Issuu on Google+

Publicidade Publicidade

UM JORNAL COMPLETO pág. 02 pág. 06 pág. 08 pág. 10 pág. 12 pág. 16 pág. 17 pág. 19 pág. 23 pág. 25 pág. 27 pág. 29 pág. 31

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > ELEIÇÕES > À CONVERSA > REGIÃO > NEGÓCIOS > DESPORTO > CULTURAS > TV > SAÚDE > EMPREGO > IMOBILIÁRIO > NECROLOGIA

DIRECTORA

Emília Amaral

Semanário 20 de Outubro de 2009 Sexta-feira Ano 8 N.º 401

0,75 Euro (IVA 5% incluído)

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

|Telefone:232437461·Fax:232431225·BairroS.JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

Crime violento em Fagilde ∑ A Jovem estudante do Instituto Politécnico de Viseu foi encontrada morta com um saco na cabeça dentro de um carro lançado à barragem, na madrugada de quarta-feira | página 12

Mangualde Citroën inicia formação em Dezembro para produzir novo modelo página 14

Saúde Associação da Espondilite prepara-se para construir piscina terapêutica página 25

Sátão III edição da Feira do Míscaro promete este domingo

Emília Amaral

última

Ralis e TT Dois pilotos de Viseu prestes a consagrarem-se campeões nacionais

“Quem perdeu as cinco câmaras [em Viseu], foram as pessoas que se apresentaram às eleições”

Publicidade

do PSD na Câmara de Tondela, à conversa | páginas 8 e 9

Passatempos Nuno Ferreira

∑ Marina Leitão, ex-vereadora

página 17

O Jornal do Centro, oferece convites duplos para a Expocasamento, dia 21 e 22 de Novembro. Ligue 232 437 461 e reserve o seu. Convites limitados.


2

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

praçapública palavras

deles

rÉ com o envolvimento da comunidade que se garante a sustentabilidade dos equipamentos”

rQueremos afirmar com clareza que o combate à crise não é resolvido apenas pelos governos centrais e que, não há sucesso, se não se envolver o poder local” Fernando Ruas Presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses e da Câmara de Viseu (A propósito do IV Fórum Ibero-Americano de Governo Locais, Lusa, 18 de Novembro)

António Pimentel Director do Museu Grão Vasco (Apresentação da programação de Natal no Museu, Diário de Viseu, 18 de Novembro)

rMuitas vezes não conseguimos criar notoriedade aos vinhos, porque a nossa rede de distribuição infelizmente não chega a todo o lado” Fernando Figueiredo Presidente da União Demarcada das Adegas Cooperativas do Dão (UDACA) (Rádio Noar, 16 de Novembro)

rFace a tanta informação que o deputado Almeida Henriques (PSD) está a trazer para a opinião pública, parece-nos que está com uma hiperactividade” Acácio Pinto Deputado do Partido Socialista (Rádio Noar, 16 de Novembro)

Cartas

Mais “um grito da voz que clama” Sabemos todos que o globo terrestre está a sofrer alterações verdadeiramente preocupantes e altamente perigosas, para o equilíbrio de todos os ecossistemas existentes. Dizem os cientistas que, daqui a 20 anos (eu, por certo, já cá não estarei), a calote gelada do Pólo Norte terá desaparecido. As consequências desse desastre são fáceis de prever. Todavia, mesmo perante tão negro quadro, os homens (os que detêm o poder, talvez por ganância) não se apressam a tomar medidas que travem e levem à mudança, para melhor, deste assustador estado de coisas. Não se reduzem (ou anulam) as emissões poluentes para a atmosfera, para os cursos de água e para o solo. Não se acelera a substituição das centrais térmicas de electricidade, por meios de produção

Registos

Fernando José Ribas de Sousa Juiz de Direito – Jubilado

Blogosfera

Desabafo a ver futebol

dessa energia usando as fontes renováveis do sol, do vento, da água e de algumas outras que não conspurcam o nosso pobre (se não mesmo, desgraçado) Planeta e não se trava a destruição das florestas da Amazónia e de outros importantes lugares da Terra. E o “regabofe” continua! O que importa é ter lucros, quanto maiores... melhor! Por isso, enquanto tiver inteligência e dedos para escrever, eu, até sabendo que não passo dum minúsculo grão, na imensidade da areia do deserto (já não por mim, mas pelos mais novos e pelos que hão-de vir), continuarei a lançar estes gritos de desespero e alerta. Pode ser que haja alguém de bom senso e boa fé que escute e faça o que eu não sei, nem posso, fazer. Assim seja!

Já passou quase um mês desde que o novo Governo entrou em funções e pouco menos desde que os novos deputados ocupam as suas cadeiras na Assembleia da República. O desinteresse dos cidadãos e o desânimo em relação à política ficou expresso nas abstenções que se registaram nas últimas eleições. Ninguém aprofunda muito o tema – se calhar não interessa, nem mesmo às televisões – mas é um dado muito preocupante. Voltando aos novos governantes, o que acabo de escrever sobre a abstenção tem tudo a ver. O trabalho desenvolvido em um mês é tão pouco, tão desinteressante, que leva os portugueses a alhearemse completamente. Volta a discussão medíocre entre professores e ministra onde ninguém fica bem, porque se a antiga ministra cometeu erros todos sabemos que o que os professores não querem é ser avaliados. Voltam as escutas para, já se percebeu, chegarem ao fim e não se encontrarem culpados, volta o futebol num país que tem o melhor jogador do mundo mas “humilha-se” a um Play-off, voltam os deputados de Viseu [PSD] a defenderem uma universidade quando não há alunos para a dinamizar e o distrito está a precisar de uma oposição à altura. Volta tudo o que menos interessante e novo, nada.

José Calema

Manuel João Costa

Continuamos, nestes registos, a enunciar as prioridades, que se nos afiguram mais importantes para o quadriénio 2010/2014: 6- Mudar, para local amplo e fora da cidade, a estação de camionagem, com estacionamento para táxis e carros particulares, constituindo uma interface com a estação do caminho-de-ferro. 7- Impedir qualquer alteração da Avenida Alberto Sampaio, repudiando ideias abstrusas dos arquitectos. Continuará a ser a mais importante avenida da cidade, só necessitando do estreitamento do passeio, ao fundo, colocando os carros entre as árvores, como se fez na Avenida Capitão Silva Pereira. 8- Substituir o pavimento do Largo Mouzinho de Albuquerque, mudando a paragem dos transportes urbanos para a fachada da igreja de Santo António, onde param os autocarros das carreiras sub-urbanas.

9- Colocar faixas vermelhas antes das passadeiras para peões. 10- Diligenciar pelo arranjo da fachada da Igreja da Rua Serpa Pinto. 11- Colocar árvores onde faltam (umas 10 na Avenida da Europa), aprumar as que estão tortas e substitui as que não podem endireitar-se. 12- Criar uma orquestra ligeira municipal, para actuações no concelho ou fora dele, quando requisitada, eventualmente remunerada e constituída por músicos recrutados nas bandas do concelho e de outros limítrofes, com remuneração adequada e pagamento eventual do transporte (ou combustível), para os ensaios e exibições. 13- Criação, em Viseu, da sede dos Jogos Desportivos Escolares para alunos do ensino Secundário e Superior com mais de 18 anos, com a realização, anual, das finais, depois do apuramento, sucessivo, durante o ano, dos ven-

A rua mais escura de Viseu Fica situada, em Jugueiros, e confina com o Politécnico, vai desde a rotunda de Jugueiros até à zona dos bares. Se passarem à noite, podem ver que as árvores impedem que a luz projectada pelos velhos e fracos candeeiros iluminem a via. É uma situação a rever por quem de direito. http://atentoviseu.blogspot.com

Arouca 1 x 0 Academico de Viseu FC Penalti inexistente para o Arouca, dá a vitória à equipa da casa. Começaram as arbitragens vergonhosas. Parabéns ao senhor árbitro por ter oferecido a vitória ao Arouca. Bom jogo do Académico de Viseu, que podia ter saído com outro resultado. Joao Monteiro http://a-magia-do-futebol.blogspot.com

cedores individuais e por equipas, nos concelhos e nos distritos, nas modalidades e escalões determinados. As finais compreenderiam as cerimónias de abertura e de encerramento no Estádio do Fontelo, e competição dos melhores em atletismo. Nas modalidades, confrontações entre as quatro melhores equipas. Temos uma boa pista pare atletismo e diversos pavilhões espalhados pela cidade (do Colégio da Via-Sacra, do Inatel, da Escola Secundária Alves Martins e outros que se venham a construir, mas falta um grande pavilhão para a realização dos encontros finais, que, não esqueçamos, serão a nível nacional. E agora Senhor Presidente da Câmara, consciente que outras prioridades serão supridas pelo conhecimento e traquejo de V. Ex.ª., ficamos aguardando quatro anos, se a vida nos permitir fazer o balanço.


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 3

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

Foto da semana

DR

O café Mata do Fontelo, em Viseu, sofreu mais uma tentativa de assalto durante a noite de segunda para terça-feira. Os suspeitos desapertaram uma grade de segurança, usaram-na para partir o vidro duplo de uma janela, mas por razões ainda desconhecidas, acabaram por não entrar no estabelecimento. “O alarme teria disparado se o tivessem feito”, esclarece o proprietário Em quatro anos e meio, o café Mata do Fontelo foi assaltado quatro vezes.

Importa-se de responder?

Ana Paula Amaral Gestora de clientes

Helena Silva Administrativa

F editorial

Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Pensa vacinar os seus filhos contra a gripe A? Não. A vacina ainda não foi devidamente testada. Por outro lado, coincide com a vacina dos 18 meses da minha filha, da facultativa “prevenar” e tenho receio da mistura.

Estou indecisa. Tenho um filho com problemas respiratórios e o pneumologista aconselhou a vacinar, mas o pediatra tem opinião contrária. Tenho que consultar pelo menos outro médico para tomar uma decisão.

Fernando Figueiredo Empresário

João Sousa Professor

Neste momento a minha resposta é não. Mas posso vir a mudar de ideia. Tenho que avaliar melhor as vantagens e desvantagens. Acho que ainda ninguém sabe muito bem quais os efeitos secundários.

Estou cheio de dúvidas, por um lado, quanto à eficácia da vacina e, por outro, em relação à sua necessidade quando também se afirma que a Gripe A não é mais perigosa que a gripe sazonal.

O défice de actuação da sociedade civil A ex-vereadora do PSD na Câmara de Tondela, Marina Leitão que durante 20 anos assumiu a vida autárquica, começa a entrevista concedida esta semana ao Jornal do Centro e à Rádio Noar, da mesma maneira que termina a conversa: a falar de pessoas. Sente a falta delas desde que deixou de assumir funções de vereadora e, talvez por isso, vai agora ao encontro de um outro projecto que lhe permite rodear-se de pessoas descomprometidas (voluntárias) a contribuírem para o Banco Alimentar Contra a Fome de Viseu. Marina Leitão acrescenta que o país

está “enfermo de uma actuação da sociedade civil com dinamismo”. É uma análise interessante de quem está atento, porque o país anda de tal maneira mergulhado em casulos de áreas que já cansam qualquer português e esquece-se de incentivar a população a ser mais participativa nos problemas sociais. Talvez se isso estivesse a acontecer o número de assaltos e crimes violentos em Portugal abrandasse e a pobreza envergonhada pudesse ser resolvida de uma forma mais eficaz. A semana foi negra para o país que ficou

a saber do aumento de desemprego no último trimestre. Os dados só por si já instalam o pânico nas pessoas, mas há mais um dado que o Instituto Nacional de Estatística não contabiliza: o número de pessoas que já desistiram de procurar trabalho e aí entronca o tal desânimo de que fala Marina Leitão e que é urgente contrariar. Felizmente vão surgindo sinais positivos e um deles é o anúncio da administração da Citroën de Mangualde, de que em Dezembro vai arrancar a formação, para em 2010 os seus colaboradores estarem a montar o novo modelo da marca.


4 PRAÇA PÚBLICA | OPINIÃO

Jornal do Centro

Emília Amaral C.P. n.º 3955 emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Redacção (redaccao@jornaldocentro.pt) Ana Filipa Rodrigues, C.P. n.º 8673 ana.rodrigues@jornaldocentro.pt

Gil Peres, C.P. n.º 7571 gil.peres@jornaldocentro.pt

Tiago Pereira (estagiário)

Departamento Comercial comercial@jornaldocentro.pt

Directora: Catarina Fonte catarina.fonte@jornaldocentro.pt

Ana Paula Duarte ana.duarte@jornaldocentro.pt

Departamento Gráfico Marcos Rebelo marcos.rebelo@jornaldocentro.pt

Projecto Gráfico

há um ano

ministro sobre universidade empresarial Há um ano, a Associação Empresarial da Região de Viseu (AIRV) anunciou que estava liderar um projecto para a criação da universidade empresarial das beiras. O modelo surgiu a partir da necessidade de uma “ligação efectiva e funcional das empresas ao ensino superior”. Durante a apresentação, o presidente da AIRV, João Cotta, adiantou que a ideia já tinha sido proposta ao ministro do Ensino Superior, Mariano Gago. Durante um ano, mais nada se sou-

be. João Cotta explica que tudo continua em cima da mesa. Nesta altura está constituído um grupo de trabalho, liderado pelo professor da Escola Superior de Tecnologia de Viseu, Alfredo Simões, que continua a “desenvolver” a ideia. “O conceito mantém-se igual por acharmos que é um bom modelo para a região”, actualizou. De acordo com João Cotta, o grupo de trabalho irá apresentar novamente o projecto a Mariano Gago, no primeiro trimestre de 2010.

Publicidade

Directora

UM JORNAL COMPLETO pág. 02 pág. 06 pág. 08 pág. 10 pág. 12 pág. 13 pág. 14 pág. 17 pág. 20 pág. 25 pág. 27 pág. 28 pág. 31

Impréjornal, S.A. Rua Rodrigues Faria 103, 1300-501 Lisboa

Distribuição Vasp

Tiragem média 4.000 exemplares por edição

Sede e Redacção Bairro de S. João da Carreira Rua Dona Maria Gracinda Torres Vasconcelos, Lote 10 r/c 3500-187 Viseu Telefone 232 437 461 Fax 232 431 225

E-mail redaccao@jornaldocentro.pt

Internet www.jornaldocentro.pt

Propriedade O Centro–Produção e Edição de Conteúdos, Lda. Contribuinte Nº 505 994 666 Capital Social 114.500 Euros Detentores de mais de 10 por cento do Capital: Sojormedia SGPS, SA Depósito Legal Nº 44 731 - 91 Título registado no ICS sob o nº 100 512

Gerência Francisco Rebelo dos Santos, Ângela Gil e Pedro Costa

Departamento Financeiro Ângela Gil (Direcção), Catarina Branquinho, Celeste Pereira, Gabriela Alves, João Machado Patrícia Santos info@lenacomunicacao.pt

Departamento de Marketing Patrícia Duarte (Direcção), Susana Santos (Coordenação), Catarina Fonseca e Catarina Silva marketing@lenacomunicacao.pt

Departamento de Recursos Humanos Nuno Silva (Direcção) e Sónia Vieira drh@lenacomunicacao.pt

Departamento de Sistemas de Informação Tiago Fidalgo (Direcção) e Hugo Monteiro dsi@lenacomunicacao.pt

Unidade de Projectos Lúcia Silva (Direcção) e Joana Baptista (Coordenação) projectos@lenacomunicacao.pt

Os artigos de opinião publicados no Jornal do Centro são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. • O Jornal reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos enviados para a secção “Cartas ao Director”.

Semanário Sai às sextas-feiras Membro de: Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem

Associação Portuguesa de Imprensa União Portuguesa da Imprensa Regional

SEMANÁRIO DA

REGIÃO DE VISEU

Eleições em Nelas Ex-presidente da câmara José Correia candidato pelo Partido da Terra

Mangualde Fábrica da Citroën suspende produção durante 10 dias por falta de encomendas

página 24

Desemprego desce no distrito de Viseu desde 2005

∑ As mulheres são as mais

afectadas com a falta de trabalho | páginas 6 e 7

Opinião

A praxe e outros bolores da tradição académica Esteve bem o Presidente do Instituto Superior Politécnico de Viseu – Fernando Sebastião quando na passada semana proibiu as Praxes Académicas nos “edifícios e espaços envolventes das Escolas da Instituição”, conforme o Jornal do Centro aqui Alexandre Azevedo Pinto Economista fez destaque. Fê-lo, depois da alexazevedopintosapo.pt recomendação do Ministro do Ensino Superior no mesmo sentido. Mariano Gago tinha, até então, recebido cinco queixas graves de violência ocorrida durante Praxes Académicas em Instituições de Ensino Superior em todo o País. O ministro enviou quatro Parece delas para a Procuradoria-Geral evidente a da República. Parece evidente a natureza vionatureza violenta das lenta das Praxes. Ao longo dos últimos anos têm-se sucedido os Praxes” casos nas televisões e nos jornais. Abusos despóticos, arbitrariedades irresponsáveis, coacção javarda, apelo à mediocridade. A Praxe Académica, que hoje temos, é um sinal forte de um país ainda com laivos frequentemente medievais, atrasado no seu desenvolvimento, agarrado a um passado que já passou e que alguns procuram manter vivo, numa atitude saudosista, com tiques autoritários, lembrando um tempo que já não o é. A Praxe é uma estratégia de dominação, que em nome da suposta “integração” e da “tradição”, põe em prática os mais sádicos e repugnantes mecanismos de humilhação e autoritarismo, aonde a segregação é uma forma de afirmação, não permite descobrir as qualidades de cada um, mas antes, as reprime. É um ritual de iniciação que pretende instituir o estatuto do “universitário” como sendo de excepção, combinando o indivi-

(IVA 5% incluído)

Rebelo Marinho à conversa depois de ser eleito para o terceiro mandato à frente da Federação de Bombeiros do distrito de Viseu | páginas 8 e 9

sabina.figueiredo@jornaldocentro.pt

Impressão

0,75 Euro

“Há comandantes que não participam em reuniões das direcções há dois anos”

defrank@netcabo.pt

Sabina Figueiredo

Emília Amaral

Semanário 21 de Novembro de 2008 Sexta-feira Ano 7 N.º 349

|Telefone:232437461·Fax:232431225·BairroS.JoãodaCarreira,RuaDonaMariaGracindaTorresVasconcelos,Lt10,r/c.3500-187Viseu·redaccao@jornaldocentro.pt·www.jornaldocentro.pt|

defrank - Comunicação Editorial

Serviços Administrativos

DIRECTORA

> PRAÇA PÚBLICA > ABERTURA > À CONVERSA > VISEU > REGIÃO > EDUCAÇÃO > NEGÓCIOS > DESPORTO > CULTURAS > SAÚDE > EMPREGO > CLASSIFICADOS > NECROLOGIA

Publicidade

AIRV quer nova audiência com o

Publicidade

20 | Novembro | 2009

dualismo tacanho e egoísta com o atavismo primitivo e tributário da psicologia de rebanho. É uma “carneirada” que procura impor um modelo normalizador, de um estudante passivo, seguidista e acrítico, bem ao gosto da tecnocracia dominante. No fundo um modelo capaz de se reproduzir socialmente. A Praxe é conformista, apresenta a Universidade como uma série de dados adquiridos, aos quais os novos estudantes se devem submeter, com os seus rituais bem definidos. Irreverência e espírito crítico precisam-se, mas são raros hoje na Universidade. A Praxe persiste na sua função essencial de contenção e esvaziamento, ocupando o espaço deixado vazio por outras experiências que seriam desejáveis e mesmo necessárias. Parece-me claro que a Universidade e todo o Ensino Superior, em geral, e em cada uma das Escolas, poderia e deveria encontrar outras actividades realmente “integradoras”dos novos estudantes. Deveriam, por exemplo, ser criadas estruturas de apoio e integração na vida das Escolas, podendo estas incorporar representantes de toda a comunidade escolar, incluindo, naturalmente, estudantes mais velhos. No Reino Unido, por exemplo, muitas Universidades têm estruturas ( students-union ) que apoiam a integração efectiva dos alunos na comunidade educativa, através do desenvolvimento de actividades de carácter lúdico, recreativo e cultural. Penso que o mesmo poderia ser desenvolvido em Portugal pelas próprias Associações de Estudantes de cada Escola Superior.

“Cine Cidade” Cine Clube de Viseu lança livro sobre 50 anos de história

página 14

Condição específica Professores contra revisão da lei dos destacamentos

página 20

página 13

Oferta de bilhetes O Jornal do Centro oferece bilhetes para o jogo Portugal - Letónia, a contar para Fase de Apuramento para o Europeu de Andebol Áustria 2010, dia 26 de Novembro às 20h30 no Pavilhão Multiusos. Para ganhar um basta apresentar este jornal nas nossas instalações.


OPINIÃO | PRAÇA PÚBLICA 5

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

números

20 000 A Câmara de Viseu anunciou que o Funicular transportou mais de 20 mil pessoas, entre 25 de Setembro e 31 de Outubro. O objectivo do novo meio de transporte que liga o recinto da feira de S. Mateus à zona histórica, é dotar a cidade de mais um meio de transporte não poluente, que permita levar gente ao centro histórico, retirando ao mesmo tempo o trânsito daquela zona.

estrelas

Fernando Ruas Presidente da Câmara Municipal de Viseu

Tinha demonstrado a sua disponibilidade para um terceiro mandato à frente da Associação Nacional de Municipios Portugueses mas pediu “um sinal” da direcção do PSD. Esse apoio surgiu esta semana e reforça a sua liderança à frente das autarquias portuguesas nos próximos quatro anos.

Opinião

O culto da face A face tem um lado visível, de leitura mais fácil, agradável ou menos agradável, mas que conhecemos, e um mais oculto, do qual pouco se vê, que muitas vezes nos surpreende pela positiva ou pela negativa, em função da imagem que detínhamos na retina acerca daquela pessoa. No primeiro caso é notório o enorme investimento das pessoas no seu cultivo, através do recurso a medidas terapêuticas José Costa complementares, muitas delas favorecedoras da harmonia Professor do Ensino Superior Médico Dentista corporal. Por isso, sem surpresas, é uma aspiração que invade a mente de muitos, sobretudo os menos desprotegidos em recursos económicos. Contudo, muitas destas pessoas não nos enganam, a face visível coincide com a face oculta. Cultivam harmoniosamente as duas. São congruentes, solidárias com o outro, e colocam-se no lugar do outro. Outros, sabe-se lá porquê, paralelamente ao culto da face exterior, brilhante e colunável, percorrem caminhos arteriais stressantes, de lúmen estreito e baixo teor de oxigénio, com muitas des- consequências impensáveis na qualidade e longevidade tas pessoas facial oculta, caracterizada por músculos subcutâneos incapazes de mover a pele e de mudar as expressões. Uma autênnão nos enganam, a tica sucata facial, rígida, que dificilmente se reabilitará. Isto porque optam, de acordo com os casos conhecidos e outros face visível que ainda não têm rosto, por condutas bem determinadas e coincide idealizadas, com prejuízo do bem comum. Autênticas teias com a face humanas realizadas em meios sépticos, com enormes riscos de deterioração tecidual e disseminação, que os e nos oculta” impedem de viver a vida bem vivida, com sabores de tranquilidade e afectividade. É verdade, ainda bem, que nem todas as pessoas optam por faces incongruentes, independentemente do status social. Preferem preservar as características genuínas e os traços comuns da sociedade que partilham. Imagine-se o que seria uma sociedade na qual se perdia a razão entre os traços faciais cutâneos e os subcutâneos! O que seria da Nossa sociedade! Felizmente que os cidadãos que fazem esta opção são em número diminuto e não conseguem mudar e ocultar a verdadeira face da sociedade. Felizmente e infelizmente vão passando despercebidos. Mas o tempo não perdoa. Nem os cosméticos, caros e dissimuladores deste tipo de marcas faciais, conseguem disfarçar para sempre tais traços. Os exames complementares de diagnóstico de que a sociedade civil dispõe, mais dia, menos dia, por vezes tarde de mais, encarregam-se da pesquisa e de revelar o descontínuo entre a face cutânea e a face subcutânea. E quando tal acontece, a sociedade sente-se triste, magoada e revoltada, por ser confrontada, de novo, com outro episódio recorrente e o envolvimento de mais uns notáveis, objecto de notificações, em quem muitos de nós depositávamos confiança. Diz o povo e tem razão, “mais vale prevenir que remediar”, “quem vê caras não vê corações”.

Fernando Figueiredo Presidente da União Demarcada das Adegas Cooperativas do Dão (UDACA)

O painel de provadores da DECO PROTESTE colocou o Dom Divino Tinto 2005 no top dos melhores Vinhos nacionais, na relação qualidade/preço. A distinção reflecte a postura da UDACA em satisfazer os seus clientes através de um equilíbrio dos dois factores fundamentais no mercado.

Maria do Rosário Docente

A Docente da Universidade Aberta é a mais recente vencedora do prémio A.Almeida Fernandes que distingue trabalhos inéditos sobre a Idade Média. O júri considerou que o trabalho possui “uma grande maturidade científica e formulação clara das questões”.

FORDOC

Prognósticos… só no fim do jogo “Pode descobrir-se mais a respeito de uma pessoa numa hora de jogo do que num ano de conversação. “ PLATÃO Cristela Bairrada Associação Nacional de Jovens Formadores e Docentes

para as empresas, custa cinco vezes mais atrair novos clientes do que manter aqueles que têm”

Hoje em dia muitas empresas apenas se preocupam com os números ao fim do mês e ainda acreditam que, se conseguirem escoar os seus produtos, é sinal que as suas acções de marketing estão a caminhar no bom sentido. No entanto, muitas delas esquecem-se de que só vender o produto não chega para ser uma empresa sólida no futuro, pois, se não trabalharem seriamente questões emocionais, os clientes de hoje poderão não ser os clientes de amanhã. Sobre esta questão existem números muito interessantes. Estudos recentes sobre fidelização de clientes comprovam que, para as empresas, custa cinco vezes mais atrair novos clientes do que manter aqueles que têm. Assim sendo, chegou o momento das várias instituições repensarem a sua estratégia e, mesmo depois de concluída a venda, tentar manter o cliente e retê-lo através da criação de um relacionamento sólido e duradouro. Um simples telefonema para saber se podemos ajudar em alguma coisa ou para saber se ficou verdadeiramente satisfeito com a compra já é um passo importante para essa manutenção. Com esse contacto, a verdade é que, mesmo que as coisas não tenham corrido bem, ainda podemos sempre tentar recuperar a situação. A política dos 3 R´s (relacionamento, retenção e recuperação) tem sido uma arma muito eficaz para tornar os consumidores em verdadeiros fãs das marcas. No entanto, existem situações

em que as regras do jogo se alteraram ligeiramente. Neste campeonato os objectivos modificam-se, pois tudo o que gira em torno do relacionamento e da retenção está mais do que garantido. Ninguém desconfia que uma pessoa que é capaz de não dormir, fazer centenas de quilómetros, pintar a cara de várias cores, chorar, gritar, abraçar desconhecidos por uma equipa ou um desportista é um verdadeiro fã. Neste jogo do marketing desportivo, a única preocupação é tornar esses verdadeiros fãs de desporto em consumidores. Questões ligadas a saber como se consegue vender bilhetes para os vários tipos de eventos desportivos, como se consegue vender o merchandising do clube, como um patrocinador consegue o retorno do seu investimento, como transformar o evento em algo mediático que chame a comunicação social ou como fazer com que o adepto passe algum tempo relacionado com as questões desportivas é o grande desafio desta nova liga do Marketing Desportivo. Sem nos esquecermos de acontecimentos que mancharam o mundo do desporto tal como doping, corrupção, violência entre claques, polémicas com árbitros… nunca nos podemos esquecer que, por maior que seja o amor à camisola, o adepto gosta de bons acessos, bons estacionamentos, conforto e animação nos estádios, bons serviços de restauração e, claro, gosta que a sua equipa ganhe para sair do local do evento feliz e com a sensação que o preço pago para assistir ao espectáculo não foi injusto. Só trabalhando nessas áreas é certo que o remate será certeiro. No entanto, prognósticos… só no fim do jogo.


6

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

abertura “Indo eu indo eu

textos ∑ Ana Filipa Rodrigues Rodri

a caminho de

Cultura ∑ Património referente ao apóstolo Santiago carece de valorização, estudo e conservação Criar mais associações de amigos dos caminhos de Santiago em Portugal é um dos objectivos principais do VII Congresso Internacional dos Caminhos de Santiago que se realiza de 20 a 22 de Novembro em Tondela. Para o presidente da OSPEA – Organização Supranacional das PME do eixo Atlântico, Joaquim Vicente Núñez, “é necessário continuar a promover e divulgar os caminhos e Santiago”. Durante a apresentação do congresso, Joaquim Vicente Nuñez defendeu que devem ser “criadas em Portugal 100 ou 200 associações de amigos dos Caminhos de Santiago, em vez das 10 ou 12 existentes”. O congresso dá destaque aos caminhos de Santiago enquanto elemento de desenvolvimento da cultura, do comércio e do turismo no Noroeste Ibérico. “É necessário promover os caminhos de Santiago tanto junto dos peregrinos como junto dos turistas”. O evento, embora dedicado a todos os traçados da peregrinação a Santiago de Compostela, irá dar especial atenção ao caminho português e as suas principais variantes. O congresso de três dias é promovido pela OSPEA e pela autarquia de Tondela. Os responsáveis pretendem ainda com este evento “despertar interesses para a valorização dos Caminhos de Santiago em Portugal”. História. Os caminhos de Santiago foram considerados, em Outubro de 1987, pelo Conselho Europeu, como primeiro itinerário cultural europeu e ao longo dos anos, a peregrinação jacobina tem adquirido uma tal dimensão económiPublicidade

caa que os caminhos de Santiago antiago se tornaram u m elemento de dinamização inamização das economias conomias locais e regionais. A tradição teve eve início no século éculo IX, quando o o Rei Afonso o II caminhou de Oviedo a Compostela, ompostela, para prestar restar homenagem ao o Apostolo Santiago fundando undando assim o caminho primitivo. rimitivo. O caminho francês arrancou rrancou no século XI dando origem rigem a diversas rotas pela Europa opa fora. Viseu assume-se, em Portugal, al, como um ponto central das duas uas principais rotas lusas, nomeadamente a da Prata e a Marítimo, ítimo, que conduzem ao túmulo o de Santiago. Os peregrinos chegariam a Viseu vindos do sul e seguiam em m direcção a Lamego, onde se e concentrava o maior númeo de unidades de apoio. Duro ante a Idade Média, estes rorante meiros tinham acesso a uma ede de estalagens e pousarede das, as, bem como a alguns hositais onde recebiam tratapitais mento. Os peregrinos atravessaam depois o Alto Douro e vam seguiam eguiam em direcção a Maro de co

Canaveses ou Amarante. Para o antropólogo Alberto Correia, Cor sua esos caminhos de Santiago são, na su também sência, “caminhos de fé” mas tam “caminhos de cultura” visto viagens se que durante as viagen mútuas de faziam “trocas mútua tradições, costumes, tradiç pensar e de formas de pen de cantos”. “O enriqueenri aumentacimento cultural aume va à medida que se subia para Galiza e mais diferente se tornava o quadro de vida das gentes”, afirma. Ao longo dos anos o caminho cam português rumo a Galiza foi gradugr almente desaparecendo, quer atrahabitavés da construção de estradas, ha ções ou até pelos proprietários de terexistência renos que desconheciam a existê importância. desses caminhos e a sua importân Dentro do concelho de Viseu, é ainentre da possível reconstituir a jornada e várias são Viseu e o Almargem. Mas vária e as igrejas, as ermidas, os cruzeiros cruzei marcos erguidos ao culto de SantiaSa go que se mantêm no nosso distrid to. “São exemplos disso, as igrejas dedicadas a Santiago como c em Santiago, nas imediações imediaçõ de Viseu, Santiago de Cassurães Cassu em Mangualde, Magueija Mague e Sande perto de Lamego Lamego”. Valorização. Os c caminhos de Santiago têm reunido cada vez mais aadeptos. Embora não haja d dados estatísticos, é notório o crescente númer mero de


CAMINHOS DE SANTIAGO | ABERTURA 7

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009 Publicidade

Santiago” grupos de romeiros que se organizam e rumam a Santiago de Compostela todo o ano. Contudo, falta ainda uma valorização cuidada do património que permita reconstituir na totalidade os antigos percursos pedestres dos peregirnos jacobinos e inventariar os vestígios deixados desde o surgimento das primeiras rotas em Portugal. Alberto Correia defende que se deve “estudar primeiro”, inventariar e conservar depois”. Algo que pode ser feito através de “uma agremiação que, com ajudas de Municípios, estude os ca caminhos”. “É necessário que se faça o verdadeiro Roteiro sobre todo o distrito. O que tem sido feito são meros unsapontamentos turísticos circunstanciais. Além disso, é preciso que se organize simultaneamente uma re os boa exposição temporária sobre caminhos de Santiago. Em Viseu, os responsáveis pela dmirede Municipal de Museus admitiam, em 2007, data em que se reaal dos lizou o Congresso Internacional Caminhos de Santiago em Viseu, úcleos integrar dentro de um dos núcleos obino. um espaço sobre o culto jacobino. Henrique Almeida garante ao Jornal nua de do Centro que essa ideia continua ão será pé. “ A ideia é para avançar. Não á o seu num núcleo autónomo, mas terá espaço próprio”, refere. em sido De acordo com o historiador, tem ntal sofeito um levantamento documental eito um bre o património, bem como foi feito ara preapelo aos presidentes de junta para servarem e estarem atentos aoss troços tem. de peregrinação que ainda resistem. dela tem Também a autarquia de Tondela feito um esforço de valorização dos caalho que minhos de Santiago. Um trabalho ongresso culmina com a realização do Congresso do fim-de-semana.

DR

Publicidade


8 Entrevista ∑ António Figueiredo/ Emília Amaral Fotografia ∑ Emília Amaral

A social-democrata Marina Leitão, engenheira, nascida em Cascais, mãe de quatro filhos, foi vereadora na Câmara Municipal de Tondela durante 20 anos, tornando-se a primeira mulher autarca no distrito de Viseu. Algum tempo antes de completar o quinto mandato, anunciou ao presidente, Carlos Marta que estava na hora de ser substituída, para bem da renovação. Na cerimónia comemorativa do último feriado do concelho recebeu a Medalha de Mérito Municipal. Aos 58 anos, não deixa de lado a possibilidade de assumir o papel de deputada europeia nos próximos cinco anos, mas, para já, vai dedicar-se à Assembleia Municipal de Tondela e ao projecto do Banco Alimentar Contra a Fome de Viseu. Três semanas depois de ter abandonado a vereação aceitou conversar com o Jornal do Centro e com a Rádio Noar. Uma conversa à volta da sua vida enquanto autarca, da vida do seu partido e da vida do país.

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

à conversa

“Nunca permiti que me fizessem a cabeça” De que é que teve mais saudades nestes dias, após ter abandonado a Câmara de Tondela?

Das pessoas. Estabeleci um relacionamento com os funcionários, com os colaboradores, com o senhor presidente, com os meus colegas e com os vizinhos [da câmara]. Estabeleci relações de amizade e é delas que sinto mais falta. No entanto, de vez em quando, passo por lá e tenho ocasião de matar essas saudades. E ainda vai à câmara “ ajudar” o vereador que ficou com os pelouros que eram da sua responsabilidade. O que a motiva para tomar uma atitude dessas?

Eu tenho um colega que

me substituiu na totalidade dos pelouros (Pedro Adão) e disponibilizei-me desde logo quando transmiti a minha decisão de não me voltar a recandidatar.

outras ideias e trazer novas dinâmicas.

Porque abandonou a vida de vereadora?

Claro que é. Há um conjunto de conhecimento adquirido que permite que mais rapidamente se pegue no ponto onde estavam e não se ande a partir pedra e a perder tempo para se fazerem coisas que já foram feitas. Se há coisa que me incomoda e acho que é um erro tremendo é cada vez que muda o poder nesta país, tem que se mudar quase tudo. Isto tem custos enormes, tem perda de conhecimento escusada.

Entendo que nós devemos ter disponibilidade para colocar o lugar à disposição, para haver renovação. Não foi porque estivesse cansada, desenquadrada, ou que podia haver novos desafios pela frente. Entendi que cinco mandatos seguidos num lugar que é de disponibilidade total, em que estamos ao serviço dos cidadãos, tem que haver outras caras, a possibilidade de vir gente mais nova, com

Acha que é saudável para os executivos haver essa cooperação dos anteriores elementos da vereação?

Depois das últimas eleições autárquicas, sabe-se que alguns presidentes de câmara que foram derrotados, não se reuniram e não passaram informação aos substitutos. O que pensa disso?

Em Portugal, infelizmente, quando se entrou no processo democrático, não se entendeu que uma coisa é a mudança de propostas que as novas equipas trazem, sufragadas pelo voto e, portanto, vencedoras, e a outra é o sistema que o faz gerir e que não deveria ter grandes perturbações naquilo que é a rotina e que pode continuar pelo facto de ter mudado a gestão de topo. É um sinal de que a democracia em Portugal não está bem

cimentada?

Eu acho que tem a ver provavelmente com a forma como decorreu a campanha eleitoral, se a campanha decorreu de uma forma que magoou as pessoas. Penso que isto acontece porque houve mágoas passadas que não foram ultrapassadas. Dou como exemplo contrário o do Pedro Santana Lopes em Lisboa, a atitude de se assumir como vereador é um bom sinal. Ao longos dos 20 anos como autarca, o que mais a marcou?

Pensar que, há 20 anos não havia uma zona industrial em Tondela e hoje somos o concelho mais importante em termos in-

Quotas: “Quando se assume não é para enfeitar Como é ser a única autarca mulher, num sector em que os homens são uma larga maioria?

Havia outra Marina em Cinfães (vereadora), penso que fomos vereadoras ao mesmo tempo. Nunca precisei de quotas para chegar onde quis chegar na política.

É uma crítica às quotas?

Não tenho a certeza. Vi ao longo da minha vida algumas pessoas, passarem de uma posição contra as quotas, para uma posição favorável [no PSD]. Há uma coisa que é verdade, o número de mulheres que hoje é obrigatório ter em todas as

listas, nunca aconteceria se não fosse obrigatório, porque fruto de várias causas, não haveria tantas mulheres envolvidas nas listas. É importante estarem lá?

Acho essencial. A nossa abordagem à política não é igual à abordagem que os nossos colegas homens fa-

zem. Temos uma atitude diferente pela forma como somos. É nessa diferença que é positivo o nosso contributo e se somos 50 por cento da sociedade, obviamente que devemos estar representadas na mesma proporção. Depois temos o reverso da medalha, em que há profissões onde as mulheres são

maioritárias e começa a haver um desequilíbrio contrário, que tem a ver com o facto de também aqui não se atender à especificidade. Alguma vez se sentiu prejudicada por ser mulher?

Não. E beneficiada?

Só se for pela gentileza (risos), agora, nunca fui beneficiada nem prejudicada, fui sempre reconhecida por aquilo que intelectualmente era capaz e pela minha capacidade de trabalho. O que pensa de casos já conhecidos de mulheres que integraram as listas autárqui-


MARINA LEITÃO | À CONVERSA 9

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

Semanalmente,“ÀConversa”resultadeumtrabalhoconjuntodoJornaldo Centro e da Rádio Noar. Esta conversa pode ser ouvida na íntegra na Rádio Noar, esta sexta-feira, às 11hoo e às 19h00, e domingo, às 11h00 e ainda em www.jornaldocentro.pt

dustriais, temos as cinco maiores empresas, em volume de facturação, do distrito de Viseu. Temos três zonas industriais que são o orgulho de qualquer equipa autárquica. O ter acompanhado essa evolução é quase como ter um filho e vê-lo a crescer, tornar-se independente e a ganhar um estatuto.

ter todo o sistema a funcionar, nomeadamente ao nível da gestão urbanística, ao nível da informação para o cidadão, de poderem tratar dos seus problemas pela internet, não os obrigando a terem que se deslocar aos serviços. Gostava de ter chegado mais longe. É um processo difícil?

O que gostou menos?

Talvez algumas incompreensões de pessoas que não percebiam porque havia determinadas opções em vez de outras. Comunicava-se mal?

O resultado destas eleições autárquicas mostra que talvez a razão não estivesse do lado dessas pessoas. O apoio é quase esmagador, o que significa que a maioria da população concorda com as opções. A desilusão de que fala era com a oposição?

Não. Muitas vezes de cidadãos. Em relação à posição, tive ocasião de observar o quanto o conjunto da equipa – o partido que está na liderança (PSD) e os vereadores da oposição – trabalha para o bem do concelho. Passa-se ao nível da gestão autárquica algo interessante: aquilo que se discute são as opções para melhorar a qualidade de vida das pessoas. E quando estamos a discutir isto não há a possibilidade de introduzir grandes filosofias. Estamos a falar da vida das pessoas. O que gostaria de ter feito e não conseguiu?

Ao nível da sociedade de informação, gostava hoje que pudéssemos

Não é fácil. É preciso um conjunto muito grande de vontades. A máquina está preparada para burocracia, para os papéis. Chegavam à minha secretária pilhas de papéis e chegava ter um muro à minha frente nos dias em que tinha despachos para fazer. E eu sei que é possível [acabar com os papéis], porque há programas que nos permitem isso, a única coisa que tem que haver é o reconhecimento da assinatura digitalizada. Regionalização. Sim ou não?

Votei contra, agora votava a favor. Agora que deixou a Câmara de Tondela o que vai fazer?

Estou na Assembleia Municipal, mas estou empenhadíssima, este mês, em levar para a frente um projecto que é o Banco Alimentar Contra a Fome em Viseu, do qual sou presidente da Assembleia-geral da Associação. É um projecto que já envolve mais de 400 pessoas que aderiram à ideia, ao que é o trabalho de voluntariado. Isso dá-me um grau de satisfação enorme, porque onde considero que estamos muito enfermos enquanto país, é de uma actuação da sociedade civil com dinamismo.

a lista” cas, foram eleitas, mas não vão assumir os cargos para os quais foram eleitas?

Isso é uma vergonha para nós mulheres. Fui convidada para fazer parte da lista ao Parlamento Europeu. Era a décima e com possibilidades de poder vir a entrar, agora, mais tarde… quando aceitei sa-

bia que, em qualquer momento, se for chamada a ir, vou. Quando se assume não é para enfeitar a lista. Isto é igual para homens e para mulheres. Se vai embora tem que dar explicações. Se isso está a acontecer, é subverter o objectivo para quem votou a Lei das Quotas.

“Eu não sou liberal no PSD” Tem expectativas de poder assumir o cargo de deputada ao Parlamento Europeu?

Estou preparada.

Marcelo Rebelo de Sousa seria o seu candidato?

Se se perfilasse, não tenho dúvidas. Reconheçolhe um mérito enorme.

Dava-lhe jeito Paulo Rangel ser eleito presidente do PSD.

Era importante para o PSD ele candidatar-se?

Nunca funcionei assim. Se o Paulo Rangel assumir essa responsabilidade é porque é a pessoa que, para um grupo de militantes do PSD, é a mais adequada.

O que é importante para o partido, é não voltar a cometer os erros que andamos a cometer há quatro anos. O PSD tem políticos de altíssimo nível.

E para a senhora?

Ainda não percebi quem é que se perfila. Neste momento há a certeza de Pedro Passos Coelho.

Sobre o futuro do PSD em Viseu. José Cesário, deve continuar, depois de ter perdido cinco câmaras e não ter conseguido o quinto deputado?

Eu não sou liberal no PSD, sou profundamente socialdemocrata.

Quem perdeu as cinco câmaras, foram as pessoas que se apresentaram às eleições.

Diverge do seu último presidente de câmara.

A distrital do PSD não deve ser responsabilizada?

Sou a militante 452 do PSD, nunca permiti que me fizessem a cabeça.

Cada um tem que reflectir sobre aquilo que é a sua responsabilidade. Obvia-

Publicidade

mente que a distrital tem que reflectir sobre um conjunto de coisas que aconteceram. Agora, não podemos ilibar quem estava a votos e perdeu. Não se podem imputar responsabilidades exclusivamente ao presidente da distrital. Carlos Marta deve regressar à liderança da distrital do PSD Viseu?

Se ele entender que tem condições para isso, acho que deve avançar. A democracia está ligada aos partidos e há qualquer coisa que está doente, e não é só com o PSD, também é com o PS e também é com o sistema político. Deixámos de discutir as ideias, passámos a olhar para as lideranças e esquecemo-nos daquilo que motivou e galvanizou o povo português e faz com que o 25 de Abril acontecesse. Não gosto desta abordagem à política.


10

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

viseu Orçamento municipal cresce cinco por cento A educação e da cultura são as áreas com maior reforço de verbas no orçamento municipal para o próximo ano. O orçamento para 2010 é de 96 milhões de euros e conta com um aumento de cinco por cento. O documento foi aprovado pela maioria social democrata e mereceu os votos contra dos dois vereadores do Partido Socialista. O autarca de Viseu, Fernando Ruas, mostrou-se surpreendido por “pela primeira vez” o documento não ter gerado discussão antes da aprovação. “Eu coloquei o orçamento em cima da mesa,ninguém usou da palavra e depois limitamonos a aprovar o orçamento, por sete votos a favor, dois contra e uma declaração de voto. Não houve discussão. Isto permite-me perguntar sobre qual é a vantagem de não ter uma executivo homogeneo?”, afirma Fernan-

do Ruas. Para o vereador do PS, João Cruz, o que aconteceu durante a reunião foi falta de “fundamentação” do orçamento. “É absolutamente lamentável que numa reunião local a câmara não consiga explicitar e fundamentar as propostas orçamentais para 2010. Na ausência de fundamentação e da apresentação do orçamento, o PS não tinha que tomar outra posição que não fosse rejeitar a própria proposta de orçamento”. O executivo municipal aprovou ainda a redução nas taxas do IMI, de 0.7 para 0,6 para os imóveis antigos e de 0,4 para 0, 38 para os prédios novos. Uma redução aplaudida pelos vereadores da oposição mas que segundo estes peca por tardia, uma vez que não faz justiça aos viseenses, que durante anos viram os seus imóveis sobreavaliados. AFR

foto legenda

“Bossa do camelo” inquieta autarcas Moradores ∑ impedidos de contruir casas por indecisão do projecto O autarca de Viseu, Fernando Ruas, quer que o Governo esclareça se o traçado da autoestrada A25, onde existe a “bossa do camelo” é definitivo ou será alterado, conduzindo ao uso dos terrenos embargados na localidade do Espadanal. Junto ao nó do Caçador, em Viseu, existe, desde 2006, uma curva em forma de “bossa do camelo”, com limite de velocidade de 80 quilómetros por hora. A velocidade é controlada por radar. A situação está, segundo o presidente da junta de Fragosela, António Lopes, a prejudicar os proprietários no chamado “caminho das vi n has” que querem construir habitação, mas não podem fazer.

A “Bossa do camelo” incomoda até os condutores Durante a reunião de da Câmara com os presidentes de junta, Fernando Ruas admitiu temer que a certeza quanto à “bossa de camelo” apenas seja dada quando ocorrer um acidente grave, isto porque a curva tem gerado receitas

significativas em multas. Segundo o presidente de Viseu, o traçado pela aldeia do Espadanal é mais rápido e mais curto. O autarca exige uma resposta por parte do Governo.

Magia negra em Repeses Um grupo de 30 professores das direcções dos agrupamentos de escolas do concelho de Viseu participou num jantar de homenagem ao ex-vereador da Educação da Câmara de Viseu, José Moreira. O ex-autarca trabalhou durante 12 anos articulação com as escolas e agrupamentos do concelho. “É agora altura de lhe prestar o devido reconhecimento pelo trabalho feito e pela relação connosco estabelecida”, lia-se na convocatória do jantar, que decorreu na sexta-feira, no restaurante Santa Luzia. Publicidade

Os moradores de Repeses depararam-se, no sábado, com um achado macabro no cemitério. Entre uma das campas e o muro do cemitério os populares encontraram vestígios do que aparenta ser uma sessão de magia negra. Os moradores encontraram uma

galinha preta sem cabeça, uma garrafa de whisky, vários charutos e diversas velas pretas. Este é o segundo achado do género feito em Repeses. Na primeira vez, tinha sido usada a entrada de uma capela próximo do cemitério. Publicidade

Nu ma repor tagem alargada sobre a realidade dos cemitérios do concelho de Viseu, produzida pelo Jornal do Centro, a 30 de Outubro, outros presidentes se queixaram pelo facto dos cemitérios estarem a ser utilizados para este tipo de práticas.

APPACDM DEBATE MULTIDEFICIÊNCIA Os desafios da multideficiência, é o tema de um seminário, organizado pela Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental de Viseu (APPACDM), que decorre este fim-de-semana, 21 e 22, no auditório da Universidade Católica, instituição parceira na iniciativa. A multidef iciência transversal a várias áreas - educação, saude, reabilitação e formação profissional, será a base do trabalho destes dois dias, onde estarão professores, profissionais de saúde, ligados à formação profissional e de acompanhamento e inserção profissional. EA

CONFERÊNCIAS DE FILOSOFIA DE VOLTA AO PIAGET

A Ramin Jahanbegloo

O filósofo iraniano que recebeu o Prémio da Paz 2009 da Associação das Nações Unidas em Espanha, Ramin Jahanbegloo, é um dos convidados das quintas Conferências Internacionais de Filosofia e Epistemologia do Instituto Piaget. O evento começa segunda-feira, dia 23, no campus de Viseu, e prolonga-se até dia 25. Durante três dias, o Instituto Piaget assume Viseu como “a capital nacional da filosofia”, estando previstas intervenções de 30 oradores de seis países, em representação de 19 instituições. Destacam-se as Universidade Oxford, Cambridge, Paris I e o Vassar College de Nova Iorque. O evento encerra as comemorações dos 30 anos do Instituto Piaget em Portugal.


12

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

região Bilhete Postal

Deputado do PS

Governo elimina taxas moderadoras O Conselho de Ministros aprovou, logo na sua primeira reunião após a aprovação do programa do Governo, um Decreto-Lei que elimina as taxas moderadoras para internamento e acto cirúrgico realizado em ambulatório no âmbito do Serviço Nacional de Saúde. Os efeitos práticos desta medida acontecerão a partir de 1 de Janeiro de 2010, data a partir da qual esta taxa não será paga pelos utentes. Esteve bem o Gover no neste â mbito pois a experiência levada a cabo com a implementação das taxas moderadoras não mereceu uma boa avaliação e os propósitos que as fundamentaram revelaram-se inconsistentes. Q ue m g a n h a é o Serviço Nacional de Saúde que com esta medida continua incólu me a todos os ventos liberais que sopraram e sopram por parte, nomeadamente, do PSD.

7 dias

Jovem encontrada morta na Barragem de Fagilde

João Carlos Figueiredo Deputado do PSD

Crime∑ Autoridades policiais suspeitam de homicídio

Sem graça e em muito mau estado

Uma jovem de 20 anos foi encontrada morta dentro de um carro despistado na estrada que dá acesso à Barragem de Fagilde, no concelho de Mangualde. As autoridades suspeitam de homicídio. O corpo da jovem foi encontrado no interior do carro, na madrugada do dia 18, com um saco de plástico na cabeça. Indício que avoluma as suspeitas das autoridades. A vítima, estudante Intituto Politécnico de Viseu, encontrava-se na companhia do namorado. A história deste crime teve início no dia 17, pela 19h00, com um sms que o namorado terá enviado à mãe da vítima. Na sms, o jovem relatava que quando o casal de preparava para jantar no Palácio do Gelo, em Viseu, foram abordados por dois desconhecidos que sequestraram a rapariga. O namorado só viria dar sinais de vida sete horas depois ao aparecer descalço, com sinais de agressão e em esta-

Este Governo iniciou funções há quatro semanas. Seria normal neste período dar o benefício da dúvida, concedendolhe um estado de graça. No entanto começamos, já, a ter muitas dúvidas sobre a sua eficácia. É perceptível o desagrado com que muitos portugueses encaram o actual momento da vida pública e política do país. A contracção da economia, o défice alarmante, o aumento galopante do desemprego, o país em plano inclinado no ranking mundial sobre a percepção da corrupção, um preocupante endividamento externo e a (fundamentada) desconfiança no sistema judicial, são factores de preocupação. Este Executivo não teve tempo para ter estado de graça. O estado do país é demasiado negro e desta vez José Sócrates não pode atribuir culpas a terceiros. Esta pesada herança, que se iniciou a 20 de Fevereiro de 2005, tem o seu cunho e é da sua inteira responsabilidade.

ASSALTO Mangualde. Um ho mem foi assa ltado no fim-de-semana por três individuos. O três assaltantes agrediram-no violentamente e roubaramlhe 500 euros que trazia consigo. O homem foi despido e as suas roupas incendiadas, tendo sido posteriormente abandonado nu junto às piscinas municipais de Mangualde. O agredido conseguiu chegar a casa onde foi socorrido por uma equipa médica

Nuno Ferreira

Acácio Pinto

Bilhete Postal

A Crime ocorreu junto à Barragem de Fagilde do de choque, num café isolado que situa junto à barragem. Por volta das 2h45 o jovem terá sido encaminhado para o hospital, visto que, segundo testemunhos no local, se encontrava completamente desorientado, alegando ter sido obrigado a beber uma substância desconhecida. A GNR ao enviar uma patrulha para o local acabou por loca-

lizar a viatura perto das seis da manhã. A viatura, que até à hora de fecho do jornal se suspeita pertencer ao pai do namorado, caiu de uma altura de 10 metros. As autoridades encontraram ainda um blusão num carreiro próximo da barragem e sinais de luta. A jovem de 20 anos é n a t u r a l d o P o r to ,

do INEM. As autoridades estão a investigar o caso. Os três suspeitos residem em Penalva do Castelo, todos com antecedentes criminais por roubo e agressões.

aquela força de seg urança. O homem de 20 a nos foi ident i f icado pela suspeita de cultivo de cannabis. De acordo com a GNR, o homem cultivava com o objectivo de consumir a planta. As plantas foram transportadas para as instalações da GNR e serão destruídas.

DROGA Mangualde. A GNR de Mangualde apreendeu 19 plantas de cannabis que se encontrava m em 17 vasos num terreno mu ito próx i mo da residência de um indivíduo referenciado por

PERSEGUIÇÃO Sátão. Um condutor com carta apreendida fugiu durante mais de 10

mas reside em Viseu há vários anos. Quanto ao namorado da vítima é natural de Cubos, Mangualde. Até à hora do fecho do Jornal, as autoridades continuavam a investigar o crime sem que tivessem sido identificados possíveis suspeitos do crime. O Instituto Politécnico de Viseu declarou luto académico pela aluna.

quilómetros a uma patrulha da GNR, no Sátão, que o quis deter. O indivíduo só parou quando colidiu com o veículo da patrulha.De acordo com a GNR, o condutor estava referenciado por conduzir com a carta apreendida. Ao ser interceptado pela GNR o homem de 48 anos desobedeceu às ordens de paragem e iniciou a fuga pelas ruas da vila de Sátão. As autoridades alertaram patrulhas que lhe barraram o caminho.

FURTO Santa Comba Dão. Dois menores de 14 e 16 anos foram indiciados pela prática de furtos pela GNR de Santa Comba Dão. As autoridades apreenderam aos rapazes 100 maços de tabaco e outros objectos no montante de 500 euros. Os menores estavam desaparecidos de Carregal do Sal. A GNR entregou os menores aos pais. O jovem de 16 anos está referenciado por suspeita de vários assaltos.


REGIÃO 13

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

CARLOS MARTA MANTÉM-SE NA LIDERANÇA DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL O presidente da Câmara de Tondela, Carlos Marta, foi reeleito presidente do conselho executivo da Comunidade Intermunicipal da Região Dão Lafões (CIMRDL). As funções de vice-presidente são novamente assumidas pelo número dois na Câmara de Viseu, Américo Nunes e pelo presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, João Lourenço. O conselho executivo é ainda composto pelos 11 presidentes das restantes autarquias municipais. Segundo Carlos Marta, a Comunidade Intermunicipal da Região Dão Lafões, terá como prioridade gerir os 70 milhões de euros de fundos comunitários provenientes do Programa “MaisCentro”, destinados a projectos estruturantes. Publicidade

Deputados de Viseu nas comissões da AR Almeida Henriques

José Luís Arnaut

Acácio Pinto

José Rui Cruz

∑ Vice-presidente.

∑ Presidente. Defesa

∑ Ambiente, Or-

∑ Ética, Socieda-

Hélder Amaral

Assuntos Económicos, Inovação e Desenvolvimento Regional

Nacional

João Carlos Figueiredo

dena mento do Território e Poder Local

Paulo Barradas

Teresa Santos

de e Cultura

CDS-PP

Helena Rebelo

∑ Vice-presiden-

te. Obras Públicas, Transportes e Comunicações

PSD

∑Trabalho, Segurança Social e Administração Pública/ Ambiente, Ordenamento do Território e Poder Local

∑ Agricultura, Florestas e Pescas/ Trabalho, Segurança Social e Administração Pública

∑ Agricultura,

Florestas e Pescas

Publicidade

∑ Saúde


14

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

negócios Citroën inicia formação em Dezembro para produzir novo modelo A Peugeot-Citroën (PSA) em Mangualde vai dar início à formação dos trabalhadores sobre o novo modelo que será produzido em 2010 a partir de Dezembro. De acordo com o responsável de comunicação, Elísio Fernandes, a empresa está a preparar as instalações para receber o novo modelo. “Nesta fase estamos a testar o equipamento e vamos dar início no final de Novembro à formação dentro das instalações a todos os funcionários”. O novo modelo da citroën Berlingo B9 comePublicidade

çará a ser produzido no primeiro semestre de 2010. “Poderá não arrancar logo em Janeiro, porque a empresa nesta altura está estável e é preciso ultimar alguns pormenores”, explica. A empresa procura assim assegurar a sobrevivência e manutenção de 850 postos de trabalho através da produção de comerciais e utilitários de grande volume. Segundo o responável, o novo modelo confere à empresa mais um ciclo de vida de sete ou oito anos. Por dia, serão produzi-

Novo Berlingo B9 ∑ Produção arranca no primeiro semestre de 2010

dos 160 veículos dos novos modelos, mantendo o nível da produção actual. A empresa francesa irá investir cerca de 21 milhões de euros com incentivos financeiros por parte do governo português, que atribuiu à iniciativa o estatuto de interesse estratégico.

Retoma. O lay-off, em vigor na empresa desde 11 de Maio, será suspenso no final do mês de Novembro, como estava previsto. Elísio Fernandes garantiu ao Jornal do Centro que desde Setembro este mode-

lo de suspensão de dias de trabalho não foi utilizado. “Esse modelo esteve em vigor, mas não foi utilizado visto que a procura aumentou. Ao contrário do início do ano que tivemos uma quebra muito grande, actualmente as encomendas aumentaram e portanto estamos a funcionar na nossa velocidade normal”, explica Elísio Fernandes. O director adianta que a empresa não prevê a contratação de novos funcionários. Ana Filipa Rodrigues ana.rodrigues@jornaldocentro.pt

Nuno Ferreira

Retoma ∑ Empresa suspende lay-off no final do ano

A Empresa não prevê a contratação de novos funcionários


INVESTIR & AGIR | NEGÓCIOS 15

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

Clareza no Pensamento (http://clarezanopensamento.blogspot.com)

O Turismo e os Produtos Tradicionais de Qualidade da Região Dão / Lafões O Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) identifica a Gastronomia e Vinhos como um dos 10 produtos estratégicos para o desenvolvimento do Turismo em Portugal, sendo encarado pela Turismo Centro de Portugal como um produto que é necessário promover e dinamizar. A importante herança cultural da região Dão Lafões sustenta uma gastronomia rica e variada, associada ao cultivo da vinha, com destaque para o vinho do Dão. Os produtos tradicionais de qualidade assumem, cada vez mais, um papel importante para os turistas e a população residente e estão sujeitos a um rigoroso controlo por uma entidade certificadora, designada por Organismo Privado de Controlo e Certificação (OPC) e apresentam-se devidamente rotulados, podendo surgir no mercado com as seguintes denominações: Denominação de Origem Protegida (DOP); Indicação Geográfica Protegida (IGP) ou Especialidade Tradicional Garantida (ETG). Dos 27 produtos tradicionais de qualidade apresentados pela DRAP Centro

(http://ptqc.drapc.min-agricultura.pt/home.htm), escolhemos 9 por serem possíveis de encontrar em alguns dos 14 concelhos que integram a região Dão Lafões. - Cabrito da Gralheira (IGP): Castro Daire, Oliveira de Frades, S. Pedro do Sul e Vila Nova de Paiva; - Borrego da Serra da Estrela (DOP): Carregal do Sal; - Vitela de Lafões (IGP): Castro Daire, Oliveira de Frades, S. Pedro do Sul, Viseu e Vouzela; - Ca r ne A rouque sa (DOP): Castro Daire, Oliveira de Frades, S. Pedro do Sul, Tondela, Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela; - Maçã Bravo de Esmolfe (DOP): Aguiar da Beira, Carregal do Sal, Castro Daire, Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo, Santa Comba Dão, S. Pedro do Sul, Sátão, Tondela, Vila Nova de Paiva e Viseu; - Maçã da Beira Alta (IGP): Aguiar da Beira, Carregal do Sal, Castro Daire, Mangualde, Nelas, Oliveira de Frades, Penalva do Castelo, Santa Comba Dão, S. Pedro do Sul, Sátão, Tondela, Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela;

Publicidade

Cristina Barroco Docente na Escola Superior de Tecnologia de Viseu cbarroco@estv.ipv.pt

- Castanha do Souto da Lapa (DOP): Aguiar da Beira; - Queijo Serra da Estrela (DOP): Aguiar da Beira, Carregal do Sal, Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo, Tondela e Viseu; - Requeijão Serra da Estrela (DOP): Aguiar da Beira, Carregal do Sal, Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo, Tondela e Viseu. Tendo em conta a riqueza gastronómica da região Dão Lafões, ficámos intrigados com a lista apresentada pela DRAP Centro. Se os Ovos Moles de Aveiro já são certificados como IGP e os Pastéis de Tentúgal estão na lista dos produtos candidatos, porque não constam os Pastéis de Feijão de Mangualde, os Pastéis de Vouzela, ou as Castanhas de Ovos de Viseu? Aqui fica o nosso apelo… e já agora, opte sempre por consumir produtos tradicionais certificados e contribua para o desenvolvimento económico da região Dão Lafões.

Um centro especializado no ensino da Matemática, com uma metodologia própria que ajuda os estudantes a descobrir a Matemática que faz sentido e a desenvolver a sua capacidade de raciocínio.

Diagnóstico gratuito Rua Dr. Alexandre Lucena e Vale, n.º 49 Viseu (junto à Escola EB Grão Vasco) Telm: 964 044 149 - Tel: 232 449 178

www.mathnasium.pt

www.donalimpeza.com

Tal como num ginásio se desenvolve o corpo, no MATHNASIUM desenvolve-se o raciocínio

808 202 472

938 067 816

24 horas

Publicidade

Dom Divino é a melhor compra para a DECO Qualidade/preço ∑ Painel de provadores elegeu vinho da UDACA O seu aspecto límpido, cor rubi, aroma elegante e persistente bem como o “excelente preço” com que o vinho chega ao consumidor, fizeram do Dom Divino Tinto 2005 da União Demarcada das Adegas Cooperativas do Dão (UDACA) a melhor opção de compra de todos os Vinhos analisados pela DECO PROTESTE. Após a sua degustação, o painel de provadores da DECO distinguiu o Vinho com 95 pontos e colocou

o Dom Divino no top dos melhores Vinhos na relao em ção qualidade/preço Portugal. Para a direcção da UDACA, presidida por do, Fernando Figueiredo, la“esta pontuação revelacse excelente e reflecte a postura da UDA-CA em satisfazer os seus clientes sempre com a qualidade ao melhor preço”. A decisão do painel de provadores encontra-se na

Edição de 2010 do Guia de Vinhos DECO PROTESTE, sendo se considerado o “mel “melhor do teste”. Com mai mais de 440 Páginas, este guia elege os melhor lhores Vinhos Tintos e Brancos B que apresen sentam a melhor relaçã ��ão qualidade/preço n num total de 300 vinhos de todas as regiões Vitivinícolas de Portugal. Emília Amaral emilia.amaral@jornaldocentro.pt

Martifer constrói estádio para 0 euro 2012 A unidade polaca do Grupo Martifer de Oliveira de Frades ganhou o concurso para o fabrico e montagem da estrutura metálica do Baltic Arena, o estádio que vai receber o europeu de futebol em 2012. A obra, que vai custa 44 milhões de zlotys (10,4 milhões de euros), envolve

6.440 toneladas em estrutura metálica e deverá estar concluida em finais de 2010. “Este contrato é extremamente importante para a Martifer Polska, não só porque reconhece a experiência do grupo como player experiente na construção de estádios, como

aconteceu em Portugal para o Euro 2004, mas porque permite afirmar ainda mais a Martifer Polska num mercado onde a empresa soma vários anos de experiência e obras de referência”, afirma Miguel Borges, Director Geral Martifer Polska comunicado. EA


16

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

desporto DIVISÃO DE HONRA

Visto e Falado

SANTACOMBADENSE E LUSITANO MAIS PERTO DA FRENTE

Vítor Santos vtr1967@gmail.com

Interessante, é o mínimo que pode dizer-se desta Divisão de Honra da Associação de Futebol de Viseu. Pelo menos, no que à frente da tabela diz respeito, há uma luta animada entre várias equipas. Oliveira de Frades, Sampedrense, Santacombadense e Sátão confirmam o que delas se esperava, e andam pelo topo, enquanto o Lusitano continua a ser a grande sensação da prova. Os trambelos teimam em não descolar dos primeiros. A vitória frente ao Tarouquense confirmou que a equipa de Silvério Gomes, pelo menos em casa, vai ser um adversário dificil de bater esta época..

Monsanto Praiense Arouca Operário Mafra Sertanense Tondela Vitória Pico

1 0 (adiado) 1 0 3 0 1 2 0 0 0 1 1 2

9ª jornada -

(29/11/09)

Esmoriz Tourizense Oliv. Bairro Pampilhosa Monsanto União Serra Marinhense Ac. Viseu

-

Oliv. Bairro Pampilhosa Ac. Viseu Marinhense Tourizense União Serra Esmoriz Eléctrico

Vitória Pico Sertanense Eléctrico Arouca Praiense Tondela Mafra Operário

1.Tourizense 2.Arouca 3.Monsanto 4.Esmoriz 5.Tondela 6.Mafra 7.União Serra 8.Operário 9.Praiense 10.Marinhense 11.Pampilhosa 12. Ac. Viseu 13.Sertanense 14-Eléctrico 15.Vitória Pico 16.Oliv. Bairro

8 8 8 8 7 8 8 8 7 8 7 9 8 8 8 8

5 2 1 4 2 2 4 2 2 4 2 2 4 1 2 4 1 3 3 3 2 3 2 3 3 2 2 3 2 3 2 3 2 3 0 6 2 2 4 2 2 4 1 2 5 1 2 5

GOLOS

Classificação

8ª jornada

13-7 7-5 8-8 9-6 11-5 8-6 8-4 8-8 5-4 7-8 11-11 12-17 5-8 6-8 7-13 5-12

17 14 14 14 13 13 12 11 11 11 9 9 8 8 5 5

Gil Peres gil.peresjornaldocentro.pt

Classificação

5

2 0

15-4

5

2 0

10-2

17

3.Santacomba

7

5

1

1

14-3

16

4.Lusitano

7

4

2

1

10-6

14

5.Sátão

6

3

2

1

7-5

11

6.Sp. Lamego

7

3

2

2

10-10

11

7.Tarouquense

7

3

1

3

9-10

10

GOLOS

PONTOS

7

2.Sampedrense 7

1.Oliv. Frades

DERROTAS

ximos jogos. Certo é que o futebol bonito e eficaz da equipa, que tão bem tem resultado em terreno seco, tem claras dificuldades em relvados encharcados. Da jornada fica também mais uma derrota do Académico de Viseu. No terreno do Arouca, equipa com pretensões no campeonato, os viseenses foram derrotados por 1 a 0. Um golo de penalti ditou mais uma derrota, numa partida em que António Borges promoveu a titulares dois dos reforços que chegaram durante a semana: Marco Almeida e Marcelo Henrique. Também Hugo Seco, teve a oportunidade de se estrear durante a partida.

GD Parada (interrompido) Sátão Santacomba 3 0 Molelos Lusitano 2 0 Tarouquense Oliv. Frades 0 0 C. Senhorim Sampedrense 1 1 Lamelas Moimenta Beira 1 4 Campia Sp. Lamego 2 2 Mortágua Paivense 0 1 Carvalhais

EMPATES

II DIVISÃO NACIONAL - SÉRIE CENTRO

do os adeptos. Os rigores do “General Inverno” pediam um futebol mais prático e mais directo, que o Tondela não foi capaz de fazer. O jogo pedia um Plano B que a equipa não conseguiu apresentar. Mesmo assim, soube ainda o Tondela criar oportunidades suficientes para ter chegado ao fim com um resultado diferente. O Esmoriz, cedo em vantagem, soube depois sofrer, defender e ainda ameaçar com rápidos contra-ataques. Um sério aviso para a equipa do Tondela. O Inverno chegou em força e as condições do passado domingo têm forte probabilidade de voltarem a repetirse mais algumas vezes. Incapacidade pontual? Para tirar a limpo em pró-

7ª jornada

JOGOS

de logo comprometida. Em tarde de muita chuva e com o relvado muito escorregadio e pesado, não funcionou o futebol de toque rápido e bola rente à relva que o Tondela tem exibido ao longo da época, e que tem entusiasma-

DIVISÃO DE HONRA - ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU

VITÓRIAS

Um golo sofrido cedo e um terreno pesado tornaram difícil a vida ao Tondela frente ao Esmoriz. Numa jornada em que poderia chegar ao primeiro lugar, a estratégia de António Jesus ficou des-

PONTOS

Cartão Amarelo Cinfães, Penalva do Castelo, Mangualde e Nelas estão todas abaixo do meio da tabela. Numa altura em que se começam a definir muitas coisas, atrasam-se na luta pelos lugares cimeiros. A permanência é o objectivo pelo que não há sinal de alarme, mas convém estar alerta. Deixar para o fim não tem dado bons resultados.

Tondela ∑ Terreno pesado complicou, e muito Académico ∑ Derrota em Arouca

EMPATES

Campeonato 3.ª Divisão Nacional Futebol

Tondela sem plano B para derrotar General Inverno

DERROTAS

Cartão FairPlay Única equipa da AFV ainda presente na Taça de Portugal. Depois do futebol de 11 o futsal arriscava-se a estar fora precocemente da prova rainha. O ABC de Nelas sonha com um dos grandes de Portugal. O futsal continua o seu caminho de forma sustentável e proporcionando emoções complementares ao futebol de 11.

II Divisão Nacional - Série Centro

JOGOS

ABC Nelas Futsal

A Tondelenses sofreram primeira derrota em casa esta época

VITÓRIAS

Cartão FairPlay Nunca é demais realçar o trabalho com resultados positivos da equipa de Molelinhos. O futebol feminino tem em Viseu uma referência de nível nacional: Escola Futebol Clube. O 2.º lugar no nacional é fruto do empenho e qualidade. Uma palavra para Neide Simões, guarda-redes do Escola e da Selecção, pela disponibilidade e paixão que tem pelo futebol. Um exemplo de um clube, um exemplo de uma atleta.

Gil Peres

Escola F. C. Futebol

17

8.Carvalhais

7

2

3

2

6-7

9

9.Lamelas

7

2

2

3

10-8

8 8

10.M. Beira

7

2

2

3

11-12

11.Molelos

6

2

1

4

10-16

7

12.C. Senhorim

7

1

3

3

6-8

6

13.GD Parada

7

1

3

2

4-6

6

14.Campia

7

1

2 4

11-15

5

15.Paivense

7

1

1

5

5-10

4

16.Mortágua

7

0

1

6

3-19

1

8ª jornada -

(22/11/09)

Sátão

-

Santacombadense

Molelos

-

Vildemoinhos

Tarouquense

-

Oliv. Frades

C. Senhorim

-

Sampedrense

Lamelas

-

Moimenta Beira

Campia

-

Paivense

Carvalhais

-

Sp. Lamego

Mortágua

-

GD Parada


FUTEBOL| DESPORTO 17

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

III Divisão Nacional

Mangualde voltou às vitórias

Z

Nacional TT - Desafio Elf/Mazda

16-5 18 14-9 17 12-5 14 10-9 13 13-12 12 10-11 12 10-10 11 10-10 10 16-16 8 10-15 8 11-20 3 6-16 3

9ª jornada Penamacor Sourense Sp. Pombal Gândara Vigor Mocidade B.C. Branco

0 Penamacor 2 Sp. Pombal 1 Sourense 1 B. C. Branco 0 Vigor Mocidade 0 Tocha

(06/12/09)

-

Tocha Alcains Nelas Fornos Algodres Anadia Mangualde

1.Sourense 2.Anadia 3.Sp. Pombal 4.F. Algodres 5.Gândara 6.B. C. Branco 7.Mangualde 8.Tocha 9.V. Mocidade 10.Penamacor 11.Nelas 12. Alcains

8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8

5 5 4 4 3 3 3 3 2 1 0 0

3 2 2 1 3 3 2 1 2 5 3 3

0 1 2 13 12 2 3 4 4 2 5 5

GOLOS

0 3 1 3 3 3 2 3 2 4 5 5

Classificação 3 1 0 1 3 2

11-6 11-4 10-8 9-8 15-12 14-13 10-10 10-9 8-10 7-10 6-13 5-13

PONTOS

4 0 2 1 1 2 4 1 4 2 2 3

GOLOS

4 5 4 4 4 3 2 3 2 2 1 0

PONTOS

8 8 7 8 8 8 8 7 8 8 8 8

Gândara F. Algodres Nelas Alcains Mangualde Anadia

EMPATES

S. J. Ver P. Castelo Candal Milheiroense Oliv. Douro Sp. Mêda

EMPATES

-

DERROTAS

(06/12/09)

Sanjoanense Coimbrões Cinfães Fiães Avanca Cesarense

JOGOS

9ª jornada -

1.Coimbrões 2.S. J. Ver 3.Candal 4.Avanca 5.Fiães 6.Cesarense 7.Penalva C. 8.Oliv. Douro 9.Cinfães 10.Milheiroense 11.Sanjoanense 12. Sp. Mêda

VITÓRIAS

Gil Peres

A Eduardo marcou um dos golos do Mangualde

1 1 Cinfães 1 1 Sanjoanense 3 1 Cesarense 0 1 Fiães 2 1 Avanca (adiado) Candal

III DIVISÃO NACIONAL - SÉRIE D

8ª jornada

Classificação

Coimbrões P. Castelo S. J. Ver Sp. Mêda Milheiroense Oliv. Douro

para Penalva do Castelo e Cinfães. Melhor a formação de Vítor Moreira, que foi buscar um ponto ao terreno do líder, o Coimbrões, enquanto o Penalva do Castelo consentiu uma igualdade caseira com a Sanjoanense. Dois pontos perdidos para o Penalva. GP

DERROTAS

III DIVISÃO NACIONAL - SÉRIE C 8ª jornada

Quanto ao Nelas, perdeu em casa com o Sourense. Uma derrota por 1 a 0, frente ao líder do campeonato, mas onde a equipa voltou a exibir bom futebol. Os resultados não condizem com aquilo que os jogadores têm mostrado em campo. Na série C da III Divisão Nacional empates

JOGOS

Mais três pontos para a formação de Jorge Valente que subiu ao sétimo lugar da geral na série D da III Divisão Nacional. É o Mangualde a amealhar pontos que poderão ser preciosos na contabilidade final do campeonato, com vista à manutenção da equipa nos nacionais.

VITÓRIAS

Ponto final nas derrotas. O Mangualde voltou a ganhar, depois de duas jornadas em que não conseguiu pontuar. Uma vitória importante da equipa, frente ao Vigor e Mocidade (3-0), fundamental para voltar a colocar em alta a motivação dos jogadores, algo abalada pelos últimos desaires.

18 17 14 13 12 12 11 10 8 8 3 3

Open de Ralis - Desafio Modelstand

João Pais a sonhar em Fronteira José Cruz fez o pleno em Gondomar Um terceiro lugar em Gondomar, e um quarto lugar na classificação final do Desafio Modelstand para o piloto viseense. José Cruz / Luís Lauro, fizeram assim o pleno em todas as provas do troféu destinado aos Peugeot 206 GTi. Ficaram assim cumpridos, em pleno, os objectivos que a dupla viseense

A Piloto viseense perto de conquistar o título no Desafio Elf/Mazda Depois da vitória na 23ª edição da Baja Portalegre 500, João Pais relançou a luta para a vitória no Desafio ELF/MAZDA 2009, competição integrada no Campeonato Nacional de Todo o Terreno. O jovem piloto viseense, que faz dupla com João Rato, ficou assim a um ponto de Bruno Oliveira, deixando tudo em aberto para a prova deste fimde-semana, em Fronteira, onde se decidirá o cam-

peão nacional neste troféu para pilotos que tripulam as «Pick Up» BT-50. Segundo o regulamento, as 24 Horas de Fronteira, derradeira prova do Desafio valem duas pontuações( no final da 12ª e 24ª horas) pelo que a discussão do titulo estará ao rubro em Fronteira. Contas para fazer no final, mas João Pais sabe que precisa terminar na frente do seu concorrente mais directo. Antes da

partida para Fronteira, o piloto viseense deixa uma certeza: “Vamos lutar para que isso (o título) aconteça”, acrescentando que, há só uma postura a ter: “Máxima concentração e profissionalismo”. João Pais pode ainda fazer história uma vez que se trata de um rookie, ou seja, um piloto que debuta na competição, e que poderá ser o primeiro nestas condições a chegar à vitória no Desafio Elf/Mazda. GP

havia traçado para esta estreia no Desafio Modelstand, e que passavam por “terminar o máximo de provas possível” e o campeonato “numa boa classificação”. Em Gondomar, para além de José Cruz, voltou a participar a outra dupla viseense que competiu nas últimas três provas do Campeonato Open de Ralis. Desta vez Fabrício

Lopes / Pedro Vaz não chegaram ao fim, depois de terem sido obrigados a desistir após a segunda prova especial de classificação, com uma avaria mecânica no Peugeot 206 GTi. Terminada a época, é tempo de balanço, com os pilotos viseenses a ponderaram uma nova participação no campeonato de 2010. GP

Nacional de Ralis - 2litros/ 2 rodas motrizes

Carlos Matos a um passo do título Carlos Matos está muito perto de voltar a sagrar-se Campeão Nacional em ralis. Desta vez, a juntar aos títulos que já tem em Promoção Asfalto e na F3, para carros até 1600 cc, onde chegou duas vezes ao título nas duas últimas épocas, desta vez em jogo está a vitória no campeonato para carros 2 litros / 2 rodas

motrizes. O título está em jogo este fim-de-semana no Rali Casinos do Algarve. Carlos Matos está em vantagem já que chega ao Algarve, última prova do campeonato, com dois pontos de vantagem sobre Paulo Antunes e mais 10 do que Francisco Barros Leite. Ao site dos campeões,

Carlos Matos assumiu que “o objectivo é festejar o título de Campeonato de Portugal de Ralis 2L/2RM”, adiantando ainda que “a preocupação será o Paulo Antunes, pelo que não vou entrar a dormir mas sim concentrado, sabendo que posso beneficiar da prestação de outros dos nossos adversários”. GP


D Direitos das Crianças em exposição

18

culturas expos TONDELA ∑GaleriaNovoCicloACERT Inauguração dia 14 de Novembro Exposição “Stories”, da autoria de Vanessa Chrystie VILA NOVA DE PAIVA ∑ Auditório Municipal Até dia 30 de Novembro Exposição “As Cores também falam” de Licínia Portugal

∑ Auditório Municipal Até dia 31 de Dezembro Exposição “Vistas do Alto Paiva”, da autoria de Marcos Medalon VISEU ∑ Autarquia de Viseu Até dia 4 de Dezembro Exposição de pintura do artista plástico Rui Costa

∑ Auditório Mirita Casimiro Até dia 29 de Novembro Exposição de arte da autoria de Jorge do Carmo ∑ Foyer do IPV Até dia 30 de Novembro Exposição “ARTISET em Mostra Colectiva” ∑ Museu Grão Vasco Até dia 3 de Janeiro Exposição “Arte poder e religião nos tempos medievais A identidade de Portugal em construção”

A comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Viseu organizou uma exposição comemorativa dos 20 anos da convenção dos direitos das crianças. Intitulada “A Cor dos Direitos”, a mostra encontrase patente até dia 22 na Sala de Exposições do Fórum Viseu.

Arcas da memória

Destaque

Museu Grão Vasco organiza “Natal do Livro” Programação∑ Novo director inicia actividades com Feira do Livro O Museu Grão Vasco (MGV) leva a cabo, até dia 31 de Dezembro, o programa “Natal do Livro”, uma feira do livro de arte, organizada em conjunto com as livrarias da cidade. Durante a iniciativa, serão disponibilizadas, a preços especiais, as edições do Instituto dos Museus e da Conservação. A abertura da Feira do Livro teve início, ontem dia 19, com o lançamento do livro “Através das Beiras - Pré-História e Proto-História”. Uma obra da autoria de Raquel Vilaça, com apresentação do arqueólogo Pedro Sobral. Para a quadra de Natal, o Museu promoveu também uma operação de valorização do discurso expositivo. A qual se

centrou na requalificação do sistema lumínico, a produção da respectiva folha de sala com extensão ao público infantojuvenil. O MGV decidiu ainda juntar ao percurso museológico uma importante escultura contemporânea representativa da Virgem Maria, prove-

Sessões diárias às 15h00, 17h05, 19h20, 21h40, 23h40 (6ª e Sáb.) Marido Por Acidente (M12)

Ana Filipa Rodrigues Ana.rodrigues@jornaldocentro.pt

Comédia radiofónica na ACERT 50, período áureo da rádio em todo o mundo. Nos estúdios da rádio Mozzzquito está prestes a ir para o ar o programa de rádio com maior audiência da estação: “Cortinas e Bambolinas”. O programa é apresentado pela vedeta da música ligeira e do fado, Ana

roteiro cinemas

VISEU FORUM VISEU (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 11h00 (Dom.), 14h00, 16h20, 18h40, 21h00, 23h20 (6ª e Sáb.) Um Conto de Natal (Dob) (CB) (Digital) (3D)

niente das reservas. A programação de Natal é a primeira iniciativa organizada pelo novo director do Museu, António Pimentel, que tomou posse há cerca de dois meses.

Concerto Uma comédia em formato radiofónico e a adaptação de um romance clássico da literatura portuguesa é o que nos apresenta a peça de teatro “Amor também de Perdição”, que subirá ao palco da ACERT, no dia 21, pelas 21h45. A peça decorre nos anos

Sessões diárias às 14h20, 16h45, 19h10, 21h30, 00h00 (6ª e Sáb.) Longe da Terra Queimada (M16) Sessões diárias às 11h30 (Dom.), 13h50, 16h10, 18h30, 21h20, 00h30 (6ª e Sáb.) Amor Por Acaso (M12) Sessões diárias 11h20 (Dom.), 14h40, 16h50, 19h00, 22h00, 00h20 (6ª

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

e Sáb.) Loucos e Fãs (M12)

Sessões diárias 14h15, 17h30, 20h50, 00h15 (6ª e Sáb.) 2012 (CB) PALÁCIO DO GELO (LUSOMUNDO) Sessões diárias às 11h30 (Dom.), 14h30, 16h40, 19h00, 21h20, 23h40 (6ª e Sáb.)

Galocha. Todas as noites de teatro radiofónico o estudo é invadido por um público fiel. E é neste ambiente que “Amor também de perdição” decorre em dois actos. “Amor também de perdição” é um trabalho do “Projecto Cegonha”.

Um Conto de Natal (Dob) (CB) (Digital) (3D) Sessões diárias 15h00, 17h10, 19h20, 21h30, 23h50 (6ª e Sáb.) Os Substitutos (M12) Sessões diárias às 13h40, 17h00, 21h00, 00h30 (6ª e Sáb.) 2012 (CB) Sessões diárias 13h50, 16h20, 18h50, 21h40, 00h10

Os ramos de crisântemos amarelos Alberto Correia

Ao abrir do mês de Novembro os homens lembram-se dos seus mortos. É um costume antigo. Vem do tempo em que não havia ainda o mês de Novembro, em que havia apenas, sem que o nome se dissesse, o tempo do Verão fecundo, da vida explodindo do solo virgem de uma Terra-Mãe propícia e generosa, o tempo do Inverno que esconde sob as dobras de um manto de neves e de vento o sonho de ventura de Proserpina adormecendo nos braços de sua mãe dentro da terra. Ao abrir do mês de Novembro reinventamos rituais de Neolítico, senão vindos de mais longe. Distribuimos “pão por Deus”, deixamos à porta um açafate com comida ao ir deitar, acendemos luzes em cemitérios traduzindo em suave memória os medos ancestrais do espírito dos mortos que se afugentavam com fogueiras. Outra coisa fazemos ao abrir o mês de Novembro. Vamos em procissão ao cemitério. Braçados de flores cobrem os mármores das tumbas ou escondem a terra de uma campa onde chora uma mulher. Crisântemos, o mais

(6ª e Sáb.) Cirque du Freak: O Assistente do Vampiro (CB)

Antropólogo aierrocotrebla@gmail.com

das vezes. De cor amarela, quase sempre, ou de outra cor. Flores que são símbolo de permanência, da memória, da saudade. Flores antigas. Lineu chamou-lhe flor de ouro. Não sabemos que nome lhe terá dado a primeira mulher que as colheu. Uma qualquer filha de Eva, das muitas que ela teve, levoua um dia, já sua mãe tinha deixado o Paraiso há um milhão de anos, até ao Oriente, à China e ao Japão. E talvez tenha sido aí, lá onde nasce o Sol, que a flor ganhou a cor do ouro que hoje mantem, a cor do Sol. Foi aí que um rei fez dela a flor de eleição. Mais tarde, em tempo já moderno, alguém trouxe a semente da flor para Ocidente, roubada de um jardim ou oferecida pelo rei. A flor nasceu, dourada do sol da terra original, E sempre havia flores de ouro abertas no jardim. E foi por isso que as colheram, em Novembro, aos braçados, as mulheres. Levaram-nas, assim, ao cemitério. E foram elas que fizeram da flor amarela dos crisântemos uma flor de memória e de saudade.

Estreia da semana

Sessões diárias às 14h10, 17h30, 21h10, 00h00 (6ª e Sáb.) Orgulho e Glória (M16) Sessões diárias às 14h40, 16h55, 19h40, 22h00, 00h20 (6ª e Sáb.) O Eco (M16)

O Eco- O recém saído da prisão, em liberdade condicional, Bobby Reynolds tenta começar uma nova vida e mudando-se para o apartamento da sua mãe, desabitado desde a sua infeliz morte. Depois de se instalar, é atormentado por estranhos acontecimentos no apartamento e encontros bizarros com os seus vizinhos.


D Ilustrações de Luís Belo

20

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

A Casa da Cultura de Santa Comba Dão acolhe, até dia 30 de Novembro, a exposição “Incêndio II”, da autoria de Luís Belo. “Incêndio II” apresenta-se como um exercício profundo sobre as sensações da cor e do corpo explorando a mancha através de ecolines e da tinta da china”.

Opinião

O valor canónico da obra de Aquilino Foi lançada na última semana uma nova edição dos Cadernos Aquilinianos, revista publicada pelo Centro de Estudos Aquilino Ribeiro (CEAR). De periodicidade anual, o nº 19, referente a 2008, apresenta boa colheita, a avaliar pela riqueza documental dos textos trazidos à colação. Com 250 páginas, este volume contém dossiês temáticos diferenciados e responde a interesses diversificados dos leitores. O primeiro tema é motivado pelo centenário do Regicídio. Nos três depoimentos transcritos, Aquilino recupera passos da campanha de demolição levada a cabo pelos republicanos contra a realeza. Em seu entender, o Regicídio ficou a dever-se a “ódios e Publicidade

revoltas, semeados às cegas por republicanos e monárquicos”. Fora, portanto, “culpa de todos”, embora o condene, como princípio, “pelas leis da vida e as lições da história”. Aí faz o retrato psicológico dos regicidas e caracteriza a família real, nomeadamente a rainha D. Amélia e o rei D. Carlos. Sobre a personalidade deste último, faz uma distinção entre o rei e o homem: “o rei era péssimo, o homem, pelo que li, pelo que ouvi, era óptimo.” Complementam este dossiê os textos de Baptista-Bastos e Henrique Almeida, nos quais se indaga sobre a atmosfera revolucionária pré-republicana. Sete artigos preenchem a secção “leituras”, quase toda dedicada à literatura

infantil. Serafina Martins afere as diversas formas de reconhecimento institucional da obra aquiliniana, embora o Plano Nacional de Leitura não integre (ainda) livros do escritor, para além da adaptação da Peregrinação de Fernão Mendes Pinto. Por que não dar a ler – e com isso contribuir para a formação da “biografia do leitor” – obras como A Via Sinuosa, Cinco Réis de Gente ou Uma Luz ao Longe? Já em 1998, numa parceria com a Universidade do Algarve, o CEAR editou um estudo de autoria de Carina Infante do Carmo, debruçado, em grande parte, sobre esses três romances de internato. No conjunto, neles está patente um forte pendor pedagógico,

passível de uma abordagem escolar, podendo ser designados como “trilogia da educação”, na análise de António Fernandes. Deste autor, publicou também o CEAR, em 2008, um conjunto de ensaios reunidos em Aquilino Ribeiro, sob o signo da Terra e do Homem, excelente contributo para induzir a leitura daqueles e de outros romances, assim se realçando o valor canónico da obra de Aquilino Ribeiro. De seguida, Ferrão Correia e Rui Veloso ilustram esta ideia de integração da obra de Aquilino no cânone escolar. E a mesma orientação se encontra nas comunicações das últimas “Jornadas Aquilinianas” organizadas pelo CEAR. Da mão cheia de olhares Publicidade

sobre os livros de Matilde Rosa Araújo desponta o testemunho da “mãe da literatura infantil”, a atestar a “constante dívida de gratidão pelos encontros que lhe couberam no caminho com grandes escritores”. Foi “uma comoção imensa” sentir-se ao lado de Aquilino na homenagem que o CEAR lhe dedicou e sobre a qual se faculta abundante informação. Os textos do “arquivo” voltam a surpreender os leitores. Agrupam-se nesta colectânea as crónicas publicadas entre 1916 e 1920, desta feita votadas, na sua maioria, à crítica de arte. Frequentador regular do Salão da Sociedade Nacional das Belas Artes e de outras exposições, Aquilino cronista, na altu-

Henrique Almeida Coordenador do Grupo de Missão do Museu Municipal de Viseu henrique-almeida@sapo.pt

ra com cerca de 30 anos de idade, apreciava tecnicamente dezenas de quadros (de Columbano, Malhoa, Amadeu Cardozo, Anjos Teixeira, Augusto Pina, Diogo de Macedo, Sousa Lopes, António Ramalho, o viseense Almeida e Silva, entre tantos mais), bem como outras manifestações artísticas, no país e no estrangeiro. Ainda nesta secção, quer a bibliofilia do escritor, quer as referências a Viseu e à figura de Almeida Moreira justificam voltarmos em breve a este assunto.


D Cantares das Beiras

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

21

O “Grupo de Cavaquinhos e Cantares da Beira”, associação cultural de Queirã, Vouzela, comemoram 17 anos. No âmbito das comemorações, o grupo organiza no dia 21, pelas 20h00, uma noite de Fados de Lisboa, no restaurante “Eira Velha” e no dia 22, pelas 15h30, a abertura ao público da sede remodelada.

agenda cultural fnac Destaque o a descobrir vertentes da Astronomia em conversas com Fernando Figueiredo.

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA PREVENÇÃO E SEGURANÇA RODOVIÁRIA ∑ De 12 de Novembro a 05 de Dezembro de 2009 Concebida especificamente com o intuito de alertar para os problemas de Prevenção e Segurança, a exposição reúne a selecção de 30 trabalhos de fotógrafos da United Photo Press de todo o mundo. As fotografias retratam a diversidade e as peculiaridades contrastantes de algumas cidades como S. Paulo, Maputo, Joanesburgo, Nova Yorque, Lisboa, Sidney, Luanda, Cidade do México, Santiago, Buenos Aires. APRESENTAÇÃO ANO INTERNACIONAL DA ASTRONOMIA- 2009 POR FERNANDO FIGUEIREDO ∑ DIA 21 SAB 17H00 Desde sempre o homem sentiu um fascínio pela imensidão do universo, e neste ano em especial em que se comemoram os 400 anos sobre as primeiras observações de Galileu Galilei, a Fnac convida-

OFICINA ARTÍSTICA FÓRUM MIÚDOS ∑ DIA 22 DOM 11H30 29 DOM 11H30 Aos domingos de manhã o Fórum Miúdos é palco onde giram actividades artísticas para miúdos e graúdos. Histórias divertidas, músicas para cantar, magias que encantam, brincadeiras e objectos para experimentar são algumas das surpresas que o Gira Sol Azul tem para apresentar. EM CONCERTO RED HOUSE VIEW ∑ DIA 22, DOM, 17H00 Os Red House View são uma banda oriunda de Leiria e encontram-se de momento a gravar o primeiro álbum. Terminaram recentemente as gravações do videoclip para o single do respectivo álbum, protagonizado pela modelo Carla Matadinho, cujo lançamento pretendem efectuar aquando do lançamento do álbum. Têm passado por vários palcos, alguns importantes, como a semana académica de Leiria, Festas do Bodo em Pombal e na mais recente edição da queima das fitas de Coimbra onde tocaram no palco principal com os Xutos & Pontapés.

cartaz fim-de-semana LAMEGO

∑ Teatro Ribeiro da Conceição| Dia 20, pelas 21h30 Apresentação da exposição biográfica e do documentário sobre o escritor João Pina de Morais

Variedades

Cine Clube expõe meio século de história

Exposição em Tondela

Exposição∑ iniciativa decore na Loja Empório O Cine Clube de Viseu (CCV) expõe na loja Empório, na rua Silva Gaio, as fotografias, os vídeos e os objectos que marcam 54 anos da sua história. “Dos 0 aos 54 anos num flash” começa com a as imagens do “Passaporte para o paraíso”, de Henry Cornelius, o primeiro filme a ser exibido a 16 de Dezembro de 1955. Uma projecção que marca a fundação do CCV, por iniciativa de de um grupo de cinéfilos viseenses que, como se lê no livro “Cine Cidade” de Fernando Giestas, “remando contra ventos e marés uma colectividade num período de nosso país em que era difícil tal acção. Vários são os filmes que marcam o percurso do CCV, assim como os espaços que acolheram a colectividade.A Casa Museu de Almeida Moreira e a nova sede na Calçada da Vígia/ Rua Escura são alguns dos espaços evocados na exposição.

A Imagens e vídeos contam história do Cine Clube O concurso de fotografia, o cinema no parque da cidade, o projecto Cinemanas escolas, projectos e actividades de excelência do CCV são também destacados na exposição.

“Dos 0 aos 54 anos num flash” está patente na loja Empório até dia 19 de Dezembro. Ana Filipa Rodrigues Ana.rodrigues@jornaldocentro.pt

Ciclo de Cinema

∑ “Morrer como um homem” do realizador João Pedro Rodrigues, é o segundo filme em exibição no ciclo de cinema “Nós por cá” dedicado ao trabalho de realizadores portugueses. O ciclo de cinema teve início com o filme “Singularidades de uma rapariga loira”, de Manoel de Oliveira, exibido a 17 de Novembro. O “Sangue” (dia 1 de Dzembro) e “Ne Change Rien” (dia 8) de Pedro Costa encerram “Nós por cá”. As sessões decorrem às 21h45, no Instituto Português da Juventude.

Os cartazes de jazz de Willisau, obra gráfica de Niklaus Troxler vai estar em exposição no Restaurante Novo Ciclo ACERT, de 30 de Novembro a 31 de Dezembro. O gráfico de profissão concebeu diversos cartazes para concertos e festivais, gozando hoje de um lugar de destaque no mundo das artes gráficas. Alguns dos seus trabalhos foram integrados nas colecções de grandes museus, como o Modern Art Museum de Nova Iorque ou o Stedelijk Museum de Amesterdão. Os cartazes produzidos para o festival de Willisau têm um interesse particular, visto que Niklaus Troxler foi fundador deste festival, em 1975. A exposição irá exibir 11 cartazes.

Concerto

SEIA

∑ Casa da Cultura | Dia 21, pelas 21h45 Festus - Festival de Tunas de Seia LISBOA

∑ Academia Portuguesa de História| Dia 21 pelas 16h00 Entrega do Prémio A. Almeida Fernandes a Maria do Rosário

Orquestra do Norte em concerto no Teatro Ribeiro Conceição A Orquestra do Norte, com a participação especial do pianista António Rosado, apresenta, dia 21, no Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego, todas três das mais favoritas peças do reportório para pia-

no do compositor francês Maurice Ravel. As sonoridades de “Alborada del Gracioso”, o “concerto em sol para piano e orquestra” e “Bolero” irão encher o teatro a partir das 21h30.

roteiro bares&discotecas Viseu Bar da Academia Música ambiente Bar Puro Espaço tranquilo para uma boa conversa entre amigos. Jazz clássico e contemporâneo. Marzovelos - Viseu Eça de Queirós Bar Música ambiente, promoções, festas, petiscos. Domingos e feriados abertos

das 20h00 às 02h00. Factor C Bar dançante, aberto das 23h00 às 04h00. Música Pop-Rock e música alternativa na noite de Viseu Hangar, Club Sextas, Ladies Night. Quartas, Noites Academicas Maionese Música ambiente Fast-food - Snooker

NB Club Discoteca 4 Dezembro, Rui Vargas. Aberto 3ªs, 5ªs, 6ªs e Sábados das 21h00 às 06h00. Obviamente Bar Emissão do Sofá:2 By: ZWEI: (Delacroix & Wermut). Música e bom ambiente até às 04h00. Palha D’aço 4 Dezembro, Aniversário - I

Love Evolution Project. Aberto todos os dias até às 04h00. Reitoria Café-bar, música ambiente, jogos. 2ª a 6ª das 12h00 às 03h00 e Sábados e Domingos das 20h00 às 03h00 Ritual Celta Bar Música ambiente • Variedade de Cervejas

Winebar Música ambiente, aberto até às 02h00, ecrã gigante e jogos. Francesinhas e outros pratos. Largo da Prebenda, Junto à antiga GNR - Viseu 19x Bar esplanada, música ambiente. Aberto 6ªs e Sábados e vésp. de feriado. 21h00 às 04h00.

Para aderir a este roteiro ligue para o Jornal do Centro: 232 437 461


22

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

em foco PALÁCIO DO GELO

PAI NATAL COM RECEPÇÃO MÁGICA

NATAL FORUM CHEGADA TRIUNFAL Este ano o Pai Natal do Forum Viseu trocou o tradicional trenó por um sofisticado helicóptero e aterrou no passado sábado no recinto da Feira de S. Mateus perante mais de 2000 pessoas que assistiram à sua chegada triunfal. A conhecida actriz Joana Alvarenga, que participou nas séries “Rebelde Way” e “Morangos com Açúcar”, foi a anfitriã de uma manhã cheia de animação e, juntamente com o Pai Natal, distribuiu pelas crianças presentes sorrisos, autógrafos e o novo livro do Gui “Gui Uma Grande Lição pelo Sorriso do Planeta Terra”. O Pai Natal seguiu para a sua Casa, no Forum Viseu,

onde o ambiente de festa se prolongou por todo o dia, com especial destaque para a ligação da decoração de Natal. Uma das novidades deste ano é o sistema de iluminação através da utilização de LED, com lâmpadas que consomem apenas 0,5 watts, o que corresponde a uma eficaz poupança energética. O Forum aproveita para apelar à criatividade das crianças num passatempo em que serão desafiadas a decorar uma estrela e a escrever três boas práticas ambientais. A melhor participação ganha uma viagem à Disneyland Paris para 4 pessoas durante três dias.

INAUGURAÇÃO

ATELIER CASTELO EM NOVO ESPAÇO Seis jovens vestiram as criações de vestidos para noivas da estilista de Viseu, Maria de Castelo durante um desfile, no sábado, dia 14. O evento constituiu o ponto alto da inauguração do novo Atelier Castelo, que juntou clientes, figuras públicas da cidade e sobretudo muitos amigos, para um brinde ao novo espaço. “A Maria do Castelo já merecia um espaço assim, pelo trabalho que tem

desenvolvido na cidade ao longo destes anos”, comentou Rosário Nascimento, autora do projecto de decoração do atelier. Na mesma Rua João Mendes, onde permaneceu durante 17 anos, Maria do Castelo dispõe agora de um espaço amplo e moderno com “muito vidro, para dar mais luz e mais visibilidade”, descreve, acrescentando que “renovar” é a palavra de ordem.

Num ambiente “mágico” cheio de alegria e muita animação, o Pai Natal chegou ao Palácio do Gelo, no sábado, dia 14 e foi recebido por milhares de pessoas, entre elas muitas crianças que ao longo do dia se divertiram com as inúmeras actividades programadas. Agora, até dia 24 de Dezembro, haverá diariamente ateliers infantis, peças de teatro infantil, hora do conto, espectáculos de marionetas, sessões de foto-

grafia com o Pai Natal e o célebre comboio de Natal. O Palácio do Gelo vai ainda realizar um sorteio de Natal com vários prémios, para quem fizer compras naquele complexo comercial. Para concorrer basta dirigir-se ao balcão de informação no piso -2, ou consultar o regulamento disponível em www.palaciodogelo.pt. O sorteio realiza-se a 6 de Janeiro de 2010.


24

Jornal do Centro

guia de restaurantes Mais em www.jornaldocentro.pt

20 | Novembro | 2009 A página semanal “Guia de Restaurantes” é uma montra útil da variedade dos restaurantes da região, convidando os leitores a descobrirem sabores e iguarias em ambientes variados. Para a inclusão de novos restaurantes neste guia, pode contactar através do número de telefone 232 437 461.

VISEU

RESTAURANTE SANTA MARIA

Especialidades Cozido à Portuguesa, Picanha, Borrego Estufado, Bacalhau Santa Maria. Folga Quarta-Feira. Preço médio por refeição Desde 6,50 euros. Morada Avenida da Igreja, nº 989, Canas de Santa Maria, 3460-012 Tondela. Telefone 232 842 135. Observações Refeições económicas c/ tudo incluído – 6,50 euros; Refeições p/ fora – 5,50 euros.

RESTAURANTE O MARTELO

Especialidades Cabrito na Grelha, Bacalhau, Bife e Costeleta de Vitela. Folga Não tem. Morada Rua da Liberdade, nº 35, Falorca, 3500-534 Silgueiros. Telefone 232 958 884. Observações Vinhos Curral da Burra.

RESTAURANTE BEIRÃO

Especialidades Bife à Padeiro, Posta de Vitela à Beirão, Bacalhau à Casa, Bacalhau à Beirão, Açorda de Marisco. Folga Segundafeira (excepto Verão). Preço médio refeição 12,50 euros. Morada Alto do Caçador, EN 16, 3500 Viseu. Telefone 232 478 481 Observações Aberto desde 1970.

SÃO PEDRO DO SUL RESTAURANTE QUINTA DO MARQUÊS Especialidades Bacalhau

RESTAURANTE TIA IVA

c/ Natas, Rojões à Beirão, Vitela à Lafões, Tiramisú. Folga Domingo (Dezembro a Junho). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Galerias Quinta do Marquês, 2º Piso, Fracção Z (junto ao Pav. Desportivo Municipal e Piscinas), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 723 815. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira).

Especialidades Bacalhau à Tia Iva, Bacalhau à Dom Afonso, Polvo à Lagareiro, Picanha. Folga Domingo. Preço médio refeição 13 euros. Morada Rua Silva Gaio, nº 16, 3500-203 Viseu Telefone 232 428 761. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira) – 6 euros.

RESTAURANTE O PERDIGUEIRO

Especialidades Peixes Grelhados e ao Sal, Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Assado à Padeiro. Folga Sábado. Morada Quinta do Galo, Lote B R/C Direito, 3500 Viseu. Telefone 232 461 805.Observações Aceita Multibanco.

RESTAURANTE O CAMPONÊS

Especialidades Nacos de Vitela Grelhados c/ Arroz de Feijão, Vitela à Manhouce (Domingos e Feriados), Filetes de Polvo c/ Migas, Cabrito Grelhado c/ Arroz de Miúdos, Arroz de Vinha d´Alhos. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 12 euros. Morada Praça da República, nº 15 (junto à Praça de Táxis), 3660 S. Pedro do Sul. Telefone 232 711 106 – 964 135 709.

RESTAURANTE PICANHA REAL

Especialidades Rodízio de Picanha. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira, Lote 1 R/C, Travassós de Cima, 3500-187 Viseu Telefone 232 186 386/7 - 917 038 215. Observações Refeições económicas ao almoço (2ª a 6ª feira).

RESTAURANTE O VISO

Especialidades Cozinha Caseira, Peixes Frescos, Grelhados no Carvão. Folga Sábado. Morada Alto do Viso, Lote 1 R/C Posterior, 3500-004 Viseu. Telefone 232 424 687. Observações Aceitamse reservas para grupos.

RESTAURANTE MAJOAL

Especialidades Arroz de Pato, Bacalhau c/ Natas, Grelhados, Frango de Churrasco. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Capitão Silva Pereira, 3500-208 Viseu. Telefone: 232 431 891 - 964 043 709.

CORTIÇO

Especialidades Bacalhau Podre, Polvo Frito Tenrinho como Manteiga, Arroz de Carqueja, Cabrito Assado à Pastor, Rojões c/ Morcela como fazem nas Aldeias, Feijocas à maneira da criada do Sr. Abade. Folga Não tem. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Rua Augusto Hilário, nº 45, 3500-089 Viseu. Telefone 232 423 853 – 919 883 877. Observações Aceitam-se reservas; Take-way.

RESTAURANTE O CAMBALRO

Especialidades Camarão, Francesinhas, Feijoada de Marisco. Folga Não tem. Morada Estrada da Ramalhosa, nº 14, Rio de Loba, 3500-825 Viseu. Telefone 232 448 173. Observações Prato do dia - 5 euros.

RESTAURANTE O LARGO DA PREBENDA

Especialidades Pratos Tradicionais. Folga Segunda-feira. Morada Largo da Prebenda, 37/45, 3500-172 Viseu. Telefone 232 435 366 - 964 233 844. Observações Aos domingos pratos tradicionais (Bacalhau Podre, Cabritinho Assado no Forno, etc...).

DELJONATA RESTAURANTE

Especialidades Terra Mar, Sinfonia Quente ou Fria, Mariscos, Sapateira, Lagosta, Grelhados, Combinado do Mar. Folga Terça-feira. Morada Edifício D. João I, Lote 364 R/C, Loja 7, Letra E, 3510-076 Viseu Telefone 232 411 500. Observações Comida para fora.

TORRE DI PIZZA

Especialidades Pizzas, Massas, Carnes. Folga Segunda-feira. Morada Avenida Cidade de Aveiro, Lote 16, 3510720 Viseu. Telefone 232 429 181 – 965 446 688. Observações Menu económico ao almoço – 4,90 euros.

RESTAURANTE CLUBE CAÇADORES

Especialidades Polvo à Lagareiro, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito Churrasco, Javali na Brasa c/ Arroz de Feijão, Arroz de Perdiz c/ Míscaros, Tarte de Perdiz, Bifes de Veado na Brasa. Folga Quarta-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Muna, Lordosa, 3515-775 Viseu. Telefone 232 450 401. Observações Reservas para grupos e outros eventos.

SOLAR DO VERDE GAIO

Especialidades Rodízio à Brasileira, Mariscos, Peixe Fresco. Folga Terça-feira. Morada Mundão, 3500-564 Viseu. www. solardoverdegaio.pt Telefone 232 440 145 Fax 232 451 402. E-mail geral@solardoverdegaio.pt Observações Salão de Dança – Clube do Solar – Sextas, Sábados até às 03.00 horas. Aceita Multibanco.

RESTAURANTE SANTA LUZIA

Especialidades Filetes Polvo c/ Migas, Filetes de Espada com Arroz de Espigos, Cabrito à Padeiro, Arroz de Galo de Cabidela, Perdiz c/ Castanhas. Folga Segunda-feira. Morada EN 2, Campo, 3510-515 Viseu. Telefone 232 459 325. Observações Quinzena da Lampreia e do Sável, de 17 de Fevereiro a 5 de Março. “Abertos há mais de 30 Anos”.

PIAZZA DI ROMA

Especialidades Cozinha Italiana (Pizzas, Massas, Carnes e Vinhos). Folga Domingo e segunda-feira ao almoço. Morada Rua da Prebenda, nº 37, 3500-173 Viseu Telefone 232 488 005. Observações Menu económico ao almoço.

CASA REAL

Especialidades Bacalhau Grelhado na Telha, Polvo Grelhado c/ Migas, Vitela Assada no Forno, Cabrito Grelhado à Casa Real, Bochechas/Secretos de Porco Preto na Telha. Morada Rua Mestre António Nelas, 190 r/c Direito, Qtª do Bosque - Viseu. Telefone 232 449 167 / 966 646 719. Observações Aceitam-se reservas. Take-away.

RESTAURANTE A BUDÊGA

Especialidades Picanha à Posta, Cabrito na Brasa, Polvo à Lagareiro. Acompanhamentos: Batata na Brasa, Arroz de Feijão, Batata a Murro. Folga Domingo. Preço médio por refeição 12,50 euros. Morada Rua Direita, nº 3, Santiago, 3500-057 Viseu. Telefone 232 449 600. Observações Vinhos da Região e outros; Aberto até às 02.00 horas.

COMPANHIA DA CERVEJA

Especialidades Bifes c/ Molhos Variados, Francesinhas, Saladas Variadas, Petiscos. Folga Terça-feira. Preço médio refeição 8,50 euros. Morada Quinta da Ramalhosa, Rio de Loba (Junto à SubEstação Eléctrica do Viso Norte), 3505570 Viseu Telefone 232 184 637 - 962 723 772. Observações Cervejaria c/ amplo espaço (120 lugares), fácil estacionamento, acesso gratuito à internet.

RESTAURANTE D. INÊS

Especialidades Pratos económicos de Carne e Peixe. Folga Domingo. Preço médio refeição 5 euros. Morada Rua Serpa Pinto, nº 54, 3500 Viseu Telefone 232 428 837 – 232 184 900.

QUINTA DO GALO CERVEJARIAS

Especialidades Grelhados de Peixe e Carne. Folga Domingo. Morada Quinta do Galo, Lt3 | Bairro Stª Eugénia, Lt21, Viseu. Telefone 232 461 790 Observações Aberto até às 2h00.

TELHEIRO DO MILÉNIO QUINTA FONTINHA DA PEDRA

Especialidades Grelhados c/ Churrasqueira na Sala, (Ao Domingo) Cabrito e Aba Assada em Forno de Lenha. Folga Sábados (excepto para casamentos, baptizados e outros eventos) e Domingos à noite. Morada Rua Principal, nº 49, Moure de Madalena, 3515-016 Viseu. Telefone 232 452 955 – 965 148 341.

A PÚCARA – RESTAURANTE

Especialidades Camarão à Púcara, Enchidos da Beira, Polvo em Vinho Tinto do Dão, Cabrito Grelhado, Ensopado de Lebre entre outros mais. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Quinta do Catavejo, Lote 44, Mundão, 3505-582 Viseu. Telefone 232 429 174. Observações Ementa semanal por apenas 10€ por pessoa, almoço e jantar de segunda e sexta.

O CANTINHO DO TITO

Especialidades Cozinha Tradicional, Petiscos. Folga Domingo. Morada Rua Mário Pais da Costa, nº 10, Lote 10 R/C Dto., Abraveses, 3515-174 Viseu. Telefone 232 187 231 – 962 850 771.

RESTAURANTE BELOS COMERES (ROYAL)

Especialidades Restaurantes Marisqueiras. Folga Não tem. Morada Cabanões; Rua da Paz, nº 1, 3500 Viseu; Santiago. Telefone 232 460 712 – 232 468 448 – 967 223 234. Observações Casamentos, baptizados, convívios, grupos.

EÇA DE QUEIRÓS

Especialidades Francesinhas, Bifes, Pitas, Petiscos. Folga Não tem. Preço médio refeição 5,00 euros. Morada Rua Eça de Queirós, 10 Lt 12 - Viseu (Junto à Loja do Cidadão). Telefone 232 185 851. Observações Take-away.

RESTAURANTE O CALÇADA

Especialidades Toda a variedade de prato. Folga Não tem. Preço médio refeição Desde 2,50 euros. Morada Fórum Viseu, 3500 Viseu. Observações www.greensrestaurante.com

Especialidades Cataplana de Marisco, Polvo à Marinheiro, Bacalhau com Broa na Cataplana, Cabrito Confeitado, Carne de porco c/ castanhas na Cataplana, Medalhão de Vitela com Risotto, Secretos / Bochechas / Lagartos de Porto Preto, Comida Vegetariana. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Rua Principal de Vilela, Vilela, Viseu. Telefone 232 429 054 – 964 929 820. Observações Aceitam-se Reservas. Take-away.

MAIONESE

RESTAURANTE O POVIDAL

GREENS RESTAURANTE

Especialidades Hamburguers, Saladas, Francesinhas, Tostas, Sandes Variadas. Folga Não tem. Preço médio refeição 4,50 euros. Morada Rua de Santo António, 59-B, 3500-693 Viseu (Junto à Estrada Nacional 2). Telefone 232 185 959.

RESTAURANTE ROSSIO PARQUE

Especialidades Medalhão de Vitela p/ duas pessoas 800g Pura Alcatra, Bacalhau à Casa, Massa c/ Bacalhau c/ Ovos Escalfados, Corvina Grelhada; Acompanhamentos: Migas, Feijão Verde, Batata a Murro. Folga Sábado à Noite e Domingo. Morada Rua Soar de Cima, nº 55 (Junto ao Jardim das Mães – Rossio), 3500-211 Viseu. Telefone 232 422 085. Observações Refeições económicas (2ª a 6ª feira) – sopa, bebida, prato e sobremesa ou café – 6 euros.

FORNO DA MIMI

Especialidades Assados em Forno de Lenha, Grelhados e Recheados (Cabrito, Leitão, Bacalhau). Folga Não tem. Preço médio por refeição 14 euros. Morada Estrada Nacional 2, Vermum Campo, 3510-512 Viseu. Telefone 232 452 555. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado.

QUINTA DA MAGARENHA

Especialidades Lombinho Pescada c/ Molho de Marisco, Cabrito à Padeiro, Nacos no Churrasco. Folga Domingo ao jantar e Segunda-feira. Preço médio por refeição 15 euros. Morada Nó 20 A25, Fragosela, 3505-577 Viseu. Telefone 232 479 106 – 232 471 109. Fax 232 479 422. Observações Parque; Serviço de Casamentos.

RESTAURANTE IBÉRICO

Especialidades Grelhados, Francesinhas, Bacalhau à Ibérico, Grelhada Mista, Vários Petiscos. Folga Não tem. Morada Quinta de Dentro, Lote 79, R/C Dto., 3505-496 Rio de Loba, Viseu. Telefone 232 449 743 – 919 908 984. Observações Refeições económicas; Comida para fora.

RODÍZIO REAL

Especialidades Rodízio à Brasileira. Folga Não tem. Preço médio por refeição 19 euros. Morada Repeses, 3500693 Viseu. Telefone 232 422 232. Observações Casamentos, Baptizados, Banquetes; Restaurante Certificado.

RESTAURANTE A COCHEIRA

Especialidades Bacalhau Roto, Medalões c/ Arroz de Carqueija. Folga Domingo à noite. Morada Rua do Gonçalinho, 84, 3500-001 Viseu. Telefone 232 437 571. Observações Refeições económicas ao almoço durante a semana.

RESTAURANTE PORTAS DO SOL

Especialidades Arroz de Pato com Pinhões, Catalana de Peixe e Carne, Carnes de Porco Preto, Carnes Grelhadas com Migas. Folga Domingo à noite e Segunda-feira. Morada Urbanização Vilabeira - Repeses - Viseu. Telefone 232 431 792. Observações Refeições para grupos com marcação prévia.

Especialidades Arroz de Pato, Grelhados. Folga Domingo. Morada Bairro S. João da Carreira Lt9 1ª Fase, Viseu. Telefone 232 087 776. Observações Jantares de grupo.

MANGUALDE

RESTAURANTE MODERNO

Especialidades Cabrito Assado à Serrana, Rojões à Mangualde. Folga Sábado e Domingo à noite. Preço médio refeição 15 euros. Morada Largo Dr. Couto, nº 85, 3530 Mangualde. Telefone 232 622 941 – 963 460 290. Observações Mais de uma dúzia de Quintas na Região onde se podem fazer festas.

OS GALITOS

Especialidades Bacalhau à Galitos, Feijoada de Marisco, Picanha à Brasileira, Arroz de Tamboril c/ Gambas. Folga Não tem. Morada Rua 25 de Abril, nº 91 (Junto às Escolas Primárias), 3530-140 Mangualde. Telefone 232 612 950. Observações Serviços de Casamentos, Baptizados, Aniversários, Grupos.

PENALVA DO CASTELO O TELHEIRO

Especialidades Feijão de Espeto, Cabidela de Galinha, Arroz de Míscaros, Costelas em Vinha de Alhos. Folga Não tem. Preço médio por refeição 10 euros. Morada Sangemil, Penalva do Castelo. Observações Sopa da Pedra ao fim-de-semana.

TONDELA RESTAURANTE BAR O PASSADIÇO

Especialidades Cozinha Tradicional e Regional Portuguesa. Folga Domingo depois do almoço e Segunda-feira. Morada Largo Dr. Cândido de Figueiredo, nº 1, Lobão da Beira, 3460-201 Tondela. Telefone 232 823 089. Fax 232 823 090 Observações Noite de Fados todas as primeiras Sextas de cada mês.

RESTAURANTE PONTO DE ENCONTRO

Especialidades Grelhada Mista do Oceanos, Grelhada à Ponto de Encontro, Bacalhau c/ Natas, Bife à Ponto de Encontro. Folga Sábado. Morada Avenida do Salgueiral, nº 3, Fojo, Molelos, 3460211 Tondela. Telefone 232 812 867. Observações Casamentos, Baptizados e outros eventos; Refeições económicas (Almoço – 2ª a 6ª feira) – 5 e 6 euros.

SANTA COMBA DÃO RESTAURANTE TÍPICO O PEDRO Especialidades Mariscos, Grelhados e

Pratos Regionais. Paelha, Camarão À Pedro, Arroz de Marisco, Bacalhau Zé Pipo, Carne Porco Alentejana, Naco, Cabrito, Cabidela de Galo. Folga Não tem. Morada Rua Principal, nº 11 A, 3440-465 São João de Areias. Telefone 232 891 577 – 964 262 750. Observações Casamentos, Baptizados, Grupos; Espaço Verde.

OLIVEIRA DE FRADES OS LAFONENSES – CHURRASQUEIRA

Especialidades Vitela à Lafões, Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Casa, Bife de Vaca à Casa. Folga Sábado (excepto Verão). Preço médio por refeição 10 euros. Morada Rua D. Maria II, nº 2, 3680-132 Oliveira de Frades. Telefone 232 762 259 – 965 118 803. Observações Leitão por encomenda.

NELAS RESTAURANTE QUINTA DO CASTELO

Especialidades Bacalhau c/ Broa, Bacalhau à Lagareiro, Cabrito à Padeiro, Entrecosto Vinha de Alhos c/ Arroz de Feijão. Folga Sábado (excepto p/ grupos c/ reserva prévia). Preço médio refeição 15 euros. Morada Quinta do Castelo, Zona Industrial de Nelas, 3520-095 Nelas. Telefone 232 944 642 – 963 055 906. Observações Prova de Vinhos “Quinta do Castelo”.

VOUZELA

RESTAURANTE O REGALINHO

Especialidades Grelhada Mista, Naco de Vitela na Brasa c/ Arroz de Feijão, Vitela e Cabrito no Forno, Migas de Bacalhau, Polvo e Bacalhau à Lagareiro. Folga Domingo. Preço médio refeição 10 euros. Morada Rua Teles Loureiro, nº 18 Vouzela. Telefone 232 771 220. Observações Sugestões do dia 7 euros.

TABERNA DO LAVRADOR

Especialidades Vitela à Lafões Feita no Forno de Lenha, Entrecosto com Migas, Cabrito Acompanhado c/ Arroz de Cabriteiro, Polvo Grelhado c/ batata a Murro. Folga 2ª Feira ao jantar e 3ª todo o dia. Preço médio refeição 12 euros. Morada Lugar da Igreja - Cambra - Vouzela. Telefone 232 778 111 917 463 656. Observações Jantares de Grupo.

RESTAURANTE EIRA DA BICA

Especialidades Vitela e Cabrito Assado no Forno e Grelhado. Folga 2ª Feira. Preço médio refeição 15 euros. Morada Casa da Bica - Touça - Paços de Vilharigues - Vouzela. Telefone 232 771 343. Observações Casamentos e Baptizado. www.eiradabica.com


25

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

saúde Carências afectam doentes com espondílite anquilosante Doença∑ Associação da Espondílite Anquilosante organiza encontro nacional em Viseu O distrito de Viseu carece de uma piscina terapêutica que dê assistência aos doentes com espondilite anquilosante. O alerta parte do Núcleo de Viseu da Associação Nacional de Espondilite Anquilosante (ANEA) que organiza, amanhã, dia 21, o XXI Encontro Nacional de Espondílitos e seus familiares. O evento decorer a partir das 9h00, na Quinta dos Compadres. Do programa consta uma primeira parte com algumas intervenções de carácter médico, que se destinam a informar os doentes com esta patologia,sobre alguns estudos actuais e sobre aspectos relacionados com os tratamentos. Um encontro que assume, segundo responsável pelo núcleo, Marcia no A m a ra l , “ u m a grande importância” visto que existe pouca informação sobre a doença. “A única informação a que os utentes têm acesso é a que a ANEA disponibiliza e a que existe na internet.O Ministério da Saúde e outros organismos do estado nunca fizeram um

A Espondilite é uma doença crónica esforço para divulgar a doença”, lamenta Marciano Amaral. A falta de uma piscina terapêutica é uma das grandes condicionantes da prevenção e tratamento dos doentes com espondilite anquilosante. “Estamos a utilizar uma piscina de fisioterapia cedida pela Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral que desenrasca, mas que não reune todas as condições para dar resposta as necessidades de todos os doentes”, explica. Marciano Amaral defende que a psicina terapeutica podia ainda ser utilizada por outros doentes com patologias reumáticas ou neurológicas. “O núcleo entrou em contacto com uma empresa privada que possui uma piscina mas que está desactivada. O nosso ob-

jectivo era converter esse espaço numa piscina terapêutica”, refere. Desde 1995, ano a sua formação, o núcleo de Viseu da ANEA tem lutado pelo melhor acesso dos doentes aos cuidados de fisioterapia, elemento fundamental do tratamento da espondilite anquilosante. “Quando iniciámos actividades, a unidade convencionada mais próxima de fisioterapia ficava a 70 quilómetros. Hoje em dia, os doentes têm acesso aos Serviços de Medicina Física e Reabilitação do Hospital de Viseu na consulta de Espondiloartropatias”, congratula-se o coordenador. A espondilite anquilosante atinge cerca de dois por cento da população do concelho de Viseu. A doença é do foro reumático inflamatório cróni-

co que afecta a coluna vertebral e as suas articulações na bacia. É uma doença reumática que se revela em idades jovens, geralmente entre os 15 e os 40 anos. O diagnóstico precoce é o factor principal do tratamento. “Queremos alertar para importância do diagnóstico precoce que continua a não existir. Como se trata de uma doença reumática, muitas vezes os médicos dizem ao doente que tem de aguentar e deixar andar. Mas, essa atitude pode conduzir à anquilose incapacitante. Se o doente for bem orientado, pode limitar a evolução da doença”, defende. O encontro de sábado termina com um leilão de um quadro do pintor Rui Costa. Ana Filipa Rodrigues

FARMÁCIAS

Dia 20/Novembro – 6ª Feira Canas de Senhorim Farmácia Monteiro 232 671 220; Carregal do Sal Farmácia Abreu 232 968 230; Castro Daire Farmácia Gastão Fonseca 232 382 222; Lamego Farmácia Avenida 254 609 030; Mangualde Armácia Espinho Petrucci 232 622 240; Moimenta da Beira Farmácia Moderna 254 582 154; Mortágua Farmácia Abreu 231 922 185; Nelas Farmácia Faure 231 944 241; Oliveira de Frades Farmácia Pessoa 231 781 118; Penalva do Castelo Farmácia Claro 232 641 251; Resende Farmácia Lemos de Freitas 254 870 150; Santa Comba Dão Farmácia Carrilho 232 881 867; São Pedro do Sul Farmácia Elvira Coelho 232 728 003; Sátão Farmácia Andrade 232 982 028; Tondela Farmácia Matos 232 822 227; Viseu Farmácia Costa 232 414 075, Vildemoinhos Dia 21/Novembro – Sábado Canas de Senhorim Farmácia Pelourinho 232 671 210; Carregal do Sal Farmácia Abreu 232 968 230; Castro Daire Farmácia Gastão Fonseca 232 382 222; Lamego Farmácia Santos Monteiro 254 609 900; Mangualde Armácia Espinho Petrucci 232 622 240; Moimenta da Beira Farmácia Moderna 254 582 154; Mortágua Farmácia Abreu 231 922 185; Nelas Farmácia A. Pais 231 944 214; Oliveira de Frades Farmácia Pessoa 231 781 118; Penalva do Castelo Farmácia Claro 232 641 251; Resende Farmácia Lemos de Freitas 254 870 150; Santa Comba Dão Farmácia Carrilho 232 881 867; São Pedro do Sul Farmácia Elvira Coelho 232 728 003; Sátão Farmácia Carvalho 232 985 295; Tondela Farmácia Matos 232 822 227; Viseu Farmácia da Misericórdia 232 430 310, Av. 10 de Junho, 1 Dia 22/Novembro – Domingo Canas de Senhorim Farmácia Pelourinho 232 671 210; Carregal do Sal Farmácia Abreu 232 968 230; Castro Daire Farmácia Gastão Fonseca 232 382 222; Lamego Farmácia Senhora dos Remédios 254 612 968; Mangualde Armácia Espinho Petrucci 232 622 240; Moimenta da Beira Farmácia Moderna 254 582 154; Mortágua Farmácia Abreu 231 922 185; Nelas Farmácia A. Pais 231 944 214; Oliveira de Frades Farmácia Pessoa 231 781 118; Penalva do Castelo Farmácia Claro 232 641 251; Resende Farmácia Lemos de Freitas 254 870 150; Santa Comba Dão Farmácia Carrilho 232 881 867; São Pedro do Sul Farmácia Elvira Coelho 232 728 003; Sátão Farmácia Carvalho 232 985 295; Tondela Farmácia Horta 232 822 304; Viseu Farmácia Viso 232 471 678, Viso Sul Dia 23/Novembro – 2ª Feira Canas de Senhorim Farmácia Pelourinho 232 671 210; Carregal do Sal Farmácia Moderna 232 968 101; Castro Daire Farmácia da Misericórdia 232 382 235; Lamego Farmácia Parente 254 612 764; Mangualde Farmácia Albuquerque 232 611 952; Moimenta da Beira Farmácia Ferreira 254 584 143; Mortágua Farmácia Gonçalves 231 922 223; Nelas Farmácia A. Pais 231 944 214; Oliveira de Frades Farmácia Oliveirense 231 761 128; Penalva do Castelo Farmácia Silveira 232 641 362; Resende Farmácia da Avenida 254 877 253; Santa Comba Dão Farmácia Vasco da Gama 232 890 402; São Pedro do Sul Farmácia Dias 232 711 213; Sátão Farmácia Carvalho 232 985 295; Tondela Farmácia Moura 232 822 237; Viseu Farmácia Nery 232 459 822, Abraveses Dia 24/Novembro – 3ª Feira Canas de Senhorim Farmácia Pelourinho 232 671 210; Carregal do Sal Farmácia Moderna 232 968 101; Castro Daire Farmácia da Misericórdia 232 382 235; Lamego Farmácia Cardoso 254 646 261; Mangualde Farmácia Albuquerque 232 611 952; Moimenta da Beira Farmácia Ferreira 254 584 143; Mortágua Farmácia Gonçalves 231 922 223; Nelas Farmácia A. Pais 231 944 214; Oliveira de Frades Farmácia Oliveirense 231 761 128; Penalva do Castelo Farmácia Silveira 232 641 362; Resende Farmácia da Avenida 254 877 253; Santa Comba Dão Farmácia Vasco da Gama 232 890 402; São Pedro do Sul Farmácia Dias 232 711 213; Sátão Farmácia Carvalho 232 985 295; Tondela Farmácia Moura 232 822 237; Viseu Farmácia Portugal 232 423 317, Av. Alberto Sampaio, 76 Dia 25/Novembro – 4ª Feira Canas de Senhorim Farmácia Pelourinho 232 671 210; Carregal do Sal Farmácia Moderna 232 968 101; Castro Daire Farmácia da Misericórdia 232 382 235; Lamego Farmácia Avenida 254 609 030; Mangualde Farmácia Albuquerque 232 611 952; Moimenta da Beira Farmácia Ferreira 254 584 143; Mortágua Farmácia Gonçalves 231 922 223; Nelas Farmácia A. Pais 231 944 214; Oliveira de Frades Farmácia Oliveirense 231 761 128; Penalva do Castelo Farmácia Silveira 232 641 362; Resende Farmácia da Avenida 254 877 253; Santa Comba Dão Farmácia Vasco da Gama 232 890 402; São Pedro do Sul Farmácia Dias 232 711 213; Sátão Farmácia Carvalho 232 985 295; Tondela Farmácia Moura 232 822 237; Viseu Farmácia Gastromil 232 426 666, Rua do Comércio, 10 Dia 26/Novembro – 5ª Feira Canas de Senhorim Farmácia Pelourinho 232 671 210; Carregal do Sal Farmácia Moderna 232 968 101; Castro Daire Farmácia da Misericórdia 232 382 235; Lamego Farmácia Santos Monteiro 254 609 900; Mangualde Farmácia Albuquerque 232 611 952; Moimenta da Beira Farmácia Ferreira 254 584 143; Mortágua Farmácia Gonçalves 231 922 223; Nelas Farmácia A. Pais 231 944 214; Oliveira de Frades Farmácia Oliveirense 231 761 128; Penalva do Castelo Farmácia Silveira 232 641 362; Resende Farmácia da Avenida 254 877 253; Santa Comba Dão Farmácia Vasco da Gama 232 890 402; São Pedro do Sul Farmácia Dias 232 711 213; Sátão Farmácia Carvalho 232 985 295; Tondela Farmácia Moura 232 822 237; Viseu Farmácia Pinto de Campos 232 437 225, Largo Pintor Gata, 2


26 SAĂšDE

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009


27

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

emprego Primeiro maquinista ibérico é de Mangualde

Luís Miguel Baptista Neves, de 29 anos, residente em Mangualde tornou-se o primeiro maquinista Ibérico a poder circular entre Portugal e Espanha sem a necessidade de ser acompanhado por um inspector. Luís Neves, depois de ter concluído em Fevereiro a formação em Portugal, viajou para Espanha para fazer lá também a formação como maquinista técnico, que foi concluída no dia 12, em Madrid.

Através da sua empresa COMSA RAIL TRANSPORT, a segunda operadora privada do sector das mercadorias em Portugal, anula assim as “inoperabilidades existentes na ferrovia entre Espanha e Portugal”, adianta a operadora em comunicado. Para Luís Neves realizou-se “um sonho de infância”, de alcançar a carreira de maquinista, não só nacional, mas também ibérica. EA

Unidade local de formação para bombeiros

Começou a funcionar no sábado, dia 14, a Unidade Local de Formação (ULF) de Mangualde da Escola Nacional de Bombeiros. Instalada no corpo dos Bombeiros Voluntários, a ULF contempla formação nas áreas de combate a incêndios florestais e a incêndios urbanos e industriais, obrigatória para a promoção da carreira de bombeiro. A criação da ULF de Mangualde insere-se no plano de formação descentralizada que a Escola Nacional de Bombeiros (ENB) está a levar a cabo em Todo o país.

“Escolhemos Mangualde porque reunia condições logísticas, financeiras, de infra-estruturas, e a Escola Nacional de Bombeiros entendeu formalizar esta parceria, atendendo à capacidade e à disponibilidade dos Bombeiros de Mangualde”, acrescentou Rebelo Marinho, da direcção da ENB. Cada distrito do país vai dispor de duas ULF. O quartel dos Bombeiros Voluntários de Castro Daire vai receber a segunda ULF de Bombeiros do distrito de Viseu. EA

ADMITE-SE

Eng. Civil c/ Exp. Autocad Entrada imediata Envio de Curriculum - arquitecnicaof@gmail.com


28

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

emprego & formação Procuro pessoas para venda de Cosméticos, Perfumaria e Bijutaria por catálogo de excelente qualidade T. 963 702 816

EMPREGO OFERTA Pessoa com experiência em photoshop e multimédia. T. 917 548 652 Recrutam-se vendedores de produtos por catalogo T. 936 743 436 Preciso Comerciais para empresa. Urgente. T. 910 793 262 AVON recruta revendedores. Nome + morada para info. T. 938 617 529 Imobiliária Opção Chave Selecciona Comerciais para escritórios de Viseu, oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional. T. 966 500 271

EmpresaPúblicacomsedenaBeiraInterioradmite

RESPONSÁVELPELOS SISTEMASETECNOLOGIASDEINFORMAÇÃO Pretendese: FormaçãosuperiornaÁreadeInformática (licenciatura em prébolonha ou licenciatura e mestrado pós bolonha);  Experiência profissional em funções de Administração de Sistemas comomínimode3anos; Formaçãoespecializadaemsistemasdeinformaçãoeredes; FormaçãoespecializadaemplataformasMicrosofteUnix/Linux; ConhecimentossólidosdeBasesdeDados(ORACLEeMicrosoft).  Valorizase: ConhecimentosnasaplicaçõesinformáticasdoMinistériodaSaúde; ConhecimentosdeGestãodeProjectoseformação/certificaçãoem ITIL; Capacidadedeliderançaegestãodeequipas; Trabalhoemcondiçõesdestress.  Oferecese: Integraçãoemempresasólida; Pacotesalarialemfunçãodaexperiênciaprofissional; FormaçãoProfissional.  Ascandidaturasserãotratadascomamáximaconfidencialidade. RespostaaoJornaldoCentroatéaodia21/11/209,acompanhadade CVcomaref.ª400/a.

Procuram-se consultores comerciais. Oferecemos comissões e prémios p/ objectivos. T. 938 798 043 Part-time/Full-time. Transforme os seus tempos livres num negócio de sucesso. Marque entrevista T. 961 050 604 / 916 437 393 Precisa-se Auxiliar de Geriatria cm.apoiofamilia@gmail.com T. 933 110 425 Aulas de Italiano com professora nativa. Língua, cultura, conversação. Email: cinquenomi@yahoo.it T. 910 827 005 Precisa-se canalizador para aquecimento central / Orçamentista. Urgente. T. 918 793 593 / 232 954 911

A Frederic M recruta para Parttime ou Full - time Conselheiras de Beleza com ou sem experiência T. 967 762 766

Procuram-se pessoas dinâmicas para gerir negócio na área das telecomunicações. T. 937160866

Projectos Criação do Próprio Emprego do IEFP T. 919 350 133

Procuro pessoas p/ venda de cosméticos p/ catálogo. T. 966 230 254

Eng. TÉCNICO-COMERCIAL (m/f) = LITORAL CENTRO = Empresa comercial e de prestação de serviços técnicos especializados na área da electrotecnia, com sede em Viseu, no seguimento da implementação da sua estratégia de expansão, pretende reforçar a sua equipa, através da admissão de um Engenheiro Técnico-Comercial, para a zona Litoral Centro, reportando directamente à Gerência. FUNÇÃO: Desenvolvimento da estratégia de penetração do mercado da Região Litoral Centro, tendo sob sua responsabilidade (em estreita colaboração com a Gerência), a implementação da Política Comercial e da Política de Prestação de Serviços Especializados. Evidenciam-se como principais áreas de intervenção: Comercialização dos equipamentos e peças; Coordenação e supervisão de obras; Auditorias energéticas e gestão de energia. PERFIL: Formação superior em Eng. Electrotécnica, Eng. Electrónica ou similar. Experiência profissional associada às áreas acima referidas, entre 3 a 5 anos. Forte motivação para trabalhar por objectivos. Residência ou disponibilidade para residir na região de Aveiro. Idade entre 25 e 35 anos. Conhecimentos de informática, na óptica do utilizador, de Excel, Word e Auto-Cad. Facilidade na utilização da língua inglesa. Carta de condução e viatura própria, bem como disponibilidade para deslocações no país. OFERECE-SE: Remuneração fixa + variável (associada ao desempenho). Período de formação técnica. Integração numa empresa jovem, sólida e com forte potencial de desenvolvimento. Se acha que tem o Perfil anunciado, envie o seu C.V. + fotografia para: BMS Consultores, L.da Rua Comandante António Góis Guerreiro, Lote 185 Lj 1 | 3510-223 Viseu Ou preferencialmente via e-mail: fernando.mateus@bmsconsultores.pt


29

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

imobiliário IMOBILIÁRIO V ENDE- SE T1 e T2, colina verde em fase final de construção. T. 963 036 432 T2, 104m2, Av. Ant. José Almeida. 87.000€ T. 914 809 167 Vendo T1, Mobilado, zona da Sé. Construção recente T. 926 784 800 Vende-se casa antiga para restauro com cave. Área de cobertura 131m2. No centro de Loureiro de Silgueiros. T. 962 309 454 / 917 239 296

T3 Urb. Vilabeira, próximo Politécnico – Repeses, 5º andar, c/ pintura interior nova, área bruta 210 m2, garagem fechada p/ 2 carros e arrumos c/ janela. Trata o próprio. T. 917 515 180

T2 Abraveses remodelado c/90m2, despensa, lavandaria, marquise, sótão, varandas, arrumos. 73.000,00€ T. 917 921 823

Apartamento T3 na Quinta do Galo com 3 frentes,lareira na sala, 2 wc`s ,sótão e garagem fechada. 90.000,00€. T. 232 098 416 T. 960 050 949

Moradia isolada próxima do Palácio do Gelo - Viseu (Nova) T. 938 445 815

T2 Abraveses c/100m2 área, 2 frentes, lareira, roupeiros, sótão, varandas, arrumos e garagem. 75.000,00€ T. 969 090 018

Apartamento T2 a 2 minutos do centro de Viseu. 65.000,00€ T. 232 098 416 T. 960 050 949

Moradia isolada junto ao Sátão T. 938 445 815 Casa antiga, totalmente remodelada, c/ aq. central, a 10 minutos de Viseu. T. 965 563 130 Moradia T5, arquitectura minimalista, áreas verdes, Nelas. O próprio. T. 918 739 748 Casa Antiga p/ restaurar c/ 40.000 m2 de terreno. Junto à barragem da Aguieira. T. 917 460 551

Terreno c/ vinha em plena produção. 6 Hect. Zona de Mangualde. T. 965 081 533

Terreno, zona de Mundão, 16.000 m2 construtivos. T. 962 645 933

T1 no centro da Cidade (Viseu). Boas áreas. Zona nova. T. 966 493 070

Moradia em tosco. Zona de Cavernães – Viseu. Bom preço. T. 962 645 933

T3 + 2 centro Viseu. Aceita parte pagamento, viatura ou autocaravana. T. 912 219 647

Terreno c/ 6.000 m2 p/ construção de moradias ou prédios até 3 pisos. Área de construção 2.700 m2 - Coimbra. T. 917 460 551

T3 remodelado, c/ aq. central e AC. Entre 3 superf. comerciais e a 7 min. do centro Net Wirless, no condomínio. 110.000 € T. 918 639 302 2 Lotes juntos para construção. Preço acessível. T. 962 645 933 Moradia de luxo, Repeses, com possibilidade de permuta por apartamento. T. 962 645 933 Terreno para construção, Póvoa de Sobrinhos c/ 3.400 m2. T. 962 645 933 Moradia Banda T4, Coz. mobilada equipada, Escritório mobilado, Lav. c/ máq., Garagem p/ 2 carros, Aquec. Central, Churrasqueira. T. 968 046 925 Moradia T5, arquitectura moderna, excelente localização, áreas verdes. T. 918 739 748 Lote industrial e armazéns, área 25.000m2. Acessos TIR IC12 e A25. T. 918 739 748 T2 Centro Viseu. Bom estado – 69.000€. T. 968 381 978 T3 c/ lareira, aquecimento central, garagem fechada p/ 2 carros, no centro da cidade, Aveiro. Preço negociável. T.: 967 043 240

T2 Duplex c/ aquecimento central. Quinta de Dentro, Rio de Loba – 117.500€. T. 232 187 105 / 916 220 977 Terreno em Repeses com projecto aprovado para geminada. T. 962 645 933 Lote insdustrial e armazéns c/ área de 25.000 m2, acessos TIR. IC12/A25 - Z.I. Nelas. Particular. T. 918 739 748 Casa, centro de Nelas. T. 969 527 373 Moradia próximo de Viseu c/ possibilidade de permuta p/ apartamento. T. 964 344 612 T1 centro da cidade – Viseu. T. 965 319 494 Terreno p/ construção, c/ grande área e poços.A 15 minutos de Viseu. Bom preço. T. 917 251 378 Terreno em Viseu para construção. Óptimo local. T. 962 645 933 Terreno p/ construção c/ 6.000 m2. Podem 2.700 m2 de construção ser em moradias ou prédios de 3 pisos (Coimbra). T. 917 460 551

T2 a 3 min. Cidade recuperado c/90m2, lareira, despensa, sótão, varandas, garagem fechada. 79.500,00€ T. 917921823 T2 Stº. Estêvão c/115m2 área, lareira, despensa, marquise, sótão, varandas, garagem fechada. 84.000,00€ T. 969 090 018 T3 Centro Cidade c/130m2 área, hall, roupeiro, cozinha mob. e equipada, despensa, marquise. 80.000,00€ T. 917 921 823

Apartamento T2 na Quinta do Bosque, com aq. central, lareira na sala, quartos com roupeiros embutidos, despensa, 2 wc`s, garagem fechada. 89.000,00€ T. 232 098 416 T. 960 050 949 Apartamento T2 na Av. da Bélgica. 49.000,00€. Excelente Investimento. T. 232 098 416 T. 960 050 949 Apartamento T3 na Quinta da Alagoa com a cozinha equipada, aquecimento central completo, lareira na sala com recuperador de calor, roupeiros e varandas em todos os quartos, garagem. 130.000,00€ T. 232 098 416 T. 960 050 949

T3 Stº. Estêvão c/130m2, lareira, roupeiros, cozinha mob. e equipada, sótão, varandas, garagem.85.000,00€ T. 969 090 018

Apartamento T3 na Praça do Goa com 2 frentes, lareira na sala,lugar d garagem.95.000,00€ T. 232 098 416 T. 960 050 949

T3 Stº. Estêvão c/140m2 área, lareira, aquec. central, cozinha mob. e equipada, sótão, garagem.87.500,00€ T. 917 921 823

Apartamento T3 em Abraveses com sótão.Remodelado. Excelente investimento. 68.500,00€ T. 232 098 416 T. 960 050 949

T3 Qtª. Galo c/115m2, hall, cozinha mob. e equipada, sótão, varandas, 2 garagens fechadas. 90.000,00€ T. 969 090 018

Apartamento T4 em Abraveses, com aquecimento central, lareira na sala, sótão e lugar de garagem. 105.000,00€ T. 232 098 416 T. 960 050 949

T3 Qtª. Bosque c/140m2, aquec. central, lareira, cozinha equipada, sótão, garagem fechada.120.000,00€ T. 917921823 Moradia Abraveses c/360m2, aquec. central, lareira, roupeiros, sótão, varandas, logradouro. 155.000,00€ T. 969 090 018 Moradia Mundão nova c/240m2 área, aquec. central, aspiração, vestuário, terraço, logradouro.185.000,00€ T. 917 921 823 Moradia Rio de Loba c/250m2 área, lareira, roupeiros, copa, sótão, varanda, garagem fechada.130.000,00€ T. 969 090 018

Casa para reconstrução no centro histórico – Viseu. T. 916 195 468

Moradia S. J. Lourosa nova c/ 360m2, aquec. central, roupeiros, copa, varandas, churrasqueira.175.000,00€ T. 917 921 823

Junto ao rio Paiva com Bengalow em madeira do Brasil tipo T1 equipado e uma cave preparada para T0 c/ dois furos artesinos e bomba-electricidademurada com muros em pedra e rede. Folgosa - Castro Daire T. 917 518 984

T1 a 2 min. Cidade c/ 50m2 área, hall, roupeiro, despensa, marquise, varandas, arrumos. 55.000,00€ T. 917 921 823

Moradia S. J. Lourosa como nova c/360m2, aquec. central, lavandaria, sótão, churrasqueira. 185.000,00€ T. 969 090 018

Moradia Pascoal nova c/ 300m2, aquec. e aspiração central, roupeiros, varandas, logradouro. 190.000,00€ T. 967 914 455

T1 Marzovelos c/80m2 área, aquec. central, lareira, roupeiro, sótão, varanda, garagem fechada.95.000,00€ T. 969 090 018

Moradia S. Salvador p/ reconstrução c/ boas áreas, 3 frentes, terraço amplo, garagem fechada. 43.000,00€ T. 917 921 823

IMOBILIÁRIO A R R E N DA- S E Andar Moradia c/ garagem 400,00€ -232 410390/96 23767698(Ami 8117) T0 c/ Novo,C/ garagem fechada. 325,00€ T. 232 410 390/962 376 769 Andar Moradia - Tipo T2 250,00€ T. 232 410 390/962 376 769 T2 - C/ garagem 270,00€ T. 232 410 390/962 376 769 Sala com 15m2 e sala de espera, centro de Viseu. T. 966 070 287 Armazéns, várias áreas disponíveis. T. 963 036 432 Aluga-se 1.º andar moradia, Viso Norte. T. 963 335 950 Armazém com Escritórios 450m2, vigiado,a 2min do centro cidade. WC completos,trata o próprio T.936 954 696

T2 em Marzovelos, Viseu T. 962 645 933 T2, 104m2, Av. Ant. José Almeida. 350€ T. 914 809 167 Aluga-se quarto a senhora/ rapariga. Bairro do Serrado. T. 963 636 514 Aluga-se quarto c/ WC privativo a professor,estudante ou trabalhador. Casa familiar - Repeses T. 933 697 870 T3 mobilado no Bairro de Stª Eugénia T. 962 734 566 T4 apartir de Setembro em Marzovelos. Viseu T. 962 645 933

T3 em Stº Estevão, sala com lareira, roupeiros, sótão e lugar de garagem. 295€ T. 232 098 416 T. 960 050 949 Andar Tipo T3 no Espadanal com 3 quartos, sala com lareira, cozinha equipada, 1 Wc. 250€ T. 232 098 416 T. 960 050 949 T3 no bairro de S. João da Carreira com lugar de garagem e sotão. 350€ T. 232 098 416 T. 960 050 949 T3 na Rua Miguel Bombarda com a cozinha equipada, aquecimento central, roupeiros embutidos nos quartos, sotão e garagem fechada.425€ T. 232 098 416 T. 960 050 949

T2 mobilado em Marzovelos. p/ pessoa c/ referência. T. 962 645 933

T3 - Estrada Vilmoinhos Cozinha c/ forno, esquentador exaustor e fogão. 350,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994

Aluga-se quartos na Quinta do Galo (1 deles com wc privativo) a professores ou estudantes. Boas condições. Serventia de cozinha. T. 967 211 980

T3 – Moure Madalena - cozinha c/ 1 varanda, fogão, forno, exaustor esquentador, frigorifico, mesa e cadeiras, aquecimento central espaço para carro. 310,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994

Armazém em Abraveses c/ 120 m2. 350,00€. T.962 995 636

T2 - Semi-Mobilado. 350,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994

Quartos ao lado do Hospital de Viseu. T. 960 050 949

T3 – Stº Estêvão. Placa de Fogão, Esquentador Arrumos no Sótão. 300,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994

T3 Stº Estêvão. 325€. T.960 050 949 T2 mobilado, junto à escola sec. Alves Martins T. 918 443 707 Consultório dentário completamente equipado. T. 966 070 287/ 232 422 424 Bonita moradia na praia da Foz do Arelho – a cinco minutos a pé do mar. Tem 2 andares e cave (2 quartos e uma suite) com boa cozinha, sala, garagem, totalmente apetrechada para férias ou para viver em permanência. T. 919 378 633 - Álvaro Cardoso T2 mobilado c/ lugar de garagem – Viseu. T. 239 098 146 T2 c/ lugar de garagem - Viso. T. 919 537 477 T2 + 1 c/ lugar de garagem – Viso Norte. T. 917 460 551

T3 – Gumirães. Cozinha equipada Semi-mobilado. 325,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994 T4 – Rua Ponte de Pau (Cidade). Cozinha c/ exaustor, esquentador, moveis da cozinha, sala c/ lareira, 3 varandas, 1 roupeiro. 450,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994 T2 – Bairro da Balsa. Placa de fogão, esquentador, exaustor, toalheiros. 300,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994 T4 (moradia) – Orgens. Cozinha Equipada,arrumos, churrasqueira, logradouro, garagem privativa. 700,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994 T4 (Moradia) - Prime (Fragosela) Cozinha Equipada. 350,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994 T3 – Pascoal. Cozinha nova, c/ esquentador, exaustor, placa de fogão, sotão, garagem privativa p/3 carros 2 W.C. 400,00€ T. 232 422 883 // 932 367 994

T2 c/ lugar de garagem em Rio de Loba – Viseu. T. 917 460 551 Gabinete p/ esteticista. T. 232 416 301 Armazéns industriais c/ área de 200 a 2.500 m2. Acessos TIR. T. 914 212 770 T2+1, no centro de viseu,cozinha com placa, esquentador e exaustor, lareira na sala. 350€ T. 232. 098. 416 / 960 050 94

IMOBILIÁRIO PROCURA-SE Terreno zona Viso Sul ou Repeses c/ > ou = 1500m2 T. 963 939 094

T2+1, no centro de viseu,cozinha com placa, esquentador e exaustor, lareira na sala. 350€ T. 232 098 416 T. 960 050 949 T3 em Repeses com a cozinha equipada. 350€ T. 232 098 416 T. 960 050 949 Escritórios no centro da cidade desde 110€ T. 232 098 416 T. 960 050 949 T3 mobilado no Bairro de Stª Eugénia. 300€ T. 232 098 416 T. 960 050 949

IMOBILIÁRIO TRESPASSA-SE Tasca na zona histórica - Viseu. Todo Equipado. Renda barata. Bom negócio. T. 916 132 542


30 CLASSIFICADOS

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

advogados VISEU ANTÓNIO PEREIRA DO AIDO Rua Formosa, nº 7 – 1º, 3500-135 Viseu T. 232 432 588 Fax 232 432 560 CARLA DE ALBUQUERQUE MENDES Rua da Vitória, nº 7 – 1º, 3500-222 Viseu T. 232 458 029 Fax 232 458 029 Telm. 966 860 580 MARIA DE FÁTIMA ALMEIDA Rua Miguel Bombarda, nº 37 – 1º Esq. Sala G, 3510-089 Viseu T. 232 425 142 Fax 232 425 648 CATARINA DE AZEVEDO Largo General Humberto Delgado, nº 1 – 3º Dto. Sala D, 3500-139 Viseu T. 232 435 465 Fax 232 435 465 Telm. 917 914 134 E-mail: catarina-azevedo-5275c@ adv.oa.pt

Para a inclusão do seu nome na secção “Advogados”, deve contactar através dos números 232 437 461 ou 962 108 777.

CARLA MARIA BERNARDES Rua Conselheiro Afonso de Melo, nº 39 – 2º Dto., 3510-024 Viseu T. 232 431 005 JOÃO PAULO SOUSA Lg. General Humberto Delgado, 14 – 2º, 3500-139 Viseu T. 232 422 666 JOÃO MARTINS Rua D. António Alves Martins, nº 40 – 1º A, 3500-078 Viseu T. 232 432 497 Fax 232 432 498

PAULO DE ALMEIDA LOPES Travessa da Balsa, nº 21 3510-051 Viseu T. 232 432 209 Fax 232 432 208 E-mail: palopes-4765c@adv.oa.pt

FILIPE FIGUEIREDO Rua Conselheiro Afonso de Melo, nº 31 – 5º, sala 502, 3510-024 Viseu T. 232 441 235 Telm. 964 868 473 E-mail filipe.figueiredo-5153c@adv. oa.pt

ANTÓNIO M. MENDES Rua Chão de Mestre, nº 48, 1º Dto., 3500-113 Viseu T. 232 100 626 E-mail: antonio.m.mendes-3715c@ adv.oa.pt

FABS – SOCIEDADE DE ADVOGADOS – RENATO FERNANDES, JOÃO LUÍS ANTUNES, PAULO BENFEITO Av. Infante D. Henrique, nº 18 – 2º, 3510-070 Viseu T. 232 424 100 Fax 232 423 495 E-mail: fabs.advogados@netvisao.pt

ARNALDO FIGUEIREDO E FIRMINO MENESES FERNANDES Av. Alberto Sampaio, nº 135 – 1º, 3510-031 Viseu T. 232 431 522 Fax 232 431 522 E-mail: a-figueiredo@iol.pt e firminof@iol.pt

ANA PAULA MADEIRA Rua D. Francisco Alexandre Lobo, 59 – 1º DF, 3500-071 Viseu T. 232 426 664 Fax 232 426 664 Telm. 965 054 566 E-mail: anapaula.madeira@sapo.pt

MARQUES GARCIA Av. Dr. António José de Almeida, nº 218 – C.C.S. Mateus, 4º, sala 15, 3514-504 Viseu T. 232 426 830 Fax 232 426 830 E-mail: marques.garcia-3403c@advogados.oa.pt

MANUEL PACHECO Rua Alves Martins, nº 10 – 1º, 3500078 Viseu T. 232 426 917

JOÃO NETO SANTOS Rua Formosa, nº 20 – 2º, 3500-134 Viseu T. 232 426 753 CONCEIÇÃO NEVES E MICAELA FERREIRA – ADVOGADAS Av. Dr. António José de Almeida, 264 – Forum Viseu [NOVAS INSTALAÇÕES], 3510-043 Viseu T. 232 421 225 Fax 232 426 454 ELISABETE MENDONÇA Rua Nunes de carvalho, nº 39 – 1º, sala 3, 3500-163 Viseu T. 232 471 284 Fax 232 471 284 E-mail elisabetemendonca-5907c@ adv.oa.pt

BRUNO DE SOUSA Esc. 1 - Rua D. António Alves Martins Nº 40 2ºE 3500-078 VISEU T. 232 104 513 | Fax 232 441 333 Esc. 2 - Edifício Guilherme Pereira Roldão, Rua Vieira de Leiria Nº14 2430-300 Marinha Grande T. 244 110 323 | Fax 244 697 164 Tlm. 917 714 886 Áreas preferenciais: Crime | Fiscal | Empresas

MANGUALDE JOSÉ MIGUEL MARQUES Rua 1º de Maio, nº 12 – 1º Dto., 3530-139 Mangualde T. 232 611 251 Fax 232 105 107 Telm. 966 762 816 E-mail: jmiguelmarques-4881c@adv. oa.pt JOSÉ ALMEIDA GONÇALVES Rua Dr. Sebastião Alcântara, nº 7 – 1º B/2, 3530-206 Mangualde T. 232 613 415 Fax 232 613 415 Telm. 938 512 418 E-mail: jose.almeida.goncalves14291l@adv.oa.pt

NELAS JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas T. 232 949 994 Fax 232 944 456 E-mail: j.Borges.silva@mail.telepac.pt JOSÉ BORGES DA SILVA, ISABEL CRISTINA GONÇALVES E ELIANA LOPES Rua da Botica, nº 1, 1º Esq., 3520-041 Nelas T. 232 949 994 Fax 232 944 456 E-mail: j.Borges.silva@mail.telepac.pt

LAMEGO

ÂNGELO MENDES MOURA Av. Visconde Guedes Teixeira, 29 – 1º, 5100-073 Lamego T. 254 612 402 FERNANDO AMARAL Rua dos Bancos, 5100-115 Lamego T. 254 612 274/ 254 600 223 Fax 254 600 229

automóveis

/motos

Nissan Patrol 2.8 Turbo – 5.500€. T. 960 045 604

AUTOMÓVEIS V ENDE- SE Opel Vivaro 1.9 100 CV, 2002, 69.000 Kms com A.C. T. 964034940 Seat 1.9 TDI comercial,c/ ar.condicionado,Dez 2000, bom estado,4950€ T. 917 610 594 Renault Megane Break 12-05. AC, FC, VE, BA, FN, excelente estado T. 965 837 928 BMW 530, a gasoleo, full-extras, bom preço. T. 917 349 903 Citroen Saxo 1.5d, 2000, 2 lug, novo modelo. 2.500€ - Viseu. T. 969 007 499

Peugeot 106 1.5d, 1997, comercial – 1.900€. T. 960 045 604 Polo G40 preto 143000km, GPL, supensão+volante sport, JLL14. Bom estado, 2250€, T. 962 615 858 Opel Corsa 1.3 CDI Comercial. Óptimo estado - Janeiro/2005 T. 937 322 520 Citroen C3 1.1 5P,Ar Cond. ABS,poucos KMs,6950€ T. 917 610 594 Nissan Almera 1.5 Sport 3P Ar Cond., bom estado geral 6500€ T. 917 610 594 Renault Clio 1.2, 1999. Apenas 56.000Km, 5 portas - 3.750 € T. 963 435 401 Alfa Romeo 145, 1.4 TS 16v junior, AC /103cv, 3.900€ T. 968 125 245

Viaturas clássicas, bom estado,originais,bom preço, Fiat 500 A 1937,Peugeot 504 Cabriolet 1973,Mercedes-Benz 250 SE 1966,VW carocha 1303 de 1973,Porsche 944 2.5 targa T. 917 610 594 Opel Corsa 1500, gasóleo, isuzu, 5 lugares, 1992. Em bom estado. T. 962 361 184 Vendo Opel Corsa A 1.5 Diesel Comercial. Em muito bom estado. T. 966 544 800

Mazda 2 1.3 Gasolina, 10.250€, 24.000 KM, 2007-02, Cinza, Ar condicionado, JLL T. 918 717 919 Mitsubushi Carisma 1.9TD,5P,excelente estado, c/livro de revisões,8950€ T.967 266 608

Audi A3 Sport, 1.9 tdi 110cv. Full Extras, 3 Portas, A/C, A.B.S, travões de disco ventilados.Bom estado. Bom preço. T. 917 480 949 Seat Ibiza 1.0 5P,Ano 2000,c/ Dir.Assistida,bom estado,4250€ T. 917 610 594

Mazda 3 1.4 Gasolina, 13.250€, 26.000 KM, 2006-03, cinza, Ar condicionado automático, ABS, Rádio de CDS. JLL T. 918 717 919

BMW 318I Cabriolet,1993, em excelente estado.8950€. T. 917 610 594

Alfa Romeo 147 1.9Mjet 140cv, 105000Km, 2003, 5P, estado novo T. 962615858

Porsche 944 Targa 2.5,com ar cond.,cx. automática,livro revisões,69890 KMS,como novo T. 917 610 594

VW Passat 1.9 TDI,Nacional,full extras,bom preço T. 917 610 594

BMW 320 D,Nacional,1999,em excelente estado geral e bom preço T. 967 266 608

Renault Mégane 1.5 dci 3p 105 cv, 18.950€, 41.000 Km, 2006-08, Preto, Ar condicionado, ABS, JLL, Sensor de chuva e Luz T. 918 717 919

Mazda 3 HB MZ-CD 1.6 110cv Exclusive, 17.950 €, 29.000 Km, 2007-04, Cinza Rato, Ar condicionado Automático, JLL, ABS, Faróis nevoeiro T. 918 717 919

VW Carocha 1303,de 1973,todo original,com livro de revisões e instruções,3950€ T. 917 610 594

Mini, cinzento, 2004, 1400 D, 100 Cv, AC, Jante 17, Bom Preço T. 917 349 903

Opel Corsa Swing, 93, Gasóleo, 5 lugares. Possibilidade de troca p/ carro a gasolina T. 963 964 170

Prestação de Serviços de Fotodepilação Definitiva em Gabinetes de Estética, Ginásios, Cabeleireiros, SPA`s, Parafarmácias e afins, contacto: www.ambeauteipl.blogspot.com

Vende-se mobilia de sala 100€. Mobilia de quarto 150€. T. 962 600 648

Tratamento natural má circulação, circulação dificiente T. 962 600 648

Projectos de Arquitectura e Engenharia, Direcções de Obra, preços competitivos. T. 967 118 875

Jogo de Maples (O grande faz cama) + 2. Confortáveis, imitação de pele - Bom preço. T. 933 697 870

Rover 414, 1500 cc, fins 96, bom estado, particular, vermelho metalizado, a/c, j.e., tecto abrir, alarme, fechos eléctricos. T. 933 697 870 Ford Escort XR3, 87, Bom estado - 3.000€. T. 969 466 817

C2, vermelho, gasolina, Óptimo estado, ano 2004. 34.000Km - 6.000€ T. 967 951 682 Fiat Punto Branco, 5 portas, gasolina 1.2, 16v, ano 2000/ Junho. Contacto T. 965 846 855 Vendo Vw Passat TDI 115 cv carrinha azul c/ tecto de abrir do ano 2000, nacional . 1 proprietario . Muito bom estado e bom preço. T: 917 515 180 Compra-se automóvel ou carrinha até 1.500 € a dinheiro. T. 96 949 72 38 Vende-se Peças de VW Golf I T. 919 888 708

MOTOS V ENDE- SE Yamaha TZR 125, 1995. Urgente. T. 968 553 269 KTM 520 SX, 2003 + Kit super motar. Urgente. T. 968 553 269

diversos Tratam-se Pensões Nacionais e Estrangeiras. T. 965 525 207

VÁRIOS Criação e Alojamento de Sites. Coloque a sua empresa na internet ao melhor preço. T. 962 649 437 Explicações. Estudo Acompanhado. Viseu (C.C. 2000, Lj. 60). Nelas (Ed. Titanic) T. 962 820 381

Terapias corporais, relaxamento, hatha-yoga e outros recursos antistress (massagem), hidroginástica, yogiatsu, yogilates, etc.Atende-se também ao domicílio T. 969 734 494 Serviço de Enfermagem ao Domicílio. Enfermeira Carmen Lúcia Monteiro T. 934 720 782 Passa-se a ferro p/ fora a bons preços. Vamos a sua casa recolher e entregar s/ custos adicionais. Zona de Viseu.. T. 969 547 228

Procuro terreno zona Viso Sul ou Repeses com > = 1500 m2 contacto T. 963 939 094 Tratamento Coluna Vertebral Massagem. T. 966 789 368 Explicações de Português - Básico / Secundário T. 918 846 034 Projecto inovador, rendimento máximo. T. 919 176 261

Recolha gratuíta (ao Domicílio) de electrodomésticos metálicos. Todo o tipo de sucata. Abate de automóveis. T. 966 544 800 Herbalife! Fitness, Nutrição Desportiva, Controle o seu peso – www.nutriloja.com/xl T. 962 954 221

Consulta MEDA, terapia Quântica para Stress, ansiedade, medo, e outros sintomas de doença. Terapias biofísicas.Faça a marcação de um check-up gratuito! T. 963 163 472 Vende-se colecção AutoMagazine. Nºs 1 a 140, 75€. T. 916 132 542 Faço serviços de mudanças. Distribuição de publicidade, etc... T. 963 191 961 Sr. reformado, deseja conhecer senhora dos 48 aos 55 anos. Compromisso sério. Tlm.: 926 389 096


31

Jornal do Centro 20 | Novembro | 2009

necrologia Manuel Marques Silvério, 73 anos, casado. Natural e residente em Fontelo, Armamar. O funeral realizou-se no dia 17 de Novembro, pelas 16.30 horas, para o cemitério de Fontelo. Agência Funerária Igreja Armamar Tel. 254 855 231

se no dia 17 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Coura. Agência Funerária Horácio Carmo e Santos, Lda. Vilar do Monte – Viseu Tel. 232 911 251 Albina Paiva de Almeida, 78 anos, viúva. Natural e residente em Povolide. O funeral realizou-se no dia 17 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério local.

Paula Carolina de Barros Ponce Leão Pais Ribeiro, 98 anos, viúva. Natural de São Pedro, Vila Real e residente em Lisboa. O funeral realizou-se no dia 12 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Cabanas de Viriato.

Agência Funerária D. Duarte Viseu Tel. 232 421 952

Maria Maia, 83 anos, casada. Natural do Brasil e residente em Lageosa, Tondela. O funeral realizou-se no dia 17 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Lageosa.

Piedade Gonçalves, 89 anos, viúva. Natural e residente em Torredeita. O funeral realizou-se no dia 12 de Novembro, pelas 15.30 horas, para o cemitério local.

Elísio de Figueiredo Pereira, 76 anos, solteiro. Natural e residente em Lageosa, Tondela. O funeral realizou-se no dia 18 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Lageosa.

Irene Marques Pereira, 68 anos, casada. Natural e residente em Orgens. O funeral realizou-se no dia 18 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério local.

Agência Funerária São Brás Carregal do Sal Tel. 232 671 415

Maria Idalina Lopes, 85 anos, viúva. Natural e residente em Campo. O funeral realizou-se no dia 20 de Novembro, pelas 10.00 horas, para o cemitério local.

Rogério Rodrigues, 85 anos, casado. Natural e residente em Lamas, Moledo, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 12 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Lamas.

Agência Funerária de Figueiró Viseu Tel. 232 415 578

1ª Publicação

(Jornal do Centro - N.º 401 de 20.11.2009)

Valdemar Ferreira, 54 anos, casado. Natural e residente em Ínsuas, Reriz, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 17 de Novembro, pelas 17.00 horas, para o cemitério de Pepim. José Ribeiro, 79 anos, solteiro. Natural e residente em Cujó, Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 18 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Cujó.

1ª Publicação

Gastão Pinto Teixeira, 85 anos, casado. Natural e residente em Castro Daire. O funeral realizou-se no dia 19 de Novembro, pelas 16.30 horas, para o cemitério local. Agência Funerária Amadeu Andrade & Filhos, Lda. Castro Daire Tel. 232 382 238

1ª Publicação

António de Sousa, 86 anos, casado. Natural e residente em Quintela de Azurara, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 16 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Quintela de Azurara. Adelaide de Andrade, 87 anos, viúva. Natural e residente em Santiago de Cassurães, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 18 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de Santiago de Cassurães. Manuel Ribeiro dos Santos, 89 anos, casado. Natural e residente em Abrunhosa do Mato, Cunha Baixa, Mangualde. O funeral realizou-se no dia 18 de Novembro, pelas 14.30 horas, para o cemitério de Abrunhosa do Mato. Agência Funerária Ferraz e Alfredo Mangualde Tel. 232 613 652 Manuel Alves Fernandes, 81 anos, viúvo. Natural de Felgueira Velha, Oliveira do Hospital e residente em Alemanha. O funeral realizou-se no dia 15 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Seixo da Beira. Mercês do Amor Divino, 93 anos, viúva. Natural de Rabaçal, Meda e residente em Pisão, Moreira, Nelas. O funeral realizou-se no dia 17 de Novembro, pelas 15.30 horas, para o cemitério de Rabaçal.

(Jornal do Centro - N.º 401 de 20.11.2009)

Agência Funerária Nisa, Lda. Nelas Tel. 232 949 009 Maria Ferreira dos Santos, 84 anos, viúva. Natural e residente em Valadares, S. Pedro do Sul. O funeral realizou-se no dia 14 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Covêlo de Valadares.

(Jornal do Centro - N.º 401 de 20.11.2009) 1ª Publicação

António Rodrigues Pereira, 88 anos, viúvo. Natural e residente em Campia, Vouzela. O funeral realizou-se no dia 14 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Campia. Piedade Maria Correia, 83 anos, casada. Natural e residente em Cambra, Vouzela. O funeral realizou-se no dia 16 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Cambra.

1ª Publicação

Maria da Encarnação Ferreira, 92 anos, viúva. Natural e residente em Ventosa, Vouzela. O funeral realizou-se no dia 19 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Ventosa. Agência Funerária Figueiredo & Filhos, Lda. Oliveira de Frades Tel. 232 761 252 Piedade Pinto dos Santos, 82 anos, viúva. Natural de Ajuda, Lisboa e residente em Tarouca. O funeral realizou-se no dia 12 de Novembro, pelas 17.15 horas, para o cemitério de Esporões, Tarouca. Agência Funerária Maria O. Borges Duarte Tarouca Tel. 254679721 Manuel Rua Monteiro, 63 anos, casado. Natural de Sabrosa, Vila Real e residente em Almargem, Calde. O funeral realizou-se no dia 11 de Novembro, pelas 15.00 horas, para o cemitério de Póvoa de Calde. Pedro António Gomes Cruz, 24 anos, solteiro. Natural e residente em Guimarães, São Pedro de France. O funeral realizou-se no dia 16 de Novembro, pelas 16.00 horas, para o cemitério de São Pedro de France. Custódia de Almeida, 75 anos, casada. Natural de Pindelo dos Milagres, São Pedro do Sul e residente em Coura, Castro Daire. O funeral realizou(Jornal do Centro - N.º 401 de 20.11.2009)

(Jornal do Centro - N.º 401 de 20.11.2009)


tempo: chuva fraca

JORNAL DO CENTRO 20 | NOVEMBRO | 2009

Impresso em papel que incorpora 30 por cento de fibra reciclada, com tinta ecológica de base vegetal

agenda

Sexta, 20 Pedro do Sul

∑ Assembleia Geral Ordinária do Cénico – Grupo de Teatro Popular de S. Pedro do Sul, às 20H30, na sede, situada no Solar da Lapa.

Sábado, 21 Viseu

∑XXI Encontro Nacional de Espondilíticos e Familiares, a partir das 9h00, na Quinta dos Compadres.

Domingo, 22 Vouzela

∑Abertura ao público da nova sede do grupo Cavaquinhos e Cantares à Beira (antiga escola primária de Quintela), às 15h30, integrada nas comemorações do XVII Aniversário.

Segunda, 23 Viseu

∑ Quintas Conferências Internacionais de Filosofia e Epistemologia, no Campus Universitário do Instituto Piaget, com início às 9h00, na Aula Magna. O evento decorre até dia 25. Publicidade

Hoje, dia 20 de Novembro, chuva fraca. Temperatura máxima de 13ºC e mínima de 11ºC. Amanhã, dia 21 de Novembro, chuva fraca. Temperatura máxima de 14ºC e mínima de 11ºC. Domingo, dia 22 de Novembro, parcialmente nublado. Temperatura máxima de 13ºC e mínima de 9ºC. Segunda, dia 23 de Novembro, sol. Temperatura máxima de 18C e mínima de 8ºC.

O melhor sítio para comprar míscaros este fim-de-semana Sátão∑ III Feira do Míscaro, dia 22, no Largo de São Bernardo Continua a ser um certame único no país e tem crescido de edição para edição. Este ano, o presidente da autarquia, Alexandre Vaz espera a presença de mais de dois mil visitantes. “Se me perguntar porque é que há tanto míscaro em Sátão, não sei responder, mas é uma realidade”, antecipa Alexandre Vaz. O autarca expli-

ca que há muitas pessoas a apanhar o míscaro nas matas do concelho e admite: “desde que há feira que há mais pessoas a vender e mais pessoas a procurar o míscaro e sem medos”. A feira, além da divulgação do míscaro tem servido para alertar os consumidores para os pormenores. Nas duas edições anteriores decorreram pa-

lestras sobre o tema, este ano, um técnico florestal dá a conhecer a nova legislação sobre a sua preservação. No certame vão ainda ser comercializados outros produtos regionais. O cantor popular Toy vai dar música ao certame. “O Sátão é mais conhecido desde que tem a Feira do Míscaro”, termina Alexandre Vaz.

Jornal da Lena Comunicação o melhor da Europa O diário i do grupo Lena Comunicação, universo a que pertence o Jornal do Centro, foi eleito o Melhor Jornal Diário da Europa, pela “European Newspaper Award”. Nos último dez anos, só outra publicação portuguesa – o Diário de Notícias em 1991 – conquistara esta distinção internacional. Concorreram aos troféus da “European Newspaper Award” 241 publicações de 27 países, apreciadas por um júri de 14 membros, entre jornalistas, cientistas e designers. Na fundamentação do prémio arrecado pelo diário nacional da Lena Comunicação, os jurados referiram que “o i

convenceu o júri através da sua abordagem especialmente inovadora. Acabado de se estabelecer, o jornal começou cheio de energia. E é precisamente isso que torna o i fascinante em todos os domínios: fotografia, layout, artigos jornalísticos em formatos alternativos e secções inovadoras, completamente focado na força das novas ideias”. Já na última semana, o diário i recebera 31 prémios na área do design, em várias categorias, atribuídos pelo capítulo espanhol da Society For

News Design. O diário i é a marca de informação nacional da Lena Comunicação, que congrega ainda os jornais regionais Diário As Beiras (Coimbra), Grande Porto, O Aveiro, Jornal da Bairrada (Aveiro), Jornal do Centro (Viseu), Região de Leiria, O Eco (Pombal), O Ribatejo (Santarém), Notícias e Negócios (Santarém), Jornal de Abrantes e O Algarve, além das rádios Antena Livre (Abrantes) e Rádio Noar (Viseu) e da editora Imagens e Letras.

Olho de Gato

http://twitter.com/olhodegato

Fura-greves e adesivos Joaquim Alexandre Rodrigues joaquim.alexandre.rodrigues@netvisao.pt

1. Há 40 anos, Coimbra fervia de agitação estudantil. A ditadura salazarosa, já muito apodrecida, servia-se da polícia política e da censura para se segurar no poder. Em 17 de Abril de 1969, o então presidente da república, na altura dizia-se “a veneranda figura do chefe de estado”, foi a Coimbra inaugurar o departamento de Matemática. Alberto Martins, líder dos estudantes, pediu a palavra. Américo Tomás não lha deu e terminou a cerimónia de forma abrupta. Seguiu-se repressão e prisões. Os estudantes resistiram de todas as maneiras. Fizeram greves maciças às aulas que culminaram numa greve aos exames. Fazer greve aos exames aca rretava um grande custo pessoal: para além do atraso no curso significava também poder ser enviado para as piores frentes da guerra em África. Não é difícil perceber a angústia interior que aqueles jovens viveram e a pressão familiar a que eles esti-

veram sujeitos. Mesmo assim, foram poucos os que foram fazer exames. Foram poucos os furagreves. E os fura-greves ficaram muito mal vistos. Muitas décadas depois do que aconteceu em Coimbra, em cavaqueira de amigos, mal foi referido o nome de uma determinada personalidade, ouvi logo vernáculo do grosso: “essa besta foi um dos que furou a greve aos exame…” 2. Embora não com o dramatismo dos estudantes de há 40 anos, a avaliação engendrada por Maria de Lurdes Rodrigues colocou os professores também perante dilemas éticos: “Entrego os objectivos, não entrego os objectivos?” “Peço aulas assistidas, não peço aulas assistidas?» Todo o professor que quis aproveitar o campo livre para obter um “excelente” na avaliação não ficou bem no retrato. Vai-se ouvir muitas vezes no futuro: “essa besta foi um dos adesivos da marilú…”


Jornal do Centro - Ed401