Issuu on Google+

Sénior Vida

A idade de todos os desafios Oportunidades A reforma não é o fim da linha. Há portas que se abrem todos os dias na região para apoiar quem ainda tem muitos anos para dar à vida

18 de Março de 2011 Este suplemento é parte integrante da edição nº 3861 do semanário Região de Leiria. Não pode ser vendido separadamente


Especial // Vida Sénior

Perspectiva Entre a velhice e a esperança A população está a envelhecer ou aumentou a esperança de vida? O resultado até pode ser o mesmo mas não a perspectiva, pois o envelhecimento parece carregar nos ombros uma derrota enquanto o ganho de anos de vida é assumido como uma vitória. A forma como olhamos para a questão revela o modo como cuidamos dos nossos idosos e encaramos a velhice. Uma palavra temida que se encaixa, demasiadas vezes, na solidão a que muitos se entregam ou são abandonados. Já o aumento da esperança de vida é logo associado à melhoria da qualidade de vida e parece abrir uma janela de oportunidades. Para quem ainda tem muito para dar e receber e para as comunidades que valorizam quem muito viveu. Enquanto as notícias dão conta quase diariamente de casos de solidão, maus-tratos e negligência extremos, crescem as preocupações e a sensibilidade em torno do problema. Há provas disso.

A receita é válida para qualquer idade: a actividade é um dos segredos para uma vida feliz

Oportunidade A esperança de uma idade melhor Futuro Não há elixir da juventude que faça parar o tempo, mas é possível envelhecer bem e com mais saúde. O apoio social é fundamental, manter-se activo também ajuda

Martine Rainho

Ficha Técnica Director Francisco Rebelo dos Santos Directora Executiva Patrícia Duarte Textos Martine Rainho Direcção Comercial Alda Moreira Fotografia Joaquim Dâmaso e Arquivo Publicidade João Agrela Luís Vieira, Márcia Costa e Sandra Nicolau Infografia e ilustração Rita Bernarda Paginação Cristina Silva (coordenadora), Carlos Alberto Cardoso, Eduarda Lopes e Vítor Pedrosa Impressão Sogapal Tiragem 15.000 Este suplemento é parte integrante da edição nº 3861 de 18 de Março de 2011 do semanário REGIÃO DE LEIRIA. Não pode ser vendido separadamente.

2

“O envelhecimento não é um problema, é uma conquista e uma oportunidade”. É esta a perspectiva que suscitou a criação de um mestrado em Intervenção para o Envelhecimento Activo, resultado de uma parceria entre as escolas superiores de Educação e Ciências Sociais e de Saúde de Leiria. Fernando Magalhães, co-responsável pelo curso, prefere falar em “prolongamento da idade média da população”, cujas exigências e necessidades de apoio têm evoluído. “Não há nem pode haver uma barreira fixa para determinar o envelhecimento. Por outro lado, não é a mesma coisa ter 65 anos na Europa ou em África”, sus-

Região de Leiria — 18 Março, 2011

tenta o docente. Mas num país que regista uma inversão demográfica, em que os maiores de 65 ultrapassam em número o das crianças, urge encontrar soluções tanto para colmatar as necessidades de apoio social como para satisfazer os anseios de uma população que se quer manter activa, mas que a sociedade tem esquecido. O tema está na ordem do dia e o debate aberto em toda a Europa, pelas repercussões que tem nas mais diversas áreas. Em Portugal, exige-se mais e melhores estruturas de apoio mas também mais e melhores profissionais. Os tempos, contudo, são de contenção e as respostas não

chegam para todos. Muitas famílias, por sua vez, também se alheiam do problema. Multiplicam-se, em contrapartida, projectos e instituições, muito por força do voluntariado, que valorizam os mais velhos e provam que o interesse da comunidade não esmoreceu. Mas o aumento da esperança de vida não traz só vantagens. Está associado ao aumento de doenças crónicas, “que conduzirá também

Portugal será em 2050 um dos países da União Europeia com maior percentagem de idosos (32%), ou seja perto de 2,7 milhões de pessoas com 65 ou mais anos

ao aumento de situações de dependência física e psíquica, entre os mais velhos, o que em conjugação com as carências de outra ordem leva à necessária reformulação dos serviços de saúde e de apoio social, bem como à urgente formação de técnicos especializados para lidar com estes idosos”, defende Margarida Casimiro, especialista em Psicogerontologia. Por outro lado, pode pro­ porcionar-se uma transição tranquila entre a vida profissional e a reforma. O “segredo” está em “manter e desenvolver projectos pessoais e de grupo, não cair na ‘armadilha’ do isolamento, investir em actividades de participação e nas relações inter-geracionais e sociais, manter um estilo de vida saudável, desenvolver e estimular as capacidades cognitivas e criativas, e ter uma atitude positiva e optimista face à vida”, recomenda.


Especial // Vida Sénior

N.ºs

“Faltam respostas sociais de qualidade a preços acessíveis”

Opinião Envelhecer nos nossos dias

A idade que traz descontos 00 Com o cartão Melhor Idade, os maiores de 65 anos de Óbidos têm livre acesso às actividades culturais e equipamentos do município e descontos nos estabelecimentos comerciais locais aderentes 00 É gratuito o serviço VAT – Veículo de Apoio Técnico para pequenas reparações ao domicílio para os utentes do Programa Melhor Idade em Óbidos 10 Os reformados de Peniche, com mais de 60 anos, podem beneficiar da utilização das piscinas do município a partir de 10,70 euros por mês

A rede de apoio social ao idoso tem aumentado, mas “faltam respostas de qualidade, a preços suportáveis pelas pessoas idosas e suas famílias”. Por outro lado, as respostas existentes e o tipo de intervenção “nem sempre respeitam a individualidade e autonomia dos sujeitos”, entende a comissão científica do curso de Serviço Social da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais de Leiria. “Existe uma preocupação generalizada com as condições materiais e com a sustentabilidade financeira, esquecendo-se, frequentemente, a dimensão humana que deveria sobrepor-se

às restantes”, sustenta a mesma comissão, quando confrontada com as lacunas detectadas no apoio aos idosos. “Encontramos respostas massificadas, que não respeitam a heterogeneidade de interesses e de necessidades”, adianta. A situação sócio-económica que o país atravessa tem dificultado, por sua vez, o trabalho dos assistentes sociais. Não só devido ao aumento de necessidades, mas também devido aos cortes orçamentais nos apoios sociais. Ainda assim, o serviço social continua a despertar o interesse de centenas de estudantes desde que o cur-

so abriu portas há cerca de uma década. Foi o primeiro curso público de Serviço Social a abrir no Continente, tendo sempre esgotado o número de vagas, não obstante a proliferação de cursos a nível nacional ter contribuído para diminuir a procura e baixar as médias de entrada em Leiria. A problemática do envelhecimento é tão vasta que a formação e qualificação dos profissionais continuam a ser necessárias em todas as áreas. “A formação é a base fundamental para uma intervenção qualificada e responsável”, sustenta a comissão.

00 O passe mensal para o Pombus é gratuito para os seniores do concelho de Pombal 00 Com o cartão +60, os seniores da Nazaré têm acesso gratuito a aulas de hidroginástica e caminhadas, passeios e convívios, eventos culturais e festivos, com transporte disponibilizado pela autarquia 7,5 É o preço do passe mensal Sénior para circular na Marinha Grande, nos autocarros da TUMG 20 Os maiores de 65 anos podem assistir a espectáculos promovidos pela Câmara de Leiria, e no Cine-Teatro de Alcobaça, com reduções de 20% 0,75 Os reformados podem visitar o Museu Joaquim Correia, na Marinha Grande, por 0,75 euros 30 Os utentes da piscina do Bombarral com mais de 59 anos têm direito a um desconto de 30% sobre as mensalidades praticadas 50 O cartão municipal do Idoso na Batalha e em Figueiró dos Vinhos confere acesso gratuito a iniciativas culturais e recreativas promovidas pela autarquia e 50% de desconto em algumas taxas municipais. Em Alvaiázere, os descontos variam entre 5 e 50%

Acolhimento familiar e apoio 24 horas por dia pode ser alargado Há uma instituição em Alcobaça que presta apoio, a idosos ou adultos com deficiência, 24 horas por dia ao domicílio. O projecto surgiu em 2008, pelas mãos da Santa Casa da Misericórdia e abrange 14 utentes, no âmbito de um acordo de cooperação com a Segurança Social. Durante o dia, das 8 às 20 horas, é prestado o serviço normal de apoio domiciliário. Das 20 horas à meia-noite, os utentes beneficiam de apoio na medicação, posicionamento e higiene pessoal e, durante a noite, é garantido o serviço de urgência através de chamadas telefónicas. No mesmo ano, o Centro Social Paroquial de São Simão de Litém, em Pombal, foi a

primeira instituição do distrito a apostar no acolhimento familiar de idosos e adultos com deficiência, integrandoos temporária ou permanentemente em outras famílias com acompanhamento do Centro Distrital de Segurança Social. Este projecto abrange nove pessoas, entre as quais dois adultos com deficiência, distribuídos por três famílias de acolhimento. Estas estão a receber formação semanal na área dos cuidados aos idosos, no âmbito de uma candidatura ao Programa Operacional Potencial Humano. Dado o seu cariz inovador, estas duas respostas sociais estão a ser avaliadas com vista à sua eventual disseminação, adiantou ao REGIÃO DE

LEIRIA Fernando Gonçalves, director da Segurança Social de Leiria. Entretanto, os idosos do concelho da Marinha Grande já dispõem de apoio para se deslocarem a diversos serviços públicos, de acompanhamento à Segurança Social, de ajuda para pequenas reparações em habitações sociais, de programas de actividade física e de outras medidas que visem a melhoria da sua qualidade de vida. Este projecto é uma iniciativa da Câmara, que está a proceder à identificação dos idosos beneficiários por um funcionário da autarquia devidamente identificado e que circula numa viatura do município.

O

isolamento social abatese de forma brutal sobre a saúde de uma pessoa com mais idade, funcionando como uma prisão. Depois, é preciso que a pessoa se sinta activa pelo que a passagem à reforma será apenas uma mudança de ocupação. Tal como quando se é mais jovem, deve ser dada a oportunidade de reagir, de se afirmar, preservando a imagem de si próprio, embora com a resiliência necessária para vencer os obstáculos da vida. Os avanços científicos para compreender o envelhecimento não têm sido acompanhados pela descoberta de processos que evitem a degenerescência de certos órgãos-alvo, importantes no eclodir da incapacidade do idoso. É certo que esses mesmos avanços têm reduzido a mortalidade e a morbilidade, provocadas pelas principais doenças que afectam a população idosa, mas urge resolver a incapacidade do idoso, pois só assim se poderão evitar gastos astronómicos em cuidados de saúde e bem-estar desta população. É ainda preciso criar uma filosofia do cuidador, apoiando-o em todos os aspectos, vigiando a sua actuação e evitando a institucionalização. Já foi feita a primeira revolução na saúde das populações com a melhoria da alimentação e cuidados sanitários, que contribuiu para o aumento da esperança de vida. Falta-nos agora uma segunda para prevenir as incapacidades da velhice, à custa da modificação de hábitos de vida, comportamentos individuais e colectivos e da projecção do futuro de cada um de nós passando por uma boa integração social como factor chave. José Grilo Gonçalves Neurologista e mestre em Geriatria

18 Março, 2011 — Região de Leiria

3


Especial // Vida Sénior

Joana Ervilha e Sandra Espírito Santo

Farmácias apostam na entrega de medicamentos ao domicílio A entrega de medicamentos ao domicílio é hoje assegurada por muitas farmácias, que se querem cada vez mais próximas da comunidade. Em Almagreira, Pombal, o executivo apostou neste

serviço para responder à necessidade criada pelo encerramento da única farmácia da freguesia e enquanto não for instalado um posto móvel de venda de medicamentos. As entregas têm sido diárias

e o balanço positivo. “Começámos em Junho com alguma reserva dos idosos, mas hoje as pessoas dizem-se satisfeitas” pelo que “equacionamos manter o serviço”, adianta Vítor Costa,

director técnico da farmácia Progresso. “Não pretendemos ser apenas um comércio mas um apoio à comunidade”. Por outro lado, refere, “as farmácias não podem estar apenas à espera dos clientes e têm de procurar outras formas de garantir a sua sobrevivência e prestar serviço”, frisa. Dulce Caçador, delegada de Leiria da Associação Nacional de Farmácias, considera, por sua vez, que as farmácias desempenham “um papel social importante”. Tanto no espaço rural como nas cidades, onde, por vezes, a população “é mais carente”, as farmácias tornam-se para muitas pessoas um espaço onde “podem estar, conversar e pedir ajuda para os mais diversos problemas”, adianta. Para colmatar novas necessidades, exacerbadas pelo envelhecimento da população, as farmácias responderam também com o alargamento de horários e uma maior cobertura.

Sem custos acrescidos

A entrega de medicamentos ao domicílio não tem custos acrescidos para o utente, embora esteja sempre condicionada à apresentação de

prescrição médica. O serviço é, por sua vez, sempre prestado por um técnico de farmácia que se disponibiliza a prestar os esclarecimentos necessários para a utilização dos fármacos. Um protocolo celebrado em Fevereiro entre a Liga Social e Cultural Campos do Lis, na freguesia de Marrazes, e a farmácia Baptista confere aos sócios e utentes do Centro de Dia a possibilidade de receber medicamentos na instituição ou em casa. Joana Ervilha, directora técnica da instituição, considera esta parceria “uma mais-valia”. “Temos uma médica voluntária que atende os nossos sócios e utentes e esta é uma forma de terem acesso aos medicamentos sem se deslocarem”, revela. A farmácia procede à entrega dos fármacos duas vezes por semana na instituição, e, quando solicitado, ao domicílio. Serviço “que prestamos há mais de cinco anos, desde que começou o Polis”, refere Sandra Espírito Santo, responsável da farmácia Baptista. Na zona urbana de Leiria, também as farmácias Antunes, Lis, Oliveira e Sanches disponibilizam este apoio. Publicidade

4

Região de Leiria — 18 Março, 2011


Especial // Vida Sénior

Telmo Inácio e César Matias

Apoio permanente à distância de um botão Sente-se mais seguro desde que lhe instalaram o “realejo” lá em casa, há cerca de um ano. Felizmente, conta José Rigor, de 86 anos, e residente em Alcobaça, ainda não precisou de accionar a pulseira,

mas de quando em vez lá lhe telefonam do centro de apoio da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) e pedem-lhe para lhes ligar de volta. Os operadores certificam-se assim de que tudo funciona, sendo que, em

caso de necessidade, entram de imediato em contacto com familiares ou meios de socorro adequados. Pelo serviço de teleassistência, paga 20 euros mensais, um investimento que

considera justo dada a sua utilidade. A CVP de Leiria é uma das entidades que presta apoio de teleassistência, um projecto financiado através do programa Causa Maior, que permite o acompanhamento e apoio telefónico permanente a idosos e pessoas em situação de dependência ou isolamento social ou geográfico. Várias Câmaras Municipais, a exemplo das de Alcobaça e Pombal, também disponibilizam equipamentos com este fim a pessoas carenciadas. Segundo César Matias, responsável pela área da Formação da CVP de Leiria, a maioria dos pedidos chega através dos filhos que estão preocupados com os pais. O sistema de comunicação em alta-voz funciona através da instalação de um terminal fixo que pode ser accionado num raio de cem metros através de uma pulseira ou colar. O dispositivo móvel pode ser, por sua vez, localizado por GPS pelo call center, que dispõe de todos os dados relativos ao utente. Este pode pedir ajuda em caso de emergência pressionando apenas o botão de alarme, ou apenas telefonar porque está sozinho e precisa de conversar.

Há bancos que emprestam ajudas técnicas A Cruz Vermelha de Leiria criou entretanto um Banco de Ajudas Técnicas, com o apoio do projecto Causa Maior, que permitiu a aquisição, para empréstimo, de vários equipamentos, desde camas articuladas a andarilhos, canadianas, cadeiras de rodas e sanitárias. A instituição aceita, por sua vez, dádivas de equipamentos com vista ao seu empréstimo. O apoio financeiro conseguido através da Causa Maior permitiu estruturar uma iniciativa que a CVP já desenvolvia, explica Telmo Inácio, responsável pelo projecto. A instituição prepara entretanto uma nova candidatura com vista à sua consolidação. O custo elevado dos equipamentos explica o aumento de carências nessa área, da procura e criação de novas respostas. Em Pombal, o ATEC - Banco de Ajudas Técnicas de Pombal promove a sua 1ª Gala da Primavera, dia 1 de Abril. O espectáculo destina-se à angariação de fundos. Publicidade

18 Março, 2011 — Região de Leiria

5


Especial // Vida Sénior

Considero que o Viveractivo é um programa de Saúde Pública. Ao manternos activos, actua na prevenção de doenças e contribui para a redução de custos para o Serviço Nacional de Saúde”

São vários os municípios que promovem projectos de actividade física para seniores

Quando o desporto não escolhe idades e muda vidas

Rui Portugal Pedrosa Leiria

Um programa “muito bem pensado” e feito à medida das necessidades dos utentes que acompanha. Rui Portugal Pedrosa já não dispensa as aulas de hidroginástica, cycling, ginástica e os exercícios de manutenção que o Viveractivo lhe proporciona, duas a três vezes por semana, nas piscinas de Leiria. Ali encontrou a motivação e o apoio de que precisa para se manter fisicamente activo e garantir parte do

seu bem-estar. Natural de Vieira de Leiria, hoje residente em Leiria, Rui Pedrosa já frequentou ginásios, mas de forma esporádica, “quando estava na vida activa”. Hoje, com 65 anos, soma três “à conta” do Viveractivo, que elogia pela qualidade dos professores e metodologia adoptada, especificamente direccionada para os maiores de 55 anos. “Estamos a falar de pessoas autónomas que não estão no

mundo activo, mas são activas”, frisa. E são tantos os benefícios pessoais que Rui Pedrosa considera tratar-se de um programa de saúde pública. “Ao manter-nos activos, actua na prevenção de doenças e contribui para a redução de custos para o Serviço Nacional de Saúde”, afirma. “Este ano resolvi privilegiar a actividade física”, um dos três pilares que conferem, no seu entender, bem-estar e

qualidade de vida a qualquer pessoa. Os outro dois são a actividade intelectual e a actividade afectiva. O Viveractivo nasceu há dez anos por iniciativa da Câmara de Leiria e está hoje sob a responsabilidade da Leirisport. Envolve mais de mil pessoas em actividades repartidas pelos quatro núcleos do projecto: piscinas municipais de Caranguejeira, Leiria e Maceira e pavilhão desportivo de Bajouca.

Mas há outros projectos do género em vários concelhos do distrito, a maioria por iniciativa das Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia. O combate ao isolamento ou exclusão social são dois males que urge combater. O desporto tem sido a melhor arma. Além de promover o exercício físico e hábitos saudáveis de vida, fomenta o convívio e a interacção com ganhos inegáveis ao nível da saúde física e mental. Publicidade

Com Alvará para 22 utentes Ambiente familiar Assistência médica e de enfermagem Animação Sociocultural Aquecimento central Elevador Excelente exposição solar Perto da vila e praias Rua da Indústria nº 6 A- Bajanca 2430– 601 Vieira de Leiria Tel/fax: 244 695 484 | telm: 91 632 11 83 cr.sossego@gmail.com

6

Região de Leiria — 18 Março, 2011


PubliRePORTaGeM

18 Março, 2011 — Região de Leiria

7


Especial // Vida Sénior

P&R Jenny Sousa “É importante que exista uma valorização cultural da terceira idade”

Docente do curso de Animação Cultural da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais de Leiria Porque é tão importante manter os seniores activos? É imprescindível que continuem a fazer parte activa da comunidade onde estão inseridos e que continuem a ter objectivos de vida, a realizar actividades e projectos. O envelhecimento deve ser encarado como um processo vital e como um espaço privilegiado para o desenvolvimento de actividades educativas, culturais e de aprendizagem. De que modo as novas tecnologias influenciaram os interesses dos idosos? Proporcionam ao sénior momentos interessantes e didácticos e bons momentos de entretenimento. Se pensarmos na utilização da informática e em particular da internet, encontramos utensílios privilegiados de contacto com outras pessoas e existências, sobretudo para aqueles que possuem dificuldades de deslocação. Playstations, wii e Facebook são tão aliciantes para os avós como para os netos? Claro que sim, embora a motivação e a forma como se realizam estas actividades possam ser divergentes. É preciso romper decididamente com a imagem preconceituosa que recai sobre a população idosa, clarificar o seu estatuto na sociedade e perceber que através destas actividades há o desenvolvimento do diálogo e da convivência legando-se ideias, padrões e opiniões importantes para o devir das populações.

8

Manter a proximidade com os ouvintes de Leiria é uma das apostas da Rádio Sim, refere Dina Isabel

Sim, a rádio que mexe com o público acima dos 55 anos Se está em Leiria, basta sintonizar o rádio em 95.1 para ouvir música das décadas de 40 a 70, o terço, transmitido em directo da Capelinha das Aparições, a missa de domingo, mas também programas sobre saúde, família, turismo e de entretenimento. A Rádio Sim surgiu em 2008, para preencher o vazio que a Rádio Renascença (RR) deixou quando se reposicionou para um auditório mais

jovem, e está a ganhar terreno. Emite a partir de vários pontos do país, mas procura manter a proximidade com os seus ouvintes. Em Leiria, mantém um estúdio e uma equipa, que garantem a actualização da informação local, reportagens e presença em vários programas. Segundo Dina Isabel, directora de programação, a Sim assumiu uma estratégia porventura inédita a nível

nacional ao direccionar-se para um público acima dos 55 anos. “Penso que não há nenhuma outra rádio que assuma trabalhar concretamente para um auditório com mais de 55 anos e aposte na fidelização desse público”, adianta. Um repertório feito de temas, não só mas sobretudo portugueses, que marcou “a geração à qual nos destinamos” constitui um dos

grandes vínculos da estação com os seus ouvintes. “Mas não somos de todo uma rádio musical”, sublinha a responsável, destacando os programas “Hora de Conversa”, “Memórias Africanas” e outro, ao domingo, feito com e pelos ouvintes. Por outro lado, e quase desde o início, refere Dina Isabel, a Sim é “a rádio com maior tempo médio de escuta por dia”. “Vamos crescendo devagar e de forma sustentada”, nota, embora reconheça que a ligação à marca Renascença tem dificultado a conquista de uma maior independência. “É confortável e bom estar ligado à RR, mas precisamos de dar um grito de Ipiranga”.

A institucionalização pode ser uma oportunidade de desenvolvimento pessoal “É preciso afastar a visão redutora que parte da sociedade possui acerca da terceira idade e encarar esta fase da vida como sendo, por excelência, a idade da liberdade e da realização”. Para quem trabalha diariamente com pessoas de idade maior, esta é assumida como uma nova etapa da vida e uma “oportunidade de reconstrução da identidade social” Jenny Sousa, docente do curso de Animação Cultural

Região de Leiria — 18 Março, 2011

da ESECS, não tem dúvidas de que a actividade aumenta a auto-imagem, a estima pessoal e a auto-valorização, pelo que considera fundamental favorecer o desenvolvimento pessoal, a curiosidade intelectual e os dotes criativos individuais. E é este o papel que compete ao animador cultural, cada vez mais solicitado para dinamizar as estruturas de acolhimento dos seniores. O aumento de solicitações

“é um reflexo da mudança que está a ocorrer na forma como se perspectiva o envelhecimento e a institucionalização de seniores”, considera a mesma responsável. As instituições são para muitos idosos o lar que não encontram no seio familiar. Para outros, e pelos constrangimentos da vida que obriga os filhos a trabalhar, são o reduto onde passam o dia para fugir à solidão que os espera em casa enquanto

os filhos não chegam. E ali convivem com companheiros de longa data, participam em actividades que muitos nem sonhavam poder um dia desenvolver, ouvem a música que lhes leva quem gosta de partilhar outros saberes, escutam e partilham histórias com quem aprecia o legado que o passado deixou e saboreiam o contacto com as gerações de crianças que, por vezes, os visitam.


18 Março, 2011 — Região de Leiria

9


Especial // Vida Sénior

As histórias só se perdem no tempo se não forem contadas

Júlia Moniz contou histórias na Biblioteca

Juntar uma vez por mês crianças, pais e “avós” à volta de uma história é um desafio que a Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira abraçou no mês passado para incentivar o gosto pela leitura entre os mais novos e a troca de saberes entre gerações. Já realizou duas sessões e promove outra, hoje, dia 18, no âmbito da semana da leitura. A próxima, aberta ao público, tem lugar no Dia Internacional da Literatura Infantil. “A pessoa que consegue ter gosto na leitura desconhece o aborrecimento e a solidão. É um álibi para esquecer as preocupações do dia-a-dia”. Júlia Moniz, escritora da Barreira, Leiria, foi a primeira convidada do projecto “Avô, conta-me uma história” da Biblioteca de Leiria. Para contar aos mais novos, Júlia Moniz escolheu as Cartas a Edna, da autoria de Luís Lourenço,

médico-escritor leiriense, justificando a opção pela “extraordinária beleza da obra”, onde o autor revela momentos da sua infância que “podem enriquecer o património afectivo e intelectual das crianças”. “A experiência é muito interessante e deve continuar”, adianta, embora admita que não estava preparada para enfrentar ouvintes tão pequenos [com menos de seis anos]. “Ler é um bem que não se compra com dinheiro nenhum. É como uma pessoa que criou uma casa envidraçada na sua mente, onde se isola e vê o mundo todo. Entrar num livro é entrar no mundo do autor e permite viajar de forma gratuita”, sublinha Júlia Moniz, para quem a leitura é fundamental para se manter intelectualmente activa.

De fio a pavio

Todas as semanas, a equipa

da Biblioteca Municipal de Leiria leva “Histórias de fio a pavio” a quatro instituições de apoio a idosos do concelho de Leiria. Histórias adaptadas, partilha e animação de leituras, música e um baú de livros para emprestar enriquecem o projecto que decorre do SABIA-Serviço de Apoio da Biblioteca a Idosos. Este mês, é a “Árvore generosa”, de Shel Silverstein, a protagonista das sessões que animam as tardes de terçafeira na Bajouca, Carvide, Bidoeira e Marrazes. “As ‘Histórias de fio a pavio’ visam elevar a auto-estima e promover o bem-estar do público sénior”. Segundo Teresa Nogueira, responsável pelos Serviços Educativos da Biblioteca, a receptividade tem sido tão positiva que o projecto poderá ser alargado a outras instituições e incluir visitas dos seniores à biblioteca para partilharem histórias de outros tempos. Publicidade

10

Região de Leiria — 18 Março, 2011


Especial // Vida Sénior

Muitas das universidades seniores vivem do empenho e voluntariado dos professores

O regresso aos bancos da escola já depois dos 50 A idade já não é desculpa. Quem não estudou quando era jovem por falta de tempo, de meios económicos ou de oportunidade tem hoje possibilidade de adquirir os conhecimentos que sempre

desejou. Da História da Arte ao Marketing, do Direito de Consumo à Organização Pessoal, da Literatura à Ginástica, das línguas ao Teatro, da Pintura ao Croché, da Hidroginásti-

ca à Cerâmica, não faltam às Universidades Seniores áreas de interesse que atraem centenas de alunos. Em Alcobaça, Nazaré, Alvaiázere, Pombal, Figueiró dos Vinhos, Peniche, Bombar-

ral e Leiria, os maiores de 50 encontram actividades que lhes preenchem as medidas e o tempo, em espaços e projectos pensados para eles. No distrito, os primeiros passos foram dados pela Academia de Cultura e de Cooperação de Leiria que conta 12 anos de actividade. Aberta a todos, a partir dos 45 anos, assumiu-se como espaço de aprendizagem mas também de convívio, sem “preocupações de testes ou exames, mas antes de uma aprendizagem livre e voluntária”. Na Nazaré, a Universidade Sénior oferece um sem‑número de disciplinas, entre as 10 e as 20 horas. O projecto que surgiu em 2008 para proporcionar aos maiores de 50 o acesso a actividades de ocupação de tempos livres e enriquecimento pessoal tem inscrições gratuitas. Em Alcobaça, a Universidade Sénior apresenta-se, desde 2006, como um espaço de ensino e aprendizagem, de cultura e convívio e de desenvolvimento social. Funciona das 9 às 18 horas, de segunda a sexta, de Outubro a Junho. No mesmo concelho, na Benedita, uma outra universidade dinamiza outro conjunto de disciplinas.

O combate à solidão dos “menos novos” de Peniche encontrou resposta, em 2008, numa Universidade Sénior que se estende a vários espaços cedidos por diversas entidades locais. O lema “ajudar a aprender ou a ensinar” serve de mote ao projecto de Figueiró dos Vinhos que, a exemplo dos seus congéneres, vive muito do voluntariado dos professores. Em Caldas da Rainha, a Informática tem sido uma das disciplinas com maior adesão dos alunos, que se mostram ávidos por integrar o mundo a que a Internet abre portas. O único requisito para integrar o Projecto Universitários 50+ do Bombarral é saber ler e escrever. As disciplinas são ministradas entre as 9 e as 19 horas, em dias úteis, estando as actividades desportivas previamente programadas ao longo do ano. Nasceu o ano passado a U+ de Alvaiázere para promover a valorização pessoal e social, melhorar a qualidade de vida e reduzir o risco de isolamento e de exclusão social dos mais velhos. Já a Universidade de Pombal surge no seio da Associação de Pensionistas Reformados e Aposentados de Pombal. Publicidade

18 Março, 2011 — Região de Leiria

11


| 12

Região de Leiria — 18 Março, 2011

|


Especial // Vida Sénior

Estudo europeu envolve alunos e docentes da ESTG Vários alunos da área de Gestão da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) de Leiria vão estudar, nos próximos três anos, o problema do envelhecimento na Europa. O apelo para uma reflexão em torno do envelhecimento da população europeia e a procura de soluções de fundo foi lançado pela Comissão Europeia, em 2008, a vários países da Europa. A ESTG aceitou o desafio e propõe analisar a questão de forma multicultural e pluridisciplinar com outros parceiros europeus. O objectivo, refere Elisabete Mendes Duarte, docente e coordenadora do projecto, “visa, no seu essencial, sistematizar os problemas que resultam do envelhecimento da população na Europa, nos seus diversos domínios: económico, social, psicológico, cultural e da saúde” e “estabelecer um conjunto de soluções, que integrem

Elisabete Mendes Duarte as diversas dimensões da temática”. Desenvolvido em conjunto com dez instituições de ensino de Portugal, França, Bélgica, Espanha, Finlândia, Letónia e Lituânia, o projecto prevê a realização de reuniões anuais, de cerca de duas semanas cada, para permitir aos vários parceiros apresentarem os seus estudos e trabalharem em conjunto. O encontro deste ano está a decorrer na Universidade de Lille, França, com a participação de dois docentes e seis alunos dos cursos de Contabilidade e Finanças, Gestão e Marketing da ESTG, e prevê a realização

de um inventário das situações económicas e psicossociais de cada um dos países envolvidos e a apresentação de algumas soluções. “O resultado será a produção de um ‘Livro Branco sobre o envelhecimento na Europa – problemas e soluções’”. Já no próximo ano, será a vez de Leiria acolher investigadores estrangeiros para o estudo de casos construídos com base nas informações recolhidas através do Livro Branco. O último ano, 2013, deverá servir para sistematizar o trabalho realizado e definir um conjunto de respostas aos problemas identificados. “Embora existam situações características de cada país, o envelhecimento da população europeia é um problema global, que necessita de respostas globais e que integrem as suas várias dimensões disciplinares”, sublinha Elisabete Duarte.

Margarida Casimiro P&R “Não existe uma data pré-definida para o início do envelhecimento”

Margarida Casimiro é psicoterapeuta e especialista em Psicogerontologia Com que idade se envelhece? Não existe uma data pré-estabelecida para o início do envelhecimento. Os vários conceitos e definições que tentam estabelecer uma idade fronteira (65 anos) fazem-no por razões administrativas, para efeitos de reforma. O envelhecimento apresenta alterações progressivas e irreversíveis, envolvendo vários órgãos, funções ou mesmo comportamentos, causando perturbações de grau e expressão variável em cada indivíduo. De que modo pode a

Psicogerontologia ajudar? Esta é uma área inovadora, multidisciplinar que procura responder às diferentes necessidades da população idosa. Compreender o envelhecimento implica olhá-lo nas suas diferentes dimensões biológicas, psicológicas e sociais. Assim, esta abordagem permitirá desenvolver e implementar estratégias que visem promover um envelhecimento saudável e melhorar a qualidade de vida dos mais idosos. Há sociedades que veneram os idosos e outras em que são descartáveis. É uma questão de educação? Na sociedade ocidental contemporânea, a velhice é desvalorizada. As mudanças que resultam das alterações do aspecto físico são depreciadas, numa cultura de aparência, de sobrevalorização dos padrões de beleza como valores absolutos e de aceitação social e de sucesso. Publicidade

18 Março, 2011 — Região de Leiria

13


Especial // Vida Sénior

Instituições de apoio ao idoso no distrito de Leiria ALCOBAÇA Associação de Bem-Estar e Ocupação de Tempos Livres de Pataias Pataias Tel. 244 580 532 | cd; Sad Associação de Bem-Estar e Tempos Livres da Martingança Martingança Tel. 245 589 724 | cV; Sad Associação de Bem-Estar Social e Recreativa de Alpedriz alpedriz Tel. 262 544 337 | Sad Associação de Solidariedade Social do Areeiro alcobaça Tel. 262 - 588277 | cV; Sad Casa da Família – Associação de Solidariedade Social de Acipreste alcobaça Tel. 262 - 588061 | cd Centro Cénico de Bem-Estar Social de Cela cela Tel. 262 503 218 | laR; cd; Sad Centro de Bem-Estar Social da Freguesia de Coz coz Tel. 262 545 090 | cV; Sad Centro de Bem-Estar Social da Freguesia dos Montes Montes Tel. 262 544 568 | cV; Sad Centro de Bem-Estar Social da Maiorga Maiorga Tel. 262 581 275 | Sad Centro Paroquial de Assistência N.ª Sr.ª da Ajuda da Vestiaria Vestiaria Tel. 262 595 031 | cd; Sad Centro Social Paroquial de Turquel Turquel Tel. 262 919 130 | Sad Centro Social Paroquial do Bárrio bárrio Tel. 262 596 714 | cd; Sad Fundação Manuel Francisco Clérigo S. Martinho do Porto Tel. 262 985 030 | laR; cd; cV, Sad Fundação Maria e Oliveira alcobaça Tel. 262 596 500 | laR; cd; cV; Sad Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Aljubarrota aljubarrota (S. Vicente) Tel. 262 505 260 | cd; Sad

Lar Residencial de Alcobaça Évora de alcobaça Tel. 262 505 180 | laR Santa Casa da Misericórdia da Benedita benedita Tel. 262 925 110 | laR; cd; Sad Santa Casa da Misericórdia da Vila de Alcobaça alcobaça Tel. 262 508 566 | laR; Sad Santa Casa da Misericórdia de Alfeizerão alfeizerão Tel. 262 910 800 | cd; Sad Santa Casa da Misericórdia do Vimeiro Vimeiro Tel. 262 910 800 | cV; Sad Casa de Repouso D. Florinda alfeizerão Tel. 262 999 112 | laR Casa de Repouso da Goucharia benedita Tel. 262 929 812 | laR; cd Casa de Repouso o Jardim do Éden alcobaça Tel. 262 582 792 | laR Casa de Repouso o Malmequer, Lda alfeizerão Tel. 262 990 760 | laR Idosos em Família, Lar de Terceira Idade, Lda Turquel Tel. 262 915 040 | laR; cd Lar D`Aldeia benedita Tel. 262 926 532 | laR Lar Nossa Senhora do Vimeiro Vimeiro Tel. 262 910 814 | laR Lar de Terceira Idade os Frazões Turquel Tel. 262 919 644 | laR; cd ALVAIÁZERE Ascra - Associação Social, Cultural e Recreativa de Almoster almoster Tel. 236 656 060 | Sad Associação Casa do Povo de Maçãs de D. Maria Maçãs d. Maria Tel. 236 640 640 | laR; cV; Sad Centro Cultural Recreativo e Social da Freguesia de Pussos Pussos Tel. 236 636 899 | cV; Sad Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Alvaiázere alvaiázere Tel. 236 650 230 | laR; cd; cV Publicidade

14

Região de Leiria — 18 Março, 2011

Solar D. Maria - Lar de Terceira Idade alvaiázere Tel. 236 640 330 | laR Lar de Idosos de Dani Cristina Marques Alves alvaiázere Tel. 236 651289 | laR ANSIÃO Centro Social Paroquial de São Tiago da Guarda Santiago da Guarda Tel. 236 679 083 | cV; Sad Fundação D. Fernanda Marques chão de couce Tel. 236 623 383 | laR; cd; Sad Fundação Nossa Senhora da Guia do Avelar avelar Tel. 236 620 201 | laR; cd; Sad Santa Casa da Misericórdia de Alvorge alvorge Tel. 236 981 390 | laR; Sad Santa Casa da Misericórdia de Ansião ansião Tel. 236 677 133 | laR; cd; Sad Casa da Várzea, Lar de Terceira Idade ansião Tel. 236 679 820 | laR BATALHA Centro Paroquial de Assistência de Reguengo do Fétal Reguengo do Fétal Tel. 244 705 482 | laR; cd; Sad Centro Social Cultural da Paróquia de S. Mamede S. Mamede Tel. 244 704 926 | cd; Sad Santa Casa da Misericórdia da Batalha batalha Tel. 244 768 390 | cd; cV; Sad

Casa de Repouso Coutinho - Sociedade Unipessoal, Lda alvorninha Tel. 262 938 264 | laR Casa de Repouso da Crocha, Lda caldas da Rainha Tel. 262 831 885 | laR Casa Repouso Santo Amaro, de Vilaça & Costa, Lda S. Gregório Tel. 262 930 721 | laR Casa de Repouso de Santo António a-dos-Francos Tel. 262 949 087 | laR Commodos - Residência Geriátrica, Lda 2500-314 caldas da Rainha Tel. 262 098 245 | laR Edifício D. Dinis - Serviço de Apoio Domiciliário e Centro de Dia caldas da Rainha Tel. 262 870 320 | cd; Sad Yasmim Residência Senior caldas da Rainha Tel. 262 938 271 | laR Lar Via Sol Sta catarina Tel. 262 927 223 | laR “O Sossego” Residência de Idosos, Lda caldas da Rainha Tel. 262 880 051 | laR CASTANHEIRA DE PERA Centro Paroquial de Solidariedade Social da Freguesia do Coentral castanheira de Pera Tel. 236 432 701 | cd Santa Casa da Misericórdia de Castanheira de Pera castanheira de Pera Tel. 236 434 265 | laR; cd; Sad

BOMBARRAL Associação de Solidariedade Social do Pó Pó Tel. 262 098 199 | cV; Sad Centro Social Paroquial do Bombarral bombarral Tel. 262 601 058 | laR; cd Santa Casa da Misericórdia do Bombarral bombarral Tel. 262 604 473 | cV; Sad Lar de Idosos da Columbeira Roliça Tel. 262 606 969 | laR Retiro Casa de Repouso bombarral Tel. 262 600 230 | laR

FIGUEIRÓ DOS VINHOS Comissão de Melhoramentos da Freguesia da Aguda aguda Tel. 236 621 670 | cV; Sad Comissão de Melhoramentos e Apoio Social da Freguesia da Arega arega Tel. 236 641 174 | laR; cd; cV; Sad Santa Casa da Misericórdia de Figueiró dos Vinhos Figueiró dos Vinhos Tel. 236 559 222 | laR; cd; Sad

CALDAS DA RAINHA Associação de Solidariedade Social de Foz do Arelho Foz do arelho Tel. 262 978 617 | laR; cd; Sad Associação Desenvolvimento Social da Freguesia de Alvorninha alvorninha Tel. 262 930 548 | cd; Sad Associação de Solidariedade e Educação de Salir de Matos Salir de Matos Tel. 262 877 189 | laR; cd Associação Social e Cultural Paradense caldas da Rainha Tel. 262 881 555 | cd; cV; Sad Casa do Povo de A-dos-Francos a-dos-Francos Tel. 262 949 232 | laR; cd; Sad Centro de Apoio Social do Nadadouro Nadadouro Tel. 262 979 095 | cd; Sad Centro de Desenvolvimento Comunitário do Landal - CDCL landal Tel. 262 949 300 | Sad Centro Social Paroquial de Caldas da Rainha caldas da Rainha Tel. 262 843 665 | laR; Sad Centro Social Paroquial de Santa Catarina Sta. catarina Tel. 262 927 099 | laR; cd; cV; Sad Centro Social Paroquial N.ª Sr.ª da Piedade de Vidais Vidais Tel. 262 930 086 | cd; Sad Centro Social Paroquial N.ª Sr.ª das Mercês de Carvalhal Benfeito carvalhal benfeito Tel. 262 927 565 | Sad Fonte Santa - Centro Social de Serra do Bouro Serra do bouro Tel. 262 978 084 | Sad Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Caldas da Rainha caldas da Rainha Tel. 262 840 400 | laR; Sad Montepio Rainha D. Leonor - Associação Mutualista caldas da Rainha Tel. 262 870 400 | laR; cd All4senior, Apoio Domiciliário Personalizado caldas da Rainha Tel. 262 010 123 | Sad Caldas Residence chão da Parada Tel. 262 877 599 | laR; cd Casa de Repouso o Cantinho dos Avós, Lda Vidais Tel. 262 930 558 | laR

LEIRIA “Assiste” Associação de Solidariedade Social das Cortes cortes Tel. 244 892 505 | cd; Sad Academia Cultural e Social da Maceira Maceira Tel. 244 772 639 | laR; cd; cV; Sad Adesba - Associação de Desenvolvimento e Bem-Estar Social da Freguesia da Barreira leiria Tel. 244 891 717 | cV; Sad Assistência Social Adventista leiria Tel. 244 802 838 | Sad Associação de Bem-Estar dos Parceiros leiria Tel. 244 843 210 | laR; cd; Sad Associação de Melhoramentos e Bem-Estar Social da Memória Memória Tel. 236 932 380 | laR; cd; Sad Associação de Melhoramentos e Bem-Estar Social de Santa Eufémia Sta. eufémia Tel. 244 801 234 | Sad Associação Desenvolvimento e Apoio Social da Freguesia do Coimbrão coimbrão Tel. 244 606 051 | Sad Associação Humanitária da Barosa leiria Tel. 244 811 014 | laR; cd; Sad Associação Humanitária os Amigos de Colmeias colmeias Tel. 244 721 127 | Sad Associação Lar Emanuel Marrazes Tel. 244 825 843 | laR; Sad Associação Para o Desenvolvimento Social da Loureira Santa catarina da Serra Tel. 244 745 883 | cd; Sad Centro de Apoio Social de Azoia - Casa leiria Tel. 244 838 555 | cV; Sad Centro de Assistência Paroquial de Carvide carvide Tel. 244 612 496 | cd; Sad Centro de Convívio da 3ª Idade da Freguesia de Leiria leiria Tel. 244 826 332 | cV Centro de Convívio e Apoio Social Bidoeirense “Casbi” bidoeira de cima Tel. 244 724 091 | cd; cV; Sad Centro Social Batista de Leiria cruz da areia Tel. 244 825 485 | cd; Sad


Especial // Vida Sénior

Centro Social Cultural da Paróquia do Souto da Carpalhosa Souto da carpalhosa Tel. 244 613 367 | laR; Sad Centro Social da Bajouca bajouca Tel. 244 684 410 | cd; Sad Centro Social da Casa do Povo de Amor amor Tel. 244 840 244 | Sad Centro Social N.ª Sr.ª da Piedade de Monte Redondo Monte Redondo Tel. 244 685 764 | laR; cd; Sad Centro Social Paroquial da Caranguejeira caranguejeira Tel. 244 730 190 | laR; cd; Sad Centro Social Paroquial de Regueira de Pontes Regueira de Pontes Tel. 244 840 637 | Sad Centro Social Paroquial de Santa Catarina da Serra Sta catarina da Serra Tel. 244 741 850 | laR; cd; cV; Sad Centro Social Paroquial dos Pousos leiria Tel. 244 801 373 | cV; Sad Fraternidade da Ordem Franciscana Secular de Leiria leiria Tel. 244 820 590 | laR; cd Instituto de Solidariedade Social dos Milagres Milagres Tel. 244 851 991 | Sad Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Leiria leiria Tel. 244 106 200 | laR; Sad Lar Evangélico Nova Esperança Maceira Tel. 244 772 691 | laR Lar Social do Arrabal arrabal Tel. 244 744 455 | laR; cd; Sad Liga Social e Cultural Campos do Lis Gândara dos olivais Tel. 244 821 230 | cd; Sad Pró-Real - Associação P/ o Desenvolvimento da Freguesia de Monte Real Monte Real Tel. 244 619 160 | laR; cd; Sad Samvipaz Ortigosa Tel. 244 614 000 | cV; Sad Casa de Repouso da Carreira Monte Real Tel. 244 614 361 | laR Casa de Repouso Fátima, Lda. St.ª catarina Serra Tel. 249 532 261 | laR Casa de Repouso de Cortes, de Florinda Antunes Jorge cortes Tel. 244 882 591 | laR Lar Para Idosos de Maria de Fátima Neto Cruz do Caminho amor Tel. 962079196 | laR Casa de Repouso Espírito Santo, Lda carvide Tel. 244 619 030 | laR Casa de Repouso de Vale da Pedra, Lda Souto da carpalhosa Tel. 244 616 307 | laR Casa de Repouso Verde Pinho Maceira Tel. 244 770 830 | laR Fortis - Salus Apoio Domiciliário Personalizado, Lda Marrazes Tel. 244 835 055 | Sad Lar das Almoínhas I Marrazes Tel. 244 881 989 | laR Lar das Almoínhas II leiria Tel. 245 835 023 | laR Lar Amélia de Sousa, Lda amor Tel. 244 881 704 | laR Lar N.ª Sra. da Glória, Lda Regueira Pontes Tel. 244 841 363 | laR Lar de Santa Cruz Monte Real Tel. 244 612 887 | laR Lar de S. Miguel das Areias coimbrão Tel. 244 606 283 | laR

Lar da Terceira Idade D. Luís, Lda colmeias Tel. 244 724 152 | laR Casa de Repouso o Reviver - Apoio a Idosos, Lda Gândara dos olivais Tel. 244 823 070 | laR; cd Quinta dos Avós - Apoio a Idosos coimbrão Tel. 244 606 000 | laR; cd Residencial de Bem-Estar da Carreira, Lda carreira Tel. 244 614 374 | laR Serhorgarsystem Pousos Tel. 244 812 426 | Sad Solar do Castanheiro - Residencial de Terceira Idade, Lda bidoeira de cima Tel. 244 720 490 | laR Sossego do Avozinho carvide Tel. 244 614 692 | laR MARINHA GRANDE Associação Social Cultural e Desportiva de Casal Galego Marinha Grande Tel. 244 567 695 | cd; cV; Sad Centro Social Paroquial de Vieira de Leiria Vieira de leiria Tel. 244 697 349 | laR; cd; cV; Sad Irmandade da Sta Casa da Misericórdia da M.ª Grande Marinha Grande Tel. 244 502 409 | laR; cd; Sad Irmandade da Sta Casa da Misericórdia da M.ª Grande Marinha Grande lar; cd; Sad S. Silvestre - Associação de Solidariedade Social da Moita Marinha Grande Tel. 244 542 125 | Sad Casa Repouso e Bem-Estar o Sossego Vieira de leiria Tel. 244 695 484 | laR Bona Vita - Alojamento e Prestação de Cuidados de Saúde, S.A. Marinha Grande Tel. 244 832 179 | Sad Explending, Lar de Idosos, Lda Marinha Grande Tel. 244 577 175 | laR Lar de Idosos Bem-Estar, Lda Vieira de leiria Tel. 244 697 625 | laR; cd Lar de Idosos Maria da Luz, Lda Vieira de leiria Tel. 244 697 459 | laR NAZARÉ Centro Social da Freguesia de Famalicão Famalicão Tel. 262 561 156 | Sad Centro Social de Valado de Frades Valado de Frades Tel. 262 577 136 | cd; Sad Confraria Nossa Senhora da Nazaré Nazaré Tel. 262 550 100 | laR; cd; Sad Casa de Repouso N.ª Sr.ª Vitória, de A. Silva & Filhos, Lda Famalicão Tel. 966714679 | laR; cd Centro de Apoio a Idosos N.ª Sr.ª da Conceição Nazaré Tel. 262 570 010 | laR; cd ÓBIDOS Associação de Desenvolvimento Social da Freg. de A-dos-Negros a-dos-Negros Tel. 262 958 799 | Sad Centro Social Cultural e Recreativo da Amoreira amoreira Tel. 262 969 999 | cV; Sad Centro Social Cultural P/ Desenvolvimento de Olho Marinho Olho Marinho Tel. 262 965 040 | cd; cV; Sad Santa Casa da Misericórdia de Óbidos Óbidos Tel. 262 955 340 | laR; Sad Domus Augusta - Casa de Repouso de Óbidos, Lda Gaeiras Tel. 262 837 330 | laR; cd; Sad

Palácio D`El-Rei Óbidos Tel. 262 958 291 | laR PEDRÓGÃO GRANDE Sta Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande Pedrógão Grande Tel. 236 488 060 | laR; cd; Sad | cd | cd PENICHE Acompanha - Cooperativa de Solidariedade Social Peniche Tel. 262 781 706 | Sad Associação de Solidariedade Social de Ferrel Ferrel Tel. 262 769 252 | laR; cd; cV; Sad Associação do Centro de Dia de Serra D’ElRei Serra d’el-Rei Tel. 262 909 505 | cd; Sad Centro de Solidariedade e Cultura de Peniche Peniche Tel. 262 782 172 | laR Centro Paroquial de Bem-Estar Social de Atouguia da Baleia atouguia da baleia Tel. 262 759 798 | Sad Centro Social da Bufarda atouguia da baleia Tel. 262 709 014 | laR; cd Santa Casa da Misericórdia de Peniche Peniche Tel. 262 782 197 | Sad Casa de Repouso da Barragem atouguia da baleia Tel. 968094091 | laR Lar Familiar N.ª Sr.ª da Esperança Peniche Tel. 262 709 280 | laR POMBAL Associação Centro Social de S. Pedro albergaria dos doze Tel. 236 931 764 | laR; cd; Sad Associação de Bem-Estar P/ 3ª Idade de Santiago de Litém Santiago de litém Tel. 236 939 708 | cd; Sad Associação Sócio - Cultural Recreativa e Educativa de Cumieira e Circunvizinhas Pombal Tel. 236 212 072 | Sad Associação de Pensionistas, Reformados e Aposentados de Pombal “APRAP” Pombal Tel. 236 218 042 | cd; cV Casa do Povo de Albergaria dos Doze albergaria dos doze Tel. 236 930 423 | laR Centro Paroquial de Solidariedade Social da Freguesia de Mata Mourisca Mata Mourisca Tel. 236 951 178 | cd; Sad Centro Social de Carnide carnide Tel. 236 946 189 | Sad Centro Social de Vila Cã Vila cã Tel. 236 921 492 | lar; cd; Sad Centro Social do Carriço carriço Tel. 236 952 023 | cd; cV; Sad Centro Social Júlio Antunes Vermoil Tel. 236 942 248 | cd; cV; Sad Centro Social Paroquial “Maris Stella” Guia Tel. 236 952 924 | cd; Sad Centro Social Paroquial da Ilha ilha Tel. 236 950 780 | cd; Sad Centro Social Paroquial de Almagreira almagreira Tel. 236 219 623 | laR; cd; Sad Centro Social Paroquial de Pelariga Pelariga Tel. 236 211 830 | Sad Centro Social Paroquial de São Simão de Litém S. Simão de litém Tel. 236 939 208 | laR; Sad Fundação Dr. José Lourenço Júnior abiúl Tel. 236 920 800 | laR; cd; Sad Lar da Felicidade - Associação de Solidariedade Social Meirinhas Tel. 236 948 980 | cd; Sad

Santa Casa da Misericórdia da Redinha Redinha Tel. 236 911 136 | cd; Sad Santa Casa da Misericórdia de Pombal Pombal Tel. 236 200 640 | laR; cd; Sad Santa Casa da Misericórdia do Louriçal louriçal Tel. 236 960 270 | laR; cd; Sad Cantinho do Lazer carriço Tel. 236 952 275 | laR Casa de Repouso e Bem-Estar de Pombal, Lda Pombal Tel. 236 200 530 | laR Flor da Serra, Lda - Lar 3ª Idade abiul Tel. 236 922 947 | laR; cd; Sad Lar Barão, Lda Pombal Tel. 236 949 560 | laR Lar da Pelariga, Lda Pelariga Tel. 236 218 441 | laR Lar de Santa Teresinha barrocal Tel. 236 215 515 | laR Lar de Santa Teresinha do Menino Jesus Vermoil Tel. 237 949 570 | laR Lar - O Sonho da Felicidade, Lda Pombal Tel. 236 218 903 | laR Lar S. Brás, de Gaspar Couto, Lda ilha Tel. 236 959 390 | laR Lar S. Miguel Pombal Tel. 236 937 180 | laR Manuel Silva & Gonçalves, Lda Pombal Tel. 236 937 000 | laR Paço Verde - Lar de Idosos, Lda almagreira Tel. 236 200 850 | laR Paraíso do Sonho Lar, Lda Guia Tel. 236 952 907 | laR Serra da Gama, Lda - Residência Sénior Lar de Idosos Pombal Tel. 236 912 223 | laR Verde Recanto - Casa de Repouso, Lda louriçal Tel. 236 961 149 | laR Vila Centro - Lar de Idosos, Lda Vila cã Tel. 236 921 558 | laR PORTO DE MÓS Abrigo Familiar Casa S. José Mira de aire Tel. 244 447 250 | laR; cd Associação de Amparo Familiar de Mira D’Aire Mira de aire Tel. 244 449 930 | laR; cd; Sad Associação de Bem-Estar de Cruz da Légua Pedreiras Tel. 244 470 397 | laR; cd; Sad Casa do Povo de Alqueidão da Serra alqueidão da Serra Tel. 244 491 080 | cd; cV; Sad Casa do Povo de Calvaria de Cima calvaria de cima Tel. 244 481 250 | cd; Sad CASSAC - Centro D Apoio Social de Serra D` Aire e Candeeiros Mendiga Tel. 244 450 095 | Sad Santa Casa da Misericórdia de Porto de Mós Porto de Mós Tel. 244 499 770 | laR; cd; Sad Solar do Povo do Juncal Juncal Tel. 244 470 190 | laR; cd; Sad Casa de Repouso Alexandrina Bartolomeu, Lda Porto de Mós Tel. 244 403 625 | laR Casa de Repouso de Picamilho Porto de Mós Tel. 262 544 805 | laR Conchego do Valongo de N.ª Sr.ª de Fátima Lar de Terceira Idade alqueidão da Serra Tel. 244 704 936 | laR Nota: cd - centro de dia; cV - centro de convívio; Sad- Serviço de apoio domiciliário Fonte: centro distrital de Solidariedade e Segurança Social de leiria

Publicidade

938 515 673 938 515 677 262 570 010

Rua Casal dos Veríssimos - Fanhais - Nazaré

18 Março, 2011 — Região de Leiria

15


16

Região de Leiria — 18 Março, 2011


Regiao de Leiria, 18 de Março de 2011