Page 1

JORNALZEN ANO 14

JUNHO/2018

AUTOCONHECIMENTO

Nº 160

BEM-ESTAR

www.jornalzen.com.br

CIDADANIA

CULTURA

SAÚDE

DIVULGAÇÃO

O projeto MindKids, idealizado por Daniela Degani, tem como missão levar a prática da meditação para ambientes nos quais as crianças e jovens possam aprender e compreender a importância dessa prática milenar. O projeto já impactou mais de 800 crianças, pais e professores no País. DIVULGAÇÃO

ZENTREVISTA

Escola Aldeia Akatu conquista filiação à Federação das Escolas Waldorf no Brasil Pág. 2

Salette Aquino Pág. 3 DIVULGAÇÃO/AMANDA LA MONICA (destaque)

NATURALTECH A 14ª edição da Feira Internacional de Alimentação Saudável, Suplementos, Produtos Naturais e Saúde movimentou o pavilhão do Anhembi, de 6 a 9 de junho, em São Paulo. Confira fotos do evento, que teve o JORNALZEN (no destaque) como participante pelo décimo ano consecutivo. Pág. 12


JORNALZEN

2

O caos necessário

Junho/2018

CIÊNCIA DA FELICIDADE

A ordem nasce do caos. cando e se divertindo com Esse é o ponto de mutaseus pais em casa, pessoção. As pessoas às vezes as passeando a pé em caprecisam ter sua rotina sais ou em família, indo quebrada abruptamente às compras, parando papara despertar para um ra tomar um café e com novo modus operandi. tempo para sentar e conEssa crise com a falta versar... Como há muito de combustível nos fez pernão fazíamos em nosso ceber o quanto somos de- SILVIA LÁ MON dia a dia. pendentes do petróleo, mas Diretora do JORNALZEN Aqueles que ainda tisabemos que num futuro nham certa resistência próximo ele tende a acabar, en- também perceberam que é possítão podemos encarar isso como um vel fazer reuniões de trabalho via treino, assim como podemos ob- Skype com a mesma eficácia e ecoservar como a sociedade se com- nomizando tempo e dinheiro. Nuporta nesses momentos de crise e ma dessas conversas no café, lemcorrigirmos o curso das coisas. bramos que há 30 anos não tínhaInfelizmente, nesses momentos mos quase nenhum dos recursos que vemos o egoísmo daquele que com- temos hoje, e conseguíamos fazer pra cinco sacos de arroz para ga- tudo o que era necessário. rantir seu sustento, sem se preoA lição que fica é que podemos cupar com o que chega depois de- desenvolver uma vida mais susle e encontrará a gôndola vazia, tentável. Comprando de forneceou ainda aqueles que aproveitam dores locais ou tendo nossa próo caos para aterrorizar e vanda- pria horta. Trocando o carro pela lizar, saquear e fazer arrastões na bicicleta. Podemos optar por ter o população já em pânico. Por ou- necessário e, numa grande escatro lado, durante esses dias obser- la, diminuir o consumismo predavei coisas muito interessantes. Nu- tório. Ou seja: é possível ser feliz ma tarde dessas, as crianças brin- apenas com o necessário.

Educação deve considerar o que é invisível Hoje em dia, a maior parte da educação é voltada para incentivar a formação de cientistas, e quase metade das pessoas da área da educação tem formação em ciências. Quem tem formação científica geralmente lida com as coisas deste mundo – por exemplo, materiais e substâncias físicas. Quando as pessoas passam muitos anos investigando coisas que podem ser vistas a olho nu, às vezes deixam de entender o invisível. Isso ocorre simplesmente porque elas não estudaram nada sobre o mundo invisível, ou porque ninguém lhes ensinou nada a respeito. A ciência teve rápido desenvolvimento nos dois ou três últimos séculos. Não estamos negando a ciência. Afinal, religião e ciência não são antagônicas. Nas antigas religiões, há muitos aspectos que

As reflexões desta coluna são extraídas dos livros Convite à Felicidade e As Leis da Justiça, do japonês Ryuho Okawa, pensador, líder religioso e escritor na área da espiritualidade

Escola Aldeia Akatu conquista filiação à Federação das Escolas Waldorf no Brasil Baseada na pedagogia Waldorf, a Escola Associativa Aldeia Akatu, localizada em Barão Geraldo, recebeu recentemente o selo da Federação das Escolas Waldorf no Brasil. Com esse reconhecimento, a Aldeia Akatu é a segunda escola de ensino fundamental de Campinas a conquistar essa filiação junto à Federação, o que é difícil conseguir devido a todos os critérios que a escola tem que atender. A Akatu oferece ensino fundamental (ciclo I) e também educação infantil (maternal e jardim). É em meio a muito verde, com quintal, árvores, salas de aula com paredes cheias de desenhos e objetos naturais, onde o “faça você mesmo e com a ajuda da ‘tribo’, que a escola estimula o processo de educação social baseado no equilíbrio entre o pensar, o sentir e o querer.

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

Informar para transformar

A Federação das Escolas Waldorf no Brasil (FEWB) é uma entidade civil sem fins lucrativos fundada em 1998. Sua finalidade é congregar e representar as escolas Waldorf em funcionamento no país e de certa forma validar aquelas que seguem a metodologia. Essas escolas, por sua vez, são instituições filantrópicas e de educação regularmente constituídas que se dedicam, a partir de princípios científicos, à aplicação, ao incentivo e ao desenvolvimento da Pedagogia Waldorf, criada na Alemanha por Rudolf Steiner, baseada nos conceitos da Antroposofia criada por ele. A educação Waldorf completa 100 anos no próximo ano, uma pedagogia diferenciada, praticada mundialmente. Embora cada escola seja administrada independentemente, existem associações que se encarregam de prover recursos, publicar materiais, pa-

DIRETORA SILVIA LÁ MON JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508

não são compatíveis com a ciência moderna, mas nossa atitude é a seguinte: vamos ensinar a ciência do futuro. Desse modo, religião e ciência não estarão mais em conflito. Em outras palavras, acreditamos que é possível eliminar incoerências entre religião e ciência e juntar forças, ensinando como deverá ser a ciência do futuro, reduzindo o ódio. Não há problema em se dedicar a objetos materiais, mas devemos sempre lembrar que possuímos um coração e uma alma. Ou seja, não devemos esquecer nossa natureza essencial como alma, e não devemos nos apegar em excesso às coisas deste mundo. Na verdade, se você observar as formas de vida deste planeta, descobrirá que existe um propósito para toda existência. É impossível negar a existência de um Ser que projetou e concebeu tudo isso.

trocinar conferências e promover a pedagogia, a fim de garantir sua total integridade. O currículo Waldorf encoraja a criatividade, nutre a imaginação e conduz os alunos a um pensamento livre e autônomo. O conteúdo indicado pela grade curricular dos países e, no caso do Brasil, do Ministério da Educação, é dado e seguido. Mas a forma e a intensidade são completamente diferentes das escolas tradicionais e construtivistas, principalmente. Segundo Beverly Amico, líder da associação das escolas Waldorf da América do Norte, as escolas realmente inovadoras “ensinam aos alunos as novas formas de pensar que muitos empresários procuram”, como tomar decisões, criatividade e concentração. É conhecido que executivos e gurus do Vale do Silício que estão por trás das maiores empresas de

TELEFONES Redação (19) 3324-6062 Publicidade (19) 3044-1286

contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br

tecnologia do mundo, como Apple, Google, Yahoo, procuram escolas Waldorf para educação de seus filhos, priorizando a filosofia de aprendizagem, em detrimento da tecnologia em sala de aula, que cada vez ficará mais intuitiva e de fácil usabilidade, tornando-se obsoleta no mundo de amanhã. “A principal intenção da Pedagogia Waldorf é preparar as crianças e jovens para a vida, de maneira a permitir que floresçam neles a criatividade, a responsabilidade, a flexibilidade, a capacidade de alteridade e de compreensão do outro, a capacidade de questionamento crítico, para que sejam livres para atuar no mundo com responsabilidade”, afirma a diretora da Associação Mantenedora da Escola, Solange Costa. Para quem quiser saber mais, a escola Aldeia Akatu recebe famílias para conhecer o espaço, as atividades e a pedagogia. Basta agendar uma visita pelo telefone (19) 3287-6761.

Publicado por JORNALZEN EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA. Fundado em janeiro/2005


Junho/2018

E

m 1996, Maria Salette Mayer de Aquino integrava um grupo de estudos, na paróquia de Barão Geraldo, sobre documento do papa João Paulo 2º por meio do qual convidava a Igreja a se aprimorar para o novo milênio. No único dia em que faltou e sem ser consultada, Salette foi incluída no grupo temático sobre diálogo ecumênico. Ela agradece até hoje por aquela decisão, que define como transformadora em sua vida. Nascida em família católica, a baiana residente em Campinas participou de diversas pastorais na Igreja até ter acesso ao rascunho da carta de princípios da Iniciativa das Religiões Unidas (URI), organização mundial nascida depois de um convite da Organização das Nações Unidas (ONU) a um bispo anglicano da Califórnia para preparar a cerimônia dos 50 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Engajada na causa do diálogo inter-religioso, Salette, 61 anos, é conselheira global da URI e membro do Conselho de Cultura de Paz de Campinas. Na mesma cidade, participa da Comissão da Verdade sobre a Escravidão Negra e de diversos fóruns ligados à economia solidária e ao meio ambiente. Professora aposentada da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Salette foi recentemente indicada para coordenar uma rede interuniversitária ligada à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Nesta entrevista ao JORNALZEN, ela fala mais sobre sua atuação pela URI e a necessidade de união para superar as mazelas do planeta. Como surgiu seu interesse pela temática do diálogo inter-religioso? Estudei em colégio católico. Nem meus irmãos cristãos de outras denominações eu conhecia até que o papa João Paulo 2º escreveu um documento aos católicos do mundo todo convidando a Igreja a se aprimorar para o novo milênio em quatro temas, e um deles era o ecumenismo. Nosso grupo de estudos se iniciou entre os católicos, mas depois tivemos a preciosa inserção de irmãos presbiterianos e metodistas. Mas o pulo para o diálogo inter-religioso se deu para mim no ano 2000, quando li o rascunho da carta de princípios da URI. Foi paixão à primeira leitura... Desde quando está envolvida com a URI? Dois meses depois da leitura do rascunho da carta de princípios da URI surgiu o evento de assinatura da carta, em São Paulo, em junho de 2000. Fiquei participando mensalmente das reuniões do que foi o assim chamado Círculo de Cooperação (CC) da URI de São Paulo. Em agosto de 2002 houve a primeira assembleia mundial da URI no Rio de Janeiro. Fui e saí com o propósito de formar um CC em Campinas, o que aconteceu em dezembro de 2002. Coordenei o CC até ser eleita para o conselho global, em setembro de 2016. A coordenação

JORNALZEN

3

ZENTREVISTA|Salette Aquino

PODEROSA UNIÃO Conselheira da organização que se dedica a promover o diálogo inter-religioso atua em outras diversas frentes pela cultura de paz

DIVULGAÇÃO

Qual a relevância do ecumenismo num momento de tanta polarização na sociedade? Penso que Deus nos olha lá de cima e se pergunta porque criamos tantas divisões aqui embaixo. Mais de 50% das guerras do mundo foram por motivação religiosa. Na verdade, acredito que há muita apropriação política equivocada de textos sagrados e da boa-fé de seguidores das tradições. Por isso, sim, o ecumenismo e a aproximação inter-religiosa têm que se ampliar. O estrago que nós, seres humanos, já fizemos está grande demais. Temos que nos juntar para fazer ações para enfrentar a pobreza e todas as demais mazelas. Precisamos de todos para transformar o que adoeceu. A força da união inter-religiosa é poderosa. Não podemos nos isolar nas ilhas de nossas próprias tradições. Nesse sentido, quão importante é a influência das ideias do atual papa? O papa Francisco foi um grande presente que Deus enviou à humanidade. Houvéssemos tido apenas Franciscos, o mundo estaria muito diferente, pois estaria colocando em prática a essência do cristianismo – e que é comum a todas as religiões: o amor. No que tange ao diálogo inter-religioso, o papa tem aprofundado não somente as relações com as outras tradições, como recentemente, numa resposta a uma criança sobre se seu pai, que era ateu, iria para o céu, Francisco disse que Deus ama a todas as criaturas e que as quer todas perto de Si. Aproveito para mencionar a atualidade do papa quando abre os olhos do mundo sobre a questão ecológica e também quando convoca as pessoas que se preocupam com a sociedade a entrarem para a política. É um dever, segundo ele.

do CC pressupõe articular com os participantes encontros, visitas, vivências e eventos inter-religiosos. Já como conselheira, temos obrigações de comunicação diária com a rede mundial, reuniões on-line, das comissões das quais se participa – no meu caso são três: de aprovação de novos círculos de cooperação pelo mundo, de crescimento e impacto e um grupo internacional de Mulheres. Os 30 membros do conselho se reúnem presencialmente uma vez por ano. O último encontro foi em Sarajevo, na Bósnia, com a presença do estafe da URI global e dos coordenadores das oito regiões no mundo. Tive o privilégio de participar de uma assembleia mundial da URI na Índia e de várias assembleias do Brasil e América Latina. Acabamos de ser credenciados pela Lei Rouanet para organizarmos o próximo festival internacional “Uma Canção pela Paz”, que deverá acontecer em São Luiz do Paraitinga (SP). Quais os principais objetivos da organização? Onde e como ela atua?

A URI não é uma religião. É uma construtora de pontes entre as religiões. Seu grande propósito é criar cultura de paz, justiça e cura para a Terra e todos os seres viventes, e isso de maneira inter-religiosa. Ela começou a tomar corpo e a lançar as bases para a sua carta de princípios em 1995. Essa carta começou a ser assinada pelo mundo no ano de 2000. Para se constituir uma célula da URI, é necessário ter no mínimo sete membros e três tradições religiosas diferentes. Hoje a URI está em 107 países, com quase 950 CCs, sendo 50 na América Latina. Possui representação na ONU e desde 2015 tem muita preocupação no alcance dos 17 objetivos do desenvolvimento sustentável divulgados pela ONU. Independentemente disso, desde o ano 2000 até hoje há trabalhos mundiais em diversos eixos, como artes, construção comunitária, educação, meio ambiente, serviços de saúde e sociais, direitos humanos, questão indígena, diálogo inter-religioso, transformação de conflitos, oportunidades econômicas, política, mulheres e juventude.

De que forma um conselho municipal pode contribuir para a promoção de uma efetiva cultura de paz? No caso de Campinas, o Conselho de Cultura de Paz se orienta pela prática da não violência, pelo respeito à vida e à dignidade da pessoa humana e dos animais, a defesa da liberdade de expressão, a preservação do planeta, a solidariedade na família, na sociedade, nas iniciativas privadas e nos governos. Devemos tentar garantir que os princípios da cultura de paz sejam incluídos nas políticas públicas e na educação. Como avalia a proposta de nosso jornal? Sou fã do JORNALZEN. No mundo onde a notícia ruim incutida exaustivamente em nossas mentes, necessitamos de mostrar as coisas boas. O jornal é suave e esclarecedor. Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? Pratiquemos a regra de ouro: não façamos ao outro (e ao planeta) o que não queremos que façam conosco. Evitemos todo o pré-conceito. Escutemos o que o outro diz, o que ele sente, sejamos compassivos. Fiquemos com a essência de tudo que é o amor.


JORNALZEN

4

Junho/2018

Depois da tempestade vem a bonança As dolorosas experiências coletivas que os seres humanos viveram e ainda estão vivendo têm contribuído para um pensamento pessimista e catastrófico. Espera-se um agravamento de certos problemas mundiais, como as doenças epidêmicas, a miséria, a violência e a degradação do meio ambiente. Na cabeça de muitos, a possiblidade do fim do mundo ainda não está descartada, embora tenhamos virado o milênio sem o holocausto global anunciado por falsos profetas de ontem e de hoje. Os dramas pessoais se diversificam e ninguém está livre deles. No campo social, o desemprego, a falta de habitação, os efeitos da violência urbana e da proliferação das drogas, os preconceitos religiosos e raciais. No campo íntimo, o medo, a insegurança, a solidão, a ansiedade, os conflitos interpessoais, as perturbações mentais. Aos que padecem desses males tudo parece não ter fim; um verdadeiro inferno a lhes consumir as esperanças de paz e felicidade. Mas não devemos perder a fé em dias melhores, porque na voz do povo e na voz de Deus, depois da tempestade vem a bonança. Não somos um barco à deriva, prestes a entornar. A inteligência Superior que nos criou estabeleceu mecanismos de sustentação e harmonização. Tudo acontece para nos conduzir à perfeição. Ainda que os momentos sejam difíceis, as vivências que experimentamos nesta hora são relevantes ao nosso amadurecimento espiritual. Só enfrentando os obstáculos é que crescemos intelectual e moralmente. Sem esforço não há desenvolvimento, em tudo na vida. O aluno, para alcançar a graduação, submete-se a longos anos de

extenuantes estudos e avaliações; o atleta só chega ao pódio dedican- JOÃO BATISTA SCALFI do Educandário do-se diaria- Vice-presidente Deus e a Natureza (Indaiatuba) mente e aceitando as dores musculares pelos constantes exercícios; a riqueza honesta só se conquista por trabalho árduo e prolongado. De outro lado, o desenvolvimento social é fruto do esforço coletivo, da vontade de se estabelecer uma vida confortável, pacífica, laboriosa e feliz, todos juntos trabalhando para contornar adversidades do meio, desenvolver a tecnologia, proporcionar saúde, educação e alimentação. Ultrapassadas as dificuldades naturais da luta, o resultado será sempre o júbilo pela vitória alcançada. A vontade de Deus é que o crescimento seja fruto do nosso esforço, dos nossos próprios méritos. A aceitação dessa verdade, no entanto, pressupõe que admitamos a nossa condição de espíritos imortais e que vejamos a vida além dos limites de apenas uma existência. Os esforços e sofrimentos desta vida, suportados com fé e resignação, converter-se-ão em paz de consciência na espiritualidade ou ensejarão maior felicidade em vidas futuras. Confiemos. Todo o mal passará e só o bem permanecerá, porque em verdade, o mal nada mais é do que a expressão da nossa ignorância, gerando o erro e atraindo as necessárias consequências físicas e morais, para que a lição do bem se consolida em nossos corações. Fonte: Quando Deus abre portas (Donizete Pinheiro)

PARA ASSINAR OU ANUNCIAR, LIGUE: (19) 3044-1286 / 99109-4566 OU ACESSE: www.jornalzen.com.br

Barão Geraldo - Campinas AGENDA – JUNHO/JULHO 2018 Venha saber mais de você no Sabiah! CONSTELAÇÃO FAMILIAR MUSICAL (Janaína Campos e Adriano Dias) 19/junho e 3/julho (terça-feira, 19h) | 8/julho (domingo, 14h) (para constelar: agendar por e-mail; para participar: contribuição consciente) CONSTELAÇÃO ESPECIAL – CRIANÇAS 30/junho (sábado), às 9h (agendar por email: contato@sabiah.com.br) CONSTELAÇÃO TSFI (Maria Angélica) 24/junho (domingo), às 14h ATENDIMENTO POPULAR THETAHEALING® E FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM (horários no site e agendamento por e-mail: contato@sabiah.com.br) MEDITAÇÃO SONORA 26/junho (terça-feira), às 19h TODA SEMANA NO SABIAH * Meditação Sonora e Mantras – segunda-feira, das 8h30 às 9h30 * Danças Circulares Sagradas – quinta-feira, das 18h às 19h30 * Grupo Samaúma - Preparação para o Parto Natural para Gestantes e Casais – quinta-feira, das 19h30 às 22h * Grupo pós-parto – quinzenalmente, toda quarta-feira, das 9h30 às 11h30 * Yoga Mahi – terça a sexta-feira, das 7h30 às 9h; segunda e quarta-feira, das 18h30 às 20h * Yoga Materna (Paula Ubinha) – para gestantes e mães com bebês – terça e quinta-feira, às 11h CURSOS (inscrições e mais informações por e-mail: contato@sabiah.com.br) 15 a 17/junho – Tantra para Casais - Intimidade Consciente, com Pema e Thiago 22/junho – Encontro com Júpiter - Para consolidar seus sonhos e ideais mais elevados, indo além dos limites impostos por tudo que nos cerca, com César Suziganm 30/junho – vivência Mães e Filhas, com Janaína Campos 6 e 7/julho – Dança Encanto - Vivência Especial para Mulheres! 25/julho, às 20h – show Marisa Delille e Adriano Dias

• GRUPOS DE PATHWORK® • MEDITAÇÃO SONORA • YOGA E YOGA MATERNA • GRUPO SAMAÚMA (Preparação para o parto natural e apoio pós-parto e amamentação) • LEITURA DE AURA • AULAS DE TÉCNICA VOCAL • DANÇAS CIRCULARES • RODAS DE CURA • THETAHEALING® E FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM • PSICOTERAPIA SISTÊMICA • GRUPOS TERAPÊUTICOS • FORMAÇÃO EM CONSTELAÇÃO SISTÊMICA Agendamento e mais informações: (19) 99117-5544 (WhatsApp)

Rua Paulo Lanza, 91 (entrada de Barão Geraldo) – Campinas/SP (19) 3327-0910 – contato@sabiah.com.br – www.sabiah.com.br


JORNALZEN

Junho/2018

Abrindo os olhos para enxergar o mundo Só não vê quem não quer. A educação é a ponte que liga pessoas e países ao conhecimento, ao futuro, ao desenvolvimento sustentável. Somos um país jovem, com grande potencial, mas as oportunidades não chegam em todos os lugares. Seja por falta de políticas públicas, seja por falta de recursos, grande parte da população brasileira fica sem escola, sem professores, sem estudo e, consequentemente, sem ver uma luz no horizonte. A falta de atendimento na área da educação vem formando gerações carentes de cultura, de informação, de desenvolvimento de espírito pensante. Ciente disso, organismos da sociedade começaram a trabalhar para levar conhecimento ao maior número de pessoas possíveis, para que elas possam exercer plenamente sua cidadania. Minha viagem a Teresina, para ver a exposição Abrindo os Olhos para Enxergar o Mundo, me fez ver quantas pessoas e empresas estão envolvidas em projetos de cunho social, com o objetivo de levar à população o conhecimento e a informação que geralmente não chegam até ela. A exposição contempla a vida do neurocirurgião Benjamin Pessoa Vale, um homem brilhante, nascido no sertão piauiense, que começou seus estudos aos 13 anos e hoje, além de renomado profissional, é também um fomentador de projetos sociais. Com o apoio do Instituto Cultural Saber e Ler, do Maria Branca Eventos e da Fundação Reabilitar, artistas do Piauí revisitaram a vida deste sertanejo de fala mansa e pausada, mas que esconde uma tenacidade raramente vista, em esculturas, pinturas, artesanato, instalações e performances interativas. Conversei com Magda Krauss, fundadora e presidente das duas primeiras instituições que citei acima,

e ela me contou um pouco sobre seu trabalho e suas aventuras pelo JANICE FLORIDO Brasil. “O Ins- janice.florido@uol.com.br tituto tem a característica dedesenvolver projetos inovadores, que incentivem a leitura. Nós trabalhamos no eixo SP-interior, mas vimos a necessidade de fazer e apoiar projetos no Nordeste, tanto pelas iniciativas de grande relevância, quanto pelo trânsito fluente do Instituto no mundo dos livros. Nós trabalhamos firmemente a acessibilidade à leitura, em projetos de cunho criativo, que leve cultura e educação de qualidade, completa. O Instituto já apoia em Teresina o projeto Rallyteca e vimos nesta ideia um grande potencial e a possibilidade de levar conhecimento e cultura de maneira inovadora, de gerar a acessibilidade por meio de um projeto de vanguarda, que utiliza a arte como facilitador para que as pessoas descubram a leitura não só no papel, mas conhecendo obras de arte, apreciando artesanatos, pinturas, entre outras formas de expressão artística. O Instituto Cultural Saber e Ler assina a participação neste projeto porque acredita que as artes e a literatura são caminhos que levam a um país mais desenvolvido, mais pleno, mais gentil com o outro. Abrindo os Olhos para Enxergar o Mundo é uma semente que está sendo plantada em solo fértil. É muito bom trabalhar com pessoas que valorizam a leitura, que querem preservar a cultura regional, que desejam dar a todos a possibilidade de conhecer mais, de saber mais. Porque conhecimento é a maior riqueza que temos. É algo que ninguém nunca tirará da gente. E este projeto, mais do que conhecimento, é conhecimento com afeto”.

www.sabereler.com.br sabereler@sabereler.com.br Facebook: MariaBrancaEventos

telefone: (19) 3231-2672

5


JORNALZEN

6

PANORAMA

-

Junho/2018

Bom trânsito para nós! Marks Pintija

ARTE EM PROL DOS PETS O espaço Matilha Cultural, no Centro de São Paulo, sedia até 7 de julho exposição que discute o convívio do homem com os cães. A mostra reúne artistas plásticos, fotógrafos, escultores, instaladores e muralistas. Aos sábados, serão ministradas palestras. O ingresso é um quilo de ração. Um leilão de peças artísticas terá o valor arrecadado destinado a duas ONGs. A Matilha Cultural fica na Rua Rego Freitas, 542 (Vila Buarque). Mais informações: (11) 3256-2636.

CUECA DO BEM Campanha da Casa da Cuecas, que tem diversas lojas em São Paulo e franquias em outras cidades (uma delas em Campinas), destinará 10% da venda de três modelos selecionados de cuecas amarelas à ONG Futebol de Rua. O projeto social utiliza o esporte como forma de inclusão social de crianças e adolescentes. A campanha vai até 28 de junho e será divulgada em todas as lojas, e-commerce, via newsletter e redes sociais.

PIZZADA SOLIDÁRIA O Lar dos Velhinhos de Campinas iniciou as vendas de sua 1ª Pizzada Solidária. A ação inclui vendas de pizzas semiprontas na portaria da instituição e com seu corpo de voluntários. Toda a arrecadação será revertida para a entidade. A entrega das pizzas será no dia 10 de julho, das 18h às 22h, na Pizzaria Vicenzo (Avenida Paula Bueno, 42, próximo ao supermercado Paulistão). Mais informações: (19) 3743-4300 (ramais 4349 e 4320).

INSCRIÇÕES PARA HOSPITALHAÇOS A ONG Hospitalhacos abriu inscrições para os interessados em integrar o grupo de palhaços humanitários no segundo semestre. Além dos pré-requisitos do edital, é obrigatória a presença nas palestras institucionais – dias 23 de junho, às 9h30; e 19, 26 de junho e 3 de julho, às 19h30, na sede da instituição, em Campinas (Avenida Governador Pedro de Toledo, 950 – Bonfim). Os voluntários participarão do processo seletivo em suas respectivas cidades.

O trânsito sem combustível Com a greve dos caminhoneiros, nosso país teve uma das maiores demonstrações do quanto somos todos dependentes do uso dos combustíveis para os veículos e, consequentemente, para ter a condição de produzir produtos ou executar a prestação de serviços. A empresa não recebeu material, o funcionário não chegou ao posto de trabalho, o cliente não recebeu a compra, e até mesmo o lar da família precisou de ajustes para não sofrer uma incerta falta de alimentos. Nas ruas, o que se viu foi uma espécie de autoimpunidade para descumprir as normas de circulação e, desta forma, cometer infrações de trânsito em detrimento do eminente fim do combustível no tanque de seu veículo. O semáforo vermelho foi avançado para não gastar combustível ali parado, trechos de contramão próximos à residência foram percorridos, filas em locais de estaciona-

mento proibido foram feitas, e imobilizados em faixas de pedestres, e o excesso de passageiros nas caronas salvadoras, porém sem cintos de segurança, foram dadas. Foi uma amostra de solidariedade não punitiva, sendo que o cidadão já estava forçado a se sujeitar a horas no sol, sem a certeza do que esperava resolver que era, literalmente, obter uma porção de combustível, para evitar prejuízos a terceiros ou a si próprios, como os descontos no salário ou as multas por não cumprir algum acordo comercial. Passado esse período de reconhecimento, cabe a todos identificar suas possibilidades de não sofrer com futuras repetições, seja pela moradia próxima ao local de trabalho, ao uso da bicicleta ou como pedestre, e até mesmo a execução como home office. Marks Pintija é especialista e educador em trânsito

ARRAIÁ EM BARÃO 1 O 4° Arraiá das Caixeirosas, dia 24 de junho, movimentará a Praça Durval Pattaro, em Barão Geraldo (Campinas) das 14h às 19h. O evento é dedicado às famílias e principalmente às crianças, para aproximá-las das culturas populares de rua. Haverá contação de histórias, brincadeiras com prendas gratuitas, quadrilha, baile com a Banda das Caixeirosas, além de apresentações com grupos populares. A festa terá, ainda, barracas com comidas e bebidas típicas.

ARRAIÁ EM BARÃO 2

WhatsApp

A Escola Associativa Aldeia Akatu, em Barão Geraldo, promove festa junina no dia 23 de junho, a partir das 15h. Além de brincadeiras, fogueira e barracas com comidas típicas, o evento terá teatro, música e dança, banda e apresentação dos professores e diretores. É uma oportunidade de conhecer a escola, que é baseada na pedagogia Waldorf. O endereço é Rua João Batista Grigol, 80 (Guará), em Campinas. Mais informações: (19) 3287-6761.

JORNALZEN (19) 99109-4566 (19) 99149-1256

PARA ASSINAR E ANUNCIAR INDICADOR TERAPÊUTICO

Celso Uehara Campinas-SP

(19) 99112-4007 (WhatsApp)

Hipnoterapia Barras de Access Terapias Energéticas Terapia Multidimensional

Terapias Complementares- Reiki - TRF


JORNALZEN

Junho/2018

Dr. Orestes Mazzariol Atuação da fisioterapia na dor pélvica crônica A dor pélvica crônica (DPC) é caracterizada pela presença de dor em região abdominal, no baixo ventre, podendo-se estender para a região pélvica, manifestada por pelo menos seis meses. Pode ser constante ou apresentar períodos de alívio e exacerbações. Afeta ho mens e mulheres, mas principalmente mulheres em idade reprodutiva. É considerada um sério problema de saúde pública, afetando negativamente a vida de muitas mulheres. As causas da DPC ainda são desconhecidas. Sabe-se que sua etiologia é complexa, podendo ser composta por alterações em diversos sistemas, como urinário, endócrino, gastrintestinal, ginecológico, neurológico, musculoesquelético, psicológico, social e cultural. Entre os sintomas, estão a dor ao urinar; urgência miccional; dor durante ou após a relação sexual; constipação intestinal; dor abdominal, pélvica e lombar; dor ao esforço físico; dor ao permanecer na mesma posição durante muito tempo, entre outros. O tratamento, preferencialmente, deve ser realizado por uma e-

quipe multidisciplinar. Dentro desta equipe, o fisioterapeuta tem papel importante, com objetivo de alívio da dor. Após uma avaliação detalhada e individual, há vários recursos fisioterapêuticos que podem ser utilizados: relaxamento muscular, principalmente dos músculos do assoalho pélvico, através da liberação miofascial e massagem perineal; técnicas respiratórias para auxiliar o relaxamento; alongamento das cadeias musculares; crioterapia, termoterapia e eletroterapia para alívio da dor; técnicas para correções posturais; cinesioterapia e fortalecimento muscular global; terapia comportamental e orientações domiciliares. A DPC pode acarretar prejuízo emocional, profissional, social e financeiro, além dos prejuízos físicos. Portanto o tratamento multiprofissional, individual e precoce, com profissionais especializados, é uma ótima saída para a melhora dos sintomas, da qualidade de vida e da funcionalidade nestas mulheres. colaboração: Amanda Reis, fisioterapeuta

7

O medo e a respiração Os seres humanos pospaz-conflito... suem cinco emoções auEm certos momentos tênticas: medo, alegria, da vida, a força que imraiva, tristeza e afeto. pulsiona nosso propósiVamos falar sobre o to entra em uma batamedo, presente em tolha contra a força do medos os seres humanos do. Queremos fazer algo, durante toda a vida, em mas há uma sensação maior ou menor grau, que nos empurra para ouROSÂNGELA como um sinal de ametra direção. Muitas vezes, VIRGÍNIA FAÉ Psicoterapeuta aça ou perigo, real ou esta sensação tem oriimaginário, capaz de pagem em memórias que ralisar e impedir o crescimento ou podem ser expressas na forma coimpulsioná-lo para a superação mo respiramos. de desafios. Cientistas descobriram que o O medo é uma das emoções ritmo da respiração cria uma atimais primitivas e tem a função vidade elétrica no cérebro humade preservação e segurança. Ao no que aumenta os julgamentos nascer, o indivíduo enfrenta o me- emocionais e a memória. do através de sensações de desA respiração pode ser uma granconforto e dor, saindo de um am- de aliada na superação dos medos biente seguro e protegido para che- se realizada de maneira adequada. gar até a “luz”, o prazer e a vida. Não se culpe pelos seus meNão há vida sem dor, portan- dos. Não resista a eles. Acolha-os. to, não há prazer sem medo. So- “Respire-os”. Eles fazem parte de mos todos parte da dualidade: você. Permita-se enfrentá-los e cefelicidade-infelicidade, sombra-luz, lebre a recompensa da superação.

WhatsApp: (19) 99738-1523 | Campinas/SP

CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS E ÓLEOS ESSENCIAIS - Cultivo orgânico e uso terapêutico -

Pedro Melillo de Magalhães - agrônomo (CPQBA - Unicamp) Eloísa C. Pimentel de Magalhães - médica (clínica CHAI) 24 de Junho (domingo) | Sítio São Pedro | Serra Negra-SP www.bemtefazoleos.com.br | bemtefaz@gmail.com 19 99282-8004

ONG recebe ação de responsabilidade social empresarial Estudantes do curso de publicidade e propaganda da PUC-Campinas, dentro da matéria Agência Experimental, desenvolveram um projeto de responsabilidade social empresarial (RSE) por meio do qual desenvolveram o evento “Semente das Artes”. O objetivo é proporcionar uma experiência educativa com

foco no meio artístico-cultural e conhecimentos sobre responsabilidade ambiental. Para as ONGs, esse tipo de ação significa aporte de recursos ou materiais para concretizar suas atividades. Dias de voluntariado ou arrecadação de dinheiro para projetos e materiais são as ações mais

comuns. A união entre entidades e empresas do setor privado podem unir esforços e gerar impactos positivos não apenas para entidade não governamental, mas também para a sociedade e o meio ambiente. O projeto “Semente das Artes”, criado com a agência CYAN e a loja Canteiro das Artes, aconteceu no Centro Socioeducativo Semente Esperança. O evento, que reuniu cerca de 60 pessoas em sua sede, no Jardim Paranapanema, foi promovido visando aproximar a arte do cotidiano das crianças, além de despertar uma consciência ecológica, concretizando projetos com materiais reciclados e de fácil aces-

sibilidade. Oficinas artísticas foram ministradas para as crianças da ONG. “A ideia foi criar um dia de descontração, mostrando a importância da expressão artística e como a arte pode ser divertida, intuitiva e ecológica”, comenta Priscila Graner, coordenadora pedagógica da ONG Semente e Esperança. “Eventos como esse são extremamente importantes para todos os envolvidos no processo. As crianças ficam muito contentes em mostrar o que aprendem na ONG. Fico muito contente em ver que jovens se importam com essa causa e doam um pouco de seu tempo para de alguma forma, melhorar a vida de alguém”


8

JORNALZEN

Com energia e sem gasolina Escrevo este texto em Também lembrei do meio ao caos do desabasque sempre ensino aos tecimento em nosso país. meus alunos: como somos Faltam três dias para um interdependentes. Tudo é evento que realizamos um ciclo, uma grande caanualmente no feriado deia que se interliga e faz com muitas pessoas inscrias coisas acontecerem. tas. O retiro de yoga aconEsta crise é uma oportutecerá em outra cidade e nidade para refletirmos pessoas de diversas partes sobre isso. Na era do indido Estado têm de se loco- MÁRCIO ASSUMPÇÃO vidualismo, vejo muitos se mover para chegar até lá. Professor de ioga e diretor esquecendo dessa interdo Instituto de Yogaterapia Estou com meio tanque de dependência e batendo no gasolina, trabalhando a pé peito, com egos inflados para economizar combustível, a fim e ao mesmo tempo frágeis. Cheios de ter o suficiente para me deslocar de opiniões nas redes sociais, mas até o local. Tenho esperança de que, pouca prática na vida real. Para esta quando publicado e você o estiver turminha, o desabastecimento ensina lendo, a situação tenha melhorado. que o leite não vem da caixinha e faz Tenho refletido sobre algumas repensar sobre o valor da cadeia procoisas nestes dias. Uma delas é dutiva em nossas vidas. Se não tiver como é bom fazer tudo a pé. Re- alguém para plantar, cultivar, colher e lembrei meus tempos de infância, distribuir, não teremos o que comer. descobri uma nova cidade, sob A vida dando oportunidade para touma nova ótica. Claro que sempre dos nós valorizarmos uns aos outros faço caminhadas, mas é diferente. e nos unirmos mais. O que nos une? Andar a pé para o trabalho e para São os valores humanos. Sem eles tudo me fez descobrir, no percurso, nos tornamos seres instintivos, discoisas lindas que o carro esconde. putando agressivamente lugar na fila Fui presenteado com paisagens ma- de ônibus ou de carros, batalhando ravilhosas, que estão ali todos os somente pela sobrevivência. dias para serem contempladas. O Nestes dias, vejo muita gente piar, apesar de seco, com menos po- rando, acreditando em qualquer menluição, porque há poucos carros nas sagem de WhatsApp, com medo e ruas. Lembrei da falta que fazem as espalhando medo. Vejo também muiferrovias, que poluem menos e eco- ta solidariedade, gente oferecendo nomizam dezenas de vezes o pre- carona e estendendo a mão. ço do transporte rodoviário. Vejo o Somos humanos, não somos esforço das pessoas que dependem perfeitos. Mas precisamos resolver do vergonhoso transporte público nossos problemas com maturidade, brasileiro, fazendo o possível para pois o desespero só aumenta o caos. cumprir seus compromissos. Queremos um país melhor? Então Em meio ao caos, um bom mo- vamos nos levantar do sofá, sair mento para refletir sobre um dos en- da frente do celular e tomar ações sinamentos do yoga – estamos na construtivas na vida real. Quem só vida para servir e não para sermos espera, nunca alcança. Desde crianservidos. Vejo o esforço da maioria ça escuto que o Brasil é o país do silenciosa, que tenta tocar um país futuro. Será? Hoje, estou sem gasoque ainda não despertou para uma lina, mas com muita energia para nova realidade mundial. Um Estado cumprir meus compromissos. Meu gigante que temos que sustentar com desejo é que tudo melhore. A minha impostos gigantes. Até quando? parte estou fazendo. E você?

Junho/2018

UNIVERSO DIGITAL Amanda La Monica

Limites? Quanto você tem se limitado por não aproveitar o que a tecnologia tem a oferecer? Devido à recente paralisação geral no País durante quase uma semana, vi muitas pessoas pausando seus trabalhos e até decretando “férias forçadas”. Eu, pelo contrário, trabalhei até o dobro do normal nesta semana “parada”. Claro que para muitos negócios o físico e material são imprescindíveis e nada substitui, mas alguns itens de nossa rotina, desde importantes até ínfimos, vale a pena serem repensados. Fiz reuniões via chamada on-

-line, os relatórios que precisava imprimir mandei por e-mail e obtive os mesmos resultados das semanas anteriores ou até mais, pois meu tempo rendeu o dobro. Minha proposta, este mês, é te convidar a repensar o que é realmente necessário para que sua empresa entregue o que é preciso. O que pode ser substituído e o que deve ser valorizado. Talvez uma crise de escassez como essa seja realmente o fim do mundo – o fim de um (antigo) mundo e começo de um novo, onde a tecnologia irá propiciar maior qualidade de vida, sem abrir mão dos resultados.


JORNALZEN

Junho/2018

9

13 razões para criar espaços de convivência do masculino

Os metais pesados e a saúde humana

que quer encontrar seu A mídia, em alguns pouamor profundo mas não cos momentos, revela teconsegue concretizá-lo mas protagônicos (que porque sua amada decinos representa). No ano de morrer, entre outros. passado, na primeira temIsso nos convoca a porada da série 13 Reacriar espaços do mascusons Why, a história de lino, para o masculino – uma adolescente que se homens, jovens, adolessuicida mobilizou nossas RICARDO CASTRO vidas, pois começava a Psicólogo, psicodra- centes e meninos. Vivi aparecer o tema do suicí- matista, constelador a grata experiência de familiar e doutor dois grupos de homens: dio juvenil no Brasil. Agoem Educação Guerreiros do Coração e ra, com o retorno da sea Taverna dos Deuses. gunda temporada, aumentou em 400% o pedido de ajuda Agora, venho convidar os homens para um trabalho mensal com as por telefone no CVV. Antes do início da série, os ato- atividades do Sistema Rio Aberto res falam da importância da pro- (aulas de movimento vital expressicura de ajuda. Trago um dos mui- vo, trabalho sobre si e massagem). Em algum momento teremos tos temas revelados nesta temporada: os masculinos na vida de experiências de imersão do grupo, potencializando o amoroso do adolescentes e jovens. Os personagens masculinos re- encontro entre os homens. O priconfirmam realidades vividas por meiro encontro será no dia 24 de nós, ainda hoje: o jovem “come- junho, das 19h30 às 21h, no esdor” que se revela virgem para sua paço Movimento e Saúde (Castelo) “ficante”, o jovem estuprador, o e a imersão, no Espaço em Casa compulsivo sexual, o tímido, o que (Sousas), cujos dados de contato não tem controle de seu corpo, o seguem no anúncio abaixo.

Nos artigos anteriores abordamos a influência da alimentação e de algumas medicações no desenvolvimento das doenças crônicas. Agora, iremos abordar outra categoria de elementos nocivos ao corpo humano: os metais pesados ou substâncias tóxicas. Podemos entender a saúde integral como uma condição alicerçada no tripé formado pela flora intestinal, pela dieta saudável e pelo organismo com ausência de substâncias tóxicas, como os metais pesados, que alteram o metabolismo. Temos que lembrar que os metais pesados podem determinar em níveis muito elevados um quadro de intoxicação que está a cargo da toxicologia. Ao que nos referimos neste artigo é a elevação dos níveis de metais pesados sem a intoxicação, ou seja, sem sintomas aparentes. Casos em que não há queixas para desconfiar que algo esteja errado com o aumento dessas substâncias em circulação no organismo. Toda vez que ocorrer o aumento dos metais pesados em circulação no corpo, teremos a deficiência da ação enzimática no organismo, principalmente as de responsabilidade das mitocôndrias. Os órgãos mais nobres são também os mais ricos em mitocôndrias: fígado, cérebro, rins e músculos, assim como o próprio miocárdio. As mitocôndrias são as organelas intracelulares que, juntamente com o sistema reticulo endotelial promovem o efeito energético para o organismo, necessário em todas as reações químicas para a sobrevivência humana. Por bloquearem a função enzimática das mitocôndrias, os metais pesados determinam uma diminuição metabólica do órgão acometido. Este comprometimento no caso do fígado não costuma alterar os exames laboratoriais, mas a função de detoxicação do fígado estará grandemente comprometida. O mesmo acontece no cérebro. Doenças como déficit de atenção e autismo (Asperger) têm uma melhora clínica acentuada quando é retirado todo excesso de metal pesado do organismo do paciente. Você deve estar se perguntando como essa contaminação acontece. Infelizmente nos contaminamos sem sequer precisarmos sair de casa. Temos em geral excesso de alumínio em nossa água por uso de sulfato de alumínio para matar as bactérias. O solo da macrorregião de Campinas também encontra-se contaminado com metais pesados, então, tudo que cresce, seja legumes, frutas ou verduras já carrega em si a contaminação do solo. Além disso, as frutas costumam apresentar excesso de agrotóxicos. Além dos metais pesados, alguns metais não pesados também alteram o metabolismo do nosso organismo como o caso do flúor, cloro, bromo e o iodo.

PSICOTERAPIAS, (COM)VIVÊNCIAS E EVENTOS PARA ADOLESCENTES, JOVENS E ADULTOS

Rua Ana Fratta de Paula, 755 | Sousas 19 3258.1750 | 19 98315.0077 Facebook: Espaço em Casa

INFORME PUBLICITÁRIO

O flúor, mesmo não estando na categoria dos “pesados”, é um metal de efeiNELSON PIRES to muito forte MODESTO e por ser poClínico geral e tente, compepesquisador te com o iodo e a iodina (iodeto de potássio, presente no sal marinho), que são muito importantes para o bom funcionamento da tireoide. A maioria dos cremes dentais tem uma quantidade razoável de flúor. O trigo que faz nossa farinha também é lavado com bromo, que se transforma em brometo e conspira contra o iodo e a iodina. A entrada deste bromo, mais forte que o iodo, desloca o iodo que iria para a tireoide, facilitando o hipotireoidismo. Além disso, o iodo e a iodina são importantes para a saúde da mama da mulher e da próstata do homem. Em níveis adequados, protegem contra o aparecimento de câncer nesses órgãos. Modernamente, temos mais um elemento que contribui para o mau funcionamento do nosso organismo: a corrente eletromagnética das torres de retransmissão para celulares, os próprios celulares, os smartphones, iPhones, tablets, televisores e computadores. Essas correntes eletromagnéticas estão progressivamente de forma sorrateira afetando a integridade do nosso DNA. Mesmo na cozinha, o cidadão não está livre. Além de receber a corrente eletromagnética retransmitida das torres de celulares, tem o agravante que chama-se forno de micro-ondas. O micro-ondas aquece o alimento por vibração das moléculas de água dentro dele. Se avaliarmos por biorressonância antes e depois um alimento aquecido no forno de microondas, veremos que a energia original do alimento zerou, ou seja, se tornou um alimento morto. Originalmente, todos os alimentos têm uma quantidade particular de energia. É possível eliminar metais pesados do corpo com fitoterapia, aquecendo o alimento numa frigideira para não comer algo sem energia. Também é possível isolar a influência da energia eletromagnética com a utilização de selos, mas isso é tema do nosso próximo artigo. Observação: para os casos de intoxicação, seja por substâncias químicas ou por picadas de animais peçonhentos, a Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp dispõe de um departamento especializado e de apoio à comunidade com funcionamento 24 horas. Os contatos são: (19) 3521-7555, 3521-6700 ou 3521-7277. Contatos: nelsonpmodesto@gmail.com Consultório: (19) 3237-4916


10

Viva Bem

JORNALZEN

elianamattos@uol.com.br

BATE-PAPO

T

odo final de semana digo a mim mesma: hoje vou pegar as gavetas e armários e tirar tudo que não quero ou não me serve mais. Chega o domingo à tarde... preguiça das brabas batendo forte, penso: semana que vem faço isso. E assim vão se passando as semanas, meses e até anos... Tem coisa dentro de gaveta que não uso há uns três anos! Não sou acumuladora. Me desfaço de coisas até com muita facilidade. Isso porque acredito que energia estagnada não é boa para a vida, para a prosperidade, para a saúde. Mas como têm coisas que emperram na vida da gente! Você até quer fazer, mas parece que algo te gruda na poltrona e o melhor da vida é um bom filme, um livro ou quem sabe, um longo papo com aquela amiga que você não vê faz tempo. Estou na fase dolce far niente. E quero continuar nela. Existe algum pecado nisso?! Não creio! Tenho uma vida profissional muitas vezes cansativa. Mas adquiri uma boa capacidade atualmente de, fora dela, me desligar e ficar curtindo o que tenho vontade. Ou curtindo nada. Absolutamente nada. Esse nada sempre ajuda a pensar, a colocar as ideias em seus devidos lugares e principalmente, relaxar. E como é maravilhoso ficar na quietude da casa... Esta semana me propus a separar as roupas no feriado prolongado de Corpus Christi. Vou tentar não ligar a TV e nem pegar aquele livro que há muito quero começar a ler. Quem sabe desta vez a coisa sai! Grande beijo!

Aprenda a evitar o joanete Os grandes inimigos dos seus pés são os sapatos altos e de bicos finos. Ao mesmo tempo que o salto desloca o peso para a frente, os bicos estreitos apertam os dedos formando uma espécie de triângulo. É assim que o joanete se forma. Os especialistas dizem que o salto não deve passar de três centímetros. É importante evitar muito desnível entre o calcanhar e a planta do pé. Sei que em nome da elegância muita gente faz loucuras, mas pense nas conseqüências lá para frente... Quando estiver em casa, uma boa dica é andar descalça. Já na praia, a areia fortalece a musculatura e alonga os ligamentos, evitando o aparecimento do problema.

Junho/2018

FORNO & FOGÃO Rolê de frango especial Ingredientes: • 8 filés de frangos temperados a seu gosto • 8 fatias de presunto • 8 fatias de muçarela • ¾ xícara (chá) de leite • 1 pacote de creme de cebola • 1 xícara (chá) de maionese • ½ xícara (chá) de parmesão ralado Modo de fazer: Deixe os filés bem fininhos.

Tempere-os. Coloque sobre cada filé, uma fatia de presunto e uma de muçarela. Enrole e prenda com um palito. Derreta manteiga numa frigideira e doure os rolinhos em fogo alto. Ao retirar do fogo, tire o palito e coloque num refratário. Bata no liquidificador o leite, o creme de cebola e a maionese e despeje sobre os rolinhos. Polvilhe o queijo ralado e leve ao forno para gratinar.

Pudim prestígio Ingredientes: • 2 latas de leite condensado • 1 medida de lata de leite de coco • 2 ovos • 1 gema • 1 ½ xícara (chá) de coco ralado • 100 g de chocolate meio amargo picado • 100 ml de creme de leite Modo de fazer: Bata no liquidificador o leite

condensado, leite de coco, os ovos e a gema. Após, despeje num recipiente e misture uma xícara de coco ralado. Unte uma forma com furo central com manteiga e polvilhe açúcar cristal. Leve ao forno (180 graus) em banho-maria por umas duas horas. Desenforme depois de frio. Derreta o chocolate em banhomaria e junte o creme de leite. Despeje sobre o pudim e salpique o que sobrou do coco ralado.

VINAGRE AROMATIZADO Você já pensou em dar um toque só seu ao vinagre? Com isso as saladas, molhos e cozidos terão um sabor todo especial e você pode até presentear os amigos. Escolha a erva: manjericão; hortelã, estragão, alecrim ou qualquer outra de sua preferência. Use uma xícara de chá de folhas secas picadinhas para cada litro de vinagre. Ferva o vinagre numa panela e despeje-o numa jarra de vidro refratário, previamente aquecida e sobre a erva. Cubra a jarra e reserve-a por umas duas semanas, para que o aroma e o sabor se desenvolvam. Se ficar muito forte, acrescente mais vinagre, mas sem aquecer. Se ficar fraco, adicione mais um pouco de erva e deixe tomar gosto por mais uma semana. Depois é só coar o vinagre para eliminar todos os pedacinhos da erva e guardá-lo numa garrafa bem fechada. Você verá quantos elogios!

Desprezando amigos e familiares Estamos vivendo uma época em que todo mundo tem pressa. Na verdade, nem sabemos de quê. Com isso, muita gente menospreza os laços familiares e as amizades. Para estruturar esses vínculos que são tão importantes, seja fiel ao almoço de domingo na casa dos pais ou de qualquer parente e crie encontros com os amigos. Não espere datas especiais. Um cafezinho no final do dia às vezes é suficiente para melhorar o humor e até aquecer nosso coração.


JORNALZEN

Junho/2018

Marcelo Sguassábia O remédio é a permuta – Nossa rede de farmácias tem uma oferta irrecusável pelo seu terreno, Sr. Álvaro. – Bom, não tá à venda. Mas dependendo do que você tiver aí na manga, não sou louco de não aceitar… – O senhor sabe que está todo mundo mergulhado até o pescoço nessa crise, e a oferta de imóveis excelentes para vender é enorme. Terrenos semelhantes ao seu, nesse bairro, há pelo menos uns vinte anunciados. – Tá, pode pular essa parte. – Indo direto ao assunto: só fazemos negócio à base de permuta. – Não estou entendendo. O que uma rede farmacêutica vai querer permutar em troca do meu terreno? – Óbvio: remédios. Todos os que o senhor e sua família precisarem. – Oi???? – O senhor já parou para pensar o peso que tem o gasto com medicamentos no seu orçamento doméstico? Basta fazer uma conta por alto, assim de cabeça, e vai se assustar com o resultado. Fica entre 7 e 20% das despesas mensais. Um percentual que vai aumentando conforme a família envelhece. – Maluco isso…e quem da família pode aproveitar essa permuta? – O senhor, sua esposa, seus filhos, netos, genros, noras, sogros, cunhados e parentes até o segundo grau. Do seu ramo familiar e da sua mulher também. E é vitalício, o contrato vale até que todos morram. Mas o terreno tem que vir como doação para a Rede imediatamente, com escritura em cartório, tudo direitinho. – Mas eu posso morrer amanhã! Aí dessa permuta eu não aproveito nada… É cada uma que me aparece! – Veja, com tantos remédios à sua disposição, vai ser difícil o senhor

morrer tão cedo. E, se morrer, vai deixar uma bela herança em saúde para a família toda. – Só que o meu terreno vale 2 milhões! – E quanto vale a saúde da sua família? Seu neto, por exemplo, pode vir a precisar de um remédio caríssimo, de uso diário… Será tudo por nossa conta. A única possibilidade do senhor fazer mau negócio é se sua família inteira estiver a bordo de um avião que venha a cair e mate todo mundo. Aí não dá para fazer nada mesmo. – Nossa, seria azar demais. – Só que tem alguns pontos importantes, previstos em contrato, para a permuta não virar bagunça. O senhor pode ter parentes hipocondríacos, e aí vamos ter prejuízo. Outra coisa: hoje em dia farmácia vende de tudo. Tem chocolate, isotônico, recarga de celular, barrinha de cereal, bronzeador, batata frita… Então é bom que fique bem claro que a permuta é para medicamento. E tem que haver uma perícia com um farmacêutico da rede, para saber se o remédio requisitado condiz com o quadro do paciente. – Sei. E vai ter farmacêutico de plantão na farmácia? – Ahnnnnn… bem… o que eu quero dizer… Olha, tem que ter a autorização de profissional habilitado. Se não tiver farmacêutico aqui na hora, o gerente liga para a central da rede e a gente envia um para fazer a perícia. Esse ponto precisa ficar bem entendido. – Que prazo eu tenho para dar uma resposta? – Meia hora. A máquina de terraplenagem já está vindo para cá. – Calma aí, queridão. E se eu não quiser fechar negócio? – Sabe aquele outro terreno, atravessando a rua? Já está vendido para nós, caso o senhor não aceite. Marcelo Sguassábia é redator publicitário

11

CULTURAZEN LUIZ GRANZOTTO

Henrique Magalhães Teixeira, Regina Márcia Moura Tavares e Eliane Jocelaine Pereira na abertura da Semana Municipal do Brincar, evento que deu continuidade às ações do movimento “Campinas pela Paz”


JORNALZEN

12

NATURALTECH 2018 14ª edição da Feira Internacional de Alimentação Saudável, Suplementos, Produtos Naturais e Saúde e da Bio Brazil Fair receberam mais de 40 mil visitantes, de 6 a 9 de junho, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo DIVULGAÇÃO

Público em um dos dias da feira: atrações para comerciantes e consumidores DIVULGAÇÃO

Bela Gil foi uma das palestrantes: plantas alimentícias como tema

SILVIA LÁ MON

Eloísa Pimentel (dir.) esteve no espaço de práticas holísticas AMANDA LA MONICA

Estande do JORNALZEN na Naturaltech: presença pelo 10º ano consecutivo AMANDA LA MONICA

AMANDA LA MONICA

Fátima (salão vegano Beleza e Art Naturall) e Alê Oliv (Moringa da Paz)

Junho/2018

Jornalzen Junho 2018  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há treze anos no mercado, circula...

Jornalzen Junho 2018  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há treze anos no mercado, circula...

Advertisement