Page 1

JORNALZEN ANO 12

MAIO/2016

AUTOCONHECIMENTO

Nº 135

BEM-ESTAR

Pág. 12

Empreendedor Holístico Pág. 2

CIDADANIA

CULTURA

SAÚDE

Divulgação

CULTURA EGÍPCIA O Shopping Parque das Bandeiras (Jd. Ipaussurama), em Campinas, recebe até o dia 6 de julho o Museu Egípcio Itinerante. Com mais de 400 peças, a exposição retrata a arte, história, cultura e religião do Egito Antigo através de réplicas fiéis de materiais originais expostos nos maiores museus do mundo. Mais informações: museuegipcio.com.br

Viva Bem

www.jornalzen.com.br

ZENTREVISTA

Nilson Condé Pág. 3

ARTIGO

A Terra é um só país e a humanidade, seus cidadãos Pág. 10


2

JORNALZEN

Orgulho de mãe Em dois momentos difefas da escola. Quando a rentes minha filha falou ajudava a estudar para duas frases que me marprova, era ela quem me caram profundamente e explicava a matéria e que me fizeram inicialnos divertíamos muito mente refletir e, depois, decorando com truques agradecer a mim mesos nomes difíceis. ma por ter acertado em A outra frase que me sua educação. disse há pouco tempo, e Da primeira vez, es- SILVIA LÁ MON que me trouxe o alívio távamos conversando e Diretora do JORNALZEN e o orgulho de ter feito seu namorado, brincanmeu papel, foi a seguindo, disse que é mimada, ao que te: “Fui educada, e não engesela prontamente respondeu: “Não sada”. Nos dois casos, divido os sou mimada, sou bem cuidada”. créditos com meu marido, que Achei a resposta genial. Apesar sempre esteve ao meu lado em de ela ser filha única, sempre foi, sua educação, que desempenhou desde criança, muito indepen- e ainda o faz de forma brilhante. dente. Fazia questão de que ela Com respeito e sensibilidade. aprendesse a ter voz, resolver Hoje, com seus 19 anos, miseus próprios problemas, a lutar nha filha tem sua própria empelos seus desejos – claro, dentro presa, sabe onde quer chegar e de suas possibilidades da idade. o que não quer fazer. Acredito Sempre fui uma mãe leoa lam- que o mérito é de seu próprio bendo a cria, mas também ensi- espírito desenvolvido e de sua nava a caçar. Quando ela estava personalidade congênita extreem idade escolar, uma pedago- mamente positiva. Mas sinto ga me aconselhou a colocá-la na aquele gosto bom de ter cumpriprimeira série após completar do meu papel de mãe e educaos 7 anos, pois ela estaria mais dora de acordo com os valores madura para a aprendizagem e que carrego e com as experiênnunca me daria trabalho com as cias adquiridas anos a fio. lições. Isso foi verdade. DificilGratidão plena à Mãe maior mente eu a ajudava com as tare- pela possibilidade de ser mãe.

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

Informar para Transformar DIRETORA Silvia Lá Mon EDITOR Jorge Ribeiro Neto JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508 TELEFONES Redação (19) 3324-6062 Comercial (19) 3044-1286 contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br Circulação: Campinas Indaiatuba Valinhos Vinhedo Jaguariúna Holambra São Paulo (Vila Madalena e Vila Mariana)

MAIO/2016

Vazio de pensamentos Antonio de Pádua Colosso

Q

uem sou eu? O que é esta energia de vida? O que é esta “consciência” que vive em mim? Se eu conseguir conhecer esta consciência que vive em mim, esta vida em mim, este EU, eu conhecerei a vida Universal e serei parte dela. Mas como experimentar, viver, experienciar este EU, esta consciência? Certamente não conseguirei isso através da mente ou pensamentos, então somente poderá ser através da “não mente”, “não pensamentos”. Como atingir um estado “sem -mente”, “sem-pensamentos”? Um provável caminho é através da meditação, a busca de um estágio de profundo silêncio e paz, onde os pensamentos que vão aparecendo na tela da minha mente eu vou deletando, e assim a incidência de novos pensamentos vai perdendo sua velocidade, os pensamentos vão ficando mais raros e é somente aí, nesse “vazio de pensamentos” que poderei encontrar meu “verdadei-

ro eu”, minha essência, minha consciência, onde estarão todas as respostas para as minhas dúvidas existenciais. Se as perguntas forem feitas a outros, teremos as respostas deles (baseadas nas experiências de vida deles). Se cada um só pode viver a sua própria vida, as respostas deles somente servem para eles, e mais ninguém. O que é melhor para você só em você poderão ser encontradas as certeiras respostas. Os pensamentos, as palavras precisam ser deixadas de lado. Só no silêncio profundo (vazio) você poderá encontrar o “você verdadeiro”. A mente traz as respostas de acordo com aquilo que você foi “condicionado” pela cultura, sociedade, família que você está inserido. Mas esses “valores” poderão não estar de acordo com a sua essência. A melhor maneira de ser atendido pelos pedidos que se faz na vida é lutar e conquistar méritos existenciais para merecê-los. Assim disse o poeta: “não peça, faça por merecer”. Antonio de Pádua Colosso é psicanalista

Empreendedor Holístico ANA PAULA TEIXEIRA – coachinganapaula@gmail.com

Pare de perseguir clientes Sei que isso soa contraintuitivo, mas me deixe esclarecer. É comum olharmos as pessoas de modo a avaliá-las “como essa pessoa pode me ajudar” ou “o que eu posso ganhar a partir dessa pessoa”. Isso acontece muito especialmente se você participa com frequência de grupos de networking ou mastermind, reuniões e eventos específicos para empreendedores, ou em qualquer cenário onde o foco é gerar negócios, ou, ainda, o ponto central para engajamento está amarrado ao resultado que esse novo contato poderá gerar para você e sua empresa. Posso garantir que esse tipo de abordagem é medíocre, o que consequentemente gera resultados medíocres. Muitos dos meus clientes me procuram pois acreditam que coaching é o último recurso que lhes falta para ‘finalmente’ começarem a gerar mais negócios, e obviamente descobrem que em 100% dos casos

o problema não estava necessariamente na atividade e/ou estratégia, mas em como avaliam e abordam o que é o resultado dela. Em vez de tentar perseguir um cliente, que tal perseguir um relacionamento? Se você está construindo um relacionamento com alguém, implicitamente sugere que está nele para o longo prazo. Portanto, qual seria seu comportamento? Como você agiria? O que você diria? Nunca se sabe quem vai produzir os melhores resultados para você no longo prazo. Imagine-se sendo um de seus clientes. Fico muito surpresa como ainda existem pessoas tentando me convencer a comprar com elas logo no nosso primeiro encontro, apesar de diretamente não ser o cliente ideal. Muitos ainda entram em contato após o evento, “apenas” para informar, caso eu queira comprar seus serviços. Nem sequer exploram minhas necessidades, a natureza dos meus serviços, meus contatos. O foco é total na venda!

Há oito meses, durante minhas caminhadas matinais, encontrei uma senhora por várias vezes, sempre no mesmo horário. Acabamos fazendo o mesmo circuito. Aos poucos, ela compartilhou alguns detalhes de sua vida pessoal, assim como participei alguns dos meus. Acabamos nos conectando por causa das nossas histórias, como se fôssemos velhas amigas. Em nenhum momento tentei vendê-la os meus serviços. Concentrei-me na construção do relacionamento. Duas semanas atrás, ela me ofereceu a oportunidade de compartilhar meus serviços e executar um workshop para a empresa de sua irmã. Legal, não? Agora é a sua vez! Pense em um potencial cliente que você está perseguindo... Agora, pergunte-se: o que você pode fazer diferente hoje em vez de perguntar se eles vão comprar de você? O que você poderia fazer para construir um relacionamento? Ao seu sucesso!


MAIO/2016

T

rocar o vestibular de arquitetura pela Escola de Arte Dramática de São Paulo mostrou-se decisão acertada, a se levar em conta a trajetória desse paulistano encantado pelo teatro desde os 18 anos de idade. Mesmo sem concluir o curso de ator, Nilson Condé atuou em 11 novelas de televisão na Rede Globo e em diversas emissoras. Trabalhou em 17 peças, três filmes nacionais e vários comerciais. Também foi diretor e autor. Na década de 1980, resolveu deixar o circuito comercial para morar na praia, em Porto Seguro (BA). Vivendo sem energia elétrica e consumindo água de poço na casa construída com as próprias mãos, ele promoveu cursos e peças teatrais antes de desbravar a Europa. De volta a São Paulo, após 36 anos, Condé decidiu levar sua experiência artística ao meio corporativo, por meio de um monólogo que virou palestra baseada em conceitos do antigo teatro grego e na psicanálise. No mês passado ele esteve em Indaiatuba, onde apresentou o espetáculo, denominado Gnôthi Seautón (Conhece-te a ti mesmo). Nesta entrevista ao JORNALZEN, Nilson Condé, 76, relembra a decisão de renunciar à vida comum e fala do retorno aos palcos, em que compartilha a busca pelo autoconhecimento. O que o levou a “virar a mesa” e morar na Bahia? Quando, exatamente, se deu essa decisão? A virada se deu em 1979 após dois anos no mesmo palco com a divina Fernanda Montenegro na peça É..., de Millôr Fernandes, no Teatro Maison de France no Rio de Janeiro, numa temporada de sucesso absoluto com todas as casas lotadas nas nove sessões semanais. Cheguei à conclusão de que não era o teatro comercial que me interessava ou satisfazia e saí em busca de uma manifestação artística que no mínimo provocasse algum tipo de inquietação, de revelação das mazelas sociais que sofremos e que quase sempre não temos tempo de nos dar conta. O cabresto social é muito cruel e creio que cabe aos artistas afrouxá-lo o tanto que for possível em nome de uma política existencial mais livre e verdadeira. Resolvi filosofar numa praia onde construí uma casa/teatro que forrei com uma vasta biblioteca sobre teatro, psicologia, psiquiatria, literatura, neurolinguística, hipnose, terapias alternativas, etc. Após uns 12 anos de elucubrações montei a peça O Matador dos Olhos de Mel, monólogo de José Antonio de Souza, com o qual viajei por diversas capitais e representei o Brasil no Festival Ibero-Americano de Cádiz, na Espanha. Por esse trabalho recebi a seguinte crítica do teatrólogo Mario García-Guillén, no jornal Sunday News: “A simbiose ator

3

JORNALZEN

ZENTREVISTA|Nilson Condé

ÓCIO CRIATIVO

Afastado do circuito comercial, ator volta aos palcos com monólogo que tem como propósito estimular o autoconhecimento Divulgação

A experiência do teatro foi um passaporte libertador. O contato com autores geniais como Shakespeare, Ibsen, Sófocles, Vianinha, Guarnieri, Pinter, etc. foi abrindo cada vez mais a minha mente me possibilitando a arriscar novos voos sem rede de proteção e sem o compromisso com a bilheteria. Particularmente, que práticas de autoconhecimento ou espiritualidade passou a adotar? A principal prática que adotei foi a da liberdade de ser, buscando o autoconhecimento, apoiado muitas vezes nos pensamentos de Nietzsche, como: “torna-te quem és” ou “cumpre-te seguir o princípio das colunas que quanto mais altas mais sustinentes ficam”. Em que consiste o monólogo que tem apresentado nesta volta aos palcos? Gnôthi Seautón são as sábias palavras atribuídas a Sócrates gravadas no portal do oráculo de Delfos, no Templo do Deus Apolo, na Grécia Antiga, que recomendavam o “se descobrir” para uma vida espontânea no presente, no momento em que sentimos que estamos realmente vivos, na ação presente de cena que é o principal fundamento do teatro e consequentemente da vida. A peça é um “libertar-se” por meio de uma manifestação teatral que objetiva, além da comunicação viva, direta, uma expressão artística voltada para a desconstrução do ego estimulando o autoconhecimento, o que acarreta uma vida melhor como pessoa, como ser humano consciente da sua posição na sociedade.

-personagem é perfeita, e Condé mostrou toda a técnica aprendida durante sua longa carreira profissional...”. Após a crítica, se acaso tivesse alguma dúvida do que estava fazendo, com certeza as pa-

lavras do teatrólogo me deixaram mais do que seguro e satisfeito. Como sua experiência com o teatro o influenciou na adoção de um diferente estilo de vida? Silvia Lá Mon

Nilson Condé antes de se apresentar no monólogo Gnôthi Seautón em Indaiatuba

Quais conceitos ligados ao antigo teatro grego e à psicanálise podem ser aplicados no mundo corporativo? Os gregos “inventaram”, entre outras coisas, a democracia, o teatro, o drama e a lógica, enfim, as bases culturais do mundo ocidental e a psicanálise a partir de Freud deu “nome aos bois” do que impulsiona ou freia o mundo corporativo. Como avalia a proposta de nosso jornal, voltada ao bem-estar e autoconhecimento? O JORNALZEN, que tem como missão informar para transformar, colabora para disseminar o conhecimento sobre atividades voltadas ao bem-estar e à qualidade de vida. Matérias voltadas à saúde, educação e cultura ajudam também a conhecermos nós mesmos por meio de conteúdo sobre diversas filosofias de vida. Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? A mensagem que deixo é a mesma que encerro meu espetáculo “Piruliteba pirulitiba, quem gosta de pelanca é muxiba”. Veja vídeo com Nilson Condé no site www.jornalzen.com.br


4

JORNALZEN

Harmonia na dor forças como consequênEm tudo existe a harcia do flagelo, o Seu manmonia, mesmo no apaso olhar dorido inspira rente caos, que oculta uma ordem não identiternura, compaixão e mificada pelos sentidos husericórdia em relação aos Seus algozes. manos, porém, de onde A harmonia cristã é nascem o equilíbrio e o herança divina do Mesdesenvolvimento que se direcionam para a ple- JOÃO BATISTA SCALFI tre de Nazaré para tonitude. dos aqueles que O aVice-presidente do Educandário A harmonia favorece Deus e a Natureza (Indaiatuba) mam e O seguem. Se ouviste o chamaa alegria ante a majestade exuberante das formas e das do de Jesus, que te facultou mucores, do encantamento e da mu- dar o rumo da existência e te sensicalidade, das aspirações pelo be- sibiliza o coração, iluminando a lo e pelo bom, ampliando-se na tua mente, não te permitas, em momento algum, perder a hardireção do infinito. Quando a ordem se expressa monia interna, ou deixar-te arrasem qualquer forma de percepção, tar aos tormentos gritantes do desequilíbrio. logo a harmonia se manifesta. Nenhuma caminhada evolutiNão existe a dor, em contribuição para o equilíbrio do va ocorre sem as variações naconjunto, o tédio, por certo, to- turais do processo iluminativo. No cotidiano viverás, não poumaria conta dos sentimentos humanos na longa trajetória da sua cas vezes, as variadas mudanças evolução, sem a experiência das climáticas da emoção, sem que lágrimas, sem os vazios existen- devas perder a linha direcional ciais, sem a mensagem da triste- de conduta, e mantém-te harza, que dá um toque especial ao mônico e confiante. É natural, pois, que vivencies comportamento psicológico. Jesus é o mais perfeito exem- as experiências da reparação, plo de harmonia que se corporifi- que elimines os torpes efeitos que permanecem na expectativa da cou na Terra. Na montanha inolvidável, on- corrigenda para que se mantede Ele apresentou a sinfonia ím- nha a harmonia do conjunto. Não esperes, desse modo, que par das bem-aventuranças, tudo é harmonia, desde a formulação tudo esteja sempre conforme o das frases, do seu conceito pro- teu sentimento e os teus interesfundo e inconfundível, estenden- ses imediatos. Nunca desfaleças na jornada, do-se pela paisagem iridescente do dia refletido nas águas man- porque a “Irmã Dor” convidou-te sas do mar de Tiberíades até a a reflexões mais profundas, antes multidão silenciosa, dominada pe- fortalece-te de modo a possuíres la Sua presença incomparável e o tesouro da dignidade, para que a musicalidade da Sua voz na par- a tua palavra esteja respaldada pelo exemplo e a tua conduta titura lírica de todas as palavras. Harmônico, não se permitiu uma reflita como o espelho das águas palavra que destoasse de toda a do Lago de Genesaré a grandiosa Sua gloriosa existência, durante o epopeia do sermão do monte. A tua fé raciocinada fala-te a julgamento arbitrário e insano. Traído, abandonado, surrado, respeito da Grande Luz que te levado ao máximo ridículo, sem aguarda no final do túnel exisse permitir afetar pela miséria dos tencial. Seus inimigos, prosseguiu em harFonte: Tesouros Libertadores monia inabalável. (Divaldo Franco/Joanna de Ângelis) Sob o peso da cruz, extenuado, scalfi@terra.com.br suando sangue e debilitado nas

MAIO/2016

UNIVERSO DIGITAL

Amanda La Monica

O novo ‘boca a boca’ No último curso que ministrei sobre marketing digital para alavancar as vendas, um participante comentou que seu maior retorno atual vem do “boca a boca” e me perguntou o papel e diferença que as mídias sociais fariam em seu negócio. Hoje em dia, tem “boca a boca” melhor do que um comentário “marcando” um amigo acompanhado de uma mensagem “este aqui que te falei, recomendadíssimo” em sua fan page no Facebook? Antes, fazíamos uma recomendação para alguém mais próximo e ajudávamos aquela pessoa em particular, chegando a uma saturação física, pois você não iria até outro estado

para fazer uma recomendação, correto? Hoje em dia, ao criticar ou indicar alguém por meio das redes sociais, estamos recomendando um profissional ou serviço para todo o público que visitar a página, inclusive de outros estados, países, etc. Sem limite e saturação de alcance. Hoje em dia, vejo o “boca a boca” digital muito mais valioso do que o de antigamente. É algo exponencial. Se um cliente te avalia, toda a rede dele verá e você ficará mais reconhecido, multiplicando seu alcance. As mídias sociais são nossas aliadas e um dos recursos que mais geram confiança para nossos clientes. Viva a nova era digital!


MAIO/2016

JORNALZEN

5


6

JORNALZEN

Dr. Orestes Mazzariol Vasectomia: saiba mais Vasectomia é uma forma de contracepção permanente que consiste na ligadura dos canais deferentes. Essa cirurgia de esterilização voluntária interrompe os canais que levam o espermatozoide que “nasce” nos testículos para fora com o ejaculado. Por se tratar de método de contracepção permanente, deve ser decidido em conjunto pelo casal. Como a vasectomia não produz esterilização imediata, outra forma de contracepção deve ser usada até um exame pós-operatório mostrar ausência de espematozoides. A reversão espontânea, falha, é rara e pode ocorrer em um em cada 2 mil vasectomizados. A repetição da cirurgia pode ser indicada, enquanto a reversão, com ou sem técnicas de fertilização assistida, é cara, não tem cobertura dos planos e é feita

pelo Sistema Único de Saúde (SUS) somente em ambientes universitários, sem garantia de 100% de sucesso. A vasectomia é um procedimento simples, realizado em nível ambulatorial. A taxa de complicação gira em torno de 1 a 2%. As principais são hematoma, que é a formação de uma coleção de sangue (“sangue pisado”), e infecção, com tratamento conservador. Não há associação com câncer de próstata, doenças cardiovasculares ou alteração da potência. O volume do ejaculado não se altera, uma vez que o que vem dos testículos corresponde a somente 2 e 3 % do volume total. Trata-se de excelente método de esterilização. Por ser permanente, há formalidades legais normatizadas pelas autoridades.

MAIO/2016

PANORAMA ATENDIMENTO PSICOLÓGICO

O curso de psicologia da Universidade São Judas, em São Paulo, está com inscrições abertas para alunos e filhos encaminhados por escolas e famílias para atendimento psicológico voltado a queixas escolares. Gratuito, o atendimento é feito por estagiários supervisionados. As inscrições podem ser feitas na Rua Marcial, 45 (Mooca). Mais informações: (11) 2799-1831.

LEITURA NO METRÔ

Projeto da concessionária ViaQuatro está distribuindo livros aos passageiros na Linha 4-Amarela do metrô em São Paulo. A ação cultural, em parceria com a Livraria Leitura, acontece nas estações República e Paulista até o dia 1º de julho. Não é necessário qualquer tipo de cadastro. A ação propõe que os títulos sejam trocados e devolvidos às estantes após o uso.

CONCURSO LITERÁRIO INFANTIL

Estudantes de 7 a 12 anos podem enviar até 31 de maio redações para o 4º Prêmio Espantaxim. O tema desta edição do concurso nacional – “Brasil, gigante pela própria natureza” – visa despertar nos pequenos escritores os sentimentos de patriotismo e cidadania, além de incentivar o interesse pela literatura e a escrita. Mais informações: www.espantaxim.com.br

FEIJOADA DO BEM

A Creche Bento Quirino, de Campinas, iniciou a venda de convites para sua tradicional feijoada. O evento, com renda destinada para a entidade, será no dia 21 de maio, das 12h às 15h, na choperia Giovannetti Cambuí. O convite dá direito a camiseta, bufê, dois chopes, refrigerantes e água, além de cupom para sorteios. Mais informações: (19) 3231-2831.

CORRIDA EM PROL DO BOLDRINI

A 11ª edição da Corrida e Caminhada Mais Vida/3M, dia 22 de maio, em Campinas, terá a renda revertida ao Centro Boldrini, referência no tratamento do câncer infantil. As inscrições para o evento podem ser feitas no site www.noblu.com.br. A largada está marcada para as 8h, na Praça Arautos da Paz (Taquaral). Mais informações: www.boldrini.org.br

CURSO PARA GESTANTES

O Hospital da PUC-Campinas está oferecendo neste mês, aos sábados, das 10h às 13h, no cinema do shopping Parque das Bandeiras, curso gratuito para gestantes e acompanhantes. O evento terá palestras com profissionais de diversas áreas. O shopping fica na Avenida John Boyd Dunlop, 3.900 (Jardim Ipaussurama). Mais informações: (19) 3343-8655.

EDITAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA Convoca-se todos os associados do Centro de Estudos “Prof Dr. Elemir Macedo de Souza”, CNPJ: 07.926.146/0001-01, para Assembleia Geral Extraordinária, a realizar-se em 23/05/2016 às 08h em primeira convocação e às 08:30h em segunda convocação, no endereço R. Frei Manoel da Ressurreição, nº 1114, Jardim Guanabara, Campinas/ SP, CEP: 13.073-021 para deliberar sobre a seguinte ordem do dia: I – Discussão para provimento no registro em cartório das atas elaboradas anteriormente; II – Reforma parcial do estatuto no tocante à forma de convocação das assembleias; III – Ratificação das eleições anteriores (de 2006 a 2016)


MAIO/2016

JORNALZEN

7


8

JORNALZEN

MAIO/2016

Você já limpou sua mente hoje? outras complexidades. A mente é o instrumenExistem vários recurto mais poderoso que sos para fazer a limpeza o ser humano possui. mental. Pode-se utilizar Sem que nada aconteça de concreto na vida técnicas meditativas, respirações ou entoar mande uma pessoa, por si tras, que ajudam a mensó, a mente pode gerar te nesse processo. O ideal um estado de plenitude é criar um hábito diário, e alegria ou de extrema infelicidade e desgraça estabelecendo uma disatravés dos pensamen- MÁRCIO ASSUMPÇÃO ciplina, de preferência no tos, padrões e valores Professor de ioga e diretor mesmo horário. Alguns que a pessoa desen- do Instituto de Yogaterapia minutos são suficientes para começar a experivolve ao longo de suas experiências. Por isso é tão impor- mentar uma mudança significativa. A seguir, uma sugestão simples tante aprender a lidar com ela. Na visão do yoga é necessário para fazer diariamente: sente-se em fazer diariamente uma faxina men- uma postura confortável, pode ser tal. Assim como se limpa a casa com no chão ou numa cadeira. Obserfrequência; recolhe-se o lixo todos ve sua respiração e procure respios dias e verifica-se a “caixa de e- rar lenta e profundamente. Deixe mail”, livrando-a de mensagens in- surgir todo tipo de pensamento e desejadas, nossa mente também emoção, sem julgá-las. Seja apeprecisa ser limpa. Para limpar a nas um observador de tudo o que mente se faz necessária o desen- surgir. Acolha o que vier de pensavolvimento de um “filtro” do fluxo mentos ou emoções, sem tentar de pensamentos para diferenciar o controlar. Sua mente vai começar a que é essencial e o que é periférico. despejar para fora tudo o que está No yoga denomina-se viveka, que em excesso, como um balde que significa discernimento, essa fun- transborda quando está repleto de ção de filtrar a mente. Através do água. Isso pode acontecer de uma discernimento, pode-se priorizar o forma muito intensa nos primeiros que realmente é importante e sig- dias e vai se tornando mais suave nificativo e diferenciar o lixo mental na medida em que se pratica com daquilo que é essencial. Esse lixo é frequência. Procure silenciar e oba soma dos pensamentos que con- servar até o fluxo de pensamentos gestionam o fluxo mental. Esses diminuírem e você se sentir mais pensamentos são aqueles que de- calmo. Pergunte-se: o que é o espois de dois ou três dias não terão sencial na minha vida no dia de importância nenhuma em nossas hoje? Não fique ansioso por resvidas, mas que ocupam um espaço postas. Elas surgirão. Acolha-as. Praticando com regularidade, enorme na mente. Eles surgem das informações recebidas de diversos você vai experimentar uma memeios e impressões do cotidiano. lhor qualidade de vida em todos Ficam na memória, como aquela os sentidos, pois tudo o que se vamúsica que não sai da cabeça ou loriza ganha muito significado na uma informação que você leu ou vida de um indivíduo. Valorizando o que é essencial assistiu nos meios de comunicação. Se você não tiver o hábito de uma em sua mente, pequenos conflitos higiene ou análise mental contí- e problemas ganharão outra relenua, eles poderão congestionar a vância, diante de coisas mais immente, perturbando-a e gerando portantes. Experimente. Namaste.

APOIO:


JORNALZEN

MAIO/2016

Marcelo Sguassábia

Terapêutica tântrica Janete Cristina (Prem Lamhita)

Manuscrito de Elantra Não demorou muito para perceber que o mundo tinha acabado, e que aparentemente só restava o que sobrou de mim para fazer companhia às bactérias. É impossível precisar como ou quando exatamente recobrei os sentidos após a hecatombe, e o que a desencadeou. Não houve aviso nem pânico que a precedesse. Seja lá o que tenha acontecido, foi muitíssimo rápido o golpe de extermínio. Enquanto tirava o pó dos olhos e ensaiava uns passos com o que supunha ainda serem minhas pernas, tentava adivinhar a causa entre as possibilidades mais plausíveis: o louco ditadorzinho de Oregons Lanontry em incontido surto megalômano, um meteoro em súbito desvio de rota, um insuspeito arsenal nuclear do Estado Setentrional, quem sabe a fúria da natureza em desastroso revide. Nem a céu aberto (e é tudo a céu aberto agora), nem sob os escombros havia sinal de água ou comida. Nenhum inseto voador ou rastejante. O que se conhecia por matéria parecia afetada em seu nível molecular. Objetos e seres ganharam um contorno inédito e sem definição possível. Mas isso parecia ilógico, uma possibi-

lidade que contradizia a minha relativa inteireza física e o meu raciocínio para escrever. Como somente eu não estava destruído ou transformado em outra desconhecida coisa, ainda mantendo sentidos e consciência, ao contrário de tudo ao redor? Este relato, escrito com o que melhor se aproximava de um lápis sobre aquilo que melhor se aproximava de uma folha de papel, ficará guardado numa caverna, como os manuscritos do Mar Elantra, até que alguém o encontre, caso o mundo – contrariando meu aparente julgamento -- não tenha acabado. Ou venha, de alguma forma, a ganhar vida de novo. Uma nuvem ocre me alcança agora, com forte odor de amônia, trazendo junto um frio que em dois ou três minutos frustrará qualquer intenção de movimento, seja para escapar da caverna ou para esconder-me ainda mais no fundo dela. Encolhido em posição fetal, prendo o quanto posso a respiração até que a nuvem venenosa perca um pouco a densidade. E recordo, nostálgico, nosso acolhedor planetinha Júpiter em seus dias mais felizes. Marcelo Sguassábia é redator publicitário

9

O

tempo andando cada vez mais rápido, todos nós com muitas tarefas, atividades e afazeres... Tudo isso contribui para que tenhamos que acelerar nossas energias e dar conta de tantas mudanças e transformações que estão ocorrendo no momento. A terapêutica tântrica consegue realizar em nós uma conexão mais profunda com nosso estado do existir, do sentir e agir, proporcionando assim condições e suporte para que possamos ter o melhor desempenho possível em todas as áreas de nossa vida. Tantra é um termo amplo, pelo qual antigos estudantes de espiritualidade na Índia designavam um tipo muito especial de ensinamentos e práticas que tiveram base em uma antiga sociedade. Com o passar do tempo, estes ensinamentos propagaram-se, misturando-se com diversas outras culturas e correntes filosóficas e religiosas como hinduísmo, vedanta, ioga, budismo, taoísmo, entre outras. O trabalho do tantra é equilibrar, de-

senvolver e direcionar toda nossa energia sexual e a libido. A terapêutica tântrica utilizada pelo Centro Metamorfose já ajudou milhares de pessoas em todo o Brasil. Os benefícios são inúmeros. Trabalha com o despertar do potencial bioelétrico e orgástico de todo o corpo, aumenta a libido, a alegria de viver, desempenho sexual, aprimora os sentidos, melhora a autoestima e a afetividade, desmistificando a sexualidade e proporcionando maior bem-estar e disposição para o dia a dia. Agora temos uma unidade das terapias tântricas do Centro Metamorfose em Campinas, o Ganesha Metamorfose. Especializado em terapias tântricas, conta com um rol de terapeutas capacitados em todas as modalidades de massagem tântrica do método Deva Nishok. Ideal para tratar questões relacionadas à sexualidade, estresse, ansiedade, depressão, ressignificando questões de ordem física, mental, emocional e espiritual. Janete Cristina é terapeuta tântrica


10

JORNALZEN

Depressão nunca mais! O ser humano, com suas tas, em cada momento preocupações, medos, você vai alimentando ansiedades, tristezas e essas emoções, até falta de amor próprio, que perde o controle está desenvolvendo a sobre elas, que passam cada dia que passa a a tomar conta de você. “doença do século”, ou É muito triste ver pesmelhor dizendo, está crisoas que deixam de diando a depressão. Mas rigir, pegar ônibus ou por quê? ARMANDO ZAPAROLLI frequentar lugares que Bioterapeuta Afinal de contas, quem gostam, entre outras coiiria querer criar essa dosas, por não conseguir ença por vontade própria? enfrentar suas próprias emoções. Não se engane: desde muito Felizmente é possível reverter pequeno ou mesmo ainda den- esse quadro, muito mais rápido tro do útero materno, você pas- do que se imagina. Terapias intesou por emoções desagradáveis grativas auxiliam e muito na ree no decorrer da vida; foi alimen- cuperação do poder pessoal. tando essas emoções em um O conhecimento te liberta! grau maior ou menor. Muitas vezes, assistindo noti- Atendemos presencialmente em ciários negativos ou filmes e no- Campinas (Espaço Castro Alves), velas com cenas tristes ou violen- além de Indaiatuba, Salto e Itu.

MAIO/2016

Padre Haroldo Alimento para os que têm fome Todas as correntes de espiritualidade e todas as religiões expõem normas sobre comer e beber. Os muçulmanos piedosos guardam um rigoroso jejum de 40 dias, e os judeus ortodoxos, nos dias de jejum, só comem os alimentos kosher. A Igreja Católica até recentemente atribuía numerosos dias ao jejum e à abstinência de carne, mas a Igreja da época pós-conciliar ainda não regulamentou as normas sobre alimento e bebida. O alimento e a bebida estão entre os dons mais abundantes de Deus e são bens gloriosos, criados para nos ajudar a conhecer e amar a Deus. Talvez não nos sirvamos desses bens com sabedoria. Dois terços da população mundial são malnutridos: um terço, porque as pessoas comem demais e de maneira prejudicial à saúde; outro terço, porque as pessoas se alimentam pouco, por falta de alimentos. Podemos ter uma clara consciência desse fato na teoria e, talvez, até podemos nos preo-

cupar com as palavras de Jesus sobre o Juízo Final (cf. Mt 25, 42). No entanto, ninguém se preocupa com a fome daqueles que comem indiferentemente tudo o que lhes chega às mãos. A espiritualidade aconselha uma forma de disciplina alimentar que se presta bem para os tempos atuais. O ponto de partida é simples: devemos manter uma ordem inteligente na forma de comer e beber, para servir a Deus e não ao nosso paladar. A obesidade, quando não decorrente de algum distúrbio médico intratável, dá prova cabal de um distúrbio espiritual e de um apetite desordenado que corrói não só a liberdade espiritual, mas até a moral. Assumimos responsabilidade pessoal pela própria alimentação. Decidimos o que iremos comer e quanto. Colocamos a alimentação em primeiro lugar e a satisfação em segundo plano. Mais ainda: orientamos a alimentação para servir a necessidades superiores à satisfação: boa alimentação, por exemplo, ou um coração sadio. Haroldo Rahm é presidente emérito do Instituto Padre Haroldo hrahmsj@yahoo.com

A Terra é um só país e a humanidade, seus cidadãos Jéssica Oliveira

P

ode parecer utopia imaginar o mundo onde vivemos como um só país e a humanidade trabalhando junta para a evolução de seus habitantes, todos eles, sem distinção social, econômica, étnica ou religiosa. Há menos de 200 anos parecia impossível integrar os povos, visto que a tecnologia, por exemplo, era ainda primária em comparação aos recursos que existem atualmente. Vive-se hoje a globalização, a comunicação é instantânea e o fluxo de informações é tão rápido quanto a produção de conteúdo. Comunicar-se tornou-se fácil e rápido. Entretanto, essa conexão está levando a humanidade a tornar-se uma só família? A máxima proferida nos últimos 2 mil anos – “amai ao outro como a si mesmo” – tem sido praticada? E, neste caso, quem é o outro? A frase do título deste texto provém de um ensinamento da Fé Bahá’í, a mais jovem das religiões e a segunda mais difundida no mundo, fundada na Pérsia (atual Irã) no fim do século 19. Em Seus escritos, ‘Abdu’l-Bahá

– filho do revelador da Fé Bahá’í, Bahá’u’lláh – vai além da frase proferida por Jesus Cristo há dois milênios e explica: “Trata a todos os teus amigos e parentes, até mesmo os estranhos, com espírito de máximo amor e bondade”. Esse conselho é claro e objetivo: não basta amar o outro como a si mesmo – embora isso seja, sim, ainda muito necessário. É preciso, no entanto, ir além e agir com amor e bondade com todos. É fundamental ajudar ao outro, ainda que com uma palavra gentil e em condições terríveis, ou mesmo que este outro seja muito diferente de você. Para nós, pode ser extremamente difícil praticar esse ensinamento, mas lembre-se que ele foi dado por ‘Abdu’l-Bahá, que presenciou crueldades contra a própria família e viveu da infância à terceira idade em uma cidade-prisão. Alguém que não tinha posses e ainda assim doava até mesmo o próprio casaco para quem morava na rua e precisava enfrentar o inverno. A Fé Bahá’í é o renascer de uma nova Revelação, e seu principal objetivo – tornar a humanidade unida em espírito, frater-

nidade, gênero e economia – é o que motiva os cerca de 6 milhões de bahá’ís distribuídos em 170 países a trabalhar arduamente pelo bem-estar da comunidade. Para alcançar esse objetivo, os bahá’ís seguem um plano definido de educação espiritual de crianças e pré-jovens (a partir dos 12 anos de idade), a partir do qual ensinam não apenas os preceitos da Fé, mas valores universais como respeito, bondade, dedicação e serviço, o amor a Deus, entre diversos outros. Essas aulas são abertas a todos, independentemente da religião. O motivo é simples: apenas com a educação espiritual de crianças e jovens é

possível criar a base para uma humanidade mais fraterna e unida focada não no outro, mas em todos, em toda a comunidade. As mensagens deixadas por Bahá’u’lláh e ‘Abdu’l-Bahá são profundas e extensas – afinal foram centenas de textos revelados – mas têm um ponto de convergência: não é preciso concordar com o outro para amá-lo e respeitá-lo. Não é necessário ser igual para ser unido, basta ter um objetivo em comum: o bem-estar de toda a humanidade. Só assim o outro torna-se nós. Jéssica Oliveira é jornalista e integrante da Comunidade Bahá’í de Campinas bahaicampinas.org.br


Bom trânsito para nós! Marks Pintija

O trânsito nas escolas Você já deve ter ouvido a frase que diz “trânsito deveria ser ensinado nas escolas”. E certamente alguém que estava próximo deve ter dado uma opinião, explicando todos os porquês. De fato, no Brasil existem duas maneiras de se discorrer sobre o assunto, que é a educação DE trânsito e a educação PARA O trânsito. A primeira, diz respeito a formação do cidadão para saber as normas e cumprir mediante direitos e deveres. Já a segunda, é aquela que prepara o cidadão para CONVIVER com a situação atual, com os conflitos e ter reflexões necessárias para se melhorar a harmonia. Legalmente, existem normatizações prevendo a aplicação do ensino nas escolas desde os primeiros anos para as crianças e adolescentes, segundo o Códi-

11

JORNALZEN

MAIO/2016

go de Trânsito. Mas conforme a LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação de 1996, o trânsito não pode ser considerado uma disciplina, e sim que seja tratado em sala de aula como um tema transversal, o que apesar de quase 20 anos de sua entrada em vigor, ainda não percebemos a necessária mudança de comportamento na sociedade. Trânsito não é pensar em dirigir e em carro, é deslocar-se de forma segura e harmoniosa, onde todos ao redor possam ter acesso ao ponto de destino, respeitando os limites dos demais e contribuindo para a preservação da vida e do meio ambiente. Campanhas pontuais podem ser consideradas válidas, mas nada substituirá a informação constante e monitorada, todos os dias a cada ano.

Rendimento esportivo e respiração Um escalador esportivo procurou-nos para ampliar a performance nas escaladas. Uma das queixas era o “tijolamento” do antebraço. “Tijolar” é uma expressão usada entre escaladores para designar a perda da força de determinada musculatura. Quando acontece esse processo, no meio de uma via, a chance de êxito é quase nula. Fiz-lhe as seguintes perguntas: como está a sua respiração no momento do “tijolamento”? Como você respira nos momentos que antecede o fato? Como está a sua emoção? Todas as res-

postas foram: “não sei”. A habilidade de respirar adequadamente amplia os resultados em qualquer CLÉLIO BERTI esporte. Mas Diretor da um desempeUni-Yôga Flamboyant nho qualificado dependerá da administração das emoções do atleta. Precisa-se respirar bem e direcionar o emocional para a meta pretendida. A respiração inadequada fará com que a absorção de oxigênio seja incompatível com o consumo. A falta produz, entre outros fenômenos, o “tijolamento”. Sem oxigênio suficiente, os músculos rendem pouco. Para melhorar os resultados, o esportista precisa respirar bem e educar o emocional.


12

JORNALZEN

Viva Bem elianamattos@uol.com.br

Bate-papo

S

e você começar a reparar, vai ver que tenho razão. Na casa dos amigos Paula e Robson tem e está carregadinho. Na do Pedro, meu vizinho, ele começou a crescer agora, mas logo estará também carregado. Na casa da minha mãe tem. Na da minha irmã também. Voltando de Tietê, observei vários ao longo da estrada que liga a cidade a Porto Feliz. E andando aqui por Indaiatuba, com olhos atentos aos quintais, vi que em qualquer pedacinho de chão, lá está ele, soberano. Nele, não tem moleque que suba para arrancar seus frutos, feito pé de manga ou goiaba. Você deve estar se perguntando pé de quê estou falando. Do prosaico, mas não menos gostoso mamão. Para mim, virou conversa recorrente falar do preço do mamão. Isso porque há anos peguei a saudável mania de comer uma papaia em jejum, antes do café da manhã. E não adianta querer substituir por outra fruta. Eu quero papaia! Se você costuma comprar, já entendeu a minha indignação: o preço! Varia muito de supermercado para supermercado, de quitanda para quitanda. O recorde foi R$13,80 o quilo! Sim, você leu certo. Até outro dia, não custava mais de 4 reais o quilo. Comerciantes me disseram que é por causa da chuva. Oi? Que chuva? Aquela que caiu em dezembro e janeiro? Mas por que os pés de mamão que contei acima continuam carregados de frutos? Porque não são especiais; não são tipo exportação; não são papaia; são amargos; só servem para passarinhos comer, etc., etc., etc. Na minha argumentação, são sempre essas as respostas que recebo. Fato é que tudo que aumenta de preço neste país nunca mais volta ao que era. Duvido que o papaia chegue de novo a custar os 4 reais do final do ano passado. Como acontece com o leite quando os pastos ficam secos e ele sobe exageradamente de preço. Poderia continuar dando inúmeros exemplos, mas paro por aqui. Estou cansada deste assunto! Aliás, escrevo sobre isso para ver se consigo fazer uma catarse e mudar de fruta no café da manhã! O mamão é uma fruta nossa. Dá em qualquer lugar. Se fosse importada, teria cabimento pagarmos mais caro, pela exorbitância de impostos que se paga numa importação. Tenho certeza que, se você pesquisar preços em supermercados no exterior, vai ver que mesmo indo do Brasil para lá não custam o absurdo daqui. Fico pensando nas famílias que compram bem mais do que simples papaia... Grande beijo!

MAIO/2016

FORNO & FOGÃO Coxão mole com ervilhas frescas Ingredientes: • 2 colheres (sopa) de óleo • 1 cebola média picada • 2 dentes de alho triturados • 1 kg de coxão mole em pedaços pequenos • Sal e pimenta-do-reino a gosto • 2 xícaras de água quente • 1 xícara (chá) de ervilhas frescas ou descongeladas • ½ kg de tomates sem pele e sementes picados • ½ xícara (chá) de cheiro verde picado Modo de fazer: Aqueça o óleo e doure levemente

Fofura de fubá Ingredientes: • 4 xícaras (chá) de leite • 2 xícaras (chá) de açúcar • ½ xícara (chá) de maisena • 1 xícara (chá) de fubá fino • 1 ½ xícara (chá) de coco ralado • ½ xícara (chá) de queijo prato ralado • 2 colheres (sopa) de farinha de trigo

a cebola e o alho. Junte a carne e refogue em fogo alto até dourar. Tempere com o sal e a pimenta. Cubra com a água, feche a panela de pressão e leve ao fogo por uns 20 minutos após o início do apito. Retire a panela do fogo, espere acabar a pressão e abra a panela. Experimente a maciez da carne. Se estiver do seu agrado, acrescente os tomates e deixe no fogo por uns cinco minutos. Se ainda tiver muito líquido, retire um pouco. Em seguida, acrescente as ervilhas e deixe até que esteja macia, mas ainda firme. Salpique o cheiro verde e sirva imediatamente. • 3 colheres (sopa) de margarina • 1 colher (sopa) rasa de fermento em pó • 4 ovos Modo de fazer: Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata bem. Depois, é só despejar em uma forma untada e enfarinhada, levando ao forno médio por aproximadamente 45/50 minutos.

COTOVELOS Já escrevi outras vezes sobre essa região do corpo, que tem poucas glândulas sebáceas e é naturalmente mais espessa e ressecada que a do resto do corpo. Por isso mesmo, toda mulher quer mantê-los lisinhos e hidratados. Esfolie a pele uma vez por semana com uma bucha vegetal. Passe um bom hidratante e envolva a região com filme plástico. Você vai notar a diferença bem depressa. E, é claro, todos os dias após o banho, hidrate muito bem os cotovelos e nunca durma sem uma boa massagem, com um creme de sua preferência.


JORNALZEN

MAIO/2016

As novas constelações, constelações quânticas e a sintonia com a vida Cristina Florentino

V

iver tudo o que veio antes nos preparou para receber as constelações quânticas que introduzem a escolha individual como extraordinária força de cura. E essa escolha individual “Eu escolho a vida” é o que, até agora, cria mais energia de cura em todo sistema das pessoas. A atitude quântica se resume no seguinte: - Decido ver tudo, incluo tudo através do meu olhar. Pertenço a tudo. Reincluo todos os excluídos, esquecidos e rejeitados. Me abro ao seu amor. Assumo o passado. - Escolho viver o presente tal como é, com tudo o que me cabe. Meu olhar solta o passado e se abre à vida. Olho minha vida presente tal como é, lhe digo sim, lhe agradeço por ser como é. Neste momento me conecto com o vazio, com o grande campo, com outras possibilidades. Me entrego ao vazio criador. - Crio meu futuro, me responsabilizando por meus pensamentos e emoções. Por ressonância, atraio o que sinto e o que penso. Dentro da evolução das constelações, segundo seu criador, Bert Hellinger, mais importante do que as ordens do amor (pertencimento, hierarquia e equilíbrio entre o dar e o receber), hoje, é a sintonia com a vida que impera como atitude fundamental nas novas constelações. E como se manifesta essa atitude? Dizer sim a tudo como é, agradecer tudo como é, essa atitude nos conecta com o vazio criativo e, simultaneamente, as ordens do amor se impõem de modo natural em nossas vidas. A sintonia com a vida desvenda os emaranhamentos e a cura aparece. Ao dizer sim a tudo como é; - Dizemos sim também ao nosso lugar na família e no mundo, adquirindo força para nos colocar na ordem sistêmica. - Nos despedimos da cegueira do amor arcaico infantil que segue em direção ao pertencimento ao bando (família) a qualquer custo, para migrar ao Amor Adulto do pertencimento a tudo, ainda que eu seja diferente da família.

- Saímos dos emaranhamentos nas desordens do passado para uma nova realidade que surge através da nossa entrega à vida como é. A sintonia com a vida nos conecta a algo maior e permite que nossa vida flua, ou volte a fluir. Temer ou rejeitar algo tem o efeito de atrair esse algo. Aceitar algo o transforma em algo diferente, a favor da pessoa. Todos temos a liberdade de aceitar ou rejeitar nossas vidas, de provocar o aumento das dificuldades ou de permitir que nossas vidas voltem a fluir. Sintonizar com a vida, agradecê-la incondicionalmente, nos permite fluir com o rio da vida e sentir essa fluidez em todas as situações que nos rodeiam. Nas constelações quânticas a pessoa se coloca como observadora de sua própria vida, aceitando ver tudo, agradecendo e honrando tudo, decide despedir-se de seu passado e escolhe a vida com tudo que lhe cabe. Agora sabemos que somos energia e que tudo é, ao mesmo tempo, partícula e onda. Junto com cada partícula ou realidade materializada existe um oceano implícito, um oceano de infinitas possibilidades. O salto da partícula para outra onda de probabilidade se dá quando o observador deixa de olhar a partícula e não sabe o que vai acontecer; acontece quando sua mente está vazia. Na nossa vida as coisas mudam quando deixamos de olhar o problema, quando o aceitamos plenamente, para depois soltá-lo, deixar de pensar nele, nos abrir à vida como ela é, a partir da aceitação incondicional, do agradecimento e do respeito. O problema se transforma em outra probabilidade, sempre melhor, para todos, do que a anterior. Nos aprofundaremos em todas essas questões e muito mais na formação nas novas constelações que iniciará em 18 e 19 de agosto de 2016, venha participar dessa jornada transformadora! Cristina Florentino é psicóloga, consteladora e facilitadora de pathwork www.cristinaflorentino.com.br

13

INDICADOR TERAPÊUTICO

Instituto Rubem Alves lança campanha ‘Doar para Educar’ O Instituto Rubem Alves oficializou, no último dia 28, a abertura da campanha “Doar para Educar”. A data foi escolhida em comemoração à abertura do acervo do escritor e educador Rubem Alves e marca mudanças nas atividades desenvolvidas pelo instituto, sediado em Campinas. A campanha acontecerá duas vezes ao ano com o objetivo de tornar o instituto um centro de distribuição de livros infantis e

materiais escolares de apoio. As entidades que queiram se cadastrar para receber as doações, assim como os doadores, devem entrar em contato pelo telefone (19) 3386-0704 ou pelo e-mail contato@institutorubem alves.org.br até 28 de junho. O Instituto Rubem Alves fica na Rua José Antônio Pinto Borges, 48 (Jardim Chapadão). Mais informações: www.facebook.com/ Instituto-Rubem-Alves


14

JORNALZEN

CULTURAZEN Silvia Lá Mon com os organizadores do primeiro festival do projeto Sou & Somos, que teve apoio do JORNALZEN, em Monte Mor

MAIO/2016 Silvia Lá Mon

O palestrante Ken O’Donnel e Nádia Castro no primeiro evento da Brahma Kumaris em parceria com a Câmara Municipal de Indaiatuba

Silvia Lá Mon

Armando Zaparolli (de óculos) com os participantes do curso de Toque Bioenergético, no Espaço Castro Alves, em Campinas

Divulgação

Alunos da Unicamp realizam pintura solidária no Centro Infantil Boldrini, em Campinas

Ana Carolina Lahr

Amanda La Monica (dir.) e Ana Fontes na 6ª Virada Empreendedora, em SP

Silvia Lá Mon

Raquel e Mariana Alves na abertura do acervo do Instituto Rubem Alves


MAIO/2016

MANDALA PARA PINTAR

JORNALZEN

AGENDAZEN

- OZENI LUCAS -

CAMPINAS

INDAIATUBA

CONSTELAÇÕES FAMILIARES 11/6, das 8h30 às 13h30 – encontro mensal das Novas Constelações Familiares, com Cristina Florentino, no Espaço Padma (Rua de Lucas, 36 – Condomínio San Conrado – Sousas). Inscrições e mais informações: (19) 3255-4256 ou www.cristinaflorentino.com.br

BRAHMA KUMARIS 19/5, 19h30 – workshop “Aprendendo a lidar com pressão” – no plenarinho da Câmara Municipal (Rua Humaitá, 1.167 – Centro). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3241-7480

MÉTODO DEROSE 19/5, às 19h30 – palestra “A combinação ideal entre teoria e prática”, com Clélio Berti, na unidade Flamboyant (Avenida José Bonifácio, 1.030 – Jardim Flamboyant). Aberto ao público. Inscrições e mais informações: flamboyant.sp@metododerose.org

TERAPÊUTICA TÂNTRICA

Recebemos colaborações para este espaço. Envie sua mandala para contato@jornalzen.com.br

15

• Meditações em grupo todas as terças, quartas e quintas, 19h • Curso de Pompoarismo Feminino: 14/5 e 18/6 • Curso livre de Massagem Tântrica para casais: 11 e 12/6 • Workshop “All Love”: 4 e 5/6 Ganesha Espaço Terapêutico Rua Dona Rosa de Gusmão, 135 B Guanabara Mais informações: (19) 2515-6500 www.ganesha.net.br

EUBIOSE 4/6, 15h – palestra“Os 22 Arcanos Maiores, os 56 Arcanos Menores e Hermes, o Trimegisto”, com Paulo Roberto Santos, na sede local (Rua Madri, 72 – Jardim Europa). Aberto ao público. Mais informações: sbe.indaiatuba@gmail.com

SÃO PAULO ESPIRITUALIDADE E SAÚDE 25/5, 19h30 – encontro “Cuidado integral do ser humano através das técnicas de imposição de mãos”, na sede da Fundação Mokiti Okada (Rua Morgado Mateus, 77 - 1º andar - Vila Mariana). Levar 1 kg de alimento não perecível. Inscrições e mais informações: www.fmo.org.br TEATRO 1º/6, 20h – monólogo “Gnôthi Seautón – A Desconstrução do Ego”, com Nilson Condé, na Biblioteca Mário de Andrade (Rua da Consolação, 94 – República). Ingressos gratuitos (retirar com 1 hora de antecedência). Mais informações: (11) 3775-0002


16

JORNALZEN

MAIO/2016

Profile for Webmaster JornalZen

Jornalzen Maio 2016  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há onze anos no mercado, circula e...

Jornalzen Maio 2016  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há onze anos no mercado, circula e...