Page 1

JORNALZEN ANO 14

AGOSTO/2018

AUTOCONHECIMENTO

Nº 162

BEM-ESTAR

www.jornalzen.com.br

CIDADANIA

CULTURA

SAÚDE

DIVULGAÇÃO

ZENTREVISTA

Fabiano de Abreu Pág. 3

PELA PAZ A sexta edição do Movimento Você e a Paz reuniu mais de 15 mil pessoas, dia 29, em Amparo (região de Campinas). A programação teve início com uma caminhada e prosseguiu com atendimentos na área de saúde, atividades sobre a paz no trânsito e educação ambiental. A novidade entre os líderes religiosos foi a participação de Monja Coen. Lançado em 2013 na sede da ONU, em Nova York, o movimento ocorre em mais de 75 cidades do mundo, 54 delas no Brasil.

ARTIGO

Lendas, fábulas e mitos Pág. 2

PARA ASSINAR OU ANUNCIAR: (19) 99149-1256 jornalzen.com.br

Viva Bem Pág. 10

CULTURAZEN Pág. 12

COLUNISTA

Os campos energéticos e a saúde Pág. 9

DR. NELSON PIRES MODESTO REPRODUÇÃO/FACEBOOK

HOMENAGEM Depois de ser homenageado pelas Edições Loyola na 25ª Bienal do Livro, em São Paulo, padre Haroldo Rahm recebeu, na Casa dos Jesuítas, cumprimentos de amigos, diretores e atendidos pelo Instituto Padre Haroldo

LEIA NA PÁGINA 6 ARTIGO SOBRE O DRAGON DREAMING


JORNALZEN

2

Algemas de ouro

Agosto/2018

CIÊNCIA DA FELICIDADE

Recentemente, conversei Sair do mundo de Alicom uma mulher muito ce é doloroso, porém neinteligente, que ao longo cessário. Com o nosso de sua carreira profissiotempo e planeta em consnal atingiu o topo na emtantes mudanças, não dá presa. Preparada para ser para continuarmos em presidente, sentia-se prenossos mundinhos prosa em algemas de ouro. tegidos. Deixou as amarras, hoje Temos de participar, SILVIA LÁ MON ganha a metade, mas traunir-nos cada vez mais. Diretora do JORNALZEN balha em prol da paz. Devemos nos fortalecer Transforma a história de intimamente e são vásua época e sente-se realizada. rios os recursos para isso. Não Por outro lado, tenho observa- devemos nos limitar a doar um do outras pessoas que muitas ve- dinheirinho por mês às instituizes amoldam seus pulsos frágeis ções de caridade e, sim, colocarpor causa do medo da mudança e mo-nos à disposição para cuidar, acabam tornando essas algemas reciclar, educar, contar histórias uma extensão do próprio corpo e e muito mais, dedicando nossa da alma. alma ao bem dos menos favoreciNa maioria das vezes é muito dos. Dessa forma, favorecermos difícil sair da zona de conforto de a nós mesmos e à nossa alma. seu casamento, de seu clube, de Vibrarmos em uníssono na comseu esteticista, de seu shopping e paixão daqueles que sofrem, trater de encarar os monstros pos- balhando pela paz de todos com síveis do despertar. Por isso só inspiração e transpiração. procuram uma terapia ou inforDeixem o medo e o comodismo mações que possam transformá- de lado e descubram a riqueza de -la, quando estão no final da cur- suas almas aprisionadas pelas va, quando estão destroçadas. algemas de ouro.

Aprimore os relacionamentos no trabalho Ninguém trabalha totalmente sozinho. E dentro de uma empresa é impossível trabalhar de forma independente dos demais. Os relacionamentos no trabalho ocorrem sempre dentro de uma hierarquia. É importante que você melhore seus relacionamentos pessoais para garantir que o trabalho corra bem. Você pode classificar as diversas pessoas com as quais trabalha, definindo como interagir com elas adequadamente. Podem ser divididas em dois grupos. No primeiro, estão as pessoas com nível hierárquico superior ao seu. Esse grupo inclui as mais competentes e mais velhas que você, das quais depende seu sucesso e uma eventual promoção, e as que são superiores, mas menos capazes, e que você deverá con-

seguir superar na época em que chegar à idade delas – tenha o cuidado de nunca dar a essas pessoas motivo para agirem contra você, quer se trate de chefe de seção ou gerente. No segundo grupo, estão duas categorias: as pessoas mais jovens que você e não tão competentes (aja com elas como um líder, faça com que confiem em você, seja sincero com elas e envolva-as com seu amor) e as pessoas mais jovens, porém mais bem dotadas e que irão superá-lo dentro de alguns anos. Saiba extrair o melhor dessas pessoas talentosas, elogiando-as, ajudando-as a se desenvolver, criando com elas um vínculo de confiança. É assim que age um executivo bem-sucedido. É muito importante para você e seu trabalho ser capaz de pensar de maneira estratégica. Estabeleça uma meta e planeje como alcançá-la. Se pensar desse modo, verá sua carreira se desenvolver rapidamente.

As reflexões desta coluna são extraídas dos livro Trabalho e Amor, do japonês Ryuho Okawa, pensador, líder religioso e escritor na área da espiritualidade REPRODUÇÃO

Lendas, fábulas e mitos Oscar D’Ambrosio

A

nossa vida cotidiana e a arte se alimentam – e muito – de lendas, fábulas e mitos. Mas esses três termos são utilizados geralmente sem muito critério, se maneira bem confusa e misturada, como se tudo fosse a mesma coisa. Mergulhar nessas diferenças pode ser excelente para mergulhar em nosso dia-a-dia; As lendas, por exemplo, são narrativas fantasiosas transmitidas pela tradição oral ao longo dos séculos. Combinam o real e histórico com o irreal, meramente produto da imaginação humana. Surgem assim explicações plausíveis, e até certo ponto aceitáveis, para fatos sem explicação científica comprovada. Já as fábulas são composições literárias curtas, escritas em prosa ou versos em que os personagens são animais que apresentam caracterís-

JORNALZEN NOSSA MISSÃO:

Informar para transformar

ticas humanas, muito presente na literatura infantil. Possuem caráter educativo e fazem uma analogia entre o cotidiano e as histórias vivenciadas pelas personagens, com uma moral no fim da narrativa. O mito, por sua vez, é uma narrativa de caráter simbólico e imagético. Ele se transforma com as condições históricas e étnicas de uma cultura e busca explicar e demonstrar, por meio da ação e do modo de ser das personagens, a origem do mundo, dos seres humanos, dos animais, das doenças, do amor; do ódio; enfim, de tudo. Portanto, a lenda de Robin Hood, surgida provavelmente a partir de um personagem real; as fábulas do francês La Fontaine, um grande divulgador dos textos do gênero de Esopo e as mitologias grega e romana, entre muitas outras, são manifestações para, respectivamente,

DIRETORA SILVIA LÁ MON JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508

explicar fatos, dar lições e entender a origem de tudo que nos cerca. Conhecer esse universo nos torna mais humanos e menos autômatos.

TELEFONES Redação (19) 3324-6062 Publicidade (19) 99149-1256

contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br

Oscar D’Ambrosio, mestre em artes visuais e doutor em educação, arte e história da cultura, é gerente de comunicação e marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Publicado por JORNALZEN EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA. Fundado em janeiro/2005


Agosto/2018

F

ilósofo e poeta de nascimento, desde muito pequeno Fabiano de Abreu Rodrigues se aventurou a escrever frases e poemas que eram ignorados por seus professores. Quando jovem, rebelde, chegou a ser convidado a se retirar da escola, mas seu QI superior ao da média garantiu sua permanência. Em 2016, com a maioria de suas frases e poesias perdidas ao longo do caminho e por incentivo de um amigo jornalista fã de suas frases postadas no Facebook, Fabiano resolveu escrever um livro. Em duas semanas, dedicou duas horas de seus dias a pensar na vida e reescrever seus pensamentos em papel. Suas frases foram aceitas pela Editora Albatroz do Brasil, que logo fez o lançamento on-line. Filho de português e apaixonado pela terra de suas origens, foi em Portugal que Fabiano decidiu fazer o primeiro lançamento físico de Viver Pode Não Ser Tão Ruim na Biblioteca Municipal de Castelo de Paiva – vila portuguesa de 15 mil habitantes que o abraçou e se encantou com suas frases. Não muitos meses depois, quem convidou o escritor carioca para o lançamento foi a biblioteca de São Lázaro, a mais antiga de Lisboa, onde hoje encontra-se disponível na prateleira de filosofia para quem quiser ler. Querido por muitos angolanos, o escritor sempre recebe em seu país muitos dos nomes importantes do meio empresarial e artístico de Angola, o que resultou, em abril, no convite para o lançamento do livro no auditório da Universidade Gregório Semedo, em Luanda. No Brasil, pelo caminho inverso, Fabiano decidiu lançar seu livro no dia 30 de julho, dia em que completou 36 anos de idade. Jornalista e radialista, ele mora na querida Castelo de Paiva, situada no Vale do Rio Paiva e Douro, conhecida como região do melhor vinho verde do mundo. Pesquisador do comportamento humano e da busca pela felicidade, Fabiano tem se dedicado a entender a depressão, seu processo e sua cura. “Quando já não conseguimos pensar, e isso é dominante e atuante no cotidiano, devemos buscar ajuda clínica”, conclui. Nesta entrevista ao JORNALZEN, ele fala mais sobre a base de seus estudos e sobre seu conceito peculiar de meditação: “é pararmos, nos desligarmos dos problemas e pensarmos sobre nossa própria vida”. Você também é jornalista. Como enveredou pela filosofia? Escrevo desde criança. Escrevia poemas baseado em situações, principalmente de tristeza. Descobri a filosofia quando percebi o quanto questionava a vida, a forma de viver, nossa existência e o comportamento das pessoas. Quando pequeno, muitos diziam que eu deveria ser psicólogo. Cheguei a cursar, mas desisti devido à professora que tinha na época e sua falta de neutralidade. Deixei o curso pela oferta de trabalhar com meu pai. E por que decidiu se dedicar a es-

JORNALZEN

3

ZENTREVISTA|Fabiano de Abreu

PENSAR PARA VIVER Pesquisador do comportamento humano, filósofo e escritor se dedica a entender a depressão, seu processo e sua cura DIVULGAÇÃO/MF PRESS GLOBAL

tudar a depressão? Na verdade, busco diversos temas, principalmente os mais urgentes, os de necessidade pública. Quero poder colaborar de alguma forma para que as pessoas tenham uma vida melhor. Quais as atitudes indicadas para enfrentar e superar a doença? A depressão pode vir através das consequências de diversos fatores, seja genético ou como consequência de acúmulos. A tristeza é o princípio de tudo e seu acúmulo pode resultar na depressão. Temos que combater a tristeza e as coisas que não nos fazem bem, como pensamentos negativos. Temos de resolver o problema do início. Se o problema não tiver solução, fugimos dele. Temos também de aceitar a condição em que vivemos e buscar felicidade dentro dos limites, ser inteligente e pensar que somos inteligentes, para que, dentro do nosso limite, possamos viver melhor. De que forma a meditação pode ajudar no combate à depressão? Quando falo em meditação, não é uma meditação religiosa. É pararmos um momento, meditar consigo mesmo, quer seja no chuveiro ao banhar-se ou em uma praça sentado.

Pensarmos e avaliarmos o motivo da angústia, da tristeza, para que, com raciocínio lógico, de forma racional e com sabedoria, possamos sair dessa situação negativa. Um simples exemplo: eu odeio engarrafamento. Fico estressado, triste. Então, busco pontos que favoreçam um pensamento positivo. Procuro árvores, natureza, pois viemos da natureza. Ela nos acalma. Penso em coisas boas. Crio imaginações de possibilidades, de um lugar melhor, uma vida melhor. Nós controlamos nossos pensamentos. Temos de ter consciência disso. Tudo pode ser fácil quando projetamos para que seja. Qual seria o maior entrave na busca do ser humano pela felicidade? O comodismo, o marasmo, a preguiça. Temos de nos agarrar às coisas boas, nos vincular a coisas e pessoas que nos fazem bem. Tentar saber jogar o jogo da vida. Saber viver em sociedade, ser feliz sem magoar ninguém, pois a mágoa volta como “lei do retorno” em consequência dos atos. Fale sobre sua ligação com Portugal. Por que lançou seu livro primeiramente lá? Sou filho de português. Fui criado em uma colônia portuguesa com

“Temos de aceitar a condição em que vivemos e buscar a felicidade dentro dos limites”

amigos que também são filhos de portugueses. Hoje, vivo mais em Portugal que no Brasil. Encontrei por lá uma paz que aqui já não encontrava. Fiz uma meditação e percebi que o motivo da minha tristeza era regional, como consequência da violência, da cultura introduzida na sociedade que está a contaminar minha filha, principalmente através da música que é moda no País. Acredito que promovem coisas negativas, pela corrupção interminável que não encontra um fim ou solução e, principalmente, pela valorização. Valorizam muito mais um pensador na Europa que no Brasil. Mas não pense que não me considero brasileiro ou abandonei o País. Estou sempre no Brasil e todos os meus esforços, como ter introduzido a filosofia em escolas públicas, criar semanalmente teorias que possam contribuir na melhoria da sociedade, palestras e outras ações fazem parte de um plano que tenho para tentar ajudar o Brasil a ser aquele país do futuro que me prometeram há 30 anos, através da música da Legião Urbana. Tento fazer minha parte para que esse país com tantas riquezas possa fazer jus a seu imenso tamanho e que a felicidade seja plena e não só cativada como prova de que somos felizes para as estatísticas. Como avalia a proposta de nosso jornal, para o autoconhecimento? Essencial e necessária. Um dos maiores problemas do Brasil é cultural. A sociedade precisa de ajuda, em diversos fatores. O autoconhecimento é metade do caminho para a mudança. Que mensagem gostaria de deixar aos nossos leitores? Justamente o autoconhecimento. Reflitam, meditem e perguntem-se: por que aqui estou? Se existo, o que posso fazer para que faça valer a pena existir? Qual o legado que vou deixar quando morrer? Como quero ser lembrado? Precisamos fazer nossa parte para que tenhamos uma sociedade satisfeita, para que tenhamos orgulho de nossa vida, da vida do próximo, do local onde moramos. Somos lembrados apenas por nossos irmãos e filhos, depois começamos a ser esquecidos. Quanto menos feitos, menos gerações se recordam. Quanto mais negativa for nossa pontuação na Terra, mais rápido seremos esquecidos. A não ser que façamos por onde ser lembrados por muitos, de forma positiva e prolongar, assim, a lembrança do quanto valeu a pena ter vivido a única vida que sabemos que existe: esta.


4

JORNALZEN

Agosto/2018

Nem tudo o que reluz é ouro As coisas materiais nos uma realidade maquiafascinam. Ainda somos alda, com o fim de se gamas com os instintos em nhar audiência. preponderância, precisaNos divertimos ou chomos das sensações mais ramos com filmes que nafortes e das emoções que da mais são do que uma nos sacodem. Só ficamos bem-feita montagem de saciados e felizes se potruques e cenários; e endemos ver, pegar, sentir deusamos artistas e canJOÃO BATISTA SCALFI e ouvir. tores, que muitas vezes Vice-presidente do Educandário Em decorrência disso, Deus e a Natureza (Indaiatuba) na vida particular têm nossa percepção da vida uma conduta desregrada. permanece na superficiaAqui na Terra, na voz lidade e nas aparências, determi- do povo e na voz de Deus, nem tunando o nosso proceder em todos do que brilha é ouro. É conveniente os setores. A essência das coisas, que não nos deixemos ofuscar pedos acontecimentos e das pessoas las aparências das coisas mundapassa despercebida ou merece me- nas, que impressionam, mas que nor consideração. em regra estão longe de oferecer ao Quando vamos escolher uma pro- homem a verdadeira luz da felicifissão, o que nos importa são os dade. rendimentos, o destaque social e a Acautelemo-nos com as facilidasegurança que ela pode nos pro- des que nos são oferecidas e com porcionar, e menos a aquisição do o brilho fugaz das posses, dos títuconhecimento ou o bem que pode- los e da beleza. Tais patrimônios são remos fazer ao próximo ou à coleti- apenas instrumentos ou revestimenvidade. tos passageiros da alma, esta, sim, Ao buscarmos alguém para es- é a essência da vida que continua tar ao nosso lado e compartilhar sen- após a morte. Destinam-se a auxitimentos, os predicados físicos ou liá-la no desenvolvimento de suas as condições financeiras se sobre- potencialidades, enquanto por aqui põem aos valores interiores. Dinhei- estivermos, mas que não nos acomro e beleza não solucionam as ques- panharão depois do túmulo, quantões do entendimento, do respeito do então, sem dúvida estaremos vie do afeto e depois surgem os con- vendo na mais pura realidade, no flitos e as brigas, gerando frustra- plano em que a luz que se vê corção, desencanto, indiferença e sepa- responde exatamente à claridade ração, quando não ódios e crimes. que cada criatura carrega em seu Preferimos o bonito ao prático; interior. o rápido ao seguro; o remediado ao “Não se deixe enganar pelo oudefinitivo; a ilusão à realidade. ro mundano”. Seremos no plano esBem por isso, nos demoramos à piritual o reflexo do que fizermos frente dos programas de televisão aqui na Terra! em que a fantasia ocupa espaço doFonte: Quando Deus abre portas minante, oferecendo-nos apenas (Donizete Pinheiro)

Barão Geraldo - Campinas AGENDA – AGOSTO/SETEMBRO 2018 Venha saber mais de você no Sabiah! CONSTELAÇÃO FAMILIAR MUSICAL (Janaína Campos e Adriano Dias) 19/agosto (domingo, 14h) | 21/agosto (terça-feira, 19h) (para constelar: agendar por e-mail; para participar: contribuição consciente) CONSTELAÇÃO TSFI (Maria Angélica) 25/agosto e 30/setembro (sábado), às 14h SHOW REVERBERA – MEDITAÇÃO SONORA (Adriano Dias, Janaína Campos e músicos convidados) 25/agosto (sábado), às 19h

ATENDIMENTO POPULAR THETAHEALING® E FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM (horários no site e agendamento por e-mail: contato@sabiah.com.br)

TODA SEMANA NO SABIAH MEDITAÇÃO SONORA E MANTRAS segunda-feira, das 8h30 às 9h30 DANÇAS CIRCULARES - Meditação ativa para todas as idades (Janaína Campos) – quinta-feira, das 18h15 às 19h30 GRUPO SAMAÚMA – Preparação para o parto natural para gestantes e casais quinta-feira, das 19h30 às 22h GRUPO PÓS-PARTO toda quarta-feira, das 9h30 às 11h30 YOGA MAHI terça a sexta-feira, das 7h30 às 9h | terça e quinta-feira, das 17h às 18h30 segunda e quarta-feira, das 18h30 às 20h YOGA MATERNA – Para gestantes e mães com bebês (Paula Ubinha) terça e quinta- feira, às 11h

CURSOS (inscrições e mais informações por e-mail: contato@sabiah.com.br) 10/agosto, às 19h – Queijos e Leites Vegetais, com Lucas Montanari 17/agosto, às 19h – Prosperidade Criativa, com Cesar Obeid 20/agosto, às 15h30 às 17h30 – aula inaugural gratuita do curso Magia Divina das Sete Chamas. 5 meses. Aulas semanais (2ª-feiras), às 15h30 31 agosto, às 19h – palestra Mesa Radiônica Quântica, com Fabiano Sampaio 1º setembro, das 9h às 18h30 – formação certificada em Mesa Radiônica Quântica Azul RP, com Fabiano Sampaio 3 a 16 setembro – ciclo de palestras e vivências sobre concepção consciente, fases da formação do bebê e da criança, com Shivakumar Belavadi, vindo de Bangalore (Índia)

• GRUPOS DE PATHWORK® • MEDITAÇÃO SONORA • YOGA E YOGA MATERNA • GRUPO SAMAÚMA (Preparação para o parto natural e apoio pós-parto e amamentação) • LEITURA DE AURA • AULAS DE TÉCNICA VOCAL (técnica Alexander) • DANÇAS CIRCULARES • RODAS DE CURA • THETAHEALING® E FREQUÊNCIA DE LUZ E SOM • PSICOTERAPIA SISTÊMICA • GRUPOS TERAPÊUTICOS • FORMAÇÃO EM CONSTELAÇÃO SISTÊMICA Agendamento e mais informações: (19) 99117-5544 (WhatsApp)

Rua Paulo Lanza, 91 (entrada de Barão Geraldo) – Campinas/SP (19) 3327-0910 – contato@sabiah.com.br – www.sabiah.com.br


JORNALZEN

Agosto/2018

Livro, o disseminador de ideias A leitura é importantísir adicionando dia a dia sima para o desenvolvinovas palavras, novas mento das crianças, paideias, novos cenários e ra a formação dos adopaisagens, estimulando lescentes e para a sedia imaginação e criando mentação do conhecipontes para outras situmento dos adultos. Atuações no futuro. almente, o livro está mais Apesar de parecer democratizado, as biuma atividade 100% inbliotecas estão mais dividual, durante a inJANICE FLORIDO acessíveis e os prografância a leitura de adulmas de prefeituras, de janice.florido@uol.com.br tos para crianças serve ONGs e os projetos socomo um mecanismo paciais vêm garantindo que o livro ra criação e fortalecimento de lachegue a lugares mais distantes. ços emocionais. Crianças que ouvem Mas, com tantas oportunidades histórias desde cedo tendem a ser de escolha diante da internet, com mais criativas, a desenvolver mais os apelos dos jogos on-line, dos ce- e melhor suas opiniões. lulares, dos tablets e dos computaIncentivar o hábito da leitura tem dores, o livro ainda tem apelo para sido uma bandeira para muitos muas crianças e para os jovens? Sim, nicípios. Atibaia está há uma décatem. Basta olhar a nova geração de da desenvolvendo projetos de inleitores que vem se formando. Pais centivo à escrita e à leitura para os mais conscientes e professores são alunos da escola municipal. O projefundamentais para que as crianças to Ler e Escrever: Fonte do Saber descubram a importância de livro nasceu com o intuito de promover na vida do cidadão. Ao criar situa- uma ação educacional voltada pações favoráveis para que a criança ra o desenvolvimento da compeveja a leitura como algo agradável, tência comunicativa do aluno, da sua como uma atividade de que ela gos- capacidade de interpretar, de produte de fazer, e associe esse hábito a zir, de traduzir a leitura, para que se momentos de felicidade, carinho, torne cada vez mais autônomo para aconchego, bem-estar e acolhi- ler e pronunciar o mundo. O projeto mento, estamos “falando” para a busca disseminar uma ação de leicriança que o mundo da leitura é tura e escrita a partir da escola, intudo aquilo que ela quer que seja. tegrando-a com a comunidade do Apesar de parecer uma ativida- entorno, mostrando a leitura como de individual, solitária, durante a uma prática prazerosa. infância a leitura de livros por adul“É preciso mostrar à criança que tos para crianças serve como um a leitura se complementa com o mecanismo para criação e fortale- teatro, com os espetáculos, com as cimento de laços emocionais. Con- contações de histórias”, explica Kaversando com a mãe de Joaquim, tya Manira, autora de livros infan4 anos, a psicopedagoga Laura En- tis, Para ela, o lúdico é o primeiro der Martins descobriu o porquê de sabor apresentado à criança. “Ao ler ele, ainda com essa idade, ter um uma história para os pequenos, ao vocabulário vastíssimo, igual ao de contar uma história para os maiouma criança de 7 anos. De acordo res, estamos dando a oportunidade com Ender, desde que Joaquim nas- de a criança descobrir desde cedo ceu a mãe lê um livro por dia para que há vários caminhos para uma ele. Para ela, é a melhor forma de mesma situação. É com isso que, ficar próxima do filho, levar a ele em outras fases da vida, ela vai se tranquilidade e, ao mesmo tempo, deparar”, finaliza Katya.

www.sabereler.com.br sabereler@sabereler.com.br Facebook: MariaBrancaEventos

telefone: (19) 3231-2672

5


JORNALZEN

6

PANORAMA PINTANDO SORRISOS Durante o mês de agosto, projeto da Marco Boni, fabricante de acessórios de beleza, prevê a doação de parte do lucro líquido das vendas de qualquer pincel de maquiagem comercializado em todo território nacional para o hospital do Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (Graacc). No Brasil, anualmente, cerca de 12 mil crianças e adolescentes são diagnosticadas com câncer. Mais informações: 0800-7724433. HAMBURGADA DO BEM O projeto social Hamburgada do Bem, que leva hambúrgueres, diversão e informação a comunidades carentes, estará no dia 18 de agosto na Vila Aeroporto, em Campinas. A ONG sediada em Guarulhos oferece aos voluntários a oportunidade de passar um dia com crianças especiais (carentes, órfãs, média e baixa renda, entre outras). As inscrições dos interessados podem ser feitas no site www.hamburgadadobem.com.br NOITE SOLIDÁRIA O Hospital Dom Alvarenga, no bairro Ipiranga, em São Paulo, promove no dia 14 de setembro evento beneficente com show de Vanessa Jackson em comemoração aos 15 anos do Programa Saúde e Alegria. A apresentação será no Salão Nobre do Clube Atlético Ypiranga, às 19h. A arrecadação será revertida ao atendimento médico gratuito a crianças e suas famílias. Ingressos (com jantar incluso): facebook.com/programasaudeealegria SENAC CAMPINAS A unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) em Campinas terá no dia 18 de agosto, das 10 às 16h, programação do evento Casa Aberta. Entre outras atividades gratuitas, será oferecido atendimento de quick massage, higienização e hidratação podal, hidratação facial e workshop sobre o uso da argila no tratamento estético corporal. Inscrições e mais informações: sp.senac.br/casaaberta (escolher Senac Campinas).

-

Agosto/2018

Bom trânsito para nós! Marks Pintija

Indústria da infração Uma das expressões populares mais conhecidas nos tempos atuais, pelo menos no Brasil, é a respeito da fiscalização de trânsito que diz: “é uma indústria da multa”. Ela se refere à quantidade de autuações lavradas contra supostos erros cometidos na condução de veículos. Para quem acredita friamente nesta expressão, sem ao menos analisar números e documentos relativos ao procedimento, a chance de estar equivocado é imensa, uma vez que compete a administração pública realizar especificamente aquilo que a norma estabelece, não cabendo escolher fiscalizar ou não fiscalizar de acordo com a vontade do servidor, ou pior ainda, de acordo com quem seja o fiscalizado. Partindo do princípio básico da presunção da veracidade, o agente do órgão de trânsito atua com o objetivo da segurança viária da coletividade em detrimento do privilégio individual, e é nisso que tantas pessoas se sentem

prejudicadas ao receberam a multa de trânsito. Um excesso de velocidade, uma imobilização com o veículo em local não permitido, um manuseio com celular, um trecho de via impedido e até mesmo o uso do veículo que nem estava autorizado a circular. São exemplos de infrações que viram multas, simples assim. Fica claro que a chance de ser flagrado nestes casos é muito maior, porque em caso de fiscalização a infração será visualizada e a multa será criada. Com o amplo direito a defesa, o cidadão autuado tem até três chances de cancelar a autuação na esfera administrativa (órgão, Jari e Cetran), movimentando a máquina e as despesas do processo, mesmo ciente que cometeu a infração. A existência de erros e fiscalizações, é o que de fato pode se chamar de verdadeira indústria de infrações de trânsito. Marks Pintija é especialista e educador em trânsito

MOSTRA+SUSTENTÁVEL A segunda edição da Mostra+Sustentável acontece entre 29 de agosto e 7 de agosto, no Serviço de Saúde Cândido Ferreira (Rua Antônio Prado, 430 – Sousas), em Campinas. Trata-se de um evento de arquitetura, paisagismo, arte e design de interiores em prol de uma causa social que reúne profissionais do setor, sociedade civil, poder público e iniciativa privada. O objetivo é revitalizar uma instituição com atuação em prol da sociedade onde atua. Mais informações: www.mostra.com.br

Dragon Dreaming: um caminho para tornar nossos sonhos realidade Xaba Piffer

O

sucesso de um projeto depende do compromisso e engajamento das pessoas que estão diretamente envolvidas na elaboração e realização do projeto. Ao longo dos últimos anos, muitos fatores técnicos têm sido identificados como fatores de sucesso e, ao mesmo tempo, é preciso trazer à tona o componente mais importante para a obtenção de bons resultados: os seres humanos. O Dragon Dreaming é uma metodologia, uma filosofia e um conjunto de princípios e técnicas para criação e gestão colaborativa de projetos inovadores, conscientes, sustentáveis e sistêmicos.

Sua base integra conhecimentos tradicionais, métodos ágeis e experiências lúdicas para o desenvolvimento pessoal, formação de comunidades e serviço à Terra, ou seja, realizar ações conscientes, corresponsáveis e sistêmicas tendo em vista o cuidado com as pessoas e com o meio ambiente. Os principais benefícios que podem ser obtidos com o uso da ferramenta é o fortalecimento das relações, da confiança e do engajamento nas equipes, o despertar da inteligência coletiva para o desenvolvimento de soluções criativas, a integração da razão e da emoção para o desenvolvimento de processos inovadores, ágeis e eficazes. Além disso, é possível obter resultados de forma mais

leve, humana e divertida. Originalmente desenvolvido por John Croft, da Fundação Gaia da Austrália Ocidental, como uma abordagem sistêmica para elaboração e gestão de projetos socioambientais e para o planejamento participativo consensual em organizações, favorece que os nossos Sonhos se tornem realidade ao realizarmos projetos de forma simples e transformadora, ajudando a esclarecer objetivos e facilitando o alcance de metas. A proposta do Dragon Dreaming também é despertar e expandir a criatividade, a intuição e a capacidade de sonhar, tanto na esfera individual quanto coletiva, aliado a processos lúdicos utilizados para planejar os resul-

tados almejados, colocando as ideias no papel e criando um passo a passo de como realizar os nossos sonhos. Ao final de qualquer processo, as pessoas são convidadas a celebrar, ou seja, reconhecer, acolher, valorizar, refletir e cuidar de todos os elementos que podem contribuir para a melhoria do processo, no sentido de gerar desenvolvimento pessoal e da equipe, além do desenvolvimento de novos projetos inovadores apoiados pelas experiências anteriores. Xaba Piffer é mestre em Física, multiplicador internacional do Dragon Dreaming, consultor e facilitador de grupos e projetos inovadores, conscientes e sustentáveis http://dragondreaming.org


JORNALZEN

Agosto/2018

Dr. Orestes Mazzariol Uso de alta frequência na mulher pós-menopausa Estudos demonstraram que um certo grau de energia térmica depositada na parede da vagina estimula a proliferação do epitélio enriquecido com glicogênio, neovascularização e formação de colágeno na lâmina própria, com melhora da lubrificação natural e o controle da micção. A radiofrequência fracionária microablativa se mostrou efetiva no tratamento dos sintomas de secura vaginal e dispareunia (dor na relação), e eliminou o uso de lubrificante vaginal durante o período observado. Em estudo em mulheres pré-menopausa com flacidez vaginal, incontinência urinária e relação sexual insatisfatória, e outro grupo pós-menopausa com síndrome genitourinária pós-menopausa, constatou-se um rápido e persistente rejuvenescimento vaginal, com melhoras subjetiva e objetiva

dos sintomas. Em um segmento, após 12 meses o rejuvenescimento permaneceu. Em estudo de metanálise com 165 trabalhos, nenhum efeito adverso foi relatado e nenhum procedimento precisou ser interrompido por causa do paciente com dor ou intolerância. A alta frequência é bem tolerada e pode aumentar a espessura do epitélio escamoso e melhorar a vascularização da vagina. Essas alterações morfológicas supostamente aliviam os sintomas de secura, dor na relação e irritação. O colágeno estimulado incialmente encolhe; depois, é estimulada a remodelação subsequente com novo colágeno e elasticidade aumentada no tecido. Há um aumento epitelial e conteúdo de glicogênio associado à alteração da mucosa vaginal. Orestes Mazzariol é urologista

7

Crer é poder! Segundo o dicionário, crença é “a ação de crer na verdade ou na possibilidade de uma coisa; é o estado psicológico em que um indivíduo adota e se detém a uma proposição ou premissa para a verdade”. A ideia de crença tem um componente psicológico quase em todos os contextos. Acreditar em uma ideia, pessoa ou doutrina significa que há uma conexão emocional entre as pessoas – e em tudo aquilo que acreditam. Crer é um sentimento necessário a todo ser humano para que deseje a vida. Entretanto, as crenças podem, muitas vezes, nos limitar, nos fazer enxergar somente a verdade que ela contém. As crenças são definidas muito cedo, enquanto somos crianças, e constituídas a princípio pelos nossos pais, seus valores e visão de mundo. Posteriormente ampliamos e/ou modificamos as crenças com base em nossas experiências, ambiente em que vivemos e como nos relacionamos com o mundo – muitas vezes, elas ocorrem inconscien-

temente e de forma compulsória. O que nos deve interessar é a possiROSÂNGELA bilidade de toVIRGÍNIA FAÉ Psicoterapeuta marmos consciência sobre elas para assumirmos a autonomia de mantê-las ou modificá-las. Por escolha, e não por força das circunstâncias. Quando nossas crenças entram em conflito com a realidade, sentimos frustração, medo, angústia, ansiedade em relação ao que e como está ocorrendo. Não é a realidade em si que precisa ser mudada, mas sim o sistema de crenças é que precisa ser revisto. À medida que o alteramos, como num passe de mágica, nossa realidade também se altera. E para transformar nossa realidade e nos transformar, o que temos que fazer é alterar nossas crenças, expandindo-as, aceitando e compreendendo o que não era previsto.

WhatsApp: (19) 99738-1523 | Campinas/SP

CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS E ÓLEOS ESSENCIAIS Cultivo Orgânico e Uso Terapêutico - 25 de Agosto ÓLEOS ESSENCIAIS E PRODUTOS NATURAIS - Serra Negra/SP -

INDICADOR TERAPÊUTICO

Celso Uehara Campinas-SP (19) 99112-4007 (WhatsApp)

Hipnoterapia Barras de Access Terapias Energéticas Terapia Multidimensional

Terapias Complementares- Reiki - TRF

(19) 99282-8004 | bemtefaz@gmail.com www.bemtefazoleos.com.br


8

JORNALZEN

Alegria, um estado de espírito Se tem uma coisa que nha filha. O que demos aprendi na minha camide risadas, observando nhada no yoga é que a o estilo de roupa, cabealegria é um atributo da lo, o quanto envelheceespiritualidade. Uma das mos com o passar do coisas que sempre obsertempo. Nossa mente prevo, quando vou ao um cisa de momentos de reambiente de meditação, laxamento. Nas escolas oração e espiritualidade é de yoga na Índia, após o nível de alegria dos seus um dia todo de estudos, MÁRCIO ASSUMPÇÃO componentes, pois nos tem o momento de desProfessor de ioga e diretor revela como essas pes- do Instituto de Yogaterapia contração à noite, para soas estão lidando com a cantar, contar histórias sua jornada espiritual. e se divertir. Sem isso, A seriedade é muito importan- a mente fica cansada, rígida e não te em qualquer ambiente e na ho- consegue nem praticar meditação. ra dos estudos, porém quando falQuando for possível, fuja de amta alegria, também falta simplici- bientes que não têm alegria, pois dade. Os maiores mestres sempre drenam a sua energia e roubam conservam alegria nos seus cora- a sua vitalidade. No yoga, algumas ções e muitos preservam a sua cri- posturas podem ajudar a desbloança interior. Na própria Bíblia es- quear cadeias musculares para tá escrito: “Deixai vir a mim as cri- uma atitude mais aberta e alegre anças, porque delas é o Reino dos para a vida. A postura da cobra Céus”. A criança representa o cora- (bhujangasana), do triângulo (trição puro e alegre. No yoga, esta ale- konasana) e da roda (chakrasagria pura e contentamento se cha- na) são indicadas. Mas há um exerma santosha. É um dos deveres do cício simples que pode ajudar muiiogue dentro dos preceitos éticos to – sente-se em postura meditachamados yamas e niyamas. A ale- tiva ou numa cadeira, com a pongria remove os maiores obstácu- ta dos dedos das mãos, comece los da mente e abre o coração, tor- a “batucar” no centro do peito, sunando a pessoa mais leve e ame- bindo e descendo pela caixa toránizando a agressividade, rancor e cica. Respire profundamente pelas as reações defensivas do ego. narinas durante a execução. FaOutra coisa que pode ajudar é ça por três minutos, todos os dias. o contato frequente com as crian- Este é um exercício de yogateraças, plantas e animais, pois des- pia para o timo que vai te ajudar a pertam esta alegria interior. O co- melhorar o funcionamento do sistidiano mais alegre vai ensinando tema imunológico e combater a ana arte de sorrir, principalmente gústia. Além disso, não deixe a trisde “rir de si mesmo”. Como é gos- teza tomar conta de você. Evite alitoso trazer este olhar de comédia mentar pensamentos e sentimenpara a vida, dar umas boas garga- tos negativos. Procure uma teralhadas com um imprevisto e tor- pia, pratique yoga, invista no lado nar o ambiente mais feliz. Lógico, metafísico da sua saúde. há momentos que precisamos de Muitas vezes a solução para os seriedade e solenidade, mas não problemas na vida não está nas precisa ser o tempo todo assim. conquistas externas, mas sim nuDias atrás, peguei um álbum ma profunda mudança interior. A de fotos antigas e fui ver com mi- alegria é um estado de espírito.

Agosto/2018

UNIVERSO DIGITAL Amanda La Monica

Transformação digital Você já parou para pensar que pode transformar seu serviço ou produto em uma estrutura digital e, inclusive, ganhar dinheiro com isso? Por exemplo: se você facilita workshops de certo assunto, pode criar um treinamento on-line sobre este assunto, explorando e ensinando tudo de forma semelhante ou até com mais opções e novidades. As vantagens são inúmeras: • Você amplia o número de possíveis clientes, por eliminar os limites físicos; • Pode cobrar um preço mais justo pelo seu trabalho, visto que pelo digital os pagamentos podem ser facilitados; • É possível reunir e gerar net-

working em um grupo com diversas pessoas com interesses em comum, mesmo uma em cada canto do mundo; • O trabalho de produção do curso acontece apenas uma vez e as vendas são ilimitadas; As vantagens são maravilhosas... Mas muita gente me pergunta se não é muito difícil ou caro criar este tipo de conteúdo. E minha sincera resposta é: não. Considerando o lucro gerado, o valor investido nesta estrutura será totalmente acessível e com o suporte de uma equipe de marketing e conteúdo, a criação dos módulos e melhor forma de apresentação será simples, fácil e rápida. Que tal se tornar digital? Estou à sua disposição!


JORNALZEN

Agosto/2018

Padre Haroldo Drogas: há soluções O uso abusivo de drogas não mais deve ser considerado um fenômeno marginal, isolado ou restrito a grupos específicos da sociedade. Estatísticas de fontes especializadas, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), indicam crescimento do consumo de substâncias psicoativas nos centros urbanos de todo o mundo, atingindo cerca de 10% das populações, independente de idade, sexo, nível de instrução e poder aquisitivo. Trata-se, portanto, de importante questão de saúde pública, cuja gravidade pôde ser medida em pesquisa do Ibope que identificou a elevação do consumo de drogas entre jovens como a terceira maior preocupação do povo brasileiro, atrás apenas do desemprego e do atendimento de saúde. Nossa experiência profissional confirma tanto o crescimento no consumo de drogas ou a sua maior visibilidade – quanto a diversificação do perfil dos usuários. As pessoas que hoje procuram orientação sobre drogas, pertencem aos mais diferentes grupos étnicos, culturais e socioeconômicos. São universitários, estudantes de segundo grau, educadores, diretores de empresas, profissionais de saúde e recursos humanos, e donas de casa. Existem soluções. A principal é a fé. Nada faz muito sentido nem pa-

rece valer a pena, a menos que tenhamos fé na sabedoria divina. As tragédias não fariam sentido. Os planos fracassados fariam a vida parecer inútil. O esforço para unir-se a Deus pareceria infecundo. Mas nosso Poder Superior é a Sabedoria que nos guia. Deus é nosso Guia e os acontecimentos fora de nosso domínio também estão sob a jurisdição divina. Podemos não entender, mas precisamos da fé para continuar a entregar a vida. Deus tem a sabedoria, nós não. Contudo, se tivermos fé na sabedoria divina, nós mesmos não precisaremos ter essa sabedoria onipotente. É minha fé inabalável? “Senhor, que eu tenha fé em tua sabedoria para livrar-me de minhas falsas escolhas, dúvidas e incertezas.” Hoje, assim expressarei minha fé: Senhor dê-me o hábito da sobriedade. Quando os hábitos do monge são mantidos ao longo do tempo, modificam sua percepção que, por sua vez, alimenta a manutenção dos hábitos em níveis crescentes de conscientização e evolução. Assim, parafraseando Sócrates, podemos concluir que o contínuo exercício da virtude torna virtuoso o coração. Haroldo Rahm é presidente emérito do Instituto Padre Haroldo hrahmsj@yahoo.com

9 INFORME PUBLICITÁRIO

Os campos energéticos e a saúde

Vivemos atualmente uma em geral um campo de poluição de campos eleenergia que cria danos tromagnéticos nas 24 hoà saúde de aproximadaras do dia. mente três metros de Poucos sabem que raio (ou 12 metros de existe um campo enerdiâmetro). gético medido em enerAs crianças são as gia escalar que gira o mais afetadas e o cérepêndulo ou o aurímetro bro é o mais atingido, NELSON PIRES em movimentos horáuma vez que a calota MODESTO rios (energia benéfica) e craniana funciona como Clínico geral e anti-horários, quando se um amplificador destas pesquisador trata de energia maléfivibrações maléficas. ca à nossa saúde. EsAlgumas escolas adotes campos provêm dos conden- tam o uso do tablet como uma forsadores de energia que estão nos ma de aprendizado. A exposição dipostes, nos fios de alta tensão das ária e prolongada ao uso do equitorres de energia elétrica, nas tor- pamento, muitas vezes junto de um res de transmissão de vibrações pa- celular, potencializa ainda mais a ra os celulares. exposição à carga eletromagnética Com as facilidades oferecidas pe- nociva à saúde. Quando juntas nulos smartphones, acabamos utili- ma sala de aula por exemplo, as zando-os indiscriminadamente. De- crianças mais próximas somam a veríamos limitar esse contato em influência de seus aparelhos, recefunção do perigo da radiação a que bendo ainda mais carga energética. ficamos expostos ao utilizar o apaSeria ideal que as mães evitasrelho celular em tempo integral. sem, por exemplo, deixar as crianQuando ligado, o parelho emite ças pequenas com o celular nas próEMFs (frequências eletromagnéti- prias mãos para assistir a desenhos cas), que, estando próximo à cabe- ou jogos. Mais sério ainda é a gesça, causa alterações nas ondas ce- tante que faz uso do celular, pois a rebrais em 70% das pessoas. As criança ainda no seu ventre, em crianças são ainda mais suscetíveis fase de formação embrionária do do que os adultos. cérebro (desde o tubo neural ao céAs lesões poderão variar entre rebro do embrião) sofre a influêndores de cabeça, dano genético, cia negativa dos celulares. sistema imunológico debilitado, cânAinda sobre o campo energético ceres (incluindo tumores cerebrais), e a saúde, outro tipo de energia que alteração do sono com ocorrência também se mostra nociva à saúde, de insônia, perda de memória, alte- é a telúrica. Tenho observado em rações na atividade elétrica do cé- meus pacientes que medicamentos rebro, estresse, fadiga e quebra da com indicação correta e dosagem barreira hematoencefálica. Além adequada não fazem efeito adedisso, de 20 a 80% da radiação da quado quando este paciente dorme antena de um telefone celular pene- em área com corrente telúrica. É tra até duas polegadas no cérebro muito provável que no local passe adulto. As células emitem radiação uma corrente forte negativa, decoreletromagnética de micro-ondas da rente de água corrente subterrânea antena e outra do próprio aparelho em profundidade de até 50 metros. do telefone. Ambas são EMFs preJá observei inclusive que camjudiciais ao ser humano. pos externos de alta tensão, submeTrabalhos realizados mostram que tendo a uma frequência constante pessoas que dormem com o celu- de alta intensidade, alteram a eficálar próximo ao corpo tem sono REM cia de cápsulas de remédios e de (profundo) fraco, levando a proble- drágeas. mas de aprendizado e de memória. Submetido a testes, as cápsulas Outras publicações demonstram absorvem esta energia e acabam que o celular provoca um envelhe- alterando a energia de toda a mecimento precoce e mesmo danos ao dicação do paciente. DNA. Com o uso da bioressonância é Contato: possível mostrar que o celular tem nelsonpmodesto@gmail.com


10

Viva Bem

JORNALZEN

elianamattos@uol.com.br

BATE-PAPO Outro dia, voltando do trabalho para casa, ao parar no farol numa rua de comércio aqui de Indaiatuba, fiquei olhando o movimento ao meu redor. Lojas ainda abertas, pessoas entrando e saindo com sacolas, vai e vem de final de dia. Pensei: estou num momento da minha vida que não preciso de nada. E como é bom sentir isso! Realmente, hoje não preciso de absolutamente nada material. Não quero sapatos, bolsas, roupas, trocar de carro, mudar a decoração da casa... Enfim, como é bom não precisar de nada. E não sei se você está me entendendo. Não é que tenho tudo. É não precisar mesmo. O que tenho me basta. Uns dias antes, havia feito uma limpeza na minha sapateira e fiquei indignada. Tirei duas sacolas grandes de sapatos e sandálias. E no meio disso tudo, seis pares de sapatos sem nunca terem sido usados! Um era alto demais. O outro apertava meus dedos. O outro tinha qualquer coisa que não calçava legal. E assim por diante. Havia ali sapatos dessas marcas “confort”, provavelmente comprados em alguma liquidação, porque esse tipo de calçado custa caro. Ofereci para uma amiga se queria de presente. Ela calça o mesmo número que eu e aceitou toda feliz. Seis novos pares de sapatos que lhe caíram feito uma luva. Mas aí começou a saga! Ela queria que eu cobrasse pela doação! Claro que não! Então que eu aceitasse um presente. Uma bolsa talvez. Um pijama. Outro sapato. Enfim, ela queria que eu aceitasse algo em troca. E eu: “Não! Não! Não!” E isso foi se desenrolando durante dias. Até que ela apareceu aqui em casa com uma sacolinha na mão e dentro um vale-presente de uma bolsa, no valor de 150 reais! Minhas bolsas são para trabalhar, para serem jogadas no chão do carro, para não terem cuidado. São todas descartáveis, para durar um ano e por isso nunca pagaria 150 reais por elas! Tenho bolsas melhores guardadas para ocasiões especiais. Mas o dia a dia é “xing-ling” mesmo! E agora estou aqui, escrevendo e olhando para o vale-presente, e lembrando a minha parada naquele farol, onde pensei que graças a Deus não precisava de nada... Aqui vai um recado para minha querida amiga: da próxima vez não vou te dar mais sapato algum! E vamos ler nossa página de hoje! Beijos!

Agosto/2018

FORNO & FOGÃO Sopa cremosa de frango e milho Ingredientes: • 3 xícaras (chá) de leite • 1 lata de milho em conserva escorrido • 1 cebola ralada • 1 colher (sopa) de azeite • ½ xícara (chá) de peito de frango cozido e desfiado • 2 colheres (sopa) de salsinha picada

Modo de fazer: No liquidificador, bata metade do milho com o leite. Coe e reserve. Em uma panela, aqueça o azeite e doure a cebola. Acrescente o frango e o leite batido com o milho e o restante do milho. Cozinhe por uns dez minutos. Polvilhe a salsinha e sirva imediatamente.

Pudim de pão com maçã e ameixa Ingredientes: • 1 litro de leite • 1 colher (sopa) de maizena • 6 pãezinhos amanhecidos, sem casca e picados • 1 ½ xícara (chá) de açúcar • 1 xícara (chá) de ameixa preta picada • 2 maçãs médias picadas • 2 ovos • 1 colher (chá) de canela em pó Modo de fazer: Dissolva a maizena no leite. Em

uma tigela grande, coloque os pãezinhos, derrame a mistura do leite e deixe descansar por uns 30 minutos. Junte o açúcar, as ameixas, as maçãs, os ovos batidos e a canela e deixe descansar por uns dez minutos. Preaqueça o forno em temperatura média (180°C). Distribua a massa do pudim numa forma caramelizada e leve ao forno por mais ou menos uma hora e meia ou até estar firme.

Bolinho de arroz Ingredientes: • 2 xícaras (chá) de sobras de arroz • 3 ovos • 3 colheres (sopa) de parmesão ralado • 1 cebola picada • 1 colher (sopa) de manteiga • 1 colher (sobremesa) rasa de fermento em pó • Salsinha picada • 2 ou 3 colheres (sopa) de farinha de trigo • Sal e pimenta a gosto

MEL VERDADEIRO CRISTALIZA? Sim. Mel puro também pode cristalizar, principalmente quando a temperatura estiver baixa. Isso porque ocorre uma modificação química. Os açúcares que o compõem se separam e se solidificam. Se isso acontecer basta colocar o vidro de mel por alguns minutos em banho-maria.

Modo de fazer: Refogue a cebola na manteiga. Acrescente o arroz, o queijo, a salsinha, sal e pimenta a gosto. Bata ligeiramente os ovos e acrescente também. Em seguida o fermento em pó. Misture bem. Devagar vá colocando a farinha de trigo até dar o ponto pastoso, que dê para, com uma colher, colocar pequenas porções da massa na frigideira, fritando os bolinhos em óleo quente.

PARAR DE FUMAR Você já deve ter lido isso, mas sempre é bom ler de novo, caso esteja querendo parar de fumar. Veja o que acontece com o organismo quando se para com o cigarro: • 20 minutos: a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal • Oito horas: o nível de oxigenação no sangue aumenta • Um dia: o pulmão começa a se desintoxicar e as artérias voltam ao normal • Dois dias: o paladar e o olfato voltam ao normal • Três dias: a respiração melhora e a sensação de cansaço diminui • Duas semanas: o sistema imunológico começa a ficar mais ativo • Dois anos: recuperação da maioria das funções afetadas pelo fumo, desde que nenhuma doença tenha se manifestado.


JORNALZEN

Agosto/2018

Marcelo Sguassábia

João dá bobeira – Tá gravando?- Tá gravando? – Sim, podemos começar. – Amigo ouvinte, estamos aqui com o empresário Diógenes Skrauts, dono da maior indústria de infláveis do país, que responde por mais de 80% da produção de joões-bobos brasileiros. Tudo certo com o senhor? – Tudo bem. Satisfação enorme em participar do seu programa. – Bom, minha primeira pergunta é sobre o carro-chefe da empresa. Sabemos que o boneco produzido por vocês é um clássico, porém levando em conta o perfil das crianças de hoje, é preciso admitir um certo envelhecimento do produto… A impressão que dá é foi-se o tempo. – Correto. Tanto que a versão clássica nem existe mais. A crise e as mudanças nos hábitos de consumo nos levaram a novos públicos e nichos de mercado. Joões-bobos caracterizados de políticos, de Presidente da República, de Judas (vendas sazonais para sábados de aleluia), de jogadores de futebol decadentes, enfim… Produzíamos também um modelo em que você tinha a opção de colocar rostos de desafetos, para socar à vontade. – E aí? – E aí que foi um furo n’água. Ou melhor, no joão. Mas não nos demos por vencidos. Naquele mesmo ano de 2005, nosso Departamento de Marketing sugeriu o lançamento do Seguro joão-bobo, que garantia a manutenção e o conserto dos bonecos em caso de furos e cortes, pelo período de 48 meses. E sem taxa adicional. Era um plus, compreende? – Bom, imagino que isso tenha livrado vocês da bancarrota. – Que nada, meu caro. Quanto mais usos alternativos nós concebíamos e implementávamos, maior o tombo mercadológico. – A recessão parece ter nocauteado em cheio os bonecos… E depois dessa série de infortúnios, apareceu alguma ideia redentora que conseguisse reerguer a empresa? – Pois é, foi quando nos ocorreu um caminho diferente, atrelando o joão-bobo ao processo educativo – mais especificamente às conjugações verbais, que é um verdadeiro “calcanhar de aquiles” pedagógico. Na embalagem de cada joão-bobo, a criança encontrava

um livrinho de bolso com todas as conjugações dos principais verbos, para auxiliá-la na escola. – Não sei, isso também me parece pouco atraente. – É, tínhamos esse risco em mente. Afinal, uma criança recorre ao joão-bobo para se divertir, não para lembrar da escola… Mas decidimos arriscar, lançando o joão-sabichão. Óculos de fundo de garrafa, semblante inteligente, jeitão de CDF. Estampado nele, a conjugação de “joão-bobar” no presente do indicativo: Eu joão-bobo, tu joão-bobas, ela joão-boa, nós joãobobamos, vós joão-bobais, eles joão-bobam. – E deu certo a empreitada? – Creia-me: foi um tempo de vacas gordas. Bem gordinhas. Na verdade, a venda para a criança, pessoinha física, não deslanchou. Porém, elaboramos um sofisticado sistema de proprinas com alguns colégios das redes pública e particular no Rio Grande do Norte, inserindo o joão-sabichão como recurso didático em sala de aula. Entretando, após um bom período de curva ascendente, as vendas foram minguando, a coisa deixou de ser novidade. Nossa mais recente investida foi lançar o joão-bobo à base de troca e o ecologiamente correto. – Fale mais sobre isso… – No caso do joão à base de troca, o consumidor traz o seu joão estragadinho à loja e ganha um superdesconto na compra de um novo. Já o ecologicamente correto é produzido com material biodegradável, não agredindo o meio ambiente na hora do descarte. A ideia é introduzir nas lojas um joão de personalidade esperta, antenado nas novidades e na preservação dos recursos naturais… isso está na ordem do dia! – Aí sim, heim… – O slogan é “De bobo, esse joão não tem nada”. Semana que vem, estaremos analisando os primeiros relatórios de vendas. Dependendo do desempenho, criaremos novos modelos ou encerraremos de vez a produção. – Boa sorte, e obrigado pela entrevista! – Eu é que agradeço. Marcelo Sguassábia é redator publicitário

ASSINE O JORNALZEN: www.jornalzen.com.br

11


JORNALZEN

12

CULTURAZEN CARLOS BASSAN

Os prefeitos Jonas Donizette e Masanao Shibahashi na cerimônia do Sino da Paz, realizada há 27 anos em Campinas com a cidade-irmã de Gifu, do Japão DIVULGAÇÃO

Lançamento do livro O caminho apraz, a vida é fugaz, de Eunice Rodrigues de Pontes, na Academia Campinense de Letras

Agosto/2018

Jornalzen Agosto 2018  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há treze anos no mercado, circula...

Jornalzen Agosto 2018  

Jornal mensal referência em terapias holísticas, saúde, cultura, educação, bem-estar e qualidade de vida. Há treze anos no mercado, circula...

Advertisement