__MAIN_TEXT__

Page 1

JORNALZEN ANO 11

JANEIRO/2016

AUTOCONHECIMENTO

BEM-ESTAR

Nº 131

www.jornalzen.com.br

CIDADANIA

CULTURA

SAÚDE

ZENTREVISTA

Bela Gil Pág. 3

a lvi Si Lá on

M

Com esta edição, o JORNALZEN está completando 11 anos de circulação Pág. 5

Empreendedor Holístico

ão

ç du

Entre em 2016 sem medos

pro Re

ARTIGOS

Pág. 2

por Dácio Carvallini Pág. 4

Sonhe com disciplina por Augusto Cury Pág. 10

LEIA O JORNALZEN E GANHE NESTA EDIÇÃO:

30% de desconto em serviço de marketing digital

1 ingresso para cinema em indaiatuba

Pág. 14

Pág. 15

Ano Novo Chinês no Brasil Pág. 14


2

JORNALZEN

O que esperar para 2016 PANORAMA Este ano será regido cipalmente na política, por nada menos que à separação do joio e do o Sol e por Oxalá. Em trigo. A justiça foi feimarço, seremos agrata. A espada de Ogum ciados com a entrada literalmente caiu na do Sol como regente cabeça de muitos que do ano, de acordo com se julgavam acima do a astrologia. O sol bribem e do mal. lha para todos indisPara 2016, podemos tintamente, e é isso que SILVIA LÁ MON esperar, literalmente, Diretora do JORNALZEN uma faxina completa. devemos esperar. De acordo com a nuMuitos serão banidos. merologia, 2016 corresponde Será um ano eleitoral e podemos ao ano universal de número 9, aproveitar para limpar nossa que tem como equivalência a cidade dos corruptos revelados carta do Ermitão no tarô. em 2015. A Luz do astro-rei e da O número 9 representa um lamparina do ermitão estarão ano de limpeza, da necessi- iluminando os cantos escuros dade de nos desapegar de coi- e revelando o resto da sujeira sas e padrões de pensamentos ainda não encontrada, além de e comportamentos que não nos servir de cicatrizante nas feriservem mais. A figura do ermi- das abertas em muitos de nós. tão carrega uma lamparina, que Individualmente, a sugestão representa a luz da consciência é para que cada um faça sua e da sabedoria. Mais uma vez, própria faxina interna e exaqui temos a Luz que ilumina. terna. Pratique o desapego e Olhando como um todo, po- mantenha a retidão, pois será demos fazer a seguinte leitura: abençoado por isso. no ano de 2015 fomos regidos O bem triunfará com o sol pelo número 8, por Ogum e iluminando a escuridão e Oxapela carta da Justiça. Assisti- lá abençoando aos puros de comos em diversos setores, prin- ração. Assim é.

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

Informar para Transformar DIRETORA Silvia Lá Mon EDITOR Jorge Ribeiro Neto JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508 TELEFONES Redação (19) 3324-6062 Comercial (19) 3044-1286 contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br Circulação: Campinas Indaiatuba Valinhos Vinhedo Jaguariúna Holambra São Paulo (Vila Madalena)

CONCERTO BENEFICENTE O Instituto Horas da Vida promove dia 21, às 21h, no Masp, em São Paulo, concerto que marca o reencontro, após 30 anos, do maestro João Carlos Martins com o pianista Arthur Moreira Lima. A renda será revertida ao instituto, que conta com médicos e profissionais de saúde voluntários que atendem pacientes de instituições carentes. O ingresso pode ser comprado em www.ingresse.com.br. Mais informações: (11) 3004-6111

CURSO DE CUIDADORA DE IDOSOS A Associação Paulista de Amparo à Mulher (Apam) está com inscrições abertas para curso de cuidadora de idosos. Gratuito, o curso é voltado para mulheres com idade acima de 18 anos em situação de vulnerabilidade social e que saibam ler e escrever. Serão oferecidas 35 vagas, a serem preenchidas após entrevista. Inscrições e mais informações: (11) 3662-3115.

JANEIRO/2016

Orações de Maria Libertação e Redenção Suprema Mãe, Estrela Universal, que Teu Poderoso Amor libere as amarras. Que as espadas luminosas de Teus Santos Anjos cortem a involução e qualquer dificuldade. Que o poder de Tua Cura reconcilie nosso coração com Deus e que, unidos a Teu Imaculado Coração, possamos viver a promessa do retorno vitorioso de Cristo, Nosso Senhor. Amém O acervo de orações aos Mensageiros Divinos - Virgem Maria, Cristo e São José - pode ser acessado em www.divinamadre.org/pt-br/oraciones-y-ejercicios-espirituales

Empreendedor Holístico ANA PAULA TEIXEIRA – coachinganapaula@gmail.com

Novo ano, velhos hábitos Aprenda como encontrar seu catalisador para motivação pessoal e inspiração que perdure por todo o ano! Um catalisador pode ser algo que você experimenta, como um evento, ou podem ser palavras ditas por outra pessoa. Ou um livro ou um filme que faz com que você altere sua forma de ver a vida, ou de alguma forma te inspire a transformar o que há muito não lhe traz mais satisfação. Alguns catalisadores são simples – como ser demitido, por exemplo. Perder o emprego pode ser um catalisador poderoso de motivação e inspiração para que seu próximo trabalho lhe traga mais – ou ainda que pela primeira vez – satisfação pessoal. Muitas vezes um infortúnio propicia uma mudança em como agiremos daqui para frente. A mudança é difí-

cil porque não há o conforto da familiaridade. É mais fácil fazer o que você sempre fez, mas pense nisso: quantos velhos hábitos têm perdurado durantes os últimos novos anos, e não lhe trazem motivação pessoal e inspiração? Expandir nossa zona de conforto nos desafia para novas situações e obriga-nos a lidar com novas ideias e novas maneiras em vários aspectos da vida. Pode parecer assustador de início, e ninguém quer passar por isso voluntariamente. Trata-se do nosso inconsciente tentando nos proteger do desconhecido. Se você tivesse de fazer uma pesquisa com estranhos e aleatoriamente perguntar-lhes: “você está feliz com sua vida?”, iria se surpreender com o número de pessoas que vivem no “piloto automático”. Muitas pessoas não estão felizes com suas vidas e a vivem sem

nehuma motivação pessoal e inspiração. Não estão satisfeitas em sua vida pessoal ou em sua vida profissional. Muitas vezes, estão bastante conscientes da forma como agem e não gostam de como agem. Têm pleno conhecimento do que seria a melhor decisão ou atitude a ser tomada. No entanto, dia após dia, não fazem nada para mudar. Algumas pessoas nem sabem como fazê-lo. Não entendem como podem encontrar um catalisador para motivar e inspirar-se em direção ao tipo de vida que querem. Faça deste novo ano que se inicia seu mais poderoso catalisador. Preste mais atenção às oportunidades em sua volta e procure desafios que lhe tragam maior nível de sucesso, felicidade, motivação pessoal e inspiração. Ao seu sucesso, para um feliz 2016.


JANEIRO/2016

B

aiana criada no Rio de Janeiro, Isabela Giordano Gil Moreira, a Bela Gil, era ainda adolescente quando descobriu a prática de ioga, por meio da qual começou a se interessar pelos benefícios físicos e mentais da culinária saudável. Aos 18 anos se mudou para Nova York, onde morou por quase oito anos. Tendo que cozinhar sua própria comida e querendo manter uma vida saudável, Bela resolveu se aprofundar no mundo da culinária e nutrição. Formou-se em Culinária Natural pelo Natural Gourmet Institute e em Nutrição e Ciência dos Alimentos pela Hunter College. Para aprimorar seu conhecimento, estudou a filosofia macrobiótica e a ayurveda, um conhecimento médico oriental desenvolvido há cerca de 7 mil anos na Índia. Ainda nos Estados Unidos, começou a trabalhar como personal chef e nutricionista para amigos próximos que, satisfeitos com os resultados, logo começaram a indicá-la para outras pessoas, aumentando o interesse em torno do seu trabalho. Bela também estagiou em dois restaurantes veganos muito populares em Manhattan. De volta ao Brasil, começou a ministrar aulas de culinária, além de fazer consultas e avaliações particulares como orientadora alimentar. Logo foi convidada pelo canal GNT a ter o seu próprio programa, o Bela Cozinha. Autora de dois best-sellers com receitas de culinária saudável, Bela Gil concedeu entrevista exclusiva ao JORNALZEN. Você aparenta ser uma pessoa simples e natural, o que se alinha com sua proposta de trabalho. Atribui essa postura aos ensinamentos da ioga? Foi com a ioga que mudei minha alimentação. Eu tinha 14 anos e levava uma vida típica de adolescente carioca da zona sul. Com o livro Autobiografia de um Iogue, de Paramahansa Yogananda, ganhei consciência corporal e uma nova visão de mundo. Essa consciência corporal me fazia

JORNALZEN

3

ZENTREVISTA|Bela Gil

SAÚDE NO PRATO Chef especialista em alimentação natural atribui à ioga mudança de comportamento que a levou a valorizar e se aprofundar na culinária saudável Divulgação/Pedro Serrão

Seu pai, Gilberto Gil, segue a alimentação macrobiótica há muitos anos. Isso, de alguma forma, a influenciou a se interessar pela alimentação natural? Ele sempre comeu superbem em casa, mas não necessariamente eu e meus irmãos tínhamos uma alimentação saudável. A gente podia comer de tudo, e via a alimentação do meu pai com olhar meio estranho... Ele comendo tofu, arroz integral, etc. Não me interessava por isso, mas depois da ioga comecei a me interessar. Não foi necessariamente uma influência para mudar minha alimentação, mas uma maneira de me identificar dentro de casa com alguém que pensava como eu, depois de muitos anos. O que a levou a se tornar adepta da medicina ayurvédica? Através da ioga e meditação, comecei a me interessar pela ayurveda. Comecei a me alimentar melhor , a conhecer os doshas – princípios vitais que atuam no nosso corpo físico, mental e emocional, de acordo com a medicina ayurvédica – e a me conhecer mais. Achei interessante e resolvi estudar. Com a ayruveda, descobri que as escolhas alimentares afetam não somente a nossa saúde, mas a de todo o planeta. Como vê a proposta de nosso jornal, voltada à qualidade de vida e ao autoconhecimento? Acho muito interessante cada vez mais levar esse estilo de vida e essa visão de mundo para as pessoas. Se todo mundo pudesse ler e conseguir absorver um pouco dos ensinamentos que o jornal e essa cultura passam, o mundo seria bem melhor.

perceber como a comida afetava e influenciava a minha vida, física e mentalmente. Dependendo do que comia, meu humor, foco, determinação, concentração e prática variavam. Fui naturalmente evitando alimentos que me prejudicavam. Então concluí

que a alimentação mexia com meu corpo, mente e espírito. Precisava entender melhor essa conexão entre alimentação e comportamento. Por isso me apaixonei pela nutrição. Comecei a olhar a comida como uma forma de tratamento, prevenção e cura de doenças.

Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? Colocar mais a saúde como prioridade na vida de cada um. Sem saúde, a gente não consegue nada. Dando mais ênfase à saúde no dia a dia, a gente consegue viver melhor.


4

JORNALZEN

A busca da Iluminação

Entre em 2016 sem medos Dárcio Cavallini

F

rente a mais um ano novo é importante falar sobre um tema muito útil para que todos nossos projetos deem certo e obtenham sucesso: medo. Ele é o principal fator limitante, que faz com que tudo que planejamos não vá para a frente. Diferente de quando temos fé, força de vontade e garra, pois aí alcançamos o que queremos. Faça uma reflexão: pare e pense, quando você quis muito uma coisa, mas muito mesmo a ponto de não ouvir mais as opiniões negativas de terceiros que falavam para você que não iria dar certo; quando quis tanto uma coisa a ponto de enfrentar a todos e a tudo, dedicar tempo e o que fosse necessário; você não conseguiu chegar lá? Todos nós fazemos algo desse tipo, ou seja, um movimento interno forte a ponto de superar tudo em algum momento da vida! Sabe o que você não teve nesse momento? Medo! Sabe o que você teve nesse momento? Coragem! Todo medo é um bloqueio da nossa energia de realização e tratá-lo e superá-lo é parte fundamental para que alcancemos nossas famosas metas de ano novo, que são perfeitamente possíveis de serem obtidas com determinação, superação e garra. O medo se origina da insegurança, falta de confiança em si próprio e a crença de que não é possível fazer, ou então é uma sensação inexplicável de limitação, impedimento e bloqueio. O processo para sair dessa energia é buscar o autoconhecimento, entender como funciona o sistema interno e aprender a lidar consigo mesmo. Isso porque as pessoas não se conhecem direito; planejam, sonham,

Reprodução

te, os valores espirituais e os É inevitável para uma exismundanos. tência saudável, compatível Parece deslocada no temcom as ligações exaradas no po e no espaço a opção por Evangelho de Jesus, a busca Deus e pela autoiluminação, da iluminação interior. enganando-se com a preA sombra dominante semmissa de que para ser cristão pre sugere que seja posterganão é necessário abandonar do esse momento iluminativo, o mundo, porém, viver nele, por temer a sua diluição. Nada naturalmente que, sem deobstante, enquanto viceja a JOÃO BATISTA SCALFI ignorância da verdade, proli- Vice-presidente do Educandário pender dele, da sua fixação, feram os conflitos e as buscas Deus e a Natureza (Indaiatuba) das suas exigências. Enquanto permanece a inúteis, as de natureza exterior que não preenchem o vazio existencial, indecisão da escolha, o tempo, que urnem conseguem apaziguar as ânsias in- ge, passa rapidamente. Preocupa-te em ser fiel aos comproternas em favor da harmonia pessoal. Transtornos sutis de conduta inquie- missos para com a tua elevação espiritam o ser que parece caminhar sem a tual, busca a autoiluminação, mediante segurança do roteiro, assumindo com- a qual disporás dos instrumentos subliportamentos variados de acordo com os mes do amor para alcançar as metas. Os pensamentos pessimistas e queiimpositivos do momento, transferindo-se de um para outro com rapidez e manten- xosos, as análises negativas em torno das demais pessoas e dos acontecimentos, do a incerteza, os medos que o assaltam. Entrelaçado pelos fios invisíveis dos tomam precioso tempo que poderia ser compromissos sociais, geradores de an- aplicado em planejamentos saudáveis. O Espírito encontra-se neste mundo siedade e de inquietação, atira-se, ora ao trabalho exaustivo, a fim de adquirir para renovar-se, para resgatar equívorecursos que lhe proporcionem o prazer, cos, a fim de evitar emaranhar-se nos em outras ocasiões às fugas espetacula- hábitos infelizes de outrora. Quando a divina luz penetra o íntires das viagens de repouso ou de recreação, olvidando-se que, aonde quer que mo do coração humano, há um brilho incomparável que dele se exterioriza, vá, o ser que se é, segue também... Mecanismos bem-urdidos de descul- mas a sua visão interior percebe quanpismos apresentam-se para adiar o mo- to ainda necessita de purificar-se, de mento da perfeita integração do ego no limpar as marcas da longa jornada. O teu conhecimento em torno das self, embora o aparente interesse na modificação dos hábitos enfermiços e a aspi- Leis da Vida faculta-te o melhor discerniração enobrecida para a conquista da paz. mento, que permite a conquista da harNesse afã de manter os vínculos frá- monia, mediante a preferência da luta geis com familiares e amigos de ocasião redentora em vez do prazer ilusório. Busca Jesus sempre e Ele te dirá tuou mais antigos, exaure-se, vive cansado, insatisfeito, e foge para o prazer e o con- do quanto necessitas ouvir e realizar. O sinal de que Ele está contigo é a tentamento nos grupos díspares nos quais predominam as ilusões e futilidades, sem claridade interior que te tomará, a alea coragem de definir-se pela integração da gria de viver e de amar, terminando por autoiluminar-te. consciência no Psiquismo Cósmico. Existem em todas as criaturas, sem Fonte: Segue em Harmonia (Divaldo Franco/Joandúvida, os arquétipos do anjo e do de- na de Ângelis) mônio, representando, respectivamen- scalfi@terra.com.br

JANEIRO/2016

porém muitas vezes, quando as coisas não acontecem, ficam frustradas em vez de contentes. Isso aumenta ainda mais a insegurança e ela potencializada pode produzir distúrbios graves, grave como a síndrome do pânico, entre outras fobias. Todos fenômenos da manifestação desequilibrada da psique que nada mais são do que nosso próprio sistema Imunológico Espiritual usando nosso corpo como válvula de escape. Temos todo um sistema energético que compões nossos planos mais sutis de manifestação (espírito; alma); e quando o nível de energia em desequilíbrio nesses corpos chega no limite eles extravasam essa energia para ser removida, jogando-a para nosso corpo físico, que então somatiza uma doença – como o é a síndrome do pânico e os diversos transtornos de ansiedade. Nessa altura já está instaurado um processo auto-obsessivo, ou seja, desequilíbrio de ordem espiritual que demanda um tratamento mais aprofundado e no qual a pessoa provavelmente não conseguirá mais sair sozinha da situação; mas agora para se curar ou voltar ao normal, ao equilíbrio precisará de ajuda externa, como terapias, apometria, e tratamentos biofrequenciais. Dárcio Cavallini é terapeuta holístico e fundador do Instituto Biosegredo


JANEIRO/2016

JORNALZEN

5

JORNALZEN completa 11 anos de circulação Veículo referência em assuntos ligados ao autoconhecimento na região de Campinas foca em expansão O JORNALZEN está completando, com esta edição, 11 anos de circulação ininterrupta. Fundado em 2005 no município de Indaiatuba (SP), um ano depois transferiu sua sede para Campinas, de onde expandiu sua área de atuação para outras cidades da região e tornou-se referência no segmento de autoconhecimento. Hoje, a meta dos diretores é ter

mais penetração no mercado de São Paulo, onde o jornal já circula em dois bairros (Vila Madalena e Vila Mariana). “A palavra-chave é expansão, com os pés no chão”, comenta Silvia Lá Mon, diretora comercial. “Sabemos do difícil momento econômico do País, mas preferimos encarar isso como um desafio, de maneira positiva.”

Segundo Silvia, a receptividade ao jornal na capital paulista tem sido muito boa. “Aos poucos, pretendemos ampliar a circulação, mas tudo dentro das possibilidades”, reforça. Jorge Ribeiro Neto, diretor e editor do JORNALZEN, avalia que, como o conteúdo do jornal é universal, as possibilidades de crescimento são efetivas.

A preocupação com as mídias digitais também é destacada por Silvia. “Estamos dinamizando os recursos nessa área e oferecendo como diferencial aos anunciantes”, informa. Outra frente de atuação são os eventos. “Em 2015, promovemos o Zen Festival”, lembra. “Este ano, vamos realizar a segunda edição, que já é bastante aguardada.”


JORNALZEN

6

Ano novo – hora de mudar Se todo dia tomarmos o mesmo caminho, com certeza todo dia chegaremos ao mesmo lugar. Estamos iniciando um novo ano, uma nova etapa, e pergunto: você já definiu o que quer realizar em 2016? Estipulou metas e meios de como realizar? É hora de sonhar! Acredite em você, em sua capacidade de realizar. Acredite em sua força interior. Ou tomaremos os mesmos caminhos que nos trouxeram até aqui? Muitos se questionam: o que faço de errado que nada dá certo? Ou estou mal e não encontro a “saída”, enquanto outros se “viram” e as soluções aparecem de maneira espontânea e abundante. Existe algo errado? Deus ou o Criador protege alguns? Não! Talvez você não acredite, mas dependendo do seu estado mental, emocional e espiritual, você atrairá situações para o seu dia a dia. As crenças, energias que você

alimentou até agora ou energias absorvidas de pessoas, lugares ou enviadas para você te boi- ARMANDO ZAPAROLLI Bioterapeuta cotam e não deixam você ser realmente quem você é ou gostaria de ser. Está na hora de você recuperar o controle sobre a sua vida! Não entregue o seu poder para outros! Através de análises e tratamentos feitos pela Mesa Quantiônica é possível tratar energeticamente esses distúrbios, facilitando a recuperação e trazendo o prazer de viver novamente. Por ser um tratamento energético, na maioria dos casos é possível ser feito a distância. Na Bioterapia Holística Morada da Luz existem técnicas e tratamentos para resolver esses problemas.

JANEIRO/2016

Padre Haroldo Feliz ano novo “Quem é que deseja a vida e anseia por longos dias para saborear o bem? Preserva tua língua do mal, e teus lábios de palavras mentirosas. Evita o mal e faze o bem, busca a paz sem desistir.” (Sl 34,12-15) Esse trecho revela os segredos de uma vida feliz, santa e abençoada. O salmista escreve sob a inspiração do Espírito Santo. Que ele nos inspire neste ano de 2016. O louvor embeleza tudo aquilo que toca, inclusive aqueles o oferecem. O louvor expulsa todo o medo. O medo atormenta (cf. 1 João 4,18), e por isso cria doenças. O medo provoca enfermidades, paralisa, envelhece e deforma a personalidade. Muitos são os que se gabam de sua coragem e bravura, e que são atormentados pelos medos secretos e íntimos, que eles nem reconhecem. Tais medos provocam a inquietação que causa tensão e desconfiança. A desconfiança é sinal de falta de amor, pois o amor expulsa a suspeita. O relaxamento nos conduz ao silencio, à meditação, à contemplação e a contato profundo com o Criador, que vive permanentemente no mais profundo do nosso ser. Assim, acolhemos a sabedoria infinita, reconhecendo a dimensão divina. Silenciemos um pouco e contemplemos a vida, que é um dom, uma graça, é o reconhecimento de Deus em nós mesmos. Somos seres espirituais. Quer maior grandeza que essa? E para

tomar consciência da vida de graça, a verdadeira vida, precisamos acalmar o nosso físico, a nossa mente, e sentir a pureza da vida, a harmonia e o amor que existem no mais íntimo do nosso ser. Assim, colocamo-nos a caminho para a verdadeira sabedoria, o caminho da fé, da graça e do amor. Então, surge o crescimento interior, e o espiritual se faz presente, revela nosso potencial, o nosso poder interior unido com o poder de Deus. Através do relaxamento, chegamos ao nosso intimo, no mais profundo do nosso ser, tendo acesso ao subconsciente. E, entrando em contato com nosso subconsciente, precisamos entender a sua linguagem que se faz através de imagens, uma linguagem simbólica, a qual não sabe o que é certo ou errado, não distingue a diferença entre uma experiência real e uma imaginada, ele simplesmente aceita todas as ideias que lhe enviamos. Por isso, é importante pensar, falar, imaginar e agir positivamente para impregnar-se apenas do que é bom e verdadeiro e, assim, determinar o presente e o futuro com sucesso, harmonia e amor. Relaxando com essas ideias, vamos ter um ano novo maravilhoso. Haroldo Rahm é presidente emérito do Instituto Padre Haroldo hrahmsj@yahoo.com


JORNALZEN

JANEIRO/2016

Juliano Sanches Rápidas de Ano Novo As histórias contadas só fazem sentido quando têm ouvintes. Mas, há dois tipos. Um que pensa em personagens, cenários, conflitos e uma solução. E outro que apenas foca no clímax, e se esquece do final. O primeiro não aceita apenas uma versão para a trama. O segundo é refém do ponto de vista de alguém, e se mantém como caricato e passional. Às vezes, trombamos com os personagens de Kafka por aí, não é? *** A mesa de bar é um ambiente de terapia. Templo para meditar, e afastar os pensamentos indesejados. Quando se fala de times, relacionamentos, situações de família, divide-se a vida o tempo, os afetos. Uma boa risada é uma forma de fé. É quando se crê mesmo sem ver. Não há provas para o riso. *** O bom vinho nos faz experimentar/perceber que as certezas escorregam pela janela, como pingos de uma chuva torrencial. Dioní-

sio nos deixou o vinho para tirar a dor de cena, enquanto o prazer vive sua plena apoteose. *** Há os que repetem os mesmos erros sempre. Quão falível é a razão que nos acompanha? Somos passionais na maioria das vezes porque, no fundo, carregamos muitas heranças do paleolítico. *** Há os que fazem exames toda semana, classificam suplementos e vitaminas como se fossem livros na biblioteca. Rir para a morte faz mais sentido do que contorcer aquilo que escapa às mãos. Antes que a morte ria pra você. Nota-se que a vida humana é capaz de debochar daquilo que Maquiavel chamava de fortuna, sorte ou acaso. Rir, somente os humanos são capazes. Cuidar da saúde é fundamental, mas fazer dela a sua senhora não é a melhor saída, muito menos a mais inteligente. Juliano Sanches é jornalista

Liderança A capacidade de estar à frente de um grupo é fundamental para quem deseja habilitar-se a ser empresário ou participar de níveis hierárquicos significativos nas grandes corporações. A mesma equipe de profissionais rende significativamente mais quando comandada por um líder capaz de mobilizar as suas energias em uma única direção. Todos nós temos um certo grau de liderança natural. Mas, ser um comandante eficaz ainda são poucos. Para as pessoas que desejam implementar essa habilidade, a pergunta é: o que me falta para que possa ser um líder eficiente? Para as pessoas que já ocupam cargos de liderança – empresários, executivos, diretores, etc. –, a pergunta é: será que poderia ser melhor para condu-

7 zir minha equipe na obtenção de resultados mais interessantes? Um dos pilares da liderança é o autoconhecimento. Um líCLÉLIO BERTI der eficiente é Diretor da capaz de, verUni-Yôga Flamboyant dadeiramente, compreender as suas motivações, os seus desejos, os anseios e a habilidade de lidar com o fracasso temporário. A compreensão de si mesmo permitirá entender o outro para estimulá-lo da forma adequada. O nosso curso de Alta Performance é uma oportunidade de aprofundar o autoconhecimento e, a partir dele, ampliar a capacidade de liderar.


JORNALZEN

8

Um ano novo ou uma vida melhor? Todas as pessoas têm seus rituais de começo de ano novo. Uns fazem suas orações, outros, para dar sorte, guardam sementes de romã, pulam ondas, pedem bom princípio aos familiares e assim por diante. Além dos rituais, muitas promessas e projetos, mesmo sabendo que não poderão cumprir nem metade desses projetos. Mas é importante lembrar que um ano é apenas um ciclo de nossas vidas. Ao invés de pensarmos em curto prazo sobre o que poderíamos fazer para ter um ano bom, deveríamos pensar como ter uma vida melhor independente de quanto tempo ainda viveremos. Será que estamos dispostos a fazermos mudanças verdadeiras para ter uma vida melhor? Ou estamos aguardando a vida melhorar para fazermos mudanças? Será que estamos prontos para fazermos os outros felizes? Ou estamos aguardando a felicidade alheia para embarcarmos nela? Será que estamos abertos para acolher a vida e as pessoas como elas são? Ou estamos esperando a vida e as pessoas se adequarem aos meus desejos? Não acredito que seja possível uma pessoa ter um bom ano, sem que se empenhe em ter uma vida melhor. Na verdade, a maioria de nós espera que uma mágica aconteça para realizar nossos desejos. Poucos são aqueles que fazem a vida acontecer. Queremos acreditar que um carro novo nos trará alegria permanente, que um creme vai nos rejuvenescer 20 anos, que um comprimido nos fará emagrecer sem esforço, que uma pílula irá tirar todas as nossas dores e depressões. Gostamos de mágica, mas a verdadeira magia é viver. Se desejarmos ganhar dinheiro de uma forma honesta, temos que ter perseverança e dedicação ao nosso trabalho. Se desejarmos amor, temos que estar abertos para sermos amados. Se desejarmos su-

cesso, temos que estar preparados para lidar com ele. Se desejarmos conhecimento, temos que ter disciplina e estudo para alcançá-lo. MÁRCIO ASSUMPÇÃO Nada cai do Professor de ioga e diretor céu, tudo é con- do Instituto de Yogaterapia quista ou mérito. Vale lembrar que o que plantamos, colhemos. Amor, alegria, paz, compaixão, sabedoria e muitas outras coisas que desejamos não podem ser fabricados e nem comprados, pois são resultados da maturidade emocional e do autoconhecimento. Dessa forma, não temos como produzir um ano bom, temos que vivê-lo com todas as suas nuances, com seus altos e baixos, pois assim é a vida de todos nós. Felicidade não é dar risadas o dia inteiro. Paz não é ausência de conflitos. Amor não é ser feliz para sempre. Pois a vida é dual, repleta de acontecimentos bons e ruins. Saber vivê-la é o grande desafio de todos nós. Estamos dispostos a ter uma vida melhor? Ou apenas queremos ter um ano bom com ausência de atritos? Qualquer coisa que é alcançada sem desafios, perde o valor rapidamente. Nossa mente tem uma tendência natural de desvalorizar o que foi conquistado sem esforço, o que é de graça, acaba “perdendo a graça” rapidamente e logo buscamos novos desafios. Assim somos todos nós, reclamamos quando temos que enfrentar algo, mas na ausência de um desafio, sentimos que algo nos falta e logo buscamos outras metas. E no final de nossas vidas, não vamos olhar apenas para um ano, e sim vamos olhar para nossas vidas exatamente como vivemos: rindo, chorando, amando e sendo.

JANEIRO/2016

Aruângua O sapateiro e o rádio (1) Era uma noite encapuzada. Não se via coisa alguma nos céus negros. Caía uma chuva fina sobre São Paulo. O breu era denso e o escuro encorpado abafava. O ar parecia que resfolegava. As luzes da cidade permaneciam apagadas por ordem dos militares. A cidade, assim na escuridão completa, não permitia ser encontrada pelos bombardeiros alemães – se estes tivessem a intenção de bombardeá-la. Uma sombra esgueirava-se pela avenida. Na calçada, o sapateiro alemão apressava o passo, mais e mais. Vestia uma capa preta e equilibrava sobre o ombro esquerdo um imenso pacote, embrulhado também num tecido preto emborrachado. Um carro passou, devagar, evitando fazer ruído. As luzes encobertas com adesivo preto deixavam passar apenas uma réstia de claridade, ao centro da lente dos faróis. O sapateiro enfiou-se rapidamente pela viela, tropeçou na falta de um paralelepípedo e encharcou um pé no buraco cheio de água suja. Atravessou rapidamente o portão aberto, subiu os degraus da varanda e bateu à porta, com os nós dos dedos, três vezes, brandamente: – Abra! Abra! Sou eu, o Werner! – sussurrou. A porta foi-lhe aberta e o artesão de calçados, entrou. Todos ficaram espantados, não por vê-lo, já que era um velho amigo da casa, mas por descobri-lo assim, debaixo daquela capa preta, com o rosto que era vermelho, tão pálido. Antes que lhe perguntassem alguma coisa ele murmurou: – Trouxe o rádio “portátil”, para ouvirmos o “Führer”! – Mas Werner, você não sabe que estamos em estado de sí-

tio! Você poderia ser apanhado e teria de se explicar! E o toque de recolher? Getúlio fez acordo com os americanos! – Fecha as janelas, amigo, precisamos de silêncio para ouvir direito. O rádio tem de ficar com o volume bem baixo. Ligou o rádio e explicou: – Paciência! Tem de esquentar as válvulas. Ao cabo de alguns minutos, Werner começou a rodar o botão p apanhar a estação em que o “Führer” falava: – Porque nós faremos que todo aquele que ... vvvvvvvvVv vvvzzzzzzzzzzzzzzzzzzzziiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiixxxxxxxxxxxxxxxxxiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiuuuuuu uuuuurrrrrrrxxxxxiiiiiiiiii! – era a voz do “Führer”. Que emoção, ouvir o grande líder. Werner esforçou-se mais uma vez e: – Porque a Alemanha não pode mais continuar... ZZIuuuuzzzzzzzzzzzzzzZzzzzzzzzzzziiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiizz zzzzzzzzzzziiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiuuuu uuuuuuuuuuuuuuxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii uUuuuuuuuuuuuuvvvvvvvzzzzz zzzzzzzzzzzzzzzzziiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiixxxxxxxxxxxxx! – novamente, era a fala do líder amado. Werner continuava dedicado, esforçando os dedos no botão de sintonia tentando achar-lhe a sensibilidade como fazia com as mulheres: – Não permitiremos mais que ... xiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiixxxxxxxiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiVvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv vvvvzzzzzzzzzzzzzzzziiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiuuuuuuuuuu uuuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiuuuu urrrrrrrrrrrrrxxxxxxxiiiiiii... alemães! Porque o destino da Alemanhã é ... vvvvvvvvvvvv vvvvvvZzzzzzzziiiiiiiiiiiiiiuuu uuuurrrrrrrrrrrrrrrrrooxiiiiii! (continua na próxima edição)


JORNALZEN

JANEIRO/2016

Marcelo Sguassábia Shangri-lá é só aqui Que ninguém alegue ignorância sobre o castigo que espera quem conhece o lado de lá das nossas montanhas. A ira divina cairá como um raio sobre a cabeça dos desobedientes, assim que chegarem ao topo das fronteiras do reino. Conhecerão a desgraça de uma sociedade injusta e defeituosa, onde prevalece a carência em todos os níveis e onde a alegria é a exceção da regra. Ser curioso, no caso, trará desastrosas e irreversíveis consequências. Se por aqui nossos orgasmos duram 12 miseráveis minutos, lá é ainda pior. Dez segundos, quando muito. Pensem bem: quem é o maluco que vai se dar ao trabalho de se arrumar para sair, conquistar alguém do sexo oposto, adular a presa durante semanas ou meses para tudo acabar no tempo que se leva para dar um espirro? Sabemos que não há nada de extraordinário em ter 16 narizes. Diria até que, para a maioria de nós, seria muito difícil imaginar a vida com apenas 15, como é o caso de algumas crianças com má formação congênita. Que dirá viver com apenas um? Pois esse é o caso dos povos alémmontanhas. O mínimo que se poderia aceitar como razoável seria uns três narizes no rosto e mais uns dois nos ombros ou nas costas – jamais um só, na parte da frente do corpo. A coisa é mesmo estranha e funcionalmente limitada. Além disso, os sovacos tendem a ficar peludos se não forem ras-

pados, as unhas precisam ser cortadas de vez em quando e há quatro dentes que nascem apenas para serem extraídos. Pela enfadonha e inútil repetição de tarefas, a rotina deles dá pena. Saem de casa toda manhã, se metem em filas intermináveis de automóveis, passam raiva o dia inteiro, se estressam, amaldiçoam patrões e governos, entram de tardezinha em outro comboio de carros para voltar à casa e fazer exatamente as mesmas coisas no dia seguinte. Tudo isso para conseguir juntar um dinheirinho e passar uma semana por ano do mesmo jeito que nós passamos a vida toda: deitados à sombra dos coqueiros, comendo camarão e tomando caipirinha. Mais ou menos por essa época, nossos desafortunados vizinhos comemoram o réveillon como se algo, finalmente, fosse mudar. Esvaziam seus sacos de cólera e frustração à beira-mar, para enchê-los de novo até a boca nos 12 meses seguintes. E assim sucessivamente, até morrerem em seus pijamas, aos cuidados de desconhecidos e com incontinência urinária. Sim, porque estranhamente esses humanoides vão perdendo saúde com a idade, e seus órgãos não se reconstituem como os nossos. O resultado é que não chegam nem mesmo aos 150 anos, idade em que nós celebramos o início da adolescência. Agora, me digam: para viver tão pouco e tão mal assim, vale a pena o trabalho de nascer? Marcelo Sguassábia é redator publicitário

9


JORNALZEN

10

Dr. Orestes Mazzariol

Fimose: o que você deve saber Definição: impossibilidade de exposição da glande. No primeiro ano de vida, a retração do prepúcio para trás do sulco da glande é possível em 50% dos meninos, podendo ser primaria (fisiológica), sem sinais de fibrose, ou secundária (patológica). Diagnóstico: clínico, quando a extremidade distal do prepúcio permanece estreita (a extremidade do pênis fica com aspecto abalonado durante a micção). Complicações: inflamação da glande e do prepúcio; infecções do trato urinário. Profilaxia: embora exista relação direta entre doenças sexualmente transmissíveis e fimose – sendo herpes e gonorreia duas vezes mais frequentes; e sífilis e candidíase, cinco vezes, e maior chance de contaminação pelo HIV – não existem dados que suportem uma política de saúde para cirurgia profilática.

Em relação ao câncer de pênis, os fatores de risco conhecidos são fimose, higiene e nível socioeconômico, embora não existam dados para recomendação da cirurgia como política profilática. O tratamento clínico deve ser indicado em jovens e adultos portadores de fimose na ausência de fibrose do prepúcio. Quando houver fibrose, é recomendada a circuncisão. Atualmente, a primeira linha de tratamento conservador adota cremes de corticoide hidrocortisona (0,05%) ou betametasona (0,2%) associada a hilaluronidase (50UTR), duas vezes ao dia, até resolução do quadro (no máximo, 12 semanas). Importante: a massagem do prepúcio, tentando forçar a retração de glande, é contraindicada, pois pode levar a sangramento e fibrose, resultando em fimose secundária. Na falha do tratamento clínico, fica indicada a cirurgia.

JANEIRO/2016

Sonhe com disciplina Augusto Cury

O

s sonhos são como o vento: você os sente, mas não sabe de onde eles vieram e nem para onde vão. Eles inspiram o poeta, animam o escritor, arrebatam o estudante, abrem a inteligência do cientista, dão ousadia ao líder. Eles nascem como flores nos terrenos da inteligência e crescem nos vales secretos da mente humana, um lugar que poucos exploram e compreendem. Muitas pessoas ao longo da vida confundem sonhos com desejos. Desejos são intenções frágeis; sonhos são projetos elaborados com critério e responsabilidade. Desejos como o de ter bons amigos, de ser um bom aluno, de superar nossa ansiedade, de ser um excelente profissional não têm força para suportar o calor dos problemas que batem em nossas portas. Sonhos, ao contrário, são projetos de vida, ganham mais força quando sofremos derrotas ou atravessamos os vales das dificuldades. Sonhos precisam de disciplina, e disciplina precisa de foco, estratégia e escolhas, que, por sua vez, implicam perdas. Sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas, e disciplina sem sonhos produz pessoas autômatas, que só sabem obedecer a ordens. Cada ser humano tem habilidades incríveis, mas poucos as desenvolvem, lapidam, treinam. Uns são “torradores” de dinheiro, outros de potencial intelectual. Muitos nasceram em berço pobre, viveram privações, não tiveram apoio de nada e de ninguém, mas usaram suas habilidades mentais para criar as próprias oportunidades. Você tem usado as suas? As conquistas dependem de 50% de inspiração, criatividade e sonhos, e 50% de disciplina, trabalho árduo e determinação. São duas pernas que devem caminhar juntas. Uma depende da outra, caso contrário, nossos projetos tornam-se miragens, nossas metas não se concretizam. Temos que parar de reclamar de tudo, de culpar os outros por nossos erros. Temos que saber que ninguém poderá fazer as escolhas por nós. Ser disciplinados, fazer exercícios intelectuais continuamente para deixar de sermos servos e nos transformarmos em autores da nossa história. Nada é tão belo e relaxante quanto alcançar essa meta. Devemos nos fechar menos e falar mais de

nós mesmos e de nossos sonhos, sem medo de sermos tachados de loucos, insanos ou débeis. Nem sempre os sonhos são definidos e bem organizados no teatro da mente. Às vezes nascem como pequenos traçados, simples esboços, ideias vagas que vão se desenhando e tomando forma ao longo da vida. Todas as grandes mudanças na humanidade no campo social, político, emocional, científico, tecnológico e espiritual surgiram por causa dos grandes sonhos. Claro, é impossível escapar da rotina. Em muitos momentos ela é um calmante necessário, além de nos ensinar a nos manter organizados com o nosso dia a dia no trabalho. Mas esses sonhadores passaram pelo menos 10% do seu tempo criando, inventando, descobrindo. Realizar os sonhos com disciplina implica riscos, riscos implicam escolhas, escolhas implicam erros. Todos nós precisamos de muitos sonhos para atingir o nível de um profissional que procura a excelência, amplia os horizontes da inteligência, fica atento às pequenas mudanças, tem coragem para corrigir rotas, capacidade para prevenir erros, ousadia para fazer das suas falhas e dos seus desafios um canteiro de oportunidades. Sem sonhos com disciplina, os ricos se deprimem, os famosos se entediam, os intelectuais se tornam estéreis, os livres se tornam escravos, os fortes se tornam tímidos. A coragem se dissipa, a inventividade se esgota, o sorriso vira um disfarce, a emoção envelhece. Sem sonhos e disciplina, a vida é como uma manhã sem orvalho, seca e árida. Eles são os melhores remédios para curar frustrações. Se sólidos, eles podem ter mais eficácia do que anos de psicoterapia. Eles reeditam o filme do inconsciente e ampliam os horizontes do desanimado, fazendo renascer a motivação para recomeçar tudo de novo. Nós só realizamos nossos sonhos com disciplina para nossa carreira profissional se superamos as ideias negativas, se vencemos a humilhação e se nos livramos dos tentáculos da timidez e da baixa autoestima. Libertemo-nos para sonhar novos sonhos! Libertemos nossos antigos sonhos presos na profundidade de nossa história! Augusto Cury é psiquiatra e psicanalista


JORNALZEN

JANEIRO/2016

Bom trânsito para nós! Marks Pintija

Pode passar, eu espero Você se identificou com essa frase? Sim? Então eu quero ser seu amigo. Aliás, você merece ser chamado assim por todo mundo. Um ato simples, rápido, mas que infelizmente não acontece a todo momento no trânsito. Tente se lembrar quantas vezes você esteve numa esquina, na saída de um estabelecimento, empurrando algum objeto pesado ou mesmo levando uma criança no colo, e naquele minúsculo instante chamado “conflito de trânsito” entre você e um outro ser, que nem se conheciam, nunca se viram... e de repente ele fala para você: “Pode passar”. Sensação maravilhosa! Nem parece verdade de tão inesperado que foi. Na norma de circulação e conduta, prevista na lei de trânsito brasileira, a oferta da prioridade está prevista, sempre considerando que os menores (e mais fracos) devem ser respeita-

dos pelos maiores e mais fortes. Porém, a convivência entre os integrantes sofre da falta de tolerância e respeito ao próximo, valores de vida que não existe cartilha para se seguir, existe apenas a chance em experimentá-los no cotidiano, e então saber que é ótimo quando se tornam mútuos. Conviver num ambiente que existe respeito é uma forma de aprender a retribuir aos outros. Vale lembrar que os idosos, pessoas com deficiência, crianças que precisam de cuidados e todas as pessoas que estão usando seu corpo para transportar algum peso precisam da preferência. Certamente um ato desse fará tamanha diferença para elas, que levarão um pouquinho de você, mesmo que em forma de sentimento de gratidão. Tente praticar o “eu deixo você passar”. Marks Pintija é especialista e educador em trânsito

11

A dor da mente Qualquer dor do corpo pode ter participação da mente, seja 20%, 30% ou até 100%! A mente é seu sócio de mentira. Nesse caso, era em nome de proteção. Essa dor da mente é a famosa “dor fantasma”. Na verdade, não é fantasma, ela simplesmente tem dono – sua mente. Uma paciente tem bursite no ombro esquerdo. Apliquei agulhas no local e na língua. A dor diminuiu uns 70%. Simplesmente pedi para a paciente levantar o braço direito que não dói. Codifica o movimento – isto é, fazer movimento em sequência, para o cérebro registrar. Depois, repete o movimento e ao mesmo tempo imagina que quem está movimentando era o braço esquerdo. Chamo isso de trabalho em espelho ou usar o espelho da mente. Faça isso três vezes. A mente registrou três movimentos do braço esquerdo, sem dor. Acreditou que o braço esquerdo

não dói mais. Pin! Ela levantou o braço esquerdo de verdade, sem dor. Nessa situação, a participação da PETER LIU mente é 30%. Acupunturista Houve outro caso. Nesse, a participação da mente foi de 100%. Uma paciente fez uma cirurgia no pulso direito 20 anos atrás e continua sentindo a dor no pulso. Estranho, não? Fiz o trabalho em espelho. Pedi para a paciente tocar o pulso esquerdo imaginando o pulso direito. Repetiu três vezes, depois tocou de verdade o pulso direito. Sem dor! A dor que durou 20 anos foi embora em cinco minutos! Agora você ficou curioso. Como a gente vai saber se a dor é de verdade ou da mente? Difícil saber. Mas a dor veio primeiro, a dor da mente veio depois.


12

JORNALZEN

Viva Bem elianamattos@uol.com.br

Bate-papo

H

oje, quando me levantei e pensei no que escrever para nossa página, me veio muito forte “esperança”. Essa palavra tão bonita de pronunciar e que o dicionário traduz como “fé, confiança em conseguir o que se deseja”, será o nosso lema para este novo ano que se inicia. Pare para pensar: em todas as dificuldades que você passou em sua vida, Deus te desamparou? Tenho certeza que não. Talvez esperança possa ser traduzida como “a enviada por Deus”, para acreditarmos que Ele está o tempo todo do nosso lado. Apesar do caos que pipoca em nosso planeta, que a esperança nunca desapareça dos nossos corações. Não entremos em sintonia com o desânimo, nem ajudemos com nossas palavras e atos, a tornar todas essas notícias piores do que são. Que 2016 seja um ano cheio de surpresas boas. Que as não muito boas também venham, porque crescemos muito mais quando somos submetidos a altos e baixos pela vida. Mas que possamos tatuar na alma a palavra “esperança”. Um maravilhoso ano novo!

Rabanada de panetone (sobrou panetone do Natal?) Ingredientes: * 500 g de panetone de frutas * 2 ovos * ½ xícara (chá) de leite * Açúcar e canela a gosto Modo de fazer: Corte as fatias de panetone com uns 2 centímetros de espessura e reserve. Em uma tigela, bata bem os ovos e o leite. Aqueça uma frigideira com um pouco de

manteiga, banhe as fatias aos poucos na mistura de ovos e leite e frite até que fiquem dourados de ambos os lados. Deixe escorrer em papel toalha e depois passe cada fatia em uma mistura de açúcar e canela e sirva ainda quente. Dicas: você pode adoçar a mistura de ovos e leite ou adicionar essência de baunilha ou raspas de limão ou laranja.

Participe de nossa página Fiquei super feliz da leitora Cibele, de Campinas, me mandar um e-mail, outro dia. Nesta edição vamos publicar uma deliciosa receita que ela enviou. Ao lado, você tem meu e-mail. Mande sua receita também. Vou adorar publicar! Participe!

Bolo de maçã e açúcar mascavo Bata no liquidificador: * 2 maçãs médias sem casca * 2 ovos * 1 xícara (chá) de óleo (de preferência de girassol ou canola) Numa tigela colocar: * 1 xícara (chá) de açúcar mascavo * 2 xícaras (chá) de farinha de trigo * 1 colher (sopa) de fermento em pó * 1 colher (chá) de canela em pó * ½ xícara (chá) de frutas secas a gosto

JANEIRO/2016

Filhotes: atenção com o desmame Antes de levar para casa um filhote de gato ou cachorro, certifique-se de que ele já foi desmamado. Filhotes muito novos privados do leite materno podem ter raquitismo, doença muito prejudicial ao seu desenvolvimento. O primeiro sintoma é andar manco, causado por fratura ou fortes dores musculares.

Alimentação correta no verão

Misturar bem na tigela o líquido batido. Levar ao forno em forma untada e enfarinhada com furo central e depois de pronto, desenformar ainda quente e colocar a seguinte cobertura:

Nada de alimentos pesados que a deixarão preguiçosa e sonolenta nesses dias quentes. Dê preferência a pratos leves, pouco condimentados: verduras frescas e saladas de legumes temperados com limão, sal e pouco azeite. Acompanhe com um bife grelhado. Melhor ainda um filé de peixe grelhado. Nada de frituras. Prefira frutas como sobremesa. E saiba que sopas frias podem ser ótimas no jantar.

* ½ xícara (chá) de açúcar de confeiteiro * ½ colher (chá) de baunilha * 1 ou 2 colheres (sopa) de leite

Ventiladores: modere seu uso

Dicas da Cibele: usar castanha-do-pará picada ou laminada, mas também fica ótimo com nozes ou uva passa; se a cobertura ficar muito espessa com uma colher de leite, acrescente mais uma.

Não exagere também com os aparelhos de ar condicionado. Eles podem ser nocivos à saúde se você dormir com eles ligados. Prefira ao dormir, deixar parte da janela aberta e use roupas leves, mas que cubram as costas. Quase sempre a temperatura desce de madrugada e um golpe de ar pode causar resfriado.


JORNALZEN

JANEIRO/2016

Feliz 2016! Será? Mani Alvarez

U

m novo ano começa e mais que nunca sentimos uma apreensão na boca do estômago. O que de pior ainda está por vir? E é nesse momento que sentimos a urgência de cultivar uma visão positiva para os acontecimentos, porque do contrário seremos engolidos por eles. Mas, seria essa façanha possível no meio do caos que estamos vivendo? Por incrível que possa parecer, a resposta é sim! Podemos treinar a nossa mente para ser feliz. Isso não é ficção científica. Existem técnicas comprovadas neurologicamente que afirmam que podemos exercitar os sentimentos positivos e conquistar efeitos duradouros de felicidade plena. Sabe-se que a alegria tem um efeito fortalecedor sobre o sistema imunológico, que favorece a inteligência e a criatividade, porque os sentimentos positivos multiplicam as conexões entre os neurônios. Mas não é só isso. Nosso cérebro produz substâncias químicas que tem enorme influência sobre nosso modo de ser, como a dopamina, a serotonina, a oxitocina, algumas das moléculas mais conhecidas que orquestram a magia de nossas emoções. Estudos recentes descobriram que esse efeito é de mão-dupla, ou seja, podemos praticar atitudes que estimulam a química das emoções, que por sua vez geram um estado positivo mesmo diante das maiores dificuldades. Por exemplo, a gratidão. Essa atitude é uma metaestratégia para se alcançar a felicidade. Saborear o que se recebe como um dom, uma dádiva única e preciosa, saber dar o verdadeiro valor às coisas mais banais da vida, ser grato por tudo que se recebe. A gratidão abre caminho para os gestos de cortesia e gentileza nas relações. Isso conduz ao altruísmo e a benevolência, logo... a re-

lações mais harmônicas e felizes. Descobriram também a importância de aprender a vivenciar o momento presente, inteiramente, de corpo e alma. Sentir-se presente naquilo que faz. Conhecida como mindfulness, essa técnica ensina a não ter qualquer preocupação com a meta a ser atingida (seja o término de uma atividade, ganhar uma nomeação, ser remunerado), porque a satisfação vem da experiência de viver o momento presente. Em psicologia transpessoal chamamos esse estado de sentimento de pico, de êxtase ou consciência superior. Fala-se também em estado de flow (fluxo), onde o tempo cessa, as preocupações desaparecem e a pessoa se sente conectada a uma dimensão maior e mais abrangente. Ou seja, felicidade é algo bem mais simples do que pensamos. Outra importante estratégia para a felicidade é aprender a perdoar. O perdão é um aprendizado difícil, mas quando ocorre, libera as duas partes do ressentimento recíproco. Perdão não é esquecer, nem desculpar ou justificar o agressor. Na verdade, o perdão não é para o outro, e sim, para si mesmo. Nesse sentido, pode-se pensar que os fatos correspondem a 10% de importância, mas o que fazemos com eles correspondem aos 90% restantes. Portanto, importa menos o que nos fazem, mas o que nós fazemos com isso. Tudo que presenciamos de estarrecedor em nosso país, nos últimos tempos, é apenas 10%... em relação a nossa capacidade de produzir sentimentos positivos. Isto está sendo testado em escolas, empresas e no esporte. O que pesquisadores contemporâneos estão descobrindo é que a felicidade é um sentimento complexo independente dos fatores externos, e que pode ser cultivado. Portanto, feliz 2016! Mani Alvarez é coordenadora geral do Centro Latino-Americano de Saúde Integral (Clasi)

INDICADOR TERAPÊUTICO

13


14

JORNALZEN

UNIVERSO DIGITAL

Amanda La Monica

Seu negócio de forma objetiva Será que consigo resumir meu assunto em 140 caracteres este mês? Se quiser me adequar ao Twitter, é melhor me acostumar a esse limite... A rede social do passarinho azul (muitos não sabem, mas ele se chama “Larry”) foi criada em 2006 com o intuito das pessoas compartilharem suas ideias, opiniões e conteúdos de forma rápida e objetiva, com no máximo 140 caracteres. Como um SMS. O público dessa rede é, segundo os dados de navegação, mais jovem. Isso não significa

que seja uma regra, mas é ideal sabermos as características do terreno em que estamos para não cometermos “gafes” ou não ter retorno algum. Se você tem uma loja de maquiagens e deseja popularizar seu produto para os jovens e obter feedbacks positivos, é uma boa ideia criar um Twitter para sua empresa. Até mesmo para trabalhar com um SAC em tempo real com seu público. Só não esqueça que na “terra de Larry” tudo é muito rápido. Postou, atualizou, sumiu. Invista na rede social, mas não se esqueça da postagem frequente de conteúdo.

CAMPINAS

JANEIRO/2016

AGENDAZEN

CULTURA DE PAZ 24/1, às 18h30 – palestra com Maria Aparecida Mendes Oliveira (Cidinha), na Brahma Kumaris (Rua Monte Aprazível, 387 – Chácara da Barra). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3241-7480

MUSICOTERAPIA E IOGA 20/1, às 20h – palestra com Amyr Cantusio Jr., no Espaço Terapêutico Flor de Lótus (Rua Reverendo Miguel Rizzo Jr., 107 – Jardim Aurélia). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3381-9618 ou (19) 3367-4267

ANO NOVO CHINÊS NO BRASIL O ano do calendário civil chinês de 2016 terá início no dia 8 de fevereiro e terminará no dia 28 de janeiro de 2017, às 23h59. A civilização chinesa considera este o ano 4714 e, contado como existência nacional, é o 83º ciclo. Segundo o mestre I Ming, orientador da Sociedade Feng Shui no Brasil, os signos favoráveis para este ano serão rato, dragão e ser-

pente. “O ano não será tão bom para as pessoas de tigre, porco e macaco. Utilizar tonalidades nas cores branca, metálica, amarela, azul e preta será ótimo”, avisa. No Brasil, os dias 13 e 14 de fevereiro serão marcados pela virada do ano novo chinês. Este será o ano do macaco e a Praça da Liberdade, em São Paulo, reunirá elementos comemorativos e representativos do país.


JANEIRO/2016

MANDALA PARA PINTAR

JORNALZEN

- OZENI LUCAS -

CULTURAZEN

15

Silvia Lá Mon

Encontro de fim de ano com clientes e terapeutas do espaço Aphrodithe, em Campinas

Amanda La Monica

Recebemos colaborações para este espaço. Envie sua mandala para contato@jornalzen.com.br

VEM AÍ O ZEN FESTIVAL 2016! AGUARDEM...

Eliana Mattos (em pé), Nilton e Edna Jaguaribe, Lenira e Carlos Busse na confraternização de fim de ano na diretoria regional do Ciesp em Indaiatuba


16

JORNALZEN

JANEIRO/2016

Profile for JORNALZEN

Jornalzen Janeiro 2016  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há onze anos no mercado, circula e...

Jornalzen Janeiro 2016  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há onze anos no mercado, circula e...

Advertisement