Issuu on Google+

Região // Autárquicas 2013

O que vou fazer quando for presidente de Caldas da Rainha 01 Qual será a sua prioridade se for eleito? 02 Que solução preconiza para o futuro do Hospital Termal? 03 Como é que o concelho pode beneficiar com a dinamização da Linha do Oeste? 04 Defina a sua candidatura numa palavra.

Caldas da Rainha

Freguesias União Freguesias (UF) - Nossa Senhora do Pópulo, Coto e São Gregório; UF Santo Onofre e Serra do Bouro; UF Tornada e Salir do Porto; A-dos-Francos; Alvorninha; Carvalhal; Foz do Arelho; Landal; Nadadouro; Salir de Matos; Santa Catarina; Vidais Área 255,7 km² População 51.729 habitantes Taxa de desemprego 13,7% Índice de envelhecimento 140,7% Feriado Municipal 15 de maio Escolas Agrupamentos de escolas: Mestre Francisco Elias; Santo Onofre: Santa catarina; D. João II ; Escolas em Movimento Serviços Públicos serviços saúde, tribunais, finanças, cartório notarial, conservatórias segurança social Turismo Hosp. Termal, Centro Cultural, Museus, Lagoa de Óbidos e Foz do Arelho.

10

Carlos Carujo 39 anos Figura de referência Daniel Bensaïd 01 A prioridade absoluta é o combate à crise. Deve-se criar um gabinete de crise que assegure que nenhum cidadão seja privado de direitos fundamentais (alimentação, medicamentos, habitação condigna, água e luz). E também criar emprego de qualidade: investir na reabilitação urbana, criar um plano de desenvolvimento sustentável, apostar na agricultura, especialmente a biológica, apoiar cooperativas e a economia social, investir em formação profissional. 02 O projeto da direita de reduzir o Hospital Termal a umas meras termas privatizáveis descaracteriza o símbolo maior de Caldas. O Termal deve continuar no Sistema Nacional de Saúde com tratamentos comparticipados e o seu património reabilitado integradamente. Ao Termal deveria ser somada uma valência de investigação multidisciplinar nas áreas do termalismo, do bem-estar, da saúde mental. 03 É um benefício económico, social e ecológico óbvio. Para isso é preciso criar um plano de mobilidade que defenda o transporte público e é urgente pressionar eficazmente as entidades responsáveis tanto para modernizar a linha quanto para adequar horários e frequência dos comboios às necessidades das populações e tornar o comboio acessível aos bolsos dos utentes defendendo o passe social. 04 Solidariedades!

Região de Leiria — 29 agosto, 2013

José Carlos Faria 58 anos Cenógrafo, actor Estado civil Casado Filhos 2 Clube Caldas Sport Clube e Benfica Figura de referência Karl Marx 01 Prioridades: quebrar o clima de intolerável chantagem que se abateu sobre o Centro Hospitalar Oeste e sobre o Hospital Termal, diligenciando, neste caso, a sua reabertura imediata; desassoreamento e despoluição da lagoa de Óbidos; articular esforços visando a modernização da Linha do Oeste; melhorias significativas na limpeza e higiene urbanas; defesa da Escola Pública; reforço da dimensão cultural e de criação artística, que constitui um dos sinais identitários da cidade. 02 Manutenção do Hospital Termal no SNS, enfatizando as virtudes terapêuticas das águas e renegociando com o Ministério da Saúde comparticipações em reumatologia e hidrologia. Gestão autonomizada. Unicidade patrimonial. Nova canalização. Possibilidade de abertura à iniciativa privada desde que num papel supletivo e em função dum caderno de encargos bem delineado, que não ponha em causa a condição estruturante do Serviço Público (que lhe assiste desde a fundação em 1485). 03 A Linha do Oeste é estratégica para toda a região. É fundamental a sua electrificação e renovação do material circulante, servindo as populações com horários adequados e também o tecido económico, na vertente de carga, com um tarifário justo. O benefício, com melhores acessibilidades, será geral: cidadãos, empresas, turismo, comércio. 04 Transformação.

Manuel Fialho Isaac 54 anos Empresário agrícola Estado civil Casado Filhos 1 Clube Sporting Figura de referência Rui Rio 01 Perante um espaço público ultrapassado, desorganizado, degradado e muitíssimo sujo e sendo este um aspeto fundamental em qualquer circunstância, reveste-se de particular importância numa cidade de vocação termalista. Daremos prioridade à sua urgente recuperação, através de uma operação de limpeza geral, englobando as vias de acesso à cidade e a zona industrial, incluindo a remoção dos grafitis resultantes do vandalismo imparável que tem assolado a cidade. Reorganizaremos o espaço público. Está em causa a imagem da cidade e do concelho, a qualidade de vida dos caldenses e é uma prioridade na dinamização da economia e criação de emprego. 02 Preconizamos a adoção das medidas necessárias à sua urgente reabertura; a entrega do património à câmara municipal; a manutenção em funcionamento como Hospital Termal; a gestão feita pelo município ou partilhada com uma entidade privada com experiência comprovada. Por outro lado, faremos a recuperação do património edificado associado, com a adaptação dos Pavilhões e antigo casino a Hotel Termal, com caraterísticas modernas, que nos permita concorrer com outros destinos termais. 03 Para ser dinamizada, é fundamental melhores e mais horários e a sua modernização. Esse será o primeiro passo, para se afirmar como uma via de comunicação atrativa e funcional, pela importância que terá nas ligações de Caldas da Rainha, nomeadamente à capital. 04 Solução.

Rui Correia 47 anos Professor Estado civil Casado Filhos 2 Clube A-dos-Francos (futebol feminino) Figura de referência Mário de Sá-Carneiro 01 O partido que governou este concelho deixa um legado de vandalismo. A prioridade é limpar a cidade, o concelho, e combater esse vandalismo. Não são só as ruas e paredes sujas e os prédios decrépitos. É o vandalismo político com a maior taxa de abstenção do distrito, ao lado de Pombal. O vandalismo económico que destruiu tanto emprego. O vandalismo termal que ofende a herança de D. Leonor. O vandalismo cultural. A prioridade é arrumar a casa e devolver orgulho e futuro às gerações de Caldenses que desconhecem o domínio que as Caldas tinham há 27 anos atrás. A prioridade é reparar essa resignação por um outro futuro. 02 Só este governo cometeu a infâmia de fechar definitivamente o hospital termal das Caldas da Rainha, o mais antigo do mundo. Os Caldenses não perdoarão o vexame. Defendo a assunção una do património termal e criação de entidade autónoma que ponha o hospital a dar lucro, com 6000 aquistas/ano, em 4 anos. 03 A linha do Oeste é a imagem da desarticulação entre autarquias. A ferrovia é a coluna vertebral do sucesso económico das parcerias empresariais e políticas na região. Chegou o momento de mudar de vida e dar a volta a tudo isto. Existe um novo futuro por começar. Os Caldenses sabem como. 04 Três palavras: começar o futuro


Candidatos à Câmara de Caldas da Rainha 1