Page 1

JORNALZEN ANO 12

FEVEREIRO/2016

AUTOCONHECIMENTO

Nº 132

BEM-ESTAR

www.jornalzen.com.br

CIDADANIA

CULTURA

SAÚDE

Silvia Lá Mon

Silvia Lá Mon

COLUNISTAS

As enfermidades em nossa vida JOÃO BATISTA SCALFI Pág. 4

Respirar e oxigenar CLÉLIO BERTI Pág. 5

ECUMENISMO Representantes de diferentes religiões reuniram-se em uma sinagoga em Campinas na Semana da Harmonia Inter-Religosa, evento promovido pelas Nações Unidas celebrado mundialmente de 1º a 7 de fevereiro. O objetivo é promover o diálogo e a compreensão entre os seguidores de diferentes religiões, a fim de reforçar a cooperação entre os povos e promover a construção de uma cultura de paz e tolerância. A Semana teve apoio da Iniciativa das Religiões Unidas (URI), rede mundial reconhecida em 74 países e com representantes em Campinas.

As dores e a acupuntura PETER LIU Pág. 7

CULTURAZEN Pág. 11

ZENTREVISTA

Viviane Ferreira Pág. 3


2

JORNALZEN

Harmonia inter-religiosa Representantes da reé possível, principalde internacional Unimente, em nosso país, ted Religions Initiative que acolhe a todos sem (URI) promoveram no distinção. Essa é a vodia 3 de fevereiro um cação do Brasil, que encontro em Campinas desde sua fundação rena Semana Mundial da cebe e abriga imigranHarmonia Inter-religiotes estrangeiros, dos sa. Tive a honra de ser quais todos nós, brasiconvidada para repre- SILVIA LÁ MON leiros, descendemos. sentar a Fé Bahá’í no. Diretora do JORNALZEN Pude assistir e reevento. Membros da cogistrar encontros, dimunidade judaica foram os an- álogos e apertos de mão entre fitriões, em uma bela sinagoga um mulçumano e um judeu, localizada na Rua Barreto Leme. um pastor protestante e um Foi a primeira de uma série de pai de santo, um iraniano da visitas em divesas comunida- Fé Bahá’í em um trabalho condes religiosas na cidade. junto com uma católica, e toEste é o verdadeiro espírito dos ouvindo e expondo com da Nova Era: a promoção da absoluto respeito e apreço uns cultura de paz através do res- com os outros. Em comum, tepeito e da fraternidade entre mos a fé em Deus e o desejo as religiões. Entendendo que de sermos felizes e autorreaé por meio da diversidade que lizados como seres humanos. atingimos a unidade, o ecume- Na verdade, só existe uma renismo vem ganhando força na ligião, o amor, e uma só raça, sociedade. Esse também é o es- a humana. Como disse Marcos pírito renovador do papa Fran- Ebeling, pastor da Igreja Lucisco, a quem todos admiram. terana: “Onde o Espírito UniEstamos caminhando natu- ficador se manifesta, ali Deus ralmente para uma Nova Era está. Nós somos construtores de Ouro da humanidade. Isso de pontes, e não de muros”.

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

Informar para Transformar DIRETORA Silvia Lá Mon EDITOR Jorge Ribeiro Neto JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508 TELEFONES Redação (19) 3324-6062 Comercial (19) 3044-1286 contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br Circulação: Campinas Indaiatuba Valinhos Vinhedo Jaguariúna Holambra São Paulo (Vila Madalena)

FEVEREIRO/2016

PANORAMA CURSO DE CHINÊS

O Instituto Confúcio, no campus da Universidade Estadual Paulista (Unesp) no Ipiranga, em São Paulo, está com inscrições abertas para as turmas do primeiro semestre do curso de língua chinesa. Vagas gratuitas são oferecidas para estudantes da rede pública e alunos dos CEUs Meninos do Ipiranga e no Jabaquara. Mais informações: (11) 2066-5950 ou www.institutoconfucio.unesp.br

DANÇA SÊNIOR GRATUITA

O Hospital São Cristóvão oferece gratuitamente, no Parque Sabesp Mooca, em São Paulo, prática voltada à terceira idade e a portadores de limitações físicas. A dança sênior auxilia no tratamento de doenças como reumatismo, Parkinson e depressão. As oficinas são ministradas por fisioterapeutas e acontecem nas sextas-feiras, às 8h30 e às 9h30. Mais informações: (11) 2029-7718.

VOLUNTÁRIOS DO BOLDRINI

O Centro Infantil Boldrini abriu vagas para novos voluntários. Os interessados passarão por um curso de capacitação nos dias 20 e 27. Não há necessidade de inscrição, mas entregar preenchido o questionário disponível no site www.boldrini.org.br. Mais informações: (19) 3787-5137 e 3787-5138 ou pelo e-mail voluntboldrini@gmail.com

BOLSA-AUXÍLIO

O Instituto Semear vai oferecer cerca de 60 bolsas no valor de R$ 3.800 a estudantes aprovados em universidades públicas de São Paulo. Serão aceitos candidatos que iniciaram o curso em 2015 ou que vão iniciar este ano. Os interessados devem se inscrever no processo seletivo até 25 de fevereiro. Mais informações: www.isemear.org.br.

INICIAÇÃO AO TRABALHO

A Fundação Síndrome de Down, de Campinas, está com inscrições abertas para o Curso de Iniciação ao Trabalho, voltado para pessoas com deficiência intelectual com idade acima de 17 anos. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas até 12 de fevereiro (ou quando terminarem as vagas). Mais informações: (19) 3289-2818

Empreendedor Holístico ANA PAULA TEIXEIRA – coachinganapaula@gmail.com

A paralisia do medo A maioria dos empreendedores que tive a oportunidade de assessorar enfrenta um desafio bastante comum: ficar cara a cara com os seus medos. Também passei por isso e quero compartilhar algumas das técnicas que usei para enfrentá-los. O primeiro passo é não estar em negação. Se você tem medos, assuma mesmo que não seja fácil reconhecê-los. O medo é um fator tão gigante que impede a maioria das pessoas de se tornar empresárias. Ele paralisa a ação. Seguem algumas dicas que usei comigo mesma e oriento meus clientes a considerá-las seriamente: 1) Visualize-se recebendo o que você quer. Veja a sua nova casa. Veja-se a falar com a pessoa interessada por um projeto e como eles se tornam uma parte do seu negócio. Você dá andamento ao que você se concentra em fazer. Concentre-se. Tenha foco. 2) Altere a frequência da sua

voz interior, de negativo para positivo. Quando você ouvir a si mesmo dizendo que você não é bom o suficiente para atingir um resultado, com certeza vai falhar. 3) Expresse suas ideias a um amigo de confiança, mentor ou coach. Dê preferência a um grupo de mastermind, networking ou grupo de foco. Idealmente, você terá um número significativo de pessoas que passaram pelo estágio em que você se encontra e lhe darão apoio. 4) Tenha uma biblioteca de desenvolvimento pessoal. Não somente preenchida na forma de recursos, mas também histórias de pessoas que conquistaram seus medos (Paulo Coelho, Hillary Clinton, Oprah Winfrey... – poderia ir longe ao listar as muitas fontes que disponho, mas se você me enviar um e-mail, posso recomendar algo baseado em sua própria descrição de suas circunstâncias). 5) Desafie a paralisia do medo.

Vá em frente e faça. Às vezes, apenas dar o menor dos passos já irá ajudá-lo o suficiente para que o medo não lhe impeça de progredir. Ao começar algo, cria-se uma dinâmica de contribuição e compartilhamento. Visualizar o resultado é muito importante, mas fazer da ação o real objetivo é essencial. Há uma sutil diferença entre o empreendedor que somente sonha com o quer como resultado apesar de não ter seu controle direto do resultado e o empreendedor que visualiza o resultado e toma as atitudes necessárias para disparar o fluxo ações que desencadeia uma rede de ações consistentes e persistentes, o que o levará a alcançar seu objetivo. Nunca desista! Sinto-me até mesmo enfurecida em usar essa palavra. Quando desiste, você deixa de ser um empreendedor – caso contrário, você não falha – está se movendo para frente!


FEVEREIRO/2016

E

ngenheira e consultora financeira, Viviane Ferreira enfrentou duas vezes o mais temido dos cânceres: o de mama. Sua história de superação é contada em um livro recém-lançado, cuja narrativa demonstra como fatos que marcaram a infância podem se transformar em problemas na vida adulta. Depois de sofrer a perda do irmão mais novo num acidente de carro, Viviane acreditava ter superado a dor e a tristeza, esforçando-se para não ter raiva, mas quando teve o primeiro diagnóstico e iniciou a terapia, viu que trazia consigo seus maiores medos. Por meio de um processo de autoconhecimento e ressignificação dos valores e sentimentos, ela conseguiu alcançar o perdão e o amor e compartilhar isso com outras pessoas. Há nove anos a engenharia química com especialização em finanças decidiu largar tudo e apostar em uma carreira de consultoria de investimentos financeiros. Viviane tem uma filha de 10 anos e participa como voluntária em uma ONG voltada para a qualidade de vida do paciente com câncer. Nesta entrevista ao JORNALZEN, ela conta que terapias alternativas colaboraram em seu processo de recuperação. Quais foram suas reações quando recebeu o primeiro diagnóstico e iniciou a terapia contra o câncer? A primeira reação foi não acreditar no que estava acontecendo comigo, uma negação da realidade. Veio também muito medo de passar pelas mesmas coisas que minha mãe e ao mesmo tempo a determinação e a vontade de acreditar que comigo seria diferente. Minha mãe teve câncer de mama aos 58 anos e dois anos depois teve metástase no cérebro. Na ocasião do meu primeiro diagnóstico, em 2008, ela estava com sérias consequências da radioterapia cerebral a que fora submetida. Como conseguiu direcionar seus valores e sentimentos a partir dessa experiência? Percebi o quanto estava dissociada da minha essência e dos meus valores e que não estava feliz em minha vida. Acordei para reconhecer meus sentimentos profundos e aprender a me amar. Esse processo me levou a me divorciar assim que terminei o tratamento de quimioterapia e radioterapia. Levou-me a cuidar melhor de minha filha, que tinha 3 anos na época, e a encontrar o grande amor de minha vida. Quão profunda e reveladora pode ser a relação com doenças e traumas?

JORNALZEN

3

ZENTREVISTA|Viviane Ferreira

FAXINA EMOCIONAL Ao enfrentar por duas vezes o câncer, consultora financeira narra em livro como a relação com doenças e traumas é profunda e reveladora Divulgação

em minha vida. Mas em 2006, dezoito anos depois, fiz uma terapia específica para tratar traumas e percebi o quanto aquele trauma ainda influenciava minha vida diariamente, sem eu ter consciência. Quando tive o segundo diagnóstico, em 2013, percebi a profunda relação que existia entre a minha doença, a morte do meu pai e a da minha mãe com o acidente. Foi impressionante perceber que 25 anos depois, de certa forma, eu ainda vivia impactos relacionados àquele trauma. Foi essa revelação que me levou a escrever os textos que deram origem ao meu livro. Como as terapias alternativas ajudaram no processo de recuperação? Quando tive o câncer de mama pela segunda vez, utilizei terapias alternativas durante a quimioterapia. A radiestesia e o reiki me ajudaram a passar pelo tratamento de maneira mais leve. Passei bem menos mal do que na primeira vez, quando não usei terapias alternativas. Após o termino da quimioterapia, procurei diversos tratamentos alternativos para a cura do câncer que também contribuíram para cuidar melhor de mim diariamente. Os tratamentos que usei foram: método Kovacsik, ThetaHealing, tratamento espiritual com João de Deus, terapia Z e conscientização através da leitura de histórias de pessoas que se curaram, como a de Anita Moorjani. Escrevi um artigo em que detalho todas essas terapias, disponível no meu site [www.vivianeferreira.com].

“Ser sincero com seus sentimentos e suas vontades é fundamental para ter uma vida equilibrada e saudável” Os traumas que vivemos nos trazem sentimentos como a tristeza, a raiva, a frustração, a solidão, o luto, entre outros. É natural termos esses sentimentos, mas precisamos cuidar deles e agir para nos restabelecermos e recuperar nossa saúde emocional. Quando não tratamos os sentimentos adequadamente, eles se armazenam em nosso corpo como emoções tóxicas, que causam a baixa da imunidade, nódulos e que posteriormente podem se transformar

em tumores e outras doenças. Como fatos que marcaram nossa vida na infância podem se transformar em um problema na vida adulta? Fatos que vivemos na infância podem impactar nossa vida muitos anos depois. Em 1988, eu e minha família tivemos um acidente de carro em que meu irmão de 10 anos faleceu. Foi um grande trauma para minha família. Eu tinha 15 anos, alguns anos depois fiz terapia e achei que havia superado este trauma

Como avalia a proposta de nosso jornal, voltada ao bem-estar e autoconhecimento? O conteúdo e a ideia do JORNALZEN são muito importantes. As pessoas buscam cada vez mais autoconhecimento, equilíbrio, viver de acordo com seu propósito de vida, e o jornal nos mostra os diversos caminhos possíveis que cada um pode encontrar para o autodesenvolvimento. O conteúdo do jornal faz a ligação entre a necessidade das pessoas e a oferta de profissionais. Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? É importante cuidar de nossos sentimentos diariamente. Da mesma maneira que fazemos nossa limpeza física, como tomar banho e escovar dentes, devemos fazer nossa limpeza emocional e vivificar diariamente, e assim não permitir que sentimentos tóxicos se acumulem em nosso corpo. Ser sincero com seus sentimentos e suas vontades é fundamental para ter uma vida equilibrada e saudável.


4

JORNALZEN

As enfermidades em nossa vida cessos da nutrição e o esNão podemos dizer que tímulo nervoso, determitodas enfermidades, a rinando variados sintomas, gor, estejam vinculadas aos desde a mais leve irritação processos relacionados à da membrana gástrica até vida mental, mas podemos a loucura de abordagem garantir que as atitudes complexa. mentais guardam positiva O pensamento sominfluenciação sobre todas brio adoece o corpo e as doenças. Há moléstias que têm, JOÃO BATISTA SCALFI agrava os males do enfersem dúvida, função pre- Vice-presidente do Educandário mo. Se não é aconselháponderante nos serviços Deus e a Natureza (Indaiatuba) vel envenenar o aparelho fisiológico pela ingestão de purificação do espírito, surgindo com a criatura no ber- de substâncias que levam ao vício, ço ou seguindo-a, por anos a fio, na é imperioso evitar os desregramentos da alma que lhe impõem desedireção do túmulo. As inibições congenitas, as muti- quilíbrios aviltantes, quais sejam lações imprevistas e as enfermidades aqueles hauridos nas decepções e dificilmente curáveis catalogam-se, in- nos dissabores que adotamos por discutivelmente, na tabela das prova- flagelo constante do campo íntimo. Cultivar melindres e desgostos, irções necessárias, contudo, os sintomas patológicos na experiência comum, ritação e mágoa é o mesmo que seem maioria esmagadora, decorrem mear espinheiros magnéticos e adudos reflexos infelizes da mente sobre o bá-los no solo emotivo de nossa exiscorpo físico, operando desajustes nos tência, é intoxicar, por conta própria a estrutura corpórea, estragando os elementos que o compõem. Toda emoção violenta sobre o centros de força de nossa vida e concorpo é semelhante a martelada for- sequentemente, sangue e nervos, te sobre a engrenagem de uma ma- glândulas e vísceras do corpo que quina sensível, e toda aflição é como a Divina Providência nos concedeu, ferrugem destruidora, prejudicando com vistas ao desenvolvimento de nossas faculdades para a Vida Eterna. -lhe o funcionamento. Guardemos, assim, compreensão A medicina de hoje sabe que toda tensão mental acarreta distúrbios de e paciência, bondade infatigável e importância no corpo físico. Esta- tolerância construtiva em todos os belecido o conflito espiritual, qua- passos da nossa caminhada, porse sempre as glândulas salivares pa- que somente ao preço de nossa inralisam as suas secreções, e o estô- cessante renovação mental para o mago, entrando em espasmo, nega bem, com o apoio do estudo nobre -se à produção de ácido clorídrico, e do serviço constante, é que supeprovocando perturbações digestivas raremos o domínio da enfermidade, a se expressarem na chamada colite aproveitando os dons divinos e evimucosa. Atingido esse fenômeno pri- tando os reflexos letais que se fazem mário que, muitas vezes, abre a por- acompanhar do suicídio indireto. ta a temíveis calamidades orgânicas, Fonte: Pensamento e Vida (Emmanuel/Chico Xavier os desajustamentos gastrintestinais repetidos acabam arruinando os pro- scalfi@terra.com.br

FEVEREIRO/2016

UNIVERSO DIGITAL

Amanda La Monica

Perfil x página Agora que você já está por dentro das principais mídias sociais, vamos detalhar a principal: o Facebook. Perfil é a parte “pessoal” do Facebook, onde você pode ter amigos, curtir e compartilhar publicações, interagir com grupos de discussão, etc. Indicado para perfis de pessoas “reais”. Página é a parte “profissional”, onde você terá curtidas e, não, amigos. Conseguirá também curtir e compartilhar publicações e criar uma recepção mais publicitária para quem acessá-lo. Indicada para: a) negócios locais ou local; b) empresa, organização ou instituição; c) marca ou produto; d) artista, banda ou figura pública; e) entretenimento; f) causa ou comu-

nidade, seguindo as categorias do próprio Facebook. Fique atento: um post profissional no perfil pessoal é legal; um post pessoal na página profissional é fatal. Dica valiosa: é interessante você criar um perfil em nome do proprietário da empresa pa ra utilizar em seu marketing digital, além da página. A interação com os grupos de discussão, algo que não será possível apenas com a página profissional, é essencial para atingir o cliente que procura. Pense como o Facebook e você o entenderá: para que rechear um perfil pessoal de notícias sobre uma empresa? Vamos separar os conteúdos – assim, você fica organizado e o seu público, satisfeito.

Padre Haroldo Bênçãos A Sagrada Escritura atesta que todo membro do Povo de Deus é chamado a ser uma bênção e a abençoar: “bendizei, pois a isto fostes chamados” (1Pd 3, 9; ver Lc 6, 28; Rm 12, 14). Por isso, ao lado de bênçãos que a Igreja estabeleceu para uso do Santo Padre – por exemplo, a bênção Urbi et Orbi (para a cidade de Roma e para o mundo) – bispos, presbíteros, diáconos e os leigos cristãos também podem conferir numerosas bênçãos (a bênção das refeições, a bênção dos filhos pelos pais, etc.). Bênçãos são sinais sagrados, que significam efeitos principalmente espirituais, obtidos pela oração. São fruto do sacerdócio comum de todos os fiéis batizados, membros do Corpo de Cristo, Povo de Sacerdotes. As bênçãos dependem da fé com que são dados e recebidos, enquanto os sacramentos dependem só da Palavra do Se-

nhor revelada pelo Espírito Santo. No costume aprovado pela comunidade, geralmente compreendem uma oração, a imposição das mãos, com ou sem sinal da cruz, ou a aspersão da água benta. O senso religioso do povo cristão encontrou em todas as épocas formas de piedade que o ajudam a viver a fé. Por exemplo: novenas, peregrinações, promessas, via-sacra, certas danças religiosas, procissões, veneração das relíquias dos santos, visitas aos lugares santificados pela presença de Jesus, Nossa Senhora e seus santos, etc. A comunidade ama, respeita e recomenda iniciativas assim, desde que estejam de acordo com o Evangelho e conforme a oração do Povo de Deus. Haroldo Rahm é presidente emérito do Instituto Padre Haroldo hrahmsj@yahoo.com


JORNALZEN

FEVEREIRO/2016

Dr. Orestes Mazzariol Você sabe o que é noctúria? Acordar à noite mais de uma vez para urinar, seguido por dormir novamente, é um dos sintomas de LUTS (do inglês Lower Urinary Tract Symptoms) que mais incomodam as pessoas. Não inclui acordar à noite por outras razões (barulho, por exemplo) e urinar por conveniência, que se chama “frequência noturna”, definição sujeita ainda a debate. O fato de acordar à noite para urinar leva à deterioração da qualidade de vida, com sonolência diurna, fadiga, diminuição da atividade intelectual e física. Em idosos, aumenta a probabilidade de queda noturna. A frequência de noctúria tem sido relatada em 56% a 74% dos homens de 50 anos ou mais, com três ou mais micções noturnas em 4% a 14% e cinco ou mais micções em 1%, Na maioria estudos a prevalência de noctúria claramente

aumenta com a idade, sendo, devido a isso, muitas vezes considerada normal com a idade. Alterações fisiológicas podem alterar o padrão de excreção urinária, aumentando o volume noturno urinário e a frequência de micções, bem como provocando alterações no trato urinário baixo. Em idosos, está associada a queda, traumas e fraturas, fadiga e depressão; em mulheres, mais relacionada com a capacidade vesical; e em homens, com a produção noturna de urina, assunto ainda sob debate. A prevalência total de um ou mais episódios é de 54% e de 74% nos dez anos seguintes, sendo que a evolução de leve para moderada e severa aumenta com a idade. Procure um urologista para o diagnóstico preciso e tratamento adequado.

5

Respirar e oxigenar Cresce, assustadoramente, o número de profissionais que chegam em casa “mortos”, após uma jornada de trabalho. Um dia tenso drena completamente as energias. Um fenômeno produzido pelo estresse é o encurtamento da respiração. A quantidade de oxigênio absorvida cai drasticamente com a respiração curta e torácica. Os baixos índices de oxigenação reforçam o estresse, cansam a musculatura, dificultam a concentração (20% de todo o oxigênio absorvido é consumido pelo cérebro) e drenam energia. Ao final do dia, o indivíduo está indisposto para conviver com a família, passear, divertir-se. A qualidade de vida vai para o ralo. A habilidade de manter a respiração ampla e profunda, mesmo em momentos de pico, permite man-

ter o nível de oxigênio satisfatório para enfrentar as dificuldades sem perda de vitaliCLÉLIO BERTI dade. Contudo, Diretor da não há magia. Uni-Yôga Flamboyant Querer respirar, apenas, quando se necessita, não funcionará. Para uma boa performance respiratória é fundamental conhecer as técnicas e treiná-las o suficiente para dominá-las. A disciplina e a vontade de vencer são ferramentas indispensáveis. Como recompensa: alta produtividade com manutenção da vitalidade necessária para fazer as coisas gostosas da vida. RESPIRE.


JORNALZEN

6

A Olimpíada chegou! Muitos gostariam de estar participando desta Olimpíada... É o ápice para qualquer atleta, e todos que estarão disputando estarão dando o melhor de si. Mas você já pensou que tudo começou com um sonho de cada um dos atletas? Que não foi neste ano que decidiram o que queriam, que tudo começou há longo tempo atrás? Tiveram que treinar exaustivamente até atingir o grau em que se encontram hoje, planejar, seguir regras nem sempre fáceis. E mesmo para os que chegaram na Olimpíada, ainda não será o suficiente, a menos que vençam seus “adversários”. A maioria vai competir consigo mesmo, buscando bater o seu próprio recorde. Em nossas vidas, fazemos o mesmo. Vivemos competindo com os outros, alimentando nosso “ego”. Isso é o que nos foi ensinado: que temos de ser o “melhor”, o “primeiro”. É o que temos como verdade em nosso subconsciente.

Quandovamos nos “respeitar” e aceitar que fazemos o melhor que podemos em cada situação? Que já somos ARMANDO ZAPAROLLI Bioterapeuta vencedores por estarmos vivendo a experiência, não importando se houve um resultado melhor? Você sempre deu o melhor de si mesmo em cada momento. Faça sempre o melhor para você e para os outros, para o seu bem -estar e sua evolução sem comparar com outros, senão estará entrando no julgamento, achando que é melhor ou pior. Você é dono de seu destino! Na Bioterapia Holística Morada da Luz existem técnicas e tratamentos para ajudar você recuperar a autoestima e o prazer de viver novamente.

FEVEREIRO/2016

Aruângua O sapateiro e o rádio (2) A cada chiado do rádio, Werner apertava os dedos contra a circunferência que pescava a transmissão. A cada zumbido, os amigos-anfitriões encolhiam-se com receio. E se os vizinhos... Ou se algum peão passasse na rua... Se alguém ouvisse alguma coisa ... Eles seriam denunciados e presos imediatamente! – Sim, vocês serão... xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxzzzzzzzzzz zzzuuuuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiiiii iivvvvvvvvvvvvvvvvvvzzzzzzz zzzziiiiiiiiiiiiiiiiiiuuuuuuuuuuxxxxxxxxxxxxxxxxiiiiii! E assim se passaram minutos, largos minutos, hora e tal. Werner já não escondia seu desapontamento. Os amigos olhavam o rádio, hipnotizados ou a ele, boquiabertos, mas os ouvidos perscrutavam a calçada, a ruela que dava para a janela do vizinho e rezavam mentalmente que aquilo acabasse logo. Werner esperara ao menos ouvir uma frase completa do discurso do “Führer”, mas não conseguira, perdera o sinal totalmente. Então, com a derrota estampada no rosto e a contrariedade paralisando a mão, sofrida, atingida por uma terrível câimbra, atalhou: – É o mau tempo! Preciso ir embora!

Do modo que entrou, assim saiu. Sisudo, apressado, compenetrado. Ficaram olhando na frente da porta, ele ir embora... A rua, a vizinhança, para saber se tinham pecado... Nada. Nem vivalma. Tudo sossegado. Morto mesmo. Só a chuva pingava e pingava. E a noite pesada arfava. E ele? Lá ia o Werner. Quase já não se via, sob a chuva miúda, mas persistente. Capa preta vestida, cobertura preta sobre o “rádio portátil” que levava sobre o ombro esquerdo. Desta vez sua estatura curvava-se ainda mais sob o peso da tecnologia. Aquele “rádio” pesava-lhe como chumbo. Pensava o que os amigos estariam comentando sobre ele. Afinal, ele não passava de um reles sapateiro, por isso tinha essas ideias. A chuva apertava mais sobre São Paulo. Werner também chovia. A chuva já caía a cântaros. Não havia ninguém nas ruas, ninguém via Werner. Nem um motor ronronava ao longe. Só o ruído da chuva caindo no chão e nas poças. Ele também não queria ver, nem vivos e nem almas penadas. Bastava a dele mesmo. Queria chegar logo a casa e esquecer, para sempre, aquela noite de brumas e chiados.


JORNALZEN

FEVEREIRO/2016

Bom trânsito para nós! Marks Pintija

Prazer, sou o fulano de tran Você já ouviu falar de mim. Mas hoje vou explicar sobre o que eu faço ou posso lhe servir. Tenho muitos parentes e todos se chamam tran. Até acredito que você esteja me confundindo com um deles. Lembra quando foi fazer a sua habilitação para dirigir? Então, você veio ao Detran. Ah não, digo, naquela época eu era a Ciretran, mas agora em todas as cidades só me chamam de Detran mesmo. E daquela vez que foi arrumar um problema na via? Você veio ao Demutran, que em muitas cidades, boas ou ruins, o prefeito me desmembra em tantas secretarias que aí o cidadão nem sabe que existo. Mas estou ali, para cuidar de você, educar, orientar e, principalmente, fiscalizar os maus motoristas. Contran você já ouviu né? Aquele, que à noite, no jornal da TV, o apresentador olha para você e diz: “o extintor de incêndio

agora é um enfeite!” Esse mesmo, o principal órgão das normas do país. E o meu primo, o Denatran, que faz o papel de mandão, pega tudo que o Contran pensa e escreve, vai na mídia e manda todo mundo se virar. Às vezes até dá um prazo, mas em outras diz que já está valendo em data para trás. É um confuso, né? E não vamos esquecer do Cetran (que dá pareceres no Estado), PM (que fiscaliza veículos e documentos), DER (nas rodovias estaduais), PMR (fiscaliza rodovias) e por fim, da Jari (a dos recursos), que para muitos é o protetor dos injustiçados, pois quando nem cometeu-se infração de trânsito, mas por falha humana ou de sistema, chega aquela cartinha dizendo: “você fez algo errado no trânsito, e uma bela multa já está para chegar!” Marks Pintija é especialista e educador em trânsito

7

As dores e a acupuntura Quando você tiver dor de coluna, nos pés, nos ombros, nos braços, o que você pensa em primeiro? Remédio para as dores: paracetamol, aspirina ou outro tipo de anti-inflamatório. Todo esse tipo de remédio pode atacar, primeiro, seu estômago. Depois, o uso prolongado pode atacar seu fígado e seus rins. O fato é que sua dor é local, e qualquer remédio age pelo corpo todo. Outra: o remédio que impede você de sentir dor maquia as causas reais. Você não sente mais a dor, mas escondeu a doença. Porque a dor é a mensagem do corpo. A primeira resposta correta para qualquer tipo de dor é a acupuntura. Ela é um agente anti-inflamatório local, agindo apenas nos músculos ou articulações inflamadas. Você pode fazer quantas sessões se for preciso, sem nenhum tipo de efeito colateral. As pesquisas mais recentes mostram que a acupuntura é mais eficiente con-

tra as dores que qualquer tipo de medicamento. Você só precisa saber quem são os profissionais qualificados! PETER LIU Dor de coluAcupunturista na, por exemplo. Você arrumou a casa, limpou o banheiro, etc. No dia seguinte, não conseguiu nem levantar. Com a acupuntura, o alívio é imediato! A acupuntura também trata hérnias de disco, desinflamando os nervos. Esporão, fibromialgia, dor nos ombros (com 70 a 90% de alívio já na primeira sessão), tendinite, lesões por movimentos repetitivos (LER), dores de cabeça e enxaqueca são outras indicações. A acupuntura é muito mais abrangente do que cuidar a dor – ela cuida do corpo inteiro.


JORNALZEN

8

Macarrão instantâneo Adoro ver uma juventude que brota cheia de ideias novas e vontade de fazer a diferença. Tenho acompanhado em blogs e outras mídias jovens que me surpreendem pela inteligência e visão objetiva de um mundo melhor. Por outro lado, existe ainda uma grande parcela de pessoas que adormecem na escuridão. Diz o ditado que nos transformamos naquilo que comemos. É incrível como isso se torna cada vez mais verdade. Vivemos a era do macarrão instantâneo, pronto em três minutos. A maioria das pessoas está cada vez mais imediatista, como exemplos: casamentos que duram menos que o tempo da preparação da festa; amizades que não sobrevivem a 140 caracteres; promessas milagrosas que são oferecidas a todo o momento e uma série de outras facilidades que encontramos em todas as mídias diariamente. É um desafio viver em satya (verdade). Falar a verdade pode trazer alguns obstáculos. Uma aluna experimental me pergunta se ela iria emagrecer praticando yoga (poderia responder o que ela gostaria de ouvir), porém quis explicar para ela que o yoga é excelente colaborador num processo de emagrecimento, mas que existe a necessidade de uma série de mudanças e um acompanhamento médico e nutricional. Será que ela ouviu o que expliquei? Outra pessoa quer saber quanto tempo vai levar para conseguir meditar. Respondo que o primeiro passo é abandonar a expectativa e a ansiedade por resultados rápidos – esse é o principal obstáculo para a meditação. Fui o mais sincero possível. Tentei esclarecer. Mas percebi que ela queria outra resposta. Num outro caso, a pessoa me perguntou se seria possível fazer um curso que tivesse todo o conteúdo milenar do yoga condensado e, de preferência, que fosse intensivo. Mais uma vez fui sincero, respondi que teria

que fazer uma formação básica e clássica, depois algumas especializações, pois é um material muito exten- MÁRCIO ASSUMPÇÃO so, que precisa Professor de ioga e diretor ser estudado e do Instituto de Yogaterapia digerido. Ainda dei um exemplo de que se uma pessoa faz um curso na faculdade, ela não sai especializada em todas as áreas. Assim são todas as profissões: exigem especializações. Ledo engano! Esqueci que estamos na era do macarrão instantâneo. É fácil responder o que a pessoa quer ouvir. Prefiro viver em satya do que fazer papel de ilusionista. Faz um tempo que passei dos 40 anos e ainda algumas coisas me surpreendem, como o imediatismo da mente humana que cria o caos. Recentemente li uma pesquisa de um dos maiores institutos do País que revelou que grande parte dos brasileiros não sabe que o dinheiro do governo vem dos impostos. Parece surreal, mas infelizmente uma boa parcela da população acha que o governo fabrica dinheiro e que o governante bom é aquele que distribui dinheiro para as pessoas. É a era do grátis. Bom é aquilo que é de graça. Mas quem está pagando? Não existe nada no mundo material de graça – alguém está pagando a conta. O que muitas pessoas ignoram é que o barato sai caro e mais tarde a conta chegará. O resultado do imediatismo é a miséria, seja material ou intelectual. Em curto prazo, o macarrão instantâneo até pode enganar a fome, mas com o tempo ela voltará, pois não houve uma boa nutrição. Desde cedo é bom entender que a ansiedade é a porta da ilusão e do autoengano. Vamos saborear a vida com calma e sabedoria? Você pode e merece!

FEVEREIRO/2016


JORNALZEN

FEVEREIRO/2016

Marcelo Sguassábia Pelo sim, pelo não – Quais são seus pecados, meu filho? – Ecumenismo descontrolado, padre. Estou aqui para confessá-lo e obter sua absolvição. Qual é a minha penitência? – Mas o ecumenismo em si não é um pecado. Em tempos de intolerância religiosa, é até uma virtude. O próprio papa participa de rituais ecumênicos. – Tem mesa branca no Centro daqui a 15 minutos, padre, pelo amor dos santos todos! Vê se adianta o expediente, quantos Pai Nosso e quantas Ave Maria? – Calma, desse jeito a sua pressa acaba contando como pecado também... Vejo que você está aflito e ansioso. Me explica melhor essa sua compulsão ecumênica. – Há controvérsias, mas pelo sim, pelo não, vamos assumir que Deus está em toda parte e que são muitos os caminhos que levam a Ele. Quero me garantir e percorrer pelo menos os principais, entende? Vai que Deus ao invés de Deus seja Alá, ou que ao invés de Alá seja Oxalá, entende? Como é que eu posso ter certeza de qual Deus que tá valendo? – Essa sua fé indefinida não o levará a lugar nenhum. – Veja bem, o inferno ou o umbral não estão exatamente nos meus planos. E também não me interessa reencarnar como tratador de ornitorrinco em zoológico da Tasmânia nem como refém do Estado Islâmico. Quero fazer a lição de casa direitinho agora pra ficar tranquilo e com a minha vaga assegurada na glória celeste. – Benza Deus, que neura... – Mas aí começam os conflitos, padre. Por exemplo, em casa eu tenho um oratoriozinho colonial com a imagem de Nossa Senhora da Conceição. Praticando essa devoção eu mato

dois coelhos – sei que matar é pecado, mas é só força de expressão: ganho ponto positivo no Catolicismo e na Umbanda, pois Nossa Senhora da Conceição e Iemanjá são a mesma pessoa. Só que os protestantes e os evangélicos não aceitam imagem de santo. E se a gente analisar só o protestantismo, vai ver que ele se segmenta em diversas vertentes, cada uma delas com características próprias. Aí fica difícil. E o bicho pega também no caso do hinduísmo, que por ser politeísta conflita com o Deus único dos cristãos. Como se não bastasse temos ainda o budismo, postulando que Deus é na verdade tudo, e não um ser definido e específico. Não é mole não, padreco. Eu tento de todo jeito ficar com um pé em cada canoa, mas as canoas se multiplicam mais do que casais de bichos na arca de Noé. Bom, em resumo: esse mundo está por pouco e eu quero mais é me safar. – Você defende o ecumenismo não para fortalecer a fratenidade entre os homens, mas para salvar sua pele. Você o instrumentaliza e o torna manipulador. O Todo Poderoso sabe exatamente de suas intenções ao vê-lo em cima do muro. – Falando assim o padre me faz lembrar do muro das lamentações. Estive lá no ano passado e é bom que volte outras vezes, por precaução. Indo apenas uma vez, posso dar a entender que fui só pra cumprir tabela. A fé exige entrega, perseverança e sacrifício, ainda que o dólar tenha rompido a barreira dos 4 reais e o meu programa de milhagem esteja zerado há muito tempo. Quantos Pai Nosso e quantas Ave Maria, padre? Quer um Salve Rainha também? Marcelo Sguassábia é redator publicitário

9


10

JORNALZEN

Viva Bem elianamattos@uol.com.br

Bate-papo

D

izem que as melhores viagens são aquelas inesperadas, que a gente faz meio na loucura, sem nenhum planejamento. Minhas férias coletivas se estenderam este ano até a primeira semana de janeiro e resolvi que faria uma viagem. Quatro eram as condições: que o voo saísse de Viracopos; que a distância fosse curta (no máximo uma hora e meia); que fosse barata; e que tivesse praia (fazia seis anos que não ia à praia). De tanto fuçar na internet, acabei encontrando exatamente o que queria e passei uma semana em Vitória. Sozinha. O que me fez descansar muito, ler dois livros, fazer a programação que melhor me convinha e, principalmente, me fez passar uma semana despojada das minhas “vaidades”. Explico. Sou uma pessoa que não saio à rua de cara lavada. O ritual é sempre o mesmo: filtro solar, um blush, contorno embaixo dos olhos e um batom. Batom, aliás, quase durmo com ele, porque acho inadmissível uma mulher não usá-lo. Ele dá o toque final. Lá em Vitória, depois da praia, me dei a luxos de andar só com filtro solar e um leve batom. O cabelo, outra coisa com a qual sou bem cuidadosa, ficou ao sabor do vento. E confesso que adorei esse despojamento durante as curtas férias. A falta do compromisso com a vaidade me fez muito bem. Tenho amigas que estão deixando que o cabelo fique grisalho. Sou contra, porque homem grisalho é um charme. Nós, mulheres, somos “velhas”. Mas nessa semana “natureba” cheguei a pensar como deve ser bom não ter de retocar a raiz nunca mais! – calma! ainda falta muito para eu chegar nesse ponto! E como eu adoro estar num lugar sem precisar cumprir nenhum compromisso social, fazer o que quero e do jeito que for melhor para mim... Egoísmo? Talvez... Mas seja o nome que for, é muito bom tudo isso! Tome coragem e experimente. Grande beijo!

Cálculos renais x chá de quebra-pedra Será que funciona mesmo? Pesquisas da Universidade Federal de São Paulo chegaram à conclusão de que o chá não racha pedras grandes ao meio, mas impede a agregação dos cristais, evitando a formação de cálculos maiores, que são os mais dolorosos. Infusão: duas colheres (sopa) da erva em um litro de água. Deixe descansar por dez minutos, coe e beba até três xícaras por dia.

FEVEREIRO/2016

FORNO & FOGÃO Especial: Festival de Massas

Gravatinha ao alho e óleo e brócolis Ingredientes: • ½ pacote de macarrão tipo gravatinha cozido al dente • 3 dentes de alho amassados • 3 colheres (sopa) de azeite • 4 xícaras de pequenos buquês de brócolis • Sal a gosto

Modo de fazer: Enquanto o macarrão cozinha, numa panela à parte, refogue o alho no azeite. Acrescente os buquês de brócolis e refogue rapidamente. Junte o macarrão já escorrido e acerte o sal. Sirva imediatamente.

Espaguete ao limão, parmesão e hortelã Ingredientes: • 500 g de espaguete • Suco de ½ limão • Raspas de 1 limão • 100 ml de creme de leite • 25 ml de azeite • 100 g de queijo parmesão ralado • Sal e pimenta-do-reino a gosto • 3 colheres (sopa) de hortelã picada • 10 azeitonas pretas picadas Modo de fazer: Numa travessa grande aonde vai servir o macarrão, junte o suco de

limão, o azeite, a azeitona e o parmesão. Com um garfo misture muito bem até o parmesão dissolver e formar uma pasta cremosa. Em seguida acrescente o creme de leite e misture. Tempere com sal e pimenta. Escorra o macarrão depois de cozido e transfira imediatamente para a travessa com o molho e misture bem, cobrindo todos os fios. Junte a hortelã picada e as raspas de limão e sirva imediatamente.

Penne com bacalhau Ingredientes: • ½ pacote de macarrão tipo penne • 2 xícaras (chá) de bacalhau cozido e desfiado • 1 cebola em tiras finas • 1 pimentão verde em tiras • ½ xícara (chá) de azeitonas pretas picadas • 3 colheres (sopa) de azeite • Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de fazer: Aqueça o azeite e doure a cebola. Acrescente os pimentões e o bacalhau e refogue bem. Junte a azeitona, experimente o sal e acrescente a pimenta. Depois de cozido o macarrão, coloque-o numa travessa e por cima o bacalhau. Envolva delicadamente e sirva imediatamente.

Gelatina x pele sem flacidez A gelatina pode até ajudar a melhorar a qualidade da pele em geral, mas não faz milagre. Mesmo que você faça uma dieta à base de gelatina pura, se não se exercitar, não tiver uma alimentação adequada, sofrer o efeito sanfona (engorda/emagrece), estará sujeita à flacidez. Sem contar a herança genética. Muitas pessoas já nascem com predisposição para ter músculos pouco firmes. Nesse caso, os cuidados deverão ser redobrados.


JORNALZEN

FEVEREIRO/2016

CULTURAZEN

11

INDICADOR TERAPÊUTICO

Silvia Lá Mon

AGENDAZEN

Participantes de chá da tarde e aula de mat pilates, evento promovido em parceria pela Leve Alimentação e pela Yogini para a imprensa e convidados em Campinas

Si

lv

ia

M

on

Alunos e professores da academia 40+ (unidade Cambuí) em brincadeira de carnaval

CAMPINAS

INDAIATUBA

ESPIRITISMO de 18/2 a 15/12 (às quintas-feiras), das 20h às 21h30 – curso de iniciação, no Centro Espírita Vandir Dias (Rua Padre Manoel Bernardes, 1.200 – Parque Taquaral). Aberto ao público. Inscrições e mais informações: (19) 3241-9777 ou (19) 97143-0187, com Carol

FÍSICA QUÂNTICA 25/2, às 18h30 – palestra “Homeostase Quântica Informacional”, com Sérgio Ceccato Filho, no Ciesp (Rua Francisco Lanzi Tancler, 361 – Distrito Industrial). Levar 1 litro de leite longa vida. Inscrições e mais informações: (19) 3935-8981

PSICOLOGIA CORPORAL 26/2, às 20h – palestra com Dimas Callegari, no espaço Sabiah [Rua Paulo Lanza, 91 – Jardim Santa Genebra 2 (Barão Geraldo)]. Aberto ao público. Mais informações: (19) 98875-2012 ou terapeuta pedromotta@hotmail.com

SÃO PAULO MEDITAÇÃO todas as quartas-feiras (15h30, 19h30 e 20h30) e sextas (10h30) – prática na sede da Fundação Lama Gangchen (Rua Apinagés, 1.861 – Sumaré). Aberto ao público. Mais informações: (11) 3032-5573

MANDALA PARA PINTAR

- SONIA SCALABRIN -

Recebemos colaborações para este espaço. Envie sua mandala para contato@jornalzen.com.br


12

JORNALZEN

FEVEREIRO/2016

Profile for Webmaster JornalZen

Jornalzen Fevereiro 2016  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há onze anos no mercado, circula e...

Jornalzen Fevereiro 2016  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há onze anos no mercado, circula e...