Page 1

JORNAL ESCOLAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SINES • MAIO 2013 / Nº2 / 2º PERÍODO • 0.50 jornais

”Esta luz que me ilumina…” Atelier de Dança E.B. n.1 - 1.º C - Prof. Luísa Macedo

Na sexta-feira, dia 18 de janeiro, fomos

tes. Depois dissemos nomes de coisas

ao Centro de Artes fazer uma atividade

com essas cores e criámos um movimen-

com a Albina. A professora disse que

to para o sol, a erva, o coração, a bana-

seria um atelier de dança. Muitas meni-

na, o fogo, a alface, o céu e outros. Foi muito divertido e, no fim, todos

nas ficaram contentes mas, alguns meninos disseram que não queriam dançar. A Albina começou por nos falar sobre

ficaram a saber e fizeram os movimentos

as cores: as cores frias e as cores quen-

gostaram muito desta forma de dança.

Concurso de Leitura

uns dos outros. Ah, e os meninos afinal

Horta Pedagógica

A segunda eliminatória do concurso de

Carreira (EB nº3),do 4º B e 4ºF, os

leitura “Aves a Ler” foi uma das ativida-

alunos Daniela Demian, António

Alunos do 2ºE, E.B. nº2 de Sines

des que decorreu durante a Semana da

Afonso, Alexandre Ferreira e Dio-

Prof. Susete Martins

Leitura, tendo comparecido perante o

go Marchante, do quinto ano, e as alu-

júri, os 39 alunos previamente selecio-

nas Eduarda

nados, na primeira eliminatória, realiza-

Pires, Inês Henriques e Marta

Estivemos com os nossos colegas do 3º

Por fim lançámos as sementes, tapá-

da em sala de aula.

Ramalho, do sexto ano.

E e do 2º D a cultivar alguns legumes na

mos com terra e regámos com muita água.

Terrin,

Mariana

Foram apurados para ir à final, onde

A final terá lugar no auditório da esco-

nossa horta. Primeiro retiramos todas as

será premiado um vencedor por ano de

la, no final do terceiro período, em dia e

ervas daninhas que existiam no canteiro.

escolaridade, o aluno Leonardo Dias

hora ainda a definir.

Limpámos tudo muito bem. Depois cavámos e revolvemos a terra e

(EB nº2), do 3º D, os alunos Sofia Pereira (EB nº2) e Mafalda Nunes

Maria João Alves e Manuela Cerdeira

fizemos regos.

É muito divertido plantar. Nós adoramos trabalhar assim em conjunto.


// Editorial / Sabias que... Tudo começa com o petróleo… Para os que não sabem… é crude. Quando o petróleo bruto se extrai dos poços, chama-se crude. É escuro e viscoso, mas a química transforma-o! Os monómeros não são uma família de peixes. Os monómeros, são pequenas moléculas que

Editorial

se unem com outras moléculas para originar

Estamos a chegar à reta final de mais uma

outros, transformam-se em polímeros.

ano letivo. Um ano conturbado, não só para

Os polímeros são grânulos, pó ou massas de

a comunidade educativa mas também para a

plástico. Aos polímeros dá-se-lhe várias for-

Sociedade em geral.

mas e transformam-se em muitas coisas…

moléculas de maior tamanho. Quando os monómeros se unem uns aos

Temos consciência de que cada vez é mais

A química coloca-se a teus pés.

difícil acompanhar o MUNDO. Os desafios

Com os polímeros fabricam-se todo o tipo

são imensos e todos nós, professores, técni-

de objetos que tu usas diariamente, como

cos e assistentes operacionais, temos de nos

sejam, os teus ténis, t-shirts, bonés, óculos e

adaptar, reinventar, criando novos projetos,

muito mais.

novas atividades, novas dinâmicas em prol

A química é a ciência que nos leva lon-

do sucesso educativo dos nossos alunos. No

ge…. É mesmo o foguetão para ir até às

entanto, o acompanhamento por parte dos

estrelas!... já imaginaste??

pais e dos encarregados de educação, aos

A química está em tudo o que te rodeia

seus filhos e educandos é imprescindível, bem como o reconhecimento e valorização do papel da ESCOLA, como veículo de sucesso no futuro. As mais variadas atividades e projetos, dinamizados ao longo do ano letivo, são um contributo imprescindível para a Educação dos nossos alunos. São um bom exemplo o Desporto Esco-

Química: Estamos em tudo o que te faz feliz

A química está em todos os materiais e utensílios que se utiliza na educação e ensino

lar (núcleos de ténis de mesa, surf e voleibol, torneios inter-turmas, corta-mato escolar,

e te faz feliz. E não só te faz feliz a ti como melhora a vida de muita gente. Os plásticos vivem connosco e são parte das nossas vidas: estão nas fibras da nossa roupa e nas solas dos nossos ténis; estão nos computadores, nos brinquedos e em quase tudo o que nos rodeia.

1. Livros, cadernos e cartolinas

que isto é possível graças à química… os polí-

Os plásticos tornam a nossa vida mais

...); as AEC no 1º ciclo (Expressão Físico

Já notaste como são as capas dos livros?

meros ajudam a ligarmo-nos à Internet. E

segura: estão nos “airbags” dos carros, nos

Motora, Inglês, Educação Musical e Expres-

São muito mais grossas que as folhas. Com a

também lembra-te que utilizas o computador

capacetes das bicicletas, nos carrinhos dos

são Dramática); o grupo de teatro; os

química pode fazer-se todo o tipo de folhas:

para estudar.

bebés e inclusivamente nos cintos de segu-

Concursos de Poesia e Escrita; Semana

grossas, finas, duras, macias… para fazer os

da

estudo

teus livros e cadernos. Até existem algumas

(Educação Moral e Religiosa Católica, e Geo-

Leitura;

as

visitas

de

são impermeáveis, por isso não se estragam

grafia,…); a Semana das Ciências Exatas

quando caem líquidos sobre as folhas.

e Experimentais (Feira dos Minerais e Laboratórios Abertos,…); entre outras.

2. Aguarelas, plasticinas e lápis de cera

Para além destas, foram bastante profí-

Sabias que a química criou mais de 23.000

cuas as atividades desenvolvidas em parceria

cores? É com essas cores que pintas, desen-

com o Centro de Artes de Sines, Núcleo

has e te divertes colorindo.

de Artes de Sines, Repsol, CMS, e demais parceiros, nas mais variadas temáticas.

6. Canetas, marcadores fluorescentes

Com o plástico constroem-se as máquinas

As canetas e os lápis desenvolveram-se com

que se utilizam para gerar energias renová-

a química. Mas tu podes utilizá-los para as

veis (chamam-se renováveis porque não se

tuas aulas de matemática, de línguas, de histó-

acabam), como: painéis solares que recolhem

ria… e, certamente, para desenhar.

a energia dos raios de sol, turbinas de vento, etc.

7. Roupa escolar

Os plásticos não só podem ser reciclados

Com a química fazem-se tecidos resistentes

para se transformarem em outras coisas,

e cómodos para as t-shirts que usamos no fute-

como também se podem transformar em

bol e as fibras elásticas coloridas que usamos

energia... para produzir calor e aquecer-te no

Para transportar as tuas coisas necessitas

no verão. E o melhor de tudo é que antes esse

inverno!

de mochilas ou ‘trolleys’ com ou sem rodas,

vestuário fazia-se com lã de ovelha… Uma só

Deposita os plásticos no contentor. Não

GNR/Escola Segura, Universidade de Évora/ Laboratório do Mar, Projeto À Priori, Escola

rança. Nunca te deves esquecer de colocar.

3. Mochilas e ‘trolleys’

E, porque aliado a todas estas atividades e

como preferires. E têm que ser fáceis de

fábrica de fibras sintéticas proporciona a mes-

atires os plásticos usados para qualquer par-

projetos estão pessoas, quero agradecer a

levar, porque tu ainda és pequeno e por isso

ma quantidade de matéria-prima que um reba-

te. Estes plásticos podem ser transformados

todos os professores, assistentes operacio-

são fabricadas com materiais que pesam

nho de “12 milhões de ovelhas” coitadas das

em coisas novas, vasos, camisolas, t-shirts...

nais, técnicos e assistentes técnicos do Agru-

pouco… materiais feitos através da química!

ovelhas! Agora podemos deixá-las tranquilas a

Mas, sabias que também se podem transfor-

pastar no campo.

mar em nova energia?

pamento, bem como aos nossos parceiros, todo o empenho, disponibilidade e apoio que

4. Colas 8. Desporto

A química está em tudo o que te rodeia

prestam no dia a dia, para que proporcione-

Gostas muito de fazer trabalhos manuais,

mos aos nossos alunos um Ensino diversifi-

por isso lembra-te que as fitas adesivas e

A química ajuda-nos a ser saudáveis prati-

cado e de qualidade.

todas as colas existem graças à química…

cando desporto; As bolas, os colchões, as bali-

E não só te faz feliz a ti como melhora a

Imaginas o mundo sem haver cola? … não

zas, todo o material do ginásio, incluindo os

vida de muita gente.

teria piada nenhuma!

nossos ténis são fabricados com derivados do

Sines e AES, 21 de maio de 2013

e te faz feliz.

petróleo. É hora do recreio, queres jogas? A Diretora, Bernardette Almeida

5. Os computadores Quando ligares o computador recorda-te

Experimenta com os teus colegas, contar todos os objetos feitos com plástico….

Contributo REPSOL

FICHA TÉCNICA: PROPRIEDADE: Agrupamento de Escolas de Sines / COORDENAÇÃO: Patrícia Cardoso / EXECUTIVO EDITORIAL: Inês Coutinho, Paula Gonçalves, Pedro Martins, Sandrina Gomes / REDACÇÃO: Alunos e Professores AVES / REVISÃO: Paula Gonçalves / DESIGN GRÁFICO: Ana Rita Viegas, Daniela Es taço, Gabriela Silva, Inês Santana, Madalena Correia, Mafalda Gonçalves, Inês Mesquita, Maria Pinto, Melissa Lopes, Soraia Ferreira / 2º Período - Ano Letivo 2012 / 2013

maio 2013 / 500 Exemplares


// Mochilas às Costas / Assembleia de Alunos facilidade. A alça não pode ser muito mais baixa ou mais alta que a altura do braço estendido O estudante deve alternar o lado a puxar a cada 10 minutos para não fazer um esforço unilateral.

A responsabilidade deve ser de todos, pais, professores, escola e alunos: PAIS O papel dos pais inicia-se na escolha da mochila, aparecem sempre novas modas

Assembleia de Alunos

para a sua utilização, apenas em uma alça, ou com alças muito compridas. Os pais podem

No dia 13 de março deste ano realizou-se, na

dialogar com os filhos mostrando-lhes os

Biblioteca da E.B. nº3 de Sines, uma assem-

malefícios dessas opções. Devem seguir as

bleia de escola na qual estavam representa-

indicações acima referidas para a escolha da

das todas as turmas pelos seus delegados e

mochila e o uso correto da mesma. Verificar

subdelegados.

no ato da compra se a mochila é muito pesada, ainda que estando vazia.

Mochilas às Costas Orientações básicas para o uso de

da escola foram sendo debatidas por todos os

se tem dores nas costas e perceber se existe

presentes, de uma forma sintética, já que

desconforto na mochila que utiliza.

tinham sido aprofundadas nas reuniões pre-

Observe se o seu filho reclama de sinais

paratórias de turma, nas quais os problemas

como formigueiro e dormência nos braços e

são detetados, são equacionadas soluções

mãos.

para a resolução dos mesmos, são debatidos os aspetos positivos e negativos que cada

grande esforço muscular;

mochilas.

Muitas matérias sobre o funcionamento

Deve estimular sempre o seu filho a revelar

PROFESSORES

turma considera existirem, no que diz respei-

Quando o professor sabe, antecipadamen-

to ao funcionamento desta escola.

te, que não vai precisar de algum livro numa

• Rotação do tronco.

determinada aula ou que vai faltar deve avi-

Tem sido crescente a preocupação por

A coordenadora relembrou que os delega-

sar os alunos.

dos e subdelegados das turmas têm um papel

parte de pediatras, fisioterapeutas e pais em

Mochila pesada

Deve optar e aconselhar a utilização de mate-

muito importante perante todos os outros

relação ao número de crianças em idade

• Dor na coluna, pescoço e ombros;

riais mais leves.

colegas da turma, pois são eles que devem

escolar com dores nas costas. Hábitos postu-

• Inclinação do tronco à frente;

rais incorretos adotados desde o ensino básico podem gerar alterações irreversíveis na

Deve estar atento às posturas dos alunos

dar conhecimento aos seus colegas e profes-

• Sobrecarga nos ombros;

adotadas durante as aulas, aconselhando que

sores dos assuntos que ali são discutidos e

• Anteriorização dos ombros.

o aluno não sente na ponta da cadeira, deve

analisados, devem dar o bom exemplo aos

assentar bem os pés no chão, não cruzar as

seus colegas dos comportamentos a ter, quer

coluna, considerando que as estruturas que compõem a coluna vertebral (ligamentos e

Indicações para o uso correto das

pernas, evitar curvar demasiado a coluna á

na sala de aula, quer nos intervalos, de acor-

discos) sofrem um processo de degeneração

mochilas

frente para ler e escrever.

do com as diversas situações que foram sur-

ao longo da vida e não apresentam mecanis-

De acordo com a Organização Mundial de

Os professores devem estar atentos às

gindo ao longo do debate e devem informar/

mos de regeneração. Em virtude desses fac-

Saúde, o peso que um jovem deve carregar

dores de costas dos alunos e juntamente com

ensinar as regras de ser/estar na escola

tos, justifica-se a elaboração de medidas de

na mochila, corresponde a 10% do peso cor-

os pais e com a escola encontrar soluções

àqueles que ainda não as cumprem.

prevenção para diminuir os riscos de altera-

poral.

para este problema.

ções e dores na região da coluna vertebral em

A mochila ideal possui 2 alças acolchoa-

O balanço geral é positivo pois, todos gos-

crianças em idade escolar.

das, reguláveis, com largura mínima de 4 cm

ESCOLA

tam de andar na escola, de aprender maté-

Os pais, as escolas e os professores podem

na altura dos ombros, e a parte detrás deve

As escolas devem disponibilizar cacifos

rias novas e de brincar com os colegas. Os

ajudar a diminuir ou prevenir este problema.

ser reforçada. Pode também ter uma cinta

para os alunos guardarem os materiais mais

alunos apontam como aspetos positivos a

abdominal ou torácica de modo a manter a

pesados ou que não precisam no dia-a-dia.

animação de recreios orientada pelos nossos

Problemas

posturais

causados

por

mochila junto ao corpo. A criança deve trans-

alguns modelos de mochila:

portá-la nos 2 ombros.

Mochila com uma alça • Inclinação do tronco para o lado

tura (5 cm).

contrário para compensar o peso;

assistentes operacionais para os que querem;

ALUNOS

haver um bom espaço exterior e muito gran-

A mochila não deve ultrapassar a linha dos

Os estudantes também devem ser respon-

de para brincar, o apoio de todos os adultos

ombros e deve estar um pouco acima da cin-

sáveis pelo póprio material e estarem sensi-

que trabalham na escola, a existência de ati-

bilizados a deixar em casa algum material

vidades de intercâmbio entre o pré escolar e

que não seja necessário diariamente.

o primeiro ciclo. Como aspetos menos positi-

Os livros maiores e mais pesados devem

• Encurtamento e espasmos do lado que

ficar no fundo da mochila junto as costas.

Transportar a mochila todos os dias com

vos apontam o não cumprimento das regras

carrega o peso;

Deve preencher-se os compartimentos de

material escolar é inevitável, no entanto se

de alguns alunos no refeitório e nos interva-

• Sobrecarga no ombro, anca, joelhos e

forma que a carga seja distribuída uniforme-

algumas precauções forem tomadas, os alu-

los; a Biblioteca Escolar não estar aberta

tornozelo;

mente por toda a mochila e para que os obje-

nos estão mais confortáveis e poderão evitar-

todos os dias e o fato de não se arranjar de

• Desvio coluna - Escolioses.

tos não mudem de posição durante o movi-

se problemas posturais e estruturais no futu-

forma mais célere o que se vai estragando, na

mento e provoquem desequilíbrios.

ro.

estrutura da escola e equipamentos.

Mochila com Rodinhas

As mochilas com rodinhas são opções

• Sobrecarga de um lado do corpo;

para crianças de tenra idade, porém se o

“Juntos vamos tornar as nossas costas

• Muitos compartimentos e bolsos;

limite for excedido, haverá sobrecarga ao

mais saudáveis”

• Geralmente de metal que as torna muito

puxar.

pesadas, mesmo vazias; • Ao subir e descer escadas e rampas requer

As rodinhas devem ser o maior possível para

transpor

obstáculos

com

maior

Fisioterapeuta do Agrupamento

A Coordenadora de Escola

Andreia Romão

Carla Pereira


// Curtas

Carnaval

Por lapso, na edição anterior não foram publicadas as notícias das turmas 3ºD da EB2 e PE10 de Porto Côvo.

No dia oito de Fevereiro realizou-se mais um

Por este facto, pedimos desculpas e as

desfile do Carnaval dos Pequeninos em

publicamos nesta edição.

Sines. Este ano, o tema foi alusivo à Época Medieval, de forma a comemorar os 650 anos do Foral de Sines.

Projeto Arrisca +

Todos participaram com muita alegria. Foi uma grande folia!

Os alunos do 3º D têm realizado muitos trabalhos e muito têm aprendido…

J. I de Porto Côvo

E.B1 e J. I de Porto Côvo

EB n.º 2 - 3º D, Prof Donzília Farinha

Dia do Pai

Este ano foi com muito agrado que voltámos

No âmbito do plano de turma, área do

a receber a Patrícia e a Inês na nossa sala e

conhecimento do mundo foram realizadas

assim demos continuidade ao “Projeto Arris-

algumas atividades em parceria com os

Tendo em conta a promoção de um ambiente

No passado dia 19 de março comemorou-se o

ca +” que pretende desenvolver competên-

encarregados de educação. Fomos à desco-

escolar saudável foi organizado em parceria

Dia do Pai e os alunos realizaram trabalhos

cias pessoais e sociais.

berta das profissões de alguns deles.

com o 1º ciclo um desfile de carnaval na vila de

para os seus pais, na sala de aulas. Os alunos

No primeiro período fizemos pesquisas e

Descobrimos o que fazem no seu local de

Porto Côvo alusivo ao tema: Os

elaboraram um postal, pintaram uma moldu-

elaborámos

trabalho, com quem trabalham, onde traba-

fadas.”A branca de neve e os sete anões” saí-

nossa terra e a sua população.

lham. Conhecemos profissões onde podemos

ram à rua ao som de muita música e alegria!

Os jogos tradicionais são uma peça funda-

“pôr a mão na massa” e profissões onde os

PE10 - Educadora Tânia Felgueiras

mental da nossa identidade porque relatam

animais predominam.

Querido pai

a história e cultura dos nossos antepassados.

PE10 - Educadora Tânia Felgueiras

Gosto muito de ti.

diversos

trabalhos

sobre

a

contos de

ra e produziram textos e poesias. Pai

Na escola jogámos ao “jogo do Burro”, que

E tu tens

consiste em introduzir as "malhas" nos orifí-

O teu coração em mim.

cios da caixa de madeira. Ganha quem conseguir mais pontos. É muito divertido!

Quando estás ao pé de mim,

E com os nossos desenhos embelezámos

Sinto-me protegida,

o muro da nossa Escola.

Quando estás longe de mim,

E que lindo ficou!

Sinto-me agredida.

Fomos ao Museu Municipal e visitámos Sines através da pintura. Criámos também as

És o melhor pai do mundo

nossas artes.

E estarás sempre no meu coração

EB n.º 2 - 3º D

E eu fico tão feliz

Prof. Donzília Farinha

Quando tu me dás a mão. EB n.º 2 - 3º D, Prof Donzília Farinha

Celebração do dia do município

Chegou a Primavera Os alunos escreveram sobre a primavera.

24 de novembro 2012

Pela vila de porto covo desfilaram príncipes, princesas, cavaleiros, monges e outras personagens que fizeram lembrar o tempo dos reis… No nosso “castelo” dançamos e fizemos um bolo para o nosso lanche.

Aqui ficam algumas frases produzidas pelos alunos. - A primavera começa em março e acaba em

Projeto Arrisca + A turma C do 1º ano, está a participar no

Interculturalidade na Escola

- Na primavera, os pássaros cantam, as flores dançam nos campos ao som do vento e as andorinhas voltam para os seus ninhos. - Eu gosto muito da primavera porque vejo

Projeto “Arrisca+”. As atividades começaram Jardim de Infância de Porto Côvo

junho.

logo no 1º período e nós estamos a gostar

Nos passados dias 20 e 21 de abril realizaram

andorinhas e o crescimento das árvores.

muito. Perguntamos muitas vezes à nossa

-se duas sessões de formação no nosso agru-

- Os campos ficam cheios de flores e o tempo

professora:

pamento, integradas no plano de atividades

fica melhor.

do grupo de ateliers promotores de intercul-

- Na primavera, as árvores começam a ficar

turalidade e promovidas pelo ACIDI (Alto

com flores.

- “Hoje é o dia que a Patrícia e a Inês vêm

Equipa Relâmpago

fazer atividades/jogos?” Gostamos muito de estar com elas mas,

Comissariado para a Imigração e Diálogo

- Às vezes, a minha mãe diz-me que a minha

Por sugestão de uma turma do 4.º ano na

ficamos um pouco tristes quando não vamos

Intercultural). A primeira sessão de trabalho

prima Vera vem no verão e eu fico confuso.

Assembleia de Alunos, foram criadas na EB

para o polivalente. Com elas estamos a

decorreu entre as 14h e as 17h30 do dia 20 de

- A minha estação preferida é a primavera

n.º 2, equipas mistas compostas por 5 alunos

aprender a não nos esquecermos de sermos

abril e tinha como destinatários os professo-

porque faço anos em abril.

das turmas dos 3.ºs e 4.ºs anos para apoiar o

todos amigos, de nos ajudarmos uns aos

res de 1º ciclo, foi sobre o tema “Aprender

- Eu adoro a primavera.

trabalho das AO no intervalo da manhã e

outros, de respeitarmos todos e de trabalhar-

com histórias: primeiros passos para a inter-

EB n.º 2 - 3º D, Prof Donzília Farinha

hora do almoço. Funcionam rotativamente.

mos em grupo.

culturalidade”. Já no segundo dia na sessão

Corpo

Estes grupos de alunos, a que foi dado o

Quando chegamos a casa contamos aos

de trabalho “Educação Intercultural na Esco-

nome de “Equipa Relâmpago”, tem por obje-

nossos pais o que fazemos no “Arrisca+”. Na

la” que se prolongou pela manhã e tarde,

tivo apoiar na vigilância dos recreios, atuan-

última atividade desenhámos e construímos

estiveram presentes técnicos, professores de

A turma do 3º D explorou o tema da saúde

do quando se verifique que houve transgres-

um puzzle. Foi muito engraçada.

diversos ciclos e assistentes operacionais.

do seu corpo e identificou alguns perigos

são das regras estabelecidas no regulamento

Todos os meninos deviam fazer as ativida-

Foram sobretudo momentos para conhecer

para a saúde. Aqui deixamos a nossa mensa-

do AES e/ou Estatuto do Aluno e Ética Esco-

des do “Arrisca+” para não esquecerem que

novos recursos e refletir sobre aquilo que é a

gem:

lar. Estes alunos são identificados por uma

nos devemos portar bem e sermos todos ami-

nossa prática no dia-a-dia.

Não fume! Faz mal à sua saúde…

braçadeira.

gos.

P’lo Grupo Ateliers Promotores de Interculturalidade,

Faz mal à sua vida!

Coordenadora da EB N.º 2 - Graça Laço

E.B. N.º 1 - 1.º C - Prof. Luísa Macedo

Inês Coutinho

EB n.º 2 - 3º D, Prof Donzília Farinha


// Poesia e Prosa pelos Alunos / Semana de Leitura

Lenda da Lagoa das Sete Cidades Princesinha, que vivia num castelo nas sete cidades saiu ao campo para passear ouviu algo de belo que a fez parar para escutar.

Primavera é… A Primavera é um festival de pétalas e cores A Primavera é o despertar dos sentidos A Primavera é

Sentada numa pedra ficou horas a apreciar aquela beleza da natureza que a fez chorar.

o desabrochar das flores

Ecoava o som de uma flauta pelo campo dentro onde a jovem se encontrava e tanto chorava.

A Primavera é o sol a brilhar

Mas, acima de tudo a Primavera é… Animais e plantas unidos.

A Primavera é maravilhosa. A Primavera é encantadora. Mas acima de tudo a Primavera é…

Chorou, chorou, chorou até que alguém se aproximou com seus olhos azuis olhou e seu choro cessou. Um rapaz pastor lhe perguntou: - O que se passai menina de olhos tão belos, que eu aqui encontrei a chorar? - Não sei, moço pastor, algo me fez assim ficar! Já no seu palacete e, de cabeça na almofada não conseguia ficar parada a pensar no pobre pastor e na música que este tocava. No dia seguinte, assim que acordou logo pensou ao campo voltar quando lá chegou com o pastor se foi encontrar. Ao início, o pastor não a quis lá mas logo se sentaram a conversar começaram a conhecer-se e tristezas a desabafar. Passaram-se alguns dias e num pequeno-almoço com seu pai a princesa recebeu uma novidade que a fez desanimar o seu pai tinha dito: - Com um belo príncipe vais tu ter de casar. Assim que o rei soube do tal pastor disse à filha que o ia matar se ela não casasse com o príncipe e continuasse a querer mandar.

Um festival de pétalas e cores. Beatriz C.

Crianças a brincar…

Semana da Leitura

A paixão das flores.

A Semana da Leitura, no âmbito do Plano

de tradição oral, cinema e o laboratório "Os

O coração a palpitar,

Nacional de Leitura, foi assinalada, entre

Peixes", por terem tido uma excelente ade-

A mais bela das estações.

os dias 11 e 15 de março, nas escolas do

são por parte de todos os participantes.

Alexandre

AVES.

Os dinamizadores (a equipa da Biblioteca

Foram realizadas várias atividades com o

Escolar e o Departamento de Línguas, em

Um festival de cores

objetivo de promover a leitura e celebrar o

articulação com a disciplina de Educação

Com muitas flores

MAR.

Musical) agradecem a todos os intervenien-

Flores a nascer

Destas destacam-se as atividades literário-

tes e parceiros (CAS, CMS, Pólo Universitá-

Com água a correr

musicais, exposições, Workshop de restau-

rio de Évora e Docapesca) a boa colabora-

Beatriz Camacho

ro de redes de pesca, visitas à lota, ida à

ção e participação ativa.

maré, peça de teatro "O Dia em que o Mar O sol a brilhar

Desapareceu", concursos, palestras, conto

Maria João Alves e Manuela Cerdeira

As abelhas a zumbir

"O Peixe Arco-Íris", Pesca Leituras, contos

Bibliotecas Escolares

O coração a palpitar As crianças a rir. Iara

O sol a brilhar Um jardim de flores O amor no ar A mais bela das estações

Na sala azul, a primavera trouxe uma grande surpresa! Temos bichos-da-seda na nossa sala e já sabemos várias coisas acerca dos mesmos, inclusive sobre as borboletas em que estes se transformam.

Vanda

2ºC, EB1 Prof. Adelina Duarte

Eles comem folhas. (Gabriela e Beatriz) São folhas de amoreira. (Rodrigo)

Com os olhos lavados em lágrimas a princesa foi tudo contar ao pastor juntos reclamaram com dor a triste nova que lhes fora dada.

Eles comem muito depressa!... (Constança

Tanto choraram, tanto choraram um pelo outro que duas lagoas se formaram, uma verde, cor dos olhos do pastor e, outra azul, cor dos olhos da princesa. Os dois sofriam de mágoa e dor. Se de desgosto morreram isso ninguém sabe duas lagoas formaram cujo nome é Lagoa das 7 Cidades.

Mar! Porque choras tanto E o teu cheiro a maresia É tão profundo!

Hoje, as suas lágrimas podemos visitar nos Açores estão expostas um bom sítio para se morar.

No teu fundo

Esta é a história de duas pessoas bem diferentes lendas que ficam na memória nas memórias das gentes.

Quando o encontrar, sonharei contigo…

Poema elaborado pela aluna Vanessa Lopes - 7ºB,

E tu és o meu infinito…

Eu vou procurar o segredo Que tens escondido! As tuas lágrimas são a minha luz As tuas ondas são o meu caminho E o horizonte é o meu sonho

tendo como base o estudo da lenda “A Lagoa das Sete Cidades”

Hugo Silva, 6º D - Prof. Fátima Nunes

Quando eles saem do casulo, têm as asas molhadas e ainda não voam. É só quando as asas ficam secas que eles voam devagarinho e rápido. (Letícia)

Comem o dia todo. (Gonçalo)

Quando eles saem do casulo e ficam em borboleta, são da cor dos ovinhos. (Rodrigo)

No outro dia já não há folhas…. (Afonso)

Isso é camuflagem. (Daniel)

Os bichinhos-da-seda parecem minhocas. (Dário e Inês G.)

Também se pode chamar mimetismo e serve para as borboletas passarem despercebidas aos répteis que se alimentam delas. (Isabel)

As fémeas são brancas e os machos têm risquinhas. (Diogo Pinto) Os bichinhos fazem um casulo e fazem ovinhos; depois nascem bichinhos-da-seda bebés que crescem e tornam-se pais e mães borboletas e depois ficam outra vez com ovos. (Daniel)

As nossas vão ser brancas. (Diogo Romão, David e Alex) Mas há aquelas, as mariposas, que são noturnas e podem ter montes de pelos no corpo (Vasco)

Eles têm uma boca assim (uniu o polegar e o indicador), focinho e patas. (Tiago)

As outras borboletas com as cores voam de dia. (Maria L.) São diurnas! (Vasco)

Eu vi naquele instrumento de espreitar com o nosso olho, que eles têm uns olhos muito pequeninos. (Diogo R.)

Essas das cores “diurnas”, se tiverem vermelho ou azul, é porque são das venenosas. (Maria L.)

Eu também vi. Eram gordos! (Diogo Correia)

Pois! E os maus já não apanham as borboletas para comer. (Mariana)

As borboletas deixaram ovos e eles agora nasceram dos ovos. Quando eles ficam em borboleta é que não podemos abrir a caixa muito tempo. (Ana C.)

Isso é por causa que eles morrem se comerem elas. (Diana) P.E.5. (Sala Azul) J. I. E.B. n.º 2 de Sines


// Desporto / Ambiente

Desporto Escolar No âmbito do projeto do Desporto Escolar alguns alunos selecionados da Escola Básica Vasco da Gama participaram, com muito empenho, nas atividades realizadas no 2º período, a saber: 1º Torneio de Voleibol Feminino entre escolas da série B no dia 16 de janeiro em Sines na Escola Básica Vasco da Gama, onde a nossa equipa conquistou 2º Lugar. 1º Torneio de Ténis de Mesa entre escolas da série C no dia 16 de janeiro em Grândola; em que o grupo de Infantis A, individualmente, obteve classificações bastante satisfatórias. 2º Torneio de Voleibol entre escolas da série B no dia 27 de fevereiro em Odemira; onde a equipa alcançou o 3º Lugar. Corta Mato Distrital no dia 19 fevereiro em Castro Verde, que contou com a participação dos alunos abaixo mencionados. 5ºA

Eva Assunção

Ana Guerreiro

Henrique Bernardino

5ºB

Ana Sousa

Daniela Silva

Matheus Silva

5ºC

André Santos

5ºD

Daniela Cruz

5ºF

Diana Pereira

Nicoleta Lascu

Duarte Pereira

5ºG

Guilherme Nobre

No terceiro período iniciou-se um torneio de

No campo de futebol da escola houve mui-

6ºA

Inês Palma

Susana Silva

Paulo Almeida

futebol na E.B.n.º2 de Sines. Este torneio é

tos toques na bola, muitas fintas e tentativas

6ºD

Ana Franco

Daniel Aljustrel

Diogo Banha

entre todas as turmas desta escola.

de golos.

6ºE

Elisabete Borges

Aristides Cadete

Duarte Santos

O objetivo do torneio é incentivar os alu-

A animar o jogo estavam as claques que

6ºF

Beatriz Raposo

João Raposo

nos a praticarem desporto, a trabalharem em

cantavam, dançavam e apoiavam a sua

6ºG

Hugo Paiva

Wilson Correia

equipa e também para se divertirem.

equipa.

7ºA

Beatriz Teixeira

7ºB

Wallace Santos

8ºA

Gonçalo Raposo

Iúri Fernandes

8ºC

Liliana Duarte

Sabina Borges

9ºA

Pedro Charuto

O resultado do jogo foi 4-2 e ganharam os

9ºB

Marina Leu

“Falcões”. Alguns jogadores acharam o jogo

E.B.n.º2 de Sines 3º E

difícil e até houve um golo de baliza a baliza!

Prof. Carla Chainho

André Jeremias

Rui Silva

Torneio da Primavera

Iúri Tavares

Gabriel Gonçalves

No dia 11 de abril decorreu um jogo entre

A nossa equipa tinha uma mascote: um

a nossa turma (3ºE), os “Campeões Velozes”

cabeçudo chamado Campeão Veloz. As meni-

e a turma do 4ºano - “Falcões”. Foi um gran-

nas também tinham pompons e cartazes.

de jogo onde ambas as equipas jogaram bem.

O Jogo foi bom e emocionante!

De salientar que a aluna Beatriz Raposo subiu ao pódio, obtendo o 2º lugar no escalão de Infantis B. Torneio Inter turmas de Futsal decorreu no dia 11 de março, na Escola Básica Vasco da Gama, com muito entusiasmo e dedicação por parte dos participantes alunos/Jogadores e alunos/árbitros, estes prestando um grande apoio na dinamização do evento. Classificados em 1º Lugar: no 5º Ano, o 5ºA; no 6º Ano, o 6º G; no 2º Ciclo, o 6º G; no 3º ciclo, o 9º B. Megas Distritais no dia 12 de março em Beja, que contaram com a participação dos alunos abaixo mencionados. 5ºA

Rui Silva

Tiago Guia

5ºB

Ana Sousa

5ºC

Gabriel Sanches

5ºF

Nicoleta Lascu

Josué Gonçalves

5ºG

Emerson Almeida

Iara Lopes

6ºA

Susana Silva

6ºE

Elisabete Borges

Duarte Santos

6ºF

João Raposo

Beatriz Raposo

6ºG

Carina Gil

Wilson Correia

8ºA

Iúri Fernandes

Édi Silva

8ºB

Cíntia Lopes

8ºC

Érica Semedo

9ºA

Miguel Póvoas

Iúri Tavares

Vamos todos ser amigos do ambiente! Gabriel Gonçalves

Liliana Duarte

Aprendemos a separar o lixo. Descobrimos também algumas palavras novas tais como:

“Reutilizar” Que significa criar e cons-

papéis e cartões podem ser aproveitados para produzir novos papéis, as embalagens de vidro podem dar origem a novas embalagens. Os plásticos podem ser recuperados, e

É de referir que a aluna Iara Lopes subiu ao pódio, obtendo o 3º lugar no escalão de

truir objectos novos, a partir de materiais

Infantis B.

usados, e nós temos muitos trabalhos na

“Reduzir” Devemos

nossa sala feitos com vários materiais usa-

supérfluos e desperdícios.

2º Torneio de Ténis de Mesa entre escolas da série C, no dia 13 de março, em Sines na Escola Básica Vasco da Gama, em que o grupo de Infantis B, individualmente, revelou muito empenho na sua prestação.

dos, como palhaços, corpo humano etc…

“Reciclar” É uma forma de valorizar um material que já foi utilizado, transformando-

alguns fundidos e moldados de novo. evitar

consumos

Nós na nossa sala fazemos a separação do lixo, por isso não se esqueçam de eparar o lixo também em casa!...

o em material útil, daí a importância de Coordenadora do Desporto Escolar da EBVG

separar o lixo, para depois ser recolhido e

Jardim de Infância, Sala PE7 (sala amarela)

Sara Fragoso

transportado para indústrias recicladoras. Os

Educadora Mª Lurdes Cristóvão


// Teatro / Visitas de Estudo / Desfile

Clube de Teatro

Estreou no dia 10 de abril a peça de teatro de sombras intitulada – “O dia em que o mar desapareceu”, uma adaptação do autor José

aicep Global Parques Estamos a construir o futuro

No âmbito do trabalho desenvolvido no Clu-

Fanha. Este trabalho foi produzido pelos

be de Teatro “Encen’Art”, da Escola Básica

alunos do grupo de teatro da escola básica

A aicep Global Parques é a empresa responsável pela gestão da Zona Industrial e Logística de

Vasco da Gama, no dia 12 de março o grupo

Vasco da Gama, que construíram todos as

Sines, a Zils. Sendo a maior Zona Industrial e Logística do país junto do maior porto português

deslocou-se para uma visita de estudo a Lis-

marionetas de sombras utilizadas na peça. A

destaca-se pela sua dimensão e pela qualidade das infraestruturas que disponibiliza às empre-

boa, com o propósito de aprender mais sobre

escolha da peça surgiu da articulação com a

sas que se instalam no seu perímetro. A aicep Global Parques é uma empresa detida maiorita-

o tema que tem vindo a ser trabalhado nas

biblioteca escolar inserida na semana da

riamente pela aicep Portugal Global, a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Por-

sessões sobre teatro de sombras. Neste

leitura. Fazem parte do elenco de atores os

tugal. A sua atividade é dedicada à gestão de Parques Empresariais, como a Zils, e à prestação

seguimento foi visionado uma exposição

alunos Afonso Guerreiro; Alexandre Pinhei-

de serviços de localização industrial e logística em Portugal Continental – o Global Find e Glo-

sobre os vários tipos de marionetas, desde a

ro; Ana Rodrigues; Ana Viegas; Beatriz Félix;

bal Force. Estes serviços ajudam os investidores a instalar-se de forma mais facilitada o que

marioneta com fios, passando pelas marione-

Beatriz Massano; Diana Pereira; Francisco

promove a economia e o emprego e as regiões onde se inserem.

tas de dedos até às marionetas utilizadas

Victor;

Simões;

A aicep Global Parques garante desta forma condições de captação, e acompanhamento na

para os filmes de animação. No final realiza-

Matheus Silva; Maria Inês Salgado; Mariana

instalação de projetos de investimento nacional e estrangeiro, auxiliando o seu acionista maio-

ram um workshop intitulado - Será que a

Aleixo; Mariana Duque; Miguel Lota; Miriam

ritário. A ZILS disponibiliza vastos terrenos para instalação empresarial. A área industrial dis-

sombra tem cor? - de onde surgiram traba-

Borges; Nicoleta Lascu; Soraia Ferreira; Vic-

põe, até ao nível do lote, de infraestruturas completas, com todas as utilities necessárias à ativi-

lhos muito interessantes. Os alunos tiveram

tor Luz.

dade empresarial. Estas infraestruturas são sujeitas a atualização e investimento constantes,

Inês

Campos;

Leonor

por parte da aicep Global Parques, permitindo que indústrias e serviços possam ocupar um

ainda, oportunidade de visitar a “Exposição 360º - Ciência Descoberta”, na Fundação

A dinamizadora do Clube

espaço na ZILS a qualquer instante. Para a além da gestão total das infraestruturas a aicep Glo-

Calouste Gulbenkian.

Patrícia Cardoso

bal Parques acompanha os seus clientes em todo o processo de instalação. Contributo da aicep Global Parques

muito bem passado e divertido, os alunos gostaram de subir no elevador do “Cristo Rei”. Adoraram também a experiência interativa no “Museu da Criança”, onde fizeram uma viagem através da cor vermelha – foram dez momentos: à descoberta do sonho e da imaginação, da emoção, do amor, da arte e da natureza, permitindo o conhecimento de

E.M.R.C.

nós próprios, dos outros, do mundo, da tolerância, da curiosidade própria da idade, dos valores humanos e da descoberta dos talen-

No passado dia 12 de março os alunos de

tos. Foi na verdade um dia animadíssimo!

9º ano participaram numa visita de estudo

No dia 14 de Março os alunos do 6º ano

no âmbito da disciplina de Educação Moral e

usufruíram de um convívio ao nível da disci-

Religiosa Católica em Lisboa. O intuito foi

plina de Educação Moral e Religiosa Católica

sistematizar os conteúdos trabalhados em

no Parque Ecológico do Zmar. Tiveram

contexto de sala de aula – “Religiões Orien-

jogos, slide, piscina aquecida com ondas, um

tais”. Os alunos puderam visitar o Templo

peddy-paper, entre outras animações. Foi na

Hinduísta Krishna e o Museu do Oriente, em

verdade um momento para muitas brinca-

concreto a exposição dos Deuses Asiáticos.

Desfile de Francês

deiras e todos foram unânimes em conside-

No âmbito da disciplina de Francês e em articulação com a disciplina de Educação Musical, os

No dia 13 de março os alunos de 5º ano

rar um dia perfeito que não deixou ninguém

alunos do 8º ano organizaram um desfile de moda, utilizando a língua francesa no seu discurso.

que têm a disciplina de Educação Moral e

indiferente. Desejavam que o dia não termi-

Por momentos, os discentes transformaram-se em hippies, em Punks, em Skaters, em Inter-

Religiosa Católica visitaram o “Cristo Rei”

nasse!

nautas, em BCBG’s, em jornalistas e em estilistas franceses, dinamizando assim uma língua

em Almada, o “Museu da Criança” e almoça-

pouco usada no nosso dia-a-dia.

ram no “Jardim Tropical” em Lisboa. Foi feita uma parceria com um grupo de alunos

Prof. de E.M.R.C.

Prof. de Francês

da Escola Básica de Santo André. Foi um dia

Ana Maria Ribeiro

Paula Gonçalves


// Concurso Artes Visuais / Dia Escolar da Paz e Não Violência

Concurso de Artes Visuais

Dia Escolar da Paz e Não Violência

Durante a Semana da Leitura, foram expos-

trabalho nº13, do aluno João Tavares, tam-

No âmbito da comemoração do Dia Escolar

tos, na biblioteca da escola Vasco da Gama

bém do 6ºC, com 16 pontos, e o trabalho

da Paz e da Não Violência celebrado no

“ Eu gosto de brincar em Paz.” (João Viegas)

de Sines os trabalhos elaborados pelos alu-

nº15, das alunas Sara Nunes e Sofia Nunes,

dia 31 de Janeiro, a turma C, do 1.º ano, da

“A paz é branca.” (Marta Carrilho))

nos para o concurso de artes visuais.

do 6ºA, com 9 pontos.

E. B. n.º 1 de Sines, construiu o seu muro

“O pai tem paz com a mãe.” (Cátia Fernan-

da Paz.

des)

Em resultado da votação, por parte da

Todos os trabalhos serão futuramente

comunidade educativa, foram selecionados

expostos no Centro Cultural Emmerico

os três trabalhos mais pontuados, a saber, o

Nunes.

coleção 1 Dia para Agir, cada aluno escre-

trabalho nº 5, dos alunos Diana Gonçalves e Rodrigo Oliveira do 6ºC, com 22 pontos, o

Após a audição da história proposta pela

As mensagens ficaram muito bonitas:

O nosso muro ficou bonito e cheio de Paz! Espreitem!

veu uma pequena frase sobre o que pensava Coordenadora da Biblioteca EB Vasco da Gama

ser a Paz, ou o que sentia quando ouvia a

E.B. n.º 1 - 1.º C

palavra Paz.

Prof Luísa Macedo

praia. Mais, de repente, apareceu um outro animal- uma cobra- que se escondeu nas rochas e disse: - O André está melhor, ele não apareceu porque já não quer brincar contigo. O Diogo ficou muito triste. Mas no dia seguinte, o André apareceu de novo e o Diogo disse: - O André está melhor, ele não apareceu porque já não quer brincar contigo. O Diogo ficou muito triste. Mas no dia seguinte, o André apareceu de novo e o Diogo disse: - Mentiste-me! Eu já não sou teu amigo nunca mais! - Ok - respondeu o André -, se não acreditas em mim eu também já não sou teu amigo.

Amizade entre dois animais

“Olh’ó Vasquinho”

Alguns dias depois eles voltaram a encontrar-se no mesmo sítio. Pediram desculpa

A 1º edição do jornal “O Vasquinho” contou

Era uma vez dois animais muito amigos que viviam numa selva. Um chamava-se André e o

um ao outro, ficou tudo esclarecido e assim

com a presença do ardina - personagem

outro Diogo.

nunca mais deram ouvidos às mentiras da

característica de outros tempos.

Era Verão e eles brincavam muito. Iam até à beira-mar, faziam castelos de areia e depois voltavam para casa. Um dia, já estava a ficar tarde, o André disse:

cobra que só queria acabar com aquela amizade.

- Amanhã temos de encontrar-nos de novo à beira-mar! Ok?

O ardina era um vendedor de jornais de rua que apregoando a notícia chamava a atenção dos clientes, foi com este propósito

- Ok, respondeu o Diogo. Mas no dia seguinte o André ficou doente o Diogo ficou aborrecido por ele não aparecer na

Texto e Ilustração: André Barbosa e Diogo Silva 5º D

que foi apresentado o “Manel Ardina”, perso-

Prof. Margarida Gorgulho

nagem interpretada pela animadora sociocultural do agrupamento Patrícia Cardoso.

PATROCÍNIOS:

APOIOS:

Nota: Por questões de ordem de espaço e por falta de qualidade de algumas fotos recebidas não foi possível colocar todas as fotografias recebidas para esta edição, o mesmo acontece com alguns artigos. Em relação a estes últimos serão publicados na terceira edição.


O vasquinho 2ªed  

O Vasquinho é o Jornal Escolar do Agrupamento de Escolas de Sines. Aqui fica a 2.ª edição

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you