Issuu on Google+

JORNALZEN ANO 8

AGOSTO/2012

AUTOCONHECIMENTO

SAÚDE

nº 90

CULTURA

R$ 1,50

www.jornalzen.com.br

BEM-ESTAR

CIDADANIA Divulgação

ARTIGOS

Transforme sua vida e se faça feliz Pág. 9

Aprendizado e memorização

ZENTREVISTA

Devam Bhaskar Pág. 3

Pág. 14

Mistérios sempre hão de pintar por aí Pág. 16

Por que buscamos explicações sobre o comportamento humano? Pág. 16

CULTURAZEN Pág. 10 Divulgação

BEM NUTRIR

Óleo de abacate e seus benefícios

YOGA PELA PAZ A sétima edição do evento de ioga e meditação terá atividades abertas ao público em Campinas de 13 a 16 de agosto. O Parque do Ibirapuera, em São Paulo, sedia shows e práticas coletivas no dia 19. Págs. 2 (Agenda) e 9

Pág. 19

MOMENTO DE REFLEXÃO JOÃO BATISTA SCALFI Pág. 6

ASTROLOGIA DA ALMA

TESOUROS DA VIDA

Pág. 6

JULIANO SANCHES

Pensamentos de

Pág. 12

Padre Haroldo

LÍRICAS BULHUFAS

Pág. 14

MARCELO SGUSSÁBIA Pág. 15

Viva Bem Pág. 18


JORNALZEN

2

JORNALZEN

DIRETORA Silvia Lá Mon

nossa missão: Informar para Transformar

CAMPINAS

BOSQUE BANCA DO BOSQUE - Avenida Moraes Sales, 1.748 CAMBUÍ BANCA CAMBUÍ - Rua Cel. Quirino (ao lado da padaria Massa Pura) BANCA DONA SINHÁ - Rua Cap. Francisco de Paula BANCA MARIA MONTEIRO - Maria Monteiro, 1.201 BANCA RIVIERA - Rua Coronel Silva Teles, 37 BANCA SANTA CRUZ - Rua Santa Cruz, 176 BUONA SALUTE - Rua General Osório, 1.761 CASTELO BANCA AKAMINE - Rua Barbosa de Andrade (esquina c/ padaria Pão do Castelo) BANCA NAKAZONE - Avenida Andrade Neves (balão) CENTRO ALMAZEN - Rua Barreto Leme, 1.259 BANCA ANCHIETA - Rua Barreto Leme, 1.425 BANCA CONCEIÇÃO - Rua Conceição BANCA DO ALEMÃO - Rua General Osório, 986 BANCA REAL DISNEY - Rua General Osório, 1.325 BANCA TANNO - Avenida Francisco Glicério, 1.580 CASULO ALIMENTOS - Rua Luzitana, 1.433 - loja 2 CHÁCARA DA BARRA CENAPEC - Rua Mogi das Cruzes, 255

CIDADE UNIVERSITÁRIA BANCA BARÃO - Avenida 2 - Atílio Martini, 50 FLAMBOYANT BANCA DO ISMAEL - Rua Mogi Guaçu (em frente à padaria Abelha Gulosa) GUANABARA BANCA DO DIRCEU - Rua Oliveira Cardoso, 62 BANCA ITAMARATI - Rua Eng. Cândido Gomide, 287 IGUATEMI LIVRARIA CULTURA (Shopping Iguatemi) PARQUE IMPERADOR BANCA CARREFOUR - Rodovia Dom Pedro I PROENÇA BANCA DO ROBERTO - Av. Princesa D’Oeste, 994 SANTA GENEBRA BANCA SANTA GENEBRA Avenida Pamplona, s/nº SOUSAS AVIS RARA Rua Rei Salomão, 295 BANCA RICCO PANE Avenida Antônio Carlos Couto de Barros, 871 TAQUARAL BANCA DO EDUARDO - Rua Thomaz Alva Edson, 115 BANCA TAQUARAL - Rua Paula Bueno, 1.260 VILA ITAPURA BANCA SACRAMENTO - Rua Eng. Saturnino Brito, s/nº VILA NOVA BANCA VILA NOVA - Av. Imperatriz Leopoldina, 100

INDAIATUBA

AMPARO

CENTRO BANCA RUTH - Rua Candelária, 1 BRUMAT - Rua 11 de Junho, 711 CINE CAFÉ - Shopping Jaraguá (Rua Humaitá, 773)

BANCA COMENDADOR - Rua Com. Guimarães,s/nº CASA DO NATURALISTA - Largo do Rosário, 131 (Centro)

ITAICI PADARIA NOVA GALERIA - Avenida Coronel Antonio Estanislau do Amaral, 1.257 JARDIM CALIFÓRNIA BANCA DO JANUBA - Praça Renato Villanova JARDIM DOM BOSCO BANCA ANA PAULA - Avenida Conceição, 51 JARDIM MORADA DO SOL GIANINI PADARIA - Avenida Ário Barnabé, 247 PARQUE BOA ESPERANÇA BANCA LIBERDADE - Avenida Visc. de Indaiatuba, 352 VILA NOSSA SENHORA APARECIDA PANIFICADORA A-REAL - Rua Candelária, 1.828 SAÚDE NATURAL - Rua Candelária, 1.751 VILA VITÓRIA BANCA DO JAIR - Rua Humaitá esq. Av. Pres. Vargas PADARIA GIANINI - Avenida Presidente Vargas, 472

EDITOR Jorge Ribeiro Neto

JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508

circulação: Campinas, Indaiatuba, Amparo, Holambra, Jaguariúna, Valinhos e Vinhedo

PONTOS DE VENDA DO JORNALZEN BARÃO GERALDO BANCA CENTRAL - Avenida Santa Isabel, 20 BANCA DO LÉO - Avenida Romeu Tórtima, 283 BARÃO ERVAS - Avenida Santa Isabel, 506 ESPAÇO CAFÉ - Rua Christina Giordano Miguel, 250 ESPAÇO UNGAMBIKKULA Av. Santa Isabel, 1.834 IDEAL REFEIÇÕES - Rua Vital Brasil, 200 NATURALMENTE - Av. Albino J. B. de Oliveira, 1.905

AGOSTO/2012

HOLAMBRA ESPAÇO CULTURAL TERRA VIVA - Avenida Rota dos Bandeirantes, 605

JAGUARIÚNA* NATU ERVAS - Rua Cândido Bueno, 885 (Centro) * e em todas as bancas da cidade

VALINHOS em todas as bancas da cidade

VINHEDO* DUE MONDY - Rua Eduardo Ferragut, 145 (Jardim Itália) EMPÓRIO JF - Avenida dos Imigrantes, 575 (Jardim Itália) LIVRARIA NOBEL - Avenida Benedito Storani, 111 * e em todas as bancas da cidade

VILA SUÍÇA PADARIA SUÍÇA - Rua Pedro de Toledo, 1.855

CARO LEITOR: caso não encontre o JORNALZEN, ligue: (19) 3324-2159

Redação: (19) 3324-2158 Comercial: (19) 3324-2159 contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br

AGENDAZEN CAMPINAS AUTOCONHECIMENTO 17/8, às 14h – curso com Eduardo Adonis Suzigan, na Anew (Travessa Álvares de Azevedo, 88 - Cambuí). Mais informações: (19) 3253-4601 e 9182-5545 CONSTELAÇÃO FAMILIAR 25/8, às 8h30 – workshop com Antonio Carlos Dornellas de Abreu (Toni), no IPEC - Instituto de Pesquisa e Estudo da Consciência (Rua Monte Azul, 85 - Chácara da Barra). Mais informações: (19) 3252-1565, ipec-transpessoal.com.br ou www.ipec.campinas@terra.com.br CULTURA INDIANA 18/8, às 11h – palestra e apresentação “A Índia e suas Expressões: Tradição e Contemporaneidade”, com Silvana Duarte e Guilherme Samel, no Espaço Spiralis (Ecomercado Avis rara: Rua Rei Salomão, 295 - Sousas). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3258-9924 “ILUMINANDO A SOMBRA” 17/8, às 19h – curso com Eduardo Adonis Suzigan, na Anew (Travessa Álvares de Azevedo, 88 - Cambuí). Mais informações: (19) 3253-4601 e 9182-5545

2ª SEMANA INTEGRAÇÃO YOGATERAPIA 2012 em celebração à Semana Yoga pela Paz 13/8 (segunda-feira) 19h30 – palestra “Tattvabodha: Introdução ao Vedanta de Shankaracharya”, com Rosângela Bassoli e Rose Silva 19h30 – Vinyasa e Consciência Corporal, com Mariana Lotumolo 14/8 (terça-feira) 14h – Sivananda Yoga, com Ange-la Dias Lopes 18h30 – Mudrás, com Ana Lúcia 19h30 – Fisioterapia e Yoga: uma ponte com Cristiane Reiko 15/8 (quarta-feira) 8h30 – Ásanas em Dupla, com Michelle Piccolo 19h30 – Aulão de Yogaterapia, com Márcio Assumpção e Rosângela Bassoli 16/8 (quinta-feira) 18h30 – Controlando a Ansiedade com Pranayamas, com Michelle Piccolo 19h30 – palestra “Yoga e Vedanta e as 4 formas de Meditação”, com Márcio Assumpção INSTITUTO DE YOGATERAPIA Rua Américo de Moura, 91 (Taquaral). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3254-7033

SURDOCEGUEIRA E DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA a partir de 18/8 – curso de capacitação de profissionais no CAIS – Centro de Apoio e Integração do Surdocego e Múltiplo Deficiente [Rua Lino Guedes, 225 – Jardim Paulistano (Proença)]. Inscrições e mais informações: (19) 3239-1456 e 3308-1456 ou cais@caiscampinas.org.br TEOSOFIA 11/8, a partir das 15h –palestra “Espírito e alma: uma visão teosófica”,com Célia Petean, na CENAPEC/Biblioteca Adir Gigliotti (Rua Mogi das Cruzes, 255 - Chácara da Barra). Mais informações: (19) 8815-2970 ou geteocps@yahoo.com.br YOGA PELA PAZ 14 a 16/8 – aulas e práticas de medita ção e ioga no Espaço Spiralis (Ecomercado Avis rara: Rua Rei Salomão, 295 Sousas). Aberto ao público. Mais informações: www.avisrara.com.br

HOLAMBRA CINEMA ESPIRITUALISTA 19/8, a partir das 9h – 1ª Mostra no Espaço Cultural Terra Viva. Exibição de filmes, debates e sorteio de brindes. Aberto ao público. Mais informações: (19) 9333-9152 e 9341-6316

INDAIATUBA AUTOCONHECIMENTO 15/8, às 14h e 19h – curso com Eduardo Adonis Suzigan, no Corpo e Alma Espaço Terapêutico (Rua Alberto Santos Dumont, 974 - Vila Teller). Mais informações: (19) 3318-0367 e 9182-5545 FÍSICA QUÂNTICA 29/8, às 19h15 – palestra Homeostase Quântica da Essência (Autocontrole), com Sérgio Roberto Ceccato Filho, no Casarão Pau Preto (Rua Pedro Gonçalves, 477 - Jardim Pau Preto). Levar 1 kg de alimento não perecível. Inscrições e mais informações: (19) 2512-6831 ou contato@institutoquantum.com.br “ILUMINANDO A SOMBRA” 14/8, às 14h e 19h – curso com Eduardo Adonis Suzigan, no Corpo e Alma Espaço Terapêutico (Rua Alberto Santos Dumont, 974 - Vila Teller). Mais informações: (19) 3318-0367 e 9182-5545

VALINHOS BENEFICENTE 1º/9, às 20h30 – jantar dançante do Foco de Luz, no Clube Atlético Valinhense. Valor: R$ 65,00. Mais informações: marlyhenriquez@uol.com.br


AGOSTO/2012

H

á 30 anos, vivendo o que definiu como “encruzilhada existencial”, o jornalista Geraldo Vieira Filho, conhecido na profissão como Geraldinho Vieira, encontrou em Osho um porto seguro. Mais do que entrevistá-lo em três oportunidades – na comunidade de Rajneeshpurama, em Oregon, nos Estados Unidos –, a experiência de conhecer o líder espiritual indiano valeu como um verdadeiro renascimento. Como discípulo de Osho, recebeu o nome de Devam Bhaskar (do sânscrito Divino Deus Sol”). Em 2005 tornou-se devoto dos avatares Sri Amma e Sri Bhagavan, fundadores da Oneness University (Índia), e em fevereiro deste ano foi um dos poucos iniciados, em todo o mundo, para realizar a Meditação da Unidade (Oneness Meditation). Nascido em Aracaju (SE), Bhaskar, 53 anos, vive entre as montanhas, cerrado e rios da Chapada dos Veadeiros (Goiás) ao lado da companheira, Anand Niranjana, e do gato Zé Shiva. Como jornalista, dedica-se às questões do desenvolvimento humano e sustentável, tendo sido agraciado com menção especial do Prêmio Nacional de Direitos Humanos por seu trabalho em promoção e defesa dos direitos da infância. Nesta entrevista exclusiva ao JORNALZEN, Bhaskar fala sobre a Meditação da Unidade, que estará realizando em Campinas, aberta a qualquer interessado. Como nasceu seu interesse pelo desenvolvimento espiritual? Nunca fui obrigado a ir à missa, nem a rezar, embora minha mãe tenha sido sempre uma presença religiosa em casa – manifesta em bondade para com os outros e em amor para com os filhos. Eu andava muito pelas ruas de Belo Horizonte, onde passei a infância. Vivi entre amigos pelos clubes e os campinhos de futebol na terra ou no asfalto. Eventualmente parava para apreciar uma igreja e os santos me tocavam, me emocionavam. Certa vez, em férias no Rio de Janeiro, entrei numa igreja e conheci o Menino Jesus de Praga. Fui eu quem levou minha mãe para conhecê-lo, dias depois. Durante anos estive protegido por Ele. Quero dizer, certo sentimento de religiosidade e devoção estava presente. Minha adolescência, no entanto, foi de formação política, e a própria figura de Cristo ganhava contornos na ideia de um “socialismo cristão”, mas nunca de “reli-

JORNALZEN

3

ZENTREVISTA Devam Bhaskar

RUMO ILUMINADO Discípulo de Osho, jornalista foi iniciado para meditação que leva à consciência da Unidade Divulgação

gião institucionalizada”. Em 1982, já vivendo em Brasília e ainda jovem, já havia me aventurado bastante pela vida: fiz teatro, casei, tive filhos, separeime, mudei de cidade, experimentei o que pude do sexo, das drogas e do rock and roll, além de algum sucesso profissional. Quando menos esperava, fui capturado pelos olhos e pelas palavras de Osho (à época, Bhagwan Shree Rajneesh). Logo pedi sannyas (iniciação) e comecei a meditar diariamente. Meditei muito, muito... E mudeime para a comunidade de Osho nos Estados Unidos, onde fiquei por dois anos, até que a política americana nos expulsou. Osho me deu régua e compasso. Com ele conheci verdadeira espiritualidade: a busca “quem sou eu?”.

O que trouxe da convivência com Osho, para si e para os outros? Enquanto “ensinamento”, posso ousar resumir: a meditação, o caminho da consciência. Para mais além dos ensinamentos, a própria presença de Osho: amor, liberdade, rebeldia, responsabilidade e transcendência encarnados em seu Ser. Aprendi na convivência com Ele – todos os dias sentado aos seus pés para ouvir sua palavra e sentindo sua Presença – a reconhecer um homem livre, pleno de luz e de amor incondicional. Não foi nada difícil, anos depois, reconhecer em Amma e Bhagavan o mesmo diamante que vi brilhando nos olhos de Osho. Por bênção, eles também me acolheram.

Há algum tipo de convergência entre jornalismo e espiritualidade? O jornalismo é o ofício de investigar o mundo exterior, o tecido social. A espiritualidade é o fogo que nos possui para que possamos mergulhar para dentro, para dentro, para dentro... O mundo é a terra e a água onde o lótus (nosso Ser Supremo, Face Original) pode revelar-se, florescer. Investigar e celebrar os mundos exterior e interior são, assim, aspectos da mesma consciência. Mas ninguém precisa ser jornalista para olhar com profundidade o mundo social em que vive: o importante para o “buscador espiritual”, creio,

Como entende a missão dos avatares Sri Amma e Sri Bhagavan ao criarem o Movimento da Unidade? Unidade é uma linda ideia, mas é só uma ideia. Homens e mulheres vivem em estado de separação, de conflito. Observe agora mesmo o diálogo interno “dentro de sua cabeça”: conflitos, julgamentos, comparações. Observe a relação que o coletivo humano estabelece com a natureza: destruição. Observe o quanto falta à humanidade atual uma conexão com o sentido de sacralidade, com a percepção/realização da Presença Divina em todos e em todas as coisas... Em que pese a abundância de reli-

é não separar os mundos.

giões e em alguma medida até por causa delas. Sri Amma e Sri Bhagavan, através de sua presença, da lâmina afiada de seus ensinamentos que falam direto a novas portas de compreensão da realidade humana e através da Diksha (Bênção da Unidade), vêm reconfigurando nosso estado de Ser. Esta é a glória de sua presença em nossa época: o poder de nos levar para além de nossos próprios hábitos (atados a uma velha programação), inconsciência e medos rumo a um estado de Unidade. A Meditação da Unidade invoca a mesma energia da Diskha ou é outra manifestação da mesma energia? Nesta meditação, somos banhados por uma tal atmosfera de luz interior que a reconhecemos como “Presença Divina”. No limite que as palavras nos impõem quando queremos explicar estas coisas, eu diria que somos visitados/possuídos/abençoados pela própria fonte da energia que canalizamos quando damos a Diksha, o que significa um impulso extraordinário ao “despertar na unidade”. Como avalia a proposta editorial do JORNALZEN? Todo jornalismo, inclusive o tradicional, deveria inspirar-se na investigação de soluções para os grandes desafios humanos. Denunciar as tragédias da injustiça é papel essencial da imprensa, mas não basta, é preciso investigar soluções. No campo da nossa psicologia e do potencial humano de transcendência, o jornal cumpre um lindo papel: tem ótimos colunistas e excelentes textos dedicados a temas muito bem selecionados, verdadeiramente relevantes. Sou grato de ser entrevistado e sintome honrado por falar a seus leitores – certamente gente que está na caminhada em busca de seu próprio “centro”. Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? Gostaria de convidar a todos ao que costumo chamar de “pão nosso de cada dia”: que dediquem pelo menos dez minutinhos por dia a sentar-se silenciosamente apenas observando o que quer que aconteça no nível do corpo, na esfera dos pensamentos ou no universo das emoções. Só observar, sem nada analisar, julgar, justificar ou concluir. é desta dieta que somos levados ao reino de Deus... Ao paraíso aqui e agora.


JORNALZEN

4

Silvia Lá Mon Respeite os contratos e compromissos Todos os dias tenho feito uma brincadeira em minha página no Facebook, postando uma frase de conselhos dados por Gurdjieff, mestre espiritual greco-armênio. A partir de uma dessas frases, a que dá título a este artigo, gostaria de refletir sobre um fenômeno que ocorre na rede social. Sempre que promovo palestras e cursos, crio um desses eventos em espaço próprio do Facebook no qual podemos convidar nossa rede de amigos. No mais recente, em torno de 50 pessoas haviam confirmado participação e mais 25 marcaram a opção “Talvez”. No dia da palestra, mais umas cinco pessoas ligaram confirmando presença. Resultado: no máximo oito compareceram. Acho que esse fato merece um estudo sociológico. Parece fácil comprometer-se virtualmente, assim como parece igualmente fácil se comunicar, expressar suas ideias, aderir a uma causa ou movimento, mas a ação presencial não ocorre. Entre os jovens, a situação é ainda pior: virtualmente, são amigos íntimos, mas quando se encontram pessoalmente, mal se cumprimentam ou até fingem que não conhecem. Tenho ficado cada vez mais estarrecida com a facilidade com que

as pessoas descumprem acordos, contratos assinados ou combinados verbais, em todas as esferas. Talvez esse comportamento seja um câncer social que está crescendo e pode se tornar algo letal. Os sintomas são frustração, decepção, prejuízo moral e financeiro, constrangimento, mentira, falsa persona e tantos outros sendo descobertos. Precisamos resgatar nossos valores pessoais. Parece que ficou para trás aquela história de a palavra empenhada “no fio do bigode” valer mais do que um papel assinado. É dessa forma que uma sociedade se desmorona, quando não cumpre a lei, nem a palavra dada, nem o nome assinado. A verdade é uma só: se todos seguissem o que o Grande Mestre nos ensinou – amar ao próximo como a ti mesmo – não precisaríamos nem de leis. Fica a dica: se confirmar a presença num evento, compareça, pois a pessoa que convidou está contando com você. Se faltar a uma consulta, avise com antecedência. Se estiver incapacitado de assumir um compromisso, não assine. Simples assim. E todos viveremos na verdade e em paz. la.monica@terra.com.br cronicasdesilamon.blogspot.com

AGOSTO/2012

PANORAMA IOGUE INDIANA A indiana Santosh Kukreja, diretora adjunta da Brahma Kumaris para a Rússia e Países Bálticos, está no Brasil para celebrar o Festival de Rakhshabandhan, cerimônia que ocorre sempre no mês e agosto. Depois de passar por Salvador (BA), Limeira, Campinas e Serra Negra, Santosh encerrará sua visita ao País dia 12 de agosto, às 18h30, na sede da Brahma Kumaris em São Paulo (Perdizes). Mais informações: (11) 3864-3694. PARCERIA E INCLUSÃO O Educandário Deus e a Natureza, de Indaiatuba, firmou parceria por meio da qual 20 pessoas desempregadas foram treinadas e registradas como funcionários da Petrus Incorporadora. Eles atuaram como pedreiros em obra da construtora. O treinamento durou três meses. Quinze funcionários foram efetivados. A Petrus bancou o instrutor e o material para o curso na estrutura do canteiro de obras “escola” oferecida pelo Educandário. FEIJOADA DO BEM 1 A décima edição da Feigioada Solidária, dia 25, das 12h às 17h, no Giovannetti Cambuí, ajudará cinco entidades beneficentes de Campinas. O convite (90 reais) dá direito a camiseta e ao cardápio preparado para a data. Haverá música ao vivo e sorteio de brindes. Mais informações pelos telefones (19) 3242-4416, 3795-4690, 3246-0894, 3242-3211 e 3233-6644. FEIJOADA DO BEM 2 Outra feijoada marcada para o mês de agosto, a do grupo de empresários Amigos do Bem, terá como atração o ex-piloto e atual DJ Raul Boesel. O evento oficial em benefício do Centro Infantil Boldrini promete reunir cerca de 400 convidados dia 19, das 13h às 19h, no Boteco São Bento, em Campinas. Mais informações pelo telefone (19) 3787-5000, com Cristina. CHÁ DO BOLDRINI O Grupo de Artesanato e Costura do Núcleo do Voluntariado do Centro Boldrini realiza no dia 15 de agosto, no hotel The Place em Campinas, a 21ª edição do tradicional Chá das Xícaras. Além do chá e bufê, o convite antecipado (100 reais) dá direito a uma xícara e cartelas para os sorteios de 30 prêmios, entre eletrodomésticos e artigos de cama, mesa e banho. Mais informações: (19) 3242-6618 e 3237-8846, com Valéria. CONCURSO LITERÁRIO Criado há dez anos pela escritora Dulce Ariemo, o projeto Espantaxim lançou a segunda edição do Concurso Nacional Literário Infantil, ação de incentivo à escrita e à leitura visando revelar novos escritores. Os participantes – crianças com idade entre 7 e 12 anos – devem enviar texto manuscrito sobre o tema “Olimpíadas” até o dia 18 de agosto, conforme regulamento no site espantaxim.com.br . JOVENS EMBAIXADORES As inscrições para a 11ª edição do programa promovido pela Embaixada dos Estados Unidos foram prorrogadas até o dia 26 de agosto. Voltada aos alunos de escolas públicas de todo o Brasil, a ação levará 35 estudantes brasileiros aos Estados Unidos, por três semanas, no início de 2013. Podem participar jovens com idades entre 15 e 18 anos que estudem no ensino médio da rede pública. Mais informações: jovensembaixadores.org/2013 .


AGOSTO/2012

JORNALZEN

5


JORNALZEN

6

AGOSTO/2012 INFORME PUBLICITÁRIO

MOMENTO DE REFLEXÃO JOÃO BATISTA SCALFI - scalfi@terra.com.br

Amor e caridade O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, porque amar ao próximo é fazer-lhe todo o bem que está ao nosso alcance e que gostaríamos que nos fosse feito. A justiça consiste no respeito aos direitos de cada um. A caridade, segundo Jesus, não está restrita à esmola. Ela abrange todas as relações para com os semelhantes. O homem verdadeiramente bom procura realçar o inferior aos seus próprios olhos, diminuindo a distância entre ambos. O amor é a essência divina; nasce na excelsa paternidade de Deus.

É uma emanação sublime, encontrase inserido na vida. Quando o psiquismo, em forma primitiva, mergulha na aglutinação molecular, dando assim o início do grandioso processo evolutivo dos seres. A faísca divina que vitaliza os diversos reinos da natureza se propaga de estágio em estágio, até alcançar a plenitude. Nesse processo, existe a necessidade do amor como elemento impulsor para as conquistas dos mais nobres níveis de consciência, que são responsáveis pela beleza, pelo conhecimento cultural e moral, pelas realizações afetuosas e pela solidaridade humana.

ASTROLOGIA DA ALMA RICARDO GEORGINI - ricardogeorgini@yahoo.com.br

Leão: consciência de si O mantra espiritual de Leão é: “Eu sou Aquele e Aquele sou eu.” O eu mencionado nesse mantra não é o pequeno eu pessoal ou a nossa personalidade (mental, emocional e corporal). O mantra fala sobre a ampla consciência do Eu Superior ou alma, que sabe que é um com o Todo Maior (“Aquele”). Mas nós somos simplesmente humanos, e isso significa que cada um de nós ainda está no caminho de descobrir que é a alma, para assim descobrir a sua unidade com tudo e com todos. Sob o Plano Evolutivo, o progresso da consciência começa pelo desenvolvimento de uma consciência individual ou pessoal, que depois se amplia tornando-se consciência grupal ou coletiva, e ainda depois chega a ser consciência planetária ou univer-

sal. Mas para garantir esses desenvolvimentos posteriores, deve haver aquele ponto de partida consistente, aquele firme ponto de apoio para a consciência, e esse é o eu pessoal. A consciência individual ou autoconsciência é apenas o começo da jornada espiritual consciente, mas é um passo tremendo, profundamente significativo e imprescindível. O processo de desenvolvimento do eu pessoal é marcado por muitas características e buscas que tenderíamos a classificar como antiespirituais, mas que são simplesmente a preparação para a espiritualidade. No mundo das formas materiais, todas as coisas são conhecidas por comparação, e assim o eu busca conhecer a si mesmo comparando-se e competindo com os demais. O eu testa o seu

O amor maternal é uma virtude, é um sentimento instintivo, comum aos seres humanos e aos animais. A natureza transfere à mãe o amor pelos filhos no sentido de sua proteção e aprendizado. Somente é capaz de amar outrem aquele que se ama. É indispensável que haja a autoestima, o autorrespeito e a consciência da dignidade humana. Amando-se, o indivíduo amadurece os sentimentos de compreensão da vida, permitindo o crescimento moral e espiritual. Há duas espécies de afeição: a do

corpo e a da alma. A da alma é pura, simpática e durável e a do corpo é perecível e passageira. É preciso não esquecer que é o espírito que ama, não o corpo. Como disse Jesus: amai-vos uns aos outros como irmãos. Eis a lei universal pela qual Deus governa os mundos. A vida sem amor não tem sentido.

próprio poder desafiando o mundo ao seu redor. Para construir e consolidar a própria identidade, o eu procura afirmar-se perante os outros. Mas quando, por meio dessas experiências, o eu finalmente conhece o seu valor, todas essas características da consciência imatura são naturalmente transcendidas e dão lugar a outras buscas, mais amplas. A compreensão do próprio eu torna possível compreender que o outro também é um eu. Ao conquistar a consciência de mim mesmo, posso deixar de me comparar com outro e começar a ter consciência do outro. Então o outro deixa de ser para mim apenas um objeto, e torna-se, por assim dizer, um co-sujeito. A competição dá lugar à busca de cooperação. O indivíduo descobre aquilo que tem em comum com os seus semelhantes, e se une a eles para empreenderem uma busca grupal. Assim o indivíduo coopera com o grupo, não por lhe faltar desenvolvimento e poder pessoal para fazer diferente, mas porque começa a ter consciência de si como uma

célula do grupo. Ele se identifica com o propósito do grupo e escolhe apoiálo. A cooperação consciente é, portanto, muito mais que estar junto, seguindo o rebanho; é uma participação voluntária e inteligente, fazendo a diferença, co-criando, enriquecendo e fortalecendo o grupo. Através da experiência grupal, além de compreender que existem outros eus no mundo, o indivíduo começa a compreender também que existe um Eu Uno, abarcando todos os eus em Si. Finalmente, ele começa ter consciência de si como uma célula do Uno ou do Todo Maior (Deus, como alguns preferem chamar). Então o eu considera a si mesmo como apenas um representante e agente do Uno, e a genuína consciência disso é simplesmente um perfeito equilíbrio entre valor próprio, humildade e responsabilidade. Talvez o maior mistério sobre Deus seja que Ele está verdadeiramente no ser humano. E talvez a maior revelação sobre o ser humano seja que ele é verdadeiramente expressão de Deus.

Fonte de pesquisa: Viva bem sem depressão (Severino Barbosa); Pensamento e Vida (Emmanuel/Francisco Xavier)


AGOSTO/2012

JORNALZEN

Rede Unipaz promove em SP o 3º Festival Mundial da Paz Realizado a cada três anos e promovido pela Universidade Internacional da Paz (Unipaz), a terceira edição do Festival Mundial da Paz (Festpaz) acontecerá em São Paulo, entre os dias 6 e 9 de setembro. Tendo o Parque do Ibirapuera como palco, o evento de 2012 será aberto às 17h do dia 6, com a chegada da Chama da Paz (símbolo da mobilização). A chama foi acesa em 11 de abril, no Teatro Bourbon, em São Paulo, em evento para 1.500 pessoas e passará por todas as regiões da cidade antes de chegar ao parque. Com distintas atividades – jogos cooperativos, meditação, caminhada, ioga, oficina de artes, dança, música, teatro, literatura –, o festival se propõe a congregar pessoas para partilhar e manifestar sua cultura de paz de forma individual e coletiva.

Este festival multicultural espera atrair 200 mil pessoas e 5 mil voluntários. A primeira edição, em 2006, foi realizada em Florianópolis (SC) e aberta pelo então ministro da Cultura, Gilberto Gil; a segunda, em 2009, em Goiânia (GO), teve sua abertura oficial feita pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A Unipaz foi fundada em 1987, em Brasília, pelo francês Pierre Weil, que viveu a maior parte de sua vida no Brasil e morreu em 2008. Atualmente, há 18 unidades da instituição espalhadas pelo País (incluindo Campinas), além de seis outras localizadas na França, em Portugal, na Argentina, no México, na Inglaterra e no Equador. Em harmonia com as propostas de universalização da paz, esses países promoverão ações similares e simultâneas ao festival de São Paulo.

7 INFORME PUBLICITÁRIO

As visitantes anuais Anualmente, as enercombater os efeitos malégias das casas e cômovolos, neutralizadores, dos são recombinadas, fortalecedores e protetoe o que estava sendo res são empregados ou refavorável pode virar posicionados no imóvel. desfavorável. O assunto é bem Uma energia (ou escomplexo para ser detatrela) visitante anual lhado neste espaço, mas desfavorável como a o importante é que essa Terra-Amarela (2012 no mudança começa por Sudeste), que se aloja volta do nosso mês de Miguel Mello em um dormitório onde outubro, com o ápice em Consultor de feng shui já existe energia semefevereiro. Já notaram lhante, tem os seus efeitos soma- que outubro é um mês conturbados e é capaz de agravar muito a do? Por isso, no Oriente, basta se saúde da pessoa. aproximar outubro para observarmos Imagine se ela for uma agitação que idosa ou já adoenvai até fevereiro: é tada! Ou então se a hora de todos reuma estrela Terranovarem o feng Preta (2012 no Norshui para trazer te) visita a entrada prosperidade e de um comércio: seevitar o azar no ria um ano de queda ano-novo. nas vendas. Para

VISITE O MEU SITE: www.fengshuiverdadeiro.blogspot.com.br

TERAPEUTAI APOIA ESTE EVENTO


JORNALZEN

8

AGOSTO/2012 INFORME PUBLICITÁRIO

VIDA & SEXUALIDADE SANDRA SEPULVEDA

Virgindade: sim ou não? “Virgem ou não virgem: eis a questão”. Este é o cume filosófico despertado pelos hormônios sexuais que inauguram a adolescência e a experimentação do relacionamento sexual. Dados estatísticos constatam que a iniciação sexual começa cada vez mais cedo e de forma pouco responsável (gravidez e HIV na adolescência – 12 a 18 anos). A primeira relação sexual e o consequente desvirginamento é uma etapa na entrada do mundo adulto e pressupõe consciência dos próprios atos. Falar de início de vida sexual significa falar sobre a capacidade em assumir responsabilidades, que é dada pelo amadurecimento físico, emocional e psíquico. E nesta fase de desenvolvimento psicossocial existem algumas discrepâncias no processo de amadurecimento destas três dimensões. O corpo do adolescente, pela ação hormonal apresenta-se biologicamente em condições de conceber um ato sexual. Os meninos entram na puberdade um pouco mais tarde que as meninas. Emocionalmente, está construindo a própria identidade, “Quem sou eu?”, “O que estou fazendo aqui?”, “O que eu quero neste mundo?”. Busca autoafirmação em situações de risco, em que os garotos provam a masculinidade e as garotas o tamanho da paixão. Psiquicamente, o adolescente encontra-se num estado infantilizado de onipotência, acha que tudo pode, e de onisciência, acha que tudo sabe. É dominado pelo pensamento mágico e imediatista, acredita que nada de errado irá acontecer e assim, em grande parte das vezes, age sem pensar. Já em relação às atitudes dos adultos, questiona tudo, quer saber dos porquês e busca contradições para justificar suas próprias transgressões. Simultaneamente, conforme o adolescente vai amadurecendo e assumindo responsabilidades, também deve vir fazendo parte da sua educação sexual o desenvolvimento de valores como a autoestima, o respeito pelo próprio corpo e o respeito pelo outro. Dado o que foi exposto, fica claro que para se ter uma comunicação eficaz com o adolescente é preciso que a conduta seja harmônica com o discurso, que os argumentos estejam pautados por dados de realidade. Então, só se ensina autoestima ao adolescente na medida em que se valoriza os próprios méritos e desculpa-se pelos enganos. O respeito pelo próprio corpo é ensinado através dos hábitos saudáveis, cuidado com a alimentação, regularidade nos exercícios físicos e consultas médicas preventivas. Já o respeito pelo outro é ensinado na medida em que as pessoas são tratadas com empatia e consideração. Concluindo, a resolução filosófica da virgindade se dá na interação com as próprias questões da adolescência e da sexualidade, no contexto familiar em que se está inserido. Não se pode assegurar o melhor momento, mas é possível tornar consciente os elementos com os quais o adolescente está lidando e o quanto ele já se desenvolveu ou não. Como no relacionamento sexual não se está sozinho, é preciso também conhecer o nível de consciência e maturidade da parceria. Sandra F. Sepulveda (CRP – 06/83606) é psicóloga sandra.sepulveda@terra.com.br

Drenagem linfática manual Nosso corpo, como porais também desloas árvores, as folhas, cam a linfa, tais como a os animais, é percorrirespiração, atividade indo por um líquido intestinal e compressões color e transparente externas, como a masque, contido nos vasagem. Permanecer por sos linfáticos, tem a longos tempos parado função de filtrar as imem uma só posição faz purezas do sangue. com que a linfa tenha a Quando a circulação tendência a se acumulinfática diminui ou lar nos pés, por influênmesmo se interromcia da gravidade, cauNeurelisa Feltrin pe, o material a ser sando o inchaço. Fisioterapeuta descartado fica estagAo contrário do sannado em algumas zogue, que é impulsionado nas do corpo, causando inchaços através dos vasos através da fordolorosos e afecções como espi- ça do coração, o sistema linfático nhas, celulites e os edemas pós- não é um sistema fechado e não operatórios. Nestes e noutros ca- tem uma bomba central. A linfa desos a drenagem linfática manual pende exclusivamente da ação de atua como descongestionante. agentes externos para poder cirApós cirurgias plásticas, alivia he- cular. A linfa move-se lentamente matomas e inchaços. Auxilia no e sob baixa pressão devido princitratamento da celulite, cujo acúmu- palmente à compressão provocalo se deve à falta de movimentos da pelos movimentos dos músculocais, que provoca a estagnação los esqueléticos que pressiona o da linfa nas células de gordura. fluido através dele, daí em alguO sistema linfático possui três mas patologias a necessidade da funções inter-relacionadas: 1) Re- massagem manual. moção dos fluidos em excesso nos A massagem de drenagem lintecidos corporais; 2) Absorção dos fática manual é um método de masácidos graxos e transporte subse- sagem altamente especializado, quente da gordura pelo sistema realizado com pressões suaves, circulatório; 3) Produção de células lentas, intermitentes e relaxantes, imunes (como linfócitos, monócitos que seguem o trajeto do sistema e células produtoras de anticorpos, linfático, mobilizando a linfa até os conhecidas como plasmócitos). gânglios linfáticos. Ela drena o líAo caminharmos, os músculos quido acumulado em determinadas da perna comprimem os vasos lin- regiões, melhorando a circulação fáticos, deslocando a linfa em seu e a oxigenação desse tecido, seja interior. Outros movimentos cor- abdome, coxa, glúteos, etc.


JORNALZEN

AGOSTO/2012

Transforme sua vida e se faça feliz Luiz Gabriel Tiago

S

empre pensamos que estamos prontos para tudo na vida e, principalmente, que sabemos o suficiente para resolvermos nossos problemas. Quem nunca se pegou dando conselhos a algum amigo e se sentiu o mais experiente? Essa ideia é muito natural, pois sempre passamos por atribulações que acabam fazendo com que a gente amadureça e aprenda pelo pior meio, que é o sofrimento. O importante nisso tudo não é se sentir o maioral e o onipotente. Mais importante que isso é saber aproveitar as mensagens que a vida deixou e (re)aprender com os desafios. Cada dia que vivemos é como se fosse um grande enigma a ser decifrado. E se pararmos para pensar, podemos enlouquecer. Subtrair as tristezas e maximizar os momentos felizes é fundamental para o equilíbrio emocional e estabilizar nossas almas. Devemos encarar todas as horas como desafiantes a nossa inteligência e como teste de sobrevivência. Longe do pessimismo, quero enfatizar que nada sabemos até experimentarmos. Temos que vivenciar e provar das alegrias, frustrações, vitórias e derrotas. Para muitos que têm esclarecimento e discernimento, perder pode significar uma vitória. Sabe aquela coisa do downsizing que aprendemos nos livros e que é bastante atraente? Significa que muitas vezes precisamos perder literalmente para podermos recomeçar e fazer uma rea-

valiação de nosso comportamento e se estamos de acordo com nosso plano e sonhos traçados para o futuro. Essas considerações são minimalistas e bastante egocêntricas, claro. Consideramo-nos os mais sofridos de todos os mortais e os nossos problemas sempre são os maiores do mundo. Mas, bem lá no fundo, sabemos que isso não é verdade. Um dia conheci uma pessoa que me relatou seus problemas e fiquei estarrecido. Classificava-me como o mais sofrido dos mortais e, de repente, mudei de opinião e tive que refletir sobre a felicidade. Aliás, refleti sobre a tristeza que eu não sentia. Era feliz e não sabia. Aproveito para retificar: sou e sempre fui feliz. O otimismo é minha segunda pele hoje. Não posso e não sei viver sem ele. Acredito fielmente na capacidade de transformarmos nossas vidas e mudarmos o curso do destino, pois só temos dois caminhos a seguir: ou nos entregamos (o que pode ser um caminho sem volta) ou damos a volta por cima. Por isso, a mensagem que quero deixar é de otimismo e paz. Pretendo transmitir a segurança interior e capacidade que cada um de nós tem em mudar as coisas. Podemos e devemos fazer as melhores escolhas e não ter medo de errar. Acertar sempre seria excelente, mas infelizmente só aprendemos quando erramos. Luiz Gabriel Tiago é escritor, palestrante e consultor em treinamentos

9 INFORME PUBLICITÁRIO

Energia Um desafio fenomenal da sustentabilidade a curto e médio prazos é a questão energética. Por um lado, temos um acréscimo populacional contínuo. Já chegamos à casa dos 7 bilhões e chegaremos a 9 bilhões com apenas mais 50 anos. Cada ser humano gasta energia. As sociedades mais industrializadas são calcadas nos produtos de baixa durabilidade, consome-se muito, com sobrecarga energética e produção de lixo. Os combustíveis fósseis produzem o efeito estufa. Mesmo com a captura de dióxido de carbono no parque industrial ainda há emissão para a atmosfera. O combustível nuclear derivado do urânio tem reservas limitadas e esgotar-se-á em menos de um século.

Portanto, a via natural é a utilização de energia renovável e não poluidora. O sol, os ventos, o movimenClélio Berti to das maDiretor da Unidade Flamboyant da rés e os rios Universidade de Yôga (Uni-Yôga) são as opções mais próximas, pois já temos tecnologia suficientemente desenvolvida para uma performance adequada. Nas novas construções ou nas reformas, algumas opções deverão ser consideradas. No próximo século haveremos de mudar significativamente o padrão de consumo energético para mantermos a saudabilidade do planeta.

YOGA PELA PAZ A sétima edição do evento que tem como objetivo oferecer ao maior número de pessoas ferramentas para uma vida mais consciente terá mais de 400 atividades gratuitas em escolas de ioga de mais de 20 cidades, de 13 a 16 de agosto. Em Campinas, haverá palestras e práticas no Espaço Spiralis, em Sousas, e no Instituto de Yogaterapia [veja programação na AgendaZen (página 2)]. O tradicional grande evento no Parque do Ibirapuera está marcado para o dia 19, com práticas coletivas e shows a partir das 10h. De 20 a 22 de agosto será promovido workshop de aprofundamento com renomados professores internacionais. Mais informações: www.yogapelapaz.org .


JORNALZEN

10

AGOSTO/2012 Silvia Lá Mon

CULTURAZEN Divulgação

Sandra Sepulveda durante palestra sobre sexualidade feminina no Círculo Militar de Campinas

Voluntárias do Educandário Deus e a Natureza na Noite da Sopa, que reuniu cerca de 600 pessoas em benefício da entidade no Indaiatuba Clube Silvia Lá Mon

Celebração do Sincronário da Paz com o grupo de estudos do calendário maia em Campinas Silvia Lá Mon

A cantora Lyra, Vera Lúcia Rangel e Maria Edna Chaves durante almoço beneficente em prol do GAPC Campinas no hotel fazenda Solar das Andorinhas

Participantes de curso com o xamã Samuel Souza de Paula na filial Campinas do centro holístico Vale do Sol e Vale da Lua, que está comemorando três anos de atividades


AGOSTO/2012

MANDALA PARA PINTAR

JORNALZEN

- SANDRA SONSIN CANDELLO -

11

Recanto do Poeta A pescaria Agora, ouçam um caso duvidoso. Juca, obcecado pela pescaria, reuniu as tralhas, todo habilidoso. Quando a esposa observou sua euforia, previniu-o do eminente e assombroso temporal; céu sem sol, nuvem sombria... e com chuva a ameaçar, vai o teimoso. Feliz, a linha na água com maestria, puxa que puxa, mas que coisa pesada? será um peixe enorme, ou o que, a fisgar? Mas, vejam, eis que surge na enroscada uma inteira bicicleta, tal qual luva. Todos se assustaram, vendo ele pedalar chegando, chegando, esperto antes da chuva. Geni Fuzato Dagnoni

Atributos femininos Com olhar transformador, Vê além das situações, Se projeta ao futuro... Realizando missões! Mais que frágil e feminina... Poderosa fortaleza! Mulher, amiga ou mãe... Profissional com certeza... És tu, símbolo eterno... De esplendorosa beleza! Juliana Perna


JORNALZEN

12

Tesouros da Vida JULIANO SANCHES

Dilemas da vida contemporânea Os serviços públicos, infelizmente, mais alienam do que fortalecem o jovem (principalmente a escola – do ensino fundamental ao ensino médio). Professores: baixo investimento, salários indignos... Hoje, num exemplo hipotético, se uma pessoa quer trabalhar como encanador, e chega numa seleção de RH, muitas vezes, as empresas falam que o certificado I e a experiência W na área são insuficientes. Eles falam: “Nós queremos um encanador, com formação pela escola X, com dois anos de experiência do tipo Y. Ah! E o encanador ainda tem que ter o curso de aperfeiçoamento em Canos Z, para atender à resolução H, da lei J”. A hiperexigência de especialização do mercado tem gerado crises entre as profissões. O que faz com que as pessoas se sintam “desajustadas socialmente”. As pessoas vivem um “violento” complexo de comparação, estimulado pelos valores da mídia (novelas, filmes “comerciais”). As autoexigências, criadas em torno do atendimento às imposições externas, têm gerado crises sociais, existenciais. As pessoas se rendem a um ideal enlatado de vida, e tentam pagar o preço para segui-lo, sem perceberem, com exatidão, o quanto colo-

cam em risco a própria existência, em troca de uma “pacote-de-comoviver”, que foi pensado apenas como indutor de consumo. É preciso cautela ao se deparar com embalagens de felicidade. O que é válido para alguém, não é para o outro. As pessoas se separam, por exemplo, de um relacionamento, e fazem uma viagem, enquanto compensação do sentimento de autoabandono –, com o desejo de não viverem o sofrimento e a dor do luto inerentes à condição. Mas, não resolve a questão. A culpa cresce. E os problemas do relacionamento não são elaborados. A geração de expectativas, a crença em melhorias futuras de comportamento do outro, o desejo possessivo, o apego, os ciúmes geram inúmeros gargalos de relacionamento. Crises emocionais, que não podem ser resolvidas com questões paliativas. Não adianta adotar um procedimento apenas para camuflar um malestar. Nem se tornar hipocondríaco. Nem fazer viagens aleatórias. A renúncia às imposições de modos de vida é uma maneira de enfrentar o mal-estar civilizatório. Não adianta acreditar em soluções rápidas, que agravam ainda mais a dor e o sofrimento. Juliano Sanches é jornalista e palestrante casadojulianosanches.blogspot.com julianoluis@ig.com.br

AGOSTO/2012 INFORME PUBLICITÁRIO

Prótese de joelho A substituição protética do joelho é uma intervenção na qual o joelho é substituído por um componente protético de metal e plástico. A parte inferior do fêmur e a parte superior da tíbia, que formam o joelho, são extraídas através de uma incisão na parte anterior do joelho e substituídas por um componente metálico na parte inferior do fêmur e um componente de plástico e metal na parte superior da tíbia. Pode-se, também, substituir a rótula. A operação tem como finalidade diminuir a dor, mas, além disso, pode aumentar a mobilidade do joelho. O cirurgião pode lhe aconselhar essa intervenção se as dores no joelho não puderem ser controladas de nenhuma outra forma. A operação dura aproximadamente uma hora e o paciente permanece no hospital de cinco a dez dias. A intervenção é realizada através de uma incisão de 25 a 30 centímetros na parte anterior do joelho. Os pontos ou os grampos são retirados habitualmente aos 10-14 dias da intervenção. O tempo para voltar para casa depende em parte das circunstâncias sociais de cada um; as pessoas com escadas na residência ou escadas para acessar à mesma

podem requerer mais tempo do que aquelas que não apresentam essas barreiras. Os paciAlessandra Dalan entes com ajuFisioterapeuta da de familiares ou acompanhantes terão um pós-operatório mais cômodo. A volta ao trabalho é realizada normalmente em três meses, mas muitos pacientes, especialmente aqueles com uma atividade sedentária, podem voltar antes. Pode-se dirigir habitualmente a partir da oitava semana e a maioria das pessoas sobe e desce escadas na semana seguinte à intervenção. O reabilitador e o fisioterapeuta lhe ajudarão com a mobilização do joelho e com a recuperação depois da intervenção. Pode ser necessário um tratamento de reabilitação ambulatório durante algumas semanas se o joelho estiver muito rígido antes da cirurgia. Todas as intervenções têm seus riscos e a substituição protética do joelho não é diferente. Os riscos devem ser compreendidos perfeitamente pelo paciente e seus familiares antes de ser operado.


AGOSTO/2012

JORNALZEN

13 INFORME PUBLICITÁRIO

Psicologia e saúde: a cura através da palavra 1 ANO

A psicologia tem como ência da mente. objeto de servir-se dos A percepção que métodos das ciências captamos do mundo, naturais: o experimento por meio dos órgãos e a observação. O expedos sentidos, constrói rimento consiste na inideias, pensamentos e terferência proposital conceitos que, algumas do pesquisador. A observezes, não corresponvação refere-se à apredem à realidade, mas a ensão de fenômenos e percepção se apresenobjetos, sem interferênta como real e verdacia do observador. EsClerison S. Garcia deira. A psicologia tem ses dois métodos de incompetência sobre esPsicologia Clínica vestigação dão origem Especialista em Emergências ses conflitos e distora duas formas compleções, entre a percepção Mestrando em Medicina mentares de estudo psie a realidade. cológico: a psicologia individual/fiA psicologia tem a comunicasiológica e a observação dos pro- ção, verbal ou não verbal, como dutos mentais que investigam e sua principal estratégia. O simples analisam os processos psíquicos. ato de contar o que vem aconteNossa vida é repleta de aspec- cendo, já indicam uma melhora, o tos importantes: a linguagem, a re- poder compartilhar diminui a ansieligião, os costumes, as sensações, dade e a angústia. É o processo os medos, os pensamentos e as através do qual um conteúdo psífantasias e nem sempre podem quico é trazido à consciência, e, a ser explicados em termos da partir daí, é preciso estimular a criaconsciência do indivíduo, logo a tividade para transformar em atitupsicologia é considerada uma ci- des saudáveis e de bem-estar.

CONTATO: (19) 8358-2830 ou clerison_garcia@yahoo.com.br

Façam suas apostas... Preto 22 Luiz Roberto da Costa Júnior

N

a numerologia, o número 22 representa o mestre espiritual atuando no mundo material. As características positivas indicam o altruísmo, a filantropia, a praticidade, o equilíbrio e o idealismo com senso prático. Por estar voltado para o coletivo, quem tem o número 22 possui uma excelente capacidade para entender os outros e, ao usar sua força interior, é capaz de realizar projetos que transformam sonhos em realidade. Do ponto de vista religioso: há 22 letras no alfabeto hebreu; há 22 capítulos no livro Apocalipse na Bíblia; há o salmo 22, que é aquele que Cristo cita o primeiro versículo durante a crucificação: “Meu Deus, Meu Deus, por que me abandonaste?”; na cabala há 22 caminhos entre as dez emanações chamadas sephiroth. No tarô há 22 arcanos maiores que podem ser numerados de 0 a 21 (a carta O Louco é zero) ou de 1 a 22 (a carta O Louco é 22). Portanto é uma questão de interpretação se é a carta O Louco (quando é 22) ou se é a carta O Mundo (carta 21 se O Louco é zero) que representa a 22ª carta dos arcanos maiores. Os 22 arcanos maiores representam os estágios da evolução humana através do simbolismo de suas cartas. O bara-

lho de tarô com 78 cartas possui também 56 arcanos menores que possibilitam o acréscimo de detalhes para a análise mais pormenorizada e compreensão dos arcanos maiores. As cartas do tarô representam a evolução do ser humano no plano terreno e no plano espiritual. Os arcanos maiores revelam a dualidade (união do corpo e da alma), assim como a possibilidade de transparência do oculto, apresentando conhecimento e sabedoria. A linguagem das cartas fala de um universo de significados com o qual estabelecer uma comunicação. Os arcanos maiores revelam as diversas maneiras do ser (no plano interior e no plano exterior) e serve de instrumento tanto de autoconhecimento como de possibilidade para estudos filosóficos, psicológicos e históricos em busca da essência humana e universal. Para analisar o significado do número 22 na roleta deve-se antes recorrer à cena do filme Casablanca: Annina Brandel pergunta a Rick Blaine se o Capitão Renault manterá a palavra de que vai “ajudá-la” a conseguir o visto de saída mesmo ela não tendo dinheiro. Rick Blaine confirma que sim, mas em tom ríspido aconselha que o casal volte para a Bulgária. O casal tem problemas, assim como todos em Casablanca. Ilsa Lund entra acompanhada de Victor

Laszlo, no Rick’s Café Américain, no instante em que termina a referida conversa. Rick Blaine vê o casal entrar, indica-lhes a mesa 30, dirige-se a Sam para que toque As Time Goes By, depois verifica o faturamento da noite e em seguida dirige-se à mesa de roleta onde pergunta para Jan Brandel se ele já apostou no número 22, sob o olhar de Emil, o crupiê. Então, o número 22 sai duas vezes em seguida e o casal búlgaro consegue o dinheiro para obter os vistos. Começando pela carta O Mundo (carta 21, mas a 22ª carta se a carta O Louco é zero), temos uma carta de movimento (das mudanças naturais) que normalmente não é boa para o amor. Salvo se for uma relação que está começando então é positiva para o amor (casal búlgaro). O Mundo é um arcano maior que indica que relacionamentos vividos intensamente, mas que empacam, não seguem em frente, acabam terminando e ficando um sentimento de frustração e tristeza indicando que a missão foi cumprida (Rick Blaine & Ilsa Lund). Ao mesmo tempo, a carta O Mundo possui um fator humano importante que é a fé que impulsiona a crença na Energia Universal para enfrentar grandes obstáculos, sem medo de novos desafios. Vamos analisar agora a carta O Louco começando como zero e terminan-

do como 22. Esta carta indica a necessidade de ficar sozinho (vemos Rick Blaine no início do filme sozinho com seu tabuleiro de xadrez), retirando-se do meio dos outros em busca de respostas no seu íntimo. Muitas vezes o destino se apresenta sem pedir permissão e produz uma mudança em sua perspectiva (Rick Blaine revê Ilsa Lund ao som de As Time Goes By). Depois ele precisa dominar seus medos ao relembrar o sentimento do amor (cena do flashback que termina com Rick Blaine entrando no trem sem a sua amada; ele teme nunca mais vê-la, não sabe o motivo e nem tem uma explicação). Ao parar e ver o mundo com os olhos do espírito, aprende-se a importância da doação, sente-se o medo de perder, mas ao romper, pode-se harmonizar e equilibrar para começar de novo num processo de transformação (Rick Blaine entrega as cartas de trânsito para o casal partir para Lisboa e em seguida decide acompanhar o Capitão Renault para Brazzaville, onde há tropas da França Livre, quando termina o filme). A carta O Louco indica o início, o meio e o fim. Como número 22, a carta O Louco indica que o ser humano chegou ao final de sua jornada e sua sabedoria permite o desapego. A riqueza está em sua alma e ela está pronta para reiniciar a jornada. Luiz Roberto da Costa Júnior é mestre em ciência política pela Unicamp e autor do livro Casablanca: Política, História e Semiótica no Cinema


JORNALZEN

14

Aprendizado e memorização Miriam Regina Xavier de Barros

A

dificuldade de aprender e memorizar novos conceitos é mais frequente do que se imagina e está relacionada com a dificuldade que temos de manter a concentração, ou seja, o foco mental em um assunto. Quando a mente está realmente concentrada no assunto que está sendo apresentado ou lido, o aprendizado é muito eficiente e a memorização se torna fácil. A grande questão é: como se pode conseguir aumentar a capacidade de concentração? Através de algumas práticas da ioga, é possível melhorar a concentração. A realização de posturas de equilíbrio favorece muito o aumento da concentração, pois são posturas que exigem atenção da mente no corpo, para que este consiga se manter estável. Indicamos aqui três posturas de equilíbrio em pé, que podem ser praticadas visando o objetivo de aumentar a concentração: • Postura da prece, ou Prarthanasana, na qual colocamos o pé direito à frente do esquerdo, de forma que fiquem alinhados e as pontas dos dedos do pé esquerdo toquem o calcanhar do pé direito. As palmas das mãos ficam unidas em prece em frente ao peito. Após executar a postura durante algumas respirações profundas, invertemos a posição dos pés e realizamos a postura deste outro lado durante o mesmo intervalo de tempo. • Postura da árvore, ou Vrikshasana, na qual apoiamos o pé direito firmemente no chão e dobramos a perna esquerda ao lado, apoiando a sola do pé esquerdo na parte interna do tornozelo, do joelho ou da virilha, onde for mais confortável e possível. As palmas das mãos ficam unidas em prece em frente ao peito ou acima da cabeça. Após executar a postura durante algumas respirações profundas, invertemos a posição dos pés e realizamos a postura deste outro lado durante o mesmo intervalo de tempo. • Postura do dançarino ou Natarajasana, na qual apoiamos o pé direito firmemente no chão e dobramos a perna esquerda para trás, elevandoa e segurando o dorso do pé atrás do quadril com a mão esquerda. O braço direito fica esticado à frente do corpo. Se for possível, afastar o pé esquerdo do quadril. Após executar a postura durante algumas respirações profundas, invertemos a posição dos pés e realizamos a postura deste outro lado durante o mesmo intervalo de tempo.

Para facilitar o equilíbrio e a estabilidade do corpo nas três posturas descritas acima, podemos fixar o olhar em um ponto imóvel à nossa frente na parede ou no chão. No início da prática há uma certa dificuldade para manter a estabilidade nas posturas, em função da dificuldade de manter a concentração. Com a prática constante, a realização da postura vai ficando mais fácil e conseguimos ficar imóveis de forma cada vez mais estável. À medida que conseguimos manter o corpo mais estável na postura, é possível fechar os olhos por alguns segundos durante a sua realização. Desta forma, estas posturas podem ter seus efeitos intensificados, no que se refere a melhorar a capacidade de concentração do praticante. Além da realização das posturas de equilíbrio, a prática da meditação também pode ajudar muito na melhoria da concentração, favorecendo também o aprendizado e a memorização. Em geral nossa mente está ocupada com muitas questões ao mesmo tempo e não há espaço para conceitos novos. A meditação acalma a mente, liberando-nos temporariamente destas questões que a mente nos traz. Para obtenção de bons resultados na meditação, é importante sentar-se em uma posição confortável, com a coluna reta e perpendicular a chão e com os ombros ligeiramente voltados para trás e a cabeça alinhada com a coluna. Pode ser em uma cadeira ou sobre um colchonete no chão, com as pernas cruzadas. As mãos podem ficar apoiadas sobre os joelhos ou sobre as coxas. Para acalmar a mente, é necessário manter o corpo estável e tão imóvel quanto possível. De olhos fechados, procuramos inspirar e expirar lenta e profundamente, durante alguns minutos e depois deixamos a respiração livre, procurando observála. Este exercício ajuda a acalmar a mente e favorece a meditação. A meditação também pode ser realizada após a prática das posturas de equilíbrio, pois estas acalmam o corpo e a mente, e isso facilita a entrada no estado meditativo. Após o exercício respiratório, é interessante mentalizar o objetivo para o qual estamos realizando a meditação, por exemplo, “eu consigo aprender rapidamente”, “eu memorizo os conceitos facilmente”. Boa prática! Miriam Regina Xavier de Barros é instrutora na MahaDevi Yoga e na Padma Yoga e Terapias

AGOSTO/2012

Pensamentos de

Padre Haroldo Espiritualidade: os limites dos pais Os recursos materiais e emocionais dos pais têm limites. Portanto, assumam, tranquilamente, suas limitações. Seja rico ou pobre, nossos recursos materiais são limitados. Quer dizer que coisas materiais não resolvem problemas espirituais. Claro, coisas materiais ajudam. Por exemplo, os pais têm de ter dinheiro pelo menos para pagar o ônibus que os levam às reuniões de Amor-Exigente. É necessário ter uma casa, alugada ou não, e ter refeições. Somos somáticos e temos que comprar roupas. Evidentemente, precisamos de verba para viver. Emoções são muito mais difíceis. Uma emoção é o espírito mental influenciando o corpo à alegria ou tristeza. Emoções têm degraus: são bem negativas, ou muito positivas. Dificilmente controlamos nossas emoções. Para viver bem e corretamente com nossas emoções, uma espiritualidade profunda é necessária. Apesar disso, nem sempre usamos nossas emoções racionalmente. Cerebralmente, muitas ve-

zes, seguimos nossa parte límbica, não deixando nosso encéfalo nos guiar. Biologicamente falando, seguimos mais nossa parte animal do que o setor espiritual. Segue-se: sabemos que pais são limitados. Queremos a solução. É muito fácil resolver esse problema. Com a ajuda de Deus, lute para viver uma vida espiritual. Examine a consciência para ver se pelo menos está cumprindo com os Dez Mandamentos. As escrituras ensinam que devemos amar a Deus com todo o nosso coração, e com todo o nosso ser; e nosso próximo como a nós mesmos. Tentando viver este amor, controlamos bem nossas emoções. Em resumo, falaria como a Bíblia mostra que a única coisa necessária é amor. Vamos ver se nosso amor é exigente. Haroldo Joseph Rahm é fundador da Instituição Padre Haroldo, para pessoas com síndrome de dependência alcoólica e química, em Campinas. Telefone: (19) 3794-2500. hrahmsj@yahoo.com


JORNALZEN

AGOSTO/2012

15 INFORME PUBLICITÁRIO

Líricas Bulhufas MARCELO SGUASSÁBIA

No center do shopping Meus irmãos, as negociações da venda da fazenda para a construção do shopping entraram num impasse sem solução à vista. Ainda que a gente tenha metade da propriedade, o pai é dono dos outros 50%, e pra complicar ele ainda tem o usufruto da casa-sede. O velho continua batendo o pé dizendo que não sai da casa de jeito nenhum, mesmo que tenha que desviar da fila do McDonald’s pra tirar leite das vacas. Tentei argumentar dizendo que ele não iria aguentar a muvuca, o trânsito de carros pra cima e pra baixo, o barulho... O pai me respondeu aos berros, falando que o bisa, o vô, ele, nós e os nossos filhos nascemos todos naquela casa – e que ele, pelo menos, só saía de lá pro campo santo. Bateu a porta e se trancou no escritório, onde nos últimos tempos passa horas lustrando a cartucheira. E o pior é que não tem jeito. Dentro da fazenda, a topografia ideal pra construir o shopping é bem na área onde está a casa. Além disso, mesmo se houvesse outro ponto pra fazer a obra, não daria visibilidade pra quem passa na estrada. O restante das terras seria pra construir estacionamento, depósitos, espaço para eventos, tratamento de esgoto, essas coisas. Só que agora tem um fato novo: o pessoal da empreiteira parece que é tão louco quanto o velho e sugeriu deixar a casa onde está, construindo o shopping ao redor dela. Ele se chamaria “Casa Grande Supercenter” e a vivenda no centro dele seria apresentada à imprensa e aos lojistas como uma espécie de construção histórica preservada pela administração do empreendimento. Segundo os caras, isso daria um ganho de imagem, como se o shopping tives-

se respeito pela cultura e pela tradição local – o que seria positivo perante a opinião pública. Ou seja, eles literalmente contornam o problema e ainda ficam de “bonzinhos” na história toda. Só que não dá pra imaginar o pai morando lá e a cidade inteira passeando e fazendo compra em torno dele. Como é que ia ficar a privacidade do velho? A gente ia ter que tirar ele da casa de qualquer forma. Uma alternativa é deixar a coisa acontecer e esperar ele mesmo mudar de ideia, quando o shopping começar a funcionar. Provavelmente o povo lá da empreiteira trabalha com a possibilidade de vencer o velho pelo cansaço, depois que o monstrengo abrir as portas. Agora, a questão financeira: se por acaso a gente ainda conseguir convencer o pai a sair e deixar os caras derrubarem a casa, eles pagam 150 reais por metro quadrado da fazenda. Multipliquem isso por 52 alqueires, sendo que cada alqueire tem 24 mil metros. Vamos ficar todos milionários! Porém, se a casa e o velho ficarem, o máximo que eles pagam é 10 reais o metro. Pergunto a vocês, meus irmãos: como é que saímos dessa? Acho que se a gente pedir mil reais por metro, os caras pagam – contanto, claro, que possam colocar a casa abaixo. Pensei em dopar o velho, misturando alguma merda no suco de graviola. Quando ele acordar no hospital, a gente diz que caiu um avião ou que jogaram uma bomba em cima da casa. O problema é que o pai não é bobo, ele vai ligar os fatos e pode querer descarregar a cartucheira em cima do pessoal da construtora... Alguém tem ideia melhor? Marcelo Sguassábia é redator publicitário www.consoantesreticentes.blogspot.com

A respiração na ioga A principal fonte de energia do corpo é a respiração. Podemos ficar dias sem comer e até sem beber água, mas alguns minutos sem respirar podem ser fatais. Os iogues ensinam que a melhor respiração é pelas narinas e produz muitos benefícios: o ar é filtrado, aquecido e levado diretamente aos pulmões; ganhamos mais calma e consciência do momento presente, por isso é um verdadeiro antídoto contra a ansiedade e evita os inconvenientes problemas da respiração pela boca, que são: mau hálito, secura na garganta, gases, agitação e distração mental. Quando estamos nervosos, o diafragma fica tenso, provocando uma respiração curta e ofegante e geralmente respiramos pela boca. Sem uma boa respiração, a circulação é prejudicada e isso afeta a saúde de todo o corpo. Além da respiração pelas narinas, a ioga também nos recorda que temos quatro fases da respiração: inspiração, retenção de ar, expi-

ração e pulmões vazios. Uma técnica é ensinada ao iniciante das práticas de ioga. Consiste em senMárcio Assumpção tar-se com a Professor de ioga e diretor coluna ereta do Instituto de Yogaterapia e praticar um ritmo de quatro tempos em cada fase da respiração, ou seja, inspire em quatro segundos, retenha o ar em quatro segundos, expire em quatro segundos e mantenha os pulmões vazios por mais quatro segundos. Na Índia, país de origem da ioga, é comum escutarmos uma lenda que diz que nascemos com um número contado e certo de respirações, quanto mais rápidos respiramos, mais cedo morremos, pois “gastamos” nossas respirações. É fato que um estilo de vida estressante e ofegante gera muitas doenças e mata mais rápido. Será só uma lenda?


JORNALZEN

16

AGOSTO/2012

Mistérios sempre hão de pintar por aí Samuel Souza de Paula

“A luz não vem do exterior. Ela está dentro de nós, ainda que não tenhamos olhos.” Jacques Lusseyran

É

uma bela tarde de segunda-feira quando percebo, de olhos fechados, uma luz entrar pelas janelas de meus pensamentos e, de alguma maneira, me fazer sentir os mistérios que vêm ornar as qualidades da vida interior. Escuto a canção Esotérico, de Gilberto Gil e penso nos “mistérios que sempre hão de pintar por aí”. Esses que dizem que quando pensamos de modo saudável nos tornamos saudáveis; e que quando nos deixamos levar pela leveza das canções da natureza nos tornamos leves também. É bem verdade que nós somos vida e a vida, meus amigos, não tem limites. Está sempre renovando seu estoque de mistérios ilimitados. Mistérios que sempre hão de pintar por aí... Sabe, penso que o mundo tem nos ensinado a correr, a trabalhar duro, a sair em disparada contra o tempo, nos esforçar ao máximo e lutar perdidamente em cada centímetro do caminho. E na maioria das vezes em busca do pódio, com garra e muita guerra, em detrimento da derrota do outro e de muitos. Talvez esses sejam

os reflexos de nossa guerra interior, verdadeiro espelho de nossa derrota interna e subjugação excessiva aos poderes de fora e do mundo. Muitas vezes obcecados pela busca desenfreada deixamos de olhar no lugar mais óbvio: dentro de nós mesmos. Enquanto o sol se esconde por detrás das montanhas, ou melhor, por detrás dos grandes edifícios e da fumaça dos automóveis, quero partilhar alguns sentidos e sensações que a natureza nos ensina. Se observarmos a terra e ouvirmos a natureza, reconheceremos que ela possui uma grande sabedoria para nos ensinar. Sabe por quê? Porque quando ela está em seu fluxo natural não há pressa, existe ali apenas a fluidez e a paz. Nós, seres humanos, acostumados com o alvoroço, apertamos o passo e cavamos onde antes havíamos plantado uma semente, para ver se já foi germinada ou se já tem algum fruto. Essa atitude pode até ser normal, mas não é da natureza. A natureza respeita e sabe que tudo tem o seu tempo e seu jeito certo de ser. E que o único caminho capaz de levá-lo à consciência é o seu próprio caminho, que é único. Uma sugestão da natureza que ouvi hoje: “A paz é o caminho mais saudável”. Uma outra coisa importante que precisamos deixar sair da esfera do conhecer e ir para a esfera do vivenciar organicamente é

que o amor suscita amor e isso é muito saudável. Amar-se para amar. Viver para ser vida. Sentir para ser. “O que estou alimentando dentro de mim?” É uma pergunta que sempre me faço com a intenção de prestar atenção a quantas anda minha consciência. Porque se formos honestos conosco mesmos haveremos de supor que ainda estamos muito condicionados pelo mundo; e a pergunta, para mim, desperta muitos mistérios. Conduz-me à sensação da possibilidade de ser natural, de reconhecer que a verdadeira magia é realizada no caldeirão da nossa mente. Sim, podemos aprender com nossos amigos, assim como podemos aprender com aqueles que acreditamos não serem tão amigos assim. Mas escute o que a natureza diz: “você também pode aprender consigo mesmo, com sua própria natureza!”. Por favor, observe. Preste aten-

Samuel Souza de Paula é educador, escritor e consultor bioxamânico. Estudioso do comportamento humano, desenvolve trabalhos de integração entre corpo, mente e espírito. Idealizador e apresentador do programa de entrevistas Consciência Próspera (WebTV) e co-apresentador do programa xamânico Sinais de Fumaça (WebTV). Espiritualista, pesquisador de técnicas ancestrais e modernas direcionadas ao crescimento pessoal, coordena a Roda de Cura Xamânica “Espírito de Gaia”. Parceiro da UMAPAZ, oferece diversos cursos sobre as sabedorias ancestrais e cultura de paz. www.espiritualidadenatural.blogspot.com samuelsouzadepaula@yahoo.com.br

Por que buscamos explicações sobre o comportamento humano? Vitor Sampaio

T

odas as vezes que me proponho a escrever sobre algum tema relevante dentro do universo humano a partir do meu entendimento técnico como psicólogo, procuro abordar não só assuntos relevantes, mas me questiono também sobre a influência que terá sobre o leitor. Não foi diferente desta vez, quando li uma reportagem sobre um experimento publicado na revista científica Science, onde aponta que 93% do comportamento humano é previsível. Tenho a estranha e crescente impressão de que nossa vida está cada vez mais guiada por uma busca de explicações. Mas não qualquer tipo de explicação. Buscamos informações que nos permitam saber a causa, a origem, o como acontece. Se pensarmos bem, remete a mais tenra infância: o vaso apareceu quebrado, quem foi? Desde cedo aprendemos que, no

convívio social, deve-se sempre achar o culpado e isso se reflete em tudo aquilo que buscamos hoje em dia em nossa sociedade. Talvez, de fato, essa seja a única previsibilidade do nosso comportamento: a busca incessante por explicações. Em um relacionamento amoroso, nunca fugimos de achar o culpado pela briga, ou mesmo, o culpado pelo fim. Quantas vezes acusamos nossos pais pelo estado em que nos encontramos atualmente? E o chefe, sempre culpado pela nossa infelicidade e miséria no trabalho. Achando o responsável nos habilitamos à segurança, afinal, já sabemos a causa do que nos acontece. Achar esta causa é uma busca humana. Não é à toa que muitas vezes nos voltamos aos psicólogos à procura das respostas dos nossos problemas. A figura do especialista parece guardar todas as explicações misteriosas sobre o ser humano e as causas dos

ção às suas sensações, tente ouvir o que elas dizem. O que dizem os seus exageros, as suas negligências, os seus incômodos. O que eles ensinam? O que eles querem dizer? Escute a natureza, ela ensina... Lembro-me que certa vez um sábio disse: “É melhor olhar para dentro de nós mesmos que para o óbvio”. Pode parecer repetição, mas escute, escute realmente seu coração, seu corpo, seus sentimentos, pois um canal intuitivo abre-se nessa magia da consciência, nessa magia natural. Reconheço que somos um misto de realidades misteriosas e mistérios realizados. E que ótimos mistérios sempre hão de pintar por aí. Somos um ser eterno que, nesta vida, optou por viver num planeta físico e num corpo material; mas, somos além de tudo isso, representantes do Grande Mistério. Fique bem! Muita paz, energia, amor e luz!

comportamentos misteriosos. Mas, como dar minha opinião sobre o comportamento humano se eu não acredito em causa e efeito? Se não tenho uma explicação causal, como opinar sobre qualquer coisa que envolva o comportamento humano? Falar coisas como “deve-se observar a pessoa” ou “a partir do seu entendimento sobre o assunto” parecem vagas e nada científicas. A busca pela causa é atendida com palavras mais fortes e precisas como “nós somos desta maneira” ou “agimos assim porque...”. O que dizer sobre o comportamento humano, sem oferecer falsas explicações causais? Resumidamente, a reportagem explicava que a pesquisa se baseou em dados anônimos coletados com operadoras de celular, mostrando que as variações nos deslocamentos das pessoas não eram aleatórias, ao contrário, seguiam um padrão. Desta forma, em 93% das vezes, se poderia de fato pre-

ver onde uma pessoa estaria em um determinado dia e horário. A pesquisa confirmava o senso comum que diz que a vida no dia a dia não sai da rotina casa-trabalho. Talvez a única coisa que eu possa dizer sobre o comportamento é que sua previsibilidade está apenas nesta busca pelas causas, pela resolução rápida daqueles mistérios que causam efeitos em nossa vida, em nossos atos e comportamentos em geral. Claro que aí surgiria a pergunta: porque buscamos pelas causas? Minha vontade seria responder: não sei. Ao invés disso direi algo mais bonito: nossa existência só se efetiva em nossas escolhas, existimos em nossa realização diária de nossa liberdade, escolhendo nossos caminhos. Buscar as causas e os culpados pode ser uma maneira de lutarmos contra a obrigação de escolhermos, contra essa responsabilidade que nos recai constantemente. Temos de escolher, e somos responsáveis por nós mesmos. Parar de buscar causas é o primeiro passo para se assumir como existente, como responsável. Vitor Sampaio é psicólogo, pós-graduado em psicologia clínica e mestrando da linha de Fenomenologia-Existencial


AGOSTO/2012

JORNALZEN

INDICADOR TERAPÊUTICO

17


JORNALZEN

18

Viva Bem elianamattos@uol.com.br

Bate-papo D

ifícil confessar, mas esta edição me pegou exaurida mentalmente e sem a menor ideia do que escrever neste nosso bate-papo. Os últimos três meses foram de muito trabalho e é claro que o cansaço mental foi se acumulando, a ponto de chegar neste mês com minha cabeça totalmente vazia de assunto interessante para escrever. Mas sempre tem alguma amiga generosa, que ao ouvir o meu desesperado grito de ajuda veio em meu socorro. Foi o que aconteceu hoje cedo, quando a Rosaura, uma velha amiga, me falou a respeito dos quatro pilares da educação para o século 21, segundo a Unesco: aprender a conhecer; aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. Diria que dos quatro pilares, talvez o mais difícil seja “aprender a viver com os outros”. No próprio documento da Unesco está escrito, que este aprendizado consiste num dos maiores desafios para os educadores, pois atua no campo das atitudes e valores. Indo um pouco mais além da relação mestre/aluno, já devo ter feito este comentário sobre uma entrevista que assisti no “Marília Gabriela”, com o William Bonner, em que ele dizia serem mais difíceis as relações humanas dentro da redação do Jornal Nacional do que propriamente comandar o programa. E essas relações humanas são difíceis de administrar porque o ego – sempre ele – na maioria das vezes se sobrepõe a tudo: ao bom senso, às amizades, aos valores, a afetividade, etc. Quem sabe essas novas gerações venham com um manual de instrução de como conviver em harmonia. Porque se defrontar todos os dias com personalidades tão distintas, se não nos colocarmos no lugar do outro, com certeza a luta para domarmos nossos demônios interiores é quase inglória. Grande beijo!

Cirurgia plástica não combina com cigarro Se você é fumante e está pensando em fazer uma cirurgia plástica, vai ter de dar um tempo no cigarro. Os médicos dizem que se deve suspender o hábito 15 dias antes e 15 dias depois da cirurgia. Isso porque o cigarro provoca vasoconstrição que dificulta a regeneração da área operada. Com isso pode acontecer, entre outras coisas, uma cicatrização defeituosa. Mas tudo é uma questão de escolha, não é mesmo? Ou até de aproveitar e parar definitivamente de fumar.

AGOSTO/2012

INSÔNIA NA VELHICE Muitos idosos acham que é natural ter insônia agora que a idade está avançada. Pois saiba que isso não é verdade e até pode se tornar uma ameaça à vida. Isso porque dormir menos altera os hormônios e pode causar problemas. Se você convive com algum idoso que sofre desse problema incentive-o a dormir mais tarde, evitando cochilar durante o dia para não atrapalhar na hora de ir para a cama. A prática de exercícios também melhora a qualidade do sono.

FORNO & FOGÃO - Especial Dia dos Pais Reprodução

Pavê de limão e pêssego Ingredientes: - 1 lata grande de pêssegos em calda - 1 lata grande de ameixas em calda - 1 ½ lata de leite condensado - ¼ xícara (chá) de suco de limão coado - 1 colher (sopa) de rum ou licor de pêssego ou laranja - 20 biscoitos champanhe Modo de fazer: Escorra as frutas e reserve a calda. Pique as frutas, reservando algumas inteiras para decoração. Na batedeira bata o leite condensado e o suco de limão até que fique um creme espesso. Forre uma forma de bolo inglês (28x11) com filme plástico (molhe um pouco a forma para que o plástico grude melhor). Coloque as frutas inteiras para decoração no fundo da forma. Cubra com metade do creme de limão. Faça uma camada de pêssego e outra com ameixa. Misture as duas caldas reservadas e acrescente o rum ou licor. Molhe ligeiramente os biscoitos e faça uma camada com eles. Cubra com o restante do creme de limão. Repita uma camada com a outra de frutas, creme e termine com os biscoitos. Cubra com o filme plástico e aperte um pouco com as mãos para que fique bem homogêneo. Leve à geladeira com um peso em cima por umas seis horas. Desenforme na hora de servir.

Macarrão aos quatro queijos Ingredientes: - 500 g de macarrão tipo penne cozido al dente - 2 colheres (sopa) de manteiga - 1 dente de alho picado - 1 cebola pequena picada - 1 copo de leite quente - 200 g de mussarela picada - 100 g de provolone picado - 100 g de parmesão ralado - 150 g de catupiry - 1 lata de creme de leite sem soro - Sal a gosto Modo de fazer: Derreta a manteiga e refogue o alho e a cebola. Acrescente os queijos e o leite e quando estiverem derretidos e incorporados ao molho, desligue o fogo e acrescente o creme de leite. Prove o sal e envolva o molho ao macarrão já cozido e escorrido. Salpique salsinha picada na hora de servir.


JORNALZEN

AGOSTO/2012

19

BEM NUTRIR Linhaça, a amiga do coração A principal causa de doenças cardiovasculares é a alimentação inadequada, que, aliada ao sedentarismo, pode trazer sérios riscos à saúde. O Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo (Incor) estima que 12% da população adulta do Brasil tenha altos níveis de LDL (o colesterol ruim) acima de 160 mg/dl. Quando em grandes quantidades, o colesterol se acumula nas veias causando a aterosclerose. Uma alimentação equilibrada e hábitos saudáveis, como a prática de exercícios físicos, são indicados para proteger o coração e

cuidar da saúde. Além disso, a inclusão de alguns alimentos pode potencializar esses cuidados. O consumo da linhaça auxilia no tratamento de doenças do coração e vasos sanguíneos. Isso porque as fibras presentes são responsáveis por diminuir a absorção das gorduras, favorecendo a perda de peso e auxiliam na diminuição do colesterol ruim (LDL). A linhaça é um alimento de origem vegetal rico em ômega – 3, 6 e 9 e em fibras. Estudos comprovam que o consumo regular de ômega 3, um ácido graxo poli-insaturado, auxilia na redução dos níveis de colesterol e no controle da hipertensão arterial. Além disso, tem ação anti-inflamatória, antitrombogênica e antiarritmia, cuidando da saúde do coração. O consumo de linhaça in natura pode se dar como adição diretamente sob os alimentos ou bebida. Outra sugestão é utilizá-la na forma de farinha para a produção de pães e massas.

Suplemento alimentar Ricardo Zanuto

O

s benefícios da suplementação alimentar vão além do emagrecimento saudável. Supre carências nutricionais de quem não tem tempo para manter uma dieta equilibrada e variada diariamente, previne doenças e até o envelhecimento precoce. Muitas mulheres, por exemplo, ainda buscam o suplemento alimentar só para acelerar o metabolismo, facilitando a perda de gordura localizada e o aumento de massa magra, principalmente, na região da coxa e glúteos. Esse público chama a atenção dos fornecedores, que já fazem produtos específicos para elas. Mas essa é apenas uma das possibilidades e que, sem praticar exercício físico, não faz milagre. Suplementos de cálcio e vitamina D auxiliam no controle e combate à osteoporose. As adequações dos tipos

de carboidratos ingeridos podem propiciar melhor controle glicêmico favorecendo o diabético. Pode, ainda, reduzir os riscos de obesidade e até de doenças cardiovasculares. Reduz os níveis do colesterol ruim (LDL) e triglicérides, com aumento significativo dos níveis do colesterol bom (HDL). Vitamina E é grande aliada no envelhecimento precoce. Seja para perder peso ou para complementar uma alimentação desequilibrada ou desbalanceada, é essencial buscar orientação. O nutricionista saberá a real necessidade de suplementar. É importante analisar cuidadosamente cada paciente, seu metabolismo, estilo de vida para, então, indicar soluções viáveis e compatíveis com a pluralidade da rotina de cada um. Ricardo Zanuto é graduado em Nutrição e Educação Física, mestre e doutor em Fisiologia Humana pelo Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo

Óleo de abacate e seus benefícios Bruna Murta

N

ovidade no Brasil, o óleo de abacate tem entre suas funções a prevenção contra doenças cardiovasculares e da próstata, o controle da glicemia, auxiliando no tratamento da diabete. Ajuda a proteger a saúde dos olhos, pele e cabelos, além de reforçar a imunidade e auxiliar no emagrecimento. O óleo de abacate protege a saúde do coração porque é fonte de beta-sitosterol, de ácidos graxos insaturados. Possui alto teor de ácido oléico, uma gordura monoinsaturada que colabora para a redução do mal e aumento do bom colesterol. O beta-sitosterol encontrado no óleo de abacate é, além de um aliado da saúde cardiovascular, responsável por diversos outros benefícios ao organismo. Seu consumo pode auxiliar no tratamento da hipertrofia prostática benigna. Há evidências de que os fitoesteróis possam reduzir o risco de câncer de próstata. Estudos também mostram que o beta-sitosterol participa do controle da glicemia e dos níveis de insulina em pacientes diabéticos, sendo um coadjuvante no controle da doença. Outras funções deste fitosterol são melhorar a imunidade, aumentando a atividade de células que agem matando micro-organismos invasores, sendo auxiliar no tratamento de infecções e doenças como câncer e HIV. Além disso, ajuda na dieta reduzindo os níveis de cortisol, hormônio rela-

cionado ao aumento da compulsão alimentar e do acúmulo de gordura na região abdominal. O beta-sitosterol se associa às gorduras saturadas de outros alimentos bloqueando sua absorção pelo corpo. Este efeito pode ajudar na perda de peso e prevenção de doenças do coração. Devido ao carotenoide chamado luteína, o óleo previne doenças nos olhos, como catarata e degeneração macular. Seu altíssimo teor de vitamina E, de ação antioxidante, inibe a formação de radicais livres, ajudando a diminuir os sinais do envelhecimento. O óleo de abacate pode ser consumido puro ou utilizado em diversos molhos para tempero de saladas, para regar hortaliças cozidas, e na finalização de pratos quentes. Comparado a outros óleos vegetais, o óleo de abacate é mais estável a altas temperaturas. Sendo assim, pode ser utilizado em preparações quentes, como refogados e frituras, sem alterar sua estrutura química. Também utilizado como cosmético, pode ser aplicado diretamente sobre a pele, auxiliando na prevenção contra rugas, redução da flacidez e de manchas na pele. Aplicado sobre os cabelos secos, confere maciez aos fios. Bruna Murta é nutricionista da rede Mundo Verde


20

JORNALZEN

AGOSTO/2012


Jornalzen Agosto 2012