a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

JORNALZEN ANO 14

AUTOCONHECIMENTO

DEZEMBRO/2018

BEM-ESTAR

Nº 166

www.jornalzen.com.br

CIDADANIA

CULTURA

SAÚDE DANI ALMEIDA

DIVULGAÇÃO

ZENTREVISTA

Rita Ruinho Pág. 3

FÉ E ARTE Obra da exposição Fé que se Transforma em Arte, que vai até 6 de janeiro no Central Plaza Shopping (Vila Prudente), em São Paulo. Com entrada gratuita, a mostra promove 20 artistas plásticos inspirados singular do momento natalino.

PRÓXIMA EDIÇÃO: JANEIRO/2019

ESPECIAL – JORNALZEN, 14 ANOS RESERVE SEU ESPAÇO: (19) 99109-4566 DIVULGAÇÃO/COLINAS SHOPPING

ARTIGOS

A literatura e a contação de histórias Pág. 2

A arte de encontrar o consenso através do dissenso Pág. 6

PANORAMA Pág. 6

Viva Bem Pág. 10

CULTURAZEN Pág. 12 DIVULGAÇÃO/FREE AGING

PAPAI NOEL INCLUSIVO José Mario Graciano (foto) contabiliza 13 anos no papel de Papai Noel em um shopping de São José dos Campos. Há três anos, decidiu aprender a linguagem brasileira de sinais (Libras) para atender crianças surdas. “Vejo isso como uma missão e pretendo continuar por muito tempo”, conta.

SEMANA DA LONGEVIDADE A Longev Week – Semana da Promoção da Saúde e da Prevenção de Doenças para a Longevidade – vai até 14 de dezembro, no teatro da Faculdade de Medicina da USP. O evento terá 49 palestras sobre prevenção de doenças e 49 atividades de bem-estar. Inscrições gratuitas: www.longevweek.com.br


JORNALZEN

2

Natal de Luz Natal é a reunião da famípaixão, que é chamado eslia, certo? Proponho que pírito natalino e desperta ampliemos um pouco mais sentimentos de fraternidanossa visão de família e de, caridade, motivação paconsideremos que ela é ra promover e participar composta pela humanide campanhas sociais. Acho dade como um todo. Imimportante que todos posbuídos dessa visão macro, samos alimentar esses sencoloquemos um sentimentimentos. A energia emanato comum: a fraternidade. SILVIA LÁ MON da pelo campo pessoal conO mestre búlgaro Peter Diretora do JORNALZEN tribui para que a energia Danov, criador da paneuplanetária expanda-se, eleritmia, deixa-nos a seguinve-se e ilumine-se. te mensagem: “Está por vir a cultuDeixo a seguir uma oração para ra da fraternidade entre todos os po- o Natal em famíalia e para todos vos. Eles serão como membros de uma os dias: A Grande Invocação. grande família, em que os mais forDo ponto de Luz dentro da Mente tes ajudarão os mais fracos”. Ouvi- de Deus / Que a Luz flua à mente de mos, também, o querido papa Fran- todos / Que a Luz desça sobre a Terra cisco pedir que os mais fortes cui- / Do ponto de Amor dentro do coração dem dos mais fracos. de Deus / Que o Amor flua aos coraNunca antes em nossa história ti- ções de todos / Que o Cristo retorne à vemos tanta desigualdade social. Pre- Terra / Do centro onde é conhecida a cisamos, com urgência, tornarmo- vontade de Deus, que o Propósito guie -nos mais compassivos uns com os as nossas pequenas vontades / O Prooutros. Os povos integram um orga- pósito conhecido e usado pelos mesnismo cósmico, um grande sistema tres / Do centro do que chamamos a onde cada clã e indivíduo tem seu lu- raça humana, que se cumpra o plano gar, sua função e missão. Os dias atu- do Amor e da Luz e que ele possa selar ais presenciam o surgimento dessa a porta onde habita o mal / Que a Luz, ideia na consciência da humanidade. o Amor e o Poder restaurem o Plano O Natal traz a energia da com- sobre a Terra / Que assim seja.

Dezembro/2018

CIÊNCIA DA FELICIDADE Meditar é fonte de alívio e felicidade A meditação diária traz muitas bênçãos para nosso mundo interior e para a nossa felicidade. Traz precioso alívio aos problemas e ansiedades que nos atormentam dia e noite. Pessoas com a mente cheia de preocupações dificilmente têm momentos de paz. Além dos obstáculos do cotidiano, alimentam uma ansiedade inútil a respeito do futuro. A prática da meditação nos liberta desse tumulto interior e traz, mesmo que por um breve intervalo, uma sensação de calma e felicidade. Quanto mais for exercida, mais a meditação nos livrará do que nos perturba, nos permitindo, até com lágrimas nos olhos, alcançar um estado de felicidade mais intenso e profundo. Nada neste mundo físico pode se comparar a essa felicidade divina, quando

As reflexões desta coluna são extraídas dos livro O Milagre da Meditação, do japonês Ryuho Okawa, pensador, líder religioso e escritor na área da espiritualidade

A literatura e a contação de histórias Renata Burgo Fedato

A

arte de contar histórias necessita se permitir entrar na fantasia e no imaginário do mundo infantil e também juvenil. Mas como fazer isso, se somos adultos, professores, enquanto contadores de histórias? O fato de sermos adultos, muitas vezes, nos impossibilita de mergulhar no imaginário das crianças

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

Informar para transformar

e ainda mais dos jovens, já que, em muitas situações precisamos racionalizar as questões do dia a dia. Contudo, para ser professor e contador de histórias são necessárias habilidades que vão além da racionalização. Instigar a criança e o jovem a adentrar no mundo da literatura é compreender que muitas emoções, imagens, sensações serão forma-

DIRETORA SILVIA LÁ MON JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508

nos sentimos mais próximos de Deus. Quando experimentamos a presença da luz divina, somos preenchidos por uma onda de emoção. Aqueles que praticam a meditação sentirão isso algum dia. Existe, ainda, um estado de felicidade mais elevado, experimentado por pessoas que passam por um alto grau de aprimoramento espiritual. É a felicidade mais plena, trazida pela grande iluminação obtida. Há muitos exemplos disso nas religiões budista e cristã. Aqueles que conseguem alcançar esse nível de iluminação descobrem o verdadeiro sentido da existência humana. Embora para a maioria das pessoas esse estado de deleite espiritual seja difícil de ser atingido, é uma meta que todos os que buscam o caminho espiritual devem buscar.

das e experimentadas ao longo do percurso da contação de histórias. É perceber que esse é o objetivo daquele que conta a história, permitir que novas emoções sejam experimentadas pelo ouvinte, e que ele saiba que tudo aquilo que ele está vivenciando, sem sair do lugar, advém da literatura, dos livros. Assim, que ele reconheça que esse universo está disponível a qualquer momento, basta o ato de ler. Ler para uma criança requer algumas práticas essenciais, como: utilizar a expressão corporal, fantasiar-se, utilizar artefatos que venham em auxílio do desenvolvimento dos cinco sentidos dos alunos, entonar a voz, propiciar um ambiente aconchegante, etc. Um dos aspectos importantíssimos ao professor enquanto contador de histórias é evidenciar ao aluno que todas as sensações que ele está vivenciando no momento está nos livros, que pode ser acessado a

TELEFONES Redação (19) 3324-6062 Publicidade (19) 99109-4566

contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br

qualquer momento, enquanto leitor de imagens, para uma criança ainda não alfabetizada, e para o jovem, já detentor do ato de ler. Ser professor e contador de histórias é compreender que crianças e jovens podem transitar entre o mundo das fadas, dos heróis; vivenciar a eterna luta do bem contra o mal através da literatura, distanciando-se nesses momentos de contação, do mundo real, possibilitando também entrar em contato com diferentes conflitos, vivenciados pelos personagens das histórias. Portanto, ser professor e adulto requer conversar com o mundo da fantasia, se permitir voltar a ser criança e jovem através do ato de ler e contar histórias, desenvolvendo nas crianças e nos jovens o gosto pela literatura e pelo envolvimento com as histórias que estão “presas” nos livros, mas que nos permitem viajar sem sair do lugar. Renata Burgo Fedato é professora e tutora dos cursos de Segunda Licenciatura e Formação Pedagógica do Centro Universitário Internacional

Publicado por JORNALZEN EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA. Fundado em janeiro/2005


Dezembro/2018

A

s terapias alternativas passaram a fazer parte da vida da publicitária Rita Cássia Ruinho em 1988, por meio de uma médica homeopata. O despertado interesse a levou a fazer cursos sobre assuntos como parapsicologia, cromoterapia e aromaterapia. Mestre de reiki desde 2005, Rita ministra cursos de iniciação e fez estudos de física quântica e radiestesia. A paulistana de 57 anos leu livros de Amit Goswami e Deepak Chopra, os quais considera “criaturas inspiradoras”. Toda essa bagagem holística fez com que Rita criasse a terapia Ativação do Corpo de Luz, uma prática que potencializa a energia reiki e ativa os corpos sutis por meio dos pontos da acupuntura. Nesta entrevista ao JORNALZEN, Rita Ruinho fala mais sobre seu método terapêutico para restabelecer o equilíbrio energético.

JORNALZEN

3

ZENTREVISTA|Rita Ruinho

ki, bastando, para isso, a utilização de comandos específicos.

Mestre reikiana criou terapia que potencializa a energia por meio dos pontos da acupuntura para restabelecer equilíbrio físico e emocional

De que forma a Ativação do Corpo de Luz contribui para o processo terapêutico? Cada pessoa vivencia as ativações de forma particular, mas todas relatam alívio dos sintomas e profundo bem-estar. Vivências com situações do passado também são relatadas. Algumas têm percepções relacionadas a sons, cores, perfumes, sensação de toques, formigamentos, etc.

ATIVANDO A LUZ DANI ALMEIDA

Como se dá a abordagem? É uma terapia complementar integrativa, que pode ser usada em pessoas ou animais. Não é invasiva e trata grupos de pessoas com um mesmo problema ou doença. Não tem cunho religioso ou dogmático e é indicada qualquer pessoa que busca algum tipo de complementação que a possa auxiliar ou potencializar o tratamento médico. É indicada também como opção à meditação por poder ser aplicada num curto espaço de tempo – 30 minutos. Assim como o reiki, também pode ser usada a distância.

Do que se trata a Ativação do Corpo de Luz? Trata de como a energia reiki pode ser usada de maneira diferenciada para curar os males instalados nos corpos físico, mental, emocional e espiritual. A diferença da Ativação para o reiki em si é que potencializo a energia utilizada no reiki por meio da frequência Hertz ou Fibonacci. A Ativação do Corpo de Luz é uma maneira de alcançar e eliminar os efeitos nocivos causados pelas emoções desequilibradas e de levar a pessoa ao estado de equilíbrio perfeito. As terapias antigas, usadas muito antes da medicina moderna, já reconheciam por estudos empíricos que a mente humana era a causa das doenças, uma vez que produz distorções em nível emocional que, por sua vez, causam desequilíbrios na energia e na química do corpo físico. É necessário reequilibrar as emoções e eliminar os efeitos nocivos causados por esses desequilíbrios. No que se baseia essa terapia? Através da energia reiki, ela atua diretamente nos corpos sutis, pela utilização de comandos verbais e mentais, eliminando energias intrusas desqualificadas ou energias do próprio corpo que tiveram suas frequências baixadas por emoções negativas. Essas emoções vibram numa frequência inferior às do estado saudável do corpo físico. Como a energia reiki é inteligente, ela recebe os comandos, entende e faz uma varredura por todos os pontos situados na cabeça, tronco e membros, identificando quais pontos estão relacionados ao problema da pessoa, atuando durante um determinado tempo, com a quantidade ideal de energia, removendo, dissolvendo ou requalificando as energias ligadas ao distúrbio. A energia reiki penetra os pontos usados na acupuntura. Cada um desses pontos é um microchacra ligado aos corpos sutis, por onde as energias também sutis

Como avalia a proposta do JORNALZEN de difundir iniciativas voltadas ao autoconhecimento? O JORNALZEN tem se firmado como importante divulgador de assuntos relacionados à espiritualidade e ao autoconhecimento. São poucos os veículos de comunicação voltados para esses assuntos que os tratam com a devida seriedade e importância. Da parte dos profissionais e estudiosos do assunto, são raras as oportunidades oferecidas para falar do nosso trabalho. O JORNALZEN é um dos poucos veículos que garante ao leitor idoneidade e procedência das informações sobre os profissionais e os seus trabalhos voltados às terapias e atividades alternativas de cura da alma humana.

penetram para nutrir o corpo mais denso. O corpo ao qual chamamos de físico, na verdade, é constituído de energia adensada. Cada energia possui uma frequência própria que pode interferir ou interagir com outras frequências vibracionais. Ao utilizarmos as frequências corretas, conseguimos restabelecer as frequências

padrão tanto dos seres vivos quanto de campos vibracionais resultantes de pensamentos, desejos, necessidades, etc. Os campos indesejáveis ou limitadores podem ser dissolvidos e eliminados durante o processo. Como o tempo e espaço também são um padrão de frequência, eles também são influenciados pela energia rei-

“Novas técnicas para auxiliar a tratar e a eliminar doenças serão recompensadas por ter ajudado a mudar o planeta”

Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? O ser humano está em seu momento de despertar. Nossas capacidades surgirão na medida em que despertarmos. As terapias complementares fazem parte desse despertar. Nossas percepções estarão mais aguçadas e a cada dia mais terapias para iniciar a implantação de uma nova medicina – mais eficiente e menos invasiva, sem drogas e sem efeitos colaterais – serão colocadas em primeiro plano pela humanidade. Todos aqueles que se dispõem a estudar e aplicar novas técnicas que auxiliem a tratar e eliminar doenças serão recompensados com a inenarrável sensação de terem contribuído para a transformação da Terra, um planeta onde num futuro próximo a saúde será uma certeza e a paz, um estado constante do ser.


JORNALZEN

4

Dezembro/2018

O nascimento de Jesus e o Natal A data de 25 de dezembro já era comemorada no Egito antigo, muitos séculos antes do nascimento de Cristo. Neste dia celebravam o dia do Deus Sol. A Bíblia não faz nenhuma menção às festas natalinas. O Natal era uma festa pagã e o costume de trocar presentes entre amigos e parentes na época natalina não tem relação com o cristianismo. Em Roma, de 17 a 23 de dezembro havia a festividade dos pagãos, que no dia 21 de dezembro comemoravam o solstício de inverno no hemisfério norte, porque era o dia mais curto do ano. A festa do Natal não estava incluída entre as primeiras festividades da Igreja e foi celebrada pela primeira vez em Roma no dia 25 de dezembro do ano 336 da Era Cristã. Jesus não nasceu em 25 de dezembro. Entretanto, como já havia a festividade do solstício de inverno nesta época, a Igreja incluiu a comemoração do aniversário de Jesus nesta data. Segundo informações mais recentes, acredita-se que Jesus tenha nascido entre os dias 6 e 8 de abril da Era Cristã. Atualmente a mídia distorce o sentido do Natal, embora a data verdadeira do nascimento de Jesus não seja 25 de dezembro, mas simbolicamente a festa é para comemorar o seu aniversário. As crianças são influenciadas a pensar que o Natal representa o dia do Papai Noel e a troca de presentes. Mas o verdadeiro sentido do Natal deve ser comemorado, colocando-se em prática os ensinamentos do Mestre, que são: a solidariedade, o amor ao próximo e a troca de afetos. Abençoadas sejam as mãos que em memória de Jesus espalham

no Natal o amparo aos menos favorecidos e fazem a JOÃO BATISTA SCALFI alegria das cri- Vice-presidente do Educandário anças com en- Deus e a Natureza (Indaiatuba) trega de presentes. Como disse Jesus: “quando ajudai um desses é a mim que estás ajudando”. Mas, se as mãos que doam não forem iluminadas pelo amor que ampara sempre, esses flagelos voltarão no amanhã. Não retenhas, assim, as riquezas do coração que podes dar infinitamente. Deixa que a bondade do Mestre invada tua alma e que se torne feliz pondo em prática seus ensinamentos. Abra seu coração onde estiveres, seja para trocar um pensamento compreensivo ou uma palavra de consolo, que semeia a luz da esperança. Um gesto de amor, hoje, para uma criança desamparada poderá ser, amanhã, o consolo da multidão. Que tesouro terrestre pagará um olhar de compreensão no coração sofrido e um sorriso luminoso que enobrece a alma... Ainda que te encontres em plena solidão no aconchego do teu lar, sai de ti mesmo e reparte com alguém o dom inefável de tua fé e do amor ao próximo. Lembre-se de que o Mestre, brilhando na manjedoura, tinha consigo apenas o amor e, agonizando na cruz, possuía apenas o coração, a desfazer-se em renúncia... Jesus foi a chama que iluminou as trevas e o clarim matinal que deu o sinal para o nosso despertar para um mundo melhor... Feliz Natal!

Barão Geraldo - Campinas AGENDA – DEZEMBRO 2018 Inscreva-se em nosso canal no Wsp: (19) 99117-5544 Desejamos um ano novo pleno de sabedoria, bênçãos e alegrias! CONSTELAÇÃO FAMILIAR MUSICAL (Janaína Campos e Adriano Dias) 11 e 18/dezembro (terça-feira), às 19h | 13/dezembro (quinta-feira), às 19h30 (para constelar: agendar por e-mail; para participar: contribuição consciente) CONSTELAÇÃO TSFI (Maria Angélica) 16/dezembro (domingo), às 14h RODA DE CURA (para homens e mulheres) – Ritual encerramento do ano 20/dezembro (quinta-feira), das 19h30 às 22h LEITURA DE AURA (horários abertos com Janaína Campos) ATENDIMENTO POPULAR THETAHEALING® COM FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM (horários no site e agendamento por e-mail: contato@sabiah.com.br) EVENTOS (necessária inscrição prévia pelo e-mail contato@sabiah.com.br) 8/dezembro (sábado), das 10h às 16h – Mudras na Gestação (Aprenda a ativar os pontos de conexão para a gestação e parto), com Larissa Sanches 9/dezembro (domingo), das 19 às 22h – Integração do Xamanismo Africano e Latino-Americano: Histórias, Cantos e Oficina de Ritmos 12/dezembro (quarta-feira), às 19h30 – palestra de Psicogenealogia, com Françoise Sampaio (contribuição consciente) 14 dezembro (sexta-feira), às 19h – documentário sobre a técnica de cantoterapia transpessoal: Contactando a Voz Essencial, de Marisa de Lille TODA SEMANA NO SABIAH RENASCIMENTO EM GRUPO (com Renata Borges) Prática de respiração meditativa e terapêutica que promove estados de consciência expandida, abrindo espaço para a manifestação do potencial de autocura que reside em cada ser humano – segunda-feira, às 20h15 DANÇAS CIRCULARES – Meditação ativa para todas as idades (Janaína Campos) – quinta-feira, das 18h15 às 19h30 YOGA MAHI terça e quinta-feira, das 17h às 18h30 | segunda e quarta-feira, das 18h30 às 20h YOGA E MEDITAÇÃO (com a instrutora indiana Neeranjna Bajpai) segunda, quarta e sexta-feira, das 8h30 às 9h30 YOGA MATERNA – Para gestantes e mães com bebês (Paula Ubinha) terça e quinta- feira, às 11h

• GRUPOS DE PATHWORK® • MEDITAÇÃO SONORA • YOGA E YOGA MATERNA • GRUPO SAMAÚMA (Preparação para o parto natural e apoio pós-parto e amamentação) • LEITURA DE AURA • AULAS DE TÉCNICA VOCAL (técnica Alexander) • DANÇAS CIRCULARES • RODAS DE CURA • THETAHEALING® E FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM • PSICOTERAPIA SISTÊMICA • GRUPOS TERAPÊUTICOS • FORMAÇÃO EM CONSTELAÇÃO SISTÊMICA Agendamento e mais informações: (19) 99117-5544 (WhatsApp)

Rua Paulo Lanza, 91 (entrada de Barão Geraldo) – Campinas/SP (19) 3327-0910 – contato@sabiah.com.br – www.sabiah.com.br


Dezembro/2018

JORNALZEN

Encontro para Fortalecer o Mercado de Livreiros de Campinas foi um sucesso Realizado no último 24 de novembro o Encontro de Livreiros de Campinas, no estado de São Paulo, se concretizou com uma oportunidade ímpar para que os livreiros, que muitas vezes não conseguem participar da Convenção Nacional de Livrarias, pudessem conhecer mais sobre a globalização do setor e, ao mesmo tempo, discutissem questões de suas realidades regionais. “O livreiro, que fica fora dos grandes centros urbanos, precisa mostrar sua força e aproveitar as oportunidades do mercado. O atual panorama nos trouxe um grande desafio: a necessidade de os pequenos livreiros se reinventarem e desenvolverem suas práticas estratégicas para manterem-se competitivos, conquistando novos clientes e expandindo sua atuação.” Destaca a empresária do setor do livro Magda Krauss, idealizadora do evento e diretora da Associação Nacional de Livrarias (ANL). Com o apoio da ANL o Encontro, que teve a realização do Instituto Cultural Saber e Ler, a Produção de Maria Branca Produção Cultural e Artística, fez parte da 2ª Jomada Literária de Campinas entre 22 e 25 de novembro. Bernardo Gurbanov, presidente da ANL, que abriu o evento, ressaltou a importância para a Associação em FOTOS: DIVULGAÇÃO apoiar eventos regionais. “O fortalecimento do pequeno livreiro, das livrarias especializadas e de lojas fora dos grandes centros urbanos, só pode contribuir de forma positiva, não apenas para a saúde econômica do setor, mas também para levar a estas cidades leitura e lazer de qualidade”, reforçou ele. Durante sua exposição, Magda, idealizadora do evento e diretora da ANL Bernardo apresentou o Manual de Livrarias*, lançado em parceria com a CBL em 2018 na Bienal Internacional do Livro de São Paulo e ressaltou a importância do conceito de “proposta de valor” que as livrarias precisam definir como mensagem a ser percebida pelo seu público-alvo. Outro fator importante, destacado por Gurbanov, é o de levar para a Convenção Nacional de Livrarias, que em 2019 acontecerá na cidade do Rio de Janeiro, essas experiências locais. Neste mesmo dia apresentara-se Augusto Kater, Gestor de negócios e Marketing, que falou sobre “Ações de marketing aplicadas às livrarias; Gerson Ramos, diretor comercial da Editora Planeta, que trouxe o tema “Inovação no varejo dos livros - Um plano possível para pequenas livrarias”; e Gustavo Andrade, gestor de pessoas e negócios, com o tema “Tudo o que você precisa aprender para vender seus produtos de forma eficaz”. Para Magda Krauss, esse primeiro Encontro já possibilitou a formação do grupo de trabalho “Academia de Livreiros”, que servirá de suporte pata trocar de informações e ideias, agilização de práticas do setor e a formatação de novos Encontros e de Cursos organizados pela ANL. “Pretendemos organizar outros Eventos em diversas regiões de Brasil, valorizando o livreiro e o fornecedor local. Sempre defendi, como diretora da ANL que nossa Associação prestigiasse os livreiros fora dos grandes centros e, com a atual gestão, vejo que iniciamos esse trabalho. Sabemos que para dar continuidade a essas ações iremos precisar do apoio e patrocínio, não apenas dos órgãos públicos Atividade no Encontro: valorização do livreiro e privados das regiões visitadas, mas também de toda a cadeia do livro, que como nós, tenha como objetivo o fortalecimento do negócio local. O mercado, como um todo só tem a ganhar”, afirma Magda. Magda, ainda, reforça a importância e agradece o apoio das empresas: Editora Brasil, Editora Planeta, Fundo de Investimentos Culturais de Campinas-SP, Secretaria de Cultura da Prefeitura de Campinas-SP e da Sunega-Tognon. Para participar: Instituto Cultural Saber e Ler divulgação@saberler.com.br — (19) 99420-8228 Associação Nacional de Livrarias-ANL – anl@anl.org.br — (11) 3337-5419 *O Manual de Livrarias é disponibilizado gratuitamente: http://cbl.org.br/site/wp-content/uploads/2018/10/Guia-CBL-WEB.pdf

5


JORNALZEN

6

PANORAMA FESTIVAL NA ESTAÇÃO A Estação Cultura de Campinas receberá no dia 16 de dezembro, a partir das 13h, o Festival Usina Jam. O evento contará com apresentação de quatro bandas, mostra de videoclipes de artistas região, expositores de economia criativa, praça de alimentação e mostra de trabalhos de artes plásticas e literatura. A entrada é gratuita. O festival será na Sala dos Toninhos – Rua Francisco Teodoro, 1.050 (Vila Industrial) ***

NATAL SOLIDÁRIO A Central de Ambulâncias de Indaiatuba está arrecadando brinquedos usados em bom estado para a campanha Natal Solidário. Os interessados em participar devem levar os brinquedos, até o dia 14, em qualquer unidade de saúde ou na Secretaria de Saúde, que fica no Paço Municipal. A entrega dos presentes está marcada para o dia 21, a partir das 13h, no Núcleo Residencial Professor Carlos Aldrovandi. ***

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA O Shopping Valinhos sedia até 23 de dezembro ex-posição de fotografias produzidas por crianças e adolescentes assistidos pela ONG Casa da Criança. Os visitantes também poderão doar presentes, escolhendo uma carta na Árvore Solidária. O presente deve ser entregue na administração do shopping até o dia 24. Máquinas fotográficas digitais também podem ser doadas para o projeto. Mais informações: (19) 3871-0546.

-

Dezembro/2018

Bom trânsito para nós! Marks Pintija

Infrações relacionadas ao celular As infrações de trânsito previstas na legislação, e que geram polêmicas por serem de difícil interpretação, são diversas e certamente uma delas diz respeito ao telefone celular. Se considerarmos que este equipamento tecnológico foi aprimorado com o passar dos anos de tal forma a oferecer tantas outras funções que não apenas a de um telefone sem fio, podemos relacioná-lo com mais de um enquadramento na tabela de infrações. Afinal, consegue-se filmar, fotografar, digitar textos, mensagens, ouvir áudios e até transformá-lo em guias de mapas. Ocorre que desde a vigência do atual código de trânsito, passou a ser proibido dirigir utilizando-se de fones de ouvidos ligados a equipamentos e também de celular. A norma geral de direção e conduta estabelece que não é permitido dirigir com apenas uma das mãos ao volante, exceto para acionar equipamentos do painel. Com o uso da tecnologia bluetooth, o aparelho deixou de ser manuseado e ser conectado ao painel, vide que até

as montadoras de automóveis criaram a expressão hands free para vender seus produtos. Em 2016 nova alteração ocorreu na legislação, e “segurar” ou “manusear” o aparelho se tornaram infrações gravíssimas (7 pontos na CNH). Já o uso do celular, sem tirar as mãos do volante, continuou caracterizado como infração média (4 pontos), valendo ressaltar que tal constatação só se consegue com a presença in loco do agente da fiscalização, uma vez que aos olhos e distância não se tem a certeza que o motorista esteja cantando uma música ou falando em voz alto consigo mesmo. Para especialistas, o uso do celular enquanto dirige afeta sensivelmente a percepção de raciocínio e campo visual, aumentando o risco de acidentes. Marks Pintija é especialista e educador em trânsito

A arte de encontrar o consenso através do dissenso Norman de Paula Arruda Filho

H

á alguns dias, presenciei emergir em sala de aula mais uma daquelas discussões saudáveis sobre o que são verdadeiras atitudes sustentáveis. A habilidade de se expressar, a pluralidade dos pontos de vista e a capacidade de avaliar de forma crítica com base em argumentos sólidos são características que aprecio muito e que, portanto, procuro incentivar em minhas aulas. Assim, enquanto vejo os alunos engajados e instigados a opinar, questionar e criticar, sorrateiramente deixo as vozes correrem soltas e apenas observo. Mal sabem eles que, para mim, esse é um momento de grande aprendizado e satisfação. Na vanguarda pela educação para a sustentabilidade já participei de muitas dessas discussões. Ainda em 2004, estive com o ex-secretário geral da Organização das Nações Unidas (ONU) Kofi Annan em um importante evento da iniciativa Pacto Global que busca inspirar empresas a adotarem princípios mais responsáveis; em 2006, reuni-me com outros reitores de universidades do mundo todo para traçar os Princípios da Educação Executiva Responsável; conheci Ban Ki-moon, também ex-se-

cretário-geral da ONU em 2015, no lançamento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Ver os alunos discutindo sustentabilidade é um retrato de como toda essa concepção está sendo entendida pela sociedade. Ao escutá-los avaliarem as iniciativas das empresas, questionando o que é de fato legítimo ou não; vê-los defenderem mudanças estruturais nos modelos de gestão, seja na esfera pública ou corporativa; e principalmente, presenciar discussões sobre os modelos de ensino e a importância da disseminação da educação e da cultura para a sustentabilidade representa uma conquista. Mostra o quanto evoluímos das resoluções do Relatório de Brundtland para um mundo em que o pensamento sustentável e, consequentemente, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável fazem parte não somente da agenda dos governos, das empresas, das escolas e da sociedade civil, mas principalmente, são parte do cotidiano das pessoas. A grande questão é que o termo sustentabilidade começou sua trajetória cercado por enigmas que somente grupos específicos sabiam lidar. Atrelado ao cunho prioritariamente ambiental foi por vezes mal interpretado, mal compreendido e até mes-

mo maquiado (o famoso greenwashing). O desenho do tripé que atribuiu o mesmo peso aos eixos social, econômico e ambiental veio facilitar o entendimento comum da abrangência da sustentabilidade e a importância desse equilíbrio. Porém, essa ainda é uma visão limitada. Principalmente se considerarmos as colocações do ecossocioeconomista Ignacy Sachs, que de forma extraordinária nos mostrou que há muitas outras dimensões a considerar. Para Sachs, há questões culturais, ecológicas, territoriais, políticas e planetárias que representam implicações nesse caminho para o equilíbrio. Por isso, mesmo já ultrapassado 30 anos do que ficou conhecida como a primeira definição do conceito de desenvolvimento sustentável, isso está longe de ser unanimidade. O que particularmente, acho ótimo! Tanto o conceito quando o que representam as práticas do ideal sustentável ainda precisam ser construídos. Assim como observado pelo pesquisador Steven Johnson, as boas ideias surgem da colisão entre palpites que se unem para formar algo maior, porém precisam de tempo para amadurecer (vídeo “Como surgem as boas ideias”). Por isso, acredito na riqueza dessas discussões sejam elas

nas salas de aula, nos corredores das empresas ou nas mesas de café. O importante é a combinação das ideias em uma construção contínua e coletiva, pois é no dissenso que encontraremos o consenso para um mundo mais justo e responsável. Um dos meus exercícios favoritos nas aulas de mestrado é convidar os alunos a reconstruírem o conceito de desenvolvimento sustentável. Há sete anos levamos mais de duas horas para chegar a um consenso. Na última turma de 2017, em 30 minutos tínhamos uma resposta. E quer saber qual a palavra mais recorrente em todas as novas definições encontradas? Transformação. Afinal, o que é encontrar o consenso a partir do dissenso senão experienciar um processo de transformação. É exatamente isso que encontro ao observar as calorosas discussões em sala de aula: alunos que evoluem da posição de observadores para – empoderados de conhecimento – se transformarem em protagonistas desse desenvolvimento sustentável. Norman de Paula Arruda Filho é presidente e professor do mestrado em Governança e Sustentabilidade do ISAE – Escola de Negócios, conveniado à Fundação Getulio Vargas; e coordenador do Comitê de Sustentabilidade Empresarial da Associação Comercial do Paraná


JORNALZEN

Dezembro/2018

Dr. Orestes Mazzariol Vulvodínia: o que é? A vulvodínia é caracterizada pela dor na vagina da mulher, mais especificamente na vulva. Quase sempre está relacionada com uma queimação ou dor durante o sexo ou no simples toque na região. Está presente em 25% das mulheres com dor pélvica crônica e com depressão, embora quando a mulher tenha mais de uma patologia o diagnóstico seja difícil. Segundo o Capítulo Brasileiro da Internacional Association for the Study of Pain (Iaspa), trata-se de uma síndrome de dor crônica na área vulvar em ausência de um processo infeccioso, dermatológico, metabólico, autoimunitário ou neoplásico. As mulheres que sofrem de vulvodínia se queixam de uma sensação de calor, ardor e coceira e/

ou inflamação na área vulvar. A dor pode estar localizada em área muito específica do períneo (geralmente, as pacientes conseguem identificar de forma exata os “pontos” de dor) – no vestíbulo vulvar, lábios ou clitóris – ou pode afetar a totalidade da área perineal. Há dois subtipos de vulvodínia: localizada e generalizada. No geral, as mulheres com vestibulite vulvar experimentam dor quando se aplica pressão sobre a área do vestíbulo vulvar durante relações sexuais, colocação de tampões ou exames ginecológicos. Nas mulheres com vulvodínia generalizada, a dor perineal se exacerba quando permanecem sentadas durante longos períodos e por atividades como andar de bicicleta e montar a cavalo.

WhatsApp JORNALZEN (19) 99109-4566 (19) 99149-1256

PARA ASSINAR E ANUNCIAR

7

Razões para a transformação autoconhecimento, pelo O psiquiatra canadense desejo ou necessidade de criador da análise tranolhar profundamente pasacional, Eric Berne, dira si mesmo através da zia que existem somenluz guiada por um espete três coisas capazes de cialista. provocar a mudança no Quando em terapia, a ser humano: um grande pessoa passa a acessar amor, uma grande dor e recursos antes inimagia psicoterapia. ROSÂNGELA náveis, que estão, na reUm grande amor nos VIRGÍNIA FAÉ Psicoterapeuta alidade, dentro dela mesrevela, provoca ações e ma. Aprende a livrar-se reações inesperadas, promove a reflexão, nos faz olhar pa- de sofrimentos desnecessários e ra nós mesmos de forma diferente. a lidar com as dificuldades que Um grande amor por filhos, por par- surgem ao longo da vida. A psicoterapia é um valioso receiros, pela humanidade. Este sencurso para lidar com as dificuldatimento transforma. Uma grande dor também pro- des da existência em muitas formove a mudança, seja uma dor fí- mas do sofrimento humano: trausica, seja psíquica. A dor da alma mas, crises existenciais, conflitos que muitas vezes é indescritível pessoais, conjugais, familiares, esprovoca, assim como o amor, ações tados de sofrimento, pânico, fobias, estados de estresse, dificuldae reações, promove reflexão. Como diz José Carlos de Luc- des nas mudanças de fases de vica, em seu livro Na Luz da Vitó- da (puberdade, adolescência, vida ria, “a dor não é um fim em si adulta, envelhecimento). Promove mesmo; é apenas um meio de aler- uma visão integrada do ser humata para a necessidade que temos no, incluindo as dimensões psíquica, orgânica, social e espiritual. de renovar nossa atitude”. Assim, permita-se... transforA psicoterapia traz em seu propósito a mudança provocada pelo me-se!

WhatsApp: (19) 99738-1523 | Campinas/SP


JORNALZEN

8

No tempo certo Como diz o ditado: - Tudo tem seu tempo. Existe o tempo de gestar, nove meses para o bebê, uma eternidade para os pais... É preciso saber esperar. Existe o tempo de crescer, MÁRCIO ASSUMPÇÃO passa tão rápido... Professor de ioga e diretor É preciso aproveitar cada momento. do Instituto de Yogaterapia Existe o tempo de brincar, o mundo é seu... É preciso sonhar. Existe o tempo de desafiar e acreditar que pode transformar o mundo, como nossos pais... É preciso tentar. Existe o tempo de realizar e conquistar seus objetivos, quanta dedicação e trabalho... É preciso acreditar. Existe o tempo de dividir com alguém suas conquistas, um amor, uma paixão, uma amizade ou família... É preciso compartilhar. Existe o tempo de aprender que nem tudo será realizado, a vida tem seus limites... É preciso aceitar. Existe o tempo de entender que nem todas as conquistas do mundo irão te saciar, o querer não tem fim... É preciso amadurecer. Existe o tempo onde a lembrança do passado é maior que a perspectiva de um futuro, a vida tem seu tempo... É preciso desapegar. Existe um tempo para aprender cada lição da Vida. Por isso, ninguém tem tempo a perder. A vida passa... O desafio é aprender a colher os frutos e a saboreá-los em cada estação. Mas existe uma Sabedoria que é livre dos aprisionamentos do tempo e do espaço. No tempo certo, esta Sabedoria lhe trará a clareza da finitude de tudo e da eternidade do Ser. Assim fica muito melhor esperar, crescer, brincar, sonhar, tentar, acreditar compartilhar, aceitar, amadurecer e desapegar. Fica muito melhor viver! Esta Sabedoria se chama Yoga. Um feliz Natal para você e sua família. Feliz 2019! EQUIPE INSTITUTO DE YOGATERAPIA @institutodeyogaterapia.com.br

Dezembro/2018

UNIVERSO DIGITAL Amanda La Monica

Dezembro = dinheiro Chegou o fim de ano para aumentar os clientes e vendas, com um simples detalhe: se você fizer as campanhas de marketing certas e com estratégia. Como o objetivo desta coluna é performar seu marketing digital, selecionei três dicas importantíssimas para colocar em prática no seu negócio: 1- Crie combos e cupons de desconto: o público deseja garantir os presentes para toda a família, sem gastar muito. Nesta época, promoções como “leve 3 e pague 1” costumam converter bastante. 2- Engaje seu público: faça vídeos ao vivo nas mídias sociais mostrando os produtos em promoção ou explicando os benefícios

do seu serviço para que as pessoas entendam sua oferta e possa interagir com sua marca, aumentando a confiança e chances de compra. 3- Invista em posts patrocinados: tanto nas mídias sociais quanto no Google, é importante sua marca ficar em destaque, já que seus concorrentes também estarão bem ativos. Crie posts patrocinados e bem segmentados para atingir o público que está pesquisando onde comprar. Além disso, lembre sempre do visual da marca. Atualize com imagens temáticas de Natal e Ano Novo suas mídias, site, blog e todas as plataformas, para seus clientes entrarem no clima mágico de fim de ano e comprarem ainda mais.


JORNALZEN

Dezembro/2018

9

Padre Haroldo Oração Certa vez, em Fortaleza, perguntei a um jovem onde se localizava o Correio. Depois que ele me informou as direções, falei-lhe que daria uma palestra naquela noite sobre espiritualidade. Convidei-o a participar. Ele respondeu: “Se o senhor não pode encontrar o Correio, como pode me dizer onde estão os Céus?”. Oração não é pedir a Deus o que nós mesmos podemos fazer. Um funcionário disse para seu chefe que não iria amarrar o seu camelo porque Deus cuidaria disso. O mestre respondeu: “Você amarra o camelo, Deus não faz o seu trabalho”. Oração é dizer “Senhor, Senhor”, quando fazemos a vontade de Deus. Também é para dizer “amor, amor”, quando cumprimos com os Dez Mandamentos. Oração consiste em ver as coisas numa nova maneira. Uma esposa replicou ao esposo (o qual havia falado “Vou mudar minha cabeça”): “Espero que a nova se-

ja melhor que a velha”. Oração é dar gratidão a Deus por causa da Sua bondade e louvá-lo devido a Sua grandeza. Quando estamos despertados espiritualmente pela oração, nós continuamos a lavar pratos depois da refeição, varrer a casa e guiar nosso automóvel, porém de uma nova maneira. Tudo fica diferente. Tendo sido convertido, vemos a beleza do céu azul. Não nos importamos se há nuvens, sejam escuras ou brancas. A vida é uma beleza. O despertar da oração pode nos dar alegria espiritual, mesmo quando chove num piquenique, quando sofremos uma perda ou se ficamos doentes. Lembro-me de um casal muito doente. O homem tinha câncer no pulmão e a esposa, nos rins. Em vez de ficarem hospitalizados, decidiram viver livres nos últimos meses de suas vidas. Falaram-me que nunca foram tão felizes. Esqueceram-se dos problemas da vida, viajaram e se amaram um ao outro até o fim. Orações nos ajudam a amar nossos amigos e a respeitar aqueles que

nos causam problemas. Consequentemente, não nos deixamos ser manipulados. Passamos a respeitar o que elas dizem, porém, isso não muda nosso “ser” ou a maneira de viver com felicidade. Não vivemos mais com as ilusões da vida. Não pensamos que uma cobra é uma flor. Vemos a realidade. Muitas pessoas fazem quase de tudo, menos viver. São como os turistas num ônibus com cortinas fechadas, observando a roupa das outras e fazendo fofocas. Perdem toda a beleza da viagem. Um despertar espiritual muda tudo isso, e passamos a ver toda a beleza da Criação Divina. Um amigo visitou uma aldeia na África. Os jovens brincavam com bolinhas. Achavam que eram pedras. As bolinhas eram diamantes. Quantas vezes nós vivemos com as riquezas da vida e pensamos que nada temos. Os chineses dizem: “Quando o olho está desobstruído, o resultado é ver. Quando o ouvido está desobstruído, o resultado é ouvir. Quando o paladar está desobstruído, o

resultado é saborear. Quando a mente está desobstruída, o resultado é a sabedoria e a felicidade do coração.” Assim é uma conversão. A espiritualidade é a manifestação do Deus vivo. Quando seguimos a orientação explícita da voz separada da emoção em nosso íntimo, encontramos liberdade. Descobrimos que nossas experiências de “viagem” anteriores nos deixaram com um resíduo de destruição. Depois de nos expor a seus efeitos durante vários anos, tivemos de raspar o lodo de nossas almas para deixar entrar a claridade do espírito. Quando nos alinhamos com o espírito do amor, vemos que ele não deixa resíduos. Tenho espírito de amor? “Pai, deixa-me tomar hoje todas as minhas decisões conforme a orientação que chega até mim pelos olhos do amor.” Haroldo Rahm é presidente emérito do Instituto Padre Haroldo hrahmsj@yahoo.com


10

Viva Bem

JORNALZEN

elianamattos@uol.com.br

BATE-PAPO

N

em vou começar nosso último Bate-Papo de 2018 dizendo como passou rápido este ano. Mas confesso que estou assustada... O que estará acontecendo? Será que sempre foi assim e nunca reparamos? Percebo que até as crianças, que não têm muita noção de tempo, concordam que o Natal foi outro dia. Sem muitos questionamentos – até por que de que adianta fazê-los – vamos terminar este ano com a palavra mágica: gratidão. Tenho certeza que todos têm muito a agradecer. Infelizmente a maioria das pessoas agradece pouco... O ser humano ainda acha que Deus tem obrigação de lhe dar felicidade, amor, prosperidade, paz. E, com isso, esquece de agradecer. Então, ajoelhada, termino 2018 agradecendo por tudo que recebi neste ano que se finda. Não falo aqui só das coisas materiais, não. Falo de todo o resto. Gratidão. Gratidão. Gratidão. Um Natal de muitas alegrias e paz. E que 2019 seja exatamente do jeito que você quer e precisa. Beijo enorme!

Farofa fria

Filé mignon festivo

Ingredientes: • 1 copo de cebola picada • 1 copo de farinha de mandioca crua • 1 copo de cheiro verde picado • 1 copo de farinha de rosca • 1 copo de pimentão verde picado • 1 copo de cenoura em fios • 1 copo de azeitonas verde e preta picadas • 1 copo de uvas-passas branca e preta (acrescente um pouco de ameixa preta picada, sem caroço)

Ingredientes: • 300 g de ricota • 1 pacote de sopa-creme de ervilhas com bacon • 1 xícara (café) de leite • 800 g de filé mignon num pedaço só

Modo de fazer: Coloque a cebola num recipiente e acrescente sal e limão e deixe por 15 minutos para tirar a acidez. Em seguida passe por uma peneira para escorrer bem. Coloque num pirex e acrescente os demais ingredientes. Tempere com sal, pimenta e azeite.

Modo de fazer: Amasse a ricota com o leite e junte o pacote da sopa. Mexa bem e reserve. Abra o filé em um grande e fino bife e passe a pasta da ricota. Enrole como rocambole e coloque numa assadeira untada, espalhando pedacinhos de manteiga. Cubra com papel alumínio e asse em forno quente por uns 30 minutos. Após esse tempo, retire o papel e deixe dourar. Na hora de servir, coloque num refratário e fatie.

Dezembro/2018

FORNO & FOGÃO - Especial Festas Bacalhau gratinado com castanhas portuguesas Ingredientes: • 600 g de lombo de bacalhau • 3 cebolas grandes cortadas em rodelas • 5 dentes de alho • ½ kg de castanhas portuguesas cozidas e descascadas • Salsinha a gosto • 1 folha de louro • Azeite a gosto • Catupiry e queijo parmesão ralado Modo de fazer: Depois de aferventado e dessalgado o bacalhau, frite os lombos no azeite com dois dentes de alho amassados e com a casca e a folha de louro, para

aromatizá-lo. Numa frigideira com azeite, frite ligeiramente a cebola, mais dois dentes de alho picados e uma pitada de sal. Em seguida, junte as castanhas inteiras. Refogue tudo para juntar os sabores. Num refratário, coloque os lombos de bacalhau, as castanhas com as cebolas, salpique salsinha e regue com um fio de azeite. Por cima das postas do bacalhau coloque uma porção generosa de catupiry e polvilhe queijo ralado em todo o refratário. Leve ao forno para aquecer e derreter o queijo. Sirva com arroz branco.

Musse de creme de avelã Ingredientes: • 3 claras • ½ xícara (chá) de açúcar • 1 pote de creme de avelã (350 g) • 1 lata de creme de leite sem soro • 2 colheres (sopa) de chocolate em pó • 1 colher (sopa) de gelatina em pó sem sabor • 50 g de chocolate meio amargo picado grosso • Raspas de chocolate para decorar Modo de fazer: Bata as claras em neve firme e acrescente aos poucos o açúcar.

Reserve. Em um recipiente, coloque o creme de avelã, o creme de leite sem o soro e o chocolate em pó. Misture bem. Em seguida, junte a gelatina dissolvida como manda a embalagem. Acrescente as claras batidas envolvendo delicadamente. Junte o chocolate picado. Distribua em taças e leve à geladeira. Na hora de servir, decore com as raspas de chocolate. Dica: você pode decorar, além das raspas de chocolate, com cerejas ao marrasquino e nozes. Tudo ficará com a cara do Natal.

Ponche para o réveillon Ingredientes: • 1 abacaxi picado miúdo • 3 maçãs descascadas e picadas • ½ vidro de cerejas picadas • ½ lata de pêssego em calda picado • 1 laranja descascada e picada • 3 garrafas de champanhe • 1 garrafa de água tônica • ¼ xícara (chá) de vodca (opcional) Modo de fazer: Em uma jarra ou poncheira coloque as frutas picadas. Acrescente as

bebidas, gelo e misture. Prepare com antecedência para que a bebida pegue o sabor das frutas. Deixe para acrescentar o gelo na hora de servir.

Arroz com laranja Ingredientes: • 2 colheres (sopa) de cebola picada • Óleo para refogar • 2 xícaras (chá) de arroz cru • 2 xícaras (chá) de água fervente • 2 xícaras (chá) de suco de laranja • 1 ½ xícara (chá) de castanhas-do -pará picadas (ou nozes) • 1 lata de seleta de legumes escorrida Modo de fazer: Frite a cebola no óleo e refogue bem. Acrescente o arroz e frite mais um pouco. Acrescente a água e o suco de laranja, mais sal a gosto e leve para cozinhar, até secar. Quando cozido, acrescente as castanhas picadas e a seleta de legumes. Mexa bem e tampe. Na hora de servir, passe para um refratário e decore com gomos de laranja em pedaços.


JORNALZEN

Dezembro/2018

Marcelo Sguassábia Cachorro com linguiça Ninguém aguenta mais tanta carestia, onde é que esse mundo vai parar? O preço da linguiça está pela hora da morte, e daqui a pouco não teremos mais como amarrar nossos cachorros. A guia da Lilica, que chegou a ter 15 gomos no tempo das vacas gordas, diminuiu para 12, depois para 10 e agora está com 7 míseros nacos de linguiça toscana. Não demora muito e terei que andar curvado quando for levá-la para passear! Aí, no futuro, sei que vocês usam essa expressão “do tempo em que se amarrava cachorro com linguiça” quando querem se referir a uma época de bonança e fartura sem fim, em que todo mundo confiava em todo mundo, em que não havia maldade entre as pessoas, em que tudo era bom, fresquinho e a preço de banana – inclusive a banana, que no futuro eu estou sabendo que custa os olhos da cara. Mas, por favor, não diminuam o nosso infortúnio, dizendo que aqui nesse retrógrado passado era tudo maravilhoso. Não era. Quer dizer, não é, porque eu ainda vivo aqui e falo com conhecimento de

causa. Fora que o uso veterinário desse embutido seboso pode trazer funestas consequências para a saúde dos animais. Loucos por linguiça, não são poucos os casos de canjiquinha, ou neurocisticercose, acometendo os cães quando da ingestão da carne de porco crua. Na eventualidade do cão ser bem comportado e indiferente à linguiça, ele pode, quando preso, sofrer ataque de vira-latas famintos, que se regalam com a iguaria ao mesmo tempo em que libertam o totozinho para os perigos da rua. Não é exagero dizer que o hábito, tido como nostálgico por vocês, é na realidade causa de transtornos sociais para nós. Assim, peço que parem de afirmar asneiras, chamando de bom e saudoso um contexto tão problemático e cheio de perigos, tanto para os cachorros quanto para seus donos. Aproveito para deixar sugestões que substituam a expressão por outras com o mesmo sentido, porém menos mentirosas: “Bons tempos em que só a pedra era lascada”, por exemplo. Marcelo Sguassábia é redator publicitário

11


12

JORNALZEN

CULTURAZEN DIVULGAÇÃO

Participantes de sarau literário do Centro de Poesia e Arte de Campinas (CPAC) AMANDA LA MONICA

Luis Henrique Beust no lançamento, em Campinas, de seu livro Afinal, por que sofremos?, o primeiro de uma trilogia que busca abordar a questão da origem, causa e propósito do sofrimento

SILVIA LÁ MON

Dezembro/2018

Profile for Webmaster JornalZen

Jornalzen Dezembro 2018  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há treze anos no mercado, circula...

Jornalzen Dezembro 2018  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há treze anos no mercado, circula...

Advertisement