Issuu on Google+

JORNALZEN ANO 7

AGOSTO/2011

AUTOCONHECIMENTO

SAÚDE

nº 78

R$ 1,50

CULTURA

www.jornalzen.com.br

BEM-ESTAR

CIDADANIA Silvia Lá Mon

NOVAS COLUNISTAS DO JORNALZEN

ZEN ZENTREVISTA

Silvia Lá Mon

Divulgação

Formada em Física e Matemática e com formação holística em diversos campos, Darcy Ciampa Heras é pósgraduada em Técnicas Holísticas de Base pela Unipaz. Atua como terapeuta em Campinas. Ela passa a assinar a partir desta edição a coluna Portal Sagrado, mesmo nome do blog por meio do qual divulga cursos e práticas de diversas terapias. No texto de estreia, Darcy aborda o dilema ciência x espiritualidade. Pág. 8

Célis Garcia foi buscar no campo holístico as ferramentas para o entendimento e a autocura. Experimentou, entre tantas técnicas, a mesa radiônica quântica, da qual fez seu carro-chefe. Em sua coluna no JORNALZEN, abordará essa e outras terapias complementares. Desenvolvendo seus trabalhos há quase dez anos em São Paulo, Célis ministra cursos e atendimentos em outras cidades brasileiras. Pág. 15

Pensamentos de

ASTROLOGIA DA ALMA

Padre Haroldo

Pág. 8

Pág. 9 Divulgação

YOGA PELA PAZ O tradicional evento com práticas de ioga e meditação promovido em São Paulo terá atividades em Campinas, de 16 a 21 de agosto. Confira a programação na pág. 15

BEM NUTRIR Pág. 19

Viva Bem Pág. 18

LEIA COBERTURA DA PARTICIPAÇÃO DO JORNALZEN NA 7ª NATURALTECH Pág. 6

Petrus Schoenmaker Pág. 3


JORNALZEN

2

JORNALZEN nossa missão: Informar para Transformar

DIRETORA Silvia Lá Mon

CONSTELAÇÕES E EDUCAÇÃO 15/8, às 19h30 – palestra “As contribuições da pedagogia sistêmica a professores e pais”, com Elisete Zanlorenzi, na Maeve Dux (Rua José Ferreira de Camargo, 244 - Nova Campinas). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3396-6414 ou vouconstelar@gmail.com CONSTELAÇÕES SISTÊMICAS toda semana – em grupo e individuais: familiar, profissional, organizacional e educacional, com Elisete Zanlorenzi, na Maeve Dux (Rua José Ferreira de Camargo, 244 - Nova Campinas). Aberto ao público. Mais informações: 3396-6414 ou vouconstelar@gmail.com ESPIRITISMO - 14/8, às 10h – palestra “Arigó, 13° profeta”, com Leila Lucia de Oliveira (filha de José Arigó), na Casa de Jesus (Rua João Alves dos Santos, 770 - Jardim das Paineiras). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3251-2144 - 24/8, às 20h – palestra “Materializações de espíritos – realidade ou farsa”, com Leila Mendes da Rocha, na Casa de Jesus (Rua João Alves dos Santos, 770 - Jardim das Paineiras). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3251-2144 - 31/8, às 20h – palestra “Por que comigo?”, com Beth Lamas, na Casa de Jesus (Rua João Alves dos Santos, 770 - Jardim das Paineiras). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3251-2144 ESTUDOS SOBRE O AMOR 15, 22 e 29/8 , às 20h – palestras “Sou mulher, logo não existo”, com Cecilia Prada; “Conexões sobre a paz esportiva”, com Vanderlei Lima; e “Viagem, cultura e amor”, com José Marques Barboza; no ISI - Instituto de Saúde Integrada (Rua Barreto Leme, 1.552 - térreo, sala 9). Aberto ao público. Mais informações: www.blove.med.br ESTUDOS TEOSÓFICOS 13/8, às 15h – palestra “A doutrina do karma”, com Jovair Dias de Moraes, na escola de artes Pró-Música (Rua dos Alecrins, 301 - Cambuí). Aberto ao público. Mais informações: (19) 8815-2970 ou geteocps@yahoo.com.br PATHWORK 11/8, às 19h30 – palestra “Como você cria sua vida”, com a psicóloga Lurdes Gaspar, no auditório da Livraria Cultura do Shopping Iguatemi (Vila Brandina). Aberto ao público. Mais informações: (11) 3170-4033 PLANTAS MEDICINAIS 1 20/8, das 8h30 às 18h30 – curso “Aspectos do uso terapêutico e do plantio”, com Eloísa Cavassani Pimentel e Pedro Melillo de Magalhães, no Espaço Spiralis (Rua Rei Salomão, 295 - Sousas). Inscrições e mais informações: (19) 3258-8241 e 3258-9224

EDITOR Jorge Ribeiro Neto

JORNALISTA RESPONSÁVEL MTB 25.508

circulação: Campinas, Indaiatuba, Amparo, Holambra, Jaguariúna, Valinhos e Vinhedo

AGENDAZEN CAMPINAS

AGOSTO/2011

PLANTAS MEDICINAIS 2 27/8, das 8h às 17h – curso “Plantas medicinais e suas aplicações na saúde”, com a enfermeira e fitoterapeuta Lucia Helena Lucato, no Tabebuia Saúde (Rua Mogi Guaçu, 696 - Jardim Flamboyant). Inscrições e mais informações: (19) 3029-2346 (das 13h às 19h) ou tabebuiasaude@gmail.com TARÔ 27 e 28/8, das 9h às 17h30 – palestra “Tarô, arquétipos e terapia”, com a terapeuta floral e pedagoga Ednamara Batista Vasconcelos e Marques, no Aromaluz (Rua Frei Antonio de Pádua, 1.254 – Guanabara). Inscrições e mais informações: (19) 3242-6844 ou carla@aromaluz.com.br TOQUE TERAPÊUTICO 10 a 24/9, das 8h às 17h – curso de formação básica com a especialista Silvana Cappelleti Nagai, no Tabebuia Saúde (Rua Mogi Guaçu, 696 - Jardim Flamboyant). Inscrições e mais informações: (19) 3029-2346 (das 13h às 19h) ou tabebuiasaude@gmail.com VIVÊNCIAS EM GRUPO toda semana – Renascimento, meditações ativas de Osho, dinâmicas vibracionais, com Atula, no Instituto Humanitatis (Rua Novo Horizonte, 585 - Chácara da Barra). Aberto. Mais informações: (19) 8811-3218 e (11) 9378-1050 ou www.humanitatis.com XILOGRAVURA E MONOTIPIA até 3/9 – exposição de trabalhos produzidos pelos alunos dos cursos oferecidos pelo Projeto Xilomóvel - Ateliê Itinerante, na Cenapec - Biblioteca Adir Gigliotti (Rua Mogi das Cruzes, 255 - Chácara da Barra). Aberto ao público. Mais informações: (19) 3294-7801

INDAIATUBA BENEFICENTE até 13/8, das 9h às 18h – ponta de estoque em prol da Voluntárias de Apoio no Combate ao Câncer (Volacc). Local: Rua Pedro Gonçalves, 1.158 (Centro). Mais informações: (19) 3875-4544 TDAH 25/8, às 19h30 – palestra sobre Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, com a psiquiatra infantil Karina Borgonovi da Silva Barbi, na Câmara Municipal (Rua Humaitá, 1.167 - Centro). Aberto ao público. Inscrições (até 23/8) e mais informações pelo telefone (19) 3801-8890, com Mirian, ou pelo e-mail secretaria.apae@terra.com.br

VALINHOS CUIDADORES DE IDOSOS a partir de 27/8 – curso com Wanda Patrocínio no Núcleo Vidas Espaço Terapêutico (Rua das Vitórias Régias, 452-F - Jardim das Vitórias Régias). Mais informações: (19) 3869-1311

Redação: (19) 3324-2158 Comercial: (19) 3324-2159 contato@jornalzen.com.br www.jornalzen.com.br

PONTOS DE VENDA DO JORNALZEN CAMPINAS ALPHAVILLE CAFÉ VILLA PONTINI - AlphaMall BARÃO GERALDO BANCA CENTRAL - Avenida Santa Isabel, 20 BANCA DO AMARAL - Avenida Santa Isabel, 404 BANCA DO LÉO - Avenida Romeu Tórtima, 283 BARÃO ERVAS - Avenida Santa Isabel, 506 GUENA - Rua Manoel Antunes Novo, 778 (Pça. do Coco) IDEAL REFEIÇÕES - Rua Vital Brasil, 200 NATURALMENTE - Avenida Albino José Barbosa de Oliveira, 1.905 BOSQUE BANCA DO BOSQUE - Avenida Moraes Sales, 1.748 CAMBUÍ BANCA CAMBUÍ - Rua Cel. Quirino (ao lado Massa Pura) BANCA DONA SINHÁ - Rua Capitão Francisco de Paula BANCA MARIA MONTEIRO - Rua Maria Monteiro, 1.201 BANCA RIVIERA - Rua Coronel Silva Teles, 37 BANCA SANTA CRUZ - Rua Santa Cruz, 176 BUONA SALUTE - Rua General Osório, 1.761 CASTELO BANCA AKAMINE - Rua Barbosa de Andrade (esquina c/ padaria Pão do Castelo) BANCA NAKAZONE - Avenida Andrade Neves (balão) CENTRO ALMAZEN - Rua Barreto Leme, 1.259 BANCA CONCEIÇÃO - Rua Conceição BANCA DO ALEMÃO - Rua General Osório, 986 BANCA DO ANTÔNIO - Avenida Moraes Sales, 1.122 BANCA DO STEPHAN - Avenida Barão de Jaguara, 1.215 BANCA PUCC - Avenida Francisco Glicério, 1.580 BANCA REAL DISNEY - Rua General Osório, 1.325 CASULO ALIMENTOS - Rua Luzitana, 1.433 - loja 2 CHÁCARA DA BARRA CENAPEC - Rua Mogi das Cruzes, 255

CIDADE UNIVERSITÁRIA BANCA BARÃO - Avenida 2 - Atílio Martini, 50 BANCA CIDADE UNIVERSITÁRIA - Rua Ruberley Boareto da Silva, 1.015 FLAMBOYANT BANCA PAINEIRAS - Rua Jesuíno Marcondes Machado, 2.574 BANCA DO ISMAEL - Rua Mogi Guaçu (em frente à padaria Abelha Gulosa) GUANABARA BANCA BRASIL Rua Joana de Gusmão, s/nº BANCA DO DIRCEU - Rua Oliveira Cardoso, 62 BANCA DO SÉRGIO - Rua Carolina Florence, 241 IGUATEMI LIVRARIA CULTURA (Shopping Iguatemi) NOVA CAMPINAS BANCA INCA - Avenida Engenheiro Carlos Stevenson, s/nº PROENÇA BANCA DO ROBERTO - Avenida Princesa D’Oeste, 994 SANTA GENEBRA BANCA SANTA GENEBRA Avenida Pamplona, s/nº SOUSAS AVIS RARA Rua Rei Salomão, 295 BANCA SAN CONRADO Avenida San Conrado, s/nº BANCA RICCO PANE Avenida Antônio Carlos C. Barros, 871 EMPÓRIO ROTA JOAQUIM Avenida José Conceição Alves, 33B (Jardim Belmonte) TAQUARAL BANCA DO EDUARDO - Rua Thomaz Alva Edson, 115 BANCA TAQUARAL - Rua Paula Bueno, 1.260 VILA INDUSTRIAL SUPER NEWS - nova Rodoviária VILA NOVA BANCA VILA NOVA - Avenida Imperatriz Leopoldina, 100

AMPARO

HOLAMBRA

ÁGUA EM FLOR - Rua Barão de Campinas, 237 (Centro) CASA DO NATURALISTA - Largo do Rosário, 131 (Centro)

ESPAÇO CULTURAL TERRA VIVA - Avenida Rota dos Bandeirantes, 605

INDAIATUBA*

JAGUARIÚNA*

CENTRO BOTICA ANTICA - Rua Pe. Bento Pacheco, 1.160 BRUMAT - Rua 11 de Junho, 711 CINE CAFÉ - Shopping Jaraguá (Rua Humaitá, 773) CIDADE NOVA BAZAR 13 - Rua 13 de Maio, 1.179 HUNGRY TIGER - Avenida Presidente Kennedy, 496 RECREIO CAMPESTRE JOIA UIRAPURU (loja conveniência Posto Shell, ao lado do Habib’s) - Avenida Francisco de Paula Leite, 3.385 VILA NOSSA SENHORA APARECIDA PANIFICADORA A-REAL - Rua Candelária, 1.828 SAÚDE NATURAL - Rua Candelária, 1.751

NATU ERVAS - Rua Cândido Bueno, 885 (Centro) * e em todas as bancas da cidade

VALINHOS em todas as bancas da cidade

VINHEDO* DUE MONDY - Rua Eduardo Ferragut, 145 (Jardim Itália) EMPÓRIO JF - Avenida dos Imigrantes, 575 (Jardim Itália) * e em todas as bancas da cidade

VILA SUÍÇA PANIFICADORA NOVA SUÍÇA - Rua Pedro de Toledo, 1.855 * e em todas as bancas da cidade

CARO LEITOR: caso não encontre o JORNALZEN, ligue: (19) 3324-2159


AGOSTO/2011

A

vida na Holanda era dura quando a mãe de Petrus Wilhelmus Josef Schoenmaker ouviu falar de uma colônia de conterrâneos no Brasil. Não hesitaram em vir, entre os quais o segundo de um total de 11 filhos. A família chegou em 1959, onze anos depois da criação de Holambra. Hoje, aos 67 anos, Petrus tornou-se referência da antiga cooperativa agropecuária, emancipada política e administrativamente em 1991. Por conta de seus mais de 40 anos de dedicação voluntária na divulgação da dança e da cultura holandesa, virou garoto-propaganda da Expoflora, tradicional festa de flores do município. Ícone do evento, do qual participa desde a sua primeira edição, Petrus faz parte do Instituto Dança Viva. Sua paixão começou ao ensinar danças de salão. Em seguida, interessou-se pelas danças dos povos, em especial as folclóricas holandesas, que ensina anualmente a mais de 300 crianças e jovens em Holambra. Focaliza também grupos de terceira idade e portadores de necessidades especiais. Autodidata, há vários anos Petrus vem se dedicando às danças circulares. Em 2005 foi um dos focalizadores do Encontro Brasileiro em Embu e no ano seguinte participou do Festival Internacional de Danças Circulares Sagradas em Findhorn, na Escócia. Nesta entrevista exclusiva ao JORNALZEN, Petrus recomenda que os homens devem dançar para “soltar suas emoções”. Como começou seu envolvimento com a dança? Desde que chegamos ao Brasil, eu tinha 15 anos e muita vontade de ir aos bailes que promoviam uma vez por mês, mas só pude entrar quando completei 16 anos. Sempre gostei muito de música e ainda não sabia dançar. Naquela época, não tínhamos muito o que fazer. Na colônia, só havia energia elétrica no centro da cidade. Então soube de um professor da comunidade que dava aulas de dança e fui fazer. Aprendíamos o foxtrote, as valsas e outras daquela época. Daí começou a minha paixão pela dança. A música me traz alegria. Quando estava com 18 anos, o professor foi embora e eu assumi o lugar dele. Não parei mais de dar aulas. Sempre dei aulas de danças de salão. Fiz cursos com outros professores. Holambra sempre teve danças folclóricas, mas nunca tinha me envolvido. Talvez porque as danças folclóricas da Holanda são do Sul e eu era do Norte. Numa ocasião, quando Holambra completou 30 anos, vieram me perguntar se eu não sabia danças folclóricas para fazer uma apresentação na festa. Então organizamos um grupinho e nos apresentamos. Logo depois começou a Expoflora e todos que vinham visitar a feira queriam ver a dança de tamancos. Era um sucesso. Então nos animamos e levamos adiante esses grupos e íamos até nos apresentar fora. Depois vieram as crianças, que também comecei a treinálas, e faziam muito sucesso na feira. Ao mesmo tempo, tinha meus negócios, pois sou agricultor e não dançarino. A família tem muitos negócios, fazendas, plantações. Eu tinha que sempre ir à Holanda a negócios, mas as pessoas vinham me pedir para formar grupos. Veio também o grupo de terceira idade e assim desde os meus

JORNALZEN

3

ZEN ZENTREVISTA Petrus Schoenmaker

ALEGRIA DE VIVER Holandês radicado no Brasil tornou-se ícone em Holambra pela dedicação à divulgação da dança, uma de suas paixões Silvia Lá Mon

“É possível curar o mundo através da dança e da alegria” 18 anos. Todo ano aparece um grupo novo. O senhor também é referência em danças circulares... Sim. Houve uma ocasião em que fomos pela nossa empresa fazer uma vivência de danças circulares e jogos cooperativos que nos marcou muito. Naquele encontro nos entregaram um convite para o 1° Encontro de Danças Circulares Sagradas dos Povos. Na época, não entendia por que eram sagradas. Hoje, entendo que o que faz as coisas serem sagradas é você ter consciência delas, ou seja, fazer conscientemente, praticar o dar e o receber. Seguir o ritmo da roda. Você fica inteiro consigo mesmo e ao mesmo tempo interage com o coletivo. Você colabora com o coletivo através de suas características. Um alimenta o outro. Tive experiências incríveis com crianças da Apae [Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais]. Até

presenciei um milagre quando certa vez vi uma criança autista sorrindo na roda. É maravilhoso as coisas que acontecem. Também tenho um grupo de terceira idade e o maior incentivador dessa atividade é a secretaria de Saúde dos municípios. É espantosa a diminuição de consultas do idoso que começa a praticar essa atividade. Como nasceu o Instituto Dança Viva? Sempre estive ligado à empresa da família, Terra Viva, que tem 1.600 pessoas fixas, fora os empregos avulsos, em vários setores, mas também sempre estive envolvido com a dança. Cada vez maisme envolvia com as danças e fiquei responsável pelo departamento de responsabilidade social da empresa. Num dado momento, decidimos pelo meu afastamento como executivo, não como sócio, e tivemos a ideia de criar uma empresa voltada para a dança.

Daí surgiu o Instituto Dança Viva, com a participação de minhas filhas e minha esposa. Com o tempo, acreditamos que ela se torne uma ONG ou associação. A tendência é crescer e ficar para o futuro de Holambra. Além dos cursos regulares de danças às sextas-feiras, começamos a praticar uma nova modalidade de dança criada por um mestre búlgaro [Peter Danov], chamada paneuritmia. Além disso, todos os anos vou para vários Estados fazer oficinas de danças circulares e folclóricas. O senhor se dá conta de que é visto como a personificação da alegria? Comecei a me dar conta depois do primeiro Encontro Brasileiro de Danças Circulares. Percebi que não conseguia passar despercebido pelas pessoas. Fui aprendendo desde cedo a dar aulas, mas desde quando comecei nas danças circulares percebi que também sou um dos poucos homens que participam. Quando trabalhava com crianças, fazia bagunça com elas e eles próprios acabavam se organizando, rindo dos erros. Do jeito que eu sou e o jeito do outro, sempre tem alguma coisa para se divertir. Não sei ser de outro jeito. Não sou um bailarino. Sou o que sou e gosto assim. Os homens também devem dançar, soltar suas emoções. Tenho grande admiração pelas mulheres, da forma como elas estão sempre dispostas a aprender. Aprendi muito com o mundo feminino. É muito rico. Temos notícias de grupos de danças circulares com presidiários e até com deficien tes visuais e auditivos. É possível curar o mundo através da dança e da alegria. Como avalia a proposta editorial de nosso jornal? A primeira vez que vi o JORNALZEN, pensei: “Nossa! Alguém teve coragem de fazer um jornal dedicado a um lado que dificilmente aparece. E que dá uma visibilidade muito grande a tudo isso”. Acho maravilhoso que exista um jornal que espalha essas coisas pelo mundo. Temos de estar abertos a ver que o mundo não é só econômico, não é só tragédia. Tem lições de vida, tem coisas boas. Sempre tem um artigo que nos ensina muitas coisas. Também sempre falo para as pessoas. É muita riqueza que tem para ler. Que mensagem gostaria de deixar para os nossos leitores? Existe um ditado que diz: você tem que dançar conforme a música. Isso é uma grande verdade. Só que a maioria não dança, não aprende. Então, faça da sua vida a prática de dançar, e a vida de fato dá o melhor para quem sabe de fato dançar conforme a música. A vida fica bem mais fácil. Então, comecem a dançar já!


JORNALZEN

4

LUZ DA CONSCIÊNCIA LUIZ ANTÔNIO TREVIZANI contato@luzdaconsciencia.com.br

Glossário No jogo das palavras, muitas vezes falseamos os seus significados reais e inventamos outros que menos expressem a verdade contida nelas. Vamos encarar... Timidez é puro orgulho, disfarçado de humildade. Toda pessoa tímida dá demasiada importância ao julgamento dos outros. Timidez é medo de ser você mesmo e assumir o seu papel no palco da vida sem temer por vaias. Medo é só imaginação. Imaginação é o pensamento criando imagens. Quando você imagina a possibilidade de um acidente, sofre por antecipação. Por mais que os psicólogos expliquem que há medos e medos, todo o medo surge da imaginação. Todo medo é medo do desconhecido, e os nossos sistemas de alerta são colocados em prontidão e preparados para fuga, defesa ou ataque; a adrenalina é liberada e a energia concentrada na parte inferior do corpo para dar impulso a uma ação. Se você não imagina o pior, o medo desaparece e a sua ação torna-se consciente. Medo é ausência de amor; falta de fé. Se você está à beira de um precipício, e não imaginar a possível queda, não sentirá medo. Você já observou os equilibristas que atravessam de um edifício a outro sobre um cabo esticado? Eles não imaginam cair... O medo está na raiz de todo sofrimento humano. Medo é ignorância; ignorância cria ilusão; ilusão leva à imaginação; imaginação fecha o ciclo de volta ao medo, e chega ao pânico. Depressão é negação de si mesmo e do fluxo da sua natureza. É uma das piores safadezas que o ser humano pode fazer consigo mesmo. Depressão sintetiza-se por falta de fé na vida e negação da sua realidade espiritual. A depressão estabelece um limite entre a negação e a aceitação da realidade, e propicia um contato profundo com a sua natureza espiritual quando isso é percebido e aceito, porém, quando você acredita que pode sair dela com remédios só se aprofunda ainda mais nela e não percebe a sua mensagem retificadora. Coragem significa agir pelo coração – cor=coração; agem=ação. O coração é o centro da consciência, apesar de dizerem que ele está no cérebro. O cérebro é o processador da consciência e o mecanismo físico pelo qual ela se manifesta e faz os enfoques mentais. Mas é no coração que está o centro da vida e da consciência. O coração é a maior usina geradora de energia que o ser humano possui - o amor. Amor é o florescimento total do ser humano e a sua expressão mais natural. Amor é a fragrância do ser. Quando a sua natureza se expressa na sua integralidade, você se torna amor; então não há mais medo, nem exigências e desejos, mas florescimento, doação, aceitação, entrega, totalidade, fé. No amor não há sofrimento, mesmo que haja dor, porque o sofrimento é do medo, da ignorância e da ilusão de se ter o controle sobre a vida e os seus eventos. Vida é amor; amor é vida! Quando você aprender a se bancar em si, sem se dependurar em mais ninguém, o florescimento acontecerá, e timidez, medo e depressão estarão fora de seu glossário dando lugar ao significado real de FÉ.

AGOSTO/2011

Silvia Lá Mon O pai nosso O pai nosso de cada um de nós é tão importante que a principal oração cristã tem esse nome. Quem é gnóstico sabe da máxima de que “como é em cima é embaixo” e quero aqui fazer uma analogia entre o Pai Nosso e o pai nosso. Da mesma forma que o Nosso Pai do Céu é a nossa Referência, o nosso Protetor, Aquele a quem nos refugiamos nas horas difíceis, Aquele que nos provém, que nos ama incondicionalmente, mas que nos dá os limites, as regras de viver no mundo, os mandamentos e os parâmetros da formação do caráter; é assim também o nosso pai na Terra. E na nossa sociedade ocidental geralmente o pai é relegado a um segundo plano, tendo sempre a mãe como a principal fonte de amor e proteção do filho. A mãe é considerada uma entidade sagrada, intocável, inquestionável. E o pai? Geralmente os homens se queixam de que quando nasce o primeiro filho, ele sempre fica de escanteio pela esposa,

que passa a se dedicar integral e possessivamente ao rebento. Mesmo durante a gravidez somente a mulher recebe as atenções e cuidados, mas sabemos que nesse período os maridos também passam por muitas transformações, emocionais e às vezes até físicas. Costuma-se dizer que o pai é distante dos filhos, que não sentem tanta falta deles quanto da mãe, etc. São paradigmas sociais. Portanto quero aqui exaltar a figura desse pai, ao mesmo tempo tão amado e por vezes tão injustiçado por nós e prestar minhas homenagens e reverência a dois deles. Ao meu pai, que já fez sua Grande Viagem, mas sei que continua me protegendo, como sempre fez em vida, e ao pai de minha filha, que tem se mostrado presente em todos os sentidos, que a ama profundamente, tanto quanto eu e que assim como todos os pais tem todas as qualidades do Nosso Pai.

PANORAMA Somos Terra

Feijoada do bem 1

A exposição, que vai até 10 de setembro no Parque Ibirapuera, em São Paulo, conta a trajetória de tudo que faz parte do universo e forma o planeta Terra. De forma interativa, crianças e adultos passeiam pelos diversos estágios como ar, água, terra, flores e folhas. Com entrada aberta ao público, a mostra ocupa uma área de aproximadamente 500 metros quadrados na sede da Universidade do Meio Ambiente e da Cultura de Paz (Umapaz).

Pelo nono ano consecutivo, o Giovannetti Cambuí terá a FeiGioada Solidária, dia 27 de agosto, das 12h às 17h. A Associação e Oficinas de Caridade Santa Rita de Cássia, o Centro de Terapia da Dor e Cuidados Paliativos Lo Tedhal e o Movimento Assistencial Espírita Maria Rosa serão as instituições beneficiadas. As camisetas-convite estão à venda – 100 reais para homens e 85 reais para mulheres. Mais informações pelo telefone (19) 3234-9510.

Corrida solidária

Feijoada do bem 2

Na terceira edição, a Casa Cor Campinas Eco Running, marcada para o dia 28 de agosto, promove a responsabilidade social ao solicitar dos inscritos a doação de materiais didáticos. O que for arrecadado será doado para a Associação Beneficente Campineira, que atua junto à comunidade do Jardim São Marcos. As inscrições para a prova de sete quilômetros, no Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim, podem ser feitas no site www.ativo.com .

A Feijoada da Paioça do Caboclo, no distrito de Joaquim Egídio, será realizada dia 20 de agosto, a partir das 12h. Os convites – 100 reais para homens e 50 reais para mulheres – estão sendo vendidos na Paioça do Caboclo, nas três unidades do Fogão Mineiro e n’A Academia. Na compra do convite devem ser levados dois quilos de alimento não perecível, que serão doados ao Centro Comunitário Irmão André (Cecoia). Mais informações: (19) 3298-6442.

Dia dos Pais

Feijoada do bem 3

A Livraria Cultura promoverá dia 13 de agosto, a partir das 15h, a oficina Venha fazer o presente do papai na Livraria Cultura. Durante a atividade, no auditório da unidade do Shopping Iguatemi, crianças a partir de 6 anos poderão soltar a criatividade com a ajuda de um arte-educador para confeccionar uma camiseta moderna para os pais.

A Loja Rosacruz Campinas também promove sua feijoada, dia 21 de agosto. A contribuição solicitada é de 25 reais por pessoa. Reservas de convites podem ser feitas pelo telefone (19) 3203-9979 ou pelo e-mail oacampinas@gmail.com . A sede da Loja em Campinas fica na Rua Nazaré Paulista, 690 (Jardim Paineiras), próxima ao shopping Iguatemi.


AGOSTO/2011

JORNALZEN

5 INFORME PUBLICITÁRIO

INFORME PUBLICITÁRIO

Alergias Sintomas: saiba como melhorá-los As doenças alérgicas são, de fato, doenças da civilização relacionadas ao ambiente, pois estão envolvidos fatores como alimentação, vida agitada e intensa nos grandes centros, ar condicionado, poluição do ar, poeira, e ainda, é claro, a exposição ao alergênio (substância química, agente físico ou organismo vivo que estimula a produção de anticorpos), causando os principais sintomas. Dentro das alergias respiratórias, as poeiras são, sem dúvida, os mais importantes alergênios de inalação, causadores principalmente de irritações. Os efeitos podem ser minimizados utilizando produtos com baixo teor de alergênios, como roupas de cama (travesseiros e capas, lençóis, edredons e cobertores), máscaras, purificadores e umidificadores de ar, etc. Os alergênios por contato são aqueles que provocam manifestações de hipersensibilidade por contato direto com a pele ou mucosa, originadas por substâncias químicas, cosméticos,

medicamentos, lãs e sedas, plantas, insetos e animais. A prevenção destas reações se dá pelo uso de produtos antialérgicos como maquiagens, esmaltes, joias, luvas, produtos de limpeza (detergentes, sanitizantes e limpadores), produtos de higiene pessoal (protetor solar, cremes, sabonetes e desodorantes), repelentes, etc. Nos alimentos alguns produtos alergênicos podem ser citados: glúten, lactose, soja, ovo, cacau, crustáceos e peixes. O melhor meio de prevenir ou reduzir o contato com os alergênios, é consumir produtos sem estes agentes: pães, macarrão, leites, bolos, biscoitos, cervejas, doces, farinhas, chocolates, etc. Especializada em artigos hipoalergênicos diversos, a Alergomundo foi idealizada com o objetivo de proteger as pessoas com sensibilidade a estes causadores de alergias. A marca representa a proteção de todos os tipos de alergias, proporcionando assim uma “Proteção para uma Vida Melhor!”

Culinária saudável Antes de mais nada, se você tem orientação médica ou de um nutricionista para uma dieta específica, siga-a. As dicas aqui sugeridas são para pessoas saudáveis e sem qualquer problema de nenhuma natureza. Qualquer dúvida, consulte um médico ou um nutricionista. Para uma alimentação saudável você não precisa excluir nada do seu cardápio, apenas terá de dosar melhor. Os exageros tendem a ser prejudiciais. Comer menos. Cinquenta por cento da população brasileira está com sobrepeso. Portanto, haveremos de reduzir as quantidades. Substitua quantidade por qualidade. Em vez de comer muito, faça uma alimentação bem nutritiva e recheada de especiais para ampliar o sabor. Reduza significativamente os ingredientes pesados e de difícil digestão como as gorduras. Troque-as por legumes e ce-

reais. Mantenha o sabor pelas especiarias. Eu faço lasanha com pouca massa, pouco queijo, pois substiClélio Berti tuo-os por miDiretor da Unidade Flamboyant da lho, couve-flor e Universidade de Yôga (Uni-Yôga) um molho especial de tomate com especiarias. Muito mais sabor, menos calorias, mais leveza. Às sextas-feiras, faço as minhas receitas. Enviarei por e-mail (aos nossos alunos) os ingredientes utilizados e as especiarias. Para que você tenha uma ideia do uso dos temperos. Uma refeição leve, saudável e gostosa permitir-lhe-á disposição, alegria, saúde, vitalidade e qualidade de vida. Quer mais? Continue com as suas práticas do Método DeRose e curta a vida.


JORNALZEN

6

AGOSTO/2011

NATURALTECH JORNALZEN participou da sétima edição da feira internacional de produtos naturais em São Paulo, cujos resultados superaram os de anos anteriores

A

sétima edição das feiras Bio Brazil Fair e Naturaltech, de produtos orgânicos e naturais, respectivamente, consolidou sua importância para as novas empresas do setor e espelha a evolução desses mercados entre os consumidores brasileiros. O JORNALZEN participou pelo terceiro ano consecutivo da Naturaltech como único veículo de comunicação da região e uma das duas empresas expositoras de Campinas no evento. Um total de 216 expositores ocupou os 7 mil metros quadrados do prédio da Bienal do Ibirapuera, em São Paulo, atraindo uma visitação de 21,7 mil pessoas durante os quatro dias de feira. O destaque foi a visitação de lojistas, atacadistas, distribuidores e outros profissionais do setor, tendo sido registrado um aumento de 20% nesse tipo de visitação. Silvia Lá Mon, diretora do JORNALZEN, comemora os resultados obtidos na Naturaltech. “Foi a melhor feira das três que participamos”, conta. “Fechamos diversos negócios na área publicitária e consolidamos a imagem do jornal no segmento de produtos naturais e terapias holísticas.” Silvia adianta a intenção de manter o JORNALZEN no evento em 2012, previsto para o mês de maio. “É impres-

sionante como o jornal está conhecido em São Paulo e muito importante continuar marcando presença”, comenta. A gerente de negócios das feiras, Lucia Cristina de Buone, destaca a importância das feiras para impulsionar as pequenas e médias empresas. “Estamos muito satisfeitos em ver que a feira está sendo considerada pelos micro e pequenos produtores como o principal espaço para a promoção e geração de negócios”, comenta. “Com o cenário atual de grandes redes de varejo se unindo e comprando pequenas cadeias de lojas, o micro e pequeno produtor não consegue entrar nestes canais de distribuição e a feira chega para justamente oferecer outras oportunidades de distribuição ou até mesmo o atendimento direto ao consumidor.” Ela considera gratificante constatar como as empresas estão se profissionalizando e a cada ano oferecendo mais produtos e melhor atendimento aos clientes. Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal Feiras, que promove os eventos, celebra “os resultados cada vez melhores, os expositores ainda mais satisfeitos e o papel do evento em impactar os negócios, reforçar marcas e disseminar os conceitos que a produção orgânica e natural ensejam: saúde e meio ambiente”.

Jorge Ribeiro Neto e Silvia Lá Mon, diretores do JORNALZEN, no estande do jornal na Naturaltech Fotos: Silvia Lá Mon

Funcionárias e a proprietária Lucineide (centro) no estande da Edilu Sacolas Ecológicas, empresa de São Paulo comprometida com a questão ambiental

Colegas da Editora Teosófica e da revista Sophia, estande vizinho ao do JORNALZEN

As terapeutas Silvia Fleury e Danielle Felippe no estande da EMF Balancing Technique

Genima Laguzzi, diretora da Editora Pique-Brinque, especializada em softbooks terapêuticos e educativos para bebês, cuja a novidade é a coleção “Minha primeira sacolinha retornável”, com um pequeno livro com frutas ou verduras em tecido Estande do vinagre natural de maçã Senhor Viccino, fabricado artesanalmente em Piracicaba

QUEM PASSOU PELO ESTANDE DO JORNALZEN NA 7ª NATURALTECH


JORNALZEN

AGOSTO/2011

Faxina dos sentimentos Lourdes Manhani

O

termo faxina nos remete à limpeza material, aquela que frequentemente fazemos em casa. É afasta sofá daqui, estante dali, usa desinfetante, sabão em pó e tantos outros produtos para deixar nossa casa limpa. Essa faxina todos conhecem, seja ela “leve”, a que é feita todos os dias, ou a “pesada” que de tempos em tempos resolvemos e precisamos fazer. Nessas ditas “pesadas” nos colocamos muitas vezes dispostos a jogar fora o que não utilizamos mais, tirar tudo do lugar para ver se não há teias de aranha. Enfim, essa limpeza não nos causa muitos problemas, a não ser o esforço físico. No entanto a minha proposta é a faxina dos sentimentos. Essa parece ser mais difícil não é mesmo? Vasculhar as gavetas dos sentimentos é uma tarefa que demanda disposição, tempo e coragem. Qual a gaveta que você precisa limpar? É a da raiva? Essa raiva que te consome, te faz mal e que a cada dia te deixa mais angustiado(a), com uma vontade de jogar tudo para o alto, a raiva que te cega e não permite que enxergue o outro lado da situação? De forma nenhuma é negá-la ou sufocá-la, mas sim trabalhá-la de uma forma que não te traga nenhum malefício. Outra gaveta que com certeza tem trazido sofrimento as pessoas é a da ansiedade, esse sentimento de apreensão que às vezes te paralisa, te aprisiona e te impede de realizar o que deseja. Reflita a causa da ansiedade, qual produto que precisa utilizar nessa

gaveta para limpar esse sentimento? Uma outra que mereça uma atenção especial é a tristeza. Tristeza pela perda de um ente querido, de um relacionamento acabado, saudade de uma pessoa que há muito tempo não vê, enfim o que precisa fazer nessa gaveta para que a alegria que antes possuía volte a existir? Não é pretensão tornar simplório cada um desses sentimentos, haja vista que cada um merece um artigo a parte, porém é fazêlos refletir sobre a importância de analisar aquilo que não está te causando bem e iniciar um processo de limpeza e cura. Há tantas outras gavetas que merecem sua atenção. Pense naquela que no momento está te fazendo muito mal e reflita o que precisa fazer para se curar. Cabe lembrar que cada um desses sentimentos e muitos outros foi você quem permitiu que ocupasse sua mente e seu coração, e mesmo que esteja ‘impregnado” utilize o que for necessário para removê-lo, seja com uma autoanálise ou ajuda profissional. Lourdes P.S. Manhani é psicanalista clínica contato@institutoshake.com.br

7 INFORME PUBLICITÁRIO

Toque Terapêutico no sistema imunológico A prática de imposição de mãos como o Toque Terapêutico (TT) envolve o uso das mãos sobre as proximidades do corpo da pessoa tratada e está associado à transferência de energia do agente de cura para o paciente. Num pequeno estudo piloto, a enfermeirapesquisadora Janet Quinn, examinou os efeitos do TT em pacientes que sofriam de extrema tristeza após a morte de um ente querido. Em seu estudo, Quinn retirou amostras de sangue de pacientes extremamente tristes antes e depois de várias sessões de Toque Terapêutico. O objetivo era examinar a quantidade de célulasT supressoras circulantes no sangue. As células-T supressoras são glóbulos brancos que dificultam a função imunológica do corpo, diminuindo a produção de anticorpos. A ciência aceita que a tensão e a depressão podem coibir o funcionamento do sistema imunológico, o que torna a pessoa deprimida mais suscetível às doenças. Após os estudos, Quinn constatou uma que-

da de 18% na quantidade das células-T supressoras depois dos tratamentos de Toque Terapêutico em Silvana Cappelleti Nagai Mestre em Enfermagem; autora todos os pacien- do livro “Introdução de Métodos Terapêuticos Alternativos: tes, efeito esse que experiência desenvolvida na resultaria numa inrede básica de Campinas” tensificação do fun- _____________________________ cionamento normal do sistema imunológico. As pesquisas científicas demonstraram que o Toque Terapêutico é eficaz para reduzir a ansiedade, induzir estados de relaxamento profundo, acelerar processo de cura e reduzir a dor, propiciando uma melhor qualidade de vida e bem-estar às pessoas. O Tabebuia Saúde oferece esta modalidade terapêutica a pacientes com doenças agudas, crônicas e psicossomáticas, além de cursos de formação básica para profissionais da saúde.


JORNALZEN

8

PORTAL SAGRADO DARCY CIAMPA HERAS darcylch@gmail.com

Ciência x espiritualidade A humanidade sempre esteve em busca da verdade, procurando encontrar respostas para tantas perguntas a respeito do mundo não só físico, mas também do mundo oculto, do mundo espiritual. Antes da revolução científica, acreditava-se num mundo em constante mudança, num mundo onde as forças energéticas e espirituais fluíam harmoniosamente, todas ligadas ao Grande Criador. Não existia separação. Tudo fazia parte de uma grande cadeia. Com o passar do tempo, tudo isso começou a sofrer grandes modificações. A religião e a ciência adotaram caminhos distintos. A partir do século XVII essa separação se acentuou drasticamente. O mundo físico passou a ser considerado a única coisa “real”, regido por leis clássicas e mecanicistas. A natureza passou a ser explorada de maneira brutal com um único objetivo, a de servir o homem em nome do conhecimento, do progresso e da ciência. Aos poucos o homem foi se perdendo, afastando-se cada vez mais da sua própria essência, da sua conexão com o Divino, com a Fonte Criadora, gerando conflitos e desequilíbrio. Hoje o ser humano começa a resgatar antigos valores onde a ciência passa a desempenhar um papel crucial nesse resgate, trazendo uma nova luz, um novo enfoque à nossa tão respeitada realidade, que começa a despontar no horizonte, trazendo sinais de um novo mundo onde homem, natureza e espírito formarão a verdadeira essência da vida. É a volta para casa.

AGOSTO/2011

12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121 RICARDO GEORGINI ricardogeorgini@yahoo.com.br 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121

AS TR OL OGIA D A ALMA ASTR TROL OLOGIA DA

Leão: o pequeno eu e o Eu Superior O trabalho de Hércules relacionado ao signo de Leão é a morte do leão de Nemeia. Quinto signo do Zodíaco, Leão estimula nos seres humanos a autoconsciência e a autorregência. Este trabalho representa a descoberta de um eu mais profundo e o exercício de conduzir-se na vida a partir deste centro. Um terrível monstro, um leão enorme e de pele impenetrável a qualquer arma, assolava a região de Nemeia. Os seus habitantes estavam atemorizados e não podiam viver e se desenvolver normalmente. Hércules recebeu a tarefa de eliminar a fera. Quando ele encontrou o leão, disparou-lhe flechas, que bateram em sua pele e caíram ao chão. O leão foi aproximando-se do herói, rugindo de modo amedrontador, mas Hércules gritou com igual força, então a fera se pôs a fugir. Hércules perseguiu o leão até o seu covil, que era uma caverna com duas aberturas. O herói entrou por uma abertura e atravessou a caverna escura até sair pela abertura do outro lado, sem encontrar a fera. O leão tinha saído pela segunda abertura e tornado a entrar pela primeira. Então Hércules reuniu algumas toras e bloqueou uma abertura, entrou pela outra e bloqueou-a também. E assim, no escuro da caverna, enfrentou sozinho e desarmado o monstro. Hércules agarrou o leão pelo pescoço, apertandoo até que morresse sufocado. Depois usou a garra do próprio leão para cortar-lhe e retirar-lhe a pele, e passou a vesti-la. O leão é chamado o rei da floresta e representa o regente no interior de cada ser humano: o nosso eu. O eu é como o Sol; é a fonte da luz da consciência e o centro da nossa vida psicológica. Uma das principais tarefas evolutivas de todo ser humano é desenvolver a autoconsciência, e isso é o que estamos todos fazendo, quer percebamos ou não, através de tudo o que buscamos e realizamos no

mundo. Quando há autoconsciência, o eu pode atuar como o regente interno, harmonizando pensamentos, sentimentos, desejos, palavras e ações, e produzindo uma vida de sucesso. Os que aspiram trilhar o caminho espiritual devem estar bem encaminhados no desenvolvimento da autoconsciência. Não há espiritualidade genuína sem autoconsciência. Contudo, o longo e árduo trabalho de desenvolver a autoconsciência e fortalecer o eu se faz através do autocentramento e autointeresse, e muitas vezes leva a um egoísmo exacerbado, ambição desmedida, orgulho exagerado e vaidade excessiva. É essa condição que o leão monstruoso do mito representa. Por trás desse eu que conhecemos, há o que poderíamos chamar de um eu mais profundo: o Eu Superior, a nossa essência espiritual. O pequeno eu é caracterizado por um sentido de isolamento e separação, mas o Eu Superior sabe que é um com todos e com tudo. No mito, Hércules representa esse Eu Superior, procurando eliminar os excessos do pequeno eu. O leão era invulnerável a qualquer arma, o que significa que nenhum artifício mental, teoria, crença ou técnica poderá solucionar a exacerbação do eu. As duas entradas da caverna representam os pensamentos e os sentimentos, e enquanto estivermos envolvidos com eles, o pequeno eu continuará a nos despistar e ludibriar. A solução encontrada por Hércules foi sufocar o leão, impedindo-o de respirar o ar que lhe dava vida. O ar que vivifica o pequeno eu é o nosso interesse em nós mesmos. Assim, sufocar o leão significa deixar de dar tanta importância e prestar tanta atenção ao pequeno eu, com seus defeitos e qualidades. A exacerbação do eu é causada pelo autointeresse e não poderá ser corrigida pela preocupação com o autoaperfeiçoamento. A solução é o autoesquecimento.


JORNALZEN

AGOSTO/2011

Pensamentos de

Padre Haroldo Medo do ‘medo’ Pombos têm medo de gatos. Um dia um pombo ao ver um gato se aproximando, começou a tremer, fechou seus olhos e ficou gelado nos ramos de uma árvore. Fechando os seus olhos, o pombo pensou que o medo acabaria, pois estaria evitando o olhar do gato; é impossível. Ficando sem ver, o pombo se torna vítima do gato. Manoel estava sentado contemplando as florestas amazônicas e, de repente, percebeu um movimento. Uma grande onça aproximou-se e parou a dois metros dele. Era uma beleza! Um corpo grande, um animal esplêndido com aparência espetacular. A sua forma perfeita, seus olhos brilhantes e coloridos com majestade, escondiam a fera. Manoel perdeu-se em admiração. O medo não entrou na sua mente. Manoel e a onça olhavam-se mutuamente. A onça pensou: “Quem será este homem concentrado em tanta admiração por mim?” Chegou mais perto e sentiu o calor do corpo de Manoel. Antes de retirar-se, virou-se e olhou Manoel uma vez mais. A onça comportou-se assim porque notou que Manoel não tinha nenhuma vibração de medo nem respiração alterada. Gostou da postura de Manoel e foi embora. Dizem também que podemos olhar nos olhos de qualquer cachorro sem problemas, quando o fazemos sem medo. Joaquim é exatamente o contrário. An-

dava pelo Pantanal observando a natureza, os belos arbustos e as águas refletindo o brilho do sol. Os olhos dos jacarés apareceram nas ondas do lago. Tudo parecia perfeito até o momento que chegou uma onça grande e feroz. Joaquim correu com toda sua força. Notou que a onça o seguia, em grande velocidade e que estava diminuindo a distância entre eles. No seu medo, caiu. Joaquim nunca havia feito uma oração; considerava-se um ateu. No desespero, gritou: “Deus me ajude!” Falou com honestidade; não queria ser hipócrita. “Invés de me converter, faça da onça um cristão”. Uma luz brilhante apareceu e, de repente, a onça parou e juntando suas patas, rezou: “Dou graças a Deus por estes benefícios que estou recebendo do Senhor”. Medo do “medo” é pior que o próprio medo. O medo desaparece quando o medo do “medo” não aparece. Manoel não tinha medo. Uma mente equilibrada é muito importante, porque não deixa o medo nos destruir. Devemos buscar coragem em todas as situações. O Mestre falou: “Não tenha medo, estou aqui”.

9 INFORME PUBLICITÁRIO

Sobre as constelações individuais Conforme Hellinger, os membros de um sistema familiar estão imersos em um campo de ressonância, que guarda o registro de todos os acontecimentos, independentemente do espaço-tempo. Sem separação entre a parte (pessoa) e todo (sistema) e interno (pessoal) e externo (coletivo), essa memória sistêmica reside também em nós: é uma consciência inconsciente, com mais força em nossas ações do que a consciência individual. Nas constelações em grupo, acessamos essa consciência através dos participantes, que representam os personagens envolvidos nas tramas familiares. Os acontecimentos e vínculos vêm à tona, possibilitando trabalharmos os emaranhamentos e tensões, em benéfico de todos. Nas constelações individuais, o acesso a esse inconsciente sistêmico se faz com objetos, que representam as pessoas. Na mesa, ou em tabuleiro, utilizamos bonecos playmobil, pedrinhas, peças de cartolina, etc. No chão, usamos âncoras: almofadas, cadeiras, folhas de papel, sapatos, mão cataléptica. Durante a sessão, cliente e terapeuta tocam esses objetos e, assim, aces-

sam informações da memória individual e da sistêmica, que desvelam a fonte dos bloqueios e dificuldades. O essencial vem à tona e a tomada de consciência indiElisete Zanlorenzi vidual sobre a Formação internacional em consciência sisConstelações Sistêmicas Organizacionais, têmica mobiliza e Familiares, Estruturais e em PNL. libera uma pode- Certificação em treinamentos avançados com Bert Hellinger. rosa força de trans- Doutora em Antropologia (USP), com 22 anos de docência formação das peruniversitária. Especialização cepções, senti- em Psicoterapia Analítica de (Unicamp) e Psicologia mentos, posicio- Grupo Transpessoal (Alubrat). namentos, reverberando em outras partes daquele sistema. Uma constelação individual pode estender-se por horas, em um trabalho intenso de autoconhecimento e solução rápida de questões que, comumente, já foram abordadas em terapias convencionais. Sua eficácia consiste em abrir portas de acesso à consciência sistêmica, aliviando os pesos, que, através das âncoras, são deixados no passado, com respeito e gratidão à vida, pelas oportunidades de crescimento. Relatos e depoimentos de clientes testemunham o alcance e eficácia dessa técnica, que é, certamente, a terapia do futuro: parte do individual em direção ao sistema, ao todo, todos-um.

Haroldo Joseph Rahm é presidente de Apot – Instituição Padre Haroldo hrahmsj@yahoo.com

Campanha McDia Feliz mais uma vez beneficia o Boldrini O Centro Infantil Boldrini será mais uma vez beneficiado com a campanha McDia Feliz, que acontece dia 27 de agosto nas lojas do McDonald’s da região de Campinas. Vinte e três lojas de Campinas, Atibaia, Bragança Paulista, Indaiatuba, Mogi Guaçu, Piracicaba, Poços de Caldas e Valinhos beneficiarão o Boldrini com a venda de sanduíches Big Mac (separadamente ou na promoção número 1), exceto impostos. A verba arrecadada com a campanha será aplicada pelo Boldrini no Projeto da Doença Residual Mínima em crianças e adolescentes com leucemia linfoide aguda. Para Silvia Brandalise, presidente do Boldrini, espera-se que com esse projeto de diagnóstico os pacientes que apresentam células residuais venham a receber tratamentos mais personalizados ou mesmo o transplante de medula óssea, com melhorias na probabilidade de sobrevida. “Por outro lado, os pacientes com menor risco de recaída, que não apresentam célu-

las malignas, passem a receber tratamento menos intenso, sem comprometer os índices de cura”, comenta a médica. Promovido desde 1988, o McDia Feliz é uma campanha que visa arrecadar recursos para o combate ao câncer infanto-juvenil no Brasil. O lançamento da 23ª edição em Campinas, no último dia 8, reuniu convidados, voluntários, funcionários e parceiros no Almanaque Café. Os recursos obtidos com o McDia Feliz têm viabilizado a implantação de unidades de internação, ambulatórios, salas de quimioterapia, casas de apoio e unidades de transplante de medula óssea, entre outros projetos em benefício de crianças e adolescentes com câncer. As empresas interessadas em adquirir antecipadamente os tíquetes podem entrar em contato com Cristina Pereira pelo telefone (19) 3787-5115 ou pelo e-mail crispereira@boldrini.org.br . O valor de cada tíquete é de 9,75 reais.


JORNALZEN

10

AGOSTO/2011 Silvia Lá Mon

CULTURAZEN

Trazidos pelo casal Luiz e Tatiana Tulha, os monges de Shar Ganden, no sul da Índia, estiveram em Campinas para promover ritual de prosperidade na espaço terapêutico Maeve Dux

Silvia Lá Mon

Geni Fuzato mostra sua obra na exposição Tradições culturais Brasil - Holanda, que reúne artistas plásticos de Campinas e região no Círculo Militar

Poetas campineiros em encontro durante a Semana Guilherme de Almeida na Academia Campinense de Letras

Silvia Lá Mon

A jornalista Janete Trevisani foi homenageada no evento em comemoração aos 34 anos de fundação do Centro de Poesia e Artes de Campinas

Divulgação

José Carlos Folegatti e Nena Rampazzo (centro) com familiares no lançamento do livro Obra-Prima — Valorizando Talentos, primeira publicação de arte editada em Campinas e que traz uma coletânea do trabalho de parte dos artistas de Campinas, entre os quais os dois citados.

Silvia Lá Mon

Deuzeni Ceppolini/ACS-Pref. Indaiatuba

Local das atividades do Espaço Zen , iniciativa em parceria com o JORNALZEN que fez parte dos eventos da festa de aniversário do Clube 9 de Julho, no dia 17 de julho

Eliana Mattos, Enides Nogueira (Funssol) e Janete Siqueira (Feai) na entrega de mais 500 agasalhos arrecadados na campanha do Ciesp em parceria com o JORNALZEN


JORNALZEN

AGOSTO/2011

Recanto do Poeta Onde estou? Procuro-me no rio que corre, No galho que pende, Na rosa desfeita, Nas nuvens do céu! Procuro-me na areia dispersa, No murmúrio das águas, Na onda do mar, No barco à deriva! Procuro-me na estrela que brilha No canto do pássaro, No voo da ave, No silêncio da noite! Procuro-me na relva orvalhada, Na pedra que chora, No vento que sopra, Na chuva que cai! Procuro-me em cada ser natura, Em cada instante da vida, Em cada coisa do mundo, Em cada momento de amor! E choro e grito e me alucino, E minha voz ressoa no infinito, E, aflita, ouço o eco que responde: Onde... Onde... Onde... E de repente, no mar do indivisível, Rasga-se o véu do impenetrável, E uma voz, terna e divina, Ecoa em meus ouvidos humanos: Ó pobre e mísera criatura, Que te buscas em céus tão distantes, Olha o horizonte e vê suas linhas, Que caminham e nunca se encontram. Tu és tal qual o horizonte, Jamais poderás encontrar-te Tua alma aspira o infinito, Mas a terra te tolhe o caminho!... Arita Damasceno Pettená

Meu pai Aprisionada sou, na imensurável lembrança, de um crepúsculo que invade a audaz, fria e fantástica saudade. Relembrando meu pai, homem notável irradiava amor, serenidade recebíamos candura insofismável. Sempre se esforçou com intensidade, Para nos amparar, foi insuperável. O meu espelho íntimo libera a tua imagem cálida de afeto. Lembranças que ficaram do passado, embaraçadas visões, minha alma incerta, recordo-me do teu rosto dileto, numa redoma meu pai, serás lembrado. Geni Fuzato Dagnoni

MANDALA PARA PINTAR

11

- SANDRA SONSIN CANDELLO -


JORNALZEN

12

METAMORFOSE

AGOSTO/2011

EDUCAÇÃO &da VALORES Tesouros Vida JULIANO SANCHES

JULIANA PERNA E SAULO BRAGA

O poder da ‘geração Y’ Em tempos remotos, o que tínhamos conhecimento era que uma pessoa que trabalhasse anos e anos em uma mesma empresa era símbolo de disciplina, atitude e ótimo perfil profissional desejado pelas grandes companhias. Com o passar do tempo, algo novo surgiu com uma nova geração de profissionais, que ao invés de aceitar condições de uma empresa por muito tempo em sua carreira (mesmo que isso fosse motivo de grandes descontentamentos), passou a buscar novos desafios e desbravar novos caminhos profissionais. Assim, a solidez das carreiras que antes era sinônimo de compromisso e profissionalismo passou a ser alvo de questionamentos, dando início a um novo tempo, com a chamada “geração Y”. Pertencentes a essa classe temos os nascidos a partir da década de 1980, que, ávidos por grandes mudanças, passaram a fomentar uma categoria de profissionais inovadores, ou seja, aqueles funcionários que ao notarem que em seu posto de trabalho não serão reconhecidos, buscam imediatamente por novos desafios. Na realidade, os reconhecimentos muitas vezes não precisam ser somente em âmbito financeiro, mas o que a geração Y está em busca são feedbacks de carreira, planos para o futuro, treinamentos para desenvolvimento, e mais: respeito. Essa geração de profissionais são pessoas capazes de muito pela conquista de seus objetivos, estando sempre em “sentinela” para alcançar o sucesso na carreira, mas quando não encontram espaço para esse “despertar”, tendem a partir, e sem olhar pra trás, em busca de novos horizontes. Garra, determinação e coragem são pontos fortemente encontrados na geração Y. A empresa que souber dar o devido reconhecimento e espaço para o desenvolvimento desses profissionais poderá alavancar uma nova era em seus negócios. Deixar que esses profissionais partam, tendo a velha e enferrujada visão de que os funcionários não passam de números, fará dessas empresas grandes candidatas ao fracasso. Portanto, para aqueles empresários que possuem uma “visão de águia”, que possam hoje mesmo olhar para seus funcionários como parte deste todo, e trabalhar a partir de agora na captação de talentos. É este o nosso convite: que os grandes empresários possam deixar suas mesas e por um momento olhar atentamente, detectar os profissionais da geração Y e atuar de forma grandiosa, dando-lhes ferramentas para que desenvolvam cada vez mais suas habilidades. É disso que as grandes empresas precisam, desse despertar para o novo, olhando para o amanhã, como oportunidade e não como “mais um dia de labuta”. E que possam fazer desta nova geração, a geração do SUCESSO!

A espiritualidade à luz da agricultura De minhas experiências de infância acerca do modus vivendi rural, guardo sempre uma impressão que aponta para o mistério. Trago aventuras com castelos, seres da natureza, sagas de reis, princesas, índios, belezas. Aprendi a viver uma espiritualidade de mãos e pés na terra, em que plantas e animais são instrutores de um processo complexo de arte. O cultivo da terra e as relações espirituais, no mínimo, se confudem. Tal como a agricultura, a espiritualidade é uma prática e uma ciência com uma base universal. A prática espiritual é o saborear do momento, o preparo da terra fértil. Quem descobriu mistérios na vida, no fundo, chegou a conclusão de que a união dos elementos faz brotar a síntese, o que reúne as ferramentas de evolução e autodesenvolvimento. Somos seres com códigos. O código de um ser, por si só, é espiritual. Todo código precisa carregar o legado de que passou por um processo de programação, até chegar ao status quo, ao presente. Os grupos de estudo de base, com uma premissa que reúne serviço e interioridade, nos mostram que a espiritualidade e a natureza são indissociáveis, principalmente quando colocamos o mitocentrismo universal da sociedade como objeto de apreciação. A agricultura fez crescer impérios,

sabedorias, reinos, homens e mulheres com propósitos não só construtivos, mas, também, filantrópicos, e com uma dinâmica impessoal. Sem a agricultura, não haveria o surgimento da moeda, da economia, das relações de troca, das ações de serviço e de aquisição de bens. Por isso, é preciso pensar na agricultura como uma torre para as sociedades. Com a agricultura, é possível pensar no fluxo, no movimento, no compartilhamento. A agricultura também ensina a arte de servir, em que o ser se coloca em serviço na terra e, ao final de uma colheita, faz uma festa, com muitos convidados, e celebra junto com eles a energia da renovação, o dom da partilha. A agricultura antes de tudo é uma arte filantrópica, em que a terra serve ao homem, e os seres se servem, através de relacionamentos. A agricultura gera uma condição de diálogo, relacionamento. Muitos relacionamentos afetivos surgiram em festas de comemoração de colheita, o que mostra que a mãe natureza faz valer a lei dos ciclos, da renovação, do eterno retorno, e do aprendizado mútuo. A agricultura esconde uma sabedoria milenar, que precisa ser cada vez mais decodificada pelos que estão na senda. Juliano Sanches é jornalista e palestrante casadojulianosanches.blogspot.com julianoluis@ig.com.br


JORNALZEN

AGOSTO/2011

INFORME PUBLICITÁRIO

Líricas Bulhufas

Argila terapêutica

MARCELO SGUASSÁBIA

Zero à esquerda - Perdão, meu senhor, mas não estou lhe reconhecendo. - Senhor? Para com isso ou eu também te chamo de senhora. Apesar da careca e das rugas que eu tenho e você não tem, somos do mesmíssimo ano de 62. - Meu Deus. Desculpe a franqueza, mas ou o senhor, quer dizer, ou você está muito acabado ou eu estou conservada demais. - Por cavalheirismo, sou obrigado a ficar com a segunda hipótese. Sob protestos. - Tá certo, agradeço. Agora, se me dá licença… - Eu usava cabelo repartido e aparelho nos dentes. - Sei, sei. - Sentava na mesma fileira, 3 carteiras atrás de você. Professora Maria Luiza, antigo quarto ano primário. Ah, bala Soft de limão, isso não te lembra nada? - Absolutamente. Porque, deveria? - Não é possível, olha bem pra minha cara. - Desculpa, sou péssima fisionomista. Ai, que situação chata, senhor, ou melhor, moço. Quarto ano primário… sei lá, José Alfredo? - Tá frio, bem frio. - Reynaldo? - Ichi, chutou a bola pra fora do estádio. - Dézão. Você é o Dézão! - Nossa, esse era feio demais. Acabou comigo agora. - Erivelton.

- O Jurema? O Erivelton Jurema? Tá querendo dinamitar minha autoestima. Na aula de educação física chamavam ele de Buda. Faça-me o favor… uma vez, estudando na sua casa pra prova de recuperação de matemática, você ficou passando o pé na minha canela debaixo da mesa. Tava um gelo naquela noite, você usava meia de lã toda listada, igual a das Frenéticas. Só não correspondi ao afago porque tinha na época um chulé insuportável. Outra dica: Carnaval de 81 e 82, eu fui de Barney nos dois anos… - Ok, agora chega. Meu marido é aquele ali que tá buzinando, tenho que ir e acho que não é o caso de saber quem você é. Depois de tanto tempo, não vai fazer diferença mesmo. - Espera aí, mas aquele lá no carro é o Marquinho Bereba. Vai dizer que você casou com aquele tranqueira? - Bom, depois que levei o fora do Silvio, foi o ombro amigo dele que me valeu e me tirou da depressão. Fizemos bodas de prata no ano retrasado. Ah, mas chega de ficar dando satisfação da minha vida pra quem não devo. Até mais, senhor… - Silvio. Marcelo Sguassábia é redator publicitário www.consoantesreticentes.blogspot.com www.letraeme.blogspot.com

INFORME PUBLICITÁRIO

Sacolas plásticas em São Paulo a partir de 1º de janeiro de 2012 A sustentabilidade, meio ambiente, marketing verde e tantos outros temas nunca tiveram em pauta no dia a dia das pessoas, mas infelizmente existe um abismo que nos separa da conscientização ambiental. Com a sanção do projeto que proíbe a venda e a distribuição de sacolas plásticas nos comércios, a orientação é para que os clientes levem sacolas retornáveis para as compras. A lei entra em vigor a partir de 1º de janeiro de 2012. Os estabelecimentos só poderão oferecer sacolas plásticas gratuitas de material degradável ao meio ambiente para produ-

13

tos os vendidos a granel (como hortifrúti vendidos em feiras) e para embalagens de produtos que possam verter água, como carnes e laticínios. Para conhecimento, a campanha tímida sobre o tema iniciou-se numa data bem sugestiva: 5 de junho de 2011, Dia do Meio Ambiente. A demanda para confecção de ecobags está aquecida, e a Edilu Sacolas Ecológicas e Sacolas Práticas Dobráveis está pronta para atender essa demanda, garantindo prazo e qualidade para o cliente. Para conhecer melhor a empresa, acessem o site www.embalagensedilu.com.br

A terra, a mãe nos nutre, com alimentos que brotam dela; acolhe-nos no berço de suas águas; nas sombras de suas árvores; fortalece-nos e também nos cura com seus recursos. Um deles, a argila, resgata nossa ligação com a mãe-terra, nos proporcionando a recuperação de diversas enfermidades. Ela nos purifica e nos vitaliza. Pode, também, despertar a consciência do potencial de cura de cada ser humano e nos levar ao autoconhecimento. A argila age no corpo físico e na nossa energia vital, nas emoções e na mente. Esse medicamento natural desintoxica, descongestiona e vitaliza nossos tecidos e órgãos. A argila pode ser considerada como uma fonte de cura, como medicamento natural para o tratamento de várias doenças. É um agente de desintoxicação e regeneração física. Retira e dissolve substâncias nocivas e tóxicas ao organismo. Elimina toxinas, muco e acúmulo de sangue no corpo. Melhora a circulação san-

guínea. À semelhança da mãe-terra, a argila age absorvendo o que está mórbido no corpo, recuperando assim reWanda Patrocinio giões conges- Doutora em Educação, Mestre tionadas e infla- em Gerontologia e graduação em Pedagogia pela Unicamp; madas. extensão em Psicogerontologia A cura através da argila pode ser favorecida acompanhada por um processo de desintoxicação pela pessoa que a vivencia. Respirar ar puro, ingerir água de boa fonte e ter uma alimentação saudável e equilibrada (alimentos orgânicos, integrais, não industrializados), são recursos que potencializam a argiloterapia. (adaptado de texto elaborado por Mathilde L. Azoubel)


JORNALZEN

14

Momento de Reflexão

AGOSTO/2011

ASTROZEN

JOÃO BATISTA SCALFI scalfi@terra.com.br

SÁTÎT JOTÍ star_ethos@yahoo.com.br

Novos desafios Louvadas sejam as mãos que operam as ações do Bem, dirigidas por mentes devotadas à fidelidade dos ensinamentos do Consolador. Não é fácil encontrar na Terra muitas almas dispostas a renúncias e sacrifícios em favor dos tempos novos que, paradoxalmente, todos aguardam. A impressão que se tem é que mentes muito poderosas mas negativas, que conhecem bastante a esfera das fragilidades humanas, atuam no sentido de minar o bom ânimo ou de insuflar desesperança em muitos corações, afastando-os dos caminhos seguros do Senhor. Apesar disso, as falanges do Bem, capitaneadas por Prepostos de Jesus, diligentes e discretas, seguem firmes no empenho de desfazer espessas sombras que desorganizam e perturbam, além de iluminar consciências, incentivando-as ao caminho do bem e da felicidade. É com essa reflexão que convidamos todos os irmãos de boa vontade para participarem da Caravana do Amor, que não se pode desmontar nem perturbarse diante das investidas negativas do tempo presente. O labor do Cristo nunca encontrou, na Terra, terreno fácil ou aceitação tranqüila, mesmo entre indivíduos que se afirmam como seguidores do Bem. Para muitos deles seria mais interessante que a mensagem do Mestre não os retirasse das zonas de conforto nas quais se encontram. Como afirmou Cristo, não se pode atender aos interesses de dois senhores, pelo risco de não se conseguir agradar a ambos igualmente. É tempo de optarmos pela polaridade mais importante para nós, ou seja, de fazermos as nossas escolhas definitivas para a vida. É preciso que definamos a própria escala de valores, uma vez que ao assumirmos compromisso com a Verdade que liberta e com o Bem que alimenta, correremos menor risco de resvalar ou de nos conturbar à frente dos serviços a cumprir na Seara do Mestre. Não temos mais tempo para qualquer modalidade de fuga, ou de negligência perante os compromissos com o futuro, que já começou. Unamo-nos fortalecendo-nos, reciprocamente, para que, devidamente fortes e responsáveis, alcancemos a excelência e realizemos o nosso melhor esforço pela construção do sonhado mundo novo, começando por nós e por aqueles que nos cercam. Não mais podemos ver o mundo incendiar-se sem que nos apresentemos como operadores da paz e da alegria, da lucidez e do trabalho, sem qualquer omissão indevida. Embora saibamos não ser fácil corporificar no mundo o projeto de Jesus Cristo, não poderemos esquecer que o nosso tempo é, de fato, o agora e o nosso melhor dia é o de hoje. Sede, pois, um ser de Amor e Luz. fonte de pesquisa: Mensagem de Nancy Leite de Araújo/Raul Teixeira João Batista Scalfi é presidente do Educandário “Deus e a Natureza”, de Indaiatuba www.educandariodn.org.br

Atenção ao momento presente No geral, agosto tem um clima tranquilo. Há uma certa tensão, que bem administrada torna-se energia extra, levando a novas áreas de crescimento ou renovando as existentes. É o combustível necessário para prosseguir cuidando e direcionando o que se abriu nos meses anteriores. Facilita colocar em prática a vontade de ter segurança material, melhorar o corpo e observar e cuidar do estresse que esses objetivos/desejos acabam levando aos relacionamentos. Faça ajustes em rotinas e desejos. É preciso discernir o que é saudável a cada momento e ter claro o valor que está defendendo acima de tudo. Neste período, Sol e Vênus estão juntos o tempo todo, inundando a Terra de energias boas, vitalidade, amor e alegria. Como essas frequências estão disponíveis, é fácil sintonizar-se a elas. Faça alguma

prática diária para conectar-se. No mínimo, tomar sol e permitir que a luz entre em você conscientemente e faça todo o bem possível. Até o dia 20, Marte estará em foco e, com isso, a vitalidade e a vontade estarão dinamizadas. Sensível, vibrante, forte e tensa, a ação precisa de condução, de estar a serviço de algo bom para a maioria. Coloque-a a serviço tanto das sua necessidades quanto das que percebe no outro. Entre 25 e 31, há no céu um grande triângulo em elemento terra. Isso significa que nesses dias você pode levar cura, achar saídas mais fáceis para organizar/ estruturar sua vida material em aspectos corporais, de rotinas e trabalho – algo ligado à sua profissão e à forma como lida com dinheiro, aquisição de bens materiais, à administração disso. Pode usar esse período para colocar em ação um projeto antigo ou melhorar o que existe. No mais, é ficar atento ao fluxo e quando ele for favorável a você, agarrar com as duas mãos e superar-se. Ótimo mês a todos.


JORNALZEN

AGOSTO/2011

Evento gratuito promove ioga e meditação pela paz mundial Em sua sexta edição, o evento Yoga pela Paz terá atividades também em Campinas. O evento anual aconteceu em São Paulo nos anos de 2006 e 2007 e se estendeu a outras capitais a partir de 2008. O objetivo é promover o equilíbrio e a paz por meio da prática coletiva de ioga e meditação. A última edição, segundo os organizadores, reuniu 30 mil pessoas. As atividades em Campinas, abertas ao público, terão início dia 16 (veja abaixo a programação) e vão até o dia 21, quando haverá práticas de ioga e meditação na Lagoa do Taquaral (Praça da Bandeira), às 10h, seguidas de show com a Pedra Branca Indian Music, na concha acústica. O ponto alto do evento, a exemplo dos

anos anteriores, reunirá milhares de pessoas para práticas coletivas de ioga e meditação no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. A abertura, às 10h, terá a banda de world music do alemão Prem Joshua. Outra convidada é Mother Maya, líder mundial em prol da paz que conduzirá uma meditação com mantras entoados. O encerramento acontece com a tradicional apresentação musical de Krishna Das. Idealizado pela professora de ioga Márcia De Luca e pelo publicitário Fran Abreu, o Yoga pela Paz foi inspirado por comprovações científicas de que a meditação em grupo tem relevante impacto na diminuição da violência, além de espalhar consciência e paz.

‘YOGA PELA PAZ’ EM CAMPINAS Todas as atividades são gratuitas, com vagas limitadas. É necessário ligar com antecedência para fazer inscrição. CONSENTIR (Guanabara) 16/8 - 18h30 – pranayamas (técnicas de respiração) e meditação 18/8 - 18h30 – pranayamas e meditação Local: Avenida Francisco Glicério, 1.867 - cj. 82 Inscrições pelo telefone: (19) 9294-8070 NÚCLEO CULTURAL ALQUIMIA (Centro) 19/8 – Satsanga Local: Rua Lusitana, 833 - Inscrições pelo telefone: (19) 3233-0387 SABIAH CANTO DE ENCONTRO E SABERES (Barão Geraldo) 16/8 - 7h30 – Pranayamas, aprendendo a respirar 18/8 - 7h30, 8h30 e 9h30 – Yoga: asanas, pranayamas e bandhas Local: Rua Paulo Lanza, 91 - Inscrições pelo telefone: (19) 3327-0910 CÉU ABERTO ARTE E CONSCIÊNCIA (Barão Geraldo) 17/8 - 18h às 19h – roda de mantra e música indiana com Diego Hauptman Local: Rua Eng. Edward de Vita Godoy, 828 - Inscrições pelo telefone: (19) 3308-6351 INSTITUTO DE YOGATERAPIA (Taquaral) 19/8 - 19h – palestra: “Os Kleshas: como superar os obstáculos da mente”, com Rosângela Bassoli - 20h: aula prática: “Yogaterapia aplicada”, com Márcio Assumpção Local: Rua Américo de Moura, 91 - Inscrições pelo telefone: (19) 3254-7033 INSTITUTO DE YOGA CLÁSSICO (Jardim Chapadão) 15/8 – aulas de ioga - 9h, 15h30 e 18h30 16/8 – aulas de ioga - 8h30, 15h e 19h 17/8 – aulas de ioga - 7h, 15h e 19h15 18/8 – aulas de ioga - 9h, 16h, 18h e 19h30 19/8 – aulas de ioga - 8h, 15h e 18h30 20/8 – aulas de ioga - 10h e 16h Local: Rua Paulo Justi, 53 - Inscrições pelo telefone: (19) 3212-0358 INSTITUTO ÍSVARA (Cambuí) 16/8 - 8h45 – prática de ioga de reposição hormonal / 18h – prática de ioga (vagas: 10) 17/8 - 18h30 – prática de ioga (vagas: 8) / 20h – prática de ioga (vagas: 10) 19/8 - 18h15 – prática de ioga (vagas 10) 20/8 - 8h30 – prática de ioga (vagas: 22) / 10h – prática de meditação (vagas: 70) - 11h – palestra: “Alimentação vegetariana” (vagas: 90) Local: Rua Bandeirantes, 318 - Inscrições pelo telefone: (19) 3203-1918 INSTITUT’UM NOVO SER (Sousas) 19/8 - 19h – palestra sobre Paz e Meditação Local: Rua Aparecida Keiralla, 45 - Inscrições pelo telefone: (19) 3258-8947 ESPAÇO SPIRALIS (Sousas) 16/8 - 8h30 às 10h – aula aberta de ioga com Sonia Ruggiero 17/8 - 19h às 20h – palestra: “Tolerância, o poder que nos protege” 17/8 - 19h30 - aula aberta de ioga com Letícia Cavichioli 18/8 - 8h30 às 12h - aula aberta de ioga com Sonia Ruggiero Local: Rua Rei Salomão, 295 - Inscrições pelo telefone: (19) 3258-8241

15 INFORME PUBLICITÁRIO

Mesa radiônica quântica Muitos já ouviram falar na mesa radiônica, que na verdade é uma prancha preenchida por símbolos e gráficos, sendo um instrumento de tratamento baseado nos princípios da física quântica, da radiestesia, dos Raios da Fraternidade Branca e da Geometria Sagrada. Sua utilização, que é feita com o auxílio do pêndulo, serve para diagnosticar e medir as mais diversas vibrações de energia em pessoas, animais, objetos, locais, etc., bem como obter porcentagens precisas sobre negócios, situações, e suas múltiplas possibilidades. Ela funciona como uma extensão da mente humana, atuando numa elevada frequência vibratória capaz de gerar um campo energético a fim de concretizar grandes transformações, possibilitando diagnosticar e modificar desequilíbrios, trazendo a ordem cósmica perfeita e divina em todas as coisas. Atua numa frequência vibratória elevadíssima, gerando um campo energético capaz de concretizar grandes transformações. Sua atuação é possível tanto no nível emo-

cional, mental, espiritual e energético, detectando e modificando padrões negativos nas finanças, relacionaCélis Garcia mentos, vida Terapeuta holística, ministra profissional, cursos e palestras de mesa radiônica quântica, feng shui, saúde, etc. radiestesia e radiônica e Tem como numerologia pitagórica. objetivo recuperar o equilíbrio emocional, fazer limpezas de registros de épocas atuais, bem como de padrões de vidas passadas, da gestação, árvore genealógica, eliminando assim pactos, votos, maldições... Para operar a mesa não há requisitos. É indicado a pessoas interessadas em melhorar a saúde, realizar qualquer trabalho a nível energético e a terapeutas que buscam uma nova técnica de trabalho.


JORNALZEN

16

AGOSTO/2011

INFORME PUBLICITÁRIO

Pelos Caminhos do Coração

Identidade, missão e valores (2)

INES S. MÁRTÎMS ines.s.martins@terra.com.br

Uma dieta diferente “O pensamento positivo pode vir naturalmente para alguns, mas também pode ser aprendido e cultivado. Mude os seus pensamentos e você mudará o seu mundo.” Norman Vincent Peale (1898 – 1993) – escritor estadunidense

Tudo o que é feito sem moderação pode nos levar ao desequilíbrio, correto? Um bom exemplo disso é a alimentação que quando feita em excesso pode levar a muitas doenças.As terapêuticas para o problema podem incluir um sem número de dietas alimentares com o fim de propiciar o reequilíbrio. Porém, a principal fonte de todas as ações, principalmente as que nos levam aos excessos dessa natureza, é o pensamento. Então, importa cuidar do que se pensa para que a ação tenha mais qualidade. A vida agitada nos grandes centros, o trânsito, o acúmulo das tarefas diárias e as pressões profissionais geram ansiedade, o grande mal da modernidade. O ansioso mantém o pensamento lá adiante, no futuro, acreditando que pode controlar os acontecimentos, e com isso, vê drenada toda a sua energia em segundos, tornando-se desvitalizado e pouco criativo. Os resultados são: insatisfação e improdutividade. Além disso, a ansiedade pode nos levar a pensamentos de insucesso, decepção ou dificuldade, ideias de acidentes, doenças, restrições e excessivo pessimismo. Esses pensamentos negativos surgem magicamente em nossa mente, sem o nosso controle, porém, mantêlos em desenvolvimento, ou não, é nossa responsabilidade. Então, não precisamos nos preocupar com o surgimento deles, mas, devemos intentar não cultivá-los ou darmos curso a eles. A partir dessa compreensão, podemos experimentar uma dieta mental escolhendo melhor os “alimentos” que oferecemos à nossa mente. E, se parece difícil num primeiro momento, na medida em que praticamos, pode se tornar interessante e reconfortante, já que o resultado será uma alteração positiva de nosso mundo interno. Lembre-se: a ansiedade é um estado transitório da mente que ocorre toda vez que colocamos o pensamento no futuro para tentar controlar os acontecimentos, então, exercitar a conexão com o aqui-eagora pode ser excelente ideia. Em seguida, a principal tarefa é criar novos hábitos de pensamento como fim de encaminhar a mente numa nova direção. A sugestão é, sob nenhum pretexto, permitir à mente que se entretenha com qualquer pensamento que não seja positivo e construtivo. É um exercício e, como todo exercício, precisa ser praticado. Pensar positivo mantém a mente sempre em forma. Experimente... e desfrute!

Sabemos que somos deuses. estavam no quarto do nosso Nossa missão? Nosso desencoração, uma é preservada; a volvimento. Como? Amando e outra, lançada fora. Guardaservindo! Deus ama e serve à mos a humildade e jogamos Sua Criação, e nós também. fora o orgulho; escolhemos o Amar e servir a Deus, com reamor e a verdade, descartantidão moral e desapego pesdo a indiferença e a mentira. soal é a nossa missão, e pode No Terceiro Domínio, misturaser feita através do amar e mos todo o Bem que encontraservir o próximo – claro, nemos em nós, isto é, a farinha, cessariamente onde isso não o sal e a água, e assamos um Luiz Alberto Mortari Médico e Escritor conflite com o amor a Deus. pão. Esse Pão, que é a nossa Uma pessoa real é como o tamelhor parte, alimentará oubaco no cachimbo: consumirá tros. Isso mesmo: damos o a si em benefício daqueles à sua volta. nosso melhor! Jesus disse: “Eu sou o Pão Uma história sufi ilustra com o trigo no da Vida”. E Ele vem agora multiplicar os pães campo, o sal na mina, e a água no regato e os peixes, mais uma vez. Em nós! Ele disos processos de autoconhecimento e de- se, também: “De mim, tu és o que Eu Sou”. senvolvimento. No Primeiro Domínio, diAceite sua condição divina, ame e sirva zem, tomamos consciência dessas subs- até haver-se consumido a si. Se você entâncias, por exemplo o amor, em nós (po- tendeu que é um deus ou uma deusa, sabe rém misturadas a outras coisas, como or- que não veio ao mundo tomar nem acumlar gulho, vaidades). No Segundo Domínio, nada, exceto irmãos e irmãs. Viemos ao analisamos tudo, guardando o que é bom: mundo trazer! Trazer o Amor, o Bem e a extraímos do grão a flor da farinha, refina- Verdade. Nós somos o Sal da Terra, e a mos o sal, e recolhemos a água pura. Isto Luz do Mundo! Missão? Tornarmo-nos quem é, de cada duas tendências opostas que somos! Como? Amando e servindo!


AGOSTO/2011

JORNALZEN

17


JORNALZEN

18

Viva Bem elianamattos@uol.com.br

BATE-PAPO

E

stou escrevendo para vocês de uma mesa do Graal, na Rodovia dos Bandeirantes, a caminho de São Paulo, tendo à minha frente uma xícara de capuccino e uma fatia de torta de ricota. Gosto de ficar observando o vaivém das pessoas. Jovens com seus laptops a tiracolo; mulheres vestidas descontraidamente a caminho de algum lugar; crianças que choram porque querem o que seus pais não podem (ou não querem) comprar. Quantas histórias dariam para escrever... Fazer essa parada para tomar café e ir ao banheiro – já escrevi sobre isso – para mim é sinônimo de liberdade. Aliás, esse tipo de liberdade eu só adquiri há 20 anos, quando comecei a dirigir. Antes, como sempre estava na carona, me sentia uma “mala sem alça” quando tinha de pedir uma dessas paradas. Agora não. Vou para onde quero, na hora que quero, sem ter de pedir nada a ninguém. Isso é muito, mas muito bom. Minha amiga Ivonete faz 60 anos e estou a caminho de sua festa de aniversário. Ela é a única amiga que sobrou da época de adolescência. Quando se vive em São Paulo, as amizades se perdem apenas com a mudança de um bairro para outro. Por sorte, conosco isso não aconteceu. Ivonete foi minha madrinha de casamento e eu dela. Ambas nos separamos. Eu, sete anos após o casamento. Ela, uns vinte e tantos depois. Ela tem uma família linda, agora com os “agregados” que chegaram – suas noras – e mais recentemente com o nascimento da Maria Clara, sua primeira netinha. Daqui a pouco virá mais um neto (ou neta). Ainda este ano ela se aposenta. A vida segue feliz o seu curso.

*** De volta a Indaiatuba, posso terminar esta crônica com mais calma. Como é bom participar de festa entre amigos, rever pessoas que não se via há muito tempo, relembrar de coisas que, cá entre nós, nem depois de muito esforço consegui lembrar! Foi muito bom ler um calhamaço de cartas que enviei há 20 anos quando me mudei para Indaiatuba, numa época que ainda não havia e-mails. Fez bem minha amiga em guardá-las. Sentadas na sala de pijamas, Ivonete, sua filha Juliana, a amiga dela Luci e eu demos muita risada de tanta besteira escrita! Final de semana perfeito! Pena que vou pouco a São Paulo. Deveria estreitar ainda mais esses laços já tão apertados. A desculpa é sempre a falta de tempo. Aliás, peguei uma mania de tudo culpar a minha falta de tempo. O tempo é a gente quem faz. Quem sabe um dia eu aprendo. E aprendendo, quem sabe darei mais atenção aos meus amigos, que reclamam tanto a minha presença. Pelo menos com a família ainda sou bem presente. Bom... Mas chega de me penitenciar! Se não, fica difícil concluir esta crônica. As coisas são como são e a vida segue feliz o seu curso. Grande beijo pra você!

AGOSTO/2011

FORNO & FOGÃO Ambrosia Você deve conhecer este doce. Eu adoro! Peguei esta receita no programa Via Brasil, do canal a cabo Globo News. Fiz e ficou maravilhoso. Aliás, a melhor ambrosia que já comi. Ingredientes: 1 litro de leite fervido 1 kg de açúcar 1 copo de suco de laranja 6 gemas 6 claras Canela e cravo da índia a gosto Modo de fazer: Numa panela larga, misture o açúcar ao leite fervido. Leve ao fogo e quando começar a levantar fervura novamente acrescente o suco de laranja. Vai dar uma talhada no leite. Junta a canela e o cravo. Mexa bem. Bata as claras e as gemas como se fosse para uma omelete. Despeje essa mistura no leite quente. Mexa com um garfo, mas não muito, para que fiquem pelotes. Se mexer demais vira uma geléia. Deixe no fogo baixo entre 30 e 40 minutos, cozinhando esse ovo. Depois desse tempo é só tirar com uma escumadeira e derramar a calda que ficou do cozimento.

Capuccino diferente Ferva alguns minutos: 1 xícara (chá) de água Alguns cravos da índia 1 pedaço de canela em pau 1 colher (sobremesa) de gengibre picado Coe, coloque quente no liquidificador e acrescente: 2 colheres (sopa) de leite em pó 1 colher (sopa) de café solúvel 1 colher (sopa) de chocolate em pó Açúcar a gosto Bata bem e sirva imediatamente.

Caminhadas diárias x pressão alta Se você é daquelas que começou a ter hipertensão na menopausa, saiba que pequenas atitudes contra o sedentarismo podem ajudar a combater esse mal. Cientistas americanos acompanharam 15 hipertensas que começaram a fazer curtas caminhadas diárias. Seis conseguiram estabilizar a pressão em níveis normais e três saíram da zona de perigo. Dizem eles que várias sessões de dez minutos de atividade física ao longo do dia já surtem efeito. Experimente!

Bebê com assadura? Para acabar com isso, basta trocar a fralda na hora certa. E essa hora certa é toda vez que ela estiver suja, mesmo que só molhada. No recémnascido a troca precisa ser feita após cada mamada (de seis a oito vezes por dia). Limpar o bebê logo que ele faz xixi dá mais resultado do que besuntar o bumbum com pomadas e outros cremes. A assadura é uma irritação na pele causada pelo contato com a urina e fezes. Não se justifica um bebê bem cuidado ter assaduras.

Você sabe o que é “avocado”? Vi outro dia no supermercado e fui atrás pesquisar. Ele é da família do abacate, só que menor. Porém, suas qualidades são superiores ao abacate, uma vez que concentra mais nutrientes na polpa, especialmente vitaminas A, C e E. Essas vitaminas são conhecidas pela ação antioxidante. O avocado também leva vantagem no teor de gordura insaturada, aquela capaz de varrer o colesterol ruim das artérias.


AGOSTO/2011

JORNALZEN

19

BEM NUTRIR Nutrição na adolescência

Saúde por inteiro (2) – Homeopatia Eloísa Cavassani Pimentel

Maria Fernanda Elias

A adolescência, assim como a infância, é uma fase crítica para o estabelecimento da saúde e do bem-estar ao longo da vida. A maturação sexual, o estirão de crescimento, as situações de estresse e, para alguns, o aumento de atividades físicas intensas são fatores que afetam o estado nutricional e as necessidades do organismo. Ao mesmo tempo, a rotina dos adolescentes permite que eles tenham maior controle sobre as escolhas alimentares, sendo que, muitas vezes, não são as mais recomendadas para o grupo. A carência de nutrientes pode ter origem em uma variedade de fatores, como a adoção de dietas para perda de peso (muito frequente no caso das meninas), padrões alimentares que excluem grupos de produtos (leite, carnes), refeições ricas em gorduras e pobre em nutrientes, dentre outros. Saiba o porquê da participação dos nutrientes ser um fator chave para o desenvolvimento saudável na adolescência: Densidade óssea: otimizar a formação de massa óssea é uma das prioridades na adolescência. É essencial a ingestão de cálcio, flúor, ferro, zinco, fósforo, magnésio, áci-

dos graxos ômega-3, vitaminas C, D, K, B6, B12 e ácido fólico. Manutenção do peso: as alterações hormonais, principalmente nas meninas, podem levar ao aumento de peso. Resultados de estudos científicos demonstram que o cálcio, as fibras e os ácidos graxos poliinsaturados têm participação ativa na manutenção do peso. Pele saudável: a aceitação pelos seus pares é fator crítico para a autoestima dos adolescentes. No incio da adolescência, os indivíduos tomam conhecimento de sua aparência como fator que pode auxiliar ou prejudicar o desenvolvimento social. Cabelo e pele saudáveis são resultado de cuidados externos e boa nutrição. Os nutrientes responsáveis são: zinco, vitaminas C e E, complexo B e biotina (metabolismo, síntese e reparo); vitaminas A e D (crescimento e diferenciação celular); carotenoides e outros nutrientes antioxidantes (proteção contra raios UV, poluição); ácidos graxos ômega-6 (elasticidade, força e hidratação da pele); ácidos graxos ômega-3 (ação antiinflamatória). Maria Fernanda Elias é nutricionista, mestre em Saúde Pública e doutoranda em Nutrição Humana Aplicada pela Universidade de São Paulo (USP)

A

homeopatia é um sistema terapêutico mundialmente reconhecido, descrita há 215 anos pelo médico alemão Samuel Hahnemann, e que se baseia na filosofia vitalista, que afirma que todo indivíduo possui uma energia vital que o mantém vivo. Essa forma de tratamento colabora com as vias naturais de cura e reforça a imunidade do organismo. Os medicamentos homeopáticos, feitos à base de plantas, minerais ou animais, são preparados através de métodos de diluição e dinamização, de tal maneira que disponibilizam sua energia curativa. É comum uma enfermidade se manifestar algum tempo depois de fatos importantes na história de vida da pessoa, tais como perda de entes queridos, rompimento de relacionamentos, traições, perda de empregos, discussões, e outras situações onde a suscetibilidade individual é ferida. Isso causa um desequilíbrio. Quando a energia vital não está em equilíbrio, fica-se doente. O desequilíbrio dessa energia manifesta-se no corpo e na mente. Observe todas as mudanças que ocorrem quando se fica doente ou até antes de adoecer: variações de humor, disposição, ânimo, apetite, sono, sede, transpiração, funcionamento dos intestinos, etc. Não há doença do corpo que não afete a mente nem doença da mente que não afete o corpo. Corpo e mente são inseparáveis. Para a homeopatia, cada pessoa é única. Ela trata o doente levando em conta não só suas queixas físicas mas, principalmente, o modo como pensa, seus hábitos, predisposições herdadas dos familiares, a maneira como reage aos acontecimentos da vida. Na consulta busca-se saber detalhes da vida do paciente, conhecer suas reações frente a determinadas situações, as condições em que ele se sente melhor ou pior. Desse modo, a homeopatia visa

conhecer a totalidade da pessoa, suas qualidades e características. O tratamento ampliado que a homeopatia oferece não suprime os sintomas da enfermidade, mas permite que o organismo que se cure de forma mais suave e duradoura. A arte de curar é como montar um mosaico de “sintomas” e prescrever a substância mais semelhante, que irá reequilibrar a energia vital e restabelecer o estado de saúde na sua integralidade. Além da ausência de efeitos colaterais, a homeopatia trata o Ser na sua totalidade – corpo e mente. Reorganiza o fluxo de energia vital debilitado, intensificando a recuperação do indivíduo. Mantém o funcionamento harmônico do organismo no estado de saúde. A saúde por inteiro abarca o indivíduo, seu sofrimento e sua forma de adoecer, que é possível ler no seu rosto, na sua fala e em suas atitudes. O tratamento ampliado permite que a pessoa seja não somente “paciente”, mas também ativa no processo saúde/doença, e uma vez que ela pôde percebê-lo através da compreensão da origem e forma de manifestação da doença, poderá assim ver na enfermidade até uma oportunidade. De fato, através do conhecimento de si mesmo, poderá assumir responsabilidade também na sua cura, o que levará a transformações. Nesse sentido, através de mudança de hábitos e padrões de atitudes, continuará a gerar saúde. Eloísa Cavassani Pimentel de Magalhães é médica (FCM-Unicamp-1988) especialista em homeopatia e acupuntura, com formação em medicina antroposófica e fitoterapia e pós-formação em Homeopatia Unicista na Bélgica. Atua na clínica de crianças, adolescentes e adultos; nas áreas de saúde pública, saúde integrativa e em reabilitação. Realiza cursos de plantas medicinais e temperos na alimentação. Atendimento na clínica CHAI* em Campinas. * A palavra CHAI significa Vida em hebraico, e é também um chá feito de especiarias.


20

JORNALZEN

AGOSTO/2011


Jornalzen Agosto 2011