Page 1

Publicidade

Distribuído com o Expresso. Venda interdita.

UM JORNAL COMPLETO

Publicidade

pág. 02 pág. 06 pág. 08 pág. 10 pág. 12 pág. 14 pág. 18 pág. 19 pág. 22 pág. 24 pág. 25 pág. 26 pág. 27

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > À CONVERSA > ELEIÇÕES > REGIÃO > ECONOMIA > DESPORTO > CULTURAS > SAÚDE > CLASSIFICADOS > EMPREGO > NECROLOGIA > CLUBE DO LEITOR

DIRECTORA INTERINA

Emília Amaral

Semanário 27 de Maio de 2011 Sexta-feira Ano 10 N.º 480

1,00 Euro

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

|Telefone Telefone: e::23 232 232437 23 437461 43 46 4 61·Fax:232431225·B Bairro aiirrrroS. a S JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

Nuno Ferreira

“Os apoios que a natação precisa não são só financeiros” Irene Xavier e Humberto Fonseca, dirigente e treinador da secção de Natação do Académico de Viseu | página 8

Otorrinolaringologia do Hospital de Viseu realiza operação inédita em Portugal ∑ Projecto de reestruturação do serviço leva à criação do rastreio auditivo pré-escolar em todos os centros de saúde do distrito | página 6

Encontre o emprego que procura

60 Publicidade

Oportunidades nesta edição

Mau tempo Homem atingido por um raio em Lamego página 12

Caramulo Empresário sul coreano produz compotas naturais sem açucar página 16

Catarina Barros Nova revelação faz entrar o canto lírico nos casamentos de Viseu página 19

Dia da Criança Expovis e Empório levam 400 crianças a fazer aviões de papel página 17


2

Jornal do Centro 27 | Maio | 2011

praçapública palavras

deles

rSinceramente, não sei o que espera o Governo português fazer, para reabilitar um imóvel (casa de Aristides de Sousa Mendes) em centro de interpretação do holocausto” Carlos Bergeron Cronista (Via Rápida, 19 de Maio)

Opinião

Pedro Baldaia Rodrigues Gestor

Opinião

Pedro Peixoto Dirigente do CDS-PP

rÉ bom lembrar a história em todos os sentidos, o que nos trouxe de bom e o que nos trouxe de mau”

rNestas eleições só há dois candidatos a primeiro-ministro. Não há terceira via nem terceira opção”

João Lourenço Presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão (A propósito da criação do Centro Interpretaivo do Estado Novo, Diário de Viseu, 25 de Maio

rFomos de certo modo protagonistas neste envolvimento com o transporte eléctrico”

Fernando Ruas Marques Mendes (Comício em Viseu com Pedro passos Coelho, 25 de Maio)

Presidente da Câmara Municipal de Viseu (Apresentação do primeiro rodshow de automóveis eléctricos, 20 de Maio)

Ora viva! Semana e pouco para as eleições! Sondagens em que o PSD e o PS não descolam, o CDS continua alegremente a subir nas sondagens, BE e CDU a tentarem aguentar-se à bronca! Desde que caiu o Governo que andamos em campanha. Não acham fabuloso que passadas todas estas semanas, debates televisivos feitos, ataques de parte a parte num exercício argumentativo que deixaria os sofistas de boca a aberta e a pensar “ó diabo, mas que aconteceu ao mundo nestes 2500 anos para que estes tipos não digam nada em condições?”, continuemos com tanto indeciso? E não me refiro sequer às sondagens, no meu dia a dia, uma grande parte das pessoas diz-me “não sei em quem voto”! Numa época em que o que re-

almente interessa é pensar o país, procurar soluções, debater com garra mas elegância política, com honestidade intelectual, temos isto! Podemos resignarmo-nos, virar costas, não ligar puto a isto e não ir votar com o belo argumento “são todos iguais”. Façam isso à vossa vontade, mas depois pensem duas vezes antes de se queixarem por tudo e por nada, e se entreterem no tão típico exercício português de que a culpa é sempre dos outros, nunca nossa e que Aqui D’El Rey que são todos uns mentirosos e uns ladrões (acho sempre graça ouvir isto da boca de gente que se transporta em carros de luxo, mas não declara rendimentos e não paga impostos, o que, na minha opinião, faz deles os verdadeiros ladrões.

Basta ver os valores da economia paralela e das dívidas ao Fisco, para se perceber que o primeiro ladrão do bem público é uma parte do povo português. Mas pronto, é sempre mais fácil culpar o político). Sendo esta a minha última prosa antes das dita eleições gostava de deixar uma palavra àqueles em quem vou depositar o meu voto. Sou militante do Partido Socialista há menos de um ano. Reflecti bastante antes de o fazer, que isto da militância partidária não é bem a mesma coisa que ser sócio de um clube da bola. Mas houve duas pessoas cuja actividade político-partidária me motivou a dar esse passo: dr. José Junqueiro e dr. Acácio Pinto. Curiosamente fazem os dois, novamente, par-

te das listas do Partido Socialista pelo círculo eleitoral de Viseu. Acima de quaisquer outros, é por eles que vou votar no PS. Porque sei que eles dão tudo o que têm na defesa do distrito e dos viseenses. Porque acredito que ainda que sejam deputados da Nação, lutam e argumentam pelo nosso distrito e pelo interior beirão. Porque sei o quanto lhes custou terem que assumir posições sobre as quais o “interesse nacional” se sobrepôs ao interesse regional (nas Scut´s, por exemplo) e,possivelmente, contrárias àquilo em que acreditam (ao contrário do número um do PSD pelo distrito de Viseu, que sempre defendeu o mesmo, que a A25 e a A24 deveriam ser portajadas). É por eles que voto PS! Divirtam-se!

e CDS. PPD/PSD tem no seu cabeça-de-lista, Almeida Henriques, a presumível força de quem conhece os problemas da região e os meandros da política nacional. Pena não ter sido a primeira escolha e de a equipa não estar ao seu nível, lamento mas é um facto. Pedia-se mais e melhor a quem quer governar Portugal e tem militantes e autarcas de grande qualidade. No entanto, seguramente que será a força mais votada no distrito, mas longe dos tempos áureos do laranjal cavaquista. O CDS, por seu lado, volta com Hélder Amaral. Reforçou a sua lista, com uma aposta clara nos seus melhores quadros, e procura, junto das populações passar a sua mensagem capitalizando o trabalho que tem vindo a realizar nos últimos tempos e que espantosamente vem sendo reconhecido junto das pessoas. Hélder Amaral, tem colada a si a imagem de trabalho e é um facto que nesta campanha a equipa do

CDS tem percorrido todo o distrito interpelando e ouvindo pessoas, visitando empresas e instituições, procurando valorizar e promover o que de bom a região tem. Estará seguramente a caminho de uma subida na votação. Sendo certo que a solução para Portugal está nestes dois partidos, convém lembrar que, apesar de próximos, as diferenças existem como se disse já, aliás, como o próprio Líder do CDS referiu, existem pelo menos 7 diferenças substanciais entre ambos. São elas factor decisivo para a decisão de votos dos indecisos, o CDS é mais independente do Estado e das suas empresas, é mais favorável à concorrência, é mais prudente nas privatizações, mais humanista na saúde, mais comprometido com a questão social e os mais pobres, mais exigente na segurança e é mais corajoso na justiça. Posto isto, eu também considero que este é o momento!

Tudo por um momento Chegados a meio da campanha eleitoral é hora de reflectir. Impõese analisar o que se tem dito, o que se tem feito ou não feito e verificar as diferenças que existem entre as diferentes forças partidárias. Da agenda nacional nada direi, até porque sobre ela muitos são os que opinam, sem saber do assunto. A avidez pelas “ luzes da ribalta” carreada pelos órgãos de comunicação social leva a que qualquer um se transforme em comentador e, principalmente, de referência. Sem querer, pois, enveredar por tais tais pretensões, transmitirei aquela que é a minha visão do Estado da Arte, começando pela declaração de interesses. Sou de Direita, católico e português e tenho uma visão do país emocionalmente positiva, pois acredito nas pessoas e na sua capacidade de superação em prol do bem comum, em prol de Portugal. Debrucemo-nos sobre a campanha local nomeadamente sobre a

dos partidos com assento parlamentar. O PCP e o seu simpático candidato Manuel Rodrigues lá vão espalhando e repetindo a habitual e cansativa mensagem de Jerónimo de Sousa, que a chuva veio importunar, e tal como aconteceu na pretérita terça-feira, já deve ter recolhido a casa. O BE, a fazer prova de sobrevivência, apresenta-se com sagacidade nos debates fruto da irreverência do seu candidato Rui Costa, que cumprimento como colega mas que é um dos melhores intérpretes da “esquerda caviar”. Não faz parte da solução, aliás, também, nunca o quis ser! O PS fiel ao “equipa que ganha não se mexe”vai a jogo com os mesmos de sempre, com uma ou outra alteração, apenas ainda não percebeu que a equipa não ganhou, apenas empurrou... Fica cada vez mais claro que a solução se encontra nos dois partidos do centro-direita, PPD/PSD


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 3

Jornal do Centro 27 | Maio | 2011

números

estrelas

1677 O Museu Grão Vasco, em Viseu recebeu na “Noite dos Museus” de 16 de Maio, 1677 visitantes, tendo sido o terceiro museu mais visitado no país. A iniciativa realizou-se para assinalar o Dia Internacional dos Museus, 18 de Maio.

Marques dos Santos Director do serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de São Teotónio, Viseu

O serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de S. Teotónio realizou com sucesso a primeira cirurgia de reconstrução vocal por fístula microvascularizada em Portugal. Esta foi uma prova de que a unidade de Viseu está no caminho do avanço tecnológico nacional.

Importa-se de responder?

Catarina Sobral Presidente da direcção do Banco Alimentar Contra a Fome de Viseu

João Simões Cantor

Em dois anos o Banco Alimentar Contra a Fome de Viseu conseguiu chamar os 24 concelhos do distrito ao projecto. O objectivo vai ser conseguido este fim-de-semana na quarta campanha de recolha de alimentos, mas Catarina Sobral tem tudo a postos para que o desejo se torne realidade.

Gostas de ser criança? Gosto muito. Os meus pais dão-me muitos presentes e levam-me a sítios muito bonitos nas férias. É bom porque não tenho de trabalhar. Os adultos são chatos, por vezes, mas mimam-me o que significa que gostam de mim.

É bom, porque posso fazer as palhaçadas que quero. Não tenho responsabilidades e posso andar sempre de um lado para o outro.

Leonardo Pinheiro

Teresa Almeida

13 anos

11 anos

Gosto de ser criança para brincar. As crianças andam sempre mais eléctricas, os adultos têm de trabalhar para ter as coisas. Não gosto quando não me fazem as vontades.

12 anos

11 anos

António Vilarigues anm_vilarigues@hotmail.com

É mais cómodo do que ser adulto. Não temos de trabalhar e por isso temos mais tempo livre. Não gosto quando os adultos não me deixam fazer aquilo que quero, mas são simpáticos e fazem-me muito feliz.

Elisa Matos

José Ramos

Opinião

O jovem de Viseu, João Simões acaba de mostrar que os programas caça talentos da televisão podem e devem ser a rampa de lançamento para alcançar outras ambições e conseguir novos projectos. João Simões, exconcorrente do programa “Operação Triunfo” da RTP, lança esta sexta-feira um EP de originais, no Palácio do Gelo.

Agora CDU Por estes dias os defensores da direita dos interesses e dos interesses da direita queremnos fazer crer que está tudo decidido e que não há alternativas. Querem-nos impor o pacto de submissão e agressão assinado entre a troika dos partidos – PS/PSD/CDS – e a troika FMI/BCE/União Europeia. Mas a verdade é outra. Há outro caminho. O caminho da aposta na produção nacional, da valorização dos salários e das pensões, da promoção do emprego com direitos e do combate à precariedade. O caminho da tributação da banca, dos grupos económicos e das grandes fortunas. O caminho do combate às privatizações e da recuperação para o Estado de empresas estratégicas, da valorização dos serviços públicos. O caminho da renegociação da dívida pública (prazos, juros, montantes) e da defesa da independência e soberania nacional.

Em 5 de Junho os eleitores não vão ser chamados a eleger um primeiro-ministro. Elegem sim, em cada distrito, os deputados que os irão representar na Assembleia da República, local de excelência para a aprovação das leis que nos regem. A lista da CDU no distrito de Viseu integra mulheres e homens com provas dadas na defesa dos interesses dos trabalhadores e das populações. Homens e mulheres que estiveram com os trabalhadores e as populações contra as alterações ao Código do Trabalho, por melhores salários e pensões, contra os ataques aos trabalhadores da Administração Pública. Que estiveram contra os PEC e as portagens. Que estiveram com os professores, pais e estudantes contra o encerramento de escolas. Que estiveram contra o encerramento de serviços de saúde, contra a privatização da água. Que

pugnaram por mais e melhores transportes públicos, pela criação da Universidade Pública de Viseu. Que se bateram em defesa da agricultura, do ambiente e do comércio tradicional. Nesta legislatura, tal como em legislaturas anteriores, os deputados do PCP e do PEV foram os que mais propostas e requerimentos apresentaram sobre problemas do distrito. Dando continuidade a este trabalho, os candidatos da CDU apresentam-se aos eleitores assumindo desde já um conjunto de 16 compromissos que, como sempre, são para cumprir. Que outra força política do nosso distrito apresenta um tal património de pensamento e de acção? Sejamos claros: nenhuma! É tempo de confiar na CDU. Agora, a 5 de Junho, é tempo de votar CDU.


4 PRAÇA PÚBLICA | OPINIÃO Opinião Directora Interina Emília Amaral, C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Redacção (redaccao@jornaldocentro.pt) Emília Amaral, C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Gil Peres, C.P. n.º 7571 gil.peres@jornaldocentro.pt

Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Departamento Comercial comercial@jornaldocentro.pt

Directora: Catarina Fonte

João Pedro Antas de Barros

catarina.fonte@jornaldocentro.pt

Ana Paula Duarte ana.duarte@jornaldocentro.pt

Departamento Gráfico Marcos Rebelo marcos.rebelo@jornaldocentro.pt

Projecto Gráfico defrank - Comunicação Editorial defrank@netcabo.pt

Serviços Administrativos Sabina Figueiredo sabina.figueiredo@jornaldocentro.pt

Impressão GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Distribuição Vasp

Tiragem média 6.000 exemplares por edição

Sede e Redacção Bairro de S. João da Carreira Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lote 10 r/c 3500-187 Viseu • Apartado 163 Telefone 232 437 461 Fax 232 431 225

E-mail redaccao@jornaldocentro.pt

Internet www.jornaldocentro.pt

Propriedade O Centro–Produção e Edição de Conteúdos, Lda. Contribuinte Nº 505 994 666 Capital Social 114.500 Euros Detentores de mais de 10 por cento do Capital: Sojormedia SGPS, SA Depósito Legal Nº 44 731 - 91 Título registado no ICS sob o nº 100 512

Opinião Gerência

Jornal do Centro 27 | Maio | 2011

Eu Acho… Que Portugal se encontra numa situação terrivelmente difícil, mesmo muito preocupante, já ninguém tem qualquer dúvida de que assim é. Que os portugueses estão, por norma, sempre mais preocupados com questões formais e menos com problemas de substância, também temos quase a certeza que os nossos concidadãos têm disso consciência plena. Que muitas destas situações têm origem numa deficiente cultura geral da nossa população, será aceite sem grandes reservas de consciência. Que a ausência de uma moralidade social vem fazendo o seu caminho no seio de uma sociedade que, presumimos, se encontra em período de profundas mutações comportamentais, envolvendo valores e princípios, poderá ser aceite sem grandes reservas mentais. Que tais alterações não permitem um equilíbrio dinâmico entre todas as variáveis componentes da estrutura duma sociedade moderna mas responsável. Parece constituir uma evidência. Que tem havido uma evolução negativa na responsabilidade por parte de uma muito significativa parcela dos nossos concidadãos, no que concerne à permanente prevaricação da lei, a que Vítor Ben-

to chama “ limiar pessoal de transgressão aceitável” e que deve entender-se como limitada consciência cívica. É aceitável. Que economicamente continuamos a avançar para uma situação desesperada sem consciência generalizada por mais de 2/3 dos nossos compatriotas do que nos espera a curto e médio prazo. É a vida! Que continuamos globalmente a caminhar para um futuro muito incerto e sem grandes expectativas não poderá ser entendido como exercício de cepticismo mas como a certeza de que caminhamos inexoravelmente para, como refere Gilles Lipovetsky, uma “Era do Vazio”. Não temos grandes dúvidas que assim será. Que para os portugueses está a chegar ao fim a fantasia de uma vida inconsistente ou, como escreveu Álvaro Santos Guerra em “ Portugal na Hora da Verdade”, o nosso confronto com a realidade que a tríade europeia nos deixou no sapatinho. Não serão precisos mais comentários para intuirmos o nível político de quem nos conduziu a esta triste realidade. Promessas irrealistas, afirmações demagógicas e ilusões disparatadas que só são acolhidas por quem não tem a noção da realidade mais comezinha a lembrarem o sentido de humor de Winston

Churchill quando questionado sobre as qualidades que um político deveria ter: « A capacidade de predizer aquilo que vai acontecer amanhã, daí a uma semana , no mês e no ano seguintes. E ter a capacidade, no fim, de explicar porque não aconteceu nada assim». Cá, pelo burgo local, regional e nacional, não precisaremos de aprender nada. Já cá temos de tudo. Como nas respostas a questões colocadas por vários interlocutores, os nossos compatriotas começam invariavelmente com as afirmações EU ACHO e MAIS ou MENOS. Assim, se por exemplo, questionássemos uma substancial parcela dos futuros votantes nacionais, pretendendo saber se tinham consciência de que possuímos actualmente o pior crescimento económico médio desde a Primeira Guerra Mundial, a maior taxa de desemprego dos últimos 80 anos, a maior dívida externa dos últimos 120 anos ou a maior vaga migratória dos últimos 160 anos, para ficarmos só por aqui, arriscaríamos obter uma resposta do género – sabemos mais ou menos. Conhecedor, mais ou menos, da vida nacional achamos, infelizmente, que tudo está muito menos que mais. EU ACHO…

Este é o momento dos deveres

Francisco Rebelo dos Santos e Ângela Gil

Departamento Financeiro Ângela Gil (Direcção), Catarina Branquinho, Celeste Pereira, Gabriela Alves, João Machado Patrícia Santos info@lenacomunicacao.pt

Departamento de Marketing Patrícia Duarte (Direcção), Susana Santos (Coordenação), Catarina Fonseca e Catarina Silva marketing@lenacomunicacao.pt

Departamento de Recursos Humanos Nuno Silva (Direcção) e Sónia Vieira drh@lenacomunicacao.pt

Departamento de Sistemas de Informação Tiago Fidalgo (Direcção) e Hugo Monteiro dsi@lenacomunicacao.pt

Unidade de Projectos Lúcia Silva (Direcção) e Joana Baptista (Coordenação) projectos@lenacomunicacao.pt Os artigos de opinião publicados no Jornal do Centro são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. • O Jornal reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos enviados para a secção “Cartas ao Director”.

Semanário Sai às sextas-feiras Membro de: Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem

Associação Portuguesa de Imprensa União Portuguesa da Imprensa Regional

José Eduardo Ferreira Presidente da Câmara Municipal de Moimenta da Beira

Apesar de existirem os mais variados temas a justif icarem a atenção dos portugueses, não há dúvidas que o maior interesse vai, neste momento, para a campanha eleitoral em curso. Ainda bem que assim é, porque apesar do condicionamento imposto aos próximos anos de governação, estas eleições decidirão muito do nosso futuro. Não entendo sequer os que dizem que tudo está decidido, mas ainda assim se propõem participar na vida política, esquecendo que em política se tomam decisões todos os dias, para que estas inf luenciem a vida das pessoas. Já agora, a participação deve ter como pr i ncipa l objec t ivo construir soluções para as pessoas, pa rticipa ndo, ainda que com condições, na governação. E as condições só podem ter a ver com o posicionamento político de cada um: por vezes partimos de posições muito distantes e encontramo-nos num ponto em que conseguimos o equilíbrio.

Sei bem que alguns pensam que este compromisso se pode chamar promiscuidade e que qualquer consenso será sempre obtido à custa do que chamam os seus princípios, normalmente esquecendo os dos outros. Acontece que esse acantonamento não resolve nenhum problema às pessoas e pode constituir uma arrogância inadmissível, relativamente às posições, distintas, da maioria dos portugueses. Ou será, talvez, uma vontade de não participar numa ta refa ev identemente d i fíci l , mas mais consequente do que o abandono, puro e simples, do caminho da participação em qualquer governo, seja como for e com que for. Será bom o entendimento dos Partidos mais à esquerda segundo o qual o seu papel será sempre e exclusivamente de protesto? Mesmo quando manifestamente, como já aqui se disse, este não é tanto o momento dos direitos, mas mais dos deveres, quer das pessoas enquanto cida-

dãos, mas também dos partidos políticos que elas próprias formaram? Estou convencido que os resultados eleitorais demonstrarão que n i n g uém pode obter aprovação democrática livrando-se, pura e simplesmente, das responsabilidades governativas, para as quais, por natureza, os partidos políticos são constituídos. Bem sei que este entendimento não é pacífico, mas creio ser assim que o povo encara o que deve ser o papel de quem está ao serviço dos outros: servir nas condições e com os meios que os eleitores lhe conferem. Construir com as ferramenta s de que d i spuser, sem calculismos de qualquer espécie. Fica agora claro, com grande pena minha, que alguns não querem construir nada, não conseguindo ver para além de si próprios. Estou convencido que o povo não lhes atribuirá, durante muito tempo, grandes condições para destruírem tudo.


'LD0XQGLDO GD&ULDQoD 'H0DLRD-XQKR 'H0DLRD K

2)(57$ /LYUR$FWLYLGDGHV GD32//<

2)(57$ 6DFR3UDLD %$5%,(



8QLG %RQHFDV%DLODULQD

:,1;

5HI



0HUJXOKRQR0XQGR GDV*XORVHLPDV 32//< 5HI7



8QLG 6RUWLGRGH%RQHFDV 

02167(5+,*+ 5HI1:

/(9( 3$*8(





%RQHFR 1(18&2

3LFDGLQKDVGH,QVHFWRV 5HI

8QLG 3XOVHLUDV/RXFDV

F/LFHQoDV6RUWLGDV 8QLG3XOVHLUDV

/RXFDVV/LFHQoDV

/(9( 3$*8(









8QLG 3DFN6RUWLGR

-(:(/3(7

5HI



&DPSHmGH1DWDomR 5HI



8QLG $V0LQKDV 

648,1.,(6

&ROHFFLRQiYHLV 5HI



8QLG &DUUR 0$-25(77( $XWKHQWLF0RWRU&DU 6RUWLGRV

1DGDGRUD6DOYDGRUD 5HI7



/,77/(673(76+23

5HI



%RQHFD %$5%,(



8QLG 6RUWLGRGH0DVFRWHV

%RQHFD 1$1&<





8QLG &RQMXQWR0HVD 

7:((7< 5HI

)LJXUDV)ORUHV &RQMXQWR 3,1<321 5HI



8QLG &RQM%iVLFR 

%($'26

&$56+(//2.,77<

2)(57$ 76KLUW +27:+((/6



8QLG 6RUWLGR

GH9HtFXORV &$56 5HI:

WXGRSDUDRYHUIHOL]



8QLG +HOLFySWHUR

GH5HVJDWH 63,'(50$1 5HI



/DYDJHP $XWRPiWLFD +27:+((/6 &2/256+,)7(56 5HI9



)LJXUDV *250,7, &RQM)LJXUDV &DUWDVGH-RJR 5HI


Jornal do Centro

6

27 | Maio | 2011

abertura

Otorrinolaringologia do Hospital de Viseu na vanguarda

Tem a palavra

Marques dos Santos Director do serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de São Teotónio, Viseu

Restruturação do serviço de otorrino

1.

Os projectos inovadores apresentados pela Otorrinolaringologia do Hospital de São Teotónio fazem parte da reestruturação do serviço, em que se destaca a divisão por sub-especialidades. Quer concretizar?

Um dos elementos jå estå adstrito à subespecialidade de otologia, outro colega estå com a parte de cirurgia nasossinusal, outro estå com laser, outro estå com roncopatia, e falta-nos dois elementos previstos para quadro, em que queremos criar a pedootorrinolaringologia, em que esse colega ficaria o principal responsåvel pela orientação de todo o problema infantil. Contamos consegui-lo atÊ ao final deste ano.

2.

Na årea da prevenção o serviço dispþe desde 2005 o Rastreio Auditivo Neonatal Universal.

A toda a criança nascida neste hospital Ê testadaa audição. Se hå alguma suspeição, essa criança fica imediatamente registada na consulta de otorrino e passa a ser seguida por nós.

3.

Estes projectos levados a cabo com bebÊs e crianças Ê uma aposta assumida na prevenção?

Ă&#x2030; a aposta na prevenção e dĂĄ mais trabalho, mas estamos cĂĄ para isso. Em vez de serem os pais a abordarem-nos e a pedirem ajuda, somos nĂłs, hospital e centros de saĂşde, a ir ao encontro das pessoas, das situaçþes.

Publicidade

Informåtica aos 5 Informåtica Simplificada Para Maiores De 50 Cursos simples, de baixo custo e curta duração, sobre temas actuais e principais acçþes possíveis de realizar com um computador.   

   

 

  

    

 

(A iniciar brevemente)

texto e foto â&#x2C6;&#x2018; EmĂ­lia Amaral

Av. Alberto Sampaio NÂş 56, 1Âş andar, salas 3/4 Viseu - Tel. 232 405 464 www.informaticaaos50.com

Sucesso â&#x2C6;&#x2018; Primeira cirurgia de reconstrução vocal por fĂ­stula microvascularizada em Portugal O serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de S. TeotĂłnio acaba de realizar com sucesso a primeira cirurgia de reconstrução vocal por fĂ­stula microvascularizada em Portugal. Trata-se de uma tĂŠcnica operatĂłria recente, apenas realizada na Alemanha, JapĂŁo e Estados Unidos, que consiste em substituir as prĂłteses artificiais colocadas em doentes laringectomizados, por um excerto do braço com cartilagem das costelas do prĂłprio doente. Para o director do serviço de Otorrinolaringologia do S. TeotĂłnio, Marques dos Santos â&#x20AC;&#x153;ĂŠ uma cirurgia muito avançadaâ&#x20AC;? - original por nĂŁo se tratar de uma cĂłpia das anteriormente executadas - que terĂĄ sido a primeira com sucesso em Portugal. â&#x20AC;&#x153;Foi feita hĂĄ seis meses. Estivemos a acompanhar os resultados [do doente], que estĂĄ muito bem, e apresentĂĄmos os resultados num congresso nacional, hĂĄ 15 dias, no Algarveâ&#x20AC;?, confirma. O especialista reconhece vĂĄrios factores positivos nesta intervenção. Primeiro, as prĂłteses artificiais habitualmente utilizadas, obrigam Ă  substituição de forma repetitiva e â&#x20AC;&#x153;com desvantagens vĂĄriasâ&#x20AC;? para o utente. Depois, a nova tĂŠcnica inovadora traduzse num â&#x20AC;&#x153;maior conforto e qualidade de vidaâ&#x20AC;? para o doente. O conselho de administração lembra em comunicado que o Hospital S. TeotĂłnio volta a estar â&#x20AC;&#x153;na vanguardaâ&#x20AC;? do avanço tecnolĂłgico nacional. â&#x20AC;&#x153;Ă&#x2030; de realçar a importância do trabalho realizado por uma

A

Director do serviço de Otorrinolaringologia do SĂŁo TeotĂłnio equipa de profissionais altamente qualificados e motivados, e a quem nĂŁo tem sido regateado apoio por parte do conselho de administração, quer em meios tecnologicamente diferenciados, quer na valorização dos profissionaisâ&#x20AC;?, termina.

Rastreio auditivo prĂŠ-escolar aposta na prevenção â&#x20AC;&#x153;O menino ĂŠ distraĂ­do, nĂŁo ĂŠ surdo. O menino nĂŁo fala bem, ĂŠ normal para a idade... Ă&#x2030; o que dizem os pais, que Ă s vezes nĂŁo aceitam [a mĂĄ audição] e nĂłs verificamos pelo inquĂŠrito que hĂĄ ali alguma coisa que nĂŁo estĂĄ bemâ&#x20AC;?. Foi a partir desta preocupação em que os pais, muitas vezes, nĂŁo querem admitir a realidade de que o filho tem problemas de surdez, que o Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de SĂŁo TeotĂłnio decidiu avançar com o Rastreio Auditivo PrĂŠ-escolar no distrito de Viseu. Todas as crianças de cinco anos, antes de entrarem no 1Âş Ciclo do Ensino BĂĄsico estĂŁo a ser sujeitas a um inquĂŠrito respondido numa consulta do mĂŠdico de famĂ­lia, que depois, faz chegar esses inquĂŠritos ao serviço de Otorrinolaringologia onde sĂŁo analisados. â&#x20AC;&#x153;Nos inquĂŠritos vemos logo se hĂĄ problemas auditivos ou se se suspeita deles. Os que passam, Ă  partida, nĂŁo tĂŞm qualquer tipo de problema, os outros sĂŁo chamados pelo serviço de otorrino, para examinarmos um a um, para que nenhuma criança entre na escola com problemas auditivosâ&#x20AC;?, explica o director, Marques dos Santos. Ao todo vĂŁo responder cerca de 1900 crianças ao rastreio. Nesta altura, o serviço de Otorrino jĂĄ estĂĄ a analisar os primeiros casos: â&#x20AC;&#x153;HĂĄ jĂĄ situaçþes acom-

A

O objectivo ĂŠ nenhuma criança entrar na escola com problemas auditivos panhadas e outros [meninos] operados, que andariam â&#x20AC;&#x2DC;perdidosâ&#x20AC;&#x2122; se nĂŁo fosse o inquĂŠritoâ&#x20AC;?. Para Marques dos Santos, este rastreio vem preencher uma â&#x20AC;&#x153;lacunaâ&#x20AC;? em que a criança aparecia no serviço de otorrino jĂĄ em idade escolar, â&#x20AC;&#x153;muitas vezes, em consequĂŞncias jĂĄ do mau aproveitamento escolar e, depois, vinha-se a confirmar que tinha mĂĄ audiçãoâ&#x20AC;?.


8 Entrevista ∑ António Figueiredo e Emília Amaral Fotografia ∑ Nuno Ferreira

Jornal do Centro 27 | Maio | 2011

à conversa

Semanalmente, Semanalmente,“À“ÀConversa” Conversa”resulta resultadedeum umtrabalho trabalhoconjunto conjuntododo Jornal Jornal dodo Centro Centro e da e da Rádio Rádio Noar. Noar. Pode Pode ser ser ouvida ouvida nana íntegra íntegra nana Rádio Rádio Noar, Noar,esta estasexta-feira, sexta-feira,àsàs11hoo 11hooe eàsàs19h00, 19h00,e edomingo, domingo,àsàs12h00. 11h00. Versão Versãointegral integraleem versão www.jornaldocentro.pt áudio em www.jornaldocentro.pt

“Já valemos tanto que devia ser um orgulho para qualquer empresa estar connosco” Irene Xavier, natural do Rio de Janeiro, Brasil, veio para Portugal com seis anos e vive em Viseu desde os 21. A “paixão pela água”, fez esta professora optar por uma carreira na natação. No Académico de Viseu foi aluna, técnica da modalidade, coordenadora de escola e hoje é a dirigente da secção de natação do clube. De Humberto Fonseca diz-se que nasceu no Académico de Viseu. O atleta que fez parte da primeira equipa de natação federada de Viseu, é hoje treinador da equipa de competição, função que assume com paixão e convicção estampada no rosto desde o início da década. Os resultados de destaque da natação do Académico tiveram recentemente o seu ponto alto, com a subida à II Divisão Nacional. Humberto Fonseca diz que já estão na elite nacional mas é ainda o meio de um ciclo. Como se forma uma equipa vencedora?

Humberto Fonseca: Em natação, formar uma equipa vencedora passa por formar os nadadores. Os nadadores começaram a sua formação competitiva com o clube em 2005 e, para termos o sucesso que estamos a ter neste época que não lhe falta nada para ser considerada de brilhante, foi preciso passar por fases em que os resultados não eram tão bons, em que era preciso saber lidar com algum insucesso. Temos uma equipa já com alguma experiência e temos na realidade um grupo excelente, apesar de achar que estamos a meio de um ciclo que leva seis anos, que nos tem levado a resultados brilhantes nesta época, o culminar de um trabalho sustentado. Com a equipa que tem em mãos considera possível a subida à I Divisão?

ca: A II Divisão é um lugar grande, porque o campeonato nacional da II Divisão é disputado juntamente com a primeira. Estar nesse campeonato é estar na elite, é estar junto dos melhores. Se o Académico de Viseu tem pretensões de mais? Em termos individuais, acho que falta qualquer coisa para completar isto e temos em mente qualquer coisa mais. A nível de clubes, para estarmos mais alto, não precisávamos de mais apoio financeiro, nem de mais espaço na piscina, precisávamos que surgisse um ensino superior na nossa cidade [de Viseu].

Porquê?

Humberto Fonseca: Todos os nossos nadadores formados a partir de tenra idade, que quando chegam ao 12º ano vão para a faculdade e querem continuar a competir, têm duas alternativas, ou treinam sozinhos nas cidades onde estão a estudar – o que acontece com parte do nosso grupo que nos permite estar nesse patamar – ou seguem a via de mudar de clube. Se tivéssemos a oportunidade de ter em Viseu, principalmente, faculdades de medicina, arquitectura, engenharias, porque é onde estão os nossos atletas… O nadador é tão disciplinado a nível desportivo como a nível académico (estudos) e isso permitelhe entrar na faculdade e no curso que querem. E haveria ainda a possibilidade de outros poderem integrar a nossa equipa se viessem estudar para Viseu. Há casos de atletas de fora de Viseu a estudar e a praticar a modalidade?

Humberto Fonseca: Tenho dois, um que estuda desporto na ESE (Escola Superior de Educação de Viseu) e outro que estuda medicina dentária na Universidade Católica. O que é preciso

garantir aos jovens nadadores para se tornarem campeões?

Irene Xavier: Em termos de direcção uma equipa pequenina composta por mim, por um bom treinador e o apoio do colega Sampaio. A nossa secção de natação é muito independente, é autónoma a 99,9 por cento. Em termos de clube, tenho que garantir um bom treinador, que o tenho, continuar a conseguir alguns apoios, poder dar-lhes o melhor, procurar que consigam ter sempre o melhor em termos de treino, em termos de saídas (transporte, alimentação, alojamento…). Quanto custa uma época para a Natação do Académico de Viseu?

Irene Xavier: No ano passado, ainda sem esta fase, foi 45 mil euros. É difícil conseguir essa receita?

Irene Xavier: É. As receitas garantem-se com a verba dos atletas que pagam até irem para a universidade, temos um apoio da Câmara Municipal de Viseu, que é a nossa grande apoiante. Temos pouqu í ssi m a s empresas que nos apoiam pontualmente, o que

não é nada neste momento. Vejo em Viseu algumas equipas com apoios de grandes empresas, eu gostava de saber como é que a natação podia ganhar esses apoios, porque custa muito estar a pedir a alguém e receber um não. Neste momento valemos tanto, que já devia ser um orgulho para qualquer empresa, principalmente da cidade, estar connosco, pelo valor nacional, por tudo o que temos feito. Quantos atletas tem hoje o Académico?

Irene Xavier: Consideramos equipa o todo que temos. Depois, dividem-se por escalões, temos os cadetes que são os mais novos (infantis), juvenis, juniores e seniores. Temos, 80 atletas federados; além desses há 17 em formação que ainda não estão federados.

Como é que se faz a captação de jovens para a natação?

Irene Xavier: Seria fácil termos mais atletas em formação havendo três piscinas em Viseu, se houvesse sensibilidade em todas as piscinas. Um técnico que lida com a natação, tem na sua mão grandes potências. Ao descobrirem um atleta com sensibilidade, com uma maneira diferente de estar na água, era importante que o motivasse para vir ter connosco fazer um trabalho diferente, sabendo que existe um clube que tem um bom trabalho. Porém, isso é muito difícil de acontecer. O treino de natação é muito exigente.

Irene Xavier: No escalão de formação pedimos o mínimo de três vezes por semana, durante uma hora. Usamos a palavra treino, mas respeitando sempre as idades e o treino, porque é nesse respeito que se têm conseguido os bons resultados. Era importante um aumento do subsídio?

Humberto Fonseca: Os apoios que a natação precisa, não são só financeiros, poderão ser dados de outra forma. Versão integral e áudio em www.jornaldocentro.pt

Humberto Fonse-

A Humberto Fonseca

A Irene Xavier


Jornal do Centro

10

27 | Maio | 2011

eleições legislativas COMENTÁRIOS

Debate entre os cabeça de lista por Viseu, organizado pela AIRV

João Pedro Barros

Luís Paiva

Professor , ex-presidente do IPV

Engenheiro, ex-presidente da AIRV

Houve uma ausência de visão estratégica para o desenvolvimento regional. Foi um debate a rondar o medíocre, simplista, sem perspectiva, sem profundidade e sem inovação, não houve uma questão que visasse uma estratégia global da nossa região, a não ser do candidato do Bloco de Esquerda (Rui Costa). Não simpatizei com a forma como abordaram os problemas, destaco o candidato, Hélder Amaral (CDS-PP) com vontade e com moderação na linguagem. Chamar-lhe-ia mini comício, porque ninguém debateu nada.

Notícias do dia-a-dia da campanha em www.jornaldocentro.pt

Por motivos profissionais só assisti a metade do debate. É uma iniciativa à qual dou todo o mérito contudo, a pouca assistência - de autarcas essencialmente - acabou por inibir os oradores. Os verdadeiros problemas da região não foram debatidos, o futuro dos jovens e da região, que eram as grandes questões, não foram respondidas. Falou-se muito do passado e o que preocupa é o futuro. O impacto das medidas do FMI, as acessibilidades e os projectos para a região deveriam ter sido discutidos afincadamente.

Manuela Antunes

José Moreira

Professora

Director executivo da Expovis

Não estive até ao fim mas achei o debate uma ideia muito interessante, com todos os cabeça de lista dos partidos de Viseu a discutir as propostas. O que falhou foi não terem discutido as ideias práticas do programa, falou-se muito em generalidades. Os cabeça de lista focaram-se muito na questão partidária e o essencial, que é trabalharem todos para o distrito, falhou.

Fiquei com a sensação de que há pessoas que estão a tentar governar um país que é real e que está cheio de dificuldades e há outras que parece que estão a tratar da “Alice no País das Maravilhas” que não existe. Era o debate que esperava, nada me surpreendeu. Só não conhecia tão profundamente o candidato do Bloco de Esquerda (Rui Costa), que me surpreendeu pela positiva. Não concordo com as suas ideias, mas não deixo de admirar a clareza com que apresentou algumas questões.

PARTIDO DA TERRA APRESENTA CABEÇA DE LISTA POR VISEU António Laires é o cabeça de lista do MPT Partido da Terra pelo circulo de Viseu, nas p r óx i m a s e le i ç õ e s legislativas de 5 de Junho. Natural de Penalva do Castelo, a residir fora do distrito de Viseu, o coronel aposentado da Guarda Nacional Republicana tem as ideias no programa expostas num site de campanha, com várias propostas em destaque.

Publicidade

Feira semanal é ponto de encontro Preços reduzidos, para todos os gostos. PREÇOS REDUZIDOS A 5 MINUTOS DE VISEU A25—SAÍDA 20 Vale a pena dar CAFETARIA

DIAMANTE

cá um salto.

A tradicional feira semanal de Viseu tornouse o ponto de encontro dos políticos em tempo de campanha eleitoral, seja ela para as eleições legislativas ou autárquicas. Esta terçafeira repetiu-se a imagem, a máquina apenas “focou” os encontros e desencontros dos cabeças de lista por Viseu, em que o povo ficou a saber, pelos apertos de mão, que são adversários com ideias e projectos diferentes para o distrito e não inimigos. A primeira semana de campanha ficou marcada pela passagem por Viseu de José Sócrates, Passos Coelho e Jerónimo de Sousa. Para amanhã está agendado um jantar/comício do CDS-PP com Paulo Portas, no Multiusos da Soima. EA

Nuno Ferreira

Eleições ∑ Três líderes passaram por Viseu no arranque da campanha


Jornal do Centro

12

27 | Maio | 2011

região

A International House, escola de líng uas de Viseu, promoveu a sex ta Ca m i n h ad a de Solidariedade, com o objectivo de angariar fundos para o Centro de Acolhimento Temporário de Viseu. Este ano, 110 pessoas aderira m à iniciativa e caminharam 15 quilómetros. Cava de Viriato, Santiago, Travassós de Baixo e Esculca foram os locais por onde passa ra m e puderam apreciar alguns dos recantos menos conhecidos da cidade de Viriato. O percurso terminou no jardim da InternaPublicidade

tional House. Aqui, os “atletas” descansaram e recarregaram forças num churrasco de convívio. Posteriormente foram sorteados prémios. O primeiro prémio, destinado à pessoa que conseguisse angariar mais dinheiro, foi atribuído a Anabela Patrícia. Os quase 4000 euros conseguido por todos os participantes, familiares e amigos revertem a favor do Centro de Acolhimento Temporário de Viseu, para a criação de uma ludoteca e para a aquisição de uma cadeira de rodas. TVP

Emília Amaral

6ª Caminhada de Solidariedade

A Centro da cidade, zona do Palácio do Gelo, Fontelo e circunvalação foram as zonas mais atingidas

Semana de chuvas fortes e trovoadas com prejuizos Acidente∑ Em Lamego um homem foi atingido por um raio Um homem foi atingido por um raio, na quarta-feira , em La mego, qu a ndo u m a i nten sa t rovoad a e qued a de chuvas causaram inundações e deslizamentos de terras em apenas 10 minutos. A víti ma encontrava-se sobre o telhado quando um raio o atingiu, queima ndo - o no pénis e na perna direi-

ta. A vítima foi transpor t ad a pa ra o Hospital de Vila Real e, à hora do fecho do Jornal do Centro, o seu estado de saúde era estável, não correndo risco de vida. Este foi o registo mais grave de uma semana de fortes trovoadas e intensa queda de chuva e granizo. Na terçafeira à tarde, em Viseu,

fortes trovões descambaram numa “anormal” tempestade de chuva e granizo durante meia hora, que provocou dezenas de inundações em casas, estabelecimentos comercia is e cortes de vias no centro da cidade. A a r r u ad a d a CDU onde se encontrava o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa

teve que ser interrompida a meio, uma vez que era impossível circular na zona histórica. Ao final da tarde ainda a cidade não se tin h a recomposto, h avendo estradas inundadas, vias interrompidas e tampas de saneamento rebentadas. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Publicidade

Mercado Magriço Vai realizar-se mais uma edição do Mercado Magriço, em Penedono, a partir de hoje e até domingo. Trata-se de uma mostra de artesanato, gastronomia, produtos tradicionais e outras actividades económicas do concelho. O certame vai ser inaugurado hoje, pelas 19h00,

pelo presidente da Câmara Municipal de Penedono, Carlos Esteves. Amanhã está prevista a actuação do Grupo de Cantares de Vila Chã de Sá, às 19h00. No domingo a abertura do mercado é às 10h00. O jantar de encerramento com gastronomia tradicional está marcado para as 20h00.


7

Jornal do Centro

TONDELA | SANTA COMBA DÃO | VISEU | REGIÃO 13

27 | Maio | 2011

dias

INTOXICADOS

Tondela. Cerca de duas dezenas de funcionários de uma fábrica de ovos para incubação, em Tondela, sofreram, no dia 20 de Maio, uma intoxicação provavelmente causada por um fungicida. “O produto foi utilizado para desinfectar um espaço fechado há algum tempo e provocou algum mau estar a quem lá entrou”, disse Sara Lopes, enfermeira do Centro Hospitalar de Tondela.

DETIDO

Lamego. José Santos, presidente da Junta de Freguesia de Penajóia, em Lamego, foi detido no dia 24 pelo NIC da GNR de Viseu por suspeitas de ter espancado uma mulher brasileira com quem terá mantido uma relação amorosa. Segundo fontes policiais, o autarca “agrediu a mulher brutalmente e arrancou-lhe parte de uma Publicidade

orelha. A vítima, depois de assistida no Hospital de Viseu, foi transferida para o Hospital de S. João, no Porto, onde vai ser sujeita a uma cirurgia plástica à face. O autarca foi presente a tribunal, onde se remeteu ao silêncio, e aguarda o desenvolvimento do processo com apresentações semanais na GNR.

DETIDO

Santa Comba Dão. O Destacamento Territorial de Santa Comba Dão emitiu, no dia 24, 10 mandados judiciais, em residências e viaturas, na zona de Carregal do Sal e Santa Comba Dão e, na sequência foi dedito um indivíduo de 23 anos do sexo masculino. Foram apreendidas 23 doses de heroina, comprimidos, 4 armas brancas e vário material usado na prática e preparação destes crimes.

Jovem assaltante detido pela PSP de Viseu A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Viseu, através dos elementos da Esquadra Investigação Criminal, deteve um homem do sexo masculino de 24 anos de idade, natural de Nelas suspeito da autoria de cerca de duas dezenas de assaltos a residências, nos últimos nove meses. O homem, desempregado, foi detido na sePublicidade

quência de diversos reconhecimentos presenciais

efectuados na esquadra. Estava já referenciado

por ter praticado vários assaltos na área de jurisdição da PSP de Viseu. A PSP esclarece, em comunicado que “com esta acção a Polícia de Viseu conseguiu deter um dos principais autores deste tipo de ilícitos e, consequentemente, contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos e da sua segurança”. EA


Jornal do Centro

14

27 | Maio | 2011

economia foto legenda

Resende respira cereja este fim-de-semana Evento ∑ Festival da Cereja espera toneladas do fruto da época a preços “convidativos” A partir das 10h00 de sábado, mais de uma centena de produtores e vendedores de cereja são esperados no Largo da Feira, em Resende, onde venderão toneladas do fruto a preços considerados “convidativos”. O certame será sempre acompanhado de animação de rua e muita música. Durante os dois dias, em Resende, os visitantes também podem passar pela mostra e venda de produtos de artesanato relacionados com a cereja, como compotas e licores, peças de cerâmica e linho tradicional.

O ponto alto do Festival da Cereja está marcado para domingo, ao início da tarde, com a realização do Cortejo Temático subordinado ao tema “A Cereja de Resende no Topo do Bolo”. Cerca um milhar de crianças vestidas a rigor em oito carros alegóricos decorados, vão desfilar pelas principais ruas do centro da vila, e colocar um ponto final numa das iniciativas mais emblemáticas dedicada à cereja. Resende é responsável por 24 por cento da produção nacional de cere-

ja, ou seja, cerca de 3.500 toneladas por ano, sendo considerada uma forma de “valorizar um produto diferenciador” pela autar-

quia e que tem uma grande repercussão na economia local. Emília Amaral

Rede de transportes especial

∑ A autarquia de Resende voltou a estabelecer este ano uma parceria entre a Joalto Douro e a CP com o objectivo de facilitar a deslocação até ao Festival da Cereja. A CP disponibiliza durante os dois dias, horários de comboio especiais entre as estações do Porto e da Ermida, e os visitantes terão à sua espera um autocarro da Joalto Douro que os conduzirá até ao centro da vila a um preço de 1,20 euros. O mesmo transporte é assegurado no sentido inverso, ligando Resende à estação de comboios.

A cidade de Viseu recebeu o primeiro roadshow de automóveis eléctricos em Portugal, na passada sexta-feira, no recinto da Feira de S. Mateus. O presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, o director de comunicação da Peugeot Portugal, Jorge Magalhães e o representante da MOBI.E estiveram na chegada do “Electric Tour”, que pretende abrir os caminhos da mobilidade eléctrica a todos os cidadãos e empresas, de norte a sul do país e experimentar as vantagens do automóvel eléctrico. A rede MOBI.E é e única a nível mundial que permite, através de um único cartão, carregar o carro eléctrico, escolher o ponto de abastecimento, entre outras vantagens. Na ocasião, Fernando Ruas lembrou que Viseu “é protagonista neste envolvimento com o transporte eléctrico”. A cidade tem uma rede de autocarros eléctricos, está preparada com 20 postos de carregamento prontos para serem usados a qualquer momento, e o presidente admitiu que a autarquia pode vir a investir numa viatura das que experimentou no roadshow. EA

Publicidade

Uma aposta no futuro A Escola Profissional de Carvalhais (EPC) tem na sua filosofia e na sua orientação de base uma preocupação permanente de ser um espaço humanizado. Esta escola procura corresponder às expectativas dos alunos e solucionar todos os problemas que possam surgir, quer sejam de índole financeira, de apoio psicológico, ou através de aulas de apoio a diferentes disciplinas. Através de diferentes cursos, as grandes áreas de desempenho da Escola Profissional de Carvalhais são a Saúde e Bem-Estar, a Hotelaria e Restauração e a Informática. Pretendemos proporcionar à comunidade, através de um conjunto de parcerias e protocolos, a concretização de projectos que nos identifiquem enquanto escola, dando aos nossos alunos a garantia de um futuro promissor em que, através das empresas, instituições e autarquias parceiras, tornamos possível o acesso à vida activa, ao mercado de trabalho. Olhamos cada aluno enquanto pessoa, enquanto jovem com esperança no futuro.

Dá um novo sentido à tua formação…

Uma escola de referência Somos a única escola da região com certificação de qualidade. Acreditamos que somos uma escola de referência na Região. Proporcionamos aos nossos alunos grandes possibilidades de inserção no mercado de trabalho, sendo que alguns prosseguem os estudos para o Ensino Superior. Temos diversas parcerias com Instituições do Ensino Superior que nos dão garantia de competência. Estamos capazes de providenciar alojamento de qualidade.

Novas apostas A Escola Profissional de Carvalhais está, neste momento, empenhada em desenvolver parcerias com entidades estrangeiras, proporcionando aos seus alunos uma visão mais alargada do mercado de trabalho, em contexto europeu. Neste âmbito, vários alunos da EPC desenvolveram a sua Formação em Contexto de Trabalho em Itália e Espanha, no âmbito do Programa Leonardo da Vinci, e na Suíça através de protocolos com entidades de acolhimento.

Escola Profissional de Carvalhais 3660-061 – Carvalhais São Pedro do Sul TELF. 232 700 040 | FAX 232 700 049 E-Mail: info@epcarvalhais.org | www.epcarvalhais.org

ConcepçãoePrestaçãodeServiçosdeFormaçãoProfissional (AprendizagemeContínua),EnsinoProfissionaleApoio Social/Domiciliário


Jornal do Centro

ECONOMIA | VINHOS 15

27 | Maio | 2011

MORGADO DE SILGUEIROS EM BAG-IN-BOX A Adega Cooperativa de Silgueiros lançou um novo produto para o mercado. Trata-se do vinho Morgado de Silgueiros em bagin-box de três litros. “Optamos por uma imagem mais sóbria e que dignificasse a região do Dão”, explica o enólogo de Silgueiros, Miguel Oliveira. O vinho Morgado de Silgueiros é “complexo e com grande riqueza aromática”, explica. Com esta novidade a Adega Cooperativa pretende cativar novos clientes e fidelizar os amantes do Dão. O bag-in-box de três litros equivale a quatro garrafas de vinho. Publicidade

“Há mais jovens a beber vinho a copo” “Dão ao Copo e Gastronomia à Mesa” ∑ Balanço positivo a meio da iniciativa “Os jovens estão cada vez mais a procurar o conceito de vinho a copo”, foi este o balanço feito por Carlos Mões, do Turismo da Visabeira, no restaurante Rodízio Real, em Viseu, acerca da iniciativa “Dão ao Copo e Gastronomia à Mesa”. O objectivo que passa por “casar” o vinho do Dão e os manjares regionais está a meio, o término está marcado para o dia 16 de Junho. Até à data, o promotor considera “positivos” os efeitos da iniciativa. “Tivemos um acréscimo no número de clientes nos restaurantes aderentes, a iniciativa para além de ter au-

A Organizadores e produtor satisfeitos com o evento mentado a facturação nos restaurantes, promoveu o vinho a copo e a gastronomia regional, que são os nossos grandes objectivos”, explicou. Benjamim Amaral, da

Aromas do Dão, considera que “esta é já uma aposta de sucesso”, uma vez que “toda a gente em Viseu fala da iniciativa e que nunca houve a possibilidade de provar tantos vinhos Publicidade

de qualidade a copo”. Para esta quinzena, os vinhos em destaque são da Quinta da Pellada e Quinta de Saes, dos enólogos Álvaro de Castro e Maria de Castro. O enólo-

go, que marcou presença na iniciativa “simpática”, como a apelidou, deu a provar vinhos de “linha básica” e “de topo”, e lembrou que “o vinho é para a comida”.


Jornal do Centro

16 ECONOMIA

O “cabritin ho do Montemuro” é a grande atracção do Fim-de-Semana Gastronómico do Concelho de Castro Daire, que se realiza hoje, amanhã e Domingo, um pouco por todo o concelho. Para a VII edição aderiram cinco restaurantes. Dois situados na vila de Castro Daire, dois nas Termas do Carvalhal e um no Mesio. O preço praticado pelas unidades de restauração é único, 15 euros, e inclui ementa completa. As ementas ficam a cargo dos respectivos estabelecimentos. Esta iniciativa propõese promover a gastronomia castrense, sendo que é uma das mais-valias do concelho. A Semana Gastronómica é mais uma iniciativa que se enquadra na política de promoção turística do concelho e da valorização dos produtos endógenos. O Fim-de-Semana Gastronómico do Concelho de Castro Daire é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Castro Daire e da Associação Empresaria de Castro Daire e Beiras. TVP

Doces de Fruta “Won” sem açucar Geleia de milho e polpa de frutas são estes os ingredientes que servem de base à receita dos Doces de Frutas “Won”. A simples receita é o alicerce de sucesso das compotas orientais que se fabricam no Caramulo, em Tondela, há mais de 30 anos. O mentor desta receita é o sul coreano Chong Won, sócio-gerente da empresa H. Won, Lda. A geleia de milho substitui o açúcar, a sua preparação consiste na transformação de amido de cereais em açúcares redutores ao qual é adicionado polpa de frutas. São produzidos doces de maçã, abóbora, uva, ameixa, chila, figo, laranja, morango e cenoura. As compotas “Won” não contêm adoçantes, espessantes, aromatizantes, corantes ou conservantes, são 100 por cento naturais e por esse motivo são vendidas maioritariamente em ervanárias e dietéticas contudo e também se encontram à venda em super e hipermercados.

A Won está a dinamizar o negócio e promete lançar doces com diferentes sabores H. Won reconhece que estas caracteristicas não representam só vantagens para o negócio. “Não tem químicos logo é mais saudável mas o sabor é menos intenso e por isso menos apetecível”, explica. Os doces de Frutas “Won” são um sucesso no mercado nacional e internacional. “Exportamos para o centro da europa, Espanha e Itália, essencialmente”, conta H. Won. Ainda assim, o mentor desde manjar reconhece que nos dias de hoje “o negócio está mais complicado”, devido à crise. Longe vão os tempos

em que anualmente eram produzidas 150 toneladas de geleia, agora com quatro funcionários são produzidas 60 toneladas. Mas H. Won não se deixa abater e está já a pensar em dinamizar o negócio. “Vamos fazer novas compotas, para tal vamos alterar os sabores e adicionar outros componentes”, o Jornal do Centro tentou perceber como vão ser as novas compotas, mas o sul coreano respondeu em bom português: “o segredo é a alma do negócio!”. Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Publicidade

CERTIFICADO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NÍVEL IV UE - EQUIVALÊNCIA AO 12º ANO CURSOS PROFISSIONAIS para o ciclo de formação 2011/2014

escola profissional mariana seixas

sede VISEU Técnico de Informática de Gestão

sempre a formar profissionais de qualidade

Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Técnico de Multimédia Técnico de Comunicação/ Marketing, Relações Públicas e Publicidade Técnico de Audiovisuais Técnico de Electrónica, Automação e Computadores Técnico de Electrónica e Telecomunicações Técnico de Energias Renováveis - variantes Eólica e Solar

viseu

Técnico Auxiliar de Saúde (2012/ 1015) Técnico de Fotografia (2012/ 1015) Técnico de Animação 2D e 3D (2012/ 1015) Técnico de Desenho Digital 3D (2012/ 1015) Técnico de Viticultura e Enologia (2012/ 1015) Técnico de Restauração (2012/ 1015) delegação de CASTRO DAIRE Técnico de Gestão Técnico de Energias Renováveis - variantes Eólica e Solar

Sede Edifício Socarvil - Est. Nac. 231 Quinta da Alagoa 3500-606 Ranhados - Viseu

CERTIFICADO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NÍVEL II UE (T3) - EQUIVALÊNCIA AO 9º ANO

Telef.: 232 468 078 Fax: 232 460 404

CURSOS DE EDUCAÇÃO/FORMAÇÃO para o ano de formação de 2011/12

Pólo Av. João Rodrigues Cabrilho 3600 CASTRO DAIRE

sede VISEU

delegação de CASTRO DAIRE GRUPO GRUPO

Qualificar é crescer

Práticas Técnico Comerciais Técnico de Instalação e Op. de Sistemas Informáticos

de sd e

Técnico de Electricista de Instalações

19 89

Técnico de Instalação e Op. de Sistemas Informáticos

Telef.: 232 381 193 Fax: 232 381 451 E-mail: geral@epms.pt www.epms.pt

Clareza no Pensamento (http://clarezanopensamento.blogspot.com)

Será que vão aumentar o spread do meu crédito?

Caramulo ∑ Empresa está instalada há mais de 30 anos

Tiago Virgílio Pereira

FIM-DE-SEMANA GASTRONÓMICO EM CASTRO DAIRE

27 | Maio | 2011

Com certeza que a maior parte de nós já teve conhecimento da “polém ica” em relação à possibilidade dos bancos poderem alterar unilateralmente a taxa de juro ou outros encargos de um contrato de crédito. Tentemos esclarecer um pouco essa questão… Quais as razões desta “polémica”? As razões desta “polém ica” prendem-se essencialmente com a possibilidade dos bancos, nos contratos de crédito à habitação e nos contratos de crédito ao consumo, poderem fazer incluir cláusulas que permitam alterar a taxa de juro por via do aumento unilateral (isto é, por exclusiva vontade do banco e não fruto da negociação com o cliente bancário) do spread. Será que essa prática por parte dos bancos é legal? De acordo com o Decreto-lei nº 446/85, de 25 de Outubro (alínea c), do nº1 e nº 2 do artigo 22º) os bancos poderão de facto incluir nos contratos de crédito cláusulas desse tipo, desde que estas integrem factos que consubst a nciem “ra z ão atendível” ou que correspondam a “variações de mercado”. Será que os bancos não poderão utilizar abusivamente esta normativa em seu benefício? E x ac t a mente pa ra evitar essa situação, o Banco de Portugal emitiu a Carta-circular nº 32/2011/DSC, de 17 de Maio deste ano. Deste documento podemos destacar os seguintes aspectos: os factos que consubstanciam “razão atendível” ou que correspondam a “variações de mercado” deve-

Ilídio Silva Docente na Escola Superior de Tecnologia de Viseu isilva@estv.ipv.pt

rão ser concretizados com detalhe suficiente; tais factos deverão ser externos ou alheios ao banco, relevantes e excepcionais (será o caso, por exemplo, da descida do rating do banco para uma notação correspondente a um nível especulativo – junk); deverá ser estabelecido um prazo razoável para que o consumidor possa exercer o seu direito de resolução do contrato de crédito (não inferior a 90 dias) e indicado o momento a partir do qual as alterações produzem efeitos; e deverá também estar prevista a reversão das alterações quando os factos que as justificaram deixem de se verificar. O que poderá fazer o cidadão comum? Q u a lq ue r c id ad ã o que possua um crédito (sobretudo se contraído recentemente) deverá analisar atentamente o contrato de crédito no sentido de detectar a existência deste tipo de cláusulas. Em caso afirmativo, deverá manterse atento à evolução do valor da prestação do crédito (note-se que os bancos são obrigados a comunicar por escrito a activação destas cláusulas). No caso de se sentir lesado, contacte o seu banco pedindo explicações sobre a situação em causa, podendo também fazer uma reclamação no portal do cliente bancário (http:// clientebancario.bportugal.pt), da responsabilidade do Banco de Portugal. Quem estiver a pensar contrair crédito num futuro próximo, antes de assinar o contrato de crédito, deverá verificar a eventual existência deste tipo de cláusulas no contrato e, em caso afirmativo, tentar negociar com o banco a sua exclusão.


Jornal do Centro

17

27 | Maio | 2011

especial 1 de Junho Tondela ∑ O Complexo Desportivo do Estádio João Cardoso vai receber cerca de 1800 crianças de todas as Escolas do 1º Ciclo e Jardins de Infância do concelho, inserido no Projecto “Viva a Escola”. Assim, das 9h30 às 13h00, vão realizar-se actividades desportivas, ateliers específicos para as crianças dos Jardins de Infância e um convidado especial no encerramento. Sátão ∑ O dia é assinalado no Domingo, dia 29 de Maio, a partir das 14h00, no largo de S. Bernardo. Todas as crianças do concelho podem brincar com insufláveis, jogos, pinturas faciais. Está garantida muita animação, a entrada é livre.

Dia Mundial da Criança Lançamento de aviões de papel no Multiusos

agenda

Ideia ∑ A iniciativa nasce a partir da figura lendária de João Torto A Expovis e o Projecto Património/Empório celebram o Dia Mundial da Criança em Viseu com o concurso de lançamento de aviões de papel João Torto. A partir do slogan “Não faça como João Torto, chegue à Feira de S. Mateus”, a ideia foi lançada às escolas do concelho para que desafiassem alunos desde o 1º até ao 9º Ano do Ensino Básico para construírem um avião na sua escola e o levassem a concurso dia 1 de Junho ao pavilhão Multiusos. A ideia foi bem acolhida e, na próxima quinta feira, vão estar perto de 400 crianças e jovens a lançar os seus avi-

A No Multiusos vão juntar-se perto de 400 crianças e jovens ões de papel a partir de uma pista especialmente montada dentro do pavilhão. O júri vai avaliar a distância que percorre cada avião e a decoração do trabalho. “É sobretudo uma tradição que se quer recuperar.

Todos nós já fizemos e já brincámos aos aviões de papel e vamos recuperar essa ideia junto das crianças que também tem o lado pedagógico de ser uma destreza manual interessante”, afirma o director executivo da

Expovis, José Moreira. O responsável pretende que seja “uma grande festa à volta dos aviões de papel” na figura tutelar do Ano Internacional Viseense, o João Torto, o primeiro aeronauta português que, segundo a lenda, teve um grande desejo de chegar á Feira de S. Mateus e construiu umas asas na tentativa de voar da Sé até ao recinto do certame. “É uma lenda, não aparece documentação que comprove a história, mas é importante até por alguma tradição oral que vai passando de século para século”, acrescenta.

Viseu ∑ O Rossio vai encherse de crianças e de animação das 9h00 às 17h00. Estão previstas diversas actividades: pinturas faciais, carrocel, passeios no comboio turístico, teatro e muita música, em parceria com a Feira do Livro. Mortágua ∑ Há sempre um tema associada a este dia. Este ano é sobre o Ano Internacional da Floresta. Neste âmbito, vão realizar-se quatro acções para as crianças. No Parque Verde, das 10h00 às 15h00, brincar com insufláveis ou fazer dobragens são algumas das actividades propostas.

Emília Amaral

Publicidade

Cheque Dentista

Av. Dr. António José de Almeida nº 267 1º esq T. 232421793 . M. 966534735

www.cmdviseu.com @ marcacoes@cmdviseu.com


18

Jornal do Centro 27 | Maio | 2011

desporto Visto e Falado

AGENDA FIM-DE-SEMANA FUTEBOL III DIVISÃO NACIONAL SÉRIE C

Vítor Santos vtr1967@gmail.com

10ª jornada - 29 Mai - 17h00 Fase Subida Bustelo S. J. Ver Avanca 2 - 1 P. Castelo Alpendorada Cinfães

Futebol Rui Miguel

Futebol AD Sátão

Cartão Fairplay A Desportiva do Sátão venceu a Taça de Sócios de Mérito. Uma final muito disputada com o Mortágua que só no prolongamento se viria a decidir. Esta final já é um marco importante para o futebol distrital. Estar presente no Fontelo é um objectivo de atletas e treinadores. A festa do futebol viseense é ali. Parabéns pela dignidade com que a AFV trata esta competição e esta final. Parabéns ao Sátão pela vitória.

Fase Manutenção Sampedrense Fiães L. Lourosa Alba Oliv. Frades Aguiar Beira Classificação 1 - Alba 28 2- Sampedrense 27 3- Aguiar Beira 23 4 - Oliv. Frades 22 5 - L. Lourosa 21 6 - Fiães 20

Gil Peres

Cartão FairPlay O Rui disputou no Jamor a Final da Taça de Portugal ao serviço do Vitória de Guimarães. Um palco único e ambicionado por todos os profissionais. A derrota contra o FC Porto não belisca o valor deste produto das camadas jovens do CAF. É um talento e uma referência. Com uma carreira de I liga é, actualmente, o jogador da região com mais prestígio e os sentimentos de perca com que abandonou o relvado do Jamor no domingo é de Campeão.

A Jogo muito disputado no Fontelo mas que terminou sem golos III DIVISÃO NACIONAL - Série D (Subida)

Em Oliveira do Bairro com os ouvidos em Alcanena de terceiros para conseguir a subida à II Nacional. De terceiros, mas principalmente de si próprio. Ganhar em Oliveira do Bairro é obrigatório. Só com os três pontos num jogo frente a um concorrente directo, que em caso de vitória sobe de divisão, é que os academistas podem aspirar a subir. As contas são simples de fazer. Vencer é fun-

damental já que qualquer outro resultado que não sejam os três pontos não serve. Independentemente do resultado do jogo em Alcanena entre Monsanto e Nogueirense. Se vencer, duas coisas podem acontecer. Em Alcanena o Monsanto vence ou empata o jogo e então sobem de divisão Monsanto e Académico de Viseu. Caso o Académico de

10ª jornada - 29 Mai - 17h00 Riachense Monsanto Oliv. Bairro

Fase Subida Sourense Nogueirense Ac. Viseu

Classificação

Obrigatório ∑ Só vencendo o Académico de Viseu pode pensar em subir De calculadora e telemóvel, à espera do resultado em Alcanena, mas com a cabeça e o coração em Oliveira do Bairro. Não está fácil a vida do Académico de Viseu na subida à II Divisão, depois de um comprometedor empate, em casa, com o Monsanto. Uma igualdade sem golos que, face aos resultados verificados nos outros campos, deixa o Académico a depender

III DIVISÃO NACIONAL SÉRIE D

Viseu vença, mas o Nogueirense também vença, então subirão de divisão, Monsanto e Nogueirense. Sabendo que o jogo em Oliveira do Bairro é decisivo, a direcção do clube disponibiliza transporte gratuito, em autocarro, a todos os adeptos que queiram apoiar a equipa no domingo.

1 - Monsanto 2- Oliv. Bairro 3- Nogueirense 4 - Ac. Viseu 5 - Sourense 6 - Riachense

36 35 34 33 28 28

I DIVISÃO NACIONAL FEMININO FASE CAMPEÃO 6ª jornada - 29 Mai - 17h00 Leixões Cadima

-

Gil Peres gil.peres@jornaldocentro.pt

Futsal

Cartão Amarelo Viseu Futsal, ABC de Nelas e AJAD Tabuaço conseguiram boas classificações. O Viseu Futsal nos primeiros lugares na II divisão faz acreditar que o sonho de ter futsal de 1.ª em Viseu é possível. ABC de Nelas e AJAB de Tabuaço, 3.º e 4.º classificados na III Nacional demonstraram organização e competitividade. Para o ano vamos lá chegar. Força.

Futebol - III Divisão Nacional Série C (Manutenção)

Decidir uma época em 90 minutos Oliveira de Frades e Aguiar da Beira vão decidir, entre si, este domingo às 17h00, quem desce aos respectivos distritais e quem se vai manter na III Divisão Nacional. Capricho do campeonato, e dos resultados verificados nesta fase final, ditaram que o jogo entre as duas equipas seja decisivo. O Oliveira de Frades

sabe que precisa ganhar. Só assim assegura a manutenção. Tem a seu favor o factor casa, mas contra a “pressão” da vitória. Já ao Aguiar da Beira um empate em Lafões pode chegar, desde que o Lourosa não ganhe ao Alba. Nesta altura há dois pontos a separar as duas equipas, mas a Lusitânia

de Lourosa tem vantagem no confronto directo, já que venceu o Aguiar da Beira, em casa, por 1 a 0, e no passado fim-de-semana foi empatar a casa do adversário. Por fora, e a torcer pelo Oliveira de Frades, estará o vale de Açores, que, caso o GDOF se mantenha nos nacionais, será promovido à Divisão de Honra de Viseu. GP

Gil Peres

Equipas do distrito nos Nacionais

A Oliveira de Frades ou Aguiar da Beira?

Escola FC 1º Dezembro


D Prémios Anim´arte

Jornal do Centro 27 | Maio | 2011

culturas expos

19

O GICAV (Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu) vai realizar a gala de atribuição dos prémios Anim´ arte. O espectáculo está marcado para amanhã, no Auditório Mirita Casimiro, em Viseu, pelas 21h15.

Arcas da memória

Destaque

TONDELA ∑Museu Terras de Besteiros Até dia 21 de Agosto Exposição de pintura de Alexandre Magno.

Aquilino Ribeiro, Vildemoinhos e o rio Pavia

Alberto Correia Antropólogo aierrocotrebla@gmail.com

SANTA COMBA DÃO ∑Biblioteca Municipal Até dia 30 de Setembro Exposição “Viagem pela História da Imprensa Santacombadense”.

A Grupo “Exultate” aqui ainda com o saudoso Jorge Abel

MOIMENTA DA BEIRA ∑ Câmara Municipal Até dia 15 de Junho Exposição de pintura de Humberto Santos.

Catarina Barros é a voz lírica de Viseu

MANGUALDE ∑ Salão de Exposições da Biblioteca Municipal Até dia 31 de Maio Exposição de Pintura de João Bastos.

Reconhecimento ∑ Jorge Abel sempre acreditou no talento vocal da jovem

VILA NOVA DE PAIVA ∑ Auditório Municipal Carlos Paredes Até ao dia 31 de Maio Exposição “Ilustração Científica, Ciência Narrada e Imagens”. Até ao dia 31 de Maio Exposição “A Campanha da Resina”. S. PEDRO DO SUL ∑Cineteatro Até ao dia 31 de Maio Exposição de pintura “Expressões”.

“Foi o professor Jorge Abel o impulsionador da minha paixão pelo canto lírico”, diz Catarina Barros, 32 anos. Antes, a jovem viseense frequentou o curso básico de piano no Conservatório Regional de Música de Viseu, mas a entrada na Universidade de Coimbra mudou-lhe o destino. “No Conservatório de Coimbra pedi mudança de instrumento e apostei no canto, o professor Jorge Abel insistia que eu estava na área errada e dizia frequentemente que eu tinha muito boa voz”, explica. Catarina Barros terminou o curso geral de canto – oito níveis – aos 24 anos. Em 2007 surgiu o grupo “Exultate”. O professor Jorge Abel convidou a jo-

vem e outros professores do Conservatório de Viseu, num grupo que privilegiava a vertente clássica e lírica. Surgiram os primeiros espectáculos, conferências e jantares de empresas. “Exultate” que começou como “uma brincadeira” depressa começou a atrair as pessoas. “Não tinha ideia que íamos ganhar dinheiro com o grupo, contudo há muitas pessoas que gostam do canto clássico e lírico, especialmente em casamentos”, conta. Ainda assim, Catarina sente que as pessoas de Viseu continuam a não apostar nos filhos da terra. “O Conservatório de Viseu forma as pessoas e depois não aposta na promoção”, apesar de reconhecer que

“antigamente era bem pior”. “Exultate” é o único grupo com a vertente lírica em Viseu. Inicialmente era constituído por seis elementos até que, o ano passado, Jorge Abel faleceu. “Foi uma perda enorme para todos, era ele que construía as músicas do grupo e nos apoiava, pessoalmente senti muito a sua morte pois sempre apostou em mim e ajudou-me a formar como música e como pessoa”, lembra emocionada. Os “Exultate” têm já uma agenda muito preenchida para os meses de Verão que se aproximam, o que reflecte o crescente interesse por esta vertente da música.

Água aos Elefantes (M16) (Digital)

Estranhas Marés (CB) (Digital 3D)

19h00 Rio VP (M6) (Digital 3D)

17h30, 21h20, 00h20* Encontrarás Dragões (M12) (Digital)

Sessões diárias às 11h20* (Dom.), 13h30, 16h00 Rio VP (M6) (Digital 3D)

Sessões diárias às 13h40, 16h10, 18h40, 21h10, 23h40* Real Desatino (M16) (Digital)

Sessões diárias às 13h30, 15h45, 18h10, 21h50, 00h35* Tekken (M16) (Digital)

Sessões diárias às 14h10, 17h10, 21h30, 00h30* Velocidade Furiosa 5 (M12) (Digital)

PALÁCIO DO GELO (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 21h40, 00h25* Cliente de Risco (M12) (Digital)

Sessões diárias às 13h40, 16h40, 21h10, 00h00* Velocidade Furiosa 5 (M12) (Digital)

roteiro cinemas

VISEU FORUM VISEU (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 14h00, 16h25, 19h00, 21h40, 00h20* Crime e Redenção (M16) (Digital) Sessões diárias às 18h50, 21h20, 00h00* Thor 2D (M12) (Digital) Sessões diárias às 14h45, 17h30, 21h00, 23h50*

Aquilino Ribeiro nunca nos fala das Cavalhadas nas múltiplas páginas dos livros em que nos fala de Viseu. Mas é de crer que esta sumária referência ao arraial que acontecia , certa noite de Verão, em Vildemoinhos, nos idos de 1902, quando estanciara na cidade preparando exame de Filosofia, seja o da noite de S. João, o exacto dia das Cavalhadas ou seja, do Cortejo que teria atravessado a cidade sem que lhe merecesse nótula de relevo como se fora costumeira procissão. Então, como hoje, uma boa parte da cidade despejava-se, comida já a ceia e quando lusco-fusco se fazia, para Vildemoinhos, então aldeia marginal para onde descia um caminho pedonal a partir da Cruz de Pedra que se preenchia com o vozear dos ranchos que marcavam o seu território com os decibéis do seu canto e o entrechoque de rixas que os cabos de ordens decerto apartavam sem consequências de maior. Afoito, algum traquejo já da rebeldia que testara nalgumas aventurosas

Sessões diárias às 14h30, 17h40, 21h15, 00h25* Pirata das Caraibas: Por

Sessões diárias às 11h00* (Dom.), 14h00, 16h30,

Tiago Virgílio Pereira

Sessões diárias às 13h15, 16h00, 18h40, 21h30, 00h05* Sem Identidade (M12) (Digital) Sessões diárias às 14h30,

Sessões diárias às 13h50, 17h00, 21h00, 00h10* Pirata das Caraibas: Por Estranhas Marés (CB) (Digital 3D)

Legenda: * Sexta e Sábado

noites de Lamego, Aquilino acamarada com alguns rufias de ocasião que conhecia da Rua do Arco onde primeiro se aposentara, da Rua do Gonçalinho onde então se hospedava com outros estudantes na Pensão Milheiro, ou das vizinhas Escadinhas da Sé onde talvez tivesse baiúca o António Latoeiro e que o desafiaram para a rusga dessa noite. Mais nada sabemos dessa noite de que deixou curta memória. Ficaremos sempre desconhecendo se fora a da queima do pinheiro. Se namoriscara por lá alguma filha de padeira. Se houvera pão quente na alta madrugada e refrescos de limão em banca de doceira. Aquilino Ribeiro esteve ali, participante, paladino sempre de uma liberta rebeldia, o sangue correndo de habitual quente, até ao fim, “a enxada na mão”, como ele dizia, o aço gasto e ainda pronto para esse eterno labutar por causas que entendeu sempre de bem e que ficaram para cumprir até ao fim e que, ao jeito de missão, por herança nos deixou.

Estreia da semana

Tekken – Ambientada em 2039, os melhores lutadores de todo o mundo vão competir no último e maior evento esportivo de todos os tempos. Depois das Guerras Mundiais terem destruido grande parte da civilização como a conhecemos, o restante dos territories já não são administrados pelos governos, mas sim pelas empresas sendo que a mais poderosa é a Tekken.


D“A Memória de um Natal Diferente”

20 CULTURAS

Jornal do Centro 27 | Maio | 2011

“A Memória de um Natal Diferente” é o título do novo livro de Alberto Vara Branco, que será apresentado no dia 31 de Maio às 17h00, na Loja Ponto JA de Viseu, do Instituto Português da Juventude.

Teatro

Destaque

Amor? Sim. Violência? Não.

Festival de Curtas de Viseu

O Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego, recebe hoje, pelas 14h00, o contributo dado por duas turmas (11ºD e 12ºC) da Escola Básica e Secundária da Sé, em colaboração com o CENARTE. O ojectivo passa por sensibilizar a comunidade em geral e a comunidade escolar, em particular, para uma problemática que se está a tornar cada vez mais comum entre os jovens: a violência no namoro. Esta peça foi escrita por alunos e surgiu no âmbito do programa “Faça-se justiça!”, do Forum Estudante, projeto a que se juntaram também outras escolas Publicidade

a nível nacional. É uma história comum, como tantas outras, que retrata uma simples ligação entre um casal de adolescentes que parece saudável inicialmente, mas que irá terminar numa sala do tribunal. TVP

VistaCurta ∑ As inscrições terminam no dia 31 de Maio, os vencedores conhecidos a 21 de Julho As inscrições para o Festival de Curtas de Viseu – VistaCurta 2011 - estão a chegar ao fim. Assim, os interessados têm até ao dia 31 de Maio para apresentar os filmes com uma duração máxima de 20 minutos. O objectivo do Festival passa por reunir filmes realizados na região, sobre temas da região ou por autores da região em diversas categorias: ficção; documentário; animação; micro-f ilmes; experimental e escolar. À semelhança da edição anterior, mantêm-se os prémios sub-21; público e melhor curta. Os filmes vencedores

serão conhecidos no dia 21 de Julho, numa sessão de cinema ao ar livre, na Praça D. Duarte, em Viseu. Este ano, o júri é presid ido p or Luís Nogueira, director do curso de Cinema, da Universidade da B ei ra Interior, Dalila Rod r ig ues e José Fernandes. O VistaCurta é promovido pela Projecto Património/ Empório e Cine Publicidade

Clube de Viseu. Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt tiago.virgilio@jornaldocentr entroo.pt ppt


D Exposição de Forais Manuelinos

Jornal do Centro 27 | Maio | 2011

CULTURAS 21

A Biblioteca Municipal Alves Mateus, em Santa Comba Dão, recebe, entre os dias 30 de Maio e nove de Junho, a exposição de Forais Manuelinos do Concelho de Santa Comba Dão.

Concerto

A Presença das Formigas na ACERT A música popular portuguesa é o ponto de partida para o primeiro álbum de A Presença das Formigas que apresentam “Ciclorama” num concerto estreia na ACERT, amanhã, pelas 21h45. Estas melodias desdobram-se numa ampla variedade de sons, personagens e emoções. A Presença das Formigas recebeu o prémio Zeca Afonso (melhor tema original) no Festival Cantar Abril 2009. Este projecto é formado por André Cardoso (guitarra, guitarra portuguesa, oud e voz), Filipa Meneses (piano, acordeão e voz), Luís Arrigo (bateria e percussão popular), Manuel Maio (violino, bandolim e voz), Miguel Cardoso (baixo eléctrico, contrabaixo, viola braguesa e voz), Teresa Campos (voz) e Cecília Pessanha (flautas doces e percussão). TVP Publicidade

Destaque

Concerto

Festival Cultural promove iniciativas em Viseu

João Simões lança primeiro álbum

“Raízes” ∑ Feiras artesanais, espectáculos musicais e roteiro turístico são as atracções O Festival Cultu ral “Raízes” realiza-se hoje e até Domingo, com diversas iniciativas no centro da cidade de Viseu. Feira de stocks, feira de artesanato e produtos regionais, feira à moda antiga, concurso de vestidos de chita e espectáculos musicais são algumas das propostas do Festival. A associação ZunZum está responsável pelo roteiro turístico “Passado em Passeio” que pretende junta r informação histórica,

A Actividades variadas prometem animar o centro da cidade este fim-de-semana curiosidades e teatro. D. Afonso Henriques vai estar na cidade e o Hilário vai voltar a cantar, amanhã, às 11h00 e às 15h00, com inicio no

Rossio. O Fest iva l é organizado pelo centro de acolhimento S. João de Brito e visa angariar fundos para o lar Publicidade

de acolhimento a mães solteiras e a vítimas de violência doméstica. Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

O jovem músico viseense João Simões vai lançar o seu primeiro álbum intitulado “Tarde demais”, hoje pelas 23h00, no espaço Lounge, do Palácio do Gelo. João Simões partic ip o u n a” O p e r a ç ã o Triunfo” onde foi seleccionado para o grupo dos 15 finalistas. Terminado o programa, envolveu-se na gravação de um conjunto de temas originais, com música e letra da sua autoria. Daí, resultou o primeiro trabalho discográf ico, um EP com o título “Tarde demais”, com mais seis temas.


Jornal do Centro

22

27 | Maio | 2011

saúde Projecto para a Casa de Saúde S. Mateus anunciado na passagem dos 50 anos Listas de Espera∑ Administração denuncia “dificuldades” para entrar no programas de diminuição de listas de espera A comemorar 50 anos, a Casa de Saúde S. Mateus, em Viseu vai sofrer uma remodelação total do edifício. Esta intervenção profunda, com um investimento previsto de cerca de 10 milhões de euros, passa pela ampliação da unidade de saúde particular, em que a área de construção quase duplica (de 3.999 metros quadrados para 6.197 metros quadrados) e as áreas exteriores serão reajustadas para “dar uma melhor resposta aos utentes”, e passa pela introdução de novas valências, alargando o leque das valências actualmente disponíveis. A obra, prevista para demorar cerca de três anos, não irá afectar o normal funcionamento da estrutura. O arquitecto Carlos Cha-

ves, responsável pelo projecto de arquitectura explicou durante a apresentação da obra, que se pretendeu projectar “uma casa de saúde mais funcional” com a ampliação do edifício a dois níveis. O piso superior será subido dando lugar a um novo piso, e será refundada a estrutura existente, conseguindo criar um novo piso actualmente desaproveitado. “O pretexto vai esticarse mais o edifício [de seis pisos] que ganha alguma área de construção”, acrescentou o arquitecto. Nos quatro princípios básicos tidos em conta na concepção do projecto, destaca-se ainda uma zona de internamento de 40 camas, “com condições hoteleiras de excelência”, adiantou o director clínico da Casa de Saúde, José Miguel.

“Num momento em que as unidades de saúde surgem como cogumelos, preocupa-nos a sustentabilidade do projecto, reconheceu o responsável. Para o director clínico, pretende-se “fazer um investimento que sirva os fins a que é dedicado, mas assegurando ao mesmo tempo que não é um projecto para começar e acabar rapidamente, por não ter condições para se perpetuar, mas sim um projecto que tem bases sólidas e se projecta para crescer no futuro”.

Listas de Espera. Durante a apresentação do projecto de remodelação da Casa de Saúde S. Mateus, a administração queixou-se das dificuldades que tem encontrado, para que aquela

A Administração e corpo clínico apresentaram projecto no dia do aniversário unidade de saúde integre o programa de diminuição de listas de espera do Ministério da Saúde. O plano consiste em intervencionar os doentes em listas de espera, em unidades de saúde privadas, sendo as despesas assumidas

pelo Estado e, desta forma, diminuir as listas nos hospitais públicos. “Esperamos com este projecto chegar a bom porto, porque as dificuldades têm sido tantas, dando até a ideia que as condições não são iguais para todos. Se

não ficarem satisfeitos com a evolução deste projecto é realmente uma coisa estranha”, lamentou o administrador da Casa de Saúde S. Mateus, Carlos Lemos. Emília Amaral Emília.amaral@jornaldocentro.pt

Tratamos-lhe da Saúde... Todos os dias!

232 437 461 Apresente os seus serviços aos nossos leitores


Jornal do Centro

SAÚDE 23

27 | Maio | 2011

CAMINHADA PELO CANCRO DA MAMA EM MANGUALDE A Ca m i n hada pela Saúde promovida pelo núcleo de Mangualde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Inserida nas comemorações dos 70 anos da instituição contou com a participação de centenas de participantes, que percorreram a cidade num percurso de cerca de 4 quilómetros. O apelo da organização “Participe! Para o bem da sua saúde!” pretendeu divulgar mensagens na vertente da educação para a saúde e da prevenção do cancro e aumentar a angariação de fundos para a luta contra o cancro da mama, que afecta milhares de portugueses.

JORNADAS DE PSICOLOGIA NO PIAGET O Campus Universitário de Viseu do Instituto Piaget promove dias 7 e 8 de Junho as VI Jornadas de Psicologia para debater o tema “Saber e Intervir”. Profissionais, investigadores, docentes e alunos de psicologia vão juntar-se durantes dois dias para participar em comunicações sobre a especialidade na vertente da educação, clínica e saúde, e das organizações.

Mal-estar entre extensão de Santar e USF de Nelas Queixa dos utentes∑ “Negados” cuidados para se inscreverem na USF O presidente da Junta de Freguesia de Santar, no concelho de Nelas diz que a Unidade de Saúde Familiar (USF) Estrela Dão está a “ameaçar” os utentes da extensão de saúde da freguesia de que lhes serão “cortados” os cuidados de saúde primários e o apoio ao domicílio, caso não se inscrevam na USF. Para o autarca, João Carlos Martins, tratase de uma atitude “ilegal” e pondera mesmo pedir explicações sobre se a USF estará a cometer “abuso de poder”. “Um utente já teve que se inscrever senão não lhe faziam a limpeza do cateter”, conta o presidente. João Carlos Martins denuncia ainda que transitaram utentes da extensão de saúde de Santar para a USF “sem consentimento dos mesmos”, considerando-se enganados. As ameaças à manutenção da extensão de saúde de Santar, que serve 2400 utentes, não são de agora. Há cerca de um mês, a Câmara de Nelas, assumiu pagar a um médico para que as extensões de Carvalhal Redondo e Santar continuassem abertas e a dar resposta aos utentes, tendo o profissional começado esta semana a trabalhar

A

Utentes temem encerramento da extensão com a abertura da USF a funcionar no C S de Nelas em Santar às quartas-feiras, durante quatro horas. No sábado passado, cerca de 500 utentes reuniramse na sede da junta para encontrarem forma de impedir o fecho da unidade e decidiram abandonar a USF (a funcionar desde o dia 16 deste mês) inscrevendo-se novamente na extensão de saúde. Agora, a população vêse confrontada com o que chama de “ameaça”, temendo vir a ficar sem cuidados primários “para dar resposta a uma população muito idosa, com pessoas acamadas a necessitarem de apoio ao domicílio”, como explica o autarca de Santar. A Junta de Freguesia enviou um fax a pedir explicações para a Direcção Geral

da Saúde, para a Ministra da Saúde, para os organismos regionais directamente responsáveis pelo problema e espera que se resolva o problema. “O que tem sido dito pelo Agrupamento de Centros de Saúde (ACS) Dão Lafões III é que a USF tem que cobrir os serviços [primários nas extensões de saúde] e a coordenadora da USF diz que não. Em que é que ficamos?”, questiona o presidente da junta. O Jornal do Centro tentou o contacto com o director executivo do ACS Dão Lafões III, José Craveiro, mas tal não foi possivel até ao fecho da edição. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

F. Nogueira Martins Médico Especialista Obstetrícia e Ginecologia NOVAS INSTALAÇÕES Quinta do Seminário Lt. 10 Marcações: 232 426 021

Rastreio de cancro da mama Em Vila Nova de Paiva está a decorrer até 8 de Junho o rastreio gratuito de cancro da mama. A u n id ade móvel de mamografia do núcleo regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro encontrase junto ao centro de saúde da vila disponível para efectuar o exame de segunda-feira a

sexta-feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 ás 17h00. O programa está aberto a mulheres entre os 45 anos e os 69 anos, residentes no concelho de Vila Nova de Paiva. As mulheres inscritas no Centro de Saúde serão convocadas por carta para efectuarem o rastreio.


Jornal do Centro

24 CLASSIFICADOS

27 | Maio | 2011

GUIA DE RESTAURANTES RESTAURANTES VISEU RESTAURANTE O MARTELO Especialidades Cabrito na Grelha, Bacalhau, Bife e Costeleta de Vitela. Folga Segunda-feira. Morada Rua da Liberdade, nº 35, Falorca, 3500-534 Silgueiros. Telefone 232 958 884. Observações Vinhos Curral da Burra e Cavalo de Pau. RESTAURANTE BEIRÃO Especialidades Bife à Padeiro, Posta de Vitela à Beirão, Bacalhau à Casa, Bacalhau à Beirão, Açorda de Marisco. Folga Segunda-feira (excepto Verão). Preço médio refeição 12,50 euros. Morada Alto do Caçador, EN 16, 3500 Viseu. Telefone 232 478 481 Observações Aberto desde 1970. RESTAURANTE TIA IVA Especialidades Bacalhau à Tia Iva, Bacalhau à Dom Afonso, Polvo à Lagareiro, Picanha. Folga Domingo. Preço médio refeição 15 euros. Morada Rua Silva Gaio, nº 16, 3500-203 Viseu Telefone 232 428 761. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira) – 6,5 euros. RESTAURANTE O VISO Especialidades Cozinha Caseira, Peixes Frescos, Grelhados no Carvão. Folga Sábado. Morada Alto do Viso, Lote 1 R/C Posterior, 3500-004 Viseu. Telefone 232 424 687. Observações Aceitamse reservas para grupos. CORTIÇO Especialidades Bacalhau Podre, Polvo Frito Tenrinho como Manteiga, Arroz de Carqueja, Cabrito Assado à Pastor, Rojões c/ Morcela como fazem nas Aldeias, Feijocas à maneira da criada do Sr. Abade. Folga Não tem. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Rua Augusto Hilário, nº 45, 3500-089 Viseu. Telefone 232 423 853 – 919 883 877. Observações Aceitam-se reservas; Takeway. RESTAURANTE O CAMBALRO Especialidades Camarão, Francesinhas, Feijoada de Marisco. Folga Não tem. Morada Estrada da Ramalhosa, nº 14, Rio de Loba, 3500825 Viseu. Telefone 232 448 173. Observações Prato do dia - 5 euros. RESTAURANTEPORTASDOSOL Especialidades Arroz de Pato com Pinhões, Catalana de Peixe e Carne, Carnes de Porco Preto, Carnes Grelhadas com Migas. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Urbanização Vilabeira Repeses - Viseu. Telefone 232 431 792. Observações Refeições para grupos com marcação prévia.

TORRE DI PIZZA Especialidades Pizzas, Massas, Carnes. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Cidade de Aveiro, Lote 16, 3510-720 Viseu. Telefone 232 429 181 – 965 446 688. Observações Menu económico ao almoço – 4,90 euros.

RESTAURANTE SAGA DOS SABORES Especialidades Cozinha Tradicional, Pastas e Pizzas, Grelhados, Forno a Lenha. Morada Quinta de Fora, Lote 9, 3505-500 Rio de Loba, Viseu Telefone 232 424 187 Observações Serviço Take-Away.

RESTAURANTE CLUBE CAÇADORES Especialidades Polvo à Lagareiro, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito Churrasco, Javali na Brasa c/ Arroz de Feijão, Arroz de Perdiz c/ Míscaros, Tarte de Perdiz, Bifes de Veado na Brasa. Folga Quartafeira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Muna, Lordosa, 3515-775 Viseu. Telefone 232 450 401. Observações Reservas para grupos e outros eventos.

O CANTINHO DO TITO Especialidades Cozinha Regional. Folga Domingo. Morada Rua Mário Pais da Costa, nº 10, Lote 10 R/C Dto., Abraveses, 3515174 Viseu. Telefone 232 187 231 – 962 850 771.

SOLAR DO VERDE GAIO Especialidades Rodízio à Brasileira, Mariscos, Peixe Fresco. Folga Terça-feira. Morada Mundão, 3500-564 Viseu. www.solardoverdegaio.pt Telefone 232 440 145 Fax 232 451 402. E-mail geral@ solardoverdegaio.pt Observações Salão de Dança – Clube do Solar – Sextas, Sábados até às 03.00 horas. Aceita Multibanco. RESTAURANTE SANTA LUZIA Especialidades Filetes Polvo c/ Migas, Filetes de Espada com Arroz de Espigos, Cabrito à Padeiro, Arroz de Galo de Cabidela, Perdiz c/ Castanhas. Folga Segunda-feira. Morada EN 2, Campo, 3510-515 Viseu. Telefone 232 459 325. Observações Quinzena da Lampreia e do Sável, de 17 de Fevereiro a 5 de Março. “Abertos há mais de 30 Anos”. PIAZZA DI ROMA Especialidades Cozinha Italiana (Pizzas, Massas, Carnes e Vinhos). Folga Domingo e segunda-feira ao almoço. Morada Rua da Prebenda, nº 37, 3500-173 Viseu Telefone 232 488 005. Observações Menu económico ao almoço. RESTAURANTE A BUDÊGA Especialidades Picanha à Posta, Cabrito na Brasa, Polvo à Lagareiro. Acompanhamentos: Batata na Brasa, Arroz de Feijão, Batata a Murro. Folga Domingo. Preço médio por refeição 12,50 euros. Morada Rua Direita, nº 3, Santiago, 3500-057 Viseu. Telefone 232 449 600. Observações Vinhos da Região e outros; Aberto até às 02.00 horas. COMPANHIA DA CERVEJA Especialidades Bifes c/ Molhos Variados, Francesinhas, Saladas Variadas, Petiscos. Folga Terçafeira. Preço médio refeição 8,50 euros. Morada Quinta da Ramalhosa, Rio de Loba (Junto à SubEstação Eléctrica do Viso Norte), 3505-570 Viseu Telefone 232 184 637 - 962 723 772. Observações Cervejaria c/amplo espaço (120 lugares), fácil estacionamento, acesso gratuito à internet.

RESTAURANTEBELOSCOMERES(ROYAL) Especialidades Restaurantes Marisqueiras. Folga Não tem. Morada Cabanões; Rua da Paz, nº 1, 3500 Viseu; Santiago. Telefone 232 460 712 – 232 468 448 – 967 223 234. Observações Casamentos, baptizados, convívios, grupos. TELHEIRO DO MILÉNIO QUINTA FONTINHA DA PEDRA Especialidades Grelhados c/ Churrasqueira na Sala, (Ao Domingo) Cabrito e Aba Assada em Forno de Lenha. Folga Sábados (excepto para casamentos, baptizados e outros eventos) e Domingos à noite. Morada Rua Principal, nº 49, Moure de Madalena, 3515016 Viseu. Telefone 232 452 955 – 965 148 341. EÇA DE QUEIRÓS Especialidades Francesinhas, Bifes, Pitas, Petiscos. Folga Não tem. Preço médio refeição 5,00 euros. Morada Rua Eça de Queirós, 10 Lt 12 - Viseu (Junto à Loja do Cidadão). Telefone 232 185 851. Observações Take-away. GREENS RESTAURANTE Especialidades Toda a variedade de prato. Folga Não tem. Preço médio refeição Desde 2,50 euros. Morada Fórum Viseu, 3500 Viseu. Observações www.greensrestaurante.com MAIONESE Especialidades Hamburguers, Saladas, Francesinhas, Tostas, Sandes Variadas. Folga Não tem. Preço médio refeição 4,50 euros. Morada Rua de Santo António, 59-B, 3500-693 Viseu (Junto à Estrada Nacional 2). Telefone 232 185 959. RESTAURANTEOPOVIDAL Especialidades Arroz de Pato, Grelhados. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira Lt9 1ª Fase, Viseu. Telefone 232 284421. Observações Jantares de grupo.

RESTAURANTEROSSIOPARQUE Especialidades Posta à Viseu, Espetada de Alcatra ao Alho, Bacalhau à Casa, Massa c/ Bacalhau c/Ovos Escalfados, Corvina Grelhada; Acompanhamentos: Migas, Feijão Verde, Batata a Murro. Folga Domingo. Morada Rua Soar de Cima, nº 55 (Junto ao Jardim das Mães – Rossio), 3500211 Viseu. Telefone 232 422 085. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira) – sopa, bebida, prato e sobremesa ou café – 6,50 euros. FORNODAMIMI Especialidades Assados em Forno de Lenha, Grelhados e Recheados (Cabrito, Leitão, Bacalhau). Folga Não tem. Preço médio por refeição 14 euros. Morada Estrada Nacional 2, Vermum Campo, 3510-512 Viseu. Telefone 232 452 555. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. QUINTADAMAGARENHA Especialidades Lombinho Pescada c/ Molho de Marisco, Cabrito à Padeiro, Nacos no Churrasco. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Nó 20 A25, Fragosela, 3505-577 Viseu. Telefone 232 479 106 – 232 471 109. Fax 232 479 422. Observações Parque; Serviço de Casamentos. CHURRASQUEIRARESTAURANTESTºANTÓNIO Especialidades Bacalhau à Lagareiro, Borreguinho na Brasa, Bacalhau à Brás, Açorda de Marisco, Açorda de Marisco, Arroz de Lampreia. Folga Quarta. Morada Largo Mouzinho de ALbuquerque (Largo Soldado Desconhecido). Telefone 232 436 894. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes, Festas. RODÍZIOREAL Especialidades Rodízio à Brasileira. Folga Não tem. Preço médio por refeição 19 euros. Morada Repeses, 3500-693 Viseu. Telefone 232 422 232. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. RESTAURANTE A COCHEIRA Especialidades Bacalhau Roto, Medalões c/ Arroz de Carqueija. Folga Domingo à noite. Morada Rua do Gonçalinho, 84, 3500-001 Viseu. Telefone 232 437 571. Observações Refeições económicas ao almoço durante a semana.

RESTAURANTE CACIMBO Especialidades Frango de Churrasco, Leitão à Bairrada. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua Alexandre Herculano, nº95, Viseu. Telefone 232 422 894 Observações Serviço Take-Away.

PENALVA DO CASTELO O TELHEIRO Especialidades Feijão de Espeto, Cabidela de Galinha, Arroz de Míscaros, Costelas em Vinha de Alhos. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Sangemil, Penalva do Castelo. Observações Sopa da Pedra ao fim-de-semana.

TONDELA RESTAURANTE BAR O PASSADIÇO Especialidades Cozinha Tradicional e Regional Portuguesa. Folga Domingo depois do almoço e Segunda-feira. Morada Largo Dr. Cândido de Figueiredo, nº 1, Lobão da Beira, 3460-201 Tondela. Telefone 232 823 089. Fax 232 823 090 Observações Noite de Fados todas as primeiras Sextas de cada mês.

SÃO PEDRO DO SUL RESTAURANTE O CAMPONÊS Especialidades Nacos de Vitela Grelhados c/ Arroz de Feijão, Vitela à Manhouce (Domingos e Feriados), Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Grelhado c/ Arroz de Miúdos, Arroz de Vinha d´Alhos. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 12 euros. Morada Praça da República, nº 15 (junto à Praça de Táxis), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 711 106 – 964 135 709.

OLIVEIRA DE FRADES OS LAFONENSES – CHURRASQUEIRA Especialidades Vitela à Lafões, Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Casa, Bife de Vaca à Casa. Folga Sábado (excepto Verão). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua D. Maria II, nº 2, 3680-132 Oliveira de Frades. Telefone 232 762 259 – 965 118 803. Observações Leitão por encomenda.

ADVOGADOS / DIVERSOS ADVOGADOS VISEU

ANTÓNIO PEREIRA DO AIDO Morada Rua Formosa, nº 7 – 1º, 3500135 Viseu. Telefone 232 432 588 Fax 232 432 560 CARLA DE ALBUQUERQUE MENDES Morada Rua da Vitória, nº 7 – 1º, 3500-222 Viseu Telefone 232 458 029 Fax 232 458 029 Fax 966 860 580 MARIA DE FÁTIMA ALMEIDA Morada Av. Dr. Alexandre Alves nº 35. Piso 0, Fracção T - 3500-632 Viseu Telefone 232 425 142 Fax 232 425 648 CATARINA DE AZEVEDO Morada Largo General Humberto Delgado, nº 1 – 3º Dto. Sala D, 3500-139 Viseu Telefone 232 435 465 Fax 232 435 465 Telemóvel 917 914 134 Email catarina-azevedo-5275c@adv. oa.pt CARLA MARIA BERNARDES Morada Rua Conselheiro Afonso de Melo, nº 39 – 2º Dto., 3510-024 Viseu Telefone 232 431 005 JOÃO PAULO SOUSA M o r a d a L g. Genera l Humber to Delgado, 14 – 2º, 3500-139 Viseu Telefone 232 422 666 ADELAIDE MODESTO Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº275 - 1º Esquerdo - 3510047 Viseu Telefone/Fax 232 468 295 JOÃO MARTINS M o r a d a R ua D. A ntón io A lves Martins, nº 40 – 1º A, 3500-078 Viseu Telefone 232 432 497 Fax 232 432 498

ANA PAULA MADEIRA Morada Rua D. Francisco Alexandre Lobo, 59 – 1º DF, 3500-071 Viseu Telefone 232 426 664 Fax 232 426 664 Telemóvel 965 054 566 Email anapaula.madeira@sapo.pt MANUEL PACHECO Morada Rua Alves Martins, nº 10 – 1º, 3500-078 Viseu Telefones 232 426 917 / 232 423 587 - Fax 232 426 344 PAULO DE ALMEIDA LOPES Morada Quinta Del Rei, nº 10 - 3500401 Viseu Telefone/Fax 232 488 633 Email palopes-4765c@adv.oa.pt ANTÓNIO M. MENDES Morada Rua Chão de Mestre, nº 48, 1º Dto., 3500-113 Viseu Telefone 232 100 626 Email antonio.m.mendes3715c@adv.oa.pt ARNALDO FIGUEIREDO E FIRMINO MENESES FERNANDES Morada Av. Alberto Sampaio, nº 135 – 1º, 3510-031 Viseu Telefone 232 431 522 Fax 232 431 522 Email a-figueiredo@iol.pt e firminof@iol.pt MARQUES GARCIA Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº 218 – C.C.S. Mateus, 4º, sala 15, 3514-504 Viseu Telefone 232 426 830 Fax 232 426 830 Email marques.garcia-3403c@advogados. oa.pt FILIPE FIGUEIREDO Morada Rua Conselheiro Afonso de Melo, nº 31 – 5º, sala 502, 3510024 Viseu Telefone 232 441 235 Telemóvel 964 868 473 Email filipe.figueiredo-5153c@adv.oa.pt JOÃO NETO SANTOS Morada Rua Formosa, nº 20 – 2º, 3500134 Viseu Telefone 232 426 753

FABS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS – RENATO FERNANDES, JOÃO LUÍS ANTUNES, PAULO BENFEITO Morada Av. Infante D. Henrique, nº 18 – 2º, 3510-070 Viseu Telefone 232 424 100 Fax 232 423 495 Email fabs.advogados@netvisao.pt CONCEIÇÃO NEVES E MICAELA FERREIRA – ADVOGADAS Morada Av. Dr. António José de Almeida, 264 – Forum Viseu [NOVAS I NS TA L AÇÕE S], 3510 - 0 43 Viseu Telefone 232 421 225 Fax 232 426 454 BRUNO DE SOUSA Esc. 1 Morada Rua D. António Alves Martins Nº 40 2ºE 3500-078 VISEU Telefone 232 104 513 Fax 232 441 333 Esc. 2 Morada Edifício Guilherme Pereira Roldão, Rua Vieira de Leiria N º14 2430 - 30 0 Ma r i n ha Gra nde Telefone 244 110 323 Fax 244 697 164 Tlm. 917 714 886 Áreas preferenciais Crime | Fiscal | Empresas

MANGUALDE

JOSÉ MIGUEL MARQUES Morada Rua 1º de Maio, nº 12 – 1º Dto., 3530-139 Mangualde Telefone 232 611 251 Fax 232 105 107 Telemóvel 966 762 816 Email jmiguelmarques4881c@adv.oa.pt JOSÉ ALMEIDA GONÇALVES Morada Rua Dr. Sebastião Alcântara, nº 7 – 1º B/2, 3530-206 Mangualde Telefone 232 613 415 Fax 232 613 415 Telemóvel 938 512 418 Email jose.almeida.goncalves-14291l@adv. oa.pt

NELAS

JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges. silva@mail.telepac.pt

IMOBILIÁRIO VENDE-SE Terreno para isolada com 802 m2 - a 5 km da A25 - Vilharigues - Vouzela 24.000€ T. 938 729 302 T3 - Oliveira de frades - Jto aos bombeiros, c/ lugar de garagem, lareira, excelente estado - 90.000€ T. 919 376 451 Armazém na zona industrial - a 8 km da A25 - 464m2 a. coberta + 5000m2 a. descoberta T. 938729302 T2 - No gerós - S. Pedro do Sul - mobilado - vende/arrenda - 65.000€/300€ T. 919 376 451 Moinho em fase adiantada de recuperação, telhado novo e placa composta por 2 pisos, com área de implantação cerca de 50m2. Excelente localização junto à Ribeira de Ludares. Ideal para férias.25.000€ T. 232 098 416

IMOBILIÁRIO ARRENDA-SE Escritório no centro da cidade, 275€ T. 232 098 416 / 960 050 949 Loja. Boa localização(perto de acesso IP5). Àrea:150 m2. garagem. 450,00€(AMI 8117) T. 232 410390

VINHAS

Vendemos licenças para replantação (maduros e verdes) Subsídios para 2011 até 31 de Maio. Contacto: 922 028 227

NELAS AS RESTAURANTE QUINTA DO CASTELO Especialidades Bacalhau c/ Broa, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito à Padeiro, Entrecosto Vinha de Alhos c/ Arroz de Feijão. Folga Sábado (excepto p/ grupos c/ reserva prévia). Preço médio refeição 15 euros. Morada Quinta do Castelo, Zona Industrial de Nelas, 3520-095 Nelas. Telefone 232 944 642 – 963 055 906. Observações Prova de Vinhos “Quinta do Castelo”.

VOUZELA RESTAURANTE O REGALINHO Especialidades Grelhada Mista, Naco de Vitela na Brasa c/ Arroz de Feijão, Vitela e Cabrito no Forno, Migas de Bacalhau, Polvo e Bacalhau à Lagareiro. Folga Domingo. Preço médio refeição 10 euros. Morada Rua Teles Loureiro, nº 18 Vouzela. Telefone 232 771 220. Observações Sugestões do dia 7 euros. TABERNA DO LAVRADOR Especialidades Vitela à Lafões Feita no Forno de Lenha, Entrecosto com Migas, Cabrito Acompanhado c/ Arroz de Cabriteiro, Polvo Grelhado c/ batata a Murro. Folga 2ª Feira ao jantar e 3ª todo o dia. Preço médio refeição 12 euros. Morada Lugar da Igreja - Cambra - Vouzela. Telefone 232 778 111 917 463 656. Observações Jantares de Grupo. RESTAURANTE EIRA DA BICA Especialidades Vitela e Cabrito Assado no Forno e Grelhado. Folga 2ª Feira. Preço médio refeição 15 euros. Morada Casa da Bica - Touça - Paços de Vilharigues - Vouzela. Telefone 232 771 343. Observações Casamentos e Baptizado. www.eiradabica.com

FÁTIMA RESTAURANTE SANTA RITA Especialidades Bacalhau Espiritual, Bacalhau com camarão, Bacalhau Nove Ilhas, Bife de Atum, Alcatra, Linguiça do Pico, Secretos Porco Preto, Vitela. Folga Quarta-feira. Preço médio refeição 10 euros. Morada R. Rainha Santa Isabel, em frente ao Hotel Cinquentenário, 2495 Fátima. Telefone 249 098 041 / 919 822 288 Observações http:// santarita.no.comunidades.net; Aceita grupos, com a apresentação do Jornal do Centro 5% desconto no total da factura.


Jornal do Centro

CLASSIFICADOS CLASSIFIC CADOS 25

27 | Maio | 2011

EMPREGO & FORMAÇÃO EMPREGO PRECISA-SE

Pretende-se ajudante para a montagem e aplicação de obras de carpintaria. Sobral, Mortágua T. 232 819 320 Técnicos de electrónica e telecomunicações. Tondela T. 232 819 320 Técnico de gás, com experiência ou formação profissional. Tondela T. 232 819 320 Empregados de aprovisionamento e armazém, com experiência na área e disponibilidade para andar deslocado durante a semana. Tondela T. 232 819 320 Cabeleireiro com experiência e formação. Tondela T. 232 819 320 Praticante de cabeleireiro c/carteira profissional. Tondela T. 232 819 320 Empregado de mesa, pode não ter experiência e que ajude também na cozinha (part-time: 2h/dia). Santa Comba Dão T. 232 819 320 Empregado de mesa com formação ou experiência (preferencial). Carregal do Sal T. 232 819 320 Técnico de próteses dentárias. Santa Comba Dão T. 232 819 320 Agente Comercial com experiência profissional, na área comercial de exportação (área das madeiras, pavimentos e derivados) - factor preferencial; pretende recrutar: comercial de exportação domínio fluente das línguas inglesa, francesa e espanhola. Disponibilidade para deslocações no estrangeiro. Tondela T. 232 819 320 Padeiro, em geral com experiência. Tondela T. 232 819 320 Jardineiro com ou sem experiência profissional, na área da jardinagem. Santa Comba Dão T. 232 819 320 Engenheiro Agrónomo / Arq. Paisagista. Santa Comba Dão T. 232 819 320 Carpinteiro de limpos com alguma experiência e disponibilidade para estar deslocado durante a semana. Carregal do Sal T. 232 819 320 Carregador. Trabalhadores indiferenciados para desmantelamento de viaturas auto. Penedono T. 254 655 192 Servente florestal. Limpeza de bermas e taludes. Experiência em motorrossadora. Armamar T. 254 655 192 Enfermeiro. Tabuaço T. 254 655 192

Serralheiro Civil. Moimenta da Beira T. 254 655 192

Pedreiro / calceteiro. Oliveira de Frades T. 232 720 170

Pedreiro. Com experiência em acabamentos (reboco, pintura, resinas e poxy e ladrilhos). Obras em vários sítios do país (a empresa dá alojamento, transporte e alimentação). Sernancelhe T. 254 655 192

Pasteleiro com conhecimentos e experiência. São Pedro do Sul T. 232 720 170

Cabeleireiro. Praticante de cabeleireira (com carteira profissional e pelo menos 1 ano de experiência). Lavar; pentear; frisar; etc. Folgas: Domingo e 2ª feira. Ordenado: 485.00 euros. Lamego T. 254 655 192 Carregador. Ajudante de distribuidor de gás (c/ carta de condução). Lamego T. 254 655 192 Chefe de vendas, gestão comercial da secção de bebidas, liderança de equipas, venda, encomendas e negociação com fornecedores, com formação em enologia. Lamego T. 254 655 192 Chefe de vendas, atendimento, controle de qualidade, reposição, com experiência mínima de 2 anos em vendas na secção de Peixaria bem como conhecimentos de informática ao nível do utilizador. Lamego T. 254 655 192 Chefe de cozinha. Chefiar a equipa do restaurante, preparar ementas e gestão comercial com experiência e formação na área. Conhecimentos de informática. Lamego T. 254 655 192 Empregado de balcão. S. João da Pesqueira T. 254 655 192 Empregado de mesa. Lamego T. 254 655 192 Operador de instalações de tratamento de água (operador ETAR) para limpeza, manutenção e verificação de registos. S. João da Pesqueira T. 254 655 192

Serralheiro civil. Deve ter experiência em ferro ou alumínio. São Pedro do Sul T. 232 720 170 Empregada doméstica - casas particulares, com carta de condução. São Pedro do Sul T. 232 720 170

Electricista com conhecimento de electricidade de baixa tensão. Castro Daire T. 232 720 170 Carpinteiro de limpos. Castro Daire T. 232 720 170 Pintores da construção civil e colocadores de revestimento. Alguma experiência em isolamento térmico (pladur) e aplicação de esferovite capto. Vouzela T. 232 720 170 Ladrilhador. Viseu T. 232 483 460 Técnico Gás. Viseu T. 232 483 460 Mecânico velocípedes e motociclos. Viseu T. 232 483 460 Técnico Frio/Climatização. Mangualde T. 232 483 460 Soldador. Mangualde T. 232 483 460 Soldador. Viseu T. 232 483 460 Pintor de Estruturas Metálicas. Viseu T. 232 483 460 Operador de Máquina “Orreladora”. Viseu T. 232 483 460 Acabador de Móveis. Sátão T. 232 483 460

Pedreiro. Assentar tijolo, rebocar, arear, etc. Lamego T. 254 655 192

Carpinteiro de Limpos. Penalva do Castelo T. 232 483 460

Mont. de isolamentos, de preferência com experiência em montagem de pladour. São Pedro do Sul T. 232 720 170

Técnico de Frio. Viseu T. 232 483 460

Serralheiro civil, na área da serralharia. Oliveira de Frades T. 232 720 170 Serralheiro mecânico / trabalhador similar. Vouzela T. 232 720 170 Servente – Construção civil e obras públicas. Oliveira de Frades T. 232 720 170

A Escola de Estudos Avançados das Beiras, promove d i a 4 de Junho, no edifício Expobeiras, em Viseu a formação “Coaching e Liderança na Motivação

Moto-serrista com experiência. Castro Daire T. 232 720 170

Cabeleireiro com experiência ou formação e carteira. Lamego T. 254 655 192

Costureira, trabalho em série, com ou sem experiência. Vouzela T. 232 720 170

Viseu recebe formação em coaching

Mecânico de Automóveis. Romãs, Sátão T. 232 483 460 Cozinheiro. Bodiosa, Viseu T. 232 483 460 Pedreiro. Moure de Carvalhal, Viseu T. 232 483 460 Canalizador. Mangualde T. 232 483 460 Esteticista / Visagista. Viseu T. 232 483 460 Pedreiro. Mangualde T. 232 483 460 A Intrum Justitia Portugal, Empresa Multinacional na área de Gestão de Serviços de Crédito, procura parceiros nas zonas de Viseu e Faro para expansão do seu negócio: PARCEIROS/ REPRESENTANTES (M/F) - VISEU E FARO Procuramos parceiros que detenham negócio próprio, nomeadamente Escritórios de Contabilidade, Escritórios de Advogados, Seguradoras e afins, que manifestem forte vocação comercial, e que tenham como principal missão: - Representar a Empresa na Região seleccionada - Prospecção de novos clientes

Perfil Pretendido: - Conhecimento da realidade económico-social da zona a que se candidata - Forte Capacidade de relacionamento Interpessoal - Competências de Comunicação elevadas - Capacidade para resultados e relação com clientes - Elevada Motivação para trabalhar por objectivos - Dinamismo e Iniciativa Proporcionamos:  Remuneração variável aliciante  Formação Inicial e Continua de elevada Qualidade Envie o seu Currículo e respectiva carta de apresentação com indicação da região a que se candidata para rh@pt.intrum.com.

e Gestão de Equipas”, for m adora por Pau l a Melo. A sessão começa à s 9h0 0 e ter m i n a à s 18h00. O coaching auxilia o

líder a desenvolver as suas competências e as dos seus colaboradores, proporcionando o aumento da capacidade de lidar com as emoções e com os conf litos.


Jornal do Centro

26 NECROLOGIA / INSTITUCIONAIS

27 | Maio | 2011

NECROLOGIA Maria José da Silva Batista Gomes Teixeira, 76 anos, viúva. Natural de S. Sebastião da Pedreira, Lisboa e residente em Lamego. O funeral realizou-se no dia 20 de Maio, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Queimada, Armamar.

João Cardoso, 89 anos, viúvo. Natural e residente em Armamar. O funeral realizou-se no dia 21 de Maio, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Santa Bárbara, Armamar. Maria Felizarda Paiva da Fonseca Rego, 63 anos, casada. Natural e residente em Armamar. O funeral realizou-se no dia 23 de Maio, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Travanca, Armamar. Manuel Guedes Correia, 68 anos, casado. Natural e residente em Fontelo, Armamar. O funeral realizou-se no dia 25 de Maio, pelas 18.00 horas, para o cemitério local Maria Teresa de Jesus Neves, 83 anos, viúva. Natural e residente em Fontelo, Armamar. O funeral realizou-se no dia 26 de Maio, pelas 18.00 horas, para o cemitério local Agência Funerária Igreja Armamar Tel. 254 855 231

Maria Helena, 90 anos, viúva. Natural e residente em Iria de Jesus Ferreira, 88 anos, casada. Natural de Eiriz, Parada de Ester. O funeral realizou-se no dia 22 Silgueiros e residente em Falorca de Silgueiros. O funede Maio, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Eiriz. ral realizou-se no dia 21 de Maio, pelas 17.30 horas, para o cemitério de Silgueiros. José Morais dos Santos Oliveira, 79 anos, casado. Natural e residente em Bustelo, Almofala, Castro Daire. Pedro Rodrigues Martins, 81 anos, casado. Natural de O funeral realizou-se no dia 23 de Maio, pelas 15.00 Silgueiros e residente em Passos de Silgueiros. O funeral horas, para o cemitério de Bustelo. realizou-se no dia 23 de Maio, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Silgueiros. Agência Funerária Amadeu Andrade & Filhos, Lda. Castro Daire Tel. 232 382 238 António Eugénio Faria, 67 anos, casado. Natural de Sano Estevão, Benavente e residente em Passos de Silgueiros. Maria Emília, 91 anos, viúva. Natural e residente em O funeral realizou-se no dia 26 de Maio, pelas 11.30 Campia, Vouzela. O funeral realizou-se no dia 25 de horas, para o cemitério de Santo Estêvão, Benavente. Maio, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Campia. José Bernardo Parreira do Amaral Madeira Calheiros, 47 Agência Funerária Figueiredo & Filhos, Lda. anos. Natural de S. Salvador e residente em França. O Oliveira de Frades Tel. 232 761 252 funeral realizou-se no dia 27 de Maio, pelas 12.00 horas, para o cemitério de S. Miguel do Outeiro. José Correia, 84 anos, casado. Natural e residente em S. Miguel de Vila Boa, Sátão. O funeral realizou-se no Agência Funerária Balula, Lda. dia 25 de Maio, pelas 9.30 horas, para o cemitério de S. Viseu Tel. 232 437 268 Miguel de Vila Boa. Agência Funerária Sátão Sátão Tel. 232 981 503

Leonardo dos Santos Rodrigues, 82 anos, casado. Natural de Pendilhe, Vila Nova de Paiva e residente em Fareja, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 19 Teresa de Jesus Benvinda, 79 anos, casada. Natural de de Maio, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Castro Sé, Lamego e residente em Ferreirim, Lamego. O funeral Daire. realizou-se no dia 14 de Maio, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Santa Cruz, Lamego. Maria da Graça Teixeira da Silva, 71 anos, casada. Natural e residente em Cujó, Castro Daire. O funeral José Dias Bernardo dos Santos, 59 anos, casado. realizou-se no dia 21 de Maio, pelas 9.00 horas, para o Natural e residente em Tarouca. O funeral realizou-se no cemitério de Cujó. dia 18 de Maio, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Esporões. Floriano de Oliveira Cancelo Duarte, 48 anos, casado. Natural de Lamelas e residente em Reriz, Castro Daire. Agência Funerária Maria O. Borges Duarte O funeral realizou-se no dia 22 de Maio, pelas 16.00 Tarouca Tel. 254 679 721 horas, para o cemitério de Reriz.

Augusto Daniel, 85 anos, casado. Natural de Gouveia e residente em Campo, Viseu. O funeral realizou-se no dia 24 de Maio, pelas 16.00 horas, para o cemitério novo de Viseu. Agência Funerária D. Duarte Viseu Tel. 232 421 952 José Lourenço de Sousa, 54 anos, solteiro. Natural de S. Pedro de France e residente em Fail, Viseu. O funeral realizou-se no dia 25 de Maio, pelas 19.30 horas, para o cemitério de Fail. Agência Funerária Decorativa Viseense, Lda. Viseu Tel. 232 423 131

INSTITUCIONAIS Aviso 1ª Publicação

Estado de Connecticut TRIBUNAL SUPERIOR DE JUSTIÇA ORDEM DE NOTIFICAÇÃO EM ACCOES DE FAMÍLIA Distrito Judicial de Hartford em Hartford, Isabel Ferreira v. Manuel Oliveria Silva , número da accao HHD-FA10-4051617S NOTIFICADO: Manuel Oliveira Silva. O Tribunal analisou o Pedido de Ordem de Notificação e a Acção, com data de devolucao de 26 de julho, 2011 / Pedido de divórcio (dissolução do casamento) e ordem de audiencia e notificação, com a audiência a ser realizada a 31 de Outubro de 2011. O Tribunal considera que o endereço atual da parte a ser notificada é desconhecido e que todos os esforços razoaveis para encontrá-la têm falhado. O Tribunal tem como provado que o último endereço conhecido da parte a ser notificada foi: c/o Mengotir, Rua da Portelinha n.° 9, Calvao, 5400-608, Chaves, Portugal, Distrito de Viseu. O tribunal ordena que a notificacao seja feita por via da publicacao de um aviso legal no jornal:. O Centro – Produção e Edição de Conteúdos, Lda., contendo uma certidao desta Ordem de Notificacao e se acompanhada por uma accao de divorcio (dissolucao de casamento), pedido de dissolucao de uma uniao de facto, separacao legal ou anulacao do casamento, ou por um Pedido de Regulacao de Poder Paternal ou de alteracao de regime de visitas, esta contenha uma declaracao do Tribunal com as Ordens Automaticas emitidas pelo Tribunal no ambito do processo ao abrigo da Seccao 25-5 do Codigo de Processo Civil do Estado de Connecticut e que sejam partes integrantes da Accao/Pedido intentado junto do Tribunal. O aviso tera de ser publicado antes do dia 8 de Julho de 2011 e comprovativo da publicacao tera de ser apresentado ao Tribunal. Anthony Ashley, Escrivao Assistente. Assinado a 13 de Maio de 2011. Certifico para todos os efeitos legais que o referenciado e uma copia original do Pedido de Notificacao entregue a mim em mao para a execucao da publicacao.

1ª Publicação

(Jornal do Centro - N.º 480 de 27.05.2011)

(Jornal do Centro - N.º 480 de 27.05.2011)

1ª Publicação

(Jornal do Centro - N.º 480 de 27.05.2011)


Jornal do Centro

27

DEscreva-nos para:

27 | Maio | 2011

clubedoleitor

Jornal do Centro - Clube do Leitor, Bairro S. João da Carreira, Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lt 10, r/c . 3500 -187 Viseu. Ou então use o email: redaccao@jornaldocentro.pt As cartas, fotos ou artigos remetidos a esta secção, incluindo as enviadas por e-mail, devem vir identificadas com o nome e contacto do autor. O semanário Jornal do Centro reserva-se o direito de seleccionar e eventualmente reduzir os originais. Não se devolvem os originais dos textos, nem fotos.

HÁ UM ANO

“Os Barões da Sé” reencontraram-se na Fonte das Bicas de Viseu

Distribuído com o

Expresso. Venda interdita.

DIRECTOR

WALL STREET INSTITUTE WAL Rodrigues Raquel Textos: Rebelo Marcos Grafismo:

nto supleme rego Emp ação e Form ogias Tecnol as e Sistem ação de Inform

2010

Ano 9 N.º 428

1,00 Euro (IVA 5% incluído)

SEMANÁRIO

DA

REGIÃO DE VISEU

ldocentro.pt| ntro.pt·www.jorna ·redaccao@jornaldoce r/c.3500-187Viseu Vasconcelos,Lt10, MariaGracindaTorres daCarreira,RuaDona 431225·BairroS.João 232437461·Fax:232 l f |Telefone: JORNAL

DO

, EDIÇÃO

428 DE

28 DE

MAIO

ENTRO DO C

IV NIV ANIVERSÁRIO A

inglês de forma natural en rren pre Aprender A

ou em qualquer outro lugar O m é t o d o Wa l l S t r e e t I n s t i t u t e t e m s i d o casa, no trabalho ue o a luno a p re nda que vo é q t iivo b j e c ti obje no s s o o O nos os via Internet, tendo sempre a componente hue uma forma natural. constantemente melhorado, combinando de e d v a m e n te va n itt iv fin d e fi o ê s definitivamente inglês inglê desenvol- mana para o acompanhar. Com esta opção Stree Institute ofe - recursos humanos e técnicos para W alll Street o n s e g u irr o Wall conseguir Para o co dos alu- aluno apre nde inglês onde e quando quiser, sonalizados, ho- ver as capacidades de comunicação o s per so u r ssos cur unos c alunos alu o s al aos rece a 24 horas por dia, sete dias por semana. de forma nos logo a par tir do primeiro dia. A avaliação e ndiza aprendizagem a apre m ma uma s, u v e is e x ív fle rários flexíveis, O Wall Street Institute também trabalha com pela os seus objec- e acompanhamento contínuo que é dado d o com o c o rd acordo e a de va e d s iv e ss progressiva progre d os empresas, tendo programas especiais, onde ritmo de apren- e quipa Wa ll S tre et Institu te sã o ou t ros p rio ri próp u próprio n d o o seu eg u in s egu tivos, seguindo elas podem optar pela formação “in comnecessidades, factores que permitem uma evolução sólida. uas n o às ssuas n d o -o an ta d a p tan ad dizagem adaptando-o suas próprias instalações) ou no O Wa ll S tre et Institute pe r mite ao aluno a pany” (nas de resulgara c o m garantia a s e com u la aulas da de a sem perda Street Institute. possibilidade de fazer par te do seu curso em centro Wall tados.

SEMANÁRIO

.

INTEGRANTE É PARTE SEPARADAMENTE

ESTE

DE 2010

SUPLEMENTO VENDIDO SER PODE

E NÃO

. , EDIÇÃO 428 DE 28 DE MAIO DE 2010 E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE ESTE SUPLEMENTO É PARTE INTEGRANTE DO SEMANÁRIO JORNAL DO CENTRO

Av. Dr. António José Almeida, 52 R/C 3510-042 Viseu • Telefone:

232 480 120 • Email: viseu@wsi.pt • www.wallstreetinstitute.pt

justificar o subsídio “As pessoas têm que a merecê-lo” ] e de certa form ortunidades sobre a Expo-Op [de desemprego Piaget à conversa Martins, do Instituto Fernando Mateus

e Carlos

Inovação Jardim das Sementinhas cria primeira horta pedagógica no Centro

nio lindíssimo. Falta é gente a morar... faltam crianças... falta comércio. Hoje estamos mais maduros, olhamos as coisas com outros olhos e nada mais volta ser como dantes. Mas, nos últimos cinco anos tudo continua na mesma. Para o ano estamos de volta. Esta amizade que nos une é muito forte e retempera o ânimo para mais uns tempos.

página 16

| páginas 8

Nuno Ferreira

À conversa

vez mais Viseu tem mães cada filhos os r na do jovens a aban , o Jornal Mundial da Criança

er do Centro dá a conhec

∑ Em vésperas do Dia Acolhimento Temporário de bebés o único Centro de e crianças em risco

IP3 Estradas de Portugal admite novo sistema SOS só a partir de 2011

do distrito

| páginas 6 e 7

página 10

Área Projecto Alunos da Alves Martins criam veículo eléctrico de apoio à mobilidade

página 13

Aguinaldo Desportivo de Tondela contrata reforço de peso para a próxima época

página 17

Nuno Ferreira

“Revemos os amigos dos bons velhos tempos, cada vez mais importante, convivemos, estivemos todos juntos, e curtirmos um bocado. Deixámos de lado tristezas e complicações que a vida nos traz. Justificação dada pelos Barões, para se voltarem a reunir. Foram mais de 35 Barões vindos um pouco de todas as partes. A Zona Histórica já está sem os nossos vizinhos de sempre. Hoje (dia 21 de Maio) encontramos a zona deserta de dia e a transbordar de gente à noite (lembramos que era sábado). Nada tem a ver com o nosso tempo. De dia era a confusão e o comércio a funcionar. A feira semanal realizava-se mesmo na Praça da Erva. À noite era o sossego. Hoje é o contrário: deitar abaixo o sinal de trânsito, a violência física na porta de um bar, o barulho de garrafas a partir... Mas são sinais de mudança dos tempos. O aspecto arranjado de agora valoriza este patrimó-

Semanário 2010 28 de Maio de Sexta-feira

> PRAÇA PÚBLICA pág. 02 > ABERTURA pág. 06 > À CONVERSA pág. 08 > REGIÃO pág. 10 > NEGÓCIOS pág. 15 > DESPORTO pág. 17 > CULTURAS pág. 18 > SAÚDE 20 pág. > RESTAURANTES pág. 22 > CLASSIFICADOS 24 pág. > NECROLOGIA pág. 26 > CLUBE DO LEITOR 27 pág.

Barões da Sé. cidade

CARTAS DA SEMANA

Pedro Costa

O UM JORNAL COMPLET

Nesta edição oe Suplemento Empreg ento Formação e Suplem e Wall Street Institut

Dados inéditos da história de Portugal revelados na Sé de Viseu Na sinalética explicativa recentemente colocada na entrada da Sé de Viseu encontram-se publicitadas informações de extrema importância para a boa compreensão da história deste monumento nacional, resultado de uma aturada e criteriosa investigação levada a cabo pelos seus responsáveis. Novidades 1 Em 1094 D. Henrique de Borgonha já era conde Portucalense e mandava construir catedrais… (Viseu), isto é, dois anos antes de receber o condado do sogro e de nele realizar os seus primeiros actos administrativos. 2 O bispo D. Egas, prelado da diocese entre 1288 (e não 1289) e 1313, mandou construir uma “nova [catedral], mais ampla e no mesmo local da antiga”. Descoberta extraordinária, atendendo a que a cabeceira dessa “nova e mais ampla” catedral “mandada construir por D. Egas” apenas é terminada em Dezembro de 1314, ou seja, dois anos após a morte deste prelado. 3 A construção do “primeiro claustro” da catedral de Viseu foi iniciada em 1379. Outro feito extraordinário para a obra de um claustro gótico cuja obra iniciou a 8 de Maio de 1340, estando terminado ou próximo da sua conclusão no dia 18 de Junho de 1352. 4 O bispo D. João Vicente “iniciou a obra do actual claustro renascentista” em 1455. Outra revelação extra-

ordinária, da qual não existe qualquer testemunho, e que faz recuar quase um século a introdução do renascimento italiano na arquitectura portuguesa. Mas da reconstrução da sala capitular gótica promovida por este prelado destinada a sua capela funerária, isso é pouco importante e não tem qualquer relevo, nem o facto da única arca tumular episcopal existente na catedral ser precisamente a de D. João Vicente. 5 D. Diogo Ortiz, bispo entre 1505 e 1519, “ultima a abóbada da catedral”. Pelos vistos alguém a começou, quem terá sido? 6 O insigne D. Miguel da Silva, bispo entre 1526 e 1547, não mandou construir mas sim completou o claustro renascentista da Sé, tarefa aliás que o inexperiente e desconhecido arquitecto italiano Francesco de Cremona, que trabalhou no estaleiro de S. Pedro de Roma, terá recebido como uma excelente oportunidade para fazer currículo. Como cidadão e historiador só posso ficar profundamente grato por este excelente contributo para a divulgação da história portuguesa e da catedral de Viseu. Versão integral em www.jornaldocentro.pt

Anísio Miguel de Sousa Saraiva Investigador colaborador do Centro de Estudos de História Religiosa da UCP

FOTO DENÚNCIA

Ana Filipa Rodrigues

A imagem foi captada na base da ponte da A25, a seguir à saída para Cambra, no concelho de Vouzela. O estado é, no mínimo, duvidoso contudo não está em risco de ruir, ainda! Toda a base da estrutura está neste estado. Será que a fiscalização e manutenção é feita regularmente? é a questão que fica no ar...

Esta rubrica está aberta à participação dos leitores. Submeta a sua denúncia para redaccao@jornaldocentro.pt

EDIÇÃO 428 | 27 DE MAIO DE 2010

∑ O sistema de postos SOS do Itinerário Principal número 3 (IP3) derixou de funcionar. A Estradas de Portugal considerou o sistema “obsoleto” e admitiu vir a ser estudado este ano uma nova solução para garantir um sistema de aviso e socorro no IP3. ∑ Seis alunos do 12º Ano de ciências e tecnologia, da Escola Secundária Alves Martins desenvolveram o projecto “Gota Eléctrica” de um carro eléctrico considerado uma solução para o problema da mibilidade nas cidades.

Publicidade


tempo: chuva fraca

JORNAL DO CENTRO 27 | MAIO | 2011

∑agenda

Hoje, dia 27 de Maio, Céu nublado de manhã, chuva fraca para o resto do dia. Temperatura máxima de 23ºC e mínima de 14ºC. Amanhã, dia 28 de Maio, Algumas nuvens pela manhã, chuva fraca para o resto do dia. Temperatura máxima de 28ºC e mínima de 14ºC. Domingo, dia 29 de Maio, chuva fraca. Temperatura máxima de 25ºC e mínima de 15ºC. Segunda, dia 30 de Maio, chuva fraca. Temperatura máxima de 18ºC e mínima de 11ºC.

Impresso em papel que incorpora 30 por cento de fibra reciclada, com tinta ecológica de base vegetal

Olho de Gato

http://twitter.com/olhodegato http://joaquimalexandrerodrigues.blogspot.com

Sexta, 27

Sábado, 28 Viseu ∑ O Clube Novos Horizontes promove uma conferência sobre os ”Desafios do Serviço Nacional de Saúde”, com o orador principal António Arnaut, mentor do Serviço Nacional de Saúde”, às 17H15, no auditório do Hospital São Teotónio. Estes debates têm por objectivo “proporcionar uma discussão profunda sobre o mundo que vivemos e os desafios que se nos colocam”, justifica a organização. Viseu ∑ A revista Anim’arte do Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu - GICAV realiza a gala anual dos prémios Anim’arte, às 21h15, no Auditório Mirita Casimiro. Publicidade

Joaquim Alexandre Rodrigues joaquim.alexandre.rodrigues@netvisao.pt

Ordem nas ordens

Arquivo

Tondela ∑ O Clube Ornitológico de Tondela promove uma exposição de exóticos até domingo. A par da exposição dos “passarinhos coloridos” singulares, o clube inaugura a sua sede, no domingo e programa diversas actividades desportivas e ludicas.

A Recolha e doação de alimentos é feita por todas as pessoas que queiram contribuir

Banco Alimentar com nova campanha contra a fome em Viseu Novidade∑ Acção cobre todos os 24 concelhos do distrito O Banco Alimentar Contra a Fome de Viseu vai realizar amanhã e no Domingo (dia 29 de Maio), a quarta campanha de recolha de alimentos. É em campanhas como esta, que se realiza duas vezes por ano nos meses de Maio e Novembro, que o Banco Alimentar tem mais visibilidade, uma vez que todas as pessoas são chamadas a contribuir quer a nível de voluntariado quer na doação de alimentos. Esta acção vai ter lugar nos supermercados dos 24 conce-

lhos do distrito de Viseu: Aguiar da Beira, Armamar, Carregal do Sal, Castro Daire, Cinfães, Lamego, Mangualde, Moimenta da Beira, Mortágua, Nelas, Oliveira de Frades, Penalva do Castelo, Penedono, Resende, Santa Comba Dão, S. Pedro do Sul, Sátão, São João da Pesqueira, Sernancelhe, Tabuaço, Tarouca, Tondela, Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela. Esta é uma das grandes conquistas em relação à campanha anterior uma vez que agora “todos os concelhos são abran-

gidos”, disse Catarina Sobral, presidente do Banco Alimentar de Viseu. Os donativos recolhidos na campanha serão armazenados e encaminhados para instituições locais, para distribuição gratuita a pessoas carenciadas. O Banco Alimentar de Viseu tem acordo com 73 instituições locais que, todos os meses, fazem chegar alimentos a cerca de 4000 pessoas comprovadamente carenciadas. Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Pedro Delgado Alves, secretário-geral da Juventude Socialista, publicou na última edição do Expresso um texto interessante sobre a forma como as ordens profissionais tratam os recémlicenciados. Assinale-se como muito positivo que o número um da JS, mesmo em plena campanha eleitoral, tenha preferido usar os neurónios e fazer um texto inteligente. Contrasta com a propaganda atrasada mental que anda para aí em todo o lado, nos media e nas redes sociais, e que não ganha um voto. Mas indo ao que importa — porque é que a geração mais preparada e mais talentosa que alguma vez houve em Portugal está a ser empurrada para a emigração? A resposta não é difícil: Portugal é uma sociedade fechada onde medra o compadrio. O país tem uma ecologia social agreste à iniciativa, à concorrência, à liberdade. A concorrência é um valor de esquerda — como demonstra Daniel Innerarity em “O Futuro e os Seus Inimigos”. Quando o estado vira “engenheiro social” preferindo uns em detrimento de outros, abafa a iniciativa individual, abafa a esperança, tira futuro aos jovens. Pedro Delgado Alves no seu texto intitulado “Um debate fundamental” escreve sobre o cada vez mais claro fechamento corporativo que as ordens profissionais estão a fazer nos seus sectores. Na advocacia isso é público e notório. O sucesso eleitoral que o bastonário dos advogados Marinho Pinto tem entre os seus pares assenta nos truques que ele foi criando para evitar o acesso dos jovens licenciados em direito à profissão. Primeiro arranjou um exame de admissão ao estágio cujo regulamento, de tão injusto, foi declarado inconstitucional e agora fez “um aumento incomportável das taxas de inscrição no estágio e nas provas correspondentes”. O poder político tem que pôr ordem nas ordens.


Jornal do Centro - Ed480  

Jornal do Centro - Ed480

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you