Page 1

AMPE FIRMA PARCERIA COM A SODEXO

Empreendedor

PAG 6

JORNAL COM CIRCULAÇÃO MENSAL ELABORADO EM PARCERIA COM A AMPE METROPOLITANA

Edição Nº 4 - Julho/2019

AS AMIGAS BEATRIZ FREITAS RIBEIRO, 27 ANOS E CAMILA YUMI KAWATA, 30 ANOS, DECIDIRAM UNIR FORÇAS E ABRIR UM ESPAÇO PARA MULHERES QUE EMPREENDEM

INTEGRAÇÃO

COLEGIADO VAI PENSAR DESENVOLVIMENTO REGIONAL PAG 5

LOCAL COLAB

MULHERES EMPREENDEDORAS AQUECEM SETOR DA MODA EM LOJAS COLABORATIVAS

Marcas com design local e autoral apresentam o conceito slow fashion na Local Colab, recém lançada em Florianópolis PAG 4

EVENTO

MAIS DE 2 MIL PARTICIPANTES NO ARENA SEBRAE, EM SÃO JOSÉ PAG 7

ANUNCIE AQUI

Coloque sua publicidade no jornal que tem a maior circulação entre empresários da Região Metropolitana de Florianópolis.

CONTATOS: WHATSAPP

(48) 99800-5836 FIXO:

(48) 3733-6489 E-MAIL:

comercial@jornalinforme.com.br


02 Edição Julho/2019 CAPITAL

30 mil novas empresas abertas em pouco mais de 30 meses

Florianópolis tem mais de 30 mil empresas abertas em pouco mais de 30 meses. Os dados são do Ministério da Economia, Sebrae e Receita Federal e foram coletados pela Ampe Metropolitana (Associação de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais da Região Metropolitana de Florianópolis).

O

s setores que mais abrem novos negócios são os serviços de cabeleireiros, manicure e pedicure (1.687), comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (1.496) e promoção de vendas (1.085). As regiões que são mais procuradas pelos empreendedores são os bairros dos Ingleses do Rio Vermelho (2.934), Centro (2.254) e Campeche (1.595). Atualmente as micro e pequenas empresas representam 98% dos empreendimentos abertos na Capital e atualmente empregam 60% da mão de obra. De acordo com o presidente da Ampe Metropolitana e também superintendente de Desenvolvimento Econômico de Florianópolis, Piter Santana, o crescimento das micro e pequenas empresas nos últimos anos é diretamente ligado à criação de um ambiente de negócios cada vez mais voltado às necessida-

des do empreendedor. Ele destaca a simplificação no processo de abertura de empresas e a oportunidade de o poder público municipal oferecer políticas de acesso ao crédito a juro zero, acesso ao mercado, capacitação e orientação nas

comunidades. “Empreender não é apenas uma oportunidade de mercado e si uma necessidade. Ao invés de ficar esperando por vaga, muitos estão tomando a iniciativa de empreender e passam a ser os autores de sua própria história”, comenta Piter.

31.670 EMPRESAS Setores que mais abriram - Cabelereiros, manicure e pedicure : 1.687 - Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios: 1.496 - Promoção de vendas: 1.085 - Serviços ambulantes de alimentação: 982 - Lanchonetes, casas de chá, de suco e similares: 951 - Obras de alvenaria: 812 - Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial: 779 - Fornecimento de alimentos preparados preponderantemente

para consumo domiciliar: 749 - Restaurantes e similares: 740 - Outras atividades de ensino não especificadas anteriormente: 686 Bairros onde estão as empresas - Centro: 3.942 - Ingleses do Rio Vermelho: 3.254 - Campeche: 1.821 - São João do Rio Vermelho: 1.367 - Trindade: 1.272 - Itacorubi: 1.272 - Canasvieiras: 1.228 - Lagoa da Conceição: 1.159 - Capoeiras: 1.105 - Rio Tavares: 1.062

500 vagas são abertas em palestras sobre Custos Quem é empreendedor ou está montando um negócio, nem sempre inicia sua jornada, buscando capacitação, afinal, o foco está no desenvolvimento e aprimoramento do serviço ou produto a ser oferecido. Pensando nisso, a Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, promove até novembro, um ciclo de palestras gratuitas, ligadas às diversas áreas do mundo dos negócios. O tema dos seminários de agosto é “Custos” e as inscrições devem ser feitas pelo link bit.ly/PalestrasSobreCustos Os seminários são realizados em cinco regiões: Norte, Sul, Leste, Centro e Continente. O interessado deve escolher o local no momento da inscrição. A ministração das palestras é feita por consultores do Sebrae/SC e do Observatório Social de Florianópolis. Os próximos temas são: Processos (setembro), Recursos Humanos (outubro) e Vendas para o Governo (novembro).

Piter Santana Presidente da Ampe Metropolitana

A IMPORTÂNCIA DOS EMPREENDEDORES NA ECONOMIA LOCAL A participação das micro e pequenas empresas em Florianópolis representa 98% das empresas abertas nos últimos dois anos. Quando analisamos a participação no mercado de trabalho, verificamos que as micro e pequenas empresas têm uma importância destacada na economia local, empregando mais de 60% da mão de obra formal. É o que mostra um levantamento realizado pela Ampe Metropolitana junto aos dados públicos oficiais do Ministério da Economia, Receita Federal e Sebrae. Veja os dados ao lado, na matéria publicada no jornal Notícias do Dia. O crescimento das micro e pequenas empresas nos últimos anos é diretamente ligado à criação de um ambiente de negócios cada mais voltado às necessidade do empreendedor. Vale destacar a simplificação no processo de abertura de empresas e a oportunidade de o poder público municipal oferecer políticas públicas de acesso ao crédito a juro zero, acesso ao mercado, capacitação e orientação nas comunidades. Com alta taxa de desemprego, empreender não é apenas uma oportunidade de mercado e sim uma necessidade. Ao invés de ficar meses esperando por vaga, muitos que acabaram perdendo seus empregos com a recente crise estão tomando a iniciativa de empreender e passam a ser o autores de sua própria história. Isso se retrata nos dados, que mostram Florianópolis com mais de 30 mil empresas abertas em pouco mais de 30 meses. O setores que mais abrem são os serviços de cabeleireiros, manicure e pedicure (1.687), comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (1.496) e promoção de vendas (1.085). As regiões que são mais procuradas pelos empreendedores são os bairros dos Ingleses do Rio Vermelho (2.934), Centro (2.254) e Campeche (1.595). Dentro deste quadro, a Ampe atua para cada vez mais contribuir para um ambiente favorável aos negócios, oferecendo capacitação, serviços e uma representação firme e ativa na busca por novas conquistas para os empreendedores. É assim que poderemos ter mais desenvolvimento e geração de oportunidades em nossos municípios, melhorando a vida de milhares de famílias. Por outro lado, para termos uma entidade forte, precisamos também do apoio de todos. Conheça a Ampe, associe-se e participe! EXPEDIENTE

CRONOGRAMA DE AGOSTO 6 de agosto – Armação – Auditório do Centro de Saúde da Armação - Rodovia SC 406, nº 6074.

nº 50.

8 de agosto – Costa da Lagoa – Salão Paroquial Capela Santa Cruz da Costa da Lagoa.

22 de agosto – Abraão – Salão de Festas da Igreja Bom Jesus, Rua João Meirelles, nº 1244.

13 de agosto – Jurerê Tradicional – Pousada dos Chás – Rua Francisco Gouvêia, nº 54.

Serviço O quê: 500 vagas em palestras sobre Custos; Como: Inscrições pelo link bit.ly/ PalestrasSobreCustos; Quando: 6 a 22 de agosto, em todas as regiões.

15 de agosto – Itacorubi – Associação Bairro Itacorubi Servidão José Antônio de Lima,

20 de agosto – Centro – Sebrae Avenida Rio Branco, nº 611.

Jornal com circulação mensal confeccionado em parceria com a AMPE Metropolitana EMPRESA RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DO PROJETO: Carlos Alberto Gonçalves Júnior – ME JORNALISTA RESPONSÁVEL: Adriano Ribeiro PERIODICIDADE: Mensal TIRAGEM: 2.000 exemplares ÁREA DE ABRANGÊNCIA: Florianópolis, São José, Biguaçú, Palhoça, IMPRESSÃO: Gráfica Rio Sul TEXTOS E FOTOS: Adriano Ribeiro,

Cláudio Schuster DIAGRAMAÇÃO: Dóda Design FORMATO: Tabloide FUNDAÇÃO: abril de 2019 CONTATO: (48) 3733-6489 EMAIL: redacaofloripa@jornalinforme.com.br


Leitura rápida

Edição Julho/2019

03

Adriano Ribeiro

E-mail: adrianomribeiro2016@gmail.com

(48) 99800-5836

Responsabilidade social Estão abertas as inscrições para o edital 2019 da Certificação e Troféu de Responsabilidade Social – Destaque SC. A iniciativa é da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (ALESC) e tem apoio da FIESC e de outras entidades. As empresas e instituições interessadas em participar

podem realizar suas inscrições até o dia 20 de setembro, por meio do site http://responsabilidadesocial.alesc.sc.gov.br/ A iniciativa tem o objetivo de reconhecer empresas públicas e privadas, além de instituições sem fins lucrativos que assumem a responsabilidade social como política

de gestão. Um dos pré-requisitos para participação é a comprovação do balanço social relativo ao ano de 2018. As organizações que obtiverem os melhores desempenhos avaliativos, com base nas ações e projetos socioambientais desenvolvidos, serão premiadas com o Troféu Destaque.

Fórum Permanente das Microempresas e EPPs A segunda reunião ordinária dos Comitês Temáticos do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte/ FPMPE, realizada dia 17 de julho, em Brasília, teve a participação da Ampe Metropolitana. Na oportunidade, foram apresentadas informações sobre a Medida Provisória da Liberdade Econômica, Sistema de Garantia de Crédito, Empresa Simples de Crédito e reuniões dos comitês temáticos.

Doação A Ampe Metropolitana fez a entrega de mais de 20 Kg de alimentos para o Lar de Idosos Santa Maria da Paz em Tijucas. A campanha de arrecadação acontece durante os cursos gratuitos que a entidade realiza para os empreendedores da

região metropolitana de Florianópolis, em parceria com Sescon da Grande Florianópolis, Sebrae e as prefeituras locais, com apoio do Bradesco . As atividades fazem parte da programação de comemoração dos 10 anos da Ampe.

Desburocratização

Visita O presidente da Ampe Metropolitana, Piter Santana, realizou visita institucional à secretária de Desenvolvimento Econômico de Biguaçu, Márcia Rodrigues de Azevedo, com objetivo de apresentar a associação, estreitar o relacionamento e sugerir projetos com foco no desenvolvimento das micro e pequenas empresas do município.

A prefeitura de Palhoça realizou evento de assinatura da Lei de Desburocratização para os microempreendedores individuais do município, dia 11 de julho. A Ampe Metropolitana esteve presente, representada por seu presidente, Piter Santana. A nova legislação melhora ainda mais as expectativas de crescimento do setor no município, que aumentou a arrecadação de Imposto Sobre Serviço (ISS) em 13,28% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado. O número de em-

CAPACITAÇÃO EM FLORIANÓPPLIS

Cursos gratuitos

presas abertas em Palhoça de janeiro a junho deste ano já supera 2018, com mais de 22 mil empreendimentos iniciados e 43.323 novos postos de trabalho.

Com o tema “Custos”, a Ampe Metropolitana realizou a terceira rodada dos cursos gratuitos que fazem parte da programação de seu décimo aniversário. As atividades foram realizadas em Florianópolis, São José, Biguaçu, Palhoça, Tijucas, Garopaba e Santo Amaro da Imperatriz. No total, serão 60 cursos, incluídos em uma agenda com 100 ações. Os outros temas tratarão de finanças, estratégia empresarial, marketing, acesso ao mercado

e negócios com o governo. Realizados de maio a novembro, em 14 municípios, os eventos têm apoio do Sebrae e do Sescon da Grande Florianópolis. Todos os cursos têm foco na capacitação para uma melhor gestão empresarial. Doe um Kg de alimento, um agasalho ou brinquedo e participe. Inscreva-se neste link, no site do Sescon: http://sescongf.com.br/evento/programa-capacitacao-para-gestao-empresarial/

Ampe colabora com o Ministério da Cidadania

II Expo São José A abertura da II Expo São José, realizada no CTG Os Praianos, de 5 a 7 de julho, teve a participação da Ampe Metropolitana. O evento ofereceu acesso ao mercado para micro e pequenas empresas e produtores rurais da região.

Apis realiza 4º Encontro de Profissionais A Apis (Associação dos Profissionais de Instalações e Serviços Especializados) realizou o 4º Encontro de Profissionais - Desmistificando a Energia Fotovoltaica, dia 9 de julho, com a presença de mais de 70 participantes. O evento foi realizado em parceria com a Ampe Metropolitana, Sebrae, Fampesc, Intelbrás e Discfone.

O presidente da Ampe Metropolitana, Piter Santana, foi convidado para colaborar com a criação do projeto de Assistência Técnica e Extensão para a Inclusão Produtiva Urbana, uma iniciativa do Ministério da Cidadania. Assim, Piter participou dia 16 de julho de reunião em Brasília para tratar sobre o tema. O governo quer incorporar e difundir práticas que fortalecem o empreendedorismo, implementadas com sucesso em Florianópolis a partir de ações sugeridas na carta que a Ampe Metropolitana encaminhou aos candidatos nas eleições para prefeito em 2012 e 2016.

PITER SANTANA, EM BRASÍLIA, COM MANOEL EUGÊNIO GUIMARÃES DE OLIVEIRA, ANALISTA TÉCNICO DE POLÍTICAS SOCIAIS DO MINISTÉRIO


04 Edição Julho/2019 PERFIL EMPREENDEDOR

Mulheres empreendedoras aquecem setor da moda em lojas colaborativas Marcas com design local e autoral apresentam o conceito slow fashion na Local Colab, recém lançada em Florianópolis

Movimentar o setor da moda, empreender e valorizar o design local e autoral são algumas das premissas das lojas colaborativas. Em Florianópolis, as amigas Beatriz Freitas Ribeiro, 27 anos e Camila Yumi Kawata, 30 anos, ambas manezinhas e formadas em Design de Moda pela Udesc, decidiram unir forças e abrir um espaço para abrigar e dar visibilidade para mulheres que empreendem no setor em Santa Catarina. “Já compartilhávamos há um tempo a vontade de ter uma loja e a escolha do modelo colaborativo também sempre foi discutida entre nós, por acreditarmos que condizia com nossos valores”, explicam as sócias que inauguraram recentemente a Local Colab, no bairro Agronômica, em Florianópolis. As empreendedoras contam que a vontade de abrir o espaço surgiu da necessidade de estar mais visível e em um ponto físico, pois, até en-

tão, o contato com os clientes era feito apenas pelo site, feiras e com pessoas que conheciam o ateliê da Rina Lab, marca própria de roupas femininas criada em 2017 por Beatriz e Camila. “Empreender não é fácil. Vem a insegurança, mas junto com ela a vontade de crescer e mostrar nosso potencial como criadoras. Botamos a mão na massa: ficamos um mês e meio planejando como seria a loja conversando com as marcas parceiras e construindo tudo com muito carinho”, conta Camila. Hoje a Local Colab abriga 14 marcas, todas produzidas por mulheres, sete araras, quatro nichos grandes, três médios, três pequenos e quatro prateleiras que apresentam roupas, acessórios, cosméticos e itens de decoração. São elas: Anthea Intimates, Ateliê Ro Fumagalli, Atelier 4797, Be.Cult, Cora Oestrem, Donatelo Eco, Leve

Ser Cosméticos, Rina Lab, RV Swimwear, Sabrina Melo, Serafina Slow Fashion, The Lilled Small Town, Vanille e Bem ti vi. A grande maioria é de Florianópolis, mas há também marcas de Gaspar, Massaranduba e do Rio Grande do Sul. Para participar da loja é preciso entrar em contato e enviar uma proposta comercial. A partir disso é feito um contrato inicial de três meses e fica a critério da marca se a mesma continuará ou não. Beatriz explica ainda que, quando um produto é vendido, 80% fica para a marca e o restante para a loja colaborativa. “Aqui somos muito unidas e estamos sempre trocando ideias e colaborando uma com a outra. O empoderamento feminino é algo que vem crescendo, assim como a independência financeira e a liberdade da mulher. São mulheres talentosas e que acreditam no seu potencial”, conta Beatriz.

CAPITAL

Conceito de loja colaborativa cresce em Florianópolis

B

DIVULGAÇÃO

eatriz e Camila fazem parte de um novo modelo de negócio que está se expandindo cada vez mais no Brasil e que tem gerado impacto em várias cidades brasileiras. Em Florianópolis há cerca de cinco lojas colaborativas que comercializam os mais diversos produtos, desde vestuário, acessórios, beleza e itens para decoração e casa. As sócias explicam ainda que, diferente da loja tradicional, nestes espaços é possível consumir e ter uma garantia sobre a procedência de onde vem e quem faz os produtos. Segundo Beatriz, essa é uma maneira de valorizar produtores locais que estão iniciando e também das marcas estarem em contato com o cliente, proporcionando uma troca super bacana. SLOW FASHION Algumas marcas vendidas na loja fazem todo o processo dos produtos, sem precisar de terceiros para a produção. No entanto outras fazem alguns processos como modelar e cortar, e terceirizam as costuras, o que acaba movimentando também a cadeia produtiva e gerando oportunidade de ganhos para as costureiras da região. “Procuramos sempre perguntar onde são feitas as peças e por quem. Estar sempre atento a um sistema que valorize

BEATRIZ FREITAS E CAMILA YUMI KAWATA

cada etapa de produção, desperdício mínimo, sustentabilidade, e economia local faz parte do movimento slow fashion”, destacam as sócias. Para quem não sabe o termo slow fashion em português literal significa moda devagar, mas, pode ser chamada de moda

consciente. A terminologia, usada primeiro em países da Europa, questiona a produção em larga escala e propõe uma conscientização das pessoas com relação ao consumo. ATELIÊ INCUBADO Dentro da Local Colab fica

o ateliê incubado da Rina Lab. É neste espaço que sai toda a produção da marca. Quem visita a loja pode acompanhar todo o processo, desde a criação, o corte das peças até a costura e arremates finais da peça. “Entrando na loja a pessoa pode acompanhar todo o

universo que envolve a concepção de uma peça de roupa: as máquinas e nós estamos ali para mostrar como tudo é feito. É como se você pudesse entrar em cada fábrica dos produtos que você consome, mas é numa escala menor”, explica Beatriz.


Edição Julho/2019

05

INTEGRAÇÃO

Colegiado vai pensar desenvolvimento regional Municípios da Grande Florianópolis criam órgão para unir ações pelo desenvolvimento econômico

G

estores e técnicos municipais reuniram no dia 5 de julho para criar o Colegiado Regional de Desenvolvimento Econômico da Grande Florianópolis (Codefpolis), com objetivo de unificar debates e soluções comuns para as demandas nesta área. Ligado à Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis, o Codefpolis elegeu sua primeira diretoria com a coordenação de Piter Santana (Prefeitura de Florianópolis), Diego Chierighini (Prefeitura de Palhoça) como vice-coordenador, Waldemar

Bornhausen (Prefeitura de São José) na 1ª secretaria e Izabel Cristina Kretzer.. (Prefeitura de Alfredo Wagner) na 2ª secretaria. "O desenvolvimento hoje é regional. Nosso objetivo é oferecer espaço de discussão e alinhamento de conhecimento sobre os temas ligados a essa importante área que fomenta toda a base da economia, assim tornando a Grande Florianópolis cada vez mais Empreendedora", explicou Piter Santana, que é superintendente de Desenvolvimento Econômico de Florianópolis.

DIVULGAÇÃO

MEMBROS DA COORDENADORIA DO COLEGIADO

SC terá a 1ª aceleradora para startups de hardware do Brasil Berço de uma série de startups bem sucedidas na área de software – e com um ecossistema que conta também com rede de investidores locais, aceleradoras, incubadoras e programas de desenvolvimento – Santa Catarina passa a ter, a partir de setembro, a primeira aceleradora focada em novas empresas de hardware. A HARDS Factory é uma iniciativa da Darwin Startups, uma das primeiras aceleradoras do ambiente de inovação catarinense , e busca negócios em estágio inicial

Ampe firma parceria com a Sodexo Os associados da Ampe Metropolitana agora têm condições diferenciadas e atendimento personalizado para a aquisição dos cartões benefícios Sodexo, como cartões refeição, alimentação, vale transporte e combustível. Conheça as soluções oferecidas pela Sodexo para aumentar a motivação e retenção de seus funcionários, gerando mais produtividade para sua empresa. Solicite mais informações pelo telefone (48) 3259-4800 ou pelo e-mail comercial@ampemetropolitana.com.br.

que atuem com foco em mercados como indústria 4.0, energia, cidades inteligentes, Internet das Coisas (IoT), saúde, comércio exterior, agronegócios e logística. As inscrições podem ser feitas até o dia 09 de agosto, exclusivamente pelo sitewww. hards.com.br e a primeira turma começa em setembro. A HARDS divulgou a criação de um veículo de investimento de R$ 10 milhões para essa operação – os recursos ainda estão sendo captados pela aceleradora. Na fase de pré-aceleração, o

programa é equity free, ou seja, não exige participação na sociedade em troca de investimento. Após este primeiro filtro, na etapa de aceleração, os empreendedores selecionados terão à disposição uma equipe de mentores especializados e podem receber aportes financeiros – o limite é de R$ 300 mil por até 20% de participação no capital social. “Os benefícios vão desde suporte a captação de recursos via editais de fomento e incentivos fiscais, até acesso a laboratórios de prototipagem e a uma

infraestrutura completa para fabricação de lotes pilotos, tudo isso no mesmo prédio“, destaca Marcos Buson, diretor da HARDS e também responsável pela área de Novos Negócios na Darwin Startups, aceleradora eleita a melhor do país em 2018 pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups). A sede será no Instituto da Indústria, localizado no Sapiens Parque, na região norte de Florianópolis. O desenvolvimento da Darwin Startups, que iniciou em 2015 a partir de uma equipe da

Fundação CERTI e da gestora de venture capital Cventures, será um modelo para a nova aceleradora de empresas de hardware. “O modelo Multi-Corporate Venture com diversos players protagonistas em seus segmentos tornou o Darwin referência nacional. Nosso investimento é baseado na conexão e impulsionado em grandes corporações que fazem parte do grupo de investidores, que são a Neoway, Grupo J. Safra, RTM, TransUnion e B30, destaca Marcos Mueller, CEO e fundador da Darwin.

Histórico de projetos de hardware em Florianópolis Apesar dessa vocação para as empresas de software, o polo de tecnologia da capital catarinense tem um histórico no desenvolvimento de hardwares graças ao trabalho desenvolvido há décadas pela Fundação CERTI, incubadoras como o Celta e alguns laboratórios da Universidade Federal de Santa Catarina. “Por muitos anos na CERTI fomos capazes de desenvolver projetos para utilizar recursos de editais e benefícios fiscais que apoiam pesquisa e desenvolvimento especialmente de hardware. Temos convicção que podemos transportar essa experiência ao programa e auxiliar ainda mais os empreendedores a desenvolver e escalar seus produtos”, lembra José Eduardo Fiates, diretor da FIESC e Superintendente da CERTI, que desenvolve pesquisas, produtos e serviços baseados em hardware com parceiros como Embraer, Samsung, Philips, Petrobras entre outros. A Fundação é uma das par-

DIVULGAÇÃO

SEDE SERÁ NO INSTITUTO DA INDÚSTRIA, EM FLORIANÓPOLIS (FOTO) E AS INSCRIÇÕES ESTÃO ABERTAS ATÉ O DIA 9 DE AGOSTO

ceiras da HARDS, junto com a FIESC, o SENAI e a PRODUZA S/A, especializada em montagem de placas eletrônicas em pequenas e grandes séries. “O

ecossistema de Florianópolis, os incentivos já disponíveis em âmbito municipal, no estado e no país, além da experiência em fabricação de placas de cir-

cuito classe mundial, tornam a capital catarinense o cenário propício para estimular startups de hardware”, salienta Carlos Fadul, CEO da Produza.


06 Edição Julho/2019 São José também tem mudanças na emissão de Alvará Sanitário com a classificação de baixo e alto risco sanitário das atividades econômicas, publicada em seu anexo único, entre outras medidas. “Os estabelecimentos que desenvolvem atividades de baixo risco necessitam de um olhar diferente e nossa equipe técnica e administrativa está sendo preparada para a emissão dos alvarás em cinco dias”, pontua a diretora da Vigilância Sanitária Marly Previatti. A consultora do Sebrae/SC e Diretora do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis da Grande Florianópolis (Sescon), Sueli Lira, explica que o processo de simplificação e desburocratização em vários municípios do Estado de Santa Catarina é similar a de outros Estados do Brasil. “Sentimos na prática a dificuldade da formalização de empresas, por isso, entendemos a necessidade de simplificar o processo. São José tomou por base a Lei Estadual que é objetiva e busca essa formalização de empresas para as atividades consideradas de baixo risco ou que não são de interesse da saúde”, explica Sueli.

DIVULGAÇÃO SECOM/PMSJ

A Prefeitura de São José, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e da Diretoria de Vigilância Sanitária, promoveu dia 23 de julho, um encontro com contadores no Auditório da Prefeitura para apresentar as mudanças quanto aos procedimentos para emissão do Alvará Sanitário para estabelecimentos e da Licença Sanitária para veículos. Presente no encontro, representando a prefeita de São José Adeliana Dal Pont (PSD), o secretário adjunto da Casa Civil, Junior Spies, destacou o processo de elaboração do Decreto nº 11.886/2019, publicado em 12/07/2019, que objetiva a simplificação e aceleração do processo de emissão das licenças sanitárias, focando possibilitar a abertura de novas empresas em São José. “Foi um trabalho que fizemos em conjunto com o Sebrae, Casa Civil e Vigilância Sanitária, e desejamos que levem as novidades desse Decreto para os demais interessados na regularização das empresas”, destaca. O Decreto regulamenta o licenciamento de estabelecimentos e veículos de acordo

O PROCESSO OBJETIVA SIMPLIFICAR E ACELERAR A EMISSÃO DO DOCUMENTO NO MUNICÍPIO

DESBUROCRATIZAÇÃO

Prefeitura da Capital reduz para até 30 dias a emissão de Alvará Sanitário Resultados positivos podem ser atribuídos à desburocratização de processos e estimase que este prazo diminua ainda mais com a implantação de um novo sistema

E

ntre os grandes desafios da Prefeitura de Florianópolis, juntamente à Vigilância Sanitária da Capital, estava reduzir o tempo de espera para a emissão de Alvarás Sanitários e Habite-se Sanitário, bem como para análises de Projeto Básico de Arquitetura (PBA) e Projeto Hidrossanitário (PHS). Hoje, a população já tem acesso a um alvará sanitário dentro de 30 dias, se comparado a 2017, uma redução de 85 dias, já que quando assumimos levava 115 dias para a emissão, recorda Leonardo Ventura, Diretor de Vigilância em Saúde. Ainda neste sentido, análises como de Projeto Básico de Arquitetura, que levavam 248 dias em 2017, hoje são entregues em 46 dias, Projeto Hidrossanitário (PHS) e Habite-se Sanitário, que levavam 331 e 132 dias, respectivamente, não passam de 60 dias. Segundo Ventura, essa redução significativa, apresentada através da comparação de dados dos primeiros semestres dos últimos 5 anos (Gráfico 1), se deve a alterações de processos, visando a desburocratização, além da mudanças na rotina e de fluxo, e da atualização de normas legais. “Já estamos deferindo alvarás de baixo risco sanitário em menos de 15 dias”, relata. A Prefeitura Municipal de Florianópolis e Vigilância Sani-

DIVULGAÇÃO

VIGILÂNCIA SANITÁRIA

RESULTADOS POSITIVOS PODEM SER ATRIBUÍDOS À DESBUROCRATIZAÇÃO DE PROCESSOS

tária esperam resultados ainda melhores para o segundo semestre deste ano, através da implantação do novo sistema da Vigilância Sanitária, onde o cidadão terá a autonomia para solicitar, sem passar pelo pró-cidadão, de forma eficiente e simples, todos os serviços que necessite para a regularização e concessões de licenças e alvarás. “Nossa meta é deferir um alvará sanitário de baixo risco em

5 dias”, conclui o gerente. Só neste primeiro semestre de 2019 já foram emitidos 2810 alvarás sanitários, das 3005 solicitações, atingindo uma entrega superior a 90%, e um aumento significativo quando comparado aos 2004 emitidos no primeiro semestre de 2013. O novo sistema da Vigilância Sanitária de Florianópolis está previsto para atender à população a partir do início de agosto.

O prefeito Camilo Martins (PSD) assinou dia 11 de julho a Lei Complementar nº 272/2019, que estabelece a simplificação do registro e da legalização da atividade econômica dos Microempreendedores Individuais (MEI's). A nova legislação melhora ainda mais as expectativas de crescimento do setor no município, que aumentou a arrecadação de Imposto Sobre Serviço (ISS) em 13,28% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado. O número de empresas abertas em Palhoça de janeiro a junho deste ano já supera 2018, com mais de 22 mil empre-

endimentos iniciados e 43.323 novos postos de trabalho. O fomento ao empreendedorismo com leis municipais que favorecem empresas inovadoras, incentivos fiscais, agilidade na abertura e no atendimento de pequenos e grandes empreendimentos, além de capacitações técnicas frequentes, permitem que a cidade seja competitiva no mercado. "Conseguimos atrair grandes e importantes empresas, porque criamos um programa de incentivos fiscais e econômicos, garantimos uma legislação moderna e segurança jurídica, que tornam nossa cidade um ambiente favo-

rável para negócios", avaliou o prefeito Camilo Martins. "Os incentivos na cidade me deixaram seguro e motivado para dar um salto nos negócios. Essas iniciativas, aliadas à segurança jurídica, funcionam como uma espécie de incubadora, estimulando o desenvolvimento das empresas nas primeiras etapas de suas vidas", afirma Laércio Pereira Júnior, empresário do mercado de automóveis há mais de duas décadas no município e que, nos últimos anos, desenvolveu o aplicativo "Repasse", que facilita a compra e a venda de veículos entre lojistas de todo o país.

DIVULGAÇÃO

Palhoça implanta lei de desburocratização para MEI's

NOVA LEGISLAÇÃO AMPLIA AINDA MAIS AS EXPECTATIVAS DE CRESCIMENTO


Edição Julho/2019

07

Mais de 2 mil participantes no Arena Sebrae, em São José EVENTO

Um dos maiores eventos de empreendedorismo gratuito do estado foi realizado dias 19 e 20 de julho pelo Sebrae/SC, em parceria com a Prefeitura de São José DIVULGAÇÃO

O

Centro Multiuso de São José foi o palco principal do Arena Sebrae/SC, dias 19 e 20 de julho, e recebeu mais de 2 mil pessoas entre empresários e entusiastas que estiveram no local para conferir o maior evento de empreendedorismo gratuito do estado. Na noite de sexta (19), a prefeita Adeliana Dal Pont esteve no evento e demonstrou a alegria em receber um evento deste porte no Município. Adeliana destacou os indicadores positivos que a cidade de São José tem conquistado por meio da parceria entre o poder público e a iniciativa privada, e a dedicação da comunidade josefense formada por um povo forte e trabalhador. “É uma honra para a prefeitura ser parceria de eventos que tenham o propósito de incentivar os empresários a aprenderem uns com os ou-

O ARENA SEBRAE PROMOVEU PALESTRAS MINISTRADAS POR RENOMADOS PROFISSIONAIS DE DIFERENTES SEGMENTOS

tros, aprimorarem suas técnicas e estratégias para desenvolverem seus negócios em São José, pois sucesso destes profissionais também significa o sucesso e o desenvolvimento da nossa cidade”, comentou a prefeita. O Arena Sebrae promoveu pa-

Fórum Simplifica realiza reunião implantação definitiva. Sobre a implantação da Junta Digital no Estado e status dos serviços com aceitação do certificado digital o presidente da JUCESC informou que desde 2 de maio deste ano a Junta iniciou o processo da Junta Digital em todo Estado que havia sido prorrogado por 60 dias, devido ao andamento do processo ficou entendido que seria necessário este tempo para organização interna. Segundo ele, o início da implantação do processo apresentou muitas dificuldades, com um decréscimo na receita até o dia 15 de maio, quando a houve uma recomposição e incremento com 14 mil processos no mês de maio, com 8% a mais da média mensal. Assim, o sistema vai vencendo barreiras de acordo com sua implantação, especialmente após ajustes em comum acordo com as entidades.

DIVULGAÇÃO

O Fórum Simplifica esteve reunido no mês de junho no auditório do Sescon da Grande Florianópolis. O coordenador do grupo em conjunto, Darley Antonio Grando, do SESCON e o presidente da JUCESC, Juliano Chiodelli, agradeceram a presença de todos os membros do Fórum e conduziram o encontro. Entre as pautas da reunião foi discutido sobre a implantação da Junta Digital no Estado e status dos serviços com aceitação do certificado digital. Também foi debatido sobre a integração REGIN com as PMF e PMSJ, assinatura de contrato para suporte e manutenção do REGIN; novos serviços da JUCESC; impactos das MP’s 876 e 881; aprovação do projeto SC Bem Mais Simples pela Câmara de Vereadores de Florianópolis; relação de municípios que aderiram a SC Bem Mais Simples e cronograma dos trabalhos para

REUNIÃO ACONTECEU NA SEDE DO SESCON, EM FLORIANÓPOLIS

lestras ministradas por renomados profissionais de diferentes segmentos e realizou mais de 50 atividades simultâneas no Centro Multiuso para que os participantes pudessem se inspirar com diversos cases de sucesso apresentados ao longo do evento.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Waldemar Bornhausen Neto reforçou sobre a importância do evento não somente para os empresários, mas também, para os profissionais que fazem parte das equipes das empresas, e destacou as constantes transformações dos modelos de negócios com a crescente presença do movimento digital que vem provocando reflexões sobre a importância de se estar preparado para o mercado nos próximos anos. “O Município de São José busca novos empreendedores, e sabe como a parceria entre o poder público e a iniciativa privada é importante para o fomento da economia e o desenvolvimento da cidade, por isso, esse evento foi fundamental para agregar conhecimentos, networking, e promover a trocas de experiências entre

os profissionais com o intuito de incentivar o crescimento dos negócios”, ressaltou o secretário. Representando o Sebrae/ SC, o diretor técnico, Luciano Pinheiro, relatou estar muito orgulhoso e feliz com o projeto, pois a missão de ajudar a desenvolver os empreendedores do país, assim como, todos aqueles que buscam correr atrás de seus sonhos deixa a equipe do Sebrae ainda mais engajada nesta causa que é ajudar empresários e potenciais empreendedores. “Criamos esse evento com o olhar cuidadoso de poder atender a todos aqueles que queiram empreender. Estamos aqui para ajudá-los a construir uma jornada empreendedora. Trabalhamos com parceiros que são fantásticos nisso e todos eles se complementam em poder ajudar.”, explicou o diretor.


08 Edição Julho/2019 FOTO: PMF/DIVULGAÇÃO

CAPITAL

Floripa Empreendedora incentiva a geração e manutenção de negócios

O

empreendedorismo está no DNA de Florianópolis tanto quanto as belezas. Além do espírito empreendedor da cidade, a Prefeitura vem investindo em programas que potencializam o ambiente dos negócios, valorizando o desenvolvimento de habilidades e fortalecendo empresas florianopolitanas. É o caso do Programa Floripa Empreendedora que alcança empreendedores de diversas áreas. Com isso, fomenta o crescimento econômico de maneira dinâmica pautada na agenda ODS (objetivos de Desenvolvimento Sustentável), estabelecida em Assembleia das Nações Unidas. Em um cenário que prevê o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em torno de 2,8%, a estimativa da Associação Catarinense das Empresas de Tecnologia (Acate) é que as empresas de Florianópolis cresçam cerca de 20% em 2019. Além do polo de tecnologia, a cidade vem assistindo a uma retomada das empresas de alimentação e bebida, de vestuário – principalmente as pequenas produtoras –, de produtos para animais de estimação, as voltadas para entretenimento e diversão, e as de economia colaborativa. “Como presidente da associação de micro e pequenas empresas, entendendo as reais necessidades dos empreendedores de nosso município, estamos desenvolvendo programas e projetos para tornar Florianópolis uma cidade cada vez mais empreendedora”, assegura Piter Santana, Superintendente de Desenvolvimento Econômico de Florianópolis. Algumas ações do Programa merecem destaque, como o Juro Zero Floripa, que, com base na Lei Ordinária 10196/17 do município, oferece crédito a juro zero, estimula a formalização dos negócios, tirando os empreendedores da informalidade. Assim, os empresários têm acesso a direitos, como aposentadoria por idade e auxílio-doença (além de outros benefícios da previdência social). Além disso, promove o associativismo e oferece capacitação ao empresário e seus funcionários, para que possam encarar o mercado de frente. O “Floripa Empreendedora no Bairro” também é uma iniciativa relevante, pois descentraliza as ações e permite maior participação da comunidade. O incentivo ao desenvolvimento regional se dá, ainda, com o Projeto Comunidades Empreendedoras, realizado em uma parceria en-

tre Prefeitura de Florianópolis, Sebrae-SC e Observatório Social de Florianópolis. Esse Projeto oferece capacitação em gestão empresarial gratuita para empreendedores de comunidades distribuídas em seis regionais (Sul, Leste, Norte, Bacia do Itacorubi, Centro e Continente). “Em julho de 2019, completamos 26 meses de atuação do Floripa Empreendedora. Nesse período, realizamos mais de 400 atividades que permitiram a criação de mais de 14 mil novas em-

presas. E nas 23 edições do Floripa Empreendedoras nos Bairros atendemos mais de 1530 empreendedores”, explica Piter Santana. Além desses projetos, é importante citar o Programa Instituição Amiga do Empreendedor (IAE), que visa ligar instituições de ensino superior públicas ou privadas a empresários, a fim de estabelecer um ambiente de interação, orientação, capacitação e assistência gerencial a empreendedores e a quem deseja empreender.

PROGRAMA TAMBÉM ESTIMULA NEGÓCIOS POR MEIO DE AÇÕES NO CENTRO DA CIDADE

VOCÊ É MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) OU TEM UMA MICROEMPRESA?

Sabia que você conta com crédito disponível, sem pagar juros, para alavancar seu negócio? O Programa Juro Zero Floripa, disponibilizado pela Prefeitura Municipal de Florianópolis e operado pelo Banco do Empreendedor está disponível para os MEIs e MEs de Florianópolis.

SAIBA COMO ACESSAR ATRAVÉS DE NOSSO SITE: www.bancodoempreendedor.org.br ou ligue 0800 645 3845


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.