Page 1

Publicidade

Distribuído com o Expresso. Venda interdita.

UM JORNAL COMPLETO

Publicidade

pág. 02 pág. 06 pág. 08 pág. 09 pág. 14 pág. 15 pág. 16 pág. 18 pág. 20 pág. 21 pág. 22 pág. 23

DIRECTOR

Pedro Costa

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > À CONVERSA > REGIÃO > NEGÓCIOS > DESPORTO > CULTURAS > SAÚDE > RESTAURANTES > CLASSIFICADOS > NECROLOGIA > CLUBE DO LEITOR

Semanário 21 de Janeiro de 2011 Sexta-feira Ano 9 N.º 462

1,00 Euro

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

|Telefone:232437461·Fax:232431225·BairroS.JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

Negócios Loja de Viseu disponibiliza moda em segunda mão

Nos bastidores do Banco Alimentar ∑ O Jornal do Centro dá a conhecer o trabalho da instituição para lá das campanhas | página 6

página 14

À conversa “Não há promoção dos produtos portugueses nas embaixadas”

Opinião “A comédia à Portuguesa”

Publicidade

Nuno Ferreira

João Pedro Antas de Barros escreve sobre presidenciais | página 3

Raquel Rodrigues

António Neves, vice-presidente da APRDÃO | página 8

Presidenciais: Manuel Alegre e Cavaco Silva pelas ruas de Viseu

| página 9


2

Jornal do Centro 21 | Janeiro | 2011

praçapública palavras

deles

rO Viseu Benfica não pode estar exposto a uma atitude de um atleta que não sabe controlar-se dentro do campo” José Figueiredo

r8,8 por cento de corte no Orçamento de Estado para a Cultura corresponder a 23 por cento de corte a estruturas como a ACERT é uma situação inacreditável”

Dirigente do Viseu e Benfica (Episódio em que um atleta dos juvenis do Viseu e Benfica agrediu o árbito no jogo de domingo com o Lusitano de Vildemoinhos, Diário de Viseu, 18 de Janeiro)

Um candidato silencioso

Deputado do PS aspinto@ps.parlamento.pt

E o silêncio nunca eliminou o ADN dos genes de negócios manhosos”

Opinião

António Vilarigues anm_vilarigues@hotmail.com

uma vez pedir o nosso direito da liberdade de escolha da escola para os nossos filhos que melhor se adapte aos nossos valores e às nossas necessidades”

José Rui Martins

Rosana Marotti

Director artístico da ACERT (Rádio Noar, 18 de Janeiro)

Presidente da Associaçãi de pais do Colégio da Via Sacra (Rádio Noar, 19 de Janeiro)

Bilhete Postal

Acácio Pinto

A revista Visão colocou as seguintes perguntas a um candidato presidencial: «- Pode o senhor Presidente da República confirmar que adquiriu a propriedade do atual lote 18 da Urbanização da Coelha (Sesmarias, Albufeira) à empresa Constralmada? - Essa transação foi feita através de uma permuta de terrenos? - Por que valores foram avaliados os terrenos que adquiriu, e os que cedeu? - Recorda-se do ano em que foi feita a escritura pública desta transação? - Tinha conhecimento que a referida empresa, a Constralmada, era detida pela Opi-92, empresa de que era acionista o Dr. Fernando Fantasia?

rQueremos mais

- Quem lhe propôs a permuta? - Recorda-se do cartório notarial onde foi firmada a escritura pública desta transação?» Não respondeu. Por que será que ficou em silêncio? Será que ele acha que o povo português não tem direito a ter respostas? Será que ele acha que a democracia é um sistema político opaco? Ou ainda não acertou o seu relógio com a transparência democrática? O tempo dos pais incógnitos já passou. E o silêncio nunca eliminou o ADN dos genes de negócios manhosos. Eu, por mim, prefiro um Presidente que cultive a palavra em vez do silêncio!

rO acesso

actualmente ao Museu Arte de Sacra [de Viseu] é completamente impossivel para pessoas com mobilidade condicionada”

Fátima Eusébio

Responsável pelo Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu (Rádio Noar, 17 de Janeiro)

Foram-se os anéis e cortam-nos os dedos

João Carlos Figueiredo Deputado do PSD joao.figueiredo@psd.parlamento.pt

Quando Cavaco Silva era Primeiro-Ministro a avaliação do Governo era aferida pela taxa de crescimento que imprimia ao país. Hoje a sobrevivência do Governo rege-se pela taxa de juro a que está a vender o país. É muito triste mas é a realidade. Temos um Primeiro-Ministro que anda pelo Oriente, qual caixeiro viajante, onde numa mão leva a mala das dividas que gerou no país, enquanto a outra se mantém estendida à procura de alguns trocados que aliviem a nossa agonia financeira. Festejar o “sucesso” do leilão da dívida é, no mínimo, preocupante. Ao ritmo a que o Governo a

está a leiloar, o futuro (bem próximo) será negro. É mais uma cavadela na sepultura para onde nos estão a arrastar. Se pensarmos que a inflação foi limitada a 2% por parte do BCE, o nosso país terá de crescer a 5% ao ano para amortizar, sem ter de alienar património, as suas dívidas. Se tivermos presente que na última década o crescimento foi nulo (embora com despesas desmesuradas) percebemos o “sucesso” desta estratégia. PS: Apoio incondicionalmente Cavaco Silva nas eleições deste Domingo. Por muitas e boas razões, incluindo as apresentadas por Correia de Campos.

Ao ritmo a que o Governo a está a leiloar, o futuro (bem próximo) será negro”

Candidato desmemoriado O candidato do PPD e do CDS, Aníbal Cavaco Silva anda com um grave problema de saúde. Só pode. São tantas e tão frequentes (nalguns casos até várias vezes ao dia) as manifestações de falta de memória que o caso chega a ser preocupante. A não ser assim então a questão é mais grave e estaríamos perante algo que se aproxima da mentira compulsiva… Recordemos. O candidato Cavaco Silva vem defender uma nova política para os nossos recursos marítimos, um ministério do mar, as nossas pescas. Mas o 1º ministro Cavaco Silva (ou terá sido um clone?) de 6 de Novembro de 1985 a 28 de Outubro de 1995 destruiu sistematicamente as nossas frotas pesqueiras e de transporte marítimo. O candidato diz-se defensor do transporte ferroviário. Mas o 1º ministro desactivou várias linhas ferroviárias deste país, em particular no

interior. O candidato está contra a pobreza. Mas o 1º ministro foi um dos que, durante dez anos, mais contribuiu para o aumento da pobreza no nosso país. O candidato Cavaco Silva diz que nada tem a ver com a redução dos salários da Administração Pública para 2011 (e anos seguintes). Mas o Presidente da República Cavaco Silva incentivou e promoveu a aprovação dos PEC1, PEC2 e PEC3, bem como do Orçamento do Estado para 2011. O candidato não se lembra a quem e a quanto comprou as acções da Sociedade Lusa de Negócios (SLN). Nem a quem e a quanto as vendeu. Como não se recorda da escritura de uma casa. Mas o Presidente da República bateu todos os recordes promulgando em apenas quatro (!!!) dias a nacionalização dos prejuízos do BPN, deixando de fora os lucros dos accionistas da SLN.

O candidato Cavaco Silva, defende o direito à indignação e as manifestações de pais, professores e estudantes em defesa do ensino privado. Mas o 1º ministro Cavaco Silva enviou a polícia de intervenção, várias vezes, para reprimir os estudantes, os trabalhadores, os agricultores, as populações que mais não faziam que defender os seus direitos e as suas justas reivindicações. Quem não se recorda do buzinão da Ponte 25 de Abril? Ou da manifestação de polícias a ser reprimida por outros polícias? Por essas e por outras é que no próximo domingo, dia 23, vou votar em Francisco Lopes. O único candidato que não tem responsabilidades ou quaisquer compromissos com as políticas que estão na base da actual situação. O único candidato que protagoniza uma ruptura com a destruição da produção nacional, a exploração dos trabalhadores, a abdicação nacional, as injustiças sociais.


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 3

Jornal do Centro 21 | Janeiro | 2011

números

estrelas

2.ooo

A Festa do Brincar reuniu mais de 2000 crianças no pavilhão Multiusos, em Viseu. Ao longo de todo o dia de sexta-feira as crianças, na sua maioria das escolas do concelho, tiveram a oportunidade de participar numa maratona de brincadeiras com insuf láveis, pinturas faciais e muita animação.

Importa-se de responder?

António Carlos Figueiredo Presidente da Câmara Municipal de S. Pedro do Sul

Margarida Domingos Nadadora do Académico de Viseu

Depois de ter sido dissolvida a administração da Termalistur, a empresa municipal que gere as Termas de S. Pedro do Sul, o presidente da autarquia, nomeou uma nova administração sem o lugar de administrador executivo, mas os estatutos não o permitiam. Agora, vai ter que propor alteração dos estatutos, para voltar a nomear a administração. Uma confusão.

Ganhou o prémio de nadadora mais valiosa na V Taça Cidade de Torres Novas, realizado no sábado. Um reconhecimento justo depois de ter vencido três provas, num torneio ganho pela equipa de natação do Académico de Viseu, onde estiveram presentes clubes portugueses de prestígio. O segundo classificado foi a equipa do Benfica e em terceira posição ficou o Náutico de Coimbra.

Mesmo com um corte de 23 por cento no orçamento anual do Ministério da Cultura, a Associação Cultural e Recreativa de Tondela apresentou-se esta semana com uma programação diga para comemorar 35 anos de trabalho intenso a partir de Tondela para todo o mundo. Rodrigo Leão, JP Simões e a estreia internacional da peça “Salomé” são alguns dos espectáculos programados para o primeiro trimestre do ano.

O que achou da campanha eleitoral para as eleições presidenciais? Sem assunto relativo à campanha em si, sem conteúdo programático, sem objectivos directos, superficial…

Simplesmente degradante. À imagem do nosso País. Troca de acusações, muita roupa suja a lavar e de essencial nada. Continuamos a cair alegremente, e, à semelhança do bonequinho de madeira, os narizes de quem manda continuam a crescer.

Paulo Medeiros

Rui Pedrinho

Artista Plástico

Consultou imobiliário

Com excepção do exemplo, da postura e conteúdo da mensagem de Fernando Nobre e a coerência de discurso de Francisco Lopes acho que a campanha foi lastimável. Para quem tem uma carreira contributiva longa, família e ordenados baixos, já não suporta os autocarros pagos com o nosso dinheiro para levar “o povo” ver um “senhor” falar a troco de almoços e jantares para encher ecrãs de televisão, enquanto nós pagamos as crises.

Esta campanha não teve nem a dignidade, nem a dinâmica de campanhas do passado. A campanha foi como a “guerra do Raul Solnado”. De manhã atacavam com uma bala - BPN, para depois puxar o cordão e voltar a atacar com a mesma bala. Só Cavaco nos últimos dias tem aprofundado os grandes problemas nacionais.

Paula Teles

Joao Magalhães

Técnica superior de Turismo e Património

Técnico superior da Administração Pública

Opinião

José Rui Martins Director artístico da ACERT

A Comédia à Portuguesa - “A selva tenebrosa”

O confrangedor espectáculo das eleições presidenciais a que temos vindo a assistir tem tido o mérito de nos mostrar, até à náusea, a triste realidade da actual cultura portuguesa. Globalmente tem constituído o mais pobre e acabado exemplo do que não deveria ser o confronto político entre candidatos ao importante João Pedro Antas de Barros cargo de Presidente da República antoniojosecoelho@iol.pt desta quase milenária Nação. A cada aparição em público, em horas nobres dos noticiários nacionais, entram-nos pela casa dentro os candidatos para, de um modo geral, mostrarem a pobreza do discurso e a mediocridade dos argumentos políticos. Em verdade vos digo que nem sequer, infelizmente, podem ser considerados argumentos mas apenas um arrazoado de palavras, muitas vezes sem qualquer nexo, mesmo político, com profundo afastamento do carácter que deveriam demonstrar possuir. Valores e princípios têm estado

praticamente arredados desta campanha presidencial. A sua postura no terreno faz lembrar, a cada passo das suas afirmações, os dois últimos versos dos Lusíadas, donde ressalta um dos vocábulos que melhor representa a idiossincrasia portuguesa: De sorte que Alexandre em vós se veja Sem à dita de Aquiles ter enveja. Trazem-nos à lembrança as palavras de Campos Júnior em a Minha Pátria: as tonanterias de estúrdias e brigas de rapazes da chamada “Turma de Revoltados”. Torna-se absolutamente inacreditável ouvir personagens por quem fomos tendo alguma consideração ao longo dos anos fazer queixinhas, como se estivéssemos em presença de meninos da “ Turma dos Revoltados”que disputam entre si a Presidência da República. E como é triste ver um Ministro com formação académica mas sem um pingo de decência cívica, falar em salivar, a propósito da existência de candidatos ditos da direita, a lembrar o condicionamento dos reflexos do cão de Pavlov! Muitas das afirmações destes candidatos ficariam bem no anedotário atribuído ao ministério do Marquês de Pombal e

referidas por Camilo Castelo Branco: (…) o crime , acobertado nas dobras do manto impostor da mentira(…) e da capa hipócrita da virtude. A piedosa reflexão sobre estas eleições, a três ou quatro dias do seu termo e face à profundidade do seu niilismo reconhecido faz-me lembrar esse Dante Alighieri imortal que na sua Divina Comédia (lv.lº) na Descida ao Inferno escreveu dois versos que bem sintetizam o ambiente que se vive em Portugal nestas eleições: Da nossa vida em meio de jornada Achei-me numa selva tenebrosa São já passados mais de oito dias mergulhados nesta selva política sem que se vislumbre um processo de personalização válido, a não ser o ressurgimento de um conjunto de fazedores de utopias e arquitectos do nada a tender para o completo vazio. O povo português pode não ter a cultura que para ele ambicionamos mas tem com certeza a sabedoria suficiente para, em horas difíceis com as quais nos confrontamos, escolher o candidato que lhe pode dar a estabilidade por que anseia e já conhece. Mais inferno nem Dante o aconselharia.


4 PRAÇA PÚBLICA | OPINIÃO

Jornal do Centro 21 | Janeiro | 2011

Opinião Director

Votar num homem de facção

Pedro Costa C.P. n.º 1464 pedro.costa@jornaldocentro.pt

Redacção (redaccao@jornaldocentro.pt) Emília Amaral, C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Gil Peres, C.P. n.º 7571 gil.peres@jornaldocentro.pt

Raquel Rodrigues, C.P. n.º TP-1402 raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Departamento Comercial comercial@jornaldocentro.pt

José Junqueiro Secretário de Estado da Administração Local josejunqueiro53@gmail.com

Directora: Catarina Fonte catarina.fonte@jornaldocentro.pt

Ana Paula Duarte ana.duarte@jornaldocentro.pt

Departamento Gráfico Marcos Rebelo marcos.rebelo@jornaldocentro.pt

Projecto Gráfico defrank - Comunicação Editorial defrank@netcabo.pt

Serviços Administrativos Sabina Figueiredo sabina.figueiredo@jornaldocentro.pt

Impressão GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Distribuição Vasp

Tiragem média 6.000 exemplares por edição

Tudo resvalou quando o candidato da Direita, Cavaco Silva, exprimiu um nervosismo inaudito depois de confrontado com o caso BPN”

Sede e Redacção Bairro de S. João da Carreira Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lote 10 r/c 3500-187 Viseu • Apartado 163 Telefone 232 437 461 Fax 232 431 225

E-mail redaccao@jornaldocentro.pt

Termina hoje a campanha eleitoral. Não vai deixar saudades e liberta uma lição. Não vai deixar saudades, porque pouco se afirmou sobre as atribuições e competências do Presidente da República e da sua magistratura de influência, numa base de cooperação institucional, no respeito pelo papel da cada um dos órgãos de soberania, na separação de poderes, na isenção, na congregação de vontades e numa pedagogia da tolerância. Tudo resvalou quando o candidato da Direita, Cavaco Silva, exprimiu um nervosismo inaudito depois de confrontado com o caso BPN, um banco fundado por muitos dos seus ex ministros e secretários de estado e outros companheiros de viagem ao longo das suas vidas pública e privada. A SIC, Expresso e Visão, do grupo Balsemão, bem como o Público de Belmiro de Azevedo, deram à estampa casos que começam no BPN e

terminam, pelo menos por enquanto, nos seus vizinhos SLN - Sociedade Lusa de Negócios - dos loteamentos comuns no Algarve, até uma escritura mágica, tipo “existiu e desapareceu”. Decidiu não “dar troco” aos jornalistas e dizer que só iria ler os jornais depois do dia 23. Portanto, qual deus “ex-machina”, não se sentiu na obrigação de responder aos simples mortais, os tais que não tendo ainda “nascido duas vezes” para serem tão sérios como ele não preenchem os “mínimos” para uma resposta. Liberta uma lição de vida, porque “O Homem e Sua Circunstância”: como filosofou Ortega Y Gasset” ajuda a interpretar e compreender o comportamento bipolar de Cavaco Silva. A circunstância inesperada em que se viu envolvido e da qual, inabilmente, procurou sair atirandose à actual gestão do BPN, deu a conhecer não um avô meigo, pleno de

tradições familiares e de solidariedade para com uma esposa que apenas usufrui de uma reforma de 800 euros mensais, bem abaixo das suas três acumuladas que somam mais de nove mil. Pelo contrário, apresentou-se como um homem acossado, repentinamente ameaçador, intranquilo, que não hesitou em apoucar Portugal para apoucar os seus adversários. Procurou substituir-se ao Governo, declarando a intenção de criar ministérios, ditando a maneira de governar, definindo as opções que julga prioritárias, e substituir-se mesmo à oposição, incentivando todos os descontentes a atacarem o Executivo que, confessadamente, quer demitir. É esta opção que nos é colocada: votar numa referência de estabilidade e tolerância, numa voz de esperança e de futuro ou, afinal, votar num homem de facção.

Opinião

Internet www.jornaldocentro.pt

A solução é votar

Propriedade O Centro–Produção e Edição de Conteúdos, Lda. Contribuinte Nº 505 994 666 Capital Social 114.500 Euros Detentores de mais de 10 por cento do Capital: Sojormedia SGPS, SA Depósito Legal Nº 44 731 - 91 Título registado no ICS sob o nº 100 512

Gerência Francisco Rebelo dos Santos, Ângela Gil e Pedro Costa

Hélder Amaral Deputado CDS-PP hamaral@cds.parlamento.pt

Departamento Financeiro Ângela Gil (Direcção), Catarina Branquinho, Celeste Pereira, Gabriela Alves, João Machado Patrícia Santos info@lenacomunicacao.pt

Departamento de Marketing Patrícia Duarte (Direcção), Susana Santos (Coordenação), Catarina Fonseca e Catarina Silva marketing@lenacomunicacao.pt

Departamento de Recursos Humanos Nuno Silva (Direcção) e Sónia Vieira drh@lenacomunicacao.pt

Departamento de Sistemas de Informação Tiago Fidalgo (Direcção) e Hugo Monteiro dsi@lenacomunicacao.pt

Unidade de Projectos Lúcia Silva (Direcção) e Joana Baptista (Coordenação) projectos@lenacomunicacao.pt Os artigos de opinião publicados no Jornal do Centro são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. • O Jornal reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos enviados para a secção “Cartas ao Director”.

Semanário Sai às sextas-feiras Membro de: Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem

Associação Portuguesa de Imprensa União Portuguesa da Imprensa Regional

As circunstâncias são difíceis, mas claras. Sabemos o que fazer. O caminho é o das pedras; pode até ser o do faquir, mas pode ser feito”

O que será pior na crise actual: a crise propriamente dita, ou a falta de confiança nos políticos? Seja o que for, a crise parece que veio para ficar, e é com estes políticos que vamos ter que a enfrentar. Bem sei que a confiança dos portugueses nos políticos vive um momento crítico, mas não foi sempre assim. A maior curiosidade nas eleições do próximo fim-de-semana não é quem vai ganhar as eleições, porque será seguramente Cavaco Silva, desde logo porque é de facto o único candidato digno desse nome. Para quem não gosta de campanhas, o melhor é ir votar, e votar Cavaco Silva: assim poupa tempo e dinheiro, resolve-se de vez. As dúvidas destas eleições resumem-se a saber o valor da abstenção, não tanto pelos candidatos e pela eleição em si mesma, mas porque a confiança do eleitorado nos partidos já teve melhores dias: quase 77% não se revê nos partidos, e considera que estes se movem por interesses da clientela, e não no interesse do País. Regista-se, por isso, um número crescente de movimentos tidos como da sociedade civil, independentes, mesmo que sejam liderados por independentes deste ou daquele partido - o que, convenhamos não passa de uma ilusão de independên-

cia. Vejam-se algumas candidaturas autárquicas, ou a última candidatura de Manuel Alegre, ou Helena Roseta. Supostamente, trata-se de movimentos alimentados pela dita sociedade civil, liderados por “independentes” do PS. Resultado: ambos acabaram onde nunca saíram - no PS. Não podemos ilibar os partidos, hoje organizações fechadas sobre si próprias, sem capacidade de captar os mais capazes, e por isso incapazes de gerar militâncias dinâmicas. Mas não devemos ilibar a dita “sociedade civil” informada e consciente: para uma postura mais responsável e exigente, é mais fácil criticar, queixar-se e atirar culpas para o lado em vez de participar, ajudar a mudar. No limite, utilizar o voto com arma da mudança, dia 23, é mais uma oportunidade. Elegeremos o Presidente de todos os portugueses, e seria bom que todos sentissem que ao eleger Cavaco Silva estão a assumi-lo como o seu Presidente, deixando neste a responsabilidade de não defraudar a confiança e o capital de esperança nele depositadas. Nunca como agora a eleição do Presidente da República foi tão importante. A somar ao descrédito dos partidos políticos e dos políticos em geral, temos um governo em eleva-

do estado de decomposição, sem que haja de forma clara uma alternativa válida. As circunstâncias são difíceis, mas claras. Sabemos o que fazer. O caminho é o das pedras; pode até ser o do faquir, mas pode ser feito. O País já viveu momentos piores, de onde saiu bem e reforçado - embora o grau de exigência do povo português seja hoje maior. Por outro lado, a quota parte das culpas próprias é também maior: interesses adquiridos, grupos de pressão, “amiguismo”, falta de ética, e uma incapacidade de gastar na medida do que é capaz de produzir. É urgente combater a ideia que a política se baseia na indiferença da maioria. Um País pequeno como o nosso gera relações de proximidade entre os seus dirigentes, afectando a sua capacidade de criar roturas. Gera ainda uma comunicação social em circuito fechado: não são só as mesmas notícias, são quase sempre os mesmos comentadores e analistas. Restanos, por isso, uma sociedade atenta, exigente e participativa, que precisa de um Presidente da República conhecido e conhecedor do povo e dos problemas. Esse é, sem dúvida, Cavaco Silva. Por isso, nem tudo está perdido. E a solução passa por ir votar.


Jornal do Centro

6

21 | Janeiro | 2011

abertura

110 Toneladas de alimentos recolhidos na campanha de Novembro de 2010

21

Concelhos abrangidos na campanha de Novembro

600

Voluntários presentes no armazém do BA na última campanha

4.000 Pessoas que beneficiam da ajuda da instituição

62

Instituições do distrito apoiadas pelo BA

texto e fotos ∑ Raquel Rodrigues

Um dia com... o Banco Alimentar Contra a Fome Bastidores ∑ Conheça o trabalho da instituição para lá das campanhas anuais No dia 16 de Março de 2009 nasceu em Viseu o Banco Alimentar Contra a Fome (BA) pelas mãos da ainda hoje presidente da direcção Catarina Sobral, que em conjunto com cerca de 60 voluntários quiseram levar a cabo a missão de “garantir o fim do desperdício de bens alimentares”. Sendo uma instituição sem fins lucrativos, o BA de Viseu sobrevive das doações e da boa vontade de pessoas que, a título gratuito, dão o seu tempo em prol das associações e das famílias carenciadas espalhadas um pouco por todo o distrito, num total de 62 instituições e quatro mil pessoas ajudadas. As duas campanhas anuais, que acontecem em Maio e em Novembro, garantem o armazenamento de grande parte dos alimentos que durante o resto do ano asseguram a entrega às instituições inscritas. “Na última campanha [Novembro de 2010] passaram pelo ar-

Associação para a Ajuda Solidária de Viseu. Responsável por gerar as poucas receitas do BA , - utilizadas para dar resposta às despesas diárias da instituição, como a electricidade e os consumíveis i n for m áticos - a A ssociação pa ra a Ajuda Solidária de Viseu foi criada em paralelo e tem, neste momento, 151 associados, entre empresas e particulares. A quota anual é de 12 euros para particulares e 30 para empresas, sendo a jóia de inscrição de 20 euros para os particulares e de 100 para empresas.

mazém cerca de 600 voluntários”, conta Catarina Sobral que faz um balanço muito positivo da iniciativa. “Recolhemos 110 toneladas”, lembra a responsável. Mas o trabalho do BA não se fica pelas campanhas. Depois de tudo arrumado e devidamente organizado Graça Costa, administrativa e única funcionária do armazém de Viseu, coordena o seu trabalho mensalmente, de forma a garantir a recolha dos alimentos por parte das 62 instituições. “Elas vêm uma vez por mês, em data e hora marcados previamente e são responsáveis por garantir o transporte dos bens

que lhes cedemos”, conta a funcionária. A segunda e terceiras semanas de cada mês são dedicadas à separação dos alimentos que cada associação vai levar e, para isso, o BA conta com a ajuda de voluntários. Paulo Torres é engenheiro agrónomo e conta que conheceu o banco através de familiares. Depois, foi a vontade de dar o seu tempo em prol de “uma boa causa” que o levou a estar presente no armazém de forma regular. “Prefiro vir nestas alturas mais calmas, porque durante as campanhas nunca há falta de voluntários”, afirma.

Empresas de Viseu ajudaram no arranque

∑ A AIRV é a proprietária do armazém onde funciona o BA de Viseu. O espaço, com cerca de 700 metros quadrados, foi cedido pela associação empresarial e equipado com doações de outras empresas. Todas as divisórias, caixilharias, janelas, computadores e a única fotocopiadora existente são fruto do contacto entre o BA e empresas sediadas na região de Viseu. Já as secretárias, mesas e cadeiras foram trazidos gratuitamente do “Banco de Bens Doados” de Lisboa.


8 Entrevista ∑ António Figueiredo, Emília Amaral Fotografia ∑ Nuno Ferreira

Jornal do Centro

à conversa

21 | Janeiro | 2011

Semanalmente, Semanalmente,“À“ÀConversa” Conversa”resulta resultadedeum umtrabalho trabalhoconjunto conjuntododo Jornal Jornal dodo Centro Centro e da e da Rádio Rádio Noar. Noar. Pode Pode ser ser ouvida ouvida nana íntegra íntegra nana Rádio Rádio Noar, Noar,esta estasexta-feira, sexta-feira,àsàs11hoo 11hooe eàsàs19h00, 19h00,e edomingo, domingo,àsàs12h00. 11h00. Versão Versãointegral integraleem versão www.jornaldocentro.pt áudio em www.jornaldocentro.pt

“Não há um projecto conjunto que chame os turistas para a região do Dão” O que é a APRDÃO?

Nasceu sobretudo a partir de um projecto que está a ser levado a cabo pelo sociólogo, José Gomes Ferreira, sócio da associação, um trabalho de campos destinado à edição de um livro sobre “Património do Vinho e da Vinha da Região do Dão”. Dos diversos contactos que a equipa fez no terreno, notou-se que há uma falha na promoção da região no seu todo. Então, um grupo mais restrito decidiu que estava na altura de formar uma associação sem fins lucrativos que se dedicasse à promoção da região no seu todo. Todos os sócios que foram entrando manifestam essa tal carência?

Sim, sobretudo quem está ligado aos sectores do turismo e da promoção do vinho. A APRDÃO vai publicar o trabalho?

Depois do trabalho feito vamos arranjar apoios para publicar [o estudo]. Qual é a maior preocupação dos agentes ligados ao turismo na região do Dão?

Temos pólos de interesse, mas não há um projecto Natural de Santar, Nelas, António Neves ajudou a fundar a Associação para a Promoção da Região do Dão (APRDÃO), em Junho de 2009 e hoje é o elemento mais antigo na direcção ao assumir a vice-presidência. Um ano e meio depois, a instituição, com sede em Nelas, está numa nova fase da sua vida, depois de ter elegido os novos corpos sociais para o biénio 2011/2012. A APRDÃO tem um novo plano de actividades de promoção da região.

conjunto que chame os turistas para a região. A criação da entidade regional Turismo Centro de Portugal, que levou à separação do Dão e da Serra da Estrela complicou a promoção?

Pelas conversas que tenho tido com algumas pessoas ligadas ao turismo, elas sentem essa dificuldade sobretudo a Sul da região, porque é uma zona intermédia, nem é bem serra da Estrela, nem é bem Dão.

região do Dão?

Sim e deve ser cada vez mais aproveitada. No vosso plano de actividades está a criação de uma rota do vinho do Dão. Já existe uma, qual é a diferença?

Não conhecemos nenhum. É um dos problemas da região.

Queremos fazer pressão sobre as entidades regionais, para ver se a rota dos vinhos do Dão é de facto uma rota. Ela está criada, mas uma rota requer que as quintas, ou quem adere, estejam sempre abertas, e temos muito produtor na região que não tem disponibilidade para ter sempre a quinta disponível. Uma das apostas é fazermos, paralelamente a essa rota, uma rota dos associados da APRDÃO em que se prepara um programa numa época determinada e aí sim, os sócios estão abertos às visitas, englobando além do vinho, o restante património da região.

A APRDÃO tem outros objectivos de promoção da região para além do vinho?

Há outros produtos na região que querem promover e dinamizar?

Queremos promover a região no seu todo. A base será o vinho, que é a principal economia da região, mas, através dos vinhos, mostrar o resto que existe.

Para já o queijo e, aos poucos, vamos tentando conhecer outros produtos da região para os promover.

A região devia ter um organismo específico para o turismo?

Mesmo que não fosse um organismo próprio, devia haver qualquer coisa vocacionada. Existem pacotes específicos para os turistas sobre o Dão?

O vinho é uma alavanca importante na promoção da

Qual é a vossa ideia para o anunciado congresso gastro-

nómico para a região do Dão?

A ser realizado será no final do ano e pretende envolver as diversas confrarias que há na região, e que são muitas.

Talvez o espaço, para se dar uma dimensão como a de outras feiras, a do Alentejo, por exemplo, que tem um cariz mais profissional.

tugueses, se conheciam o vinho do Dão, se o davam a conhecer e o que faziam para promover o vinho do Dão. O principal resultado é que não há promoção dos produtos portugueses por parte das embaixadas. Já não falamos só do vinho do Dão, as embaixadas não têm produtos nacionais, inclusive alguns responderam que, se lhe enviássemos o vinho, mostravammo com todo o gosto.

A APRDÃO acarinhava uma feira de maior envergadura que envolvesse todos os municípios do Dão?

Terá de haver um canal diplomático para promover os produtos.

Seria um caminho a seguir, talvez até vantajoso para lhe dar uma dimensão mesmo internacional.

O que necessita a região do Dão para dar o salto na promoção?

nível dos municípios existe isso. A Feira do Vinho de Nelas é suficiente para promover o vinho na região?

Cria se calhar um impulso. Ao avançarem com os jantares temáticos não temem estar a invadir o espaço das confrarias?

Pensamos que não. Além de promoverem um determinado produto, os jantares temáticos serão um espaço para cativar sócios. Concorda com a crítica de que há muita gente a promover a região do Dão, mas se promove pouco.

Sim. As promoções são dispersas, devia haver uma linha orientadora, que não se faça num lado o vinho, no outro lado mel, e que tudo se fique por aquela feira local. Cada um quer protagonismo?

O que falta?

Que outros projectos fazem parte do vosso plano de actividades?

Vamos arrancar agora no início do ano com workshops.

Poderá ser. Sobretudo ao Em Março do ano passado promoveram a conferência “A Região do Dão e a Diplomacia Económica – Apoios, Promoção e Produção”. Quais foram as conclusões do encontro?

O estudo [tema da conferência] foi feito pelo economista dr. José Albuquerque, nosso associado. Tratou-se de um inquérito às embaixadas por-

O que falta fazer?

Teria de haver uma melhor comunicação e uma influência de todas as entidades da região, do turismo aos vinhos, tinham que tentar arranjar um projecto conjunto que fizesse dar o salto. Dou o exemplo do Douro. Dá muitas vezes o exemplo do Douro. Gostava de ter no Dão o mesmo projecto traçado para essa região?

Não. Gostava de ter exemplos parecidos com o Douro. Versão integral e versão áudio em www.jornaldocentro.pt


Jornal do Centro

9

21 | Janeiro | 2011

ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS

“Aqui é a terra dele Cavaco Silva ∑ O dia de quarta-feira entre lamego e Viseu

Nuno Ferreira

Cavaco Silva reuniu no dia de campanha presidencial em Viseu, o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, o autarca Fernando Ruas, o deputado José Luís Arnault, o presidente da câmara de Sintra, Fernando Seara, além de autarcas locais e muito “povo”, palavra que o autarca muitas vezes tem pronunciado e o Perto de 300 alunos do ensino particular de povo gosta. “Aqui é a ter- Viseu foram ao encontro de Cavaco Silva ra dele” entoava um grupo de apioantes eufóri- particular a manifesta- em Viseu o maior jantar cos. rem-se contra as altera- da campanha, com cerCavaco desceu a Rua ções nos contratos de fi- ca de 3000 participantes. Cavaco voltou a peFormosa sempre muito nanciamento. aplaudido e, já no final No jantar comício no dir uma vitória à primeida arruada, encontrou Multiusos, que terminou ra volta. um grupo de alunos, pais um dia que arrancou em Emília Amaral e professores do ensino Lamego, o candidato teve

A

Publicidade

“Isto não é Cavaquistão nenhum” Se Manuel Alegre tivesse chegado à hora marcada a Viseu, na tarde de sexta-feira, dia 14, podia dizer-se que a recepção no Rossio era fraca. Mas, uma hora depois, o passeio do candidato à presidência da República pelas ruas da cidade, compôs-se, ao ponto de o candidato concluir em Viseu que a “onda” de apoio está a crescer. Manuel Alegre aproveitou o velho chavão de que Viseu é o “cavaquistão” conquistado no tempo das vitórias absolutas do PSD no distrito, para acrescentar: “Isto não é Cavaquistão nenhum, é uma terra democrática onde há lugar para todos”. Mais tarde, durante um comício na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu, o candidato apoiado pelo PS e pelo Bloco Publicidade

Nuno Ferreira

região

A Manuel Alegre recebido nas ruas de Viseu de Esquerda (BE) insistiu ser um “homem livre” que “participou em todas as batalhas da liberdade” e voltou a acusar o adversário, Cavaco Silva. Durante a sessão estiveram ao lado de Manuel Alegre, o secretário de

Estado da Administração Local José Junqueiro, o deputado do BE , João Semedo, e o presidente da Federação de Viseu do PS, João Azevedo, num auditório que encheu para ouvir o candidato. EA


Jornal do Centro

10 REGIÃO | S. PEDRO DO SUL | VISEU

21 | Janeiro | 2011

Confusão na Termalistur Alteração ∑ Empresa que gere as Termas de S. Pedro do Sul está sem Conselho de Administração A Câmara Municipal de S. Pedro do Sul vai propor, esta sexta-feira, em reunião de executivo, uma alteração aos estatutos da Termalistur, a empresa municipal que gere as termas. Com esta alteração, a autarquia pretende acabar com a figura de administrador delegado que obriga ao exercício do cargo a tempo inteiro. A questão é levada a reunião de câmara depois de uma semana de confusões na administração da Termalistur. Por proposta do presidente da autarquia, António Carlos Figueiredo, foi dissolvido o Conselho de Administração da empresa, com o propósito de separar as componentes política e operacional da empresa. No mesmo dia, o executivo nomeou uma nova equipa para gerir a empresa municipal composta pelos vePublicidade

readores do PSD, Adriano Azevedo, José Sousa e Rogério Duarte, em que nenhum deles ficaria a tempo inteiro na administração. Esta nomeação foi considerada “ilegal” pela oposição socialista na autarquia e, acabou por se confirmar que tal decisão viola um artigo dos estatutos que obriga o administrador delegado a assumir funções de exclusividade. António Carlos Figueiredo adiantou ao Jornal do Centro que vai ser necessário proceder à alteração dos estatutos. Uma alteração decidida hoje em reunião do executivo, mas que será aprovada em Assembleia Municipal só em Fevereiro. “Até lá a a administração dissolvida mantém-se em gestão”, explicou António Carlos. Para a oposição socialista

o episódio “é a confirmação da suspeita de que toda a gestão da Termalistur é feita à vista, não há planeamento, não há estrutura, vão gerindo as coisas à medida que se apercebem das asneiras que vão fazendo”, adiantou Daniel Martins, deputado do PS na Assembleia Municipal de S. Pedro do Sul em declarações à Rádio Noar. Os socialistas, insistem que “se deve apostar numa gestão profissional”, ao mesmo tempo que questionam a forma e custos da Termalistur. Também o Grupo Municipal do Bloco de Esquerda (BE) tinha vindo a alertar nos últimos meses para um “mau estar na administração” e “os maus resultados financeiros da Termalistur”. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

A Nomeação da nova administração da Termalistur violava estatuos

Cinco novas equipas de sapadores florestais para Viseu Viseu vai ter mais cinco equipas de Sapadores F lore st a i s (SF) e m Mangualde, Moimenta da Beira, Sátão, Sernancelhe e Tarouca, passando o distrito a dispor de 29 equipas em 22 dos 24 municipios. Apenas Armamar e Resende não dispõem deste serviço. A decisão “estratégica” do Ministério da Agricultura surge integrada num Publicidade

projecto de investimento de 1,1 milhões de euros, através do Fundo Florestal Permanente, destinado à constituição de 20 novas equipas de SF em todo o país, “tendo em conta a importância estratégica do desempenho das equipas na protecção da floresta”, lê-se num comunicado do Ministério da Agricultura e acrescenta “As novas equipas localizam-

se em territórios de muito elevado e elevado risco de incêndio florestal, em 15 distritos”, entre eles Viseu. As equipas de SF são constituídas por cinco trabalhadores especializados no exercício de actividades preventiva, como sensibilização, limpeza de povoamentos, realização de fogos controlados, entre outras.


12 REGIÃO | VISEU | OLIVEIRA DE FRADES | VOUZELA | SANTA COMBA DÃO CRECHE INVESTIGADA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO As acusações de alegados maus tratos na creche e jardim-de-infância Pinhôbrinca, em Viseu, vão ser investigadas pelo Ministério Público, informou através de comunicado o director da Segurança Social de Viseu (SSV), Manuel João Dias. De acordo com o mesmo comunicado, “no início do mês foi apresentada verba lmente pela mãe de uma criança, na Segurança Social, uma queixa relativa ao funcionamento [do infantário], que alegava ser def iciente”. A SSV acrescenta que, entre 7 e 13 de Janeiro, “foi realizada pela Segurança Social uma avaliação ao estabelecimento”, tendo sido possível apurar “em termos gerais, que o edifício cumpre todas as normas em vigor”. A denúncia terá levado vários pais a tomarem a decisão de retirar os filhos do estabelecimento. Outros pais saíram em defesa da instituição. A proprietária do infantário disse aos jornalistas que “o assunto será tratado em local próprio”. EA Publicidade

A Detido alegado gestor do estabelecimento, colaboradora e duas mulheres ilegais

Bar nocturno selado em Oliveira de Frades Desmantelamento ∑ SEF descobre associação criminosa O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) desmantelou uma associação criminosa suspeita de auxílio à imigração ilegal, angariação de mão de obra ilegal e lenocínio, que operava sobretudo junto de países da América Latina. A operação foi efetuada na sequência de uma investigação desenvolvida pelo SEF, tendo sido encerrado e selado o esta-

belecimento de diversão nocturna que o suspeito alegadamente geria em Oliveira de Frades. Durante a operação foram detidos o principal suspeito, um português com residência na zona de Tondela que tinha um mandado de detenção, e a sua colaboradora na gestão do estabelecimento, por posse ilegal de arma de fogo. Foram detidas duas mulheres estrangeiras por

permanência irregular em território nacional, uma das quais com violação de interdição de entrada, por já ter sido expulsa pelo Estado português. De acordo com o SEF, o estabelecimento de diversão noturna já tinha sido fiscalizado várias vezes por diversos órgãos da polícia criminal, o que resultou em contra-ordenações elevadas e na detenção de cidadãos estrangeiros.

7 BURLAS

21 | Janeiro | 2011

dias

Viseu. Na passada quarta-feira duas idosas, uma residente em Casal de Mundão, Viseu, e outra na localidade de Nandufe, em Tondela, foram vítimas de burla. As duas mulheres foram abordadas junto às suas habitações, tendo a primeira, de 88 anos, ficado sem 600 euros. Já a mulher residente em Nandufe foi vítima de violência por parte dos supostos burlões, que tentaram, sem sucesso, impedi-la de entrar em sua casa depois de perceber que estava a ser abordada por criminosos.

FISCALIZAÇÃO

Santa Comba Dão. Na noite de segunda-feira, dia 17, a GNR de Santa Comba Dão levou a cabo uma operação de fiscalização rodoviá ria . A “Operação Babilónia” resultou na fiscalização de 78 condutores, com especial incidência no consumo de álcool e estupefacientes, utilização de cinto de segurança, sinalização e iluminação e condução sem habilitação legal. As autoridades realizaram 75 testes de álcool, dos quais resultaram quatro excessos e, ainda, a elaboração de oito autos de contraordenação.

ROUBO

Jornal do Centro

Viseu. A GNR está a investigar uma tentativa de assalto que ocorreu na madrugada de ter-

ça-feira, dia 18. Dois ladrões terão a rrombado uma porta do posto de combustível situado na recta do Caçador, em Viseu, na tentativa de roubarem a máquina multibanco que estaria no interior do estabelecimento, mas fugiram quando o alarme começou a tocar.

DETIDOS

Vouzela. A GNR deteve no passado sábado, dia 15, dois indivíduos por tentativa de assalto. Os dois ladrões, um homem e uma mulher, fora m apa n h ados em f lagrante delito quando se preparavam para carregar cabos de cobre que tinham cortado de dentro de um armazém em Monte do Cavalo, Vouzela.

BUSCAS

Viseu. O Núcleo de Inve s t i g a ç ã o C r i m i n a l da GNR de Mangualde deteve, na passada segunda-feira, dois indiv íduos , u m homem e uma mulher, por tráfico de estupefacientes. As detenções resultaram de buscas domiciliárias em Viseu, onde as autoridades apreenderam também 300 gramas de haxixe, duas fac a s , doi s telemóvei s , doi s comput adore s e dinheiro. Na sequência da mesma operação, a GNR deteve um homem em Moimenta da Beira por posse ilegal de uma arma de defesa.


Jornal do Centro

VISEU | REGIÃO 13

21 | Janeiro | 2011

“Não dá vontade de entrar naquela escola” “A Parque Escolar, empresa pública responsável pelas obras, já reconheceu que há problemas, mas garantiu que os mesmos serão solucionados num curto espaço de tempo. Nesta fase, é importante não dramatizarmos a situação mas não podemos desobrigar a Parque Escolar a cumprir as suas obrigações”. Foi num tom apaziguador que Jerónimo Costa, presidente do conselho geral da Escola Secundária Emídio Navarro de Viseu comentou a recente situação vivida por toda a comunidade escolar. A escola está a sofrer obras de requalificação desde 2009, abrangidas pelo Programa de Modernização da Parque

Publicidade

Escolar. A primeira fase do projecto já foi concluida, tendo surgido alguns atrasos e contratempos na execução da segunda fase da obra. O descontentamento tem sido manifestado pelos alunos, pais e professores. Kilian Pingent, presidente da Associação de Estudantes vai mais longe: “Não dá vontade de entrar naquela escola”. Esta e outras reclamações surgem no reatar das aulas do segundo período escolar. “As salas estavam cheias de lixo e cobertas de pó de cimento, os professores tiveram que limpar as secretárias com um pano, faltavam os projectores e o aquecimento não estava a funcionar, inclusive deitava

ar frio ao invés de quente”, descreve o aluno, acrescentando que “havia também problemas ao nível da segurança, com os extintores ainda dentro das caixas”. Perante esta situação, os estudantes admitem avançar com um protesto no dia da instituição, 24 de Janeiro. Para Kilian Pingent, a Parque Escolar, é a grande culpada desta situação: “há muitas coisas que não foram feitas correctamente, nomeadamente nas estruturas”. O aluno culpabiliza igualmente a direcção da escola: “Tenho conhecimento que na Alves Martins (outra escola secundária recuperada na cidade) a direcção andou sempre

em cima da Parque Escolar, no nosso caso houve um tempo que não tivemos um director oficial, e isso prejudicou”. Para o presidente da Associação de Pais, José Paiva “o importante é que haja aulas”, ainda assim não esconde que as obras se têm estendido há demasiado tempo e critica a falta de humanização do espaço. “Não tem havido por parte da Parque Escolar um cuidado na planificação da obra, mostrando agora mais abertura para dialogar devido à pressão feita pelo conselho geral”. José Paiva acha “inadmissível” que as condições mínimas não sejam asseguradas. Tiago Virgílio Pereira

Tiago Virgílio Pereira

Emídio Navarro ∑ Comunidade escolar culpabiliza Parque Escolar pela situação vivida

A

Alunos admitem protesto segunda-feira, dia da escola


Jornal do Centro

14

21 | Janeiro | 2011

negócios LITOCAR BI REPRESENTA NISSAN

Clareza no Pensamento (http://clarezanopensamento.blogspot.com)

Atenção às TAEG’s A empresa concessionária da marca Nissan do Grupo Litocar tem uma nova denominação social desde o primeiro dia de Janeiro de 2011. Em comunicado, a empresa esclarece que “a denominada Auto Jardim Automóveis sofreu um profundo processo de reestruturação” desde a entrada da Litocar no seu capital social, “que culmina agora com a alteração do nome para Litocar BI- Comércio Automóvel, SA”. Segundo a Litocar, “esta alteração permite enquadrar a empresa na lógica de grupo e a utilização da imagem Litocar alargada à marca Nissan. Actualmente o Grupo Litocar está presente em oito cidades, representando quatro marcas: Renault, Dacia, Honda e Nissan, para além da sua marca própria de usados, - Usados 100% - com um volume de facturação superior a 70 milhões de euros e mais de 170 colaboradores.

EDP INVESTE 500 MIL EUROS EM MOIMENTA DA BEIRA A EDP Distribuição levou a efeito, em 2010, um conjunto de obras visando a melhoria da qualidade do serviço prestada aos seus clientes residentes no Concelho de Moimenta da Beira. Constituindo um investimento total de cerca de meio milhão de euros, estas obras, agora terminadas, passaram pela construção de novas linhas e pela substituição de linhas em fim de vida. Segundo a EDP, no total foram substituídos cerca de sete quilómetros de linha de média tensão, suportados em 42 novos apoios e foram instalados dois novos órgãos telecomandados.

Ilídio Silva Docente na Escola Superior de Tecnologia de Viseu isilva@estv.ipv.pt

A Nas lojas é possível comprar roupas de marca a preços acessíveis

Loja de Viseu vende moda em segunda mão Trapizonga ∑ Conceito trazido para Viseu em Novembro de 2010 Inaugurada em Viseu em Novembro do ano passado, a loja Trapizonga, localizada no centro da cidade, apresenta um conceito de venda de roupa de marca reciclada. Segundo Marta Costa, responsável pela marca em Portugal e detentora de oito lojas, a ideia da abertura deste conceito vem na sequência da conjuntura de crise económica a que o mundo assiste neste momento, investindo na boa imagem das lojas de forma a cativar atenção dos potenciais compradores. “Este é um mercado em crescimento”, conta a responsável, que não tem dúvidas em afirmar que

se assiste a uma crescente “mudança de atitude e de mentalidade” no que diz respeito à compra de roupa em segunda mão. As peças compradas vêm dos Estados Unidos e de vários países do norte da Europa, passando todas elas por um processo de desinfecção, explica Marta Costa. É roupa que resulta de restos de stocks de várias lojas de marca ou, então, são peças pouco usadas resultantes, por exemplo, de passagens de modelos ou de sessões fotográficas. Paulo Neves adquiriu os direitos em Viseu da marca Trapizonga e abriu a sua loja na Rua D. José da Cruz Moreira

Pi nto. Com todas as adaptações, esta loja representou um investimento superior a 25 mil euros e vende roupa de homem e senhora. “Conheci o conceito através de uma reportagem televisiva”, recorda Paulo Neves, que decidiu trazê-lo para Viseu. “Despertou-me a atenção o conceito de reutilização de roupa e a possibilidade de todos puderem ter roupa de marca a preços mais acessíveis”. Na loja de Viseu é possível encontrar marcas como Levis 501, Boss e Tommy a preços que vão desde os 15 euros. Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

A vivência de mais uma quadra natalícia e de “passagem” de ano, com certeza que deverá ter levado alguns de nós a não resistir à tentação de efectuar compras com recurso ao crédito. Pois bem, se foi esse o seu caso, atenção à TAEG (Taxa Anual de Encargos Efectiva Global) praticada! Quais as razões de estarmos atentos? O Decreto -L ei n .º 133/2009, de 2 de Junho, determinou a fixação de taxas máximas que as instituições devem respeitar nos novos contratos de crédito por ele abrangidos, estando este regime de taxas máximas a vigorar desde 1 de Janeiro de 2010. Este Decreto-Lei define, no seu artigo 28º, as taxas máximas como sendo as médias, acrescidas de um terço, das TAEG’s praticadas pelas instituições de crédito no trimestre anterior, nos diferentes tipos de contratos. Também, no âmbito do mesmo Decreto-Lei, foi atribuída ao Banco de Portugal a responsabilidade pela identificação dos tipos de contrato de crédito relevantes para a determinação das respectivas taxas máximas e a sua divulgação ao público, numa base trimestral. Quais são os tipos de crédito relevantes e as respectivas TAEG’s máximas? Os tipos de crédito relevantes e as respectivas TAEG’s máximas a vigorar para o 1º trimestre de 2011 são os seguintes: Crédito Pessoal, com finalidade de educação, saúde e energias renováveis e locação financeira de equipamentos (com TAEG máxima de 5,8%); Outros Créditos Pessoais (com 19,2%); Crédito Automóvel através de lo-

cação financeira ou ALD (para veículos novos, 7,7% e para veículos usados, 9,1%); Crédito Automóvel com reserva de reserva de propriedade e outros (para veículos novos, 11,4% e para veículos usados, 15,0%); e cartões de crédito, linhas de crédito, contas correntes bancárias e facilidades de descoberto (33,2%). (Nota: no blogue http:// clarezanopensamento. blogspot.com poderá encontrar este artigo com um quadro com os valores das TAEG’s máximas desde o momento da entrada em vigor deste regime até ao momento actual). Estará este regime de taxas máximas a ser respeitado pelas instituições financeiras? O Banco de Portugal analisou, de acordo com a Síntese Intercalar de Actividades de Supervisão Comportamental (publicada em 15 de Novembro de 2010, referente às actividades desenvolvidas no período de Janeiro a Agosto de 2010), 676 contratos de crédito com indícios de irregularidades, tendo chegado à conclusão que em 63 desses contratos, envolvendo 13 instituições financeiras, as TAEG’s tinham efectivamente ultrapassado as taxas máximas aplicáveis. Em suma… Se contratou um crédito desta natureza nos últimos tempos, certifiquese de que a TAEG praticada não ultrapassa a TAEG máxima para o trimestre. Se for superior, faça a sua queixa no portal do cliente bancário (http://clientebancario.bportugal.pt), exija a aplicação da taxa máxima para o período e a devolução do que pagou em excesso.


15

Jornal do Centro 21 | Janeiro | 2011

desporto Visto e Falado

AGENDA FIM-DE-SEMANA II DIVISÃO NACIONAL SÉRIE CENTRO

Vítor Santos vtr1967@gmail.com

16ª jornada - 22 Jan - 15h00 Padroense Eléctrico Esmoriz Pampilhosa Cesarense Sp. Espinho Aliados Lordelo Tondela

Futsal Viseu

Futebol Tarouquense

Cartão FairPLay Foi a surpresa da jornada ao vencerem em casa do líder por 5-0. Inesperado resultado que se justifica pela excelente exibição da equipa de Tarouca. O Viseu e Benfica continua a liderar o campeonato da Divisão de Honra da AFV o que valoriza ainda mais a vitória dos tarouquenses que pode, e deve, relançar a equipa para novas vitórias de forma a sair da zona de despromoção. O futebol é isto mesmo.

Gondomar Coimbrões Sertanense Sp. Pombal Boavista Anadia Tourizense União Serra

III DIVISÃO NACIONAL SÉRIE C 15ª jornada - 22 Jan - 15h00 Aguia da Beira Alba Penalva Castelo L. Lourosa S. J. Ver Sampedrense Gil Peres

Cartão FairPlay O futsal distrital está com excelentes resultados no nacional. O Viseu Futsal venceu e mantém um excelente 3.º lugar. A equipa de Rui Almeida não desiste de lutar pela ambicionada subida. As equipas do ABC de Nelas e AJAB Tabuaço estão a fazer um campeonato, na 3.ª divisão, muito positivo. Segundo e terceiro, respectivamente, estão na luta pela subida de divisão. O futsal distrital a ganhar novo fôlego e aumenta o interesse pela modalidade. Força.

-

-

Oliveira Frades Alpendorada Fiães Avanca Bustelo Cinfães

III DIVISÃO NACIONAL SÉRIE D

A Um jogo muito fraco em Oliveira de Frades onde o Alba venceu com justiça III Divisão - Série C

A jogar assim é difícil Derrota∑ Oliveira de Frades perde em casa e começa a complicar as contas “Luz vermelha” no Oliveira de Frades. A derrota em casa com o Alba (0-2), então último classificado na série C da III Divisão, veio colocar a nu algumas das deficiências da equipa. Um jogo demasiado fraco dos homens do Oliveira de Frades, frente a um adversário que apesar de não ter grandes argumentos foi sempre melhor no sintético do Municipal.

A recente mudança de técnico e o retoque no plantel não estão a produzir os efeitos desejados. Numa altura em que é fundamental amealhar pontos para encarar a segunda fase com perspectivas de manutenção - na segunda fase os pontos da primeira dividem por dois - o Oliveira de Frades começa a ver os concorrentes directos cavarem alguma distância, que depois poderá tor-

nar-se difícil de recuperar. A seis jogos do final da fase regular, e com 18 pontos em jogo, o Oliveira de Frades está na 12ª, e última posição, e a quatro pontos do 9º classificado. Não é uma diferença irrecuperável, mas é fundamental a equipa encarar os jogos que faltam com um espírito diferente do exibido contra o Alba. No topo, o Cinfães soma e segue. Dá toda a ideia que

é este ano que a formação do Norte quer mesmo materializar a subida que vem “ameaçando” nos últimos anos. Sampedrense e Penalva, as outras formações do distrito que jogam na série C, vão-se preocupando, para já, em conseguir a presença no grupo dos seis da frente, o tal que garante de imediato a permanência e permite lutar pela subida. Gil Peres

15ª jornada - 22 Jan - 15h00 B. C. Branco Ac. Viseu Gândara Nogueirense Águias Moradal Oliv. Bairro Vigor Mocidade Sourense Marinhense Monsanto Tocha Atl. Riachense

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL VISEU DIVISÃO HONRA Jogos em atraso 22 Jan - 15h00 Sp. Lamego Alvite

-

SL Nelas Canas Senhorim

CAMPEONATO NACIONAL FEMININO 16ª jornada - 22 Jan - 15h00 Escola FC Leixões Cadima Vilaverdense Fut. Benfica

-

Murtoense 1º Dezembro Boavista Clube Albergaria Oliveirense

Futebol

Cartão FairPlay Doze golos em dois jogos em casa é sempre um feito assinalável. O Fontelo foi inspirador para a equipa de Paulo Gomes. Independente do adversário, os jogos começam todos a zero e só com o desenrolar da partida se consegue saber o rumo que este toma. Não há jogos fáceis antes de se iniciarem. Só o respeito pelos adversários permite estes resultados. Parabéns pela veia goleadora.

Futebol - Tondela

Aguinaldo transferido para a Grécia Pequenos detalhes separavam, no fecho desta edição, a contratação de Aguinaldo Veiga por parte de um clube da II Divisão grega. O acordo entre gregos e tondelenses estava praticamente fechado, faltando apenas ultrapassar pequenas questões burocráticas, e exa-

mes médicos ao jogador, para que o avançado, que esta época chegou ao Tondela, e que na última temporada alinhou no Tourizense, assinasse pelo clube grego. Sem ser titular indiscutível nas opções de Filipe Moreira, e porque se apresentou como um negócio interessan-

te para os tondelenses, a saída de Aguinaldo foi pacífica. Nesta a lt u ra , n ão é a i nda cer to que possa entrar alguém para preencher a vaga que se abre no plantel, embora tudo possa ainda acontecer até ao fecho do mercado de transferências. GP

Gil Peres

Académic Viseu

A Aguinaldo


D “Ponha aqui o seu Dentinho”

16

culturas VISEU

∑ Câmara Municipal Até dia 4 de Fevereiro Exposição de desenho de Cristina Amorim. MANGUALDE

∑Biblioteca Municipal Até dia 22 de Janeiro Exposição “Arquitectos em Exposição 02”. TONDELA

∑ Museu Municipal Até dia 6 de Março Exposição “O cilindro é o elmo”, de Manuel da Silva Vaz. VILA NOVA DE PAIVA

∑ Auditório Municipal Até dia 30 de Janeiro Exposição “(Trans)aparências”.

∑Até 30 de Janeiro Exposição “Envolvências e Sentimento”, de Pedro Ferreira.

∑ Até 30 de Janeiro Exposição “Arte em Estanho”, de Fernando Gomes LAMEGO

∑ Museu de Lamego Até 30 de Janeiro Exposição “Fotografias do Douro”, do concurso “O

Arcas da memória

Destaque

JP Simões abre temporada na Acert Trimestre∑ Rodrigo Leão e a peça de teatro “Salomé” são outras das atracções A programação para o primeiro trimestre do ano de 2011, do Novo Ciclo Acert, em Tondela, já é conhecida. A temporada abre amanhã, dia 22, com o concerto de JP Simões, acompanhado pelos músicos e os criadores da “Cor da Língua”, da Acert. “Trata-se de um nome incontornável da nova música portuguesa”, enaltece o director, José Rui. Este é o primeiro concerto especial promovido pela Acert, no âmbito do seu 35º aniversário. Rodrigo Leão, “um nome que dispensa apresentação” e mostra “mais um sinal dos grandes espectáculos no âmbito dos 35 anos”, vai subir, pela primeira vez, ao palco da Acert no dia 19 de Fevereiro. No que ao teatro diz respeito, a peça “Salomé” representa uma estreia internacional que empresta uma visão contemporânea e um clássico da dramaturgia universal, pelo Centro Dramático Galego. O espectáculo está marcado para o dia 26 do corrente mês. José Rui referiu duas iniciativas a realizar em cada trimestre: “Acertar na Mu-

A Directores da Acert apresentam programação para 2011 e lamentam cortes orçamentais

che”, que visa elevar o conhecimento dos associados em actividade ludico-cultural, bem como o conhecimento do concelho. E a “Noite dos Abraços”, que irá destinguir personalidades. Felisberto Figueiredo vai ser o primeiro a ser distinguido “pela sua trajectória de afinidades com a Acert e pela forma com que semeou amizades com tunas e associações, através da música e do teatro”. Cortes orçamentais. José Rui lamentou o corte de 23 por cento por parte da Direcção Geral das Artes sobre a Acert que considera ser “ um ponto de referência da cultura nacional”.

roteiro cinemas Alto Douro Vinhateiro”.

VISEU FORUM VISEU (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 13h20, 16h00, 18h40, 21h20, 00h00* A Última Estação (M12) (Digital)

18h30, 21h30, 23h50* As Viagens de Gulliver (M6) (Digital 3D)

Sessões diárias às 18h00, 21h10, 00h10* Tron: O Legado (M12) (Digital 3D)

Sessões diárias às 13h50, 16h25, 19h00, 21h40, 00h15* Os Miúdos Estão Bem! (M16) (Digital)

Sessões diárias às 11h00 (Dom.), 14h00, 16h10,

Sessões diárias às 11h20 (Dom.), 15h00 Entrelaçados VP (M4Q) (Digital 3D)

Sessões diárias às 14h10,

21 | Janeiro | 2011

Amanhã, o Cine-Teatro de Sátão apresenta a comédia “Ponha aqui o seu dentinho”. O filme tem inicio às 21h00, a entrada custa três euros.

Tiago Virgílio Pereira

expos

Jornal do Centro

16h50, 19h20, 21h50, 00h20* Não Há Família do Pior! (M12) (Digital) Sessões diárias às 14h30, 17h00, 19h30, 22h00, 00h30* O Turista (M12) (Digital)

PALÁCIO DO GELO (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 14h00, 16h30, 19h10, 21h40, 00h10*

O director acrescenta que “devia ter-se uma atenção especial pelas especificidades de estruturas desta natureza”. Desconsolado, José Rui fez questão de referir as vastas áreas de negócio que a associação movimenta e que se reflete na economia da região. A Associação Cultural e Recreativa de Tondela vai receber menos 90 mil euros em comparação com o ano transacto. Apesar deste corte, o director garante que “nenhum elemento da equipa da Acert vai ser despedido”.O orçamento global da Acert ronda os 850 mil euros. Tiago Virgílio Pereira

A lenda do “Castanheiro do Ouro” Não longe da cidade de Tarouca que hoje é capital desse território de que o escritor bíblico falaria como se nele corresse leite e mel e ao qual, em jeito de Terra da Promissão deram o título de Vale Encantado, há uma povoação de alegre casario marginando a estrada que recebeu o nome curioso de Castanheiro do Ouro. Ninguém sabe a razão daquele nome, nem sequer a gente mais velha do lugar, nem o texto de um qualquer cronista faz dele menção em pergaminho. Corre o nome de geração em geração e é fácil imaginar que vem do tempo da Mourama que foi por ali senhora dos lugares, basta a gente lembrar-se, ali ao lado, de Ardínia. Diz a lenda, as lendas são sempre textos dourados pelo tempo, que os cristãos se tornaram um dia dominadores destes lugares e que os mouros retiraram à pressa para Sul levando consigo as riquezas de que eram possessores. Mas houve um, cujo nome não sabemos, era mercador e não pôde carregar todo o ouro e pedraria que juntou. E aconteceu que, antes de fugir, escondeu na toca aberta de um velho castanheiro, talvez onde o pica-pau fizera ninho, uma grande bola de ouro. Talvez um dia pudesse ali voltar para

O Turista (M12) (Digital)

Não Há Família Pior! (M12) (Digital)

Sessões diárias às 14h30, 17h30, 21h30, 00h20* Hereafter - Outra Vida (M12Q) (Digital)

Sessões diárias às 13h30, 16h00, 18h40, 21h20, 23h50* Skyline (M12)(Digital) Sessões diárias às 11h00 (Dom.), 13h50, 17h00, 21h00, 00h00* Tron: O Legado (M12) (Digital 3D)

Sessões diárias às 11h20 (Dom.), 13h40, 15h50, 18h00, 21h10, 23h40* As Viagens de Gulliver (M6) (Digital 3D) Sessões diárias às 15h00, 17h20, 19h40, 22h00, 00h30*

Legenda: * Sexta e Sábado

Alberto Correia Antropólogo aierrocotrebla@gmail.com

a levar. Assim terá pensado o mouro. O mouro desterrado para o Sul nunca mais pôde voltar àquele lugar. O castanheiro, esse cresceu. Tinha já mil anos e dava ainda rasas de castanhas. E foi quando um pastor se aproveitou do tronco esburacado para nele descansar numa tarde de calor, que lá achou a bola de ouro deixada há muito tempo pelo mouro. Não sabia aquele pastor que a bola de ouro tinha encanto como os brincos e as pulseiras das mourinhas que ficaram encantadas nos outeiros. Nenhuma voz se ouviu para o avisar. E quando o pastor tomou a bola de ouro em suas mãos logo ela em fumo se tornou. Nunca mais foi o mesmo aquele pastor. Vezes sem conta o pastor contava aquela história e, para fazer crer sua verdade, apontava a mancha negra no tronco esburacado do velho castanheiro. E tanta vez contou o pastor a sua história que o povo do lugar acreditou e deu por nome à sua terra, o nome que para sempre lhe ficou e é ainda, Castanheiro do Ouro.

Estreia da semana

As Viagens de Gulliver–

Nesta versão do conto clássico de Jonathan Swift, Lemuel Gulliver é um escritor que, para impressionar o editor de viagensdo jornal para o qual trabalha, se aventura em águas desconhecidas, num barco com destino ao Triângulo das Bermudas.


D “Dos Homens e dos Deuses”

Jornal do Centro 21 | Janeiro | 2011

CULTURAS 17

O Cine Clube de Viseu apresenta o filme “Dos homens e dos deuses”, de Xavier Beauvois, inserido num ciclo dedicado ao cinema europeu, intitulado “Europa 2011”. O filme tem sessão marcada para terça-feira, dia 25 de Janeiro, no Instituto Português da Juventude.

Variedades

Destaque

“Como fazer uma Comunicação eficaz de Valores” José Alfredo

Workshop ∑ Jornalistas e professores são os principais destinatários

Visitas dançadas Atendendo ao sucesso e à procura deste projecto, o Teatro Viriato retoma, pela terceira vez, Visitas Dançadas, uma criação da coreógrafa francesa Aurélie Gandit. Esta iniciativa convida o público a reler as obras da colecção do Museu Grão Vasco através da percepção do olhar, do movimento e do humor. Nesta visita coreografada, propõe-se uma diferente abordagem à obra de arte, ligada ao conhecimento e às emoções,

Literatura

que questiona a habitual leitura dos espaços museológicos e que possibilita reflectir a relação com o público no contexto dos museus. Durante o percurso, a intérprete Leonor Barata comenta os quadros e esculturas das salas expositivas do Museu conduzindo o público numa viagem emotiva. As primeiras Visitas Dançadas estão marcadas para amanhã, a partir das 16h00, no Museu Grão Vasco, em Viseu.

Concerto

Hoje, na Escola Secundária Felismina Alcântara, em Mangualde, vai ter lugar o workshop “Como fazer uma Comunicação eficaz de Valores”. A partir das 17h30 e até às 20h30, Cristina Vaz de Almeida, consultora de comunicação, aborda questões relativas à comunicação: qual a relação entre os valores e a comunicação, como comunicar eficazmente, qual o perfil de um bom comunicador e como se comunica internamente e externamente de forma eficaz. “Como fazer uma Comunicação eficaz de Valores”, conta com a me-

A Iniciativa decorre da parceria entre a autarquia e a ACCIG diação de Rosabela Afonso e Eugénia Passada, da Associação Cultura, Conhecimento, Igualdade de Género (ACCIG) e tem como principais destinatários professores, profissionais que lidam com o

Teatro

público, jornalistas e todas as pessoas interessadas na temática. Com um limite máximo de 20 participantes, vão ser abordadas questões da comunicação verbal e não verbal e técnicas directivas e

Workshop p

Constantin Sandu visita Lamego

“Estrada Fora” A Fnac, em Viseu, recebe,hoje, a partir d a s 2 1 h 0 0 , o l a nç amento do livro “Estrada Fora”, de Francisco Sande e Castro. “ E st rad a Fora” é u m a compi lação de a r t i g o s p u bl i c a d o s n o s s e m a n á r io s “ O Independente” e “Expresso”, no f i na l da década de 80 e princípios de 90, com prefácio de Miguel Esteves Cardoso. Retrata a mentalidade dos portugueses ao volante, inclui uma secção de artigos sobre algumas corridas e um capítulo sobre viagens feitas pelo autor.

A m a n h ã , o Te a t r o Ribeiro Conceição, em Lamego, recebe a música de Constanti Sandu, a partir das 21h30. A arte interpretativa de Constantin Sandu desenvolveu-se sob a influência dos seus mestres romenos, Sonia Ratescu, Constantin Nitu e, posteriormente, Constantin IonescuVovu no Conservatório Superior de Música “C. Porumbescu” de Bucareste, e de várias outras individualidades marcantes: Sequeira Costa, Dimitri Bashkirov, Helena Sá e Costa e Tânia Achot. A sua distinta personalidade artística alia o rigor e o respeito pelo texto musical a uma sensibilidade poética e a uma imaginação sonora cativantes. A entrada custa cinco euros.

não directivas aplicadas a exercícios práticos. No final da iniciativa serão atribuídos certificados de participação. Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Variedades

“Do Douro ao Nilo”

“Frei Luís de Sousa” O Auditório Municipal Carlos Paredes, em Vila Nova de Paiva, recebe a peça de teatro intitulada “Frei Luís de Sousa”, na Casa dos Afectos - Associação de Intervenção Cultural, no dia 26 de Janeiro, quarta-feira, a partir das 14h00. Frei Luís de Sousa é um texto cimeiro da Literatura Dramática Portuguesa e constitui uma peça de referência e aprendizagem, para o desenvolvimento íntimo das capacidades artísticas e humanas de qualquer actor. As personagens assumem-se como metáforas sociais e políticas de um Portu-

gal sempre adiado, onde os mitos se substituem à vida, traçando-lhe o rumo. O mundo velho e o mundo novo, o mundo visível e o mundo inteligível: D. João de Portugal e Maria. O povo, coro de todas as tragédias: Telmo. A igreja, símbolo do poder: Frei Jorge. O activista culto e empreendedor sempre derrotado: Manuel de Sousa. E o desejo do novo reprimido pelos velhos valores: Madalena. Este é um espectáculo de actores, com a opção estética do preto e branco com algumas roturas de cor a marcar os momentos mais íntimos das personagens. TVP

Recupere o seu emprego A ma n hã vai ter lugar na Fnac, em Viseu, o workshop “Recupere o seu emprego”, a partir das 17h00. A Talenter, empresa que promove o workshop, tem como área operacional a gestão de talentos. Neste âmbito, o objectivo é valorizar competências pessoais e profissionais, ensinar a redigir a carta de apresentação e a elaborar o Curriculum Vitae, potenciando assim a eficácia da procura de emprego. Aprender como prepa ra r a sua entrevista de selecção e como devem correr os primeiros dias de trabalho são outras das temáticas a abordar.

Vai ser inaugurada, hoje, no Museu de Lamego, a exposição de fotografia “Do Douro ao Nilo”, da autoria de Diane Louise. As fotograf ias de descoberta começam à porta de casa. Desde o gato que espreita na folhagem, sobe aos montes e espraiase pelos socalcos que amparam o Douro. Até ao Mediterrâneo, onde percorrendo os mercados do Cairo, levanta o olhar para as grandes pirâmides, e capta os pormenores e as perspectivas que nos fazem pensar História. Do Douro ao Nilo, Diane, através de uma grande sensibilidade, poder narrativo e talento formal, é capaz de nos fazer viajar com ela.


Jornal do Centro

18

21 | Janeiro | 2011

saúde A Santa Casa da Misericórdia de Seia abriu na segunda-feira, dia 17 uma Unidade de Cuidados Continuados de Média e Longa Duração (UCCMLD). O novo equipamento tem capacidade para acolher 44 utentes, 14 de média duração e reabilitação e 30 utentes de longa duração e manutenção. A unidade presta cuidados clínicos de reabilitação e apoio psicossocial, por situação clínica decorrente de recuperação de um processo agudo ou descompensação de processo patológico crónico, a pessoas com perda transitória de autonomia potencialmente recuperável. O internamento, previsível, é superior a 30 dias e inferior a 90 dias consecutivos. A valência de Cuidados Continuados Integrados de Longa Duração e Manutenção tem como objectivo prestar apoio a doentes com processos crónicos, que não

podem ser prestados nos domicílios. A previsibilidade de internamento é superior a 90 dias consecutivos. A UCCMLD poderá ainda proporcionar internamento a doentes com dificuldades de apoio familiar. Localizada junto ao Lar Senhora da Misericórdia, a UCCMLD representa um investimento de cerca de 3,2 milhões de euros financiados em 750 mil euros através do Programa Modelar. Com a abertura da Unidade de Cuidados Continuados Integrados, o concelho de Seia passa a dispor de vários serviços na área dos cuidados continuados a doentes. A Misericórdia e o Hospital de Seia disponibilizam uma Unidade de Média Duração e Reabilitação, uma Unidade de Longa Duração e Manutenção, uma Unidade de Dia e Promoção de Autonomia e uma Unidade de Recuperação Global.

Carlos Marta debate com ministra da Saúde futuro do hospital local Preocupações ∑ Autarca de Tondela recebido em clima de grande abertura O presidente da Câmara de Tondela reuniu na quarta-feira, dia 19, com a ministra da Saúde, Ana Jorge e com os vários grupos parlamentares na Assembleia da República. Em cima da mesa estiveram as preocupações já manifestadas pelo autarca social-democrata sobre os eventuais prejuízos causados ao Hospital Cândido Figueiredo com fusão das unidades de Viseu e Tondela no Centro Hospitalar Tondela - Viseu. “A senhora ministra foi muito sensata e vamos voltar a conversar sobre este assunto”, adiantou Carlos Marta. No entanto, o autarca não trouxe de Lisboa a convicção de que po-

derá haver um recuo na decisão de criar o centro hospitalar: “Não ficámos com essa ideia, dialogámos, reflectimos, o que até agora não tinha acontecido, apresentámos modelos alternativos, no sentido de [Ana Jorge] perceber e estudar, e depois voltar a falar connosco, sem nenhum compromisso da sua parte”. O autarca levou preocupações como a possibilidade de se poderem perder valências e autonomia. Dos encontros com os grupos parlamentares, Carlos Marta considerou que “todos tiveram uma opinião muito franca e aberto nesta matéria”.

FRANCISCO CORTEZ VAZ MÉDICO ESPECIALISTA GINECOLOGIA-OBSTETRÍCIA DOENÇAS DA MAMA COLPOSCOPIA MESTRADO EM PATOLOGIA MAMÁRIA (Faculdade de Medicina da Universidade de Barcelona) CHEFE DE SERVIÇO HOSPITAL S. TEOTÓNIO - VISEU Consultas: Segunda a Quinta a partir das 14 horas

Rua D. António Alves Martins, 40-4ºE 3500-078 - Viseu • Tel/Fax: 232 441 127

Consultório:

SOS VOZ AMIGA

800 202 669 ANGÚSTIA, SOLIDÃO E PREVENÇÃO DO SUICÍDIO CHAMADA GRÁTIS

Emília Amaral

Misericórdia de Seia abre Cuidados Continuados

A Perda de valências e de autonomia são preocupações Em Dezembro, foi aprovado em Conselho de Ministros um decreto-lei que criou o centro hospitalar Tondela – Viseu, juntando o Hospital Cândido de Figueiredo e o Hospital de S. Teotónio. Em conferência de im-

prensa, Carlos Marta já tinha considerado a decisão de criar o centro hospitalar Tondela -Viseu “exclusivamente política” e “não está assente em pressupostos de natureza técnica”. Emília Amaral


Jornal do Centro

SAÚDE 19

21 | Janeiro | 2011

CUBA ANUNCIA VACINA CONTRA CANCRO DO PULMÃO Após 15 anos de pesquisa, Cuba acaba de patentear a CIMAVAX-EF, a vacina contra o cancro do pulmão. A boa nova significa que dentro em breve, o cancro do pulmão poderá deixar de ser o mais letal de todos os tipos e entrar para a lista das doenças crónicas. A descoberta foi anunciada por Gisela González, responsável pelo projecto que desenvolveu a vacina. De acordo com a investigadora, a vacina foi desenvolvida a partir de “uma proteína que todos temos, e explicou que, o organismo tolera “aquilo que é seu” e reage contra “o estranho”, tendo sido preciso elaborar uma vacina que produzisse anticorpos contra essa proteína, que já é própria do organismo. O objectivo da vacina é transformar o cancro do pulmão numa doença crónica controlável. Mais de mil pacientes já estão a receber o novo tratamento.

MISSÕES HUMANITÁRIAS ISENTAS DAS NOVAS TAXAS DE VACINAS Quem viajar para o estrangeiro em missões humanitárias, de cooperação ou religiosas, não vai pagar as novas taxas das vacinas internacionais. É uma excepção às novas regras ditadas pelo Decreto-lei que define que todos os outros viajantes, vão ter de pagar entre 50 a 100 euros pelas vacinas contra a febre amarela, febre tifóide, raiva, meningite tetravalente e encefalite japonesa, que até aqui, tinham um valor simbólico. A ministra da Saúde explicou que a actualização serve para defender um Serviço Nacional de Saúde tendencialmente gratuito e justificou o aumento das vacinas internacionais como uma actualização que segue o exemplo do que se passa noutros países europeus, como a Inglaterra, França ou Espanha.

Nova máquina contra o cancro da mama lançada por portugueses Inovação ∑ ClearPEM Sonic promete acabar com o desconforte e ineficácia das mamografias Um Consórcio europeu liderado por portugueses lançou uma nova máquina que pode revolucionar a prevenção e detecção do cancro da mama. Trata-se de uma máquina inovadora a nível mundial, que acaba com a ineficácia e o desconforto das mamografias, segundo escreve o jornal Expresso “foi concebida por um consórcio internacional liderado por investigadores

portugueses e os primeiros dois protótipos já estão instalados na Universidade de Coimbra e no Hospital Universitário de Marselha”. A ClearPEM Sonic, integra pela primeira vez as tecnologias PET (tomografia por emissão de positrões, isto é, exame imagiológico de medicina nuclear) e de ultrassons (ecografia), o que “permite detectar tumores com apenas um mi-

límetro ou dois milímetros, que estão numa fase inicial, quando o PET clássico não visualiza tumores com menos de 10 milimetros e tem uma sensibilidade 10 vezes menor”. O Consórcio Clear-PEM é, além do INEGI, constituído pelo LIP, PET Consortium, Crystal Clear Collaboration, CERN, IPO-Porto, TagusParque, IBEB, IBILI, INOV e INESC-ID.

A

ClearPEM-Sonic é um scanner baseado em tecnologia PET


Jornal do Centro

20 CLASSIFICADOS

21 | Janeiro | 2011 RESTAURANTE O LEAL CONSSELHEIRO Chefe de Cozinha Zagallo. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Quinta do Catavejo Lt. 44 Mundão, 3505-582 Viseu. Telefone 232 185 071. Observações 6ª a Domingo - Menu de degustação | 2ª a 5ª - Preço Fixo por pessoa. RESTAURANTE CACIMBO Especialidades Frango de Churrasco, Leitão à Bairrada. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua Alexandre Herculano, nº95, Viseu. Telefone 232 422 894 Observações Serviço Take-Away.

PENALVA DO CASTELO OTELHEIRO Especialidades Feijão de Espeto, Cabidela de Galinha, Arroz de Míscaros, Costelas em Vinha de Alhos. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Sangemil, Penalva do Castelo. Observações Sopa da Pedra ao fim-de-semana.

TONDELA

RESTAURANTES VISEU RESTAURANTE O MARTELO Especialidades Cabrito na Grelha, Bacalhau, Bife e Costeleta de Vitela. Folga Não tem. Morada Rua da Liberdade, nº 35, Falorca, 3500-534 Silgueiros. Telefone 232 958 884. Observações Vinhos Curral da Burra. RESTAURANTE BEIRÃO Especialidades Bife à Padeiro, Posta de Vitela à Beirão, Bacalhau à Casa, Bacalhau à Beirão, Açorda de Marisco. Folga Segunda-feira (excepto Verão). Preço médio refeição 12,50 euros. Morada Alto do Caçador, EN 16, 3500 Viseu. Telefone 232 478 481 Observações Aberto desde 1970. RESTAURANTE TIA IVA Especialidades Bacalhau à Tia Iva, Bacalhau à Dom Afonso, Polvo à Lagareiro, Picanha. Folga Domingo. Preço médio refeição 15 euros. Morada Rua Silva Gaio, nº 16, 3500-203 Viseu Telefone 232 428 761. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira) – 6,5 euros.

RESTAURANTE CLUBE CAÇADORES Especialidades Polvo à Lagareiro, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito Churrasco, Javali na Brasa c/ Arroz de Feijão, Arroz de Perdiz c/ Míscaros, Tarte de Perdiz, Bifes de Veado na Brasa. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Muna, Lordosa, 3515-775 Viseu. Telefone 232 450 401. Observações Reservas para grupos e outros eventos. SOLAR DO VERDE GAIO Especialidades Rodízio à Brasileira, Mariscos, Peixe Fresco. Folga Terça-feira. Morada Mundão, 3500-564 Viseu. www.solardoverdegaio.pt Telefone 232 440 145 Fax 232 451 402. E-mail geral@ solardoverdegaio.pt Observações Salão de Dança – Clube do Solar – Sextas, Sábados até às 03.00 horas. Aceita Multibanco. RESTAURANTE SANTA LUZIA Especialidades Filetes Polvo c/ Migas, Filetes de Espada com Arroz de Espigos, Cabrito à Padeiro, Arroz de Galo de Cabidela, Perdiz c/ Castanhas. Folga Segunda-feira. Morada EN 2, Campo, 3510-515 Viseu. Telefone 232 459 325. Observações Quinzena da Lampreia e do Sável, de 17 de Fevereiro a 5 de Março. “Abertos há mais de 30 Anos”.

RESTAURANTE O PERDIGUEIRO Especialidades Peixes Grelhados e ao Sal, Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Assado à Padeiro. Folga Sábado. Morada Quinta do Galo, Lote B R/C Direito, 3500 Viseu. Telefone 232 461 805.Observações Aceita Multibanco.

PIAZZA DI ROMA Especialidades Cozinha Italiana (Pizzas, Massas, Carnes e Vinhos). Folga Domingo e segunda-feira ao almoço. Morada Rua da Prebenda, nº 37, 3500-173 Viseu Telefone 232 488 005. Observações Menu económico ao almoço.

RESTAURANTE PICANHA REAL Especialidades Rodízio de Picanha. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira, Lote 1 R/C, Travassós de Cima, 3500-187 Viseu Telefone 232 186 386/7 - 917 038 215. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira).

RESTAURANTE A BUDÊGA Especialidades Picanha à Posta, Cabrito na Brasa, Polvo à Lagareiro. Acompanhamentos: Batata na Brasa, Arroz de Feijão, Batata a Murro. Folga Domingo. Preço médio por refeição 12,50 euros. Morada Rua Direita, nº 3, Santiago, 3500-057 Viseu. Telefone 232 449 600. Observações Vinhos da Região e outros; Aberto até às 02.00 horas.

RESTAURANTE O VISO Especialidades Cozinha Caseira, Peixes Frescos, Grelhados no Carvão. Folga Sábado. Morada Alto do Viso, Lote 1 R/C Posterior, 3500-004 Viseu. Telefone 232 424 687. Observações Aceitamse reservas para grupos. RESTAURANTE MAJOAL Especialidades Arroz de Pato, Bacalhau c/ Natas, Grelhados, Frango de Churrasco. Folga Segundafeira. Morada Avenida Capitão Silva Pereira, 3500-208 Viseu. Telefone: 232 431 891 - 964 043 709. CORTIÇO Especialidades Bacalhau Podre, Polvo Frito Tenrinho como Manteiga, Arroz de Carqueja, Cabrito Assado à Pastor, Rojões c/ Morcela como fazem nas Aldeias, Feijocas à maneira da criada do Sr. Abade. Folga Não tem. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Rua Augusto Hilário, nº 45, 3500-089 Viseu. Telefone 232 423 853 – 919 883 877. Observações Aceitam-se reservas; Takeway. RESTAURANTE O CAMBALRO Especialidades Camarão, Francesinhas, Feijoada de Marisco. Folga Não tem. Morada Estrada da Ramalhosa, nº 14, Rio de Loba, 3500825 Viseu. Telefone 232 448 173. Observações Prato do dia - 5 euros. RESTAURANTEPORTASDOSOL Especialidades Arroz de Pato com Pinhões, Catalana de Peixe e Carne, Carnes de Porco Preto, Carnes Grelhadas com Migas. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Urbanização Vilabeira Repeses - Viseu. Telefone 232 431 792. Observações Refeições para grupos com marcação prévia. TORRE DI PIZZA Especialidades Pizzas, Massas, Carnes. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Cidade de Aveiro, Lote 16, 3510-720 Viseu. Telefone 232 429 181 – 965 446 688. Observações Menu económico ao almoço – 4,90 euros.

COMPANHIA DA CERVEJA Especialidades Bifes c/ Molhos Variados, Francesinhas, Saladas Variadas, Petiscos. Folga Terçafeira. Preço médio refeição 8,50 euros. Morada Quinta da Ramalhosa, Rio de Loba (Junto à SubEstação Eléctrica do Viso Norte), 3505-570 Viseu Telefone 232 184 637 - 962 723 772. Observações Cervejaria c/amplo espaço (120 lugares), fácil estacionamento, acesso gratuito à internet. RESTAURANTE D. INÊS Especialidades Pratos económicos de Carne e Peixe. Folga Domingo. Preço médio refeição 5 euros. Morada Rua Serpa Pinto, nº 54, 3500 Viseu Telefone 232 428 837 – 232 184 900. QUINTA DO GALO CERVEJARIAS Especialidades Grelhados de Peixe e Carne. Folga Domingo. Morada Quinta do Galo, Lt3 | Bairro Stª Eugénia, Lt21, Viseu. Telefone 232 461 790 Observações Aberto até às 2h00. O CANTINHO DO TITO Especialidades Cozinha Tradicional, Petiscos. Folga Domingo. Morada Rua Mário Pais da Costa, nº 10, Lote 10 R/C Dto., Abraveses, 3515-174 Viseu. Telefone 232 187 231 – 962 850 771. RESTAURANTEBELOSCOMERES(ROYAL) Especialidades Restaurantes Marisqueiras. Folga Não tem. Morada Cabanões; Rua da Paz, nº 1, 3500 Viseu; Santiago. Telefone 232 460 712 – 232 468 448 – 967 223 234. Observações Casamentos, baptizados, convívios, grupos. TELHEIRO DO MILÉNIO QUINTA FONTINHA DA PEDRA Especialidades Grelhados c/ Churrasqueira na Sala, (Ao Domingo) Cabrito e Aba Assada em Forno de Lenha. Folga Sábados (excepto para casamentos, baptizados e outros eventos) e Domingos à noite. Morada Rua Principal, nº 49, Moure de Madalena, 3515016 Viseu. Telefone 232 452 955 – 965 148 341.

EÇA DE QUEIRÓS Especialidades Francesinhas, Bifes, Pitas, Petiscos. Folga Não tem. Preço médio refeição 5,00 euros. Morada Rua Eça de Queirós, 10 Lt 12 - Viseu (Junto à Loja do Cidadão). Telefone 232 185 851. Observações Take-away. GREENS RESTAURANTE Especialidades Toda a variedade de prato. Folga Não tem. Preço médio refeição Desde 2,50 euros. Morada Fórum Viseu, 3500 Viseu. Observações www.greensrestaurante.com MAIONESE Especialidades Hamburguers, Saladas, Francesinhas, Tostas, Sandes Variadas. Folga Não tem. Preço médio refeição 4,50 euros. Morada Rua de Santo António, 59-B, 3500-693 Viseu (Junto à Estrada Nacional 2). Telefone 232 185 959. RESTAURANTEROSSIOPARQUE Especialidades Medalhão de Vitela p/ duas pessoas 800g Pura Alcatra, Bacalhau à Casa, Massa c/ Bacalhau c/Ovos Escalfados, Corvina Grelhada; Acompanhamentos: Migas, Feijão Verde, Batata a Murro. Folga Sábado à Noite e Domingo. Morada Rua Soar de Cima, nº 55 (Junto ao Jardim das Mães – Rossio), 3500-211 Viseu. Telefone 232 422 085. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira) – sopa, bebida, prato e sobremesa ou café – 6 euros. FORNODAMIMI Especialidades Assados em Forno de Lenha, Grelhados e Recheados (Cabrito, Leitão, Bacalhau). Folga Não tem. Preço médio por refeição 14 euros. Morada Estrada Nacional 2, Vermum Campo, 3510-512 Viseu. Telefone 232 452 555. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. QUINTADAMAGARENHA Especialidades Lombinho Pescada c/ Molho de Marisco, Cabrito à Padeiro, Nacos no Churrasco. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Nó 20 A25, Fragosela, 3505-577 Viseu. Telefone 232 479 106 – 232 471 109. Fax 232 479 422. Observações Parque; Serviço de Casamentos. CHURRASQUEIRARESTAURANTESTºANTÓNIO Especialidades Bacalhau à Lagareiro, Borreguinho na Brasa, Bacalhau à Brás, Açorda de Marisco, Açorda de Marisco, Arroz de Lampreia. Folga Quarta. Morada Largo Mouzinho de ALbuquerque (Largo Soldado Desconhecido). Telefone 232 436 894. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes, Festas. RODÍZIOREAL Especialidades Rodízio à Brasileira. Folga Não tem. Preço médio por refeição 19 euros. Morada Repeses, 3500-693 Viseu. Telefone 232 422 232. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. RESTAURANTEOPOVIDAL Especialidades Arroz de Pato, Grelhados. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira Lt9 1ª Fase, Viseu. Telefone 232 284421. Observações Jantares de grupo. RESTAURANTEACOCHEIRA Especialidades Bacalhau Roto, Medalões c/ Arroz de Carqueija. Folga Domingo à noite. Morada Rua do Gonçalinho, 84, 3500-001 Viseu. Telefone 232 437 571. Observações Refeições económicas ao almoço durante a semana.

RESTAURANTE BAR O PASSADIÇO Especialidades Cozinha Tradicional e Regional Portuguesa. Folga Domingo depois do almoço e Segunda-feira. Morada Largo Dr. Cândido de Figueiredo, nº 1, Lobão da Beira, 3460-201 Tondela. Telefone 232 823 089. Fax 232 823 090 Observações Noite de Fados todas as primeiras Sextas de cada mês. RESTAURANTE PONTO DE ENCONTRO Especialidades Grelhada Mista do Oceanos, Grelhada à Ponto de Encontro, Bacalhau c/ Natas, Bife à Ponto de Encontro. Folga Sábado. Morada Avenida do Salgueiral, nº 3, Fojo, Molelos, 3460211 Tondela. Telefone 232 812 867. Observações Casamentos, Baptizados e outros eventos; Refeições económicas (Almoço – 2ª a 6ª feira) – 5 e 6 euros. RESTAURANTE SANTA MARIA Especialidades Cozido à Portuguesa, Picanha, Borrego Estufado, Bacalhau Santa Maria. Folga Quarta-Feira. Preço médio por refeição Desde 6,50 euros. Morada Avenida da Igreja, nº 989, Canas de Santa Maria, 3460-012 Tondela. Telefone 232 842 135. Observações Refeições económicas c/ tudo incluído – 6,50 euros; Refeições p/ fora – 5,50 euros.

NELAS RESTAURANTE QUINTA DO CASTELO Especialidades Bacalhau c/ Broa, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito à Padeiro, Entrecosto Vinha de Alhos c/ Arroz de Feijão. Folga Sábado (excepto p/ grupos c/ reserva prévia). Preço médio refeição 15 euros. Morada Quinta do Castelo, Zona Industrial de Nelas, 3520-095 Nelas. Telefone 232 944 642 – 963 055 906. Observações Prova de Vinhos “Quinta do Castelo”.

VOUZELA RESTAURANTE O REGALINHO Especialidades Grelhada Mista, Naco de Vitela na Brasa c/ Arroz de Feijão, Vitela e Cabrito no Forno, Migas de Bacalhau, Polvo e Bacalhau à Lagareiro. Folga Domingo. Preço médio refeição 10 euros. Morada Rua Teles Loureiro, nº 18 Vouzela. Telefone 232 771 220. Observações Sugestões do dia 7 euros. TABERNA DO LAVRADOR Especialidades Vitela à Lafões Feita no Forno de Lenha, Entrecosto com Migas, Cabrito Acompanhado c/ Arroz de Cabriteiro, Polvo Grelhado c/ batata a Murro. Folga 2ª Feira ao jantar e 3ª todo o dia. Preço médio refeição 12 euros. Morada Lugar da Igreja - Cambra - Vouzela. Telefone 232 778 111 917 463 656. Observações Jantares de Grupo.

SANTA COMBA DÃO

OLIVEIRA DE FRADES OS LAFONENSES – CHURRASQUEIRA Especialidades Vitela à Lafões, Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Casa, Bife de Vaca à Casa. Folga Sábado (excepto Verão). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua D. Maria II, nº 2, 3680-132 Oliveira de Frades. Telefone 232 762 259 – 965 118 803. Observações Leitão por encomenda.

PAULO DE ALMEIDA LOPES Morada Travessa da Balsa, nº 21 3510-051 Viseu Telefone 232 432 209 Fax 232 432 208 Email palopes4765c@adv.oa.pt ANTÓNIO M. MENDES Morada Rua Chão de Mestre, nº 48, 1º Dto., 3500-113 Viseu Telefone 232 100 626 Email antonio.m.mendes3715c@adv.oa.pt ARNALDO FIGUEIREDO E FIRMINO MENESES FERNANDES Morada Av. Alberto Sampaio, nº 135 – 1º, 3510-031 Viseu Telefone 232 431 522 Fax 232 431 522 Email a-figueiredo@iol.pt e firminof@iol.pt

Morada Rua Conselheiro Afonso

FILIPE FIGUEIREDO

RESTAURANTE SANTA RITA Especialidades Bacalhau Espiritual, Bacalhau com camarão, Bacalhau Nove Ilhas, Bife de Atum, Alcatra, Linguiça do Pico, Secretos Porco Preto, Vitela. Folga Quarta-feira. Preço médio refeição 10 euros. Morada R. Rainha Santa Isabel, em frente ao Hotel Cinquentenário, 2495 Fátima. Telefone 249 098 041 / 919 822 288 Observações http:// santarita.no.comunidades.net; Aceita grupos, com a apresentação do Jornal do Centro 5% desconto no total da factura.

ADVOGADOS

STAURANTE PRATO D’OURO Especialidades Cozinha Regional Morada EN 2, 1189 Adiça 3460-321 Tondela Telefone 232 816 537. Observações Refeições Económicas (2ª a 6ª feira), Refeições p/ fora.

RESTAURANTE TÍPICO O PEDRO Especialidades Mariscos, Grelhados e Pratos Regionais. Paelha, Camarão À Pedro, Arroz de Marisco, Bacalhau Zé Pipo, Carne Porco Alentejana, Naco, Cabrito, Cabidela de Galo. Folga Não tem. Morada Rua Principal, nº 11 A, 3440465 São João de Areias. Telefone 232 891 577 – 964 262 750. Observações Casamentos, Baptizados, Grupos; Espaço Verde.

MANUEL PACHECO

Morada Rua Alves Martins, nº 10 – 1º, 3500-078 Viseu Telefones 232 426 917 / 232 423 587 - Fax 232 426 344

FÁTIMA

Morada Rua da Vitória, nº 7 – 1º, 3500-222 Viseu Telefone 232 458

RESTAURANTE O CAMPONÊS Especialidades Nacos de Vitela Grelhados c/ Arroz de Feijão, Vitela à Manhouce (Domingos e Feriados), Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Grelhado c/ Arroz de Miúdos, Arroz de Vinha d´Alhos. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 12 euros. Morada Praça da República, nº 15 (junto à Praça de Táxis), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 711 106 – 964 135 709.

Lobo, 59 – 1º DF, 3500-071 Viseu Telefone 232 426 664 Fax 232 426 664 Telemóvel 965 054 566 Email anapaula.madeira@sapo.pt

MARQUES GARCIA Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº 218 – C.C.S. Mateus, 4º, sala 15, 3514-504 Viseu Telefone 232 426 830 Fax 232 426 830 Email marques.garcia-3403c@advogados. oa.pt

VISEU

RESTAURANTE QUINTA DO MARQUÊS Especialidades Bacalhau c/ Natas, Rojões à Beirão, Vitela à Lafões, Tiramisú. Folga Domingo (Dezembro a Junho). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Galerias Quinta do Marquês, 2º Piso, Fracção Z (junto ao Pav. Desportivo Municipal e Piscinas), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 723 815. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira).

ANA PAULA MADEIRA

Morada Rua D. Francisco Alexandre

RESTAURANTE EIRA DA BICA Especialidades Vitela e Cabrito Assado no Forno e Grelhado. Folga 2ª Feira. Preço médio refeição 15 euros. Morada Casa da Bica - Touça - Paços de Vilharigues - Vouzela. Telefone 232 771 343. Observações Casamentos e Baptizado. www.eiradabica.com

RESTAURANTE S. BARNABÉ Especialidades Chanfanas, Comida Italiana, Cozinha Tradicional, Arroz de Polvo c/ Gambas Morada Rua dos Bombeiros Voluntários, nº80 - 3460-572 Tondela Telemóvel 969 723 146. Observações Comida para fora.

SÃO PEDRO DO SUL

JOÃO MARTINS M o r a d a R ua D. A ntón io A lves Martins, nº 40 – 1º A, 3500-078 Viseu Telefone 232 432 497 Fax 232 432 498

ANTÓNIO PEREIRA DO AIDO Morada Rua Formosa, nº 7 – 1º, 3500135 Viseu. Telefone 232 432 588 Fax 232 432 560 CARLA DE ALBUQUERQUE MENDES

029 Fax 232 458 029 Fax 966 860 580

MARIA DE FÁTIMA ALMEIDA Morada Rua Miguel Bombarda, nº 37 – 1º Esq. Sala G, 3510-089 Viseu Telefone 232 425 142 Fax 232 425 648 CATARINA DE AZEVEDO Morada Largo General Humberto Delgado, nº 1 – 3º Dto. Sala D, 3500139 Viseu Telefone 232 435 465 Fax 232 435 465 Telemóvel 917 914 134 Email catarina-azevedo5275c@adv.oa.pt CARLA MARIA BERNARDES

Morada Rua Conselheiro Afonso de

Melo, nº 39 – 2º Dto., 3510-024 Viseu Telefone 232 431 005

de Melo, nº 31 – 5º, sala 502, 3510024 Viseu Telefone 232 441 235 Telemóvel 964 868 473 Email filipe.figueiredo-5153c@adv.oa.pt FABS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS – RENATO FERNANDES, JOÃO LUÍS ANTUNES, PAULO BENFEITO Morada Av. Infante D. Henrique, nº 18 – 2º, 3510-070 Viseu Telefone 232 424 100 Fax 232 423 495 Email fabs.advogados@netvisao.pt JOÃO NETO SANTOS Morada Rua Formosa, nº 20 – 2º, 3500134 Viseu Telefone 232 426 753 CONCEIÇÃO NEVES E MICAELA FERREIRA – ADVOGADAS

Morada Av. Dr. António José de

Almeida, 264 – Forum Viseu [NOVAS I NS TA L AÇÕE S], 3510 - 0 43 Viseu Telefone 232 421 225 Fax 232 426 454 BRUNO DE SOUSA Esc. 1 Morada Rua D. António Alves Martins Nº 40 2ºE 3500-078 VISEU Telefone 232 104 513 Fax 232 441 333 Esc. 2 Morada Edifício Guilherme Pereira Roldão, Rua Vieira de Leiria N º14 2430 - 30 0 Ma r i n ha Gra nde Telefone 244 110 323 Fax 244 697 164 Tlm. 917 714 886 Áreas preferenciais Crime | Fiscal | Empresas

MANGUALDE

JOSÉ MIGUEL MARQUES Morada Rua 1º de Maio, nº 12 – 1º Dto., 3530-139 Mangualde Telefone 232 611 251 Fax 232 105 107 Telemóvel 966 762 816 Email jmiguelmarques4881c@adv.oa.pt JOSÉ ALMEIDA GONÇALVES Morada Rua Dr. Sebastião Alcântara, nº 7 – 1º B/2, 3530-206 Mangualde Telefone 232 613 415 Fax 232 613 415 Telemóvel 938 512 418 Email jose.almeida.goncalves-14291l@adv. oa.pt

JOÃO PAULO SOUSA

M o r a d a L g. Genera l Humber to

Delgado, 14 – 2º, 3500-139 Viseu Telefone 232 422 666 ADELAIDE MODESTO

Morada Av. Dr. António José de

Almeida, nº275 - 1º Esquerdo - 3510047 Viseu Telefone/Fax 232 468 295

NELAS

JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges. silva@mail.telepac.pt


Jornal do Centro

CLASSIFICADOS 21

21 | Janeiro | 2011

DIVERSOS Crianças e jovens modelos fotográficos e passerelle. T. 915 363 552 / 969 581 488

Vendo total ou parte de Clínica Médica Dentária / Médico-cirúrgica -Alvará- a funcionar há 3 anos. Material como novo. Centro Viseu. Vários Gabinetes e Especialidades. T. 967 551 878 / 936 019 709

IMOBILIÁRIO VENDE-SE Creche/Infantário no centro da cidade. Bom preço. T. 963 101 955 Pizzaria óptima localização, bem equipada, excelente clientela. Bom preço. T. 919 318 355

T2 óptimo estado, aquec. central, cozinha equipada. 91.500,00€ T. 917 921 823

Moradia c/ boas áreas, cozinha mob. e equipada, logradouro. 125.000,00€ T. 969 090 018

T2 c/ pré – inst. aquec. central, cozinha mob. e equipada, garagem. 92.500,00€ T. 969 090 018

Moradia Isolada em Silgueiros, 3 quartos c/ roup.(1 suite), 2 WC´s, escritório, cozinha completa c/ despensa, lareira c/ recuperador, aq. central, churrasqueira fechada, wc exterior p/ área de lazer, jardim, quintal c/ árvores de fruto e oliveiras, anexos, cave ampla c/ 200m2. Óptima exposição solar. T. 963 157 877

Moradia c/ aquec. central, cozinha equipada, 450m2 área descoberta.184.000,00€ T. 917 921 823

OPORTUNIDADE DE NEGOCIO

ÁREA: Publicidade / Marketing Se é empreendedor e quer fazer parte de um grupo de sucesso a nivel internacional, agarre esta oportunidade. INVESTIMENTO: 10.000€ Enfrente a crise e crie o seu proprio negocio. Contacto: joaofigueiredo83@gmail.com”

Casa antiga p/ restauro c/ cave - área coberta 131m2 + 195m2 de logradouro, no centro de Silgueiros. T. 917 239 296 / 962 309 454 T1/T2/T4 - Oliveira de frades - Cond. Privado - a partir de 80.000€ T. 938 729 302 Moradia em pedra para reconstruir com 802m2 de terreno - Fiais - Campia - 35.000€ T. 919 376 451 Terreno para isolada com 802 m2 - a 5 km da A25 - Vilharigues - Vouzela 24.000€ T. 938 729 302 T3 - Oliveira de frades - Jto aos bombeiros, c/ lugar de garagem, lareira, excelente estado - 90.000€ T. 919 376 451 Armazém na zona industrial - a 8 km da A25 - 464m2 a. coberta + 5000m2 a. descoberta T. 938729302 T2 - No gerós - S. Pedro do Sul - mobilado - vende/arrenda - 65.000€/300€ T. 919 376 451 T2 Duplex c/160m2 área, aquec. central, garagem. 86.000,00€ T. 969 090 018

INSCRIÇÕES ABERTAS!

Formação Pedagógica Inicial de Formadores A COMPETIR Formação e Serviços, SA, empresa acreditada pela DGERT desde 1993, vai iniciar brevemente o curso de Formação Pedagogica Inicial de Formadores, com a duração de 96 horas. Destinatários: público em geral e profissionais que pretendam ministrar formação profissional na sua área académica ou profissional. Valor: 285€

Local da realização: Competir - Formação e Serviços, SA Rua Quinta do Bosque 191 RC drt. 3510-085 Viseu Inscrições: 232 452 520 ou marta.santos@competir.com.pt

1.ª Publicação

(Jornal do Centro - N.º 462 de 21.01.2011)


Jornal do Centro

22 INSTITUCIONAIS | NECROLOGIA

21 | Janeiro | 2011

Arminda Marques, 82 anos, casada. Natural e residente em Moreira, Nelas. O funeral realizou-se no dia 17 de Janeiro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Moreira. Agência Funerária Nisa, Lda. Nelas Tel. 232 949 009

2.ª Publicação

1.ª Publicação

António José Garcia Fonseca, 61 anos, casado. Natural da República do Congo e residente em Viseu. O funeral realizouse no dia 14 de Janeiro, pelas 9.30 horas, para o cemitério do Prado do Repouso, no Porto. Ângelo Rodrigues Ferreira, 65 anos, viúvo. Natural de Abraveses e residente em Viseu. O funeral realizou-se no dia 14 de Janeiro, pelas 15.30 horas, para o cemitério de Abraveses. A ntónio Ca rlos do A ma ra l Lopes Ferreira, 71 anos, casado. Natural de Viseu e residente em Repeses. O funeral realizouse no dia 15 de Janeiro, pelas 15.30 horas, para o cemitério novo de Viseu.

(Jornal do Centro - N.º 462 de 21.01.2011)

Maria Natália, 83 anos, viúva. Natural de Canas de Senhorim e residente em Cavernães. O funeral realizou-se no dia 15 de Janeiro, pelas 15.30 horas, para o cemitério de Cavernães.

1.ª Publicação

Carlos de Sousa, 85 anos, v iúvo. Nat ura l de Sátão e residente em S. Salvador. O funeral realizou-se no dia 16 de Janeiro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de S. Salvador. José Marques Gonçalves, 67 anos, casado. Natural de Povolide e residente em Vila Corça. O funeral realizou-se no dia 18 de Janeiro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Povolide.

(Jornal do Centro - N.º 462 de 21.01.2011)

Cordália de Jesus Marques Raimundo, 78 anos, casada. Natural e residente em Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 19 de Janeiro, pelas 16.30 horas, para o cemitério local. Ag. Fun. Decorativa Viseense, Lda. Viseu Tel. 232 423 131

(Jornal do Centro - N.º 462 de 21.01.2011)

2.ª Publicação 2.ª Publicação

2.ª Publicação

(Jornal do Centro - N.º 462 de 21.01.2011)

(Jornal do Centro - N.º 462 de 21.01.2011)

(Jornal do Centro - N.º 462 de 21.01.2011)


Jornal do Centro

DEscreva-nos para:

21 | Janeiro | 2011

ARTIGO DA SEMANA

clubedoleitor

23

Jornal do Centro - Clube do Leitor, Bairro S. João da Carreira, Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lt 10, r/c . 3500 -187 Viseu. Ou então use o email: redaccao@jornaldocentro.pt As cartas, fotos ou artigos remetidos a esta secção, incluindo as enviadas por e-mail, devem vir identificadas com o nome e contacto do autor. O semanário Jornal do Centro reserva-se o direito de seleccionar e eventualmente reduzir os originais. Não se devolvem os originais dos textos, nem fotos.

Prendam-nos! Percorro quase todos os dias a Estrada Nacional (EN) 229, que liga Viseu a Sátão e pergunto a mim mesmo como é que os ditos engenheiros e outros especialistas que fazem estupidezes daquelas nunca são penalizados. Numa segundo reflexão, também me questiono se teriam sido forças políticas mais altas a levantarem-se e os engenheiros tiveram que fazer como está, mesmo que esteja tudo mal feito. A Estrada Nacional 229 sempre foi uma via perigosa. A Estrada Nacional 229 sempre foi uma estrada que fez escrever muitas notícias nos jornais pelo número elevado de acidentes. A Estrada Nacional 229 sofreu obras de melhoramento há menos de

um ano, mas continua perigosa, continua a ser propícia a acidentes pela quantidade de pontos negros que tem, se calhar até mais agora, continua a ter traços contínuos em exagero, só que, calaram-se as vozes que em tempos se levantaram contra a estrada e os utentes frequentadores habituais daquela via nunca mais têm direito a uma estrada alternativa. Se matamos somos julgados, se roubamos, vamos a julgamento, se estacionamos mal somos multados, se pagamos impostos por isto e por aquilo, porque é que nunca mais se penaliza quem traça estradas tão mal como esta EN 229? E prendam-nos! Jaime C.

GENTE DA NOSSA TERRA > ALCÍDIO MARQUES, 49 ANOS, PINTOR

CANTINHODOANIMAL | ADOPÇÕES

“A natureza pariu-me para pintar”. É com estas palavras que Alcídio Marques explica a vocação que desde cedo viu crescer dentro dele: “em criança improvisava telas a partir de caixas de sapatos e pintava com o que tinha à mão”, lembra. Das várias figuras públicas que já retratou o pintor de Viseu destaca Mário Soares, Álvaro Cunhal, Otelo Saraiva de Carvalho e Cavaco Silva, este último por encomenda da autarquia de Lamego, quadro que em breve será entregue a Cavaco Silva em cerimónia oficial em Lisboa. Vencedor de vários prémios, Alcídio Marques destaca uma exposição que levou em 2008 ao Canadá e na qual vendeu as 15 telas que levou para mostra. Em 2006 o pintor foi, ainda, o autor do cartaz da Feira de S. Mateus. Adepto da imaginação enquanto instrumento de trabalho, Alcídio Marques inicia sempre os seus quadros com a tela no chão. “Sigo o que é proibido, aquilo a que os críticos apelidam de errado”, conta o pintor que vende os seus quadros a preços “baratos, mas caros para a bolsa da grande maioria dos portugueses”. Apesar disso, afirma ser possível viver-se da arte em Portugal, embora seja “uma vida muito sofredora”.

CANTINHO DOS ANIMAIS ABANDONADOS DE VISEU • RIO DE LOBA • 232 449 934

Com cerca de oito meses, esta cadela é de porte médio. Está vacinada, desparasitada e vacinada. É muito meiga.

FOTO DA SEMANA

Depois de 30 anos à espera da constr ução do novo quartel para a corporação de Bombeiros Voluntários de Viseu, esta imagem tem um significado acrescido. A nova casa dos bombeiros está pronta e os acessos finalmente desbloqueados. Dia 20 de Fevereiro vai ser inaugurado o tão esperado equipamento que se situa na Freguesia de Rio de Lôba, paralelo ao IP5. Esta rubrica está aberta à participação dos leitores. Submeta a sua denúncia para redaccao@jornaldocentro.pt

Fêmea, com cerca de um ano. É de porte pequeno e está desparasitada e vacinada. Será esterilizada muito em breve.

Fêmea, com cerca de dois meses. É de porte médio, arraçada de caniche. Está vacinada e desparasitada. Será esterilizada aos sete/ oito meses.


tempo: pouco nublado

JORNAL DO CENTRO 21 | JANEIRO | 2011

∑agenda

Hoje, dia 21 de Janeiro, céu parcialmente nublado. Temperatura máxima de 8ºC e mínima de 0ºC. Amanhã, dia 22 de Janeiro, céu parcialmente nublado. Temperatura máxima de 7ºC e mínima de -3ºC. Domingo, dia 23 de Janeiro, céu limpo. Temperatura máxima de 6ºC e mínima de -3ºC. Segunda, dia 24 de Janeiro, céu limpo. Temperatura máxima de 7ºC e mínima de -5ºC.

Impresso em papel que incorpora 30 por cento de fibra reciclada, com tinta ecológica de base vegetal

Olho de Gato

http://twitter.com/olhodegato http://joaquimalexandrerodrigues.blogspot.com

Sábado, 22

Presidenciais (#2)

Tondela

Viseu

∑Visitas Dançadas ao Museu Grão Vasco, às 16h00. uma criação da coreógrafa francesa Aurélie Gandit que convida o público a reler as obras da colecção do Museu Grão Vasco através da percepção do olhar, do movimento e do humor. Mangualde

∑Workshop “Como fazer uma comunicação eficaz de valores”, às 17h30 na Escola Secundária Felismina Alcântara.

Domingo, 23 Sátão

∑ Sarau de apresentação do roteiro turístico de Sátão, às 21h00, no Cine-teatro Municipal. Os turistas e visitantes vão ter um novo roteiro turístico com os monumentos, percursos e gastronomia.

Joaquim Alexandre Rodrigues joaquim.alexandre.rodrigues@netvisao.pt

Nuno Ferreira

∑ Concerto especial dos 35 anos da ACERT, às 21h45, no Auditório 1, com JS Simões e a participação especial de “A Cor da Língua” do Trigo Limpo.

A Jornalistas e investidores provam vinho do Dão na próxima semana

Comitiva americana visita região do Dão Distinção∑ Quinta de Cabriz elogiado por publicação dos EUA O vinho do Dão “Quinta de Cabriz tinto 2008” foi distinguido na primeira edição de 2011 da revista norte-americana “Wine Spectator”. O vinho, produzido pela Dão Sul / Global Wines, é elogiado na publicação pela sua “boa estrutura e músculo”, sendo ainda considerado “distinto, com um fascínio muito selvagem”. Para Arlindo Cunha, presidente da Comissão Vitivínicola Regional do Dão (CVRD), este realce dado a um vinho produzido na região é “mais um sinal claro do potencial dos vinhos do Dão”, referindo que esta distinção, tal como outras obtidas

Publicidade

R. Dr. António José de Almeida, nº 52 R/C 3510-042 Viseu (em frente à Segurança Social)

recentemente em todo o mundo, possa reflectir-se no “aumento das exportações”. Prova colectiva de vinhos. Tendo como base a estratégia de promoção dos Vinhos do Dão em mercados externos, a CVRD recebe entre a próxima segunda e quarta-feira (dias 24 e 26 de Janeiro), um grupo de jornalistas e importadores vindos dos Estados Unidos da América. Após o jantar de boasvindas, que tem lugar no dia 24, a comitivia norteamericana faz na manhã de 25 de Janeiro uma prova colectiva de vinhos, que tem lugar no Solar do

Vinho do Dão, em Viseu. No final da prova, e tendo por base a degustação dos vinhos, os jornalistas e importadores serão os responsáveis pela selecção de quintas e adegas a visitar na tarde de terçafeira e na manhã de quarta, dia 26. Seg u ndo A rli ndo Cunha, este “exercício” vai permitir à comitiva norte-americana ter “contacto com aquilo que mais diferenciador julgam que o Dão tem”, contribuindo, desta forma para abrir “novas oportunidades de promoção e negócio em mercados internacionais”. Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

1. Estão aí as eleições presidenciais. Este tormento começou há um ano, em Janeiro de 2010, pelas mãos do poeta Alegre e do teleevangelista Louçã, mais tarde acolitados por Carlos César, o tal que subtraiu os “seus” funcionários aos sacrifícios do PEC3. Esse trio impôs a vacuidade alegre e tornou impossível o aparecimento de um candidato com espessura, um candidato moderado e sensato capaz de fazer história, isto é, capaz de impedir a reeleição do pior presidente desta nossa terceira república. Pelo que fez nos últimos cinco anos, Cavaco Silva não merecia ter a vida assim tão facilitada. Para o tormento ser maior, toda a campanha foi feita com as candidaturas a deitarem trampa para a frente da ventoinha, trampa que depois, evidentemente, se espalhou em todas as direcções. O blogue Olho de Gato, no sábado, ironizou: Esgotado o assunto “acções do BPN”, propõe-se este tema para

a segunda semana da campanha: «o cavaco provoca o cancro do pulmão!» A segunda semana de campanha, infelizmente, não foi menos infecta. Pelo menos até à altura em que estou a escrever esta crónica (quarta-feira de manhã). Resta assinalar o que de positivo aconteceu: — foi bom Cavaco Silva ter decidido não usar outdoors. Recorde-se: em 2009, os partidos gastaram 29 milhões de euros dos nossos impostos em outdoors. Tem que se aplaudir o que aconteceu agora e desejar que este exemplo de contenção se repita em futuras eleições. — o candidato Fernando Nobre, um homem bom, não participou em campanhas sujas. Ao menos ele. 2. O resgate grego, em Maio, foi de 110 mil milhões de euros. O irlandês, em Novembro, foi de 85 mil milhões. Esta semana o The Telegraph avançou um número para o bailout português: 80 mil milhões. Vai ser em Fevereiro?

Jornal do Centro - Ed462  

Jornal do Centro - Ed462

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you