__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1


Cenário

Deixar a porta do carro aberta com as chaves no contato, encostar a bicicleta por várias horas na sarjeta, dormir com as janelas escancaradas... Estes hábitos, entre muitos outros, são comuns em cidades pequenas como Motuca, onde a tranquilidade é uma das principais características. Os acontecimentos nos últimos dois meses, no entanto, indicam uma mudança de comportamento, principalmente pela sequência dos eventos e a ousadia dos infratores. É importante consideramos que em termos estatísticos as ocorrências policiais no município não fogem da normalidade. Motuca ainda é tranquila. Tais acontecimentos podem ser classificados como atípicos, representando flutuações naturais nos índices de criminalidade. As preocupações, contudo, são inevitáveis. A partir das questões levantadas, abre-se uma ótima oportunidade para discutir a segurança no município, principalmente em termos de políticas públicas. Os acontecimentos tornaram evidentes alguns problemas existentes no município. O comandante local observou o número insuficiente de efetivo, que acarreta em prejuízos nas abordagens. Para solucionar o problema buscou, sem sucesso, a contratação de mais policiais

2

julho de 2010

Preocupação com a segurança

junto à Secretaria Estadual de Segurança. Como a pressão política é um meio de mover as engrenagens, o prefeito e os vereadores locais deveriam aumentar o coro para que o órgão se sensibilize para a questão. A falta de investimentos em programas preventivos foi outro problema que veio à tona. O poder público local deve investir

EXPEDIENTE Jornalista: Jairo Figueiredo Falvo, MTB 44.652/SP Repórter: Gabriela Marques Luiz Conselho Editorial: Fábio de Mello Falvo, Jairo Falvo Colaboradores: Fábio Falvo, Milena Fascinelli, Ângela Santos, Emair Freitas, Irineu Ferreira Tiragem: 1.000 exemplares Circulação: Motuca Impressão: Jornal Folha da Cidade - Araraquara Telefone: 16 3348 11 85 - 8141 9125 e-mail: cenarioregional@gmail.com CNPJ: 07.650.710/0001-06

em mecanismos de monitoramento eficientes instalados nas entradas das cidades e em pontos estratégicos com a finalidade de inibir as ações criminosas. Mas não é apenas o poder público que deve se mexer. A precaução também precisa vir das próprias instituições e comércios que lidam com deter-

minadas quantias em dinheiro, a partir da implantação de sistema de segurança adequado para dificultar as incursões criminosas. Em diversas cidades do país, associações comercias e industriais colaboram de maneira efetiva com a segurança, a partir de investimentos dirigidos para sanar os problemas. A união, infelizmente, ainda é um tabu a ser quebrado por aqui. Além disso, é fundamental inserir a sociedade no debate e incitá-la a agir. Infelizmente, ainda persiste em Motuca a equivocada noção que as soluções devem partir apenas do poder público que, em razão das limitações orçamentárias e barreiras burocráticas, entre outros fatores, deixa a desejar em algumas questões sociais. O tamanho da cidade é proporcional ao número de ocorrências. Motuca é uma cidade pequena, mas que continua crescendo, mesmo com a desativação da Usina Santa Luiza. O papel do poder público local é trabalhar para oferecer empregos suficientes para acompanhar o aumento populacional. Isso porque o desemprego é considerado um dos principais fatores para a ocorrência dos crimes, junto com a desigualdade social e a disseminação das drogas.


Cenário

3

julho de 2010

A NOVA LEI DO DIVÓRCIO EMAIR JUNIO DE FREITAS O presente texto não tem a pretensão de ser uma obra literária jurídica, mas simplesmente informar aos leitores qual a forma que pode ser o pedido do divórcio, hoje. Pois entrou em vigor no dia 14/06/2010 a Emenda Constitucional n.º 66, que alterou substancialmente a forma pela qual dissolve o casamento. Antes as pessoas para romperem legalmente o casamento, ficavam a mercê de vários requisitos. Pois bem, até 2007 a separação e o divórcio só eram feitos através de processo judicial, com a propositura da ação por meio de advogado e o Juiz de Direito dava a sentença para decretar a separação ou o divórcio. A partir da Lei 11.441/2007 que possibilita a realização da separação consensual e divórcio consensual pela via administrativa, ou seja, escritura pública lavrada em cartório, desde que, o casal não tenha filhos menores ou incapazes, e ainda, observando-se os requisitos legais quanto aos prazos. Com a Emenda Constitucional n.º 66 não existe mais os requisitos de prazo, bastando as pessoas estarem casadas para poderem requerer o divórcio. Portanto, hoje com as inovações que vem se perpetrando desde a entrada em vigor da Lei 6.515/ 77 que institui o divórcio no Brasil e sem duvida seus reflexos se materializaram na Emenda Constitu-

cional n.º 66, cujo texto é bastante simples e sucinto, talvez, para que daqui em diante a dissolução do casamento civil também seja bem mais simples e rápida, possibilitando aos casais que queiram se divorciar, um procedimento mais rápido pelo fato de que não tenham que esperar os prazos que eram estipulados anteriormente. Pois agora, com o novo texto constitucional (artigo 226, parágrafo 6º), para que o casal se divorcie não existem mais requisitos de prazos, bastando, apenas, é claro, estar casados, simplificando bastante a dissolução definitiva do casamento civil. Para realização do divórcio não há necessidade de socorrer-se das vias judiciais, pois se o casal estiver de acordo com todos os termos que possam ser suscitados na dissolução do casamento civil, tal como, divisão de bens, basta procurar o cartório notorial, onde se faz as escrituras públicas, e narrar para o oficial do cartório quais são os termos do divórcio, com apresentação dos documentos necessários, tipo certidão de casamento e os documentos que comprovam a propriedade dos bens que vão partilhar. Com a ressalva de que o casal não tenha filhos menores ou incapazes, bem como, também se exige para lavratura da escritura que os divorciandos estejam assistidos por advogado, podendo ser

PADRONIZAÇÃO DE CALÇADAS: UMA QUESTÃO DE CONSCIÊNCIA IRINEU FERREIRA

um para ambos. O divórcio pela via administrativa, por meio da escritura pública é essencial que o casal esteja de acordo com todos os termos, pois se acaso tiverem alguma divergência e não haver possibilidade de consenso o divórcio terá que ser necessariamente realizado pela via judicial, onde será resolvido a divergência. As mudanças que ocorreram ao longo do tempo com relação ao divórcio têm como objetivos: desafogar o Poder Judiciário que acumulava inúmeros processos de separação e divórcio, quando a questão poderia ser resolvida sem a intervenção do Judiciário e simplificar para que fique mais rápido a dissolução do casamento civil, que muitas vezes tornava-se um martírio para o casal esperar cerca de um, dois ou mais anos para casar-se novamente. Portanto, essas alterações ocorridas são inovadoras, necessárias e salutares na medida de que haverá mais rapidez para concretização do divórcio e uma redução nos custos para realização do mesmo, pois para a lavratura de escritura pública o valor fica em torno de R$ 200 (duzentos reais) se o casal não tiver bens para partilhar, mais ainda, o Artigo 1.124-A, § 3.º, do Código de Processo Civil estipula que “A escritura e demais atos notariais serão gratuitos àqueles que se declararem pobres sob as penas da lei”. Assim se o casal for pobre na acepção jurídica do termo, deve ser isento do pagamento de qualquer emolumento. Emair Junio de Freitas, advogado. contato: emairjfreitas@adv.oabsp.org.br

“Burocratas, no serviço público,são como livros em estantes: quanto mais alto estão, menor serventia têm” (João Mellão Neto Jan./98).

As calçadas são indispensáveis à vida urbana por sua função de garantir segurança e conforto à circulação das pessoas. Elas são classificadas conforme sua utilidade: 1) Faixa de Serviço (é destinada a colocação de mobiliário urbano, árvores, rampas de acesso, poste de iluminação e sinalização de trânsito); 2) Faixa Livre (deve ser plana e desobstruída é destinada à circulação de pessoas) e 3) Faixa de Acesso (faixa opcional para calçadas com largura específica, localizada em frente ao lote onde poderá estar: mera vegetação, propaganda móvel ou mesa de bar, desde que não impeça o acesso aos imóveis). Mas em todas é necessário que tenham a superfície regular, firme, estável e antiderrapante. Parte fundamental também do trânsito, as calçadas são responsáveis por abrigar com segurança os pedestres. O mau estado de conservação, buracos, vegetação espinhosa, irregularidades absurdas, obrigam as pessoas a optarem pelas ruas.

A padronização das calçadas, sempre foi, e sempre será um desafio para o gestor público. Conscientizar a população sobre a importância de manter as calçadas em bom estado de conservação não é um trabalho fácil. Em algumas cidades, existem calçadas que são verdadeiras armadilhas, principalmente para os idosos, cadeirantes, crianças e mães com carrinhos de bebê. A locomoção de pessoas com deficiência visual é praticamente impossível. Uma campanha como “Passeio Livre”, algum incentivo no IPTU, talvez um projeto que envolvesse o comércio da cidade, com o intuito de recuperar as calçadas próximas ao seu estabelecimento, poderia ser bem recebida e, conseqüentemente, incentivar o resto da população. Mas qualquer projeto ou campanha vai depender do envolvimento de toda a sociedade e exigir que cada cidadão cuide do passeio sob sua responsabilidade. Os mecanismos para que isso aconteça, vai depender muito das iniciativas e da visão que o poder público tem sobre o assunto. Irineu Ferreira (Neu). Pós-Graduação “Lato-Sensu” em Gestão Pública-Gerência de Cidades – FCL/UNESP Delegado do PV - Motuca-SP


Cenário

Prefeitura inicia obras para o “Minha Casa, Minha Vida” Acordo com financeira prevê término dos serviços de infraestrutura até o dia 15 de agosto Jairo Falvo

tará trabalhadores do município para a construção das residências, compostas de sala, dois quartos, cozinha, área de serviço e banheiro, totalizando 42 m2 de área. PAC 2

Máquina trabalha no local onde serão construídas as residências

O governo municipal iniciou na última semana serviços de infraestrutura no terreno onde serão construídas as 30 residências do programa “Minha Casa, Minha Vida”, parceria com o governo federal. O prazo determinado pela financeira responsável pela liberação dos créditos é

15 de agosto. O trabalho representa a contra-partida da prefeitura, que deve realizar terraplanagem, abertura de ruas, instalações elétricas e construção de rede de água e esgoto. De acordo com o departamento de obras da prefeitura, a empreiteira responsável contra-

A prefeitura municipal enviou cadastro de mais 60 famílias para participar da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2), selecionadas de acordo com o nível de necessidade, a partir de dados do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), do Ministério do Desenvolvimento Social. A conquista das novas residências depende de análise técnica do Ministério, que avaliará as cidades que mais necessitam de moradias.

Processo de compra de área não interfere em andamento das obras De acordo com o departamento de obras da prefeitura, o processo de compra da área de aproximadamente 0,46 alqueires (11 mil m2), com a finalidade de abertura de via pública que inicia ao lado do terreno onde serão construídas as residências do programa “Minha Casa, Minha Vida”, até a vicinal que liga Motuca a Guariba, não interfere no andamento das obras. O município entrou com processo de desapropriação no mês passado por considerar área de utilidade pública e já depositou R$ 23 mil em juízo. O valor foi calculado a partir do preço do alqueire negociado na região, de R$ 50 mil. De acordo com o departamento jurídico da prefeitura, não há previsão para a conclusão do processo, que analisa o valor do imóvel, onde existe

4

julho de 2010

cultivo de cana-de-açúcar. Área urbana A família Gomes, proprietária da área, conta que as negociações com a prefeitura iniciaram no primeiro ano do atual governo. Na época, de acordo com a família, foi firmado acordo verbal para a realização de uma permuta envolvendo a área de aproximadamente 11 mil m2 com outra de 600 m2 localizada no centro da cidade, mas não foi concretizado. A partir do projeto de lei nº 110, discutido e votado na Câmara Municipal em cinco de abril de 2010, a área foi incluída no perímetro urbano. Desta forma, a família Gomes entende que o valor do imóvel deva ser calculado pelo valor do lote no Jardim Bela Vista.

“Motuca Rodeio Show” não supera evento do ano passado O Motuca Rodeio Show, realizado entre 8 e 11 de julho, não superou em número de público o evento do ano passado. A Global Produções, de Araraquara, responsável pela organização, estima em mais de dez mil pessoas presentes no recinto. No ano passado, de acordo com informações divulgadas pela prefeitura, o público chegou a mais 20 mil. As principais atrações musicais foram Juliano Cesar, Diego Mattos e Thiago, Chitãozinho e Xororó e as Marcianas. “Achei que neste ano os cantores não foram tão bons quanto no ano passado e são as atrações musicais que trazem o público”, aponta o cocheiro Donizete Aparecido Fernandes, 36, que se autoclassifica “peão legítimo”. De acordo com ele, a coincidências de datas com eventos congêneres de mesmo porte em Dobrada e Sertãozinho também influenciou no número de visitantes. Fernandes também revela que não gostou das montarias. Expectativa

Segundo o produtor artístico Germano Batista, da Global Produções, o rodeio deste ano

“foi melhor em todos os sentidos”, comparando com o evento do ano passado, organizado pela empresa Jota’s, de Guariba, que realizou simultaneamente em Dobrada-SP, a 42 km de Motuca. “Nossas arquibancadas e camarotes eram maiores, a área onde foi realizado o rodeio também tinha maior dimensão, além das montarias terem sido profissionais”, aponta. Diferentemente do ano passado, a empresa organizadora do evento foi escolhida por meio de licitação na modalidade pregão presencial, de acordo com recomendação do Ministério Público de Américo Brasiliense, que também estipulou um limite máximo de 0,6% do orçamento referente ao subsídio municipal direcionado ao evento. A empresa Global Produções foi a vencedora ao oferecer o menor preço, de R$ 66 mil, para organizar o rodeio.


Cenário

5

julho de 2010

Censo demográfico inicia na segunda Previsão para término dos trabalhos é 15/10 e primeiros resultados devem sair até dezembro

Número de habitantes tem influência em repasse FPM representa segunda maior receita do município Jairo Falvo

Na próxima segunda (2), tem início o trabalho de coleta de informações em todas as residências do município para o senso demográfico, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os trabalhos em Motuca devem ser realizados até o dia 15 de outubro e a previsão é que os primeiros resultados sejam divulgados até dezembro deste ano. Esta será a 12ª pesquisa do gênero, realizada a cada dez anos, com a finalidade de levantar o número de brasileiros residentes no país e no exterior, além de traçar o perfil socioeconômico da população. No total, serão visitados 58 milhões de domicílios nos 5.565 municípios no país. As pesquisas serão realizadas por quatro recenseadores que passaram por processo de seleção iniciado em março e terminado na última semana. “Eles estarão devidamente identificados com documentação, crachá e colete”, explica o agente censitário municipal Ricardo Pereira da Silva. Pela primeira vez, será utilizado um computador de mão equipado com GPS na pesquisa realizada em Motuca. “A

Recenseadores visitarão todas as residências ocupadas do município

tecnologia permitirá maior exatidão nas informações e dará maior credibilidade ao trabalho”, aponta. De acordo com Silva, os recenseadores visitarão todas as moradias permanentemente ocupadas na área urbana e rural. “Eles irão abordar uma pessoa responsável para responder as questões”, explica. Serão utilizados dois questionários: o de amostra, a ser aplicado em 1/3 dos domicílios, e o simplificado, nas demais residências. O tempo estimado para o primeiro questionário, segundo agente censitário, é de aproximadamente 45 minutos. Já o segundo, leva em torno de 15 minutos.

Sigilo

Com base na lei federal 5.534/68, as informações emitidas pelos cidadãos ao senso demográfico serão utilizadas exclusivamente para fins estatísticos. “As pessoas não precisam se preocupar, pois todos os dados são sigilosos e em caso de vazamento abre-se um processo criminal para apurar o ocorrido”, explica a agente censitária supervisora Andréia Esperândio. Para maior segurança, qualquer morador poderá ligar para o IBGE no número 0800 721 8181 para averiguar se o suposto recenseador está mesmo a serviço do instituto.

Quanto maior o número de habitantes do município, maior o valor do Fundo de Participação do Município (FPM), repasse federal que representa a segunda maior receita do orçamento, apenas atrás do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A estimativa para este ano é de cerca de R$ 4,5 milhões. De acordo com o último censo, realizado em 2000, foram contabilizados 3.871 habitantes em Motuca. Pela última estimativa do IBGE, divulgada em 2009, 4.691 pessoas residiam no município. “É fundamental que seja averiguado o número exato de habitantes de Motuca e, demonstrando o crescimento populacional, possa vir mais recursos para suprir a queda de arrecadação”, destaca o vereador Renato Luis Rateiro, que procurou criar uma comissão independente para acompanhar o trabalho do senso demográfico. De acordo com ele, ao contrário das previsões pelo fechamento da usina, Motuca está em expansão. “O princi-

pal termômetro é o aluguel, e os interessados em encontrar uma casa desocupada não encontram”, analisa. Com o início da capacitação dos recenseadores, o IBGE constituiu uma comissão com representantes dos principais setores da prefeitura para acompanhar os trabalhos. Segundo a agente censitária supervisora Andréia Esperândio, duas vezes por semana as informações obtidas serão enviadas para uma central no IBGE, pela qual poderão ser acompanhadas pelos políticos da cidade. De acordo com ela, o censo deste ano será mais abrangente. “Os imigrantes também serão recenseados, ao contrário de outras pesquisas”, explica. “Isso porque eles também usam os serviços básicos do município como saúde e educação”, explica.


Cenรกrio

julho de 2010

6


Cenário

7

julho de 2010

Série de ocorrências levanta preocupação com segurança Uma série de ocorrências nos últimos dois meses em Motuca trouxe preocupação à população. Após o assalto na agência dos Correios, em 27/05, quando dois infratores renderam funcionários e clientes, foram registrados mais cinco furtos. Na madrugada do último dia 27 (terça), o prédio da Casa Lotéria Nova Era, onde também funcionam Escritório de Contabilidade e Despachante, foi arrombado pela segunda vez num intervalo de pouco mais de um mês. Ainda em julho, uma camionete D20, levada por infratores em frente da casa do proprietário, e o furto de um gado em uma propriedade rural, somaram às outras ocorrências. “Em quatorze anos trabalhando aqui, nunca presenciei uma sequência como esta”, revela o delegado Antonio Carlos da Silva. Segundo ele, dos seis cri-

Jairo Falvo

Nos últimos dois meses ocorreram um assalto e cinco furtos; Casa Lotérica foi arrombada pela segunda vez neste ano

Disque denúncia

Prédio invadido por infratores. No detalhe, porta danificada

mes, o assalto aos Correios é o único caso já elucidado. O empresário José Carlos Francisco de Arruda, um dos proprietários do estabelecimento arrombado, demonstra preocupação com os acontecimentos. “Agora é no comércio, daqui a pouco não vamos mais ter sossego dentro de casa”, reclama Arruda, que também atua

Comandante considera efetivo insuficiente Problema se agrava em períodos de férias e folgas dos policiais O Comandante do 1º Grupamento Policial de Motuca, sargento Marcílio de Souza Ortiz Junior, considera insuficiente o efetivo da Polícia Militar (PM) no município, o que acarreta em prejuízos para a segurança pública. O ideal, segundo ele, seria a contratação de mais dois policiais, somando aos seis já existentes. Ortiz relata que já levou o problema para o órgão responsável, a Secretaria de Segurança Pública do Estado, mais ainda não foi atendido. Segundo o comandante, o número de efetivo sempre foi reduzido em Motuca, problema que se agrava em razão das férias e dos cursos realizados constantemente pelos policiais. Ele aponta prejuízos nas abordagens, além do acumulo de funções. “Nos treinamentos a gente

estabelecimento é arrombado. Os infratores estouraram dois cadeados da porta do fundo e desligaram o alarme. Foram levadas pequenas quantias em dinheiro que estavam no caixa. As duas câmeras instaladas na praça próxima ao estabelecimento estavam desligadas, em razão de queda de energia dias antes, e não registraram o momento do crime.

aprende que a superioridade numérica é fundamental quando nos deparamos com algum criminoso”, relata. “Também é muito difícil trabalhar na área administrativa e ainda ter que fazer a ronda” Conscientização

Os policiais militares trabalham em uma escala de 24 horas seguidas em serviço e um período de 48 horas de folga. “É algo sobre-humano”, destaca a soldada Fernanda dos Santos Figueiredo, que também ressalta a necessidade de mais efetivos. A soldada também considera importante que a população passe a se conscientizar para as questões de segurança. “Por a cidade ser pequena, muitos ainda tem o costume de deixar o portão de casa aberto. É preciso mudareste comportamento”, finaliza.

como presidente da Câmara Legislativa do Município. “A segurança em Motuca precisa ser discutida”, diz. “Nossa qualidade de vida caiu em razão do fechamento da Usina e a cidade está aumentando, com poucos empregos para oferecer”. Esta é a terceira vez que o

O delegado Antonio Carlos da Silva aponta a necessidade de colaboração da população para elucidação dos casos. “Quem tiver alguma informação sobre as ocorrências deve ligar de forma anônima para o Disque Denúncia (181), cuja central é em São Paulo. O denunciante terá sua identidade preservada”, assegura.

Polícia apreende 14 caça-níqueis Por meio de denúncia anônima, a Polícia Militar em conjunto com a Civil apreenderam 14 caça-níqueis em dois estabelecimentos comerciais do município. Os equipamentos foram le-

vados à delegacia. Os comerciantes foram ouvidos e responderão em liberdade após assinarem termo circunstanciado, em razão de desenvolverem atividades referentes a jogos de azar.


Cenรกrio

julho de 2010

8


Cenรกrio

julho de 2010

9


Cenรกrio

julho de 2010

10


Cenรกrio

julho de 2010

11


Cenรกrio

julho de 2010

12


Cenรกrio

julho de 2010

13


Cenário

14

julho de 2010

EJA inicia atividades do segundo semestre

O prazer em aprender a ler e escrever

Interessados em realizar curso de alfabetização ou estudar da 1ª a 8 ª série ainda podem fazer matrícula

Adultos aproveitam oportunidade que não tiveram na infância

Nair demonstra satisfação em poder assinar o nome

Jairo Falvo

Na última terça (27), o EJA (Educação para Jovens e Adultos) iniciou as atividades do segundo semestre deste ano para o Ciclo 1 (1ª a 4ª série) e Ciclo 2 (5ª a 8ª série), voltados para pessoas com idade superior a dezesseis anos. O programa foi implantado pelo governo municipal no início do ano passado com o objetivo de suprir o déficit educacional da faixa etária. Cada série é realizada em um semestre e o aluno termina cada ciclo em dois anos. “A implantação do EJA foi uma conquista para o município”, destaca a assessora de direção Regiane de Fátima Farias Lopes. Desde o início das atividades, duas turmas que terminaram a 8ª série já se formaram. Segundo Regiane, a didática aplicada no programa é diferente. “As crianças têm a cabeça vazia e os adultos uma experiência acumulada.

Turma de alunos do programa em atividade na sala de aula

Além disso, são mais assíduos”, aponta. A principal dificuldade para alunos, de acordo com Regiane, é o cansaço, em razão da necessidade de conciliar estudo e trabalho. “Muitos moram no Assentamento e ainda têm que pegar o ônibus”, salienta. Além do EJA, o município também implantou o Brasil Alfabetizado, voltado para a alfabetização de jovens, adultos e idosos, programa realizado em parceria com o governo federal. A professora Elaine Marques Luiz demonstra satisfação em participar do projeto. “Eles possuem força de vontade, pois estão aqui porque querem realmente aprender”, diz. “Está sendo muito gratificante”, completa. O aposentado Camilo Dias Pereira, 56, aprendeu a escrever

o nome somente com dezesseis anos, quando foi morar no estado de São Paulo “Onde eu residia, no interior de Minas, a escola era muito longe e ainda tinha que ajudar meus pais”, relata. Quando soube das aulas em Motuca, decidiu retomar os estudos. “Estou gostando muito, pois além de aprender a gente faz várias amizades. Esta oportunidade é única. Todos deveriam aproveitar”, recomenda.

MATRÍCULA Os interessados em se matricular no EJA ou no Brasil Alfabetizado devem se dirigir à Escola Adolpho Thomaz de Aquino. Mais informações pelo telefone: 3348 1309.

Quando era criança em Taquaritinga-SP, a dona de casa Nair Geisdrf Soares, 61, chegou a frequentar a escola por alguns anos. Na época, no entanto, sua mãe considerava mais importante sua presença em casa, onde ajudava a cuidar dos irmãos mais novos e dos afazeres domésticos. Com isso, seu aprendizado foi prejudicado. “Tinha vontade de estudar, mas fui obrigada a parar e não tive mais oportunidade”, relata. A partir do programa Brasil Alfabetizado, parceria do município com o governo federal, implantado no início do ano passado, Nair retornou à escola. “Decidi me matricular para não depender mais das pessoas”, conta a dona de casa, que revela passar por di-

ficuldades pela falta de estudo. “Certo dia não tinha ninguém em casa para me ajudar a ler a receita do médico e decidi tomar os remédios por conta própria, o que me fez passar muito mal”. De acordo com Nair, sua principal dificuldade é decorar as letras. “Quando a professora passa as lições fico muito nervosa”, salienta. Ela diz, no entanto, que pretende avançar nos estudos. Nas tarefas de casa, recebe ajuda da filha, que é professora, e do neto de seis anos. “Quando tenho que comprar alguma coisa nas lojas, já escrevo meu nome, mas com paciência”, comemora Nair, que iniciou nesta semana a 1ª série do Ciclo 1, pelo EJA.


Cenรกrio

julho de 2010

15


Cenário

16

julho de 2010

Vôlei masculino conquista prata nos Jogos Regionais Com o resultado, vôlei sobe para a primeira divisão. Handebol e tênis conquistaram bronze

Gabriela Marques Luiz

Motuca conquistou o melhor resultado em Jogos Regionais da história da cidade, segundo o assessor de programas esportivos,

Rodolpho Milani. O município ficou em 20° lugar da segunda divisão do 54° Jogos Regionais de Sertãozinho, no total de 40 cidades. A competição aconteceu de 7 a 17 de julho. Motuca disputou em dez ca-

Vôlei masculino joga pela Liga de Orlândia neste final de semana As equipes do vôlei masculino de Motuca jogam neste sábado (31) pela Liga Pró-Voleibol de Orlândia. O time Infantil recebe Passos, às 14h, no Ginásio de Esportes de Motuca. No último dia 25, a equipe perdeu para Passos, por 3x0, na casa do adver-

sário. Também no dia 31, os times Infanto e Sub-21 enfrentam Altinópolis, na casa do rival. Os jogos acontecem pelo segundo turno. A equipe Sub-21 está em primeiro da chave, enquanto o Infantil e Infanto encontram-se em segundo lugar. G.M.L

tegorias: futsal masculino e feminino, vôlei masculino e feminino, vôlei de areia masculino e feminino, handebol masculino e feminino, futebol masculino e tênis masculino. Destaque para o vôlei masculino, que conquistou a medalha de prata e subiu para a primeira divisão. A equipe resolveu de última hora disputar na categoria livre. “Foi muito bom, inesperado”, conta Milani. O Handebol feminino e o tênis também se destacaram e conquistaram a medalha de bronze. Milani acredita que o resultado foi positivo. “Na medida do possível, as equipes foram bem”, avalia. E completa. “Acredito que foi a melhor colocação em que já ficamos”.

Futsal feminino enfrenta Gavião B pela Copa SESC Motuca está na liderança da competição com duas vitórias A equipe de futsal feminino de Motuca joga contra Gavião Peixoto B, neste domingo (1°), em Araraquara, pela terceira rodada da 5° Copa SESC 2010. Motuca

soma duas vitórias e segue líder na competição. O campeonato conta com seis equipes: Gavião Peixoto A, Gavião Peixoto B, Matão, Motuca, Tabatinga e Trabiju. Motuca é bicampeã da competição, além de já ter conquistado um segundo e terceiro lugar. G.M.L

Profile for Jornal Cenário

cenário 22 edição julho 2010  

cenário 22 edição julho 2010  

Advertisement