apesar de ser um texto de mais de 2 mil anos, ele é muito atual, pois as lições que ali estão é um verdadeiro tratado de como lidar com a mente. Dentre os muitos apontamentos deste texto, um destaque são os kleshas, que são as causas das aflições da mente humana. Em maior ou menor grau, todos somos atormentados por eles. O primeiro tormento da mente é avidya, que é a ignorância de “si mesmo”. Ele acontece quando se vive uma vida supérflua e com ausência de uma busca mais profunda. Esta ignorância de nossa verdadeira natureza é a causa de todas as outras aflições da mente. Uma solução para este tormento é buscar o autoconhecimento, um caminho que possa trazer o contato com a sua verdadeira essência. O segundo tormento que nos aflige é asmita, o egoísmo, que é consequência do primeiro, pois quando se vive uma vida vazia, a pessoa acaba pensando só em si mesma e em suas próprias necessidades, muitas vezes se colocando como o centro do universo e tornando-se egoísta. O egoísta só sabe dos seus direitos e nunca dos seus deveres. Não pensa nos outros e por isso não consegue acolher as outras pessoas e agir além dos seus próprios interesses. Uma solução para este tormento é iniciar um trabalho de caridade (seva yoga), pois ao ajudar os que precisam, a pessoa vai percebendo que seus problemas são pequenos em comparação aos muitos que sofrem, assim o egoísmo perde a força. O terceiro tormento é raga, “o desejo insaciável”, que é consequência do egoísmo e da ignorância. Todos as pessoas sentem desejos, porém muitas não têm limites. São um “saco sem fundo” – quanto mais têm, mais ficam insatisfeitas. Essa insatisfação é conse-

quência da ignorância de “si mesmo”. Uma vida superficial traz um vazio que não é pre- MÁRCIO ASSUMPÇÃO Professor de ioga e diretor enchido por nado Instituto de Yogaterapia da que a pessoa consiga comprar ou adquirir. Uma solução é a meditação, ou melhor, desenvolver uma mente meditativa, que vai eliminando as carências e diminuindo as compulsões. O quarto tormento é dvesha, que significa ódio, sendo o pior de todos. Todas as pessoas sentem raiva e esse sentimento pode até ser positivo se elas souberem canalizá-lo de forma construtiva para enfrentar os desafios. Porém o ódio nunca é positivo. Tratase de uma obsessão emocional, onde o indivíduo quer aniquilar e destruir o objeto odiado. O ódio gera a vingança, a guerra e a destruição que afeta a todos. O único antídoto contra o ódio é o aprendizado dos valores humanos (dharma), na medida em que o indivíduo vai descobrindo que destruir os outros é destruir a si mesmo. O último klesha se chama abhinevesha, que é o “medo desesperado da morte”. Todo mundo sente medo de morrer, mas não é isso o que está sendo apontado aqui, mas um apego a esse medo de tal forma que a pessoa vai se autodestruindo. Muitas pessoas deixam de viver a vida porque sentem medo de morrer. Querem controlar tudo nos mínimos detalhes para evitar qualquer risco, o que leva a um grande tormento mental. A solução, mais uma vez, é buscar o autoconhecimento e descobrir que somos muito além deste ser relativo que pensamos ser. O Vedanta, que é o estudo das partes finais dos Vedas, pode nos ajudar nessa compreensão. Fica a dica. Namastê.

Novembro/2018

UNIVERSO DIGITAL Amanda La Monica

Qual é o seu objetivo? Você tem claro qual é o objetivo do seu negócio? O motivo pelo qual você abriu sua empresa? São perguntas importantíssimas para se fazer, antes de pensar no marketing. As respostas irão guiar qualquer campanha de marketing e cliente até sua empresa. Você trabalha para resolver um problema social? Para facilitar o dia a dia das pessoas? Para ganhar dinheiro? (note que não há problema se esse for seu REAL objetivo. O importante é ele estar claro para você e presente nas decisões que seu negócio toma). Existem diversos tipos de empreendedores no Brasil, e cada um deles tem um objetivo diferente. Segundo a classificação de José Dornelas, especialista em empreendedorismo, existem diversos tipos propostos. • O informal: tem o objetivo de

ganhar dinheiro para sobreviver. • O cooperado: costuma empreender ligado a cooperativas. Seu objetivo é crescer até poder ser independente. • O individual: formalizou-se e começa a estruturar de fato uma empresa, porém sem o objetivo de crescer muito. • O social: tem como objetivo mudar o mundo e inspirar outras pessoas a fazerem o mesmo. As ações que você toma e a forma com que cria as estratégias de marketing devem estar alinhadas ao seu objetivo. É uma tarefa difícil e diária definir e se manter em apenas um por vez. Mas garanto que, quando você tiver isso claro, seu negócio fluirá facilmente. Lembre-se da frase de Lewis Carroll: “se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve”.


JORNALZEN

Novembro/2018

Como nasce um livro? A 2ª Jornada Literária de Campinas, que vai de 22 a 25 de novembro, patrocinada pelo Fundo de Investimento de Cultura de Campinas (FICC) traz uma extensa e atrativa programação nas mais diversas áreas. Faz parte da jornada a mesa literária “Como Nasce um Livro”, que ocorrerá no dia 24 de novembro, às 16h, sob organização de Maria Branca Eventos. Além do livro comercial, que segue o caminho tradicional editoralivraria-leitor, há os esforços conjuntos das escolas, das prefeituras, das empresas, das famílias, das pessoas que acreditam na diferença que a educação faz na vida do cidadão, no futuro das pessoas e do País de criar projetos que estimulem a produção de livros de novos autores ou de autorias coletivas. Todos os anos, o Instituto Educacional Imaculada, de Campinas, relaciona o projeto do pré I com a Campanha da Fraternidade, que neste ano tem como tema “Fraternidade e superação da violência”. Foi escolhido como tema do Projeto 2018: “O respeito nos une: cada um com seu jeito e o jeito de cada um”. “Para desenvolvermos a nossa proposta, escolhemos o livro paradidático Ca-ta-ri-na. Conhecendo a história dessa menina que como todo mundo, é um pouco igual, um pouco diferente! O outro personagem é o João, que gosta da Catarina do jeito que ela é, pois a enxerga além da visão, enxerga com o coração. Nosso objetivo principal é trabalharmos com as crianças a importância de respeitar as pessoas, então relacionamos o livro Cata-ri-na com o circo, e nós, professoras, montamos uma outra história chamada ‘Catarina e seus amigos vão ao circo’. Com essa proposta, trabalhamos com os alunos os diversos talentos e habilidades e com isso valorizamos o que o outro tem de melhor e respeitamos o jeito de ser de cada um. Nas ativi-

dades de registro, tivemos o envolvimento das famílias, que contribuíram com o JANICE FLORIDO nosso livro janice.florido@uol.com.br coletivo da série, enriquecendo ainda mais o nosso projeto”, relatam as professoras do pré I, Carolina Bittar, Fernanda Banhara, Luciana Tozzi, Rachel Fonsechi e Simone Souza Silva. O projeto Ler e Escrever: Fonte do Saber, organizado por Maria Lucia Serrano, Angelina Ceballos e Eliane Doratiotto, da Secretaria de Educação da Prefeitura de Atibaia, conta com duas ações: a Jornada Literária, que conta com atividades culturais e lúdicas, aprendizado, leitura e interação com autores de livros infantis, e a feitura de um livro pelas turmas dos quintos anos e da EJA das escolas municipais. Cada classe produz e ilustra coletivamente um conto, que são reunidos em um livro, distribuído aos alunos autores. Para Magda Krauss, proprietária da Livraria Saber e Ler, iniciativas como essas criam novos públicos, estimulam a leitura e fazem com que a educação realmente ganhe em qualidade e em importância dentro da nossa sociedade. “O que está faltando, porém, é o estímulo às pequenas livrarias, às livrarias de bairro, para que as pessoas possam sair de casa, andar dois, três quarteirões, ir a pé a uma livraria, ver o que há de novo nas prateleiras, quais autores estão lançando livros, dar uma espiada nas novidades e também naqueles livros que elas não tiveram oportunidade de ler anteriormente. As pequenas livrarias têm importância fundamental para atingir um público maior, finaliza Krauss.

www.sabereler.com.br sabereler@sabereler.com.br Facebook: MariaBrancaEventos

telefone: (19) 3231-2672

9


Viva Bem

JORNALZEN

elianamattos@uol.com.br

BATE-PAPO

V

ocê já se imaginou na sua idade, indo pra casa de uma amiga, participar da noite do pijama?! Sim, aquela noite em que as meninas ficam de pijama comendo brigadeiro e conversando até altas horas. Nem eu imaginava que nessa altura da minha vida faria isso. Mas fiz! E foi uma experiência fantástica. Ana Maria e Gentil, amigos de longa data, estavam sozinhos em casa porque a Beatriz, filha deles, havia viajado com a escola. Como sempre elogio o silêncio da atual casa onde eles moram – uma casa de campo urbana, onde gansos e galinhas convivem harmonicamente e galos os acordam todas as manhãs – Ana Maria convidou-me para usufruir disso tudo, na véspera do feriado do dia 12 de outubro. E cá estava eu arrumando minha malinha, feito adolescente que ia dormir na casa da amiga! E fizemos como “manda o figurino”: colocamos os pijamas, fizemos brigadeiro de colher e conversamos até quanto aguentamos. Afinal, se fôssemos adolescentes teríamos virado a noite! Mas com a nossa idade, perto da meia-noite já estava de bom tamanho. Dormi uma noite como há muito não dormia. Tranquila, profunda e despertei quando as maritacas começaram uma festa nas árvores da chácara, que não dava mesmo para continuar na cama. Aliás, os galos e galinhas dormem empoleirados nas árvores, acredita? Gentil saiu bem cedo pra buscar pão fresquinho e a mesa digna de um hotel cinco estrelas. Ainda tivemos a surpresa de minha filha aparecer para nos acompanhar no café. Tudo perfeito. Não pude deixar de pensar: por que esse tipo de programa só é feito por adolescentes? Já reparou que depois de adulto, casado ou não, ninguém mais dorme na casa do outro amigo? A não ser que eles morem em cidades diferentes... Você talvez deva estar dizendo: mas isso não tem lógica! E por que não? Eu amei essa gostosa brincadeira e gostaria de repetir. Talvez com a presença da Beatriz, que é adolescente e vai enriquecer mais ainda nossas conversas. Deveríamos nos permitir certos prazeres... Porque são esses pequenos prazeres que chamamos de bobos, que nos preenchem a alma. Beijos!

RECEITAS PARA O NATAL E RÉVEILLON Nesta edição começaremos a publicar as receitas para o Natal e revéillon. Aliás, como chegaram rápido... Recorte e já vai montando seu cardápio. Adoraria publicar alguma receita especial que você prepara em sua casa nessa época de confraternização familiar. Envie para elianamattos@uol.com.br até o dia 20 de novembro.

Novembro/2018

Torta alemã de Natal Ingredientes: • ½ kg de ricota fresca • 125 g de manteiga • 2 xícaras (chá) de açúcar • 4 ovos • 1 colher (sobremesa) de fermento em pó • 2 colheres (sopa) de maizena • ¾ xícara (chá) de farinha de trigo • 150 g de uvas passas sem sementes • 1 pitada de sal • Casca de um limão ralada Modo de fazer: Bata a manteiga com as gemas e o

açúcar até formar um creme. Adicione a ricota, as claras em neve, o sal, a casca do limão, a farinha de trigo e o fermento peneirados. Por último adicione as passas misturadas com a maizena. Mexa bem e despeje numa forma com fundo removível, untada e enfarinhada. Asse em forno moderado.

Biscoitinhos de nozes Ingredientes: • 160 g de manteiga • 1/3 xícara (chá) de açúcar • 2 gemas • 1 colher (chá) de baunilha • ½ colher (café) de sal • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo • ½ kg de nozes moídas grosseiramente Modo de fazer: Bata a manteiga e o açúcar até ficar leve. Junte as gemas, a baunilha e

misture bem. Junte a farinha peneirada e misture bem.Faça bolinhas pequenas, sempre do mesmo tamanho. Passe nas claras ligeiramente batidas e depois nas nozes moídas. Coloque as bolinhas em uma assadeira untada, deixando espaço de aproximadamente dois centímetros entre elas. Faça pressão no meio delas com o dedo indicador (para depois de assadas colocar geleia). Leve ao forno para dourar.

Arroz de forno especial Ingredientes: • 3 xícaras (chá) de arroz cozido • 2 xícaras (chá) de peito de frango cozido e desfiado • 2 xícaras (chá) de maçã sem casca, picada • 2 xícaras (chá) de abacaxi picado • 1 lata de ervilhas escorridas ou ervilhas frescas • 2 xícaras (chá) de presunto em tirinhas • 1 xícara (chá) de uvas passas sem sementes (branca) • 1 xícara (chá) de parmesão ralado Modo de fazer: Num refratário untado com manteiga,

Frango festivo Ingredientes: • 6 filés de frango • 1 pacote de sopa de cebola • 2 colheres (sopa) de manteiga

REPRODUÇÃO

10

coloque uma farta camada de arroz cozido. Por cima espalhe o frango desfiado. Depois outra camada de arroz. Em seguida, alterne os outros ingredientes, sempre colocando camadas de arroz entre eles. Termine com uma camada de arroz. Salpique o queijo parmesão ralado e leve ao forno para gratinar. • • • • • • •

Alho e cebola picados Cheiro-verde em abundância Sal e pimenta-do-reino a gosto 1 lata de molho tipo Pomarola 1 lata de milho-verde Catupiry a gosto Batata palha

Modo de fazer: Passe os filés de frango no pó da sopa de cebola e reserve. Faça um refogado com a manteiga, cebola, alho, sal, pimenta e o milho-verde. Acrescente a salsinha. Reserve. Esquente o molho tipo pomarola com meia lata de água e reserve. Em um refratário, monte assim: camada de filé de frango, outra do refogado, mais molho de tomate. Depois, catupiry. Se quiser, salpique parmesão ralado e leve ao forno quente. Para servir, vai bem a batata palha. Dica: os filés de frango devem ser batidos com um martelo de carne, para não ficarem muito grossos.


JORNALZEN

Novembro/2018

Marcelo Sguassábia

Penúltima morada – Maluca essa história da morte do coveiro, hein? – Nossa, nem fala. Sem querer o cara cavou a própria cova. Só de pensar eu fico arrepiado. O buraco já tinha mais de dois metros e meio quando ele teve o piripaque. Parece que foi infarto. Caiu lá embaixo, fraturou o crânio e por ali talvez acabasse ficando, se não sucedesse o imbróglio que veio depois. – Eu fiquei sabendo meio por alto, não sei de detalhes, não. – E olha que ele tinha onde cair morto. Aliás, melhor lugar impossível para se cair morto. Uma se pultura perpétua numa quadra nobre do Cemitério da Consolação. Bem no filé mignon, onde só tem celebridade e aquelas dinastias quatrocentonas lá da capital. – Herança de família? – Sei lá… eu pensei nisso mas descartei a possibilidade. Se fosse, o cara seria herdeiro de outras coisas, não só o terreno no cemitério famoso. E sendo rico não seria coveiro, muito menos aqui nesse fim de mundo. – Lá isso é. – Quando a fatalidade aconteceu, o defunto da vez estava na boca da cova, esperando pra descer. A família ficou horrorizada com o infortúnio do coveiro já que, ainda que indiretamente, foi por abrir o buraco do ente querido – no bom sentido – que o coitado acabou morrendo. – É, situação embaraçosa. Mas não deu pra segurar o homem caindo, não teve uma “bambeada” antes de capotar? – Nada. O cabra deu um grito, levou a mão ao peito e tombou rapidinho. Vai daí que a família confabulou ali mesmo e decidiu enterrar o parente em outro lugar, oferecendo generosamente o túmulo ao coveiro. – Atitude digna. – Sim, mas aí descobriram o terreno milionário que ele tinha na Consolação, e acharam que o mor-

to, evidentemente, iria querer ser enterrado lá. – Óbvio. Imagino que aí tiraram o coveiro da cova e fizeram o traslado para São Paulo… – Seria o mais lógico a fazer, se houvesse por essas bandas coveiro sobressalente. – Ave Maria… só tem um na cidade? – Se médico só tem o Doutor Fernandes, como é que coveiro ia ter dois? Resultado: dois presuntos na fila e ninguém pra enterrar. – Calamidade mórbida, meu amigo. – Então… aí tiveram a ideia de encomendar um carro fúnebre vindo de São Paulo. Para remover o coveiro da cova, sepultar o outro defunto no lugar e trasladar o corpo do coveiro para enterrar no Cemitério da Consolação – no túmulo que é dele por direito. – Boa! Aí resolvia tudo. – Mas não demorou e apareceram uns parentes pobres do coveiro, que moram aqui na região. Ficaram sabendo do terreno nobre no campo santo paulistano e resolveram tomar partido e lucrar com a situação. – Já estou até adivinhando: chegaram na família do morto oferecendo a sepultura de São Paulo. – Matou a charada. E pediram um preço absurdo. Fizeram chantagem emocional, dizendo que ficar com a sepultura era o mínimo que a família teria que fazer para se penitenciar da morte do coveiro, que bateu as botas por causa do parente deles. Bom, eu só sei que já são mais de três dias de negociação, debaixo de um sol senegalês. E sem previsão de acordo, por enquanto. – Nenhuma luz até agora? – Alguém sugeriu que o padre faça um “cara ou coroa”, para decidir celestialmente a parada. O padre concordou, contanto que tivesse a autorização do bispo – que foi operado e está nas últimas, segundo o mais recente boletim médico.

11

Será que o outro pode me fazer feliz? Relacionamento afetivo, um dos maiores anseios e um dos maiores desafios humanos. Para muitos a única forma de ser feliz é estar vivendo um grande amor! Ficamos durante muito tempo investindo no milagre do encontro ideal, em busca de nos sentirmos plenos no outro e, portanto, plenos em nós mesmos, no encontro ideal, também se obtém a troca verdadeira e equilibrada entre dar e receber, na qual, por fim, nosso coração se abre e sentimos a experiência de sermos um com o outro! Sem dúvida, essa experiência de união é um dos principais ingredientes da felicidade terrena. Talvez em nenhuma outra área da vida temos tantas expectativas, desejos e anseios. Talvez porque atribuímos ao relacionamento afetivo o potencial de nos fazer voltar ao paraíso perdido da unidade original com os pais, ou de nos levar à terra prometida, cheia de aceitação, amor, onde nossos medos se diluirão e nossa solidão desaparecerá. É real que a relação afetiva pode nos proporcionar um pouco dessas experiências. Mas será que tem o poder nos fazer felizes ou infelizes? Vamos lá... A boa notícia: ninguém pode nos fazer infelizes, embora, às vezes pareça que sim, especialmente em momentos em que nossas feridas são ativadas pelos gatilhos do comportamento de nosso parceiro. Em um relacionamento podemos viver um amplo leque de sentimentos, entre eles o sofrimento e o desamor, mas não há razão para sermos vítimas disso, visto que nosso caminho e nosso destino continuam sempre íntegros em nossas mãos. Não importa só o que vivemos e sim nossa atitude perante o que vivemos. A má notícia: ninguém pode nos

fazer felizes, afinal, se o outro não tem a chave da nossa infeCRISTINA licidade, FLORENTINO também Consteladora, psicóloga e helper não terá a em pathwork chave da felicidade. O parceiro por si mesmo não traz felicidade. Ele pode nos trazer outras coisas... que conjugadas adequadamente, podem trazer a experiência da felicidade. A verdadeira felicidade é a conexão com o pulsar da vida! A felicidade é um estado. O parceiro pode nos dar felicidade através da sexualidade, da intimidade, ternura, vínculo, respeito, sensação de pertencimento, cuidado, crescimento, no entanto, não tem o poder de nos fazer felizes. A última notícia: muitos relacionamentos fracassam quando, passada a fase ilusória da paixão, são incapazes de tomar e aceitar, na totalidade, a realidade do outro, além disso, muitas vezes, somos incapazes de nos prover felicidade e atender a todas as nossas necessidades. Assim, o que mata o amor é querer mudar o parceiro. Idealizar alguém é faltar-lhe com respeito. É vê-lo através de uma projeção. Quem coloca a relação em perigo é aquele que acredita ter razão, quem quer a perfeição ou quem quer ter a última palavra. A disputa começa e a relação de poder no amor é o germe da separação. Amor e poder se excluem em uma relação saudável. Quer aprofundar? Venha para a formação nas novas constelações familiares.

Marcelo Sguassábia é redator publicitário

Módulo 2 – As Forças do Amor 23 e 24 de novembro | Espaço Alma Sagrada (Rua Dr. Antonio Carlos Moraes Sales, 250 – Campinas) Informações: 19 99791-1426 (WhatsApp) www.cristinaflorentino.com.br Instagram e fanpage: psicristinaflorentino


JORNALZEN

12

CULTURAZEN ELIANDRO FIGUEIRA

Nilson Gaspar, prefeito de Indaiatuba, Tânia Castanho, secretária de Cultura, e o curador Celso Falaschi com os vencedores do 14º Prêmio Acrísio de Camargo SILVIA LÁ MON

Iara Santos e Fernando Caparica na premiação dos melhores ambientes da segunda edição da Mostra+Sustentável, que este ano ocorreu no prédio do Serviço de Saúde Cândido Ferreira, em Campinas, no dia 30 de outubro

Novembro/2018

Profile for Webmaster JornalZen

Jornalzen Novembro 2018  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há treze anos no mercado, circula...

Jornalzen Novembro 2018  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há treze anos no mercado, circula...

Advertisement