Page 1

Publicidade

Distribuído com o Expresso. Venda interdita.

UM JORNAL COMPLETO pág. 02 pág. 06 pág. 08 pág. 09 pág. 14 pág. 15 pág. 16 pág. 18 pág. 20 pág. 21 pág. 22 pág. 23

DIRECTOR

Pedro Costa

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > À CONVERSA > REGIÃO > NEGÓCIOS > DESPORTO > CULTURAS > SAÚDE > RESTAURANTES > CLASSIFICADOS > NECROLOGIA > CLUBE DO LEITOR

Semanário 02 de Julho de 2010 Sexta-feira Ano 9 N.º 433

1,00 Euro (IVA 5% incluído)

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

|Telefone:232437461·Fax:232431225·BairroS.JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

Processo das SCUT gera mal-estar no distrito

Pais, filhos e avós juntos contra fecho das escolas | página 9

Nuno Ferreira

∑ Proposta do Governo de isentar utentes de seis concelhos atravessados pelas A25 e A24 indigna S. Pedro do Sul | página 6

À conversa “Começa a ser altura de Canas ter o seu lugar na câmara [de Nelas] por direito” Luís Pinheiro, presidente da Junta de Freguesia de Canas de Senhorim

página 8

Penalva do Castelo ETAR desligada faz esgotos correrem directos para o Dão

Publicidade

Nuno Ferreira

página 10

Digressão Adriana Calcanhoto ao vivo no Adro da Sé de Viseu página 17


2

Jornal do Centro 02 | Julho | 2010

praçapública palavras

deles

r Fechar uma escola é fechar uma aldeia. O Governo não sabe onde fica Calde”

r Há 15 dias que uma empresa [de Mortágua] procura nove empregados e não os consegue recrutar. É porque, porque... e por outras coisas mais que a gente não entende”

Herculano Gonçalves Presidente da Junta de Freguesia de Calde, Viseu (Reunião da Assembleia Municipal de Viseu, 28 de Junho)

algum ouvi o Governo a dizer que vai colocar em dia os pagamentos atrasados às empresas. Onde está a palavra de ordem pagar, pagar?”

Afonso Abrantes

José Coelho

Almeida Henriques

Presidente da Associação das Cavalhadas de Vildemoinhos (Rádio Noar, 25 de Junho)

Deputado por Viseu (Diário As Beiras, 26 de Junho)

Deputado do PS aspinto@ps.parlamento.pt

de Junho de 2010: “Ou pagam todos ou não paga nenhum”. Isto é, o PSD quer portagens em todas as SCUTs. 5. José Luís Arnault (lembram-se dele?) disse a 22 de Junho, na SIC, que todas as SCUTs devem ter portagens. 5. O Primeiro-Ministro referiu a este propósito que não concorda com a posição do PSD, mas admite dialogar desde que haja discriminação positiva para os residentes e empresas. 7. Eu, continuo a defender que as SCUTs devem servir para combater assimetrias, não penalizando, pelo seu uso, pessoas e empresas do interior. Conclusões: Cada eleitor saberá tirar as suas!

r Em momento

Presidente da Câmara Municipal de Mortágua (Rádio Noar, 30 de Junho)

Acácio Pinto

Continuo a defender que as SCUTs devem servir para combater assimetrias”

Centro] gosta mais de apoiar os carnavais e infelizmente as Cavalhadas [de Vildemoinhos] não receberam apoio nenhum, o que é uma pena”

Bilhete Postal

Factos sobre as portagens nas SCUTs 1. António Mexia, Ministro do Governo PSD/CDS, defendeu em Janeiro de 2005 a cobrança de portagens nas SCUTs através de pórticos e de identificadores colocados nos veículos. 2. O PS disse ontem e diz hoje que deve haver uma discriminação positiva nos municípios com índices socioeconómicos inferiores à média nacional. 3. O deputado Almeida Henriques, do PSD, disse a 16 de Junho de 2010: “O mínimo que se espera é que [socialistas] cerrem fileiras connosco na luta contra as portagens na A25 e A24.” 4. Pedro Passos Coelho disse através de Miguel Relvas, Secretário-Geral PSD, no dia 22

r [O Turismo do

O logro do costume

João Carlos Figueiredo Deputado do PSD joao.figueiredo@psd.parlamento.pt

A utilização de auto-estradas sem custos para o utilizador (SCUTS) é o exemplo vivo de forma como os governantes socialistas tratam com ligeireza assuntos da máxima importância para o futuro do país. Há 13 anos, o Eng.º Cravinho criou as SCUT’S ao mesmo tempo que prometia solenemente que a sua utilização seria de borla. Aqui começava um logro. É logro porque deu-se a aparência de gratuidade quando custa aos cofres do Estado cerca de 700 milhões /ano. É logro porque, face às novas acessibilidades, as estradas secundárias foram deixadas ao

abandono e sem o mínimo de manutenção. É, igualmente, logro porque muitas populações e entidades programaram a sua vida/ actividade em função de promessas irrealistas e irresponsáveis reafirmadas, na última campanha eleitoral para as legislativas, por José Sócrates. As SCUTS constituem o melhor exemplo – pelas piores razões! – daquilo que se separa o PS do PSD. Enquanto os socialistas pautam a sua governação pelo laxismo, “fuga em frente” e decisões que hipotecam as gerações futuras, ao PSD cabem sempre a tarefa seguinte: liquidar as contas. É o costume!

Muitas populações e entidades programaram a sua vida/ actividade em função de promessas irrealistas e irresponsáveis”

Opinião

Os PIN. Projectos de Interesse Nacional?

Alexandre Azevedo Pinto Economista alexazevedopinto@sapo.pt

Ao longo dos últimos anos o Estado e o Orçamento de Estado, principal instrumento de política à disposição dos governos, têm sido usados como a “vaca sagrada” do financiamento de projectos privados de grande envergadura e tem gerado mais-valias muito significativas sobretudo aos designados Grupos Económicos do Regime. As Parcerias Público Privadas (PPP) são disso um bom exemplo, a propósito da recente polémica sobre as portagens das SCUTS, como também o são os designados PIN - Projectos de Interesse Nacional, criados durante o ano de 2005. Quer as PPP quer os PIN são hoje grandes

responsáveis pelo enorme desastre das nossas contas públicas, sobretudo pela enorme perda de receita fiscal que fizeram gerar aos cofres do Estado. Os PIN, em particular, foram criados numa perspectiva altruísta do “interesse público”. A prática mostrou que cerca de um terço dos projectos se instalou em áreas protegidas, quer da Rede Natura, quer da Reserva Ecológica Nacional. Vários implicaram a suspensão do PDM para alteração do uso do solo (um deles situado em Viseu), outros tantos integraram a Reserva Agrícola Nacional. Feitas as contas os projectos aprovados para um terreno

em Rede Natura faz disparar o preço do metro quadrado do terreno de 20 cêntimos para 2000 euros. A especulação fundiária é gigantesca. A simples permissão da passagem de um terreno de reserva ecológica ou agrícola nacional para urbanizável multiplica por 20.000% o valor desse terreno. A título de exemplo na Península de Tróia um hectare de pinhal que antes valia 2500 euros passa a valer 5 milhões de euros com um alvará de loteamento. A prática mostrou afinal que em nome do interesse público se desenvolveram esquemas privadas de financiamento de grandes negócios tendo estes sido altamen-

te lesivos do bem-estar colectivo. Os PIN, tal como as PPP, têm servido para favorecer a actuação de grandes Grupos Económicos que vivem na sombra do Governo e dos dinheiros públicos, procurando estes obter um ambiente de protecção e de favorecimento para o desenvolvimento da sua actividade, melhorando o seu nível de bem-estar, mas prejudicando de forma significativa o bem-estar colectivo, quer no quadro de redução e fuga a impostos, quer na obtenção de subsídios, disposições regulamentares e outros instrumentos políticos que são usados para elevar o bem-estar de um Grupo.


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 3

Jornal do Centro 02 | Julho | 2010

números

24 mil

O Teatro Ribeiro da Conceição, em Lamego recebeu 24. 196 pessoas entre Janeiro e Maio deste ano. Um número que ultrapassou as expectativas e que se justifica com a qualidade da programa daquela sala de espectáculos da responsabilidade da autarquia.

Importa-se de responder?

estrelas António Carlos Figueiredo Presidente da Câmara Municipal de S. Pedro do Sull

Rugby Clube de Viseu

Carlos Esteves Presidente da Câmara Municipal de Penedono

A Feira Medieval de Penedono podia ser igual a muitas outras que se vão encenando de Norte a Sul do país. Mas a autarquia tem a capacidade de inovar a cada edição. Este ano, os visitantes podem apreciar uma réplica de uma torre de assalto medieval da Idade Média, já este fimde-semana.

A ironia do presidente da Câmara Municipal de S. Pedro do Sul, António Carlos Figueiredo, ao afirmar que vai portajar as estradas municipais, torna evidente a trapalhada em que se está a tornar o processo das portagens nas SCUT. Se portagens já é uma coisa do passado, a discriminação positiva mais parece um processo da idade média.

O Rugby Clube Viseu sagrou-se Campeão Nacional de Equipas Emergentes. O título foi conqu i st ado, n a ú lt i m a jor n ad a , em Coimbra, frente à equipa de Abrantes. É a cereja em cima do bolo, de um trabalho que cresceu a olhos vistos durante a época que agora termina.

Está a pensar ir de férias este Verão? Embora em alguns locais, em Portugal, seja mais caro passar férias do que no estrangeiro, este ano optei por ficar por cá. Por causa da crise esta é uma opção que eu, e a grande maioria das pessoas, considera cada vez mais, na hora de decidir o local de férias.

Não, porque não tenho condições económicas para o fazer. Não há dinheiro para esses gastos e acho que, este ano, a maioria das pessoas não vai de férias.

António Marques

António Almeida

Reformado

Desempregado

Sim, vou de férias para Espanha. A crise e a contenção de gastos não me fazem diferença. Acho que as pessoas têm de se organizar, planear e reduzir as despesas em outras coisas menos importantes. Foi isso que fiz.

Quando os meus filhos eram pequenos ia de férias todos os anos. Agora já não costumo ir. Este ano, por exemplo, devido à crise, não vou sair de Viseu.

Ann Mutanga Estudante

Lúcia Cardoso Engomadora

F editorial

José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

Os “camelos” da bossa A Bossa do Camelo foi o nome dado há pouco mais de três anos a uma curva perigosissima na nova A25, na zona de Fragosela, concelho de Viseu. O seu ângulo é tão apertado (para uma auto-estrada) que houve necessidade de impôr a redução da velocidade máxima no local para os 80 quilómetros por hora, em vez dos normais 120. Existe mesmo um radar, bem visível e previamente assinalado, cuja instalação terá por objectivo que os condutores tenham cuidado para evitar possíveis acidentes. E não só. Quem ultrapassar os 80 quilómetros por hora é assinalado e depois fotografado e multado. Mas as coisas assim explicadas até parecem um conto cor-de-rosa. Pergunta-se: Por-

que é que numa auto-estrada (das que agora estão no rol de ter portagens electrónicas ou outro sistema qualquer que surja da constelação mental e super-inteligente de quem manda), em que a velocidade máxima ultrapassa os 120 quilómetros por hora, se faz uma curva assim? Muitos, os que conhecem os meandros do poder, perceberam logo que se tratou de uma questão de influências baseadas na economia, quer tenha sido de custos (para a criação da nova auto-estrada entre Aveiro e Vilar Formoso) ou de outros e eventuais interesses de residentes por onde passa a nova via. Agora, o processo parece repetir-se. Quem manda - os partidos políticos do po-

der - apressa-se a arranjar soluções para cobrar portagens nas ironicamente chamadas “SCUT” (um sistema hipocritamente chamado de Sem Custos para o Utilizador), também há anos houve pressa para criar uma auto-estrada que substituísse o IP5, a estrada da morte. Quem, por distracção ou outra razão qualquer, ultrapassa os 80 quilómetros por hora na Bossa do Camelo paga a multa obrigatória. São milhões de euros por ano que o Estado arrecada com isso. E vai arrecadar mais ainda com as novas portagens à custa de “camelos”, que não protestam pela Bossa e deixam quem manda “brincar” e “inventar” formas de ultrapassar a crise económica.


4 PRAÇA PÚBLICA | OPINIÃO

Jornal do Centro 12 | Fevereiro | 2010

Opinião Director Pedro Costa C.P. n.º 1464 pedro.costa@jornaldocentro.pt

Para que servem os auscultadores dos jogadores?

Redacção (redaccao@jornaldocentro.pt) Emília Amaral, C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Gil Peres, C.P. n.º 7571 gil.peres@jornaldocentro.pt

José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Vanina Dias (estagiária)

Departamento Comercial comercial@jornaldocentro.pt

Directora: Catarina Fonte catarina.fonte@jornaldocentro.pt

Ana Paula Duarte

José Costa Professor Coordenador ESSV/IPV Médico Dentista jcosta@essv.ipv.pt

ana.duarte@jornaldocentro.pt

Departamento Gráfico Marcos Rebelo marcos.rebelo@jornaldocentro.pt

Projecto Gráfico defrank - Comunicação Editorial defrank@netcabo.pt

Serviços Administrativos Sabina Figueiredo sabina.figueiredo@jornaldocentro.pt

Impressão GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Distribuição Vasp

é preciso que os futebolistas estejam atentos ao que os rodeia e auscultem o que lhes dizem”

Tiragem média 6.000 exemplares por edição

Sede e Redacção Bairro de S. João da Carreira Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lote 10 r/c 3500-187 Viseu Telefone 232 437 461 Fax 232 431 225

O mundial de futebol que decorre na África do Sul, desporto que mobiliza multidões, é uma mostra da nata futebolística internacional. Oportunidade única para muitos dos nossos bons jogadores se poderem exibir, usufruindo daquele palco para granjear novos fãs e reforçar a sua imagem de marca como futebolista. Para isso é preciso que os futebolistas estejam atentos ao que os rodeia e auscultem o que lhes dizem. Trabalhar, e muito, é a primeira premissa para o sucesso. Trabalhar, e muito, é a segunda premissa para o sucesso. Trabalhar, e muito, é terceira premissa para o sucesso. É pois, para mim, com base nesta tríade que se pode conseguir o êxito: trabalhar, trabalhar, trabalhar. Tudo o que vá para além disto será um puro artefacto ornamental! Ou talvez não! Observei que muitos dos nossos futebolistas eram portadores de auscultadores, um instrumento de trabalho complementar ao seu equipa-

mento nacional, e questionei-me sobre isso. Pensei, para que servem os auscultadores? Coloquei duas hipóteses. Ser um meio de comunicação entre a equipa ou ser apenas um ornamento extra do equipamento nacional. Em minha opinião, brilho ornamental não dá nenhum ao equipamento das quinas, pelo contrário. Ser usado como meio facilitador da comunicação deixa-me algumas dúvidas. Isto porque o resultado final, mau de mais para o 3º país do ranking da FIFA, assim o demonstra. Houve futebolistas que não estiveram sintonizados na mesma música. Falaram mais do que jogaram. Ambicionaram mais do que trabalharam. Aparentaram mais do que trabalharam. Ou então, pode ter acontecido, os auscultadores não seriam de boa qualidade e ter havido dificuldade na comunicação. Pode ser verdade. Mas não terá sido por falta de dinheiro para adquirir outro melhor. Uma se-

lecção que fez um sacrifício tão grande para suportar uma diária por atleta tão dispendiosa, com o dinheiro de um país em situação financeira asfixiante, como aconteceu com a nossa, também fazia mais um sacrifício e facilmente adquiria um bom ornamento comunicacional. Ou será que fomos interceptados nas mensagens e decifraram a nossa táctica? Como aprendemos com os erros, para a próxima, a minha sugestão é que os auscultadores não façam parte do equipamento português e o predomínio seja o emblema das quinas e as cores nacionais. Se isto acontecer iremos, com certeza, contribuir para a diminuição de perturbações auditivas nos nossos atletas, impediremos que nos detectem a táctica, os atletas estarão mais concentrados e sem a preocupação com o ornamento. Mostraremos, assim, mais preocupação com Portugal colectivo em detrimento do postal individual nacional.

século XX, os markteers levaram ao limite a redução dos preços. Em alguns produtos ou serviços valeria a pena a oferta dos mesmos se se conseguisse alterar o modelo de negócio e as receitas adviessem de serviços exteriores ao negócio principal. Existem quatro modelos de negócio GRÁTIS. O primeiro modelo é conhecido como o de venda cruzada directa, em que um produtor oferece um produto ao consumidor, ao mesmo tempo que cobra por outro – “compre um leve outro grátis”; o segundo modelo é conhecido pelo modelo das três partes, em que o produtor disponibiliza conteúdos grátis ao consumidor e recebe apenas dos anunciantes o pagamento de espaço publicitário e os anunciantes mostram produtos ou serviços que o consumidor irá pagar. Este modelo foi potenciado pela Web e nos meios de comunicação social – os jornais gra-

tuitos são um exemplo; o terceiro modelo é conhecido como “Freemium”. Neste modelo o produtor vende a alguns consumidores um produto “Premium”, mas ao mesmo tempo, disponibiliza uma versão grátis a muitos outros consumidores – os softwares são exemplo deste tipo de negócio; o quarto modelo encontra-se nos mercados não monetários – neste os artigos são grátis e a única coisa que se recebe é atenção, satisfação e reputação. São exemplo deste modelo de negócio, as economias de oferta, a troca de trabalho (desde o voluntariado até aos testadores de software) e a pirataria, em que se disponibilizam conteúdos digitais recebendo dos anunciantes. Este mundo do grátis ainda está no início. Principalmente nos conteúdos digitalizáveis, a evolução do mercado será para a passagem dos modelos de negócio tradicionais para os modelos “freemium”.

Jornal do Centro omitiu o curso de Serviço Social na oferta de cursos do Centro Regional das

Beiras da Universidade Católica Portuguesa. Aos leitores e aos visados as nossas desculpas.

E-mail redaccao@jornaldocentro.pt

Internet

Clareza no pensamento (http://clarezanopensamento.blogspot.com)

www.jornaldocentro.pt

Propriedade O Centro–Produção e Edição de Conteúdos, Lda. Contribuinte Nº 505 994 666 Capital Social 114.500 Euros Detentores de mais de 10 por cento do Capital: Sojormedia SGPS, SA Depósito Legal Nº 44 731 - 91 Título registado no ICS sob o nº 100 512

O mundo do grátis

Gerência Francisco Rebelo dos Santos, Ângela Gil e Pedro Costa

José Bastos Departamento Financeiro Ângela Gil (Direcção), Catarina Branquinho, Celeste Pereira, Gabriela Alves, João Machado Patrícia Santos info@lenacomunicacao.pt

Docente na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu

Departamento de Marketing Patrícia Duarte (Direcção), Susana Santos (Coordenação), Catarina Fonseca e Catarina Silva marketing@lenacomunicacao.pt

Departamento de Recursos Humanos Nuno Silva (Direcção) e Sónia Vieira drh@lenacomunicacao.pt

Departamento de Sistemas de Informação Tiago Fidalgo (Direcção) e Hugo Monteiro dsi@lenacomunicacao.pt

Unidade de Projectos Lúcia Silva (Direcção) e Joana Baptista (Coordenação) projectos@lenacomunicacao.pt Os artigos de opinião publicados no Jornal do Centro são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. • O Jornal reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos enviados para a secção “Cartas ao Director”.

Semanário Sai às sextas-feiras Membro de: Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem

Associação Portuguesa de Imprensa União Portuguesa da Imprensa Regional

Este mundo do grátis ainda está no início”

Uma das formas de promoção e divulgação dos produtos e serviços junto do consumidor é a prestação do serviço ou a oferta do produto sem que o consumidor tenha de despender qualquer montante. É o mercado do GRÁTIS. Esta técnica de conquista de consumidores por parte das empresas não tem nada de inovador ou sequer é estranha no mundo dos negócios e nas técnicas de marketing. A sua utilização tem, no entanto, de ser criteriosamente formulada. O consumidor pode rejeitar uma marca por associá-la a uma inferior qualidade ou segurança. Por outro lado, nem todos os serviços ou produtos se adaptam a este tipo de forma de divulgação ou “comercialização”. Muitas abordagens agressivas de preços foram seguidas durante o século XX. Com a dificuldade de escoar, o excesso de oferta em relação à procura desde o final do

Errata Por lapso, no Directório do Ensino Superior 2010 editado na edição número 432 de 25 de Junho, o


Jornal do Centro

6

02 | Julho | 2010

abertura

texto ∑ José Lorena

O conceito e as opiniões

SCUT’S de Viseu pagas em 2011 As chamadas auto-estradas Sem Custo para o Utilizador (SCUT) vão finalmente começar a ser pagas em Portugal. São sete em todo o país, duas delas a atravessar o distrito de Viseu - a A25, na rota do que foi o IP5, entre Vilar Formoso e Aveiro, e a A24, a via que deveria unir Chaves e Figueira da Foz, mas que apenas possui um pequeno troço entre Coimbra e aquela cidade litoral e “uma das maiores obras realizadas em Portugal”, como se referiu um dia o actual Presidente da República, Cavaco Silva, ao lanço entre Viseu e Chaves. A previsão do actual Governo atira para o início de 2011 o pagamento de portagens nas “SCUT” que atravessam Viseu. Mas a história deve ser contada. As auto-estradas SCUT nasceram, como conceito, e mesmo fisicamente, no governo socialista de António Guterres, sendo então ministro das Obras Públicas João Cravinho. Tudo foi feito com muito cuidado. Os concessionários passaram a ser pagos pelo Orçamento de Estado em função do tráfego, através de portagens virtuais. Desde sempre as “SCUT” estiveram envolvidas em polémica. A fractura de opiniões era só uma: quem deve pagar a autoestrada? O seu utilizador ou o contribuinte? Entretanto, todos os anos a factura das “SCUT” foi aumentando. A questão nunca deixou de estar no plano político. Os governos, quer socialistas, quer social-democratas, nunca chegaram a um consenso viável na Assembleia da República para um sistema de cobrança de portagens nas “SCUT”. Eram ameaças sucessivas, com os partidos a defenderem os seus interesses eleitoralistas, reduzindo o timbre das promessas iniciais. Só que, com o advento da crise económica, a União Europeia exigiu medidas aos países da periferia do Velho Continente para recuperarem da crise. Em Portugal surgiu, para isso, o Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC). Ora, a introdução de portagens nas “SCUT” não é mais do que uma das alíneas do PEC. Com esta medida, o Governo pretende arrecadar mais de 100 milhões de euros por ano. O lançamento das portagens nas auto-estradas “SCUT” não tem corrido como o Governo de Sócrates tem desejado. As três do Norte do País deveriam ter começado a ser pagas ontem, dia 1 de Julho. Mas só o deverão ser a partir de 1 de Agosto, se houver entendimento entre o PSD e o PS.

O PSD está a usar chantagem e hipocrisia intolerável. O presidente da Assembleia Municipal de Viseu exige uma coisa cá [isenção para empresas e moradores] e , como vice-presidente José Junqueiro da bancada social-democrata na Assembleia Presidente da Federação da República exige outra”. Distrital de Viseu do PS

Não é ainda exacto o sistema que vai ser adoptado para as portagens nas “SCUT” portuguesas. O que se sabe é que quer ser evitado o sistema de portagens físicas, com portageiros em pequenos gabinetes, como funciona nas auto-estradas convencionais. Assim, desde os chips a colocar nos automóveis, até à fotografia do carro sem chip para envio posterior da conta para casa, as alternativas ainda não estão decididas. O que se sabe também é que se quer evitar que os residentes em concelhos directamente próximos das “SCUT”, e também as empresas, não paguem a sua utilização próxima. O cálculo é feito a partir do rendimento de cada região. Mas surge também a polémica com os concelhos não “tocados” por “SCUT” e que não estão incluídos na proposta de isenção. No distrito de Viseu, o autarca de S. Pedro do Sul - cujo concelho não “toca” nem na A24 nem na A25, mas está próximo - já ameaçou, por isso, portajar as estradas municipais...

Se o Governo quer desviar os utilizadores das autoestradas para as estradas municipais, também nós pomos uma portagens nessas vias para pagar a sua manutenção”. “É absurdo! É uma brincadeira S. Pedro do Sul pagar portaAntónio Figueiredo gens. O PSD e o PS estão a brincar ao gato e ao rato”. Presidente da C. M. de S.Pedro do Sul

Os recentes desenvolvimentos na Assembleia da República e a vontade que o Governo tem de promover um diálogo político fizeram com que adiássemos por 30 dias a medida de cobrar portagens [nas primeiras três Paulo Campos “SCUT” do Norte do País]”. Secretário de Estado das Obras Públicas

Parece mal a proposta de isenção apenas dos concelhos que estão mais próximos das “SCUT”. É uma ideia estranha e não acho que seja esse o caminho que se deve seguir neste processo”. Francisco Lopes Presidente da Câmara Municipal de Lamego

A minha posição é clara em Viseu e em Lisboa, ou seja, penso que é importante o princípio da universalidade do utilizador-pagador. Quem é incoerente é José Junqueiro por ter andado a Almeida Henriques dizer durante duas campanhas eleitorais que Presidente da Assembleia não haveria portagens e agora dá o dito pelo Municipal de Viseu não dito”.

Luís Vasconcelos Presidente da Câmara de

Oliveira de Frades O sistema de chip é uma embrulhada de todo o tamanho. Mas já não me admirou com esta confusão. Quando vemos um Governo a cortar na saúde e na educação penso que tudo é possível”.


8 Entrevista ∑ António Figueiredo Edição ∑ Emília Amaral Fotografia ∑ Nuno Ferreira

Jornal do Centro

à conversa

Luís Pinheiro é a cara e a voz do Movimento de Restauração do Concelho de Canas de Senhorim. Militante do PSD, foi vereador na Câmara Municipal de Nelas. Hoje, é presidente da Junta de Freguesia de Canas, eleito numa lista de cidadãos, apoiada pelo Movimento. Na quinta-feira, dia 1 de Julho passaram sete anos, desde o dia em que Assembleia da República aprovou o diploma da criação do concelho de Canas de Senhorim. O diploma não produziu efeitos porque, dias depois, o então Presidente da Republica, Jorge Sampaio, não aprovou a decisão da AR. Luís Pinheiro conversa sobre os novos tempos do Movimento.

“A única coisa de que me arrependo foi não ter feito uma grande manifestação depois do 3 de Julho”

O que é feito do Movimento de Restauração do Concelho de Canas de Senhorim?

Atravessa, como atravessou ao longo da sua história desde o 25 de Abril, mais um momento menos bom. Como movimento que é, tem flutuações porque depende sempre da vontade de terceiros, neste caso da Assembleia da República ou, quando muito, dos partidos políticos e da sua vontade de fazer, ou não, o movimento andar. Quando peguei no Movimento, em 98, havia vontade da parte do PSD de resolver o problema de Canas de Senhorim (elevar a concelho) e, também por isso, peguei no Movimento de alma e coração e tentei ao máximo fazer com que cumprisse o seu objectivo: tornar Canas concelho. Há uns 20 anos atrás, o Movimento também apoiou o dr. José Correia [antigo presidente da Câmara de Nelas] por perceber que, na altura, não tinha outra alternativa. Teria as portas abertas e a chama acesa, mas teria que ocupar um lugar na câmara. Um dos meus antecessores, o dr. Mota Veiga, foi vereador na Câmara [de Nelas], durante três mandatos. Na altura indicado pelo Movimento?

Indicado pelo Movimento. O próprio Movimento teve as suas flutuações políticas naturais.

02 | Julho | 2010

Semanalmente, “À Conversa” resulta de um trabalho conjunto do Jornal do Centro e da Rádio Noar. Pode ser ouvida na íntegra na Rádio Noar, esta sexta-feira, às 11hoo e às 19h00, e domingo, às 11h00. Versão integral em www.jornaldocentro.pt

A certa altura não se transformou numa luta pessoal entre José Correia e Luís Pinheiro?

Ele não gosta de perder, nem a feijões. Foi vergonhoso, mas fez-lhe bem.

De maneira nenhuma. Sempre disse que, para pegar no Movimento, ia lutar a sério pelo concelho e dizer a verdade às pessoas sem andar em jogadas políticas. Nessa altura houve um desaguisado grande entre mim e o dr. José Correia, mas foi um desaguisado político nunca foi, do meu ponto de vista, pessoal. Ele era contra tudo e contra todos que lhe batessem o pé, que lhe dissessem não, ou sequer que não lhe abanassem as orelhas como se costuma dizer.

Hoje, o Movimento e a Junta de Freguesia de Canas de Senhorim, da qual é presidente, confundem-se?

Dizia-se na altura que se de um lado não estivesse José Correia e do outro Luis Pinheiro, o processo podia ter ido por outros caminhos.

Claro. Hoje está outra pessoa na Câmara e eu tive outra postura. O problema não era meu. Viu-se a derrota humilhante que o dr. José Correia teve agora quando se apresentou a eleições, passos quatro anos. Percebeu o reaparecimento de José Correia?

Hoje sim. É benéfico?

Neste momento começo a pôr a questão se é ou não benéfico. Neste mandato, em 2009, a minha candidatura fez-se pelo Movimento, porque continuo a ser o líder do Movimento, embora esteja um pouco espartilhado na ala mais dura da luta mais afincada, que não quer perceber que é preciso, às vezes, recuar para se tomar balanço. Mas há divisões.

Como tudo, na altura quando havia luta também tinha muita gente contra, o fecho das urnas… são minorias que têm que ser respeitadas, mas o Movimento tem que saber avançar. A Junta tem trabalhado nos últimos quatro anos com a Câmara e fizemos muita obra em Canas imprescindível. É importante que se perceba que o que se passou em Julho de 2003 foi um desrespeito to-

tal da parte da Presidência da República na altura, o dr, Jorge Sampaio, por uma vontade inequívoca da Assembleia da República. Só o Partido Socialista é que votou contra na altura e votou a favor de Fátima. Aí eu culpo-me, foi um erro gravíssimo, não ter apertado com o Presidente da República, em Lisboa entre 3 de Julho e 31 de Julho. Voltou a falar com o Jorge Sampaio?

Voltei, mais uma vez. Ele arrependeu-se, pelo menos foi o que me disse. Disse que iam tentar resolver a situação. Estou à espera de resposta, até hoje. Não estava à espera desta facada do Presidente da República de então. Quando hoje já se fala na fusão de concelhos, como é que continua com essa ideia?

O problema da divisão administrativa tem 100 anos, vem do Mouzinho da Silveira e isto não pode continuar desta forma. Hoje há cidades que não são sede de concelhos, há concelhos completamente definhados, há vilas maiores que as sedes do conce-

lho, portanto, há que reajustar. Nós devemos continuar a reivindicar o concelho de Canas, porque ainda há pouco tempo o PSD queria meter o concelho de Sacavém. Acha que o actual Presidente da República promulgava uma eventual aprovação?

Nunca falei com ele sobre isto, mas se promulgou os casamentos gay... A próxima luta do Movimento de Canas de Senhorim pode ser exigir representatividade na vereação da Câmara de Nelas?

Na situação possível, o Movimento deve continuar a sua caminhada, mas penso que começa a fazer sentido que a Câ m a ra ten h a u m a representatividade de Canas. Uma coisa é as pessoas estarem nos centros de decisões, outra coisa é estarem fora. Não tenho que me queixar, porque temos tido um relacionamento bastante bom nesse aspecto, mas começa a ser altura de Canas ter o seu lugar na Câmara por direito. Na luta que travou por Canas, mudava alguma coisa?

A única coisa de que me

arrependo foi não ter feito uma grande manifestação de partir, depois do 3 de Julho. Não estou arrependido de nada e não insultámos o Presidente da República, ele é que nos insultou a nós. Hoje, na Assembleia da República podia haver uma maioria favorável à criação do concelho de Canas?

Neste momento particular não. Hoje o PS não tem maioria.

Mas o PSD ainda não se encontrou. Saiu de uma situação de eleições, neste momento o que interessa é que o partido esteja estabilizado por dentro. Se vamos entrar numa casa por arrumar, ninguém nos vai dizer nada, então é preferível que nos digam as coisas, quando tiveram a casa mais arrumada. Os partidos que estiveram do vosso lado continuam hoje disponíveis?

Não faço ideia Nestes últimos três anos não tenho falado com eles, mas vamos continuar esta luta e só haverá manifestações se houver condições. Versão integral em www.jornaldocentro.pt


Jornal do Centro

9

02 | Julho | 2010

região “Fechar uma escola é fechar uma aldeia”

Protesto em Viseu

Alguns presidentes de juntas de freguesia do concelho de Viseu mostraram-se preocupados, na última Assembleia Municipal, pelo eventual fecho de escolas do 1º Ciclo, depois do anúncio do Governo de encerrar estabelecimentos com menos de 21 alunos. Para Herculano Gonçalves, presidente da Junta de Freguesia de Calde, o Governo “não sabe” onde fica aquela localidade do concelho. O autarca diz que foram feitas melhorias em todas as escoPublicidade Publicidade

las locais e lamenta o encerramento da de Várzea de Calde. “Fechar uma escola é fechar uma aldeia”, disse Herculano Gonçalves. Idêntica opinião manifestou António Neves, de Boaldeia. Para este presidente de junta, a ameaça de encerramento da escola do 1º Ciclo põe em risco “toda a vida de Boaldeia”. O deputado municipal do PS, Gonçalo Ginestal, saiu em defesa da decisão do Ministério da Educação e tentou sossegar os dois autarcas.

Nuno Ferreira

Assembleia Municipal∑ Autarcas de Viseu temem pelo futuro das freguesias

A O desagrado é geral sobre o fecho de escolas “A escola de Boaldeia não vai encerrar, mesmo com 13 alunos, e a escola de Várzea de Calde vai dar lugar ao polo de jar-

dins de infância de toda a freguesia”, garantiu. José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

Trezentas pessoas protestaram em Viseu, na segunda-feira, contra o “abate de escolas” e a constituição de “mega agrupamentos”, durante uma manifestação promovida pelo Sindicato dos Professores da Região Centro (SPRC). Vieram de concelhos, onde as escolas do 1º Ciclo podem vir a encerrar com a nova proposta do Ministério da Educação (ME). Empunharam cartazes e repetiram vezes sem conta: “as escolas são do povo, não são do PEC, nem do Governo”. A manifestação começou no Rossio e seguiu até ao Governo Civil, onde foi entregue um abaixo-assinado com 2000 assinaturas de oito concelhos onde já se iniciou o processo de constituição dos mega agrupamentos. “Era uma vez dois bichinhos que paparam a escola

do meu pai, da minha mãe, dos meus irmãos e a minha”, lia-se entre as dezenas de frases escritas em cartazes e levantados por miúdos vindos de aldeias próximas de Viseu. “Não dizemos que não podem encerrar nenhuma escola [do 1º Ciclo], mas não aceitamos o encerramento cego”, reforçou o representante do Sindicato dos Professores da Região Centro, Francisco Almeida. O dirigente sindical admitiu que o encerramento das escolas, pode “não só prejudicar os alunos” como levar ao despedimento de vários funcionários. Francisco Almeida deu o exemplo de Castro Daire: “Quando juntarem os agrupamentos de Mões, de Castro Daire e a Secundária de Castro Daire, podemos estar a falar de 90 postos de trabalho”. EA


Jornal do Centro

10 REGIÃO

02 | Julho | 2010

Esgotos correm directos para a Barragem de Fagilde Penalva∑ ETAR de Gôje pode estar avariada há meses, mas Câmara diz que foi trovoada A Barragem de Fagilde, onde os concelhos de Viseu, Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo vão buscar água para abastecimento público, pode estar a receber esgotos sem tratamento do concelho de Penalva do Castelo. A Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Gôje, Freguesia de Ínsua, que deveria fazer o tratamento dos esgotos, está avariada há já algum tempo, fazendo com que os efluentes corram directamente para o rio. A Câmara Municipal de Penalva do Castelo, explicou em comunicado, na quarta-feira, que se tratou de uma “avaria geral nos Publicidade

sistemas electromecânicos” provocada pelas “trovoadas” dos últimos dias. Mas a justificação da autarquia, avançada em comunicado já depois do caso ter sido denunciado na comunicação social, contraria a tese da Comissão de Defesa da Água Publica (CDAP). O porta-voz da CDAP, António Vilarigues afirmou que tem testemunhos de moradores a confirmarem que a situação “já não é recente, tem pelo menos três meses”. Vilarigues adiantou que no local é possível verificar que a ETAR “está seca”, sem que ninguem desse pelo problema “nem o presidente da Junta” de Ínsua. “Se fos-

sem bloqueados os acessos ao rio, os esgotos enchiam e a verdade é que ninguém se está a queixar”, reforçou admitindo que está tudo a correr directamente para o Dão. “Os serviços do município encontram-se já a proceder à instalação do novo equipamento electromecânico, estando a ser desenvolvidos todos os esforços para o adequado funcionamento da ETAR, acrescenta o comunicado da autarquia. António Vilarigues não acredita que o problema seja resolvido nos próximos dias, baseando-se na tese de alguns técnicos que consultou: “Não sei como põem os motores a funcio-

A Carro artístico vencedor da edição das Cavalhadas nar”. Para o representante da CDAP, a avaria da ETAR de Gôje não é um caso isolado, “há outras situações no concelho que vêm Publicidade

do Rio Gôje” e prendemse com a “falta de fiscalização” e a “falta de investimento das autarquias”. Vilarigues lembra que a ETAR de Gôje é do século

XIX, havendo “casos mais graves de fossas a que chamam ETAR’s”. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt


Jornal do Centro

VISEU | MANGUALDE | OLIVEIRA DE FRADES | LAMEGO | REGIÃO 11

02 | Julho | 2010

Comissão das Cavalhadas lamenta ausência do Turismo O presidente da Associação das Cavalhadas de Vildemoinhos, José Coelho lamentou o facto do Turismo Centro de Portugal não ter atribuído qualquer apoio à edição deste ano do cortejo secular. As Cavalhadas de Vildemoinhos voltaram a per-

correr as ruas de Viseu na manhã de São João, como manda a tradição de 358 anos. As Cavalhadas são o segundo maior evento do concelho, depois da Feira de S. Mateus. O autarca queixou-se do Turismo do Centro ser a única institui-

7

ção que não apoia o evento. “Eles gostam mais de apoiar os carnavais e não recebemos apoio nenhum, o que é pena”, acrescentou José Coelho. O cortejo deste ano, com um orçamento de 70 mil euros recebeu o maior apoio da Câmara de Viseu

VANDALISMO

Viseu. Uma viatura da autarquia foi vandalizada na noite do passado domingo no parque do Fontelo. O carro, que estava estacionado junto ao recinto desportivo, ficou com o vidro dianteiro partido e sem espelhos.

INCÊNDIO

Oliveira de Frades. Um incêndio num aviário lo-

calizado na freguesia de Vilarinho matou mais de 12 mil pintos e provocou um prejuízo de cerca de 100 mil euros. O fogo, que terá tido origem num curto-circuito, deflagrou na madrugada desta terça-feira e foi combatido por 12 homens dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades.

tradicionais foi o carro de antigos teares com artesãos ao vivo. O primeiro prémio do carro artístico para um trabalho ligado à cultura

chinesa, com um homem chinês a segurar o mundo. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

2

0

1

2. ¥ 5 # s $ ) ) # 

Mangualde. Uma empresa de construção e aluguer de gruas, localizada na freguesia de Cunha Alta, foi assaltada na madrugada da última sextafeira. Os assaltantes entraram pelo portão e recolheram os materiais, que depois carregaram e transportaram no próprio camião da empresa.

A Carro artístico vencedor da edição das Cavalhadas

Publicidade

dias

ASSALTO

de cerca de 19 mil euros. O Governo Civil comparticipou com mil euros em custos. Dos comerciantes e industriais surgiram perto de 20 mil euros. Os carros alegóricos deste ano foram construídos com base em tema livre. O vencedor da categoria dos

Emília Amaral

Orçamento∑ Cortejo deste ano teve um orçamento de 70 mil euros

OS

0

-

2

0

1

1

CICLOS [GRAU DE MESTRE]

Alimentação - Fontes, Cultura e Sociedade | Arqueologia e Território | Comunicação e Jornalismo | Ensino de Filosofia no Ensino Secundário | Ensino de História e de Geografia no 3.º ciclo do Ensino Básico e no Ensino Secundário | Ensino de Inglês e de Espanhol / Alemão / Francês no 3.º ciclo do Ensino Básico e no Ensino Secundário | Ensino de Português e de Línguas Clássicas no 3.º Ciclo do Ensino Básico e no Secundário ou de Português no 3.º Ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário e de Espanhol / Alemão / Francês nos Ensinos Básico e Secundário | Estudos Artísticos | Estudos Clássicos | Estudos Europeus | Estudos Feministas | Estudos Ingleses e Estudos Americanos | Estudos Literários e Culturais | Filosofia | Geografia Física, Ambiente e Ordenamento do Território | Geografia Humana, Ordenamento do Território e Desenvolvimento | História | História da Arte, Património e Turismo Cultural | História, Especialização em Museologia | Informação, Comunicação e Novos Media | Lazer, Património e Desenvolvimento | Linguística: Investigação e Ensino | Literatura de Língua Portuguesa: Investigação e Ensino | Património Europeu, Multimédia e Sociedade de Informação | Poesia e Poética | Política Cultural Autárquica | Tradução

3 . OS C I C L O S [ G R A U D E D O U T O R ] Altos Estudos em História | Arqueologia | Ciências da Comunicação | Estudos Americanos | Estudos Artísticos | Estudos Clássicos | Estudos Europeus | Estudos Feministas | Filosofia | Geografia | História da Arte | Linguagens e Heterodoxias:

DETIDO

Lamego. A Polícia de Segurança Público deteve em f lagrante delito, na madrugada de terça-feira, um homem com cerca de 20 anos que se encontrava a roubar material do interior de uma oficina de automóveis. O homem, residente na zona de Vila Nova de Gaia, fazia-se acompanhar por mais três indivíduos que se puseram em fuga quando os agentes se aproximaram do local.

História, Poética e Práticas Sociais | Literatura de Língua Portuguesa: Investigação e Ensino | Materialidades da Literatura | Turismo, Lazer e Cultura

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO Estudos Neerlandeses

CALENDÁRIO

Candidaturas online 1.ª fase: 31 de Maio a 23 de Julho | 2.ª fase: 13 a 17 de Setembro Resultados das candidaturas online 1.ª fase: 30 de Julho | 2.ª fase: 22 de Setembro

Para mais informações http://saaserver2.fl.uc.pt/fpg/


Jornal do Centro

MANGUALDE | S. PEDRO DO SUL | MORTÁGUA | TONDELA | REGIÃO 13

02 | Julho | 2010

Deputado integra peregrinação a pé

GNR DE MANGUALDE COM NOVO QUARTEL Mangualde vai ter um novo quartel da GNR. A Direcção-Geral de Infra-estruturas e Equipamentos, a Câmara de Mangualde e a GNR assinaram um protocolo para a construção do novo equipamento.

BOMBEIROS DE S. PEDRO FAZEM 125 ANOS Os Bombeiros Voluntários de S. Pedro do Sul estão a comemorar 125 anos. O aniversário é assinalado domingo, dia 4, mas já amanhã promove um seminário sobre “Incêndios Urbanos”, pelas 15h00, no Cine-Teatro de São Pedro do Sul. Do programa de domingo, destaca-se a sessão solene,marcada para as 12h00 e um desfile às 12h30. A manhã termina com um almoço convívio em Bordonhos.

MORTÁGUA NA “UNIVERSIDADE JÚNIOR” Setenta e nove estudantes do 8º, 9º, 10º e 11º anos de escolaridade do concelho de Mortágua estão a viver o ambiente de uma Universidade, ao participarem na “Universidade Júnior”, uma iniciativa da Universidade do Porto, apoiada pela autarquia local. Os estudantes participam em oficinas científico-pedagógicas, convivem com outros jovens de todo o País e alargam horizontes. O programa de cursos de Verão é desenvolvido desde 2005 e tem como principal finalidade a promoção do gosto pelo conhecimento e o despertar de potencialidades entre os jovens dos 10 aos 18 anos. Publicidade

A Feiras do Livro e Artesanato juntas no Rossio de Viseu

Saramago “ausente” na Feira do Livro de Viseu Ausência∑ Expositores apontam ausência de livros do Nobel A ausência de livros de José Saramago, o único Prémio Nobel da Literatura portuguesa está a ser notada em mais uma edição da Feira do Livro de Viseu, que está a decorrer no Rossio com a Mostra de Artesanato Urbano. As tradicionais casinhas estão divididas com os dois certames. Num passeio pelos expositores, e alguns dias depois de os certames terem começado (prolongando-se até 11 de Julho) nota-se a fraca afluência de visitantes. “Ao fim-desemana é um pouco diferente, as pessoas vêm cá mais e abeiram-se das

coisas. O mesmo acontece ao fim da tarde, quando passa por aqui mais gente, mas nada de muito especial”, confessa uma senhora que espera alguém com simpatia para visitar o seu espaço de venda de livros. Várias editoras estão representadas na Feira do Livro, mas “nenhuma tem livros de José Saramago”, revela ao Jornal do Centro um dos responsáveis por um expositor. E continua: “As livrarias de Viseu não quiseram cá os livros dele e deu nisto. As pessoas perguntamnos insistentemente pelos livros de Saramago e

não há um único aqui na feira”. Quanto à Mostra de Artesanato Urbano, os expositores queixam-se menos. “Vamos vendendo qualquer coisa”, diz um dos proprietários de um espaço do certame. A maioria dos responsáveis que ocupam ambas as feiras gosta da alternativa escolhida pela autarquia para o certame. Apenas lamentam que “os tempos não estejam para grandes compras de artesanato e que as pessoas leiam menos livros”. José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

“De Tondela a Santiago de Compostela” é a proposta de uma peregrinação a pé, com partida marcada para dia 25 de Julho, em Tondela. A iniciativa surge do deputado parlamentar do PSD, João Carlos Figueiredo, que há já alguns anos realiza a caminhada àquela cidade espanhola com o lema de que “peregrinar é um acto de descoberta”. Ainda presidente da Escola Profissional de Tondela, João Figueiredo desafiou a Câmara Municipal para ser co-organizadora de uma peregrinação a pé. Escola, autarquia e juntas de freguesia de Guardão, Mosteiro de Fráguas, Santiago de Besteiros e Vilar de Besteiros, têm tudo a postos para caminhar durante 12 dias e o deputado vai acompanhar a iniciativa. “É um Caminho e como tal pressupõe um itinerário, mas não Publicidade

A João Carlos Figueiredo se esgota nele. Tem que se lhe associar uma intenção e um objectivo, que alimentam a motivação e despertam a busca interior, promovendo assim o enriquecimento espiritual e cultural”, justifica. A partida está marcada para as 7h45 do dia 25 e a chegada para as 12h00 de 5 de Agosto. Quem não quiser fazer todo o percurso tem a possibilidade de se juntar no Porto (oito dias), em Ponte de Lima (5 dias) e em Valença (4 dias). EA


Jornal do Centro

14

02 | Julho | 2010

negócios Visabeira Turismo faz Férias Desportivas

A comissão política concelhia do PS Viseu diz que o Parque Empresarial de Mundão, no concelho de Viseu, “não está ajustado às necessidades dos empresários, não sendo um pólo atractivo para potencias investidores”. A afirmação em comunicado surge depois de uma audiência com o presidente da Associação Empresarial da Região de Viseu (AIRV). Para a presidente do PS Viseu, Lúcia Araújo, um dos caminhos para a alteração do processo do parque “passa por uma remodelação do modelo de negócio da GestinViseu (empresa responsável pela gestão dos parques empresariais do concelho), com o objectivo de tornar o parque mais apetecível aos empresários e assim ser possível a fixação da população no interior do país”. Do encontro sai ainda, adianta o PS, a conclusão de que é necessário “alterar o paradigma empresarial, envolvendo as três instituições de ensino superior de Viseu”. EA

Nuno Ferreira

PS DE OLHO NO PARQUE DO MUNDÃO

A Participação na Semana Enogastronómica com provas e jantares vínicos

CVR volta a Luanda com vinhos do Dão Promoção ∑ Mostrar o Dão aos mercados externos Oito produtores da região estão desde segunda-feira a divulgar os seus produtos em Luanda, com uma forte participação na “Semana Enogastronómica do Dão, Bairrada e Beira Interior”. A iniciativa é da Comissão Vitivinícola Regional do Dão (CVR Dão), que desta forma dá continuidade ao plano de acções promocionais dos vinhos do Dão em mercados externos.

“Os produtores têm assim mais uma possibilidade para estabelecerem contactos comerciais privilegiados, potenciando o estabelecimento de novas oportunidades de negócio naquele que é, desde os últimos anos, o principal destino de exportação dos vinhos do Dão, adianta em comunicado o presidente da CVR Dão, Valdemar Freitas. A Adega Cooperativa de Penalva do Castelo, a Ade-

ga Cooperativa de Silgueiros, as Cavas Martinho Alves, a Dão/Sul/Global Wines, a FTP Vinhos, a Lusovini, a Quinta da Nespereira e a Vinícola de Nelas, são as empresas presentes no certame, que termina esta sexta-feira, dia 2. Durante a semana enogastronómica foi ainda posta à prova a gastronomia beirã.

A Visabeira Turismo está a reeditar este ano o seu já habitual programa de Férias Desportivas para crianças e jovens entre os 6 e os 16 anos. A iniciativa começou na segunda-feira e prolonga-se até 13 de Agosto. O programa desportivo abrange modalidades como o futebol, ténis, hipismo, golfe, patinagem, bowling e desportos de aventura. Os mais novos que participam nesta acção farão ainda uma visita ao Bar do Gelo, terão passeios de barco, demonstrações de aves de rapina e noites de campismo, entre outras actividades pre-

vistas no programa. A edição deste ano das Férias Desportivas da Visabeira Turismo conta com duas novidades. Em primeiro as tardes de futebol da “Dragon Force” (parceria entre “Os Repesenses” e a Escola do F.C. Porto) e as Manhãs FNAC, com actividades a desenvolver na loja instalada no Palácio do Gelo. As Férias Desportivas estão divididas por pacotes semanais, com um programa diário entre as 9 e as 18h30. Incluem ainda alimentação e acompanhamento técnico e qualificado para todos os jovens envolvidos.

Soveco Viseu inagura novas instalações

Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Publicidade

A Henrique Rodrigues e Carla Bernardo da Soveco No dia em que foi apresentado o novo modelo Giulietta da Alfa Romeu, a Soveco Viseu inagurou as suas novas instalações situadas na Zona Industrial de Coimbrões. Propriedade do Grupo Gocial e presente nas cidades do Porto, Braga, Aveiro e Viseu, a Soveco tem à disposição dos clientes todos os modelos da marca Fiat, Alfa Romeu e da Lancia. Para Carla Bernardo, responsável da empresa, a abertura do novo espaço, que teve lugar no passado dia 26, constitui um “desafio”, para o qual a Soveco está preparada,

nomedamente através da disponibilização aos clientes de um leque diversificado de serviços, que vão desde a assistência técnica até à venda directa. Giulietta. Considerada uma marca de paixão, a Alfa Romeu lançou recentemente o modelo Giulietta. Este é um carro desportivo, que vem substituir o 147. O Giulietta é um modelo compacto de cinco portas que recupera um nome lançado nos anos de 1950 e que foi apresentado em Março no Salão de Genebra.


Jornal do Centro

15

02 | Julho | 2010

desporto Visto e Falado Vítor Santos vtr1967@gmail.com

Volta a Portugal Viseu

Futebol

Penela dispensado no Tondela Definições ∑ Jogadores de saída e mais reforços a caminho

Cartão FairPlay O prólogo da Volta a Portugal em bicicleta realizase este ano em Viseu. A 4 de Agosto arranca por cá a prova rainha do desporto português. A Volta movimenta inúmeros adeptos, pelo colorido que se lhe associa. Viseu vai ser percorrido por ciclistas profissionais e mais uma vez vamos ter uma enorme propaganda da modalidade tão do agrado dos beirões. A não perder. Selecções de Viseu Futebol

Cartão FairPlay As selecções de futebol de formação da AFV já existem há muitos anos. Ao longo do tempo tem sido um processo de melhoria e evolução. A importância que os atletas sentem ao serem convocados e a motivação extra que adquirem são factores que se podem tornar relevantes na formação. A AFV tem vindo a solidificar este projecto e a melhorá-lo constantemente. A continuar.

A Penela era primeira opção com António Jesus

Cartão Amarelo A confirmar-se a desistência do Fornos de Algodres na 3.ª divisão é mais uma perda para a Região. A exemplo do Mangualde a direcção do Fornos está a ponderar jogar na distrital por causa da crise económica. Decisões dificeis mas importantes e sérias. Fala-se em ajudas de custo a atletas na ordem dos 600 mensais em clubes da divisão de Honra da AFV. Apetece perguntar: A crise não toca a todos?

ção do clube vão assim arrumando a casa, cada vez mais, estando praticamente definida a estrutura base da equipa para a próxima temporada. Entre as saídas, destacase a dispensa de Penela, jogador que na temporada passada foi reforço da equipa e um dos mais utilizados pelo então técnico António Jesus. A chegada de alguns reforços de peso retiraram margem de manobra ao atleta, que não é então opção para o novo técnico. Em especial Emiliano Te, centro campista que Filipe Moreira bem conhece do Mafra, bem como Fernando Ferreira, que se transfe-

riu do Académico de Viseu. Estes reajustes no plantel levam a direcção presidida por Gilberto Coimbra a procurar mais alguns reforços para o plantel, sendo certo que nos próximos dias, outros nomes serão conhecidos. Desde logo a contratação de dois guarda-redes. Mas não só. Nesta altura, o Tondela terá já chegado a acordo com mais dois jogadores, faltando apenas o “preto-no-branco” para que os nomes possam ser divulgados. Certo é que o regresso ao trabalho está marcado para 2 de Agosto, data de apresentação do plantel no Estádio João Cardoso. Gil Peres

Futebol

Futsal

Sérgio reforça Penalva do Castelo

ABC de Nelas é vice-campeão

Fornos de Algodres Futebol

Tempo de mais definições no Desportivo de Tondela, com oito saídas, pelo menos, já confirmadas. Ao que apurámos, Penela, Vítor Borges, Simões, Espanhol e Chico, estão de saída. A este nomes juntam-se ainda o de Carlos André, que foi transferido para um clube cipriota, e a dos dois guarda-redes do plantel: Rui Vale e Bruno Sousa. Nesta altura, Vítor Borges terá já chegado a acordo com o Sporting de Espinho para a próxima época, enquanto Bruno Sousa assinou pela Oliveirense, uma formação da II Liga. Filipe Moreira e a direc-

Treinos ∑ Começo a 2 de Agosto

A Sérgio

Sérgio Fonseca chegou a acordo para representar o Penalva do Castelo na próxima época. É o regresso deste veterano jogador a uma casa que bem conhece. A caminho dos 38 anos, esteve na última época no Fornos de Algodres, clube que está a viver graves problemas financeiros. Sérgio é um atleta com

um longo passado academista (13 épocas no clube), e que chegou a ser hipótese para o plantel deste ano, acabando por rejeitar o convite que a direcção do Académico lhe terá feito. Penalva do Castelo, e o técnico Carlos Agostinho não são desconhecidos para Sérgio, onde esteve duas temporadas, antes do regresso ao Académico. GP

Foram mais 7, e o título Nacional de Juvenis masculinos, em futsal, a ficar na posse do Boavista. O ABC de Nelas voltou a perder na final nacional (07), repetindo em casa a goleada que já havia sofrido no jogo da primeira volta. O Boavista, mais forte, foi assim um campeão justo. Os axadrezados confirmaram em Nelas o favoritismo que

já traziam da primeira mão, e não deram hipóteses aos nelenses. Para o ABC de Nelas, a satisfação do dever cumprido, e da equipa ter voltado a fazer história no clube e na modalidade ao nível distrital. No currículo destes jogadores, fica o facto de terem sido os primeiros, em Viseu, a disputar uma final Nacional no escalão de juvenis. GP

Ciclismo

72ª Volta a Portugal começa em Viseu A 72ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta vai decorrer entre os dias 04 e 15 de Agosto, com uma novidade: começa em Viseu. O início é então no dia 4 de Agosto, com a disputa de um prólogo que servirá, essencialmente, para definir quem será o primeiro camisola amarela da Volta.

O prólogo de Viseu será de curta distânciaa, a rondar os 3 kms, com o traçado desenhado em redor da Avendida da Europa onde os corredores vão começar e terminar este mini contra relógio. A Lagos Sports, que volta a organizar o evento, vai em breve divulgar o traçado

completo mas, nesta altura, estará já definida que a mítica subida ao alto da Sra. da Graça será na quarta etapa, enquanto a etapa da Torre será no sétimo dia de competição. O contra-relógio individual, com 30 kms, acontece na penúltima etapa, entre São Pedro de Moel e Leiria. GP

A Nuno Ribeiro venceu mas viria a acusar doping


D Vila Nova recebe espectáculo de ballet

16

culturas expos

Jornal do Centro 02 | Julho | 2010

O Auditório Municipal Carlos Paredes de Vila Nova de Paiva abre as suas portas amanhã, a partir das 21h30, para um espectáculo de bailado da Casa do Povo daquela vila. A entrada é livre.

Arcas da memória

Destaque

VISEU

∑ Loja do Cidadão Até dia 5 de Julho Exposição de fotografia “Limpar Portugal”, da Foto Viseense.

SANTA COMBA DÃO ∑ Casa da Cultura

Até dia 31 de Agosto Exposição “Arte e Vida... Vida e Arte”. SERNANCELHE ∑ Centro Municipal de Artes Até dia 31 de Julho Exposição de artes decorativas, de Maria Odete Santos . VILA NOVA DE PAIVA ∑ Auditório Municipal Até dia 31 de Julho Exposição do III Encontro de Fotografia – Biodiversidade em Vila Nova de Paiva.

∑ Auditório Municipal Até dia 31 de Julho Exposição de escultura de Fernando Neto.

Alberto Correia Antropólogo

Homenagem a José Saramago Raquel Rodrigues

∑ FNAC Até dia 3 de Setembro Exposição de fotografia “Fotografias de Rodagem do Cinema Português”, do Museu do Cinema.

“As pequenas memórias”

A Cultura Argentina em destaque no “Insites” com acções no Museu Grão Vasco e Empório

Piaget regressa com “Insites Viseu” Objectivo ∑ Internacionalizar a imagem da cidade e da cultura portuguesa O projecto “ I n site s Viseu” vai no terceiro ano e surge pelas mãos do Instituto Piaget de Viseu, com o objectivo de internacionalizar a imagem da cidade e da cultura portuguesa. O projecto cultural decorre nos meses de Julho e Agosto e integra um conjunto de espectáculos, conversas, ateliês, workshops e outras iniciativas. O Museu Grão Vasco recebe dia 15 de Julho um encontro sobre “A Arte e a Educação Artística na Argentina”. A conversa de entrada livre vai contar com a participação da artista Marta Folco Testorelli e a apresentação do projecto “Esculturas de Pequeno Formato”. Dia 17, na galeria

Empório, é apresentado o livro de poemas “Puntero y Lágrimas” de Marta Folco Testorelli. A artista argentina será protagonista do espaço de cultura “Leitores e Leituras”. Os ateliês são uma aposta no Insites Viseu deste ano. Entre 17 e 31 de Julho, vão decorrer quatro acções formativas no Museu Grão Vasco e na Empório. Dia 24, a professora da Universidade Autónoma de Madrid, Pilar Pérez é formadora de um ateliê sobre a interpretação dos sonhos próprios através da pintura. Dia 31, haverá um ateliê de murais cerâmicos para famílias. Entre 17 e 31, decorre uma acção para maiores de 12 anos, no

roteiro cinemas

VISEU FORUM VISEU (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 15h00, 17h30, 21h50, 00h30 (6ª e Sáb.) Príncipe da Pérsia (M12) (Digital)

Magia VP (M6) (Digital) Sessões diárias às 14h10, 16h40, 19h10, 21h40, 00h20 (6ª e Sáb.) Ela é Demais Para Mim (M12) (Digital)

Sessões diárias às 14h20, 17h20, 21h10, 00h10 (6ª e Sáb.) Sexo e a Cidade 2 (M16) (Digital)

Sessões diárias às 19h20, 22h10, 00h40 (6ª e Sáb.) Pesadelo em Elm Street (M16) (Digital)

Sessões diárias às 11h00 (Dom.), 14h40, 17h10 Nanny Mcphee e o Toque de

Sessões diárias às 11h20 (Dom.), 13h40,16h05, 18h30, 21h30, 00h00 (6ª e Sáb.)

Plano B...ebé! (M12) (Digital) Sessões diárias às 14h00, 16h50, 21h00, 23h50 (6ª e Sáb.) A Saga Twilight - Eclipse (CB) (Digital)

PALÁCIO DO GELO (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 15h00, 17h50, 21h30, 00h20 (6ª e Sáb.) A Saga Twilight - Eclipse (CB) (Digital)

Museu Grão Vasco, sobre pintura artística pelo formador Yuraldi Rodriguez Puentes. O mesmo artista participa no ateliê de desenho artístico, a decorrer no mesmo período e local. Durante o Insites Viseu, este ano muito prático e formativo, destaque ainda para a realização de workshops. O primeiro já anunciado vai de 22 a 28 de Julho. No Campus Universitário do Instituto Piaget de Viseu trabalha-se nesta data a gravura com pasta de pedra durante em 24 horas de formação. De 2 a 7 de Agosto decorre um workshop de xilogravura, ao longo de 30 horas. Emília Amaral

Sessões diárias às 14h30, 17h35, 21h10, 00h10 (6ª e Sáb.) Atraídos Pelo Crime (M12) (Digital) Sessões diárias às 11h00 (Dom.), 14h00, 16h05, 18h10 Marmaduque VP (M4) Sessões diárias às 13h15, 15h55, 18h35, 21h20, 00h00 (6ª e Sáb.) Princípe da Pérsia: As Areias do Tempo (M12) (Digital)

Ao fim do dia, desse primeiro dia da morte de José Saramago, a partir do qual a memória se irá reconstruir pelos ecos prolongados de concretos actos de vida modelados pela atmosfera do momento e principalmente a partir da densidade de uma fecundíssima obra legada como herança, fiquei a ler, com o inebriamento de quem ouve histórias antigas que transportam ainda uma inocência edénica, “As Pequenas Memórias” do autor que, a partir deste dia, não mais as poderia contar de outro modo. De pequenas memórias, tão só, as minhas crónicas têm sido alimentadas. Memórias como as da maior parte dos homens, pelo menos dos da minha geração, os que nasceram nessa pátria pequena que são as Terras do Demo, aqueles cujos primeiros tempos ficaram presos nos amplos horizontes da sua aldeia quotidianamente reinventados como paraíso, a liberdade de provar todos os frutos, quase todos, que havia lá também a “árvore da ciência do bem e do mal”, só mais tarde reconhecida, os bichos todos,

Sessões diárias às 14h10, 16h35, 19h00, 22h00, 00h40 (6ª e Sáb.) A Mulher do Viajante do Tempo (M12)

aierrocotrebla@gmail.com

uma Arca de Noé, que nós conhecíamos pelo nome, uma “avó Josefa” que deixava o neto vagabundear pelas margens do Almonda, os meus caminhos pela tarde espreitando as rãs e perseguindo as libelinhas nos dois ribeiros que passavam na Quinta do Valbom e que para mim tinham a mesma importância do rio Tigre e do Eufrates que corriam no Paraíso e mais tarde passaram, só um deles, nos termos de Babilónia. A avó Beatriz, eternamente moradora na Quinta do Covelo, os filhos todos lá criados, até serem homens e mulheres, até nascerem asas e voarem. Não me lembro muito dela, da avó Beatriz. Morreu quando eu não andava ainda na escola, mas sei que nesse dia fui dar, mais o Valentim, com toda a naturalidade, a notícia à prima Silvandira, à Casa da Aula, como chamávamos a escola onde ela já andava. A avó Carolina que deixou minha mãe pequenina na Quinta do Valbom e partiu para o Brasil e eu digo sempre que tenho saudades dela. Pequenas memórias. Para sempre pequenas memórias.

Estreia da semana

Sessões diárias às 14h20, 17h20, 21h00, 00h05 (6ª e Sáb.) Robin Hood (M12) A Saga Twilight Eclipse Sessões diárias às 21h45, 00h30 (6ª e Sáb.) Rasgo de Génio (M12)

Bella volta a estar no centro do perigo quando Seattle é devastada por uma série de mortes misteriosas e um vampiro rancoroso continua a persegui-la em busca de vingança. É neste cenário que Bella terá de escolher entre o amor por Edward e a amizade com Jacob.


DAdriana Calcanhoto revisita Viseu

Jornal do Centro 02 | Julho | 2010

CULTURAS 17

A popular cantora brasileira Adriana Calcanhoto volta a Viseu para um espectáculo no Adro da Sé. Com entrada gratuita, este concerto insere-se na programação do “Viseu Naturalmente 2010” e tem lugar esta segunda-feira às 22h00.

MELHOR BANDA SONORA PROJECÇÃO FRIDA UM FILME DE JULIE TAYMOR ∑ Sexta 02 Julho 21h00 Galardoado com o Óscar em 2003, “Frida” é uma crónica da vida da artista mexicana Frida Kablo partilhada de forma aberta e inabalável com o pintor Diego Rivera, o seu mentor e marido, e de como este casal tomou de assalto o mundo da arte. A Banda Sonora que conta com a participação de Lhasa foi composta por Elliot Goldenthal e premiada em 2002 com um Óscar. AO VIVO TÂNIA PATACO O MEU FADO ∑ Domingo 04 Julho 17h00 RVencedora da Grande Noite do fado no Coliseu dos recreios em 1994 e com vários trabalhos editados desde então, Tânia Pataco acaba de lançar “O Meu Fado”, que nos apresenta esta noite no Fórum Fnac. MELHOR BANDA SONORA PROJECÇÃO À PROCURA DA TERRA DO NUNCA UM FILME DE MARC

FORSTER ∑ Segunda 05 Julho 21h00 Após o insucesso de sua última peça, J.M.Barrie, desafiando as convenções de uma Londres Eduardiana, tornando-se acompanhante de uma viúva solitária, e pai substituto para os seus quatro jovens filhos. História inspirada em acontecimentos da vida do escritor escocês James Mathew Barrie. O compositor Jan A. P. Kaczmarek recebeu o Óscar em 2005. MELHOR BANDA SONORA PROJECÇÃO O SEGREDO DE BROKEBACK MOUNTAIN UM FILME DE ANG LEE ∑ Terça 06 Julho 21h00 Ennis Del Mar e Jark Twist conhecem-se quando procuram emprego num rancho e ambos parecem ter certezas quanto ao que querem da vida mas quando são destacados para trabalharem na remota região de Brokeback Mountain, os dois jovens sentem-se unidos por uma força maior que resulta numa relação de camaradagem e intimidade profunda. Gustavo Santaolalla é o responsável pela Banda Sonora deste filme, vencedor da categoria em 2006. FÉRIAS NA FNAC FÉRIAS DESPORTIVAS FORLIFE ∑ Quarta 07 Julho 10h30 A Fnac Viseu recebe às quartas feiras as crianças inscritas nas Férias Desportivas Forlife, para actividades lúdicas. Desde sessões de leitura acompanhada, campeonatos de Gamming, ou audição de música, os mais pequenos terão contacto com a Cultura no seu melhor.

Destaque

Edu Miranda encerra temporada do Viriato Concerto∑ Fado mistura-se com o ambiente da música instrumental brasileira Partindo da mistura entre o fado e o ambiente da música tradicional brasileira, Edu Miranda apresenta em Viseu o seu mais recente trabalho. Ele que é u m nome incontornável da música portuguesa e brasileira, com um percurso de 20 anos, Edu Miranda sobe ao palco do Teatro Viriato amanhã, às 21h30, para um concerto onde o fado se mistura com as sonoridades vindas do outro lado do Atlântico, passando por ritmos como o chorinho, o samba, o baião, o forro e o

maracatau. Quando chegou a Portugal em 1989 a identificação musical de Edu Miranda com a cultura lusitana foi imediata. O seu bandolim, genuinamente brasileiro, encantou-se com a música que encontrou, fazendo com que o choro e o samaba que o formaram no Brasil, adquirissem um novo sotaque. “Edu Miranda Trio ao Vivo” é o último trabalho do músico e conta com a participação de Tuniko Goulart, na guitarra, e Giovani Goulart, na bateria e percussão.

A Edu Miranda conta já com 20 anos de carreira

Concerto

foto legenda

Cinco músicos e um poeta levam música a Viseu Hoje, às 23h00, o Lugar do Capitão de Viseu abre as suas portas para receber o espectáculo do grupo “Agência de Viagens”. Baseado em textos de vários autores, este espectáculo tem a duração de uma hora e junta a música com a poesia. A ideia é ilustrar com

Raquel Rodrigues

Partindo da exposição “Na Cátedra de S. Pedro”, que pode ser visitada até ao próximo mês de Setembro no Museu Grão Vasco de Viseu, António Olaio abriu as portas da sua carreira enquanto artista plástico, para dar a conhecer melhor o seu universo plástico e o lugar que diferentes formas de expressão, entre elas a música, têm na sua prática artística.

Teatro

DR

agenda cultural fnac

música as palavras que o poeta Tiago Gomes vai lenso, improvisando, sussurrando, cantando. Deste projecto fazem parte artistas como Luís San Payo, baterista e exRádio Macau e Luís Aires, que integra o Cinema Ensemble de Rodrigo Leão.

“Conversas de Camarim” em Lamego

Numa viagem através do livro de Varela Silva “Camarim com janela para a rua”, Simone de Oliveira e Vítor de Sousa ilustram, na peça “Conversas de Camarim”, estas histórias com cantigas e poemas, num cenário de bastidores. Uma hora onde as lágrimas se misturam com os sorrisos e as memórias nos despertam para a vida. “Conversas de Camarim” recorda Varela Silva, Ary dos Santos, Eugénio de Andrade e Miguel Torga, num espectáculo para ver amanhã, às 21h30, no Teatro Ribeiro Conceição de Lamego.

Coretos de Viseu são lugar ao teatro

Amanhã, às 22h00, a Associação Cultural Zum Zum, de Viseu, estreia, no Rossio, a peça “Coretos- lugar de memórias”. Este é um animado espectáculo, que junta 10 actores e 30 figurantes, inspirado nos coretos, elementos arquitectónicos emblemáticos de Portugal.

A IMPRENSA EM VIZEU

A Folha e o «caso de Lamego» – III Neste terceiro artigo sobre o «caso de Lamego», essa complexa luta de poderes entre a Igreja e o Estado que aconteceu entre 1901 e 1902, vamos apresentar as vicissitudes que estiveram na origem da demora da chegada da carta de insinuação que vinha do Estado, sempre que era necessário proceder à eleição de um novo Vigário Capitular de uma Diocese, depois da morte do anterior. Ora, nes-

te caso concreto, tratava-se de eleger um novo chefe para a Diocese de Lamego, depois da morte do Bispo D. António Tomás da Silva Leitão e Castro, em 3 de Dezembro de 1901. De acordo com a posição do primeiro jornal diocesano de Viseu, A Folha (1901-1911), após a reunião de dia 7 de Dezembro ser inconclusiva quanto à eleição do novo Vigário Capitular, dois dias depois – no

dia 9 – os Cónegos presentes na reunião elegeram o Cónego Arruda, eleição que não foi bem recebida pelo Deão António Lopes Roseira e pelos seus apoiantes que, presentes mais tarde, tentaram impedi-la «(...) levando a insensatez até às ameaças de violências». O Deão Roseira esperava que a carta da insinuação chegasse, insinuando o seu nome, como estava previsto, mas esta não chegou a tem-

po da reunião que elegeu o Cónego Arruda. Fortunato de Almeida refere que o Administrador do Concelho reteve a carta o máximo de tempo possível, esperando que o Cabido pudesse eleger um outro representante que não o Deão Roseira. E para isso, confirmou que só chegou à cidade de Lamego ao fim do dia 9, já depois da eleição que elegeu o Cónego Arruda. O Deão Roseira esque-

cera-se que «(...) onde está a maioria do Cabido está o Cabido...» e a eleição era válida, pelo número de Cónegos aí presentes. No dia 10, o Deão Roseira tentou invalidar a votação do dia anterior mas a maioria dos Cónegos não compareceu. A votação estava feita e a escolha recaía no Cónego Arruda, apesar da Régia Insinuação sugerir o nome do Deão Roseira que «(...) apresentou aos restantes cónegos

Paulo Bruno Alves paulobruno@iol.pt

uma Portaria em nome do Rei pelo ministro dos negócios eclesiasticos e de justiça na qual se insistia pela eleição do insinuado». Essa portaria suspendeu as relações entre o Estado e o Cabido de Lamego, ao mesmo tempo que lhes retirou as côngruas.


Jornal do Centro

18

02 | Julho | 2010

saúde Opinião

Ajudar a viver mais e com saúde Ana Granja da Fonseca

Odontopediatra, médica dentista de crianças anagranja@netcabo.pt

A importância da correcção ortodôntica precoce A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a má oclusão como o 3º maior problema dentário de saúde pública. Muitos destes problemas, podem já ser observados na dentição decídua e caso não seja realizada nenhuma medida interceptiva, irão permanecer na dentição mista (dentição em que há presença de dentes de leite e definitivos) e na dentição definitiva. O tratamento realizado na época na dentição decídua ou no início da dentição mista (fase interceptiva) tem como objectivo minimizar ou eliminar problemas esqueléticos, dentários e musculares, antes que a erupção da dentição definitiva esteja completa. Este tratamento pode reduzir a necessidade de extracção de dentes definitvos e, por vezes, cirurgia ortognática. O tratamento precoce visa assim desenvolver as condições normais de crescimento e desenvolvimento da oclusão da criança, com o objectivo de evitar futuramente, severos problemas como, arcos dentários de pequeno tamanho, erupção incorrecta dos dentes da frente e mordida cruzada (quando em contacto, os dentes inferiores ficam por fora dos dentes superiores, de um ou ambos os lados, diferentemente do normal).

Parcerias∑ Empresa quer dar bem-estar em colaboração com instituições de saúde, sociais e educativas A Sala de Ser é uma empresa recentemente criada em Viseu que veio introduzir novos conceitos de saúde e bem-estar para idosos e incrementar as relações entre pais e filhos. Trata-se de um novo Centro de Apoio à Família, criado por duas jovens irmãs, Rute e Mariana Carreira, em que foram escolhidos métodos para “permitir que as pessoas vivam mais e com mais saúde”. Para atingir este objectivo, que a humanidade hoje persegue, O n ov o C e n t r o d e Apoio à Família de Viseu pretende oferecer novas alternativas para uma saudável convivência en-

A Rute e Mariana Carreira fundaram o novo Centro de Apoio à Família de Viseu tre pais e filhos, fazendo com que cada um se sinta bem consigo mesmo e fornecendo ideias essenciais para o bem-estar em comunidade. A receita,

segundo as promotoras, é a promoção da saúde e bem-estar mental. A ideia é ta mbém alargada aos idosos, a quem são ensinadas for-

mas de envelhecer de forma saudável e bem sucedida. São três as principais técnicas que a Sala do Ser vai utilizar para aplicar os

conceitos citados. Em primeiro, será desenvolvida a Oficina da Memória, que tem por objectivo reforçar e agilizar capacidades cognitivas afectadas pelo envelhecimento. Depois, será aplicada a técnica de Snoezelen, um método de estimulação multisensorial. Por último, o Centro de Apoio à Família pretende criar Grupos Pais e Filhos Grupos A Par, uma ideia que surgiu há mais de 15 anos em Oxford, no Reino Unido. Para atingir os seus objectivos, a empresa quer desenvolver parcerias com municípios, centros de saúde, lares, escolas, entre outros.

Castro Daire faz rastreio do colesterol A Unidade Móvel de Saúde de Castro Daire está a promover até ao próximo mês de Setembro o rastreio dos níveis de colesterol da população do concelho. Tal como acontece com outras unidades móveis concelhias, quer por iniciativa das autarquias ou por organismos de saúde, a iniciativa destinase essencialmente a pessoas a partir dos 65 anos. Trata-se da idade em que

é mais susceptível o aparecimento de doenças cardiovasculares. A acção é promovida pela autarquia e pelo centro de saúde local e tem por objectivo essencial a prevenção do referido tipo de doenças, um dos causadores de maior mortalidade em Portugal. Ao aderir ao programa, a Câmara Municipal de Castro Daire pretende contribuir para um “melhor bemestar” da população.

RuaFreiJoaquimdeSta.RosaViterbo, lote95,lojaD JUGUEIROS Viseu (prédio (prédionovoamareloevermelho) novo amarelo e vermelho)

Tel:925610740

geral@reflexokorporal.pt www.reflexokorporal.pt

OFERTA

Leve 3 sessões L õ Pague 2 (qualquer zona) P Pernas IInteiras t i Axilas ou Peito Virilhas Buço

60€ 30€ 20€ 15€

Fotodepilação(unisexo) Fotorejuvenescimento TratamentodoAcne Depilação/Body Glitter Tattoo

Apresente A este cupão e receba uma manicura

Válido até dia 17 de Julho

Manicure /Pedicure UnhasdeGel/VernizGel Extensão/Permanente& TintadePestanas

Massagens:Relaxamento/Anticelulítica/Reafirmante MassagensTerapêuticas:TuiNa/Reflexologia Podal/ Shiatsu/MassagemcomBambus Agoratambém: DrenagemLinfáticaManual


Jornal do Centro

SAÚDE 19

02 | Julho | 2010

Dez mil surdos sem acompanhamento em Portugal A denúncia é feita pelo Departamento de Ciências da Educação e do Património da Universidade Portucalense: há um défice de docentes habilitados a interagir com cidadãos portugueses com necessidades educativas especiais.

Tal facto, segundo a mesma fonte, leva a que dez mil surdos não tenham o devido acompanhamento escolar devido à falta de professores que com eles utilizem a linguagem gestual. De acordo com António Vieira, professor no citado

FRANCISCO CORTEZ VAZ MÉDICO ESPECIALISTA GINECOLOGIA-OBSTETRÍCIA DOENÇAS DA MAMA COLPOSCOPIA MESTRADO EM PATOLOGIA MAMÁRIA (Faculdade de Medicina da Universidade de Barcelona) CHEFE DE SERVIÇO HOSPITAL S. TEOTÓNIO - VISEU Consultas: Segunda a Quinta a partir das 14 horas

Rua D. António Alves Martins, 40-4ºE 3500-078 - Viseu • Tel/Fax: 232 441 127

Consultório:

departamento da Universidade Portucalense, “apesar do reconhecimento oficial, em 1997, da língua gestual portuguesa como língua materna da comunidade de surdos, sendo a segunda língua oficial do país”. Para o mesmo especia-

lista “o Governo demitiuse das suas responsabilidades no que respeita à formação de professores para alunos surdos, o que resulta numa grave discriminação social para quem sofre desta deficiência”. É um dado adquirido entre a comunidade mé-

dica e de especialistas que, para um surdo, “ a língua gestual portuguesa é a sua língua materna”. António Vieira defende que, “se na escola, nos diferentes graus de ensino, o professor não tem competências para comunicar com ele, ao nível da formação do

indivíduo o Governo distingue entre portugueses de primeira e de segunda categoria”. O isolamento das pessoas com surdez é um problema grave que os especialistas pensam poder ser ultrapassada com um esforço comunicacional.


Jornal do Centro

20 CLASSIFICADOS

02 | Julho | 2010 RESTAURANTE O LEAL CONSSELHEIRO Chefe de Cozinha Zagallo. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Quinta do Catavejo Lt. 44 Mundão, 3505-582 Viseu. Telefone 232 185 071. Observações 6ª a Domingo - Menu de degustação | 2ª a 5ª - Preço Fixo por pessoa. RESTAURANTE CACIMBO Especialidades Frango de Churrasco, Leitão à Bairrada. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua Alexandre Herculano, nº95, Viseu. Telefone 232 422 894 Observações Serviço Take-Away.

PENALVA DO CASTELO OTELHEIRO Especialidades Feijão de Espeto, Cabidela de Galinha, Arroz de Míscaros, Costelas em Vinha de Alhos. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Sangemil, Penalva do Castelo. Observações Sopa da Pedra ao fim-de-semana.

TONDELA

RESTAURANTES VISEU RESTAURANTE O MARTELO Especialidades Cabrito na Grelha, Bacalhau, Bife e Costeleta de Vitela. Folga Não tem. Morada Rua da Liberdade, nº 35, Falorca, 3500-534 Silgueiros. Telefone 232 958 884. Observações Vinhos Curral da Burra. RESTAURANTE BEIRÃO Especialidades Bife à Padeiro, Posta de Vitela à Beirão, Bacalhau à Casa, Bacalhau à Beirão, Açorda de Marisco. Folga Segunda-feira (excepto Verão). Preço médio refeição 12,50 euros. Morada Alto do Caçador, EN 16, 3500 Viseu. Telefone 232 478 481 Observações Aberto desde 1970. RESTAURANTE TIA IVA Especialidades Bacalhau à Tia Iva, Bacalhau à Dom Afonso, Polvo à Lagareiro, Picanha. Folga Domingo. Preço médio refeição 15 euros. Morada Rua Silva Gaio, nº 16, 3500-203 Viseu Telefone 232 428 761. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira) – 6,5 euros.

RESTAURANTE CLUBE CAÇADORES Especialidades Polvo à Lagareiro, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito Churrasco, Javali na Brasa c/ Arroz de Feijão, Arroz de Perdiz c/ Míscaros, Tarte de Perdiz, Bifes de Veado na Brasa. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Muna, Lordosa, 3515-775 Viseu. Telefone 232 450 401. Observações Reservas para grupos e outros eventos. SOLAR DO VERDE GAIO Especialidades Rodízio à Brasileira, Mariscos, Peixe Fresco. Folga Terça-feira. Morada Mundão, 3500-564 Viseu. www.solardoverdegaio.pt Telefone 232 440 145 Fax 232 451 402. E-mail geral@ solardoverdegaio.pt Observações Salão de Dança – Clube do Solar – Sextas, Sábados até às 03.00 horas. Aceita Multibanco. RESTAURANTE SANTA LUZIA Especialidades Filetes Polvo c/ Migas, Filetes de Espada com Arroz de Espigos, Cabrito à Padeiro, Arroz de Galo de Cabidela, Perdiz c/ Castanhas. Folga Segunda-feira. Morada EN 2, Campo, 3510-515 Viseu. Telefone 232 459 325. Observações Quinzena da Lampreia e do Sável, de 17 de Fevereiro a 5 de Março. “Abertos há mais de 30 Anos”.

RESTAURANTE O PERDIGUEIRO Especialidades Peixes Grelhados e ao Sal, Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Assado à Padeiro. Folga Sábado. Morada Quinta do Galo, Lote B R/C Direito, 3500 Viseu. Telefone 232 461 805.Observações Aceita Multibanco.

PIAZZA DI ROMA Especialidades Cozinha Italiana (Pizzas, Massas, Carnes e Vinhos). Folga Domingo e segunda-feira ao almoço. Morada Rua da Prebenda, nº 37, 3500-173 Viseu Telefone 232 488 005. Observações Menu económico ao almoço.

RESTAURANTE PICANHA REAL Especialidades Rodízio de Picanha. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira, Lote 1 R/C, Travassós de Cima, 3500-187 Viseu Telefone 232 186 386/7 - 917 038 215. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira).

RESTAURANTE A BUDÊGA Especialidades Picanha à Posta, Cabrito na Brasa, Polvo à Lagareiro. Acompanhamentos: Batata na Brasa, Arroz de Feijão, Batata a Murro. Folga Domingo. Preço médio por refeição 12,50 euros. Morada Rua Direita, nº 3, Santiago, 3500-057 Viseu. Telefone 232 449 600. Observações Vinhos da Região e outros; Aberto até às 02.00 horas.

RESTAURANTE O VISO Especialidades Cozinha Caseira, Peixes Frescos, Grelhados no Carvão. Folga Sábado. Morada Alto do Viso, Lote 1 R/C Posterior, 3500-004 Viseu. Telefone 232 424 687. Observações Aceitamse reservas para grupos. RESTAURANTE MAJOAL Especialidades Arroz de Pato, Bacalhau c/ Natas, Grelhados, Frango de Churrasco. Folga Segundafeira. Morada Avenida Capitão Silva Pereira, 3500-208 Viseu. Telefone: 232 431 891 - 964 043 709. CORTIÇO Especialidades Bacalhau Podre, Polvo Frito Tenrinho como Manteiga, Arroz de Carqueja, Cabrito Assado à Pastor, Rojões c/ Morcela como fazem nas Aldeias, Feijocas à maneira da criada do Sr. Abade. Folga Não tem. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Rua Augusto Hilário, nº 45, 3500-089 Viseu. Telefone 232 423 853 – 919 883 877. Observações Aceitam-se reservas; Takeway. RESTAURANTE O CAMBALRO Especialidades Camarão, Francesinhas, Feijoada de Marisco. Folga Não tem. Morada Estrada da Ramalhosa, nº 14, Rio de Loba, 3500825 Viseu. Telefone 232 448 173. Observações Prato do dia - 5 euros. RESTAURANTEPORTASDOSOL Especialidades Arroz de Pato com Pinhões, Catalana de Peixe e Carne, Carnes de Porco Preto, Carnes Grelhadas com Migas. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Urbanização Vilabeira Repeses - Viseu. Telefone 232 431 792. Observações Refeições para grupos com marcação prévia. TORRE DI PIZZA Especialidades Pizzas, Massas, Carnes. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Cidade de Aveiro, Lote 16, 3510-720 Viseu. Telefone 232 429 181 – 965 446 688. Observações Menu económico ao almoço – 4,90 euros.

COMPANHIA DA CERVEJA Especialidades Bifes c/ Molhos Variados, Francesinhas, Saladas Variadas, Petiscos. Folga Terçafeira. Preço médio refeição 8,50 euros. Morada Quinta da Ramalhosa, Rio de Loba (Junto à SubEstação Eléctrica do Viso Norte), 3505-570 Viseu Telefone 232 184 637 - 962 723 772. Observações Cervejaria c/amplo espaço (120 lugares), fácil estacionamento, acesso gratuito à internet. RESTAURANTE D. INÊS Especialidades Pratos económicos de Carne e Peixe. Folga Domingo. Preço médio refeição 5 euros. Morada Rua Serpa Pinto, nº 54, 3500 Viseu Telefone 232 428 837 – 232 184 900. QUINTA DO GALO CERVEJARIAS Especialidades Grelhados de Peixe e Carne. Folga Domingo. Morada Quinta do Galo, Lt3 | Bairro Stª Eugénia, Lt21, Viseu. Telefone 232 461 790 Observações Aberto até às 2h00. O CANTINHO DO TITO Especialidades Cozinha Tradicional, Petiscos. Folga Domingo. Morada Rua Mário Pais da Costa, nº 10, Lote 10 R/C Dto., Abraveses, 3515-174 Viseu. Telefone 232 187 231 – 962 850 771. RESTAURANTEBELOSCOMERES(ROYAL) Especialidades Restaurantes Marisqueiras. Folga Não tem. Morada Cabanões; Rua da Paz, nº 1, 3500 Viseu; Santiago. Telefone 232 460 712 – 232 468 448 – 967 223 234. Observações Casamentos, baptizados, convívios, grupos. TELHEIRO DO MILÉNIO QUINTA FONTINHA DA PEDRA Especialidades Grelhados c/ Churrasqueira na Sala, (Ao Domingo) Cabrito e Aba Assada em Forno de Lenha. Folga Sábados (excepto para casamentos, baptizados e outros eventos) e Domingos à noite. Morada Rua Principal, nº 49, Moure de Madalena, 3515016 Viseu. Telefone 232 452 955 – 965 148 341.

EÇA DE QUEIRÓS Especialidades Francesinhas, Bifes, Pitas, Petiscos. Folga Não tem. Preço médio refeição 5,00 euros. Morada Rua Eça de Queirós, 10 Lt 12 - Viseu (Junto à Loja do Cidadão). Telefone 232 185 851. Observações Take-away. GREENS RESTAURANTE Especialidades Toda a variedade de prato. Folga Não tem. Preço médio refeição Desde 2,50 euros. Morada Fórum Viseu, 3500 Viseu. Observações www.greensrestaurante.com MAIONESE Especialidades Hamburguers, Saladas, Francesinhas, Tostas, Sandes Variadas. Folga Não tem. Preço médio refeição 4,50 euros. Morada Rua de Santo António, 59-B, 3500-693 Viseu (Junto à Estrada Nacional 2). Telefone 232 185 959. RESTAURANTEROSSIOPARQUE Especialidades Medalhão de Vitela p/ duas pessoas 800g Pura Alcatra, Bacalhau à Casa, Massa c/ Bacalhau c/Ovos Escalfados, Corvina Grelhada; Acompanhamentos: Migas, Feijão Verde, Batata a Murro. Folga Sábado à Noite e Domingo. Morada Rua Soar de Cima, nº 55 (Junto ao Jardim das Mães – Rossio), 3500-211 Viseu. Telefone 232 422 085. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira) – sopa, bebida, prato e sobremesa ou café – 6 euros. FORNODAMIMI Especialidades Assados em Forno de Lenha, Grelhados e Recheados (Cabrito, Leitão, Bacalhau). Folga Não tem. Preço médio por refeição 14 euros. Morada Estrada Nacional 2, Vermum Campo, 3510-512 Viseu. Telefone 232 452 555. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. QUINTADAMAGARENHA Especialidades Lombinho Pescada c/ Molho de Marisco, Cabrito à Padeiro, Nacos no Churrasco. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Nó 20 A25, Fragosela, 3505-577 Viseu. Telefone 232 479 106 – 232 471 109. Fax 232 479 422. Observações Parque; Serviço de Casamentos. RESTAURANTEIBÉRICO Especialidades Grelhados, Francesinhas, Bacalhau à Ibérico, Grelhada Mista, Vários Petiscos. Folga Não tem. Morada Quinta de Dentro, Lote 79, R/C Dto., 3505-496 Rio de Loba, Viseu. Telefone 232 449 743 – 919 908 984. Observações Refeições económicas; Comida para fora. RODÍZIOREAL Especialidades Rodízio à Brasileira. Folga Não tem. Preço médio por refeição 19 euros. Morada Repeses, 3500-693 Viseu. Telefone 232 422 232. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. RESTAURANTEOPOVIDAL Especialidades Arroz de Pato, Grelhados. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira Lt9 1ª Fase, Viseu. Telefone 232 087 776. Observações Jantares de grupo. RESTAURANTEACOCHEIRA Especialidades Bacalhau Roto, Medalões c/ Arroz de Carqueija. Folga Domingo à noite. Morada Rua do Gonçalinho, 84, 3500-001 Viseu. Telefone 232 437 571. Observações Refeições económicas ao almoço durante a semana.

RESTAURANTE BAR O PASSADIÇO Especialidades Cozinha Tradicional e Regional Portuguesa. Folga Domingo depois do almoço e Segunda-feira. Morada Largo Dr. Cândido de Figueiredo, nº 1, Lobão da Beira, 3460-201 Tondela. Telefone 232 823 089. Fax 232 823 090 Observações Noite de Fados todas as primeiras Sextas de cada mês. RESTAURANTE PONTO DE ENCONTRO Especialidades Grelhada Mista do Oceanos, Grelhada à Ponto de Encontro, Bacalhau c/ Natas, Bife à Ponto de Encontro. Folga Sábado. Morada Avenida do Salgueiral, nº 3, Fojo, Molelos, 3460211 Tondela. Telefone 232 812 867. Observações Casamentos, Baptizados e outros eventos; Refeições económicas (Almoço – 2ª a 6ª feira) – 5 e 6 euros. RESTAURANTE SANTA MARIA Especialidades Cozido à Portuguesa, Picanha, Borrego Estufado, Bacalhau Santa Maria. Folga Quarta-Feira. Preço médio por refeição Desde 6,50 euros. Morada Avenida da Igreja, nº 989, Canas de Santa Maria, 3460-012 Tondela. Telefone 232 842 135. Observações Refeições económicas c/ tudo incluído – 6,50 euros; Refeições p/ fora – 5,50 euros.

NELAS RESTAURANTE QUINTA DO CASTELO Especialidades Bacalhau c/ Broa, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito à Padeiro, Entrecosto Vinha de Alhos c/ Arroz de Feijão. Folga Sábado (excepto p/ grupos c/ reserva prévia). Preço médio refeição 15 euros. Morada Quinta do Castelo, Zona Industrial de Nelas, 3520-095 Nelas. Telefone 232 944 642 – 963 055 906. Observações Prova de Vinhos “Quinta do Castelo”.

VOUZELA RESTAURANTE O REGALINHO Especialidades Grelhada Mista, Naco de Vitela na Brasa c/ Arroz de Feijão, Vitela e Cabrito no Forno, Migas de Bacalhau, Polvo e Bacalhau à Lagareiro. Folga Domingo. Preço médio refeição 10 euros. Morada Rua Teles Loureiro, nº 18 Vouzela. Telefone 232 771 220. Observações Sugestões do dia 7 euros. TABERNA DO LAVRADOR Especialidades Vitela à Lafões Feita no Forno de Lenha, Entrecosto com Migas, Cabrito Acompanhado c/ Arroz de Cabriteiro, Polvo Grelhado c/ batata a Murro. Folga 2ª Feira ao jantar e 3ª todo o dia. Preço médio refeição 12 euros. Morada Lugar da Igreja - Cambra - Vouzela. Telefone 232 778 111 917 463 656. Observações Jantares de Grupo. RESTAURANTE EIRA DA BICA Especialidades Vitela e Cabrito Assado no Forno e Grelhado. Folga 2ª Feira. Preço médio refeição 15 euros. Morada Casa da Bica - Touça - Paços de Vilharigues - Vouzela. Telefone 232 771 343. Observações Casamentos e Baptizado. www.eiradabica.com

FÁTIMA RESTAURANTE SANTA RITA Especialidades Bacalhau Espiritual, Bacalhau com camarão, Bacalhau Nove Ilhas, Bife de Atum, Alcatra, Linguiça do Pico, Secretos Porco Preto, Vitela. Folga Quarta-feira. Preço médio refeição 10 euros. Morada R. Rainha Santa Isabel, em frente ao Hotel Cinquentenário, 2495 Fátima. Telefone 249 098 041 / 919 822 288 Observações http:// santarita.no.comunidades.net; Aceita grupos, com a apresentação do Jornal do Centro 5% desconto no total da factura.

ADVOGADOS

RESTAURANTE S. BARNABÉ Especialidades Chanfanas, Comida Italiana, Cozinha Tradicional, Arroz de Polvo c/ Gambas Morada Rua dos Bombeiros Voluntários, nº80 - 3460-572 Tondela Telemóvel 969 723 146. Observações Comida para fora.

VISEU

STAURANTE PRATO D’OURO Especialidades Cozinha Regional Morada EN 2, 1189 Adiça 3460-321 Tondela Telefone 232 816 537. Observações Refeições Económicas (2ª a 6ª feira), Refeições p/ fora.

Morada Rua da Vitória, nº 7 – 1º, 3500-222 Viseu Telefone 232 458

SÃO PEDRO DO SUL RESTAURANTE QUINTA DO MARQUÊS Especialidades Bacalhau c/ Natas, Rojões à Beirão, Vitela à Lafões, Tiramisú. Folga Domingo (Dezembro a Junho). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Galerias Quinta do Marquês, 2º Piso, Fracção Z (junto ao Pav. Desportivo Municipal e Piscinas), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 723 815. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira). RESTAURANTE O CAMPONÊS Especialidades Nacos de Vitela Grelhados c/ Arroz de Feijão, Vitela à Manhouce (Domingos e Feriados), Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Grelhado c/ Arroz de Miúdos, Arroz de Vinha d´Alhos. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 12 euros. Morada Praça da República, nº 15 (junto à Praça de Táxis), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 711 106 – 964 135 709.

SANTA COMBA DÃO RESTAURANTE TÍPICO O PEDRO Especialidades Mariscos, Grelhados e Pratos Regionais. Paelha, Camarão À Pedro, Arroz de Marisco, Bacalhau Zé Pipo, Carne Porco Alentejana, Naco, Cabrito, Cabidela de Galo. Folga Não tem. Morada Rua Principal, nº 11 A, 3440465 São João de Areias. Telefone 232 891 577 – 964 262 750. Observações Casamentos, Baptizados, Grupos; Espaço Verde.

OLIVEIRA DE FRADES OS LAFONENSES – CHURRASQUEIRA Especialidades Vitela à Lafões, Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Casa, Bife de Vaca à Casa. Folga Sábado (excepto Verão). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua D. Maria II, nº 2, 3680-132 Oliveira de Frades. Telefone 232 762 259 – 965 118 803. Observações Leitão por encomenda.

ANTÓNIO PEREIRA DO AIDO Morada Rua Formosa, nº 7 – 1º, 3500135 Viseu. Telefone 232 432 588 Fax 232 432 560 CARLA DE ALBUQUERQUE MENDES

029 Fax 232 458 029 Fax 966 860 580

MARIA DE FÁTIMA ALMEIDA Morada Rua Miguel Bombarda, nº 37 – 1º Esq. Sala G, 3510-089 Viseu Telefone 232 425 142 Fax 232 425 648 CATARINA DE AZEVEDO

Morada Largo General Humberto

Delgado, nº 1 – 3º Dto. Sala D, 3500139 Viseu Telefone 232 435 465 Fax 232 435 465 Telemóvel 917 914 134 Email catarina-azevedo5275c@adv.oa.pt

ANTÓNIO M. MENDES Morada Rua Chão de Mestre, nº 48, 1º Dto., 3500-113 Viseu Telefone 232 100 626 Email antonio.m.mendes3715c@adv.oa.pt ARNALDO FIGUEIREDO E FIRMINO MENESES FERNANDES Morada Av. Alberto Sampaio, nº 135 – 1º, 3510-031 Viseu Telefone 232 431 522 Fax 232 431 522 Email a-figueiredo@iol.pt e firminof@iol.pt MARQUES GARCIA Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº 218 – C.C.S. Mateus, 4º, sala 15, 3514-504 Viseu Telefone 232 426 830 Fax 232 426 830 Email marques.garcia-3403c@advogados. oa.pt FILIPE FIGUEIREDO

Morada Rua Conselheiro Afonso

de Melo, nº 31 – 5º, sala 502, 3510024 Viseu Telefone 232 441 235 Telemóvel 964 868 473 Email filipe.figueiredo-5153c@adv.oa.pt FABS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS – RENATO FERNANDES, JOÃO LUÍS ANTUNES, PAULO BENFEITO

Morada Av. Infante D. Henrique, nº 18 – 2º, 3510-070 Viseu Telefone 232 424 100 Fax 232 423 495 Email

fabs.advogados@netvisao.pt

JOÃO NETO SANTOS Morada Rua Formosa, nº 20 – 2º, 3500134 Viseu Telefone 232 426 753 CONCEIÇÃO NEVES E MICAELA FERREIRA – ADVOGADAS

Morada Av. Dr. António José de

Almeida, 264 – Forum Viseu [NOVAS I NS TA L AÇÕE S], 3510 - 0 43 Viseu Telefone 232 421 225 Fax 232 426 454 ELISABETE MENDONÇA Morada Rua Nunes de carvalho, nº 39 – 1º, sala 3, 3500-163 Viseu Telefone 232 471 284 Fax 232 471 284 Email elisabetemendonca-5907c@adv.oa.pt BRUNO DE SOUSA Esc. 1 Morada Rua D. António Alves Martins Nº 40 2ºE 3500-078 VISEU Telefone 232 104 513 Fax 232 441 333 Esc. 2 Morada Edifício Guilherme Pereira Roldão, Rua Vieira de Leiria N º14 2430 - 30 0 Ma r i n ha Gra nde Telefone 244 110 323 Fax 244 697 164 Tlm. 917 714 886 Áreas preferenciais Crime | Fiscal | Empresas

MANGUALDE

JOSÉ MIGUEL MARQUES Morada Rua 1º de Maio, nº 12 – 1º Dto., 3530-139 Mangualde Telefone 232 611 251 Fax 232 105 107 Telemóvel 966 762 816 Email jmiguelmarques4881c@adv.oa.pt JOSÉ ALMEIDA GONÇALVES Morada Rua Dr. Sebastião Alcântara, nº 7 – 1º B/2, 3530-206 Mangualde Telefone 232 613 415 Fax 232 613 415 Telemóvel 938 512 418 Email jose.almeida.goncalves-14291l@adv. oa.pt

NELAS

JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges. silva@mail.telepac.pt JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES

Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges.

CARLA MARIA BERNARDES

silva@mail.telepac.pt

Melo, nº 39 – 2º Dto., 3510-024 Viseu

ÂNGELO MENDES MOURA Morada Av. Visconde Guedes Teixeira, 29 – 1º, 5100-073 Lamego Telefone 254 612 402

Morada Rua Conselheiro Afonso de Telefone 232 431 005

JOÃO PAULO SOUSA

M o r a d a L g. Genera l Humber to

Delgado, 14 – 2º, 3500-139 Viseu Telefone 232 422 666

HERMÍNIO MODESTO Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº275 - 1º Esquerdo - 3510047 Viseu Telefone/Fax 232 468 295 JOÃO MARTINS M o r a d a R ua D. A ntón io A lves Martins, nº 40 – 1º A, 3500-078 Viseu Telefone 232 432 497 Fax 232 432 498 ANA PAULA MADEIRA

Morada Rua D. Francisco Alexandre

Lobo, 59 – 1º DF, 3500-071 Viseu

Telefone 232 426 664 Fax 232 426 664 Telemóvel 965 054 566 Email

anapaula.madeira@sapo.pt

MANUEL PACHECO Morada Rua Alves Martins, nº 10 – 1º, 3500-078 Viseu Telefone 232 426 917

FERNANDO AMARAL Morada Rua dos Bancos, 5100-115 Lamego Telefone 254 612 274/ 254 600 223 Fax 254 600 229

IMOBILIÁRIO VENDE-SE Pizzaria óptima localização, bem equipada, excelente clientela. Bom preço. T. 919 318 355 Casa antiga p/ restauro c/ cave - área coberta 131m2 + 195m2 de logradouro, no centro de Silgueiros. T. 917 239 296 / 962 309 454

DIVERSOS

PAULO DE ALMEIDA LOPES

Morada Travessa da Balsa, nº 21 3510-051 Viseu Telefone 232 432 209 Fax 232 432 208 Email palopes-

4765c@adv.oa.pt

Vendo 300 telhas de macelha. Para colecionadores vendo SIMCA 1300 especial. T. 916 195 468


Jornal do Centro 02 | Julho | 2010

INSTITUCIONAIS 21

Continua na pรกgina seguinte


Jornal do Centro

22 INSTITUCIONAIS | CLASSIFICADOS | NECROLOGIA

02 | Julho | 2010

NECROLOGIA Maria Palmira Lopes de Pinho, 73 anos, viúva. Natural de Ovar e residente em Casal Mendo, Alcafache, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 25 de Junho, pelas 16.30 horas, para o cemitério de Alcafache.

Maria da Assunção Fialho, 83 anos, viúva. Natural e residente em Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 29 de Junho, pelas 18.00 horas, para o cemitério local.

Maria Fernanda Loureiro Mendes, 59 anos, casada. Natural e residente em Vila Ruiva, Nelas. O funeral realizou-se no dia 25 de Junho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Senhorim.

Agência Funerária Figueiredo & Filhos, Lda. Oliveira de Frades Tel. 232 761 252

Maria de Lurdes, 85 anos, viúva. Natural e residente em Santiago de Cassurães, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 26 de Junho, pelas 10.30 horas, para o cemitério de Santiago de Cassurães. Rita Guiomar Leandro Ferreira Morais, 50 anos, casada. Natural e residente em Mangualde. O funeral realizou-se no dia 26 de Junho, pelas 15.00 horas, para o cemitério local. Andelmo Mendes, 75 anos, casado. Natural e residente em Freixiosa, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 28 de Junho, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Freixiosa. Adião Pais de Almeida e Silva, 83 anos, casado. Natural de Santo André e residente em Mangualde. O funeral realizou-se no dia 1 de Julho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Mangualde. Agência Funerária Ferraz & Alfredo Mangualde Tel. 232 613 652 José Loureiro Pereira, 78 anos, casado. Natural de Canas de Senhorim e residente em Aguieira. O funeral realizou-se no dia 29 de Junho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Aguieira. Agência Funerária Nisa, Lda. Nelas Tel. 232 949 009 Silvina Loureiro, 81 anos, viúva. Natural e residente em Sejães, Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 27 de Junho, pelas 18.30 horas, para o cemitério de Sejães.

Serafim Ramos dos Santos, 50 anos, casado. Natural de Ferreirim Sernancelhe e residente em Sátão. O funeral realizouse no dia 27 de Junho, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Ferreirim. Filipe Meleiro Cabral, 52 anos, casado. Natural e residente em Lousadela, Queiriga, Vila Nova de Paiva. O funeral realizou-se no dia 1 de Julho, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Queiriga. Agência Funerária Sátão Sátão Tel. 232 981 503 Albano Lopes Costa Machado, 57 anos, casado. Natural de S. João de Lourosa e residente em Marzovelos. O funeral realizou-se no dia 29 de Junho, pelas 16.00 horas, para o cemitério velho de Viseu. Madalena de Jesus, 87 anos, casada. Natural de S. Pedro de France e residente em Cavernães. O funeral realizou-se no dia 30 de Junho, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Cavernães. Ana Maria da Silva Marques Novo, 44 anos, casada. Natural de S. Martinho de Orgens e residente em Alemanha. O funeral realizouse no dia 30 de Junho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Orgens. José Ferreira, 84 anos, casado. Natural de S. Salvador e residente em Vildemoinhos. O funeral realizou-se no dia 30 de Junho, pelas 18.00 horas, para o cemitério de Vildemoinhos. Agência Funerária Decorativa Viseense, Lda. Viseu Tel. 232 423 131

2ª Publicação

1ª Publicação

(Jornal do Centro - N.º 433 de 02.07.2010)

(Jornal do Centro - N.º 433 de 02.07.2010)


Jornal do Centro

clubedoleitor CARTA DA SEMANA

23

DEscreva-nos para:

02 | Julho | 2010

Jornal do Centro - Clube do Leitor, Bairro S. João da Carreira, Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lt 10, r/c . 3500 -187 Viseu. Ou então use o email: redaccao@jornaldocentro.pt As cartas, fotos ou artigos remetidos a esta secção, incluindo as enviadas por e-mail, devem vir identificadas com o nome e contacto do autor. O semanário Jornal do Centro reserva-se o direito de seleccionar e eventualmente reduzir os originais. Não se devolvem os originais dos textos, nem fotos.

Ditos cruzados para pensar! APolítica e politiquice. Conhecendo, como conheço, por (alguma) experiência própria a política em Portugal, devo dizer que as pessoas sãs não têm habitualmente sucesso na política. Entram, com boas intenções, ficam por uns tempos, mas a larga maioria, ao que vê e ouve, abandona tais funções. É claro que, como em tudo, há excepções, com políticos que conseguem manter-se íntegros e dominar as máquinas partidárias e os interesses obscuros, mas são uma minoria. Alguns defeitos dos portugueses. Temos pena de nós próprios; o sucesso é sempre atribuído à sorte e não ao

trabalho; somos parte do problema e não da solução; temos inveja. E ainda, ao longo dos últimos anos, vivemos, em muitos casos, acima das nossas possibilidades. Mesmo agora, em tempo de crise, todos conhecemos exemplos desses à nossa volta. Há uma inversão de valores muito preocupante: para muita gente, é mais importante ter um bom carro do que ser honesto. Uma grande Portuguesa, a Catarina Furtado. Numa entrevista dada à “Revista Única” (29/05/10), Catarina Furtado dá mostras de ser uma grande portuguesa, de ser íntegra, dedicada, coerente e muito empenhada, quer na

rAs pessoas sãs não têm habitualmente sucesso”

família, quer na carreira, quer na acção social e planetária. A propósito do tra-

GENTE DA NOSSA TERRA > JOÃO NASCIMENTO E ODETE NASCIMENTO, CASA DA BONECA

Vanina Dias

Quem não conhece a “Casa da Boneca” em Viseu? Fundada em 1978, este espaço comercial faz parte da história do comércio da cidade. Durante décadas os seus proprietários, João e Maria Odete Nascimento, dedicaram-se à venda essencialmente de brinquedos, além de artesanato, bordados e materiais escolares. Considerado como um local privilegiado de compras, especialmente na época do Natal e no dia Mundial da Criança, a Casa da Boneca não consegui resistir a chegada dos centros comerciais e do comércio chinês. “Já não somos nada do que éramos, por causa da idade e do negócio que esta cada vez mais difícil, qualquer dia fechamos”, explica o dono João António de Nascimento. Mais do que uma loja este foi um lugar onde muitas crianças mostraram os seus sorrisos quando os proprietários ofereciam brinquedos. “Não há ninguém que não se lembre de nós, já há poucos clientes que sabem que temos coisas antigas, vêm cá e têm pena de isto estar a fechar”, desabafa Maria Odete Ferreira de Nascimento. A “Casa da Boneca” vai fechar mas ficam as recordações de um espaço que para sempre imortaliza o comércio tradicional da cidade.

balho que faz e do mundo de miséria que encontra, em África, por ser embaixadora do Fundo das Nações Unidas de Actividades para a População (FNUAP), desde 2001, diz que quando regressa ao conforto em que vive sente um grande desconforto, chegando a ser mais dura para os seus filhos. Cito: “Mais brinquedos para quê? Eu também não tive tudo o que pedi na infância. E não fiquei traumatizada, porque tive o mais importante dos meus pais: mimo e confiança.” É bom haver portugueses deste calibre! Vítor Manuel Tavares Martins vitormartins65@gmail.com

CANTINHODOANIMAL | ADOPÇÕES CANTINHO DOS ANIMAIS ABANDONADOS DE VISEU • RIO DE LOBA • 232 449 934

Gatinha com cerca de 2 meses. Está desparasitada, já levou a primeira vacina e será esterilizada aos 7 meses.

FOTO DENÚNCIA “Quem não se sente não é filho de boa gente”. Eu sou de Vildemoinhos (Viseu) e não aceito que a polícia cometa gralhas no nome da minha terra. Já para não falar na concordância dos tempos dos verbos.

Fêmea com cerca de 2 meses, de porte pequeno. Está desparasitada, vacinada e será esterilizada aos 7 meses.

Leitor identificado

Leitor identificado

Macho com cerca de 2 meses, de porte pequeno. Está desparasitado, vacinado e será castrado aos 7 meses. Esta rúbrica está aberta à participação dos leitores. Submeta a sua denúncia para redaccao@jornaldocentro.pt


tempo: sol

JORNAL DO CENTRO 02 | JULHO | 2010

Hoje, dia 2 de Julho, aguaceiros de tarde. Temperatura máxima de 24ºC e mínima de 17ºC. Amanhã, dia 3 de Julho, sol. Temperatura máxima de 25ºC e mínima de 17ºC. Domingo, dia 4 de Julho, sol. Temperatura máxima de 28ºC e mínima de 19ºC. Segunda, dia 5 de Julho, sol. Temperatura máxima de 27ºC e mínima de 19ºC.

Impresso em papel que incorpora 30 por cento de fibra reciclada, com tinta ecológica de base vegetal

Olho de Gato

agenda

http://twitter.com/olhodegato

Sexta, 02 Viseu

∑ I Simpósio de Gerontologia “Novas Perspectivas de Intervenção”, organizado pela PsicoSoma, às 9h30.

Little Brothers

joaquim.alexandre.rodrigues@netvisao.pt

Sábado, 03

∑ Encontro de tunas integrado no programa “viseu Naturalmente”, às 22h00, no Mercado 2 de Maio. Cinfães

∑ I Passeio da Freguesia de Souselo com destino à cidade de Mirandela, organizado pela junta. Viseu

∑ Caminhada na Rota das Termas de Alcafache. Concentração junto à estância termal, às 17h30. Mangualde

∑ Os 200 anos sobre a passagem do exército francês em Mangualde durante a 3ª Invasão Francesa assinalados, através da sessão performativa de rua “Eles vêm aí”, às 21h30, no Sítio das Tasquinhas. Publicidade

DR

Viseu

∑ Raid “Cidade dos Viriatos”, organizado pelo Regimento de Infantaria 14, em parceria com o Clube de Orientação de Viseu, marca o inicio das comemorações do 59º aniversário dos Viriatos. 7h00, no Fontelo.

Joaquim Alexandre Rodrigues

A Ao longo dos dois dias é possível assistir à recreação de cenas medievais

Feira de Penedono evoca “O Magriço” Idade Média ∑ Feira destaca-se pelo seu rigor histórico Promover uma viagem no tempo e recriar tempos da Idade Média são os objectivos de mais uma edição da Feira Medieval que Penedono recebe este fim-de-semana. Amanhã, dia 3, e domingo, dia 4, a magia da história emerge pelas ruas da vila, recordando a figura de Álvaro Gonçalves Coutinho, “O Magriço”. Caracterizando-se pelo rigor histórico e pela fidelidade na recreação da época que evoca, a Feira Medieval de Penedono promete a todos os visitantes dois dias de muita animação, nos quais é possível assistir a duelos idílicos, brigas de ta-

verna, à venda e redenção de cativos, à exibição de máquinas de guerra, à proclamação de direitos senhoriais, a demonstrações de armas por parte dos fidalgos, bem como às permutas de produtos tradicionais e artesanais próprios de um grande mercado medieval. Promovido pela autarquia local, esta feira pretende envolver toda a comunidade e visitantes, levando a que todos possam ter uma participação activa, disponibilizando para isso uma indumentária característica da época. Novidade nesta edição é a presença de uma torre de assalto medieval, com 12 metros de

altura e que constitui um exemplar único na Península Ibérica, uma réplica do modelo de torres usado na Idade Média. Ceia Medieval. Amanhã, a partir das 20h00, tem lugar a habitual ceia medieval, na qual a refeição é servida num prato feito de massa de pão e onde não existem talheres. Contando com uma animação contínua, com a presença de malabaristas e dançarinos medievais, os participantes têm oportunidade de provar alguns dos pratos típicos da época. Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Portagens em que não se possa paga r nem em dinheiro nem por cartão inquietam. É o estado Big Brother, mas são também os Little Brothers, os espreitas sempre prontos a meterem o nariz na vida alheia. Dos vários casos problemáticos que me contaram, descrevo dois: 1. O sr. António trabalha para uma grande empresa. O carro de trabalho é seu e a “via verde” debita na sua conta bancária. Durante o trabalho, passa nas portagens manuais para receber o talão, talão que depois apresenta na contabilidade da empresa. Como é que o sr. António vai poder documentar a despesa nas portagens electrónicas? Pede os ta lões às cegonhas poisadas nos pórticos? Manda a conta ao secretário de estado Paulo Campos e ao seu ex-assessor? 2 . O sr. Belmiro é chefe de departamento numa empresa industrial. Tem carro da empresa atribuído, com “via verde” em nome da empresa. Aos fins-de-semana o sr. Belmiro, que é uma pessoa escrupulosa, vai à portagem

manual para ser ele a pagar o uso particular do carro. O sr. Belmiro está com dois problemas e não sabe qual deles é o pior: - como pagar as portagens electrónicas do seu bolso já que a “via verde” debita na conta da empresa? - como evitar que o seus administradores, uns Little Brothers metediços, saibam por onde ele anda aos finsde-semana? Título do Diário de Viseu de 25 de Junho: “Presidente da Câmara de Viseu quer turistas a pagar SCUT”. Eis as exactas palavras de Fernando Ruas: “Eu nunca achei bem que um alemão venha pelo seu país, chegue à França pague portagens, chegue a Espanha pague portagens e depois vem a Portugal e entra aqui e nada.” Que pensarão destas palavras os homólogos do dr. Ruas de Ciudad Rodrigo, de Salamanca e de Ávila? É que eles são servidos por excelentes “Autovias” onde ninguém paga. Ninguém paga. Nem os turistas viseenses que passam por lá.

Jornal do Centro - Ed433  

Jornal do Centro - Ed433