Issuu on Google+

Publicidade

Distribuído com o Expresso. Venda interdita.

UM JORNAL COMPLETO

Publicidade

pág. 02 pág. 06 pág. 07 pág. 08 pág. 14 pág. 17 pág. 18 pág. 20 pág. 23 pág. 24 pág. 26 pág. 27

DIRECTOR

Pedro Costa

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > À CONVERSA > REGIÃO > ECONOMIA > DESPORTO > CULTURAS > SAÚDE > RESTAURANTES > CLASSIFICADOS > NECROLOGIA > CLUBE DO LEITOR

Semanário 18 de Março de 2011 Sexta-feira Ano 9 N.º 470

1,00 Euro

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

|Telefone:232437461·Fax:232431225·BairroS.JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

Expropriações A25 Donos de terrenos (des)esperam há seis anos por dinheiro das indemnizações

“O país precisa de um governo onde o CDS esteja representado”

página 8

Penalva do Castelo Comissão de utentes entrega petição contra a falta de médicos de família página 20

página 21

Holocausto Exposição no IPJ retrata um dos maiores horrores da história mundial página 18

Café-concerto ACERT comemora este sábado 35 anos com espectáculo da lusofonia

Publicidade

página 19

Rui Santos, eleito presidente da distrital do CDS Nuno Ferreira

Tondela Câmara investe quatro milhões de euros em novo balneário nas Termas de Sangemil

∑ Partido escolhe Viseu para realizar

o 24º Congresso, este fim-de-semana

Ministério fecha as portas a uma ligação de Viseu à Linha da Beira Alta | página 10

| página 6 e 7

19

sugestões para o dia do PAI

| páginas 27 e última


2

Jornal do Centro 18 | Março | 2011

praçapública palavras

deles

rTodos os políticos vão falar nos jovens licenciados e na falta de emprego, num aproveitamento baixo de canto de sereia”

rO respeito pelos resultados eleitorais não está a ser cumprido em Santa Comba Dão”

Carlos Bergeron Cronista (Via Rápida, 10 de Março)

Sofreguidão e oportunismo político do PSD PPC está a mostrar sofreguidão e oportunismo político e a abrir uma grave crise”

Opinião

António Vilarigues anm_vilarigues@hotmail.com

P. Qual o caminho que devo seguir? R. Diz-me, primeiro, para onde queres ir. Nesta pergunta e nesta resposta fica bem claro que o fundamental na vida, como na política, é sabermos para onde queremos ir antes de definirmos qual o caminho que devemos seguir. A não ser que estejamos a esconder, hipocritamente, o jogo. E é com isso que Pedro Passos Coelho (PPC) e o PSD nos estão a confrontar. Dizem que não aprovam mais medidas de austeridade, nem que sejam, só, redução de despesas. Aquilo, afinal, que eles sempre têm vindo a exigir do Governo. Mas mais, não apresentam qualquer

João Lourenço Presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão (Rádio Noar, 11 de Março)

Bilhete Postal

Acácio Pinto Deputado do PS aspinto@ps.parlamento.pt

caminho nem quaisquer medidas em contraponto com aquelas que o Governo colocou em cima da mesa. Hipótese 1: Não sabem qual o caminho que querem seguir. Hipótese 2: Não querem mostrar o seu rumo [neoliberal] aos portugueses por táctica eleitoral. Hipótese 3: Um misto das duas propostas anteriores. Qualquer das hipóteses é grave e não contribui para a transparência da vida política. E mais, objectivamente, PPC está a mostrar sofreguidão e oportunismo político e a abrir uma grave crise que vai colocar Portugal numa posição de grande fragilidade perante as instâncias internacionais.

João Carlos Figueiredo Deputado do PSD joao.figueiredo@psd.parlamento.pt

rÉ importante rOs jovens de cada um de nós ter hoje são a geração melhor preparada de consciência de que não estamos sós no todos os tempos” mundo”

Miguel Nascimento Director regional do Centro do Instituto Português da Juventude (Inauguração de exposição no IPJ de Viseu, 14 de Março)

Miguel Ginestal Governador Civil de Viseu (Inauguração de exposição no IPJ de Viseu, 14 de Março)

Muitos contactos, alguns contratos e pouca obra

A imagem dos autarcas é, entre os agentes que exercem funções políticas, a mais positiva. A proximidade que os eleitos locais têm junto das populações e a capacidade de concretização de muitos dos seus anseios e expectativas, são factos inegáveis. Mas o aspecto mais pernicioso da actividade política assente em promessas de oportunidade, na ilusão e no “anúncio fácil” que tem caracterizado os últimos governos do país, começa, infelizmente, a ter seguidores em algumas autarquias locais. A Câmara de Mangualde é o exemplo, na nossa região, que melhor atesta tal facto. Desde as últimas autárquicas, quase todas as semanas aquele Município

recebe a visita de um membro do governo. Importa questionar a utilidade prática das mesmas. Na última, o Ministro da Administração Interna assinou o primeiro Contrato Local de Segurança (CLS) do Distrito com elementos da GNR. Para que tenhamos a certeza de estar perante uma boa noticia, alguém terá de responder a perguntas fundamentais: quantos agentes novos virão para o Posto de Mangualde? Quais os meios que são reforçados com este CLS? Os Munícipes precisam de respostas concretas e não de retórica bonita. De uma Câmara Municipal espera-se obras/realizações, porque anúncios qualquer Agência de Comunicação os faz….melhor!

Quantos agentes novos virão para o Posto de Mangualde?“

Cobarde Declaração de Guerra! Tal como aqui tínhamos previsto quando da apresentação do PEC 3, aí está o PEC 4. E a ele se seguirão o PEC 5, e o PEC 6. A menos que a resistência e a luta populares afirmem uma alternativa de ruptura e mudança com este estado de coisas. As medidas agora apresentadas por José Sócrates, a partir dos corredores da União Europeia e nas costas do país, confirmam os piores cenários. Representam uma ultrajante submissão aos ditames das principais potências capitalistas europeias. Significam uma rendição aos objectivos do grande capital financeiro. Configuram uma autêntica declaração de guerra contra os direitos so-

ciais e laborais dos trabalhadores e do povo. Representam uma sentença de dependência de tipo colonial para Portugal. Visam um retrocesso histórico dos direitos dos trabalhadores e a destruição do que resta do chamado «Estado Social». Constituem uma condenável atitude de desprezo pelas condições de vida dos trabalhadores e do povo português. Em traços gerais, o que agora se pretende é, em primeiro lugar, um novo ataque aos salários e aos rendimentos. Em segundo lugar, o favorecimento da exploração e fragilização dos di-

reitos dos trabalhadores. Em terceiro lugar, uma mais drástica e desumana precarização dos apoios sociais. Procura-se, ainda, uma nova redução das funções sociais do Estado e dos serviços públicos. Finalmente, pretende-se o prosseguimento da criminosa política de privatizações e também da liberalização de sectores como o da energia. Medidas, que são elas próprias factor de agravamento da crise e do défice. Medidas, que confirmam que é sobre os trabalhadores e o povo que incidem os sacrifícios. Medidas, que mantêm intocáveis os lucros e os privilégios dos grupos económicos, em

particular da banca. Sublinhe-se o facto significativo de não se registar nem UMA ÚNICA MEDIDA visando os grandes grupos económicos e financeiros. Sobretudo quando se sabe que os seus escandalosos lucros estão a ser obtidos à custa do desemprego e da pobreza de centenas de milhar de portugueses. No próximo sábado, 19 de Março, lá estaremos em Lisboa, no Dia Nacional de Indignação e de Protesto, organizado pela CGTP-IN, a dar a devida resposta. Lado a lado com todos os que não se resignam perante as injustiças. E que não abdicam de fazer ouvir a sua voz de protesto e de exigência de mudança.


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 3

Jornal do Centro 18 | Março | 2011

números

O Centro de Informação Autárquico ao Consumidor da Câmara de Viseu informou no Dia Internacional do Consumidor que em 2010 foram formalizadas 110 reclamações de munícipes do concelho, das quais 68 ficaram resolvidas “por via da mediação. A maioria das reclamações diz respeito a produtos com defeito e “prestação defeituosa de serviços”, que vão do telefónico e da internet ao sector bancário.

Importa-se de responder?

Rafael Guimarães Presidente da Federação Nacional das Associações de Estudantes

João Lourenço Presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão

Ao anunciar a sua demissão depois da vereadora do seu partido (PSD) ter votado contra uma deliberação em reunião de Câmara e, três dias depois voltar com a palavra atrás, saiu fragilizado de um episódio que revela a tensão em que estão a trabalhar muitos dos executivos camarários do país

Tiago Escada Presidente da distrital JSD de Viseu

O presidente da Associação de Estudantes da Escola Superior Agrária de Viseu toma posse esta sextafeira, na cidade do Porto do cargo de presidente da Federação Nacional das Associações de Estudantes (FNAEESP). O dirigente tem agora a tarefa de defender mais de 100 mil estudantes do ensino politécnico de todo o país.

DR

110

estrelas

O presidente da Comissão Política Distrital da JSD Viseu, Tiago Escada, foi eleito Conselheiro Nacional do Partido Social Democrata. Os jovens social-democratas acreditam que com a sua eleição, os interesses dos jovens da região se encontram bem representados. Tiago Escada vai ter agora que o provar.

Porque decidiu juntar-se ao protesto da “geração à rasca”? As novas gerações merecem o nosso respeito e devem gritar. É preciso pôr os nossos governantes na rua para deixarem de roubar Portugal. Quero que os meus filhos e os meus netos tenham uma vida digna, como aquela que eu tive apesar de trabalhar como um mouro. Sou reformado e já fui roubado mais que uma vez.

Vim essencialmente por curiosidade e ao mesmo tempo para apoiar a causa. Felizmente não tenho nenhum filho nesta situação precária, mas vim por solidariedade aos muitos jovens enrascados que temos actualmente.

João Cruz

Maria Rodrigues

Reformado

Recepcionista

Vim apoiar os jovens porque são eles que podem fazer alguma coisa para melhorar esta situação de crise em que vivemos. Estes jovens são os homens de amanhã e não acho justo tirar-lhes tudo. Ainda assim, acho que temos de pensar igulamente nos idosos e nos que não têm as mínimas condições de sobrevivência.

Estou aqui porque confio na juventude. São eles os únicos que podem e devem dar a volta ao sistema. A empresa em que eu trabalhava foi cortanto aos poucos e acabou por despedir quase toda a gente. Os velhos já não conseguem, por isso vim aliar-me aos novos.

Lurdes Rodrigues

António Silva

Reformada

Desempregado

Convidado

O RI 14 e a tradição de presença militar em Viseu

Pedro Esgalhado Coronel (ex-comandante do RI14)

Dos actuais regimentos do Exército, o 14 é o que está há mais tempo, continuamente na mesma localidade. Este Regimento é detentor – por mérito próprio e por herança administrativa – de um historial riquíssimo e de um património honorífico invejável. Combateu em defesa de Portugal nas principais campanhas militares, das invasões francesas à guerra do ultramar. Veio parar a uma cidade rica de tradições e já feita à presença militar, (iniciada em 1808, com

o RI 11), algo que sempre desejou e estimulou, ou não houvessem registos sobre pedidos da cidade para a vinda de mais unidades para a terra. Felizmente, isto tem-se traduzido numa relação de benefícios recíprocos – o regimento, tem beneficiado de muitos apoios da cidade, e tem igualmente colaborado com a cidade e com a região em inúmeras iniciativas. E é assim que deve ser. Vi seu recl a m a-se herdeira das tradições de Viriato, as

quais foram também abraçadas pelo Regimento. Ainda que não se saiba ao certo quem foi este Viriato que todos celebramos, nem onde nasceu. Vão-se buscar as ligações de Viseu a Viriato ao episódio da batalha que teve lugar na, hoje chamada, Cava de Viriato e que segundo se diz, era um acampamento romano, comandado pelo General Caio Nigídio – picando uma manda de touros com ferros em brasa, os lusitanos desbarataram o exérci-

to romano, que de seguida aniquilaram. Falar, portanto, da história de Viseu é falar das suas gentes e das lutas que elas travaram em defesa da sua identidade e da sua integridade – da sua sobrevivência. E foi de tudo isto que se falou numa palestra proferida na aula magna do IPV, no dia 16 de Março… Artigo escrito a propósito das comemoração do Dia da Unidade do Regimento de Infantaria 14


4 PRAÇA PÚBLICA | OPINIÃO Opinião Director Pedro Costa C.P. n.º 1464 pedro.costa@jornaldocentro.pt

Redacção (redaccao@jornaldocentro.pt) Emília Amaral, C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Gil Peres, C.P. n.º 7571 gil.peres@jornaldocentro.pt

Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Departamento Comercial comercial@jornaldocentro.pt

Directora: Catarina Fonte catarina.fonte@jornaldocentro.pt

José Junqueiro Secretário de Estado da Administração Local josejunqueiro53@gmail.com

Ana Paula Duarte ana.duarte@jornaldocentro.pt

Departamento Gráfico Marcos Rebelo marcos.rebelo@jornaldocentro.pt

Projecto Gráfico defrank - Comunicação Editorial defrank@netcabo.pt

Serviços Administrativos Sabina Figueiredo sabina.figueiredo@jornaldocentro.pt

Impressão GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Distribuição Vasp

Tiragem média 6.000 exemplares por edição

Sede e Redacção

O chefe de Estado está refém do seu azedume e não consegue dilucidar entre esse estado de alma e o interesse geral”

Bairro de S. João da Carreira Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lote 10 r/c 3500-187 Viseu • Apartado 163 Telefone 232 437 461 Fax 232 431 225

Jornal do Centro 18 | Março | 2011

Pelo menos a expectativa é alta! Os tempos estão difíceis. O general Eanes, presidente da Comissão de Honra de Cavaco Silva, reconhece isso mesmo. Fala numa “crise internacional” que o Presidente da Republica “omitiu” na sua tomada de posse; e diz que se há “uma década perdida” “não pode ser imputada ao Governo, ou exclusivamente a este, essa responsabilidade… seria “injusto”. Este olhar cruza-se com o de Cavaco Silva, mas não se tocam, e segue num outro sentido, o do país. O chefe de Estado está refém do seu azedume e não consegue dilucidar entre esse estado de alma e o interesse geral, não está capaz de separar a realidade da “sua” verdade. Este contexto de partida para um novo mandato não é lá grande augúrio. Adensou o problema, não fez a pedagogia da verdade, nem muito menos da solução. Foi uma escolha, embora não seja uma escolha qualquer. E, portanto, é o que temos e foi aquilo com que ficámos.

A oposição, em geral, aproveitou o ensejo para intensificar o desmerecimento do Governo e obter ganhos de causa, da sua, que não a do país. E o líder do maior partido da oposição, Passos Coelho, não se ficou por menos. Embrulhado em muros de silêncio, hesitante, submergido pela opinião dos outros, não consegue um único pensamento de autor e perdese entre o dever e o tacticismo do “pote”, imagem de que tanto gosta para se referir ao país e ao poder, que não ao dever de governar. Assim se compreendem as atitudes da oposição perante as decisões de enorme exigência que o Governo e o Primeiro-Ministro tiveram agora de assumir: dizer aos portugueses que para atingir 2012 e 2013 – QUE NÃO 2011 - e garantir o retorno a um crescimento sustentado da riqueza e do emprego poderá ser necessário ir mais longe no contributo de todos. E poucos aceitarão isso de ânimo

leve, porque a maioria está convencida de que esta crise é apenas portuguesa, porque o Governo não fez o seu melhor e outros virão que hão-de fazer diferente. Sim, diferente, mas não melhor ou, pelo menos, com custos sociais inferiores. Emprego para todos, fim dos jovens “à rasca”, seja qual for a sua formação, crescimento acima da média europeia, taxas de juro diminutas, combustíveis mais baratos, colocação para todos os professores e demais profissionais, mais e melhores vencimentos, nomeadamente para os governantes, como acabámos de ler no “manual de intruç��es” que o PSD publicitou na imprensa, privatizações progressivas na saúde, educação e segurança social, enfim uma panóplia de coisas diferentes, bem diferentes. Se lá chegarem, resta saber se são melhores. Esperemos pela atitude do PSD. Pelo menos a expectativa é alta.

E-mail redaccao@jornaldocentro.pt

Opinião

Internet www.jornaldocentro.pt

Parcerias pagas, ou pagas

Propriedade O Centro–Produção e Edição de Conteúdos, Lda. Contribuinte Nº 505 994 666 Capital Social 114.500 Euros Detentores de mais de 10 por cento do Capital: Sojormedia SGPS, SA Depósito Legal Nº 44 731 - 91 Título registado no ICS sob o nº 100 512

Gerência Francisco Rebelo dos Santos, Ângela Gil e Pedro Costa

Hélder Amaral Deputado CDS-PP hamaral@cds.parlamento.pt

Departamento Financeiro Ângela Gil (Direcção), Catarina Branquinho, Celeste Pereira, Gabriela Alves, João Machado Patrícia Santos info@lenacomunicacao.pt

Departamento de Marketing Patrícia Duarte (Direcção), Susana Santos (Coordenação), Catarina Fonseca e Catarina Silva marketing@lenacomunicacao.pt

Departamento de Recursos Humanos Nuno Silva (Direcção) e Sónia Vieira drh@lenacomunicacao.pt

Departamento de Sistemas de Informação Tiago Fidalgo (Direcção) e Hugo Monteiro dsi@lenacomunicacao.pt

Unidade de Projectos Lúcia Silva (Direcção) e Joana Baptista (Coordenação) projectos@lenacomunicacao.pt Os artigos de opinião publicados no Jornal do Centro são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. • O Jornal reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos enviados para a secção “Cartas ao Director”.

Semanário Sai às sextas-feiras Membro de: Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem

Associação Portuguesa de Imprensa União Portuguesa da Imprensa Regional

A despesa acumulada com as parcerias públicoprivadas ascende a 48 mil milhões de euros, um valor que representa um encargo superior a 4500 euros por cada contribuinte”

Nunca como hoje se falou tanto em Parcerias Público-Privadas (PPP). Durante anos foi (e é) a receita mais utilizada para realizar obra grossa (auto-estradas, pontes, ferrovias, hospitais, etc.). E o que são? As PPP’s consubstanciam-se em associações entre o Estado e privados (em alguns casos, ainda pouco estudados, incluem as Autarquias, cujos compromissos financeiros ninguém sabe a sua verdadeira dimensão), concretizadas através de contratos de concessão celebrados entre o sector público e consórcios de empresas privadas, em que os concessionário assumem construir infraestruturas, ou disponibilizar serviços tradicionalmente prestado pelo Estado. Em troca, recebem a respectiva exploração a longo prazo, em regra 30 anos. Até aqui tudo bem; a fórmula parecia perfeita: mostrar obra nova em todos os mandatos, prometer mais obra para novos mandatos, e sem pagar - pois quem paga são os privados. Mas a factura para os contribuintes virá depois. Ainda esta semana, em plena Comissão de Obras Públicas, o Secretário de Estado elogiava o modelo como uma forma de fazer obra com pouco dinheiro. Seria assim sim se fosse elaborado com rigor e na defesa das gerações futuras; mas quase nunca foi assim. Vejamos então qual é a factura para cada um de nós das PPP: actu-

almente, a despesa acumulada com as parcerias público-privadas ascende a 48 mil milhões de euros, um valor que representa um encargo superior a 4500 euros por cada contribuinte. Só em 2011, cada português pagará 79,1 euros pelos encargos assumidos pelo Estado com as PPP contratualizadas desde 1995. Isto porque, de acordo com o Orçamento do Estado, só este ano a factura a pagar por estas parcerias entre a administração pública e o sector privado ascende a 841,9 milhões de euros, entre despesas com concessões rodoviárias, ferroviárias, de saúde e segurança. O custo individual para alimentar as PPP em 2011 (79,1 euros) aumenta muito se fizermos as contas ao que terá de ser pago às concessionárias destas parcerias ao longo das próximas décadas. Carlos Moreno, juiz jubilado do Tribunal de Contas, concluiu que, até 2050, os custos plurianuais até essa data ascendem a 48 mil milhões de euros. O mesmo quer dizer que, no final deste período, cada português terá pago 4.512,2 euros para financiar todas as PPP. De acordo com os dados disponibilizados pela Direcção-Geral do Tesouro e das Finanças, as parcerias vão prolongar-se, pelo menos, até 2083, ano em que expira o contrato de concessão da Barragem Foz Tua, cujo contrato foi assinado em 2008 com a EDP, com a dura-

ção de 75 anos com um investimento estimado de 305 milhões de euros. Isto é o mesmo que dizer que, caso não sejam contratualizadas mais PPP, uma criança que tenha nascido no dia 1 de Janeiro deste ano terá 72 anos quando este prazo terminar. Uma altura em que, muito provavelmente, já estará reformada e terá netos. Percebem agora porque razão o CDS pede ponderação, rigor na construção do TGV? Actualmente, o Estado português tem 83 PPP - a primeira foi assinada em 1995 com a Lusoponte, para a construção da Ponte Vasco da Gama e para a exploração das portagens nesta travessia e na Ponte 25 de Abril. Destas, 64 encontram-se em exploração e 19 em construção. O pior é que seria de esperar que neste modelo não houvesse derrapagens de custos e prazos. Puro engano: são muitos os casos de alterações que o Estado introduz nos contratos de concessão depois de assinados, como obras adicionais ou mudanças de traçados a pedido de Autarquias da cor do poder. Cada vez que isso acontece, quem paga a indemnização ao concessionário é o contribuinte, principalmente as gerações futuras. É esta falta de rigor e leviandade que torna impossível saber qual o valor final das PPP. É mais um exemplo, entre tantos, de uma boa ideia muito mal aplicada.


Jornal do Centro

6

18 | Março | 2011

abertura

textos ∑ Emília Amaral / Tiago Virgílio Pereira fotografia ∑ Nuno Ferreira (Arquivo)

“É uma mais-valia para a cidade e para o partido, especialmente a nível distrital. Não tenho nenhum outro acontecimento tão especial gravado na memória. O CDS-PP tem tocado nas feridas que assolam o país. É uma pena que o povo não lhe dê mais votos”. Manuel Oliveira, ex-presidente da Comissão Política Concelhia do CDS-PP

“O Congresso pode acrescentar alguma coisa ao fim-de-semana, que tradicionalmente, funciona como um momento forte. A restauração na cidade vai ganhar com o encontro. Acredito que as unidades vão encher”. José Coelho, gerente do restaurante Pensão do Rossio

1200 no Congresso do CDS-PP em Viseu Mais-valia ∑ Forças vivas reconhecem reunião como momento de promoção da cidade A Caminho de Viseu, O CDS-PP realiza pela primeira vez o seu Congresso Nacional na cidade, sábado e domingo, no pavilhão Multiusos. A reunião magna vai contar com cerca de 1200 pessoas, entre congressistas e convidados. A comissão pol ít ic a do CDS -PP de Viseu acredita que a dinâmica de um encontro desta natureza vai funcionar como “um catalisador de economia local”, contribuindo para a “projecção da cidade” ao mesmo tempo que “pode ser um factor de

apoio ao empreendedorismo local e ao incremento do turismo”. O presidente da Comissão Política Distrital do CDS, Rui Santos deseja igualmente que o congresso “potencie visitas futuras” à cidade. “Isto tem um impacto económ ico mu ito grande. Os hotéis estão cheios, a restauração vai sentir, o próprio comércio. Vai haver mais gente nas ruas da cidade e nos concelhos à volta”, acrescenta. Para Rui Santos a reunião em Viseu “é um momento h i stór ico”

para a vida do partido no distrito e trata-se do “recon heci mento do trabalho que tem sido feito no distrito”, nomeadamente pelo deputado Hélder Amaral. “De uma forma um pouco egoísta, o congresso do CDS-PP serve para fazer uma promoção do distrito e da cidade de Viseu e das coisas boas que as autarquias e as empresas vão fazendo pelo nosso distrito”, reforça o proprio deputado, Hélder Amaral, há um mês afastado da liderança do CDS no distrito de Viseu.

Programa do congresso O 24º Congresso do CDS-PP vai decorrer ao longo de dois dias (sábado e domingo) no pavilhão Multiusos. O início dos trabalhos está marcado para as 10h45, com a abertura do Congresso e as intervenções do presidente da Mesa do Congresso e do presidente da Comissão Políti-

ca Distrital de Viseu, Rui Santos. No decurso dos trabalhos da manhã destacam-se a apresentação das propostas de orientação política, económica e social e a apresentação do Documento de Orientação Política pelo presidente do partido. A tarde será um perío-

do de continuidade dos trabalhos. Já a manhã de domingo ficará marcada pela eleição dos órgãos dirigentes do CDS-PP para o biénio 2011/2012, a tomada de posse dos órgãos nacionais eleitos e o discurso de encerramento do presidente do partido, Paulo Portas.

O pa rla menta r, diz que o objectivo é “dar a conhecer a todos os militantes, congressistas e amigos do CDS a beleza da região. Hélder Amaral revela que foram preparados programas paralelos para as pessoas que acompanham os congressistas, “em parceria com o turismo e algumas empresas”. Do ponto de vista político, o deputado considera que “o momento motiva”, com a consciência que será “um dos maiores congressos de sempre do CDS”.

“Barraquinhas” No Pavilhão Multiusos vão estar várias Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) que vão ter “barraquinhas” para promoção da sua actividade. Uma medida relacionada com o Ano Europeu do Voluntariado. “O partido não se preocupa só com a política e dá um salto em frente. Até nisso é inovador”, diz Hélder Amaral.

24 É o número de congressos realizados pelo CDS-PP, contando já com o de Viseu no fim-de-semana.

1200 É o número de participantes do 24º Congresso Nacional do CDS-PP

“Mudar de vida Orientações para a elaboração do Programa do Governo do CDS”, é o nome da proposta que o líder, Paulo Portas vai levar ao Congresso e que constitui um “guião” para um programa de Governo do CDS.


7

Jornal do Centro 18 | Março | 2011

à conversa à conversa “Quero que o CDS se apresente sempre na sua máxima força” Semanalmente, Semanalmente,“À“ÀConversa” Conversa”resulta resultadedeum umtrabalho trabalhoconjunto conjuntododo Jornal Jornal dodo Centro Centro e da e da Rádio Rádio Noar. Noar. Pode Pode ser ser ouvida ouvida nana íntegra íntegra nana Rádio Rádio Noar, Noar,esta estasexta-feira, sexta-feira,àsàs11hoo 11hooe eàsàs19h00, 19h00,e edomingo, domingo,àstexto às12h00. 11h00. ∑P fotografia Versão Versãointegral integraleem versão www.jornaldocentro.pt áudio em www.jornaldocentro.pt ∑ J

Entrevista ∑ António Figueiredo/ Emília Amaral Fotografia ∑ Nuno Ferreira

Se Hélder Amaral se pudesse recandidatar continuaria nesta altura como o líder natural do CDS-PP em Viseu, e com o seu apoio?

Se se pudesse recandidatar naturalmente que teria o meu apoio, por aquilo que tem feito, nem vejo porque deixaria de merecer a confiança dos militantes. É um facto que a imposição estatutária diz que ao fim de três mandatos não se pode recandidatar, o partido convive bem com isso, há alternativas e eu resolvi avançar. Resolveu candidatar-se para evitar um vazio?

Não. Com certeza que havia outras alternativas. O partido não é o Rui Santos e mais meia dúzia de pessoas, há muitos militantes no dis-

trito de Viseu que podiam ser candidatos à distrital. Eu entendi que podia prestar um bom serviço ao partido, podia no fundo continuar um trabalho que vinha a ser feito de trás e na qual também estava incluído e vou fazer o melhor que sei. A sua eleição levou novas pessoas para o partido?

Basta ver que na distrital, em 11 pessoas, seis são novas, quer na idade quer em funções políticas. Não quer dizer que, se se tratasse de uma recandidatura isso não viesse a acontecer, mas a eleições de novos quadros potencia o crescimento e o aparecimento de novos valores. O impedimento de Fernando Ruas se

Rui Santos, de 37 anos, licenciado em Gestão Bancária, foi eleito há um mês presidente da Comissão Política Distrital do CDS-PP Viseu. Substitui o deputado Hélder Amaral, que por imposição dos estatutos do partido, não se pôde recandidatar após ter cumprido três mandatos. Militante da CDS-PP desde a juventude, é também deputado na Assembleia Municipal de Viseu tendo já anteriormente assumido o cargo de vice-presidente da distrital. A conversa surge na véspera de um acontecimento histórico para o partido em Viseu. No pavilhão Multiusos, o CDS reúne-se em congresso nacional com a participação de cerca de 1200 congressistas e convidados.

recandidatar à câmara de Viseu, vai ajudar o CDS a tentar recuperar eleitorado perdido no concelho?

Lá está um factor positivo para o CDS e para os outros partidos políticos (risos). Em primeiro lugar vai ser bom para Viseu. Para o CDS é mais um desafio. O CDS tem vindo a crescer, foi o único partido que nas últimas eleições cresceu para além do PSD. As mudanças são sempre positivas quando encaradas com sentido de missão. Tem metas traçadas para as próximas eleições autárquicas?

Crescer em todo o distrito. Para já procurar ter candidatos em todos os concelhos, o que não tem

acontecido, e claramente chegarmos ao poder autárquico em todo o distrito de Viseu. O CDS-PP deve apostar em fazer mais coligações com o PSD?

Eu sou um defensor das coligações desde que sejam boas para toda a gente. Primeiro têm que ser boas para as populações, depois têm que ser projectos ganhadores e, em terceiro, têm que ser boas para o CDS. As legislativas antecipadas, dizem todos os analistas, vão acontecer ainda este ano. Hélder Amaral deve voltar a ser o cabeça de lista do CDSPP por Viseu?

De forma clara e inequí-

voca, reúne todas as condições para isso. Já o assumi durante a apresentação da minha candidatura. Eu desafio qualquer pessoa a negar que é o deputado que mais trabalho tem desenvolvido, que mais se tem preocupado com o distrito e, se calhar, com mais influencia que alguns deputados do partido do Governo. O que eu quero é que o CDS em qualquer acto eleitoral se apresente sempre na sua máxima força, com os seus melhores quadros. O CDS-PP deve concorrer sozinho, ou procurar um acordo pré-eleitoral com o PSD?

Para o país era bom que houvesse uma coligação pré-eleitoral. O país precisa de estabilidade, precisa de ter um projecto alternativo credível, com outro tipo de preocupações. O país precisa de um governo onde o CDS esteja representado e possa influir na governação através daquilo que são os nosso valores. Se houver coligação com o PSD, o CDS deve exigir, no círculo eleitoral de Viseu, dois candidatos em lugares elegíveis uma vez que nas últimas eleições o segundo deputado do CDS não foi eleito por uma margem de mil votos?

Há coisas que não precisam de ser exigidas, são claras. Disse na tomada de posse que é preciso um “Enfoque muito especial na gestão dos serviços públicos autárquicos”. Quer concretizar?

Hoje, em alguns concelhos o maior empregador é a câmara municipal. Não podemos defender critérios de meritocracia para outras nomeações e depois chegarmos aos concelhos e a assistirmos a militantes de alguns partidos admitidos em massa nas autarquias. Tem que haver rigor e qualidade. Em Viseu o senhor é deputado na Assembleia Municipal. Faz sentido passarem horas intermináveis de discussão, no período antes da ordem do dia, com assuntos repetidos, e depois aprovarem-se os pontos da ordem de trabalho em dois minutos?

Não fa z sentido nenhum. Muitas vezes discute-se tudo menos a vida do concelho. Há moções para tudo, repetidas. Que consequências é que têm essas moções? Nenhumas. Versão integral e versão áudio em www.jornaldocentro.pt


Jornal do Centro

8

18 | Março | 2011

região

A Associação Académica do Instituto Politécnico de Viseu (AAIPV) denunciou o “aumento da criminalidade” e o “clima de insegurança que está instalado entre os estudantes da cidade”. A AAIPV revelou em comunicado que “nas últimas semanas têm-se duPublicidade

plicado os casos de estudantes a fazerem chegar a sua indignação por terem sido assaltados ou intimidados por estranhos junto das escolas e dos locais que frequentam com maior regularidade”, e cita a zona envolvente ao Campus Politécnico de Repeses, a Quinta do Galo, a

zona da Sé (zona histórica) e do centro comercial Forum. “Estão a colocar os estudantes em pânico e sem saber o que fazer”, sublinha a AAIPV. Já esta semana, a associação de estudantes reuniu com o governador civil, e o comandante da PSP onde expôs “casos” e “preocupações”. No final da reunião ficou assente que a AAIPV em colaboração com a PSP de Viseu irá agendar sessões de esclarecimento em todas as escolas do politécnico, núcleos e comissões de curso “para aconselhar os estudantes a desenvolver os melhores procedimentos” perante um caso de assalto ou em outras situações. EA

Nuno Ferreira

Nuno Ferreira

Associação do IPV queixa-se de insegurança na cidade

A Populares temem não ser indemnizados antes do pagamento da portagem na A25

Atraso no pagamento dos terrenos da A25 Vouzela∑ Ainda há pessoas para receber, seis anos depois “Estou há seis anos pa ra receber 155 m i l euros”, diz José Macário, presidente do concelho directivo dos baldios de Vasconha, freguesia de Queirã, concelho de Vouzela. A queixa surge no seguimento da questão colocada pelo deputado José Luís Ferreira, do grupo parlamentar “Os Verdes”, que entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através do Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, sobre o atraso no pagamento dos terrenos expropriados para construção da A25. José Macário contou um problema “que se ia tornando grave”, devido ao atraso do pagamento por parte das Estradas de Portugal (EP). “Tivemos uma reunião com

os compartes e combinamos destinar algum daquele dinheiro para a construção de uma casa mortuária. Fizemos o projecto a contar com o dinheiro, e como nunca mais chegou, acabaram por nos anular o projecto”, lamentou. Os anos passam e José Macário diz começar a perder a esperança em receber o dinheiro. “Isto está cada vez pior e eu não vejo solução. A EP é uma casa sem governo, um delegado de Almada que já cá veio cinco vezes passear e receber deslocações mas não resolveu nada”, desabafou. O presidente da Junta de Freguesia de Queirã , Joaquim Mendes, também reclama o pagamento de 500 euros. “Este atraso não tem justificação nenhuma.

Há muitos anos que os terrenos foram expropriados, as pessoas fica ra m sem os ter re nos e sem o dinheiro”. Joaquim Mendes garantiu haver mais de meia dúzia de particulares que ainda não receberam um cêntimo. Apesar de todo este cenário, há estórias com final feliz. É o caso de António Silva, da freguesia de Cambra. Há cerca de um ano recebeu os dois mil euros que tinha direito. “Enviei os documentos todos e pagaram-me, mas sei que há muita gente que ainda não recebeu. Acho que vão começar a pagar as portagens sem tere recebido as indemnizações dos terrenos, é terrível”, concluiu. Tiago Virgílio Pereira tiago.virgílio@jornaldocentro.pt


Jornal do Centro

10 REGIÃO | VISEU

18 | Março | 2011

“Fiz a pergunta quase sabendo a resposta. Nunca houve da parte da tutela e do Governo a intenção, estudo ou proposta para fazer o que quer que fosse” para criar uma ligação de Viseu à Linha da Beira Alta. Este foi o primeiro comentário do deputado do CDS-PP, Hélder Amaral à resposta do ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações sobre o ponto de situação deste dossier que se tem mantido na ordem do dia há décadas. O deputado do CDS/PP pediu esclarecimentos em Fevereiro deste ano para apurar quem fala verdade na ligação de Viseu à linha ferroviária da Beira Alta. A decisão de Hélder Amaral foi tomada após se mostrar “estupefacto” com a falta de informação que existia à volta da questão. O Ministério refere que, na segunda metade da década de oitenta, a “ligação ferroviária convencional a Viseu foi objecto de estudos exploratórios”, para “apurar a viabilidade técPublicidade

nica da ligação” e “acautelar a reserva” dos terrenos necessários. “As dificuldades técnicas que esta ligação acarretava e a orografia do terreno obrigavam a um avultado investimento e a uma localização da estação de Viseu bastante excêntrica e afastada dos limites urbanos da cidade, pelo que o projecto não se veio a concretizar”, acrescenta a resposta. O Ministério mostra claro, “no que respeita ao plano de investimentos da REFER no horizonte PEC (até 2013) não está prevista a concretização de qualquer ligação da Linha da Beira Alta a Viseu”. Para Hélder Amaral “o assunto ficou encerrado”, e estranha que a autarquia de Viseu “tenha deixado reservados os terrenos” necessários para a ligação e respectiva estação. A proposta do deputado é “deixar de lado” o assunto e concentrar-se em não perder a oportunidade “de ter a estação da linha de alta velocidade”. EA/TVP

Nuno Ferreira

Nuno Ferreira

Viseu sem ligação à Linha da Beira Alta

A Cerca de 600 jovens manifestaram-se no Rossio, junto à Câmara Municipal de Viseu

“A geração à rasca não é só uma geração, são várias” Sintonia∑ Protesto juntou avós, pais, filhos e netos que partilham o mesmo problema Um pouco por todo o país, no passado dia 12 de Março o movimento da “geração à rasca”, saiu à rua e protestou contra o desemprego e a precariedade. Em Viseu, o protesto aconteceu no Rossio, no coração da cidade. Aí, centenas de jovens manifestaram o seu desagrado. Os mais destemidos subiram a um palco e gritaram palavras de ordem. Contaram a situação em que vivem e os medos do futuro próximo, que não se advinha nada promissor. A falta de oportunidades no mercado de trabalho é o que mais inquieta os jovens viseenses. “Os jovens são aqueles que estão a sofrer mais porque tiram um curso, saem e não têm

qualquer oportunidade”, disse Paulo Agante, um dos líderes do movimento de Viseu. Ao protesto, juntaram-se pais e avós que também dizem também estar “à rasca”. “A geração à rasca não é só uma geração, são várias. Há muitas pessoas no desemprego e por isso convidámos todos a estarem presentes. Estamos todos no mesmo ponto e queremos todos fazer parte da mudança”, reforçou. A ma nifestação em Viseu correspondeu às expectativas do movimento. O protesto da “geração à rasca”, de Viseu, terminou com um cordão humano à volta da Câmara Municipal. “Assim mostramos que es-

ta mos un idos”, disse um manifestante. O protesto foi pacífico e ordeiro como prometido. Depois do protesto. Passado o protesto é altura de perguntar, e agora? O Jornal do Centro questionou a organização de Viseu. “Nesta fase estamos ainda a definir estratégias”, disse Kátia Outeiro. “Estamos a reajustar o tempo de cada um para podermos analisar os problemas e a solução propostos por cada um, bem como as mensagens das pessoas que, por diversos motivos, não puderam estar presentes, mas fazem questão de expor o seu problema e propor uma solução”, reforçou. Quanto ao “Fórum das

Gerações - 12/3 e o Futuro”, criado pela organização de Lisboa, para debater e apresenta r propostas em concreto, a organização de Viseu não foi contactada. Ainda assim, af irma que está atenta. “Podemos vir a aderir, se acharmos que é válido e importante para a construção de um país melhor e menos precário. Para já vamos preocupar-nos em interpretar dados concretos dos viseenses, essencialmente, os que participaram na manifestação, para debater com precisão o tema da precariedade”. A luta continua, disse a organização em jeito de conclusão. Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt


19 e 20

MARÇO Provas Gastronómicas Oficina de «Prova de Vinhos» Show Cooking

Feira de Artesanato e Coleccionismo Escolinha do Queijo Música Tradicional Animação de Rua Concurso «Doçarias c/ Queijo da Serra» e Seus Derivados


Jornal do Centro

12 REGIÃO | VISEU

18 | Março | 2011

PSD Viseu lança site Emília Amaral

Casa do Miradouro reabre em Setembro Em 19 de Setembro de 1896 nasceu ali Azeredo Perdigão, presidente da Fundação Calouste Gulbenkian. Cento e catorze anos depois, a Casa do Miradouro, na zona histórica de Viseu está a sofrer uma recuperação profunda para receber a “Colecção Arqueológica do Dr. José Coelho”, que passará a fazer parte da futura rede municipal de museus. O presidente da Câmara Municipal, Fernando Ruas visitou as obras de recuperação do edifício brasonado do século XVI e anunciou que estará pronto para abrir as portas em

Publicidade

Apoio:

Emília Amaral

Aproveitamento∑ Colecção Colecção Arqueológica do Dr. José coelho

A

Autarca de Viseu anunciou a concessão de um bar e esplanada nos jardins Setembro, antecipando o prazo previsto que indicava o mês de Abril de 2012 para o fim dos trabalhos. “Fez-se uma interven-

ção que ronda os 700 mil euros. Um investimento com algum significado, mas gostaria de chamar a atenção para o valor histó-

rico deste edifício. Os jardins são da autoria do arquitecto italiano Francesco de Cremona um nome com muita ligação a Viseu já que também foi autor dos jardins renascentistas do Fontelo e do Paço Episcopal”, adiantou Fernando Ruas. O espaço, além da colecção de arqueologia vai continuar a servir de sede à Sociedade de Reabilitação urbana. Mas, com vista a tornar o espaço mais atractivo, o presidente anunciou a concessão de um bar com esplanada nos jardins. Emília Amaral

Publicidade

www.psd-viseu.com é o novo sitio da comissão política do PSD de Viseu. O espaço já online, foi apresentado na sexta-feira, dia 11, durante uma conferência sobre a “importância da sociedade do conhecimento e informação na vida das instituições”. O presidente do PSD Viseu, Guilherme Almeida afirmou que a nova ferramenta faz parte de um projecto que visa “tornar o PSD Viseu mais dinâmico, mais plural, mais participativo e de fazer uma ligação mais directa aos cidadãos através de uma cidadania activa”. Do novo espaço do PSD Viseu na internet faz par-

te um blogue “para possibilitar às pessoas participar com as suas preocupações e sugestões, explicou o dirigente do PSD. A página dispõe ainda de quatro observatórios (Observatório Estratégico de Viseu, Observatório do Poder local, Cidadania Activa, Tertúlias Temáticas) e outras plataformas de informação, com artigos de opinião e iniciativas promovidas pelo partido a nível local e nacional. “Queremos que seja um site interactivo. Através dele é possível visualizar muito do trabalho que andámos a desenvolver nos últimos anos”, concluiu. EA


Jornal do Centro

VISEU | SÁTÃO | TAROUCA | REGIÃO 13

18 | Março | 2011

dias

DETIDO

Viseu. A PSP de Viseu deteve um homem de 33 anos, suspeito de ter burlado um lojista a quem queria vender um f io por 700 euros, alegando tratar-se de ouro verdadeiro. O episódio aconteceu na passada terçafeira. O indivíduo esta já referenciado pelas autoridades por prática de crime semelhante nas cidades de Mirandela, B ra g a nç a , V i l a Re a l , Braga e Chaves.

ACIDENTE

Sátão. Uma mulher e os dois filhos menores ficaram feridos quando o carro em que seguiam colidiu com outro veículo na EN229, em Brufe, concelho de Viseu. O acidente ocorreu na passada sexta-feira, pelas 19h30. O desastre deu-se numa cur va e causou a inda ferimentos graves na outra condutora. Os sinistrados foram assistidos pelos Bombeiros Voluntários de Sátão e transportados ao Hospital de S. Teotónio, em Viseu.

DIPLOMAS

Viseu. Cento e trinta e três (133) adultos do Centro Novas Oportunidades da Escola Secu ndária Alves Martins de Viseu receberam o diploma que prova que concluíram com sucesso o curso de educação e formação para adultos Básico e/ou Secundário durante o ano de 2010.

O Centro Novas Oportunidades da escola aumentou o número de adultos certificados, de 115 adultos nos primeiros quinze meses, para 133 nos últimos doze meses de 2010. Neste momento, estão em processo de reconhecimento no centro cerca de 120 adultos. Estão igualmente a frequentar o centro, cerca de 100 adultos nas áreas de Higiene e Segurança, Legislação Laboral, Inglês e Informática. Contas feitas, 1200 adultos já se inscreveram naquele Centro, o que, para a direcção da escola “constitui uma procura significativa desta nova oferta”.

INTOXICADOS

Tarouca. Três jovens, entre os 15 e os 20 anos, ficaram intoxicados na sua residência em Tarouca. O sinistro ocorreu na passada quinta-feira, pelas 13h50. Na origem da intoxicação terá estado monóxido de carbono proveniente de um esquentador. As vítimas foram transportadas para o Hospital de Lamego.

JULGAMENTO

Viseu. O Ministério Público de Viseu pede cinco anos de prisão, com pena suspensa para o marido de uma professora que em Janeiro de 2009 terá esfaqueado o aluno Fábio Melo à porta da Escola Secundária Emídio Navarro. O acórdão é lido a 7 de Abril.

Emília Amaral

7

Comissão anuncia marchas lentas

A Comissão de Utentes das auto-estradas A25, A23 e A24 anunciou na quartafeira várias marchas lentas e buzinões contra a inPublicidade

trodução de portagens naquelas auto-estradas, até agora sem custos para o utilizador (SCUT). O porta-voz da comissão, Francisco Almeida anunciou em conferência de imprensa que serão realizados buzinões na Covilhã (18 de Março), Fundão (21), Castelo Branco (24) e Viseu (25), coincidindo as duas últimas ini-

ciativas com a entrega de assinaturas nos governos civis. O dirigente acrescentou que as acções visam “mobilizar as populações para a acção de luta convergente”, que incluirá marchas lentas nas três auto-estradas, no dia oito de Abril. E admitiu que os protestos poderão subir de tom caso o Governo mantenha

a intenção de avançar com portagens a partir de 15 de Abril. A Comissão de Utentes tem a correr uma petição e anunciou que já reuniu 32.486 assinaturas. “551 correspondem a subscrições de entidades colectivas, empresas, Juntas de Freguesia, Câmaras Municipais e associações diversas”.


Jornal do Centro

14

18 | Março | 2011

economia Clareza no Pensamento (http://clarezanopensamento.blogspot.com)

O novo código contributivo

DR

Uma abordagem sobre as novas regras contributivas para a Segurança Social, em vigor desde 1 de Janeiro de 2011. O novo Código Contributivo que regula as contribuições para a Segurança Social entrou em vigor no dia 1 de Janeiro de 2011. Devido às dúvidas que o mesmo tem suscitado, apresentam-se alguns esclarecimentos que poderão ser úteis, tanto para as empresas como para os trabalhadores independentes (trabalhadores independentes, ver artigo integral em www. jornaldocentro.pt).

A A instituição declarou insolvência em Fevereiro

Cooperativa de Nelas chamada à assembleia de credores Espectativas ∑ Maioria dos sócios ainda acredita numa recuperação Esta sexta-feira decorre a assembleia de credores da Cooperativa Agrícola de Nelas (CAN), no tribunal local, às 10h30. O encontro decorre cerca um mês e meio depois de ter sido declarada insolvência da cooperativa. Fundada em 1950, a CAN viu-se a braços com uma dívida de cerca de dois milhões de euros sendo

obrigada a terminar a sua actividade. Uma decisão que não foi bem aceite pela maioria dos sócios. Lúcia Neves admitiu ao Jornal do Centro no final de Fevereiro que um grupo de sócios estudava a possibilidade apresentar um plano de viabilidade para a cooperativa antes mesmo da assembleia de credores, mas nada está concretizado.

A sócia admite “uma divisão nos sócios”, mas alimenta expectativas para a reunião de hoje no sentido de que seja dado “direito de voto aos sócios credores”, para poderem votar “a favor da recuperação” da cooperativa. “Todos nós acreditamos na recuperação”, sublinha. A CAN dispunha actualmente de 11 trabalhadores e cerca de 500

sócios. Chegou a ser uma referência no Dão, m a s hoje está a braços com um problema que se estende a muitas adegas cooperativas do país. Os sócios têm-se mostrado revoltados com a situação a que chegou a cooperativa e acusam a direcção de “má gestão”. Emília Amaral emilia.amanaral@jornaldocentro.pt

EDP investe 80 mil euros em Tabuaço A EDP investiu 80 mil euros na rede de distribuição de energia eléctrica em duas localidades do concelho de Tabuaço. Em Lage do Mato foi instalado um novo posto de transformação (PT) e seis novos apoios numa

nova linha de média tensão com uma extensão de 730 metros. Em Arcos, a intervenção contemplou, um novo PT, a colocação de cinco postes de baixa tensão e a aplicação de 170 metros de cabo torçado.

Empresas (Entidades contributivas). Apresentam-se as principais alterações para as empresas, na qualidade de Entidades Contribuintes: - A inscrição de trabalhadores na Seg-Social, deverá ser efectuada nas 24 horas anteriores ao início do contrato de trabalho, exceptuam-se os contratos de muito curta duração ou por turnos, que poderá ser efectuada 24 horas após o início do contrato. - A entrega das declarações de remunerações na Seg-Social deverá ocorrer até ao dia 10 do mês seguinte, efectuando-se o respectivo pagamento entre dia 10 e o dia 20 de cada mês. - As remunerações aos membros dos órgãos estatutários (gerentes/administradores) passam a estar sujeitas às seguintes taxas: 20.30% a cargo da entidade contributiva e 9.30% a cargo do membro do órgão estatutário. - Para além das remunerações que já estavam sujeitas à taxa contributiva para a Seg-Social, passam igualmente a estar sujeitas à incidência contributiva, nos termos previstos no do Código do IRS, as seguintes retribuições: - Subsídio de refeição atribuído em dinheiro ou títulos de refeição (*)

-Ajudas de custo, abonos de viagem, despesas de transporte (*) (**) - Despesas de representação não apresentadas até final do exercício (**); -Abono para falhas (*) (**); -Despesas pela utilização de viatura que gere encargos para a entidade empregadora (**); -Compensações por cessação de contrato, quando por acordo das partes e em situações que originem o pagamento do subsídio de desemprego (*) (**) (*) – A isenção da incidência nestas retribuições obedece aos mesmos limites consignados no Código do IRS. (**) – Estas retribuições são consideradas de forma faseada, ou seja: 33% em 2011, 66% em 2012 e 100% em 2013. - Para os contratos por tempo indeterminado, a taxa contributiva da entidade empregadora terá uma bonificação de 1%, já os contratos a termo certo sofrerão um agravamento da taxa em 3%.(só terão aplicação a partir de 2014) - A utilização de automóvel da empresa pelo trabalhador será incluída na base de incidência de contribuição para a S.S.. A definição da utilização será efectuada através de acordo escrito, no qual conste a afectação permanente da viatura a determinado trabalhador todos os dias da semana incluindo sábado e domingo. - Não estão sujeitas a contribuições as seguintes retribuições: compensação pelo não gozo de férias; subsídios eventuais para assistência médica e medicamentosa; subsídios para compensação de encargos familiares (lar idosos, jardins infância, creches e apoio social); indemnizações judiciais; desconto na compra de acções. - As Senhas de presença passam a estar sujeitas para a base de incidência. Artigo integral Online


Jornal do Centro

ECONOMIA | NEGÓCIOS 15

18 | Março | 2011

MENUS EXECUTIVOS NA POUSADA DE VISEU A Pousada de Viseu acaba de lançar os “menus executivos”, como forma de promover “ao almoço a gastronomia típica da região”. A proposta, disponível durante a semana, visa oferecer uma “refeição requintada num espaço histórico” a um preço convidativo de 12,50 euros por pessoa. “Saboreia-se um prato especial cada dia, desde u m del icioso creme de cenoura com amêndoa, bacalhau à braz e vitela estufada à Lafões, ao tradicional caldo verde, polvo à lagareiro e frango do campo na púcara”. Algumas das propostas da semana.

MINISOM COM CAMPANHA EM VISEU A empresa portuguesa especialista em audição e aparelhos auditivos Minisom termina esta sexta-feira, dia 18 uma campanha de promoção de saúde auditiva através da realização de rastreios nas suas lojas do país. Em Viseu, a campanha decorre no Centro MiniSom da Rua D. Francisco Alexandre Lobo, onde especialistas qualificados se disponibilizam para diagnosticar eventuais problemas de audição.

Viseu arranca programação regular da Regiões TV Estreia∑ Na segunda-feira deu-se início ao projecto com horário de segunda a sexta Com uma entrevista ao Bispo de Viseu, D. Ilídio Leandro e a presença do Grupo Coral Similá da Boaldeia, no programa “Sociedade Anónima”, foi dada a partida na segunda-feira, para Viseu passar a dispor de uma programação regular em televisão, através da Regiões TV, canal 88 da Zon e 19 da Cabovisão ou em www.rtv.com.pt. Em Dezembro do ano passado a produtora de Viseu Videomatriz formalizou um acordo com o canal RTV - Regiões que permite gerir a delegação de Viseu do canal de televisão do Porto na

área de conteúdos e produção. Desde segunda-feira que a programação regular está disponível de segunda a sexta-feira entre as 14h30 e as 15h30, com repetições ás 02h00 e às 8h30. É com enorme satisfação que podemos anunciar que o Audiovisual em Viseu assume com carácter de permanência, um espaço que por direito próprio foi conquistado, com o empenhamento e o entusiasmo de uma vasta equipa consubstanciada na Videomatriz, lia-se na newsletter de segunda-feira.

Ginásio FFitness com aulas abertas O ginásio FFitness Health Club de Viseu vai promover aulas abertas este fim-desemana nas suas instalações em Vildemoinhos. O evento gratuito e aberto a toda a população vai disponibilizar uma aula de body dance, às 10hoo e aula de body combat e cycling, às 16h30. As aulas vão contar com

professores convidados do FFitness de Gaia.

Publicidade

!!!EXCELENTENEGÓCIO !!! (CedênciadeQuotas) RESTAURANTE/CERVEJARIAMUITOCONCEITUADA EMVISEU! Espaço moderno, simpático, com muita madeira e bastanteluznatural(3frentestodasenvidraçadas), magnificorelvadoparacolocaçãodeesplanada. Espaço com uma sala principal com 92 lugares sentados,eoutramaisreservada;ambasadequadas paragrupos. Ambientebastanteagradáveleseleccionado. Serviço com pratos exclusivos e idênticos aos das principais Cervejarias Nacionais (As respectivas FichasTécnicasestãoincluídasnonegócio.). Motivo: Incompatibilidade entre a vida Familiar e Profissional. O valor será divulgado a quem mostrar interesse nestaEXCELENTEOPORTUNIDADEDENEGÓCIO!

CONTACTO:962723772

A Viseu pode ver no canal 88 da Zon e 19 da Cabovisão O projecto aposta em “histórias que marcam a Região” e promete “gente nova, caras novas, gente de Viseu, com temas que interessam aos viseenses

Publicidade

e que é importante divulgar ao todo nacional”.

Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

VIA VERDE ABRE LOJA EM VISEU A Via Verde abriu esta semana um espaço em Viseu, na Loja do Cidadão. A nova loja integra-se num projecto da empresa para reforçar a sua rede “com vista a um melhor atendimento aos clientes”, nomeadamente com a prestação de uma solução para o pagamento de portagens nas exSCUT. A Via Verde conta actualmente com 2,6 milhões de clientes, podendo o seu serviço ser utilizado para o pagamento de portagens, parques de estacionamento, postos de combustível (Galp) e McDrives da cadeia McDonald’s. A e m p r e s a disponibiliza ainda uma linha de apoio ao cliente (707 500 900) para eventuais informações e pedidos de esclarecimento.


17

Jornal do Centro 18 | Março | 2011

desporto Visto e Falado

AGENDA FIM-DE-SEMANA II DIVISÃO NACIONAL SÉRIE CENTRO

Vítor Santos vtr1967@gmail.com

24ª jornada - 20 Mar - 15h00 Cesarense Sp. Espinho Aliados Lordelo Tondela Tourizense Anadia Boavista Sp. Pombal

Futebol Cinfães e Penalva

Futebol Académico de Viseu

23ª jornada - 20 Mar - 15h00 Silgueiros Santacomba Nelas Sp. Lamego Carvalhais Sátão GD Parada Abraveses

Toque a reunir em Tondela

o. o.

Ralis

rá complicar, e muito, as contas dos tondelenses. Coimbrões, Boavista, Sertanense e Gondomar, estão à espreita da escorregadela do líder da série Centro da II Divisão. A derrota em Gondomar (3-2), num jogo em que foi para o intervalo a vencer por 2 a 0 - golos de Diogo Torres e Paulo Ferreira vem colocar sobre pressão a equipa do Tondela. Esta partida, frente ao

Alvite Viseu e Benfica Paivense C. Senhorim Molelos Lusitano Tarouquense Lamelas

1ª jornada - 20 Jan - 15h00

Futebol - II Divisão Nacional Série Centro

Sem tempo para “lamber as feridas” da derrota em Gondomar, o Tondela tem pela frente este domingo um desafio que poderá ser decisivo para as suas aspirações. Frente ao Padroense, a formação de Filipe Moreira volta a colocar a liderança em jogo. Uma vitória pode deixar o adversário a cinco pontos, mas outro resultado que não seja o triunfo pode-

-

I DIVISÃO NACIONAL FEMININO FASE FINAL

A Filipe Moreira quer o apoio dos adeptos do Tondela

Padroense, actual segundo classificado com menos dois pontos, encerra um ciclo de jogos de grau de dificuldade muito elevado. O Tondela sabe que vencer este domingo, poderá deixar a equipa em muito boa posição para os restantes seis jogos, até porque já defrontou todos os potenciais concorrentes, enquanto os seus adversários ainda terão que se defrontar entre si, o que

Cadima 1º Dezembro

-

Leixões Escola FC

II DIVISÃO NACIONAL FUTSAL SÉRIE A 18ª jornada - 19 Mar

Tondela∑ Liderança em jogo frente ao Padroense Cartão Verde Era o jogo da época para o Ac. Viseu. Ao vencer o seu opositor directo a equipa, agora, treinada por Manuel Matias consegue um objectivo muito importante: disputar a fase de subida. A manutenção na 3.ª divisão está garantida e é um factor que deve trazer estabilidade ao clube. A 4 pontos de distância do líder, tudo pode acontecer.

Pampilhosa Esmoriz Eléctrico Padroense Gondomar Coimbrões Sertanense União Serra

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL VISEU DIVISÃO HONRA

Gil Peres

Cartão FairPlay É o Cinfães a equipa do distrito melhor posicionada para ganhar um lugar de garanta a subida de divisão. A equipa de Migueli não tem vacilado e demonstra ser muito competitiva. Após o susto da época anterior está agora numa posição invejável. Viseu precisa de mais equipas assim que lutem sempre, sem hipotecar o clube, pelos lugares cimeiros das classificações. O Penalva do Castelo fez uma época regular e atinge o seu objectivo com alguma naturalidade.

-

poderá jogar a favor do Tondela. Para o jogo deste domingo, espera-se casa cheia no Estádio João Cardoso. É a hora de todas as decisões. Consciente que o apoio dos adeptos pode fazer a diferença, a direcção do Tondela apela à presença maciça no jogo deste domingo. Gil Peres gil.peres@jornaldocentro.pt

Fabrício Lopes e Pedro Vaz

Covão Lobo Bom Pastor Junqueira Chaves Futsal Boavista Foz

-

Nogueiró Sp. Braga Lamas Futsal Viseu Futsal Lameirinhas Académica

III DIVISÃO NACIONAL FUTSAL SÉRIE B 18ª jornada Vale de Cambra -

Gafanha

AJAB Tabuaço -

Monste Pedras

Pinheiro Cohaemato

-

ABC Nelas Ossela

Crecor

-

Leça

Futsal Azemeis -

Rio Moinhos

Open de Ralis - Rota do Medronho

Fabrício Lopes acabou fora da estrada Uma travagem falhada numa zona suja do asfalto acabou com as aspirações de Fabrício Lopes no Rali Rota do Medronho, prova pontuável para o Open de Ralis. É u m i n ício de épo ca azarado para o piloto viseense no Desafio Modelstand. Depois de uma caixa de velocidades

partida praticamente no início do Rali de Barcelos, agora em Proençaa-Nova, Fabrício Lopes saíu de estrada durante a segunda Prova Especial de Classificação (PEC). “Numa zona de travagem, apanhamos muita areia no alcatrão, devido à chuva. Travámos e não foi possível manter o car-

ro na estrada. Apesar dos danos não serem muitos, não conseguimos pôr o carro a andar e ficámos ali mesmo”, referiu Fabrício Lopes, visivelmente desiludido com a segunda desistência, em dois ralis do Modelstand. A próxima prova é o Rali Vidreiro que se disputa dia 9 de Abril. GP

Gil Peres

Cartão Amarelo A dupla viseense voltou a não ter sorte no Desafio Modelstand. Uma saída de estrada na segunda Especial de Classificação no Rali Rota do Medronho, levou à desistência prematura do Peugeot 206 GTI. Fabrício Lopes ainda não marcou pontos, esperando-se que nos próximos ralis isso possa suceder naturalmente. A dedicação e qualidade são marcas desta equipa de pilotos. Melhores dias virão.

A Piloto viseense desistiu na segunda PEC


D “O que há mais são homens”

18

culturas expos

Arcas da memória

Destaque

O galo na cultura popular - I

∑Acert Até dia 22 de Março Exposição “Em Nenhum

À meia-noite se levanta o francês; Sabe das horas, não sabe do mês… Do dizer popular

Lugar”, de André Silva. OLIVEIRA DO HOSPITAL

MANGUALDE

∑ Biblioteca Municipal Até dia 31 de Março Exposição de pintura do autor mangualdense R. Neves. LAMEGO

∑ Museu de Lamego Até dia 3 de Abril

Tiago Virgílio Pereira

∑ Biblioteca Municipal Até dia 31 de Março naval 2011”

A Apresentação do retrato de um dos maiores horrores da história mundial

“Shoah”, em exposição no IPJ

Exposição de escultura de João Ferreira. S. PEDRO DO SUL

∑ Cineteatro S. Pedro Até dia 31 de Março Exposição “Olha para a Pobreza com Olhos de Ver”. VILA NOVA DE PAIVA

∑ Auditório Municipal De 19 a 21 de Março Exposição “Viva a República… em digressão”.

Temática ∑ Holocausto sofrido durante a II Guerra Mundial Está patente a exposição de fotografia “Shoah”, no Instituto Português da Juventude (IPJ), de Viseu, até dia 15 de Abril. “Shoah” é a expressão hebraica que significa catástrofe. A exposição retrata o genocídio perpetrado pelos nazis e seus aliados contra os judeus, maioritariamente, durante a II Guerra Mundial. Numa viagem à Polónia António Nunes Farias e Mário Raposo, autores da exposição e

jornalistas da RTP, visita ra m dois ca mpos da morte (Auschwitz e Treblinka) e a cidade de Varsóvia. Nelas constataram as marcas de horror, medo e terror, que a i nda hoje perdu ra m nestes locais. “Há pessoas que diz em que a i nd a c heira a morte”, contou António Farias, apesar do holocausto ter-se registado há 70 anos. Mário Raposo f icou “horrorizado”, no pri-

meiro contacto com o campo de concentração e museu de Auschwitz. “Shoah” está em “digressão” pelo país e já foi vista por mais de sete mil jovens e professores. Na inauguração da exposição estiveram presentes Mig uel Nascimento, director regional do centro do IPJ e Miguel Ginestal, Governador Civil do Distrito de Viseu.

(M6) (Digital) Sessões diárias às 13h50, 16h50, 19h10, 22h00, 00h15* 127 Horas (M12) (Digital)

(Dom.), 13h40, 16h10, 18h40, 21h10, 00h00* Guerreiros do Amanhã (M12) (Digital)

Sessões diárias às 14h20, 16h50, 19h25, 21h50, 00h30* Sou o Número Quatro (M12) (Digital)

roteiro cinemas

VISEU FORUM VISEU (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 21h50, 00h20* Indomável (M12Q) (Digital)

Sessões diárias às 11h10 (Dom.), 14h10, 16h30, 18h50, 21h40, 00h30* The Mechanic - O Profissional (CB) (Digital) Sessões diárias às 11h20 (Só Dom.), 14h00, 16h20, 19h00 Rango VP

18 | Março | 2011

A peça de teatro “O que há mais são homens”, pelo Teatro Olimpo de Ansião - Coimbra, está em exibição, amanhã, às 21h00, no auditório do IPJ, em Viseu.

TONDELA

Exposição “Fatos de Car-

Jornal do Centro

Sessões diárias às 11h30 (Dom.), 14h50, 17h10, 19h20, 21h30, 23h50* Gnomeu e Julieta (CB) (Digital 2D) Sessões diárias às 13h30, 16h00, 18h30, 21h20, 00h10* Os Agentes do Destino (M12) (Digital) Sessões diárias às 11h00

PALÁCIO DO GELO (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 21h20, 23h50* Cisne Negro (M12 (Digital) Sessões diárias às 11h20 (Só Dom.), 13h10, 15h10, 17h00, 18h55 Zé Colmeia VP (M4) (Digital 3D)

Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Sessões diárias às 11h10 (Só Dom.), 14h00, 16h10, 18h10, 21h00, 23h30* Gnomeu e Julieta (CB) (Digital 3D) Sessões diárias às 11h00 (Só Dom.), 13h30, 16h00, 18h40 Rango VP (M6) (Digital)

No quadro das culturas antigas e no universo rural o galo é um apreciado animal sempre presente na domesticidade da casa de lavrador, tal como o porco, e ali cumpre, ainda que de diferente forma, missão multifacetada. É, em primeiro lugar, o macho das galinhas e o fecundante acto de “galar” irá permitir à lavradeira a recolha dos ovos fecundos das melhores galinhas poedeiras para os “deitar”, isto é, colocar em adequado ninho onde uma galinha “choca” os irá acalentar durante um determinado tempo até à eclosão dos pintainhos. O galo é o despertador encartado de todas as madrugadas, a voz sonorosa que trespassa, benquista, o silêncio da aldeia, magnífico anunciador do dia claro, convidativo estímulo, no seu último cantar, quando pressente o raiar da aurora, para esse levantar da vida que se gera dentro da morada com o acender do lume, o aquecer da vianda do porco a cevar, o jungir dos bois, o mata-bicho dos homens rogados para a jorna que entrementes se vai iniciar. O galo é sempre

Sessões diárias às 21h10, 23h40 Rango VO (M6) (Digital) Sessões diárias às 14h50, 17h10, 19h15, 22h00, 00h10 Época das Bruxas (M16)(Digital) Sessões diárias às 13h45, 16h20 19h05, 21h40, 00h20* O Discurso do Rei (M12Q) (Digital) Legenda: * Sexta e Sábado

Alberto Correia Antropólogo aierrocotrebla@gmail.com

orgulho de uma dona. Heráldica assumida, no chão do quinteiro resguardado, da honra da família fundada no trabalho. Como o bom porco cevado. Como a junta dos bois que vai à feira para vender. Sabe a dona, o galo não, do destino que há mil anos lhe está traçado como nas “tribos” antigas onde havia, em jeito de ritual sagrado, a morte assumida do seu rei. No geral acontece no Verão solsticial quando as romarias tomam corpo pelos ermos povoando por um dia o chão deserto das capelas. Viva a romaria! Estendem-se brancas toalhas de linho à sombra calma dos pinheiros. Pão e vinho. A música ao longe, num coreto, a tocar. Armados ainda na capela, os andores, terminada a procissão. Duas moedas por esmola colocadas na bandeja, o “registo” do santo que um mordomo entrelaça no chapéu. Vendedoras de flores de papel de namorados. Pão alvo de trigo, por um dia. E o galo perfumando o ar no merendeiro. O dia findo. Outro rei ocupa o velho trono num poleiro. E o cantar da madrugada ei-lo vivo outra vez!...

Estreia da semana

Sou o Número Quatro–

Adolescentes alienígenas tentam adaptar-se à escola na Terra depois do planeta onde viviam ter sido destruído por uma espécie inimiga. No entanto, rapidamente descobrem que estão a ser perseguidos na Terra pela mesma espécie que destruiu o planeta de onde vieram.


D 3º cromo Viseupédia

Jornal do Centro 18 | Março | 2011

CULTURAS 19

Hoje, a partir das 18h30, vai ser apresentado o terceiro cromo Viseupédia, na Empório. A cerimónia vai contar com a presença do autor do texto, Martim de Gouveia e Sousa, a imagem é da Contraluz. O cromo é dedicado a “personalidades”, Judith Teixeira foi a escolhida.

Destaque

Cinema

A Noite da Lusofonia assinala mais um aniversário

ACERT apaga 35 velas com Yami Espectáculo ∑ Yami e Ritinha Lobo prometem animar noite especial A Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT) apaga 35 velas com um sopro insuflado por sons lusófonos. Amanhã, a partir das 23h30, Yami é protagonista de um café-concerto. Cantor, compositor, guitarrista e baixista, Yami dá música no aniversário da ACERT. É o tributo a um grande músico angolano. Nascido em Angola, mas há muito radicado em Portugal, este intérprete traz-nos o sabor mestiço de um caminho artístico singular. Nos seus temas descobrem-

se influências do chorinho e do samba brasileiros, do semba angolano, do zouk das Antilhas, da música moçambicana e cabo-verdiana, do jazz e da pop. Cantando em português e em kimbundo – uma das línguas mais faladas em Angola –, Yami imprime uma identidade moderna e cosmopolita ao universo das suas criações. Do seu percurso, marcado pela edição do álbum “Aloelela”, conta-se uma estreita colaboração com grandes nomes da música portuguesa, dos quais se destacam Carlos do

Carmo, Dulce Ponte e Sara Tavares. Em Tondela, vai ter a seu lado uma convidada muito especial, Ritinha Lobo. Originária de uma família de músicos, integrou o grupo “Mobafuco”, em Cabo Verde, e participa actualmente no projecto “Múxima”, ao lado de Janita Salomá, Filipa Pais, Manuel d’Oliveira e do próprio Yami. Pela forma como canta as suas raízes é uma das vozes cabo-verdianas mais marcantes da actualidade. Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

No sentido de dinamizar o Cine-teatro João Ribeiro, a autarquia de Vouzela volta a apostar em sessões regulares de cinema na programação cultural. As sessões estão marcadas para Sábado e Domingo, às 21h30. Excepto os filmes infantis que, para além da sessão de Sábado, terão uma matiné ao Domingo, pelas 16h00. A primeira sessão está marcada para este fim-desemana de 19 e 20 de Março, com o filme “Entrelaçados”.

Catarina Fernandes

DR

Cinema regressa a Vouzela

Cinema para os mais novos

“A Rede Social” O Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego, exibe o filme “A Rede Social”. A apresentação está marcada para hoje, às 21h30. Certa noite no ano de 2003, o génio da programação e aluno de Harvard, Mark Zuckerberg, senta-se ao computador e começa a trabalhar numa nova ideia. Aquilo que inicialmente era apenas uma mistura de programação e blogging, cedo se tornou numa rede social à escala mundial, que revolucionou a forma de comunicar. Seis anos e 500 milhões de amigos depois, Mark Zuckerberg é o mais novo bilionário da História. Contudo, o sucesso vai trazer-lhe também problemas pessoais e legais.

No âmbito do sentido criativo, o Teatro Viriato, em Viseu, acolhe a iniciativa “O Cinema é Uma Animação”, hoje e amanhã. Esta actividade resulta de uma parceria entre o Teatro Viriato e o IndieJúnior, uma secção do IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema Independente. Esta secção do festival, dedicada aos mais novos, visa contribuir para a formação estético-cultural das crianças e jovens através do cinema . Esta extensão é constituída essencial-

Artes

Os alunos do 12º ano, da turma A, da Escola Secundária Emídio Navarro, em Viseu, estão a desenvolver o projecto “Deixas-me CienciArte?”, no âmbito da disciplina de Área de Projecto. O objectivo é proporcionar e divulgar a arte e a ciência, em diversas formas, para toda a co-

munidade escolar, a outras escolas, bem como a todos os viseenses interessados. A turma do 12º A, dividiu-se em quatro grupos temáticos. O grupo de música, de astronomia, de fotografia e de teatro. O grupo de música já organizou, entre outras actividades, um concerto de Jazz, com Carlos Peni-

nha Quarteto. Para o dia 29 de Abril está prevista uma noite de fados, “Cantas um fado”, no auditório da escola. O grupo de astronomia vai promover tertúlias e conferências. Nos dias seis e sete de Maio, está marcado um acampa mento no A rbutus do Demo, Vila Nova de Paiva. O grupo destina-

do à fotografia vai acompanhar os outros grupos e registar as actividades desenvolvidas. O objectivo é compilar as melhores para apresentar numa exposição fotográfica. No teatro, os alunos continuam os ensaios da peça “Flatland”. A estreia vai ter lugar no XII Festival de Teatro Jovem de Viseu. TVP

Tiago Virgílio Pereira

“Deixas-me CienciAr-te?”

mente por sessões de cinema, curtas metragens, que incluem filmes de animação de todo o mundo. Workshop. Ainda no Teatro Viriato, hoje e amanhã está previsto o workshop “Como se faz um filme?”. Os participantes são convidados a viajar no tempo e a descobrir os episódios históricos que ajudaram a inventar o cinema. Uma viagem que será feita com recurso aos brinquedos ópticos que permitem dar vida e movimento aos desenhos. TVP


Jornal do Centro

20

18 | Março | 2011

saúde Penalva do Castelo protesta contra a falta de médicos A Comissão de Utentes dos Serviços Públicos de Saúde do Distrito de Viseu (CUSPSDV) entrega esta sexta-feira, dia 18, uma petição com mais de mil assinaturas, contra a falta de médicos de família no Centro de Saúde de Penalva do Castelo. “Neste momento, fruto da saída de vários médicos, mais de 30 por cento da população está sem médico de família. Os actuais recusam-se a fazer horas extraordinárias. O que é insuportável e inadmissível”, adianta o núcleo de Penalva do Castelo da CUSPSDV. O Centro de Saúde de Penalva do Castelo, com cerca de oito mil utentes, deveria ter seis médicos

de família. Mas, actualmente o quadro dispõe apenas de quatro médicos, sendo que “na prática estão dois a tempo inteiro”, já que uma clínica está de baixa médica e uma outra profissional em situação “intermitente” de acordo com a comissão de utentes. “O horário de atendimento foi reduzido. O Serviço de Atendimento Permanente (SAP) foi extinto, sendo os doentes urgentes encaminhados para o Hospital de Viseu, o que implica deslocações de, no mínimo 30 quilómetros e nas freguesias mais distantes 50 quilómetros ou mais”, acrescenta a CUSPSDV. No rol de consequên-

Rui Nuno

Abaixo-assinado∑ Comissão de utentes entrega petição Quadro ∑ De seis médicos estão dois a tempo inteiro

A A entrega do abaixo-assinado decorre durante uma concentração, às 10hoo cias, a comissão lembra que “as queixa se avolumam, com pessoas à espera de consulta há mais de um mês, com medicamentos para doenças

crónicas por passar, com desmarcações sucessivas de consultas” e “com dificuldades na obtenção de guias de transporte para tratamentos”.

A CUSPSDV acredita que o grito de alerta seja ouvido esta sextafeira uma vez que a situação de Penalva se “traduz em manifesto

prejuízo para a qualidade do serviço prestado, e lembra que a situação não é de agora. “Em Novembro de 2010, o presidente do Agrupamento de Centros de Saúde Dão Lafões III “assumiu perante a deputada [europeia] Ilda Figueiredo que Pena lva era uma situação preocupante”, recorda António Vilarigues da CUSPSDV. A petição entreg ue esta sexta feira juntase uma moção aprovada por unanimidade na Assembleia Municipal de Penalva do Castelo, contra a falta de médicos no centro de saúde local. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt


Jornal do Centro

SAÚDE 21

18 | Março | 2011

Termas S. Pedro do Sul em pleno

Já começou a época termal em Sangemil Está oficialmente aberta mais uma época termal em Sangemil, freguesia da Lajeosa do Dão, concelho de Tondela. Para assinalar o momento, o executivo camarário de Tondela deslocou-se ao local. “O ano passado registouse um aumento de utentes na ordem dos 15 por cento, contrariando a tendência nacional que registou uma quebra”, começou por dizer Carlos Marta, presidente da Câmara Municipal de Tondela. Segundo o mesmo, é obrigação da autarquia de Tondela e da Tondelviva, empresa que explora as termas, “fazer o possível para melhorar as condições de tratamento e de acompanhamento dos utentes das termas”. Durante a cerimónia de abertura, Carlos Marta anunciou a candidatura ao QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional), para a construção

Tiago Virgílio Pereira

Até 30 de Novembro ∑ Termas são fundamentais no desenvolvimento económico da região

A Carlos Marta “aproveitou” a ocasião para realizar alguns exames de rotina de um novo balneário termal, em frente ao actual. “A Câmara Municipal de Tondela decidiu mandar elaborar um projecto relativo a um novo balneário, para candidatar o mais rapidamente possível”. O investimento estima-se em quatro milhões de euros e é “uma forma de dar um salto qualitativo para o futuro”. As termas de Sangemil “são muito importante para o desenvolvimento económico do nosso con-

celho e da nossa região, por isso esta aposta significativa”, explicou O autarca disse ainda querer aproveitar, na totalidade, as oportunidades de financiamento do QREN. A autarquia prefere a construção de um novo balneário ao invés do melhoramento do actual, isto porque “significaria o fecho, por completo, destas termas durante, pelo menos, um ano, o que seria prejudicial para a activida-

de termal e para o futuro das termas”. Ainda não se sabe o que irá acontecer ao actual balneário quando o novo se erguer. Nas termas de Sangemil também marcaram presença alguns alunos do curso de enfermagem, do Instituto Piaget, que realizaram um rastreio de saúde gratuito.

O maior destino de turismo de saúde e bem-estar do país, as Termas de S. Pedro do Sul têm desde o dia 1 de Março os dois balneários abertos ao público. A estância termal (única com dois balneários) funciona todo o ano com o Balneário Rainha Dona Amélia a funcionar em regime de permanência. Nesta altura está igualmente a operar o Balneário D. Afonso Henriques. A par da medicina termal, as Termas de S. Pedro do Sul disponibilizam nos meses de Março e Abril as curas termais de 14 dias para doenças reumáticas e das vias respiratórias, através de um pacote promocional a partir de 186 euros. O complexo dispõe ainda de termalismo júnior para crianças a partir dos cinco anos, de um serviço de fisioterapia, e de um conjunto de programas de bem-estar até

três dias (programa água vitae, programa vida e energia, programa bemestar revitalizante, programa saúde em forma e packs de bem-estar). Para o sucesso destes programas, a administração das termas considera que em muito contribui a oferta, este ano pela primeira vez, de três hotéis de quatro estrelas “como complemento de atractividade”. “Apenas nos primeiros meses de 2011 [os programas] conhecem um aumento da procura superior a 100 por cento”, adianta a administração em comunicado. De acordo com os números da estância termal, o país tem 2,5 milhões de pessoas com doenças reumáticas e 1,5 milhões com doenças das vias respiratórios. Muitos destes doentes “encontram nas curas termais a solução para a cura ou controlo dessas doenças”. EA

Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Clínica VITAL DENT – Viseu Rua Dr. Azeredo Perdigão, Bloco 6-A – R/C Dtº - Viseu Informa-se que vamos estar encerrados para obras de 18 de Março a 03 de Abril. Os contactos telefónicos de marcação e esclarecimentos estarão disponíveis (mesmo durante as obras) 967531001 – 232415315 – 232436288 Com um NOVO SORRISO, nova imagem, novos equipamentos, novos meios auxiliares de diagnósco, mas com a mesma equipa médica e prossional. Queremos servir melhor todos os que nos procuram e conam em nós.

F. Nogueira Martins Médico Especialista Obstetrícia e Ginecologia NOVAS INSTALAÇÕES Quinta do Seminário Lt. 10 Marcações: 232 426 021


Jornal do Centro

22 SAÚDE

18 | Março | 2011

Acções em movimento Rastreio em Sátão Mês da saúde oral O projecto Viseu em Movimento - Gerações Saudáveis 2011 da Câmara Municipal está a promover acções de sensibilização e rastreios em escolas e centros sociais do concelho, tal como anunciado no início do ano. Uma iniciativa conta com o apoio da Unidade Móvel de Saúde, do Ag r upa mento de Centros de Saúde Dão Lafões I e das escolas

superiores de saúde locais. As acções constam de recolha de saliva, pesagens e medição, e de actividades interactivas relacionadas com os temas do projecto. As iniciativas têm a particularidade de envolverem a os a lu nos das escolas a a população local. Esta semana decorreram acções em Torredeita e Vila Chã do Monte.

Uma unidade móvel de mamografia do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro vai estar junto aos Bombeiros Voluntários de Sátão disponível até meados de Abril, para efectuar o exame mamográfico digital (mamografia). O rastreio ao cancro da mama está a funcionar de segunda a sexta-feira, entre as 9h00 e as 12h30, as 14h00 e as 17h00.

O programa está aberto à população feminina entre os 45 anos e os 69 anos, residente no concelho de Sátão, sendo que as mulheres inscritas no centro de saúde local são convocadas por carta para efectuar o rastreio.

Tratamos-lhe da Saúde... Todos os dias!

232 437 461 Apresente os seus serviços aos nossos leitores

Março é para a Colgate e para a Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD) o “Mês da Saúde Oral”. A iniciativa vai já na décima segunda edição. Durante o mês, médicos dentistas e estomatologistas de todo o país, farão rastreios dentários gratuitos (sem tratamentos ou radiografias) à população, visando sensibilizar os portugueses para a im-

portância da higiene e saúde oral. Os objectivos da campanha centram-se em prevenir doenças da boca, como as cáries, a sensibilidade dentária ou a gengivite, e aferir o estado da saúde oral em Portugal. Os interessados em fazer um rastreio dentário gratuito podem recolher informações sobre o consultório aderente mais conveniente, através da “linha azul” – 808 305 306.


Jornal do Centro

CLASSIFICADOS 23

18 | Março | 2011 QUINTADAMAGARENHA Especialidades Lombinho Pescada c/ Molho de Marisco, Cabrito à Padeiro, Nacos no Churrasco. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Nó 20 A25, Fragosela, 3505-577 Viseu. Telefone 232 479 106 – 232 471 109. Fax 232 479 422. Observações Parque; Serviço de Casamentos. CHURRASQUEIRARESTAURANTESTºANTÓNIO Especialidades Bacalhau à Lagareiro, Borreguinho na Brasa, Bacalhau à Brás, Açorda de Marisco, Açorda de Marisco, Arroz de Lampreia. Folga Quarta. Morada Largo Mouzinho de ALbuquerque (Largo Soldado Desconhecido). Telefone 232 436 894. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes, Festas. RODÍZIOREAL Especialidades Rodízio à Brasileira. Folga Não tem. Preço médio por refeição 19 euros. Morada Repeses, 3500-693 Viseu. Telefone 232 422 232. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado.

RESTAURANTES VISEU RESTAURANTE O MARTELO Especialidades Cabrito na Grelha, Bacalhau, Bife e Costeleta de Vitela. Folga Segunda-feira. Morada Rua da Liberdade, nº 35, Falorca, 3500-534 Silgueiros. Telefone 232 958 884. Observações Vinhos Curral da Burra e Cavalo de Pau. RESTAURANTE BEIRÃO Especialidades Bife à Padeiro, Posta de Vitela à Beirão, Bacalhau à Casa, Bacalhau à Beirão, Açorda de Marisco. Folga Segunda-feira (excepto Verão). Preço médio refeição 12,50 euros. Morada Alto do Caçador, EN 16, 3500 Viseu. Telefone 232 478 481 Observações Aberto desde 1970. RESTAURANTE TIA IVA Especialidades Bacalhau à Tia Iva, Bacalhau à Dom Afonso, Polvo à Lagareiro, Picanha. Folga Domingo. Preço médio refeição 15 euros. Morada Rua Silva Gaio, nº 16, 3500-203 Viseu Telefone 232 428 761. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira) – 6,5 euros. RESTAURANTE O VISO Especialidades Cozinha Caseira, Peixes Frescos, Grelhados no Carvão. Folga Sábado. Morada Alto do Viso, Lote 1 R/C Posterior, 3500-004 Viseu. Telefone 232 424 687. Observações Aceitamse reservas para grupos. CORTIÇO Especialidades Bacalhau Podre, Polvo Frito Tenrinho como Manteiga, Arroz de Carqueja, Cabrito Assado à Pastor, Rojões c/ Morcela como fazem nas Aldeias, Feijocas à maneira da criada do Sr. Abade. Folga Não tem. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Rua Augusto Hilário, nº 45, 3500-089 Viseu. Telefone 232 423 853 – 919 883 877. Observações Aceitam-se reservas; Takeway. RESTAURANTE O CAMBALRO Especialidades Camarão, Francesinhas, Feijoada de Marisco. Folga Não tem. Morada Estrada da Ramalhosa, nº 14, Rio de Loba, 3500825 Viseu. Telefone 232 448 173. Observações Prato do dia - 5 euros. RESTAURANTEPORTASDOSOL Especialidades Arroz de Pato com Pinhões, Catalana de Peixe e Carne, Carnes de Porco Preto, Carnes Grelhadas com Migas. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Urbanização Vilabeira Repeses - Viseu. Telefone 232 431 792. Observações Refeições para grupos com marcação prévia. TORRE DI PIZZA Especialidades Pizzas, Massas, Carnes. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Cidade de Aveiro, Lote 16, 3510-720 Viseu. Telefone 232 429 181 – 965 446 688. Observações Menu económico ao almoço – 4,90 euros.

RESTAURANTE CLUBE CAÇADORES Especialidades Polvo à Lagareiro, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito Churrasco, Javali na Brasa c/ Arroz de Feijão, Arroz de Perdiz c/ Míscaros, Tarte de Perdiz, Bifes de Veado na Brasa. Folga Quartafeira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Muna, Lordosa, 3515-775 Viseu. Telefone 232 450 401. Observações Reservas para grupos e outros eventos. SOLAR DO VERDE GAIO Especialidades Rodízio à Brasileira, Mariscos, Peixe Fresco. Folga Terça-feira. Morada Mundão, 3500-564 Viseu. www.solardoverdegaio.pt Telefone 232 440 145 Fax 232 451 402. E-mail geral@ solardoverdegaio.pt Observações Salão de Dança – Clube do Solar – Sextas, Sábados até às 03.00 horas. Aceita Multibanco. RESTAURANTE SANTA LUZIA Especialidades Filetes Polvo c/ Migas, Filetes de Espada com Arroz de Espigos, Cabrito à Padeiro, Arroz de Galo de Cabidela, Perdiz c/ Castanhas. Folga Segunda-feira. Morada EN 2, Campo, 3510-515 Viseu. Telefone 232 459 325. Observações Quinzena da Lampreia e do Sável, de 17 de Fevereiro a 5 de Março. “Abertos há mais de 30 Anos”. PIAZZA DI ROMA Especialidades Cozinha Italiana (Pizzas, Massas, Carnes e Vinhos). Folga Domingo e segunda-feira ao almoço. Morada Rua da Prebenda, nº 37, 3500-173 Viseu Telefone 232 488 005. Observações Menu económico ao almoço. RESTAURANTE A BUDÊGA Especialidades Picanha à Posta, Cabrito na Brasa, Polvo à Lagareiro. Acompanhamentos: Batata na Brasa, Arroz de Feijão, Batata a Murro. Folga Domingo. Preço médio por refeição 12,50 euros. Morada Rua Direita, nº 3, Santiago, 3500-057 Viseu. Telefone 232 449 600. Observações Vinhos da Região e outros; Aberto até às 02.00 horas. COMPANHIA DA CERVEJA Especialidades Bifes c/ Molhos Variados, Francesinhas, Saladas Variadas, Petiscos. Folga Terçafeira. Preço médio refeição 8,50 euros. Morada Quinta da Ramalhosa, Rio de Loba (Junto à SubEstação Eléctrica do Viso Norte), 3505-570 Viseu Telefone 232 184 637 - 962 723 772. Observações Cervejaria c/amplo espaço (120 lugares), fácil estacionamento, acesso gratuito à internet. RESTAURANTE D. INÊS Especialidades Pratos económicos de Carne e Peixe. Folga Domingo. Preço médio refeição 5 euros. Morada Rua Serpa Pinto, nº 54, 3500 Viseu Telefone 232 428 837 – 232 184 900. QUINTA DO GALO CERVEJARIAS Especialidades Grelhados de Peixe e Carne. Folga Domingo. Morada Quinta do Galo, Lt3 | Bairro Stª Eugénia, Lt21, Viseu. Telefone 232 461 790 Observações Aberto até às 2h00. O CANTINHO DO TITO Especialidades Cozinha Regional. Folga Domingo. Morada Rua Mário Pais da Costa, nº 10, Lote 10 R/C Dto., Abraveses, 3515174 Viseu. Telefone 232 187 231 – 962 850 771.

RESTAURANTEBELOSCOMERES(ROYAL) Especialidades Restaurantes Marisqueiras. Folga Não tem. Morada Cabanões; Rua da Paz, nº 1, 3500 Viseu; Santiago. Telefone 232 460 712 – 232 468 448 – 967 223 234. Observações Casamentos, baptizados, convívios, grupos. TELHEIRO DO MILÉNIO QUINTA FONTINHA DA PEDRA Especialidades Grelhados c/ Churrasqueira na Sala, (Ao Domingo) Cabrito e Aba Assada em Forno de Lenha. Folga Sábados (excepto para casamentos, baptizados e outros eventos) e Domingos à noite. Morada Rua Principal, nº 49, Moure de Madalena, 3515016 Viseu. Telefone 232 452 955 – 965 148 341. EÇA DE QUEIRÓS Especialidades Francesinhas, Bifes, Pitas, Petiscos. Folga Não tem. Preço médio refeição 5,00 euros. Morada Rua Eça de Queirós, 10 Lt 12 - Viseu (Junto à Loja do Cidadão). Telefone 232 185 851. Observações Take-away. GREENS RESTAURANTE Especialidades Toda a variedade de prato. Folga Não tem. Preço médio refeição Desde 2,50 euros. Morada Fórum Viseu, 3500 Viseu. Observações www.greensrestaurante.com MAIONESE Especialidades Hamburguers, Saladas, Francesinhas, Tostas, Sandes Variadas. Folga Não tem. Preço médio refeição 4,50 euros. Morada Rua de Santo António, 59-B, 3500-693 Viseu (Junto à Estrada Nacional 2). Telefone 232 185 959. RESTAURANTEROSSIOPARQUE Especialidades Posta à Viseu, Espetada de Alcatra ao Alho, Bacalhau à Casa, Massa c/ Bacalhau c/Ovos Escalfados, Corvina Grelhada; Acompanhamentos: Migas, Feijão Verde, Batata a Murro. Folga Domingo. Morada Rua Soar de Cima, nº 55 (Junto ao Jardim das Mães – Rossio), 3500211 Viseu. Telefone 232 422 085. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira) – sopa, bebida, prato e sobremesa ou café – 6,50 euros. FORNODAMIMI Especialidades Assados em Forno de Lenha, Grelhados e Recheados (Cabrito, Leitão, Bacalhau). Folga Não tem. Preço médio por refeição 14 euros. Morada Estrada Nacional 2, Vermum Campo, 3510-512 Viseu. Telefone 232 452 555. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. RESTAURANTEOPOVIDAL Especialidades Arroz de Pato, Grelhados. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira Lt9 1ª Fase, Viseu. Telefone 232 284421. Observações Jantares de grupo.

RESTAURANTE A COCHEIRA Especialidades Bacalhau Roto, Medalões c/ Arroz de Carqueija. Folga Domingo à noite. Morada Rua do Gonçalinho, 84, 3500-001 Viseu. Telefone 232 437 571. Observações Refeições económicas ao almoço durante a semana. RESTAURANTE CACIMBO Especialidades Frango de Churrasco, Leitão à Bairrada. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua Alexandre Herculano, nº95, Viseu. Telefone 232 422 894 Observações Serviço Take-Away.

PENALVA DO CASTELO O TELHEIRO Especialidades Feijão de Espeto, Cabidela de Galinha, Arroz de Míscaros, Costelas em Vinha de Alhos. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Sangemil, Penalva do Castelo. Observações Sopa da Pedra ao fim-de-semana.

TONDELA RESTAURANTE BAR O PASSADIÇO Especialidades Cozinha Tradicional e Regional Portuguesa. Folga Domingo depois do almoço e Segunda-feira. Morada Largo Dr. Cândido de Figueiredo, nº 1, Lobão da Beira, 3460-201 Tondela. Telefone 232 823 089. Fax 232 823 090 Observações Noite de Fados todas as primeiras Sextas de cada mês. RESTAURANTE SANTA MARIA Especialidades Cozido à Portuguesa, Picanha, Borrego Estufado, Bacalhau Santa Maria. Folga Quarta-Feira. Preço médio por refeição Desde 6,50 euros. Morada Avenida da Igreja, nº 989, Canas de Santa Maria, 3460-012 Tondela. Telefone 232 842 135. Observações Refeições económicas c/ tudo incluído – 6,50 euros; Refeições p/ fora – 5,50 euros.

SÃO PEDRO DO SUL RESTAURANTE QUINTA DO MARQUÊS Especialidades Bacalhau c/ Natas, Rojões à Beirão, Vitela à Lafões, Tiramisú. Folga Domingo (Dezembro a Junho). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Galerias Quinta do Marquês, 2º Piso, Fracção Z (junto ao Pav. Desportivo Municipal e Piscinas), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 723 815. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira). RESTAURANTE O CAMPONÊS Especialidades Nacos de Vitela Grelhados c/ Arroz de Feijão, Vitela à Manhouce (Domingos e Feriados), Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Grelhado c/ Arroz de Miúdos, Arroz de Vinha d´Alhos. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 12 euros. Morada Praça da República, nº 15 (junto à Praça de Táxis), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 711 106 – 964 135 709.

OLIVEIRA DE FRADES OS LAFONENSES – CHURRASQUEIRA Especialidades Vitela à Lafões, Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Casa, Bife de Vaca à Casa. Folga Sábado (excepto Verão). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua D. Maria II, nº 2, 3680-132 Oliveira de Frades. Telefone 232 762 259 – 965 118 803. Observações Leitão por encomenda.

NELAS RESTAURANTE QUINTA DO CASTELO Especialidades Bacalhau c/ Broa, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito à Padeiro, Entrecosto Vinha de Alhos c/ Arroz de Feijão. Folga Sábado (excepto p/ grupos c/ reserva prévia). Preço médio refeição 15 euros. Morada Quinta do Castelo, Zona Industrial de Nelas, 3520-095 Nelas. Telefone 232 944 642 – 963 055 906. Observações Prova de Vinhos “Quinta do Castelo”.

VOUZELA RESTAURANTE O REGALINHO Especialidades Grelhada Mista, Naco de Vitela na Brasa c/ Arroz de Feijão, Vitela e Cabrito no Forno, Migas de Bacalhau, Polvo e Bacalhau à Lagareiro. Folga Domingo. Preço médio refeição 10 euros. Morada Rua Teles Loureiro, nº 18 Vouzela. Telefone 232 771 220. Observações Sugestões do dia 7 euros. TABERNA DO LAVRADOR Especialidades Vitela à Lafões Feita no Forno de Lenha, Entrecosto com Migas, Cabrito Acompanhado c/ Arroz de Cabriteiro, Polvo Grelhado c/ batata a Murro. Folga 2ª Feira ao jantar e 3ª todo o dia. Preço médio refeição 12 euros. Morada Lugar da Igreja - Cambra - Vouzela. Telefone 232 778 111 917 463 656. Observações Jantares de Grupo. RESTAURANTE EIRA DA BICA Especialidades Vitela e Cabrito Assado no Forno e Grelhado. Folga 2ª Feira. Preço médio refeição 15 euros. Morada Casa da Bica - Touça - Paços de Vilharigues - Vouzela. Telefone 232 771 343. Observações Casamentos e Baptizado. www.eiradabica.com

FÁTIMA RESTAURANTE SANTA RITA Especialidades Bacalhau Espiritual, Bacalhau com camarão, Bacalhau Nove Ilhas, Bife de Atum, Alcatra, Linguiça do Pico, Secretos Porco Preto, Vitela. Folga Quarta-feira. Preço médio refeição 10 euros. Morada R. Rainha Santa Isabel, em frente ao Hotel Cinquentenário, 2495 Fátima. Telefone 249 098 041 / 919 822 288 Observações http:// santarita.no.comunidades.net; Aceita grupos, com a apresentação do Jornal do Centro 5% desconto no total da factura.

ADVOGADOS VISEU

ANTÓNIO PEREIRA DO AIDO Morada Rua Formosa, nº 7 – 1º, 3500135 Viseu. Telefone 232 432 588 Fax 232 432 560 CARLA DE ALBUQUERQUE MENDES Morada Rua da Vitória, nº 7 – 1º, 3500-222 Viseu Telefone 232 458 029 Fax 232 458 029 Fax 966 860 580 MARIA DE FÁTIMA ALMEIDA

Morada Av. Dr. Alexandre Alves nº

35. Piso 0, Fracção T - 3500-632 Viseu Telefone 232 425 142 Fax 232 425 648 CATARINA DE AZEVEDO Morada Largo General Humberto Delgado, nº 1 – 3º Dto. Sala D, 3500-139 Viseu Telefone 232 435 465 Fax 232 435 465 Telemóvel 917 914 134 Email catarina-azevedo-5275c@adv. oa.pt CARLA MARIA BERNARDES Morada Rua Conselheiro Afonso de Melo, nº 39 – 2º Dto., 3510-024 Viseu Telefone 232 431 005 JOÃO PAULO SOUSA M o r a d a L g. Genera l Humber to Delgado, 14 – 2º, 3500-139 Viseu Telefone 232 422 666

ADELAIDE MODESTO Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº275 - 1º Esquerdo - 3510047 Viseu Telefone/Fax 232 468 295 JOÃO MARTINS M o r a d a R ua D. A ntón io A lves Martins, nº 40 – 1º A, 3500-078 Viseu Telefone 232 432 497 Fax 232 432 498 ANA PAULA MADEIRA Morada Rua D. Francisco Alexandre Lobo, 59 – 1º DF, 3500-071 Viseu Telefone 232 426 664 Fax 232 426 664 Telemóvel 965 054 566 Email anapaula.madeira@sapo.pt MANUEL PACHECO Morada Rua Alves Martins, nº 10 – 1º, 3500-078 Viseu Telefones 232 426 917 / 232 423 587 - Fax 232 426 344 PAULO DE ALMEIDA LOPES Morada Travessa da Balsa, nº 21 3510-051 Viseu Telefone 232 432 209 Fax 232 432 208 Email palopes4765c@adv.oa.pt ANTÓNIO M. MENDES Morada Rua Chão de Mestre, nº 48, 1º Dto., 3500-113 Viseu Telefone 232 100 626 Email antonio.m.mendes3715c@adv.oa.pt ARNALDO FIGUEIREDO E FIRMINO MENESES FERNANDES Morada Av. Alberto Sampaio, nº 135 – 1º, 3510-031 Viseu Telefone 232 431 522 Fax 232 431 522 Email a-figueiredo@iol.pt e firminof@iol.pt MARQUES GARCIA Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº 218 – C.C.S. Mateus, 4º, sala 15, 3514-504 Viseu Telefone 232 426 830 Fax 232 426 830 Email marques.garcia-3403c@advogados. oa.pt FILIPE FIGUEIREDO Morada Rua Conselheiro Afonso de Melo, nº 31 – 5º, sala 502, 3510024 Viseu Telefone 232 441 235 Telemóvel 964 868 473 Email filipe.figueiredo-5153c@adv.oa.pt FABS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS – RENATO FERNANDES, JOÃO LUÍS ANTUNES, PAULO BENFEITO Morada Av. Infante D. Henrique, nº 18 – 2º, 3510-070 Viseu Telefone 232 424 100 Fax 232 423 495 Email fabs.advogados@netvisao.pt JOÃO NETO SANTOS Morada Rua Formosa, nº 20 – 2º, 3500134 Viseu Telefone 232 426 753 CONCEIÇÃO NEVES E MICAELA FERREIRA – ADVOGADAS Morada Av. Dr. António José de Almeida, 264 – Forum Viseu [NOVAS I NS TA L AÇÕE S], 3510 - 0 43 Viseu Telefone 232 421 225 Fax 232 426 454 BRUNO DE SOUSA Esc. 1 Morada Rua D. António Alves Martins Nº 40 2ºE 3500-078 VISEU Telefone 232 104 513 Fax 232 441 333 Esc. 2 Morada Edifício Guilherme Pereira Roldão, Rua Vieira de Leiria N º14 2430 - 30 0 Ma r i n ha Gra nde Telefone 244 110 323 Fax 244 697 164 Tlm. 917 714 886 Áreas preferenciais Crime | Fiscal | Empresas

MANGUALDE

JOSÉ MIGUEL MARQUES Morada Rua 1º de Maio, nº 12 – 1º Dto., 3530-139 Mangualde Telefone 232 611 251 Fax 232 105 107 Telemóvel 966 762 816 Email jmiguelmarques4881c@adv.oa.pt JOSÉ ALMEIDA GONÇALVES Morada Rua Dr. Sebastião Alcântara, nº 7 – 1º B/2, 3530-206 Mangualde Telefone 232 613 415 Fax 232 613 415 Telemóvel 938 512 418 Email jose.almeida.goncalves-14291l@adv. oa.pt

NELAS

JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges. silva@mail.telepac.pt


Jornal do Centro

24 CLASSIFICADOS IMOBILIÁRIO VENDE-SE Creche/Infantário no centro da cidade. Bom preço. T. 963 101 955 Pizzaria óptima localização, bem equipada, excelente clientela. Bom preço. T. 919 318 355 Casa antiga p/ restauro c/ cave - área coberta 131m2 + 195m2 de logradouro, no centro de Silgueiros. T. 917 239 296 / 962 309 454 T1/T2/T4 - Oliveira de frades - Cond. Privado - a partir de 80.000€ T. 938 729 302 Moradia em pedra para reconstruir com 802m2 de terreno - Fiais - Campia - 35.000€ T. 919 376 451

18 | Março | 2011

Terreno para isolada com 802 m2 - a 5 km da A25 - Vilharigues - Vouzela 24.000€ T. 938 729 302 T3 - Oliveira de frades - Jto aos bombeiros, c/ lugar de garagem, lareira, excelente estado - 90.000€ T. 919 376 451 Armazém na zona industrial - a 8 km da A25 - 464m2 a. coberta + 5000m2 a. descoberta T. 938729302

Vendo total ou parte de Clínica Médica Dentária / Médico-cirúrgica Alvará- a funcionar há 3 anos. Material como novo. Centro Viseu. Vários Gabinetes e Especialidades. T. 967 551 878 / 936 019 709

CARPINTEIROS DE COFRAGEM EXPERIENTES DISPONIBILIDADE IMEDIATA PONTA DELGADA – AÇORES CONTACTO: 918 540 548

Comercial M/F Empresa sediada em Viseu em fase de expansão de negocio no sector do mobiliário e decoração de escritórios, representante de prestigiadas marcas implantadas no mercado, deseja reforçar o quadro de pessoal, admitindo profissional com ou sem experiencia na área comercial, para a região. Requisitos - Habilitações literárias no nível 11º/12º ano - Idade até 45 anos - Formação profissional/experiencia na área de vendas - Forte vocação/aptidão para a actividade comercial - Espírito de equipa - Dinamismo e liderança Oferece-se - Integração na empresa e boas perspectivas de carreira profissional - Formação especifica inicial da actividade - Salário base + comissões + prémios + viatura + despesas - Regalias sociais em vigor na empresa Os interessados deverão enviar currículum com fotografia para o jornal do centro, acompanhado de carta de candidatura manuscrita, no prazo de 10 dias a contar da data de publicação deste anúncio indicando a referência do mesmo. Nota: Á resposta a este anúncio é garantida a confidencialidade no tratamento de informação e no respectivo processo de selecção, sendo dada resposta a todas as candidaturas no prazo de 1 mês.


Dinâmica (Viseu)

do a a Sába d n u g e S De 0h h às 19.0 das 09.00

Av. António José de Almeida, 277 - 3510-047 Viseu dinamica@remax.pt

Tlf.: 232 480 800


Jornal do Centro

26 NECROLOGIA / INSTITUCIONAIS

18 | Março | 2011

José Fernandes Campos, 96 anos, viúvo. Natural e residente em Cabanas de Viriato, Carregal do Sal. O funeral realizou-se no dia 11 de Março, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Cabanas de Viriato.

Maria da Conceição, 84 anos, viúva. Natural e residente em Pedreles, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 12 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Fornos de Maceira Dão.

classificados

Maria de Lurdes Rodrigues Figueiredo Batista, 69 anos, casada. Natural de Lageosa, Tondela e residente em Vinhal, Lageosa. O funeral realizou-se no dia 12 de Março, pelas 10.00 horas, para o cemitério de Lageosa.

Miguel Marques, 86 anos, casado. Natural e residente em Gandufe, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 12 de Março, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Espinho.

4 inserções escolha o seu modelo e categoria a inserir:

Elvira de Sousa Martins, 91 anos, viúva. Natural e residente em Cabanas de Viriato, Carregal do Sal. O funeral realizou-se no dia 13 de Março, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Cabanas de Viriato.

Deolinda de Jesus, 85 anos, solteira. Natural e residente em Moimenta de Maceira Dão, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 16 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Moimenta de Maceira Dão. Agência Funerária Ferraz & Alfredo Mangualde Tel. 232 613 652

Agência Funerária São Brás Carregal do Sal Tel. 232 671 415

compro

Imobilário compro

vendo

Diversos

com foto €15

arrendo

compro

vendo

Emprego vendo

procuro

ofereço

NOME

Glória do Carmo Pereira, 98 anos, viúva. Natural de Bigorne, Lamego e residente em Mezio, Castro Daire. O funeral realizouse no dia 16 de Março, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Bigorne. Agência Funerária Amadeu Andrade & Filhos, Lda. Castro Daire Tel. 232 382 238 Francisco Pinto Bateira, 81 anos, casado. Natural de Santiago de Piães, Cinfães e residente em Vilar de Arca, Piães, Cinfães. O funeral realizou-se no dia 15 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Vilar de Arca. Agência Funerária Irmãos Semblano Cinfães Tel. 256 951 647 Alice Ramos, 85 anos, viúva. Natural do Brasil e residente em Espinho, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 12 de Março, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Espinho.

António Rino Frazão, 59 anos, casado. Natural e residente em Luzinde, Penalva do Castelo. O funeral realizou-se no dia 12 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Luzinde. Mário Santos Almeida Pina, 45 anos, solteiro. Natural e residente em Mangualde. O funeral realizou-se no dia 16 de Março, pelas 17.00 horas, para o cemitério local. Agência Funerária Pais Mangualde Tel. 232 617 097 José Rodrigues Costa, 88 anos, viúvo. Natural e residente em Santiaguinho, S. Vicente de Lafões, Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 14 de Março, pelas 16.30 horas, para o cemitério de S. Vicente de Lafões. Olívia Fernandes Pinheiro, 92 anos, viúva. Natural e residente em Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 17 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitério local. Agência Funerária Figueiredo & Filhos, Lda. Oliveira de Frades Tel. 232 761 252

Tribunal Judicial de Oliveira de Frades Secção Única Rua António José de Almeida - 3680-112 Oliveira de Frades Telef: 232760100 Fax: 232761851 Mail: ofrades.tc@tribunais.org.pt

Nº CONT. MORADA

TLF/TLM QUANTIA (€) VALE POSTAL Nº CHEQUE Nº TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA NIB 0010 0000 26654780001 86 (ANEXAR COMPROVATIVO) Texto do anúncio

António dos Santos, 85 anos, casado. Natural e residente em Quinta das Uchas, Manhouce. O funeral realizou-se no dia 12 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Manhouce. Custódio Gomes, 72 anos, solteiro. Natural e residente em Areeiro, Manhouce. O funeral realizou-se no dia 15 de Março, pelas 11.00 horas, para o cemitério de Manhouce.

1ª Publicação

ANÚNCIO Processo: 281/10.1TBOFR Interdição / Inabilitação Requerente: Maria Alice de Sousa Gomes Requerida: Maria Cremilde Ferreira

Agência Funerária Loureiro de Lafões, Lda. S. Pedro do Sul Tel. 232 711 927

Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal, a acção de Interdição/Inabilitação em que é requerido Maria Cremilde Ferreira, com residência em domicílio: Lar de N," S," dos Milagres - Rua Coronel Neves, 3680119 Oliveira de Frades, para efeito de ser decretada a sua interdição por Anomalia Psíquica. Passei o presente e outro de igual teor para serem afixados.

A Juiz de Direito Dr(a). Mafalda Santos Silva Rio A oficial de Justiça Isabel Almeida

sem foto €10

Automóveis

(Jornal do Centro - N.º 470 de 18.03.2011)

Gracinda do Espírito Santo, 88 anos, viúva. Natural de Ferreira de Aves e residente em Nesperide. O funeral realizou-se no dia 13 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Povolide. Manuel Rodrigues de Sousa, 61 anos, viúvo. Natural de Povolide e residente em Vilar de Ordem. O funeral realizou-se no dia 15 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Povolide. Agência Funerária Decorativa Viseense, Lda. Viseu Tel. 232 423 131

1ª Publicação

1ª Publicação

(Jornal do Centro - N.º 470 de 18.03.2011)

(Jornal do Centro - N.º 470 de 18.03.2011)

Bairro S. João da Carreira, Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lt 10, r/c . 3500 -187 Viseu Telefone: 232 437 461 | Fax: 232 431 225 publicidade@jornaldocentro.pt | www.jornaldocentro.pt


Jornal do Centro 18 | Março | 2011

clubedoleitor

27

DEscreva-nos para:

Jornal do Centro - Clube do Leitor, Bairro S. João da Carreira, Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lt 10, r/c . 3500 -187 Viseu. Ou então use o email: redaccao@jornaldocentro.pt As cartas, fotos ou artigos remetidos a esta secção, incluindo as enviadas por e-mail, devem vir identificadas com o nome e contacto do autor. O semanário Jornal do Centro reserva-se o direito de seleccionar e eventualmente reduzir os originais. Não se devolvem os originais dos textos, nem fotos.

Estado de sítio

OPINIÃO

Somos diariamente bombardeados com notícias dando conta da subida do IVA, do aumento da taxa de desemprego em Portugal, do aumento da dívida pública, ouvimos falar no Programa de Estabilidade Crescimento, no Orçamento de Estado, nas SCUT’s, são até organizadas manifestações contra os cortes nas bolsas de estudo ao Ensino Superior Público. Com tudo isto – e muito mais – dou por mim a questionar-me sobre qual será o meu futuro, tendo em conta a crise que actualmente atravessamos. Mas (somente para raros pensadores), «Portugal não está no fundo»... não, Portugal quanto muito está a caminhar para o fundo! O Fundo Monetário Internacional. País de empresários de sucesso a todos os níveis – depreende-se então que Portugal tenha potencialidades para, no mínimo, ser auto-sustentável – parece contradição afirmar que o que nos falta é um “gestor”. Alguém com capacidade não só para gerir recursos, como também não ceder a tentações. É assim que nascem grandes empresas, e é graças a gestores capazes que actualmente

a Alemanha é a principal potência económica europeia. Uma Alemanha a quem, há 66 anos atrás, a democracia custou bem mais do que a nossa, após as «suicidas» ideias nacionalistas do nazismo hitleriano. Por isso lhe dão o devido valor. Portugal – e os portugueses – pareciam até há bem pouco tempo alhear-se da política. Talvez se continuem alheando, mas agora os sucessivos erros dos sucessivos governos - que de há 15 anos a esta data têm empurrado Portugal para esta crise – começam a ter repercussões em todas as bolsas. E sendo assim, o povo manifesta-se! Sem dúvida que aqueles que têm uma melhor noção, não só do aumento do desemprego como também de oportunidades, são os jovens. Uma “simples” licenciatura é cada vez mais dispendiosa, e em contrapartida menos valorizada por quem emprega. Os jovens precisam de acreditar na política, precisam de interagir com a política, de se envolver activamente nas decisões para o futuro do nosso país, em vez de se absterem de dar uma opinião coerente – ou até

de a ter, sequer! – votando de forma racional para o futuro do país, em vez de elevarem aqueles que em jeito festivalesco têm graça (como “forma de protesto”, dizem), tanta graça que vão fazer rir de nós; quando o mais comum dos cidadãos portugueses nada tem de semelhante com quem quer sobressair numa sociedade que eu considero estar a desintegrar-se. O povo português sempre foi um povo conquistador, batalhador, e só a vontade, o querer, o empenho e o sacrifício de todos, faria do nosso, um país melhor. Um sacrifício de todos, repito. Mas à semelhança do que acaba por acontecer em todo o Mundo, isto cada vez mais parece uma selva em que cada um se safa como melhor puder – uma das desvantagens da globalização – e quanto mais alto se está, mais se quer e a mais gente se tira. E a questão é mesmo essa, quem decide o caminho que queremos, o caminho que tomamos enquanto país, é um “Zé”, mas não é o “Povinho”… Ricardo Batista* Estudante de Ciência Política e Relações Internacionais

DIA DO PAI | 19 DE MARÇO

FOTO DA SEMANA

Emília Amaral

“É uma oportunidade única de viver a experiência de um mundo [das telenovelas] que conheço por assistir todas as noites sentada no sofá”. Foi desta forma que uma jovem justificou estar à espera, de chapéu aberto, numa fila interminável à porta da Casa da Ribeira, em Viseu. No f im-de-semana passado centenas de pessoas participaram em castings para actores e figurantes, para a nova telenovela da TVI, da autoria de António Barreira, que vai começar a ser gravada em Viseu no final deste mês de Março.

Emília Amaral

sugestões para o dia do PAI 1 ∑ Oferta da Assinatura - Jornal do Centro 2 ∑ Relógio Gant Dia Do Pai - Petra Ourivesaria

Caixa em aço. Pulseira em pele. 179.00 €

3 ∑ Relógio Hector - Petra Ourivesaria

Mod. 665148. Repetição de horas. Caixa Aço. Pulseira pele. 99.00 €

4 ∑ Esferográfica Cerruti - Petra Ourivesaria

Mod. RING TOP. 27.00 €

Esta rubrica está aberta à participação dos leitores. Submeta a sua denúncia para redaccao@jornaldocentro.pt

Esta rubrica está aberta à participação dos leitores. Submeta a sua denúncia para redaccao@jornaldocentro.pt

19

5

∑ Colar em Aço da Marca Inori - Petra Ourivesaria Mod. LABIRINTH. 39.00 €

Os CTT estão a adaptar os postos de correio às necessidades da cidade de Viseu. Procedeu-se à mudança de localização de alguns marcos e foram adaptados outros. De 33 marcos, a cidade passa a dispor de 23. O objectivo passa por reforçar a segurança, na sequência dos sucessivos episódios de arrombamento e vandalismo destes equipamentos, que causaram milhares de euros de prejuízo. O marco de correio da foto está na Avenida Infante D. Henrique. Depois de vandalizado, os CTT deixou a indicação “fora de serviço por motivos de vandalismo”.

6

∑ Pulseira em Aço com Pele - Petra Ourivesaria Marca Adolfo Dominguez. Mod. LUCENTE. 84.00€

7

∑ Relógio para Homem CK - Petra Ourivesaria Calvin Klein Watches. Mod.BOLD. Cronógrafo. Caixa em aço. Pulseira em pele. 280.00 €

8 ∑ Moldura por Medida - Casa Moldura 9 ∑ Porta Retratos - Encaixe Perfeito 10 ∑ Retrato a Carvão - Encaixe Perfeito 11 ∑ Relógio Personalisado - Casa Moldura 12 ∑ Pinturas a Óleo - Casa Moldura 13 ∑ Fotos com Impressão em Tela - Casa Moldura 14 ∑ Almoço (Refeição do pai é oferta) - Lanxeirão 15 ∑ Jantar (Refeição do pai é oferta) - Lanxeirão 16 ∑ Livro (Pai em construção) - FNAC Viseu 17 ∑ Informática (Apple iPad Wi-Fi 16GB) - FNAC Viseu 18 ∑ Kit Experiência (A Vida é Bela) - FNAC Viseu 19 ∑ Imagem (Canon EOS 600D) - FNAC Viseu


tempo: céu limpo

JORNAL DO CENTRO 18 | MARÇO | 2011

Hoje, dia 18 de Março, céu limpo. Temperatura máxima de 18ºC e mínima de 2ºC. Amanhã, dia 19 de Março, céu limpo. Temperatura máxima de 20ºC e mínima de 3ºC. Domingo, dia 20 de Março, algumas nuvens. Temperatura máxima de 20ºC e mínima de 7ºC. Segunda, dia 21 de Março, céu limpo. Temperatura máxima de 19ºC e mínima de 5ºC.

Impresso em papel que incorpora 30 por cento de fibra reciclada, com tinta ecológica de base vegetal

Su Semana Florestal ge st õe de Lafões começa s este sábado

para o dia do PAI

Olho de Gato

http://twitter.com/olhodegato http://joaquimalexandrerodrigues.blogspot.com

Comboios Joaquim Alexandre Rodrigues joaquim.alexandre.rodrigues@netvisao.pt

As câmaras de Vouzela, Oliveira de Frades e S. Pedro do Sul promovem a partir de sábado, até dia 23, a Semana Florestal de Lafões. A iniciativa pretende assinalar anualmente o Dia Mundial da Floresta (21 de Março), e este ano junta o Ano Internacional das Florestas. “Este projecto intermunicipal tem como principais objectivos a sensibilização da população para a protecção das florestas e do ambiente”, adianta a organização em comunicado, acrescentando que ao longo dos cinco dias, o evento “envolverá a comunidade escolar e o público em geral”. Durante a semana, a or-

ganizações propõe um conjunto de iniciativas. Uma exposição de fotograf ia subordinada ao projecto “Limpar Portugal na Região de Lafões Momentos” (S. Pedro do Sul), acções de plantação de árvores, uma caminhada, actividades de sensibilização florestal nas escolas e jogos tradicionais, fazem parte das acções agendadas. Dia 23, às 14h30, na Câmara de Oliveira de Frades decorre ainda um seminário sobre o “Projecto AARC (Atlantic Aquatic Resource Conservation) no território de Lafões e “Centrais de Biomassa Uma oportunidade para o futuro”.

PCP comemora 90 anos Desde o dia 5 e até 16 de Abril, a direcção da Organização Regional de Viseu do PCP assinala os 90 anos do Partido Comunista com várias iniciativas. Este domingo, dia 20, a deputado no Parlamento Europeu, Ilda Figueiredo vai estar em Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo. No mesmo dia, o deputado na Assembleia da República, Bruno Dias almoça com militantes em

Cinfães, enquanto Manuel Rodrigues do Comité Central se encontra com militantes em Mortágua e Santa Comba Dão. Para o dia 27 está marcado um colóquio sobre os “90 anos de vida e de luta do PCP”, no Hotel Durão, em Viseu, às 10h30, seguido de um almoço comemorativo. Francisco Lopes, candidato às eleições presidenciais é o convidado especial para este encontro.

1. No dia 17 de Março de 1907, há exactamente 104 anos e um dia, realizou-se em Mangualde um grandioso comício acorrido pelo povo de todos os aderredores. Presentes as forças vivas da região: deputados eleitos por Viseu e Guarda, presidentes das câmaras de Mangualde, Viseu, Gouveia, Penalva do Castelo e Manteigas. Os governadores civis de Viseu e Guarda não estiveram presentes mas fizeram chegar o seu apoio por telegrama, para júbilo e hurrahs! dos presentes. A região juntou-se toda para exigir a construção de uma linha férrea de Gouveia a Viseu. O deputado Rodrigues Nogueira, num discurso informado e eloquente, alinhou números, razões, demonstrando o atraso da região centro sempre desprezada pelos governos. Esta e muitas outras histórias podem lerse no excelente “Viseu – Roteiros Republicanos”, de António Rafael Amaro e Jorge Adolfo Meneses, editado no ano passado por ocasião do centenário da república.

Passaram os anos, passaram empenhos e manifestações. Os lamentos nos jor n a i s continuaram: “Nenhuma cidade de Portugal, da categoria de Viseu, deixa de ser servida por um caminho-de-ferro de via larga.” Desde 1989 ainda é pior: nem via larga, nem via estreita. No ínício do século XX, foram feitos projectos para várias linhas e que foram aprovados pelos governos: (1) Gouveia – Mangualde – Viseu; (2) Régua – Lamego - Tarouca – Moimenta – Sernancelhe – Vila Franca das Naves; (3) Viseu – Sátão – Aguiar da Beira – Ponte do Abade – Vila da Ponte – Foz Tua. Como se vê, a coisa não é só de agora. Viseu sempre teve muitos comboios. De papel.

∑agenda

∑ Exibição da peça “o que há mais são homens”, às 21h30, no auditório do IPJ.

Sexta, 18 Viseu

∑ Cerimónia militar comemorativa do Dia da Unidade do Regimento de Infantaria RI14, às 11h15.

2. Na manifestação da Geração à Rasca em Viseu, uma jovem subiu ao palco e gritou: “Não queremos socialismo, queremos igualdade!” Ela queria, com aquele “socialismo”, dizer PS. E foi muito aplaudida. O PS pós-socrático não vai ter vida fácil.

Sábado, 19 Santa Comba Dão

∑ Início do Campeonato Nacional de Boccia nas classes BC1, BC2 e BC4, no Pavilhão Gimnodesportivo.


Jornal do Centro - Ed470