Issuu on Google+

Publicidade

Distribuído com o Expresso. Venda interdita.

UM JORNAL COMPLETO

Publicidade

pág. 02 pág. 06 pág. 08 pág. 10 pág. 18 pág. 20 pág. 22 pág. 25 pág. 28 pág. 29 pág. 30 pág. 31

DIRECTOR

Pedro Costa

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > À CONVERSA > REGIÃO > NEGÓCIOS > DESPORTO > CULTURAS > SAÚDE > RESTAURANTES > CLASSIFICADOS > NECROLOGIA > CLUBE DO LEITOR

Semanário 03 de Dezembro de 2010 Sexta-feira Ano 9 N.º 455

1,00 Euro (IVA 5% incluído)

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

|Telefone:232437461·Fax:232431225·BairroS.JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

Tudo ou nada pelo comércio local | página 6

∑ Centro comercial a céu aberto ∑ Aquecedores na rua ∑ Animação de Natal Gala APPACDM promove evento solidário para criar residência de autónomos

última

Vouzela Junta de Freguesia atrai pessoas para o comércio de rua

página 19

Viseu Coro Mozart conquista público estrangeiro

página 22

Neve Protecções civis aconselhadas a munir-se com equipamentos

Jornal do Centro

03 | Dezembro | 2010

sugestões

17

Fim-de-Ano

Sugestões o Fim-de-Ano

Info

Pousada de Viseu

∑ História

Noite de Gala com

∑ Música ao vivo ∑ Jantar de Gala ∑ Requinte ∑ Kids Club ∑ Informações e reservas: 232 457 320

Ice Club

requinte

A Pousada de Viseu e animação convida-o a passar até às 03h00 nóplia uma da manhã. de pratos que fanoite com requinte Para quem zem num não quiser as delícias de qualedifício totalmente pernoitar o quer um. Exemplo disso re- preço é de modelado e cujo 85 euros por é o consommé de tra- pessoa , amêisendo que as çado original joas com pesto de data de crianças coenentre os três 1842. os 12 anos usufruem e tros ou o lombinho de Disponível para de vitela tostado a noi- 50 por cento com queite da passagem de descon- jo de ano to sob da serra certificado o preço estipulaestá o “Programa batata-doce assada e Fim de do e kids em club. Ano”, com preços flor de sal. que A noite, que vão desde os 270 O bar é aberto e euros inesquecível, se exige as sopor quarto e noite tem iní- bremesas que cio às 19h30 são servidas inclui a festa com com um co- em jantar cktail de buffet. Para os mais boas vindas, ao de gala, música corajosos, já de ao vivo qual se madrusegue uma pagada é servida a ceia.

Diversão até ser dia

A contar com casa cheia dança distintas, o Ice Club promete uma tinada ao house uma des- para as 23h00 o Ice Club noite de passagem comercial vai estar de ano e outra aos aberto até de maritmos latinos. com muita animação nhã com e Nessa noite as alegria. duas pistas pamento o melhor equique existe ao nívão ser animadas Situada no Palácio na noi- vel de som, do te mais longa imagem e luz, Gelo Shopping esta do ano pelos aliada nova três dj’s residentes à melhor discoteca da cidade e pelo especialmente decoração de Grupo Musical escolhida Viseu faz parte do FUÁ que para grupo uma Noite Biba e foi inaugura- estará a animar com mú- marcada noite que ficará na memória de sica ao vivo e que da no Verão passado. apresen- todos os que o visitarem. ta tendências dos Sendo uma estreia ritmos À meia-noite o Ice para nordestinos, Club o Ice Club no que do samba, do oferece diz res- forró, das o champanhe e as harmonias das peito ao final de ano, tradicionais passas este bossas novas para espaço oferece aos com a fusão que possa entrar no seus dos ritmos ano africanos. clientes duas pistas de Com abertura prevista de 2011 da melhor maneira possível.

Info ∑ Duas pistas ∑ Três dj’s ∑ Música brasileira ao vivo ∑ Champanhe ∑ Passas ∑ Decoração especial ∑ Informações: 966 234 409

página 10

Publicidade

Nuno Ferreira

À conversa

“Viseu não era um deserto de ideias republicanas” António Amaro e Jorge Adolfo escreveram Roteiro Republicano de Viseu | página 8


2

Jornal do Centro 03 | Dezembro | 2010

praçapública rA crise está nas nossas cabeças”.

palavras

rViseu já é um cluster das energias renováveis”

deles João Cotta Presidente da Associação Empresarial da Região de Viseu (Diário de Viseu, debate sobre ensino técnico-profissional e empreendedorismo da Escola Profissional de Tondela, 30 de Novembro)

A política vale a pena!

Tiago Patrício Gouveia Dirigente da Expovis (Conferência de imprensa de apresentação da ENERVIDA’11, 25 de Novembro)

Bilhete Postal

Acácio Pinto Deputado do PS aspinto@ps.parlamento.pt

De uma penada, João Azevedo apresentase com uma carteira de 31 investidores para o seu concelho, com a criação de 726 postos de trabalho”

Opinião

Alexandre Azevedo Pinto Economista alexazevedopinto@sapo.pt

Há políticas e políticos que valem a pena. Quanto às políticas, por exemplo, são as políticas que criam emprego e riqueza e quanto aos políticos são os que têm a capacidade para as implementarem nos seus territórios. Falo de Mangualde, onde esta feliz conjugação está a acontecer. E está a acontecer pela mão de um jovem político que está a revelar toda a sua capacidade muito para além daquilo que, porventura, muitos imaginavam. Cinjo-me, hoje, àquilo a que assistimos esta semana em Mangualde. Uma aposta clara da Câmara e do seu Presidente nas áreas empresariais e nas empresas para recolocar

a sua terra no rumo do desenvolvimento e do emprego de que estava afastada na última década. De uma penada, depois de muitas negociações institucionais em Portugal e no estrangeiro, João Azevedo apresenta-se com uma carteira de 31 investidores para o seu concelho, com a criação de 726 postos de trabalho e com um investimento previsto de 42 milhões de euros. João Azevedo podia estar, como alguns fazem, a lastimarse com a falta de apoio para o comércio local; a dizer que os modelos de desenvolvimento desertificam o centro… Poder, podia… mas não era a mesma coisa!

rAs questões

centrais do desenvolvimento de Resende jogam-se na escola, porque representa mais qualificação, mais riqueza, mais empregabilidade e mais cidadania”

rOs

[comerciantes] que ainda resistem [em Viseu], estão moribundos, numa espécie de limbo, reféns da conjuntura em que se vive”

António Borges

Presidente da Câmara Municipal de Resende (Inauguração do Centro Escolar de Resende, 29 de Novembro)

Gualter Mirandez Presidente da Associação Comercial do Distrito de Viseu (Jornal de Notícias, 20 de Novembro)

Desbaratar por metro2…

João Carlos Figueiredo Deputado do PSD joao.figueiredo@psd.parlamento.pt

Um dia Jacques Cousteau afirmou que “os que decidem sobre o amanhã devem avaliar o impacto no futuro.” Vem isto a propósito dá má gestão que o Governo tem feito nas requalificações das escolas levadas a cabo pela Parque Escolar (PE). O argumento: existiam estabelecimentos escolares a necessitar de urgente intervenção. Perante isto nada a dizer! O método utilizado: transferência das escolas para a empresa PE. Isto permite realizar obras através de adjudicações directas (e porque não dizer, direccionadas) e entrega, de forma indiscriminada e sem critério, dos projectos, a gabinetes de arquitectura. As consequências: gastos sem

controlo. Nalguns casos, os valores despendidos ultrapassam dois terços de uma empreitada normal. Mas o mais grave vai acontecer a partir de Janeiro, quando as 105 escolas intervencionadas passarem a pagar, à PE, uma renda mensal por metro quadrado, que dará uma média anual de 500mil euros. Em 2015, altura em que se prevê que esteja concluída a intervenção em 330 Escolas, as rendas rondarão os 150 milhões de euros, ou seja, 75 por cento dos encargos anuais do TGV. A conclusão: socorreram-se de um pretexto inatacável (quem é que discorda da requalificação de escolas?) para realizarem negócios ruinosos. Assim se vai arruinando Portugal.

Em 2015 as rendas rondarão os 150 milhões de euros, ou seja, 75 por cento dos encargos anuais do TGV”

O Ensino em Portugal nos 100 anos da República Comemoram-se este ano 100 Anos da República em Portugal. Há 100 anos uma das grandes bandeiras trazidas pelos Republicanos foi a da difusão e uniformização do ensino de qualidade a um país praticamente analfabeto. A batalha pela escola, pela escolarização e o combate ao analfabetismo foi uma bandeira poderosa dos Republicanos contra o regime de Monarquia Constitucional vigente, caduco, aonde 80% da população era mantida refém da sua iliteracia. A par deste valor fundamental os Republicanos erguem um outro: o Laicismo do Estado. Um Estado neutral em matéria religiosa, permitindo a mais ampla liberdade de culto às organizações religiosas associado ao princípio do diálogo. A liberdade

de escolha é só por si um valor intrinsecamente Republicano em oposição à ditadura monárquica que até então nos havia sido imposta. É notório que ao longo das últimas décadas a escola pública tem perdido força e qualidade. São muitas as razões para que tal tenha acontecido, começando nas famílias, passando pelos professores e acabando nas tutelas ministeriais. A desmobilização e o desinteresse dos professores e das famílias é hoje uma realidade incontornável na sociedade portuguesa, sendo que, como dizia o professor Carvalho Homem, hoje a escola é procurada por pessoas (jovens e menos jovens) pouco interessados em aprender e professores pouco interessados em ensinar. O ensino público tem, infelizmente

nos últimos anos, assistido a um processo de lento apodrecimento. Nos últimos meses, fruto da gravíssima crise que o país está atravessar, veio à discussão a possibilidade de terminarem muitos dos contratos de associação que o Estado português tem com colégios e instituições privadas. Muitas delas ligadas à Igreja Católica outras sem qualquer ligação. Na prática estes contratos permitem aos alunos frequentar essas Instituições de forma completamente gratuita, tal como o fazem outros alunos nas escolas públicas, sendo que esses custos acabam por ser suportados e bem pelo Estado. Ao longo dos anos e ao abrigo destes contratos de associação, Instituições Centenárias como o Colégio da Via Sacra em Viseu, do qual tenho orgulho de

ter sido aluno, ou a EBIS Jean Piaget, têm desenvolvido um trabalho de enorme qualidade e louvor com resultados comprovados. O seu trabalho valoriza a República e engrandece o espírito dos valores Republicanos. Como Republicano entendo que tais contratos devem manter-se, inclusivamente, porque são mais económicos para o erário público relativamente à opção de novos investimentos no ensino público. Para além do argumento económico, importante nesta conjuntura difícil que atravessamos, um outro valor se lhe sobrepõe, o da liberdade de escolha, sendo para mim fundamental que se continue a defender um ensino de qualidade, seja ele público seja privado.


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 3

Jornal do Centro 26 | Dezembro | 2010

5

números

estrelas

A EDP vai investir cinco milhões de euros, no reforço e renovação da rede eléctrica em Viseu. O investimento previsto irá, permitir a renovação, requalificação e reforço das infra-estruturas eléctricas existentes há muitos anos no concelho, ou seja, Enterrar no solo linhas actualmente aéreas no Viso, Circunvalação, Santa Eulália, Abraveses (zona da Barrosa), EN2, Orgens, e outras.

António Magalhães Soeiro Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Viseu

Garcia Mendes Director da Rede de Clientes Mondego da EDP

António Magalhães Soeiro foi reeleito no passado sábado para um quinto mandato, de três anos, à frente da provedoria da Santa Casa da Misericórdia de Viseu. No dia de aniversário para a Santa Casa, foi inaugurado o novo berçário e creche da instituição. O investimento recupera o velho edifício da Pediatria do antigo hospital de São Teotónio.

Importa-se de responder?

Qual a sua maior dúvida sobre a SIDA? Nenhuma. Do ponto de vista político-estratégico, foi um vírus criado laboratorialmente pela CIA para eliminar Mobutu Tzsé Zsé Zeko, antigo ditador da República do Zaire. Do ponto de vista da saúde pública, é um vírus infeccioso altamente contagioso através do contacto com feridas expostas, com sangue e em relações sexuais.

Clemente Silva Pereira

Tiago Pereira

Jornalista

Estudante

A minha dúvida prende-se com o facto de, havendo troca de pouca quantidade de saliva num beijo, se este facto influencia, ou não, a transmissão do vírus. Como estou muito bem informada não tenho mais dúvidas.

Assistente de dentista

emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Quantos anos de vida tem uma pessoa seropositiva?

Miguel Cardoso Empresário

Patrícia Martins

Emília Amaral

A maior reunião de antigos alunos, professores e funcionários da Escola Secundária Alves Martins de Viseu, tornou-se num evento de sucesso no passado sábado, ao reunir numa manhã 2800 participantes. Não concretizou o segundo objectivo de entrar para o Guinness, necessitando para tal de reunir 3300 pessoas, mas a imagem do recinto traseiro do edifício falou por si.

Com o objectivo de acompanhar o desenvolvimento urbano de Viseu, a EDP anunciou que vai investir cinco milhões de euros no reforço e renovação da rede eléctrica. Com esta decisão a EDP vai contribuir para melhor o lado estético do concelho ao enterrar milhares de fios que hoje se vêm por cima de casas.

Uma das minhas maiores dúvidas é saber quais as consequências dos vários tipos de SIDA que há. Quais os tipos de tratamento e a esperança média de vida de cada um.

F editorial

Adelino Azevedo Pinto Director da Escola Secundária Alves Martins

Excepção As zonas baixas ou ribeirinhas como lhe chamam, de muitas cidades e vilas do país têm um problema crónico. Todos os anos no tempo das grandes cheias, a água entra pelas casas das pessoas e dos estabelecimentos comerciais, destruindo tudo e mais alguma coisa. “É assim todos os anos”. Ouve-se esta frase vezes sem conta. Alguma coisa devia ser feita, mas as décadas passam e parece ficar tudo na mesma. Mas este problema crónico, no nosso país, não se passa apenas com as cheias de Inverno. Na região de Viseu, o IP5 foi um exemplo flagrante, o mesmo tem vindo a acontecer no IP3, assim como em outras

vias nacionais onde os pontos negros estão assinalados. Os acidentes tornam estas vias “estradas da morte”, os tais pontos negros estão assinalados, mas tudo continua na mesma (O IP5 felizmente não). Mais recentemente, estava a acontecer um outro fenómeno em alguns pontos do distrito de Viseu, sobretudo no norte do distrito. Os nevões têm sido cada vez mais frequentes e, sempre que nevava, os bloqueios dos automobilistas registavam-se passadas poucas horas. Ou pelo desespero de quem quer chegar ao destino, ou por falta de meios, a confusão estava instalada. Desta vez, o Conselho Coordenador

de Segurança Rodoviária de Viseu tomou medidas e anunciou uma série de medidas de prevenção para as quedas de neve. Já está disponível um estudo sobre a regularidade das ocorrências. As 24 autarquias acabaram de receber um levantamento de mercado sobre equipamentos “baratos” que devem adquirir para actuar nos grandes nevões. Aos cidadãos vai chegar um conjunto de informação sobre comportamentos adequados a adoptar em caso de queda de neva. Isto é prevenção, sendo uma excepção num país que continua a adoptar a velha máxima: “casa roubada trancas à porta”.


4 PRAÇA PÚBLICA | OPINIÃO

Jornal do Centro 03 | Dezembro | 2010

Opinião

A fome de uns… leva à fome dos outros

Director Pedro Costa C.P. n.º 1464 pedro.costa@jornaldocentro.pt

Redacção (redaccao@jornaldocentro.pt) Emília Amaral, C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Gil Peres, C.P. n.º 7571 gil.peres@jornaldocentro.pt

Raquel Rodrigues, C.P. n.º TP-1402 raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Departamento Comercial comercial@jornaldocentro.pt

Directora: Catarina Fonte

José Costa Professor Coordenador ESSV/IPV Médico Dentista jcosta@essv.ipv.pt

catarina.fonte@jornaldocentro.pt

Ana Paula Duarte ana.duarte@jornaldocentro.pt

Departamento Gráfico Marcos Rebelo marcos.rebelo@jornaldocentro.pt

Projecto Gráfico defrank - Comunicação Editorial defrank@netcabo.pt

Serviços Administrativos Sabina Figueiredo sabina.figueiredo@jornaldocentro.pt

Impressão GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Distribuição Vasp

Tiragem média 6.000 exemplares por edição

Sede e Redacção Bairro de S. João da Carreira Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lote 10 r/c 3500-187 Viseu • Apartado 163 Telefone 232 437 461 Fax 232 431 225

Ao esconder da população a real situação do país, os famintos do poder podem conquistar este ou aquele eleitorado mas em nada ajudam a diminuir a pobreza”

Fome é o termo que normalmente se dá à sensação fisiológica pelo qual o corpo percebe que necessita de alimento para manter as actividades inerentes à vida. Este conceito está sobretudo associado aos casos de má nutrição ou privação de comida entre as populações. Infelizmente, inúmeros casos de fome estão relacionados com a fome do poder. O poder doentio. O poder a todo o custo com custos significativos na vida das pessoas - a fome aguda, caracterizada pela urgência de alguém se alimentar, ou a fome crónica, permanente, que ocorre quando a alimentação diária, habitual, não propicia ao indivíduo energia suficiente para a manutenção do seu organismo e para o desempenho de suas actividades quotidianas. Calcula-se que 815 milhões, em todo o mundo, sejam vítimas crónicas de fome, a maior parte das quais são mulheres e crianças dos países em vias de desenvolvimento (USP, 2003). E o curioso é que milhares destas pessoas mor-

rem de “causas” como pneumonia, ou alguma insuficiência orgânica, mas na verdade a causa primária é a falta de comida. Em Portugal, a situação de fome não é de agora, infelizmente, de há três anos para cá agudizou-se. Por exemplo, um inquérito alimentar realizado pela Deco (2009) revelou que existem pelo menos 40 mil idosos em Portugal sem dinheiro para comer e que o custo dos alimentos é uma das razões para estas pessoas não consumirem alimentos mais saudáveis. Será que as políticas adoptadas e o comportamento verbal e atitudinal dos diferentes governos têm contribuído para este desfecho? Ao esconder da população a real situação do país, os famintos do poder podem conquistar este ou aquele eleitorado mas em nada ajudam a diminuir a pobreza, pelo contrário, perpetuam-na. Existe a noção plena, ninguém pode viver por muito tempo acima das suas possibilidades. As consequências nefastas acabam por surgir e, uma delas, a carência

de bens essenciais entra em muitas casas. A fome ganha força e os poderes instalados não têm a competência para oferecer caminhos aos pobres para uma vida digna. E quanto é desolador! Apesar do elevado desenvolvimento de alguns povos, do elevado conhecimento científico, das condições melhoradas existentes nos países, assistimos, neste início do século XXI, a um descrédito dos governos e dos seus representantes. Os que têm fome de poder não olham aos meios para atingir os fins. Contudo, é lamentável que o fim seja tão trágico. A depauperação do ser humano é cada vez mais evidente. Como referiu Luther King, “o que mais me preocupa, não é, nem o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem carácter, dos sem ética. O que mais me preocupa é o Silêncio dos bons”. Como eu gostava de os ouvir gritar, a prioridade das prioridades tem quer ser a luta contra a pobreza, contra a fome e a promoção da dignidade humana.

E-mail redaccao@jornaldocentro.pt

Internet www.jornaldocentro.pt

Propriedade O Centro–Produção e Edição de Conteúdos, Lda. Contribuinte Nº 505 994 666 Capital Social 114.500 Euros Detentores de mais de 10 por cento do Capital: Sojormedia SGPS, SA Depósito Legal Nº 44 731 - 91 Título registado no ICS sob o nº 100 512

Clareza no Pensamento (http://clarezanopensamento.blogspot.com)

O Efeito Manada

Gerência Francisco Rebelo dos Santos, Ângela Gil e Pedro Costa

Departamento Financeiro Ângela Gil (Direcção), Catarina Branquinho, Celeste Pereira, Gabriela Alves, João Machado Patrícia Santos info@lenacomunicacao.pt

Departamento de Marketing Patrícia Duarte (Direcção), Susana Santos (Coordenação), Catarina Fonseca e Catarina Silva marketing@lenacomunicacao.pt

José Bastos Docente na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu (Director do Curso de Marketing)

Departamento de Recursos Humanos Nuno Silva (Direcção) e Sónia Vieira drh@lenacomunicacao.pt

Departamento de Sistemas de Informação Tiago Fidalgo (Direcção) e Hugo Monteiro dsi@lenacomunicacao.pt

Unidade de Projectos Lúcia Silva (Direcção) e Joana Baptista (Coordenação) projectos@lenacomunicacao.pt Os artigos de opinião publicados no Jornal do Centro são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. • O Jornal reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos enviados para a secção “Cartas ao Director”.

Semanário Sai às sextas-feiras Membro de: Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem

Associação Portuguesa de Imprensa União Portuguesa da Imprensa Regional

Importa, enquanto fornecedor de serviços ou produtos, aproveitar o efeito manada. Caberá ao consumidor resistir ou não”

O “efeito manada” é, por definição, um comportamento irracional. Apesar do indivíduo ter uma tendência natural para a sociabilização, não é racionalmente compreensível que abdique da sua identidade, dos seus valores, da sua ética, para adoptar comportamentos aceites dentro de uma manada e que muitas das vezes, são a antitese daquilo que é enquanto indivíduo. Este efeito poderá explicar porque indivíduos perfeitamente normais no seu comportamento individual, cometem as maiores atrocidades se perpretadas no seio da manada – o ”hooliganismo”, o “bullying”, os comportamentos de guerra e dos gangs, os genocídios, o racismo e a ostracização cultural e étnica, são disso exemplos. Muitas vezes segue-se apenas um líder que soube num determinado momento cativar alguns seguidores. Quantos menos forem sendo os resistentes, maior será a gravitação em direcção da multidão.

Felizmente, nem todos os “efeitos manada” são negativos. Bem pelo contrário, muitas das vezes eles estão ao serviço de causas bem nobres, como o foram, os movimentos de apoio à autodeterminação de Timor, as ajudas às vítimas de catástrofes naturais ou os movimentos de ajuda solidária a vítimas de doenças. O Marketing aproveita este efeito, quase sempre de forma positiva, para melhor comunicar com os potenciais consumidores. Grande parte dos serviços da economia digital aproveitam a multidão, naquilo que é chamado o “crowdsourcing”. Esta multidão irá desenvolver de forma gratuita e a única recompensa é fazer parte de um movimento que criou alguma coisa. O marketing viral aproveita também este efeito, propagando de indivíduo para indivíduo, uma ideia, uma novidade, um produto. As redes sociais são outro dos exemplos do efeito manada. Não importa muito discutir se as redes

sociais têm interesse para todos os seus utilizadores - muitos até poderão estar lá porque pode parecer “socialmente” negativo não estar – mas o que importa saber é como utilizar essa ferramenta de comunicação para chegar ao consumidor. É um pouco o fenómeno da maior parte das tecnologias disponíveis nos aparelhos de telemóvel , chamadas funcionalidades – não são utilzadas! No entanto, os fabricantes continuam a incluir e desenvolver novas funcionalidades. E fazem-no porque sabem que é assim que conquistam novos consumidores. Importa, por isso, enquanto fornecedor de serviços ou produtos, aproveitar o efeito manada. Caberá ao consumidor resistir ou não. E, se julga que é totalmente resistente a esse efeito, então, tente lembrar-se se num dia, num determinado lugar, escolheu um restaurante para almoçar porque estava com muita gente, em detrimento de outro, ao lado, que estava quase vazio!


Jornal do Centro

6

03 | Dezembro | 2010

abertura

texto ∑ Raquel Rodrigues fotografia ∑ Arquivo

Viseu vai ter centro comercial a céu aberto Parceria ∑ Câmara e Associação de Comerciantes envolvidos Está marcada para hoje a inauguração de um projecto que prevê o funcionamento de um centro comercial a céu aberto nas ruas da cidade de Viseu e que vai manter-se até Setembro de 2011. O projecto nasce de uma parceria entre a Câmara Municipal e a Associação de Comerciantes e tem como grande objectivo a dinamização do comércio através de iniciativas que atraiam os consumidores às lojas de rua. Os cinco pontos principais são a Rua Formosa, a Rua Direita, a Rua do Comércio, a Rua Alexandre Lobo e a Praça D. Duarte. Inserido na iniciativa da autarquia “Viseu A Minha Terra Natal”, o centro comercial a céu aberto é uma “tentativa de levar para a rua a filosofia dos shoppings”, explica Gualter Mirandez, presidente da Associação de Comerciantes. Às cerca de 60 lojas inscritas (número relativo a terça-feira) cabe a entrega aos clientes de cartões de desconto e vales de acumulação

“Trazer as pessoas para a rua” Fernando Ruas, presidente da Câmara Municipal de Viseu, destaca a iniciativa e considera-a como uma “tentativa salutar de trazer as pessoas para a rua”. O autarca lembra que mais cidades da Europa já optaram por criar centros comerciais a céu aberto, com “grande sucesso”. “Esta é uma forma inteligente de dinamizar o comércio”. Para além disso, mesmo numa altura de crise como a que o país vive, a Câmara de Viseu vai aumentar o número de cabazes de Natal oferecidos, de 400 para 500.

de pontos que depois se transformam em descontos em compras. Comerciantes. Filomena Oliveira é uma das proprietárias de uma loja de vestuário na Rua Formosa e diz já ter tido conhecimento da iniciativa. “Esta é uma ideia muito positiva, espero que seja um chamariz para as pessoas”. Filomena Oliveira diz ser apologista de todo o tipo de acções que possam dinamizar as lojas do centro da cidade. “Não ter iniciativa e estar à espera de uma mudança de mentalidade é que é negativo”. Já Maria do Rosário Nascimento, proprietária de um espaço comercial dedicado à venda de

artigos de decoração,não acredita no centro comercial a céu aberto. “A Associação Comercial do Distrito de Viseu deveria utilizar as verbas gastas com esta iniciativa no desenvolvimento de formações que permitissem aos comerciantes actualizar as suas lojas, nomeadamente no que diz respeito à decoração das mesmas”. Para a lojista, Viseu é neste momento “uma cidade fantasma”, acreditando que a solução não passa apenas pela dinamização do centro em épocas como o Natal e apresenta uma sugestão: “se a autarquia tivesse mais atenção com a iluminação nas ruas as pessoas não tinham medo de fazer compras depois de escurecer”.

“Ambiente mais quente” ∑ Na Rua Formosa, oito aquecedores alimentados a gás pro metem “um ambiente mais quente e acolhedor”, diz Gualter Mirandez, da Associação Comercial do Distrito

de Viseu. Os aquecedores são ligados em alturas em que h á a n i m ação de Nata l , como mú sica ou insufláveis para as cria nças e reti rados posteriormente.

Casinhas de Natal As habituais “Casinhas de Natal”,vão estar mais uma vez presentes este ano no Rossio de Viseu. A abertura está marcada para dia 17 de Dezembro às 17h30. A Infantuna Cidade de Viseu e o grupo Girafoles vão animar a inauguração das casinhas, presentes na Praça da República até 9 de Janeiro de 2011. Os interessados ainda podem entregar as candidaturas na Associação Comercial do Distrito de Viseu. O objectivo passa pela exposição e venda de produtos de Natal, por entidades e empresas do concelho.

Rua Formosa dá o mote A Rua Direita, do Comércio, Formosa, Alexandre Lobo e Praça D. Duarte delimitam o espaço abrangido pelo centro comercial a céu aberto. A fita da iniciativa é cortada hoje na Rua Formosa pela actriz Maria João Abreu, tendo sido esta a artéria escolhida para palco de diversas iniciativas. Para além da já habitual passadeira vermelha, a Rua Formosa está decorada com 40 vasos e oito figuras alusivas ao Natal, que se juntam à música ambiente que se mantem até ao final da época natalícia.


Jornal do Centro

Boas Festas

03 | Dezembro | 2010

7


8 Entrevista ∑ António Figueiredo Edição ∑ Emília Amaral Fotografia ∑ Nuno Ferreira

Jornal do Centro

à conversa

03 | Dezembro | 2010

Semanalmente, Semanalmente,“À “ÀConversa” Conversa”resulta resultade deum umtrabalho trabalhoconjunto conjuntodo do Jornal Jornaldo doCentro Centroeeda daRádio RádioNoar. Noar.Pode Podeser serouvida ouvidana naíntegra íntegrana naRádio Rádio Noar, Noar,esta estasexta-feira, sexta-feira,às às11hoo 11hooeeàsàs19h00, 19h00,eedomingo, domingo,àsàs12h00. 11h00. Versão Versãointegral integral eem versão www.jornaldocentro.pt áudio em www.jornaldocentro.pt

São ambos professores universitários e investigam há anos a região de Viseu. Há um ano, António Amaro e Jorge Adolfo, aceitaram um desafio lançado pela Comissão Nacional das Comemorações do Centenário da República, escrever um roteiro republicano sobre Viseu, integrado na colecção “Roteiros Republicanos”. O livro foi publicado na sexta-feira passada com o Jornal de Notícias e está nas bancas de todo o país: “Roteiros Republicanos – Roteiro de Viseu”.

“Os jornais diziam mesmo: jornal republicano e transforma-se como que numa sede do partido” Como surgiu a possibilidade de fazerem este livro?

António Amaro: fui contactado para coordenar este livro e aceitei o convite porque achei o desafio interessante e uma boa oportunidade de contribuir para o conhecimento deste período em Viseu, em que não há muita investigação feita, e fica muita por fazer ainda. À medida que fui trabalhando, cheguei à conclusão que o livro que teria muito a ganhar se o partilhasse com outro historiador, que inclusive conhecesse melhor Viseu que eu, já que não sou natural daqui. Achei que era uma boa oportunidade de fazer isto em conjunto com Jorge Adolfo e ainda bem que aceitou. Qual é o espaço temporal retratado no livro?

António Amaro: Achei que tão importante como o período da República seria perceber o que se passou antes. Por isso, o livro tem parte de 1882, que é o ano do primeiro jornal republicano “Ideia Nova”. Esta data é importante. E há outro momento muito importante, quando aparece o jornal “A Beira”, e que aparece no livro como um momento de viragem

na organização do Partido Republicano em Viseu. O mais importante do livro é fazer este percurso que leva à República. Os jornais são fundamentais neste período, porque, ao contrário de hoje, na República e antes da República os jornais diziam mesmo: “jornal republicano” e, ao dizerem isto, o jornal transforma-se como que numa sede do partido. Os jornais foram essenciais para a investigação?

Jorge Adolfo: Os jornais são uma peça importante, mas não tivemos como fonte histórica apenas os jornais, mas muitas outras coisas. Os cemitérios, por exemplo, para procurar datas de pessoas ilustres e datas de falecimento… O livro tem mais relatos de acontecimentos ou retratos e biografias de pessoas?

Jorge Adolfo: Tem tudo isso e muito mais. Não nos cingimos a fazer biografias de pessoas. Onde foram pesquisar as fotos publicadas?

Jorge Adolfo: Algumas são da nossa autoria. Temos fotografias raras de jornais, porque se hoje todos tira-

mos fotografias digitais, em 1910 isso era uma raridade. Pode considerar-se o vosso trabalho, o primeiro livro sobre o início da República em Viseu?

António Amaro: Do ponto de vista do tratamento global sim. Este é um período em que não temos grandes autores. Jorge Adolfo: Temos que ter em consideração que o livro é um roteiro e roteiro é uma perspectiva de percurso que foi seguida por todos os autores desta obra. Este livro contraria a ideia de que os movimentos republicanos se centraram em Lisboa e Porto.

Jorge Adolfo: Exactamente. Quase no inicio dizemos isso. Se esta afirmação passar já é muito importante do ponto de vista científico e historiográfico. Viseu não era um deserto de ideias republicanas. O movimento republicano em Viseu já tinha décadas. Há várias gerações de republicanos que tinham estudado em Coimbra - e Coimbra era um viveiro do movimento republicano português - que conviveram com grandes personalidades da República.

António Amaro: Para a historiografia nacional é importante dizer que a escolha para a contracapa do livro, que não fomos nós que escolhemos, foi precisamente essa ideia de que a República chegou por telégrafo. Mas quando as pessoas dizem: “a República chegou por telégrafo à denominada província”, quer-se dizer que não havia nada fora de Lisboa. Isso é um erro. Que outros aspectos vos surpreenderam na pesquisa efectuada?

António Amaro: Sendo eu investigador sobretudo deste período e do Estado Novo, aquilo que mais me surpreendeu foi que antes do 5 do de Outubro, os militantes republicanos estivessem entre as elites da cidade. As grandes instituições quer de lazer, quer associativas estavam na mão dos republicanos. Do ponto de vista político, estamos a falar de jovens recém-licenciados, alguém que tem uma ligação muito estreita com a dinâmica associativa da própria cidade. Conseguiram encontrar uma explicação para os republicanos de Viseu terem adoptado

o Bispo D. Alves Martins, quando a República era antiigreja?

Jorge Adolfo: D. António Alves Martins era o que podíamos chamar hoje o bispo vermelho, como o Bispo de Setúbal foi chamado há uns anos. D. Alves Martins era um liberal, sendo um monárquico foi um político de grande craveira e ao mesmo tempo um homem de igreja que não alinhou com algumas ideias mais conservadoras da Igreja.Isso feria a ligação íntima entre o trono e o altar, típica das monarquias. Foi condenado à morte, a ser fuzilado no Largo de Santa Cristina, mas quando ia a ser transportado conseguiu fugir, portanto, era um homem de “cepa rija”. Em termos económicos, o vinho era na altura a principal riqueza da região. Foi na primeira República que a região demarcada do Dão sofreu um impulso importante. Qual foi a estratégia?

António Amaro: Aquilo que dava dinheiro era essencialmente o vinho e o azeite, o resto era de subsistência. Isto leva a que, do ponto de vista económico, as pessoas que estavam ligadas ao sector vinícola sejam pessoas

que tinham um grande poder económico e um lobby interessantíssimo. Mas 100 anos depois Viseu não conseguiu, por exemplo, a ligação ferroviária à Linha da Beira Alta o que já era uma ambição dos primeiros republicanos?

António Amaro: Não se conseguiram muitas das coisas e há uma que me atravessa mais. Um senhor chamado Pedro Ferreira dos Santos, que veio a ser senador, penso que Viseu podia ser o centro de um grande hinterland que poderia ir até Salamanca se se fizesse do porto da Figueira da Foz um porto de mar onde pudessem atracar barcos de longo curso, como havia em Lisboa e em Leixões. Ele pensava em termos de região Centro. O que fica por escrever sobre a República em Viseu?

Jorge Adolfo: este trabalho é um roteiro, não é a história da primeira República em Viseu seria escrita em vários volumes com aspectos que aqui sintetizamos em poucas linhas, mas que mereciam um desenvolvimento e em breve irão merecê-lo.


Jornal do Centro

Boas Festas

03 | Dezembro | 2010

9


Jornal do Centro

10

03 | Dezembro | 2010

região Regularidade da queda de neve está a acentuar-se em algumas zonas do distrito A neve chegou este ano mais cedo e acabou mesmo por surpreender os locais mais atingidos todos os anos, sobretudo o norte do distrito de Viseu. Bigorne (Lamego), Portas de Montemuro, Moimenta da Beira, Castro Daire, Resende, Cinfães e a serra da Caramulo (Tondela) foram alguns dos concelhos que viram nevar esta semana. Várias estradas do norte do distrito mantinham-se cortadas à hora do fecho do Jornal do Centro (terça-feira) devido à queda de neve, mas a maioria das escolas retomou a normalidade depois de terem encerrado na segunda-feira, por precaução, em Lamego, Tarouca e Caramulo. “Andamos atentos e o que tenho verificado nestes dias é que este ano há um comportamento dos condutoPublicidade

res muito mais responsável, com uma atitude cívica correcta, o que tem evitado os bloqueios, nomeadamente na A24 e na A25, como se verificou no ano passado”, adiantou o Governador Civil de Viseu, Miguel Ginestal.

Estudo. A regularidade da queda de neve com que estas zonas do distrito de Viseu têm sido confrontadas tem vindo a acentuarse nos últimos anos. A seguir ao nevão do Carnaval de 2009, o governador civil tinha pedido ao comando operacional distrital que fizesse “um estudo sobre o conjunto das ocorrências de neve nos últimos anos, para perceber se estavam a ganhar uma regularidade que justificasse a criação de um dispositivo e uma articulação de meios” humanos e materiais, em parti-

cular nas zonas mais montanhosas. De acordo com Miguel Ginestal, o estudo confirmou que, nos últimos anos, estes acontecimentos “têm vindo a ganhar uma certa regularidade”, com “ocorrências muito significativas de neve”, obrigando ao encerramento de escolas e ao corte de estradas. O Conselho Coordenador de Segurança Rodoviária do distrito de Viseu está a aconselhar as protecções civis municipais mais afectados pela neve a apetrecharem-se com equipamentos baratos e de fácil utilização para usar, nomeadamente, nas zonas mais rurais. “O que é preciso neste momento é sensibilizar os diversos dispositivos da protecção civil municipal para a necessidade de se equiparem convenientemente”, afirmou o governador civil, dando o exemplo Publicidade

Nuno Ferreira

Alerta ∑ Conselho Coordenador de Segurança aconselhou protecções civis municipais a apetrecharem-se devidamente

A Governador Civil de Viseu diz que os automobilistas “estão mais responsáveis” da compra dos espalhadores de sal e das lâminas que são acopladas a tratadores e outros veículos. “Equipamentos que podem ser candidatados ao QREN”, adiantou. O Conselho Coordenador de Segurança Rodoviária do Distrito reuniu com as autarquias que apresentam maior risco, para preparar o dispositivo de protecção

civil durante os nevões. No encontro da semana passada, em Lamego foram conhecidas as conclusões do estudo e as recomendações sobre o que fazer em situações de queda de neve. A par disso, foi feito um levantamento de todos os equipamentos que estão disponíveis no mercado, e enviada uma listagem para as câmaras municipais, “não só Publicidade

para as que têm maior risco destas ocorrências de neve, mas para as 24, acrescentou Miguel Ginestal. Nesta altura está ainda disponível um conjunto de informações para os cidadãos sobre comportamentos adequados a adoptar em caso de queda de neve. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt


Jornal do Centro

VISEU | TONDELA | LAMEGO | RESENDE | TAROUCA | REGIÃO 11

03 | Dezembro | 2010

dias

VANDALISMO

Viseu. Um grupo de desconhecidos vandalizou, na madrugada de sábado, uma carrinha de caixa aberta estacionada na Circular Norte da cidade. Os vândalos viraram a carrinha, que estava estacionada naquele local há algumas semanas, para um silvado tendo o proprietário que chamar o reboque para o ajudar a retirar a viatura.

DETIDA

Viseu. Militares da GNR detiveram uma mulher, na madrugada de sábado, no âmbito de uma acção de fiscalização a casas de diversão nocturna.

MORTE

Tondela. Um indivíduo do sexo masculino, de 58 anos, morreu na passada sexta-feira depois de ter caído de um telhado. O homem encontrava-se a substituir uma telha partida no telhado de uma vizinha quando morreu de causas naturais, tendo depois caído de uma altura de mais de três metros. A equipa do INEM, chamada ao local, ainda tentou a reanimação da vítima, embora sem sucesso. O óbito foi confirmado já no Hospital de Viseu.

CADÁVER

Lamego. O cadáver de uma mulher foi recuperado, no passado sábado, na Barragem de Bagaúste. O corpo, que se encontrava a boiar na

água, estaria em elevado estado de decomposição, não podendo as autoridades definir com exactidão a idade e causas da morte da vítima. O caso foi entregue à Polícia Judiciária que está, para já, a tentar perceber se o corpo encontrado apresenta semelhanças com algumas pessoas dadas como desaparecidas naquela zona.

ACIDENTE

Tondela. Uma colisão entre três veículos ligeiros provocou ferimentos em três pessoas que viajavam, na quarta-feira, no IP3 no sentido ViseuCoimbra. Segundo as autoridades, o condutor que provocou o despiste terá fugido, ficando no local apenas duas viaturas com os três feridos ligeiros.

Obras∑ Trabalhos urgentes na proximidade da Barragem de Bagaúste, em Lamego O trânsito vai estar interrompido na Estrada Nacional (EN) 222 ao quilómetro 135, na proximidade da Barragem de Bagaúste, até ao dia 10.

A Câ m a ra Mu n icipa l de La mego justif ica esta interrupção com a a necessidade da execução de trabalhos com carácter de urgência, “com o objectivo de

(EP) tem implementado no loca l si n a l i zação temporária de desvio, com a indicação de trajectos alternativos para as localidades que servem o troço da EN222.

ganhe presentes brilhantes! * SORTEIO DE 13 NOV. A 6 JAN.

RENAULT Fluence Exclusive

OFERTA

CHEQUE VIAGEM

1.5 dCi 105cv

TV LCD PANASONIC 42'’

SERVICO

VISTA ALEGRE

FIM-DE-SEMANA

MONTEBELO AGUIEIRA LAKE RESORT & SPA

PECAS

BORDALLO PINHEIRO

FIM-DE-SEMANA

HOTEL CASA DA INSUA

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Resende. A GNR deteve, na terça-feira, um homem de 40 anos por crime de violência doméstica e posso ilegal de armas. As autoridades apreenderam duas armas e várias munições que servem, agora, de prova.

ALCOÓL

Tarouca. A GNR deteve, na segunda-feira, um homem de 32 anos por condução sob o efeito de alcoól. O indivíduo apresentava uma taxa de 1.97 gramas de alcoól por litro de sangue.

proceder à queda controlada de terras e pedras que se encontram em situação instável, a mais de 30 metros de altura”. A Estradas de Portugal

Publicidade

*Concurso Publicitário nº 9/2010, autorizado pelo Governo Civil de Viseu, Regulamento disponível em www.palaciodogelo.pt Imagem não contratual. Emissões de CO2 (g/km): 119. Consumo em ciclo misto (I/100km): 4,5.

7

EN222 interrompida

www.palaciodogelo.pt

25


Jornal do Centro

12 REGIÃO | VISEU | RESENDE

A Escola Secundária Alves Martins, em Viseu não conseguiu reunir os 3300 antigos alunos, professores e funcionários, necessários para entrar no livro do Guinness, mas os 2800 que se encontraram no sábado na sua antiga escola cumpriram o principal objectivo do evento, que era mostrar a “escola nova” depois de ter sofrido obras de remodelação. “Este dia ficará, concerteza, na memória de todos. Espero que tenham gostado da escola remodelada. As memórias permanecem”, saudou o director da escola, Adelino Azevedo Pinto, perante milhares de pessoas que participavam num momento único alguma vez vivido no país. Os ex-alunos, professores e funcionários vieram do Alentejo, Bragança, Viana do Castelo, Porto, Lisboa, Coimbra, Inglaterra e Alemanha para responder à chamada. Publicidade

Nuno Ferreira

Nuno Ferreira

03 | Dezembro | 2010

A Segundo Centro do concelho acolhe 400 crianças de cinco freguesias

Ministra inaugura Centro Escolar de Resende Professores ∑ António Borges quer projecto piloto no concelho A ministra da Educação, Isabel Alçada, inaugurou na segunda-feira o novo Centro Escolar do concelho de Resende. Isabel Alçada considerou que “o Centro Escolar de Resende tem a imagem de um futuro risonho e alegre, sendo um equipamento sóbrio, do século XXI, que corresponde aos padrões de uma escola excelente em qualquer parte do mundo”. O presidente da Câmara de Resende, António Borges (PS), desafiou a ministra da Educação ao dizer que o seu município está preparado para acolher um projeto-piloto de gestão do pessoal docente das escolas. “É crucial que nós tenhamos aqui [centros escolares] coordenações ágeis, capazes e muito esclarecidas. Não é possível partilhar respon-

sabilidades ao nível de um projeto educativo”, acrescentou o autarca. Para o autarca, “tem de haver segurança no exercício das competências em todos os seus domínios”. António Borges reforçou que a inauguração do novo Centro Escolar “marca a importância de uma maior qualidade de ensino para todos os resendenses, num esforço para que a educação seja de todos, para todos e igual para todos”, ao lembrar que o caminho só estará concluído com a construção do Centro Escolar de S. Cipriano. O centro escolar inaugurado custou dois milhões de euros e abriu as portas no início do ano lectivo. Acolheu mais de 400 crianças provenientes de seis jardins-de-infância e 10 escolas bási-

cas do 1.º ciclo situados nas freguesias de Anreade, Cárquere, Felgueiras, Miomães e Resende. Para além de 13 salas de aula destinadas ao 1.º ciclo e sete salas de actividades para o pré-escolar, o edifício contempla um conjunto de novas valências disponíveis para alunos e professores. Este é o segundo Centro Escolar instalado no concelho de Resende. O Centro Escolar de S. Martinho de Mouros,inaugurado em 2007 pelo primeiro ministro José Sócrates, recebe mais de 200 crianças das freguesias de S. Martinho de Mouros, Barrô, Paus e S. João de Fontoura, encerrando na altura 14 estabelecimentos de ensino. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt


www.ptnegocios.pt

NOVO SAMSUNG OMNIA 7. UMA PORTA SEMPRE ABERTA PARA O SEU NEGÓCIO.

€21,35/mês * Inclui 200Mb/mês

Muito mais que um telemóvel, o Samsung Omnia 7 é o smartphone onde tudo é feito de forma simples e intuitiva, tal como se estivesse a utilizar o computador.

WINDOWS PHONE 7 | OFFICE MOBILE | OUTLOOK MOBILE | ACESSO À INTERNET ECRÃ TÁCTIL SUPER AMOLED DE 4” | CÂMARA FOTOGRÁFICA 5MPXLS E GRAVAÇÃO DE VÍDEO EM HD (720P)

Saiba mais através do seu gestor ou ligue 16 206. Encontre esta e outras soluções PT Negócios numa PT bluestore ou Agente. *O Produto destina-se ao mercado empresarial com vinculação por 24 meses no tarifário IT Standard e pagamento inicial de €15. Acresce IVA à taxa legal em vigor e o valor do tarifário de voz escolhido pelo Cliente. Equipamento disponível somente em Inglês. Preço válido apenas em Portugal Continental.


14 REGIÃO | VISEU | MOIMENTA | VILA NOVA DE PAIVA | SERNANCELHE | S. PEDRO DO SUL MARIANO GAGO PRESENTE NO DIA DO IPV

Combate à pobreza e exclusão alarga-se no distrito

O O Instituto Politécnico de Viseu (IPV) assinala o Dia do Instituto na próxima segunda-feira, dia 6, na presença do ministro da Ciência, Tecnolog i a e E n sino Superior, Mariano Gago. Na cerimónia, marcada para as 1 4 h3 0, i nteg ra-se a sessão de entrega de bolsas de estudo de mérito e a entrega dos prémios Caixa Geral de Depósitos (CGD) aos estudantes do IPV. No final do encontro haverá ainda um momento para a assinatura de protocolos com a CGD, com as escolas secundárias Alves Martins, Emídio Nava r ro e Vi r iato, de Viseu, com o Instituto Piaget e com duas empresas de referência na região, a Martifer, de Oliveira de Frades, e a PSA Peugeot Citroën de Mangualde Publicidade

Os concelhos de Vila Nova de Paiva, S. Pedro do Sul e Sernancelhe assinaram, esta segunda-feira, dia 28 de Novembro, três novos Contratos Locais de Desenvolvimento Social (CLDS) com o Centro Distrital de Viseu do Instituto de Segurança Social (ISS). Os CLDS agora assinados visam promover a inclusão social através de acções a executar em parceria e cujo objectivo é combater a pobreza e a exclusão social dos cidadãos residentes em “territórios deprimidos e mais vulneráveis economicamente”, referiu João Dias, do ISS. Os três concelhos vêm juntar-se, desta forma, aos concelhos de Armamar, Cinfães, Resende, Tabuaço, Tarouca e S. João da Pesqueira que já estavam abrangidos por este protocolo. Os Contratos Locais de Desenvolvimento Social

Raquel Rodrigues

Contratos∑ Vila Nova de Paiva, Sernancelhe e S. Pedro do Sul abrangidos por protocolo

A Contratos cobrem “territórios deprimidos e mais vulneráveis”, diz João Dias. actuam, como sublinhou Miguel Ginestal, Governador Civil, “em eixos essenciais���, como emprego, formação e qualificação, intervenção familiar e parental, capacitação da comunidade e das instituições, informação e acessibilidade. Presentes na cerimónia estiveram o vice-prePublicidade

sidente da autarquia de S. Pedro do Sul, Adriano Azevedo, e os presidentes das câmaras de Sernancelhe e Vila Nova de Paiva, Mário Cardoso e José Morgado que não quiseram deixar de dar uma palavra de apreço pela assinatura dos contratos. Segundo Miguel Gines-

tal, “para o financiamento de cada plano de acção são disponibilizados 450 mil euros por contrato e por um período de três anos, acrescidos de uma verba de 75 mil euros para compra de equipamentos”. Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Jornal do Centro 03 | Dezembro | 2010

CAMPANHA PARA ADOPÇÃO DE ANIMAIS EM MOIMENTA

Em Moimenta da Beira está a decorrer uma campanha de sensibilização para a adopção de cães do canil municipal, destinada às crianças e jovens do concelho. Uma iniciativa da Câmara em colaboração com o Agrupamento de Escolas de Moimenta da Beira. “O objectivo é dar a oportunidade aos jovens de mobilizarem práticas que respeitem os direitos dos animais, dos cães em particular, e de serem portadores desses valores e contribuir para a transformação da sociedade no domínio específico desta problemática”, explica o vice-presidente da autarquia, Francisco Cardia. As acções a implementar no terreno “pretendem ainda fazer aumentar as adopções de cães actualmente residentes no canil municipal, de maneira a evitar a sobrelotação e o recurso ao abate”, acrescenta o autarca.


Jornal do Centro 03 | Dezembro | 2010

Boas Festas

15

F e s t a s

F

e

l

i

z

e

s


Jornal do Centro

17

03 | Dezembro | 2010

sugestões

Fim-de-Ano Info

Pousada de Viseu

∑ História

Noite de Gala com requinte

∑ Música ao vivo ∑ Jantar de Gala ∑ Requinte ∑ Kids Club ∑ Informações e reservas: 232 457 320

A Pousada de Viseu convida-o a passar uma noite com requinte num edifício totalmente remodelado e cujo traçado original data de 1842. Disponível para a noite da passagem de ano está o “Programa Fim de Ano”, com preços que vão desde os 270 euros por quarto e noite que inclui a festa com jantar de gala, música ao vivo

e animação até às 03h00 da manhã. Para quem não quiser pernoitar o preço é de 85 euros por pessoa , sendo que as crianças entre os três e os 12 anos usufruem de 50 por cento de desconto sob o preço estipulado e kids club. A noite, que se exige inesquecível, tem início às 19h30 com um cocktail de boas vindas, ao qual se segue uma pa-

nóplia de pratos que fazem as delícias de qualquer um. Exemplo disso é o consommé de amêijoas com pesto de coentros ou o lombinho de vitela tostado com queijo da serra certificado e batata-doce assada em flor de sal. O bar é aberto e as sobremesas são servidas em buffet. Para os mais corajosos, já de madrugada é servida a ceia.

Ice Club

Info

Diversão até ser dia

∑ Duas pistas

A contar com casa cheia o Ice Club promete uma noite de passagem de ano com muita animação e alegria. Situada no Palácio do Gelo Shopping esta nova discoteca da cidade de Viseu faz parte do grupo Noite Biba e foi inaugurada no Verão passado. Sendo uma estreia para o Ice Club no que diz respeito ao final de ano, este espaço oferece aos seus clientes duas pistas de

dança distintas, uma destinada ao house comercial e outra aos ritmos latinos. Nessa noite as duas pistas vão ser animadas na noite mais longa do ano pelos três dj’s residentes e pelo Grupo Musical FUÁ que estará a animar com música ao vivo e que apresenta tendências dos ritmos nordestinos, do samba, do forró, das harmonias das bossas novas com a fusão dos ritmos africanos. Com abertura prevista

para as 23h00 o Ice Club vai estar aberto até de manhã com o melhor equipamento que existe ao nível de som, imagem e luz, aliada à melhor decoração especialmente escolhida para uma noite que ficará marcada na memória de todos os que o visitarem. À meia-noite o Ice Club oferece o champanhe e as tradicionais passas para que possa entrar no ano de 2011 da melhor maneira possível.

∑ Três dj’s ∑ Música brasileira ao vivo ∑ Champanhe ∑ Passas ∑ Decoração especial ∑ Informações: 966 234 409


Jornal do Centro

18

03 | Dezembro | 2010

negócios MANGUALDE AMPLIA PARQUE EMPRESARIAL

Opinião

Ainda bem que nestes dias de crise há na nossa sociedade exemplos que podem servir de inspiração para a vida, também a empresarial e para as dificuldades que as famílias e empresas atravessam presentemente… A adversidade tem a estranha característica de nos mobilizar, individual, mas sobretudo, colectivamente. Num País que diariamente leva enormes doses de notícias que destacam mais desemprego, mais dívida, mais dificuldades para empresas e famílias, mais crise para todos e menos rendimentos, principalmente para os que mais dele precisam, tivemos no passado fim-de-semana mais um exemplo colectivo de nobreza e generosidade. Ao crescimento exponencial de pessoas e instituições que buscam apoio, o Banco Alimentar respondeu com uma campanha de recolha que bateu vários recordes, desde o número de voluntários, às quantidades de géneros alimentares recolhidos. Também em Viseu assim foi, a azáfama vivida durante os dois dias nas instalações do Banco Alimentar no Expobeiras, bem permitia antever os excelentes resultados que

João Cotta Presidente da Associação Empresarial da Região de Viseu (AIRV)

vieram a ser conseguidos. Numa altura em que a palavra crise parece colada às nossas vidas, milhares de pessoas viram nas dificuldades um factor de motivação, arregaçaram as mangas e trataram de dar o seu contributo para um futuro melhor. Estes exemplos inspiradores devem-nos guiar, também, nas empresas. De nada adiantará a depressão colectiva. Sabemos que aí vem uma redução de rendimentos das famílias e do seu consumo, que o tempo do crédito e das oportunidades fáceis acabou. Sabemos que a nossa competição já não está na apenas nossa rua, mas também nos nossos antípodas. Sabemos que se nada fizermos estaremos condenados a piorar a nossa condição. O caminho é difícil, mas sabemos que teremos de o trilhar, pelo que o melhor é começar já hoje. E o início pode bem ser o de nos inspirarmos com este exemplo de empenho como o dado pelos Portugueses nesta recolha do Banco Alimentar e aproveitar o “espírito de missão” e a determinação colectiva para mudarmos, para melhor, as nossas vidas, as nossas empresas e o nosso País.

Emília Amaral

Determinação para mudar

A “Viseu já é um cluster de enrgias renováveis”disse gestor da Expovis

Viseu recebe primeira feira ibérica das renováveis Parceria∑ AIRV, Câmara e Expovis lançam desafio Entre os dias 10 e 13 de Fevereiro de 2011, o pavilhão Multiusos de Viseu vai transformar-se num ponto de encontro de referência para os investidores do sector das energias renováveis e da eficiência energética. A Associação Empresarial da Região de Viseu (AIRV), em conjunto com a autarquia e a Expovis promovem a primeira edição da ENERVIDA’11 -Feira e Conferência de Energias Renováveis e Eficiência Energética. A mostra, de dimensão ibérica, vai reunir os diferentes actores numa plataforma informativa e de negócios, proporcionando um espaço para a apresentação de produtos, serviços e projectos, para desenvolver novos contactos, parcerias e novas oportunidades de negócio. “A AIRV e os seus parceiros, entendem que devem iniciar um desafio a longo prazo, que é procurar associar a nossa região a sectores do futuro que incorporem grande conhecimento. Entendemos que é prioritário

desenvolver este cluster das renováveis na nossa região”, adiantou o presidente da AIRV, João Cotta durante a conferência de imprensa de apresentação do evento, no complexo Quinta dos Bispos localizado na entrada para o Caramulo, que se destaca precisamente pela aposta nas fontes renováveis e pela gestão da eficiente da energia e da água. Bioenergia, eficiência energética, energia geotérmica, energia eólica, energia hídrica, energias renováveis marinhas, energia solar e mobilidade sustentável são alguns dos temas em destaque na ENERVIDA. “Gostaríamos que a ENERVIDA fosse o primeiro sinal para o país e não só, de que a região de Viseu quer marcar o ritmo em outras áreas. Temos uma belíssima qualidade de vida, mas temos que ser capazes de atrair talentos e de atrair jovens em outras áreas, nomeadamente nas renováveis. As limitações estão na nossa cabeça e temos que as superar”, acrescentou

João Cotta.

Conferência. A feira destaca-se por um ciclo de conferências que vai decorrer em paralelo, nomeadamente uma palestra sobre “Economia da Energia e Eficiência Energética, dia 12 de Fevereiro com a presença do jornalista norte-americano e especialista na área, Paul Roberts, que virá a Portugal especificamente para participar na conferência de Viseu. Haverá ainda visitas guiadas, workshops, conferências, demonstração de projectos e outras actividades de sensibilização. O responsável pela ENERVIDA, Tiago Patrício Gouveia, gestor da Expovis, reforçou que com esta feira “não se espera reflexão espera-se acção, porque a reflexão está feita, o distrito tem todos os meios para ter mais unidades, mas que devem ser desenvolvidas na Península Ibérica, no mínimo”. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

A cidade de Mangualde vai ver, em breve, o seu parque empresarial ampliado, num investimento que ronda os 42 milhões de euros. O crescimento parte da assinatura de Protocolos de Investimento que se traduz no alargamento de três parques localizados no cencelho, o que representa a criação de uma área total de mais de 458 metros quadrados e o envolvimento de 32 empresas nacionais e internacionais, das quais 13 são novas no concelho. O investimento representa, também, cerca de 730 postos de trabalho em áreas tão distintas como a serralharia civil, construções metálicas, comércio, construção civil e transportes nacionais e internacionais. A cerimónia de assinatura deste protocolo contou com a presença de Basílio Horta, presidente da Agência para o Desenvolvimento e Comércio Externo de Portugal, de José Junqueiro, secretário de estado da Administração Local e do presidente da autarquia de Mangualde, João Azevedo.

VISEU COM POSTOS DE CARREGAMENTOS PARA VEÍCULOS ELÉCTRICOS Com o objectivo principal de melhorar a qualidade ambiental do centro urbano de Viseu, a autarquia prepara-se para fazer a instalação dos cinco primeiros postos de carregamento para veículos eléctricos e que utilizam uma tecnologia baseada na energia fotovoltaica. Os postos vão ter acesso duplo, o que significa que podem ser carregados dois veículos em simultâneo e vão situar-se junto à Biblioteca Municipal, no Jardim das Mães, na Rua Major Leopoldo da Silva, na Rua Alexandre Lobo e na Rua Ponte de Pau.


Jornal do Centro

INVESTIR & AGIR | NEGÓCIOS 19

26 | Dezembro | 2010

Lavandaria de Viseu tem sistema amigo do ambiente por Sérgio Carreira que revela que a principal razão que o levou a optar por este sistema “prendese com o facto de se tratar de uma lavandaria com um sistema de limpeza inovador e com um conceito único no mercado”, destacando-se pelas suas características “de limpeza e ambientais”. O sistema priveligia o tratamento de peças com água, deixando de parte a utilização de produtos e métodos de limpeza agressiva, numa perspectiva ambiental, já que não são usados quaisquer produtos solventes.

ViniPortugal promove consumo de vinho “a copo”

A loja do Intermarché de Oliveira do Douro, no concelho de Cinfães, foi completamente remodelada. De acordo com o comunicado enviado pela empresa, “a loja tem agora uma envolvente mais moderna, ampla e organizada”, visando proporcionar “uma experiência mais agradável”, tornando “a vida dos clientes mais fácil e prática”. Pa ra a lém da i m agem, o Intermarché de Oliveira do Douro “está mais funcional” e tem uma oferta de produtos mais alargada, tendo o investimento passado pela aquisição de equipamentos que permitem “melhorar o atendimento ao cliente”.

Arquivo

A M iele Por t u g ue sa inaugurou na passada sexta-feira mais uma lavandaria “Aquacare”, que traz a Viseu um sistema inovador de limpeza que permite tratar com água e detergentes biodegradáveis peças de roupa que anteriormente só podiam ser limpas a seco. O novo estabelecimento, com cerca de 81 metros quadrados, está sediado no centro da cidade e constitui um investimento de mais de 125 mil euros. Esta é a décima segunda lavandaria “Aquacare” do país e vai ser gerida

INTERMARCHÉ DE OLIVEIRA DO DOURO COM NOVA CARA

A “A campanha conta com a adesão da grande maioria dos lojistas”, diz António Menezes

Junta de Freguesia de Vouzela dinamiza comércio tradional Natal ∑ Acção pretende chamar a atenção para as lojas de rua

A Campanha estende-se até ao final do ano de 2010 A Associação Interprofissional para a Promoção dos Vinhos Portugueses, ViniPortugal, está a desenvolver a campanha “a copo”, que se prolonga até final do ano e que tem como principal objectivo criar uma nova tendência de consumo no que diz respeito ao vinho. Orçamentada em 100 mil euros, a campanha “a copo” constitui a principal acção da ViniPortugal no mercado nacional, esparando-se um retorno cinco vezes maior para 2011. A campanha abrange todo o país e aposta na formação dos profissionais

do sector, nomedamente através da realização de acções de formação e workshops, e promove os estabelecimentos - hotéis, restaurantes, bares e wine bares - com a garantia de uma oferta de qualidade através dos selos “a copo” e da presença no site da campanha. Segundo a Vini Portugal, esta campanha constitui para os consumidores uma oportunidade única de provar vinhos raros a um preço acessível, ao mesmo tempo que promove o consumo em diferentes momentos do dia e da vida do consumidor.

A iniciativa é da responsabilidade da Junta de Freguesia de Vouzela, vai na terceira edição e tem como principal objectivo levar os munícipes a realizarem as suas compras de Natal nas lojas de comércio tradional daquela vila. A campanha, que se prolonga até ao último dia de Dezembro, conta com a adesão da grande maioria dos comerciantes de Vouzela, sendo que aos compradores é dado um vale numerado por cada 10 euros de compras e que é depois depositado num tômbola que vai ser aberta no final da iniciativa. São 74 prémios que vão a sorteio, “prémios estes que variam conforme a área de actividade de cada uma das lojas”, ex-

plica António Menezes, presidente da Junta de Freguesia de Vouzela, que adianta ainda que algumas destas ofertas foram adquiridas com o próprio dinheiro da junta de freguesia. A “Iniciativa de Apoio ao Comércio Local” assim se chama, é da responsabilidade da junta, que já fez um “trabalho de mediatização da campanha”, conta o presidente, nomeadamente com o envio de informação por correio aos habitantes. Em vigor está também u m projecto de revitalização da feira mensal de Vouzela, sendo este um trabalho conjunto com a autarquia local. Esta iniciativa foi criada devido à redução do nú-

mero de compradores daquela feira secular, sendo que “neste momento já foi possível estabilizar os clientes habituais”, revela António Menezes. Protocolo. Segundo António Menezes está para breve a assinatura de um protocolo entre a junta de freguesia e a Associação Portuguesa de Profissionais de Comércio Externo de Portugal (APPCEP) que vai “contribuir para dar visibilidade aos produtos e empresas de Vouzela no mercado nacional e internacional” através da colocação de publicidade grátis no sítio da internet da APPCEP. Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

GRUPO AUTO-SUECO REFORÇA PRESENÇA EM ESPANHA

O Grupo Auto-Sueco Coimbra, representante da marca automóvel Volvo na cidade de Viseu, adquirou metade da empresa espanhola Air-Rail, líder no fornecimento de equipamentos para aeroportos, ferrovias e estruturas portuárias. “Ao entrar em negócios como a Air-Rail, a nossa perspectiva é juntarmo-nos a pessoas empreendedoras, motivadas e que nos possibilitem acelerar a aprendizagem do negócio”, explica em comunicado Ricardo Mieiro, presidente executivo do Grupo Auto-Sueco. Esta é a segunda aquisição concretizada nos últimos três meses pela Auto-Sueco, depois de ter comprado a empresa Volvo Otomotiv Turk.


20

Jornal do Centro 03 | Dezembro | 2010

desporto Visto e Falado

AGENDA FIM-DE-SEMANA FUTEBOL II DIVISÃO B - SÉRIE CENTRO

Vítor Santos vtr1967@gmail.com

10ª jornada - 05 Dez - 15h00 Tondela

-

III DIVISÃO - SÉRIE C

Futebol

10ª jornada - 05 Dez - 15h00

Alvite

Cinfães

-

Alpendorada

Sampedrense

-

Oliv. Frades

Lusitânia Lourosa -

Futebol Cinfães

Cartão Verde Líder da Série C da Terceira Divisão Nacional. O grupo liderado por Miguelli está a ter a melhor perfomance das equipas do distrito que competem nesta divisão. Já com a experiência de outros anos a equipa do Douro há muito que espreita a subida à 2.ª Divisão. Ao vencer o derby em Oliveira Frades deu mais um passo rumo a esse objectivo. Futebol

Penalva C.

III DIVISÃO - SÉRIE D 10ª jornada - 05 Dez - 15h00 Tocha

-

Ac. Viseu

DIVISÃO HONRA - AF VISEU 10ª jornada - 05 Dez - 15h00 Viseu Benfica - Silgueiros Paivense - Alvite C. Senhorim - Santacombadense Molelos - Nelas Lusitano - Sp. Lamego Tarouquense - Carvalhais Lamelas - Sátão Abraveses - Parada

Gil Peres

Cartão FairPlay A equipa de Alvite impôs a primeira derrota ao líder Viseu e Benfica. Num campo tradicionalmente difícil e com a motivação em alta com a possibilidade de quebrar a invencibilidade aos viseenses os alvitenses conseguiram um triunfo muito saboroso. Ambos os conjuntos subiram este ano à divisão de Honra da AFV e tudo têm feito para justificar a permanência na mesma.

Eléctrico

A Moacir, avançado do Oliveira de Frades, ficou em branco III Divisão - Série C

Cinfães já está na frente No fundo∑ Oliveira de Frades caíu para o último lugar Estados de espírito antagónicos no final da partida em Oliveira de Frades. O Cinfães acabava de conseguir um triunfo que lhe dava a liderança, aproveitando o empate do São João de Ver, em Penalva do Castelo, enquanto a equipa da casa caía para o fundo da tabela. Foi um jogo difícil para a formação orientada por João Bento. Com muitas limitações no plantel, uma

defesa “remendada” e com algumas adaptações forçadas, os primeiros 15 minutos foram um pesadelo para os da casa. A equipa não acertou um passe no ataque e foi muito “inocente” a defender. Ficaram logo aí muitas das esperanças de um bom resultado. Isto porque o Cinfães, equipa bem orientada e experiente, soube fazer dois golos e praticamente “matou” o jogo.

João Bento, no banco, foi incansável na tentativa de motivar os seus jogadores. Ainda havia muito tempo para jogar, e a equipa lá se recompôs, muito também por algum relaxamento natural do Cinfães. Quanto Semedo reduziu, o Oliveira de Frades era a melhor equipa em campo. No segundo tempo, o Oliveira de Frades tentou chegar à igualdade. Vontade nunca faltou, mas o que

sobrava em empenho faltava em discernimento. A algum ascendente dos da casa, respondeu Migueli com a entrada de Beaud. O camaronês colocou ordem no meio campo e estabilizou a equipa, e o Oliveira de Frades acabou por perder muita da sua acutilância. João Bento olhava para o banco e as opções eram escassas. Chegou mesmo a ter que fazer entrar dois atletas juniores.

O Cinfães acabou por ser um vencedor justo, embora o empate também se aceitasse. O Oliveira de Frades valeu pelo empenho João Bento deverá em breve ter alguns reforços que possam dar uma outra consistência e mais opções e que possam levar ao objectivo que passa pela manutenção. O Cinfães mostrou que pode aspirar a muito mais. Gil Peres

Calendários Campeonatos

Futebol Cartão Vermelho Muito se tem vindo a falar sobre a remodelação dos quadros competitivos do futebol em Portugal. A verdade é que pouco tem sido feito nesse sentido. As equipas jovens competem nos Nacionais aos domingos e feriados e o campeonato acaba em Janeiro! Jogos a meio da semana já nem na Liga dos Campeões enchem estádios

“Motim” nos juniores A do Resende Estalou o conflito entre o plantel de juniores A e a direcção do Resende. Em comunicado, subscrito por todos os jogadores, os jovens atletas revelam as razões que os levaram a “amotinar-se” contra os dirigentes do clube. Tudo terá começado com a alteração do número de treinos semanais, que pas-

sou a ser de apenas um, e com a saída de Marcos Antunes, Ricardo Quintino e Paulo Melo, elementos responsáveis pela equipa. Sem o seu regresso, o platel “não comparecerá a treinos ou jogos calendarizados do Campeonato Distrital de Juniores A da Associação de Futebol de Viseu” pode lerse num extenso comunica-

do, onde se mostram “totalmente solidários para com a posição tomada pela equipa técnica que sempre trabalhou de forma séria, nobre e apaixonada, merecendo todos os louvores pelos êxitos e resultados conseguidos tanto na corrente como na anterior temporada”. Para alguns elementos da direcção sobram críticas: “A

realização do magusto do clube simultaneamente a um jogo fundamental para a nossa equipa e perante os nossos adeptos demonstra bem a forma banal e trivializada com que temos sido tratados. Mais chocante é que esse mesmo magusto tenha tido a presença de mais elementos da direcção do clube do que alguns jogos

tanto da equipa sénior como da nossa, o que nos faz questionar se essa mesma direcção representa um clube desportivo ou uma confraria gastronómica”. No fecho desta edição, ainda não era conhecida nenhuma decisão oficial da direcção do clube sobre esta posição assumida pelo plantel de juniores. GP


Publireportagem

Pratos de caça e muito mais O restaurante “Clube Caçadores” situase a apenas 100 metros do aeródromo e prima por oferecer aos seus clientes uma diversidade de pratos de caça, sendo por isso único na região. Ao visitar este espaç o nos ar reado res de Viseu e desfolhando o cardápio, vai deparar-se com pratos tipic amente de caça como o arr oz d e p e r di z c o m mísc aros; a tar te d e p e r d i z ; o j ava li na púcara de barro; os bifes de veado na brasa; a feijoada de lebre e o coelho à caçador com míscaros, desengane -

Publicidade

se quem achar que o “Clube Caçadores” só dispõem de pratos de caça, até porque o polvo à lagareiro; o bacalhau à lagareiro e o arroz de míscaros constam igualmente do menu. Segundo os sócios-gerentes, José Morais e José Moita, “apesar da ementa ser mais direccionada para a caça, o restaurante é direccionado para todos os públicos”, esclarecem. Para acompanhar os pratos, o “Clube Caçadores” dispõem de uma boa carta de vinhos, com vinhos nacionais e estrangeiros de qualidade. Porque uma das

grandes preocupações dos responsáveis pelo restaurante é o conforto, a casa dispõem de uma atractiva esplanada para os meses de calor e lareira em todas as salas para os meses de Inverno. O espaço é ideal para jantares de grupo. A popularidade e boa localização do “Clube Caçado res” atrai muita gente fo r a do di st r ito, “como está perto do aeródromo as pessoas vêm de avião almoçam e vão emb o r a ”, c o n t a m o s sócios- gerentes. O restaurante já fo i diver s as veze s Uma das salas do restaurante “Clube Caçadores” galardoado.


D “Os olhos do Farol”

22

culturas expos LAMEGO ∑ Museu

Até 12 de Dezembro Exposição “Vibrasons” na sala de exposição temporária. VOUZELA ∑ Museu Municipal Até dia 15 de Dezembro Exposição de pintura de Lopes de Sousa.

No seguimento das comemorações dos 55 anos do Cine Clube de Viseu, os filmes “Os olhos do Farol” e “Punk is not daddy”, estão em exibição no dia 7 de Dezembro no IPJ, pelas 21h45.

Arcas da memória

Destaque

Coro Mozart pauta o ritmo em Viseu Objectivo∑ Consolidar o canto coral na cidade e transformá-lo num local de culto

VISEU ∑ Biblioteca Municipal Dom Miguel da Silva Até dia 3 de Dezembro Exposição “Instrumentos Musicais Chineses”.

∑Câmara Municipal Até dia 7 de Janeiro (2011) Exposição colectiva “Pinceladas Natalícias”. TONDELA ∑ Museu Municipal Até dia 6 de Março (2011) Exposição “O cilindro é o elmo”, de Manuel da Silva Vaz. MANGUALDE ∑ Câmara Municipal Até dia 7 de Dezembro Exposição fotográfica“A guerra colonial vista por dentro - memórias dos excombatentes beirões”.

∑Biblioteca Municipal Até dia 17 de Dezembro Mostra de pintura “Espontaneidades...do lado de cá”, de Maria Adélia Coelho e Margarida Nunes.

A Próximo espectáculo está marcado para hoje, na Gala da APPACDM, em Viseu No dia 27 de Janeiro de 2006 (250 anos após o nascimento de Wolfgang Amadeus Mozart) nasceu, em Viseu, o Coro Mozart, que assenta em três objectivos fundamentais: consolidar o canto coral em Viseu e, por arrastamento, na região centro, promover a realização de grandes concertos corais e revitalizar e fortalecer uma identidade específica. Há mais dois objectivos que o Coro Mozart, a curto prazo, deseja concretizar. “A construção de uma academia de canto coral e arranjar uma sede para o coro juvenil de Viseu”, refere Dionísio Vila Maior,

director artístico. Actualmente, o Coro Mozart conta com 50 jovens coralistas, numa média de idades de 14 anos. A participação em espectáculos tem aumentado exponencialmente, assim como os convites para actuar no estrangeiro. O coro ensaia aos sábados de manhã na Biblioteca Municipal de Viseu, os jovens coralistas do Coro Mozart encontram-se todos eles ligados, directa ou indirectamente à música. O seu repertório encontra-se distribuído por um conjunto de músicas, compositores, autores e grupos bem conheci-

dos: Roger Waters (Pink Floyd), John Lennon e Paul McCartney (Beatles), Freddie Mercury (Queen), B. Andersson e B. Ulvaeus (ABBA), Ray Charles, Duke Ellington, Paul Rardin, Edwin Hawkins, David Dunbar, R. Kelly, Bobby Helms, Cy Coleman, Bruno Coulais, Alain Oulman, Paulo Gonzo, Rui Veloso, Jorge Palma, André Sardet, música popular russa e música popular portuguesa. Devido a esta variedade musical,o Coro canta para todas as faixas etárias.

A Tempo e Horas (CB) (Digital)

(M18) (Digital 3D) Sessões diárias às 11h00 (Dom. e 4ª), 14h20, 17h30, 21h10, 00h20 (6ª e Sáb. e 3ª) Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 1 (M12) (Digital)

21h00, 00h10 (6ª, Sáb. e 3ª) HarryPotter e os Talismãs da Morte: Parte 1 (M12) (Digital)

roteiro cinemas

VISEU FORUM VISEU (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 13h50, 16h15, 18h40, 21h50, 00h15 (6ª, Sáb. e 3ª) Jogo Limpo (M12) (Digital) Sessões diárias às 14h50, 19h20, 23h50 (6ª, Sáb. 3ª) Jackass 3D (M16) (Digital 3D)

Sessões diárias às 11h20 (4ª e Dom.) 14h10, 16h25, 18h50, 21h20, 23h40 (6ª e Sáb. e 3ª)

Sessões diárias às 11h10 (Dom. e 4ª), 14h30, 16h50, 19h10, 21h40, 00h00 (6ª, Sáb. e 3ª) Megamind VP (M6) (Digital 3D) Sessões diárias às 13h40, 16h10, 19h00, 22h00, 00h30 (6ª, Sáb. e 3ª) É a Vida! (M12) (Digital) Sessões diárias às 17h10, 21h30, Saw

Jornal do Centro 03 | Dezembro | 2010

PALÁCIO DO GELO (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 14h10, 16h25, 18h40, 21h20, 23h40 (6ª, Sáb. e 3ª) Imparável (M12) Sessões diárias às 10h45 (Dom. e 4ª), 13h50, 17h00,

Tiago Virgílio Pereira tiago.virgilio@jornaldocentro.pt

Sessões diárias às 11h20 (Dom. e 4ª), 14h30, 16h40, 18h50 Gru - O Mal Disposto (M6) (Digital 3D) Sessões diárias às 11h10 (4ª e Dom.) 13h40, 15h55, 18h10, 21h40, 00h00 (6ª, Sáb. e 3ª) A Tempo e Horas (CB)

O meu país com uma fronteira no seu meio

Alberto Correia Antropólogo aierrocotrebla@gmail.com

Hoje era dia de recolha de alimentos pelo Banco Alimentar e eu lá deixei o meu pequeno saco no carrinho que uma gentil e generosa rapariga mantinha junto à porta do LIDL que levantaram às portas do meu bairro. Já lá havia muitos sacos, nessa hora. Alguns eram como os da viúva de que fala o Evangelho (Marcos, 12,41-44) que lançou na arca do Tesouro do Templo de Jerusalém destinada aos pobres as pequenas moedas que eram toda a sua riqueza. Ela nem reparou que Cristo, nesse dia, estava ali ao lado e que viu. Nesta tarde em que passei pelo Mercado sei que houve gestos quase iguais ao gesto da viúva. Do magro salário mínimo, da reforma vergonhosa ainda houve quem tirasse os preciosos cêntimos de um quilo de arroz para um qualquer irmão desconhecido. E eu senti-me triste neste país com uma fronteira cá por dentro. Descrevem-ma os e-mails que me enviam, que se vão trocando, que se vão trocando, mas que ainda não geraram uma consciên-

cia colectiva para dizer bem alto que algo não está bem. Como no outro dia é importante que haja três milhões para que o eco dessa voz se faça ouvir. Os e-mails de que falo, dizem daqueles que ao fim do mês arrastam, eu não consigo mesmo ver bem para onde, uma fortuna, milhões de euros. Tamanho insulto a quem passa o dia de trabalho regado com suor!... E não parece que haja naqueles compaixão. Não lerão, de certeza, as quotidianas notícias dos jornais para além do que vai na Bolsa de Valores. Os vidros esfumados do seu carro não deixam ver os pobres que mendigam pela rua. Não falam com a “criada” que vai às compras ao Mercado, não podem ajudar assim o Banco Alimentar, se é que sabem que isso existe ali aos pés. E um dia irá bastar-lhes, como aos outros, o módico pedaço de sete palmos de terra e um caixão. No meu país fica assim uma fronteira no seu meio, duas margens divididas por um rio, desiguais. E impossível parece a urgente travessia.

Sessões diárias às 11h00 (4ª e Dom.) 14h00, 16h10, 18h20 21h10, 23h20 (6ª, Sáb. e 3ª) Megamind VP (M6) (Digital 3D)

Estreia da semana

Sessões diárias às 14h40, 17h30, 21h30, 00h20 (6ª, Sáb. e 3ª) A Cidade (M12) Digital Sessões diárias às 22h00, 00h15 (6ª, Sáb. e 3ª) A Rede Social (M12)

Megamind- Ao longo dos anos,

Megamind tem tentado conquistar Metro City de todas as formas possíveis e imaginárias. Cada tentativa é um colossal falhanço, devido ao herói mascarado conhecido como “Metro Man”, um herói invencível, até ao dia em que Megamind, por entre os esquemas dos seus planos malévolos, o liquida.


23

Jornal do Centro 26 | Dezembro | 2010

Literatura

“Páginas lentas 3” O livro “Páginas Lentas 3” vai ser apresentado amanhã, pelas 16h30 na Fnac, em Viseu, à semelhança do que tem acontecido em edições anteriores. Este projecto editorial, que teve início em 2008, é da autoria do Gicav (Grupo de Inter-

venção e Criatividade Artística de Viseu). O liv ro reú ne u m a colectânea de textos de du a s de z e n a s de autore s de d iver s a s idades , for m ações e percursos de vida. O objectivo deste pro jecto é dar visibilidade a autores que vão

criando e que, merecem fazer parte da colectânea. As edições do “páginas lentas” têm sempre subjacente um acto de solidariedade. O valor das vendas no d ia de apresentação rever tem a favor d a ACAPO.

Oficinas

Workshop de iniciação à fotografia Vai ter lugar no Instituto Português da Juventude (IPJ), em Viseu, um workshop de fotografia digital, nos dias quatro e

cinco de Dezembro. O workshop destinase a todos os que estão a dar o primeiro passo na fotografia ou que quei-

ram melhorar as suas fotografias, deixando de lado o modo automático da sua máquina fotográfica.

Cinema

“Ponha aqui o seu dentinho” Dom i ngo, d i a 5 de Dezembro, o Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego, apresenta a comédia “Ponha aqui o seu dentinho”. Becca está dividida entre dois rapazes: um misterioso, temperamental e incrivelmente pálido e outro estável e doce que a faz lembrar um “irmão mais novo gay”. Na sua busca por decidir entre os dois, ela tem de sobreviver a um jantar de família sem se tornar ela própria a refeição, o que é ainda

mais difícil quando outro grupo de vampiros -muito semelhantes aos Black Eyed Peas - está também determinado em comê-la. À medida que o baile de f ina listas se aproxima, Becca tem algumas decisões difíceis a tomar, contando para isso com a ajuda de todos, desde Alice - de um miste-

rioso país das maravilhas - a Lady Gaga.

agenda cultural fnac Com edição prevista para Setembro, “A Midsummer Night`s Dream – Live in Maastricht” promete ser prenda obrigatória de Natal. PROJECÇÃO ANDRÉ RIEU , A MIDSUMMER NIGHT’S DREAM LIVE IN MAASTRICHT ∑ Sexta-feira 3, às 21h00 André Rieu é um artista de classe internacional. Elevou o patamar da música clássica ao estatuto pop. As vendas dos seus discos e DVDs são reflexo desse sucesso. Só em Portugal, André Rieu já vendeu mais de 120 mil unidades. O formato DVD é estrela.

PROJECÇÃO STING LIVE IN BERLIN ∑ Segunda-feira 6, às 21h00 Live in Berlin» é uma extensão do muito bem sucedido «Symphonicities». Tendo chegado a #1 em Portugal, «Symphonicities» tornouse uma oportunidade de rever todos os êxitos da carreira de Sting – a solo e com os The Police – desta vez com a presença de orquestra sinfónica. «Live in Berlin» comprova ao vivo o

valor das canções de Sting adornadas por orquestra. Gravado no O2 Arena, de Berlim, torna-se uma edição obrigatória para os fãs do músico. AO VIVO FILIPE GONÇALVES DE VOLTA AO TEMPO DO VINIL ∑Quarta-feira 8, às 17h00 Filipe Gonçalves edita o segundo álbum a solo intitulado De Volta ao Tempo do Vinil, um projecto inspirado nas cores e sonoridades dos anos 60, 70 e 80. Com arranjos que nos levam até aos géneros musicais desse período dourado, os novos temas originais fazem desta viagem uma fusão intemporal.


D “A Costa dos Murmúrios”

24 CULTURAS

Jornal do Centro 03 | Dezembro | 2010

O auditório municipal Carlos Paredes, em Vila Nova de Paiva, vai receber a sessão de cinema “A Costa dos Murmúrios”, na próxima quintafeira, dia 9 de Dezembro. A entrada é livre.

A IMPRENSA EM VIZEU

Destaque

“INQUILINOS” Companhia espanhola∑ Recorre à ausência de diálogo em favor de uma narração visual Hoje, a partir das 21h45, o FINTA (Festival Internacional de Teatro da Acert) apresenta a peça de teatro “Inquilinos”, da companhia de teatro espanhola, Azar Teatro. Após a morte do seu senhorio, os inquilinos de um antigo prédio estão em risco de perder as suas casas, face à possível demolição do edifício. Falamos, sem falar, de personagens singulares, solitárias, quase marginais, que sofrem em conjunto neste ambiente de grande tensão. No fundo seres divididos entre os sonhos e a realidade, con-

fundidos algures entre os seus desejos e frustrações. A companhia vai buscar ao cinema alguns dos seus inverosímeis códigos de verosimilhança e aplicaos à cena teatral. Recorre à ausência de diálogo em favor de uma narração visual onde os acontecimentos decorrem, quase em ritmo cinematográfico, em espaços que se multiplicam num mesmo plano. Tal como no grande ecrã, passamos de dentro para fora e vice-versa, como se os espectadores se convertessem numa espécie de “câmara subjectiva” da obra.

A Javier Esteban, é o director e dramaturgo O paradoxo entre o real e o imaginário culmina num jogo visual que parece transformar o insólito em normal, numa dramaturgia recheada de elementos oníricos, poéticos e irreais.

A Folha e as relações Estado-Igreja V Na sequência dos artigos anteriormente publicados, vamos continuar a apresentar algumas considerações que A Folha (1901-1911), o primeiro jornal diocesano de Viseu, fez relativamente às relações entre o Estado e a Igreja, já depois da implantação da República (5 de Outubro de 1910). Num quadro de frequentes ataques aos bens da Igreja, eram, necessariamente, os católicos mais entusiastas aqueles que acreditavam poder lutar de igual para igual com a República que cedo começa-

ra a delinear estratégias para aniquilar a Igreja e os seus apoiantes. Essas estratégias passavam pela aplicação da «Lei da Separação do Estado das Igrejas» que entrou em vigor no dia 20 de Abril de 1911. O mesmo discurso aplica-se à «Pastoral Colectiva do Episcopado Português ao Clero e Fiéis de Portugal» que esteve na origem da suspensão d’ A Folha (5 de Março de 1911). Neste aspecto religioso podemos, apenas, reforçar a forte convicção do jornal em publicar a referida «Pastoral», como forma de manter

Paulo Bruno Alves paulobruno@iol.pt

desfraldada a sua bandeira, a mesma que era o seu porta-estandarte desde o início da luta: Por Deus – Pela Pátria. A posição do jornal foi sendo apresentada face a alguns acontecimentos e podemos realçar apenas o seu carácter religioso que em muito inf luenciou (se não totalmente) a própria postura do jornal face a todos os casos. A Folha nunca escondeu as suas posições políticas, afirmando-se um entusiasta elemento do Partido Nacionalista e por ele orientou toda a sua vida.

Publicidade

Com Augusto Mateus e Luís Braga da Cruz Organização da Associação de Municípios do Douro Sul

Publicidade

LAMEGO CONFERÊNCIAS DO DOURO SUL

Dia 10 Dezembro Teatro Ribeiro Conceição

2010

www.conferenciasdourosul.amvds.pt 9.30 h . Sessão de abertura Francisco Lopes – Pres. CM de Lamego Mário Ferreira – Pres. CM de Tarouca e da Assembleia da AMVDS José Junqueiro – Secretário de Estado da Administração Local 10.00 h . Preservar e desenvolver em territórios ambientalmente sensíveis Os casos do Douro e do Montemuro Ricardo Magalhães – Unidade de Missão do Douro Luís Tibério – Professor da UTAD José Pereira Pinto – Pres. Câmara Cinfães José Tulha – Pres. CM S. João da Pesqueira 11.15 h . Coffee-Break 11.30 h . Instrumentos de desenvolvimento e quadros comunitários Paulo Gomes - Vice Presidente da CCDRN Regina Lopes – Pres. da Fed. Nac. Ass. de Desenv. Local José Eduardo – Pres. CM de Moimenta da Beira António Carlos Esteves – Pres. CM de Penedono Rua Marquês de Pombal, 5100-150 LAMEGO Tel. (+351) 254 655 968 . Fax: (+351) 254 613 985 Email: geral@amvds.pt

12.45 h . Almoço 14.30 h . Os desafios da sustentabilidade e do desenvolvimento económico Augusto Mateus – Economista e Professor Universitário Luís Braga da Cruz – Engenheiro e Professor Universitário António Borges – Pres. CM Resende e Conselho de Admin. da AMVDS Hernâni Almeida – Pres. CM de Armamar 16.00 h . Intervenção aberta ao público 16.45 h . Coffee-Break 17.00 h . O emprego como questão central Valter Lemos – Secretário de Estado do Emprego João Ribeiro – Pres. Câmara Municipal de Tabuaço José Mário – Pres. Câmara de Sernancelhe 18.00 h . Encerramento


Jornal do Centro

25

26 | Dezembro | 2010

saúde Associação de Celíacos denúncia sub-diagnóstico A Associação Portuguesa de Celíacos admite que cerca de 100 mil pessoas deverão ter doença celíaca em Portugal. Destas, só oito mil estão diagnosticadas como sendo doentes intolerantes ao glúten. A Associação Portuguesa de Celíacos lamenta este sub-diagnóstico, que em parte se deve ao preço das análises específicas para a detecção da doença e que não são comparticipadas pelo Serviço Nacional de Saúde. O único tratamento para os doentes celíacos é uma dieta isenta em glúten, proteína presente em muitos cereais. Os produtos disponíveis nos mercados são muito caros e não têm qualquer isenção, lembra a associação No próximo ano, as principais cadeias de

Portugueses mais identificados com AAA Petição∑ Criação do dia nacional do aneurisma da aorta abdominal

hipermercados em Portugal deverão começar a produzir produtos brancos sem glúten. Uma decisão que poderá fazer baixar signif icativamente os preços. A doença celíaca pode surgir em qualquer idade, mas o normal é aparecer entre os seis e os 20 meses. Nas crianças, os sintomas mais comuns são diarreia ou prisão de ventre crónica, vómitos ou distensão abdominal. Nos adultos, são anemia e aftas recorrentes, alterações dermatológicas e cansaço crónico.

Um ano depois de ter sido lançada a campanha “Aorta é Vida”, um inquérito nacional comprova que os portugueses estão mais bem informados sobre o Aneurisma da Aorta Abdominal (AAA). Segundo os dados do estudo divulgado pela Sociedade Portuguesa da Angiologia e Cirurgia Vascular e a Sociedade Portuguesa de Cirurgia Cardio-Torácica e Vascular, a notoriedade da doença duplicou. Em 2009, um estudo nacional demonstrava que apenas 13,3 por cento dos portugueses conheciam a doença. Actualmente 31 por cento da população de risco (homens com 65 anos ou mais) têm conhecimento relativamente ao aneurisma da aorta. A ruptura do aneurisma

A Homens com mais de 65 anos são população de risco da aorta abdominal é fatal em 80 por cento dos casos, significando que o diagnóstico precoce pode salvar vidas. Em Portugal ainda não há um programa de rastreio gratuito que permita diagnosticar antecipadamente os aneurismas da aorta “apesar de se efectuar com uma simples ecografia abdominal”, explica o coordenador nacional da cam-

panha “Aorta é Vida”, João Castro. Nesta altura está disponível uma petição para a institucionalização do dia nacional do aneurisma da aorta abdominal, “como forma de alargar o âmbito de divulgação da doença”, acrescenta o cirurgião. Os interessados em assinar a petição podem fazê-lo através da página da internet www.aortaevida.com

MINISTRA DA SAÚDE QUER REDUZIR CESARIANAS

FARMÁCIA MODERNA 232 972 982 HORÁRIO ALARGADO

08h30 às 22h00

O

Segunda a Sábado

A MATANTIGO DOU RO

SAN

AV. NOVA

TIAG

RIO

DE

DA

OLA

ESC

A

LOB

TRAVASSOS

ES T

RA D

AD

ES

ÁT

ÃO

O

R.

VIS

EU

Farmácia Moderna Loteamento S. João da Carreira Est. E.N. 229, Lt. 3 - Fracção A Travassos, Santa Maria 3500-188 Viseu

A ministra da Saúde, Ana Jorge, defendeu a realização de cesarianas exclusiva mente com base em critérios clínicos, e assim combater a intervenção a pedido da mulher. No encerramento do pri mei ro congresso nacional da Sociedade Portuguesa de Medicina Materno Fetal, a ministra justificou a medica para que “haja um critério clínico exclusivo para a indicação de cesariana, muito bem cumprido”. A m i n ist ra ad ia ntou que o Ministério da Saúde fa rá uma ca mpa n ha de sensibilização para os que correm as mulheres e bebés sujeitos a uma cesariana.

Opinião

Ana Granja da Fonseca Odontopediatra, médica dentista de crianças anagranja@netcabo.pt

A importância da Ortodontia Precoce A or todontia é uma das especialidades mais conhecidas da medicina dentária, devido à grande melhoria de qualidade de vida que traz ao paciente com dentes “tortos, fora de sítio ou encavalitados”. Contudo, o tratamento ortodôntico é ainda envolvido por algumas crenças que levam a pessoa a atrasar a recorrência a este tipo de tratamento. A correcção da posição dos dentes e/ou maxilares pode alterar o aspecto facial? Sim. A correcção da posição de dentes e/ ou maxilares pode a lte r a r o a s p e c to facial conferindo-lhe contornos e proporções mais harmoniosas e agradáveis, melhorando o aspecto e a imagem do paciente, transformando por exemplo rostos “bicudos” e afilados, em rostos mais proporcionais e agradáveis.


Jornal do Centro

26 SAÚDE

03 | Dezembro | 2010

Combater o frio stop• ceelulite • pêêlo rugas

1 e u q r o h l e 2m ança a mais poup beleza, agor s ai m ra Ago

NICO PREÇO Ú

30€ PREÇO Ú

x1 2 1 a visit

agora na sua

*

a

1 lo preço de 2 sessões pe tará apenas 15 €)

NICO

ação fotodepil plus o ção cavitaçã ia mesoterapcia uên radiofreq brasã o são moa microder ssoterapia pre

cus (Cada sessão

VISEU so centtro em Visite o nos acção A Lote 224 Fr Alagoa, LO) Quinta da LÁCIO DO GE (Junto ao PA u se Vi 3500-606 a.com hecareestetik viseu@biot

has epilação (Viril s ofertas. pia, Fotod l com outraapresentar Pressotera sário Cavitação +ssoal não acumuláve er entre.: Oferta unipe a esta oferta será neces uma, a escolh acesso frequência preço de ka. Para ter são + Radio sessões pelo ecare Estéti dermoabra ir de duas s serviços á usufruia dados da Bioth deste al ou Micro de poder dade Virtu base na nibili cupão Mesoterap m registoados próximo a dispo entação deste oabrasãoes+que não estejano * Na apres centr mais Microderm + Axilas), exclusiva para clientpessoal. Consulte Promoção de identificação o seu cartão

na Europa

8ca8re0este6tik7a.co9m0.pt 1 9 he ot bi www.

O frio intenso e o vento podem ter efeitos nefastos sobre a saúde, sobretudo nas pessoas idosas, crianças e sem-abrigo. As pessoas idosas constituem um grupo especialmente vulnerável, quando apresentam deficiência do sistema termoregulador ou quando ficam sujeitas a uma agressão térmica muito intensa. Para resistir às vagas de frio intenso como a que o país está a viver por estes dias, é recomendado utilizar roupa quente suple-

mentar, cobrir a cabeça, utilizando chapéu ou gorro, proteger as mãos com luvas e utilizar calçado adequado para evitar perdas de calor. Deve ainda manter-se activo, fazendo pequenos exercícios com os braços, pernas e dedos, para activar a circulação sanguínea, ingerir bebidas quentes e comer refeições quentes. Além disso, deve-se manter uma temperatura ambiente entre 20 e 21 graus centígrados. Vedar bem as portas e janelas é outra das recomendações.

RASTREIO À HIDRATAÇÃO EM NELAS

A Ratiopharm, volta ao distrito para promover um rastreio para a determinação do grau de hidratação da pele. Desta vez em Nelas, na Farmácia Albino Pais, no dia nove. O rastreio insere-se na campanha gratuita à população que a empresa alemã especialista no fabrico, desenvolvimento e comercialização de produtos farmacêuticos tem vindo a realizar em diversas farmácias do país Dura nte os rastreios, a Ratiopharm disponibiliza recursos humanos e os materia is necessá rios para a realização dos mesmos. A campanha surge no seguimento do lançamento da linha de dermocosméticos da ratiopharm, a ratioderm, uma linha hipoalergénica de cuidado corporal, mãos e pés, para reduzir o risco de irritação da pele.


Jornal do Centro

SAÚDE 27

26 | Dezembro | 2010

FRANCISCO CORTEZ VAZ MÉDICO ESPECIALISTA GINECOLOGIA-OBSTETRÍCIA DOENÇAS DA MAMA COLPOSCOPIA MESTRADO EM PATOLOGIA MAMÁRIA (Faculdade de Medicina da Universidade de Barcelona) CHEFE DE SERVIÇO HOSPITAL S. TEOTÓNIO - VISEU Consultas: Segunda a Quinta a partir das 14 horas

Rua D. António Alves Martins, 40-4ºE 3500-078 - Viseu • Tel/Fax: 232 441 127

Consultório:


Jornal do Centro

28 CLASSIFICADOS

03 | Dezembro | 2010 RESTAURANTE O LEAL CONSSELHEIRO Chefe de Cozinha Zagallo. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Quinta do Catavejo Lt. 44 Mundão, 3505-582 Viseu. Telefone 232 185 071. Observações 6ª a Domingo - Menu de degustação | 2ª a 5ª - Preço Fixo por pessoa. RESTAURANTE CACIMBO Especialidades Frango de Churrasco, Leitão à Bairrada. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua Alexandre Herculano, nº95, Viseu. Telefone 232 422 894 Observações Serviço Take-Away.

PENALVA DO CASTELO OTELHEIRO Especialidades Feijão de Espeto, Cabidela de Galinha, Arroz de Míscaros, Costelas em Vinha de Alhos. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Sangemil, Penalva do Castelo. Observações Sopa da Pedra ao fim-de-semana.

TONDELA

RESTAURANTES VISEU RESTAURANTE O MARTELO Especialidades Cabrito na Grelha, Bacalhau, Bife e Costeleta de Vitela. Folga Não tem. Morada Rua da Liberdade, nº 35, Falorca, 3500-534 Silgueiros. Telefone 232 958 884. Observações Vinhos Curral da Burra. RESTAURANTE BEIRÃO Especialidades Bife à Padeiro, Posta de Vitela à Beirão, Bacalhau à Casa, Bacalhau à Beirão, Açorda de Marisco. Folga Segunda-feira (excepto Verão). Preço médio refeição 12,50 euros. Morada Alto do Caçador, EN 16, 3500 Viseu. Telefone 232 478 481 Observações Aberto desde 1970. RESTAURANTE TIA IVA Especialidades Bacalhau à Tia Iva, Bacalhau à Dom Afonso, Polvo à Lagareiro, Picanha. Folga Domingo. Preço médio refeição 15 euros. Morada Rua Silva Gaio, nº 16, 3500-203 Viseu Telefone 232 428 761. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira) – 6,5 euros.

RESTAURANTE CLUBE CAÇADORES Especialidades Polvo à Lagareiro, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito Churrasco, Javali na Brasa c/ Arroz de Feijão, Arroz de Perdiz c/ Míscaros, Tarte de Perdiz, Bifes de Veado na Brasa. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Muna, Lordosa, 3515-775 Viseu. Telefone 232 450 401. Observações Reservas para grupos e outros eventos. SOLAR DO VERDE GAIO Especialidades Rodízio à Brasileira, Mariscos, Peixe Fresco. Folga Terça-feira. Morada Mundão, 3500-564 Viseu. www.solardoverdegaio.pt Telefone 232 440 145 Fax 232 451 402. E-mail geral@ solardoverdegaio.pt Observações Salão de Dança – Clube do Solar – Sextas, Sábados até às 03.00 horas. Aceita Multibanco. RESTAURANTE SANTA LUZIA Especialidades Filetes Polvo c/ Migas, Filetes de Espada com Arroz de Espigos, Cabrito à Padeiro, Arroz de Galo de Cabidela, Perdiz c/ Castanhas. Folga Segunda-feira. Morada EN 2, Campo, 3510-515 Viseu. Telefone 232 459 325. Observações Quinzena da Lampreia e do Sável, de 17 de Fevereiro a 5 de Março. “Abertos há mais de 30 Anos”.

RESTAURANTE O PERDIGUEIRO Especialidades Peixes Grelhados e ao Sal, Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Assado à Padeiro. Folga Sábado. Morada Quinta do Galo, Lote B R/C Direito, 3500 Viseu. Telefone 232 461 805.Observações Aceita Multibanco.

PIAZZA DI ROMA Especialidades Cozinha Italiana (Pizzas, Massas, Carnes e Vinhos). Folga Domingo e segunda-feira ao almoço. Morada Rua da Prebenda, nº 37, 3500-173 Viseu Telefone 232 488 005. Observações Menu económico ao almoço.

RESTAURANTE PICANHA REAL Especialidades Rodízio de Picanha. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira, Lote 1 R/C, Travassós de Cima, 3500-187 Viseu Telefone 232 186 386/7 - 917 038 215. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira).

RESTAURANTE A BUDÊGA Especialidades Picanha à Posta, Cabrito na Brasa, Polvo à Lagareiro. Acompanhamentos: Batata na Brasa, Arroz de Feijão, Batata a Murro. Folga Domingo. Preço médio por refeição 12,50 euros. Morada Rua Direita, nº 3, Santiago, 3500-057 Viseu. Telefone 232 449 600. Observações Vinhos da Região e outros; Aberto até às 02.00 horas.

RESTAURANTE O VISO Especialidades Cozinha Caseira, Peixes Frescos, Grelhados no Carvão. Folga Sábado. Morada Alto do Viso, Lote 1 R/C Posterior, 3500-004 Viseu. Telefone 232 424 687. Observações Aceitamse reservas para grupos. RESTAURANTE MAJOAL Especialidades Arroz de Pato, Bacalhau c/ Natas, Grelhados, Frango de Churrasco. Folga Segundafeira. Morada Avenida Capitão Silva Pereira, 3500-208 Viseu. Telefone: 232 431 891 - 964 043 709. CORTIÇO Especialidades Bacalhau Podre, Polvo Frito Tenrinho como Manteiga, Arroz de Carqueja, Cabrito Assado à Pastor, Rojões c/ Morcela como fazem nas Aldeias, Feijocas à maneira da criada do Sr. Abade. Folga Não tem. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Rua Augusto Hilário, nº 45, 3500-089 Viseu. Telefone 232 423 853 – 919 883 877. Observações Aceitam-se reservas; Takeway. RESTAURANTE O CAMBALRO Especialidades Camarão, Francesinhas, Feijoada de Marisco. Folga Não tem. Morada Estrada da Ramalhosa, nº 14, Rio de Loba, 3500825 Viseu. Telefone 232 448 173. Observações Prato do dia - 5 euros. RESTAURANTEPORTASDOSOL Especialidades Arroz de Pato com Pinhões, Catalana de Peixe e Carne, Carnes de Porco Preto, Carnes Grelhadas com Migas. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Urbanização Vilabeira Repeses - Viseu. Telefone 232 431 792. Observações Refeições para grupos com marcação prévia. TORRE DI PIZZA Especialidades Pizzas, Massas, Carnes. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Cidade de Aveiro, Lote 16, 3510-720 Viseu. Telefone 232 429 181 – 965 446 688. Observações Menu económico ao almoço – 4,90 euros.

COMPANHIA DA CERVEJA Especialidades Bifes c/ Molhos Variados, Francesinhas, Saladas Variadas, Petiscos. Folga Terçafeira. Preço médio refeição 8,50 euros. Morada Quinta da Ramalhosa, Rio de Loba (Junto à SubEstação Eléctrica do Viso Norte), 3505-570 Viseu Telefone 232 184 637 - 962 723 772. Observações Cervejaria c/amplo espaço (120 lugares), fácil estacionamento, acesso gratuito à internet. RESTAURANTE D. INÊS Especialidades Pratos económicos de Carne e Peixe. Folga Domingo. Preço médio refeição 5 euros. Morada Rua Serpa Pinto, nº 54, 3500 Viseu Telefone 232 428 837 – 232 184 900. QUINTA DO GALO CERVEJARIAS Especialidades Grelhados de Peixe e Carne. Folga Domingo. Morada Quinta do Galo, Lt3 | Bairro Stª Eugénia, Lt21, Viseu. Telefone 232 461 790 Observações Aberto até às 2h00. O CANTINHO DO TITO Especialidades Cozinha Tradicional, Petiscos. Folga Domingo. Morada Rua Mário Pais da Costa, nº 10, Lote 10 R/C Dto., Abraveses, 3515-174 Viseu. Telefone 232 187 231 – 962 850 771. RESTAURANTEBELOSCOMERES(ROYAL) Especialidades Restaurantes Marisqueiras. Folga Não tem. Morada Cabanões; Rua da Paz, nº 1, 3500 Viseu; Santiago. Telefone 232 460 712 – 232 468 448 – 967 223 234. Observações Casamentos, baptizados, convívios, grupos. TELHEIRO DO MILÉNIO QUINTA FONTINHA DA PEDRA Especialidades Grelhados c/ Churrasqueira na Sala, (Ao Domingo) Cabrito e Aba Assada em Forno de Lenha. Folga Sábados (excepto para casamentos, baptizados e outros eventos) e Domingos à noite. Morada Rua Principal, nº 49, Moure de Madalena, 3515016 Viseu. Telefone 232 452 955 – 965 148 341.

EÇA DE QUEIRÓS Especialidades Francesinhas, Bifes, Pitas, Petiscos. Folga Não tem. Preço médio refeição 5,00 euros. Morada Rua Eça de Queirós, 10 Lt 12 - Viseu (Junto à Loja do Cidadão). Telefone 232 185 851. Observações Take-away. GREENS RESTAURANTE Especialidades Toda a variedade de prato. Folga Não tem. Preço médio refeição Desde 2,50 euros. Morada Fórum Viseu, 3500 Viseu. Observações www.greensrestaurante.com MAIONESE Especialidades Hamburguers, Saladas, Francesinhas, Tostas, Sandes Variadas. Folga Não tem. Preço médio refeição 4,50 euros. Morada Rua de Santo António, 59-B, 3500-693 Viseu (Junto à Estrada Nacional 2). Telefone 232 185 959. RESTAURANTEROSSIOPARQUE Especialidades Medalhão de Vitela p/ duas pessoas 800g Pura Alcatra, Bacalhau à Casa, Massa c/ Bacalhau c/Ovos Escalfados, Corvina Grelhada; Acompanhamentos: Migas, Feijão Verde, Batata a Murro. Folga Sábado à Noite e Domingo. Morada Rua Soar de Cima, nº 55 (Junto ao Jardim das Mães – Rossio), 3500-211 Viseu. Telefone 232 422 085. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira) – sopa, bebida, prato e sobremesa ou café – 6 euros. FORNODAMIMI Especialidades Assados em Forno de Lenha, Grelhados e Recheados (Cabrito, Leitão, Bacalhau). Folga Não tem. Preço médio por refeição 14 euros. Morada Estrada Nacional 2, Vermum Campo, 3510-512 Viseu. Telefone 232 452 555. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. QUINTADAMAGARENHA Especialidades Lombinho Pescada c/ Molho de Marisco, Cabrito à Padeiro, Nacos no Churrasco. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Nó 20 A25, Fragosela, 3505-577 Viseu. Telefone 232 479 106 – 232 471 109. Fax 232 479 422. Observações Parque; Serviço de Casamentos. CHURRASQUEIRARESTAURANTESTºANTÓNIO Especialidades Bacalhau à Lagareiro, Borreguinho na Brasa, Bacalhau à Brás, Açorda de Marisco, Açorda de Marisco, Arroz de Lampreia. Folga Quarta. Morada Largo Mouzinho de ALbuquerque (Largo Soldado Desconhecido). Telefone 232 436 894. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes, Festas. RODÍZIOREAL Especialidades Rodízio à Brasileira. Folga Não tem. Preço médio por refeição 19 euros. Morada Repeses, 3500-693 Viseu. Telefone 232 422 232. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. RESTAURANTEOPOVIDAL Especialidades Arroz de Pato, Grelhados. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira Lt9 1ª Fase, Viseu. Telefone 232 284421. Observações Jantares de grupo. RESTAURANTEACOCHEIRA Especialidades Bacalhau Roto, Medalões c/ Arroz de Carqueija. Folga Domingo à noite. Morada Rua do Gonçalinho, 84, 3500-001 Viseu. Telefone 232 437 571. Observações Refeições económicas ao almoço durante a semana.

RESTAURANTE BAR O PASSADIÇO Especialidades Cozinha Tradicional e Regional Portuguesa. Folga Domingo depois do almoço e Segunda-feira. Morada Largo Dr. Cândido de Figueiredo, nº 1, Lobão da Beira, 3460-201 Tondela. Telefone 232 823 089. Fax 232 823 090 Observações Noite de Fados todas as primeiras Sextas de cada mês. RESTAURANTE PONTO DE ENCONTRO Especialidades Grelhada Mista do Oceanos, Grelhada à Ponto de Encontro, Bacalhau c/ Natas, Bife à Ponto de Encontro. Folga Sábado. Morada Avenida do Salgueiral, nº 3, Fojo, Molelos, 3460211 Tondela. Telefone 232 812 867. Observações Casamentos, Baptizados e outros eventos; Refeições económicas (Almoço – 2ª a 6ª feira) – 5 e 6 euros. RESTAURANTE SANTA MARIA Especialidades Cozido à Portuguesa, Picanha, Borrego Estufado, Bacalhau Santa Maria. Folga Quarta-Feira. Preço médio por refeição Desde 6,50 euros. Morada Avenida da Igreja, nº 989, Canas de Santa Maria, 3460-012 Tondela. Telefone 232 842 135. Observações Refeições económicas c/ tudo incluído – 6,50 euros; Refeições p/ fora – 5,50 euros. RESTAURANTE S. BARNABÉ Especialidades Chanfanas, Comida Italiana, Cozinha Tradicional, Arroz de Polvo c/ Gambas Morada Rua dos Bombeiros Voluntários, nº80 - 3460-572 Tondela Telemóvel 969 723 146. Observações Comida para fora. STAURANTE PRATO D’OURO Especialidades Cozinha Regional Morada EN 2, 1189 Adiça 3460-321 Tondela Telefone 232 816 537. Observações Refeições Económicas (2ª a 6ª feira), Refeições p/ fora.

SÃO PEDRO DO SUL RESTAURANTE QUINTA DO MARQUÊS Especialidades Bacalhau c/ Natas, Rojões à Beirão, Vitela à Lafões, Tiramisú. Folga Domingo (Dezembro a Junho). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Galerias Quinta do Marquês, 2º Piso, Fracção Z (junto ao Pav. Desportivo Municipal e Piscinas), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 723 815. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira). RESTAURANTE O CAMPONÊS Especialidades Nacos de Vitela Grelhados c/ Arroz de Feijão, Vitela à Manhouce (Domingos e Feriados), Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Grelhado c/ Arroz de Miúdos, Arroz de Vinha d´Alhos. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 12 euros. Morada Praça da República, nº 15 (junto à Praça de Táxis), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 711 106 – 964 135 709.

SANTA COMBA DÃO RESTAURANTE TÍPICO O PEDRO Especialidades Mariscos, Grelhados e Pratos Regionais. Paelha, Camarão À Pedro, Arroz de Marisco, Bacalhau Zé Pipo, Carne Porco Alentejana, Naco, Cabrito, Cabidela de Galo. Folga Não tem. Morada Rua Principal, nº 11 A, 3440465 São João de Areias. Telefone 232 891 577 – 964 262 750. Observações Casamentos, Baptizados, Grupos; Espaço Verde.

OLIVEIRA DE FRADES OS LAFONENSES – CHURRASQUEIRA Especialidades Vitela à Lafões, Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Casa, Bife de Vaca à Casa. Folga Sábado (excepto Verão). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua D. Maria II, nº 2, 3680-132 Oliveira de Frades. Telefone 232 762 259 – 965 118 803. Observações Leitão por encomenda.

NELAS RESTAURANTE QUINTA DO CASTELO Especialidades Bacalhau c/ Broa, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito à Padeiro, Entrecosto Vinha de Alhos c/ Arroz de Feijão. Folga Sábado (excepto p/ grupos c/ reserva prévia). Preço médio refeição 15 euros. Morada Quinta do Castelo, Zona Industrial de Nelas, 3520-095 Nelas. Telefone 232 944 642 – 963 055 906. Observações Prova de Vinhos “Quinta do Castelo”.

VOUZELA RESTAURANTE O REGALINHO Especialidades Grelhada Mista, Naco de Vitela na Brasa c/ Arroz de Feijão, Vitela e Cabrito no Forno, Migas de Bacalhau, Polvo e Bacalhau à Lagareiro. Folga Domingo. Preço médio refeição 10 euros. Morada Rua Teles Loureiro, nº 18 Vouzela. Telefone 232 771 220. Observações Sugestões do dia 7 euros. TABERNA DO LAVRADOR Especialidades Vitela à Lafões Feita no Forno de Lenha, Entrecosto com Migas, Cabrito Acompanhado c/ Arroz de Cabriteiro, Polvo Grelhado c/ batata a Murro. Folga 2ª Feira ao jantar e 3ª todo o dia. Preço médio refeição 12 euros. Morada Lugar da Igreja - Cambra - Vouzela. Telefone 232 778 111 917 463 656. Observações Jantares de Grupo. RESTAURANTE EIRA DA BICA Especialidades Vitela e Cabrito Assado no Forno e Grelhado. Folga 2ª Feira. Preço médio refeição 15 euros. Morada Casa da Bica - Touça - Paços de Vilharigues - Vouzela. Telefone 232 771 343. Observações Casamentos e Baptizado. www.eiradabica.com

FÁTIMA RESTAURANTE SANTA RITA Especialidades Bacalhau Espiritual, Bacalhau com camarão, Bacalhau Nove Ilhas, Bife de Atum, Alcatra, Linguiça do Pico, Secretos Porco Preto, Vitela. Folga Quarta-feira. Preço médio refeição 10 euros. Morada R. Rainha Santa Isabel, em frente ao Hotel Cinquentenário, 2495 Fátima. Telefone 249 098 041 / 919 822 288 Observações http:// santarita.no.comunidades.net; Aceita grupos, com a apresentação do Jornal do Centro 5% desconto no total da factura.

ADVOGADOS VISEU

ANTÓNIO PEREIRA DO AIDO Morada Rua Formosa, nº 7 – 1º, 3500135 Viseu. Telefone 232 432 588 Fax 232 432 560 CARLA DE ALBUQUERQUE MENDES

Morada Rua da Vitória, nº 7 – 1º, 3500-222 Viseu Telefone 232 458

029 Fax 232 458 029 Fax 966 860 580

MARIA DE FÁTIMA ALMEIDA Morada Rua Miguel Bombarda, nº 37 – 1º Esq. Sala G, 3510-089 Viseu Telefone 232 425 142 Fax 232 425 648 CATARINA DE AZEVEDO

Morada Largo General Humberto

Delgado, nº 1 – 3º Dto. Sala D, 3500139 Viseu Telefone 232 435 465 Fax 232 435 465 Telemóvel 917 914 134 Email catarina-azevedo5275c@adv.oa.pt CARLA MARIA BERNARDES

Morada Rua Conselheiro Afonso de

Melo, nº 39 – 2º Dto., 3510-024 Viseu Telefone 232 431 005 JOÃO PAULO SOUSA

M o r a d a L g. Genera l Humber to

Delgado, 14 – 2º, 3500-139 Viseu Telefone 232 422 666

HERMÍNIO MODESTO Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº275 - 1º Esquerdo - 3510047 Viseu Telefone/Fax 232 468 295 JOÃO MARTINS M o r a d a R ua D. A ntón io A lves Martins, nº 40 – 1º A, 3500-078 Viseu Telefone 232 432 497 Fax 232 432 498

ANTÓNIO M. MENDES Morada Rua Chão de Mestre, nº 48, 1º Dto., 3500-113 Viseu Telefone 232 100 626 Email antonio.m.mendes3715c@adv.oa.pt ARNALDO FIGUEIREDO E FIRMINO MENESES FERNANDES Morada Av. Alberto Sampaio, nº 135 – 1º, 3510-031 Viseu Telefone 232 431 522 Fax 232 431 522 Email a-figueiredo@iol.pt e firminof@iol.pt MARQUES GARCIA Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº 218 – C.C.S. Mateus, 4º, sala 15, 3514-504 Viseu Telefone 232 426 830 Fax 232 426 830 Email marques.garcia-3403c@advogados. oa.pt FILIPE FIGUEIREDO

Morada Rua Conselheiro Afonso

de Melo, nº 31 – 5º, sala 502, 3510024 Viseu Telefone 232 441 235 Telemóvel 964 868 473 Email filipe.figueiredo-5153c@adv.oa.pt FABS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS – RENATO FERNANDES, JOÃO LUÍS ANTUNES, PAULO BENFEITO

Morada Av. Infante D. Henrique, nº 18 – 2º, 3510-070 Viseu Telefone 232 424 100 Fax 232 423 495 Email

fabs.advogados@netvisao.pt

JOÃO NETO SANTOS Morada Rua Formosa, nº 20 – 2º, 3500134 Viseu Telefone 232 426 753 CONCEIÇÃO NEVES E MICAELA FERREIRA – ADVOGADAS

Morada Av. Dr. António José de

Almeida, 264 – Forum Viseu [NOVAS I NS TA L AÇÕE S], 3510 - 0 43 Viseu Telefone 232 421 225 Fax 232 426 454 BRUNO DE SOUSA Esc. 1 Morada Rua D. António Alves Martins Nº 40 2ºE 3500-078 VISEU Telefone 232 104 513 Fax 232 441 333 Esc. 2 Morada Edifício Guilherme Pereira Roldão, Rua Vieira de Leiria N º14 2430 - 30 0 Ma r i n ha Gra nde Telefone 244 110 323 Fax 244 697 164 Tlm. 917 714 886 Áreas preferenciais Crime | Fiscal | Empresas

MANGUALDE

JOSÉ MIGUEL MARQUES Morada Rua 1º de Maio, nº 12 – 1º Dto., 3530-139 Mangualde Telefone 232 611 251 Fax 232 105 107 Telemóvel 966 762 816 Email jmiguelmarques4881c@adv.oa.pt JOSÉ ALMEIDA GONÇALVES Morada Rua Dr. Sebastião Alcântara, nº 7 – 1º B/2, 3530-206 Mangualde Telefone 232 613 415 Fax 232 613 415 Telemóvel 938 512 418 Email jose.almeida.goncalves-14291l@adv. oa.pt

NELAS

JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges. silva@mail.telepac.pt

IMOBILIÁRIO VENDE-SE Pizzaria óptima localização, bem equipada, excelente clientela. Bom preço. T. 919 318 355 Casa antiga p/ restauro c/ cave - área coberta 131m2 + 195m2 de logradouro, no centro de Silgueiros. T. 917 239 296 / 962 309 454 T1/T2/T4 - Oliveira de frades - Cond. Privado - a partir de 80.000€ T. 938 729 302 Moradia em pedra para reconstruir com 802m2 de terreno - Fiais - Campia - 35.000€ T. 919 376 451 Terreno para isolada com 802 m2 - a 5 km da A25 - Vilharigues - Vouzela 24.000€ T. 938 729 302

ANA PAULA MADEIRA

T3 - Oliveira de frades - Jto aos bombeiros, c/ lugar de garagem, lareira, excelente estado - 90.000€ T. 919 376 451

Lobo, 59 – 1º DF, 3500-071 Viseu Telefone 232 426 664 Fax 232 426 664 Telemóvel 965 054 566 Email anapaula.madeira@sapo.pt

Armazém na zona industrial - a 8 km da A25 - 464m2 a. coberta + 5000m2 a. descoberta T. 938729302

Morada Rua D. Francisco Alexandre

MANUEL PACHECO

Morada Rua Alves Martins, nº 10 – 1º, 3500-078 Viseu Telefones 232 426 917 / 232 423 587 - Fax 232 426 344

PAULO DE ALMEIDA LOPES

Morada Travessa da Balsa, nº 21 3510-051 Viseu Telefone 232 432 209 Fax 232 432 208 Email palopes-

4765c@adv.oa.pt

T2 - No gerós - S. Ppedro do Sul - mobilado - vende/arrenda - 65.000€/300€ T. 919 376 451 T2 Duplex c/160m2 área, aquec. central, garagem. 86.000,00€ T. 969 090 018


Jornal do Centro

CLASSIFICADOS 29

26 | Dezembro | 2010

Alvarás e Títulos de Registo do INCI EDIPROCESS - GABINETE TÉCNICO DE ALVARÁS Telf.: 219 593 366 | Fax: 219 560 553 Tlm: 913 995 800 | 925 602 930 ediprocess@sapo.pt T2 óptimo estado, aquec. central, cozinha equipada. 91.500,00€ T. 917 921 823 T2 c/ pré – inst. aquec. central, cozinha mob. e equipada, garagem. 92.500,00€ T. 969 090 018 Moradia c/ aquec. central, cozinha equipada, 450m2 área descoberta.184.000,00€ T. 917 921 823 Moradia c/ boas áreas, cozinha mob. e equipada, logradouro. 125.000,00€ T. 969 090 018 Moradia Isolada em Silgueiros, 3 quartos c/ roup.(1 suite), 2 WC´s, escritório, cozinha completa c/ despensa, lareira c/ recuperador, aq. central, churrasqueira fechada, wc exterior p/ área de lazer, jardim, quintal c/ árvores de fruto e oliveiras, anexos, cave ampla c/ 200m2. Óptima exposição solar. T. 963 157 877

IMOBILIÁRIO ARRENDA-SE Escritório no centro da cidade, 275€ T. 232 098 416 / 960 050 949 T3 (centro), Aquecimento central completo, Garagem fechada 450,00€(AMI 8117) T. 232 410390 Loja, Àrea:150 m2. Boa localização 450,00€(AMI 8117) T. 232 410390 Armazém (Novo), Àrea coberta:900 m2, Zona industrial. (AMI 8117) T. 232 410390 Armazém. Area:250 m2. Boa localização. 650,00€(AMI 8117) T. 232 410390 Vende-se ou Arrenda-se Pavilhão C/ terreno, extruturado para oficina-auto, Bem localizado(AMI 8117) T. 232 410390 T3, Placa,exaustor, esquentador, lugar de garagem. 320,00€(AMI 8117) T. 232 410390 Loja. Boa localização(perto de acesso IP5). Àrea:150 m2. garagem. 450,00€(AMI 8117) T. 232 410390 T3. Centro da cidade. Excelentes áreas Aquecimento central, garagem. 450,00€(AMI 8117) T. 232 410390 Moradia Isolada. Mobilada, Excelente qualidade. 750,00€(AMI 8117) T. 232 410 390

Empresa especializada em recrutamento área médica pretende contratar Recrutador com o seguinte perfil:

Envie sms (custo normal), com nome

explicações de MATEMÁTICA em dia(s)

e morada completa. T. 910 785 294 e

de semana ou ao fim-de-semana. Pacote

PRECISA-SE

receba informações grátis pelos CTT

remuneratório muito atractivo.

Ganhe 5000/mês dobrando circulares. Em casa Todo o país Part/ Full-Time.

Recrutam-se professores para dar

EMPREGO

T. 964 696 634

- Conhecimentos de informática necessários; - Bons conhecimentos exigidos de Inglês ou Francês ; - Requer bom nível de supervisão; - Carta de Condução ; - Call-Center experiência (opcional). Full-Time em Viseu, Condições atractivas.

Por Favor, envie o seu CV em Francês ou Inglês para : gh@movingpeople.com


Jornal do Centro

30 INSTITUCIONAIS | NECROLOGIA

03 | Dezembro | 2010

Palmira da Conceição, 86 anos, casada. Natural e residente em Currelos, Carregal do Sal. O funeral realizou-se no dia 30 de Novembro, pelas 15.30 horas, para o cemitério de Currelos.

Manuel Lopes Correia, 79 anos, solteiro. Natural e residente em Vilar, S. Miguel do Mato. O funeral realizou-se no dia 30 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Moçamedes.

José dos Reis Gomes Marques, 86 anos, solteiro. Natural de Currelos, Carregal do Sal e residente em Carregal do Sal. O funeral realizou-se no dia 1 de Dezembro, pelas 14.30 horas, para o cemitério de Currelos.

Agência Funerária Loureiro de Lafões, Lda. S. Pedro do Sul Tel. 232 711 927 Laura de Jesus de Figueiredo, 82 anos, solteira. Natural de Lageosa e residente em Póvoa, Silgueiros. O funeral realizou-se no dia 25 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Silgueiros.

Agência Funerária São Brás Carregal do Sal Tel. 232 671 415 Maria de Fátima Lobo Fradinho, 52 anos, casada. Natural e residente em Cunha Baixa, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 1 de Dezembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Cunha Baixa.

Álvaro Marques da Cruz, 82 anos, viúvo. Natural de Benfica, Lisboa e residente em Loureiro de Baixo, Silgueiros. O funeral realizou-se no dia 30 de Novembro, pelas 15.30 horas, para o cemitério de Silgueiros. Agência Funerária Balula, Lda. Viseu Tel. 232 437 268

Agência Funerária Pais Mangualde Tel. 232 617 097 Maria Inderlinda Dias, 89 anos, viúva. Natural e residente em Carvalhal Redondo, Nelas. O funeral realizou-se no dia 30 de Novembro, pelas 15.30 horas, para o cemitério de Carvalhal Redondo.

Maria Teresa Marques Ferreira, 84 anos, solteira. Natural e residente em Viseu. O funeral realizou-se no dia 27 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério velho de Viseu. Agência Funerária D. Duarte Viseu Tel. 232 421 952

Agência Funerária Nisa, Lda. Nelas Tel. 232 949 009 José de Almeida Serrano, 59 anos, casado. Natural e residente em Cambra, Vouzela. O funeral realizou-se no dia 24 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Cambra. Ernesto Bastos, 86 anos, casado. Natural e residente em Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 30 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério local. Lucília Brás Gomes, 89 anos, solteira. Natural e residente em Arcozelo das Maias, Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 1 de Dezembro, pelas 15.30 horas, para o cemitério de Arcozelo das Maias.

Delfim Jesus Mendes, 80 anos, casado. Natural de Abraveses e residente em Mouro de Carvalhal. O funeral realizou-se no dia 27 de Novembro, pelas 15.30 horas, para o cemitério de Rio de Loba. Alcina de Jesus, 79 anos, viúva. Natural e residente em Cavernães. O funeral realizou-se no dia 28 de Novembro, pelas 13.45 horas, para o cemitério local. Lídia Gracinda Cunha da Cruz, 37 anos, solteira. Natural e residente em Povolide. O funeral realizou-se no dia 28 de Novembro, pelas 15.30 horas, para o cemitério local. Maria Aldina Dias Ferreira, 71 anos, casada. Natural de S. João de Tarouca e residente em Santiago. O funeral realizou-se no dia 29 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério novo de Santiago.

Agência Funerária Figueiredo & Filhos, Lda. Oliveira de Frades Tel. 232 761 252

Maria dos Prazeres Almeida, 83 anos, viúva. Natural e residente em Rio de Loba. O funeral realizou-se no dia 30 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério velho de Rio de Loba.

Osminda de Oliveira Dias, 88 anos, viúva. Natural de Cernache, Coimbra e residente em Sátão. O funeral realizou-se no dia 24 de Novembro, pelas 14.00 horas, para o cemitério de Cernache.

Clotilde Rodrigues, 100 anos, viúva. Natural de Rio de Loba e residente em Repeses. O funeral realizou-se no dia 30 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério novo de Repeses.

Joaquim Lopes dos Santos, 73 anos, viúvo. Natural e residente em Sátão. O funeral realizou-se no dia 30 de Novembro, pelas 14.00 horas, para o cemitério local.

Angélica de Jesus Lopes, 90 anos, viúva. Natural e residente em S. Pedro de France. O funeral realizou-se no dia 1 de Dezembro, pelas 15.30 horas, para o cemitério local.

Agência Funerária Sátão Sátão Tel. 232 981 503

Agência Funerária Decorativa Viseense, Lda. Viseu Tel. 232 423 131

2ª Publicação

2ª Publicação 2ª Publicação

(Jornal do Centro - N.º 455 de 03.12.2010)

1ª Publicação

(Jornal do Centro - N.º 455 de 03.12.2010)

(Jornal do Centro - N.º 455 de 03.12.2010)

(Jornal do Centro - N.º 455 de 03.12.2010)


Jornal do Centro 03 | Dezembro | 2010

Jornal do Centro - Clube do Leitor, Bairro S. João da Carreira, Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lt 10, r/c . 3500 -187 Viseu. Ou então use o email: redaccao@jornaldocentro.pt As cartas, fotos ou artigos remetidos a esta secção, incluindo as enviadas por e-mail, devem vir identificadas com o nome e contacto do autor. O semanário Jornal do Centro reserva-se o direito de seleccionar e eventualmente reduzir os originais. Não se devolvem os originais dos textos, nem fotos.

Eleições presidenciais O despudor dos políticos é incomensurável. Nas declarações de Cavaco Silva aparece sempre a proclamação professoral da sua competência como economista e como profundo conhecedor do País. Os portugueses já me conhecem e sabem que, comigo, Portugal está primeiro - costuma apregoar. Quando foi primeiro ministro os tribunais ficaram atascados com processos que chegaram a prescrever perdendo-se milhões como é típico nos países corruptos. Como Presidente da República fez algumas chamadas de atenção para a crise, mas foi incapaz de tomar medidas enérgicas para obstar a que o País chegasse à

actual miséria. Nas suas últimas declarações ele promete que vai estar atento. Os portugueses podem contar com ele. Os portugueses podem contar com a miséria a que estavam habituados na ditadura salazarista. Nem uma palavra de assunção de responsabilidades pelo descrédito internacional em que nos encontramos. Trinta e sete anos depois de Abril, os políticos vão servindo demagogia, enquanto as ruas se vão enchendo cada vez mais de sem-abrigo à espera de uma malga de sopa. Telmo Vieira

Nuno Ferreira

CARTA DA SEMANA

clubedoleitor

31

DEscreva-nos para:

CANTINHODOANIMAL | ADOPÇÕES

FOTO DENUNCIA Este espaço, localizado entre as localidades de Orgens e Santo Estêvão, em Viseu, foi urbanizado há poucos meses. Entretanto, e enquanto não há construções, os candeeiros lá colocados são ligados todos os dias ao anoitecer, numa total falta de civismo e revelando um comportamento esbanjador que é contrário ao que todos devemos adoptar em tempos de crise.

CANTINHO DOS ANIMAIS ABANDONADOS DE VISEU • RIO DE LOBA • 232 449 934

Cadela, com cerca de quatro meses. Está vacinada, desparasitada e vai ser esterilizada aos oito meses. É de porte médio/ grande.

Leitor identificado Esta rúbrica está aberta à participação dos leitores. Submeta a sua denúncia para redaccao@jornaldocentro.pt

Cadela, com cerca de sete meses. Está desparasitada, vacinada e vai ser esterilizada aos oito meses. É de porte grande e boa para guarda. Dá-se a quem tiver condições para manter um animal de grande porte.

Cadela com cerca de dois anos. Está desparasitada, vacinada e esterilizada. É de porte pequeno e muito bonita, meiga e peluda. Ideal para viver num apartamento.


tempo: chuva

JORNAL DO CENTRO 03 | DEZEMBRO | 2010

∑agenda Sexta, 03 Viseu

∑ Conferência “Estratégica de intervenção em Crianças com Perturbação do Espectro do Autismo - O MOdelo D.I.R./ Abordagem Floortime, organizada pela APPDA, com a participação de Pedro Caldeira, no Auditório do Hospital São Teotónio, às 9h00. S. Pedro do Sul

∑ Encontro “Um Sucesso da Assol e da Comunidade”, no Cine Teatro, às 15h00.

Sábado, 04 Viseu

∑ Conferência e exposição sobre “Reabilitação dos Centros Históricos”, promovida pela Câmara de Viseu, no Solar dos Peixotos, às 9h30. Publicidade

Hoje, dia 3 de Dezembro, nublado. Temperatura máxima de 5ºC e mínima de -3ºC. Amanhã, dia 4 de Dezembro, nublado (períodos de saraiva ou neve). Temperatura máxima de 3ºC e mínima de -1ºC. Domingo, dia 5 de Dezembro, chuva. Temperatura máxima de 12ºC e mínima de 3ºC. Segunda, dia 6 de Dezembro, aguaceiros. Temperatura máxima de 12ºC e mínima de 11ºC.

Impresso em papel que incorpora 30 por cento de fibra reciclada, com tinta ecológica de base vegetal

APPACDM lança Gala de Solidariedade

Olho de Gato

PEC4 Joaquim Alexandre Rodrigues joaquim.alexandre.rodrigues@netvisao.pt

Projecto ∑ Fundos revertem para Residência de Autónomos Comumapartamento disponível para criar em Viseu uma Unidade Residencial Autónoma, mas confrontada com falta de financiamento para concretizar a valência, a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Viseu resolveu não abandonar o projecto, ao desafiar a região e o país a apoiarem a realização de uma acção de solidariedade que permitisse a angariação de fundos para a unidade. A ideia tornou-se realidade e a I Gala de Solidariedade decorre esta sexta-feira, Dia Internacional da pessoa com Deficiência, na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu, a partir das 21h00. A APPACDM de Viseu precisa de 40 mil euros para pôr de pé a Unidade Residencial Autónoma. Com esta gala acredita angariar cerca de 15 mil euros, através da venda de bilhe-

tes para o espectáculo, dos apoios de empresas locais e através da venda de rifas. A Gala de hoje vai constar de um momento musical, e de uma cerimónia de homenagem a seis fundadores da APPACDM de Viseu (um deles a título póstumo), a um grupo de jovens atletas campeões nacionais e mundiais de futebol, de basquetebol e de ténis de mesa, a um utente bombeiro e à “empresa amiga” pela colaboração prestada à instituição. A custo zero vão actuar ao longo da noite, DR1VE, Sérgio Lucas, Diana Piedade (Ídolos 2009), Luís de Matos, Fingertips, MojuBa,

Coro Mozart, uma coreografia do clube Vivafit e os alunos do Conservatório de Música de Viseu. Um grupo de alunos do curso de Marketing da Escola Superior de Tecnologia de Viseu vai também lançar uma campanha de apoio ao projecto. Sérgio Sousa, apresentador da Sport e a jornalista, Macarena Moreno vão apresentar a Gala que conta com a presença de cerca de 400 pessoas. Os bilhetes estão à venda na FNAC, na APPACDM (Repeses), eatro Viriato e na hora do espectáculo. Emília Amaral

Residência para autónomos com mais de 18

∑ A valência vai nascer num apartamento T4 doado à APPACDM, localizado na Avenida António José de Almeida. A unidade vai permitir apoiar cinco pessoas maiores de 18 anos, com deficiência, mas autónomas. O objectivo da mesma é combater a lista de espera e proporcionar uma maior autonomia das capacidades e competências de jovens e adultos com deficiência, na sua vida diária.

http://twitter.com/olhodegato http://joaquimalexandrerodrigues.blogspot.com

1 . Com muito teatro mas pouco drama, acaba de ser aprovado o orçamento de estado. Segue-se o PEC4 que irá ser tratado pelo sr. Dominique StraussKahn do FMI. No ano que vem, ou há legislativas antecipadas na primavera ou depois, no outono, a aprovação do OE vira “apavoração”. Então já com drama. 2. O acordo PS-PSD, celebrado na cozinha de Eduardo Catroga, prevê uma reavaliação das parcerias públicoprivadas (a que esta coluna há muito chama PPPPP — ParceriasPrejuízos-PúblicosProveitos-Privados). À cautela, Hélder Amaral, que não dorme em serviço, já lembrou a mais que prioritária auto-estrada ViseuCoimbra. Há que tomar decisões antes que chegue o PEC4. 3. A futura auto-estrada Viseu-Coimbra foi pensada para ter portagens e deixar o IP3 como via alternativa. Isso não aconteceu com a A25 cuja construção destruiu uma boa parte da excelente alternativa que existia — o IP5. Publicidade

Na pa r te da A 25 construída em cima do IP5 não deve haver portagens. Para ninguém. Nem para os residentes, nem para os não residentes, nem para os estrangeiros. É uma questão de justiça que o país pode apoiar, logo que se trate toda a gente por igual e não se inventem “discriminações positivas” da treta. Até Pedro Passos Coelho, em Junho, defendeu isenção nesses troços. Infelizmente, perante o ataque brutal que se prepara à economia e mobilidade da região, todos os políticos eleitos com os nossos votos ou assobiam para o ar ou atiram culpas uns para os outros. Mexamse, por favor! Antes que chegue o PEC4. 4. Quem vai para o litoral na A25, não tem fuga ao primeiro pórtico. Depois, pelos 900 metros até ao nó de Angeja, paga 25 cêntimos de portagem e mais 30 de “taxa de administrativa”. A burocracia fica mais cara que o “serviço”. “Está t udo ca l mo dentro da panela de pressão.” À espera do PEC4.


Jornal do Centro - Ed455