Page 1

Publicidade

Distribuído com o Expresso. Venda interdita.

UM JORNAL COMPLETO

Publicidade

pág. 02 pág. 05 pág. 06 pág. 07 pág. 12 pág. 13 pág. 14 pág. 17 pág. 19 pág. 20 pág. 22 pág. 23

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > À CONVERSA > REGIÃO > NEGÓCIOS > DESPORTO > CULTURAS > SAÚDE > RESTAURANTES > CLASSIFICADOS > NECROLOGIA > CLUBE DO LEITOR

DIRECTOR

Pedro Costa

Semanário 18 de Junho de 2010 Sexta-feira Ano 9 N.º 431

1,00 Euro (IVA 5% incluído)

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

|Telefone:232437461·Fax:232431225·BairroS.JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

Comerciantes querem Mercado 2 de Maio de volta

À conversa

“Andámos durante ∑ Proposta da Associação Comercial do Distrito de Viseu gera consenso entre o comércio local | página 5 dois anos a desperdiçar dinheiro na requalificação de escolas que agora irão ficar abandonadas” ∑ Ministro anunciou em Viseu experiência inédita: o “polícia de família”, carros eléctricos e “segways” para os agentes

PSP tem novos veículos eléctricos

Maria José Viseu, presidente da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação

| página 6

Feira de Lafões Menos produtores garantem continuidade do certame página 12

Desporto Luis Miguel e Fábio reforçam Académico de Viseu página 13

Publicidade

Nuno Ferreira

Oferta de bilhetes

O Jornal do Centro tem bilhetes para o espectáculo de música (Re)Encontro, dia 19, às 21h45, na ACERT em Tondela. Para ganhar ligue 232 437 461. Bilhetes limitados.

página 7


2

Jornal do Centro 18 | Junho | 2010

praçapública palavras

deles

rSão horas de trabalho e nós achámos que, eventualmente, alugar um ecrã era fomentar as saídas do trabalho”

rO grupo [Visabeira] está bastante saudável”

rEu conheço,

rNão tenho uma

desde que aqui estou, duas dezenas de comandantes, o que não reforça e não abona em termos da estabilidade do comando [da PSP de Viseu]”

actividade políticopartidária, agora, há mais de três décadas, que faço política e poesia na minha acção”

Fernando Ruas Presidente da Câmara Municipal de Viseu (A propósito da transmissão em ecrã gigante dos jogos da selecção portuguesa no Mundial da África do Sul, Diário de Viseu, 11 de Junho)

Paulo Varela Vice-Presidente do Grupo Visabeira (Diário de Viseu, 14 de Junho)

Bilhete Postal

“O cronista”

Acácio Pinto Deputado do PS aspinto@ps.parlamento.pt

João Semedo foi isso que fez. Vestiu a pele de escritor cirúrgico”

José Sócrates disse, várias vezes e muito antes da constituição da Comissão de Inquérito, que não tinha tido nenhum conhecimento oficial das negociações entre a PT e a TVI e que o Governo não tinha sido ouvido. Ou seja, aquilo que sabia resumia-se a conhecimento informal, através dos jornais. Desde então houve centenas de manchetes e de aberturas de telejornais, houve inúmeras entrevistas e muitas quadraturas pachequistas e houve até uma Comissão de Inquérito, inquisitorial, que perguntou, ameaçou, inquiriu e voltou a inquirir; que quis politizar a justiça e judicializar a política; que esventrou privacidades e enlameou cidadãos; que traiu

Fernando Nobre Candidato a Presidente da República (Apresentação do livro “Humanidade”, 13 de Junho)

princípios e violentou a Constituição; e que, afinal, não conseguiu provar nenhum facto para além daqueles que já eram conhecidos. Qual a solução? Em vez de um relatório vai de escrever um romance. Redigir uma ficção. E o “cronista” de serviço do reino “Social Bloquista”, João Semedo, foi isso que fez. Vestiu a pele de escritor cirúrgico. Pegou no bisturi de amputador de frases. Mascarou-se de divulgador de ideias prévias. Foi, objectivamente, ventríloquo vá-se lá saber de que interesses… Resta-nos ficar à espera da publicação comercial dos próximos capítulos pelas editoras habituais…

Fernando Ruas Presidente da Câmara Municipal de Viseu (Cerimónia de apresentação do Comando Local de Segurança de Viseu, 14 de Junho)

Nossa Senhora da Saúde nos acuda

João Carlos Figueiredo Deputado do PSD joao.figueiredo@psd.parlamento.pt

A reforma dos Serviços de Atendimento Permanente (SAP) dos Hospitais/Centros de Saúde sempre nos foi apresentada como necessária, imperiosa e sobretudo boa para as populações. Mais: a mesma só avançava porque tinha como respaldo um suporte humano e técnico do INEM que garantia um serviço de socorro atempado e sobretudo ajustado às diversas solicitações. Sempre tive dificuldade em perceber como é que se pode substituir um serviço de urgência de um hospital ( o caso de Anadia é paradigmático) por uma ambulância, mas enfim… Esta semana comentou-se

que a Direcção do INEM se prepara para fazer cortes drásticos nesses meios de socorro. À intenção de suspender 2 helicópteros e 30 ambulâncias de Suporte Básico e Imediato de Vida somar-se-á a redução das respectivas equipas de Técnicos e Enfermeiros. Na prática, as localidades ficaram sem os SAP e agora sem os meios que os substituíram. Para além de enganadas, as populações ficam desprotegidas. Perante isto resta-nos rezar a Nossa Senhora da Saúde, porque a outra senhora, a que está no Ministério, nem gritando por socorro nos acode. Ao que nós chegámos…!

As localidades ficaram sem os SAP e agora sem os meios que os substituíram”

Opinião

Encerrar o Interior

Alexandre Azevedo Pinto Economista alexazevedopinto@sapo.pt

Parece que o Governo acaba de decidir fechar dois terços do país. Este dado não é estatístico, é uma evidência nos campos do Interior. Quando hoje viajamos pelas nossas vilas e aldeias fazemos muitos quilómetros sem ver ninguém. O horizonte do vazio é a marca dominante. O encerramento de escolas vem numa linha de continuidade de um país em agonia que escolhe a via mais curta que leva ao seu enforcamento. Numa avaliação possível dos prós e contras que tal medida acarreta, não hesito seleccionar a opção do contra. Já me basta ter

um país centralizado, litoralizado e sem chama. Já me basta o fecho amiúde de escolas, maternidades, hospitais, instituições públicas em geral. Já me basta ter uma geração de crianças a nascer em ambulâncias. Medidas economicistas desta natureza só mostram uma coisa: são os de sempre a pagar os custos de uma crise; aqueles que menos têm, os que não têm voz. Neste país do à beira do caos, medidas impostas por uma doutrina económica em frangalhos não podem ser levadas muito a sério; são precisas novas políticas para o interior. Medidas que contrariem

o esvaziamento, a desertificação o abandono. Novas políticas que criem oportunidades aos jovens casais que se queiram fixar no interior. Como? Oportunidades de emprego e qualidade de vida são factores determinantes. Interior é hoje sinónimo de atraso e subdesenvolvimento. Esta ideia completamente estigmatizada do interior, precisa de ser contrariada e é preciso muito tempo. Uma geração ou duas pelo menos. Para que isso aconteça são necessárias novas políticas de povoamento e ordenamento do território, novas políticas de saúde e educação, no-

vas políticas fiscais e económicas, mas sobretudo uma nova geração de políticos que tragam uma visão diferente para o interior do país. Existe hoje muito trabalho bem feito em juntas de freguesia rurais do interior mais profundo, muito dele dinamizado por presidentes de junta bastante jovens. Contudo, esse seu trabalho e esforço acaba por ser feito contra a corrente de políticas centralistas impostas pelo governo de Lisboa. Falta acarinhar estes projectos, ligálos em rede, valorizá-los o melhor possível. E neste caso nem sempre o dinheiro é a solução.


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 3

Jornal do Centro 18 | Junho | 2010

6 números

estrelas

Rui Pereira Ministro da Administração Interna

É o número de veículos adquiridos no âmbito do Contrato Local de Segurança de Viseu e que foram entregues à PSP. Três carros eléctricos e três “segways” auxiliam os agentes no patrulhamento do centro histórico.

Importa-se de responder?

Gualter Mirandês Presidente da Associação Comercial do Distrito de Viseu

ABC Nelas Futsal

Segundo ano consecutivo em que o ABC de Nelas tem uma equipa na final dos escalões de formação. Não é coincidência, e muito menos fruto do acaso. A qualidade da formação que faz há muito era reconhecida. Estes resultados comprovam-no. Quem trabalha bem, fica muito mais perto de conseguir o sucesso.

O ministro da Administração Interna anunciou, em Viseu, a iniciativa inédita “polícia de família”, que vai permitir a cada cidadão ter o número de telefone de um polícia para se socorrer sempre que for necessário. A medida, numa primeira análise, é boa porque aproxima a polícia dos cidadãos. Ao ser anunciada fora dos grandes centros, faz transparecer uma nova preocupação com a segurança.

A intenção de voltar a dar vida ao antigo Mercado 2 de Maio, assumida por Gualter Mirandês, está a ser bem recebida junto do comércio de rua do centro histórico de Viseu. Se a proposta do presidente da Associação Comercial for aceite, aquele espaço vai voltar a receber diariamente um mercado de legumes e frutas.

Gostava que o Mercado 2 de Maio voltasse a ter venda de frutas e legumes ? Sim, gostava de ver este tipo de comércio no mercado, porque para além de ocupar o espaço da praça que está vazio, pode trazer mais movimento de pessoas para o centro da cidade, contribuindo desta forma para o comércio local.

Sim, concordo plenamente porque poderia trazer movimento e dinamismo à zona histórica da cidade, o que seria uma mais valia para o comércio local.

Alberto Aparício

Fábio Coelho

Comerciante

Cozinheiro

Sim, porque poderia trazer mais movimento ao comércio tradicional do centro da cidade. Penso que as actuais instalações do mercado municipal não apresentam condições propícias à prática do comércio.

Gostava muito de voltar a ver o mercado na praça 2 de Maio. Na minha opinião nunca devia ter saído daqui. Na altura, a câmara devia ter optado por fazer obras, criando melhores condições para manter o mercado neste local.

Rita Carvalho Médica Dentista

Anabela Figueiredo Florista

F editorial

Água mole em pedra dura...

José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

É como o ditado popular prevê: de tanto cair água na pedra... o que acontece é que fura mesmo. E também dizem que “ou vai ou racha”. As expressões só querem dizer que, com persistência, se consegue chegar a um objectivo. Há muito que um punhado de comerciantes da orla do antigo Mercado 2 de Maio propôs à Câmara Municipal de Viseu reavivar o espaço remodelado pelo arquitecto Siza Vieira. Demorou tempo demais

para surgir uma reacção, tanto da autarquia como da Associação de Comerciantes. O Mercado 21 de Agosto “levou” as pessoas para longe e “agora” até está para “ir abaixo”, pensam muitos. Quem ganhou com com tudo isto, que se passou em duas décadas, foram os “prisuniques”, os “modelos”, os “lideles” e outros espaços de grande superfície comercial criados em Portugal por muitos “belmiros” e “pingos de doce amargo”.

O peixe já só é fresco nos lugares continentes. O arroz e a couve só têm cor onde até custa respirar e se leva com carrinhos de metal em contramão. Não são saudades do passado, mas sim desejos de um futuro que resulte diferente com a teimosia das pessoas. E que venha o mercado outra vez para o 2 de Maio. Porque não? Água mole em pedra dura (de cabeças se fala), tanto dá até que fura!”


4 PRAÇA PÚBLICA | OPINIÃO

Jornal do Centro 12 | Fevereiro | 2010

Opinião Director Pedro Costa C.P. n.º 1464 pedro.costa@jornaldocentro.pt

Amanhã haverá alguém no interior de Portugal?

Redacção (redaccao@jornaldocentro.pt) Emília Amaral, C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Gil Peres, C.P. n.º 7571 gil.peres@jornaldocentro.pt

José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Vanina Dias (estagiária)

Departamento Comercial comercial@jornaldocentro.pt

Directora: Catarina Fonte catarina.fonte@jornaldocentro.pt

Ana Paula Duarte

José Costa Professor Coordenador ESSV/IPV Médico Dentista jcosta@essv.ipv.pt

ana.duarte@jornaldocentro.pt

Departamento Gráfico Marcos Rebelo marcos.rebelo@jornaldocentro.pt

Projecto Gráfico defrank - Comunicação Editorial defrank@netcabo.pt

Serviços Administrativos Sabina Figueiredo sabina.figueiredo@jornaldocentro.pt

Impressão GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Distribuição Vasp

As aldeias e territórios menos litoralizados serão autênticas hortas de pinheiro e eucalipto”

Tiragem média 6.000 exemplares por edição

Sede e Redacção Bairro de S. João da Carreira Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lote 10 r/c 3500-187 Viseu Telefone 232 437 461 Fax 232 431 225

O interior do país só porque é interior, e se encontra longe dos campos visuais centralmente posicionados, estará condenado a ver e a sentir a desertificação da sua população? Tenho a certeza que não. É mesmo possível impedir, e deve ser impedido, esse quadro negro, cada vez mais real. A vitalidade e o crescimento das localidades são proporcionados com a presença das pessoas. Como é óbvio, se as medidas governamentais adoptadas “convidam” a um esvaziamento dos espaços, num curto prazo, algumas das aldeias e territórios menos litoralizados serão autênticas hortas de pinheiro e eucalipto. E, como sabemos, este seca tudo à sua volta. A não ser que haja uma nova oportunidade para promover e incrementar o turismo com o slogan – visite o deserto no interior de Portugal. É que, em algumas povoações deste país

pouco existe. Encerraram os correios e outras infra-estruturas. E a escola, às vezes, a única infra-estrutura pública corre o risco de deixar de existir. Isto não é defender nem promover políticas sensatas, criativas e inteligentes que evitem a sangria desmedida que assola o interior, levando as pessoas a migrarem para o litoral e para as grandes cidades. Tenho a certeza que as pessoas não vão para o litoral por mero prazer, mas por manifestas necessidades de ordem económica e um défice de harmonia existente em Portugal. Hoje, os pais pouco trabalham nas aldeias e nas vilas, trabalham essencialmente nas cidades. Hoje, poucas são as crianças que vivem nas suas aldeias e poucas são as que estudam na escola da sua própria localidade. Hoje, começam a ser poucos os idosos que permanecem nas suas terras por falta de gente que cuide deles.

Paradoxalmente, hoje, contudo, as acessibilidades melhoraram, os quilómetros medem-se em minutos, os terrenos para a habitação são mais económicos nas aldeias, o ambiente rural é menos poluído que o citadino e o sentido de pertença está mais enraizado nas nossas aldeias de nascimento. Então! Então! Com esta realidade, será que não conseguimos inverter a tendência da desertificação? Conseguiremos se forem adoptadas medidas protectoras da família e promotoras da natalidade e, simultaneamente, a riqueza estruturante for equitativamente distribuída pelas regiões do país. O capital social e o capital paisagístico estão em todo o país. Uns não são a capital e o resto não é a paisagem. O país tem que ser desenvolvido como um todo, só desta forma é possível encontrar, amanhã, algum português no interior.

E-mail redaccao@jornaldocentro.pt

Internet

Clareza no pensamento (http://clarezanopensamento.blogspot.com)

www.jornaldocentro.pt

Propriedade O Centro–Produção e Edição de Conteúdos, Lda. Contribuinte Nº 505 994 666 Capital Social 114.500 Euros Detentores de mais de 10 por cento do Capital: Sojormedia SGPS, SA Depósito Legal Nº 44 731 - 91 Título registado no ICS sob o nº 100 512

A informação financeira das empresas

Gerência Francisco Rebelo dos Santos, Ângela Gil e Pedro Costa

José Manuel Oliveira Departamento Financeiro Ângela Gil (Direcção), Catarina Branquinho, Celeste Pereira, Gabriela Alves, João Machado Patrícia Santos info@lenacomunicacao.pt

Docente na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu

Departamento de Marketing Patrícia Duarte (Direcção), Susana Santos (Coordenação), Catarina Fonseca e Catarina Silva marketing@lenacomunicacao.pt

Departamento de Recursos Humanos Nuno Silva (Direcção) e Sónia Vieira drh@lenacomunicacao.pt

Departamento de Sistemas de Informação Tiago Fidalgo (Direcção) e Hugo Monteiro dsi@lenacomunicacao.pt

Unidade de Projectos Lúcia Silva (Direcção) e Joana Baptista (Coordenação) projectos@lenacomunicacao.pt Os artigos de opinião publicados no Jornal do Centro são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. • O Jornal reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos enviados para a secção “Cartas ao Director”.

Semanário Sai às sextas-feiras Membro de: Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem

Associação Portuguesa de Imprensa União Portuguesa da Imprensa Regional

É importante que os responsáveis das empresas vejam a contabilidade não apenas numa lógica de obrigação legal”

A contabilidade assume cada vez mais um papel importante no mundo empresarial e dos negócios na medida em que se torna fundamental como instrumento de enorme utilidade para a tomada de decisões. Parece no entanto caricato constatar, que os principais beneficiários da informação que a contabilidade pode aportar para os responsáveis das entidades, quer assumindo um papel na gestão dos negócios, quer na qualidade de detentores do capital, na grande maioria dos casos e sobretudo ao nível das pequenas empresas, pouca atenção lhe dispensam, servindo a contabilidade, na sua óptica, apenas, para lhes resolver os problemas de natureza fiscal, tanto nos aspectos declarativos, como no cumprimento das obrigações fiscais. É importante que os responsáveis das empresas vejam a contabilidade não apenas numa lógica de obrigação legal, mas sobretudo como um instrumento de informação que os pode ajudar na tomada de decisões dos seus negócios e ainda que lhe permitam avaliar: - O comportamento económi-

co-financeiro da entidade, a sua estabilidade, vulnerabilidade e a sua eficácia no cumprimento das suas funções; -A capacidade da entidade para manter os seus recursos fixos e circulantes, para financiá-los adequadamente e para remunerar as suas fontes de financiamento. Por isso, em tempos de crise, a informação disponibilizada pela contabilidade deverá ser analisada com regularidade e com o detalhe necessário para dela se extraírem os factos históricos menos conseguidos e desse modo fazer as adequadas correcções futuras que permitam atingir os objectivos definidos. A realidade tem vindo a demonstrar, que sobretudo ao nível das pequenas entidades, são os utentes externos, aqueles que não dispensam a informação financeira que a contabilidade lhes pode proporcionar e os que maior importância lhe atribui, tendo em vista a obtenção dos resultados de gestão das empresas. Neste particular, destacam-se as Instituições Financeiras, que hoje em dia, duma forma contínua, não dispensam aquela informação, através da

qual, podem de forma mais sustentada medir o risco de crédito dos seus clientes. É com frequência que se vêem empresários serem confrontados pelos analistas dos bancos, para prestarem esclarecimentos sobre aspectos evidenciados nas Demonstrações Financeiras das suas empresas, para as quais, regra geral, demonstram, quase sempre, uma total ignorância, remetendo-os para os Técnicos Oficiais de Contas, para prestarem tais esclarecimentos, alguns deles relacionados exclusivamente com actos de gestão que na maioria dos casos desconhecem. Cabe por isso, aos Técnicos Oficiais de Contas, um papel importante na sensibilização dos empresários, para a informação disponibilizada pela contabilidade e na sua importância como auxiliar nos actos de gestão. Por fim, referir a importância da escola, como veículo transmissor de formação para o exterior e que neste assunto particular, poderia ser a promotora de cursos intensivos de formação, dirigida especificamente para gestores, sem formação na área financeira.


Jornal do Centro

5

18 | Junho | 2010

abertura

textos ∑ M textos e fotosfotografia ∑ José Lorena ∑S

“Um tiro no pé” Paulo Rodrigues tem um café na zona de comércio do antigo Mercado 2 de Maio. Desde pequeno que o espaço é gerido pelos pais. “Acho que a Câmara deu um tiro no pé ao fechar da forma que fechou este mercado e este espaço que poderia ter sido a solução para atrair gente ao centro

A Paulo Rodrigues histórico”, diz, rematando: tenho saudades da agitação e da antiga escadaria”.

“Em vez de amanhã já podia ter sido” A O antigo Mercado 2 de Maio pode regressar ao passado

Comerciantes querem mercado de volta ao 2 de Maio Proposta∑ Ideia vai ser apresentada oficialmente à autarquia A Associação Comercial do Distrito (ACDV) prepara-se para propôr à Câmara Municipal de Viseu o regresso ao renovado espaço do antigo Mercado 2 de Maio de uma feira diária de venda de produtos frescos. A ideia há muito que passava pela cabeça de algumas pessoas, entre comerciantes, autarcas e dirigentes da ACDV. O antigo Mercado 2 de Maio, de que muitos ainda se lembram, foi encerrado em 1992. Ali funcionava a “praça” dos produtos locais, do peixe fresco que vinha de fora todos

Publicidade

os dias e de muitos outros produtos e artigos que diariamente recheavam as mesas e os frigoríficos das gentes de Viseu. O antigo autarca Manuel Engrácia Carrilho, em finais da década de 80 do século XX, decidiu encerrar o local, aprovando o actual mercado 21 de Agosto (um projecto considerado por muitos um “elefante branco”) no espaço interior entre as avenidas Alberto Sampaio e António José de Almeida. Anos passados, e após a renovação do 2 de Maio pelo a rqu itecto Si za

Vieira, que criou um espaço completamente diferente, volta a ser pedido o mercado - de legumes e frutas, pelo menos - diário para o espaço que, solitário, assiste hoje à confluência das ruas Formosa e do Comércio. O Jornal do Centro tentou, sem sucesso, questionar o maior arquitecto português da actualidade sobre a ideia da ACDV. O autarca Fernando Ruas adianta uma reacção: “o actual mercado 21 de Agosto tem um projecto de regeneração em fase de conclusão”, revela, acrescentando que

“só depois disso se poderá pensar em transferir alguma coisa para o antigo 2 de Maio”. Ruas gosta da ideia (até porque nunca gostou da alternativa do 21 de Agosto), mas garante que “nem todo o mercado passará para o antigo espaço. Apenas, por exemplo, os produtos frescos, mas nunca desvirtuando o que pensou Siza Vieira”, sugere. Os comerciantes da zona histórica agradecem a ideia da ACDV. Ana Linete, por exemplo, diz que a medida “evitava o fecho do pequeno comércio”.

Há muito que Isabel Pina possui uma casa comercial com montras e entradas para o interior do Mercado 2 de Maio e da rua do Comércio. Gosta da ideia da Associação de Comerciantes de recuperar o antigo espaço e retomar a venda diária de legumes e frutas. “Em vez de estarem a pensar nisso para ama-

A Isabel Pina nhã, já o podiam ter feito ontem”.

“Vai trazer muita gente” Está há três anos numa perfumaria e gabinete de estética na parte interior do renovado Mercado 2 de Maio. Sílvia Soares acha “óptima” a ideia de recriar o mercado e acredita que a ideia “vai trazer muita gente” ao local e ao centro histórico. Por outro lado, a jovem comerciante propõe que a “barreira” entre o mer-

A Sílvia Soares cado e a r ua Formosa seja suprimida, “o que impede as pessoas de entrar”.


6

Jornal do Centro

à conversa

Entrevista ∑ António Figueiredo e Emília Amaral Fotografia ∑ Nuno Ferreira

18 | Junho | 2010

Semanalmente, “À Conversa” resulta de um trabalho conjunto do Jornal do Centro e da Rádio Noar. Pode ser ouvida na íntegra na Rádio Noar, esta sexta-feira, às 11hoo e às 19h00, e domingo, às 11h00. Versão integral em www.jornaldocentro.pt

“Os pais não saberem qual vai ser a escola dos filhos cria angústia e instabilidade familiar” maioria das autarquias investiu nessas escolas. Colocou lá cantinas, aquecimento e as ditas escolas de acolhimento têm todas as condições de funcionamento e algumas dessas podem fechar. Vou dar um exemplo: em Castro Daire há uma escola do 1º Ciclo que vai encerrar, que foi intervencionada durante a interrupção lectiva da Páscoa, há um enorme desperdício de dinheiro e se o país está mal e se esta é uma medida puramente económica, porque consta do PEC, então andámos durante dois anos a desperdiçar dinheiro na requalificação de escolas que agora irão ficar abandonadas.

O sistema educativo português volta a viver momentos de agitação. O anúncio por parte do Governo, de querer encerrar escolas do 1º Ciclo com vinte alunos e a constituição dos designados mega agrupamentos, originou um coro de protestos dos sindicatos de professores, associações de pais, partidos da oposição e autarcas. Maria José Viseu, professora em Lamego, lidera a Federação Regional das Associações de Pais de Viseu (FRAPV) e é também presidente da recente Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE), criada em 2009. Como é que uma professora de Lamego, do interior do país, surge a liderar uma organização nacional de pais e encarregados de educação?

Nem sempre é fácil, não pelo facto de ser do interior do país, mas por ser mulher. Nós, enquanto mulheres, ao longo dos anos, tivemos sempre uma postura muito própria que era: se os homens avançam, nós ficamos na retaguarda. O que é certo é que cresci no 25 de Abril, no meio da contestação estudantil, pertencia a associações de estudantes e depois, quando tive filhos, muito naturalmente, ingressei no movimento associativo de pais e cá estou, uma mulher serrana a liderar uma confederação e uma das federações de pais mais activas do país, sobretudo no que diz respeito ao que é importante: os nossos filhos. A CNIPE – Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação, surgiu de uma divisão na CONFAP – Confederação Nacional das Associações de Pais. Valeu a pena?

Vale sempre a pena lutar-

Ao contrário do Governo entende que não há factores positivos nesta medida?

mos por aquilo que pensamos que é importante na realidade. A CNIPE realmente surge de uma cisão e nós costumamos dizer que somos uma alternativa, ou seja, até determinado momento, os pais tinham só uma confederação, nesta altura têm uma outra opção e vale sempre a pena existirem outras opções, vale sempre a pena existir a diferença. Umas das acusações feitas na altura à CONFAP, era a da falta de independência em relação ao Governo porque recebia apoios do Estado. Também coloca essa questão?

Algumas pessoas continuam a questionar a forma de posicionamento da CONFAP. Independentemente do dinheiro que se receba, o importante é que sejamos isentos e independentes. Mas a CNIPE reclama para si dinheiro que a CONFAP hoje recebe?

Existe um protocolo entre o Ministério da Educação e a CONFAP quer estabelece que os dinheiros da confederação fossem para

a formação de associações de pais e, ao mesmo tempo, para a dita formação parental. O que está a acontecer é que os dinheiros que pertenceriam [também] a estas federações que neste momento integram a CNIPE, continuam a ir para a CONFAP. O que dizemos é que não queremos mais dinheiro, mas o que nos é devido, que nos seja reembolsado. Foi acusada de se ter apropriado de bens da CONFAP. A situação já foi esclarecida?

Está totalmente esclarecida, mesmo no que diz respeito à Federação de Viseu. Não existem nenhuns bens, pelo contrário, quer a Federação, quer eu pessoalmente, temos muito a haver da CONFAP, de deslocação e de imensas coisas que fui fazendo ao longo do período em que estive na CONFAP e que nunca fui ressarcida, assim como também a própria Federação que se fez representar nos conselhos consultivos e nunca foi ressarcida das verbas da sua representatividade. Em relação aos casos mais

recentes que motivaram tomadas de posição por parte da CNIPE e da FRAPV. Porque contestam o fecho de escolas do 1º Ciclo com 20 alunos?

Nós contestamos sobretudo os argumentos que são apresentados. O primeiro é a socialização. Esse argumento foi utilizado para o encerramento de escolas de três/quatro/cinco alunos, mas nós pensamos que uma turma com 20 alunos é uma turma onde já se desenvolve a socialização e este argumento cai logo por terra. Outro argumento é que se deve ao facto de um só professor estar com quatro níveis de escolaridade diferentes. A legislação diz exactamente o contrário, diz que se um professor tiver mais que dois níveis de ensino, a turma não pode exceder os 17 alunos e, portanto, a argumentação cai. A decisão é economicista?

Há um desperdício enorme de dinheiro. Com o encerramento de escolas em 2006, as autarquias foram ressarcidas desse encerramento e puderam comprar autocarros, fazer obras nas escolas de acolhimento e a

Não existem factores positivos. O que acontece neste momento, em todas as escolas que vão encerrar é que elas já são escolas de qualidade. Quando ouve alguns autarcas, como o de Resende por exemplo, a defender a proposta do Governo e a dizer mesmo que são os pais a pressionar para fechar as escolas e colocar em funcionamento o Centro Escolar, o que pensa?

O engenheiro Borges falará da sua realidade. Eu também conheço a realidade de Resende e sei que em S. Martinho de Mouros há um Centro Escolar. O que acontece é que os pais querem por uma outra razão, e já que falamos de Resende, nas reuniões que fiz com os pais queixavam-se que não tinham cantina, depois, [no Centro Escolar] as crianças tinham outras actividades, designadamente, a piscina. Mas isso porque a autarquia não investiu nas outras escolas. O centro escolar é uma poupança de dinheiro também para a própria autarquia. Também têm contestado a formação dos chamados

mega agrupamentos.

Porquê? No caso concreto da CNIPE e mesmo enquanto Federação Regional dissemos inclusive que havia uma diminuição do poder dos pais na eleição do director. Pensamos que há novamente uma medida económica, que leva a esta junção de agrupamentos e a esta junção de alunos. O que nos preocupa é: será que num agrupamento com quatro mil ou três mil alunos haverá uma boa governação, onde existem agrupamentos com mais de 100 professores? Ao nível do movimento associativos de pais, também é uma preocupação, porque vai obrigar a também existirem megas associações de pais e não sabemos até que ponto tudo isto será viável. Em Outubro do ano passado quando se soube da escolha de Isabel Alçada para ministra da Educação a CNIPE considerou que o cargo tinha sido “muito bem entregue”. Qual é hoje a sua opinião?

Consideramos exactamente a mesma coisa. A dra. Isabel Alçada é uma pessoa de consensos. Para nós causou alguma estranheza, sobretudo a altura que foi escolhida [para anunciar o encerramento de escolas com 20 alunos]: o Dia Mundial da Criança. Depois ser tomada no final do ano lectivo, em que as escolas estavam apaziguadas, toda a gente a trabalhar e, como dizia o Joaquim Azevedo, este final do ano foi uma altura que iluminou a 5 de Outubro, o que é preocupante, porque quando a 5 de Outubro está iluminada, as escolas do país estão às escuras. E foi o que aconteceu. Eu confio no bom senso da dra. Isabel Alçada e de toda a sua equipa ministerial. Os pais não saberem qual vai ser a escola dos seus filhos, cria angústia e cria instabilidade familiar. Edição integral em www.jornaldocentro.pt


Jornal do Centro

7

18 | Junho | 2010

região “Polícia de família” é iniciativa inédita em Viseu Contrato Local de Segurança∑ Dez agentes da PSP e seis novas viaturas dão reforço ao patrulhamento do centro histórico de Viseu

Publicidade

aos últimos conhecer o nome e ter o contacto destes agentes. “Há uma grande diferença entre o contacto frio e abstracto para o número de uma esquadra e o contacto personalizado para um polícia, cuja cara conhecemos, cujo nome sabemos”, explicou Rui Pereira, que espera com esta iniciativa reforçar “o laço de responsabilidade e de confiança entre a polícia e a população”. Reforçado ficou também o número de agentes na PSP de Viseu, com a entrada de mais 10 elementos no CLS, permitindo o alargamento do policiamento, nomeda-

mente entre as 07h00 e a 01h00 do dia seguinte. Entregues pela mão do ministro da Administração Interna foram, ainda, seis viaturas - três carros eléctricos e três “segways” - adquiridas com dinheiro do orçamento do Governo Civil de Viseu. O CLS, que agora entra em vigor, foi assinado em Maio de 2009, com o objectivo de reduzir os índices de criminalidade, prevenir a delinquência juvenil e aumentar o sentimento de segurança da população. Efectivos. Na cerimónia, que teve lugar nos paços do concelho, o

presidente da autarquia Fernando Ruas reiterou a necessidade de reforço de efectivos da GNR, atendendo ao aumento da criminalidade que se tem verificado nas zonas rurais. “Faço um apelo ao senhor ministro do reforço não só dos efectivos da PSP, como também dos efectivos da GNR”, disse, alertando também para a falta de estabilidade no comando da Polícia de Segurança Pública. “Eu conheço, desde que aqui estou, duas dezenas de comandantes”, referiu.

Nuno Ferreira

Rui Pereira, Ministro da Administração Interna, anunciou esta semana em Viseu a criação de um projecto inédito a nível nacional. Trata-se da criação da figura do “polícia de família”, um novo conceito de policiamento de proximidade, criado no âmbito do Contrato Local de Segurança (CLS), em vigor desde a passada segunda-feira, e que vem reforçar o patrulhamento da zona histórica da cidade. A ideia é que se criem laços entre os agentes da autoridade e os comerciantes e moradores daquela zona nobre de Viseu, permitindo

A Rui Pereira experimentou um dos “segways”

Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt


7

Jornal do Centro

8 REGIÃO | VISEU | TONDELA | NELAS | LAMEGO de Coimbra, onde continua internada em estado grave.

Viseu. Um ferido ligeiro é o resultado de um acidente, que ocorreu, na segundafeira, entre uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Viseu e duas viaturas ligeiras. O acidente ocorreu no cruzamento junto à Escola Alves Martins. Os automóveis foram rebocados, e o condutor foi assistido no Hospital de São Teótonio.

DETENÇÃO

Viseu. Um homem de 24 anos foi detido, na terça-feira, em flagrante delito, pela PSP de Viseu, por roubo na via pública, no início da rua

de acesso ao Fontelo. O indivíduo tinha, momentos antes, efectuado um outro roubo com ameaça de uma navalha.

TIROTEIO

Tondela. Uma discussão entre dois irmãos, pela partilha de terras, terminou em tiroteio, vitimando um dos homens, de 47 anos. O agressor transportou depois a vítima de tractor até o abandonar inconsciente a três quilómetros do local do incidente. A vítima foi assistida pelo INEM e teve de ser evacuada de helicópetro para os Hospitais da Universidade

Nelas. Cerca de quinhentos quilos de explosivos foram roubados, no início desta semana, de uma pedreira localizada na freguesia de Senhorim, concelho de Nelas. A Polícia Judiciária, responsável pela investigação, considera que os explosivos furtados são para venda no mercado paralelo, afastando por agora qualquer relação com o grupo terrorista basco ETA.

DESAPARECIDA

Lamego. As autoridades estão a investigar o desaparecimento de uma jovem de 26 anos, natural da freguesia de Ferreirim, no concelho de Lamego. A mulher, portadora de uma deficiência ligeira e funcionária de uma instituição de apoio a jovens, foi vista pela última vez na companhia de um colega de trabalho (e suposto namorado) à saída de sua casa.

Publicidade

24 ›26

JUN

UMA DATA PARA DECORAR E FESTEJAR VÃO PINGAR LITROS DE SURPRESAS! APAREÇA NA SUA LOJA.

ANIVERSÁRIO LOJA ROBBIALAC

VISEU

MORADA: AV. DR. ANTÓNIO JOSÉ ALMEIDA, 242 - 3510-043 VISEU TELF.: 232 423 570 HORÁRIO: Semana / 9:00 - 12:30 e 14:30 - 19:00 | Sábado / 9:00 - 13:00

José Lorena

ROUBO

dias

ACIDENTE

18 | Junho | 2010

Viseu sofreu com a selecção de futebol Mundial∑ Viseenses roeram as unhas por Ronaldo e colegas... A população de Viseu fez de tudo para estar presente em vários locais onde foi transmitido o primeiro jogo da selecção nacional de futebol, que disputa a fase final do Campeonato do Mundo da África do Sul.

Um dos amplos terraços do Palácio do Gelo foi escolhido por centenas de viseenses para assitirem ao jogo inaugural, em que os “Infantes” empataram a zero com aquela que é considerada a melhor selecção de África - a da

Costa do Marfim. Roeram-se unhas, correram litros de cerveja e água pelas gargantas dos viseenses e espera-se que na próxima segunda-feira, dia 21, o resultado seja melhor no embate com os norte-coreanos.


Jornal do Centro

10 REGIÃO | VISEU

O cortejo secular das tradicionais Cavalhadas de Teivas com 357 anos, organizado pela Associação Cultural de Teivas cumpriu a tradição e percorreu as ruas da Viseu, na manhã de domingo. Onze carros alegóricos, 300 figurantes, folclore, a Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Peso da Régua, um grupo de tocadoras de gaita-de-foles de Vila Nova do Campo, os tradicionais Zés Pereiras com o som dos bombos e a marcha popular Dança da Morgadinha desfilaram para centenas de pessoas, que já se habituaram a sair à rua no segundo domingo de Junho para ver a tradição de Teivas. “Este ano estão mais fracas. A crise bate à porta de todos”, descrevia um dos muitos observadores junto ao Rossio, enquanto esperava pelo melhor carro. Outros discordavam e consideravam mesmo que “estão cada vez mais dinâmicas” e “originais”. Já tinha passado a “caravela S. Sebastião”, o “cisne”, a “guitarra”, quase a fechar a grande “águia” que chamou a atenção da assistência e, logo a seguir a marcha popular, com Dançarinos trajados com seculares uniformes a fechar o cortejo e que, no Rossio, dançaram de forma original à volta da Fonte Luminosa. Ver foto galeria em www.jornaldocentro.pt EA Publicidade

Viseu tem consulado da Lituânia Diplomacia∑ Fernando Ruas quer mais representações diplomáticas A cidade de Viseu tem uma representação diplomática inovadora desde esta semana. O embaixador da Lituânia em Portugal, Algimantas Rimkunas, e o presidente da Câmara Municipal de Viseu, Fernando Ruas, lançaram o novo consulado daquele país do mar Báltico na cidade, após a experiência descentralizada na cidade do Porto. Na ocasião foi apresentado o novo cônsul honorário da Lituânia, Jorge Antas de Barros, filho do antigo presidente do Instituto Politécnico de Viseu, João Pedro Barros. O consulado da Lituânia está instalado no solar

José Lorena

Emília Amaral

foto legenda

18 | Junho | 2010

A Jorge Antas de Barros é o cônsul honorário da Lituânia em Viseu dos condes de Prime (em instalações cedidas gratuitamente pela Câmara Municipal de Viseu), no exacto local onde já funcionou durante alguns anos o escritório do projecto Polis da cidade.

A ideia central desta iniciativa é a de promover o intercâmbio entre os dois países (que possuem jovens a frequentar estabelecimentos de ensino superior tanto em Viseu como em cidades lituanas) e tam-

bém criar novas oportunidades de negócio para empresários dos dois países. Fernando Ruas espera que, com esta iniciativa, possam surgir outras representações diplomáticas na cidade


Jornal do Centro

REGIÃO

Nuno Ferreira

18 | Junho | 2010

A O candidato presidencial apresentou o livro “Humanidades” na FNAC

Fernando Nobre responde a Alexandre Pinto Viseu∑ Candidato à Presidência da Republica recebeu o apoio de alguns socialistas O Candidato às eleições presidenciais, Fernando Nobre comentou, pela primeira vez, a saída do Viseense, Alexandre Pinto, do núcleo duro criado em Viseu de apoio à sua candidatura. Antes da sessão de apresentação do seu último livro “Humanidade”, na FNAC de Viseu, Fernando Nobre repetiu as palavras do director de campanha no distrito. “O dr. Alexandre Pinto, como disse o director de campanha, antes de abandonar a minha candidatura já tinha abandonado outros movimentos”, respondeu, insistindo na independência da sua candidatura: “Vou livre de qualquer amarra pessoal ou de grupo para Belém, ou acreditam ou, se não acreditam, o que têm a fazer é afastarse”. Rodeado de apoiantes e simpatizantes, a sala en-

cheu para assistir à apresentação da última obra do médico, humanista e presidente da Assistência Médica Internacional (AMI). Na assistência algumas caras conhecidas e antigos dirigentes do Partido Socialista em Viseu, como Ribeiro de Carvalho, Carlos Alberto Oliveira (director de Campanha), João Inês Vaz, (ex-governador Civil) e Jorge Silva. “Humanidade – Despertar para a cidadania global solidária”, uma obra com mais de 300 páginas, que Fernando Nobre dedica à mulher, aos quatro filhos biológicos, aos futuros netos e bisnetos e aos de “todo o mundo”, mas, Fernando Nobre admitiu ser “uma reflexão política” onde fala dos “grandes desafios nacionais”. “Até agora, nos meus livros tenho protestado. Se no momento presente não tenho co-

ragem de me erguer, então sou um cobarde”, adiantou em jeito de justificação da sua candidatura, que diz ser “transversal a todos os partidos” e está confiante que “o povo português saberá votar pela mudança: “De uma vez por todas, o povo tem que saber o que quer. Se quiser mudança, eu estou aqui para isso”. O candidato presidencial escreve sobre pensamentos políticos e decisões que devem ser tomadas para o país e, durante a apresentação da obra, forçou a necessidade de “impedir” a acumulação de reformas públicas ao defender que “deviam ter um máximo de cinco mil euros e um mínimo de 500 euros”, em que as pessoas possam escolher “mas não possam a cumular”. Emília Amaral Emília.amaral@jornaldocentro.pt

ADD apoia mundo rural

A Associação de Desenvolvimento do Dão (ADD) procedeu, esta semana, à sessão pública da entrega dos contratos aprovados no âmbito do Subprograma 3 do Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER). A A DD ent regou 16 contratos já validados, que totalizam um investimento de 1.97 milhões

de euros. Pa ra a lém destes, a g u a rd a m v a l id a ç ã o mais 3 projectos já aprovados num total de 283 mil euros. Estes 19 projectos aprovados permitem a criação de 43 postos de trabalho. Abrangendo uma área de actuação que engloba os concelhos de Mangualde, Nelas, Aguiar

da Beira, Sátão e Penalva do Castelo, a ADD tem estado na linha da frente no apoio a projectos ligados ao mundo rural, visando a implementação de um plano de desenvolvimento local, de forma a colmatar um conjunto de estrangulamentos locais e inerentes à desertificação dos meios rurais.


Jornal do Centro

12

18 | Junho | 2010

negócios Lamego promove a verdadeira Bôla

XII Feira de Lafões arranca esta sexta-feira Preocupação ∑ Organização do certame preocupada com diminuição de produtores

Publicidade

tividades diversificadas. Mas, com esta iniciativa, que reúne dezenas de produtores, a Junta de Freguesia e a Confraria dos Gastrónomos de Lafões pretendem recriar a dinâmica de outros tempos e assim “ver se se arranjam assuntos de interesse para incentivar os produtores”, como acredita Joaquim Mendes. A Feira de Lafões decorre desde 1998 e renasceu no âmbito das comemorações dos 50 anos da Feira da Giesteira (1948). Um certame que se realizava no “auge do grande poderio económico” e surgiu da necessidade da comercialização da vitela produzida naquela região. Programa. A inauguração da XII edição da Vitela de Lafões está marcada para esta sex-

antiga e recheada ao gosto de cada um, as bôlas de presunto, bacalhau, frango, sardinha, salpicão, vinhade-alhos, ou de outros ingredientes, estão a deliciar o paladar dos consumidores, desde quarta-feira. A II Feira da Bôla é uma organização conjunta da autarquia e da Associação de Empresários de Hotelaria do Douro (HTDOURO).

Fiat já tem representante em Viseu A Edição inaugurada às 19h00 em Queirã ta-feira, às 19h00, na presença do secretário de Estádio da Administração Local, José Junqueiro. Às 20h00 decorrem as provas gastronómicas com vitela de Lafões, seguindo-se uma noite musical. O sábado é Dia da Vitela que começa com um concurso pecuário de bovinos, ovinos e caprinos, seguido

de provas gastronómicas. Destaque ainda neste dia para o jantar gastronómico regional com vitela de Lafões, às 19h30. Para o último dia de feira está reservado um programa cultural, mas não faltam os almoços regionais. Emília Amaral Emília.amaral@jornaldocentro.pt

Vanina Dias

O presidente da Junta de Freguesia de Queirã, no concelho de Vouzela diz que há cada vez menos produtores de Vitela de Lafões. Para o autarca, Joaquim Mendes têm faltado os incentivos aos agricultores para que continuem a acreditar no projecto certificado, que reúne produtores de S. Pedro do Sul, Vouzela, Oliveira de Frades, Viseu e Sever do Vouga. “Tem havido muita teoria, mas os produtores não têm sido beneficiados. Não tem chegado um incentivo real e directo”, reforça o autarca. Esta é a realidade com que a organização parte para a realização de mais uma Feira da Vitela de Lafões. A XII edição é inaugurada esta sexta-feira e decorre até domingo, com um conjunto de ac-

Inserida no programa Douro Emoções, está a decorrer até domingo, na cidade de Lamego, a segunda edição da Feira da Bôla. Num concelho onde a bola é um produto gastronómico de excelência, o certame pretende ser um ponto de encontro para os profissionais do sector e para milhares de visitantes que apreciam a especialidade. Fiel a uma receita muito

A Equipa da Soveco Viseu O grupo Soveco inaugura, no próximo dia 26, um novo concessionário em Viseu. Nomeada recentemente representante oficial das marcas Fiat, Alfa Romeu e Lancia para o distrito de Viseu, a Soveco disponibiliza uma vasta gama de veículos, desde carros desportivos, comerciais e camiões. As novas instalações, localizadas no parque industrial de Coimbrões, oferecem um leque diversificado de serviços, que vão desde a assistência técnica até à venda directa. Depois do encerramento do grupo Comervisauto, há cerca de um ano, Viseu Publicidade

deixou de ter representante oficial das marcas Fiat, Alfa Romeu e Lancia, lacuna que o grupo Soveco vem agora prencher, com novos serviços, que vêm facilitar a vida dos propriétarios destas marcas automóveis, nomeadamente no que diz respeito a deslocações a cidades mais distantes, apenas para receberem assistência técnica. Empregando, numa primeira fase, nove funcionários, a Soveco de Viseu enfrenta, em breve, o primeiro desafio comercial, com o lançamento no mercado do novo modelo Giulietta da Alfa Romeu. VD


Jornal do Centro

13

18 | Junho | 2010

desporto Visto e Falado Vítor Santos vtr1967@gmail.com

Cinfães e O Crasto

Futebol

“Sou um jogador livre” Hélder Rodrigues ∑ Assinou ficha pelo Académico, mas deve ir jogar para o Sporting da Covilhã

Futebol Formação

Cartão FairPlay A equipa de juniores do Cinfães fez história ao subir ao Nacional. Numa fase final a 4, foi a única equipa sem derrotas e no último jogo empatou num Estádio 1.º de Maio (Viseu) completamente cheio frente ao Ac. Viseu. O Crasto é o campeão distrital de iniciados e ascende ao Nacional juntando-se a Repesenses, Ac. Viseu e Mangualde. Parabéns a estas equipas. ABC Nelas Futsal juvenis

Cartão FairPlay Começa a ser um hábito a presença, pela positiva, das equipas de futsal do ABC de Nelas nesta rubrica. Depois de na época passada ter estado presente na final da Taça Nacional de Juniores, o clube de Nelas repete este ano a presença, mas agora na categoria de Juvenis. Numa final a duas mãos com o Boavista (que eliminou o Sporting) o clube do distrito de Viseu pode sagrar-se Campeão Nacional. A torcer.

A Revelação do Penalva cobiçado por vários clubes

dor do Penalva do Castelo, acusou os dirigentes do Académico de Viseu de o andarem a assediar, Hélder Rodrigues não quer alimentar mais polémicas. Apesar dos dirigentes do Académico de Viseu garantirem que têm uma ficha assinada pelo jogador, afirmou ao Jornal do Centro, de forma categórica: “Sou um jogador livre”. Até pelo compromisso dos dirigentes do Académico que o libertariam caso aparecesse uma equipa de uma divisão superior interessada, como é o caso. O atleta garante que, além da ficha de inscrição, os dirigentes do Académico não

terão qualquer documento identificativo para que possam formalizar a inscrição, como é obrigatório neste tipo de procedimentos. Na eventualidade do Académico levar por diante a inscrição, dificilmente o poderá fazer como profissional, já que não haverá contrato assinado, pelo que perde margem de manobra. O Covilhã apresentará um contrato como profissional, na Liga. No limite, prevalece a vontade do jogador, e um eventual castigo, a acontecer, tem uma moldura penal de um mês de suspensão. Gil Peres

Futsal

Futebol Feminino

Viseu Futsal Neide Simões na selecção de Portugal prepara nova época

Arbitragem Distrital

A Neide Simões Cartão FairPlay A evolução da arbitragem distrital tem sido enorme. Nos últimos anos a formação técnica tem sido uma constante e os resultados são bastante positivos. Numa função extremamente difícil, como é a da arbitragem, o trabalho contínuo realizado dá mostras de estar a ser bem executado. A formação pessoal e académica de muitos agentes da arbitragem também tem contribuído para essa melhoria.

“Não confirmo nem desminto nada nesta altura”. Foi desta forma categórica que Hélder Rodrigues respondeu quando confrontado com o acordo que já terá com o Sporting da Covilhã, onde, ao que apurámos, deverá cumprir um contrato profissional nas próximas épocas. O jovem jogador formado no Canas de Senhorim, e que na época passada se destacou no Penalva do Castelo, é um dos atletas da região mais cobiçados neste defeso. Elemento central de um caso que vem do decorrer da temporada, quando Carlos Agostinho, treina-

Neide Marina Fidalgo Alves Mateus Simões, conhecida no futebol feminino como Neide Simões, voltou a merecer a confiança da seleccionadora nacional de futebol feminino. Mónica Jorge convocou a guarda-redes do Escola Futebol Clube, de Molelinhos, equipa que esta temporada se sagrou vice-campeão nacional, para o duplo confronto de apuramento

para o playoff do Europeu. Já amanhã, dia 19, Portugal joga na Finlândia, e a 23, no Cartaxo, recebe a Eslovénia. Neide Simões, apesar dos seus 21 anos, completa 22 no próximo dia 19 de Julho, é já uma atleta com larga experiência internacional, estando perto das 30 internacionalizações pela equipa Nacional feminina. GP

A Direcção do Viseu Futsal 2001 está a “arrumar” a casa para a próxima temporada. Garantida a continuidade de Rui Almeida, como treinador da equipa, vai sendo tempo de ajustes no plantel. As duas primeiras renovações anunciadas são as de Careca, que vai cumprir a sua quarta temporada no Viseu Futsal, e também a do guarda-redes Diogo

Pedrosa. Algum simbolismo no anúncio destas duas renovações, já que se trata do capitão e sub-capitão de equipa, mas outras deverão ser anunciadas nos próximos dias. Quanto a abandonos, está confirmada a saída de Romário para o Grupo Desportivo de Boticas, equipa de Vila Real que vai disputar o Campeonato Nacional da I Divisão. GP

Futsal - Nacional de Juvenis

ABC de Nelas vai discutir título de campeão O ABC de Nelas vai disputar com o Boavista, a Final da Taça Nacional de Juvenis, masculinos, em futsal. Os nelenses chegam à discussão do título depois de afastarem na meia-final a formação do Covoada. Depois de um triunfo confortável no jogo da pri-

meira-mão (9-3), o ABC de Nelas repetiu a vitória no jogo da segunda volta, ao vencer no recinto do adversário por 5 a 4. No jogo decisivo, o ABC de Nelas vai defrontar o Boavista que afastou da final o Sporting,. Depois da proeza de disputar na época anterior a

Final Nacional de Juniores, é o segundo ano, consecutivo, em que o clube alcança a final das únicas competições nacionais existentes nos escalões de formação – Juvenis e Juniores. A final joga-se a duas mãos. A 20 de Junho, em Matosinhos, depois a 27 de Junho, em Nelas. GP

A A equipa finalista de Juvenis


14

culturas expos VISEU ∑ Seminário Maior Até dia 31 de Julho Exposição “Os Brilhos do Invisível. A Arte na realização sacerdotal”.

∑ Loja do Cidadão Até dia 5 de Julho Exposição de fotografia “Limpar Portugal”, da Foto Viseense. SANTA COMBA DÃO ∑ Casa da Cultura Até dia 31 de Agosto Exposição “Arte e Vida... Vida e Arte”. VILA NOVA DE PAIVA ∑ Auditório Municipal Até dia 30 de Junho Exposição de fotografia “A Caminho da Glória”, de Pedro Ferreira.

∑ Auditório Municipal Até dia 30 de Junho Exposição de esculturas de Carlos Costa. SERNANCELHE ∑ Centro Municipal de Artes Até dia 30 de Junho Exposição de fotografia “O silêncio das cegonhas”, de Pedro Inácio e Carlos Inácio. Publicidade

D Oliveira de Frades promove concurso de fotografia

18 | Junho | 2010

Subordinado ao tema “Tradições Agrícolas e Património Rural de Oliveira de Frades, o terceiro concurso de fotografia, promovido pela autarquia, destina-se a profissionais e amadores, tendo como área de trabalho o concelho de Oliveira de Frades. As fotografias podem ser entregues nos paços do município até ao próximo dia 26.

Arcas da memória

Destaque

Os últimos trovadores em Tondela “(Re)Encontro”∑ Em palco Pedro Barroso, Manuel Freire e Francisco Fanhais Dezassete anos depois do espectáculo que promoveram sob o nome de “Encontro”, Pedro Barroso, Manuel Freire e Francisco Fanhais juntam-se novamente numa noite que se adivinha memorável. O concerto, que reúne três dos últimos trovadores de Portugal, tem lugar amanhã, às 21h45, no Auditório ao Ar-Livre do Novo Ciclo ACERT. “(Re)Encontro” partilha com o público temas intemporais e bem vivos

Jornal do Centro

A Pedro Barroso partilha temas intemporais no imaginário de todos, num espectáculo que resulta de uma parceria entre a ACERT e a Casa do Povo de Tondela, com

o apoio da autarquia daquela cidade. Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Estreia da semana

Ela é Demais Para Mim- Kirk

mal consegue acreditar na sua sorte. Preso a um emprego monótono e sem futuro, e contra todas as probabilidades, Molly, uma bem sucedida e extraordinariamente bonita miúda, apaixona-se por ele. Agora ele tem de descobrir uma forma de fazer a sua relação funcionar.

VISEU FORUM VISEU (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 11h00 (Dom.), 14h30, 16h45, 19h30, 21h45, 00h05 (6ª e Sáb.) Street Dance (M6) (Digital3D) Sessões diárias às 21h15, 00h15 (6ª, Sáb.) Robin Hood (M12) (Digital) Sessões diárias às 11h30 (Dom.), 15h00, 17h30, 22h00, 00h30 (6ª e Sáb.) Príncipe da Pérsia (M12) (Digital) Sessões diárias às 14h15, 17h15, 21h00, 00h10 (6ª e Sáb.) Sexo e a Cidade 2 (M16) (Digital) Sessões diárias às 11h15

A festa do Senhor dos Caminhos Era eu ainda menino desse jardim de infância que tinha por limite os termos da minha aldeia quando vim, a vez primeira, ao Senhor dos Caminhos cujos festejos tinham lugar numa capela das Romãs, meia dúzia de léguas de caminho. Saíamos de casa nesse morno alvorecer de fim de Maio e lá vinha eu, quase sempre com meu pai, na camioneta da carreira, até às Rãs, um fim de mundo. Depois fazíamos a pé um caminho que nesse tempo era longo para o meu andar de ainda criança. Dava, com meu pai, três voltas ao redor do Santuário, soltava, generoso, a minha fraca esmola na bandeja e trazia aquela estampa linda de que ainda recordo a cor azul no frontal da nossa casa onde a colava minha mãe. Ano a ano lá fui sempre em romaria até que, menino grande, fui estudar. Lembro-me dos andores, da vistosa procissão, das bandeiras, do guião, da infinita multidão. Lem-

Alberto Correia Antropólogo aierrocotrebla@gmail.com

bro-me das mulheres que vendiam água com pregão, dos moinhos coloridos soprados pelo vento na ponta de uma estaca levantada por um rapaz, da vendedora das flores de papel, das mesas com toalha branca de outras vendedeiras que ofereciam doce da Teixeira, santinhas de açúcar e beijinhos multicores, lembro-me da merenda que estendíamos à sombra do pinhal. Lembro-me desse ermo povoado. Mal me lembro do regresso ao fim da tarde, de subir a estrada até às Rãs. Lembro-me do ar bom do cobrador da camioneta. Das curvas do caminho. Às vezes volto ao Senhor dos Caminhos num dia de ano qualquer. Gosto do silêncio daquele ermo que foi em tempos já distante caminho de peregrinos. Lembro-me então das antigas viagens de menino.

roteiro cinemas

(Dom.), 13h45, 16h15, 18h45 Nanny Mcphee e o Toque de Magia VP (M6) (Digital) Sessões diárias às 14h00, 16h30, 19h00, 21h30, 00h00 (6ª e Sáb.) Ela é Demais Para Mim (M12) (Digital) Sessões diárias às 13h25, 15h30, 18h00, 20h05, 22h10, 00h20 Pesadelo em Elm Street (M16) (Digital) PALÁCIO DO GELO (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 14h20, 17h20, 21h00, 00h00 (6ª e Sáb.) Robin Hood (M12) (Digital) Sessões diárias às 11h20 (Dom.), 14h00, 16h00,

18h00, 20h00 A Ilha de Impy (M4) Sessões diárias às 13h40, 16h15, 18h55, 21h30, 00h10 (6ª e Sáb.) Princípe da Pérsia: As Areias do Tempo (M12) (Digital) Sessões diárias às 14h45, 17h50, 21h20, 00h20 (6ª e Sáb.) Sexo e a Cidade 2 (M16) (Digital) Sessões diárias às 14h10, 16h35, 19h00, 21h40, 00h40 (6ª e Sáb.) A Mulher do Viajante do Tempo (M12) Sessões diárias às 21h50, 00h30 (6ª e Sáb.) Estômago (M16)


Instituto Politécnico da Guarda Primeiro Ciclo de Estudos - Licenciaturas Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto Animação Sociocultural Comunicação e Relações Públicas Comunicação Multimédia Desporto Educação Básica Gerontologia Social

Mestrados

Educação Pré-Escolar e Ensino do Primeiro Ciclo do Ensino Básico Ensino do 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico Educação e Organização de Bibliotecas Escolares Marketing e Comunicação Ciências do Desporto Computação Móvel Gestão (Administração Pública, Contabilidade, Empreendedorismo e Inovação, Logística)

Escola Superior de Tecnologia e Gestão Contabilidade Contabilidade (regime pós-laboral) Design de Equipamento Engenharia do Ambiente Engenharia Civil Engenharia Informática Engenharia Topográfica Gestão Gestão de Recursos Humanos Marketing Secretariado e Assessoria de Direcção Escola Superior uperior p de Turismo e Hotelaria ia Gestão Hoteleira Restauração ação e Catering Turismo e Lazer Escola Superior de Saúde g Enfermagem Farmácia ia

Gestão e Sustentabilidade no Turismo** Enfermagem Comunitária Enfermagem de Saúde Infantil e Pediatria ** Parceria IPG /IPL

Cursos de Especialização Tecnológica Técnico Especialista de Contabilidade Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Aplicações Informáticas de Gestão* Topografia e Sistemas de Informação Geográfica Condução de Obra Gestão Operacional em Logística Tecnologia Mecatrónica Desenvolvimento de Produtos Multimédia Gestão de Vendas Gestão de Animação Turística Técnicas de Restauração Técnicas de Gerontologia Energias Renováveis Gestão da Qualidade e do Ambiente* Manutenção Industrial (AFTEBI/NERGA) Técnico em Desportos de Natureza* Técnico Desportivo de Jovens Atletas* * Aguarda aprovação

www.ipg.pt

a nossa opção!!!...

271 220 100 * 271 220 162

Av. Dr. Francisco Sá Carneiro nº 50 * 6300-559 Guarda * email: ipg.informacao@ipg.pt


D “Escrita de argumento e representação” em Canas

16 CULTURAS

Jornal do Centro 18 | Junho | 2010

As Casas do Visconde, em Canas de Senhorim, abrem as suas portas, durante o dia de hoje e amanhã, para receber a oficina “Escrita de Argumento e Representação”. Sob orientação de Jeanne Waltz, esta oficina pretende dotar argumentistas e actores de ferramentas que lhes permitam fazer existir uma personagem através de acções e não apenas de diálogos.

agenda cultural fnac Artes

FESTA DA MÚSICA PROJECÇÃO U2 360º AO VIVO NO ROSE BOWL 2009 ∑ Sexta 18 Junho 21h00 Concerto filmado em Rose Bowl, em 2009, o maior concerto dos U2 de sempre nos EUA, onde actuaram para mais de 97 mil pessoas e interpretaram temas como I Still Haven’t Found What I’m Looking For, One e With Or Without You. FESTA DA MÚSICA PROJECÇÃO DAVID FONSECA – DREAMS IN COLOUR LIVE AO VIVO NO COLISEU DE LISBOA 2008 ∑ Sábado 19 Junho 21h00 O primeiro DVD de David Fonseca a solo. Gravado quando da passagem da “Dreams In Colour Tour” no Coliseu de Lisboa a 12 de Abril 2008. Nessa mesma noite, David Fonseca apresentou um inédito, o tema “Orange Tree”. AO VIVO UNI_FORM MIRRORS Publicidade

∑ Domingo 20 Junho 17h00 Influenciados por grandes nomes do universo musical, tais como Joy Division, Interpol, David Bowie, entre outros, os Uni_form lançam o seu primeiro EP, Roll, em 2008, marcando assim definitivamente lugar no panorama musical português. Lançando em 2009 o álbum Mirrors, os Uni_form vêm ao Fórum Fnac dar a conhecer o álbum ao vivo, com o músico convidado Fake Plastic Bastard nos sintetizadores. DIA EUROPEU DA MÚSICA AO VIVO DRUM SESSION ENCONTRO DE BATERISTAS ∑ Segunda 21 Junho 17h00 A Fnac Viseu proporciona o encontro de bateristas de todo o país , promovendo o convívio e a partilha de conhecimentos . Um dos desafios do evento, a acontecer no exterior do Palácio do Gelo Shopping, é um set de bateria proposto pelo baterista anfitrião do evento, André Silva, baterista do projecto Ídolos, Daskarieh, Uxu Kalhus, Menito, Gota, entre outros. FESTA DA MÚSICA PROJECÇÃO METALLICA – DEVIL’S DANCE AO VIVO EM LISBOA 2008 ∑ Terça 22 Junho 21h00 Filmado em 2008, este é concerto de Verão da conhecida banda em Portugal, momentos antes do seu retorno glorioso com “Death Magnetic”.

Sonhos e pintura juntam-se no Grão Vasco Ter um sonho e vestir roupa confortável são os dois requisitos obrigatórios a quem queira participar da “Oficina de Interpretação dos Próprios Sonhos”, que o Museu Grão Vasco promove durante a tarde de amanhã. At ravé s d a pi nt u ra , Pilar Pérez Camarero, orientadora da oficina, partilha o trabalho que tem desenvolvido, encarando os sonhos como recurso para o autoconhecimento e para o desenrolar da criatividade artística. Partindo de uma a b ord a gem te ór ic a , os pa rticipa ntes são convidados a desenvolver uma sessão de pintura onírica.

Concerto

Teatro

Luís Represas leva espectáculo a Cinfães

“A Casa de Bernarda Alba” em Mangualde

As festas de São João do concelho de Cinfães contam, este ano, com a presença de vários nomes sonantes do panorama musical português. Com início marcado para hoje, as festas da vila apresentam, logo à noite, o espectáculo de Luís Represas, que em palco se faz acompanhar por Luís Fernando (guitarra), Cícero Lee (baixo), Marcos Alves (bateria) e Carlos Garcia (teclas).

O grupo de teatro “Viteotonius” apresenta este sábado, às 21h30, no Auditório da Biblioteca Municipal de Mangualde, a peça “A Casa da Bernarda Alba”, de Fra ncisco Ga rcía Lorca. O espectáculo, de entrada livre, é encenado por Fraga e desenrolase em torno da história de uma mãe autoritária que, depois da morte do marido, impõe às suas cinco filhas, como luto, uma longa e rigorosa reclusão. Neste texto, o dramaturgo espanhol traça o retrato de uma Espanha mutilada e sufocada pelo regime ditatorial de Franco.

Depois do espectáculo inaugural, Cinfães recebe amanhã a banda portuense GNR e no dia 23 Rita Guerra é cabeça de cartaz. Durante sete dias, - de 18 a 24 de Junho - Cinfães é palco das mais diversas actividades desportivas e culturais, como é o caso do Festival de Música Infantil, que vai na terceira edição, e o Circuito de Atletismo, que vai na oitava edição. RR

Publicidade

APOIOS parceria

a ndela ovo de ton a do povo T e casa CERT AC

colaboração

a pio de tondela muniicíp


Jornal do Centro

17

18 | Junho | 2010

saúde Opinião

Visages dinamiza saúde oral Joana Coimbra Higienista Oral Clínica Médica Dentária de Viseu

Doença periodontal e Gengivite: O que são ? Denomina-se gengivite a inflamação que atinge apenas a gengiva que contorna os dentes. É muito frequente, atingindo praticamente toda a população onde a higiene oral não é adequada. As principais características são a hemorragia na margem gengival ao escovar os dentes ou espontaneamente, gengivas inchadas e vermelhas,desconforto e mau hálito. É uma situação reversível se a causa for removida. O tratamento consiste na remoção da placa bacteriana e tártaro, através de uma correcta higiene oral em casa e consultas regulares para “limpeza” dos dentes no médico dentista ou higienista oral. Além disso, na consulta, o paciente é instruído relativamente às técnicas de higiene oral de modo a que cada um consiga remover diariamente e eficazmente a placa bacteriana e assim prevenir a gengivite. A periodontite surge quando a gengivite não é tratada e a infecção e inflamação atingem o osso que suporta os dentes, conduzindo à perda gradual dos tecidos de suporte do dente. Em muitos casos é indolor, mas pode ser extremamente destrutiva. Como consequência da reabsorção do osso em redor dos dentes, estes começam a abanar, podendo mesmo ocorrer a sua perda sem qualquer dor. Assim, esta patologia deve ser diagnosticada e tratada atempadamente. A principal causa, assim como na gengivite, é a acumulação de placa bacteriana entre a gengiva e o dente.

Programa∑ Formação e informação em lares da 3ª idade O Centro de Estética e Reabilitação Dento-facial Visages está a promover um programa inovador em Viseu junto da população idosa. No âmbito da solidariedade social, a empresa iniciou no passado dia 12 um programa de formação e informação sobre saúde oral que pretende tornar mais saudável a boca dos idosos de alguns lares da 3ª idade de Viseu. O programa vai desenvolver-se em duas fases, tendo-se iniciado a primeira no Lar Viscondessa de S. Caetano. A primeira fase do programa consiste na realização de uma acção de sensibilização para a importância da prevenção na detecção precoce de patologias que prejudiquem a saúde dos idosos. Trata-se de uma acção de formação sobre conceitos básicos de saúde e

A O Lar Viscondessa de S. Caetano já foi visitado pelo Visages higiene oral, destinada a idosos, familiares e funcionários dos lares que a iniciativa vai percorrer. A primeira instituição escolhida para a primei-

ra fase do projecto foi realizada no renovado Lar Viscondessa de S. Caetano, perto da Universidade Católica. A visita de técnicos do Visage foi possível

devido ao dinamismo e interesse demonstrados por Graça Almeida, da instituição. A adesão dos idosos e seus familiares foi notó-

ria durante a primeira intervenção do programa referido. A segunda fase do programa, ainda por realizar, será um rastreio oral dos idosos nos próprios lares, por forma a desenvolver um conhecimento mais pormenorizado dos cuidados de saúde oral necessários para cada caso. A saúde oral dos idosos (que em muitos casos não estão sensibilizados para a questão por deformação de aprendizagem) e das crianças consta do programa do actual Governo que, para o efeito já destinou uma verba de 50 milhões de euros para um programa nacional abrangente. O Visages tem já agendadas visitas a outros lares do concelho de Viseu, nomeadamente o da Misericórdia de Oliveira de Frades, a 6 de Julho.

Gerontologia em Simpósio na ESEV O envelhecimento crescente das sociedades é o tema do I Simpósio em Gerontologia Psicosoma, a realizar em Viseu, na Escola Superior de Educação (ESEV), no próximo dia 2 de Julho. Trata-se de mais uma realização da Psicosoma, organizadora de eventos, conressos e tertúlias nas áreas da saúde, educação

e marketing. O tema em causa, que levou a uma parceria entre a ESEV e a Psicosoma, fez com que o evento se venha a basear no tema “Novas perspectivas de intervenção”. De acordo com os organizadores, a gerontologia - a ciência que se dedica ao estudo dos fenómenos da população envelhecida

- “surge como uma esfera de estudos interdisciplinar, que investiga os fenómenos fisiológicos, psicológicos, sociais e culturais relacionados com o envelhecimento do ser humano”. Ainda pela opinião dos organizadores do evento, o aumento da esperança de vida e o envelhecimento da população

mundial “são uma realidade”. Por isso “surgem novas respostas a dar a esses fenómenos, tais como a criação de várias entidades de apoio social, dinamizando assim este sector de actividade”. Os organizadores da iniciativa vão trazer a Viseu especialistas reconhecidos, profissionais e técnicos em áreas re-

lacionadas com a gerontologia. O objectivo da acção é a contribuição científica e social para o sector. Na E SE V vã o e st a r presentes especialistas locais, da Universidade do Minho, do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar e também da organização de Cidades Amigas dos Idosos.


Jornal do Centro

18 SAÚDE

18 | Junho | 2010

Medir a pulsação é importante Aviso∑ “Bate, Bate Coração” - um estudo feito em três países O Dia Mundial do Ritmo Cardíaco, que recentemente se comemorou (13 de Junho) levou a que fosse revelado um estudo realizado em Portugal, Inglaterra e Itália. A maior parte das pessoas inquiridas, revela o estudo, ignora as medidas básicas para verificar a existência de arritmias cardíacas ou perturbações do ritmo cardíaco. “Medir o pulso é uma

maneira rápida e fácil de identificar um problema do ritmo do coração que, em alguns casos, pode ser grave e não tratado. Com esta manobra muito simples pode ser detectada uma arritmia cardíaca e ser procurada, se necessário, a orientação de um profissional de saúde” explica Carlos Morais, cardiologista e coordenador em Portugal da campanha “Bate, Bate

Coração”. Os números da pesquisa europeia efectuada ditaram que quase 40 por cento dos inquiridos no estudo não mede a pulsação regularmente e 70 por cento não sabe se está em risco de sofrer de uma arritmia cardíaca. Para além dos números revelados, a consulta revela que quase 60 por cento dos entrevistados nos três países que medi-

ram a pulsação, no passado, não sabem como fazê-lo novamente, sendo que Portugal é o país com percentagem mais elevada neste domínio, ou seja, quase 80 por cento dos inquiridos. A medição da pulsação, segundo os especialistas, pode ser feita de forma fácil: devem medir-se as pulsações em 15 segundos e depois multiplicar por quatro.

A Estudo preocupante sobre a medição da pulsação

FRANCISCO CORTEZ VAZ MÉDICO ESPECIALISTA GINECOLOGIA-OBSTETRÍCIA DOENÇAS DA MAMA COLPOSCOPIA MESTRADO EM PATOLOGIA MAMÁRIA (Faculdade de Medicina da Universidade de Barcelona) CHEFE DE SERVIÇO HOSPITAL S. TEOTÓNIO - VISEU Consultas: Segunda a Quinta a partir das 14 horas

Rua D. António Alves Martins, 40-4ºE 3500-078 - Viseu • Tel/Fax: 232 441 127

Consultório:

RuaFreiJoaquimdeSta.RosaViterbo, lote95,lojaD JUGUEIROS Viseu (prédio novo amarelo e vermelho) (prédionovoamareloevermelho)

Tel:925610740

geral@reflexokorporal.pt www.reflexokorporal.pt

Duração de 1 a 2 semanas

Sem limagem, não danifica a unha Duração de 2 a 3 semanas

Venha conhecer as nossas Novidades… 15€

desde 2,50€

Fotodepilação(unisexo) Fotorejuvenescimento TratamentodoAcne Depilação

Manicure /Pedicure UnhasdeGel/VernizGel Extensão/Permanente& TintadePestanas

Massagens:Relaxamento/Anticelulítica /Reafirmante MassagensTerapêuticas:TuiNa/Reflexologia Podal / Shiatsu /ComBambus Agoratambém: DrenagemLinfáticaManual


Jornal do Centro

CLASSIFICADOS 19

18 | Junho | 2010 RESTAURANTE O LEAL CONSSELHEIRO Chefe de Cozinha Zagallo. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Quinta do Catavejo Lt. 44 Mundão, 3505-582 Viseu. Telefone 232 185 071. Observações 6ª a Domingo - Menu de degustação | 2ª a 5ª - Preço Fixo por pessoa. RESTAURANTE CACIMBO Especialidades Frango de Churrasco, Leitão à Bairrada. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua Alexandre Herculano, nº95, Viseu. Telefone 232 422 894 Observações Serviço Take-Away.

PENALVA DO CASTELO OTELHEIRO Especialidades Feijão de Espeto, Cabidela de Galinha, Arroz de Míscaros, Costelas em Vinha de Alhos. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Sangemil, Penalva do Castelo. Observações Sopa da Pedra ao fim-de-semana.

TONDELA

RESTAURANTES VISEU RESTAURANTE O MARTELO Especialidades Cabrito na Grelha, Bacalhau, Bife e Costeleta de Vitela. Folga Não tem. Morada Rua da Liberdade, nº 35, Falorca, 3500-534 Silgueiros. Telefone 232 958 884. Observações Vinhos Curral da Burra. RESTAURANTE BEIRÃO Especialidades Bife à Padeiro, Posta de Vitela à Beirão, Bacalhau à Casa, Bacalhau à Beirão, Açorda de Marisco. Folga Segunda-feira (excepto Verão). Preço médio refeição 12,50 euros. Morada Alto do Caçador, EN 16, 3500 Viseu. Telefone 232 478 481 Observações Aberto desde 1970. RESTAURANTE TIA IVA Especialidades Bacalhau à Tia Iva, Bacalhau à Dom Afonso, Polvo à Lagareiro, Picanha. Folga Domingo. Preço médio refeição 15 euros. Morada Rua Silva Gaio, nº 16, 3500-203 Viseu Telefone 232 428 761. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira) – 6,5 euros.

RESTAURANTE CLUBE CAÇADORES Especialidades Polvo à Lagareiro, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito Churrasco, Javali na Brasa c/ Arroz de Feijão, Arroz de Perdiz c/ Míscaros, Tarte de Perdiz, Bifes de Veado na Brasa. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Muna, Lordosa, 3515-775 Viseu. Telefone 232 450 401. Observações Reservas para grupos e outros eventos. SOLAR DO VERDE GAIO Especialidades Rodízio à Brasileira, Mariscos, Peixe Fresco. Folga Terça-feira. Morada Mundão, 3500-564 Viseu. www.solardoverdegaio.pt Telefone 232 440 145 Fax 232 451 402. E-mail geral@ solardoverdegaio.pt Observações Salão de Dança – Clube do Solar – Sextas, Sábados até às 03.00 horas. Aceita Multibanco. RESTAURANTE SANTA LUZIA Especialidades Filetes Polvo c/ Migas, Filetes de Espada com Arroz de Espigos, Cabrito à Padeiro, Arroz de Galo de Cabidela, Perdiz c/ Castanhas. Folga Segunda-feira. Morada EN 2, Campo, 3510-515 Viseu. Telefone 232 459 325. Observações Quinzena da Lampreia e do Sável, de 17 de Fevereiro a 5 de Março. “Abertos há mais de 30 Anos”.

RESTAURANTE O PERDIGUEIRO Especialidades Peixes Grelhados e ao Sal, Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Assado à Padeiro. Folga Sábado. Morada Quinta do Galo, Lote B R/C Direito, 3500 Viseu. Telefone 232 461 805.Observações Aceita Multibanco.

PIAZZA DI ROMA Especialidades Cozinha Italiana (Pizzas, Massas, Carnes e Vinhos). Folga Domingo e segunda-feira ao almoço. Morada Rua da Prebenda, nº 37, 3500-173 Viseu Telefone 232 488 005. Observações Menu económico ao almoço.

RESTAURANTE PICANHA REAL Especialidades Rodízio de Picanha. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira, Lote 1 R/C, Travassós de Cima, 3500-187 Viseu Telefone 232 186 386/7 - 917 038 215. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira).

RESTAURANTE A BUDÊGA Especialidades Picanha à Posta, Cabrito na Brasa, Polvo à Lagareiro. Acompanhamentos: Batata na Brasa, Arroz de Feijão, Batata a Murro. Folga Domingo. Preço médio por refeição 12,50 euros. Morada Rua Direita, nº 3, Santiago, 3500-057 Viseu. Telefone 232 449 600. Observações Vinhos da Região e outros; Aberto até às 02.00 horas.

RESTAURANTE O VISO Especialidades Cozinha Caseira, Peixes Frescos, Grelhados no Carvão. Folga Sábado. Morada Alto do Viso, Lote 1 R/C Posterior, 3500-004 Viseu. Telefone 232 424 687. Observações Aceitamse reservas para grupos. RESTAURANTE MAJOAL Especialidades Arroz de Pato, Bacalhau c/ Natas, Grelhados, Frango de Churrasco. Folga Segundafeira. Morada Avenida Capitão Silva Pereira, 3500-208 Viseu. Telefone: 232 431 891 - 964 043 709. CORTIÇO Especialidades Bacalhau Podre, Polvo Frito Tenrinho como Manteiga, Arroz de Carqueja, Cabrito Assado à Pastor, Rojões c/ Morcela como fazem nas Aldeias, Feijocas à maneira da criada do Sr. Abade. Folga Não tem. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Rua Augusto Hilário, nº 45, 3500-089 Viseu. Telefone 232 423 853 – 919 883 877. Observações Aceitam-se reservas; Takeway. RESTAURANTE O CAMBALRO Especialidades Camarão, Francesinhas, Feijoada de Marisco. Folga Não tem. Morada Estrada da Ramalhosa, nº 14, Rio de Loba, 3500825 Viseu. Telefone 232 448 173. Observações Prato do dia - 5 euros. RESTAURANTEPORTASDOSOL Especialidades Arroz de Pato com Pinhões, Catalana de Peixe e Carne, Carnes de Porco Preto, Carnes Grelhadas com Migas. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Urbanização Vilabeira Repeses - Viseu. Telefone 232 431 792. Observações Refeições para grupos com marcação prévia. TORRE DI PIZZA Especialidades Pizzas, Massas, Carnes. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Cidade de Aveiro, Lote 16, 3510-720 Viseu. Telefone 232 429 181 – 965 446 688. Observações Menu económico ao almoço – 4,90 euros.

COMPANHIA DA CERVEJA Especialidades Bifes c/ Molhos Variados, Francesinhas, Saladas Variadas, Petiscos. Folga Terçafeira. Preço médio refeição 8,50 euros. Morada Quinta da Ramalhosa, Rio de Loba (Junto à SubEstação Eléctrica do Viso Norte), 3505-570 Viseu Telefone 232 184 637 - 962 723 772. Observações Cervejaria c/amplo espaço (120 lugares), fácil estacionamento, acesso gratuito à internet. RESTAURANTE D. INÊS Especialidades Pratos económicos de Carne e Peixe. Folga Domingo. Preço médio refeição 5 euros. Morada Rua Serpa Pinto, nº 54, 3500 Viseu Telefone 232 428 837 – 232 184 900. QUINTA DO GALO CERVEJARIAS Especialidades Grelhados de Peixe e Carne. Folga Domingo. Morada Quinta do Galo, Lt3 | Bairro Stª Eugénia, Lt21, Viseu. Telefone 232 461 790 Observações Aberto até às 2h00. O CANTINHO DO TITO Especialidades Cozinha Tradicional, Petiscos. Folga Domingo. Morada Rua Mário Pais da Costa, nº 10, Lote 10 R/C Dto., Abraveses, 3515-174 Viseu. Telefone 232 187 231 – 962 850 771. RESTAURANTEBELOSCOMERES(ROYAL) Especialidades Restaurantes Marisqueiras. Folga Não tem. Morada Cabanões; Rua da Paz, nº 1, 3500 Viseu; Santiago. Telefone 232 460 712 – 232 468 448 – 967 223 234. Observações Casamentos, baptizados, convívios, grupos. TELHEIRO DO MILÉNIO QUINTA FONTINHA DA PEDRA Especialidades Grelhados c/ Churrasqueira na Sala, (Ao Domingo) Cabrito e Aba Assada em Forno de Lenha. Folga Sábados (excepto para casamentos, baptizados e outros eventos) e Domingos à noite. Morada Rua Principal, nº 49, Moure de Madalena, 3515016 Viseu. Telefone 232 452 955 – 965 148 341.

EÇA DE QUEIRÓS Especialidades Francesinhas, Bifes, Pitas, Petiscos. Folga Não tem. Preço médio refeição 5,00 euros. Morada Rua Eça de Queirós, 10 Lt 12 - Viseu (Junto à Loja do Cidadão). Telefone 232 185 851. Observações Take-away. GREENS RESTAURANTE Especialidades Toda a variedade de prato. Folga Não tem. Preço médio refeição Desde 2,50 euros. Morada Fórum Viseu, 3500 Viseu. Observações www.greensrestaurante.com MAIONESE Especialidades Hamburguers, Saladas, Francesinhas, Tostas, Sandes Variadas. Folga Não tem. Preço médio refeição 4,50 euros. Morada Rua de Santo António, 59-B, 3500-693 Viseu (Junto à Estrada Nacional 2). Telefone 232 185 959. RESTAURANTEROSSIOPARQUE Especialidades Medalhão de Vitela p/ duas pessoas 800g Pura Alcatra, Bacalhau à Casa, Massa c/ Bacalhau c/Ovos Escalfados, Corvina Grelhada; Acompanhamentos: Migas, Feijão Verde, Batata a Murro. Folga Sábado à Noite e Domingo. Morada Rua Soar de Cima, nº 55 (Junto ao Jardim das Mães – Rossio), 3500-211 Viseu. Telefone 232 422 085. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira) – sopa, bebida, prato e sobremesa ou café – 6 euros. FORNODAMIMI Especialidades Assados em Forno de Lenha, Grelhados e Recheados (Cabrito, Leitão, Bacalhau). Folga Não tem. Preço médio por refeição 14 euros. Morada Estrada Nacional 2, Vermum Campo, 3510-512 Viseu. Telefone 232 452 555. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. QUINTADAMAGARENHA Especialidades Lombinho Pescada c/ Molho de Marisco, Cabrito à Padeiro, Nacos no Churrasco. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Nó 20 A25, Fragosela, 3505-577 Viseu. Telefone 232 479 106 – 232 471 109. Fax 232 479 422. Observações Parque; Serviço de Casamentos. RESTAURANTEIBÉRICO Especialidades Grelhados, Francesinhas, Bacalhau à Ibérico, Grelhada Mista, Vários Petiscos. Folga Não tem. Morada Quinta de Dentro, Lote 79, R/C Dto., 3505-496 Rio de Loba, Viseu. Telefone 232 449 743 – 919 908 984. Observações Refeições económicas; Comida para fora. RODÍZIOREAL Especialidades Rodízio à Brasileira. Folga Não tem. Preço médio por refeição 19 euros. Morada Repeses, 3500-693 Viseu. Telefone 232 422 232. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. RESTAURANTEOPOVIDAL Especialidades Arroz de Pato, Grelhados. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira Lt9 1ª Fase, Viseu. Telefone 232 087 776. Observações Jantares de grupo. RESTAURANTEACOCHEIRA Especialidades Bacalhau Roto, Medalões c/ Arroz de Carqueija. Folga Domingo à noite. Morada Rua do Gonçalinho, 84, 3500-001 Viseu. Telefone 232 437 571. Observações Refeições económicas ao almoço durante a semana.

RESTAURANTE BAR O PASSADIÇO Especialidades Cozinha Tradicional e Regional Portuguesa. Folga Domingo depois do almoço e Segunda-feira. Morada Largo Dr. Cândido de Figueiredo, nº 1, Lobão da Beira, 3460-201 Tondela. Telefone 232 823 089. Fax 232 823 090 Observações Noite de Fados todas as primeiras Sextas de cada mês. RESTAURANTE PONTO DE ENCONTRO Especialidades Grelhada Mista do Oceanos, Grelhada à Ponto de Encontro, Bacalhau c/ Natas, Bife à Ponto de Encontro. Folga Sábado. Morada Avenida do Salgueiral, nº 3, Fojo, Molelos, 3460211 Tondela. Telefone 232 812 867. Observações Casamentos, Baptizados e outros eventos; Refeições económicas (Almoço – 2ª a 6ª feira) – 5 e 6 euros. RESTAURANTE SANTA MARIA Especialidades Cozido à Portuguesa, Picanha, Borrego Estufado, Bacalhau Santa Maria. Folga Quarta-Feira. Preço médio por refeição Desde 6,50 euros. Morada Avenida da Igreja, nº 989, Canas de Santa Maria, 3460-012 Tondela. Telefone 232 842 135. Observações Refeições económicas c/ tudo incluído – 6,50 euros; Refeições p/ fora – 5,50 euros.

NELAS RESTAURANTE QUINTA DO CASTELO Especialidades Bacalhau c/ Broa, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito à Padeiro, Entrecosto Vinha de Alhos c/ Arroz de Feijão. Folga Sábado (excepto p/ grupos c/ reserva prévia). Preço médio refeição 15 euros. Morada Quinta do Castelo, Zona Industrial de Nelas, 3520-095 Nelas. Telefone 232 944 642 – 963 055 906. Observações Prova de Vinhos “Quinta do Castelo”.

VOUZELA RESTAURANTE O REGALINHO Especialidades Grelhada Mista, Naco de Vitela na Brasa c/ Arroz de Feijão, Vitela e Cabrito no Forno, Migas de Bacalhau, Polvo e Bacalhau à Lagareiro. Folga Domingo. Preço médio refeição 10 euros. Morada Rua Teles Loureiro, nº 18 Vouzela. Telefone 232 771 220. Observações Sugestões do dia 7 euros. TABERNA DO LAVRADOR Especialidades Vitela à Lafões Feita no Forno de Lenha, Entrecosto com Migas, Cabrito Acompanhado c/ Arroz de Cabriteiro, Polvo Grelhado c/ batata a Murro. Folga 2ª Feira ao jantar e 3ª todo o dia. Preço médio refeição 12 euros. Morada Lugar da Igreja - Cambra - Vouzela. Telefone 232 778 111 917 463 656. Observações Jantares de Grupo. RESTAURANTE EIRA DA BICA Especialidades Vitela e Cabrito Assado no Forno e Grelhado. Folga 2ª Feira. Preço médio refeição 15 euros. Morada Casa da Bica - Touça - Paços de Vilharigues - Vouzela. Telefone 232 771 343. Observações Casamentos e Baptizado. www.eiradabica.com

FÁTIMA RESTAURANTE SANTA RITA Especialidades Bacalhau Espiritual, Bacalhau com camarão, Bacalhau Nove Ilhas, Bife de Atum, Alcatra, Linguiça do Pico, Secretos Porco Preto, Vitela. Folga Quarta-feira. Preço médio refeição 10 euros. Morada R. Rainha Santa Isabel, em frente ao Hotel Cinquentenário, 2495 Fátima. Telefone 249 098 041 / 919 822 288 Observações http:// santarita.no.comunidades.net; Aceita grupos, com a apresentação do Jornal do Centro 5% desconto no total da factura.

ADVOGADOS

RESTAURANTE S. BARNABÉ Especialidades Chanfanas, Comida Italiana, Cozinha Tradicional, Arroz de Polvo c/ Gambas Morada Rua dos Bombeiros Voluntários, nº80 - 3460-572 Tondela Telemóvel 969 723 146. Observações Comida para fora.

VISEU

STAURANTE PRATO D’OURO Especialidades Cozinha Regional Morada EN 2, 1189 Adiça 3460-321 Tondela Telefone 232 816 537. Observações Refeições Económicas (2ª a 6ª feira), Refeições p/ fora.

Morada Rua da Vitória, nº 7 – 1º, 3500-222 Viseu Telefone 232 458

SÃO PEDRO DO SUL RESTAURANTE QUINTA DO MARQUÊS Especialidades Bacalhau c/ Natas, Rojões à Beirão, Vitela à Lafões, Tiramisú. Folga Domingo (Dezembro a Junho). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Galerias Quinta do Marquês, 2º Piso, Fracção Z (junto ao Pav. Desportivo Municipal e Piscinas), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 723 815. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira). RESTAURANTE O CAMPONÊS Especialidades Nacos de Vitela Grelhados c/ Arroz de Feijão, Vitela à Manhouce (Domingos e Feriados), Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Grelhado c/ Arroz de Miúdos, Arroz de Vinha d´Alhos. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 12 euros. Morada Praça da República, nº 15 (junto à Praça de Táxis), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 711 106 – 964 135 709.

SANTA COMBA DÃO RESTAURANTE TÍPICO O PEDRO Especialidades Mariscos, Grelhados e Pratos Regionais. Paelha, Camarão À Pedro, Arroz de Marisco, Bacalhau Zé Pipo, Carne Porco Alentejana, Naco, Cabrito, Cabidela de Galo. Folga Não tem. Morada Rua Principal, nº 11 A, 3440465 São João de Areias. Telefone 232 891 577 – 964 262 750. Observações Casamentos, Baptizados, Grupos; Espaço Verde.

OLIVEIRA DE FRADES OS LAFONENSES – CHURRASQUEIRA Especialidades Vitela à Lafões, Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Casa, Bife de Vaca à Casa. Folga Sábado (excepto Verão). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua D. Maria II, nº 2, 3680-132 Oliveira de Frades. Telefone 232 762 259 – 965 118 803. Observações Leitão por encomenda.

ANTÓNIO PEREIRA DO AIDO Morada Rua Formosa, nº 7 – 1º, 3500135 Viseu. Telefone 232 432 588 Fax 232 432 560 CARLA DE ALBUQUERQUE MENDES

029 Fax 232 458 029 Fax 966 860 580

MARIA DE FÁTIMA ALMEIDA Morada Rua Miguel Bombarda, nº 37 – 1º Esq. Sala G, 3510-089 Viseu Telefone 232 425 142 Fax 232 425 648 CATARINA DE AZEVEDO

Morada Largo General Humberto

Delgado, nº 1 – 3º Dto. Sala D, 3500139 Viseu Telefone 232 435 465 Fax 232 435 465 Telemóvel 917 914 134 Email catarina-azevedo5275c@adv.oa.pt

ANTÓNIO M. MENDES Morada Rua Chão de Mestre, nº 48, 1º Dto., 3500-113 Viseu Telefone 232 100 626 Email antonio.m.mendes3715c@adv.oa.pt ARNALDO FIGUEIREDO E FIRMINO MENESES FERNANDES Morada Av. Alberto Sampaio, nº 135 – 1º, 3510-031 Viseu Telefone 232 431 522 Fax 232 431 522 Email a-figueiredo@iol.pt e firminof@iol.pt MARQUES GARCIA Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº 218 – C.C.S. Mateus, 4º, sala 15, 3514-504 Viseu Telefone 232 426 830 Fax 232 426 830 Email marques.garcia-3403c@advogados. oa.pt FILIPE FIGUEIREDO

Morada Rua Conselheiro Afonso

de Melo, nº 31 – 5º, sala 502, 3510024 Viseu Telefone 232 441 235 Telemóvel 964 868 473 Email filipe.figueiredo-5153c@adv.oa.pt FABS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS – RENATO FERNANDES, JOÃO LUÍS ANTUNES, PAULO BENFEITO

Morada Av. Infante D. Henrique, nº 18 – 2º, 3510-070 Viseu Telefone 232 424 100 Fax 232 423 495 Email

fabs.advogados@netvisao.pt

JOÃO NETO SANTOS Morada Rua Formosa, nº 20 – 2º, 3500134 Viseu Telefone 232 426 753 CONCEIÇÃO NEVES E MICAELA FERREIRA – ADVOGADAS

Morada Av. Dr. António José de

Almeida, 264 – Forum Viseu [NOVAS I NS TA L AÇÕE S], 3510 - 0 43 Viseu Telefone 232 421 225 Fax 232 426 454 ELISABETE MENDONÇA Morada Rua Nunes de carvalho, nº 39 – 1º, sala 3, 3500-163 Viseu Telefone 232 471 284 Fax 232 471 284 Email elisabetemendonca-5907c@adv.oa.pt BRUNO DE SOUSA Esc. 1 Morada Rua D. António Alves Martins Nº 40 2ºE 3500-078 VISEU Telefone 232 104 513 Fax 232 441 333 Esc. 2 Morada Edifício Guilherme Pereira Roldão, Rua Vieira de Leiria N º14 2430 - 30 0 Ma r i n ha Gra nde Telefone 244 110 323 Fax 244 697 164 Tlm. 917 714 886 Áreas preferenciais Crime | Fiscal | Empresas

MANGUALDE

JOSÉ MIGUEL MARQUES Morada Rua 1º de Maio, nº 12 – 1º Dto., 3530-139 Mangualde Telefone 232 611 251 Fax 232 105 107 Telemóvel 966 762 816 Email jmiguelmarques4881c@adv.oa.pt JOSÉ ALMEIDA GONÇALVES Morada Rua Dr. Sebastião Alcântara, nº 7 – 1º B/2, 3530-206 Mangualde Telefone 232 613 415 Fax 232 613 415 Telemóvel 938 512 418 Email jose.almeida.goncalves-14291l@adv. oa.pt

NELAS

JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges. silva@mail.telepac.pt JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES

Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges.

CARLA MARIA BERNARDES

silva@mail.telepac.pt

Melo, nº 39 – 2º Dto., 3510-024 Viseu

ÂNGELO MENDES MOURA Morada Av. Visconde Guedes Teixeira, 29 – 1º, 5100-073 Lamego Telefone 254 612 402

Morada Rua Conselheiro Afonso de Telefone 232 431 005

JOÃO PAULO SOUSA

M o r a d a L g. Genera l Humber to

Delgado, 14 – 2º, 3500-139 Viseu Telefone 232 422 666

HERMÍNIO MODESTO Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº275 - 1º Esquerdo - 3510047 Viseu Telefone/Fax 232 468 295

FERNANDO AMARAL Morada Rua dos Bancos, 5100-115 Lamego Telefone 254 612 274/ 254 600 223 Fax 254 600 229

IMOBILIÁRIO

JOÃO MARTINS M o r a d a R ua D. A ntón io A lves Martins, nº 40 – 1º A, 3500-078 Viseu Telefone 232 432 497 Fax 232 432 498

VENDE-SE

ANA PAULA MADEIRA

Moradia Geminada – A 5 min. do Centro Nova!. Com 2 quartos + 2 suites, roupeiros embutidos, 2 wc´s completos, 2 wc´s privativos + 2 serviços, cozinha c/ copa e lareira. Aquecimento central e som ambiente. Garagem fechada e terreno com área de 1.050 m2. T. 926 340 312 ou 919 255 516

Morada Rua D. Francisco Alexandre

Lobo, 59 – 1º DF, 3500-071 Viseu

Telefone 232 426 664 Fax 232 426 664 Telemóvel 965 054 566 Email

anapaula.madeira@sapo.pt

MANUEL PACHECO Morada Rua Alves Martins, nº 10 – 1º, 3500-078 Viseu Telefone 232 426 917 PAULO DE ALMEIDA LOPES Morada Travessa da Balsa, nº 21 3510-051 Viseu Telefone 232 432 209 Fax 232 432 208 Email palopes4765c@adv.oa.pt

Casa em Pedra em Oliveira do Hospital. Bom preço. T. 966 130 251

Moradia Banda – Zona de Gumirães Muito bom estado! C/ 4 quartos, 4 wc´s, 4 roupeiros embutidos, cozinha com móveis, despensa, 2 lareiras, pré-instalação de ar condicionado e painéis solares. Churrasqueira e forno. Garagem e quintal. 140.000,00€. T 964 160 608


Jornal do Centro

20 CLASSIFICADOS | INSTITUCIONAIS Moradia Isolada – Pertinho da Cidade Tipologia T3, 3 wc´s, roupeiros embutidos, escritório, cozinha equipada, despensa. Aquecimento central a gasóleo e a lenha, arrumos, lavandaria, garagem fechada p 4 carros, quintal com área de 800 m2. Bom preço. T. 926 340 312 ou 919 255 516. Moradia p/ reconstrução – Zona de Fragosela. Moradia toda em pedra para recuperar, com área coberta de 150 m2 e área descoberta de 70 m2. 50.000,00€ T. 964 160 608

IMOBILIÁRIO ARRENDA-SE Escritório no centro da cidade, 275€ T. 232 098 416 / 960 050 949 2 Escritórios com Wc, 300€. T. 232 098 416 / 960 050 949 Loja. 100 m2,2 frentes. Bem localizada. 700,00€ T. 962 376 769

18 | Junho | 2010 T3 mobilado. Stº Estevão. 300,00€(8117) T. 232 410 390 T3 (Vilabeira). 400,00€(8117) T. 232 410 390

IMOBILIÁRIO VENDE-SE

Terreno. Boa localização, 1098 m2 55.000€(8117) T. 232 410 390

IMOBILIÁRIO TRESPASSA-SE

Bar/Pub Óptimo ambiente, Boa localização. 90.000,00€(8117) T. 232 410 390

Restaurante. Óptima localização,bem equipada. Boa clientela.Bom Preço.(8117) T. 232 410390

AUTOMÓVEIS VENDE-SE VW Caddy 2.0 SDI Extra Comercial,

2005, 170.000Km - 8.000€ T. 964 034 940

DIVERSOS Vendo 300 telhas de macelha. Para colecionadores vendo SIMCA 1300 especial. T. 916 195 468


Aproveita as tuas férias para Brincar e Aprender.

:: Natureza e Biodiversidade :: :: Profissões :: Bem-Estar :: Teatro :: Ciência :: :: Informática e Multimédia :: Desporto :: Cultura :: :: Jogos Tradicionais :: Solidariedade e Igualdade :: Reciclagem :: .: Inclui Almoço e Lanche Diário .: Das 09:00 às 17:30 (prolongamento até 19h)

.: Inclui Seguro de Acidentes Pessoais .: Alvará para Campos de Férias

DE JUNHO A S E T E M B RO

MDA Formação - Rua Miguel Bombarda, 28 3510-088 Viseu

Inscrições e

Tel. 232 182 826 / Tel. 91 757 3313 * mdaformacao@gmail.com

Informações

Homologado pelo IEFP Duração

102 horas

Habilitação mínima

12º ano

Início

Junho 2010 Setembro 2010

Horário

Pós-laboral

MDA Formação - Rua Miguel Bombarda, 28 3510-088 Viseu Tel. 232 182 826 / Tel. 91 757 3313 E-mail. mdaformacao@gmail.com


Jornal do Centro

22 NECROLOGIA | INSTITUCIONAIS

18 | Junho | 2010

Agência Funerária São Brás Carregal do Sal Tel. 232 671 415

Agência Funerária Figueiredo & Filhos, Lda. Oliveira de Frades Tel. 232 761 252

Carlos Morgado, 54 anos. Natural de Laceiras, Carregal do Sal. O funeral realizou-se no dia 12 de Maio, pelas 10.00 horas, na igreja de Laceiras para o cemitério de Laceiras.

Piedade Carvalho, 94 anos, viúva. Natural e residente da freguesia de Ventosa, conselho de Vouzela. O funeral realizou-se no dia 16 de Junho, pelas 19.00 horas, para o cemitério de Ventosa.

Agência Funerária Amadeu Andrade & Filhos, Lda. Castro Daire Tel. 232 382 238

António Henriques Tavares, 60 anos, casado. Natural e residente da freguesia de Arcozelo das Maias, concelho de Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 16 de Junho, pelas 18.30 horas, para o de Arcozelo das Meias.

Armando Dos Santos Tomas, 81 anos, viúvo. Natural e residente em Almofala, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 10 de Junho, pelas 19.00 horas, para o cemitério de Almofala. João Valente Morais, 65 anos, casado. Natural e residente em Almofala, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 16 de Junho, pelas 19.00 horas, para o cemitério de Almofala. Agência Funerária Ferraz & Alfredo Mangualde Tel. 232 613 652 Maria de Jesus, 94 anos, viúva. Natural e residente em Fornos de Maceira Dão. O funeral realizou-se no dia 15 de Junho, pelas 18.30 horas, para o cemitério de Fornos de Maceira Dão. Ana Rosa De Almeida, 82 anos, casada. Natural e residente em Santo Amaro de Tavares. O funeral realizou-se no dia 11 de Junho, pelas 13.00 horas, para o cemitério de Abrunhosa Velha.

Agência Funerária Sátão Sátão Tel. 232 981 503 Maria Augusta Campos, 96 anos, viúva. Natural de Queiriga, concelho de Vila Nova de Paiva. O funeral realizou-se no dia 13 de Junho, pelas 16.30 horas, para o cemitério de Queiriga.

Agência Funerária Maria O. Borges Duarte Tarouca Tel. 254 679 721 Doroteia de Jesus Mendonça, 83 anos, viúva. Natural de Ferreiros de Avões, concelho de Lamego, residente em Tarouca. O funeral realizou-se no dia 9 de Junho, pelas 18.30 horas, para o cemitério de Esporões, Tarouca.

1ª Publicação

Art_EcaQPol_i_25x35.indd 1 Publicidade

6/8/10 4:15 PM

(Jornal do Centro - N.º 431 de 18.06.2010)


Jornal do Centro

clubedoleitor CARTA DA SEMANA

23

DEscreva-nos para:

18 | Junho | 2010

Jornal do Centro - Clube do Leitor, Bairro S. João da Carreira, Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lt 10, r/c . 3500 -187 Viseu. Ou então use o email: redaccao@jornaldocentro.pt As cartas, fotos ou artigos remetidos a esta secção, incluindo as enviadas por e-mail, devem vir identificadas com o nome e contacto do autor. O semanário Jornal do Centro reserva-se o direito de seleccionar e eventualmente reduzir os originais. Não se devolvem os originais dos textos, nem fotos.

Chega de representatividade (?) Um dos temas mais falados no momento tem a ver com o número de deputados no Parlamento. Numa altura em que se fala de contenção de despesas, é animador ver os líderes da Nação preocupados em dar o exemplo. O PSD, considera a redução do número de deputados com “espírito de abertura”. O objectivo do maior partido de apoio ao Governo é “alcançar uma relação de maior proximidade entre eleitos e eleitores” por via duma alteração dos círculos eleitorais, “tornando-os mais pequenos”. Embora não perceba nada, deve ser giro, mas será bastante para convencer os restantes partidos? O CDS-PP, é contra a redução do número de deputados porque não passa duma ideia demagógica que pode preju-

dicar a representatividade e a qualidade da democracia. “Há mais administradores de empresas públicas do que deputados” disse João Almeida, e “ganham mais do que os deputados”. Segundo o orçamento da Assembleia da República, a verba destinada ao vencimento dos deputados é de 12 milhões e 349 mil Euros – a dividir por 230 deputados dá meia dúzia de tostões. [...] O PCP também é contra, uma vez que isso pode levar a uma maior representação do PS e do PSD, além de diminuir a pluralidade. “A única redução de deputados que beneficiará o país” seria uma redução dos que “têm apoiado a política de direita”, disse Bernardino Machado. Por outras palavras, a ideia não é má, mas só se for para os outros.

Algures no espectro político, o PS também se diz contra a ideia. “Não é sério num momento de crise estar a fazer uma discussão dessa natureza.”, disse Francisco Assis. Nem mais. Os meninos ganham uma pipa de massa, têm tudo pago e a gente tem de andar a contar os tostões todos? [...] “Há uma diferença entre a rua e o Parlamento”. Nisso tenho de lhe dar razão. Na rua as pessoas são muito mais bemeducadas. Além de roubarem menos. “No dia em que desaparecer a diferença entre o Parlamento e a rua, o Parlamento deixa de ser necessário. E no dia em que o Parlamento deixar de ser necessário a democracia está em perigo”, disse. Ui que medo! É o fantasma do Salazar que vem aí! Uuuu!

GENTE DA NOSSA TERRA > ALBANO ESTEVES, 55 ANOS, PROPRIETÁRIO DO SOLAR DO ARCO

José Lorena

O Solar do Arco, junto à feira semanal, é uma das casas de comer mais emblemáticas e antigas da cidade de Viseu. É capitaneada por Albano Esteves, uma autêntica figura da cidade. Às terças-feiras de manhã, Albano abre o restaurante às cinco da manhã para receber os feirantes que começam o dia com opulentas feijoadas e ranchadas. Passou 10 anos na Suíça e amealhou o suficiente para regressar em paz a Portugal e continuar a trabalhar, adquirindo o direito de governar o Solar do Arco, “a casa com o alvará mais antigo de Viseu”, diz, com satisfação. Albano Esteves chegou a apanhar um susto quando a autarquia anunciou que a feira semanal iria mudar para a radial de Santiago. “Ia ser mau para todo o comércio e restauração deste local”, sustenta. E de oferta gastronómica, o que há de novo “ti” Albano? “Uiii! Temos mais de 50 pratos diferentes e sempre disponíveis. Os de bacalhau são os melhores, mas temos apostado muito numa inovação: o Esparguete de Marisco.” E a casa continua a exibir duas relíquias. São dois painéis a óleo de F. Correia, que mostram como era Viseu em meados do século XX. Um orgulho para Albano.

Francisco Louçã, o líder do Bloco de Esquerda diz que o PS quer reduzir o número de deputados para se “ver livre da opinião dos portugueses”. Não é bem isso Francisco. Eles só querem reduzir o número de deputados que são contra as medidas do PS. Que são quais? Ora bem, o PSD está a favor do PS no que toca às medidas de austeridade, por isso não devem ser esses. O PCP, o CDS e o Bloco estão a favor em ser contra a redução do número de deputados. Também não devem ser. Quem é que sobra? O PPM? Eu acho simpático ver todos de mão dada, mas se calhar está na hora de apertarem também o cinto, não? [...] Joel G. Gomes Enviado através do site do Jornal do Centro

CANTINHODOANIMAL | ADOPÇÕES CANTINHO DOS ANIMAIS ABANDONADOS DE VISEU • RIO DE LOBA • 232 449 934

Entrou esta semana no Cantinho esta cadela com cerca de 3 anos. Está bem tratada e aparenta estar perdida. É de raça pequena e muito meiga.

FOTO DA SEMANA

Joaquim Alexandre Rodrigues

Vai aprender a fazer puzzles... Rua Miguel Bombarda - Viseu.

Este macho tem cerca de 3 meses e é de porte médio. Está desparasitado e vacinado. É muito brincalhão, ideal para conviver com crianças.

Esta fêmea com cerca de 1 ano é de porte médio/grande. Está vacinada, desparasitada e será esterilizada em breve. É uma cadela muito brincalhona, bonita e meiga. Esta rúbrica está aberta à participação dos leitores. Submeta a sua denúncia para redaccao@jornaldocentro.pt


tempo: sol

JORNAL DO CENTRO 18 | JUNHO | 2010

Hoje, dia 18 de Junho, sol. Temperatura máxima de 25ºC e mínima de 13ºC. Amanhã, dia 19 de Junho, sol. Temperatura máxima de 23ºC e mínima de 14ºC. Domingo, dia 20 de Junho, sol. Temperatura máxima de 24ºC e mínima de 14ºC. Segunda, dia 21 de Junho, sol. Temperatura máxima de 24ºC e mínima de 15ºC.

Impresso em papel que incorpora 30 por cento de fibra reciclada, com tinta ecológica de base vegetal

Olho de Gato

agenda Os melhores locais Sexta, 18 para festejar o São João Viseu

∑ Peça “O Principezinho”, pelo Colégio da ViaSacra. Às 21h30, no Pavilhão Multiusos. Tondela

∑ Conferência “Os Jovens e os Hábitos de Vida Saudável”, pela Escola Profissional de Tondela. Às 21h00, no Auditório 2 da ACERT. Sernancelhe

∑ Festa do Livro e da Criança. Dias 18, 19 e 20 no Exposalão de Sernancelhe.

Sábado, 19 Viseu

∑ Actuação do Grupo de Cantares Madrugada, entre as 10h30 e as 12h00, no Mercado 2 de Maio.

Domingo, 20 Viseu

∑ Terceira prova do Campeonato do Mundo de Stunt Riding, organizado pelo Motoclube de Viseu. Na Radial de Santiago, às 14h00.

Viseu

Vildemoinhos Cortejo. Com 357 anos, as Cavalhadas voltam a percorrer as principais ruas da cidade na manhã do dia 24. As tradicionais festas de São João em Vildemoinhos começam a 23 e terminam a 26. Nelas

Festa do Município Programa de 23 a 27. A tradicional noite de São João é comemorada com marchas populares, arraial, sardinhada e música com o Grupo Almanova e noite de Karaoke. No dia 24, Ágata e Pablo Panchica dão música em palco. A festa prossegue até dia 27, com vários concertos. Mangualde

As Tasquinhas

Programa. “As Tasquinhas Vão à Cidade” foi o programa pensado pela câmara municipal para assinalar o Mundial de Futebol e comemorar os santos populares. Estão abertas desde o dia 11, na Avenida Conde D. Henrique. São Pedro do Sul

Mês da Cidade Programa. A cidade guarda-se para a noite de São Pedro, mas a noite são-

Os chispes das matrículas

joanina também promete este ano com “Talentos da Nossa Terra”. Os festejos este ano estão a decorrer durante um mês, para comemorar um ano de elevação de S. Pedro do Sul a cidade. Moimenta da Beira

“São João quase, quase...” Programa. O auge das festas de São João está a chegar. As marchas populares, que atraem multidões, saem hoje (18) à rua. Mas dia 24 é feriado municipal e, por isso, a noite de São João é longa na vila, este ano com o grupo Diapasão e os Inseparáveis a dar música. Outro ponto alto é o espectáculo de fogo de artifício, às 24 horas do dia 23. A procissão em honra do padroeiro São João Baptista, às 18h00 de 24, é mais um dos momentos fortes. Cinfães

Festa de São João Programa. A noite são-joanina começa com as marchas populares, às 20h30; às 23h00 há um espectáculo piro-musical, seguindose a actuação de Rita Guerra. Pela noite dentro está programado um forte arraial. O destaque do dia de

Publicidade

Fábio, ex-junior do Viseu e Benfica, vai jogar pelos academistas. Quanto a Luís Miguel, é um médio ofensivo que também pode actuar como

avançado. Tem 1,84 de altura, e fez grande parte da sua carreira no Madalena dos Açores, onde chegou a jogar com Casal, outro dos reforços da época no

Joaquim Alexandre Rodrigues joaquim.alexandre.rodrigues@netvisao.pt

São João vai para a procissão solene, às 18h00. São João da Pesqueira

Marchas populares

João Manzarra. Os festejos concentram-se nos dias 23 e 24 com marchas populares, tasquinhas, bailes, folclore e fogo de artifício. O prato forte é, no entanto, o concurso das marchas populares, este ano com a presença do apresentador João Manzara. No dia 24 repete-se a tradição da procissão solene, às 18h00, em honra do santo. Armamar

Marchas Programa. O desfile das marchas populares dá cor à noite do santo popular em frente ao edifício da Câmara Municipal, acompanhadas das bandas musicais de Salzedas e Tarouca. A noite não pode terminar sem o arraial popular, que se repete no dia seguinte. Dia 24, destaque para a procissão, às 18h30, e o desfile da Marcha de Armamar.

Académico de Viseu com mais dois reforços Luís Mig uel Coelho Ferreira, médio extremo, que jogou na última época no Gondomar, é reforço do Académico de Viseu para a nova temporada. Também

http://twitter.com/olhodegato

Académico. Faz 30 anos em Outubro, e chega a Viseu depois de uma época no Gondomar, onde fez 8 golos. Antes, esteve uma época no Chipre.

Foi no verão de 2008 que o governo começou a falar dos identificadores obrigatórios nas viaturas - os “chips das matrículas”. O secretário de estado Paulo Campos passou aquele verão a gabar a maravilha dos “chispes” das matrículas. Não fez outra coisa. Chegou a ser ridículo. Esteve a milímetros de afirmar que os ditos “chispes” eram infalíveis até contra o mau-olhado. Só que, infelizmente, os “chips das matrículas” são mesmo um mau-olhado, são um Big Brother. Di sse deles o so cialista Pedro Adão e Silva: “a ideia de deixar obrigatoriamente registo de passagem quando se circula na auto-estrada é um primeiro passo em direcção a um mundo perigoso, em que autonom ia i ndividua l e direito à privacidade começam lentamente a ser confiscados pelo Estado.” O s gover nos me tem-se cada vez mais nas nossas vidas com a a legação de que “quem não deve não teme”. Essa alegação é uma falácia e está a

danificar as democracias. Os “chips das matrículas” são para financiar as SCUTs. Mas há, mas têm de haver outras soluções para esse problema que não sejam lesivas da privacidade dos cidadãos. Bastava , por exemplo, instituir-se uma vinheta anual obrigatória – o “Selo das SCUTs”. Sugeri isso a José Sócrates, olhos nos olhos, em Fevereiro de 2009. Na próxima semana, os deputados vão votar os “chips das matrículas”. Vão surgir, de muitos lados, ameaças de crise política pa ra condiciona r o voto dos deputados. Era bom que o nosso parlamento não fosse em chantagens e mostrasse que respeita os direitos, liberdades e garantias dos cidadãos. Deixo mais um elemento para a reflexão dos nove deputados do círculo de Viseu que foram eleitos com os nossos votos: se este Big Brother passar, num futuro muito próximo vamos ser obrigados a pagar 8 cêntimos por quilómetro nas “nossas” A24 e A25.

Jornal do Centro - Ed431  

Jornal do Centro - Ed431

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you