Page 1

Publicidade

Distribuído com o Expresso. Venda interdita.

UM JORNAL COMPLETO

Publicidade

pág. 02 pág. 05 pág. 06 pág. 08 pág. 12 pág. 14 pág. 15 pág. 16 pág. 18 pág. 20 pág. 21 pág. 22 pág. 23

DIRECTOR

Pedro Costa

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > À CONVERSA > REGIÃO > ESPECIAL > NEGÓCIOS > DESPORTO > CULTURAS > SAÚDE > RESTAURANTES > CLASSIFICADOS > NECROLOGIA > CLUBE DO LEITOR

Semanário 12 de Março de 2010 Sexta-feira Ano 8 N.º 417

1,00 Euro (IVA 5% incluído)

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

|Telefone:232 2437 43 4 37461·Fa F Fax: x 232431225·BairroS.JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

Prémio D. Afonso Henriques

Visita de Basílio Horta

Concorrentes queixam-se do atraso da Câmara de Viseu na divulgação dos vencedores

Fábrica da Peugeot Citroën de Mangualde vai expandir-se para a EN 16

| página 8

| página 14

Durão Barroso já tem chave de Lamego

∑ Autarca Francisco Lopes entrega galardão durante audiência rara concedida pelo presidente da Comissão Europeia

Publicidade

Nany Cabral

| página 10

“Limpar Portugal” “Não é a internet que vai limpar no dia, têm que ser as pessoas”

Eleições no PSD Distrital e cinco concelhias vão a votos no dia da escolha do líder

Visita à região Americanos preparam-se para importar vinho do Dão

Luís Amaral, coordenador distrital | páginas 6

A partir deste sábado o Jornal do Centro, agora a cores, passa também a ser distribuído com o semanário Expresso, em todos os pontos de venda do distrito de Viseu

página 5

página 14

página 3

Especial Vá às compras 12

vá às compras

Rua Formosa

Rua Formosa: um

Melhorias

∑ Uma das artérias

centrais da cidade

Jornal do Centro 12 | Março | 2010

texto ∑ Raquel

misto de tradição

de Viseu mantém

o

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Rodrigues

e património

No coração de carisma de outros Viseu, tempos, apostando O edifício do a Rua Formosa Banco de é uma das Portugal na actualização principais e constante é, também, mais cenimponente presençauma trais artérias da cidade de rua, da Viseu. pela sua arquitectura e grandiosidade. Ligando a Praça Inaugudo rada em Rossio ao Largo Viseu no ano de Santa 1986 de Cristina, a Rua a Formosa é tralizaCasa da Sorte cenuma via pedonal na Rua Formosa que vive essencialmente sobre- apostas e apostadores dos mércio tradicional, do co- jogos da Santa Casa da Miconju- sericórdia, gando espaços e convive ladomais tradi- a-lado cionais com a modernidade com a modernidade, da Livraria de lojas de rua, que vão re- exemplo. Pretexto, por sistindo à crise económica. A Transformada numa via pedonal, Marcada pela presença, pela Rua incontornável, Formosa passam, do Mercado diariamente, milhares 2 de Maio, idealizado Presenças de de pessoas peso na Rua pelo Arquitecto Siza Formosa Vieira, na Rua Formosa ∑ Pastelaria Horta. Inaugué também rada possível conviver em 1873, a Pastelaria Loja Tavares. A vender prontocom edi- ta Hor- a-vestir serve até hoje fícios históricos, “Agostinhos” desde 1954, a Loja especialidades tendo sido de . A Papelaria Tavares Domingos, situa-se nas conhecidas doçaria regional, descoberta, em zendo chegar Agostinho Março de tanhas como diariamente 2004, um troço jorde ovos e pastéis cas- Esquinas e distingue-se Quatro conhecida em Viseu e Filhos, nais nacionais de muralha e regionais a de fei- der roupa por ven- de pelo nome e um torreão semi-circular jão. Distinguida e vários cafés, cervejarias “Agostinhos” de qualidade, reconhecida nasceu, na para um Formosa e pastelaem Viseu por público-alvo romanos, que entretanto ter recebido os há 78 anos e ainda Rua rias de Viseu. Hoje em com um poder fo- mes mais dia, com hoje a facilidade ram musealizados, sonantes da nossa no- compra médio e médio-alto, de se mantém naquela de acesso à inforcriando ça, artéria, empra- ambiente num como Aquilino um museu ao ar mação, moderno e recentemen- bora em instalações livre, Ribeiro que diferentes nuam os “Agostinhos” contite remodelado. lando-se, a partir reve- quase diariamente a disponibilizar Para além da loja das originais. Até há cerca lhe fazia uma do solo, visita, todas as original, o grupo de publicações numa enorme 15 anos, com o a Pastelaria Horta placa Tavares detém aparecimento nacionais e algufoi a pri- em de mas estrangeiras, dro assente numa de vi- meira em Viseu a uma empresa Viseu um conjunto importar a reespecializada estrutu- ceita de quatro distribuição bem como em tigos de lojas, empregando ra metálica. do bolo-rei, que papelaria, livraria arde publicações 16 logo se tornou um sucesso jortêm acompanhado pessoas, que nalísticas, e os de vendas. a papelaria “Agosti- jogos da Santa Casa da e sabido conMiseritornar a crise nhos” era a única córdia, tendo económica. já entregue vários em Viseu que desenvolvia primeiros esse trabalho, prémios da Lotaria fa- de Natal e do Totobola.


2

Jornal do Centro 12 | Março | 2010

praçapública palavras

deles

r[Aguiar Branco] parte atrasado, mas tem todas as condições para poder ter um bom resultado”

rA necessidade da fixação de mais indústrias no concelho, só se faz com boas acessibilidades”

João Pedro Barros

Isaura Pedro

Mandatário Distrital do candidato à presidência do PSD, Aguiar Branco (Rádio Noar, 10 de Março)

Presidente da Câmara Municipal de Nelas (A propósito da possível suspensão da construção dos IC6, IC7 e IC37, Rádio Noar, 9 de Março)

Acácio Pinto Deputado do PS aspinto@ps.parlamento.pt

com a incineração destes resíduos na Lipor, Valorsul e Valor Ambiente [...] produzimos energia eléctrica que, no seu conjunto, dá aproximadamente para o abastecimento das residências da cidade do Porto”

das normas técnicas quanto ao tratamento de gases expelidos para a atmosfera e demais subprodutos. Percebemos que com a incineração destes resíduos na Lipor, Valorsul e Valor Ambiente: i) evitamos a ocupação de solo na sua deposição; ii) produzimos energia eléctrica que, no seu conjunto, dá aproximadamente para o abastecimento das residências da cidade do Porto; iii) reduzimos a nossa dependência energética do exterior ao reduzir a importação de petróleo e de gás; iv) tornamos o sistema de recolha mais sustentável para os municípios ao vender a energia à EDP.

rQuisemos lembrar a mulher que sofre não só pelas dores do parto, como também aquela que sofre atrocidades e violência familiar” Regina Costa

Paulo Rangel Candidato à presidência do PSD (Encontro com militantes em S. Pedro do Sul, 6 de Março)

Bilhete Postal

Energia a partir de resíduos No dia 2 de Março estive na LIPOR II com os demais deputados da Comissão de Ambiente Ordenamento do Território e Poder Local. Foram-nos apresentados os projectos das empresas integrados na AVALER (Associação de Entidades de Valorização Energética de Resíduos Sólidos Urbanos) que são a Valorsul, a Lipor e Valor Ambiente, nomeadamente a sua vertente de incineração de resíduos sólidos urbanos e a consequente produção de energia eléctrica, bem como nos foi ainda proporcionada uma visita às duas linhas de queima da central da LIPOR, com explicação detalhada sobre o cumprimento

r[Defendo] uma ruptura com a governação socialista [...] na política do território para começarmos a inverter esta assimetria entre o litoral e o interior”

Organização do desfile de moda no Hospital de S. Teotónio, a propósito do Dia Internacional da Mulher (Diário As Beiras, 9 de Março)

Fazer política de cócoras

João Carlos Figueiredo Deputado do PSD joao.figueiredo@psd.parlamento.pt

Quando escrevi que Viseu e a sua região ficam sempre a perder quando os governos são socialistas, alguns duvidaram. Na passada semana foinos dado mais um triste exemplo que tira qualquer dúvida. O encerramento da 2ª Repartição de Finanças de Viseu abre um grave precedente. Pela incerteza que cria nos trabalhadores bem como pela diminuição da qualidade dos serviços prestados às populações. O que nunca pensei foi assistir à confissão pública socialista: são contra. Ai sim! Então o que fizeram para que tal não aconte-

cesse? Tiveram, neste episódio, uma oportunidade para mostrar que o PS de Viseu tinha algum peso político junto do Governo. Ou não quiseram ou não puderam. Ser contra e não ser consequente com essa sua opinião é colocar-se de cócoras. E quando o exercício da actividade política é feito de cócoras não pode merecer a confiança dos eleitores.

Quando o exercício da actividade política é feito de cócoras não pode merecer a confiança dos eleitores”

Opinião

O Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC)

Alexandre Azevedo Pinto Economista alexazevedopinto@sapo.pt

O País está numa situação muito difícil. O PEC que o Governo vai apresentar a Bruxelas pode não ser suficientemente credível para convencer os credores internacionais e para aliviar a pressão nos mercados financeiros internacionais. O endividamento externo real do país ao exterior é seguramente muito superior aos 85 por cento que o Governo anuncia. A Dívida pública indirecta coloca este valor próximo dos 115 por cento. Isto significa que o PIB anual não suporta a totalidade dos compromissos externos já assumidos pelo endividamento galopante, sendo

esta a principal estratégia de crescimento que o país utilizou na última década. Das medidas apresentadas pelo PEC destaca-se o agravamento dos impostos, por via indirecta, através sobretudo da redução dos benefícios fiscais e da criação de uma nova taxa de tributação para rendimentos superiores a 150 mil euros anuais. Os Pensionistas vão também pagar mais impostos. Também para alcançar receitas fáceis estão previstas privatizações em grande escala: TAP, CTT, Seguros da CGD entre outros. Vendemse os anéis que ainda sobravam.

Congelamento de salários dos funcionários públicos com aumentos abaixo da taxa de inflação. Também congeladas algumas obras públicas de grande relevância: algumas linhas do TGV e muitas estradas. São esperadas portagens em SCUTS como a A29 e a A25. Percebe-se que o Governo escolheu o caminho mais fácil para tapar o buraco orçamental e para começar a pagar, aos soluços, a dívida externa. Do lado da despesa as coisas estão bem mais difíceis. Existe uma rigidez fortíssima e dificilmente ela pode inverter uma tendência estruturalmente persis-

tente. Não existe uma visão de médio e longo prazo que sustente esta inversão, por muito que medidas avulsas possam mostrar um sinal de afrouxamento. O balanço que faço das propostas do PEC é que de facto se continua a ignorar, ou querer ignorar, a real dimensão estrutural do problema do país. Também me parece que o Governo tem uma estratégia de esconder a verdade da real dimensão do problema, utilizando em paralelo uma política de acusação e afronta a todos aqueles que o desafiam para revelar a verdade. Até quando?


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 3

Jornal do Centro 12 | Março | 2010

números

380

O núcleo distrital do projecto “Limpar Portugal”, já identificou 380 lixeiras no distrito de Viseu. O Número ultrapassou as estimativas da organização. Durante a apresentação do projecto admitiu não haver muito mais que 300 lixeiras nos 24 concelhos. Os dados são de quarta-feira, dia 10, ao final da tarde. Até ao dia 20, o número de lixeira pode aumentar. Cinfães é o concelho com mais lixeiras identificadas (ver À Conversa, pagina seis desta edição).

estrelas

Alcina Silva Directora Interina do Museu Grão Vasco

Fernando Ruas Presidente da Câmara Municipal de Viseu

O Tribunal da Relação de Coimbra absolveu o presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, no chamado “caso das pedradas”. É uma vitória depois do autarca ter sido condenado pelo Tribunal Judicial de Viseu, em 18 de Julho de 2009, a uma pena de 100 dias de multa à taxa diária de 20 euros, da prática de um crime de instigação pública.

Assumiu a direcção de forma interina do Museu Grão Vasco e garantiu pôr de pé a programação para 2010, delineada pelo anterior director. É um bom começo da técnica superior, até agora ligada à gestão e conservação das colecções do Museu, a avaliar pela qualidade do programa de António Filipe Pimentel.

Importa-se de responder?

António Borges Treinador do Académico de Viseu

Os jogadores e o treinador do Académico de Viseu decidiram não prestar declarações à comunicação social. A decisão do blackout tomada há cerca de duas semanas demonstra que a equipa não reage bem à crítica, mas os factos falam por si e o Académico está numa situação delicada, no 12º lugar da tabela , com más exibições e derrotas pesadas.

Como declara o seu IRS? Quem declara o meu IRS é o meu marido e, todos os anos, utiliza a internet para o fazer, porque nunca teve qualquer problemas no manuseio de computadores.

Sempre preenchi a minha declaração sozinho e este ano não será excepção. Recorro, também todos os anos, aos serviços de Finanças para que me auxiliem na entrega da documentação necessária.

António Romano

Micaela Vitória

Empregado Bancário Reformado

Empregada do Comércio

Já entreguei a declaração de IRS e, tal como todos os anos, recorri aos serviços de um contabilista. Apesar de ter acesso à internet nunca a utilizei para esse fim.

Entrego sempre a minha declaração de IRS nos serviços de Finanças e utilizo sempre os impressos que adquiro para esse fim. Nunca recorri aos serviços de profissionais para fazer o preenchimento uma vez que nunca tive problemas em preenchê-los sozinha.

Rute Marques

Manuel Almeida

Empregada do Comércio

Motorista de Pesados

Jornal do Centro alarga o universo de leitores F editorial

Pedro Costa Director | pedro.costa@jornaldocentro.pt

As boas notícias devem ser partilhadas. É isso que a equipa deste jornal faz dando-vos conta que as notícias do semanário Jornal do Centro passam a partir desta semana a chegar à maior e mais qualificada audiência semanal de toda a região de Viseu, fruto de uma parceria com o semanário Expresso A partir deste sábado, o semanário Jornal do Centro passa a ser distribuído gratuitamente com o semanário Expresso, em todos os pontos de venda do distrito de Viseu. O protocolo de cooperação vai permitir aos dois jornais colaborarem na expansão dos seus títulos em toda a região. Esta distribuição não implica mais custos para os leitores do semanário do Jornal do Centro, uma vez que o jornal continua a poder ser comprado ao preço habitual de capa (um euro), à sexta-feira, nos pontos de venda habituais. Por outro lado, os leitores do Expresso na re-

gião do Viseu continuam a poder comprar aquele semanário nacional ao seu preço de capa e acedem, desta forma, à mais completa montra de informação regional sem custos acrescidos. Ao circular como encarte do jornal Expresso, o Jornal do Centro aumenta a sua tiragem – auditada pela APCT - para uma média de seis mil exemplares por edição e mantém a quarta-feira como dia de fecho da edição. Com esta parceria o Jornal do Centro alarga o universo de leitores no distrito e potencia o retorno das campanhas de publicidade e comunicação dos seus parceiros, na certeza de que nos estamos a constituir como aliados privilegiados no estímulo dos seus negócios, com condições únicas de audiência e possibilidade de segmentação de públicos, a par do reforço da sua notoriedade e eficácia das respectivas estratégias de marketing. Mais do que o mais lido, o que tem maior ti-

ragem ou o mais popular, à equipa do Jornal do Centro importa primeiro o reconhecimento da qualidade e profissionalismo de tudo quando faz há oito anos de edição semanal, que se completam este mês. No mês de aniversário, em que a circulação com o Expresso e a impressão de todas as páginas deste semanário passam a ser a cores, são duas das várias novidades com que o Jornal do Centro brindará leitores e anunciantes. Esta semana subimos mais um degrau neste que é um árduo percurso, ao merecermos o reconhecimento de qualidade que nos permite passar a ser distribuídos no maior e melhor semanário nacional português, o Expresso. Estamos confiantes que os decisores económicos, políticos e sociais da região de Viseu reconhecem a mais-valia desta parceria para a eficácia das suas próprias estratégias de comunicação e marketing.


4 PRAÇA PÚBLICA | OPINIÃO

Jornal do Centro 12 | Fevereiro | 2010

Opinião Director Pedro Costa C.P. n.º 1464

A ecolalia do esforço patriótico tem degradado a saúde mental

pedro.costa@jornaldocentro.pt

Redacção (redaccao@jornaldocentro.pt) Emília Amaral, C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Gil Peres, C.P. n.º 7571 gil.peres@jornaldocentro.pt

José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

Raquel Rodrigues raquel.rodrigues@jornaldocentro.pt

Departamento Comercial comercial@jornaldocentro.pt

Directora: Catarina Fonte catarina.fonte@jornaldocentro.pt

Ana Paula Duarte ana.duarte@jornaldocentro.pt

Departamento Gráfico Marcos Rebelo marcos.rebelo@jornaldocentro.pt

Projecto Gráfico defrank - Comunicação Editorial defrank@netcabo.pt

Serviços Administrativos Sabina Figueiredo sabina.figueiredo@jornaldocentro.pt

Impressão GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA

Distribuição Vasp

Tiragem média

Nos últimos anos, o esforço pedido pelos políticos aos portugueses, tendo em vista a recuperação do país, tem sido infrutuoso. Em muito casos, sentido de forma excessiva, nefasto e doentio para a vida individual e colectiva. E, por isso, as pessoas sentem-se José Costa indignadas e revoltadas ao constataProfessor Coordenador ESSV/IPV rem que o esforço, sempre dos mesMédico Dentista jcosta@essv.ipv.pt mos, não foi compensado pelo desenvolvimento do país. De facto, é com tristeza que os esforçados observam esta realidade. O que, naturalmente, lhes dá mais força para estarem deAs pessoas siludidos com os decisores políticos precisam, mas, simultaneamente, lhes “rouba” grande parte da força anímica e motiisso sim, de acreditar nas vação para enfrentar as dificuldades com que todos os dias se deparam. pessoas que Diz o povo, “água mole em pedra dura dirigem o tanto bate até que fura”. E a ecolalia do país” esforço é tanta que as pessoas, mesmo as mais “desligadas” da realidade, não conseguem manter bons níveis de saú-

de mental. Não espantam, portanto, os resultados dos indicadores de saúde dos portugueses que apresentam valores preocupantes na saúde mental, apesar desta valência se encontrar no plano nacional de saúde. Há, em Portugal, mais suicídios, maior consumo de ansiolíticos, mais depressões e consequente maior consumo de antidepressivos (Maria do Céu Machado, Março de 2010). Esta é a dura realidade portuguesa, que dura e perdura há muito tempo, tantas vezes relatada, veementemente, por gente de causas. Gente conhecedora do terreno que vive e sente e se sente incapaz de ajudar as pessoas em situações humanas degradantes, física e mentalmente. Referem os políticos, não raras vezes, “estamos em condições de assegurar aos portugueses o controlo e a disciplina das contas públicas, diminuindo o esforço que pedimos a todos os portugueses. É altura de aliviar o esfor-

ço que foi pedido a todos os cidadãos portugueses”. Meus senhores, as pessoas estão cheias de retórica, de verborreia e de gente que desta forma os dirige. As pessoas estão inundadas de promessas até à cabeça. A manter-se este clima de desconfiança, isso não, nos políticos que ocupam os lugares da orla costeira deste país banhado pelo sol, um bom anti-depressivo, os portugueses dificilmente irão melhorar os seus níveis de serotonina e dopamina, o seu bem-estar emocional, os seus índices de confiança, a sua saúde mental. As pessoas precisam, isso sim, de acreditar nas pessoas que dirigem o país. As pessoas precisam, isso sim, de melhorar a sua qualidade de vida. As pessoas precisam, isso sim, de melhorar a sua auto-estima, o sentido de pertença à família e aos amigos, a Portugal. As pessoas precisam, isso sim, de um Portugal real e mentalmente saudável.

é disponibilizada ajuda, útil para evitar erros. Quem tiver dúvidas sobre a forma de registo e entrega, pode pedir ajuda aos postos de atendimento e linha de ajuda das Finanças, ou mesmo recorrer às juntas de freguesia. União de facto: declaração conjunta? Os casais que vivam em união de facto poderão optar entre a apresentação de uma declaração de rendimentos conjunta ou separada, desde que tenham o domicílio fiscal comum há pelo menos de dois anos. Para saber qual a situação em que o IRS a pagar será menor deverá, num primeiro momento calcular o IRS dos rendimentos do agregado familiar conjuntamente, e posteriormente proceder ao cálculo do IRS de cada um dos sujeitos passivos, isoladamente, tendo em atenção o seguinte: se o casal tiver filhos, estes apenas poderão ser considerados dependentes de um dos contribuintes e apenas esse poderá deduzir as suas despesas, nomeadamente de saúde e educação; os encargos e despesas declarados por cada contribuinte deverão estar documentados por facturas, declarações ou outros documentos comprovativos, emitidos em nome do próprio contribuinte; ao entregar uma declaração conjunta, ambos os sujeitos passivos têm de a assinar e responsabilizam-se pelo pagamento dos impostos dela decorrentes, independentemente de qual dos dois obteve maiores rendimentos e de quem efectuou ou não retenções na fonte e/ou pagamentos por conta. Consignação. Uma forma de ajudar é optar pela consignação do imposto atra-

vés do IRS. Em vez de dar donativos em dinheiro ou bens, desvia uma parte do imposto que iria para os cofres do Estado para uma instituição. Inspecções / organização dos documentos. Basta pagar impostos para arriscar uma inspecção fiscal. As inspecções podem ser ditadas por sorteio, denúncia ou factores que levantem dúvidas nas declarações, e na maioria dos casos são inspecções de rotina. As finanças têm um prazo de quatro anos para iniciar uma inspecção, por isso, guarde e organize todos os documentos (recibos, prescrições médicas, etc.) comprovativos das despesas. Todos os documentos deverão estar devidamente identificados com o nome e NIF. Actualidade. O PEC (Programa de Estabilidade e Crescimento), apresentado recentemente pelo governo, ao introduzir limites máximos ao usufruto de benefícios fiscais e deduções à colecta no IRS vai fazer com que os contribuintes tenham de pagar mais imposto ou receber menos reembolsos no final do ano. Analisando o efeito destas medidas, só o primeiro e segundo escalões (quem tem rendimentos mais baixos) escaparão ao agravamento da carga fiscal. Nos outros casos, o impacto no bolso de cada contribuinte variará muito consoante a quantidade de despesas que apresentar, mas, em média, o Ministério das Finanças estima que o impacto médio varie entre os 100 euros e os 700 euros por ano. Falta apenas esclarecer se estas medidas afectarão o IRS de 2010 a entregar em 2011, ou posteriormente.

6.000 exemplares por edição

Sede e Redacção Bairro de S. João da Carreira Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lote 10 r/c 3500-187 Viseu Telefone 232 437 461 Fax 232 431 225

Opinião

IRS – Informações práticas

E-mail redaccao@jornaldocentro.pt

Internet www.jornaldocentro.pt

Propriedade O Centro–Produção e Edição de Conteúdos, Lda. Contribuinte Nº 505 994 666 Capital Social 114.500 Euros Detentores de mais de 10 por cento do Capital: Sojormedia SGPS, SA Depósito Legal Nº 44 731 - 91 Título registado no ICS sob o nº 100 512

Gerência Francisco Rebelo dos Santos, Ângela Gil e Pedro Costa

Fernando Amaro Docente na Escola Superior de Tecnologia de Viseu famaro@estv.ipv.pt

Departamento Financeiro Ângela Gil (Direcção), Catarina Branquinho, Celeste Pereira, Gabriela Alves, João Machado Patrícia Santos info@lenacomunicacao.pt

Departamento de Marketing Patrícia Duarte (Direcção), Susana Santos (Coordenação), Catarina Fonseca e Catarina Silva marketing@lenacomunicacao.pt

Departamento de Recursos Humanos Nuno Silva (Direcção) e Sónia Vieira drh@lenacomunicacao.pt

Departamento de Sistemas de Informação Tiago Fidalgo (Direcção) e Hugo Monteiro dsi@lenacomunicacao.pt

Unidade de Projectos Lúcia Silva (Direcção) e Joana Baptista (Coordenação) projectos@lenacomunicacao.pt Os artigos de opinião publicados no Jornal do Centro são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. • O Jornal reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos enviados para a secção “Cartas ao Director”.

Semanário Sai às sextas-feiras Membro de: Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem

Associação Portuguesa de Imprensa União Portuguesa da Imprensa Regional

Não guarde para o último dia a entrega da sua declaração. Coimas e multas serão despesas que jamais poderá recuperar”

Com a entrega da declaração de IRS do ano de 2009 a decorrer, são várias as informações práticas que lhe podem ser úteis. Prazos de entrega das declarações. Para os rendimentos exclusivamente de trabalho dependente ou pensões: em suporte de papel – de 1 de Fevereiro até 15 de Março; enviadas pela internet – de 10 de Março até 15 de Abril. Nos restantes casos: em suporte de papel – de 16 de Março até 30 de Abril; enviadas pela internet – de 16 de Abril até 25 de Maio. Dispensa da entrega da declaração / isenções. Estão dispensados da entrega da declaração de IRS: quem apenas tenha auferido rendimentos sujeitos às taxas liberatórias, que não sejam rendimentos de acções e não optem, quando a lei o permita, pelo seu englobamento; e quem apenas tenha auferido rendimentos de pensões pagas por regimes obrigatórios de protecção social de montante inferior ao valor anual do salário mínimo nacional mais elevado (450 euros x 14 = 6.300 euros). Alertase ainda para o facto de os subsídios a crianças e jovens (como o abono de família), subsídio de desemprego e rendimento social de inserção estarem isentos e por isso não são declarados. Entrega via internet. Se submeter a sua declaração através dos serviços fornecidos pelo portal das finanças (www. portaldasfinancas.gov.pt), garante os seguintes privilégios: recebe o seu reembolso no prazo de 20 dias, é gratuito, evita filas de espera e deslocações, está acessível 24 horas por dia, já apresenta o pré-preenchimento da declaração e


Jornal do Centro

5

12 | Março | 2010

abertura

textos ∑M texto ∑ Emília Amaral ∑S foto ∑fotografia Nuno Ferreira

As sucessões na liderança do PSD Viseu Eleições ∑ No dia em que o partido escolhe o líder, a distrital de Viseu e mais cinco concelhias votam nos novos dirigentes. Hoje e amanhã decorre o Congresso Extraordinário do PSD antes das eleições directas, dia 26 de Março, de onde sairá o novo presidente do Partido, Pedro Passos Coelho, Paulo Rangel ou José Pedro Aguiar Branco. E o processo de sucessão desdobra-se por várias comissões políticas do país, precisamente no mesmo dia das directas. Em Viseu, a Comissão Política Distrital vai a votos para escolher o sucessor de José Cesário. O processo eleitoral para eleger novos líderes decorre ainda nas concelhias de Castro Daire, Mangualde, Mortágua, Vila Nova de Paiva e Viseu. De fora está Lamego apesar das previsões serem de eleições dia 26. Na distrital, tudo aponta para que Mota Faria seja o único candidato à liderança. O nome do histórico e actualmente deputado na Assembleia Municipal de Viseu recolheu consenso no interior do partido. José Cesário considera Mota Faria “um bom sucessor” e acredita que tem condições para desenvolver no bom trabalho no distrito. “Seria sempre excelente, o que não

Eleições

PSD Lamego

Presidente Melchior Moreira

Oliveira de Frades Presidente Arménio Florindo

S. João da Pesqueira Presidente António Costa

Presidente João Paulo Simões

Concelhias. Está tudo em aberto nas cinco concelhias de Viseu do PSD que vão a votos dias 26. As listas podem ser entregues até três dias antes da data das eleições, mas seria normal nesta altura os candidatos estarem já a trabalhar no terreno. Das cinco comissões políticas, as atenções estão voltadas para Castro Daire, onde a concelhia está demissionária desde as eleições autarquias em que o PSD perdeu a autarquia para os socialistas. Num outro concelho derrotado nas autárquicas, Vila Nova de Paiva, o PSD dá mostras de estar a reforçar a liderança. O actual presidente, Hélder Marques não se recandidata e Cristóvão Ferreira é o social-democrata de consenso para liderar a concelhia nos próximos dois anos. Da nova estrutura fará ainda parte o ex-presidente da Câmara de Vila Nova de Paiva, Ma nuel Custódio. Em Mangualde ainda não é conhecido o candidato, mas é certo que o actual presidente, Aníbal Maltez não se vai

recandidatar. Para o PSD, o concelho de Mortágua é uma preocupação. Com Manuel António Pereira afastado da presidência, o partido está a braços com a falta de candidatos para assumir a comissão política. Fonte do partido admitiu ao Jornal do Centro que o PSD “está sem dinâmica e numa situação muito difícil”. Também em Viseu permanece a incógnita. No interior do partido avançase com a possibilidade de duas candidaturas à corrida do dia 26, uma liderada pelo actual presidente, Manuel Teodósio e outra por um ex-presidente, o vereador Guilherme Almeida. Manuel Teodósio, também mandatário concelhio de Pedro Passos Coelho, diz que ainda não tem a decisão tomada se avança para o terceiro e último mandato. “Os próximos anos, serão anos de um projecto trabalhoso. Há necessidade da continuação de um trabalho sério de muitos anos e de muita gente. Não sei se será o melhor um projecto a dois anos”, justifica. Quanto à eventual candidatura de Guilherme Almeida, Teodósio não quer comentar.

Eleições | 26 Março

Armamar Presidente Hernâni Almeida

Carregal do Sal Presidente António Paiva

Eleições | 26 Março

Mangualde Presidente Aníbal Maltez

Penalva do Castelo Presidente António Batista

São Pedro do Sul Presidente José Alberto Sousa

Tondela Presidente João Carlos Figueiredo

Castro Daire Comissão Política Demicionária

Cinfães Presidente Eurico Correia

Eleições | 26 Março

Moimenta da Beira Presidente Paulo Figueiredo

Penedono Presidente Abílio Rodrigues

Sátão Presidente Maria de Lurdes Dias Eleições | 26 Março

Tarouca

quer dizer que não pudessem haver outros”, reforça.

Vila Nova de Paiva Presidente Hélio Marques Candidato Cristóvão Ferreira

Mortágua Presidente Manuel António Pereira

Resende Presidente Jaime Alves

Sernancelhe Presidente Carlos Santiago

Nelas Presidente Isaura Pedro

Santa Comba Dão Presidente João Lourenço

Tabuaço Presidente José dos Santos

Eleições | 26 Março

Viseu Presidente Manuel Teodósio

Vouzela Presidente Rui Pereira


6 Entrevista ∑ António Figueiredo, Emília Amaral Fotografia ∑ Nuno Ferreira

Partindo do relato de um projecto desenvolvido na Estónia em 2008, um grupo de amigos decidiu propor limpar a floresta portuguesa num só dia. O objectivo é juntar o maior número de voluntários e parceiros, para que todos juntos, no dia 20 de Março, possam fazer algo de essencial pelo planeta. Luís Carlos Amaral é o coordenador no distrito de Viseu do projecto “Limpar Portugal”. Director de produção, de 34 anos, natural de Mangualde, é um amante do todo o terreno. A paixão pela modalidade e o vício das redes sociais ligaram-no ao projecto e hoje tem Viseu em rede para acabar com as lixeiras clandestinas.

Como surge esta ideia do “Limpar Portugal”?

O “Limpar Portugal” surge inspirado numa iniciativa da Estónia em 2008 e com a velocidade com que a informação agora chega até nós, foi uma troca num fórum, na altura, de actividades do todo-o-terreno, onde estava meia dúzia de pessoas. Que diferenças há entre a iniciativa desenvolvido na Estónia e a Portuguesa?

O projecto da Estónia envolveu cerca de oito milhões de euros principalmente na recolha de lixo e entrou numa estrutura semi-profissionalizada. Em Portugal não vai haver nenhum dinheiro (apoios financeiros institucionais], não vamos constituir nenhuma associação, estamos a tratar um projecto genuíno de voluntariado. Escolheram as lixeiras porquê?

Tínhamos que marcar um objectivo para direccionar as pessoas e se algo nos choca é ver um espaço verde contaminando. Entrou no projecto “Limpar Portugal” porque estava no

Jornal do Centro 12 | Março | 2010

à conversa

Semanalmente, “À Conversa” resulta de um trabalho conjunto do Jornal do Centro e da Rádio Noar. Esta conversa pode ser ouvida na íntegra na Rádio Noar, esta sexta-feira, às 11hoo e às 19h00, e domingo, às 11h00. Versão integral em www.jornaldocentro.pt

“A problemática do lixo é tão grande que as crianças devem estar presentes” fórum naquele dia e é um amante do todo-o-terreno?

Sim. Praticante há muitos anos, nas mais diversas formas e agora um entusiasta pelos prazeres que trás. Algumas críticas reforçam que o todo-o-terreno não é amigo do ambiente.

Quando este projecto nasceu no fórum, nós próprios dissemos isso: já que a sociedade tem essa ideia, vamos… É uma demonstração de que são amantes da natureza?

Qual é a maior preocupação?

Como vamos buscar o lixo às lixeiras? Como vamos dividir as pessoas? Não tenho um manual concreto, tenho uma série de experiências que estão em marcha. Quantas lixeiras estão identificadas nos 24 concelhos do distrito de Viseu?

Rondarão as 380 lixeiras. É muito ou pouco para a sua expectativa?

Quando começámos pensei nas 300 lixeiras.

Neste momento não, porque o projecto ganhou uma dimensão nacional.

Está em condições de garantir que as lixeiras identificadas vão ser removidas?

Masacríticatemfundamento?

Minto se disser que há certezas.

Também há praticantes do todo-o-terreno que têm atitudes muito pouco amigas do ambiente, como há de outro tipo de desporto, até os amantes do BTT. Estava no fórum, mas depois como surge coordenador distrital?

Decidi numa noite não ficar em casa e ir à primeira reunião do projecto, em Lousã. Sendo eu a única pessoa do distrito de Viseu na reunião, levantei a mão e disponibilizei-me para ajudar. A uma semana da iniciativa, quantos são os voluntários inscritos no distrito de Viseu?

Estou convicto que 3000 pessoas estarão connosco no dia 20. A inscrição só pode ser feita pela internet?

Depende como os coordenadores concelhios definiram a estratégia para chegar às freguesias e às pessoas que não usam a internet. Eu prefiro pensar que a internet nos dá uma ajuda pela velocidade com que passamos a informação, mas não é a internet que vai limpar no dia, têm que ser as pessoas com essa vontade.

O que mais o incomoda nas lixeiras?

A dimensão e o tipo de lixo, mas sem dúvida os monstros domésticos, a quantidade de plásticos e vidro que é deitado indevidamente em qualquer mata é assustador. Qual é a causa de tanto aterro depositado na floresta?

Eu não queria entrar muito na questão do que pode estar por trás, mas há uma deficiente solução para os seus problemas que é, onde é que eles [empreiteiros] põem os resíduos e eu, como dinamizador deste projecto, sinto-me na obrigação de o ir pôr em algum lado. Partilha a dificuldade em encontrar destino para os entulhos?

Os ecocentros, tirando algumas excepções, limitam bastante a dimensão que têm disponível para receber inertes. São materiais que não lançam matérias nocivas para o ambiente e que podem ser reaproveitados. Têm identificadas soluções para os inertes?

Muito individualmente, estamos a tentar arranjar so-

luções. Há mais lixeiras do que as que identificaram?

Acredito que haja mais, espero que não haja muitas mais, mas não consigo provar que tenho o distrito todo identificado. Só se tivesse patrulhas e conseguisse provar que batemos cada metro quadrado à procura de lixo e isso não aconteceu, a própria identificação da lixeira foi um registo voluntário. Há lixeiras de produtos perigosos identificados?

Ainda não temos identificada dentificada nenhuma. Se houver ouver vão ficar. O que temos é um pequeno manuall para ajudar as pessoas a identificar dentificar o que é um resíduo uo perigoso e, sendo conderado perigoso, esse residerado síduo duo tem que ser retirado e transportado ansportado por entidades profissionais. rofissionais. Que material deve levar um voluntário?

Eu sugeria dois pontos fundamentais: undamentais: as luvas, a máscara e talvez o que vulgarmente armente designamos um ato-macaco. É o consefato-macaco. ho que dou a todo o lho voluntário. oluntário. Os nosos coordenadores sos oncelhios estão a concelhios azer um esforço fazer mparável na obtenimparável ão de luvas e deixo ção o apelo se alguém oder fazer chegar poder uvas e sacos plásluvas cos… felizmente ticos… lgumas emprealgumas as forneceram sas lgum desse algum material, mas

no dia tudo o que existe vai ser pouco.

Quem quiser aderir ao projecto até ao dia 20, o que tem que fazer?

Todas as câmaras se envolveram no “Limpar Portugal”?

Conduzo a pessoa para a rede social – limparportugal.ning.com – e procurar o seu concelho.

Ou se envolveram após contacto ou tomaram a iniciativa de nos contactar sempre que o seu concelho não tinha a dinamização necessária. As crianças devem ou não participar?

A problemática do lixo é tão grande que as crianças devem estar presentes. Como? Para já têm que estar na presença dos pais por se tratar de um menor. O simples facto de ter uma criança a segurar um saco plástico e um adulto poder meter um plástico lá dentro é uma ajuda e não vamos expor a criança ao risco, mas sim a colaborar.

Viseu é uma parte activa do projecto nacional “limpar Portugal”?

Bastante activa. Qualquer cidadão do distrito deve estar orgulhoso, porque estamos a dar uma demonstração de empenho, de voluntariado, de forma de estar no associativismo e é por toda essa gente que estou aqui.


Jornal do Centro

8

12 | Março | 2010

região “MAIS DINHEIRO DO PRODER É FALSA QUESTÃO” Quem o disse em Viseu foi o ministro da Agricultura, António Serrano, durante uma conferência sobre Política Agrícola, Desenvolvimento Rural e Florestas, promovida pelo PS distrital, ainda liderado por José Junqueiro, actual secretário de Estado da Admistração Local. O PRODER ( Programa de Desenvolvimento Rural) tem uma “baixa execução financeira porque os investidores têm a responsabilidade de 60 por cento de cada iniciativa”. Por isso, Serrano considerou uma “falsa questão” a alegada falta de apoios, já que Portugal não vai conseguir gastar os 140 milhões de euros previstos para apoios ao sector.

RANGEL INSISTE EM “RUPTURAS” EM S. PEDRO DO SUL O eurodeputado e candidato à lidera nça do PSD, Paulo Rangel, insistiu esta semana na ideia da “ruptura” quando se apresentou em S. Pedro do Sul na presença de militantes do partido e do seu mandatário distrital, o autarca local António Carlos Figueiredo. Romper “com o Governo socialista” e “romper com a política de território para inverter a actual política” foram as ideias que Rangel deixou em S. Pedro do Sul.

7 dias

Câmara adia Prémio D. Afonso Henriques Concorrentes esperam∑ Autarquia promete revelar prémios “em breve” Uma informação a que o Jornal do Centro teve acesso esta semana dá conta de um ambiente de mal-estar entre “alguns concorrentes” do Prémio D. Afonso Henriques, uma iniciativa da Câmara Municipal de Viseu, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian lançada na Primavera de 2009. Tratou-se de um concurso lançado por ocasião das celebrações (em Viseu) dos 900 anos do nascimento do primeiro rei de Portugal - que passou a ser reclamado para Viseu, em vez de Guimarães, como é tradição secular. Chamava-se mesmo “Prémio D. Afonso Henriques” e destinava-se aos jovens do concelho que frequentassem escolas do Ensino Básico. Após o lançamento da iniciativa, o prazo de recepção de trabalhos em várias modalidades (texto, banda desenhada, multimedia, artes plásticas, fotografia e cinema) terminava em Agosto de 2009 para alunos de escolas de Viseu. Um leitor do Jornal do

MORTE

Vouzela. Uma mulher de 85 anos morreu, na noite de dia 3, depois de cair a um poço na localidade de Queirã. A idosa terá tentado resgatar uma ovelha, quando caiu ao poço onde se encontrava o animal.

ALCOOLIZADO

Viseu. Um homem de 36 anos foi detido pela PSP de Viseu, na madruga-

Centro, que pediu o anonimato, quis denunciar o facto de várias pessoas terem concorrido ao prémio. Em causa estariam valores entre os 400 e os 1.250 euros para cada uma das modalidades a escolher por um júri anunciado de seis pessoas. Mas a iniciativa não cumpriu os prazos anunciados no regulamento. O antigo vereador do Pelouro da Cultura da Câmara de Viseu, e responsável pela iniciativa, explicou ao Jornal do Centro: apenas houve um concorrente e por isso a demora. Contactados os serviços culturais da autarquia, a informação é a de que o caso se vai resolver em breve. José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

da do passado dia 10, por conduzir um automóvel com uma taxa de alcoolemia de 1,74 gramas de alcoól no sangue.

DETIDO

Viseu. O Com a ndo Territorial de Viseu da Guarda Nacional Republicana deteve, no passado dia 8, um homem de 24 anos por posse ile-

gal de uma arma e de um bastão. O indivíduo, que estava já referenciado por vários furtos qualificados, ficou com medida de coação de termo de identidade e residência.

DESAPARECIDA

Nelas. Uma mulher de 68 anos regressou a casa, depois de ter sido dada como desaparecida, na noite de dia 8, em Lapa

do Lobo, no concelho de Nelas. De acordo com as autoridades, várias equipas de socorro andaram à procura da idosa durante a madrugada, tendo esta acabado por aparecer numa localidade vizinha. A mulher, que se perdeu quando foi buscar pinhas, apresentava algumas escoriações, que terão sido provocadas por vegetação muito alta.

RUAS SATISFEITO COM ACÓRDÃO DAS “PEDRADAS” O presidente da Câmara Municipal de Viseu, Fernando Ruas, ficou satisfeito com o acórdão do Tribunal da Relação de Coimbra que o absolveu, no passado dia 5 deste mês, de culpa perante a sentença proferida em 2009 no caso das “pedradas”. Na ocasião, o tribunal de Viseu deu como provada a acusação do Ministério Público de que teria incentivado à violência” quando, numa sessão da Assembleia Municipal disse que os fiscais do Ambiente deveriam ser “corridos à pedrada por colocarem obstáculos ao desenvolvimento”, nomeadamente na freguesia de Silgueiros. Fernando Ruas pagou cara a “boca” e sentouse pela primeira vez no banco dos réus: “Nunca mais me esqueço de ter sido filmado por trás pelas televisões, o que me trouxe sensações tristes que nunca tinha vivido”, disse ao Jornal do Centro. Mas resta ainda um passo para o autarca ficar “livre” do caso. Se o Ministério Público pretender recorrer da decisão do Tribunal da Relação de Coimbra, restam apenas dez dias depois da decisão. “Estando o caso resolvido ficarei mais feliz do que se tivesse ganho eleições”, disse o autarca, que prometeu fazer mais declarações no final do processo. JL

DETIDO

São Pedro do Sul. A Unidade Local de Investigação Criminal de Vila Real deteve, na zona de São Pedro do Sul, um indivíduo do sexo masculino, de 64 anos, por posse ilegal de armas de fogo. O detido, agricultor de profissão, é suspeito de duas tentativas de homicídio, ocorridas durante o fimde-semana nos concelhos de Tarouca e Cinfães.


Jornal do Centro

VISEU | RESENDE | REGIÃO 9

12 | Março | 2010

Governo mantém estudos nos IC6, 7 e 37 O Governo vai manter os estudos de impacto ambiental para a anunciada construção das chamadas concessões rodoviárias da Serra da Estrela - os Itinerários Complementares (IC) 6, 7 e 37. A garantia foi dada esta semana pelo ministro das Obras Públicas, António Mendonça, a um grupo de autarcas dos

distritos de Viseu, Guarda e Coimbra. Em causa está a suspenção ou não da construção daquelas vias que passarão em concelhos como Viseu, Nelas, Gouveia, Seia ou Oliveira do Hospital. Só depois dos estudos realizados o Governo decidirá que obras vai construir.

Resende vai ter novo quartel O quartel dos Bombeiros Voluntários de Resende vai sofrer obras de remodelação e ampliação. As obras visam qualificar o edifício da corporação, dotando-o de camaratas e de lugares de estacionamento cobertos, e só são possíveis graças a um protocolo assinado com a autarquia local. Publicidade

As obras no quartel, um edifício com mais de 35 anos, têm um custo total de 400 mil euros, sendo este valor comparticipado pelo QREN e pela câmara de Resende, que já assegurou as despesas relativas ao projecto, ao apoio técnico e à apresentação da candidatura.

Confraria entroniza no Rio de Janeiro Intercâmbio∑ Saberes e Sabores da Beira na Casa de Viseu do Rio de Janeiro A Confraria de Saberes e Sabores da Beira - Grão Vasco, esteve alguns dias no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, onde realizou o seu VI Capítulo Geral de Entronização. Tratou-se da primeira grande iniciativa descentralizada da confraria realizou-se na Casa de Viseu do Rio de Janeiro, uma colectividade que assume grande importância entre os emigrantes portugueses naquele país, principalmente os que são oriundos do distrito de Viseu. A entronização contemplou vários portugueses emigrados há longos anos no Rio de Janeiro,

bem como outras personalidades brasileiras de reconhecido mérito para a comunidade portuguesa. A comitiva portuguesa era constituída por 32 pessoas, entre membros da confraria, também da Confraria de Enófilos do Dão, de dois representantes do restaurante Santa Luzia, que levaram a gastronomia de Viseu a terras do Brasil, entre outros representantes da região. De acordo com o almoxarife da Confraria de Saberes e Sabores da Beira, José Ernesto, os emigrantes portugueses pediram para que a iniciativa se repita no Brasil.

A Novos confrades entronizados no Rio de Janeiro


Jornal do Centro

10 REGIÃO | LAMEGO

12 | Março | 2010

Tem a palavra

“A regionalização é uma inevitabilidade, mas não por aquilo que muitas vezes pensamos”

2.

3. 4.

Presidente da Câmara Municipal de Lamego

Qual a importância desta visita para Lamego?

Cumpre uma dupla função. A do conhecimento da União Europeia relativamente a um conjunto de pessoas e instituições que podem ajudar a difundir a mensagem do processo de construção europeia e, por outro lado, ao trazermos as escolas, os jornais e rádios da nossa região, estamos também a disponibilizar esta informação a novos canais e alguma sensibilização sobre a problemática da construção europeia.

Emília Amaral

1.

Francisco Lopes

A Autarca, Francisco Lopes entrega chave da cidade de lamego ao Presidente da CE de onde já é cidadão honorário

Fez algumas queixas ao presidente Durão Barroso?

Não me queixei, transmiti, a pedido dele, a minha opinião sobre o momento actual da nossa economia local, também a problemática da execução do QREN. Relativamente ao que nos preocupa, dissemos que o QREN está atrasado, que é uma evidência, que as dificuldades económico financeiras actuais vão pôr ainda mais problemas à execução do QREN, porque os promotores (autarquias) não têm dinheiro para juntar a componente de comparticipação nacional aos fundos comunitários e que essa situação vai prejudicar a segunda fase de execução do QREN e também a possibilidade de obtermos novos fundos comunitários.

O que leva de novo das conferências a que assitiu?

As conferências relativas às questões ambientais, às questões económico-financeiras e do emprego foram muito claras e revelam que a nossa forma de viver no mundo ocidental está a necessitar de uma mudança de modelo.

A regionalização foi sugerida nas entrelinhas das conferências. Admite ser necessário acelerar o processo?

Eu sou um regionalista convicto e acho que a regionalização é uma inevitabilidade, mas não por aquilo que muitas vezes pensamos. Pensamos que se vai fazer a regionalização para que possamos ser mais reivindicativos junto do Governo, para termos as obras e os recursos financeiros. Eu acho que a grande importância da regionalização é precisamente o contrário. Não aquilo que vamos reivindicar a mais, mas a forma como gastamos aquilo que já temos. Nós temos que ter a um nível supra-municipal e supra-regional uma forma de planeamento, de ordenamento e de programação de investimentos que leve a evitar a replicação de investimentos, muitos deles não rentáveis, e que permita canalizar recursos para os investimentos prioritários. Neste aspecto, os municípios têm alguma culpa, ou seja, cada um de nós procura fazer os investimentos que acha que necessita no concelho sem olhar a uma rede cada vez mais indispensável para que as pessoas vivam. Este planeamento só pode ser feito a uma escala regional, mas por alguém que tenha capacidade política e legitimidade conferida pelo voto.

Durão Barroso apela à boa execução dos fundos comunitários Bruxelas∑ professores, autarcas e jornalistas integram viagem com partida em Lamego A comitiva de Lamego da qual fazia parte o presidente da autarquia, Francisco Lopes subiu ao décimo terceiro andar do Berlaymont da Comissão Europeia, na sexta-feira, dia 5, para uma audiência rara com o presidente, Durão Barroso. “Perdoem-me a vaidade, não me posso esquecer que sou cidadão honorário de Lamego [...] e quero agradecer, por causa até das minhas ligações pessoais e familiares com Lamego”, disse Durão Barroso. Estava assim justificada a disponibilidade do presidente da CE para receber a comitiva, mesmo depois de um dia de agenda “complicada”. E o momento impunha um reconhecimento, protagonizado por Francisco Lopes: “É uma chave da também sua cidade de Lamego”. Num ambiente descontraído, de boa disposição e alguma nostalgia pelo meio, Durão Barroso conduziu o grupo para a sala onde recebe as visitas: “Ainda hoje esteve aqui o

Presidente da Croácia que, como sabem, quer entrar para a União Europeia, tive o primeiro-ministro da Sérvia e mais uma série de reuniões de trabalho”. O andar da presidência, do edifício principal da CE destaca-se pela presença portuguesa, nas paredes com quadros de artistas portugueses, na voz de quem conduz os convidados, na segurança do presidente e em pormenores que realçam aos olhos de quem por lá passa. A informalidade da visita surpreendeu a própria

assessoria de Durão Barroso, que numa declaração aos jornalistas não programada confessou a satisfação em contactar, “nem que seja por pouco tempo”, com pessoas do seu país, “com responsabilidade política e outras que podem dar uma sensibilidade do que se passa no país e nas sociedades europeias”. Por momentos, o presidente da CE carregou o semblante para admitir que o momento é difícil: “Não vos escondo, é mais grave nuns do que noutros países e temos que enfren-

tá-lo com determinação”: Durão Barroso destacou a importância da boa execução dos fundos estruturais “e, quando se fizer a avaliação desses fundos, é importante ver que esses investimentos se traduziram não apenas em vantagens de curto prazo, mas de média e longo prazo. Aumentar a capacidade de produção no país, a capacidade de competir, a capacidade de desenvolver a educação e o bem-estar”.

Organização da visita

∑ A viagem de 25 pessoas a Bruxelas com partida em Lamego foi organizada pelo Centro de Informação Europe Direct de Lamego e pela Comissão Europeia. Com a Câ m a ra de Lamego como estrutura de acolhimento, o único centro a funcionar no distrito de Viseu pertence à segunda geração da rede de centros de informação à escala europeia e é um dos 16 centros de informa-

ção a operar a nível nacional. Os Centros Europe Direct constituem uma rede europeia, cuja missão é divulgar informação sobre o que se passa ao nível da União Europeia. Na visita a Bruxelas, entre 4 e 6 de Março, a comitiva ouviu falar da “União Europeia e a Política de Coesão”, das “Alterações Climáticas” e do “Modelo Social Europeu, Diálogo Social, Emprego: Realidades e Perspectivas”.

Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt


O Grupo Litocar, distribuidor automóvel para a Região Centro, é hoje uma referência no mercado automóvel, tendo por base uma estratégia de crescimento e desenvolvimento sustentado. No seguimento da nossa política de expansão, procuramos identificar profissionais que possam ser seleccionados para integrarem o Grupo na nossa nova operação de Viseu.

Gestores Cliente Oficina

Vendedores Peças - Balcão

Perfil:

Perfil:

Boa apresentação; Capacidade de comunicação; Sentido de responsabilidade; Capacidade de organização; Dinamismo e pró-actividade; Disponibilidade de horário; Gosto pelo trabalho em equipa; Conhecimentos elementares de informática; 12º ano de escolaridade ou licenciatura (Gestão/ ref.051 Engenharia Mecânica).

Boa apresentação; Capacidade de comunicação; Sentido de responsabilidade; Capacidade de organização; Dinamismo e pró-actividade; Disponibilidade de horário; Gosto pelo trabalho em equipa; Conhecimentos elementares de informática.

Mecânicos Automóveis

ref.052

Pintores e Bata-Chapas

Perfil:

Perfil:

Experiência na actividade Mecânica; Sentido de responsabilidade; Capacidade de organização; Profissionalismo; Dinamismo e pró-actividade; Disponibilidade de horário; Gosto pelo trabalho em equipa.

Experiência na actividade; Sentido de responsabilidade; Capacidade de organização; Profissionalismo; Dinamismo e pró-actividade; Disponibilidade de horário; Gosto pelo trabalho em equipa.

ref.053

ref.054 e 055

Proporcionamos: Formação contínua; Bom ambiente de trabalho; Excelente possibilidade de integração em grupo empresarial em franca expansão; Condições salariais compatíveis com a função e experiência comprovada.

Se considera que o seu perfil é adequado às propostas de emprego anunciadas, envie a sua candidatura, com a referência ao anúncio que se candidata, através do site litocar.pt ou Quinta da Boavista, Cernache, 3044-521 Coimbra.


Jornal do Centro

12

12 | Março | 2010

vá às compras

Rua Formosa

texto ∑ Raquel Rodrigues

Rua Formosa: um misto de tradição e património Melhorias ∑ Uma das artérias centrais da cidade de Viseu mantém o carisma de outros tempos, apostando na actualização constante No coração de Viseu, a Rua Formosa é uma das principais e mais centrais artérias da cidade de Viseu. Ligando a Praça do Rossio ao Largo de Santa Cristina, a Rua Formosa é uma via pedonal que sobrevive essencialmente do comércio tradicional, conjugando espaços mais tradicionais com a modernidade de lojas de rua, que vão resistindo à crise económica. Marcada pela presença, incontornável, do Mercado 2 de Maio, idealizado pelo Arquitecto Siza Vieira, na Rua Formosa é também possível conviver com edifícios históricos, tendo sido descoberta, em Março de 2004, um troço de muralha e um torreão semi-circular romanos, que entretanto foram musealizados, criando um museu ao ar livre, revelando-se, a partir do solo, numa enorme placa de vidro assente numa estrutura metálica. Publicidade

Publicidade

O edifício do Banco de Portugal é, também, uma imponente presença da rua, pela sua arquitectura e grandiosidade. Inaugurada em Viseu no ano de 1986 a Casa da Sorte centraliza na Rua Formosa apostas e apostadores dos jogos da Santa Casa da Misericórdia, e convive ladoa-lado com a modernidade, da Livraria Pretexto, por exemplo.

A Transformada numa via pedonal, pela Rua Formosa passam, diariamente, milhares de pessoas

Presenças de peso na Rua Formosa

∑ Pastelaria Horta. Inaugurada em 1873, a Pastelaria Horta serve até hoje especialidades de doçaria regional, como castanhas de ovos e pastéis de feijão. Distinguida e reconhecida em Viseu por ter recebido os nomes mais sonantes da nossa praça, como Aquilino Ribeiro que quase diariamente lhe fazia uma visita, a Pastelaria Horta foi a primeira em Viseu a importar a receita do bolo-rei, que logo se tornou um sucesso de vendas. Publicidade

Loja Tavares. A vender prontoa-vestir desde 1954, a Loja Tavares situa-se nas conhecidas Quatro Esquinas e distingue-se por vender roupa de qualidade, para um público-alvo com um poder de compra médio e médio-alto, num ambiente moderno e recentemente remodelado. Para além da loja original, o grupo Tavares detém em Viseu um conjunto de quatro lojas, empregando 16 pessoas, que têm acompanhado e sabido contornar a crise económica.

“Agostinhos”. A Papelaria Domingos, Agostinho e Filhos, conhecida em Viseu pelo nome de “Agostinhos” nasceu, na Rua Formosa há 78 anos e ainda hoje se mantém naquela artéria, embora em instalações diferentes das originais. Até há cerca de 15 anos, com o aparecimento de uma empresa especializada em distribuição de publicações jornalísticas, a papelaria “Agostinhos” era a única em Viseu que desenvolvia esse trabalho, faPublicidade

zendo chegar diariamente jornais nacionais e regionais a vários cafés, cervejarias e pastelarias de Viseu. Hoje em dia, com a facilidade de acesso à informação, os “Agostinhos” continuam a disponibilizar todas as publicações nacionais e algumas estrangeiras, bem como artigos de papelaria, livraria e os jogos da Santa Casa da Misericórdia, tendo já entregue vários primeiros prémios da Lotaria de Natal e do Totobola.


Jornal do Centro

RUA FORMOSA | VÁ ÀS COMPRAS 13

12 | Março | 2010

frases

números

O que pensa da Rua Formosa?

rPenso que deveria haver mais

segurança, mais policiamento nas ruas do centro histórica da cidade de Viseu. Para além disso penso que a Câmara Municipal, juntamente com a Associação de Comerciantes, deveria criar um conjunto de soluções e iniciativas para chamar mais pessoas ao comércio de rua. A criação de lojas-âncora, como um bom restaurante, pastelaria ou café, o alargamento do horário de Verão, uma solução para cobrir as ruas, protegendo as pessoas da chuva, penso que seriam boas medidas. De qualquer forma, ainda acredito no comércio tradicional e vou continuar a apostar nele”.

rEmbora considere que à

noite todas as ruas possam ser alvo de ladrões, penso que a Rua Formosa ainda é uma via segura. No que diz respeito ao comércio em si, penso que deve apostar-se em actividades culturais que possam criar fluxos de clientes, bem como em espectáculos de rua para dinamizar o comércio”.

Farmácias

2 Floristas

Publicidade

Álvaro Almeida Responsável comercial de livraria

Filomena Oliveira

rNa minha opinião as entidades decisoras de Viseu apostaram numa política errada de licen-

ciamentos de grandes superfícies comercias, que só vieram prejudicar o comércio tradicional. De qualquer forma, quando trabalhamos por amor conseguimos sempre dar a volta por cima, criando um conjunto de sinergias dinamizadoras. Aponto, também, a saída do mercado do local onde funcionou durante décadas como uma má decisão, uma vez que a obra feita naquele local foi infeliz em todos os sentidos, tendo a rua perdido muito”.

Sérgio Tavares Proprietário loja pronto-a-vestir Publicidade

Publicidade

Publicidade

3

Agências Bancárias

Proprietária de loja de pronto-a-vestir

Publicidade

4

Publicidade

2 Papelarias


Jornal do Centro

14

12 | Março | 2010

negócios

Publicidade

A Basílio Horta admitiu reposição do turno tou José Junqueiro. De acordo com o membro do Governo, a obra deverá estar concluída até ao final do ano. Para tal, a Câmara de Mangualde vai avançar com uma candidatura aos fundos comunitários. Ao mesmo tempo, adiantou, serão articulados com o AICEP esforços conjuntos.

Durante a visita à unidade de produção da Citroën, Basílio Horta assegurou que “os sobressaltos passaram” e “se tudo correr bem a fábrica augura dias muito promissores no futuro”. O dirigente admitiu a reposição do turno cancelado pelo Citroën se “o ritmo se mantiver”. EA com Rádio Noar

José Lorena

A PSA - Unidade de produção da Citroën em Mangualde vai expandir a área útil da empresa para a actual Estrada Nacional (EN) 16. A notícia foi avançada pelo secretário de Estado da Administração Local, José Junqueiro, durante uma visita à fábrica, na quarta-feira, acompanhado do presidente do AICEP, Basílio Horta. O secretário de Estado anunciou que o projecto de expansão irá “cobrir a actual estrada, que deixará de existir”, sendo criado um novo corredor de acesso alternativo. “O que viemos verificar foi o acesso alternativo, que envolverá um esforço conjunto da autarquia e do Governo para essa concretização, acrescen-

DR

Citroën expande fábrica para a Estrada Nacional 16

A Mike Vaughan (Canadá) e Mehmet Yorukoglu (EUA) gostaram do vinho

CVR Dão impressiona operadores americanos Promoção∑ Vinhos promovidos junto de operadores da America do Norte O projecto de promoção dos vinhos do Dão, aprovado oficialmente para durar três anos, levou a uma das etapas esta semana, organizada pela Comissão Vitivinícola Regional do Dão (CVRD). Um grupo de 17 jornalistas de especialidade e importadores do Canadá e dos Estados Unidos da América esteve na região para cumprir a fase de promoção externa da iniciativa. As portas do Solar do Dão abriram-se aos produtores que quiseram mostrar os seus vinhos e aderir ao convite emitido pela CVRD para dar a conhecer aos agentes económicos de dois dos mais importantes países do mundo, (incluindo em produção e consumo de vinhos de qualidade) o que de me-

lhor se faz na região do Dão. O Jornal do Centro falou com um representante de cada sector, importador de vinhos ou jornalista de especialidade, convidados pela CVRD. Mike Vaughan, jornalista canadiano de vinhos, considerou a iniciativa “óptima para tornar visíveis os produtos do Dão”. “Já conheço há algum tempo os vinhos do Dão, sobretudo os que são feitos com o ícone da vossa região - a casta Touriga Nacional”. O especialis-

ta defendeu que “é possível para Portugal, e para o Dão”, obter melhores resultados com acções como a que decorreu em adegas e instituições de promoção dos vinhos locais. Ta m b é m M e h m e t Yourukoglu, um empresário americano e importador de vinhos, considerou importante a acção da CVR Dão: “Tenho pela primeira vez o contacto com os vinhos do Dão, mas vou importá-los, garanto!” José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

Mike Vaughan, jornalista canadiano

∑ Conheço o Dão há anos e admiro a forma como utilizam a casta Touriga Nacional. Acho que esta inicia-

tiva pode permitir melhores resultados na comercialização de vinhos desta região no Canadá.


Jornal do Centro

15

12 | Março | 2010

desporto SELECÇÃO FEMININA DE ANDEBOL JOGA EM MOIMENTA DA BEIRA

Visto e Falado Vítor Santos vtr1967@gmail.com

Mulheres no Desporto

Cartão FairPlay O papel da mulher na prática desportiva tem vindo a desenvolver-se de forma lenta. Vão-se afirmado na existência de uma mulher com renovadas características: ágil, segura, confiante e com capacidade de enfrentar os desafios dos novos tempos, sem nunca perder a sua feminilidade. Ao desporto acrescentam beleza, sensualidade, sensibilidade e dedicação, valores que têm e que o desporto urge em receber para os poder transmitir às novas gerações. O desporto é muito mais bonito e melhor com ELAS. Parabéns. Sernancelhe e Vale de Açores

Cartão FairPlay São as primeiras equipas a subir de divisão nos campeonatos da AFV. Uma subida é sempre de registar. O objectivo foi totalmente conseguido e todos os intervenientes estão realizados pelo trabalho alcançado e mesmo com o aumento das dificuldades que vão encontrar na próxima época vale sempre a pena. Parabéns. Blackout no Académico de Viseu

A Penalva venceu Cinfães e entrou na luta pelos seis primeiros lugares III DIVISÃO NACIONAL

Mangualde festeja, Penalva e Cinfães fazem contas De calculadora na mão, Penalva do Castelo e Cinfães fazem contas ao futuro na série C da III Divisão Nacional. Depois da vitória no derby distrital, o Penalva subiu ao quarto lugar, com os mesmos pontos do Cinfães, mas, a uma jornada do fim da fase regular, não está garantida a presença no grupo dos seis primeiros. Uma vitória na última jornada garante o apuramento às duas equipas de Viseu. O empate poderá ser suficiente, e a derrota, embora não seja o

adeus definitivo, deixa-as dependentes de terceiros. O melhor é mesmo não facilitar, até porque há seis equipas para três vagas. Mangualde na III Divisão. Na série D, o Mangualde fez a festa da manutenção em Soure. Um empate foi suficiente para materializar o objectivo da época. Apesar de ter apenas mais três pontos que o Benfica de Castelo Branco, e a mesma pontuação do Gândara, em caso de igualdade final destas três equipas, que pode acontecer, o

Mangualde tem vantagem sobre o Castelo Branco. Ou seja, e para dissipar algumas dúvidas entretanto surgidas: o regulamento da Federação Portuguesa de Futebol, para os desempates, tem no seu primeiro critério, “os pontos nos jogos entre os clubes empatados” o que, neste caso, dá cinco pontos para cada uma das três equipas equipas. Aplica-se assim o segundo critério - “diferença de golos marcados e sofridos nos jogos entre si” - o que dá vantagem ao Gândara,

com dois golos positivos. Mangualde e Castelo Branco têm ambos um golo negativo. Resolvida a questão do Gândara, há que desempatar Mangualde e Castelo Branco. Volta assim a aplicar-se o primeiro critério - “pontos nos jogos entre si” - o que dá vantagem ao Mangualde, isto é, empatou a um golo em casa, e venceu por dois a zero em Castelo Branco, o que assim garante a manutenção do Desportivo. Gil Peres

II Divisão Nacional Cartão Vermelho Por formação sou contra qualquer tipo de blackouts. No contexto regional em que se faz jornalismo de proximidade, não se entende este tipo de posição. As equipas precisam é de estratégia de comunicação que seleccione e prepare a informação a ser veiculada e não o «apagar» da sua própria existência.

Um ponto na mão e dois a voar Empate saboroso do Académico de Viseu nos Açores, frente a um Praiense que não costuma facilitar no seu reduto. Um ponto que poderá ser muito importante na contabilidade final dos viseenses, empenhados numa luta acesa pela manutenção, e que promete estar para “lavar e durar”.

Isto porque se o Académico pontuou, alguma da principal concorrência directa também o fez. O Oliveira do Bairro venceu no Vitória do Pico, o Monsanto empatou com o líder, e o Eléctrico saiu de Tondela com um ponto. Na recta final do campeonato, com oito jogos por disputar, o Académico é 12º, po-

sição nada confortável, até porque este domingo recebe o Arouca, equipa que vem ao Fontelo a pensar na subida. Um duro teste para os viseenses, quase obrigados a ganhar, ou podem voltar a cair na zona vermelha da tabela. Já o Tondela, com os dois pontos que deixou fugir no jogo com o Eléctrico, voltou

a marcar passo na corrida pela subida. Pior, viu Arouca e Tourizense ficarem mais distantes. Agora é mesmo “tolerância zero”, embora a subida, sem ser uma miragem, começa a ficar longe da vista do Tondela. Este domingo, a equipa vai jogar a Esmoriz. GP

A selecção feminina “A” de Portugal vai jogar em Moimenta da Beira um dos jogosdafasedeapuramento para o Campeonato da Europa de Andebol, que se vai disputar na Noruega e Dinamarca entre 9 e 19 de Dezembro deste ano. No próximo dia 3 de Abril, Portugal defronta a Suiça, apenas três dias após ter jogado no recinto das helvéticas. Portugal faz parte do Grupo 1, onde estão ainda as fortes selecções da Ucrânia e Roménia, com as quais a equipa nacional já perdeu neste apuramento. Para a fase final seguem as duas primeiras classificadas deste Grupo 1, com a equipa Nacional já sem grandes hipóteses de apuramento, até pelo valor das duas selecções de Leste. Moimenta da Beira volta assim a estar presente numa competição importante do andebol internacional, depois de também já ter recebido um jogo da selecção “A” masculina, também de apuramento para um campeonato da Europa.

NADADOR DO ACADÉMICO CONQUISTA CINCO MEDALHAS Cinco medalhas, duas delas títulos Zonais, para Zé Luís Gabriel, nadador do Académico de Viseu. Um resultado em destaque, até pelos tempos alcançados que, quando comparados com os registados na Zona Sul, consagram o nadador viseense como o melhor atleta da competição. Zé Luís Gabriel subiu ao pódio do Torneio Zonal, disputado em Ponte da Barca, nos passados dias 5, 6 e 7 de Março, tendo batido alguns recordes da Associação de Natação de Aveiro. Os títulos foram alcançados nas provas dos 200 metros livres (2,03,92s) e nos 200 metros estilos (2,22,93s). Foi ainda segundo nos 400 estilos, e terceiro nos 200 mariposa e 400 estilos.


D Marionetas ganham vida em Lamego

16

culturas VISEU ∑ Livraria Pretexto Até dia 30 de Abril Retrospectiva do encontro de pintura D. Afonso Henriques.

∑ IPJ Até dia 31 de Março Exposição documental “O IPJ no Feminino”. SANTA COMBA DÃO ∑ Casa da Cultura Até dia 2 de Abril Exposição “Terra, Mar e Céu”, de Frasier May. S. PEDRO DO SUL ∑ Cineteatro S. Pedro Até dia 31 de Março Exposição de fotografia “Belo Interior”, de Daniela Páscoa. VILA NOVA DE PAIVA ∑ Auditório Municipal Até dia 31 de Março Exposição de pintura “Espaço e Cor”, de Carlos do Carmo. TONDELA ∑ Mercado Velho Até dia 4 de Abril Exposição de Fotografias JNRJ, de Manuel Martins. RESENDE ∑ Museu Municipal Até dia 18 de Abril Exposição de pintura “A Casa do Mundo”, de Sérgio Reis.

Destaque

Arcas da memória

Eunice Muñoz apresenta monólogo no Viriato

O milagre de S. Pedro segundo Almeida e Silva

Memórias∑ Actriz interpreta peça premiada de Joan Didion No palco do Teatro Viriato, de Viseu, está em cena hoje e amanhã, a partir das 21h30, o monólogo “O Ano do Pensamento Mágico”, ao qual Eunice Muñoz empresta a voz. Encenado por Diogo Infante, o monólogo de Joan Didion mostra a profundidade que só as grandes relações têm e a fragilidade da vida. Sozinha em palco, Eunice Muñoz, uma das referências do teatro português, dá vida a uma peça baseada nas memórias da autora, numa narrativa que acontece debaixo de uma luz frágil e a partir

A Peça junta Diogo Infante e Eunice Muñoz de uma velha poltrona. Eunice Muñoz interpreta Joan Didion que, um dia, depois de visitar a filha, internada com uma infecção generalizada, perde o mari-

Sessões diárias às 13h30, 16h00, 18h35, 21h20, 23h55 Nas Nuvens (M12Q) Sessões diárias às 14h00, 16h55, 21h00, 00h00 (6ª e Sáb.) Shutter Island (M16Q)

do durante o jantar, vítima de uma ataque cardíaco. A vida muda, assim, num instante. Raquel Rodrigues

foto legenda O Dia Internaciona l da Mulher fez 100 anos na passada segunda-feira. Para celebrar a efeméride, o departamento de Obstetrícia e Ginecologia do Hospital de S. Teotónio de Viseu organizou um desfile de moda encantador. Mulheres de todas as idades passaram modelos e foram penteadas por especialistas. “Mulheres que lutam e labutam” foi o tema do desfile. JL

roteiro cinemas VISEU FORUM VISEU (LUSOMUNDO)

12 | Março | 2010

O Teatro Ribeiro Conceição, de Lamego, recebe amanhã, dia 13, a partir das 21h30, a companhia de teatro alemã “The Fifth Wheel”, que apresenta o espectáculo de teatro de marionetas “Cabaret on Strings”. Ao longo do espectáculo, que combina música, dança e humor, o público pode assistir à manipulação de marionetas, tecnicamente perfeitas.

José Lorena

expos

Jornal do Centro

A Princesa e o Sapo (M6)

Sessões diárias às 14h30, 17h05, 21h10, 23h50 (6ª e Sáb.) Amar... é Complicado! (M12)

Sessões diárias às 13h50, 15h55, 18h00, 21h40, 23h45 Tudo Pode Dar Certo (M12Q)

Sessões diárias às 11h20 (Dom.), 14h10 Alice no País das Maravilhas (VP) (M12Q) (3D)

Sessões diárias às 14h20, 17h15, 21h30, 00h25 Visto do Céu (M12Q)

Sessões diárias às 16h40, 19h15, 21h50, 00h30 Alice no País das Maravilhas (VO) (M12Q) (3D)

PALÁCIO DO GELO (LUSOMUNDO)

Sessões diárias às 18h40, 21h10, 23h40 (6ª e Sáb.) O Lobisomem (M16)

Sessões diárias às 11h00 (Dom.), 14h10, 16h20

Sessões diárias às 13h30, 16h10, 18h50, 21h35, 00h10

Sessões diárias às 11h20 (Dom.), 13h50, 16h25, 19h00, 21h30, 00h05 Dia dos Namorados (M12)

José de Almeida e Silva (1864-1945), pintor viseense de reconhecido mérito, vive em Viseu quase toda a sua vida, com excepção do tempo em que no Porto frequenta a Real Academia Portuense de Belas Artes, das episódicas deslocações a Lisboa e de uma mais demorada estadia no Brasil. A sua sensibilidade de fundo romântico é temperada pela estética naturalista que então se implantava com vigor, governada, no Porto, por Marques de Oliveira, seu influente mestre e outros autores que cultivavam a paisagem e o retrato, as cenas de costumes ou a pintura de História em menor registo. E é esta marca que Almeida e Silva transporta para Viseu, incapaz de desligar-se dela até ao fim da vida. Poucos lhe reconhecem, no entanto, a faceta de escritor de crónicas distribuídas pela imprensa local, um breve estudo sobre uma exposição dos “Primitivos Portugueses” e o gordo volume dos “Pergaminhos”, emocionadas narrativas onde condensa o entranhado amor que devotara à sua terra, apesar de a efabulação subverter quase sempre a verdade histórica. E é aqui que situamos esse estranho episódio rotulado de “milagre” acontecido durante a dramática e perniciosa passa-

(6ª e Sáb.) Amar... é Complicado! (M12)

Alberto Correia Antropólogo aierrocotrebla@gmail.com

gem dos soldados de Massena por Viseu por ocasião da Terceira Invasão, assim chamada. Buscavam os soldados o Tesouro Artístico da Catedral que os senhores Cónegos haviam colocado a recato, finalmente achado num resguardo da Sacristia em cujo chão o espalham e onde fica a brilhar o esmalte dos Cofres de Limoges, o ouro da Custódia de D. Miguel da Silva e de tantas preciosidades. E quando os soldados carregavam já tanta riqueza ouve-se o eco de uma estranha voz gritando: - Suspendei!... Olham os soldados! Mas ninguém soube de onde veio a voz. E é então que um deles repara no olhar de S. Pedro no quadro de Grão Vasco que então se expunha no muro da Sacristia. O Santo parece olhá-lo e recriminá-lo pela acção. E os outros soldados espalhados no aposento fixam também os olhos no quadro. O olhar de Pedro cobria todos os olhares ao mesmo tempo. - Fujamos, gritou um deles, aterrorizado com a fúria divina que assim se manifestava. E todos fugiram. E foi assim que se salvou o Tesouro da Catedral que hoje se encontra no Museu.

Estreia da semana

Sessões diárias às 14h20, 16h45, 19h10, 21h40, 00h20 (6ª e Sáb.) Precious (M16) Sessões diárias às 15h00, 17h10, 19h20, 21h50, 00h00 (6ª e Sáb.) Espião nas Horas Vagas (M12)

Tudo Pode Dar Certo -

Woody Allen está de regresso à cidade de Nova Iorque com uma comédia pouco convencional sobre um excêntrico misantropo e uma ingénua e influenciável jovem fugitiva que ele hospeda no seu apartamento.


D “João Sem Medo” em São Pedro do Sul

Jornal do Centro 12 | Março | 2010

CULTURAS 17

O Cineteatro de São Pedro do Sul recebe este domingo, a partir das 16h00, a peça de teatro “João Sem Medo”, do Cénico- Grupo de Teatro Popular de São Pedro do Sul. A peça conta a história de um rapaz que nasceu sem medo de nada.

PROJECÇÃO A OUTRA MARGEM UM FILME DE LUÍS FILIPE ROCHA ∑ Sexta 12 Março 21h00 Ricardo é um homem gay, transformista num bar de Lisboa. O seu companheiro morreu e vimos a saber que se suicidou. Ricardo sobrevive, mas tenta suicidar-se também pouco depois. É essa tentativa falhada de suicídio que lhe permite retomar o contacto com a sua irmã Maria e conhecer o seu sobrinho Vasco. Ambos vivem também outras margens: Vasco tem Síndroma de Down, Maria é mulher (e mãe solteira). AO VIVO ENDAY GREEN SMOKE! ∑ Sábado 13 Março 17h00 Formados em 2002 os Enday apresentam-se como uma banda de 5 amigos de longa data. No ano em que se prepara para apresentar o seu primeiro álbum de originais, esta banda de Cascais passa pelo Fórum Fnac para dar a conhecer os novos temas ao seu público. Publicidade

AO VIVO LÍRIO CÃO O CORRECTO USO DO SABÃO ∑ Sábado 13 Março 21h30 O projecto nasceu em 2002, com José Leitão (guitarra e voz) e Luís Miguel Carneiro (baixo e voz). a que mais tarde se juntou Tiago Faria (bateria). Com temas vivos e curtos, é uma banda difícil de catalogar, uma vez que tanto compoêm canções pop, como temas mais progressivos e ousados. Talvez por isso praticam um auto-denominado Rock de Pesquisa. Apresentam o seu terceiro trabalho, O Correcto uso do Sabão. AO VIVO DENGAZ SKILL, RESPEITO & HUMILDADE ∑ Domingo 14 Março 17h00 Dengaz acaba de editar o seu álbum de estreia:Skill, Respeito & Humildade. Este trabalho conta com participações especiais de alguns conceituados artistas nacionais como SP, Praga, Richie Campbell, Junior Thomas, entre outros. Este álbum é um retrato pessoal e uma abordagem muito própria do cantor ao Hip-Hop. O objectivo do álbum é demonstrar a potencialidade do Hip-Hop “New School”, fazendo a mistura musical e instrumental entre o Hip Hop, R&B e Dancehall.

Museus

foto legenda O Jornal do Centro esteve, no passado sábado, representado no júri da edição deste ano do Festival da Canção da RTP. Juntamente com Luís Filipe, do GICAV, e Fernando Soares Gomes, director pedagógico do Conservatório de Música do Dão, Raquel Rodrigues, jornalista do Jornal do Centro, foi a porta-voz que anunciou, em directo, a pontuação a atribuir às canções concorrentes.

Museu Grão Vasco com nova directora

José Lorena

agenda cultural fnac

Concerto

Flow 212 animam a noite de Viseu O bar Palhad’aço, de Viseu, recebe, hoje à noite, os Flow 212. Produtores de sucessos musicais a nível nacional e internacional, como “Ritmo do meu flow” e “Tá Hot”, os

Flow 212 inauguram o novo conceito, Sexy Chic, do Palhad’aço. O espectáculo envolve música e pirotecnia, numa noite que promete ser de muita animação e glamour. Publicidade

A técnica superior Alcina Silva é a nova directora interina do Museu Grão Va sco (MGV), de Viseu. Licenciada em História de Arte e a trabalhar no MGV desde 1988, Alcina Santos substitui António Filipe Pimentel, actual director do Museu Nacional de Arte Antiga. Apesar de não trabalhar directamente na área da programação, a nova directora interina diz ter estado sempre “ao corrente” do que António Pimentel preparou para o MGV durante a sua estadia de ci nco meses em Viseu.


Jornal do Centro

18

12 | Março | 2010

saúde Aposentados voltam a ser contratados Médicos reformados∑ Viseu não foge à regra As mais recentes mudanças nos processos de aposentação de médicos em Portugal levaram a que se tivesse registado uma corrida às reformas por parte destes profissionais. A falta de médicos, registada um pouco por todo o país (a que Viseu também não foge à regra) fez com que seja quase um lugar-comum a contratação de médicos para prestarem serviço em hospitais e centros de saúde. O reflexo desta situação é a dificuldade de preenchimento de vagas para médicos em estabelecimentos de saúde, o que faz com que o Serviço Nacional de

-Fotodepilação - Foto rejuvenescimento Tratamento do Acne -Extensão / Permanente / Tinta de Pestanas - Depilação -Manicure / Pedicure / Unhas de Gel celulítica / Reafirmante Massagens: Relaxamento / Anti Anti-celulítica Massagens Terapêuticas: Tui Na / Reflexologia Podal / Shiatsu / Com Bambus

Apresenteestevaleeobtenhaumdesconto de50%naFotodepilação (qualquerzona) Adquiraonúmerodesessõesquedesejar erealizeasnosdiasmaisconvenientesparasi. Válidonosdias18e19deMarçode2010 ( ã (nãoacumulávelcomoutrosdescontos) lá l t d t )

Rua Frei Joaquim de Sta. Rosa Viterbo, lote 95, loja D Quinta do Galo – JUGUEIROS – Viseu (prédio novo amarelo e vermelho) Tel: 925 610 740 | geral@reflexokorporal.pt | www.reflexokorporal.pt

Saúde possa vir a recorrer este ano a viabilizar reformas e, posteriormente, vir a contratar novamente os mesmos médicos para suprir falhas. No distrito de Viseu “há casos em que médicos reformados são novamente contratados para prestar serviço”, reconhece, José Carlos A l meid a , re sp on s á vel pelas Unidades de Saúde Familiar de Dão Lafões 1, acrescentando que “há que enfrentar a realidade”, ou seja, a de que “os médicos são funcionários como outros e tentam negociar da melhor forma o seu futuro”. “Há alguns anos, outros governos limita-

ram o acesso de estudantes ao curso de medicina e agora estamos a pagar isso. As medidas tomadas pelo anterior ministro da Saúde, Correia de Campos, de aumentar as vagas em estabelecimentos de saúde só terão frutos dentro de dois ou três anos”, diz José Carlos Almeida. As carências que se notam mais são ao nível da medicina geral e familiar. Por isso “os médicos reformados podem colmatar dificuldades. Mas, repito, esta crise é herdada pelo actual sistema”, sublinhou José Carlos Almeida. José Lorena jose.lorena@jornaldocentro.pt

Refrigerantes podem causar diabetes O aumento do consumo diário de refrigerantes açucarados contribuiu para 130 mil novos casos de diabetes e 14 mil de doença arterial coronária na última década nos EUA. Os dados foram obtidos num estudo que estima que o consumo destas bebidas, entre 1990 e 2000,

tenha sido responsável, pelo menos, por seis mil mortes. Perante estes dados, os investigadores defendem a criação de um imposto de saúde sobre os refrigerantes para pagar o aumento dos custos dos tratamentos das vítimas de doença coronária e diabetes.


Jornal do Centro

SAÚDE 19

12 | Março | 2010

Cruz Vermelha lança curso de Socorrismo Pediátrico A Cruz Vermelha Portuguesa já lançou a nível nacional, através das suas delegações em Portugal, um curso de Socorrismo Pediátrico.

Garantir a segurança das crianças, por parte de amas e profissionais de escolas, infantários, associações de pais, ATL, entre outros, é

um dos objectivos principais da iniciativa. O curso tem a duração de 15 horas e vai difundir entre os profissionais aderentes

medidas preventivas de acidentes frequentes no grupo etário pediátrico até aos 15 anos, assim como conhecimentos e técnicas simples de

FRANCISCO CORTEZ VAZ MÉDICO ESPECIALISTA GINECOLOGIA-OBSTETRÍCIA DOENÇAS DA MAMA COLPOSCOPIA MESTRADO EM PATOLOGIA MAMÁRIA (Faculdade de Medicina da Universidade de Barcelona) CHEFE DE SERVIÇO HOSPITAL S. TEOTÓNIO - VISEU

socorrismo pediátrico. A estabilização de crianças que sofram acidentes ou doenças súbitas em casa ou em actividades de lazer e escolares é

o foco essencial da acção da Cruz Vermelha Portuguesa. As informações sobre o curso estão disponíveis em www.cruzvermelha.pt.

Serviço de Apoio Domiciliário Cuidados de Higiene e Conforto Refeições | Tratamento de Roupa Serviços de Limpezas | Nutrição Acompanhamentos em Saídas/Compras Serviços de Compras/Entregas Adaptação de Domicilio/Ajudas Técnicas

Rua D. António Alves Martins, 40-4ºE 3500-078 - Viseu • Tel/Fax: 232 441 127

Consultório:

CURSOS - UNHAS DE GEL, DE PORCELANA, ACRÍLICAS, FIBRA DE VIDRO E NAIL ART. APLICAÇÕES - DE TODO O TIPO DE UNHAS. VENDA - DE PRODUTOS E EQUIPAMENTOS PARA PROFISSIONAIS. TEL: 232 413 136 TELEM: 966 916 681 / 935 241 125 AV. DR. ANTÓNIO JOSÉ DE ALMEIDA LOJA 316 VISEU

Enfermagem | Acompanhamento Médico Fisioterapia | Psicologia | Podologia


Jornal do Centro

20 CLASSIFICADOS

12 | Março | 2010 RESTAURANTE O LEAL CONSSELHEIRO Chefe de Cozinha Zagallo. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Quinta do Catavejo Lt. 44 Mundão, 3505-582 Viseu. Telefone 232 185 071. Observações 6ª a Domingo - Menu de degustação | 2ª a 5ª - Preço Fixo por pessoa.

MANGUALDE RESTAURANTEMODERNO Especialidades Cabrito Assado à Serrana, Rojões à Mangualde. Folga Sábado e Domingo à noite. Preço médio refeição 15 euros. Morada Largo Dr. Couto, nº 85, 3530 Mangualde. Telefone 232 622 941 – 963 460 290. Observações Mais de uma dúzia de Quintas na Região onde se podem fazer festas.

PENALVA DO CASTELO OTELHEIRO Especialidades Feijão de Espeto, Cabidela de Galinha, Arroz de Míscaros, Costelas em Vinha de Alhos. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Sangemil, Penalva do Castelo. Observações Sopa da Pedra ao fim-de-semana.

TONDELA

RESTAURANTES VISEU RESTAURANTE O MARTELO Especialidades Cabrito na Grelha, Bacalhau, Bife e Costeleta de Vitela. Folga Não tem. Morada Rua da Liberdade, nº 35, Falorca, 3500-534 Silgueiros. Telefone 232 958 884. Observações Vinhos Curral da Burra. RESTAURANTE BEIRÃO Especialidades Bife à Padeiro, Posta de Vitela à Beirão, Bacalhau à Casa, Bacalhau à Beirão, Açorda de Marisco. Folga Segunda-feira (excepto Verão). Preço médio refeição 12,50 euros. Morada Alto do Caçador, EN 16, 3500 Viseu. Telefone 232 478 481 Observações Aberto desde 1970. RESTAURANTE TIA IVA Especialidades Bacalhau à Tia Iva, Bacalhau à Dom Afonso, Polvo à Lagareiro, Picanha. Folga Domingo. Preço médio refeição 13 euros. Morada Rua Silva Gaio, nº 16, 3500-203 Viseu Telefone 232 428 761. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira) – 6 euros.

RESTAURANTE CLUBE CAÇADORES Especialidades Polvo à Lagareiro, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito Churrasco, Javali na Brasa c/ Arroz de Feijão, Arroz de Perdiz c/ Míscaros, Tarte de Perdiz, Bifes de Veado na Brasa. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Muna, Lordosa, 3515-775 Viseu. Telefone 232 450 401. Observações Reservas para grupos e outros eventos. SOLAR DO VERDE GAIO Especialidades Rodízio à Brasileira, Mariscos, Peixe Fresco. Folga Terça-feira. Morada Mundão, 3500-564 Viseu. www.solardoverdegaio.pt Telefone 232 440 145 Fax 232 451 402. E-mail geral@ solardoverdegaio.pt Observações Salão de Dança – Clube do Solar – Sextas, Sábados até às 03.00 horas. Aceita Multibanco. RESTAURANTE SANTA LUZIA Especialidades Filetes Polvo c/ Migas, Filetes de Espada com Arroz de Espigos, Cabrito à Padeiro, Arroz de Galo de Cabidela, Perdiz c/ Castanhas. Folga Segunda-feira. Morada EN 2, Campo, 3510-515 Viseu. Telefone 232 459 325. Observações Quinzena da Lampreia e do Sável, de 17 de Fevereiro a 5 de Março. “Abertos há mais de 30 Anos”.

RESTAURANTE O PERDIGUEIRO Especialidades Peixes Grelhados e ao Sal, Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Assado à Padeiro. Folga Sábado. Morada Quinta do Galo, Lote B R/C Direito, 3500 Viseu. Telefone 232 461 805.Observações Aceita Multibanco.

PIAZZA DI ROMA Especialidades Cozinha Italiana (Pizzas, Massas, Carnes e Vinhos). Folga Domingo e segunda-feira ao almoço. Morada Rua da Prebenda, nº 37, 3500-173 Viseu Telefone 232 488 005. Observações Menu económico ao almoço.

RESTAURANTE PICANHA REAL Especialidades Rodízio de Picanha. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira, Lote 1 R/C, Travassós de Cima, 3500-187 Viseu Telefone 232 186 386/7 - 917 038 215. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira).

RESTAURANTE A BUDÊGA Especialidades Picanha à Posta, Cabrito na Brasa, Polvo à Lagareiro. Acompanhamentos: Batata na Brasa, Arroz de Feijão, Batata a Murro. Folga Domingo. Preço médio por refeição 12,50 euros. Morada Rua Direita, nº 3, Santiago, 3500-057 Viseu. Telefone 232 449 600. Observações Vinhos da Região e outros; Aberto até às 02.00 horas.

RESTAURANTE O VISO Especialidades Cozinha Caseira, Peixes Frescos, Grelhados no Carvão. Folga Sábado. Morada Alto do Viso, Lote 1 R/C Posterior, 3500-004 Viseu. Telefone 232 424 687. Observações Aceitamse reservas para grupos. RESTAURANTE MAJOAL Especialidades Arroz de Pato, Bacalhau c/ Natas, Grelhados, Frango de Churrasco. Folga Segundafeira. Morada Avenida Capitão Silva Pereira, 3500-208 Viseu. Telefone: 232 431 891 - 964 043 709. CORTIÇO Especialidades Bacalhau Podre, Polvo Frito Tenrinho como Manteiga, Arroz de Carqueja, Cabrito Assado à Pastor, Rojões c/ Morcela como fazem nas Aldeias, Feijocas à maneira da criada do Sr. Abade. Folga Não tem. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Rua Augusto Hilário, nº 45, 3500-089 Viseu. Telefone 232 423 853 – 919 883 877. Observações Aceitam-se reservas; Takeway. RESTAURANTE O CAMBALRO Especialidades Camarão, Francesinhas, Feijoada de Marisco. Folga Não tem. Morada Estrada da Ramalhosa, nº 14, Rio de Loba, 3500825 Viseu. Telefone 232 448 173. Observações Prato do dia - 5 euros. RESTAURANTE O LARGO DA PREBENDA Especialidades Pratos Tradicionais. Folga Segunda-feira. Morada Largo da Prebenda, 37/45, 3500-172 Viseu. Telefone 232 435 366 - 964 233 844. Observações Aos domingos pratos tradicionais (Bacalhau Podre, Cabritinho Assado no Forno, etc...). TORRE DI PIZZA Especialidades Pizzas, Massas, Carnes. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Cidade de Aveiro, Lote 16, 3510-720 Viseu. Telefone 232 429 181 – 965 446 688. Observações Menu económico ao almoço – 4,90 euros.

COMPANHIA DA CERVEJA Especialidades Bifes c/ Molhos Variados, Francesinhas, Saladas Variadas, Petiscos. Folga Terçafeira. Preço médio refeição 8,50 euros. Morada Quinta da Ramalhosa, Rio de Loba (Junto à SubEstação Eléctrica do Viso Norte), 3505-570 Viseu Telefone 232 184 637 - 962 723 772. Observações Cervejaria c/amplo espaço (120 lugares), fácil estacionamento, acesso gratuito à internet. RESTAURANTE D. INÊS Especialidades Pratos económicos de Carne e Peixe. Folga Domingo. Preço médio refeição 5 euros. Morada Rua Serpa Pinto, nº 54, 3500 Viseu Telefone 232 428 837 – 232 184 900. QUINTA DO GALO CERVEJARIAS Especialidades Grelhados de Peixe e Carne. Folga Domingo. Morada Quinta do Galo, Lt3 | Bairro Stª Eugénia, Lt21, Viseu. Telefone 232 461 790 Observações Aberto até às 2h00. O CANTINHO DO TITO Especialidades Cozinha Tradicional, Petiscos. Folga Domingo. Morada Rua Mário Pais da Costa, nº 10, Lote 10 R/C Dto., Abraveses, 3515-174 Viseu. Telefone 232 187 231 – 962 850 771. RESTAURANTEBELOSCOMERES(ROYAL) Especialidades Restaurantes Marisqueiras. Folga Não tem. Morada Cabanões; Rua da Paz, nº 1, 3500 Viseu; Santiago. Telefone 232 460 712 – 232 468 448 – 967 223 234. Observações Casamentos, baptizados, convívios, grupos. TELHEIRO DO MILÉNIO QUINTA FONTINHA DA PEDRA Especialidades Grelhados c/ Churrasqueira na Sala, (Ao Domingo) Cabrito e Aba Assada em Forno de Lenha. Folga Sábados (excepto para casamentos, baptizados e outros eventos) e Domingos à noite. Morada Rua Principal, nº 49, Moure de Madalena, 3515016 Viseu. Telefone 232 452 955 – 965 148 341.

EÇA DE QUEIRÓS Especialidades Francesinhas, Bifes, Pitas, Petiscos. Folga Não tem. Preço médio refeição 5,00 euros. Morada Rua Eça de Queirós, 10 Lt 12 - Viseu (Junto à Loja do Cidadão). Telefone 232 185 851. Observações Take-away. GREENS RESTAURANTE Especialidades Toda a variedade de prato. Folga Não tem. Preço médio refeição Desde 2,50 euros. Morada Fórum Viseu, 3500 Viseu. Observações www.greensrestaurante.com MAIONESE Especialidades Hamburguers, Saladas, Francesinhas, Tostas, Sandes Variadas. Folga Não tem. Preço médio refeição 4,50 euros. Morada Rua de Santo António, 59-B, 3500-693 Viseu (Junto à Estrada Nacional 2). Telefone 232 185 959. RESTAURANTEROSSIOPARQUE Especialidades Medalhão de Vitela p/ duas pessoas 800g Pura Alcatra, Bacalhau à Casa, Massa c/ Bacalhau c/Ovos Escalfados, Corvina Grelhada; Acompanhamentos: Migas, Feijão Verde, Batata a Murro. Folga Sábado à Noite e Domingo. Morada Rua Soar de Cima, nº 55 (Junto ao Jardim das Mães – Rossio), 3500-211 Viseu. Telefone 232 422 085. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira) – sopa, bebida, prato e sobremesa ou café – 6 euros. FORNODAMIMI Especialidades Assados em Forno de Lenha, Grelhados e Recheados (Cabrito, Leitão, Bacalhau). Folga Não tem. Preço médio por refeição 14 euros. Morada Estrada Nacional 2, Vermum Campo, 3510-512 Viseu. Telefone 232 452 555. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. QUINTADAMAGARENHA Especialidades Lombinho Pescada c/ Molho de Marisco, Cabrito à Padeiro, Nacos no Churrasco. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Nó 20 A25, Fragosela, 3505-577 Viseu. Telefone 232 479 106 – 232 471 109. Fax 232 479 422. Observações Parque; Serviço de Casamentos. RESTAURANTEIBÉRICO Especialidades Grelhados, Francesinhas, Bacalhau à Ibérico, Grelhada Mista, Vários Petiscos. Folga Não tem. Morada Quinta de Dentro, Lote 79, R/C Dto., 3505-496 Rio de Loba, Viseu. Telefone 232 449 743 – 919 908 984. Observações Refeições económicas; Comida para fora. RODÍZIOREAL Especialidades Rodízio à Brasileira. Folga Não tem. Preço médio por refeição 19 euros. Morada Repeses, 3500-693 Viseu. Telefone 232 422 232. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado. RESTAURANTEOPOVIDAL Especialidades Arroz de Pato, Grelhados. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira Lt9 1ª Fase, Viseu. Telefone 232 087 776. Observações Jantares de grupo. RESTAURANTEACOCHEIRA Especialidades Bacalhau Roto, Medalões c/ Arroz de Carqueija. Folga Domingo à noite. Morada Rua do Gonçalinho, 84, 3500-001 Viseu. Telefone 232 437 571. Observações Refeições económicas ao almoço durante a semana. RESTAURANTEPORTASDOSOL Especialidades Arroz de Pato com Pinhões, Catalana de Peixe e Carne, Carnes de Porco Preto, Carnes Grelhadas com Migas. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Urbanização Vilabeira Repeses - Viseu. Telefone 232 431 792. Observações Refeições para grupos com marcação prévia.

RESTAURANTE BAR O PASSADIÇO Especialidades Cozinha Tradicional e Regional Portuguesa. Folga Domingo depois do almoço e Segunda-feira. Morada Largo Dr. Cândido de Figueiredo, nº 1, Lobão da Beira, 3460-201 Tondela. Telefone 232 823 089. Fax 232 823 090 Observações Noite de Fados todas as primeiras Sextas de cada mês. RESTAURANTE PONTO DE ENCONTRO Especialidades Grelhada Mista do Oceanos, Grelhada à Ponto de Encontro, Bacalhau c/ Natas, Bife à Ponto de Encontro. Folga Sábado. Morada Avenida do Salgueiral, nº 3, Fojo, Molelos, 3460211 Tondela. Telefone 232 812 867. Observações Casamentos, Baptizados e outros eventos; Refeições económicas (Almoço – 2ª a 6ª feira) – 5 e 6 euros. RESTAURANTE SANTA MARIA Especialidades Cozido à Portuguesa, Picanha, Borrego Estufado, Bacalhau Santa Maria. Folga Quarta-Feira. Preço médio por refeição Desde 6,50 euros. Morada Avenida da Igreja, nº 989, Canas de Santa Maria, 3460-012 Tondela. Telefone 232 842 135. Observações Refeições económicas c/ tudo incluído – 6,50 euros; Refeições p/ fora – 5,50 euros. RESTAURANTE S. BARNABÉ Especialidades Chanfanas, Comida Italiana, Cozinha Tradicional, Arroz de Polvo c/ Gambas Morada Rua dos Bombeiros Voluntários, nº80 - 3460-572 Tondela Telemóvel 969 723 146. Observações Comida para fora. STAURANTE PRATO D’OURO Especialidades Cozinha Regional Morada EN 2, 1189 Adiça 3460-321 Tondela Telefone 232 816 537. Observações Refeições Económicas (2ª a 6ª feira), Refeições p/ fora.

SÃO PEDRO DO SUL RESTAURANTE QUINTA DO MARQUÊS Especialidades Bacalhau c/ Natas, Rojões à Beirão, Vitela à Lafões, Tiramisú. Folga Domingo (Dezembro a Junho). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Galerias Quinta do Marquês, 2º Piso, Fracção Z (junto ao Pav. Desportivo Municipal e Piscinas), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 723 815. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira). RESTAURANTE O CAMPONÊS Especialidades Nacos de Vitela Grelhados c/ Arroz de Feijão, Vitela à Manhouce (Domingos e Feriados), Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Grelhado c/ Arroz de Miúdos, Arroz de Vinha d´Alhos. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 12 euros. Morada Praça da República, nº 15 (junto à Praça de Táxis), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 711 106 – 964 135 709.

SANTA COMBA DÃO RESTAURANTE TÍPICO O PEDRO Especialidades Mariscos, Grelhados e Pratos Regionais. Paelha, Camarão À Pedro, Arroz de Marisco, Bacalhau Zé Pipo, Carne Porco Alentejana, Naco, Cabrito, Cabidela de Galo. Folga Não tem. Morada Rua Principal, nº 11 A, 3440465 São João de Areias. Telefone 232 891 577 – 964 262 750. Observações Casamentos, Baptizados, Grupos; Espaço Verde.

OLIVEIRA DE FRADES OS LAFONENSES – CHURRASQUEIRA Especialidades Vitela à Lafões, Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Casa, Bife de Vaca à Casa. Folga Sábado (excepto Verão). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua D. Maria II, nº 2, 3680-132 Oliveira de Frades. Telefone 232 762 259 – 965 118 803. Observações Leitão por encomenda.

NELAS RESTAURANTE QUINTA DO CASTELO Especialidades Bacalhau c/ Broa, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito à Padeiro, Entrecosto Vinha de Alhos c/ Arroz de Feijão. Folga Sábado (excepto p/ grupos c/ reserva prévia). Preço médio refeição 15 euros. Morada Quinta do Castelo, Zona Industrial de Nelas, 3520-095 Nelas. Telefone 232 944 642 – 963 055 906. Observações Prova de Vinhos “Quinta do Castelo”.

VOUZELA RESTAURANTE O REGALINHO Especialidades Grelhada Mista, Naco de Vitela na Brasa c/ Arroz de Feijão, Vitela e Cabrito no Forno, Migas de Bacalhau, Polvo e Bacalhau à Lagareiro. Folga Domingo. Preço médio refeição 10 euros. Morada Rua Teles Loureiro, nº 18 Vouzela. Telefone 232 771 220. Observações Sugestões do dia 7 euros. TABERNA DO LAVRADOR Especialidades Vitela à Lafões Feita no Forno de Lenha, Entrecosto com Migas, Cabrito Acompanhado c/ Arroz de Cabriteiro, Polvo Grelhado c/ batata a Murro. Folga 2ª Feira ao jantar e 3ª todo o dia. Preço médio refeição 12 euros. Morada Lugar da Igreja - Cambra - Vouzela. Telefone 232 778 111 917 463 656. Observações Jantares de Grupo. RESTAURANTE EIRA DA BICA Especialidades Vitela e Cabrito Assado no Forno e Grelhado. Folga 2ª Feira. Preço médio refeição 15 euros. Morada Casa da Bica - Touça - Paços de Vilharigues - Vouzela. Telefone 232 771 343. Observações Casamentos e Baptizado. www.eiradabica.com

FÁTIMA RESTAURANTE SANTA RITA Especialidades Bacalhau Espiritual, Bacalhau com camarão, Bacalhau Nove Ilhas, Bife de Atum, Alcatra, Linguiça do Pico, Secretos Porco Preto, Vitela. Folga Quarta-feira. Preço médio refeição 10 euros. Morada R. Rainha Santa Isabel, em frente ao Hotel Cinquentenário, 2495 Fátima. Telefone 249 098 041 / 919 822 288 Observações http:// santarita.no.comunidades.net; Aceita grupos, com a apresentação do Jornal do Centro 5% desconto no total da factura.

ANTÓNIO M. MENDES Morada Rua Chão de Mestre, nº 48, 1º Dto., 3500-113 Viseu Telefone 232 100 626 Email antonio.m.mendes3715c@adv.oa.pt ARNALDO FIGUEIREDO E FIRMINO MENESES FERNANDES Morada Av. Alberto Sampaio, nº 135 – 1º, 3510-031 Viseu Telefone 232 431 522 Fax 232 431 522 Email a-figueiredo@iol.pt e firminof@iol.pt MARQUES GARCIA Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº 218 – C.C.S. Mateus, 4º, sala 15, 3514-504 Viseu Telefone 232 426 830 Fax 232 426 830 Email marques.garcia-3403c@advogados. oa.pt FILIPE FIGUEIREDO Morada Rua Conselheiro Afonso de Melo, nº 31 – 5º, sala 502, 3510024 Viseu Telefone 232 441 235 Telemóvel 964 868 473 Email filipe.figueiredo-5153c@adv.oa.pt FABS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS – RENATO FERNANDES, JOÃO LUÍS ANTUNES, PAULO BENFEITO Morada Av. Infante D. Henrique, nº 18 – 2º, 3510-070 Viseu Telefone 232 424 100 Fax 232 423 495 Email fabs.advogados@netvisao.pt JOÃO NETO SANTOS Morada Rua Formosa, nº 20 – 2º, 3500134 Viseu Telefone 232 426 753 CONCEIÇÃO NEVES E MICAELA FERREIRA – ADVOGADAS Morada Av. Dr. António José de Almeida, 264 – Forum Viseu [NOVAS I NS TA L AÇÕE S], 3510 - 0 43 Viseu Telefone 232 421 225 Fax 232 426 454 ELISABETE MENDONÇA

Morada Rua Nunes de carvalho, nº 39 – 1º, sala 3, 3500-163 Viseu Telefone 232 471 284 Fax 232 471 284 Email

elisabetemendonca-5907c@adv.oa.pt

BRUNO DE SOUSA Esc. 1 Morada Rua D. António Alves Martins Nº 40 2ºE 3500-078 VISEU Telefone 232 104 513 Fax 232 441 333 Esc. 2 Morada Edifício Guilherme Pereira Roldão, Rua Vieira de Leiria N º14 2430 - 30 0 Ma r i n ha Gra nde Telefone 244 110 323 Fax 244 697 164 Tlm. 917 714 886 Áreas preferenciais Crime | Fiscal | Empresas

MANGUALDE

ADVOGADOS VISEU

ANTÓNIO PEREIRA DO AIDO Morada Rua Formosa, nº 7 – 1º, 3500135 Viseu. Telefone 232 432 588 Fax 232 432 560 CARLA DE ALBUQUERQUE MENDES Morada Rua da Vitória, nº 7 – 1º, 3500-222 Viseu Telefone 232 458 029 Fax 232 458 029 Fax 966 860 580 MARIA DE FÁTIMA ALMEIDA Morada Rua Miguel Bombarda, nº 37 – 1º Esq. Sala G, 3510-089 Viseu Telefone 232 425 142 Fax 232 425 648 CATARINA DE AZEVEDO

Morada Largo General Humberto

Delgado, nº 1 – 3º Dto. Sala D, 3500139 Viseu Telefone 232 435 465 Fax 232 435 465 Telemóvel 917 914 134 Email catarina-azevedo5275c@adv.oa.pt CARLA MARIA BERNARDES

Morada Rua Conselheiro Afonso de

Melo, nº 39 – 2º Dto., 3510-024 Viseu

Telefone 232 431 005

JOÃO PAULO SOUSA

M o r a d a L g. Genera l Humber to

Delgado, 14 – 2º, 3500-139 Viseu Telefone 232 422 666 HERMÍNIO MODESTO Morada Av. Dr. António José de Almeida, nº275 - 1º Esquerdo - 3510047 Viseu Telefone/Fax 232 468 295

JOSÉ MIGUEL MARQUES Morada Rua 1º de Maio, nº 12 – 1º Dto., 3530-139 Mangualde Telefone 232 611 251 Fax 232 105 107 Telemóvel 966 762 816 Email jmiguelmarques4881c@adv.oa.pt JOSÉ ALMEIDA GONÇALVES Morada Rua Dr. Sebastião Alcântara, nº 7 – 1º B/2, 3530-206 Mangualde Telefone 232 613 415 Fax 232 613 415 Telemóvel 938 512 418 Email jose.almeida.goncalves-14291l@adv. oa.pt

NELAS

JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges. silva@mail.telepac.pt JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Morada Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas Telefone 232 949 994 Fax 232 944 456 Email j.Borges. silva@mail.telepac.pt ÂNGELO MENDES MOURA Morada Av. Visconde Guedes Teixeira, 29 – 1º, 5100-073 Lamego Telefone 254 612 402 FERNANDO AMARAL Morada Rua dos Bancos, 5100-115 Lamego Telefone 254 612 274/ 254 600 223 Fax 254 600 229

IMOBILIÁRIO

JOÃO MARTINS M o r a d a R ua D. A ntón io A lves Martins, nº 40 – 1º A, 3500-078 Viseu Telefone 232 432 497 Fax 232 432 498

VENDE-SE

ANA PAULA MADEIRA Morada Rua D. Francisco Alexandre Lobo, 59 – 1º DF, 3500-071 Viseu Telefone 232 426 664 Fax 232 426 664 Telemóvel 965 054 566 Email anapaula.madeira@sapo.pt

T2 duplex c/ boas áreas. Garagem individual p/ 5 carros. Sem condomínio. T. 918 820 867

MANUEL PACHECO Morada Rua Alves Martins, nº 10 – 1º, 3500-078 Viseu Telefone 232 426 917 PAULO DE ALMEIDA LOPES Morada Travessa da Balsa, nº 21 3510-051 Viseu Telefone 232 432 209 Fax 232 432 208 Email palopes4765c@adv.oa.pt

Carpintaria bem equipada. Boa oportunidade a 15 Km de Viseu T. 969 086 367

Casa em Pedra em Oliveira do Hospital. Bom preço. T. 966 130 251 T3 – Juntinho ao Centro - Bom estado Excelente p/ Investimento! Lareira, cozinha c/ móveis, despensa, roup. embutido, 2 wc´s, arrumos no sótão e lugar de garagem. Preço: €: 89.000,00 T. 926 340 312 ou 919 255 516.


Jornal do Centro

CLASSIFICADOS 21

12 | Março | 2010 Moradia de Gaveto – Zona de Gumirães - Bem estimada! Topologia T4 + escritório, 4wc´s, 6 roupeiros embutidos, cozinha c/ móveis, placa, forno e lareira, despensa, aquecimento central a gasóleo. Garagem fechada p/ 2 carros e arrumos. Jardim com 175 m2. 177.000,00 € T. 964 160 608.

Loja design gráfico e impressões digitais em Viseu, com funcionamento á mais de 5 anos. T. 962 323 433

Moradia Geminada – A 5 min. do Centro Nova!. Com 2 quartos + 2 suites, roupeiros embutidos, 2 wc´s completos, 2 wc´s privativos + 2 serviços, cozinha c/ copa e lareira. Aquecimento central e som ambiente. Garagem fechada e terreno com área de 1.050 m2. T. 926 340 312 ou 919 255 516

VENDE-SE

Moradia Banda – Zona de Gumirães Muito bom estado! C/ 4 quartos, 4 wc´s, 4 roupeiros embutidos, cozinha com móveis, despensa, 2 lareiras, pré-instalação de ar condicionado e painéis solares. Churrasqueira e forno. Garagem e quintal. 140.000,00€. T 964 160 608 Moradia Isolada – Pertinho da Cidade Tipologia T3, 3 wc´s, roupeiros embutidos, escritório, cozinha equipada, despensa. Aquecimento central a gasóleo e a lenha, arrumos, lavandaria, garagem fechada p 4 carros, quintal com área de 800 m2. Bom preço. T. 926 340 312 ou 919 255 516. Moradia p/ reconstrução – Zona de Fragosela. Moradia toda em pedra para recuperar, com área coberta de 150 m2 e área descoberta de 70 m2. 50.000,00€ T. 964 160 608 T3 (Abraveses). Lareira na sala,cozinha c/ moveis e esquentador e frigorifico, Garagem fechada. 85.000,00€ T. 232 410 390 / 962 376 769 Quintinha Casa em pedra p/ reconstrução. Àrea descoberta:1.812 m2. Excelente preço. 232 410390/962376769

MOTOS VENDE-SE

Yamaha TZR 125, 1995. Urgente. T. 968 553 269

AUTOMÓVEIS

KTM 520 SX, 2003 + Kit super motar. Urgente. T. 968 553 269

EMPREGO

Mazda 3 1.4 Gasolina, 13.250€, 26.000 KM, 2006-03, cinza, Ar condicionado automático, ABS, Rádio de CDS. JLL T. 918 717 919

OFERTA Recruta-se Técnico Comercial de preferência com experiência na àrea da construção. Envie Curriculum Vitae p/ mail: secretariado@termequip.pt T. 232 414 807

Alfa Romeo 147 1.9Mjet 140cv, 105000Km, 2003, 5P, estado novo T. 962615858

Empresa em Viseu admite para abertura de 2 novos escritórios 11 pessoas (M/F) em regime de Full-Time

Escritório no centro da cidade, 275€ T. 232. 098. 416 / 960.050.949

- Idade min. 18 anos; - Apresentação cuidada;

T2 mobilado(centro da cidade) 400,00€ T. 232 410 390 / 962 376 769 Armazém Àrea coberta:600 m2. Àrea descoberta:600 m2. Entrada para carros pesados. 1.500,00€ T. 232 410 390 / 962 376 769 Escritório. Perto do tribunal. 250,00€ T. 232 410 390 / 962 376 769

IMOBILIÁRIO TRESPASSA-SE

Tasca na zona histórica - Viseu. Todo Equipado. Renda barata. Bom negócio. T. 916 132 542 Publicidade

Senhora com experiência para tratar de pessoa idosa em Viseu. T. 937 034 087 Professor licenciado dá explicações de história e português. T. 232 448 357 / 933 945 417 Procuro trabalho p/ secretariado e recepção / área comercial (lojas). T. 966 852 198 Ofereço-me para fazer limpezas, cuidar de crianças, passar a ferro. Zona de Marzovelos. T. 912 040 905

- Ambicioso e dinâmico com forte responsabilidade

Procuro trabalho área administrativa/ educativa. Urgente. T. 967 167 957

Oferecemos:

DIVERSOS

-Bom ambiente de trabalho

-Real possibilidade de progressão de carreira

Interessados ligar o nº

232098877

E-mail: rh_vencerdesafios@sapo.pt

2 Escritórios com Wc, 300€. T. 232. 098. 416 / 960.050.949 T3. Garagem fechada. 350,00€ T. 232 410 390/962 376 769

Procuro trabalho como empregada doméstica. T. 961 153 601

Senhora c/ carta de condução e referências, ½ idade, procura trabalho de manhã, interior casas ou outro. T. 232 188 179

Requisitos:

ARRENDA-SE

Apartamento T2, com cozinha Equipada em Abraveses, 300€. T. 232. 098. 416 / 960.050.949

EMPREGO PROCURA

VW Caddy 2.0 SDI Extra Comercial, 2005, 270.000Km - 8.000€ T. 964034940

-Entrada imediata IMOBILIÁRIO

Oportunidade de Negócio -Viseu. Ramo de Serviços. Possibilidade de Apoio – IEFP T. 968 623 714

Cede-se Loja Loja decorada do ramo moda/vestuário, localizada no centro de Viseu Contactos: 965 306 328 / 961 889 076

Venda e aplicação de resguardos de salas de banho, cabines de hidromassagem, jacuzzi e saunas. T. 962 600 648 Precisa de dinheiro? Resp. e análise prévia 24h. mesmo c/ problemas bancários crédito pessoal e consolidado. Facilidade na documentação. T. 966 880 074 / 964 096 958 Publicidade

Moradia geminada no Viso Sul num gaveto, exposta p/ Sudeste, c/ 5 quartos, 2 deles c/ casa de banho privativa e hidromassagens + 3 casas de banho, 1 salão de festas c/ espaço de cozinha e bar + 2 salas + 1 sala de leitura, 1 escritório, 2 despensas, 1 lavandaria, 1 forno, 1 churrasqueira, 1 cozinha - copa c/ 34m2 e lareiras. Terreno agrícola e de jardim. Garagem p/ 4 carros e 3 arrumos. T. 918 443 707 / 917 776 169 / 232 423 528


22

necrologia

Jornal do Centro 12 | Março | 2010

/institucionais

Plínio dos Santos Batista, 78 anos. Natural e residente em Vila Seca, Armamar. O funeral realizou-se no dia 11 de Março, pelas 16.30 horas, para o cemitÊrio de Vila Seca.

JosÊ Rebelo da Silva, 73 anos, casado. Natural de Cambres, Lamego e residente em Lugar da Mata, Barreiros, Viseu. O funeral realizou-se no dia 5 de Março, pelas 15.00 horas, para o cemitÊrio de Barreiros.

Olinda de Jesus, 82 anos, viúva. Natural e residente no Campo. O funeral realizou-se no dia 5 de Março, pelas 15.30 horas, para o cemitÊrio local.

AgĂŞncia FunerĂĄria Igreja Armamar Tel. 254 855 231

Maria de Jesus Gomes, 96 anos, viúva. Natural de Såtão e residente em Barreiros, Viseu. O funeral realizou-se no dia 8 de Março, pelas 15.00 horas, para o cemitÊrio de Barreiros.

Maria do Rosårio Lopes Peres Coelho, 72 anos, casada. Natural e residente em Ranhados. O funeral realizou-se no dia 7 de Março, pelas 15.30 horas, para o cemitÊrio velho de Ranhados.

Fortunato de Carvalho, 86 anos, casado. Natural de Såtão e residente em Pedrosas, Såtão. O funeral realizou-se no dia 8 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitÊrio de Såtão.

Maria do Couto Esteves, 81 anos, casada. Natural de Rio de Loba e residente em Travassós de Cima. O funeral realizou-se no dia 11 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitÊrio novo de Rio de Loba.

Jesuina Carvalho Amaral Abrunhosa, 77 anos, casada. Natural de Abrunhosa-a-Velha e residente em Mangualde. O funeral realizou-se no dia 6 de Março, pelas 15.30 horas, para o cemitÊrio de Mangualde. Agência Funeråria Ferraz & Alfredo Mangualde Tel. 232 613 652

Amaro Rosa, 75 anos, casado. Natural e residente em Destriz, Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 4 de Março, pelas 16.15 horas, para o cemitÊrio de Destriz. Ricardo Miguel Almeida Rodrigues, 31 anos, solteiro. Natural e residente em S. Vicente de Lafþes, Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 9 de Março, pelas 15.30 horas, para o cemitÊrio de S. Vicente de Lafþes. Laurinda Marques, 77 anos, viúva. Natural e residente em Paços de Vilharigues, Vouzela. O funeral realizou-se no dia 11 de Março, pelas 11.00 horas, para o cemitÊrio de Paços de Vilharigues. Palmira Gonçalves da Silva, 91 anos, viúva. Natural e residente em Sejães, Oliveira de Frades. O funeral realizou-se no dia 11 de Março, pelas 15.30 horas, para o cemitÊrio de Sejães. Agência Funeråria Figueiredo & Filhos, Lda. Oliveira de Frades Tel. 232 761 252

AgĂŞncia FunerĂĄria SĂĄtĂŁo SĂĄtĂŁo Tel. 232 981 503

AgĂŞncia FunerĂĄria Decorativa Viseense, Lda. Viseu Tel. 232 423 131

Manuel de Figueiredo Martins, 70 anos, viúvo. Natural e residente em Figueiredo de Alva, S. Pedro do Sul. O funeral realizou-se no dia 6 de Março, pelas 9.30 horas, para o cemitÊrio de Figueiredo de Alva. Francelina da Conceição Correia de Almeida, 76 anos, viúva. Natural de Ladreda, Figueiredo de Alva e residente em Alva, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 6 de Março, pelas 14.30 horas, para o cemitÊrio de Figueiredo de Alva. Agência Funeråria Loureiro de Lafþes, Lda. S. Pedro do Sul Tel. 232 711 927

António de Oliveira Pinto, 41 anos, casado. Natural de Vila Nova, Campo e residente em Orgens, Viseu. O funeral realizou-se no dia 6 de Março, pelas 15.30 hras, para o cemitÊrio de Campo. Inocência Lopes, 92 anos, viúva. Natural de Moselos, Campo e residente em Travanca de Bodiosa, Viseu. O funeral realizou-se no dia 7 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitÊrio de Bodiosa. JosÊ Maria Ferreira, 80 anos, viúvo. Natural e residente em Sanguinhêdo de Maças, Lordosa, Viseu. O funeral realizou-se no dia 8 de Março, pelas 15.00 horas, para o cemitÊrio de Lordosa.

Virgínia de Almeida, 94 anos, viúva. Natural e residente em Ventosa, Vouzela. O funeral realizou-se no dia 6 de Março, pelas 10.00 horas, para o cemitÊrio de Ventosa.

AgĂŞncia HorĂĄcio Carmo & Santos, Lda. Vilar do Monte, Viseu Tel. 232 911 251

AgĂŞncia FunerĂĄria Fernandes Correia & Filhos, Lda. Oliveira de Frades Tel. 232 761 610

Ilda de Jesus Soares de Almeida Duque, 88 anos, viúva. Natural de Faro e residente em Viseu. O funeral realizou-se no dia 4 de Março, pelas 16.00 horas, para o cemitÊrio velho de Viseu.

7ULEXQDO-XGLFLDOGH2OLYHLUDGH)UDGHV 6HFomRĂ’QLFD

5XD$QWyQLR-RVpGH$OPHLGD2OLYHLUDGH)UDGHV 7HOHI)D[0DLORIUDGHVWF#WULEXQDLVRUJSW

3URFHVVR&RPXP 7ULEXQDO &ROHFWLYR

3URFHVVR*$2)5

15HIHUrQFLD

$1Ă’1&,2

2ÂŞ Publicação $00Â?-XL]GH'LUHLWR'UD&DWDULQD/HDQGUR9DVFRQFHORVGD6HFomRĂ’QLFD7ULEXQDO -XGLFLDOGH2OLYHLUDGH)UDGHV )D]VDEHUTXHQR3URFHVVR&RPXP 7ULEXQDO&ROHFWLYR Qž*$2)5SHQGHQWH QHVWH7ULEXQDOFRQWUDR D DUJXLGR D &OiXGLR)HUUHLUD0DUWLQVILOKRGH)HUQDQGRGD6LOYD 0DUWLQVHGH*UDFLQGD)HUUHLUD0DUWLQVQDWXUDOGHĂˆIULFDGR6XOQDFLRQDOGH3RUWXJDO QDVFLGRHPHVWDGRFLYLO6ROWHLUR1,)%,FRP~OWLPR GRPLFtOLR)HUUHLURV6mR9LFHQWHGH/DI}HV2OLYHLUDGH)UDGHVRTXDOIRL FRQGHQDGRSRUDFyUGmRGHWUDQVLWDGRHPMXOJDGRHPSHODSUiWLFD GRVHJXLQWHFULPH FULPHGH7UiILFRGHHVWXSHIDFLHQWHVDJUDYDGRSSSHORDUWžžQžHžDOE F H M GR'HF/HLQžGHGH-DQHLURSUDWLFDGRHPQDSHQDGHGHFLQFR DQRVHVHLVPHVHVGHSULVmR IRLGHFODUDGR D &21780$=QRVWHUPRVGRGLVSRVWRQRDUWžžGR&33HQDO 0DLVGHYHVHUQRWLILFDGRGHTXHWDOGHFODUDomRSURGX]RVVHJXLQWHVHIHLWRV 6XVSHQVmRGRVWHUPRVXOWHULRUHVGRSURFHVVRDWpjDSUHVHQWDomRRXGHWHQomRGR DUJXLGR VHP SUHMXt]R GD UHDOL]DomR GH DFWRV XUJHQWHV QRV WHUPRV GR DUWž ž GR & 3 3HQDO  $QXODELOLGDGH GRV QHJyFLRV MXUtGLFRV GH QDWXUH]D SDWULPRQLDO FHOHEUDGRV SHOR DUJXLGRDSyVHVWDGHFODUDomR 3URLELomRGHREWHUTXDLVTXHUGRFXPHQWRV ELOKHWHGHLGHQWLGDGHFDUWDGHFRQGXomR SDVVDSRUWHHVXDVUHQRYDo}HV FHUWLG}HVRXUHJLVWRVMXQWRGHDXWRULGDGHVS~EOLFDV  2 DUUHVWR GH WRGDV DV FRQWDV EDQFiULDV GR DUJXLGR HP LQVWLWXLo}HV ILQDQFHLUDV D RSHUDUHP3RUWXJDOQRVWHUPRVGRGLVSRVWRQRDUWžžQžGRUHIHULGRGLSORPDOHJDO 2OLYHLUDGH)UDGHV 2$-XL]GH'LUHLWR

'U D &DWDULQD/HDQGUR9DVFRQFHORV 2$(VFULYmR$GMXQWR

,VDEHO$OPHLGD (Jornal do Centro - N.Âş 417 de 12.03.2010)

Publicidade

2ª Publicação

(Jornal do Centro - N.Âş 417 de 12.03.2010)


Jornal do Centro

clubedoleitor CARTA DA SEMANA

23

DEscreva-nos para:

12 | Março | 2010

Jornal do Centro - Clube do Leitor, Bairro S. João da Carreira, Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lt 10, r/c . 3500 -187 Viseu. Ou então use o email: redaccao@jornaldocentro.pt As cartas, fotos ou artigos remetidos a esta secção, incluindo as enviadas por e-mail, devem vir identificadas com o nome e contacto do autor. O semanário Jornal do Centro reserva-se o direito de seleccionar e eventualmente reduzir os originais. Não se devolvem os originais dos textos, nem fotos.

A dignidade da mulher Há uns dias, à noite, tive vontade de usufruir de uns momentos de recolhimento espiritual com Deus numa igreja, apesar de bem saber que o Altíssimo é omnipresente. Mas logo me lembrei que, à noite, as igrejas não se encontram abertas aos seus fieis. Recordei-me, então, da minha última viagem a Espanha, onde, na cidade de León, entre outros monumentos, visitei a “Real Colegiata Basílica de San Isidoro”, construída durante os séculos XI e XII, considerada a primeira das sete maravilhas do Românico Espanhol.

rQuão extraordinário e

Em duas noites, estive a rezar na “Real Basílica de San Isidoro”, entre as 23:00 e as 24:00, no regresso ao hotel, depois do jantar. Na verdade, esta Basílica goza do privilégio imemorial de exposição permanente do Santíssimo Sacramento. A “Adoração Nocturna Masculina da Diocese de León” e a “Adoração Nocturna Feminina da Diocese de León”, que são partes integrantes da “Adoração Nocturna Espanhola”, confraria canonicamente agregada à “Arquiconfraria da Adoração Nocturna do Santíssimo Sacramento de

belo é existir uma igreja aberta 24 horas por dia”

Roma”, é composta por homens e mulheres – oradores, que se dividem em turnos que, durante a noite, em congregação espiritual, adoram e velam Jesus Cristo sacramentado.

GENTE DA NOSSA TERRA > JAIME DIAS, 74 ANOS, Electricista reformado

José Lorena

Memórias do SUD E XPRESS. Entre milhares de emigrantes portugueses que em meados do século XX utilizaram o comboio SUD EXPRESS para rumarem ao centro da Europa em busca de melhores condições de vida conta-se Jaime Dias, um electricista reformado de 74 anos e habitante em Gumirães (Viseu). Após um período de depressão em Portugal, nos anos 60, conseguiu trabalho na Alemanha. Sempre utilizou o mais antigo comboio europeu - o SUD EXPRESS para se deslocar e dele guarda recordações “imensas”. “Era um luxo aquele comboio”, diz Jaime Dias, ele mesmo um apaixonado por comboios, ou não fosse filho

Não pude deixar de sentir o quão extraordinário e belo é existir uma igreja aberta 24 horas por dia, sem nunca fechar as portas aos seus fieis, permitindo-lhes a verdadeira comunhão com Deus a qualquer hora do dia ou da noite. Seria tão bom se existissem mais igrejas assim, onde, a qualquer hora do dia ou da noite, pudéssemos ir buscar alimento espiritual! Assim deveria ser. Não deve a casa do Pai ter as portas sempre abertas para os seus filhos? Isabel Gomes da Costa

CANTINHODOANIMAL | ADOPÇÕES

de um antigo ferroviário de Viseu. Da antiga composição, renovada no incício deste mês com novas carruagens, recorda, por exemplo, a história de um contrabandista. “O homem levava no comboio as malas cheias de produtos portugueses para os emigrantes e se fosse apanhado em França, na gare de Austerlitz, seria um problema”, conta. Mas Jaime Dias resolveulhe o problema: trocou com ele as malas, uma vez que, como emigrante “encartado”, não teria problemas de as passar. O pacato electricista reformado lembra o antigo SUD, mas diz que “até gostava de andar nas novas carruagens”.

CANTINHO DOS ANIMAIS ABANDONADOS DE VISEU • RIO DE LOBA • 232 449 934

A Boneca tem três anos e é uma rafeira extremamente afável, ideal para lidar com crianças. Está vacinada, desparasitada e esterilizada.

FOTO-DENÚNCIA

Esta rubrica está aberta à participação dos leitores. Submeta a sua denúncia para redaccao@jornaldocentro.pt

Obras irritantes. Viseu está cheia de obras que nunca mais acabam e que devem ser denunciadas. Um dos casos mais graves é o da entrada na cidade pela EN 229 - a estrada de Sátão. O presidente da Câmara de Viseu prometeu na rádio que o alargamento da via estaria pronto a 15 de Janeiro passado e nada. É irritante o atraso! Para além do desgaste intenso das viaturas que por ali passam, há moradores das proximidades que há muito gastam o dobro e o triplo em combustível pelas “voltas” que dão. Pedro Palmeiro | Viseu

O Becas é um macho com cerca de oito meses, arraçado de caniche. Ideal para apartamento, o Becas encontra-se vacinado e desparasitado.

A Raposinha é uma cadela rafeira, com cerca de oito meses e que foi abandonada à porta do Cantinho de Viseu. Muito meiga e com grande afinidade com o ser humano, esta cadela está vacinada, esterilizada e desparasitada.


tempo: sol

JORNAL DO CENTRO 12 | MARÇO | 2010

Hoje, dia 12 de Março, sol. Temperatura máxima de 8ºC e mínima de 2ºC. Amanhã, dia 13 de Março, sol. Temperatura máxima de 9ºC e mínima de 2ºC. Domingo, dia 14 de Março, sol. Temperatura máxima de 9ºC e mínima de 3ºC. Segunda, dia 15 de Março, parcialmente nublado. Temperatura máxima de 11ºC e mínima de 4ºC.

Impresso em papel que incorpora 30 por cento de fibra reciclada, com tinta ecológica de base vegetal

Olho de Gato

agenda

http://twitter.com/olhodegato

Sexta, 12

∑ O NB Club Viseu, em parceria com a produtora de moda DC Fashion, promove um desfile de moda, à 1h30, no espaço discoteca. ∑ A Escola Superior de Saúde do Instituto Piaget e o Centro de Sangue de Coimbra realizam uma colheita de sangue junto da comunidade do Campus Piaget de Viseu, entre as 9h00 e as 18h00.

Sábado, 13 Lamego

∑ Conferência “Do Ducado de Viseu ao Condado de Tarouca”, com o professor João Silva de Sousa, no Museu de Lamego, às 15h30.

Domingo, 14 Mangualde

∑ A Rede Social local promove a acção de sensibilização “Idosos em Segurança”, na Junta de Freguesia de Mesquitela, às 15h00. Publicidade

Emília Amaral

Viseu Joaquim Alexandre Rodrigues joaquim.alexandre.rodrigues@netvisao.pt

A Iniciativa faz parte do projecto Andebol 4 All que em breve chega às prisões

Andebol em cadeira de rodas Acção∑ Viseu recebeu a 3ª Acção Nacional de Formação Perto de 80 atletas participaram, na quartafeira, em duas acções de formação de Andebol em cadeira de rodas, na Escola EB 2,3 Infante D. Henrique. A 3ª Acção Nacional de Formação de Andebol em Cadeira de Rodas é uma iniciativa da Federação de

Andebol Português, através do projecto “Andebol 4 All”. Além das acções de formação, o projecto prepara-se para arrancar com acções de Andebol para reclusos, o Andebol para deficientes auditivos e Andebol para a deficiência intelectual. Com esta aposta, o gru-

po de trabalho do projecto, liderado pelo viseense, Joaquim Escada “pretende que a vertente se possa tornar rapidamente uma modalidade de Paralímpicos” e que “a modalidade possa chegar a todos”. Emília Amaral

RI 14 comemora Dia da Unidade O Regimento de Infantaria 14 (RI14), de Viseu, comemora, no próximo dia 19, mais um Dia da Unidade e, tal como já vem sendo hábito, são várias as iniciativas agendadas para comemorar a efeméride. Assim, já no dia 13 o RI14 recebe um torneio de bridge, aberto a toda a comunidade. Ainda no dia 13 inicia-se o sétimo encontro de pintura, que se prolonga até ao dia seguinte. As obras

resultantes deste encontro poderão ser apreciadas numa exposição que estará patente, entre os dias 15 e 29 de Março, no Palácio do Gelo. Dia 14 as ruas de Viseu recebem uma prova de atletismo, que tem início junto da Estátua de Viriato, terminando com a chegada dos atletas ao quartel. Para dia 16 está agendada uma palestra sobre as guerras peninsulares, que

terá lugar na Aula Magna do IPV. Já no dia 18 o Teatro Viriato recebe a Banda Sinfónica do Exército, num concerto que envolve 90 elementos. No último dia de comemorações, dia 20, o RI14 abre as suas portas à população, convidando todos a conhecer o quartel. Prometida está uma manhã em cheio, que terminará com o habitual “rancho melhorado”.

O estado 1. O sismo de 27 de Fevereiro atingiu fortemente Concepción, uma cidade chilena de quase um milhão de pessoas. Seguiram-se vários dias terríveis de pilhagens e vandalismo que levaram à formação de milícias e a episódios de justiça sumária. Quando foi possível mandar o exército em força para a região, decretou-se um severo recolher obrigatório de 18 horas. Estes factos graves passados agora no Chile repetem-se sempre em iguais circunstâncias em todas as latitudes e longitudes. Fazem parte daquilo a que se costuma chamar a “natureza humana”. A ordem que faz funcionar as nossas sociedades não é uma ordem natural, é um verniz muito fino e que começa a estalar logo às primeiras adversidades. Como há muito tempo nos dizem a religião, a literatura e a ciência, para nos podermos amar uns aos outros tem que haver um “acima de nós” que tal nos imponha. Esse “acima de nós” é

o estado. E, quanto mais fraco estiver o estado, mais dificuldade teremos em nos amarmos uns aos outros. 2. Foi lançado em Londres o livro “The end of the party”, de Andrew Rawnsley, onde se revela que, por causa da guerra do Iraque, Tony Blair sofreu um acentuado declínio psicológico e físico, e que esteve à beira da depressão. Pensou, até, em demitir-se na primavera de 2004. À semelhança do que se passa com as pessoas, a guerra do Iraque mostrou que também para os estados se poderem amar uns aos outros é preciso um “acima deles” capaz de os obrigar a isso. Esse “acima dos estados” chama-se globalização. As instituições internacionais “acima dos estados” têm-se solidificado e vão ter um papel cada vez mais activo. Já há, até, algum direito penal internacional, embora só para os vencidos. É só por isso que Bush e Blair se safam do banco dos réus. E é pena.

Jornal do Centro - Ed417  

Jornal do Centro - Ed417

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you