Issuu on Google+

Publicidade

Distribuído com o Expresso. Venda interdita.

UM JORNAL COMPLETO

Publicidade

pág. 02 pág. 05 pág. 06 pág. 08 pág. 13 pág. 14 pág. 15 pág. 18 pág. 20 pág. 21 pág. 22 pág. 23

DIRECTOR

Pedro Costa

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > À CONVERSA > REGIÃO > NEGÓCIOS > DESPORTO > CULTURAS > SAÚDE > RESTAURANTES > CLASSIFICADOS > NECROLOGIA > CLUBE DO LEITOR

Semanário 09 de Julho de 2010 Sexta-feira Ano 9 N.º 434

1,00 Euro (IVA 5% incluído)

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

José Lorena

|Telefone:232437461·Fax:232431225·BairroS.JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

Aumento de turnos nos Municipais

600 vigiam floresta do distrito

Câmara de Viseu e comandante com versões diferentes sobre quem propôs medida

Jovens fazem metade do trabalho de prevenção e ganham 12,5 euros por dia

| página 8

Tom de Festa Festival da Acert comemora 20 anos a partir do dia 14

| página 5

Helicóptero do INEM pára por falta de médicos

última

Nuno Ferreira

∑ Meio aéreo de Santa Comba Dão esteve sem operar durante 12 horas na terça-feira e pode vir a parar mais três vezes este mês. INEM garante que nenhuma região é prejudicada com inoperacionalidades pontuais. | página 9

À conversa “Se tivermos um campo relvado conseguimos dar mais do rugby à cidade de Viseu” Carlos Pinto, presidente do Rugby Clube de Viseu

&

BARES

ESPLAN

ADAS

DIVERSÃO

ATÉ SER DIA

ESTE SUPLEMENT O É PARTE JORNAL DO INTEGRANT CENTRO E , EDIÇÃO PODE SER 434 DE 9 DO SEMANÁRIO VENDIDO DE JULHO SEPARADAM DE 2010 ENTE.

Publicidade

E NÃO

Nuno Ferreira

Suplemento Bares & Esplanadas

SUPLEM ENTO

página 6


2

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

praçapública palavras

deles

rHá vida para lá da rAté sexta-feira tenho combustível. crise” A partir de sextafeira o dono das bombas já me disse: “se não me derem o dinheiro, não forneço nem mais um litro” Miguel Ginestal Governador Civil de Viseu (Cerimónia de assinatura dos projectos aprovados no âmbito do POPH, presidida pela Ministra do Trabalho, 5 de Julho)

Deputado do PS aspinto@ps.parlamento.pt

Opinião

rPerseguir

miragens só nos prejudica, como temos visto com a promessa do TGV que nunca se concretizará”

António Pinto Presidente dos Bombeiros Voluntários de Castro Daire (Rádio Noar, 6 de Julho)

Acácio Pinto

E que diz a tudo isto o PSD?”

políticos que, cada vez mais, descridibilizam a política. Mesmo nas escolas não tem havido um grande chamamento”

Bilhete Postal

Mais coesão social para o distrito A Ministra Helena André esteve, esta semana, no Distrito de Viseu para presidir à cerimónia de assinatura dos termos de aceitação das candidaturas aprovadas no âmbito do POPH, Eixo Prioritário 6 – cidadania, inclusão e desenvolvimento social. Para o Distrito foram aprovadas candidaturas que representam um investimento global de cerca de 15 Milhões de Euros, entre a área da deficiência e dos idosos. Estas candidaturas representam 534 novos lugares para pessoas, assim distribuídos: CAO – 120; Lar residencial – 125; Residência Autónoma – 41; SAD – 40; e Lar de idosos – 208.

rTem havido

Estes equipamentos irão permitir responder aos seguintes objectivos: combater a pobreza e a exclusão, aumentar a capacidade instalada em equipamentos sociais e promover a integração das pessoas com deficiências ou incapacidade. Mas, para além de tudo isto e da dinamização da economia, estes equipamentos permitirão criar, no distrito, 222 postos de trabalho. E que diz a tudo isto o PSD? A estes investimentos de proximidade para servirem as pessoas? Será que pode ficar em silêncio? Poder pode… mas não deve.

Paulo Teixeira Presidente da concelhia de Viseu da JSD (Rádio Noar, 6 de Julho)

António Almeida Henriques Deputado do PSD (Diário de Viseu, 2 de Julho)

Decifrar o Enigma

João Carlos Figueiredo Deputado do PSD joao.figueiredo@psd.parlamento.pt

Uma das maiores chagas da sociedade actual, senão a maior, está relacionada com o desemprego. Ninguém consegue ficar indiferente ao seu crescimento galopante bem como à manifesta incapacidade das medidas do Governo em dar resposta àqueles que perderam o seu ganha-pão. No nosso país e perante esta vicissitude socialmente preocupante, quando analisada a sua dimensão, concluímos que vivemos num verdadeiro paradoxo. Por u m l ado temos o Eurostat (Organização da União Europeia que sistematiza os registos estatísticos) e o INE que apontam os valores do desemprego a aumen-

tar (estamos muito próximos dos 11%) e por outro, o Instituto do Emprego e Formação Profissional - o organismo que congrega os Centros de Emprego do país - que nos mesmos meses anuncia a diminuição de inscritos desempregados. Estranho? Sem dúvida. Com as oportunidades de trabalho a rarear e com acções de formação profissional cada vez mais escassas, não se percebe como é que se obtém tal diminuição. Só existe uma forma de decifrar este enigma: o IEFP deverá ser obrigado a publicar, mensalmente, os motivos que levam aqueles serviços a retirar dos seus ficheiros milhares de desempregados.

Só existe uma forma de decifrar este enigma”

Morrer sozinho

Podia escrever sobre SCUTS e portagens, com o conhecimento de quem durante semanas discutiu e estudou todas as propostas e leis sobre o assunto. Talvez por isso denote alguma saturação, embora fique a tentação de comentar o que sobre a matéria PS e PSD foram dizendo, e contradizendo. Tendo sido o único deputado de Viseu envolvido no processo, fiz soHélder Amaral bre a matéria inúmeros comentários, Deputado CDS-PP hamaral@cds.parlamento.pt mas graças a Deus que desde sempre mantive a minha posição, reafirmada em artigo neste mesmo espaço e na Comissão de Obras Públicas. Houvesse imprensa com memória e isenta, e todos saberíamos porque razão o PS não reconhece o erro que foi a criação das Scuts (sem custos para o utilizador), ou porque razão o PSD tem um discurso

nas eleições, outro em Viseu e um outro em Lisboa… Fico-me por aqui. Prefiro fala-vos de outro tema bem mais importante. Li há dias uma pequena nota num jornal diário, daquelas que passam despercebidas de tão pequenas, mas quase sempre muito mais importantes que o resto. O título era “Morrer Sozinho”, e dava nota de pessoas que morrem sozinhas em sua casa, abandonadas pelas famílias, em algumas situações, e pelo próprio Estado. A solidão dos idosos é uma realidade que se vem agudizando há muito tempo, apesar do enorme e louvável esforço que muitas instituições de solidariedade e muita gente anónima, que vão dando o que podem para alterar esta indecorosa situação. As autarquias não podem deixar de olhar para esta

realidade. Julgo mesmo que, a par das comissões de protecção de crianças e jovens em risco, se deve acrescentar, idosos em risco. Guardo para mim o pior momento da minha campanha no concelho de Tondela: numa freguesia de forte emigração, um casal de idosos sozinho, o marido completamente nu sem que a mulher conseguisse dar-lhe a dignidade mínima de estar na sua varanda. Ao perguntar as causas, foi-me dito que os filhos emigraram, fruto das dificuldades do momento, estando por isso sozinhos. A poucos metros preparava-se uma festa com uma banda cujo custo me disseram ser de vários milhares de euros… Deixo o resto ao julgamento do leitor. Há um abandono na velhice e na doença de um dos mais sensíveis secto-

res da população portuguesa, que vive com reformas miseráveis, sem qualquer capacidade de fazer face às despesas de alimentação, e muito menos de saúde. Não sei como, mas acredito que há ainda um sinal de esperança e que saberemos, não demasiado tarde, tratar os sectores da nossa sociedade crianças, jovens, mas principalmente os mais velhos - com o respeito e gratidão que o avanço da nossa sociedade exige. Os idosos não são um custo: é uma retribuição justa pelo contributo que deram ao nosso nível de vida de hoje. Tudo o que se nega aos idosos é a nós próprios que negamos. Importa por isso alertar consciências, e ao mesmo tempo agradecer a todos quantos, no mais perfeito anonimato, por tantas aldeias do nosso distrito vão fazendo a diferença.


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 3

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

números

411 A Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva, de Viseu recebeu em média 411 visitantes por dia, desde Janeiro deste ano. Desde o início do ano, já visitaram o espaço 61. 727 pessoas. A Biblioteca foi inaugurada em 2002. Antes funcionava na conhecida Casa Amarela, hoje Arquivo Distrital.

Importa-se de responder?

estrelas Diamantino Santos Coordenador da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE) no distrito de Viseu

Paulo Teixeira Presidente da JSD de Viseu

Pompeu José Director Artístico da ACERT

O presidente da Junta de Freguesia de Coração de Jesus, em Viseu tomou posse como coordenador distrital da ANAFRE. Sendo um dos autarcas mais recentes, eleito em Outubro, é esperado um novo dinamismo. A primeira mensagem de querer chamar as freguesias para o seio da associação pode ser o primeiro passo.

O novo presidente da JSD no concelho de Viseu parece assumir a liderança com um projecto que não mergulha de cabeça no tradicional aparelho dos partidos fechados e sem nada de novo. Ao assumir que “há políticos que descredibilizam a política” e ao avançar com propostas que visam atrair os jovens, está a mostrar-se como uma alternativa. Resta esperar para ver.

Este ano, o festival Tom de Festa (de 14 a 17 de Julho) da ACERT tem outro sabor, uma vez que comemora 20 anos. São muitas as estrelas que se podem dar a um evento que ao longo de duas décadas conseguiu provar o quanto faz sentido a existência de projectos de intervenção cultural de raiz comunitária.

Vai suportar o aumento do IVA ou vai subir os preços dos produtos? Tudo o que comprei a partir do aumento dos impostos paguei já a novos preços. Continuo a praticar exactamente os mesmos preços que vinha levando aos meus clientes. A partir de Setembro espero alterar os preços porque esta situação é insustentável.

A decisão foi de suportar o aumento do IVA e manter os preços [no comércio retalhista]. Primeiro, porque o valor que está em causa é pouco, depois as dificuldades já são tão grandes, que temos medo de, com isso, afastar ainda mais os clientes. E tenho a convicção de que a generalidade dos comerciantes não fizeram reflectir o preço no consumidor, serão raríssimos os casos. Jorge Loureiro

Adelino Lopes

Empresário

Comerciante - Restauração

Não vou alterar os preços. Nos novos produtos que recebi desde o dia 1 de Julho é que tive de actualizar para a taxa agora em vigor.

Assumo o aumento. Só vou aumentar os preços que vierem com a nova taxa. Há artigos em que acaba por nem se notar o aumento de imposto. Outros há em que as diferenças nos podem prejudicar.

Luz Mendes Comerciante - drogaria e produtos agricolas

Eduardo Cardoso Comerciante - Papelaria

Bem prega Frei Tomás... F editorial

Pedro Costa Director | pedro.costa@jornaldocentro.pt

A conferência da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) em que foi apresentado em livro um estudo sobre a imprensa regional, deixa um travo amargo. Deprimente, ao ver-se o BI da imprensa regional certificado, com um chorrillho de queixas, um verdadeiro atestado de menoridade a um sector cheio de bons exemplos e boas práticas. Um atestado de menoridade que a ERC sobrevalorizou, mas cuja responsabilidade é da grande maioria dos directores e donos de jornais, que ao longo de 2009 participaram no estudo. Resultado: por cada dois ou três projectos editoriais “à séria” estavam nestes encontros dezenas de responsáveis de “títulos”. Sim “títulos”, os pseudo-jornais feitos muitas vezes sem jornalistas, sem rigor, sem ética, enfim, os tais que sobrevivem tecendo as críticas de sempre. De tão parcos investimentos na profissionalização e de reduzida massa crítica, são estes – por norma – os títulos que menos sofrem. Mas sempre os que

mais se queixam, os que mais triste e desadequada imagem transmitem de um sector que não é já aquilo. Sobraram das tais reuniões queixumes e mais queixumes. Tantos problemas e quase nenhuma virtude... E só problemas a montante: o porte pago, os ctt, o presidente da Câmara “malandro” que pressiona e corta a pub, o Governo que não distribui publicidade aos regionais, etc, etc, etc... Reuniões que qualifiquei no encontro da ERC como um “queixódromo” que se reedita década após década e que apouca e menoriza imerecidamente um sector com uma história ímpar, pleno no presente de bons projectos editoriais, que, contrariamente ao que se escutou, não são ameaçados pelos jornais nacionais. Muitos são mais lidos do que os nacionais e têm uma relação preço/audiência de publicidade melhor do que os nacionais. É muito grande o saco legislativo que define o que é um jornal... e assim a legislação permite que se chame jornal a quaisquer páginas com letras im-

pressas em papel de jornal... não interessa o que se escreve, quem escreve ou que se professa. Na actual conjuntura vão desaparecer alguns “paskins” mas muitos mais jornais à séria, geridos de forma profissional e escritos e dirigidos por jornalistas que não aceitam ser subservientes de poderes instalados, a troco de pseudo investimentos publicitários que mais não são do que máscaras de subsídios à subsistência do “jornal” da terra, uma espécie de rendimento mínimo garantido... Fernando Ruas, na qualidade de presidente da Associação Nacional de Municípios, falou na abertura da conferência da ERC. E falou bem. Falou da separação de interesses, do papel da boa imprensa regional na democraria, e defendeu a indepedência editorial das publicações. Só é pena as palavras do dirigente estarem tão distantes da prática de muitos autarcas, aqui mesmo em Viseu, que tudo fazem para ter uma imprensa “dócil” e acrítica. Bem prega Frei Tomás…


4 PRAÇA PÚBLICA | OPINIÃO Opinião Director Pedro Costa C.P. n.º 1464 pedro.costa@jornaldocentro.pt

Redacção (redaccao@jornaldocentro.pt) Emília Amaral, C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Gil Peres, C.P. n.º 7571 gil.peres@jornaldocentro.pt

José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Departamento Comercial comercial@jornaldocentro.pt

José Junqueiro Secretário de Estado da Administração Local josejunqueiro53@gmail.com

Directora: Catarina Fonte catarina.fonte@jornaldocentro.pt

Ana Paula Duarte ana.duarte@jornaldocentro.pt

Departamento Gráfico Marcos Rebelo marcos.rebelo@jornaldocentro.pt

Projecto Gráfico defrank - Comunicação Editorial defrank@netcabo.pt

Serviços Administrativos Sabina Figueiredo sabina.figueiredo@jornaldocentro.pt

Impressão GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Helena André veio a Viseu assinar mais 15 contratos no valor de 15 milhões de euros”

Distribuição Vasp

Tiragem média

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

Viseu, o Governo tem sido ímpar nas políticas sociais A Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social realizou em Viseu, a convite da Federação do Partido Socialista uma sessão Pública. As questões do emprego e as políticas sociais estiveram em cima da mesa. Muitos dirigentes das IPSS e autarcas animaram o debate, intenso e esclarecedor. Foi mais um momento em que o Governo e a chamada sociedade civil puderam falar directamente. Viseu tem sido ímpar na materialização destas políticas. A “economia social” representa, neste momento, em todo o distrito 6 000 postos de trabalho, 16 000 utentes, 560 respostas sociais, 47 milhões por ano de convenções com as IPSS e 54 milhões de investimento entre 2006 e 2009. São, de facto, números impressionantes! Esta semana foi particularmente significativa, porque a Ministra Helena André veio a Viseu assinar mais 15 contratos com instituições

de 12 concelhos, no valor de 15 milhões de euros, criando 222 novos postos de trabalho e servindo 534 novos utentes. Não há memória na história do país de um clima tão favorável e tão intensamente dedicado às pessoas, às mais desfavorecidas. Contrariamente ao período Durão Barroso-Santana Lopes, hoje, apesar do momento difícil para todas as economias, não há abrandamento no esforço para servir aqueles que em Portugal são objecto concreto destas políticas. Acresce também dizer que a uma Segurança Social debilitada e quase insolvente, herdada dos governos PSD/CDS, temos hoje uma solidez e uma segurança que permitem transmitir a todos um clima de confiança. Claro que o PSD de Pedro Passos Coelho propõe a privatização destes serviços da Segurança Social, tal como pretendia com a Caixa Ge-

ral de Depósitos ou com o Serviço Nacional de Saúde. E, contra a corrente dos factos, lá vão aparecendo os seus dirigentes a inculcar a ideia de que nada existe e nada se faz… Penso, contudo, que o tempo permitirá ver melhor a diferença entre a “novidade” de uma liderança e a realidade das “novas práticas” dessa mesma liderança, ou seja, “novas roupagens para vícios antigos”. Apesar de tudo, penso que os eleitores se darão conta que no país, tal como em Viseu, o Governo tem sido ímpar nas políticas sociais.

6.000 exemplares por edição

Sede e Redacção Bairro de S. João da Carreira Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lote 10 r/c 3500-187 Viseu Telefone 232 437 461 Fax 232 431 225

E-mail redaccao@jornaldocentro.pt

Internet www.jornaldocentro.pt

Opinião

Propriedade O Centro–Produção e Edição de Conteúdos, Lda. Contribuinte Nº 505 994 666 Capital Social 114.500 Euros Detentores de mais de 10 por cento do Capital: Sojormedia SGPS, SA Depósito Legal Nº 44 731 - 91 Título registado no ICS sob o nº 100 512

Gerência Francisco Rebelo dos Santos, Ângela Gil e Pedro Costa

António Vilarigues Departamento Financeiro

anm_vilarigues@hotmail.com

Ângela Gil (Direcção), Catarina Branquinho, Celeste Pereira, Gabriela Alves, João Machado Patrícia Santos info@lenacomunicacao.pt

Departamento de Marketing Patrícia Duarte (Direcção), Susana Santos (Coordenação), Catarina Fonseca e Catarina Silva marketing@lenacomunicacao.pt

Departamento de Recursos Humanos Nuno Silva (Direcção) e Sónia Vieira drh@lenacomunicacao.pt

Departamento de Sistemas de Informação Tiago Fidalgo (Direcção) e Hugo Monteiro dsi@lenacomunicacao.pt

Unidade de Projectos Lúcia Silva (Direcção) e Joana Baptista (Coordenação) projectos@lenacomunicacao.pt Os artigos de opinião publicados no Jornal do Centro são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. • O Jornal reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos enviados para a secção “Cartas ao Director”.

Semanário Sai às sextas-feiras Membro de: Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem

Associação Portuguesa de Imprensa União Portuguesa da Imprensa Regional

Os dados oficiais mostram uma preocupante baixa escolaridade dos patrões portugueses”

Malditos feriados! No nosso país há um excesso de dias de repouso que são causa da fraca evolução da nossa economia. O número de dias de repouso garantidos pela lei seriam o principal entrave ao desenvolvimento do País. Aponta-se o dedo às famosas pontes. Trata-se de uma mistificação recorrente. Repetida milhares de vezes por dezenas ou centenas de personalidades com o maior dos atrevimentos. Só que a realidade é outra. Em 2010 vamos ter 25 dias de férias a que os trabalhadores portugueses têm direito e 14 dias de feriados nacionais. Destes 9 são num dia de semana e 4 são oportunidades de ponte. Número de dias de férias que têm outros países da União Europeia (U.E.): Reino Unido – 28 dias; Suécia – entre 25 e 32 dias, dependendo da idade; França – 25 a 35 dias; Alemanha, Áustria e Noruega – 25 dias; Bélgica e Holanda com 20 dias. Feriados na Europa: Alemanha – 13, Áustria – 17, Bélgica – 16, Dinamarca – 14, Espanha – 14, França – 14, Itália – 14, Luxemburgo – 12, Noruega – 17, Holanda – 10, Reino Unido – 11, Suécia – 19, Suíça – 19 e República Checa – 14. Acresce que se o trabalhador quiser fazer ponte nas 4 oportunidades que tem, será

por certo à custa dos seus dias de férias. Daqui se infere claramente que não existe uma relação directa entre a produtividade (ou falta dela) e o número de dias de férias, ou de feriados. O aumento da competitividade das empresas depende muito, isso sim, da organização e gestão das empresas. Ou seja, depende da introdução da inovação. Da modernização dos equipamentos e do seu aproveitamento integral. Das condições de trabalho e motivação dos trabalhadores. E em todos estes aspectos o empresário tem um papel estratégico, até porque muitas delas resultam da sua iniciativa e decisão. Para poder exercer tal função o empresário necessita de ter conhecimentos e competências. E a base de aquisição desses saberes e competências é um elevado nível de escolaridade. Mas os dados oficiais mostram uma preocupante baixa escolaridade dos patrões portugueses que se tem agravado nos últimos anos. Como refere o e conom i st a Eugénio Rosa, segundo o INE, entre 2003 e 2008, a percentagem de patrões com escolaridade inferior ao secundário aumentou de 79,6 por cento para 81 por cento O mesmo se verificou em relação aos pa-

trões com um nível de escolaridade secundária que diminuiu de 12,4 por cento para 10 por cento. Apenas a de escolaridade superior é que se manteve praticamente estacionária, pois passou de 8,1 por cento para 9 por cento. Se a comparação for feita em relação à U.E. a 27 constata-se que é em Portugal que os patrões têm mais baixo nível de escolaridade. Em 2008, a percentagem de patrões com escolaridade inferior ao secundário era de 28 por cento em média nos países da U.E. e em Portugal de 81 por cento. E a percentagem de patrões com o ensino superior era em média de 27 por cento nos países da U.E. e de apenas 9 por cento em Portugal. Resolver este grave problema estrutural das empresas devia ser um objectivo urgente. Ele teria certamente efeitos muito importantes no aumento da competitividade das empresas portuguesas. Mas isso é sistematicamente ignorado pelos poderes instituídos, que não querem nem ouvir falar desta matéria.


Jornal do Centro

5

09 | Julho | 2010

abertura 350 11 Os jovens entre os 18 e os 30 anos envolvidos no distrito.

textos ∑ M textos e fotofotografia ∑ José Lorena ∑S

12,5

O número de horas de vigilância em dois turnos, das 8h00 às 20h00.

O valor, em euros, que os jovens recebem diariamente do IPJ.

2 O número de meses que dura o programa. De Julho a Agosto.

Os novos vigilantes da floresta

Autarquias, associações, GNR, Autoridade Florestal Naconal e o Instituto Português da Juventude (IPJ), são as principais entidades que no distrito de Viseu estão envolvidas no programa de Voluntariado Jovem para as Florestas. Trata-se de uma quase “aventura de Verão”, iniciada no passado dia 1 de Julho, na qual estão a participar 350 jovens, entre os 18 e os 30 anos de idade, de vários pontos do distrito de Viseu. A coordenação do projecto, que está ac-

tivo desde 2004, é do IPJ, com a colaboração estreita da GNR - a autoridade nacional responsável e receptora de todo o trabalho de controlo e vigilância de fogos florestais. Na sua maioria, os projectos aprovados pelo IPJ para o Voluntariado Jovem para as Florestas, foram apresentados por câmaras municipais, juntas de freguesia e associações de norte a sul do distrito de Viseu. De acordo com os coordenadores do programa,

os jovens voluntários começaram por se inscrever nas entidades promotoras (35 deles foram aprovados, envolvendo 350 jovens), mas na sua maioria os pretendentes já “são conhecidos e assim enriquecem as candidaturas por já terem conhecimento do terreno e das tarefas que têm que desempenhar”, disse ao Jornal do Centro uma fonte do IPJ de Viseu. Os jovens voluntários estão integrados em grupos (que vão de quatro a 20) e recebem formação

para permanecer 11 horas por dia em dois turnos de cinco horas e meia em pontos estratégicos e com boa visibilidade ao longe. São-lhes fornecidos meios para comunicação com o Centro Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Viseu (telemóveis) e ensinada a perícia em localizar os possíveis incêndios com a observação da cartografia militar. Câmaras garantem meios. As câmaras municipais são quem fornece os

meios de comunicação aos jovens e lhes dá condições de estadia com conforto para o cumprimento da tarefa de avisar sobre qualquer sinal que possa dar origem a fogos florestais. O IPJ, como principal promotor da iniciativa, oferece aos jovens uma bolsa de 12,5 euros por dia durante os dois meses de duração do programa. A maioria dos projectos aprovados já se iniciou a 1 de Julho, devendo os restantes ter início no próximo dia 16.

Os projectos de vigilância jovem, em regime de voluntariado, são apresentados pelas entidades promotoras com um número significativo de jovens participantes. O caso da Câmara Municipal de Mangualde é revelador da necessidade destas acções: foram pedidos 48 jovens para formar equipas de vigilância, mas apenas aprovado um projecto com 16 jovens, que estão atentos a partir da torre da Senhora do Castelo (na foto).

600 pessoas ajudam a encontrar fogos no distrito Para além dos 350 jovens envolvidos no programa de Voluntariado para as Florestas, cerca de duas centenas e meia de pessoas estão também inseridas noutro tipo de iniciativas em que a palavra de ordem é avisar

as autoridades assim que uma pequena coluna de fumo aparece no horizonte do distrito. A GNR de Viseu tem um papel fundamental na coordenação e organização de equipas de vigilantes das florestas.

A partir do próximo dia 14 de Julho (numa acção iniciada em Junho) haverá 20 postos de vigia spalhados por todo o distrito, com cerca de uma centena de pessoas a garantir vigilância 24 horas por dia. “Há muito que recruta-

mos para os postos cidadãos ou cidadãs durante os meses de verão”, diz o porta-voz da GNR de Viseu, o major Paulo Fernandes. E o número de vigilantes vai engrossando. Mesmo sem contar com os qua-

dros fixos das autarquias (com as brigadas municipais de sapadores florestais), com os sapadores de associações de produtores florestais ou de empresas privadas, a GNR tem um dispositivo de quase uma centena de agentes dos

chamados GIPS, os Grupos de Intervenção , Protecção e Socorro, espalhados por Santa Comba Dão, Viseu e Armamar. E isto sem contar com os “Canarinhos” da GNR, que actuam em fogos crescentes a partir de helicópteros.


6

Jornal do Centro

à conversa

Entrevista ∑ António Figueiredo Edição ∑ Emília Amaral Fotografia ∑ Nuno Ferreira

09 | Julho | 2010

Semanalmente, Semanalmente,“À “ÀConversa” Conversa”resulta resultade deum umtrabalho trabalhoconjunto conjuntodo do Jornal Jornaldo doCentro Centroeeda daRádio RádioNoar. Noar.Pode Podeser serouvida ouvidana naíntegra íntegrana naRádio Rádio Noar, Noar,esta estasexta-feira, sexta-feira,às às11hoo 11hooeeàs às19h00, 19h00,eedomingo, domingo,às às11h00. 11h00. Versão Versãointegral integralem emwww.jornaldocentro.pt www.jornaldocentro.pt

próxima época desportiva, o Rugby Clube de Viseu possa ter um campo relvado.

Carlos Pinto é presidente do Rugby Clube de Viseu. Ele, Raul Costa e um grupo de amadores faziam jogos não oficiais desde 2000, mas foi só a 9 de Março do ano passado que se constituíram oficialmente o Clube. Em pouco mais de um ano, captou perto de 70 atletas divididos pela equipa de seniores e equipas do sub-18 até aos sub-14. Dispõe de uma escola para crianças e jovens dos 8 aos 14 anos e aposta numa turma feminina. Treinado por Pedro Prata, já conquistou vários títulos. Recentemente voltou a vencer o Campeonato Nacional de Equipas Emergentes. Carlos Pinto quer “apaixonar os viseenses pelo rugby”. Como surgiu o Rugby Clube de Viseu?

Eu e um colega de longa data, o Raul Costa decidimos que estavam reunidas as condições para criarmos um clube de rugby em Viseu. Já conheciam pessoas que praticavam a modalidade em Viseu?

Tivemos um forte apoio da selecção nacional. Mas já tínhamos pessoas que praticavam e sabíamos que íamos ter esse apoio, para termos alguns praticantes na fase inicial, para competirmos em algumas provas. Onde jogavam?

Um grupo de amigos reunia-se todos os fins-de-semana e jogava rugby onde estão agora a fazer o campo de areia (futebol de praia, no Fontelo). Conseguimos reunir ali um grupo forte que depois veio a fazer parte do Rugby Clube de Viseu. Como é que se incentivam os jovens a praticarem uma modalidade vista como um desporto violento?

Este ano tivemos um projecto engraçado. Dirigimonos a todas as escolas para desfazer um pouco a ideia de que o rugby é violento.

O que é vencer o Campeonato Nacional de Emergentes?

É uma prova que o Comité Regional de Rugby do Centro organizou para clubes que querem começar a entrar na parte desportiva nacional. Permite às equipas pouco estruturadas poderem participar com outras equipas que se encontram na mesma situação. Graças a esta competição, têm-se conseguido cativar bastantes clubes. Sem estas competições, provavelmente, o que o Rugby Clube de Viseu conseguiria fazer eram uns jogos amigáveis. Quantas equipas participam?

“Queremos apaixonar os viseenses pelo rugby” Entre nós, dentro do campo, existem uma série de regras e respeitamo-nos uns aos outros. O rugby é o único desporto que tem a terceira parte, onde as duas equipas convivem entre elas. É obrigatório?

Geralmente. É uma característica que acompanha o rugby há muitos anos. Mas o rugby não é violento, nós costumamos dizer que uma pessoa que nunca jogou rugby, que poderá magoar-se; agora, um jogador que já tem conhecimento das regras, não se magoa. Já tem preparação física à altura e conhecimento de uma série de regras, de uma filosofia do que é a modalidade e o respeito que terá que ter pelos seus colegas e pelo árbitro. Não há protestos com o árbitro?

Posso garantir. O rugby, para além do desporto, forma homens. A saberem cumprir regras?

Não é violento?

Não. É violento para as pessoas que estão de fora e não compreendem as regras.

Sim. Ainda há pouco tempo, saiu um artigo sobre os recursos humanos de empresas de advocacia, que

viam o rugby como um critério de selecção para admitir novos advogados, porque o consideram como sendo uma modalidade em que a pessoa é capaz de resolver determinados conflitos ou situações em equipa, sem nunca entrar em desespero e conseguir aplicar isso ao mundo do trabalho. O nosso objectivo é tentar criar os valores do rugby nas pessoas e, principalmente, nos jovens. O treino do rugby exige muita preparação física?

Física e psicológica. Até onde vai o espírito de família no rugby?

Vai a todos os níveis. Lembro-me de uma situação com uma rapariga, que teve o azar de, nos jogos desportivos organizados pela Câmara [de Viseu] este ano, partir o pé e todas as equipas feminina e masculina, foram ter com a Sara, quando saiu do hospital. Se a Sara sofreu, todos se preocupam e vão ajudar no que for preciso. Esse espírito de união ajuda a

captar os jovens?

As pessoas que entram têm que ter consciência que vão fazer parte de uma equipa e que são todas iguais. É mais fácil captar rapazes ou raparigas?

As meninas são mais organizadas, têm uma perspectiva diferente da dos rapazes e são mais certinhas. No que toca a captar mais raparigas para a modalidade, às vezes, têm mais sucesso, porque existe uma certa confidencialidade e partilham muito o desporto em comum, o que cria união. Como foi a adesão?

Fantástica. Em Viseu, o futebol é rei, mas existem determinadas pessoas que querem apostar em modalidades novas e o rugby é um desporto que dá mais possibilidades a pessoas que têm determinadas características, de praticarem um desporto, em que podem ter bons resultados. O rugby ainda é visto como um desporto de elites para doutores, engenheiros ou es-

Este ano, três equipas. Têm alguma comparticipação?

Recebemos um subsídio [da Câmara Municipal de Viseu] em que tivemos que fazer uma gestão muito apertada. Temos alguns poucos parceiros bastante bons, que nos têm ajudado nesta fase inicial.

tudantes universitários?

Antigamente o rugby, por ser um desporto universitário, só as pessoas que estavam a tirar o curso é que o podiam praticar. Hoje, os clubes estão abertos a todo o tipo de atletas. Hoje o rugby é para todos. Treinar num campo relvado facilitava a aquisição de Jovens?

Os seniores que começaram em pelado e que ganharam os emergentes em 2009, não sentem tanto essa diferença, apesar de que, quando lhe damos um campo relvado ficam satisfeitos. Quando estamos a falar da formação - o ponto principal do Rugby Clube de Viseu - torna-se muito complicado para um pai meter uma criança de oito anos a treinar num campo pelado. Estamos a fazer o possível para, em conjunto com a autarquia, conseguir treinar num relvado. Aí sim, se tivermos um campo relvado conseguimos dar mais do rugby à cidade de Viseu. Acho que a autarquia está sensibilizada para esse aspecto e penso que a partir da

O campeonato nacional ainda está distante?

Temos consciência que ainda não estão reunidas todas as condições para participar num campeonato nacional. Quem assiste aos jogos?

Na maioria das vezes é a família, a nossa grande claque. Mas já há pessoas que começam a ter conhecimento do rugby e vão ver. Queremos apaixonar os viseenses pelo rugby e estamos a reunir todas as condições para que no próximo ano consigamos fazer uma divulgação a todos os níveis, para que as pessoas tenham conhecimento da modalidade. Quais são os vosso objectivos?

Precisamos urgentemente de um campo. Depois, vamos falar com os pais e tentar uma aproximação com a direcção, na tentativa de encontrar soluções, para conseguir parcerias que possam apoiar o Rugby Clube de Viseu.


Jornal do Centro

8

09 | Julho | 2010

região

BOMBEIROS ACUSAM GOVERNO EM S. PEDRO DO SUL O presidente da Associação dos Bombeiros Voluntários de S. Pedro do Sul, Gil Almeida, acusou o Governo de ser o principal esponsável pelas dificuldades que atravessam as corporações a nível nacional. “O Estado paga mal e tarde. E mais: remunera muito mal as corporações pelos serviços que prestam”, disse. O presidente da Associação dos Bombeiros Voluntários de S. Pedro do Sul falava no domingo, dia em que a corporação comemorou 125 anos de existência. Na ocasião esteve presente o ministro da Administração Interna, Rui Pereira. Gil Almeida queixouse ainda do “esquecimento” do Governo em relação à falta de equipamento da corporação. “Temos equipamento envelhecido e obsoleto e há mais de 15 anos que não temos uma nova viatura”, disse. O ministro Rui Pereira prometeu continuar a apoiar os bombeiros de S. Pedro do Sul com uma verba superior à de 2009 - 500 mil euros.JL

A Lúcia Silva

José Lorena

O concelho de Armamar vai dispor de um novo quartel de GNR. O Ministério da Administração Interna, a Câmara Municipal e a GNR assinaram um protocolo com vista à construção das novas instalações. Dentro de pouco tempo, a GNR vai deixar o edifício cedido pela Caixa Agrícola, para passar a funcionar em instalações próprias. “”O principal objectivo é dotar a GNR de melhores condições de trabalho, aumentando a qualidade dos serviços que esta presta às populações”, adianta o presidente da câmara de Armamar, em comunicado. EA

PS ACUSA PSD DE IRRESPONSABILIDADE NAS SCUT

Nuno Ferreira

GNR DE ARMAMAR VAI TER NOVO QUARTEL

A A corporação de bombeiros está “desmotivada” e reconhece a falta de efectivos para responder nas operações de socorro

Aumento de turnos polémico nos Municipais Contradições ∑ Câmara diz que a proposta é do comandante, mas há uma outra versão A Câmara Municipal de Viseu aumentou de quatro para cinco o número de turnos na corporação dos Bombeiros Municipais, sem aumentar o quadro de efectivos. A decisão, em vigor desde 1 de Julho, é justificada pelo vereador responsável pelo pelouro dos Bombeiros, Hermínio Magalhães com a necessidade de “evitar” horas extraordinárias “porque seria insuportável para o orçamento da Câmara”. Esta medida leva a que cada turno passe a funcionar com sete elementos, para assegurar duas ambulâncias do INEM, a central telefónica e todos os serviços para os quais são chamados. O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), que denunciou o caso em comunicado, considera a medida da autarquia “economicista,

que põe em causa a protecção de pessoas e bens do concelho” e “desrespeita as regras da protecção civil”. De acordo com o SATL, “na prática, os turnos que aparentemente aumentam, ficam com menor capacidade de intervenção nas operações de socorro, por se verem privados do número normal de elementos que os compunham e que já de si eram em número insuficiente”. O corpo dos Bombeiros Municipais de Viseu é composto actualmente por 43 elementos, quando o quadro previsto seria de 60 efectivos, embora nunca tenha ultrapassado os 50 homens. O vereador, Hermínio Magalhães diz ter dados que garantem ser possível assegurar o funcionamento da corporação com cinco turnos de sete elementos e adianta que a decisão é para manter. O Jornal

do Centro apurou que a opinião da maioria dos efectivos não é essa. Os bombeiros lembram que os turnos chegam a ser só de seis elementos em tempo de férias, dizem que há uma “completa desmotivação” da equipa, pela falta de elementos nos turnos, sentemse “receosas” e com um “medo” permanente de, a qualquer momento, serem chamados para um sinistro, para o qual não tenham capacidade de resposta. Versões. O vereador, Hermínio Magalhaes acrescenta que a alteração no número de turnos nos Municipais é para cumprir “porque a proposta foi feita pelo senhor comandante [Jorge Antunes], no sentido de evitar o trabalho extraordinário durante os turnos”. Contactado pelo Jornal do Centro, o co-

mandante não quis fazer comentários, mas fonte próxima do processo confirma que a proposta não partiu de Jorge Antunes. O comandante terá tomado posição por escrito para a Câmara de Viseu no dia 1 de Julho, onde deixava claro que “o socorro fica comprometido” com o alargamento do número de turnos. Proposta da STAL. O sindicato enviou um pedido de reunião “com carácter de urgência” à autarquia, mas à hora do fecho do JC não tinha “qualquer feedback”. O SATL exige “15 bombeiros, no mínimo, de imediato para reforçar os turnos. O vereador diz que a medida é para cumprir, estando prevista a entrada de sete novos efectivos “em breve”. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

“Não há maior injustiça e discriminação do que tentar tratar de forma igual aquilo que é diferente”, afirmou em conferência de imprensa a presidente da concelhia socialista, Lúcia Silva. A estrutura partidária quer a “discriminação positiva da região de Viseu” no caso das SCUT, ficando os residentes e as empresas ausentes do pagamento de portagens nas A25 e A24, uma vez que não existem vias alternativas, e o rendimento per capita não está ao nível da média nacional. Lúcia Silva atacou os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Viseu por “defenderem a introdução de portagens de forma generalizada em todas as SCUT” e reprovou em particular a atitude do deputado Almeida Henriques, “que defendeu a isenção do pagamento numa moção apresentada na última Assembleia Municipal de Viseu (AMV) e defende o contrário em Lisboa”. A concelhia do PS considera mesmo que se deveria demitir do cargo de presidente da AMV. Almeida Henriques chamou-lhe “guerrilha política” à qual não responde, mas deixou um segundo comentário: “Se o Partido Socialista quiser conquistar a Assembleia Municipal de Viseu, tem que a conquistar através dos votos”. EA/ Rádio Noar


7

Jornal do Centro

REGIÃO 9

09 | Julho | 2010

BOMBEIROS DE CASTRO DAIRE PODEM PARAR VIATURAS

PS DE VOUZELA CONTRA PORTAGENS NA A25 O executivo da Câmara Municipal de Vouzela (de maioria social-democrata) aprovou recentemente uma moção apresentada pela vereadora socialista, Maria do Carmo Bica, na qual é manifestado um sinal claro de “oposição à introdução de portagens” na SCUT da Beira Litoral e Alta - a A25. A ausência de alternativas para os residentes locais, que apenas podem optar pela antiga Estrada Nacional 16, e que “não permite a circulação de veículos de maior dimensão”, é uma das justificações que Maria do Carmo Bica adicionou à moção. O facto de a A25 contribuir para fixar a população residente na zona de Lafões, em particular no concelho de Vouzela, e o facto de a introdução de portagens poder vir a “diminuir a competitividade das empresas instaladas” e também o poder de compra da população , foram outras das razões invocadas por Carmo Bica. JL

dias

Nuno Ferreira (arquivo)

O presidente da Associação dos Bombeiros Voluntários de Castro Daire,António Pinto, teme que as viaturas da corporação possam parar a partir de hoje por falta de combustível. O líder associativo adianta mesmo que os Bombeiros de Castro Daire “estão à beira da falência”. António Pinto adiantou que os Bombeiros de Castro Daire devem cerca de 300 mil euros a fornecedores e apontou o dedo à Câmara Municipal pela situação. Pinto diz que o actual presidente da autarquia, Fernanco Carneiro, “mudou o discurso” ao dizer agora que não pode apoiar os bombeiros depois de promessas em contrário. “Lamento que o elenco da Câmara se esteja borrifando para a situação dos bombeiros”, acrescentou António Pinto. JL

ACIDENTE A O meio aéreo opera a partir do heliporto de Santa Comba Dão

Helicópetro do INEM sem operar durante 12 horas Problema ∑ Falta de médicos para assegurar os turnos O helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a operar a partir do heliporto de Santa Comba Dão esteve parado durante 12 horas (7h00/19h00), na terça-feira, por falta de médicos. O mesmo problema já se tinha registado em Abril desde ano, mês em que não foram cumpridos seis turnos, e em Maio ficaram por cumprir dois turnos. Em Julho, além do incumprimento do turno de terça-feira, prevê-se que o helicóptero fique parado mais três vezes, devido à falta de disponibilidade dos médicos. A direcção nacional do INEM respondeu por escrito que “no caso específico do heli de Santa Comba Dão, e dado que todos os meios do INEM funcionam num sistema integrado, podem ser activados para uma emergência os helicóptero sediados em Macedo de Cavaleiros e no Porto, caso se verifique a inope-

racionalidade do primeiro”. E acrescenta: “Todo o dispositivo nacional do INEM opera em bloco, como um todo e em redundância, pelo que não é possível que nenhuma região seja prejudicada face a qualquer pontual inoperacionalidade de qualquer meio” Sobre a falta de médicos para assegurar o serviço, o INEM escreve que está “em curso um programa de formação complementar destinado aos médicos uruguaios, que vai decorrer durante este mês de Julho, de forma a que todas as escalas dos helicópteros do INEM sejam garantidas”. A maioria dos prof issionais que trabalham com o meio aéreo do INEM de Santa Comba Dão – médicos e enfermeiros dos hospitais de Viseu, Coimbra e Aveiro - estão a fazer o trabalho “na base do voluntariado remunerado e não fazem parte do

quadro do INEM”, como explicou o presidente da Associação Portuguesa de Medicina de Emergência, Victor Almeida, numa entrevista recente ao Jornal do Centro e à Rádio Noar. O médico do Hospital S. Teotónio de Viseu, que faz parte da equipa do heli de Santa Comba, acrescenta que os profissionais precisam de coordenar o serviço com as folgas que têm nos hospitais e “nas horas livres dão um turno de 12 horas para o helicóptero”, o que nem sempre é fácil com a sobrecarga de horário que já fazem nas unidades hospitalares. Para Victor Almeida falta organização: “Em qualquer parte do mundo um helicóptero destes está no hospital. Este helicóptero se estivesse no Hospital de Viseu era extremamente fácil”. O dirigente defende ainda equipas mais fixas e mais estáveis. Emília Amaral com Rádio Noar

Tondela. Um helicóptero foi obrigado a fazer uma aterragem de emergência depois de embater numa árvore, quando combatia um incêndio em Paranhos de Besteiros, concelho de Tondela. Na ocasião, seguia apenas o piloto no helibombardeiro médio, que não sofreu quaisquer ferimentos. O acidente ocorreu cerca das 19h00 de terça-feira. O helicóptero bateu num eucalipto, sofreu um rasgo numa pá e fez uma aterragem de emergência, na clareira onde inicialmente tinha largado a brigada. De acordo com o Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS), tratou-se de um incêndio de pequenas dimensões que, na sua fase mais crítica, foi combatido por 12 bombeiros, e no momento do acidente já estava dominado. O acidente vai ser investigado pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves.

des compreendidas entre os 24 e os 58 anos, foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ), por alegada autoria de crimes de roubo a hipermercados e ourivesarias, na zona Centro do País, incluindo Viseu, Carregal do Sal, Moimenta da Beira e Santa Comba Dão (distrito de Viseu). Do material apreendido constam, armas de fogo, coletes à prova de bala, coletes identificativos de polícia, disfarces, luvas, dinheiro, objectos em ouro, viaturas, droga, entre outros.

VANDALISMO

Viseu. O café da Mata do Fontelo, em Viseu foi alvo de vandalismo na madrugada de segunda-feira, dia5. Os autores dos actos terão atirado várias pedras de grande dimensão contra as traseiras do edifício. Aquele estabelecimento já sofreu vários assaltos e outros episódios de vandalismo, levando o proprietário e outros utentes a reclamar um reforço do policiamento naquele complexo da cidade.

DETENÇÃO

Tarouca. A PSP de Lisboa foi a Tarouca deter um jovem de 19 anos suspeito de integrar um gang de assaltantes que atacava jovens estudantes em várias estações do metropolitano de Lisboa. O jovem, investigado há quatro meses, encontra-se em prisão preventiva, acusado da participação em seis roubos.

GANG DETIDO

Centro. Seis homens e duas mulheres , com ida-

DERRAME

Tondela. Um derrame de matéria corrosiva levou ao corte do IP3, nos dois sentidos, entre Penacova e Mortágua, durante mais de cinco horas, na terçafeira. O derrame, de cerca de 500 litros de líquido, ocorreu em consequência do rebentamento do pneu de um veículo pesado, que transportava bidões de hidróxido de potássio. Um bidão furou-se no momento em que a viatura tombou ligeiramente.


Jornal do Centro

10 REGIÃO | LAMEGO | VOUZELA | MANGUALDE

09 | Julho | 2010

COMBOIO TURÍSTICO REGRESSA A VOUZELA

Centro Multiusos de Lamego abre em 2011 A Câmara Municipal de Lamego anunciou que o pavilhão Multiusos vai entrar em funcionamento no início do próximo na. O anunciou foi feito durante uma visita à nova estrutura realizada no decorrer de uma reunião da Assembleia Municipal. “O futuro pavilhão Multiusos de L a me go cont r ibu i r á decisivamente para a dinamização do seu potencial económico e desportivo. Em simultâneo provocará uma renovação urbanística de elevada qualidade no Parque da Cidade”, adianta a Câmara em comunicado. Para a autarquia, o investimento de 15 milhões de euros, “evitará a desertificação do centro da cidade e criará uma nova centralidade de condições ideais para o acolhimento de iniciativas económicas e desportivas de âmPublicidade

bito nacional”. O Multiusos de Lamego, que integra o plano de regeneração urbana da cidade, tem uma área bruta de oito mil metros quadrados. No interior vai dispor de um sistema de bancadas telescópias para receber feiras, congressos, concertos, e competições desportivas. O espaço coberto prevê ainda a criação de um auditório de apoio com capacidade para 128 pessoas, servindo de “equipamento de apoio fundamental” a futuras iniciativas. No exterior, do pavilhão fica uma grande praça multiusos, para a realização da feira semanal e todo o tipo de actividades ao ar livre e um pequeno edifício de comércio e serviços de dois pisos, com bar, restaurante e seis lojas. O empreendimento compreende ainda um parque de estacio-

DR

Investimento∑ O novo pavilhão de 15 milhões de euros integra o plano de regeneração urbana da cidade

A A obra foi visitada durante uma reunião da Assembleia Municipal de Lamego namento repartido por três pisos, com capacidade para 200 lugares, incluindo autocarros. Publicidade

Faz parte do projecto a construção de um pequeno troço do futuro parque urbano ecoefi-

ciente de Lamego. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

É já o sétimo ano consecutivo que a Câmara Municipal de Vouzela disponibiliza o comboio turístico a todos os turistas que pretendam conhecer o concelho de outra perspectiva. Até 29 de Agosto, o comboio leva as pessoas a conhecer os locais mais emblemáticos do concelho. “Ao longo destes anos, têm sido milhares os turistas que privilegiam este meio, fazendo desta, uma aposta ganha pelo município”, justifica o presidente da autarquia de Vouzela, Telmo Antunes. De quarta-feira a domingo, o comboio faz diariamente os circuitos Vouzela/Parque de Campismo/Nossa Senhora do Castelo. Às quartas-feiras e domingo, a partir das 14h45, também efectua o circuito da Penoita. Os preços variam entre um euro e 2,5 euros. A viagem é gratuita para crianças com menos de sete anos. EA

Bordados de Tibaldinho na rota da certificação Os deputados do PSD eleitos por Viseu apresentaram um projecto de Lei na Assembleia da República, para a criação do Centro para a Promoção e Valorização dos Bordados de Tibaldinho, em Mangualde. Os Bordados de Tibaldinho são hoje um cartãode-visita do concelho de Mangualde e são por muitos considerados “parte importante da identidade local”. Esta proposta, já aplaudida pela concelhia de Mangualde do PSD, permite aos Bordados de Tibaldinho uma classificação própria que lhe dá

acesso à certificação, a uma maior promoção e a novos apoios à actividade.


Jornal do Centro

12 REGIÃO

09 | Julho | 2010

Ministra do Trabalho garante que não haverá cortes nos equipamentos sociais A ministra do Trabalho e da Segurança Social, Helena André presidiu na segunda-feira, em Viseu à cerimónia de assinatura de 15 novos projectos no âmbito do Programa Ocupacional do Potencial Humano (POPH) que vão permitir o reforço de infra-estruturas das unidades de apoio social de 12 concelhos do distrito, no valor de mais 15 milhões de euros. Com este novo investimento, dirigido a deficientes e idosos, o distrito de Viseu passa a dispor de mais 534 novos lugares na capacidade da rede de equipamentos sociais e são criados 222 novos postos de trabalho. Publicidade

“Há vida para além da crise. Em tempos de contenção, esta parceria Governo/autarquias/sector social, demonstra que é possível lançar novos investimentos, animar a economia, criar novos empregos, apoiar os que mais precisam”, afirmou o governador civil de Viseu, Miguel Ginestal na abertura da cerimónia. A ministra do Trabalho reforçou este princípio de que o Governo não vai cortar no investimento do sector dos equipamentos sociais. “Muitas vezes perguntam-me porque se continua, de forma tão firme, a investir nos equipamentos sociais. A resposta

é simples: são fundamentais para apoiar famílias, para que possam ter confiança”, acrescentou Helena André. Helena André destacou o investimento dirigido aos cidadãos portadores de deficiência, face à necessidade de “apoiar a inclusão na sociedade e a activação destas pessoas”. Helena André visitou as obras de requalificação do Centro Social e Paroquial de Abrunhosa-a-Velha e inaugurou a creche do Centro Paroquial de Santiago de Cassurrães, financiadas pelo Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES). Já em Penalva do

Nuno Ferreira

Formalização∑ Quinze novos projectos vão reforçar o apoio social em 12 concelhos do distrito, no valor de 15 milhões de euros

A Ministra Helena André visitou novos projectos em Mangualde e Penalva do Castelo Castelo, a ministra visitou as obras da Santa Casa da Misericórdia e do Centro de Promoção Social de S. Martinho de Pindo. Entre 2006 e 2010 foram investidos na rede

de equipamentos sociais do distrito, 54 milhões de euros. Um investimento público e privado, realizado em parceria entre o Estado, as instituições de solidariedade social e as

autarquias, que servem perto de 16 mil cidadãos e onde trabalham hoje cerca de seis mil cidadãos. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt


SUPLEMENTO

Publicidade

&

BARES

ESPLANADAS DIVERSÃO ATÉ SER DIA

Publicidade

ESTE SUPLEMENTO É PARTE INTEGRANTE DO SEMANÁRIO JORNAL DO CENTRO, EDIÇÃO 434 DE 9 DE JULHO DE 2010 E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.


SUPLEMENTO

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

BARES & ESPLANADAS 2

Para todos os gostos contro de várias centenas de jovens e menos jovens. Desde a tradicional zona da Sé, ponto de encontro de est u d a n te s , a té à zo n a de Jugueiros, junto ao Politécnico, e a zona ribeirinha, que sofre neste momento uma fase de reabilitação, muitas são as opções e para todos os gostos.

Há bares onde se pode sempre dar umas dentadas numa ou outra especialidade, há outros que apresentam especialidades de bebidas e cocktails, há os mais recatados e calmos e outros mais estridentes, para todas as idades, disposição e preferências. Seja esplanada ou dentro de portas, o impor tante é proporcionar noites agradáveis, sejam elas mais curtas ou durem até ao nascer do sol.

Água Benta Algo + Bar Bica da Sé Beagle’s Bar Coyote Bar Eça de Queirós

El Moro Maionese Pit Stop The Brothers The Irish Bar Estudantino

4 You Bar Grão Mestre Canta Latino Factor C Galeria Bar Litradas

Lusco Fusco Desigual Obviamente Bar Palha d’Aço Café Bar Reitoria Café

Fotos: Nuno Ferreira

Com uma enorme variedade de bares, discotecas e esplanadas, Viseu é sinónimo de noite. Música diferente, decoração distinta, pessoas, festas e horários mais ou menos alargados marcam a variedade destes espaços dentro e fora da cidade. Com três zonas principais de diversão, V ise u é ponto de e n -

Até que horas?

Publicidade

Publicidade

Hangar Noite Biba We Love You


SUPLEMENTO

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

BARES & ESPLANADAS

Uma mão cheia de “Noites Bibas” Criar espaços que dessem respostas a todas as faixas etárias foi sempre o principal objectivo do grupo Noite Biba (NB). Desta forma, este projecto nasce em 1997 com a inauguração do bar Fa c to r C, n a zo n a r i beirinha da cidade de Viseu, que até hoje se mantém em pleno funcionamento e sendo uma referência para a faixa etária a par tir dos 30 anos, que podem dançar ao som de músicas dos anos 80 e 90 do século XX. Depois, um ano mais tarde, surge a disco teca NB. Situada atrás dos paços do conce lho, este espaço é ainda hoje uma referência na noite da cidade, assumindo-se como um

Publicidade

espaço de convívio e diversão, que junta no mesmo local pessoas t ã o dife re nte s e c o m uma faixa etária entre os 16 e os 35 anos. Mais tarde surge o bar Reitoria, em Jugue iros. Fe ito a p e n s a r nos e studa nte s e proporcionando -lhe s qualidade a preços acessíveis, o Reitoria ofe re c e a qu e m o vi sita uma ofer ta muito d i ve r s i f i c a d a e m te rmos de animação, num espaço alargado e decorado de acordo com estas premissas. Também do grupo NB é o b a r 19X , n o M e rcado 2 de Maio. Com uma esplanada localizada num local estratégico, este bar chama até si um leque diversificado de pessoas que

aproveitam o seu espaç o ex te r i o r para relaxar e divertir nas noites mais quentes de Verão. O u t r o espaço de referência, inaugurado no ano passado, é o Palato, um wine bar que prima pela qualidade dos vinhos que disponibiliza, elegendo e dando preferências às regiões do Douro e Dão. Este espaço, aber to em parceria com a Casa Arouquesa, tem igualmente à disposição dos visi-

t a nte s p e qu e n o s p e tiscos, como sejam tapas. Mas nem só de Viseu vive o grupo NB. A política de alargamento da e m p re s a levo u a que fo s s e a b e r t a , no a n o passado, em Coimbra

a discoteca NB e em breve o mesmo vai acontecer na Figueira da Foz. Também para breve está a inauguração de uma discoteca no centro comercial Palácio do Gelo, do grupo Vi-

3

sabeira. O seu nome é Ice Club e tem inauguração prevista para o mês de Agosto.


SUPLEMENTO

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

BARES & ESPLANADAS 4

Eça de Queirós: um espaço polivalente Herdando o nome da r u a onde se e s tabeleceu, o café Eça de Queirós é um espaço multifacetado, que apresenta diferentes ambientes para todo s o s tip o s de go s tos. Conhecido por ter disponíveis mais de 140 variedade de chás e infusões, no Eça de Queirós é também possível almoçar e jantar várias especialidades,

como bifes e francesinhas. C o m h o r á r i o a l a rgado, fechando as suas portas apenas às 02h00 da manhã, o Eça de Queirós é um local movimentado e decorado segundo a temática do conhecido escritor que viveu em Portugal no século XX. Ada pt a n do a de c o ração a diferentes fest a s te m á t i c a s , c o m o

o Dia do Namorados ou o Ca r n ava l, o Eç a de Queirós apresenta c o n di ç õ e s exc e p c i o nais para ver futebol e, por exemplo, jantar ao mesmo tempo. De cariz familiar, os proprietários Vítor e Alice Rocha preparam-se para abrir brevemente mais um espaço na cidade de Viseu, nomeadamente na zona ribeirinha.

Maionese: vai uma dentada? O café/bar Maionese nasceu em Repeses em 2005 e desde logo assentou a sua actuação na aposta diversificada de refeições variadas e rápidas. Contando com uma sala com cerca de 320 metros quadrados e empregando cerca de 12 colaboradores, no Maionese é possí-

vel fazer uma refeição barata e económica durante todos os dias da semana e sempre até às 02h00 da manhã. Contando com a visita diária de um público essencialmente jovem, o espaço disponibiliza, a par das refeições que representam cerca de 80 por cento da facturação diária, lugar de animação e jogos, nomeadamente snooker e condições ex-

cepcionais para a visualização de jogos de futebol, com televisões de grande dimensão. Seguindo uma política de alargamento, o Maionese abriu em 2008 um segundo espaço no centro comercial Forum Viseu, onde é possível provar, igualmente, as especialidades gastronómicas, como tostas e hambúrgueres feitas a partir de receitas originais.

Obviamente: petiscos e música até às 04h00 O Obviamente bar situa-se na zona da Sé de Viseu, mais concretamente no L a rgo Pintor G ata . Com um ambiente e d e c o r a ç õ e s m o d e rnas, no Obviamente é possível ouvir todos os géneros de música, diariamente a té à s 0 4 h 0 0 d a m a nhã. Com petiscos variad o s d i s p o n í ve i s , q u e Publicidade

vão desde os hamburgueres, cachorros e as famosas batatas f r i t a s , o O bv i a m e n te tem as suas por tas abe r ta s a todo o tipo de público. Jovem e com um ambiente intimista, neste bar é possível e s c o lh e r a s m a i s va riadas bebidas, desde a singula r ce r veja até diferentes marcas de whisk y.

Com uma aposta for te nas festas temáticas e na mús i c a a o v i vo, n o m e a damente com a apre sentação regular de d j’s m a i s e m e n o s conhecidos, no Obviamente é possível a p r e c i a r, r e g u l a rmente, exposições d e vá r i o s a r ti s t a s d a região, conjungand o a d i ve r s ã o c o m a c u l tu r a .


SUPLEMENTO

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

BARES & ESPLANADAS

Desigual: esplanada por excelência Com dois espaços em Viseu, um inaugurado em 2009 e o segundo aberto recentemente, o Desigual aposta no conceito de esplanada por si só. Com um bar junto da radial de Santiago, com espaço para cerca de 250 pessoas, este bar tem como alvo um público mais jovem e apresenta uma vasta gama de bebidas e comidas rápidas.

5

O se gundo e spaço, junto à Cava de Viriato, abriu para chegar a um público mais velho e disponibilizada uma grande variedade de vinhos, tapas e queijos, num espaço mais re quintado. Ideais para as noites de Verão, os dois bares apostam na música ao vivo e estão abertos diariamente até às 04h00 da manhã.

The Brothers: variedade de comes e bebes Na Rua da Paz, mesmo no centro da cidade, abriu recentemente o bar The Brothers. O nome nasceu do facto dos dois sócios do espaço serem oriundos de uma família com muitos irmãos, ideia que ambos não quiseram deixar de referir aquando da ideia que deu

origem a este bar. Aberto diariamente até às 02h00 da manhã, o The Brothers apresenta uma vasta lista de refeições, que vão desde as sopas e saladas, servidas ao almoço, até às tapas, bifanas e hambúrgueres. Harmonizando uma dePublicidade

El Moro: cultura de Marrocos em Viseu

Apaixonada pelas diferentes culturas do mundo, Cristina Brinca é a proprietária do café El Moro, espaço decorado segundo a cultura marroquina. Localizado junto ao Rossio, este espaço apresenta-se como

inovador e original, na medida em que, para além da decoração fiel, disponibiliza chá confeccionado segundo a receita árabe, bem como outras especialidades gastronómicas importadas de Marrocos. A b e r to dia r ia m e nte

até às 02h00 da manhã, o El Moro apresenta-se como um espaço acolhedor e ideal para quem quer relaxar. No que diz respeito à animação, a demonstração de dança árabe é regular aos fins-de-semana.

coração moderna, que consiste na referência a várias modalidades desportivas, até um ambiente que lembra o ambiente “irish” e “british”, no The Brothers é possível provar uma vasta lista de vinhos, servidos a copo ou em garrafa. Com uma esplanada que

faz as delícias dos visitantes nos dias mais quentes do Verão, o bar aposta na música ao vivo que recebe de 15 em 15 dias.


SUPLEMENTO

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

BARES & ESPLANADAS

Palha D’Aço: um grupo, cinco espaços Palha D’Aço Localizado em Jugueiros, no coração da vida e studantil da cidade de Viseu, o Palha D’Aço foi inaugur a d o e m 20 0 3 e e s t á aberto diariamente até às 04h00 da manhã. Apostando no conceito de discoteca, este espaç o re ce be re gula rmente festas temáticas e dj’s nacionais e internacionais, proporcionando aos seus visit a n te s b o n s m o m e n tos de diversão.

Livraria da Praça Aber to até às 03h00 da manhã, o Livraria da Praça assume-se como um bar dirigido a um público adulto que procura um espaço mais calmo para passar um bom bocado. A ideia assenta na disponibilização de livros para consulta e para venda, numa estreia relação entre o bar e a cultura literária.

4You: a pensar em ti

O ba r/e spla nada 4Yo u a b r i u p o rtas na zona ribeirinha da cidade em Junho de 2008, por esta ser uma zona emblemática da cidade.

Publicidade

Transmitindo a ideia de contacto com a n a t u r e z a , o 4Yo u f o i pensado para agrada r a toda s a s faixa s etárias, apostando no conceito de esplanada alargada. Realizando

f r e q u e n te m e n te f e s t a s te m á ti c a s , d e s f i les de moda e com promoções a pensar e m to d o s o s v i s i t a n tes, o 4You está aberto até 04h0 0 da manhã.

Bar da Esquerda e Bar da Direita Localizados no Mercado 2 de Maio, be m no centro da cidad e , e s te s d o i s b a r e s abrem apenas na época de verão, disponibilizando um vasto espaç o de e s pla nada a todos quantos visitem estes bares.

Litradas Em Jugueiros, junto ao Politécnico, é possível visitar o bar Litradas. Pensado e aberto a pensar nos estu-

dantes, este bar está aberto diariamente até às 03h00 da manhã, disponibilizando, para além de bebidas, espaço de jogos.

Estudantino: a diferença está na música Com 12 anos de existência o Estudantino situa-se em Jugueiros, uma zona privilegiada da cidade de Viseu no que diz respeito a diversão. Com uma área de mais de 400 metros quadrados, o Estudantino disponibiliza a quem o visita três salas distintas, com ambientes diferenciado s e que vão de s de um espaço de jogos e descontracção até uma sala de maiores dimensões onde a aposta está na música ao vivo de bandas alternativas e na apresentação regular de dj’s.

Publicidade

A funcionar diariamente até às 02h00 da manhã, o Estudantino é um espaço permanente de ensaio de uma tuna académica da cidade e que anima as noites deste bar que é ponto de encontro de e studantes. Com wireless disponível em todo o bar, o Estudantino tem estado na v a n g u a rda da utilização d a i n t e rnet para divulgar Publicidade

www.maionesefastfood.com

6

e publicar fotografias e informação de festas e espectáculos. Recorrendo a temáticas diferentes, o Estudantino aposta na diferença e na variedade para proporcionar a quem o visita noites sempre diferentes.


SUPLEMENTO

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

BARES & ESPLANADAS

Attrium e Palazzo: inovar em gastronomia O Attrium situa-se no Forum Viseu e nasceu, em 2009, no sentido de reaproveitar um espaço inutilizado dentro daquele centro comercial. Com uma esplanada fechada, de modo a que possa funcionar durante todo o ano, o Attrium tem apostado na inovação, nomeadamente dos produtos que oferece aos seus vistantes. Utilizando fruta festa da época, este espaço disponibiliza

7

desde gelados, cocktails e crepes, bem como caipirinhas e cervejas feitas com diferentes sabores. Palazzo. Com aber tura prevista para breve no piso 2 do centro comercial Forum Viseu, o Palazzo pretende ser um espaço de diversão ligada à gastronomia. Com uma decoração moderna, neste espaço vai ser possível provar vários tipos de queijo, presunto e morcelas.

Hangar: remodelar para inovar Tendo completado 13 anos de existência em Viseu, a discoteca Hangar conquistou já o seu público entre a população da cidade e arredores. Actualmente encerrada para remodelação do

Bar Grão Mestre Largo António José

Directório

Pereira, 29 - Viseu

Beagle’s Bar Calçada do Vigia, 4 - Viseu

ra – Viseu

Água Benta Largo da Misericórdia, 22 - Viseu

Algo + Rua Augusto Hilário, 51 Viseu

Attrium Centro Comercial Forum Viseu Piso 1- Viseu Bar Bica da Sé Largo António José Pereira, 32-34 - Viseu Publicidade

Factor C Largo Nossa Senhora da Conceição - Viseu Galeria Bar Praça de Dom Duarte, 37/39 - Viseu

Canta Latino Coimbrões - São João de Lourosa

Coyote Bar Rua Nova de Jugueiros, 4 You Largo Srª da Conceição Ribei-

espaço, a Hangar reabre no final deste mês com a habitual pista interior e com um espaço exterior aproveitado como espaço de dança. Aber ta até às 06h00 da manhã, e com lotação para cerca de 1500

57-59 - Viseu

Desigual Radial de Santiago e Cava de Viriato – Viseu

Hangar Estrada da Aeródromo –

Obviamente Bar Largo Pintor Gata, 26 - Viseu

Palha d’Aço Café Bar Rua Nova de Jugueiros, Lote 106 Pit Stop Rua Augusto Hilário, 40 -

Viseu

Viseu

Litradas Avenida José Maria Val de Andrade - Viseu (Coração de Jesus)

Costa, 20

Lusco Fusco Rua do Gonçalinho,

pessoas, a Hangar vai continuar a abrir terreno apostando em festas temáticas e convidados especiais.

Reitoria Café Rua Doutor António The Brothers Rua da Paz – Viseu

46/48 - Viseu

Eça de Queirós Rua Eça de Queirós (Junto à Loja do Cidadão) – Viseu

Maionese Repeses e Forum Viseu

The Irish Bar Largo Pintor Gata, 7/9 - Viseu

– Viseu

El Moro Avenida 25 de Abril – Viseu Estado D’alma Praça Dom Duarte, 34 - Viseu

Estudantino Jugueiros – Viseu

Minus 5º - Ice Lounge Palácio do Gelo Shopping, Loja -106, Piso -1, Quinta da Alagoa - Viseu

Noite Biba Rua Conselheiro Afonso de Melo – Viseu

We Love You Mercado Municipal – Viseu


13

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

negócios A concessionária Lemos & Irmão de Viseu é a representante oficial para o distrito de Viseu da marca Suzuki. O anúncio foi feito em comunicado pela Lemos & Irmão: “O distrito de Viseu já pode contar com a Suzuki de novo e em força, como marca de automóvel e com uma gama ampla de viaturas Suzuki”. Há já alguns anos que a marca não tinha um representante na região, embora seja reconhecida a sua tradição em Viseu, com o Suzuki Vitara, o Grand Vitara, o Suzuki Santana ou o Samurai. Com uma larga experiência no ramo automóvel, desde 1947, a Lemos & Irmão é representante em Viseu da Opel, Chevrolet, Saab e Isuzu, às quais junta agora a Suzuki. As vendas estão localizadas no Bairro da Barrosa, em Abraveses, e os serviços pós-venda e peças na Avenida da Bélgica.

ESPUMANTE DE MOIMENTA PREMIADO EM COIMBRA O espumanante Terras do oDemo, da Cogríoperativa Agrícola do Távovora, sediada em Moimenta da eBeira foi prem m iado com medalha de prata no concurso nacional de vinhos “Cidade de Coimbra”. O evento, promovido pela Associação Comercial e Industrial de Coimbra, destacou a colheita de 2008. “Esta distinção é uma honra para nós”, reconhece o presidente da cooperativa, João Silva. O prémio foi entregue no sábado, dia 3, em Coimbra.

Clareza no Pensamento

Escola dá música e dança a Mangualde Inovação∑ Instituto conjuga ensino da música e dança com venda de instrumentos musicais No centro da cidade de Mangualde desde 2003, o Instituto de Artes Musicais (IAM) é uma escola de música e dança com um conceito inovador. Tendo nascido da necessidade de suprir uma lacuna nesta área, o IAM é igualmente uma loja de instrumentos musicais, criada inicialmente para satisfazer as necessidades dos alunos, mas que entretanto se tornou na única loja a comercializá-los no concelho de Mangualde. Empregando sete colaboradores - dois professores de dança e cinco professores de música - o IAM ocupa uma área de cerca de 250 metros quadrados e tem, neste ano lectivo, mais de 200 alunos inscritos, que vão desde os quatro anos até à idade sénior. “Recebemos muitas inscrições de pessoas reformadas que, por terem mais tempo agora se dedicam à música”, explica Claúdia Santos, proprietária da escola. Com flexibilidade de horário e a funcionar de segunda a sábado, o IAM apoio o seu método de ensino numa conjugação saudável entre a teoria musical e a prática, sendo o ensino da viola e da ba-

DR

LEMOS & IRMÃO REPRESENTA A SUZUKI EM VISEU

A Guitarra é o instrumento mais procurado teria as aulas mais procuradas. No que diz respeito á dança, a procura vai para o hip-hop, mas a escola oferece ainda os ritmos brasileiros e a dança do ventre. Com abertura prevista na cidade de Viseu para breve, a escola tem desenvolvido um trabalho junto dos infantários do concelho, no sentido de iniciar o ensino da música nas crianças a partir dos três anos, despertando-as e sensibilizando-as para a importância desta disciplina.

foto legenda A Finiclasse Viseu, apresentou nos dias 6, 7 e 8 o novo modelo mercedes-Benz SLS AMG “Asas de Gaivota” aos seus clientes da região. O super despor t ivo da Mercedes é um automóvel com uma estética pura e distinta, condução dinâmica, enaltecendo a funcionalidade do dia a dia e a segurança Mercedes-Benz

Festa de encerramento. Para o próximo dia 24, no pavilhão Expocenter de Viseu, está agendada a festa de encerramento do ano lectivo do IAM. Numa tarde que promete ser de muita animação, todos os alunos terão oportunidade de mostrar aos amigos e familiares o trabalho que desenvolveram ao longo deste último ano, havendo espaço para demonstração de música e dança. Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

(http://clarezanopensamento.blogspot.com)

O desafio do TOC: parceiro do órgão de gestão As recentes alterações na contabilidade, com a introdução do Sistema de Normalização Contabilística (SNC) a partir de Janeiro de 2010, e no Estatuto da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (EOTOC) desafiam o Técnico Oficial de Contas (TOC) a um papel mais pró-activo e exigente. Apesar da contabilidade continuar a ser da responsabilidade do órgão de gestão (que em empresas de reduzida dimensão se confunde com o “dono” que é simultaneamente o gerente) o artigo 6º do EOTOC alarga o âmbito das funções do TOC. Para além das inerentes à regularidade técnica contabilística e fiscal, assume a responsabilidade pela supervisão dos actos declarativos para a segurança social e para efeitos fiscais relacionados com o processamento de salários. Compete ainda ao TOC exercer funções de consultoria nas áreas da contabilidade, da fiscalidade e da segurança social; intervir, em representação dos sujeitos passivos por cujas contabilidades sejam responsáveis, na fase graciosa do procedimento tributário, no âmbito de questões relacionadas com as suas competências específicas; desempenhar quaisquer outras funções definidas por lei (…). O EOTOC reforça o interesse público da profissão, o reconhecimento da sociedade em geral e dos empresários em particular. O TOC, com o alargamento da sua intervenção, tem um melhor conhecimento do negócio da entidade, passando a ser um parceiro na tomada de decisão, acrescentando valor – ajudando o órgão de gestão a percepcionar adequadamente os riscos e oportunidades do seu negócio (antecipando os problemas), com informação atempada e útil para a tomada de decisão. Para corresponder às exigências do SNC, o TOC tem de conhecer a realida-

Isabel Martins Docente de Contabilidade e Auditoria na ESTGV

de objectiva do negócio que a Contabilidade expressa. Tem de conhecer melhor as necessidades de cada cliente (ou entidade patronal), incluindo o ambiente interno e externo onde opera. A sua grande aposta terá de ser na formação, não só para si próprio (e equipa, se for o caso) como também para os seus clientes a fim de poderem “falar” a mesma linguagem (incluindo a linguagem técnica imprescindível). Neste momento, alguns leitores perguntarão: a que preço? Qual o valor dos honorários quando há uma concorrência no mercado entre os TOC (e que é proibida!)? Cabe a cada um assumir a responsabilidade pela escolha que faz, já que é supervisionado pela OTOC no que respeita à qualidade do serviço prestado (ver Regulamento de Qualidade). O nº 6 do Artigo 52º do ETOC refere que os técnicos de contas devem cobrar honorários adequados à complexidade, ao volume de trabalho, à amplitude da informação a prestar e à responsabilidade assumida pelo trabalho executado. Aliás, é a razão pela qual o TOC, no âmbito da prestação de serviços, está dispensado da afixação preços praticados (no âmbito da “Lei da Concorrência”). No ponto seguinte, refere que a prática injustificada de honorários não adequados aos serviços prestados é contrária ao princípio de lealdade profissional, punível nos termos do Estatuto – trata-se de uma infracção disciplinar. O novo Estatuto não é compatível com o facilitismo ou o “deixa andar”. É a hora da mudança de atitude perante a profissão a fim de poder merecer o respeito de todos. O mais importante é o bom uso da informação contabilística para a gestão das entidades, quer por parte do TOC quer pelo órgão de gestão.


Jornal do Centro

14

09 | Julho | 2010

desporto Visto e Falado Vítor Santos vtr1967@gmail.com

Rugby Clube Viseu

Futebol

Árbitros de Viseu longe da elite Despromoções ∑ Quatro árbitros fora do Quadro Nacional

Cartão FairPlay Pelo segundo ano consecutivo o Rugby Clube Viseu sagrou-se Campeão Nacional de Equipas Emergentes- rugby 15. O bicampeonato foi conquistado, na última jornada, em Coimbra, frente à equipa de Abrantes, com um empate sem pontos. Parabéns ao Rugby Clube de Viseu e todos quantos estão envolvidos nesta modalidade no Distrito. Os Repesenses

A Luís Caiado foi um dos despromovidos Cartão FairPlay O trabalho e a paixão são características intrínsecas do Clube Futebol Os Repesenses. As crianças e jovens têm tido neste clube um espaço único e muito sui generis para a prática do futebol. Agora um sonho tornou-se realidade para o clube e para a própria freguesia de Repeses. Com o apoio da CMV, o Estádio Montenegro Machado já tem relvado sintético e os jogadores têm agora melhores condições para o seu desenvolvimento.

Natação

Cartão Vermelho Não é possível deixar de dizer que a obra feita no Fontelo não merece qualquer tipo de reparo. Os campos de futebol e volei de praia estão feitos. Uma estrutura bonita. Agora há que os rentabilizar. Mas continua-se a afirmar que não era isto que as crianças e os jovens desportistas precisam. Deve haver prioridades. Pôr perfume sem tomar banho, não dá bom resultado.

ções profissionais. Luís Caiado, Luís Caetano, Nuno Ventura e Nuno Silva foram despromovidos ao Quadro Regional. Luís Caiado, filho de João Caiado, presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Viseu, chegou a ser apontado como uma das esperanças da arbitragem viseense para uma chegada à 1ª categoria. A sua carreira sofreu agora um sério revés. Menos cinzento o Quadro Nacional Feminino, onde há duas representantes viseenses entre as 25 que o constituem: Olga Marisa Martins Almeida e

Tércia Mara Esteves Santos. No Quadro de Árbitros Assistentes, Carlos Manuel Mendes Pereira, Duarte Miguel Elias Pinheiro e Luís Armando S. Ribeiro Castaínça estão entre os de 2ª Categoria Finalmente, ao nível do Quadro Nacional de Árbitros de Futsal, a Associação de Futebol de Viseu, e o seu Conselho de Arbitragem estão representados por Ricardo Filipe Pereira Santos, na 2ª Categoria, e por Francisco Henriques da Costa e Ricardo Jorge Duarte Casal na 3ª Categoria. Gil Peres

“Os Repesenses”

Miúdos do Académico Relvado era brilham em Rio Maior sonho antigo

Fornos de Algodres Futebol

Longe vão os tempos em que a arbitragem viseense tinha representação no Quadro Nacional de 1ª Categoria. Nomes como Donato Ramos e Isidoro Rodrigues tardam em ver sucessores à altura. A divulgação da lista de árbitros do Quadro Nacional, tem apenas três nomes: Luís Miguel Pais Ramos, que se manteve, e os promovidos António Carlos Ferreira Cardoso e Nuno Miguel Fernandes Vaz. São todos árbitros de 3ª Categoria, longe por isso da elite da arbitragem nacional, dos que estão habilitados a apitar jogos das competi-

A Luís Gabriel

Zé Luís Gabriel foi atleta em destaque no Campeonato Regional de Infantis da Associação de Natação de Aveiro, e trouxe para Viseu cinco títulos pessoais. O nadador venceu no primeiro dia de competição os 400 Estilos e 400 Livres. No segundo dia foi o mais rápido nos 200 Livres e 200 Estilos, termi-

nando com a vitória nos 200 Mariposa. Zé Luís Gabriel contribuiu ainda, para as três vitórias do Ac.Viseu nas estafetas. No balanço desta prova em Rio Maior, a natação do Académico de Viseu conseguiu um total de 14 medalhas: nove vitórias, três vice-títulos e dois terceiros lugares. GP

“Um presente maravilhoso”, foi como António Lopes, presidente do Clube de Futebol “Os Repesenses” classificou o relvado sintético inaugurado no Estádio Montenegro Machado. É a concretização de um sonho do clube e de uma promessa da autarquia, feita em 2004, e que chega por ocasião do 82º aniversário da popular colectividade. Um clube

com provas dadas na formação, e de onde saíram nomes grandes do futebol nacional, dos quais Paulo Sousa é o seu exemplo mais notável. Custou cerca de meio milhão de euros, financiado pela Junta de Freguesia e pela Câmara de Viseu, e dá ao clube condições para uma utilização intensiva por parte das suas várias equipas de formação. GP

Golfe

Academia de Golfe no Príncipe Perfeito O Complexo Desportivo Principe Perfeito em Cabanões, Viseu, tem desde ontem, quinta-feira, uma Academia de Golfe. O espaço, que pertence à Visabeira Turismo, é na perspectiva dos seus responsáveis “destinado essencialmente ao treino de golfe, sendo uma academia de for-

mação que permitirá o incremento e desenvolvimento da modalidade na região”. A Academia de Golfe inclui Driving Range, Putting Green, Bunker Shot e outras estruturas de apoio. Este tipo de estruturas, pouco habituais em Portugal, são presença habitual nas grandes cidades do Mundo,

porque permitem a prática do golfe, sem o recurso aos greens dos campos. Estas estruturas são espaços de treino por excelência, onde os golfistas podem aprimorar a técnica, mas também são capazes de proporcionar momentos de pura descontração e relaxamento aos praticantes. GP

A Driving Range será uma das valias do espaço


D Exposição em Mortágua alerta para escassez de água

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

culturas expos

15

Está patente até ao próximo dia 1 de Agosto, no Centro de Animação Cultural de Mortágua, a exposição “Água com Humor”. Trata-se de uma mostra de mais de 100 cartoons, oriundos de vários países, que alertam para a crescente escassez de água no mundo.

Arcas da memória

Destaque

VISEU ∑ FNAC Até dia 3 de Setembro Exposição de fotografia “Fotografias de Rodagem do Cinema Português”, do Museu do Cinema.

Os bichos da Arca de Noé que ficaram na minha aldeia

Alberto Correia Antropólogo aierrocotrebla@gmail.com

SANTA COMBA DÃO ∑ Casa da Cultura Até dia 31 de Agosto Exposição “Arte e Vida... Vida e Arte”. SERNANCELHE ∑ Centro Municipal de Artes Até dia 31 de Julho Exposição de artes decorativas, de Maria Odete Santos . VILA NOVA DE PAIVA ∑ Auditório Municipal Até dia 31 de Julho Exposição de pintura “Douro a Cores”, de Alexandre Araújo.

∑ Posto de Turismo Até dia 31 de Julho Exposição de artesanato “Marisa Acessórios e Decoração”, de Marisa Batista. TONDELA ∑ ACERT Até dia 20 de Setembro Exposição de fotografia “As Entranhas de Judas”, de Miguel Valle de Figueiredo. MORTÁGUA ∑ Centro de Animação Cultural Até dia 1 de Agosto Exposição internacional de cartoons “Água com Humor”, do Museu Nacional de Imprensa.

Arquitectos em exposição no Forum Viseu Arquitectos ∑ 17 expositores apresentam 32 painéis e quatro maquetes Está patente no piso 2 do centro comercial For u m Vi seu , até ao próximo dia 18 de Julho, uma exposição promovida pelo Núcleo de Arquitectos da Região de Viseu (NARV). Com o principal objectivo de evidenciar o papel da criatividade e qualidade dos projectos como valores fundamentais para ultrapassar as actuais contingências económicas que têm afectado o país, nomeadamente o sector da construção civil, esta mostra é composta por 32

painéis com fotografias, desenho e texto e ainda por quatro maquetes tridimensionais, da autoria de 17 expositores 12 em nome individual e cinco projectos colectivos. “Esta é a segunda exposição que o NA RV promove e que se propõe realizar anualmente”, conta Keil do Amaral, presidente do núcleo, evidenciando o carácter itinerante desta mostra constituída por projectos ainda no papel e por fotografias de obras já realizadas.

roteiro cinemas

VISEU FORUM VISEU (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 17h30, 21h10, 23h50 (6ª e Sáb.) Príncipe da Pérsia (M12) (Digital)

(M6) (Digital)

Sessões diárias às 14h20, 17h20, 21h00, 00h00 (6ª e Sáb.) Sexo e a Cidade 2 (M16) (Digital)

Sessões diárias às 11h20 (Dom.), 13h40,16h05, 18h30, 22h00, 00h40 (6ª e Sáb.) Plano B...ebé! (M12) (Digital)

Sessões diárias às 11h00 (Dom.), 14h40 Nanny Mcphee VP

Sessões diárias às 14h10, 16h40, 19h10, 21h40, 00h30 (6ª e Sáb.) Ela é Demais Para Mim (M12) (Digital)

Sessões diárias às 15h00, 17h50, 21h30, 00h20 (6ª e Sáb.)

A Saga Twilight - Eclipse (M12) (Digital) Sessões diárias às 11h30 (Dom.), 14h00, 16h20, 18h45, 21h50, 00h10 (6ª e Sáb.) Shrek Para Sempre! (M6) (Digital3D) PALÁCIO DO GELO (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 14h00, 16h50, 21h00, 00h05 (6ª e Sáb.) A Saga Twilight - Eclipse (M12) (Digital)

Segundo o presidente do NARV, no país nunca houve a preocupação dos projectos serem assinados pelos arquitectos, tendência que tem vindo a ser contrariada. Por outro lado, “é estimulante”, diz Keil do Amaral, mostrar ao público as obras “interessantes” que o NARV tem desenvolvido, ao mesmo tempo que tem oportunidade de recolher as opiniões de quem as observa. Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Sessões diárias às 14h30, 17h50, 21h10, 00h10 (6ª e Sáb.) Atraídos Pelo Crime (M16) (Digital) Sessões diárias às 11h20 (Dom.), 14h10, 16h20 Marmaduke VP (M4) Sessões diárias às 13h20, 16h00, 18h40, 21h20, 00h20 (6ª e Sáb.) Princípe da Pérsia (M12)

Num dos últimos sábados fui com minha neta ao Jardim Zoológico de Lisboa onde muitas vezes levei meus filhos quando eles andavam pela mesma idade. Mas desta vez, não sei porquê, eu tive pena da sorte daqueles bichos, de alguns pelo menos, ali meio perdidos sob o olhar estranho e perturbador dos humanos que habitam com eles o mesmo planeta. Tive pena dos leões e lembrei o porte airoso de um rei governando a sua selva, tive pena das onças e das gazelas que deviam antes correr no chão crestado da savana, dos bisontes que envelhecem antes do tempo sem que se tenha ouvido o troar dos seus passos no ondear das pradarias, até da pobre anaconda adormecida nas águas sujas de um pântano sem ter podido mergulhar nas águas fundas do rio Amazonas. E até dos pequenos suricates tive pena, daquele olhar que parecia mendigar outra liberdade, dessa lembrança das luras resguardadas na terra endurecida dos bosquejos. E eu lembrei-me dos bichos que a Arca de Noé

Sessões diárias às 18h30, 21h40, 00h30 (6ª e Sáb.) A Mulher do Viajante do Tempo (M12Q)

despejou na minha aldeia antes de tocar, mais longe, o cimo aplanado de um monte da Arménia. Das ovelhas saindo pela madrugada ou acarradas à hora do calor, das turbulentas manadas de cabras, dos bois pachorrentos, gigantes que dominavam os caminhos da aldeia por onde passeavam carros a chiar, dos lobos no monte, das raposas escapando aos cães, dos texugos, lontras e toirões, e das lebres fugindo. E das rolas, dos gaios, dos corvos, dos estorninhos, das milheiras, dos ferreiros, das andorinhas, dos pardais, das corujas nos outeiros ao anoitecer e do voo cego dos morcegos. E das rãs, dos grilos, das cigarras e dos ralos a cantar, e das libelinhas e dos cavalinhos d’el-rei, e dos bichos de conta e das lagartas dos pinheiros, das joaninhas e das cobras que abandonavam as peles gastas nos silvados, e dos lagartos estendidos ao sol, e dos ouriços-cacheiro e dos grilos nos buracos da margem dos ribeiros. Eram mais de mil. Tinham, por horizonte, o mundo todo como nós.

Estreia da semana

Sessões diárias às 14h20, 17h20, 20h50, 00h00 (6ª e Sáb.) Robin Hood (M12) Sessões diárias às 11h00 (Dom.), 13h40, 15h55, 18h10, 21h30, 23h50 (6ª e Sáb.) Shrek Para Sempre! (M6) (Digital 3D)

Shrek Para Sempre! - Saudo-

so dos bons velhos tempos em que se sentia um “ogre a sério”, Shrek é levado a fazer um pacto com o falinhas mansas, Rumpelstiltskin. Subitamente, vê-se numa distorcida versão alternativa de Bué-Bué Longe onde os ogres são perseguidos, Rumpelstiltskin é rei e o Shrek e a Fiona nunca se conheceram


DJovens músicos dão concerto em Vila Nova

16 CULTURAS

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

O Auditório Municipal Carlos Paredes, de Vila Nova de Paiva, abre as suas portas amanhã, às 21h30, para receber um espectáculo musical com jovens músicos. O concerto tem entrada livre e é orientado pela professora Patrícia Luís.

agenda cultural fnac Destaque Mundo à Janela.

AO VIVO PEDRO DUVALLE E QUORUM ∑ Sexta 9 Julho 21h30 Construído com referências tão díspares que vão desde o Pop, Rock, Blues ou até Country, o projecto de Pedro Duvalle é composto por temas originais. Todos estes componentes estão presentes na digressão de 2010 que promete levar pelos palcos portugueses a música e boa disposição contagiante de Pedro Duvalle e dos Quorum, que o acompanham em palco. AO VIVO PHAMA MUNDO À JANELA ∑ Sábado 10 Julho 19h00 Os Phama juntaram-se em Junho de 2008 com o objectivo de criar música por prazer, original, criativa e na língua mãe: o Português. Oriundos de Vila do Conde, a banda, vencedora do VIII Concurso de Bandas de Garagem da FAP lança no Fórum Fnac o Ep de estreia

AO VIVO YOLANDA SOARES METAMORPHOSIS ∑ Domingo 11 Julho 17h00 Multifacetada e extremamente ágil, Yolanda Soares é uma artista global. Deambula entre a música clássica e o fado e a electrónica e o rock, com vocalizações em inglês, alemão, italiano e português, ora puro ora misturado com latim. Metamorphosis, o seu segundo trabalho, comprova toda esta polivalência e multiculturalidade. PROJECÇÃO MELHOR BANDA SONORA QUEM QUER SER MILIONÁRIO? UM FILME DE DANNY BOYLE ∑ Terça 13 Julho 21h00 Jamal Malik está apenas a uma pergunta de ganhar uma fortuna na versão indiana de “Quem Quer Ser Milionário?”. Irá este jovem oriundo dos bairros de lata de Bombaim ganhar ou perder tudo, incluindo o seu grande amor? Venceu oito óscares da Academia em 2009, incluindo de Melhor Banda Sonora composta por A. R. Rahman.

Música e desporto marcam festas de Oliveira de Frades Concelho∑ Festas decorrem de 11 a 18 de Julho, no Largo da Feira De 11 a 18 de Julho a vila de Oliveira de Frades está em festa. As festas do concelho iniciam-se este domingo com um dia recheado de act iv idades desportivas, que vão desde demonstrações de paraquedismo, freestyle e concentração de camiões. Para o segundo dia, segunda-feira, está marcado um espectáculo da dupla Quim Roscas e Zeca Estacionâncio. Na terça-feira, dia 13, a partir das 20h30, tem lugar o início dos “Jogos Tradicionais Inter-Fregue-

sias” e às 22h00 sobe ao palco o espectáculo “Cantigas do Festival”. Para dia 14, Dia da Juventude, o Largo da Feira de Oliveira de Frades recebe a banda Teen Spirits, liderada pelo cantor Nuno Norte. Rita Guerra sobe ao palco no dia 17 às 22 h30 e para o último dia está marcado um espectáculo do cantor português Toy, às 22h30, ao qual se segue um espectáculo piro-musical que encerra as festas. Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Artes

AA banda Teen Spirits marcam presença em Oliveira de Frades Teatro

Mangualde recebe exposição de artista da terra O Salão de Exposição da Biblioteca Municipal de Mangualde acolhe, até ao próximo dia 15, uma mostra dos trabalhos de pintura do artista Duarte Ribeiro. Natural do Bra-

cartaz fim-de-semana VISEU ∑ Mercado 2 de Maio | Dia 10, pelas 22h00 Espectáculo de teatro comédia “Super Silva”, Com Tozé Martinho, Miguel Dias e Patrícia Cardoso. MANGUALDE ∑ Centro Recreativo e Cultural de Santo André | Dia 9, pelas 21h30 Actuação do Grupo de Cantares de Pindo e Grupo de Cetos- Castro Daire. LAMEGO ∑ Teatro Ribeiro Conceição | Dia 10, pelas 21h30 Espectáculo de teatro “Vila Cacimba”, do Trigo Limpo teatro ACERT.

s i l , m a s a v i ve r e m M a n g u a lde d e s d e a sua juvent ude, o a rtista considera-se um autodidacta e exterior i za n a s sua s obra s , que agora podem ser apreciadas, o seu sen-

tir paisagista, apresentando pinturas a óleo e em acrílico, onde manifesta a sua sensibilidade artística e visual, projectadas com cores que manifestam vida e movimento.

Teatro do Trigo Limpo Alunos da Mariana Seixas marca presença na final do FOOD 4U além-fronteiras

Variedades

O spot vídeo intitulado (U N) T U N N ED realizado pelos alunos do terceiro ano do curso de Multimédia da Escola Profissional Mariana Seixas (EPMS) de Viseu foi seleccionado para ser apresentado a concurso na final do concurso FOOD 4U 2010. Este concurso é organizado anualmente pelo Governo Italiano e tem como objectivo a sensibi-

lização dos públicos escolares e do público em geral para a necessidade de uma alimentação saudável. Nos cinco anos em que o concurso, a que podem concorrer alunos de mais de 16 mil escolas europeias, foi aberto a Portugal, a EPMS teve trabalhos de alunos seus em quatro finais e já conquistou dois primeiros prémios.

O grupo de teatro Trigo Limpo, da Associação Cultural e Recreativa de Tondela, vai estar presente, entre os dias 15 e 25 de Julho, na terceira edição do Festival de Teatro da Língua Portuguesa (FESTLIP), que decorre na cidade do Rio de Janeiro, no Brasil. O FESTLIP é um festival que reúne os oito países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, desen-

volvendo um trabalho de promoção do português, nomeadamente através do teatro. O Trigo Limpo apresenta, no FESTLIP, o espectáculo “Chovem Amores na Rua do Matador”, que conta a história de Baltazar Fortuna que regressa a Xigovia para matar saudades dos seus ex-amores. Este é um texto poético, desenvolvido por José Eduardo Agualusa e Mia Couto. RR


CULTURAS 17

Jornal do Centro 09 | Julho | 2010

viseu antigo A IMPRENSA EM VIZEU VIZE EU

OPINIÃO

“A inauguração do Centro Democrático” (VII) Humberto Liz

Continuo com a transcrição do brilhante discurso produzido por José Perdigão na solene inauguração do “Centro Democrático”. É um escriptor de raros meritos, e como orador, então, inexcedivel o encanto litterario com que dá vulto ás mais formosas concepções do espirito. Não sou eu que o digo pois bem a meu pezar me falha o alento e competencia para a apreciação, é a voz unanime de quantos teem tido o delicado prazer espiritual de ouvi-lo. A par d`estes quilates de intelligencia, tem V. Exª uma alma magnanima onde cabem á vontade o amor pelas creanças, o apostolado da instrucção, e o enternecimento pelas miserias do povo. Mas, e apezar de todas estas qualidades, cada uma das quaes seria bastante para engrandecer uma divindade, V. Exª que as reune todas, possue ainda um titulo mais insigne e glorioso de pro-

Publicidade

pagandista- é o exemplo da sua vida immaculada. V. Exª que já occupou uma alta situação politica, V. Exª que poderia querendo gosar todas as complacencias do regímen- que para infelecidade nossa nos rege ainda- prefere gastar a sua inergia, a sua actividade, a sua vida nas luctas pelos bons principios, mostrando em tudo e sempre, que não o propele a ambição, nem o interesse, e que se segue intrepido pelo caminho da Republica, da Verdade e da Justiça, é somente e muito somente por amor da Republica, da Verdade e da Justiça. Muito obrigados sr. Dr. Bernardino Machado, muito obrigados pelo orgulho que sentimos ao tel-o junto de nós. E`o mestre, é o apostolo é o amigo. Será o nosso guia. A`sua presença erguese-nos o coração mais para o alto, um forte sopro de Liberdade o tonifica. Saberemos trabalhar, saberemos luctar. Temos meus amigos e correligionarios, de corresponder á gentileza

com que fomos distinguidos. O caminho está traçado, não pode haver hesitações; desmascarado e julgado o funesto e sinistro regímen monarchico, o civismo, o nosso proprio interesse, o dever de preparar aos nossos filhos uma patria á altura dos destinos humano, nos dictam a lei. E` para frente - cheios de amor, intrepidez e animo varonil; porque, como proclamou um grande revolucionario que vive e viverá sempre na memoria dos democratas. –o immortal Gambetta- até a moral se oppõe a qualquer transigencia com um poder formado sobre o crime e sustentado pela corrupção. Saudemos pois o Doutor Bernardino Machado, abrangendo n`essa saudação o dr. Joaquim Martins Teixeira de Carvalho, luctador de grande tempera, coração amoravel e espirito lucidissimo, e illustre redactor da Resistência de Coimbra, a quem tanto deve já a causa republicana e que infelizmente, o seu precario estado de saude, não lhe permitiu, como tanto desejava, vir honrar a nossa

festa com a sua querida presença e devotada cooperação. Por egual saudemos os corregilionarios e amigos que de longe vieram abrilhantar a festa modestissima sim, mas sincera, pura e leal de todos os republicanos de Vizeu. Viva o dr. Bernardino Machado. Viva a republica portugueza.

A José Perdigão

Paulo Bruno Alves paulobruno@iol.pt

A Folha e o «caso de Lamego» – IV Na sequência dos três a rtigos a nteriormente publicados sobre o «caso de Lamego», essa a complexa luta de poderes entre a Igreja e o Estado que aconteceu entre 1901 e 1902, seguimos hoje para o início das suas conclusões, repartidas em dois artigos. De acordo com a posição do primeiro jornal diocesano de Viseu, A Folha (1901-1911), após a eleição do Cónego Arruda pelos restantes membros do Cabido da Sé de Lamego, o Deão Roseira apresentou a sua insatisfação, uma vez que era o seu nome que vinha escrito na carta que o Estado enviara para a Diocese de Lamego, insinuando-o, como, de resto, era costume em Portugal. Esta história entrava cada vez mais no seio da Política, à medida que eram conhecidas as declarações do ministro da

Justiça, Artur Alberto de Campos Henriques e os ataques d’ A Folha se faziam ouvir. Esta dizia que «arvorou-se em anti-papa o ministro da justiça...» perante um episódio que A Folha reclamava como «(...) acto de disciplina ecclesiastica». Para o jornal, o Governo entrara neste processo da escolha do Vigário Capitular de Lamego por uma questão política de troca de favores. Tudo ficava mais nítido quando se sabia que o Deão Dr. Manuel António Lopes da Roseira era o chefe progressista da região de Lamego e, por certo, o seu papel na promoção do Partido Progressista na zona era merecedor de um tal importante cargo. (No próximo artigo vamos concluir a apresentação deste «caso de Lamego»).


Jornal do Centro

18

09 | Julho | 2010

saúde Crianças na água: todo o cuidado é pouco Prevenção∑ Os afogamentos e acidentes com crianças em ambiente aquático acontecem principalmente no verão A chegada da época balnear é também tempo de redobrar a atenção e os cuidados a ter para que se evitem os acidentes com crianças em ambiente aquático. As piscinas, leitos de rio e praias são apetecíveis para todos, com destaque para as crianças, e, por isso devem ser tomadas precauções. De acordo com a Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) os casos de morte de crianças, sobretudo por afogamento, não são frequentes, mas acontecem infelizmente. Segundo dados recolhidos através dos registos da imprensa, em 2009 morreram 11 crianças em ambientes aquáticos em Portugal.

Segundo a APSI, os números e um estudo sobre eles efectuado revelam que os casos mortais acontecem sobretudo com rapazes. As crianças em mais tenra idade, segundo a mesma fonte, representam o grupo de maior risco e com mais casos de afogamento e morte. Os afogamentos em piscinas são os mais frequentes, embora tenham alguma expressão casos ocorridos em poços, tanques e rios. A zona norte do país foi a que, em 2009, registou mais casos de morte, enquanto que a sul apenas um caso ocorreu. Segundo o mesmo estudo, a maior parte dos casos mortais aconteceram com crianças que estavam acompanhadas por adul-

AOs afogamentos em piscinas são os mais frequentes tos. A maioria dos casos teve lugar em locais perto de residências onde não havia sistemas de protec-

ção adequados. Raro em Viseu. O comandante dos Bombei-

ros Municipais de Viseu, Jorge Antunes, não tem memória de algum caso de morte por afigamento

em Viseu. “Actualmente as piscinas públicas da cidade, Cabanões e Fontelo, têm nadadores salvadores e são cumpridas as normas de segurança exigidas por lei”, garante Jorge Antunes. Rui Simões, responsável pelo complexo de piscinas e parque aquático de Cabanões (explorado pelo grupo Visabeira), confirma a inexistência de casos graves de afogamento e a existência de nadadores-salvadores no empreendimento. “ Te m o s c o n s e l h o s escritos em vários lados e os avisos dos socorristas”, adianta Rui Simões. José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

RuaFreiJoaquimdeSta.RosaViterbo, lote95,lojaD JUGUEIROS Viseu (prédio (prédionovoamareloevermelho) novo amarelo e vermelho)

Tel:925610740

geral@reflexokorporal.pt www.reflexokorporal.pt

OFERTA

Leve 3 sessões L õ Pague 2 (qualquer zona) P Pernas IInteiras t i Axilas ou Peito Virilhas Buço

60€ 30€ 20€ 15€

Fotodepilação(unisexo) Fotorejuvenescimento TratamentodoAcne Depilação/Body Glitter Tattoo

Apresente A este cupão e receba uma manicura

Válido até dia 17 de Julho

Manicure /Pedicure UnhasdeGel/VernizGel Extensão/Permanente& TintadePestanas

Massagens:Relaxamento/Anticelulítica/Reafirmante MassagensTerapêuticas:TuiNa/Reflexologia Podal/ Shiatsu/MassagemcomBambus Agoratambém: DrenagemLinfáticaManual


Jornal do Centro

SAÚDE 19

09 | Julho | 2010

1.500 sem médico em Santa Comba Dão Denúncia∑ Comunistas preocupados com falta de médicos no concelho A Comissão Inter-Concelhia de Santa Comba Dão e Mortágua do PCP está preocupada com a falta de médicos no primeiro daqueles municípios. De acordo com um comunicado emitido pelo citado organismo “a situação no Centro de Saúde de Santa Comba Dão é insustentável. Mais de 1.500 pessoas já estão privadas de médico de família”. Segundo os comunistas, a situação

agrava-se em Nagosela e Treixedo, onde os postos de atendimento “encerraram há mais de dois anos”. O PCP vai pedir explicações ao Governo e vai lançar um abaixo-assinado exigindo a colocação imediata dos médicos em falta e a contratação de outros em substituição de quatro que se reformam em breve. José Lorena

A Falta de médicos leva PCP a tomar medidas

FRANCISCO CORTEZ VAZ MÉDICO ESPECIALISTA GINECOLOGIA-OBSTETRÍCIA DOENÇAS DA MAMA COLPOSCOPIA MESTRADO EM PATOLOGIA MAMÁRIA (Faculdade de Medicina da Universidade de Barcelona) CHEFE DE SERVIÇO HOSPITAL S. TEOTÓNIO - VISEU Consultas: Segunda a Quinta a partir das 14 horas

Rua D. António Alves Martins, 40-4ºE 3500-078 - Viseu • Tel/Fax: 232 441 127

Consultório:

EM CASO DE INTOXICAÇÃO

808 250 143 chamada local

SOS VOZ AMIGA

800 202 669 ANGÚSTIA, SOLIDÃO E PREVENÇÃO DO SUICÍDIO CHAMADA GRÁTIS

Movimento “Vencer e Viver” em Viseu A Liga Portuguesa Contra o Cancro criou em Viseu uma extensão do Movimento “Vencer e Viver”. Trata-se de um serviço que oferece apoio a todas as mulheres com cancro na mama. A iniciativa estende-se ainda a familiares e amigos, a partir do momento em que os diagnósticos da doença são conhecidos. A extensão do “Vencer e Viser” funciona no Hospital de São Teotónio às terças e quintas-feiras - das 10h30 às 12h30 - e às sextas-feiras, entre as 14 e as 16h00. O Movimento inclui mulheres voluntárias que já

passaram pela experiência do cancro da mama e estão disponíveis, segundo a Liga, “para dar um testemunho de esperança, aconselhando a mulher a lidar com os seus medos e preocupações”. A aquisição de material ortopédico a preços reduzidos é também uma possibilidade facultada pelo Movimento. Assim, as senhoras podem ter acesso a próteses, suportes mamários, fatos de banho adaptados, entre outros produtos. O principal objectivo do Movimento é o de sensibilizar para a prevenção do cancro. JL


Jornal do Centro

20 CLASSIFICADOS

09 | Julho | 2010 RESTAURANTE O LEAL CONSSELHEIRO Chefe de Cozinha Zagallo. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Quinta do Catavejo Lt. 44 Mundão, 3505-582 Viseu. Telefone 232 185 071. Observações 6ª a Domingo - Menu de degustação | 2ª a 5ª - Preço Fixo por pessoa. RESTAURANTE CACIMBO Especialidades Frango de Churrasco, Leitão à Bairrada. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua Alexandre Herculano, nº95, Viseu. Telefone 232 422 894 Observações Serviço Take-Away.

PENALVA DO CASTELO OTELHEIRO Especialidades Feijão de Espeto, Cabidela de Galinha, Arroz de Míscaros, Costelas em Vinha de Alhos. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Sangemil, Penalva do Castelo. Observações Sopa da Pedra ao fim-de-semana.

TONDELA

RESTAURANTES VISEU RESTAURANTE O MARTELO Especialidades Cabrito na Grelha, Bacalhau, Bife e Costeleta de Vitela. Folga Não tem. Morada Rua da Liberdade, nº 35, Falorca, 3500-534 Silgueiros. Telefone 232 958 884. Observações Vinhos Curral da Burra. RESTAURANTE BEIRÃO Especialidades Bife à Padeiro, Posta de Vitela à Beirão, Bacalhau à Casa, Bacalhau à Beirão, Açorda de Marisco. Folga Segunda-feira (excepto Verão). Preço médio refeição 12,50 euros. Morada Alto do Caçador, EN 16, 3500 Viseu. Telefone 232 478 481 Observações Aberto desde 1970. RESTAURANTE TIA IVA Especialidades Bacalhau à Tia Iva, Bacalhau à Dom Afonso, Polvo à Lagareiro, Picanha. Folga Domingo. Preço médio refeição 15 euros. Morada Rua Silva Gaio, nº 16, 3500-203 Viseu Telefone 232 428 761. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira) – 6,5 euros.

RESTAURANTE CLUBE CAÇADORES Especialidades Polvo à Lagareiro, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito Churrasco, Javali na Brasa c/ Arroz de Feijão, Arroz de Perdiz c/ Míscaros, Tarte de Perdiz, Bifes de Veado na Brasa. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Muna, Lordosa, 3515-775 Viseu. Telefone 232 450 401. Observações Reservas para grupos e outros eventos. SOLAR DO VERDE GAIO Especialidades Rodízio à Brasileira, Mariscos, Peixe Fresco. Folga Terça-feira. Morada Mundão, 3500-564 Viseu. www.solardoverdegaio.pt Telefone 232 440 145 Fax 232 451 402. E-mail geral@ solardoverdegaio.pt Observações Salão de Dança – Clube do Solar – Sextas, Sábados até às 03.00 horas. Aceita Multibanco. RESTAURANTE SANTA LUZIA Especialidades Filetes Polvo c/ Migas, Filetes de Espada com Arroz de Espigos, Cabrito à Padeiro, Arroz de Galo de Cabidela, Perdiz c/ Castanhas. Folga Segunda-feira. Morada EN 2, Campo, 3510-515 Viseu. Telefone 232 459 325. Observações Quinzena da Lampreia e do Sável, de 17 de Fevereiro a 5 de Março. “Abertos há mais de 30 Anos”.

RESTAURANTE O PERDIGUEIRO Especialidades Peixes Grelhados e ao Sal, Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Assado à Padeiro. Folga Sábado. Morada Quinta do Galo, Lote B R/C Direito, 3500 Viseu. Telefone 232 461 805.Observações Aceita Multibanco.

PIAZZA DI ROMA Especialidades Cozinha Italiana (Pizzas, Massas, Carnes e Vinhos). Folga Domingo e segunda-feira ao almoço. Morada Rua da Prebenda, nº 37, 3500-173 Viseu Telefone 232 488 005. Observações Menu económico ao almoço.

RESTAURANTE PICANHA REAL Especialidades Rodízio de Picanha. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira, Lote 1 R/C, Travassós de Cima, 3500-187 Viseu Telefone 232 186 386/7 - 917 038 215. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira).

RESTAURANTE A BUDÊGA Especialidades Picanha à Posta, Cabrito na Brasa, Polvo à Lagareiro. Acompanhamentos: Batata na Brasa, Arroz de Feijão, Batata a Murro. Folga Domingo. Preço médio por refeição 12,50 euros. Morada Rua Direita, nº 3, Santiago, 3500-057 Viseu. Telefone 232 449 600. Observações Vinhos da Região e outros; Aberto até às 02.00 horas.

RESTAURANTE O VISO Especialidades Cozinha Caseira, Peixes Frescos, Grelhados no Carvão. Folga Sábado. Morada Alto do Viso, Lote 1 R/C Posterior, 3500-004 Viseu. Telefone 232 424 687. Observações Aceitamse reservas para grupos. RESTAURANTE MAJOAL Especialidades Arroz de Pato, Bacalhau c/ Natas, Grelhados, Frango de Churrasco. Folga Segundafeira. Morada Avenida Capitão Silva Pereira, 3500-208 Viseu. Telefone: 232 431 891 - 964 043 709. CORTIÇO Especialidades Bacalhau Podre, Polvo Frito Tenrinho como Manteiga, Arroz de Carqueja, Cabrito Assado à Pastor, Rojões c/ Morcela como fazem nas Aldeias, Feijocas à maneira da criada do Sr. Abade. Folga Não tem. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Rua Augusto Hilário, nº 45, 3500-089 Viseu. Telefone 232 423 853 – 919 883 877. Observações Aceitam-se reservas; Takeway. RESTAURANTE O CAMBALRO Especialidades Camarão, Francesinhas, Feijoada de Marisco. Folga Não tem. Morada Estrada da Ramalhosa, nº 14, Rio de Loba, 3500825 Viseu. Telefone 232 448 173. Observações Prato do dia - 5 euros. RESTAURANTEPORTASDOSOL Especialidades Arroz de Pato com Pinhões, Catalana de Peixe e Carne, Carnes de Porco Preto, Carnes Grelhadas com Migas. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Urbanização Vilabeira Repeses - Viseu. Telefone 232 431 792. Observações Refeições para grupos com marcação prévia. TORRE DI PIZZA Especialidades Pizzas, Massas, Carnes. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Cidade de Aveiro, Lote 16, 3510-720 Viseu. Telefone 232 429 181 – 965 446 688. Observações Menu económico ao almoço – 4,90 euros.

COMPANHIA DA CERVEJA Especialidades Bifes c/ Molhos Variados, Francesinhas, Saladas Variadas, Petiscos. Folga Terçafeira. Preço médio refeição 8,50 euros. Morada Quinta da Ramalhosa, Rio de Loba (Junto à SubEstação Eléctrica do Viso Norte), 3505-570 Viseu Telefone 232 184 637 - 962 723 772. Observações Cervejaria c/amplo espaço (120 lugares), fácil estacionamento, acesso gratuito à internet. RESTAURANTE D. INÊS Especialidades Pratos económicos de Carne e Peixe. Folga Domingo. Preço médio refeição 5 euros. Morada Rua Serpa Pinto, nº 54, 3500 Viseu Telefone 232 428 837 – 232 184 900. QUINTA DO GALO CERVEJARIAS Especialidades Grelhados de Peixe e Carne. Folga Domingo. Morada Quinta do Galo, Lt3 | Bairro Stª Eugénia, Lt21, Viseu. Telefone 232 461 790 Observações Aberto até às 2h00. O CANTINHO DO TITO Especialidades Cozinha Tradicional, Petiscos. Folga Domingo. Morada Rua Mário Pais da Costa, nº 10, Lote 10 R/C Dto., Abraveses, 3515-174 Viseu. Telefone 232 187 231 – 962 850 771. RESTAURANTEBELOSCOMERES(ROYAL) Especialidades Restaurantes Marisqueiras. Folga Não tem. Morada Cabanões; Rua da Paz, nº 1, 3500 Viseu; Santiago. Telefone 232 460 712 – 232 468 448 – 967 223 234. Observações Casamentos, baptizados, convívios, grupos. TELHEIRO DO MILÉNIO QUINTA FONTINHA DA PEDRA Especialidades Grelhados c/ Churrasqueira na Sala, (Ao Domingo) Cabrito e Aba Assada em Forno de Lenha. Folga Sábados (excepto para casamentos, baptizados e outros eventos) e Domingos à noite. Morada Rua Principal, nº 49, Moure de Madalena, 3515016 Viseu. Telefone 232 452 955 – 965 148 341.

EÇA DE QUEIRÓS Especialidades Francesinhas, Bifes, Pitas, Petiscos. Folga Não tem. Preço médio refeição 5,00 euros. Morada Rua Eça de Queirós, 10 Lt 12 - Viseu (Junto à Loja do Cidadão). Telefone 232 185 851. Observações Take-away. GREENS RESTAURANTE Especialidades Toda a variedade de prato. Folga Não tem. Preço médio refeição Desde 2,50 euros. Morada Fórum Viseu, 3500 Viseu. Observações www.greensrestaurante.com MAIONESE Especialidades Hamburguers, Saladas, Francesinhas, Tostas, Sandes Variadas. Folga Não tem. Preço médio refeição 4,50 euros. Morada Rua de Santo António, 59-B, 3500-693 Viseu (Junto à Estrada Nacional 2). Telefone 232 185 959. RESTAURANTEROSSIOPARQUE Especialidades Medalhão de Vitela p/ duas pessoas 800g Pura Alcatra, Bacalhau à Casa, Massa c/ Bacalhau c/Ovos Escalfados, Corvina Grelhada; Acompanhamentos: Migas, Feijão Verde, Batata a Murro. Folga Sábado à Noite e Domingo. Morada Rua Soar de Cima, nº 55 (Junto ao Jardim das Mães – Rossio), 3500-211 Viseu. Telefone 232 422 085. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira) – sopa, bebida, prato e sobremesa ou café – 6 euros. FORNODAMIMI Especialidades Assados em Forno de Lenha, Grelhados e Recheados (Cabrito, Leitão, Bacalhau). Folga Não tem. Preço médio por refeição 14 euros. Morada Estrada Nacional 2, Vermum Campo, 3510-512 Viseu. Telefone 232 452 555. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. QUINTADAMAGARENHA Especialidades Lombinho Pescada c/ Molho de Marisco, Cabrito à Padeiro, Nacos no Churrasco. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Nó 20 A25, Fragosela, 3505-577 Viseu. Telefone 232 479 106 – 232 471 109. Fax 232 479 422. Observações Parque; Serviço de Casamentos. RESTAURANTEIBÉRICO Especialidades Grelhados, Francesinhas, Bacalhau à Ibérico, Grelhada Mista, Vários Petiscos. Folga Não tem. Morada Quinta de Dentro, Lote 79, R/C Dto., 3505-496 Rio de Loba, Viseu. Telefone 232 449 743 – 919 908 984. Observações Refeições económicas; Comida para fora. RODÍZIOREAL Especialidades Rodízio à Brasileira. Folga Não tem. Preço médio por refeição 19 euros. Morada Repeses, 3500-693 Viseu. Telefone 232 422 232. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. RESTAURANTEOPOVIDAL Especialidades Arroz de Pato, Grelhados. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira Lt9 1ª Fase, Viseu. Telefone 232 087 776. Observações Jantares de grupo. RESTAURANTEACOCHEIRA Especialidades Bacalhau Roto, Medalões c/ Arroz de Carqueija. Folga Domingo à noite. Morada Rua do Gonçalinho, 84, 3500-001 Viseu. Telefone 232 437 571. Observações Refeições económicas ao almoço durante a semana.

RESTAURANTE BAR O PASSADIÇO Especialidades Cozinha Tradicional e Regional Portuguesa. Folga Domingo depois do almoço e Segunda-feira. Morada Largo Dr. Cândido de Figueiredo, nº 1, Lobão da Beira, 3460-201 Tondela. Telefone 232 823 089. Fax 232 823 090 Observações Noite de Fados todas as primeiras Sextas de cada mês. RESTAURANTE PONTO DE ENCONTRO Especialidades Grelhada Mista do Oceanos, Grelhada à Ponto de Encontro, Bacalhau c/ Natas, Bife à Ponto de Encontro. Folga Sábado. Morada Avenida do Salgueiral, nº 3, Fojo, Molelos, 3460211 Tondela. Telefone 232 812 867. Observações Casamentos, Baptizados e outros eventos; Refeições económicas (Almoço – 2ª a 6ª feira) – 5 e 6 euros. RESTAURANTE SANTA MARIA Especialidades Cozido à Portuguesa, Picanha, Borrego Estufado, Bacalhau Santa Maria. Folga Quarta-Feira. Preço médio por refeição Desde 6,50 euros. Morada Avenida da Igreja, nº 989, Canas de Santa Maria, 3460-012 Tondela. Telefone 232 842 135. Observações Refeições económicas c/ tudo incluído – 6,50 euros; Refeições p/ fora – 5,50 euros.

NELAS RESTAURANTE QUINTA DO CASTELO Especialidades Bacalhau c/ Broa, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito à Padeiro, Entrecosto Vinha de Alhos c/ Arroz de Feijão. Folga Sábado (excepto p/ grupos c/ reserva prévia). Preço médio refeição 15 euros. Morada Quinta do Castelo, Zona Industrial de Nelas, 3520-095 Nelas. Telefone 232 944 642 – 963 055 906. Observações Prova de Vinhos “Quinta do Castelo”.

VOUZELA RESTAURANTE O REGALINHO Especialidades Grelhada Mista, Naco de Vitela na Brasa c/ Arroz de Feijão, Vitela e Cabrito no Forno, Migas de Bacalhau, Polvo e Bacalhau à Lagareiro. Folga Domingo. Preço médio refeição 10 euros. Morada Rua Teles Loureiro, nº 18 Vouzela. Telefone 232 771 220. Observações Sugestões do dia 7 euros. TABERNA DO LAVRADOR Especialidades Vitela à Lafões Feita no Forno de Lenha, Entrecosto com Migas, Cabrito Acompanhado c/ Arroz de Cabriteiro, Polvo Grelhado c/ batata a Murro. Folga 2ª Feira ao jantar e 3ª todo o dia. Preço médio refeição 12 euros. Morada Lugar da Igreja - Cambra - Vouzela. Telefone 232 778 111 917 463 656. Observações Jantares de Grupo. RESTAURANTE EIRA DA BICA Especialidades Vitela e Cabrito Assado no Forno e Grelhado. Folga 2ª Feira. Preço médio refeição 15 euros. Morada Casa da Bica - Touça - Paços de Vilharigues - Vouzela. Telefone 232 771 343. Observações Casamentos e Baptizado. www.eiradabica.com

FÁTIMA RESTAURANTE SANTA RITA Especialidades Bacalhau Espiritual, Bacalhau com camarão, Bacalhau Nove Ilhas, Bife de Atum, Alcatra, Linguiça do Pico, Secretos Porco Preto, Vitela. Folga Quarta-feira. Preço médio refeição 10 euros. Morada R. Rainha Santa Isabel, em frente ao Hotel Cinquentenário, 2495 Fátima. Telefone 249 098 041 / 919 822 288 Observações http:// santarita.no.comunidades.net; Aceita grupos, com a apresentação do Jornal do Centro 5% desconto no total da factura.

RESTAURANTE S. BARNABÉ Especialidades Chanfanas, Comida Italiana, Cozinha Tradicional, Arroz de Polvo c/ Gambas Morada Rua dos Bombeiros Voluntários, nº80 - 3460-572 Tondela Telemóvel 969 723 146. Observações Comida para fora.

VISEU

STAURANTE PRATO D’OURO Especialidades Cozinha Regional Morada EN 2, 1189 Adiça 3460-321 Tondela Telefone 232 816 537. Observações Refeições Económicas (2ª a 6ª feira), Refeições p/ fora.

Morada Rua da Vitória, nº 7 – 1º, 3500-222 Viseu Telefone 232 458

SÃO PEDRO DO SUL RESTAURANTE QUINTA DO MARQUÊS Especialidades Bacalhau c/ Natas, Rojões à Beirão, Vitela à Lafões, Tiramisú. Folga Domingo (Dezembro a Junho). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Galerias Quinta do Marquês, 2º Piso, Fracção Z (junto ao Pav. Desportivo Municipal e Piscinas), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 723 815. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira). RESTAURANTE O CAMPONÊS Especialidades Nacos de Vitela Grelhados c/ Arroz de Feijão, Vitela à Manhouce (Domingos e Feriados), Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Grelhado c/ Arroz de Miúdos, Arroz de Vinha d´Alhos. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 12 euros. Morada Praça da República, nº 15 (junto à Praça de Táxis), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 711 106 – 964 135 709.

SANTA COMBA DÃO RESTAURANTE TÍPICO O PEDRO Especialidades Mariscos, Grelhados e Pratos Regionais. Paelha, Camarão À Pedro, Arroz de Marisco, Bacalhau Zé Pipo, Carne Porco Alentejana, Naco, Cabrito, Cabidela de Galo. Folga Não tem. Morada Rua Principal, nº 11 A, 3440465 São João de Areias. Telefone 232 891 577 – 964 262 750. Observações Casamentos, Baptizados, Grupos; Espaço Verde.

OLIVEIRA DE FRADES OS LAFONENSES – CHURRASQUEIRA Especialidades Vitela à Lafões, Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Casa, Bife de Vaca à Casa. Folga Sábado (excepto Verão). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua D. Maria II, nº 2, 3680-132 Oliveira de Frades. Telefone 232 762 259 – 965 118 803. Observações Leitão por encomenda.

ADVOGADOS ANTÓNIO PEREIRA DO AIDO Morada Rua Formosa, nº 7 – 1º, 3500135 Viseu. Telefone 232 432 588 Fax 232 432 560 CARLA DE ALBUQUERQUE MENDES

029 Fax 232 458 029 Fax 966 860 580

MARIA DE FÁTIMA ALMEIDA Morada Rua Miguel Bombarda, nº 37 – 1º Esq. Sala G, 3510-089 Viseu Telefone 232 425 142 Fax 232 425 648 CATARINA DE AZEVEDO

Morada Largo General Humberto

Delgado, nº 1 – 3º Dto. Sala D, 3500139 Viseu Telefone 232 435 465 Fax 232 435 465 Telemóvel 917 914 134 Email catarina-azevedo5275c@adv.oa.pt

ANTÓNIO M. MENDES Morada Rua Chão de Mestre, nº 48, 1º Dto., 3500-113 Viseu Telefone 232 100 626 Email antonio.m.mendes3715c@adv.oa.pt ARNALDO FIGUEIREDO E FIRMINO MENESES FERNANDES Morada Av. Alberto Sampaio, nº 135 – 1º, 3510-031 Viseu Telefone 232 431 522 Fax 232 431 522 Email a-figueiredo@iol.pt e firminof@iol.pt MARQUES GARCIA Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº 218 – C.C.S. Mateus, 4º, sala 15, 3514-504 Viseu Telefone 232 426 830 Fax 232 426 830 Email marques.garcia-3403c@advogados. oa.pt FILIPE FIGUEIREDO

Morada Rua Conselheiro Afonso

de Melo, nº 31 – 5º, sala 502, 3510024 Viseu Telefone 232 441 235 Telemóvel 964 868 473 Email filipe.figueiredo-5153c@adv.oa.pt FABS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS – RENATO FERNANDES, JOÃO LUÍS ANTUNES, PAULO BENFEITO

Morada Av. Infante D. Henrique, nº 18 – 2º, 3510-070 Viseu Telefone 232 424 100 Fax 232 423 495 Email

fabs.advogados@netvisao.pt

JOÃO NETO SANTOS Morada Rua Formosa, nº 20 – 2º, 3500134 Viseu Telefone 232 426 753 CONCEIÇÃO NEVES E MICAELA FERREIRA – ADVOGADAS

Morada Av. Dr. António José de

Almeida, 264 – Forum Viseu [NOVAS I NS TA L AÇÕE S], 3510 - 0 43 Viseu Telefone 232 421 225 Fax 232 426 454 ELISABETE MENDONÇA Morada Rua Nunes de carvalho, nº 39 – 1º, sala 3, 3500-163 Viseu Telefone 232 471 284 Fax 232 471 284 Email elisabetemendonca-5907c@adv.oa.pt BRUNO DE SOUSA Esc. 1 Morada Rua D. António Alves Martins Nº 40 2ºE 3500-078 VISEU Telefone 232 104 513 Fax 232 441 333 Esc. 2 Morada Edifício Guilherme Pereira Roldão, Rua Vieira de Leiria N º14 2430 - 30 0 Ma r i n ha Gra nde Telefone 244 110 323 Fax 244 697 164 Tlm. 917 714 886 Áreas preferenciais Crime | Fiscal | Empresas

MANGUALDE

JOSÉ MIGUEL MARQUES Morada Rua 1º de Maio, nº 12 – 1º Dto., 3530-139 Mangualde Telefone 232 611 251 Fax 232 105 107 Telemóvel 966 762 816 Email jmiguelmarques4881c@adv.oa.pt JOSÉ ALMEIDA GONÇALVES Morada Rua Dr. Sebastião Alcântara, nº 7 – 1º B/2, 3530-206 Mangualde Telefone 232 613 415 Fax 232 613 415 Telemóvel 938 512 418 Email jose.almeida.goncalves-14291l@adv. oa.pt

NELAS

JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges. silva@mail.telepac.pt JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES

Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges.

CARLA MARIA BERNARDES

silva@mail.telepac.pt

Melo, nº 39 – 2º Dto., 3510-024 Viseu

ÂNGELO MENDES MOURA Morada Av. Visconde Guedes Teixeira, 29 – 1º, 5100-073 Lamego Telefone 254 612 402

Morada Rua Conselheiro Afonso de Telefone 232 431 005

JOÃO PAULO SOUSA

M o r a d a L g. Genera l Humber to

Delgado, 14 – 2º, 3500-139 Viseu Telefone 232 422 666

HERMÍNIO MODESTO Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº275 - 1º Esquerdo - 3510047 Viseu Telefone/Fax 232 468 295 JOÃO MARTINS M o r a d a R ua D. A ntón io A lves Martins, nº 40 – 1º A, 3500-078 Viseu Telefone 232 432 497 Fax 232 432 498 ANA PAULA MADEIRA

Morada Rua D. Francisco Alexandre

Lobo, 59 – 1º DF, 3500-071 Viseu

Telefone 232 426 664 Fax 232 426 664 Telemóvel 965 054 566 Email

anapaula.madeira@sapo.pt

MANUEL PACHECO Morada Rua Alves Martins, nº 10 – 1º, 3500-078 Viseu Telefone 232 426 917 PAULO DE ALMEIDA LOPES

Morada Travessa da Balsa, nº 21 3510-051 Viseu Telefone 232 432 209 Fax 232 432 208 Email palopes-

4765c@adv.oa.pt

FERNANDO AMARAL Morada Rua dos Bancos, 5100-115 Lamego Telefone 254 612 274/ 254 600 223 Fax 254 600 229

IMOBILIÁRIO VENDE-SE Pizzaria óptima localização, bem equipada, excelente clientela. Bom preço. T. 919 318 355 Casa antiga p/ restauro c/ cave - área coberta 131m2 + 195m2 de logradouro, no centro de Silgueiros. T. 917 239 296 / 962 309 454 Moradia Isolada – Pertinho da Cidade Tipologia T3, 3 wc´s, roupeiros embutidos, escritório, cozinha equipada, despensa. Aquecimento central a gasóleo e a lenha, arrumos, lavandaria, garagem fechada p 4 carros, quintal com área de 800 m2. Bom preço. T. 926 340 312 ou 919 255 516.


Jornal do Centro

INSTITUCIONAIS 21

09 | Julho | 2010 Moradia p/ reconstrução – Zona de Fragosela. Moradia toda em pedra para recuperar, com área coberta de 150 m2 e área descoberta de 70 m2. 50.000,00€ T. 964 160 608 Terreno (5 minutos do centro). 1.141 m2. Projecto aprovado moradia isolada. 50.000,00€(8117) T. 232 410 390 Pequena Quintinha. 3.190 m2. casa e/ pedra p/a reconstruir. Arrumo e/ granito c/ forno, poços. 25.000,00€ (8117) T. 232 410 390

IMOBILIÁRIO ARRENDA-SE Escritório no centro da cidade, 275€ T. 232 098 416 / 960 050 949 2 Escritórios com Wc, 300€. T. 232 098 416 / 960 050 949 Loja. 100 m2,2 frentes. Bem localizada. 700,00€ T. 962 376 769

T2. Placa, exaustor, esquentador, lareira. 250,00€(8117) T. 232 410 390 T3. Cozinha c/ moveis, placa, forno, exaustor, maquina de lavar a louça, roupeiros, lareira, varandas, marquise, aquecimento central. 400,00€( 8117) T. 232 410 390 T2. Cozinha c/ palca, forno, exaustor, caldeira. Roupeiro, aquecimento central, varandas. 300,00€(8117) T. 232 410 390

AUTOMÓVEIS VENDE-SE VW Caddy 2.0 SDI Extra Comercial, 2005, 170.000Km - 8.000€ T. 964 034 940

DIVERSOS Vendo 300 telhas de macelha. Para colecionadores vendo SIMCA 1300 especial. T. 916 195 468

CERTIFICADO DE APTIDÃO DE MOTORISTAS DE PESADOS

[CAM] Hr.

Curso(s)

Destinatários

FORMAÇÃO CONTÍNUA MOTORISTAS PESADOS DE MERCADORIAS

(M/F) Detentores de Carta emitida até 09/092008 (D e D+E) ou até até 09/09/2009 (C e C+E). Curso de frequência OBRIGATÓRIA - a conclusão c/ aproveitamento desta formação permite a Renovação do Certificado de Aptidão de Motorista (CAM) e da Carta de Qualificação de Motorista (CQM) e tem que ser adquirida, de 5 em 5 anos.

35 FORMAÇÃO CONTÍNUA MOTORISTAS PESADOS DE PASSAGEIROS FORMAÇÃO INICIAL ACELERADA MOTORISTAS PESADOS DE MERCADORIAS 140 Alvará n.º 12/2010

FORMAÇÃO INICIAL ACELERADA MOTORISTAS PESADOS DE PASSAGEIROS

Datas Dias: 04, 11, 18, 25 Setembro e 02 de Outubro. Dias: 06, 13, 20, 27 e 04 de Outubro.

(M/f) Detentores de carta emitda a partir de 10/09/2009. Acesso à obtenção da Carta de Qualificação de Motorista (CQM), após a aprovação em exame decorrente da frequência obrigatória desta formação.

APROVEITE A CAMPANHA "10 ANOS FUTURBRAIN" | DESCONTO P/ EMPRESAS e ASSOCIADOS DO STRUN OBS: Os interessados deverão registar-se em www.futurbrain.pt e/ou contactar por e-mail para: formacao@futurbrain.pt

Centro de Formação de VISEU - Av. Emidio Navarro - CC Académico Loja AN 3500-126 Viseu | Tel. 232.431112 | Tlm. 96.4931582 93.4014842 | 96.9062491 Tlm. 934 014 842 | Tel.252.619062 | Fax 252.688841 | E-mail: geral@futurbrain.pt | Site: www.futurbrain.pt

VILA DO CONDE | ERMESINDE | OVAR | VISEU

GERENTE DE LOJA / SUPERMERCADOS Empresa: Rede de Supermercados da Região de Viseu

CALZEDONIA, Multinacional com mais de 2500 Lojas em todo o Mundo PROCURA pessoas Dinâmicas e motivadas, para inserir na sua Equipa. RESPONSÁVEL DE LOJA

E VENDEDORES

VISEU Enviar Curriculum Vitae com fotografia para: susana.amaral@calzedonia.pt ou Av. Infante D. Henrique Nº 306 – Lote 6 – 2º

1950-421 LISBOA

Perfil do Candidato: - Experiência na função; - Formação em Engenharia Alimentar. Requisitos Gerais: - Facilidade de relacionamento, comunicação, dinamismo e organização; - Orientação para resultados e boa capacidade de trabalho sobre pressão; - Disponibilidade para trabalhar ao Fim de Semana.

Contacto: Enviar currículo para redesupermercados@gmail.com


Jornal do Centro

22 INSTITUCIONAIS | NECROLOGIA Jaime de Jesus Ferreira, 82 anos, viúvo. Natural e residente em Vila Chã da Beira. O funeral realizou-se no dia 8 de Julho, pelas 10.30 horas, para o cemitério local.

Augusta de Jesus, 94 anos, casada. Natural de Cunha Baixa e residente em E.U.A. O funeral realizou-se no dia 2 de Julho, pelas 17.30 horas, para o cemitério de Cunha Baixa.

Agência Funerária Igreja Armamar Tel. 254 855 231

António José de Oliveira, 58 anos, casado. Natural de Cunha Baixa e residente em Gandufe, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 6 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Espinho.

Abília Santos Gonçalves, 76 anos, casada. Natural de Cabanas de Viriato, Carregal do Sal e residente em Laceiras. O funeral realizou-se no dia 27 de Junho, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Laceiras. Leopoldo Dias Marques, 90 anos, casado. Natural de Papízios, Carregal do Sal e residente em Parada, Carregal do Sal. O funeral realizouse no dia 3 de Julho, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Parada. José Coelho Fernandes, 45 anos, solteiro. Natural e residente em Beijós, Carregal do Sal. O funeral realizou-se no dia 7 de Julho, pelas 9.30 horas, para o cemitério de Beijós. Maria Delfina Rolo, 84 anos, viúva. Natural de Parada, Carregal do Sal e residente em Póvoa de Santo Amaro. O funeral realizou-se no dia 7 de Julho, pelas 19.00 horas, para o cemitério de Parada. António Dias Ferreira Diogo, 78 anos, casado. Natural de Pinheiro, Oliveira de Frades e residente em Papízios, Carregal do Sal. O funeral realizou-se no dia 8 de Julho, pelas 9.00 horas, para o cemitério de Papízios. Agência Funerária São Brás Carregal do Sal Tel. 232 671 415 Valdemar Luís Pereira, 82 anos, solteiro. Natural e residente em Folgosa, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 3 de Julho, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Castro Daire. José Teixeira da Silva, 80 anos, casado. Natural e residente em Savariz, Reriz, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 7 de Julho, pelas 10.30 horas, para o cemitério de Reriz. Ag. Funerária Amadeu Andrade & Filhos, Lda. Castro Daire Tel. 232 382 238 Manuel Loureiro, 86 anos, solteiro. Natural e residente em Vila Seca, Pinheiro, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 30 de Junho, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Pinheiro. Maria Hortênsia Duarte da Silva, 76 anos, casada. Natural de Mos, Parada, Castro Daire e residente em Castro Daire. O funeral realizouse no dia 7 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Castro Daire. Agência Morgado Castro Daire Tel. 232 107 358

09 | Julho | 2010

Maria de Almeida, 88 anos, viúva. Natural e residente em Dianteiro, Santa Cruz da Trapa. O funeral realizou-se no dia 5 de Julho, pelas 18.30 horas, para o cemitério de Santa Cruz da Trapa. Agência Funerária Loureiro de Lafões, Lda. S. Pedro do Sul Tel. 232 711 927

Agência Funerária Ferraz & Alfredo Mangualde Tel. 232 613 652

José Matos, 85 anos, casado. Natural e residente em S. Miguel do Outeiro. O funeral realizou-se no dia 30 de Junho, pelas 16.00 horas, para o cemitério local.

Arnaldo Gomes, 80 anos, casado. Natural e residente em Vilar Seco, Nelas. O funeral realizou-se no dia 6 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Vilar Seco.

Generosa Gracinda de Carvalho, 83 anos, casada. Natural e residente em Mosteiro de Fráguas. O funeral realizou-se no dia 30 de Junho, pelas 19.00 horas, para o cemitério local.

Ângelo José Gonçalves de Carvalho, 69 anos, casado. Natural de Pinhel e residente em Silgueiros. O funeral realizou-se no dia 6 de Julho, pelas 18.30 horas, para o cemitério de Silgueiros.

Maria Máxima da Encarnação, 83 anos, solteira. Natural e residente em S. Miguel do Outeiro. O funeral realizou-se no dia 1 de Julho, pelas 16.00 horas, para o cemitério local.

Maria Cândida Cardoso, 82 anos, casada. Natural e residente em Algeraz, Nelas. O funeral realizou-se no dia 8 de Julho, pelas 19.45 horas, para o cemitério de Nelas. Agência Funerária Nisa, Lda. Nelas Tel. 232 949 009 José Luís de Almeida, 48 anos, casado. Natural e residente em Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 5 de Julho, pelas 19.00 horas, para o cemitério local. Maria Emília, 88 anos, viúva. Natural e residente em Cambra, Vouzela. O funeral realizou-se no dia 6 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Cambra. Agência Funerária Figueiredo & Filhos, Lda. Oliveira de Frades Tel. 232 761 252 António Fernandes Almeida, 89 anos, viúvo. Natural de Ventosa, Vouzela e residente em Casal de Alvenda. O funeral realizou-se no dia 1 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Ventosa. Ag. Funerária Fernandes Correia & Filhos, Lda. Oliveira de Frades Tel. 232 761 610 Manuel de Almeida, 83 anos, viúvo. Natural e residente em Dianteiro, Santa Cruz da Trapa. O funeral realizou-se no dia 30 de Junho, pelas 17.30 horas, para o cemitério de Santa Cruz da Trapa. Alva da Glória, 90 anos, viúva. Natural e residente em Moçamedes, S. Miguel do Mato. O funeral realizou-se no dia 1 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Moçamedes.

Anúncio 1ª Publicação

Tribunal Judicial de Oliveira de Frades Execução Comum (Of. Justiça) nº 453-B/2002 Referência 501828 de 06-07-2010 Exequente – Laura Maria Augusta Almeida Executado – Fernando Adrião Pereira, NIF – 173107010, com domicílio em Campia, Vouzela. Agente de Execução (O.J.): Dora Maria Almeida de São João Nunes. Nos termos do disposto no artigo 890 do Código de Processo Civil, anuncia-se a venda do bem adiante indicado: Prédio urbano, sito em Campia, Vouzela, composto de R/C com três divisões e anexo com três divisões, a confrontar do norte com Maria da Luz Nunes, do sul com Mário dos Santos Ferreira, do nascente com o proprietário e do poente com o caminho, registado na Conservatória do Registo Predial de Vouzela sob o nº 5299 e inscrito na respectiva matriz sob artº 1659. O bem foi penhorado em 17-02-2010. Venda mediante proposta em carta fechada. Local da venda – Tribunal Judicial de Oliveira de Frades. Data da venda – 27-09-2010, pelas 14:00 horas Valor basa da venda - € 5.512,62 Valor a anunciar - € 3.858,83 A sentença que se executa não está pendente de recurso ordinário, nem de oposição à execução ou à penhora. Os proponentes deverão juntar à sua proposta, como caução, um cheque visado, à ordem da secretaria, no montante correspondente a 20% do valor base dos bens ou garantia bancária no mesmo valor (nº 1 do artº 897º do CPC).

O Agente de Execução Dora Maria Almeida de São João Nunes (Jornal do Centro - N.º 434 de 09.07.2010)

Maria Lídia Correia Machado Ramos, 64 anos, casada. Natural de Ferreira de Aves e residente em Tondela. O funeral realizou-se no dia 1 de Julho, pelas 18.30 horas, para o cemitério de Ferreira de Aves. Fernando de Figueiredo, 85 anos, casado. Natural e residente em Parada de Gonta. O funeral realizou-se no dia 4 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério local. Manuel Rodrigues do Vale, 90 anos, viúvo. Natural e residente em Molelos. O funeral realizou-se no dia 8 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério local. Adriana Duarte Dias, 89 anos, viúva. Natural e residente em Molelos. O funeral realizou-se no dia 8 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério local. Agência Funerária do Dão Tondela Tel. 232 823 820 Acácio Ferreira Rodrigues, 80 anos, casado. Natural de Monteiras, Castro Daire e residente em Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 1 de Julho, pelas 19.30 horas, para o cemitério de Monteiras. Maria de Nazaré Alexandre, 89 anos, viúva. Natural e residente em Oliveira de Cima, Bodiosa. O funeral realizou-se no dia 5 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Bodiosa.

Pedro Miguel do Amaral Henriques, 36 anos, solteiro. Natural de Coimbra e residente em Viseu. O funeral realizou-se no dia 6 de Julho para o Prado do Repouso, no Porto. Agência Funerária Balula, Lda. Viseu Tel. 232 437 268 Inês Esteves de Jesus, 74 anos, viúva. Natural de S. Cipriano e residente em Mosteirinho. O funeral realizou-se no dia 2 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Couto de Baixo. Ermelinda Marques de Jesus, 77 anos, casada. Natural e residente em Queirã. O funeral realizou-se no dia 2 de Julho, pelas 18.30 horas, para o cemitério local. Angelina de Jesus Lourenço, 91 anos, viúva. Natural e residente em S. Cipriano. O funeral realizou-se no dia 3 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério local. Elza Rodrigues da Carpinteira, 87 anos, viúva. Natural e residente em Queirã. O funeral realizou-se no dia 6 de Julho, pelas 18.30 horas, para o cemitério local. Agência Funerária de Figueiró Viseu Tel. 232 415 578 António Coelho, 78 anos, casado. Natural de Santos Evos e residente em Corvos-à-Nogueira. O funeral realizou-se no dia 2 de Julho, pelas 17.00 horas, para o cemitério local. Nuno Santos Rodrigues, 5 anos, solteiro. Natural e residente em Abraveses. O funeral realizou-se no dia 2 de Julho, pelas 18.15 horas, para o cemitério novo de Abraveses. Natalina Vitória Marques da Conceição, 83 anos, viúva. Natural de Povolide e residente em Campo de Madalena. O funeral realizou-se no dia 3 de Julho, pelas 14.00 horas, para o cemitério novo de Viseu. Deolinda Ribeiro Martins, 89 anos, casada. Natural e residente em Viseu. O funeral realizou-se no dia 3 de Julho, pelas 15.30 horas, para o cemitério velho de Viseu. Leonel Ferreira, 90 anos, casado. Natural e residente em Rio de Loba. O funeral realizou-se no dia 5 de Julho, pelas 19.00 horas, para o cemitério novo de Rio de Loba. Zulmira Rosa de Figueiredo, 83 anos, viúva. Natural e residente em Abraveses. O funeral realizou-se no dia 8 de Julho, pelas 8.30 horas, para o cemitério velho de Viseu.

Joaquim Manuel Morgado da Costa, 43 anos, casado. Natural e residente em Bigas, Lordosa. O funeral realizou-se no dia 6 de Julho, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Lordosa.

José Condeço, 82 anos, casado. Natural e residente em Ribolhos, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 8 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Ribolhos.

Agência Horácio Carmo & Santos, Lda. Vilar do Monte, Viseu Tel. 232 911 251

Agência Funerária Decorativa Viseense, Lda. Viseu Tel. 232 423 131


Jornal do Centro

clubedoleitor CARTA DA SEMANA

23

DEscreva-nos para:

09 | Julho | 2010

Jornal do Centro - Clube do Leitor, Bairro S. João da Carreira, Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lt 10, r/c . 3500 -187 Viseu. Ou então use o email: redaccao@jornaldocentro.pt As cartas, fotos ou artigos remetidos a esta secção, incluindo as enviadas por e-mail, devem vir identificadas com o nome e contacto do autor. O semanário Jornal do Centro reserva-se o direito de seleccionar e eventualmente reduzir os originais. Não se devolvem os originais dos textos, nem fotos.

Vamos ter que pagar tudo Quando surgiu a ideia de transformar o IP5 numa auto-estrada sem custos para os utilizadores (SCUT) toda a gente concordou. Nem podia ser de outra forma. Sem nenhum custo, as viagens passariam a ser mais rápidas e mais seguras. Penso contudo que teria sido preferível construir uma autoestrada de raiz em vez de se duplicar o traçado do IP5, o que permitiria não só criar uma alternativa mas também uma complementaridade, tanto maior quanto mais divergentes fossem os respectivos traçados. Neste contexto, faria todo o sentido cobrar portagens na auto-estrada havendo como alternativa o IP5. A opção por circular numa ou nou-

tra via seria dada a cada utilizador. Pela minha parte, os 10 minutos que poupo no percurso que faço entre Albergariaa-Velha e Viseu não compensam o custo extra da portagem, que ainda não foi conhecido, mas que admito possa vir a ser superior a três euros. Continuaria, pois, a utilizar o IP5. Mas, como sabemos, não foi essa a solução encontrada. Grosso modo, construiu-se uma auto-estrada por cima do traçado do IP5, pelo que este deixou de existir para dar lugar A25. Sem alternativa para os utentes, as portagens foram, logo à partida, consensualmente excluídas. A que acresce ainda o facto de os critérios economicamente de-

finidos pelo Governo para introduzir portagens nas SCUT, em termos de Produto Interno Bruto per-capita regional e de índice de poder de compra concelhio, não são satisfeitos hoje nem são susceptíveis de o serem nas próximas décadas. Mas ainda que o fossem, não seria legítimo cobrar portagem numa situação em que se destruiu a alternativa. Era ponto assente. Podíamos dormir descansados. Agora, apresentaram-nos a conta. Vamos ter de pagar tudo. O IVA aumentou 1 por cento, para pagar a dívida de construção do IP5. O IRS aumentou 1 ou 1,5 por cento, para pagar o desmantelamento do IP5 e a demolição

GENTE DA NOSSA TERRA > NELSON BATISTA, 67 ANOS, ERMITÃO

Abel Estefânio Economista (Artigo enviado através do site www.jornaldocentro.pt)

CANTINHODOANIMAL | ADOPÇÕES

Nelson Batista mudou-se de armas e bagagens para o monte da Senhora do Castelo. Ali vive com a família, explora uma casa de petiscos e bar e zela pela ermida de Nossa Senhora do Castelo. Por isso é o ermitão. Uma parte da vida passou-a em Viseu, onde teve várias ocupações em empresas. Na actual concessionária automóvel Gavis (cujo nome ajudou a registar) passou 15 anos a trabalhar. Passou-se depois para a Guarda, onde explorou um estabelecimento comercial. Numa visita à Senhora do Castelo, Nelson Batista deparou com o edifício onde reside actualmente com a mulher e filhos. Trata-se de uma antiga casa - a residência do ermitão - que estava a ser restaurada pela Santa Casa de Misericórdia de Mangualde. É um edifício datado de 1365 e aumentado em 1868, onde abriu também um bar e casa de petiscos. Em redor da casa, Nelson e a esposa começaram a tratar de plantar árvores e até uma pequena horta. O largo fronteiro à igreja está diferente e agradável depois da actividade do ermitão Nelson Batista, o zelador da ermida que anualmente recebe a romaria mais conhecida de Mangualde.

José Lorena

de dezenas de viadutos, que deviam ter durado 100 anos. Agora, vão ser colocadas portagens eléctricas para pagar a construção da A25. Ora, se ainda temos tudo isto para pagar, pergunto: para onde foram os milhares que o Estado recebeu da Comunidade Europeia? Para onde foram as receitas das privatizações e da venda do património do Estado? Para onde foram os impostos que pagámos até aqui? Mas há ainda uma questão que me está a tirar o sono: Que outras contas vão ainda aparecer para pagar?

CANTINHO DOS ANIMAIS ABANDONADOS DE VISEU • RIO DE LOBA • 232 449 934

A Bolinhas é uma fêmea com cerca de 1 ano. Está desparasitada e foi recentemente esterilizada. É de raça pequena e tem pêlo comprido. Por ser muito meiga e educada, é ideal para viver num apartamento.

FOTO DENÚNCIA Esta placa está seguramente mal colocada. Devia ser fixada na entrada anterior que dá acesso à A25 para Vilar Formoso, mas também ao IP3, pelo troço da A24. Se obedecermos à placa [na foto] vamos conseguir ter acesso ao IP3, mas é necessário fazer o troço do IP5 até ao cruzamento de Tondela, depois entrar na A25 em direcção a Vilar Formoso e sair no nó de Faíl. Já me aconteceu! Ou estarei errado? Leitor identificado Esta rúbrica está aberta à participação dos leitores. Submeta a sua denúncia para redaccao@jornaldocentro.pt

Estas duas cadelinhas podengas são irmãs e têm cerca de 3 meses. São de raça pequena, estão desparasitadas, vacinadas e vão ser esterilizadas aos 7 meses.

Este macho é raçado de perdigueiro e tem cerca de 3 meses. Entrou esta semana no cantinho e está já desparasitado. É de médio porte e muito brincalhão.


tempo: sol

JORNAL DO CENTRO 09 | JULHO | 2010

Hoje, dia 9 de Julho, sol de tarde. Temperatura máxima de 28ºC e mínima de 18ºC. Amanhã, dia 10 de Julho, sol. Temperatura máxima de 27ºC e mínima de 18ºC. Domingo, dia 11 de Julho, pouco nublado. Temperatura máxima de 26ºC e mínima de 18ºC. Segunda, dia 12 de Julho, sol. Temperatura máxima de 25ºC e mínima de 18ºC.

Impresso em papel que incorpora 30 por cento de fibra reciclada, com tinta ecológica de base vegetal

Olho de Gato

agenda

Tom de Festa celebra 20 edições

Sexta, 09 Viseu

∑ Congresso Distrital das Testemunhas de Jeová “Continue achegado a Jeová”, a partir de hoje e até domingo, no pavilhão Multiusos.

Padeira de Aljubarrota Joaquim Alexandre Rodrigues joaquim.alexandre.rodrigues@netvisao.pt

1. No caso PT/Telefónica todos os políticos fizeram de “padeira de Aljubarrota”, de Portas a Louçã, passando por Cavaco. Até o “liberal” Passos Coelho tartamudeou um “nim” a medo. Mas afaste-se a espuma política e olhese para o assunto. Zeinal Bava não se c a n sou de d i z er : o mercado brasi lei ro representa 72% dos clientes da PT, 45% da s sua s receita s e 40% dos lucros. Ora, como explica o blogue The Portuguese Economy, esses números querem d i zer du a s coisas: i) são os clientes domésticos da PT (28%) que geram 55% das receitas e 60% dos lucros da empresa; ii) são, portanto, os clientes portugueses que estão a financiar a expansão da PT no Brasil. Para os clientes da PT não era mau que os espanhóis levassem a Vivo. Podiam levar até o sr. Ru i Ped ro Soares de brinde. É o filme do costume: o estado exerce o seu direito de pernada na PT. Isso dá prazer aos boys. Mas só a eles.

Tondela

Viseu

∑ 4ª edição das 24 Horas de Viseu em BTT, com início às 12h00, no Fontelo. A prova, com um perímetro de nove quilómetros, tem a meta na Avenida Fuschini. Estão previstos 400 atletas. S. Pedro do Sul

∑ Mercado da Agricultura Tradicional, entre as 9h00 e as 13h00, no Largo da Cerca.

Domingo, 11 Nelas

∑ Festa de Verão da concelhia de Nelas do PS, às 12h30, na Quinta da Picota, Vale de Madeiros (Canas de Senhorim). Viseu

∑ Comemoração do “Dia dos Viriatos” e 59 anos que foi inaugurado o actual Quartel do Regimento de Infantaria nº 14, de Viseu. As cerimónias começam às 10h30 com uma missa e terminam com um almoço convívio.

Fernando Alvim no Festival, depois de ter passado pela ACERT em Março: “É pá eu gostava muito de cá vir nesse dia!”

Data ∑ Festival da ACERT, de 14 a 17 de Julho, em Tondela “A principal novidade do Tom de Festa é, ao fim de 20 anos, continuar a vitalidade que esta edição demonstra. É o ser capaz de continuar a demonstrar que a aposta da ACERT num projecto de intervenção cultural de raiz comunitária, continua a fazer sentido. É continuar a mobilizar a comunidade para, colectivamente, construirmos uma iniciativa com estas características”. A resposta é do director de programação da ACERT, Miguel Torres, à pergunta: Quais são as novidades do festival, para este ano? O festival Tom de Festa da Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT), considerado dos maiores projectos de intervenção cultural da região e do país, decorre de 14 a 17 deste mês com “um programa rico sobretudo pela diversidade de actividades que propõe” e comemora 20 anos. A par dos espectáculos

(ver caixa), destacam-se os “Contadores de Histórias”, exposições, ateliers e uma mostra de filmes a concurso do Vistacurta, em parceria com o Cine Clube de Viseu. Durante o festival vai ainda funcionar o espaço de restauração “Tom ao Gosto”. Comumorçamentoreduzido em 20 por cento, “fru-

to dos ajustes orçamentais sofridos”, o Tom de Festa conta com parcerias de instituições e empresas, mas tem a Câmara de Tondela como “parceiro privilegiado”. “A relação que temos é exemplar”, reforça Miguel Torres. Emília Amaral. emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Programa/destaques

∑ Banda de jovens de Tondela, New Sketch vai gravar concerto em DVD, dia 14, 22h00, Auditório Ara livre. ∑ Fernando Alvim, dia 15, 23h30, Palco Jardim. ∑ Desbundixie com viagem da música, pelas ruas de Tondela, dia 15, 19h00. ∑ Revelação da Guiné Bissau, Kimi Djabaté, dia 16, 22h00, Auditório Ar Livre. ∑ Banda Afro/inglesa/cubana, Ska Cubano, 16 de Julho, às 23h30, Auditório Ar Livre. ∑ Freddy Locks, dia 16, 00h30, Palco Jardim. ∑ Companhia Pipototal, apresenta “Deambuloscopia”, dia 17, 21h00, ruas de Tondela. ∑ Música instrumental com Proyeto Entrecuerdas de Espanha, dia 17, 22h30, Auditório Ar livre. ∑ Espectáculo de encerramento “EGFA, o Exército Guerrilheiro das Forças Armadas”, com Festicultores Trupe, dia 17, 23h30, Palco Jardim.

2. Segundo os jornais, o PS e o PSD and a m a con gem i n a r uma política de “discriminação positiva” para as SCUT. Uma “discriminação positiva” que, evidentemente, depois há-de ser anulada no PEC de 2 013 ou de 2 01 4 . Para já, entretém as tropas. Depois de terem andado a dormir e terem deixado passar os “chispes das matrículas” e os pórticos de portagens electrónicas, os políticos locais engoliram também este anzol. Até já fazem conferências de imprensa a dizer que “a minha ‘discriminação positiva’ é melhor que a tua”. Ora tudo isto é um engodo e - muito pior – é um insulto. Nós não somos índios nem devemos deixar que nos tratem como tal. O que pagar um minhoto, ou um alentejano, ou um espanhol deve ser o que nós pagamos. Para começo de conversa, devia ser dito com firmeza ao governo: só aceitamos portagens na A25 quando nos devolverem o IP5, a excelente alternativa que a A25 nos tirou.

As célebres Cortes de Lamego recriadas 869 anos depois A auto-proclamação de D. Afonso Henriques Rei de Portugal abriu caminho à realização das secretas Cortes de Lamego, em 1141. Passaram 869 anos e, este ano, a Câmara Municipal de Lamego, com o apoio da Entidade Regional Turismo do Douro, decidiu recriar aquele momento da história de Portugal, com a

realização da “grande festa das Cortes de Lamego”, este sábado e domingo. “A magia da recriação histórica dos dias agitados do então frágil condado de Portugal e da sigilosa reunião da Igreja de Santa Maria de Almacave é agora vivida ao pormenor no bairro típico do Castelo, lugar onde existiu o castro que

deu origem à cidade”, lê-se num comunicado da organização do evento. Durante dois dias, em Lamego vão poder apreciar-se, sobretudo perto da Cisterna, cavaleiros, mendigos, damas, almocreves e saltimbancos, para animar a cidades e os visitantes e reviver o tempo de D. Afonso Henriques. EA

Arquivo JC

Sábado, 10

A

DR

∑ Palestra sobre o tema “QREN: Ainda Vamos a Tempo?”, organizada pela PSD de Tondela, com a participação do deputado Pedro Saraiva, às 21h30, no Auditório Municipal.

http://twitter.com/olhodegato


Jornal do Centro - Ed434