Issuu on Google+

Este suplemento é parte integrante da edição nº 3803 de 5 de Fevereiro de 2010 do semanário Região de Leiria e não pode ser vendido separadamente.

novos rumos no mercado

motores 2010


2 suplemento | motores

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

Nova geração automóvel conjuga ecologia com emoção Híbridos, superdespor tivos a diesel, eléctricos. A indústria automóvel prossegue a sua marcha rumo a novas re alidade s, ajustando-se a um mundo que mudou: onde antes existia abundância e arrogância, predominam hoje a contenção e as preocupações ecológicas. Nas páginas deste especial, que contempla os concessionários oficiais em Leiria, as novidades para 2010 servem todos os gostos, do pequeno utilitário ao quatro rodas desenhado para puro prazer dos amantes da condução. No entanto, os agentes económicos sabem que o contexto é difícil. “Pensamos que ainda vai ser um ano de estagnação”, refere Rui Freire, da Auto Industrial, referindo-se ao sector no seu conjunto. António Faria, da Faria & Filhos, considera que o peso dos “impostos tem a maior fatia de responsabilidade” na quebra de vendas, pois nalguns segmentos a carga fiscal continua a ser muito pesada. Carlos Santos, da Lizauto, é mais optimista, acreditando que “as vendas vão recuperar ligeiramente” já em 2010. O Orçamento de Estado (OE) 2010 acaba com a dupla tributação do IVA sobre o ISV, mas no global os impostos sobem. O Automóvel Clube de Por tugal fez as contas e concluiu que os c a r ros f i c a m m a is c aros. “Lamentavelmente, vamos continuar a ter os carros mais caros do que o resto da Europa”, comenta Mário Assunção, da A .

Braz Heleno, sugerindo um levantamento para avaliar quanto emprego destruído tem origem na fileira do comércio e reparação auto. Joaquim Paulo Conceição, administrador da Lena Automóveis, que detém a LPM e a Lizdrive, lembra que “o Governo não consegue abdicar da verba que recebe do sector automóvel, pois a mesma paga uma par te significativa do orçamento”. Daí que “de nada nos adianta queixarmo-nos. Temos de continuar o nosso trabalho com dinamismo, competência e seriedade, para vencermos estes períodos de crise”. A proposta de OE mantém os incentivos ao abate até 31 de Dezembro de 2010, mas limitados a veículos com emissões inferiores a 130 gramas por quilómetro, o que deixa de fora uma quantidade substancial de modelos. O incentivo ao abate “é fundamental”, afirma Paulo Sismeiro, da Auto Júlio, notanto que “representou 25 por cento no mercado de 2009”, ajudando a renovar o parque e tornar as estradas mais seguras. Mário Barreiros, da Sodicentro, acrescenta que “o incentivo ao abate tem uma responsabilidade ambiental”. Rui Marques, da Caetano Auto, nota que o “crescimento exponencial deste tipo de incentivos”, gerou “ um volume de vendas percentualmente superior ao registado no ano anter i o r, p e l o q u e c o ns i d e ramos crucial a sua continuidade”. A falta de confiança tem

feito retrair empresas e particulares. “Existe maior incidência do chamado factor crise numas marcas do que e m o u tr a s, m a s e s t a m o s conscientes das dificuldades do mercado e por esse motivo é que continuamos em linha com os nossos objectivos”, garante Paulo Pra xedes, da Auto Sueco (Coimbra). Nuno Roldão, da Lubr igaz, reconhece que o acesso ao crédito é uma preocupação para os empresários d a á re a au to m óve l, d ad o que os bancos estão a proceder com “grande cuidado, cautela enorme”, acabando por recusar o financiamento de inúmeros negócios. “Tudo o que tenha a ver com novas formas de financiar viaturas novas em proveito da substituição de um usado” é a sugestão de Luís Porém, da Bomcar, para reanimar o mercado. Francisco Alves, da Sacel, acrescenta: “O apoio às PME é talvez a forma directa de incentivar a actividade empresarial e por essa via nos ajudar a vender mais alguns carros”. Para António Rocha Marque s, da O ndal, em 2010 é de esperar uma “compra mais racional por parte dos clientes, em que os factores qualidade, prazos de garantia, custos de assistência e principalmente o factor consumo e o CO2 pesarão bastante” nos critérios de escolha. “Haverá cada vez mais a opção pelos híbridos, que no momento têm mais peso que as viaturas eléctricas, pela sua autonomia e performance”, conclui.

FICHA TÉCNICA DIRECTOR Francisco Rebelo dos Santos DIRECTOR EXECUTIVO João Carreira DIRECÇÃO COMERCIAL Alda Moreira

PUBLICIDADE Alda Moreira João Agrela Luís Vieira PAGINAÇÃO Departamento Gráfico do REGIÃO DE LEIRIA

IMPRESSÃO Imprejornal, SA TIRAGEM 18 500 exemplares


Publicidade

AUTO-INDUSTRIAL, SA

Leiria: Alto do Vieiro E.N.nยบ 1, 2401-751 Leiria Tel: 244 003 020 Alcobaรงa: Av. Bernardino Lopes de Oliveira, Lote 3 r/c, 2460-026 Alcobaรงa Tel: 262 590 270 www.auto-industrial.pt


4 suplemento | motores A. BRAZ HELENO | Estrada Nacional 109, Ponte da Pedra BMW e Fiat

Novos episódios Bravo, X3 e Série 5 A Fiat aborda 2010 com moderação. A proposta com melhores condições para agitar o mercado acaba por ser a revisão do Bravo, que chega na Primavera. Disponível hoje desde 18.300, o modelo deve manter os preços quando iniciar a nova era de comercialização. Capaz de destacar-se no segmento C, dá continuidade ao visual coupé. As alterações estéticas são praticamente de pormenor, visíveis, essencialmente, na grelha dianteira, espelhos retrovisores e puxadores das portas. O que não muda são as motorizações: versões a gasolina 1.4 T-Jet de 120 e 150 cv, coluções diesel Mjet de 1,6 e 2 litros com potências de 105 a 165 cv. A coqueluche 500 recebe em 2010 um novo motor a gasolina, com tecnologia Multiair, de apenas dois cilindros. Com 900 cc, vive nas variantes 65, 80 e 105 cv, as duas últimas turbo. Disponível para receber alimentação a gás na sua versão atmosférica, este mo-

tor pretende dar resposta à tendência de redução dos consumos e emissões sem prejudicar o desempenho. Quanto à BMW, as principais novidades ocorrem na Série 5 e no X3, embora com a certeza de motorizações novas para outros modelos a saírem ao longo do ano. Com preços desde 50 mil euros, o Série 5 oferece uma ampla escolha de motorizações, cujo topo é o V8 TwinPower Turbo de 406 cv. De resto, estão agendadas versões carrinha e híbrido. O motor mais comercializado em Portugal será provavelmente o turbodiesel de dois litros. Aparece mais potente e com consumos de 5,1 aos 100. Na segunda metade do ano, a marca alemã vai ainda enriquecer a oferta no segmento SAV (Sports Active Vehicle), com o novo X3: maior, com tecnologia adicional, aparentando espírito desportivo.

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010


motores | suplemento 5

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

AUTO JÚLIO | IC2, Vale Gracioso Hyundai, Mitsubishi e Nissan

O renascimento dos crossover asiáticos Em 2010 está confirmado o restyling do Qashqai da Nissan, mas igualmente o nascimento de dois rivais, com assinatura Mitsubishi e Hyundai, marcas também representadas em Leiria pela Auto Júlio. Projectado e produzido na Europa, o crossover ix35 da Hyundai apresenta motores de dois litros com 168 cv na versão a gasolina e 184 cv no homólogo turbodiesel, o qual dá acesso à tracção total. No caso da Mitsubishi, o concorrente do Qashqai chama-se ASX. Chega em Junho e estreia o novo motor turbodiesel de injecção directa Euro 5 de 1,8 litros. É “a grande novidade” da marca para este ano, confirma Paulo Sisme iro, dire ctor-ge ral d a Au to J ú l i o Le i r i a. O m o d e lo reflecte a nova estratégia da Mitsubishi. No final do ano, possi-

velmente em exclusivo para vendas institucionais, fica disponível o eléctrico i-MiEV. Até lá, a Mitsubishi aposta num novo motor e no facelift da pickup L200 (Fevereiro), bem como num restyling do jipe Outlander (Março), que inclui um versão 4x2 para concorrer no segmento SUV (Setembro). Q u a n to à H y u n d a i, a l é m d o ix35, tem agendada a versão comercial do i20 e a renovação do Santa Fé. Por fim, a Nissan. O próximo Qashqai, em Abril, tem imagem apelativa e motorização menos poluente. Também se aguarda c o m ex p e c t a t i v a o c o m p a c to crossover Juke, bem como a versão Family (sete lugares) do furgão NV200. Haverá tempo, ainda, para o Murano a diesel e para o rápido e descapotável 370Z Roadster.


Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

AUTO SUECO (COIMBRA) | IC2, Alto Vieiro Jaguar, Land Rover, Mazda e Volvo

Elegância com espírito desportivo

A marca de prestígio representada pela Auto Sueco (Coimbra) em Leiria disponibiliza em Fevereiro a nova geração XJ, a qual apresenta, sem surpresa, ingredientes como elegância, sofisticação e espírito desportivo. A Jaguar propõe duas versões de carroçaria, quatros níveis de equipamento e três motorizações. Os preços arrancam nos 98.093 euros (diesel com 275 cv). Ainda este ano, a gama XF recebe a opção 3.0D de 210 cv. Tendo ganho fama como construtor de carros seguros, a Volvo apresenta o novo S60 com sistema Pedestrian Detection, que identifica peões na via e trava automaticamente se o condutor não reagir a tempo. Prevista para Junho, a berlina apresenta uma silhueta desportiva e um motor (a gasolina) GTDi de 1,6 litros com 180 cavalos. A marca de origem sueca reservou para 2010 o facelift dos modelos C30 e C70 e introduz no mercado português a versão 2.4D DRIVe (a partir de

49.960 euros) da carrinha XC70, com promessa de economia nos consumos de combustível. Na Land Rover, a grande novidade vem do ano passado e é o Freelander 2, com sistema start/stop, um jipe homologado em classe 1 nas portagens das auto-estradas portuguesas. Por fim, a Mazda. Fecha em Junho o ciclo de renovação do seu catálogo com o lançamento do Ma zda 6 2.2 D nas versões de 129 cv, 163 cv e 180 cv. Também se admite um facelift na série 2. Do final de Dezembro, fica a primeira renovação do jipe CX7, que surgiu com um motor a diesel de 2,2 litros e 185 cavalos. Mais amigo do ambiente, com um design mais apelativo e interiores renovados. Segundo Paulo Praxedes, da direcção executiva de automóveis da Auto Sueco (Coimbra), “a grande aposta” da empresa para 2010 são os usados premium, que passam a ter uma área de exposição exclusiva.

AM CONFRARIA | Rua da Raposeira, Colmeias Daihatsu e SsangYong

Visão oriental Com postos de venda em Pombal, Barracão e Leiria, a Auto Mecânica da Confraria representa as marcas Chatenet (veículos sem carta), Daihatsu e SsangYong, marcas que não apresentam propostas novas para 2010. No caso da Daihatsu, o Sirion protagonizou as últimas notícias. Trata-se de um citadino, dos modelos mais baratos à venda em Por tugal, que acaba por surpreender pela estética e espaço, tendo em conta a sua classe. Está disponível a partir de 11 mil euros em seis versões de motorizações e equipamentos. A

gama da marca fica completa com o todo-o-terreno Terios, que também tem no preço um dos principais argumentos, além do coupé Copen. Quanto à SsangYong, lançou em Por tugal cinco modelos: a pick-up Actyon Spor ts (com as qualidades de um jipe), o monovolume de sete lugares Rodius, o pequeno SUV Actyon com o seu estilo coupé, o todoo-terreno compacto Kyron e ainda outro 4x4, o Rexton II. O Grupo AM Confraria celebrou 20 anos no ano passado.


motores | suplemento 7

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

AUTO INDUSTRIAL | IC2, Alto Vieiro Opel e Isuzu

Ambição renovada ao volante do Astra C ostum a se r o ma is ve ndido da Opel e já o consideram crucial na recuperação da marca alemã. O novo Astra chegou em Janeiro com tecnologia acrescida, preço agressivo e motores mais amigos do ambiente. A sexta geração Astra surge com dois níveis de equipamento: Enjoy e Cosmo. Logo na entrada de gama, inclui de série ar condicionado, quatro vidros eléctricos, computador de bordo, rádio-leitor de CD com MP3, programador de velocidade, airbags frontais, laterais e de cortina e controlo elecrónico de estabilidade (ESP).As cinco motorizações garantem uma redução média de 12 por cento no consumo de combustível e emissões de dióxido de carbono (CO2). A gasolina começam no 1.4 de 100 CV, a partir de 20.500 euros, Nos turbodiesel, a Opel sobe o 1.7 CDTI para 125 CV, desde 25 mil euros (4,7/100 e 124gr/ km). Acompanha-o um 2.0 CDTI de

160 CV. “Este Astra é crucial para o nosso sucesso comercial», reconhece Rui Freire, director da Auto Industrial Leiria. No segundo semestre, será reforçado com as versões Sports Tourer (que substitui a designação Caravan) e GTC (um coupé compacto).

No Verão, chega o novo Meriva, o versátil líder dos pequenos monovolumes. A utilização variável do espaço e as soluções de arrumação são reforçadas. Além de seis motores entre 75 e 140 cavalos, está prometida uma versão ecoFlex especialmente

eficiente. Esta segunda geração distingue-se pelas por tas traseiras de abertura para trás. A Isuzu vai ter novidades nos camiões da série N.


8 suplemento | motores

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

BOMCAR | Carreira de Água, Barosa BMW e Mini

A geração Série 5 que nasce em Lisboa Lisboa foi a cidade escolhida para a apresentação mundial da próxima geração BMW Série 5, cujas linhas equilibradas asseguram consensos

alargados. Para lá da grelha frontal compacta e dos faróis rasgados que marcam a nova roupagem da berlina, dá-se a estreia do motor turbo-

diesel de dois litros (520d), agora mais potente, com 184 cv. Por e nqua nto, a ga ma inclui ou tras se is motorizações, fechando no topo V8 TwinPower Turbo de 406 cv (550i). O preço do Série 5 deve iniciar-se nos 50 mil euros. É esperada a versão híbrida auxiliada por motor eléctrico, além da carrinha. No segmento dos SAV (Sports Active Vehicle), a BMW actualiza a leitura do X3, no segundo semestre, tendo desenhado um automóvel que cresceu – para se distanciar do recém-lançado X1 – e se destaca pelo conteúdo tecnológico. A marca tem previstas novas motorizações em 2010, incluindo soluções híbridas para o X6 e a Série 7. Há informações, ainda, de um motor diesel triturbo de 3 litros. Entretanto, o primeiro Mini de quatro portas da actual geração chega em Setembro. A expectativa é grande em torno do Countr yman, um crossover disponível em tracção integral e com cinco motorizações à escolha, entre 90 e 184 cv. É o primeiro modelo da marca a que se pode chamar um familiar – a bagageira começa nos 350 litros. Para a Bomcar, conforme nota Luís Porém, administrador, “a grande novidade” em 2010 “foi a aquisição do negócio BMW/MINI/Motorrad para o distrito de Coimbra”.


motores | suplemento 9

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

CAETANO AUTO | IC2, Alto Vieiro Toyota

FH ROCHA MARQUES | IC2, Alto Vieiro Kia

Híbrido, pois claro

Sete anos de garantia

Híbrido e europeu. O novo Auris junta-se ao mercado com motorizações mais amigas do ambiente desenvolvidas no velho continente. Em relação à versão híbrida, partilha da tecnologia já disponível no último Prius: um motor de 1,8 litros e 98 cv a gasolina mantém as emissões abaixo dos 100 gramas por quiilómetro. Uma das soluções disponíveis neste Auris HSD é o modo EV que permite percorrer até dois quilómetros à velocidade de 50 km/hora recorrendo em exclusivo à electricidade armazenada nas baterias de níquel metal. Um desempenho facilitado por células solares instaladas no tejadilho. Disponibiliza, ainda, dois outros modos de condução. Adicionalmente, a gama inclui outra s se is opç õ e s d e motor iz aç ão equipadas com o sistema Optimal D r ive. A marc a nipónic a promete prazer de condução e desempenhos

melhor ajustados ao milénio ecológico em que vivemos. Em 2010, a Toyota começou a entregar as encomendas da sétima geração Land Cruiser, um jipe de três ou cinco por tas a par tir de 73.500 euros. Baseado num motor turbodiesel de três litros e 173 cv, chega com um sistema de câmaras de vídeo para ajudar a transpor os obstáculos.

Provavelmente, o principal chamariz da Kia para 2010 não é um novo produto, mas uma nova política, isto porque a marca sul-coreana estendeu a todos os modelos a garantia de sete anos que ajudou o Ceed. A cobertura não tem limite de quilometragem nos primeiros três anos e daí em diante é válida até aos 150 mil quilómetros. No catálogo, realce para o novo Ve n g a, u m p e q u e n o m o n ovo lu m e compacto que oferece agilidade e versatilidade. Tal como todos os Kia, sublinha António Rocha Marques, gerente do concessionário em Leiria, surge com “um preço muito bom” em comparação com a concorrência. A partir de 15 mil euros, o monovolume compacto dá acesso a motores diesel de 1,4 litros (75 ou 90 cv) e 1,6 litros (115 ou 128 cv). A versão a gasolina é o 1.4 de 90 cv. Desde Janeiro, a Kia tem no mer-

cado uma nova evolução do monovolume de sete lugares Karens, sem grandes novidades, mas com mais equipamento. No final do ano passado lançou o Sorento, também homologado como monovolume, apesar da aparência de jipe. Acessível a partir de 33.500 euros.


Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

LIZAUTO | Barruivo Chevrolet, Dacia, Renault e Saab

Cabelos ao vento E m 2 010 o M e g a n e cresce para quatro portas, versão que passa a chamar-se Fluence. Um c o m p a c to c l á s s i c o, a pensar nas famílias, com “n í ve l d e e q u i p a m e n to superior e um preço bastante apelativo”, afirma Carlos Santos, gerente da Lizauto, representante da marca francesa em Leiria. O Fluence dá à costa em Fevereiro com um visual muito próprio, em que se destaca uma inédita grelha frontal. A bagageira chega aos 530 litros, tornando o espaço um dos principais argumentos do modelo. Em Portugal, oferece um único nível de equipamento e o motor 1.5 dCI de 105 cv numa caixa de seis velocidades. Outras novidades Renault: Megáne e Twingo em versão descapotável. A Lizauto acolhe também em 2010 o primeiro crossover da Dacia, que pro-

mete um volume de vendas considerável, dado o posicionamento agressivo da marca em termos de preço. Na Chevrolet, aguarda-se com expectativa o sucessor do Matiz, designado Spark. Com preços a partir dos 9.580 euros, o citadino pisca o olho ao público jovem. As motorizações limitam-se a dois motores a gasolina: 1.0 de 68 cv e 1.2 de 81 cv. Em ambos os casos garantindo consumos na casa dos cinco litros.

FARIA & FILHOS | Avenida Nossa Senhora de Fátima Suzuki

SX4 reforçado Depois de no ano passado ganhar tracção inte g ra l, o Suzu k i SX4 prepara-se para um facelift em 2010, de modo a tornar-se mais competitivo no mercado europeu, onde tem conseguido ve ndas inte re ssantes. A revisão estética assenta num modelo que garante hoje mais equipamento, além da possibilidade de, com o accionamento de um único botão, validar a opção 4x4. A redefinição da gama confere-lhe agora em Portugal dois níveis de equipamento e uma nova motorização 1.6 DDis de 90 cv que garante acesso a consumos moderados (4,9 litros aos 100 km em ciclo misto) e emissões de CO2 mais reduzidas (129 g/km). O preço de entrada foi fixado em 20.20 0 euros, procurando aliar os custos de utilização reduzidos aos

argumentos de espaço, versatilidade, estilo e conforto. Também em 2010, o carismático Swift, que acaba de celebrar 25 anos, deverá ganhar nova aparência. Para António Faria, do concessionário representante em Leiria, estes relançamentos criam condições para gerar interesse nos consumidores. “São os modelos que nesta altura fazem alguma diferença na Suzuki a nível de preço e equipamento”, afirma.


motores | suplemento 11

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

LUBRIFLORES | Rua Miguel Torga Audi

O compacto, o coupé e o luxo S e r á “u m a n o e m c h e i o” p a r a a Audi, antevê Nuno Roldão. As novidades começam no segmento dos modelos compactos e aceleram até ao topo da gama, alimentando, no percurso, a moda dos coupé de quatro portas. Em Junho, o construtor dos anéis entra no se gmento dos pequenos c o m p a c to s c o m o A1. Pa r a l á d a

aparência nada conservadora, chega com tejadilho personalizável, de cor diferentre da carroçaria. O ano da Audi vai ficar marcado, no entanto, pela nova proposta para o topo da gama. O luxuoso A8, fiel à carroçaria em alumínio, ostenta uma frente agressiva e promete aumento de potência e binário em todas as motorizações, ao mesmo tempo que

LUBRIGAZ | IC2, Cova das Faias Skoda e Volkswagen

A pensar nas famílias

As principais novidades da Volkswagen em 2010 encontram-se na gama de familiares, com a promessa de actualização do visual Passat e nova vida para os modelos Sharan e Touran. No mercado há 14 anos, o Sharan surgirá com portas traseiras deslizantes e um design na linha dos últimos Pólo e Golf. Sabe-se que traz uma consola central renovada e uma terceira linha de bancos para passageiros, conferindo possibilidades adicionais de organização. As novas motorizações devem contemplar motores TDI de dois litros com 140 a 170 cv, além de versões a gasolina TSI de 1.4 a partir dos 150 cv. Durante o Verão, aparece ressuscitado outro monovolume, o Touran. No Outono é a vez do facelift do Passat, de acordo com a recente linguagem estética da Volkswagen. Para Nuno Roldão, gerente da Lubrigaz, 2010 é um ano “carregado de estímulos” para os concessionários da marca. O primeiro chega já em Fevereiro com o lançamento da roupagem Bluemotion no Pólo: consumos de 3,3 litros aos cem e emissões de CO2 na casa dos 87 gramas por quilómetro. Entretanto, no segundo semestre, está prometida a segunda geração Touareg, o utilitário desportivo de luxo que alia o conforto da berlina ao potencial do todo-o-terreno. E a primeiro pickup global da Volkswagen, a Amarok – proposta inicialmente com cabina dupla e transmissão às quatro rodas. Em Leiria, a Lubrigaz representa igualmente a Skoda, contando desde este mês com uma inédita carrinha na gama de topo Superb, com preços desde 29 mil euros. Em Abril, a renovação do Fabia inclui imagem e motores.

garante re duç ão dos consumos e emissões. Sem surpresa, a tecnologia é abundante. Inclui sistema de navegação baseado no Google Maps e no Google Street View com possibilidade de transferência de dados da internet em andamento. De série, permite escolher entre quatro modos de suspensão, direcção, acelerador e caixa de

velocidades. Com 5,1 m de comprimento e 2,9 m na distância entre eixos, oferece motores de oito cilindros acoplados a uma caixa de oito relações Tiptronica e tracção integral Quattro. Ainda em 2010, está prometido o novo A7, um coupé de quatro portas com potências de 205 a 400 cv, tracção integral e seis ou oito cilindros.


12 suplemento | motores

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

LPM | IC2, Alto Vieiro Alfa Romeo e Peugeot

LIZDRIVE | Andrinos Ford

Prioridade ao estilo no coupé RCZ

Focus tem o nome inscrito no futuro

Um exercício estilístico? Provavelmente. Mas certamente mais do que isso. A mais arrojada aposta da Peugeot em 2010 já aceita encomendas em Portugal, destinando-se, acima de tudo, aos amantes da condução. O RCZ é um coupé de quatro lugares com linhas inovadoras, de que são exemplo o óculo traseiro ondulado ou o aileron traseiro retráctil. Na versão regular, o modelo ostenta duas motorizações a gasolina de 1,6 litros (156 cv ou 200 cv) e um diesel de dois litros (163 cv). A marca colocou entretanto uma edição numerada e limitada, o Black Yearling, que em Portugal não vai exceder as 25 unidades. Sabe-se que a construtora francesa se prepara para substituir os modelos 407 e 607 pelo novo 508, mas, por enquanto, o que está no mercado, e desde o último trimestre do ano passado, é o monovolume compacto 5008, com preços desde 23.900 euros. Oferece três níveis de equipamento e quatro motorizações. Também de 2009 transita o 206+, uma proposta low-cost. No final de 2010, manda o respeito pelo planeta. A proposta eléctrica da Peugeot, o iOn, recorre a baterias de lítio para uma autonomia de 130 km, tornando-o perfeitamente adap-

tado à utilização em circuito urbano. Com quatro lugares e 3,48 metros de comprimento, pode atingir velocidades de 130 km/hora. O iOn vem equipado com caixa de comunicação localizada, um sistema que permite a realização de chamadas de urgência, mas também transmite dados sobre o estado da bateria, quilometragem percorrida e outros. A Peugeot está prestes a iniciar uma nova era, depois de ter renovado a sua imagem corporativa, e prepara-se para lançar mais de uma dezena de modelos nos próximos cinco anos. Na Alfa Romeo, o Giulietta sucede ao 147. Nova plataforma e novos motores 1.4 TB a gasolina com 120 cv ou 170 cv, além do 1.6 JTDM de 105 e 120 cv. Uma das possibilidades é o sistema DNA que permite ajustar a condução ao modo dinâmico, normal ou all weather, consoante a preferência do condutor. Todos os motores são turbo e incluem start & stop. De depois, claro, há toda a beleza da silhueta, conforme se espera de um Alfa Romeo. No segundo semeste, é a vez do 159 ir à faca. Além da melhoria estética, estão prometidos novos motores tanto a gasolina como a diesel.

A nor te-americana Ford procedeu a revisões no S-MAX e no Galaxy, já disponíveis no mercado português. Reflectem a mais recente evolução do kinetic design, com novas grelhas dianteiras, pára-choques frontais, ópticas traseiras, entre outros detalhes. No geral, ambos os monovolumes apresentam agora motorizações mais eficientes e conteúdo tecnológico que aumenta os níveis de conforto e segurança. Os dois modelos incluirão sistema de aviso de movimento no ângulo morto, além de câmara traseira, entre outras ferramentas. A actualização destes monovolumes antecipa uma das grandes apostas da Ford em 2010, o próximo capítulo C-MA X, com um atraente visual em que brilha o tejadilho de estilo coupé. O sistema de estacionamento paralelo semi-automático e o novo motor EcoBoost de injecção directa com 1,6 litros, a gasolina, são exemplos do avanço que promete em matéria de tecnologia. Ao mesmo tempo, a marca nor teamericana arranca com a comercialização da versão Grand C-MAX,

na qual existe uma terceira linha de bancos, chegando aos sete lugares. As portas traseiras deslizantes, para facilitar o acesso dos passageiros, são um destaque. A par tir de 22.60 0 euros, a série especial Titanium LED do Ford Focus oferece de série um conjunto enriquecido de auxiliares. A saber: ar condicionado bi-zona, estofos em pele, sistema audio com CD e MP3, cruise control, faróis de acendimento automático e sensores de chuva, tencologia LED nas luzes traseiras, jantes de liga leve de 17 polegadas, além dos sistemas Power e KeyFree que dispensam o uso de chave para aceder ao veículo e iniciar a marcha. O Titanium LED tem emissões de CO2 de 115 g por quilómetro, recorrendo a um motor 1.6 TDCI de 90 ou 109 cv. Já este ano, foi apresentada em Detroit a nova geração Focus, que entre outras características apresenta um conjunto de motores que permitem reduções importantes no consumo de combustível, mas o carro só deve chegar à Europa em 2011.


motores | suplemento 13

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

LEIRIBÉRIA | Vale Sepal Seat

Ibiza ganha vidas extra Para as famílias, para os amantes da velocidade, para os que colocam o planeta em primeiro lugar. O utilitário Ibiza ganha novas armas para responder aos desafios do quotidiano, ao surgir em 2010 com três novas versões: carrinha, despor tivo a diesel, ecológico. Lá para Junho, depois da apresentação no salão internacional de Genebra, começa a circular a carrinha ST, antecipada no concept IBZ. Design moderno, com prolongamento a partir do terceiro pilar para uma mala de 410 litros que permite conjugar estética e espaço. Depois, o Ibiza Ecomotive 1.2 de 75 cavalos, que estará disponível nas versões de três, cinco portas e ST. O consumo médio prometido é de 3,3 l/100 km, menos 14 por cento em relação à proposta actual, o 1.4 Tdi de 80 cv. As emissões ficam nos 87 gramas por quilómetro, tornando este carrro num

dos mais ecológicos no mercado. Finalmente, o Ibiza prepara-se para receber o bloco TDi 2.0 de 143 cv, que possibilitará acelerações dos zero aos cem em 8,5 segundos e velocidades máximas na casa dos 210 km/h. Sem descurar o desempenho energético: gasta em média 4,5 litros e limita as emissões de dióxido de carbono a 119 g/km. Em Setembro, o espírito renovador atinge o monovolume Alhambra, relançado com “novo design e qualidade incomparável”. Tal como o Ibiza, propõe “versões apelativas e inovadoras”. Partilha a plataforma e diversas soluções com a nova Sharan da Volkswagen. Em 2010, a m a rc a e s p a n h o l a va i ainda introduzir novas possibilidades noutros produtos já existentes, como é o caso da motorização 1.2 TSi nos modelos Leon, Altea e Altea XL, bem como das versões 1.4 TSi e 1.6 TDi do Altea Freetrack.


14 suplemento | motores

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

SACEL | IC2, Alto Vieiro Citroen

ONDAL | IC2, Alto Vieiro Honda

Mais perto do céu com o inovador C3 Visiodrive

Histórico CR-X renasce híbrido e desportivo A Honda fa z renascer o histórico CR-X na pele de hí brido de sportivo. Trata-se do CR-Z, um coupé de quatro lugares que mantém as emissões de dióxido de carbono nos 117 gramas por quilómetro sem prejudicar a diversão na condução. O desempenho do novo modelo da marca nipónica baseia-se no motor iVEC de 1,5 litros a gasolina, com um total de 124 cv, auxiliado por uma fonte eléctrica de 14 cv. Este bloco, associado a uma caixa de seis velocidades, a primeira no mundo a equipar um automóvel híbrido, assegura consumos médios de cinco litros aos cem. De resto, o CR-Z dá a escolher entre três modos de condução que alteram a resposta do acelerador, direcção assistida, sistema start & stop e climatização. A nível estético, o carro mantém o tom robusto, largo e agressivo, uma abordagem que resulta do conceito

No novo C3, a Citroen eliminou a barra superior do pára-brisas, que cresce para uns invulgares 1350 milímetros de comprimento, aumentando em 80 graus (para cima) o campo de visão dos passageiros. A marca francesa chama-lhe o Visiodrive, acreditando tratar-se de um argumento de peso na luta pela liderança dos utilitários. Um carro pequeno, mas crucial na estratégia do grupo PSA: o seu antecessor vendeu dois milhões de unidades. Francisco Alves, directorgeral da Sacel, representante da Citroen em Leiria, garante que a próxima geração C3 “faz a diferença” e “tem características para disputar o lugar de best-seller do segmento”. Disponível em Março a partir de 13 mil euros, abre as motorizações diesel no 1.4 HDi de 70 cv e as versões a gasolina com o 1.1i de 60 cv. As emissões de CO2 oscilam entre 99 e 160 gramas por quilómetro. Formas arrendondadas e fluídas conferem uma estética dinâmica e luminosa ao citadino, que ganha com uma agressiva entrada de ar na grelha frontal e os faróis em forma de boomerang.

M a n te n d o - s e a b a i xo d o s q u a tro metros de comprimento, o C3 disponibiliza três níveis de equipamento. O mais barato dá acesso de série a ABS, regulação electrónica da força de travagem (REF), ajuda à travagem de emergência (AFU), airbags frontais e computador de bordo, entre outros elementos. O anterior C3 vai manter-se em comercialização em Portugal na versão First 1.1i de 61 cv, ao preço indicativo de 12 mil euros. A marca francesa estreou recentemente a sua nova imagem, que não poupou sequer o histórico chevron, reservando para 2010 a inauguração do conceito DS, uma linha premium destinada a clientes de topo. Chega também em Março o DS3 com os motores mais potentes da gama: 1.6 HDi de 90 e 110 cv e o 1.6 THP de 120 e 150 cv. No final do ano, é aguardado o CZero, primeiro veículo eléctrico de produção em massa da Citroen. Caixa automática, velocidade máxima de 130 km/h e autonomia para 160 km.

movimento-em-cunha. Conclusão: “vai ter bastante importância” nas vendas da marca, considera António Rocha Marques, gerente do concessionário Ondal, o representante Honda em Leiria. Em 2010, está prometido, também, o restyling do CR-V, o jipe utilitário para o espaço urbano que sofre alterações ligeiras, visíveis sobretudo na grelha frontal, secção inferior do pára-choques e ópticas dianteiras. Com um longo histórico de sucessos atrás de si, o CR-V passa a debitar mais 10 cv no motor turbodiesel, subindo para 150 cv, numa versão CDTI de 2,2 litros. Há ainda a possibilidade de escolha dos homólogos a gasolina: 2.0 de 150 cv e 2.4 de 169 cv.


motores | suplemento 15

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

SODICENTRO | Marinheiros Mercedes-Benz

Apelo à emoção Provavelmente não se lembra das por tas Gulwing, mas o sistema de abertura vertical tipo asas de gaivota está inscrito no código genético da Mercedes e regressa em 2010 no superdesportivo SLS AMG. Se as portas chegam do passado, tudo o resto é século XXI: carroçaria e chassis em alumínio, bancos em magnésio, silhueta inspirada na dinâmica aeronáutica, eixo traseiro em liga de carbono. E o motor: um V8 de 6,3 litros, com 571 cavalos, capaz de trepar até aos 100 km/hora em 3,8 segundos. Com um ambiente inspirado no cockpit de um avião, a reinterpretação do lendário 300 SL Gulwing dos anos 50 chega na Primavera e vai custar em Portugal cerca de 235 mil euros. É a síntese de quatro décadas de experiência da marca alemã no desporto automóvel, podendo atingir velocidades de 317 km/hora a partir de um uma caixa de sete velocidades e

embraiagem dupla. “Sensações levadas ao extremo”, comenta Mário Barreiros, director da Sodicentro Leiria, que representa a Mercedes. Prometendo muitas novidades, em que se incluem o próximo rumo estilístico e a mutação para motores menos poluentes, a marca alemã prepara a renovação da classe C e lança este ano mais dois modelos que apelam essencialmente às emoções, tal como o célebre asas de gaivota. É o caso do novo cabrio da classe E, no qual Mário Barreiros destaca a “lista extensa de dispositivos de segurança”. Preserva a imagem do coupé, mas vai ter preços quatro a cinco mil euros acima. O cabrio da família E dá a escolher entre sete motorizações e contempla quatro lugares reais, além de funcionalidades como o aquecimento da nuca e o sistema Aircap para reduzir a turbulência a velocidades altas.

Entreta nto, agua rda-se c om expectativa a entrada em comercialização do maior dos coupés da Mercedes-Benz, o S Coupé, que tem sido símbolo de inovação e tecnologia de vanguarda ao longo dos anos. Deve chegar com um motor V8 de 5,5

litros e 388 cavalos. Num segmento completamente distinto, as primeiras unidades do eléctrico Classe A E-Cell são esperadas também em 2010, no último trimestre.


16 suplemento | motores

Região de Leiria 5 | Fevereiro | 2010

VIMOTER | IC2, Azóia Chrysler, Dodger, Jeep e Porsche

Emoções fortes também movidas a electricidade As novas preocupações da indústria automóvel mundial conduziram ao aparecimento de veículos impensáveis há anos, não surpreendendo, por isso, ver a Porsche apresentar um modelo híbrido já depois de se estrear nas motorizações diesel. Ora, em Maio inicia-se a comercialização da segunda vida do Cayenne, agora mais rápido e amigo do ambiente. A marca reduziu-lhe o peso e apostou em materiais leves como o magnésio e o alumínio no desenvolvimento do chassis e da carroçaria. A estreia da tecnologia híbrida acaba por ser o maior destaque neste SUV. O motor a gasolina 3.0 V6 de 330 cv surge auxiliado por um sisteme eléctrico de 46 cv e baterias de lítio. Resultado: demora sete segundos

a chegar aos cem, gasta em média 8,9 l/100 km e é responsável por 200 gramas de emissões de CO2 a cada

quilómetro. A gama inclui três motores a gasolina e um diesel. Em Fevereiro, é esperado o Boxster

Spyder, o roadster que passa a ser o desportivo mais leve da construtora alemã. Com preços a começar nos 85 mil euros, propõe um motor seis cilindros de 3,4 litros capaz e 320 cv, cujo desempenho, quando associado à transmissão de dupla embraiagem PDK e ao pacote Sports Chrono, é de 4,8 segundos na aceleração até aos cem. Velocidade máxima sem capota: 267 km/hora. No final do ano passado, a Porsche lançou o novo 911 turbo em Portugal, desde 177.600 euros, com o qual pretende vender 25 a 30 unidades em 2010. Em Leiria, a Vimoter é também distribuidor da Chrysler e Dodge, duas marcas que se preparam para abandonar o mercado europeu, e da Jeep.


Suplemento Motores