Page 1

Vida sénior Suplemento

Começar de novo Este suplemento é parte integrante da edição nº 3810 de 26 de Março de 2010, do semanário Região de Leiria. Não pode ser vendido separadamente.

Da música à dança, do regresso à universidade ao turismo do Inatel, a idade sénior pode ser vivida com qualidade. Na região, são cada vez mais as instituições a apostar nesta faixa etária. A conferir neste suplemento.


2

SUPLEMENTO

Região de Leiria

| VIDA SÉNIOR

26 | Março | 2010

Publireportagem

“Ao longo da vida sabemos que não existem caminhos, mas um só caminho: o da felicidade e da harmonia com o mundo” A natureza verdejante espreita por todo o lado, notando-se principalmente no vale que se estende em frente. Ao fundo, surge, imponente, o castelo de Ourém. É esta paisagem, cativante e tranquilizadora, que deslumbra, todos os dias, os utentes da Belavista Residência Sénior, um empreendimento de qualidade superior para seniores, que abriu portas em Novembro passado. Foi a pensar no bem-estar dos mais velhos que Susana Boaventura e Tiago Pereira criaram, o ano passado, a Belavista Residência Sénior. Um empreendimento com o qual pretendem marcar a diferença em relação a toda a oferta que existe, nesta área de negócio.

Residência Sénior Belavista

Requinte para seniores em Ourém

Com um único piso e uma concepção que alia o bonito ao prático, o edifício ocupa uma grande parte dos dois hectares de terreno. O restante é ajardinado, repleto de árvores e flores, parque temático com animais, permitindo a realização de passeios pedestres e actividades ao ar livre. Susana Boaventura, assis-

tente social, trabalhou quatro anos com idosos numa Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS). “Adorei trabalhar com os mais idosos mas sempre senti que era possível fazer melhor e oferecer-lhes melhores condições”, conta. E juntamente com o marido, empresário decidiram avançar com o empreendi-

mento, em 2004. A aquisição do terreno, situado na zona da Pimenteira, em Ourém, foi o primeiro passo. “Apaixonámo-nos pela vista e adquirimo-lo de imediato”, recorda Tiago Pereira. Seguiram-se meses de pesquisa, junto de técnicos da especialidade e das entidades intervenientes. E acabou por

Total abertura A tranquilidade e o requinte são as grandes prioridades. Mas não só. “Percebemos que é fundamental estimular a interacção entre os idosos e as suas famílias”, conta Susana Boaventura, frisando que é esta a filosofia da Belavista. “Praticamos uma total abertura em relação aos familiares que podem, sempre que entendam, visitar os seus idosos e até fazer

aqui as refeições com eles”, explica. Uma interacção que estendem, também, às escolas próximas que, praticamente todos os meses, se deslocam ali com os seus meninos para participar em actividades conjuntas com os utentes da residência. “Queremos dar o melhor a quem precisa de descansar depois de uma vida inteira de trabalho”, assegura a responsável.

nascer um conceito totalmente diferente. “O que pretendíamos era criar algo diferente e não mais um lar”, explica a responsável. Representando um investimento privado que ascende a 3 milhões de euros, a Belavista é, em tudo, semelhante a um hotel/Spa de categoria superior. E destina-se a um segmento médio-alto que, constaram os responsáveis, não tinha qualquer tipo de resposta na região. Com uma aposta clara no aproveitamento da luz natural, visível nas muitas e grandes janelas, o espaço dispõe, também, de um envolvente jardim interior e uma piscina. A gestão da energia foi uma das prioridades. O lar cumpre todas as normas de eficiência energética, dis-

PALAVRA DE UTENTE

“Estou aqui há cinco meses e acho que isto é muito melhor do que estar em casa. Gosto de tudo: da comida, da estadia e das actividades que temos: os desenhos, a ginástica... Mas o melhor é que há aqui é uma união muito grande. Todos se dão bem e isso é muito bom”.

“Estava num outro lar e quando vi como este seria decidi que era para cá que queria vir. E assim foi. Estou aqui desde que abriu e isto parece mesmo um hotel de cinco estrelas. Só o sítio já é lindo, com esta paisagem maravilhosa. Damo-nos todos muitos bem e tratam-nos muito bem. É mesmo muito bom”.

“Gosto muito de aqui estar. Estou desde o início e já fiz algumas amizades. Gosto de passar um bocadinho na conversa... Damo-nos todos bem, as pessoas de cá são muito simpáticas e fazemos muitas actividades. É bom. Melhor ainda do que se estivesse em casa porque, aqui, tenho assistência noite e dia”.

António Oliveira Capitão

Maria Antónia Freire Gonçalves

Alfredo Antunes Santos

73 anos, ex-comerciante. Residia em Ourém

86 anos, ex-professora primária. Residia em Ourém

90 anos, ex-comerciante. Residia em Ourém


Região de Leiria 26 | Março | 2010

SUPLEMENTO

| VIDA SÉNIOR 3

SERVIÇOS

Da hidroginástica ao cabeleireiro: Uma panóplia de actividades que pretende agradar a todos

Sem quebrar a tranquilidade, a residência esforça-se por tentar evitar a rotina dos seus utentes, desenvolvendo, diariamente, um conjunto de actividades e serviços que, por serem tão diversas, procuram ir ao encontro dos mais variados gostos. De entre o conjunto de ofertas, destacam-se: - Serviço Médico e de Enfermagem - psicologia - serviço social - fisioterapia diária - animação sócio-cultural - ginástica e hidroginástica - serviço de recepção - serviço de refeições - cuidados de higiene e conforto - tratamento de roupa - cabeleireiro e estética - biblioteca - internet - capela - bar

pondo de uma grande área solar entre outros dispositivos. Os quartos - divididos entre individuais, duplos ou T1 - estão colocados de forma estratégia pelo edifício, assegurando que todos os utentes desfrutam da paisagem envolvente. Tem capacidade para 48 utentes.

O empreendimento dispõe de: - 8 quartos individuais - 18 quartos duplos - 2 T1 - A Belavista terá à disposição no próximo ano 4 residências dentro do empreendimento

Belavista residência sénior Rua da Pimenteira, 44 2490-606 Ourém www.belavistasenior.pt

“Estou aqui há 15 dias devido a um AVC. Andei a visitar alguns lares, com o meu filho, e gostei mesmo deste. Era o melhor, entre todos os que vi. As funcionárias são todas muito simpáticas e todos os dias fazemos várias actividades, como jogos e ginástica. Até já falei com o meu filho, que está em França, pela internet”.

“Estou aqui há dois meses e gosto muito. Para além do sítio, que é muito bonito, as pessoas são simpáticas e agradáveis. Têm muitas actividades, mas eu não participo muito. Gosto de conversar um bocadinho, ver televisão e dormir”.

Amélia Pena Laurinda Cardoso 66 anos, ex-emigrante em França e residente em Leiria

88 anos, ex-professora de Matemática e Física. Residia em Lisboa

Todos os quartos estão equipados com minibar, televisão, som ambiente, climatização, cofre e possibilidade de ligação à internet. Têm ainda camas articuladas, com comandos, o que permite acolher pessoas com qualquer grau de dependência. Os T1 dispõem de uma copa com kitchenet, onde é possível aos utentes, se o desejarem, elaborar as suas refeições.


4

SUPLEMENTO

Região de Leiria

| VIDA SÉNIOR

26 | Março | 2010

Em 2035 um quarto da população terá mais de 65 anos

Envelhecimento Portugal segue tendência mundial A população está a envelhecer. Este é um facto comprovado em cada novo estudo demográfico publicado. Segundo projecções nas Nações Unidas e do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2050 nove por cento da população nacional terá mais de 80 anos. Actualmente um em cada cinco portugueses tem mais de 60 anos e em 2035 a previsão aponta que uma em cada quatro pessoas tenha mais de 65 anos. Números que resultam da conjugação de dois factores, a diminuição da fertilidade ao mesmo tempo que a esperança média de vida aumenta. Segundo dados do INE, divulgados em 2008, a esperança média de vida à nascença situou-se nos 78 anos, no triénio 2004/2007. Em 2050 estima-se que esse valor aumente para 87,5 anos, nos homens, e 92,5 nas mulheres. Actualmente 1,7 milhões de portugueses tem mais de 65 anos, no entanto a previsão é que o número venha a duplicar nos próximos cinquenta anos, ou seja, em 2050, 32 por cento da população em Portugal terá mais de 65 anos.

Mais idade, mais doenças Viver mais tempo não implica alterações apenas no campo demográfico. A saúde também enfrenta novos desafios com esta evolução. Estudos apontam que em Portugal existam actualmente 76 mil doentes de Alzheimer. Uma doença que afecta, em média, um por cento da população aos 60 anos, mas que aumenta para 25 por cento aos 85 anos. O envelhecimento da população provoca um aumento dos distúrbios cognitivos o que faz com que em cada 100 idosos, existam 12 casos de demência. Mas os problemas não se ficam pelo foro cognitivo, existem outras doenças que têm tendência de surgir com o passar dos anos. Por cada década que de vive após os 50 anos soma-se uma doença crónica. Por exemplo, um em cada três portugueses sofre de, pelo menos, uma doença reumática e outros três milhões precisam de tratamento para a tensão arterial.

FICHA TÉCNICA DIRECTOR

EDITOR COORDENADOR

PUBLICIDADE

PAGINAÇÃO

Francisco Rebelo dos Santos

João Paulo Silva

Alda Moreira

Departamento Gráfico do REGIÃO DE LEIRIA

António Cardoso DIRECTOR EXECUTIVO

DIRECÇÃO COMERCIAL

Élia Ramalho

João Carreira

Alda Moreira

João Agrela Sandra Nicolau

IMPRESSÃO Imprejornal, SA TIRAGEM

15.000 exemplares


Região de Leiria

SUPLEMENTO

26 | Março | 2010

| VIDA SÉNIOR

5

Um politécnico, várias gerações

IPL 60 + Há três anos a desenvolver actividades para seniores Está a fazer três anos o projecto IPL 60+, cuja filosofia não passa pela criação de um espaço sénior, mas antes trazer a experiência de vida e um novo olhar aos bancos do Instituto Politécnico de Leiria. Para isso existem várias disciplinas às quais se podem inscrever pessoas com mais de 60 anos, partilhando as salas de aula com os alunos mais novos. Existem também disciplinas específicas, como tecnologias de informação e comunicação ou inglês, e a possibilidade de participação em vários projectos. Isabel Varregoso, coordenadora do projecto, refere de são cerca de cem as pessoas envolvidas no IPL 60+, fazendo uma avaliação positiva dos primeiros anos da experiência. A grande diferença entre o projecto

publicidade

e as universidades sénior passa pelo encontro de gerações na escola. Os mais velhos acabam por conquistar a confiança e admiração de alunos e professores, pelo esforço e dedicação que têm apresentado e pelas experiências que trazem, refere Isabel Varregoso. Uma evolução que vem em crescendo o que levanta novos desafios: mais espaço e pessoal para responder a tantas solicitações, refere a responsável.

Partilha de casa com pouca adesão Iniciado no ano passado, o projecto Gerações é mais uma tentativa de unir estudantes e seniores, mas cujos primeiros resultados

estão abaixo das expectativas. O projecto, que é desenvolvido pelo IPL, em parceria com a junta de freguesia de Leiria, é dirigido a pessoas com mais de 50 anos residentes em Leiria, que pretendam receber jovens estudantes em casa. No entanto, até agora registaram-se apenas três casos e em situações pontuais, de alunos de mestrado ou intercâmbios. Isabel Varregoso admite que a adesão está abaixo das expectativas, no entanto acredita que é possível ultrapassar as barreiras culturais e promover o convívio geracional de um projecto que irá continuar a ser uma aposta das instituições promotoras. Entre os projectos do IPL 60+ está ainda o Trad´Inovações, uma iniciativa que junta os idosos e as crianças

do primeiro ciclo na partilha de saberes e tradições. O projecto está a ser desenvolvido na EB1 da Cruz da Areia e permite aos idosos aprenderam novas tecnologias, para criação de conte-

údos atractivos aos mais novos. Os alunos têm a oportunidade de conhecer histórias e tradições de outros tempos, ao mesmo tempo que se promove o convívio entre gerações.


6

SUPLEMENTO

| VIDA SÉNIOR

Opinião

26 | Março | 2010

Linha do Idoso recebe pedidos de ajuda

Viver a vida! Pode parecer um vulgaríssimo lugar comum mas, na minha perspectiva, não é. A vida é sem dúvida para viver, mas a vida tem várias etapas e cada uma delas tem as suas particularidades que a caracterizam. Desde a infância à velhice (não tenham medo da palavra), a vida desenrola-se segundo aquilo que o homem é, biológica e intelectualmente. Períodos de desenvolvimento, de aperfeiçoamento, de construção existencial, sempre situados numa sociedade a que pertence e simultaneamente constrói. E o “viver a vida” é como o desenrolar do fio de um novelo, fio esse que ora se apresenta liso, ora com nós, cortes e outros embaraços, obstáculos que é preciso ultrapassar, construindo sempre, sempre, com a mesma vontade de construir obra pessoal e social. Viver criança é a aprendizagem inicial, viver adulto é a aprendizagem madura, contínua, que não pára, porque o viver é movimento, é querer mais e mais, sem desperdícios, ou aproveitando esses desperdícios, ou aproveitando esses desperdícios tornando-os úteis e válidos. É esta construção, este fazer existencial, que nos torna humanos. É esta construção que individualmente distingue cada um de cada um. É ainda este “fazer-se” que faz com que a pessoa evolua e se diferencie nas várias etapas da vida, até atingir a sua personalidade, unidade de variadíssimos factores. Mas a pessoa é um ser social. E neste entender não se podem aceitar a indiferença, o desconhecimento, o desprezo entre as várias etapas, que constituem sempre um todo. Tal como a criança terá de ser orientada, apoiada para se formar, a idade sénior não deverá ser considerada como um estádio de alguém que já viveu a sua vida, fez o seu trabalho, já se realizou e deverá, agora, deixar lugar aos novos. Ideia errada esta. Todos têm o seu

Região de Leiria

lugar, e, por isso, é preciso combater este preconceito, que ainda por aí vai germinando nas nossas sociedades: já viveu a sua vida, dê lugar aos outros! Quem é que pode medir ou determinar a vida deste modo? Ninguém. O sénior deve “viver a sua vida”, tal como a criança ou o adolescente devem viver a deles. As circunstâncias serão, de certo, diferentes, como o serão os meios dessas vivências. Uns correm, os outros caminham! Mas é essencial que a sociedade (e eu entendo aqui os outros indivíduos, as instituições, os governos, as empresas...) conheça e estimule o caminho que cada etapa percorre, abandonando o princípio, quase feito regra, que o B.I. é importante, e quase único, para seccionar as pessoas e os seus espaços vivenciais. Hoje em dia, procuram “inventar” muitas actividades para os seniores. E assim se fala de Turismo Sénior, passeios seniores, férias para seniores, universidades seniores, procurando com tudo isso proporcionar aos seniores ambientes, espaços próprios, onde se sintam bem e que são vocacionados para eles. Foi um pouco dentro deste quadro que surgiu a Academia de Cultura e Cooperação de Leiria, com a finalidade de dar a todos aqueles que se tinham realizado profissionalmente e/ ou familiarmente, um espaço para outras vivências que pudessem preencher os seus tempos desocupados. Encontrar, e viver em convívio, uma aprendizagem ou re-aprendizagem, dar largas à sua imaginação sem programas ou esquemas, eis a finalidade da Academia. E penso que a tem conseguido realizar: cada pessoa é uma pessoa à sua maneira, recebendo e dando. Pessoalmente, a minha experiência – e já lá vão dez anos -, tem sido gratificante, por tudo o que posso dar, mas sobretudo, pelo que recebo. Acho ainda que a Academia veio preencher uma lacuna nesta pedagogia sénior sempre tão falada, e

espero que a sociedade a reconheça e acarinhe. A Academia é um “viver a vida” na sua plenitude. Mas neste meu discorrer de “viver a vida sénior”, gostaria de ir um pouco mais longe. Os Gregos da Antiguidade tinham muita preocupação com a educação dos seus jovens, dedicando-lhes uma orientação em função da vida plena. E esta “vida plena” englobava todas as etapas da existência humana. Para isso, era necessário educar não só tendo em vista a formação do adolescente-jovem, mas educar em termos de futuridade, isto é, no respeito e dedicação pelos mais velhos. A velhice é experiente. O ancião é símbolo da sabedoria sendo respeitado pelos mais novos que com ele aprendiam. O ancião é guardião da polis pelo seu muito saber de “experiências feito” (cito Camões). O ancião é senhor da Justiça e da virtude, como o quer Sócrates ou Platão. Seria interessante, penso, que este sentido de educação, a que vou chamar “educação para quando se é idoso”, entrasse nas nossas escolas, desde a infantil, e o sénior passasse a ser visto como na realidade um guardião da sabedoria, do respeito, da cooperação. Abater-se-iam muitas barreiras que existem e separam os jovens dos menos jovens. Barreiras de desentendimento, de desinteresse, de exclusão. Passaria a haver mais sensibilidade entre todos e mais compreensão, menos “lançar de culpas” de uns para outros. Importa um conhecimento mútuo, uma afectividade partilhada, lembrando-se, uns que já foram jovens e os outros que chegarão a seniores.

Helena Carvalhão directora da Academia de Cultura e Cooperação de Leiria

publicidade

CALDAS CA L RESIDENCE RESIDÊNCIA SÉNIOR

Venha V h gozar a sua reforma da melhor forma! Rua da Cheia, nº11 - Chão da Parada - Tornada Tlm. 936284949 2500-304 CALDAS DA RAINHA Email: caldasresidence@gmail.com www.caldasresidence.blogspot.com

A Linha do idoso da Provedoria da Justiça já recebeu meio milhar de chamadas desde que voltou a funcionar em Novembro de 2009, após mais de três meses suspensa. Segundo dados da Provedoria, as questões relacionadas com a saúde e os lares são os assuntos que mais preocupam os idosos. Queixas sobre maus-tratos justificaram 25 chamadas telefónicas nos últimos três meses. De entre os assuntos colocados pelos idosos, a situação de abandono mereceu 11 chamadas, as mesmas que a negligência de cuidados. A Linha do Cidadão Idoso, (808 203 534que divulga informação sobre direitos e benefícios na área da saúde, segurança social, habitação, obrigações familiares, acção social, equipamentos e serviços e lazer, recomeçou a funcionar no início de Novembro depois de uma paragem desde 23 de Julho do ano passado. Nessa altura, o serviço foi suspenso devido a uma decisão do provedor de Justiça de dispensar 12 trabalhadores, alegando “impossibilidade legal de renomeação”.

Concluídos 129 equipamentos do PARES O número de equipamentos para idosos concluídos em todo o país no âmbito do programa PARES atinge 129, correspondendo a 4081 lugares, do total de 556 respostas sociais já aprovadas para este grupo. Das unidades finalizadas, 51 são lares, que disponibilizam 1443 lugares, 43 são centros de dia, com 1350 vagas, e 35 referem-se ao Serviço de Apoio Domiciliário. Desde a criação do PARES - Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais -, em 2006, foram aprovadas 556 respostas sociais para idosos, a que correspondem 18 653 lugares e um financiamento de 113,8 milhões de euros, segundo dados do Ministério do Trabalho e Solidariedade Social. “O balanço é muito positivo, temos a esmagadora maioria das respostas sociais da área dos idosos em obra, adjudicados, ou mesmo já concluídos”, afirmou Pedro Marques, secretário de Estado da Segurança Social. “Com os mais de 18 mil lugares do PARES e os mais de cinco mil lugares do programa [Operacional] Potencial Humano, vamos ter mais 24 mil lugares ao serviço dos nossos idosos”, frisou o governante. Através do POPH foram aprovados 129 equipamentos sociais para idosos que vão criar 5604 novos lugares, resultado de um financiamento público de 84,3 milhões de euros, para um investimento total de 161,4 milhões de euros. Os equipamentos já adjudicados no âmbito do PARES ascendem aos 480, com uma intervenção em 15 408 lugares e, destes, 129 estão concluídos. publicidade


Região de Leiria

VIDA SÉNIOR

26 | Março | 2010

| SUPLEMENTO

7

Nunca é tarde para regressar

Universidades Seniores têm escolas feitas à medida O rio Lis dá o mote a um projecto-piloto intergeracional que pretende juntar idosos, alunos das escolas, ranchos folclóricos, juntas de freguesia, Simlis, Valorlis, Oikos, entre outras instituições. “Lis: Velho Rio Con´Vida” é o nome do projecto, desenvolvido localmente pelo Instituto Politécnico de Leiria, que começa em Abril. A duração é de um ano e que conta com financiamento da Fundação Calouste Gulbenkian. Isabel Varregoso, membro da equipa do IPL responsável pelo projecto, refere que o objectivo passa por “recuperar memórias e práticas dos idosos para a preservação do rio”. Para isso vão ser feitas entrevistas a idosos, saídas de campo, as escolas vão receber contadores de histórias, além da organização de exposições e tertúlias. Uma-mão cheia de projectos onde se pretende recuperar os saberes de outros tempos relacionados com o rio. Um projecto que será feito também em parceria com o Instituto Politécnico de Beja e uma universidade do Reino Unido e que promete mexer com as localidades próximas do Rio Lis, desde a nascente, até à foz.

publicidade

UNIVERSIDADE SÉNIOR DE ALCOBAÇA Instituição Acolhedora: Fundação Maria e Oliveira Morada: Rua Dr. Francisco Pereira Zagalo, nº16 2460-041 Telefone: 262 582 510 E-mail: usalcoa@gmail.com

UNIVERSIDADE SÉNIOR DE PENICHE Instituição Acolhedora: Freguesia da Conceição Morada: Rua Arq. Paulino Montez, 55 Dtº 2520 - 294 Peniche Telefone: 262 781 312 univseniorpeniche.blogspot.com

UNIVERSIDADE SÉNIOR DA BENEDITA Instituição Acolhedora: Associação de Desenvolvimento Comunitário Morada: Rua do Mercado Sala 1, Apartado 152, 2475-126 Benedita E-mail: usbenedita@gmail.com

UNIVERSIDADE SÉNIOR DE POMBAL Instituição Acolhedora: Associação Pensionistas Reformados e Aposentados de Pombal Morada: Rua 1º de Maio, nº25 Apartado 286 3101 904 Pombal Telefone: 236 218 042

UNIVERSIDADE SÉNIOR DA NAZARÉ Instituição Acolhedora: Câmara Municipal da Nazaré Morada: Av. Vieira Guimarães, 54 2450-951 Nazaré Telefone: 262 550 012 www.usenior-nazare.com.pt

UNIVERSIDADE SÉNIOR RAINHA DONA LEONOR Instituição Acolhedora: Associação Desenvolv. do Conhecimento Rainha D. Leonor Morada: Rua Vitorino Fróis - Praça da Universidade, Pólo 1 2500 - 256 Caldas da Rainha Telefone: 262 840 908


8

SUPLEMENTO

Região de Leiria

| VIDA SÉNIOR

26 | Março | 2010

O país está preparado para dar resposta a uma população cada vez mais envelhecida? Mais do que nunca. Nos últimos anos foram disponibilizados vários programas (que assumem esta problemática como uma intervenção prioritária) tais como: o Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES I, II e III), o Programa de Apoio ao Investimento em Equipamentos (PAEIS), o Programa de Investimento e Desenvolvimento (PROGRIDE), a Medida de Apoio à Segurança (MASES), o Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Economia Social (PADES). De uma forma geral, estes programas privilegiam as zonas geográficas mais desfavorecidas e com índices de pobreza mais elevados. Sim, estamos preparados.

Que novos desafios e exigências traz esta realidade à própria estrutura da Segurança Social?

Fernando Gonçalves Director da Segurança Social do Distrito de Leiria

A Segurança Social enquanto responsável pela implementação de medidas de protecção social, tem vindo a promover estudos e análise da problemática, em parceria activa com outros serviços com responsabilidade de actuação nesta matéria e com a sociedade civil, tendo como principal parceiro as Instituições Particulares de Solidariedade Social. O principal desafio estrutural é de facto a cidadania activa, na qual cremos profundamente e tudo fazemos para alcançar.

“Estão a ser concluídas mais 50 novas respostas sociais”

Quais as principais carências e necessidades que identifica no apoio à terceira idade no distrito de Leiria? No distrito de Leiria a questão que se coloca não

é a da existência de zonas a descoberto, dado que são excepção as freguesias sem pelo menos uma resposta social, casos em que, por regra, as limítrofes assumem a prestação de serviços a situações com necessidade de apoio. A aprovação das candidaturas ao PARES I e II, que privilegiou fortemente o nosso distrito, produzirá ganhos significativos a curto prazo, dado que estão a ser concluídas ou em fase de conclusão mais de meia centena de novas respostas sociais.

Quais as zonas do distrito mais afectadas pelo envelhecimento da população? A zona do Pinhal Interior Norte, apesar de ser uma zona de menor densidade populacional, é a mais afectada, verificando-se aqui as mais elevadas taxas e índices de envelhecimento.

Que efeitos no terreno sente com a introdução da Rede Nacional de Cuidados Continuados? A Rede de Cuidados Continuados (RCC) constitui uma resposta social de excelência para este grupo etário, por intervir de forma integrada na situação que originou o seu internamento, de forma a tratá-la ou estabilizá-la. Presentemente estão a ser construídos novos equipamentos, financiados no âmbito do Programa Modelar I e decorre a análise de candidaturas ao Modelar II. A RCC lançou também as bases do Apoio Domiciliário Integrado, prevendo-se que a sua operacionalização produza resultados que melhorem significativamente a qualidade de vida dos cidadãos domiciliados.

E do Complemento Solidário para Idosos? O Complemento Solidário para Idosos (CSI) constitui-se como outra medida de excelência de combate à pobreza e à exclusão social dos idosos. Permite, pelos seus requisitos de atribuição, que dela beneficie quem efectivamente necessita resultando este programa de um acréscimo aos rendimentos mensais dos idosos carenciados. A divulgação desta medida teve um enorme sucesso no distrito de Leiria devido ao trabalho árduo dos técnicos da Segurança Social e ao empenho dos senhores presidentes de junta de freguesia que por todo o distrito fizeram um trabalho exemplar e inexcedível. A Segurança Social garante 400 euros por mês a todas as pessoas com 65 ou mais anos mesmo que essas pessoas não tenham feito descontos. O CSI retira efectivamente pessoas idosas da pobreza e é uma medida da qual nos podemos orgulhar.


Região de Leiria 26 | Março | 2010

VIDA SÉNIOR

| SUPLEMENTO

Há 75 anos a promover turismo e lazer

Inatel Fundação é uma referência nas actividades para seniores A Fundação Inatel continua a ser uma referência quando se fala em turismo e termalismo sénior. Uma instituição criada em 1935 com o objectivo de prestar serviços sociais na área do turismo, lazer e tempos livres. Na agência de Leiria decorre, neste momento, o período de inscrições para o programa Turismo Sénior, dirigido a pessoas a partir dos 60 anos, associados ou não do Inatel. Em Abril começam as inscrições para o programa Saúde e Termalismo. Além destas propostas temáticas existem, ao longo do ano, passeios pedestres mensais, dando a oportunidade de conhecer os cantos

publicidade

do distrito. Mas não é apenas a oportunidade de conhecer novos locais que o Inatel procura oferecer a quem participa nas actividades. “As nossas actividades são maioritariamente dirigidas a grupos, o que possibilita uma troca de experiências e convivências”, refere Francisco Carapinha, director da Agência de Leiria do Inatel, o que permite aos idosos libertarem-se “da solidão e falta de convívio com que muitos se debatem”, acrescenta. “Mais importante do que as actividades, são os afectos”, sublinha Francisco Carapinha, que assume ser esta a preocupação principal que está na base das

várias acções. Em relação à oferta de lazer sénior, o responsável considera que há carência de espaços de convívio diários, locais onde os mais velhos “possam sentir-se úteis à sociedade”. A criação de “Espaços Internet” ou “Escolas de Lazer” são algumas das ideias lançadas por Francisco Carapinha, dificultados, no entanto, por “barreiras logísticas e financeiras para a sua concretização”. No que diz respeito ao comportamento dos seniores leirienses, o director afirma que “gostam de viajar”, justificando a afirmação com “o volume de procura”, registado da agência.

9


10

SUPLEMENTO

| VIDA SÉNIOR

Região de Leiria 26 | Março | 2010

Dar um novo ritmo à vida

Conservatório Sénior – Dois anos de actividades de música e dança Mozart até pode ter começado a compor aos cinco anos, mas no Conservatório Sénior do Orfeão de Leiria Conservatório de Artes, não há limite de idade para começar a ler as primeiras pautas, a tocar os primeiros acordes ou a ensaiar os primeiros passos de dança. O projecto assinala o segundo aniversário na próxima segunda-feira, no Auditório José Neto. Uma experiência que para a direcção do Orfeão é muito positiva, nomeadamente pela adesão exponencial de alunos. Actualmente os alunos inscritos no Conservatório Sénior ultrapassam a centena meia, repartidos pelas disciplinas de coro, danças tradicionais, música II, formação musical, seniores@ piano ou 50±. Além das aulas, os alunos são envolvidos em actividades culturais, de convívio e de solidariedade, que passam pela ida a espectáculos, festas temáticas ou aulas abertas em centros de dia ou lares. Além de proporcionar momentos de convívio, os benefícios da música não ficam por aí. Estu-

publicidade

dos científicos demonstram que a música reduz o risco de desenvolvimento de doenças de foro neurológico e, em alguns casos, pode ajudar à regressão destas doenças e ao retardamento do envelhecimento das células cerebrais. Além disso, a prática da música, do movimento e da dança reabilita a coordenação motora e neurosensorial e contribui para o aumento da sensação de relaxamento e de bem-estar emocional, diminuindo a ansiedade, a tendência depressiva e a percepção da solidão. Para o Orfeão de Leiria, um dos segredos do sucesso do projecto passa pela qualidade humana e profissional dos professores, que promovem um grande envolvimento dos alunos, que acabam por ser a melhor publicidade do Conservatório Sénior. Para a direcção da instituição, o aumento da esperança de vida faz prever que a procura de actividades por parte dos seniores aumente, cabendo “às instituições investigar nichos de interesse e disponibilizá-los com a qualidade a que esta faixa etária tem direito”.


Região de Leiria

VIDA SÉNIOR

26 | Março | 2010

| SUPLEMENTO 11

Viver Activo dá saúde

Leiria Programa envolve mais de mil idosos do concelho Promover a prática de exercício entre a população com mais de 55 anos, prevenindo o aparecimento de várias doenças e melhorando a autonomia e execução das actividades quotidianas. Além disso, promover a interacção social através da prática desportiva. Esta foi a ideia que esteve na base do lançamento do programa Viver Activo, em 1999 pela Câmara Municipal de Leiria. Um projecto que começou com um núcleo de 136 pessoas que tinham à disposição aulas de natação e hidroginástica. Uma década mais tarde mais de mil pessoas usufruem do Viver Activo, que alargou a oferta a ginástica, dança e sala de exercício. Actividades repartidas pelos quatro núcleos do projecto: piscinas municipais da Caranguejeira, Leiria e Maceira e pelo pavilhão desportivo da Bajouca. Leonel Pontes, administrador da Leirisport, empresa municipal responsável pelo programa, mostra-se satisfeito com o Viver Activo, uma vez que “tem vindo a crescer enormemente, quer o

número de utentes, quer o número de pessoas que manifestam interesse em participar e que ficam a aguardar a sua oportunidade para tal”. Leonel Pontes afirma que quem participa gosta, o que se traduz numa participação “muito regular e assídua”. Os participantes reconhecem benefícios na manutenção da qualidade de vida e saúde. “Muitos dos utentes referem uma redução da utilização de certos medicamentos, graças a uma melhoria geral da condição física e psíquica”, refere o administrador da Leirisport. Mas não são apenas ganhos sociais e pessoais que o programa Viver Activo trás aos seniores de Leiria. Leonel Pontes acredita que há poupança ao nível dos gastos de saúde. “Estimase que, para cada euro investido em Portugal, em programas de promoção da saúde, envolvendo a actividade física, haja uma redução de 4,9 euros nos custos com o absentismo e de 3,4 euros com os cuidados de saúde”, exemplifica o responsável, que aposta, assim, na continuidade do programa.

publicidade

Estalagem do Espinhal Lar de 3ª idade

Desconto de 10% na mensalidade durante o 1º ano Inserida numa quinta com amplas vistas e um ambiente acolhedor a Estalagem do Espinhal é a solução simples que olha pelo seu bem-estar. Quartos individuais, duplos e triplos equipados com telefone, televisor e aquecimento central. Ginásio de reabilitação, assistência médica, de enfermagem e apoio social.

Espinhal 3230-227 Penela Telf. 239 550 010 v Tlm. 913 171 519 /20 v Fax 239 550 019


12

SUPLEMENTO

Região de Leiria

| VIDA SÉNIOR

26 | Março | 2010

Novos desafios de uma sociedade sénior José Grilo

Estruturas familiares alteradas, serviços médicos desajustados às necessidades e uma intervenção social tardia. São vários os problemas que impossibilitam muitas pessoas de terem uma velhice com mais dignidade e autonomia. O apoio social existe, mas muitas vezes actua tarde de mais. José Grilo Gonçalves, neurologista de Pombal, director do Serviço de Neurologia do Centro Hospitalar de Coimbra, alerta que a assistência ao idoso, em muitos casos, só é diagnosticada à entrada dos hospitais, faltando uma intervenção ao nível da comunidade e uma rede de apoio que permita uma reabilitação e reintegração do meio sóciofamiliar. Desarranjos fami-

Mudança Saúde e segurança social precisam de novas respostas liares, incapacidade dos cuidados de saúde primários na prestação de apoio ao domicílio e intervenções tardias por parte da Segurança Social contribuem para que, no entender de José Grilo Gonçalves, se criem situações de idosos com grandes carências e que necessitam de internamentos prolongados, o que se traduz em custos muito mais elevados para o Sistema Nacional de Saúde. O clínico mostra-se preocupado com um fenómeno que começa a ganhar mais expressão em Portugal. “Cada vez se vêem mais pessoas dependerem exclusivamente da Segurança Social depois da reforma, porque as famílias se desmembraram, porque

os laços afectivos entre as gerações se perderam ou porque o estado promete tudo e depois não tem recursos para todos”, afirma José Grilo Gonçalves, que defende transformações dos serviços de saúde. Actualmente serão necessários menos médicos pediatras e obstetras, devido à quebra da natalidade, no entanto é necessário reforçar o número de internistas e generalistas, devidamente treinados para a prestação de cuidados à população envelhecida. O reforço de equipas de enfermeiros, assistentes sociais, fisioterapeutas e médicos que prestem apoio domiciliário assume-se como medida de apoio médico e social importante, evitando

deslocações para os centros de saúde e, em muitos casos, o agravamento de situações clínicas e sociais. As fragilidades de idosos que acabam por ficar mais desprotegidos reflectem-se ainda na factura dos medicamentos. Vive-se mais tempo, mas o envelhecimento começa a introduzir os fármacos na rotina diária. José Grilo Gonçalves refere que um trabalho académico, onde foi analisado o consumo de medicação numa amostra de idosos, entre os 57 e os 97 anos, a frequentar a consulta externa hospitalar, demonstrou que 75,5 por cento tomava algum tipo de medicação. Uma despesa que vai aumentando, muitas vezes suportada por reformas ex-

tremamente baixas. O envelhecer traz também problemas de demência associados. Se os valores são baixos até aos 65 anos, o número duplica a cada cinco anos de vida a partir dessa idade, atingindo uma pessoa em cada três, a par-

tir dos 90 anos. “Estando a demência tão associada ao envelhecimento, é preciso detectá-la, preveni-la e implementar medidas de saúde pública que evitem a deflagração de tal «epidemia» entre nós”, alerta o médico.

Rio Lis une gerações publicidade

Projecto-piloto – Um ano de actividades para recuperar tradições O rio Lis dá o mote a um projectopiloto intergeracional que pretende juntar idosos, alunos das escolas, ranchos folclóricos, juntas de freguesia, Simlis, Valorlis, Oikos, entre outras instituições. “Lis: Velho Rio Con´Vida” é o nome do projecto, desenvolvido localmente pelo Instituto Politécnico de Leiria, que começa em Abril. A duração é de um ano e que conta com financiamento da Fundação Calouste Gulbenkian. Isabel Varregoso, membro da equipa do IPL responsável pelo projecto, refere que o objectivo passa por “recuperar

memórias e práticas dos idosos para a preservação do rio”. Para isso vão ser feitas entrevistas a idosos, saídas de campo, as escolas vão receber contadores de histórias, além da organização de exposições e tertúlias. Uma mão cheia de projectos onde se pretende recuperar os saberes de outros tempos relacionados com o rio. Um projecto que será feito também em parceria com o Instituto Politécnico de Beja e uma universidade do Reino Unido e que promete mexer com as localidades próximas do Rio Lis, desde a nascente, até à foz.


Região de Leiria

VIDA SÉNIOR

26 | Março | 2010

| SUPLEMENTO 13

Renascer com a arte

SAMP Novas Primaveras leva música às instituições O projecto Novas Primaveras, da Sociedade Artística e Musical dos Pousos (SAMP), é o tema de um painel do I Encontro Internacional Saúde com Arte, que a instituição organiza a 7 e 8 de Abril. Uma experiência que começou há seis anos a levar arte às instituições de terceira idade do concelho de Leiria. A música chega três anos mais tarde à Batalha, existindo actualmente três concelhos interessados na actividade, afirma Paulo Lameiro, director pedagógico da SAMP. São 20 as instituições, envolvendo cerca de mil idosos, que usufruem da programação regular no Novas Primaveras, além das

publicidade

sessões pontuais que vão percorrendo outras instituições. “Uma dedicação sincera e autêntica para quem vive um dia-a-dia monótono e sem aparente direito a futuro” é o que Paulo Lameiro considera que o programa oferece aos seniores que vivem, actualmente, numa sociedade onde se dedica tudo às crianças, “o suposto futuro”, mas se “abdica quase por completo do passado num esquecimento assustador”. Se muitas vezes, os mais velhos parecem desajudados à realidade quando, por exemplo, estão em frente a um computador, Paulo Lameiro considera que são

“parceiros privilegiados para os nossos problemas de hoje”, afirmando que a SAMP tem “aprendido vertiginosamente” com o projecto. A música tem um papel central no Novas Primaveras, mas o teatro e a dança aparecem misturados com as memórias e os sorrisos que rapidamente transfiguram as salas por onde passa. Um trabalho também de afectos, que procura ir ao mais fundo das relações humanas, da memória e da criatividade através da arte. Um programa que se tem moldado às realidades que encontra nos centros de

dia, lares ou em acamados em estado terminal. Neste percurso, Paulo Lameiro também considera que existe uma preocupação crescente das instituições em proporcionarem “uma qualidade de vida que ultrapassa os bens essenciais”, acreditando que é também o sentido social e comunitário que tem ajudado o crescimento Novas Primaveras. Um crescimento que implica, sublinha o responsável, uma necessidade constante de formação cada vez mais especializada, por parte dos técnicos do programa, e a investigação paralela ao projecto.


14

SUPLEMENTO

Região de Leiria

| VIDA SÉNIOR

26 | Março | 2010

Lares e instituições Na região existe já uma forte rede de instituições a prestar apoio à população sénior. Aqui fica uma lista com parte da oferta existente. Casa Repouso Fátima Rua de Fátima, n.º113-Loureira Fazarga - Stª Catarina Serra Lar de Idosos

Lar de Idosos - Centro de Dia - Apoio Domiciliário Lar Familiar Nª Sr.ª Esperança Rua dos Arneiros,Nº37 - Geraldes - Peniche Lar de idosos

Domus Augusta-Casa Repouso Óbidos Quinta Pinheiro - E.N.115,Nº53 - Gaeiras Lar de Idosos, Centro de Dia, Apoio Domiciliário

Casa Repouso Alexandrina Bartolomeu Rua A do Ferreiro,Nº19 - Alqueidão da Serra Porto de Mós - Lar de idosos

Residencial Bem Estar Carreira Rua Principal , n.º 98 - Carreira – Leiria Lar de idosos

Solar D.Maria-Lar de Terceira Idade Carvalhal - Maças D. Maria - Alvaiázere Lar de idosos

Casa Repouso o Cantinho dos Avós R.Morgado Valverde, Nº55 Ribeira de Castros -Vidais - Lar de idosos

Casa Repouso Vale da Pedra Rua Principal,nº980 - Vale da Pedra - Souto da Carpalhosa - Lar de idosos

Casa de Repouso O Reviver-Apoio a Idosos Travessa A do Carvalhal, Nº11 - Gândara dos Olivais Leiria - Lar de idosos

Centro de Apoio a Idosos Nª Sr.ª Conceição Rua Casal dos Veríssimos,Nº2 - Fanhais Nazaré - Lar de Idosos, Centro de Dia

Lar da Terceira Idade D. Luís Rua Central,Nº1250 – Agodim Colmeias Lar de idosos

Lar de Santa Cruz Travessa do Alto da Cruz - Monte Real Lar de idosos

Paraíso do Sonho Lar Rua do Campo de Futebol n.º30 – Guia, Pombal Lar de idosos

Verde Recanto - Casa de Repouso Rua Filarmónica,Nº23 – Louriçal - Pombal Lar de idosos

Lar Pelariga Rua do Serradinho, n.º4 - Pelariga - Pombal Lar de idosos

Lar - O Sonho da Felicidade Rua de Vermoil, 108 – Casalinho - Pombal Lar de idosos

Casa de Repouso da Crocha Rua da Crocha,Nº50 - Caldas da Rainha Lar de idosos

Vila Centro - Lar de Idosos Rua do Lar - Trás Os Matos - Vila Cã Pombal Lar de idosos

Lar Amélia de Sousa Rua Vale de Água,371-Barreiros - Amor - Leiria Lar de idosos

Paço Verde - Lar de Idosos Rua Principal - Paço Almagreira Lar de idosos

Casa Repouso de Cortes Rua Principal,22 Cortes LRA Lar de idosos

“ O Sossego” Residência de Idosos Est.Nacional,360 Nº232 - Alto do Nobre Nadadouro - Caldas da Rainha Lar de idosos

Lar Nossa Senhora da Glória R.Vale Pinheiro,Nº195 - Matoeira Regueira Pontes - Leiria - Lar de idosos Conchego do Valongo de Nª Sr.ª Fátima Valongo - Alqueidão da Serra Porto de Mós - Lar de idosos

Casa de Repouso O Malmequer R. 25 de Abril,225- Alfeizerão Lar de idosos Casa Repouso e Bem Estar de Pombal Rua do Emigrante Nº22; Vinagres Pombal - Lar de idosos

Lar São Miguel Rua João Costa da Fonseca Santiago de Litém – Pombal Lar de idosos

Casa da Várzea, Lar de Terceira Idade Várzea - Santiago Da Guarda Ansião - Lar de idosos

Casa Repouso Nª Srª Vitória de A.Silva & Filhos Rua das Escolas - Lt. 11- Famalicão – Nazaré Lar de Idosos, Centro de Dia

Lar de Idosos da Columbeira Rua do Covão,Nº13 – Columbeira Roliça - Bombarral - Lar de idosos

Lar S.Brás Rua de S.Brás - Água Formosa - Ilha Pombal Lar de idosos

Casa Repouso Verde Pinho Rua do Casalinho - Pocariça Maceira - Lar de idosos

Lar Barão Vale das Moitas - Carnide - Pombal Lar de idosos

Lar Santa Teresinha do Menino Jesus Rua Fonte Vale Vicente - Ranha de São João, Vermoíl - Pombal Lar de Idosos, Centro de Dia

Lar Santa Teresinha Rua 8 de Dezembro - Casal Novo-Barrocal Pombal Solar do Castanheiro Lar de idosos Residencial de Terceira Idade Rua da Ponta do Vale - Bidoeira de Cima Lar de Idosos Maria Da Luz Lar de idosos Rua dos Vidreiros,Nº23 - Vieira de Leiria Marinha Grande - Lar de idosos Lar das Almoínhas II Rua Paulo VI,Nº2263 - Vale Sepal - Leiria Lar de idosos Lar Idosos Bem Estar Rua do Boco,Nº24 Boco - Vieira De Leiria Casa Repouso e Bem Estar o Sossego Lar de Idosos, Centro de Dia Rua da Indústria, nº 6-A-Bajanca-Vieira de Leiria - Marinha Grande - Lar de idosos Casa Repouso O Jardim Éden Ponte Jardim - Alcobaça - Lar de idosos Casa de Repouso Coutinho R. Principal, Nº11- Casal dos Carvalhos Quinta dos Avós-Apoio a Idosos Alvorninha - Lar de idosos Rua Enginho,Nº64- Coimbrão Lar de Idosos, Centro de Dia Lar Terceira Idade Os Frazões Rua Principal,S/N-Frazões - Turquel Flor da Serra,Lda - Lar 3ª Idade Lar de Idosos - Centro de Dia Ramalhais de Baixo - Abiul Pombal

Repouso da Carreira Rua das Alminhas,316 – Carreira Monte Real - Lar de idosos

Lar das Almoínhas R da Capela n.º 23, R/C e 1º Dtos - Marrazes Leiria - Lar Idosos

Lar São Francisco Assis Estrada Real 56, Granja Freixianda - Lar de Idosos

Casa Repouso Santo Amaro E.N 115,nº8 - Casais da Boavista S. Gregório - Lar de idosos

Sossego do Avozinho Rua da Mata Nacional, Lameiro, Carvide- Leiria Lar de Idosos

Casa do Bom Samaritano Rua Bom Samaritano Fátima - Lar Idosos

Idosos em Família, Lar Terceira Idade Rua Manuel Coelho Guerra,Nº34 Turquel - Lar de Idosos - Centro de Dia

Serhorgarsystem Rua Virgílio Monteiro, n.º 2, 2º K/L Pousos - Leiria - Apoio domiciliário

Centro de Apoio Social do Olival Rua de Ourém, 11 – Olival Centro de dia, Apoio domiciliário

Casa de Repouso da Goucharia Rua da Goucharia, Nº16, Goucharia Benedita - Lar de Idosos - Centro de Dia

Yasmin Residencia Sénior R. do Maranhão-Fanadia-Casal da Boavista S. Gregório - Caldas da Rainha - Lar de Idosos

Centro de Bem - Estar do Bairro Rua Nova, 95 – Bairro Centro de dia, Apoio domiciliário

Lar Nossa Senhora do Vimeiro Rua Principal,nº41 - Vimeiro - Lar de Idosos

Casa de Repouso Colina da Saudade R São Mateus, Boleiros – Fátima Lar de Idosos

Centro Social e Paroquial de Rio de Couros Travessa da Torre, 1 Centro de dia, Apoio domiciliário

Lar Residencial Abrigo Rua Encosta Carrascal Alburitel - Lar de Idosos

Centro Social da Ribeira do Fárrio Rua Padre João Pereira, 2 - Fárrio Lar de idosos, Centro de dia, Apoio domiciliário

Residência de Idosos Vítor Bento Estrada Moita Martinho - Cova Iria Fátima - Lar de Idosos

Tmg-Residência p/ Séniores Estrada Cascalheira, Melroeira Lar de Idosos

Instituto Religiosas do Sagrado Coração de Maria em Portugal - Rua Jacinta Marto 40, Cova Iria Fátima Lar de Idosos

Centro Social e Paroquial de São João Baptista de Espite - Rua Escolas 139 Espite - Lar de Idosos

Lar Betânia Rua Monsenhor Joaquim A. Brás Fátima - Lar de Idosos

Centro de Repouso Espírito Santo R D. Maria do Carmo Lagoa do Furadouro Centro de dia, Apoio domiciliário

Edificio D. Dinis Rua Dr.Vieira,nº31 - Caldas da Rainha Serviço de Apoio Domicílio, Centro de Dia Casa de Repouso da Barragem Rua 5 Outubro,nº45 - Coimbrã Atouguia da Baleia - Lar de Idosos Lar Para Idosos de Maria de Fátima Neto Cruz do Caminho Rua do Carreirinho,Nº66, Casal dos Claros Amor Leiria - Lar de Idosos Centro Social e Paroquial da Freguesia de Atouguia Travessa Vale da Chícara, 2 - Murtal Lar de idosos, Centro de dia Serra da Gama - Residência Sénior Lar de idosos Rua Lúcio da Silva, nº 56 – Redinha, Pombal Lar de Idosos

Larvida - Lares Familiares Avenida Beato Nuno , Rotunda Norte Fátima Lar de Idosos Abrigo Nossa Senhora da Ajuda Lar de Idosos Rua Encosta Carrascal - Alburitel Lar de Idosos

Commodos - Residencia Geriátrica R das Figueiras n.º 34, Reguengo da Parada Caldas da Rainha - Lar de Idosos Associação Cultural e Recreativa de Alburitl Rua dos Moinhos - Alburitel Lar de idosos de Dani Cristina Marques Alves Seixal Centro Dia - Apoio domiciliário - Lar idosos Alvaiázere - Lar de Idosos Centro de Apoio São Jorge da Granja Manuel Silva & Gonçalves Est. Real 56-Granja Freixianda-Lar de Idosos Rua Alexandre Henriques, n.º12, Santiago de Litém Belavista Residência Sénior Pombal - Lar de Idosos Rua Padre Sousa 143, Matos Cercal Lar de Idosos Explending, Lar de Idosos Rua dos Bicas, n.º15, Amieirinha Belavista - Lar p/a Idosos Marinha Grande - Lar de Idosos Rua Pimenteira 44, Pimenteira Ourém Lar de Idosos Retiro Casa de Repouso Rua Vale da Junqueira, n.º 22, Portela Associação e Centro de Dia da Freguesia Bombarral - Lar de Idosos de Fátima Rua Principal - Boleiros - Fátima Casa de Repouso D. Florinda Centro de dia - Serviço apoio domiciliário R dos Combatentes, n.º 19, Sapeiros Alfeizerão Lar de idosos Associação de Bem - Estar de Urqueira Rua Principal, 86 - Urqueira Bengala D’Ouro Serviço apoio domiciliário R. do Carreirinho, Casal dos Claros - Amor Lar de idosos Instituto do Sagrado Coração de Maria Avenida D. José A C Silva 144, Cova Iria Fátima Lar de S. Miguel das Areias Lar de Idosos R. dos Cabecinhos, n.º 84, Barreiro Coimbrão - Leiria - Lar de Idosos Associação Centro Paroquial da Paróquia de Seiça Casa de Repouso Espírito Santo R. Joaquim Bento Vieira, 1-Seiça-Centro Dia Apoio Rua Maria Oliveira Casimiro, n.º268, Carvide domiciliário - Lar de idosos Leiria - Lar de Idosos Fortis - Salus Apoio Domiciliário Personalizado Rua Da Batalha, lote 15, Fracção A R7C, Urbanização Nova Leiria, Marrazes - Leiria

Resifat Estrada Moita 48, Moita Redonda Fátima - Centro de Dia - Apoio domiciliário

Palácio D´El Rei Rua do Outeiro D´El Rei, Trás do Outeiro Óbidos - Lar de Idosos

Centro de 3ª Idade de Gondemaria Largo C Cívico 4, Gondemaria Lar de Idosos

Lar D`Aldeia Travessa da Fonte Mariana, Moinhos Novos Benedita - Alcobaça - Lar de Idosos

Centro Desportivo, Social e Cultural de Cercal, Vales e Ninho - R. Nossa Senhora do Rosário, 6 Apoio domiciliário

Lar Santa Catarina Rua S. João, n.º 10 - Sta. Catarina Caldas da Rainha - Lar Idosos

Centro Paroquial da Freixianda Largo da Igreja Centro de dia, Apoio domiciliário

Centro Social de Matas Rua 1º de Janeiro, 489 Apoio domiciliário Centro Social e Paroquial S. João Batista Rua da Escola, 139 Centro de dia, Apoio domiciliário Lar de Apoio A Idosos Nossa Senhora da Piedade Lagoa Grou-Freixianda Lar de Idosos Fundação Dr. Agostinho Albano de Almeida Largo Dr. Vitorino Carvalho, 4 Ourém - Lar de Idosos, Centro de dia Instituto Secular das Irmãs Missionárias Nossa Senhora de Fátima Rua 13 Maio Edifício Concórdia,3º-E, Fátima Lar de Idosos Lar Universitário Teresiano R Rosário 101, Lombo Égua Fátima - Lar de Idosos Lar de Apoio a Idosos S. João Vilarense Rua dos Castelos – Vilar dos Prazeres Lar de Idosos Lar Santa Beatriz da Silva Rua N. Sra. De Lurdes Fátima - Lar de Idosos, Centro de dia Casa de Repouso dos Pastorinhos R D. João P Venâncio 4, Fátima Lar de Idosos Residência Sénior Primus Vitae Estrada da Moita, 48, Moita Redonda Fátima - Lar de Idosos Caldas Residence Rua Cheia, N.º 11 - Chão da Parada Tornada - Caldas da Rainha - Lar de Idosos Bona Vita Estrada de Leiria, Nº 212 - 20 AF/AG Marinha Grande - Apoio Domiciliário Estalagem do Espinhal Espinhal - Penela Lar Idosos


Região de Leiria

VIDA SÉNIOR

26 | Março | 2010

| SUPLEMENTO 15

Directório das Santas Casas Santa Casa da Misericórdia de Alcobaça Valências: lar de idosos; apoio domiciliário e apoio domiciliário 24 horas; banco alimentar; rendimento social de inserção Provedor: João Rosa Carreira Rua da Misericórdia - 2461-601 Alcobaça Tel. 262 508 566 - Fax: 262 508 529 e-mail:larmisericordia@mail.telepac.pt Santa Casa da Misericórdia de Alfeizerão Valências: apoio domiciliário; centro de dia Provedor: José Monteiro Castro Rua de Angola, 7 - 2460-107 Alfeizerão Tel. 262 990 842 - Fax: 262 990 843 e-mail: s.c.m.alfeizerao@gmail.com www.misericordiaalfeizerao.com Santa Casa da Misericórdia de Aljubarrota Valências: centro de dia; creche; jardim-de-infância; ATL; apoio domiciliário Provedor: José Ribeiro Carvalho Est. Nacional 8, nº12 -2460-711 Aljubarrota Tel: 262 505 260 Fax: 262 505 261 e-mail: iscma@mail.telepac.pt Santa Casa da Misericórdia de Alvaiázere Valências: creche; lar de idosos; apoio domiciliário; centro de dia; Hospital de Stª Cecília Provedor: António Silva Lourenço Rua Professor José Maria Castelão 3250-115 Alvaiázere Tel. 236 650 230 - Fax: 236 650 231 e-mail: scma.admin@sapo.pt Santa Casa da Misericórdia de Alvorge Valências: lar de idosos; lar residencial; centro de actividades ocupacionais; apoio e assistência domiciliários; fornecimento de refeições a escolas; ATL Provedor: Jaime Dias Laim Charneca - 3240-407 Alvorge Tel. 236 981 390 - Fax: 236 981 672 e-mail: stacmalvorge1@sapo.pt

publicidade

Santa Casa da Misericórdia de Ansião Valências: lar de idosos; centro de dia; apoio domiciliário; creche; jardim-de-infância; ATL Provedor: Leonel Pimenta Antunes Ribeiro de Vide - 3240-102 Ansião Tel: 236 677 133 - Fax: 236 678 205 e-mail: scm.ansiao@iol.pt

jardim-de-infância; lar de idosos; casa de repouso; apoio domiciliário Provedor: José Carvalho Lalanda Ribeiro Av. D. Manuel Figueira Freire da Câmara 2500-184 Caldas da Rainha Tel. 262 840 400 - Fax: 262 840 401 e-mail: scmisericordia.cr@mail.telepac.pt

Santa Casa da Misericórdia de Atouguia da Baleia Provedora: Maria Lisete Marques Rua 19 de Maio, 1 - 2525-039 Atouguia da Baleia Tel. 262 182 400 e-mail: scm_atouguiadabaleia@hotmail.com Santa Casa da Misericórdia da Batalha Valências: unidade de cuidados continuados; apoio domiciliário; centro de dia/convívio Provedor: António Almeida Monteiro Rua da Misericórdia - 2440-199 Batalha Tel. 244 766 366 - Fax: 244 766 366 e-mail: misericordiabatalha@sapo.pt

Santa Casa da Misericórdia de Castanheira de Pêra Valências: dois lares de idosos; centro de dia; apoio domiciliário Provedor: Fernando Pires Lopes Praça Visconde Castanheira de Pêra 3280-117 Castanheira de Pêra Tel. 236 438 939 - Fax: 236 434 262 e-mail: santacasacastpera@iol.pt

Santa Casa da Misericórdia de Benedita Valências: lar residencial; centro de dia; apoio domiciliário Provedor: António Silva Rebelo Rua Padre Dr. Fernando Maurício - 2475-138 Benedita Tel. 262 925 110 - Fax: 262 925 115 e-mail: scmbenedita@gmail.com www.misericordiabenedita.dyndns.ws Santa Casa da Misericórdia de Bombarral Valências: unidade de cuidados continuados; centro de enfermagem; apoio domiciliário; centro de convívio Provedor: Luís Camilo Duarte Avenida Inocência Cairel Simão - 2540-003 Bombarral Tel. 262 604 473 - Fax: 262 604 482 e-mail: santacasabombarral@scmbombarral.pt www.scmb.org Santa Casa da Misericórdia de Caldas da Rainha Valências: centro de acolhimento; internato feminino;

Santa Casa da Misericórdia de Figueiró dos Vinhos Valências: dois lares de idosos; centro de dia; apoio domiciliário; centro de actividades ocupacionais; creche; jardim-de-infância; centro comunitário; unidades de cuidados continuados integrados (Hospital da Misericórdia de Figueiró dos Vinhos) Provedor: Fernando Santos Conceição Avenida Francisco Sá Carneiro - 3264-909 Figueiró dos Vinhos Tel. 236 559 220 - Fax: 236 559 229 e-mail: misericordia.fig@sapo.pt

Santa Casa da Misericórdia de Leiria Valências: unidade de cuidados continuados integrados (Hospital D. Manuel de Aguiar), lar de idosos Nª Sª da Encarnação; centro de dia; Residencial XXI; creche; centro técnico comunitário; clínica de medicina física e reabilitação Provedor: Fernando Lopes Rua Nossa Senhora da Encarnação - 2410-143 Leiria Tel. 244 106 202 - Fax: 244 106 298 e-mail: geral@misericordiadeleiria.pt www.misericordiadeleiria.pt Santa Casa da Misericórdia do Louriçal

Valências: lar de idosos; centro de dia; apoio domiciliário Provedor: António Rosa Carvalho Rua do Lar - 3105-165 Louriçal Tel. 236 960 270 e-mail: scm-lourical@sapo.pt Santa Casa da Misericórdia da Marinha Grande Valências: dois lares de idosos; centro de dia; apoio domiciliário; creche e jardim-de-infância Provedor: Joaquim João Pereira Rua das Colmeias Forno da Telha - 2430-071 Marinha Grande Tel. 244 502 409 - Fax: 244 502 409 e-mail: larsantacasa@sapo.pt Santa Casa da Misericórdia de Óbidos Valências: lar de idosos; apoio domiciliário; ajuda alimentar a carenciados; formação profissional; creche (em fase de instalação) Provedor: Carlos Orlando Rodrigues Largo Dr. João Lourenço - 2410-001 Óbidos Tel. 262 955 340 - Fax: 262 955 341 e-mail: misericordiaobidos@mail.ptprime.pt www.misericordiaobidos.pt Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande Valências: lar de idosos; centros de dia; apoio domiciliário; creche; jardim-de-infância Provedor: Eduardo Henrique Luiz Largo da Devesa - 3270-101 Pedrógão Grande Tel. 236 488 060 - Fax: 236 488 061 e-mail: scmpg@mail.telepac.pt Santa Casa da Misericórdia de Peniche Valências: creche; jardim-de-infância; apoio domiciliário Provedor: Carlos Santos e Sá Largo 5 de Outubro, 22 - 2520-228 Peniche Tel. 262 782 197 - Fax: 262 182 197 e-mail: misericordia_peniche@sapo.pt Santa Casa da Misericórdia de Pombal

Valências: lar de idosos; centro de dia; apoio domiciliário; creche; jardim-de-infância Provedor: Joaquim dos Santos Guardado Travessa da Misericórdia Urb. D. Inês - Ap. 309 - 3100-526 Pombal Tel: 236 200 640 - Fax: 236 200 641 e-mail:misericordia@depombal.com Santa Casa da Misericórdia de Porto de Mós Valências: creche; jardim-de-infância; ATL; lar de idosos; apoio domiciliário; centro de dia; centro de medicina física e de reabilitação Provedor: José Carlos Ramos Rua Francisco Serra Frazão - 2480-337 Porto de Mós Tel. 244 499 770 - Fax: 244 499 779 e-mail: scmisericordiaportomos@gmail.com Santa Casa da Misericórdia de Redinha Valências: apoio domiciliário; centro de dia Provedor: Manuel dos Santos Sacramento Largo Capitão Lara Reis, 4 - 3105-330 Redinha Tel. 236 911 136 - Fax: 236 911 136 e-mail: scmredinha@sapo.pt Santa Casa da Misericórdia do Vimeiro Valências: centro de convívio; apoio domiciliário; creche; serviço de apoio à família e ATL Provedor: Miguel do Carmo Almeida Rua Principal, 81 - 2460-781 Vimeiro Tel. 262 910 800 - Fax: 262 910 926 e-mail: misericordiavimeiro@sapo.pt Santa Casa da Misericórdia de Fátima-Ourém Valências: lar de idosos; apoio domiciliário; centro de convívio; serviço de apoio permanente (teleassistência); gabinete de apoio ao doente e família de Alzheimer Provedora: Fernanda Rosa Estrada de Leiria, 55 - 2496-908 Fátima Tel. 249 538 352 - Fax: 249 534 123 e-mail: geral@misericordiafatimaourem.com www.misericordiafatimaourem.com


Vida Sénior  

Suplemento Vida Sénior