Issuu on Google+

CYAN MAGENTA YELOOW BLACK

Ano XX - Nº 01 -

26 de Fevereiro de 2013

JORNAL A CIDADE

Policiais civis são presos na Castello Branco por tráfico de drogas Três policiais foram levados para a Polícia Federal, em Sorocaba, SP. Foram apreendidos mais de 300 quilos de cocaína. Três policiais civis, entre eles dois investigadores do Denarc (Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos), foram presos por tráfico de drogas na rodovia Castello Branco na madrugada do dia 16, em Araçariguama (SP). Os três policiais foram levados para a delegacia da Polícia Federal, em Sorocaba (SP). Eles escoltavam dois traficantes, que também foram presos, com um carregamento de 133 kg de cocaína da capital até Sorocaba, em dois carros. A abordagem foi feita pela Polícia Rodoviária. Segundo a Polícia Federal, a droga foi desviada de uma apreensão do Denarc esta semana, em São Paulo. Em uma outra apreensão neste sábado, na capital paulista, foram apreendidos em um carro mais 175 kg de cocaína, além de seis malas de dinheiro com notas de reais, dólares e euros. De acordo com as investigações, os policiais seguiam no mesmo carro para não levantar suspeitas e garantir que a droga chegasse ao destino. No total, foram apreendidos 308 kg de cocaína. Há um ano, a Polícia Federal investigava a ligação de traficantes colombianos e bolivianos com traficantes da região de Sorocaba. Durante as in-vestigações, surgiu a suspeita da participação de policiais civis no desvio de drogas apre-

Bem Vindos a Primeira Edição de Recuperação Por A Cidade Jornal e Revista.

Telefone: (19) 3608-7282 OU (19) 9646-6307

Manicure e pedicure Cecília Av. dos Braghetta, 885 São José do Rio Pardo-SP Tel. (19) 3684-1244

lo no presídio especial da Polícia Civil. Os outros dois homens presos também serão encaminhados para a penitenciária. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que já solicitou uma cópia do inquérito policial para que a Corregedoria Geral da Polícia Civil instaure um processo disciplinar para demitir os três policiais. Entrevista no Site do G1 Sorocaba e Jundiaí Droga e dinheiro apreendidos estão na PF em Sorocaba, SP (Foto: Divulgação PF)

endidas do Denarc. A PF descobriu que os policiais faziam a escolta dos traficantes para que não fossem parados pela fiscalização e chegavam até a simular apreensões. Ainda de acordo com a Polícia

Federal, os policiais pegavam parte da droga, registravam a ocorrência em uma quantidademenor e relatavam que os traficantes tinham fugido. Os três policiais presos serão encaminhados para São Pau-

A Cura Existe Sim Basta Querer! Tel: (19) 3608-2541 Site: www.ctlibertas.com.br Rua: Henry Nestlé, 2001 - Vila Formosa São José do Rio Pardo - SP


26 de Fevereiro de 2013

-

Ano XX - Nº 01

Cigarro

Mariana Araguaia

JORNAL A CIDADE

A força do cigarro no organismo Por Gabriela Cabral Equipe Brasil Escola

Graduada em Biologia

Há pelo menos dez mil anos antes de Cristo, índios da América Central já utilizavam o tabaco em forma de cigarro em rituais religiosos. Já em nosso país, relatos mais antigos apontam que, em 1556, o capelão da primeira expedição francesa ao nosso país observou esta prática entre os tupinambás. O cigarro começou a ser fabricado a partir de 1840 e, quarenta anos depois, foi criada uma máquina capaz de enrolar um grande número de cigarros por minuto, propiciando a sua popularização. Apesar de visível, o fato de que este provoca dependência e seu uso pode desencadear em uma gama de doenças foi reconhecido somente em meados do século vinte. Atualmente, são aproximadamente 1,2 bilhão de fumantes em todo o mundo, sendo que 38 milhões vivem no Brasil. Uma das mais de 4500 substâncias que um único cigarro contém – a nicotina – interage com receptores neurais, que liberam substâncias como a dopamina, acetilcolina, serotonina e betaendorfina, conferindo uma sensação de prazer imediata.

O importante é não consumir o primeiro. Mais viciante que drogas como álcool, cocaína, crack e morfina; a nicotina atinge o cérebro em até vinte segundos: tempo bem mais rápido que o princípio ativo de qualquer outra destas drogas. Assim, a probabilidade de um indivíduo se tornar dependente da nicotina é muito alta, com crise de abstinência bastante incômoda, que geralmente se inicia minutos depois do último trago, sendo as grandes responsáveis pela dificuldade de um fumante em interromper o uso do cigarro. Esta situação é tão séria, e triste, que não é raro vermos pacientes fumantes em estágio terminal, implorando desesperadamente por mais um trago. Gás carbônico, monóxido de carbono, amônia, benzeno, tolueno, alcatrão, ácido fórmico, ácido acético, chumbo, cádmio, zinco, níquel dentre muitas outras substâncias são encontradas no cigarro. Estas são responsáveis pelo aumento dos riscos que esses indivíduos têm de desenvolver problemas de saúde como cânceres, doenças coronarianas, má circulação sanguínea, enfisema pulmonar, bronquite crônica, derrames cerebrais, úlceras, osteoporose, impotência, catarata. Como algumas destas são liberadas no ar, juntamente com a fumaça, pessoas que convivem com fumantes estão também sujeitas. Há também a tromboangeíte obliterante, doença de ocorrência única entre fumantes, e que obstrui as artérias das extremidades e provoca necrose dos tecidos. Além disso, o cigarro é considerado o maior poluente de ambientes domiciliares; é responsável pela derrubada de árvores e queimadas em prol do plantio do fumo e fabricação de lenha para abastecimento de fornalhas para o ressecamento das folhas; contamina os solos pelo uso de agrotóxicos; e é o causador de inúmeras queimadas, graças ao descarte indevido de suas bitucas. Diante destes fatos, não é de se admirar que o cigarro seja considerado um dos maiores problemas de saúde pública (e ambiental) que nossa sociedade enfrenta na atualidade.

Página 02

Por longos e longos anos as pessoas foram ensinadas que o cigarro somente provocaria reações no organismo após um grande período de uso, porém estudos recentes desmentem tais ensinamentos e assustadoramente mostram a real força do cigarro no organismo. Este, composto por tabaco seco enrolado por um fino papel que se queima após ser aceso, provoca rápidas reações no corpo do homem. Segundo estudiosos, cerca de 10% dos fumantes que colocam o primeiro cigarro na boca já apresentam reações significativas no organismo que provocam a dependência por um período de até dois dias depois, idéia que se aplicava somente aos fumantes de longa data. O curioso é que um cigarro consegue suprir, em fumantes iniciantes, a necessidade do organismo em relação à droga por até uma semana, o que não acontece com fumantes de longa data. Intrigantemente, a nicotina presente em um só cigarro consegue aumentar a produção de hormônios receptores no lobo frontal do cérebro, no hipocampo e no cerebelo que envolve a memória a longo prazo. Dessa forma, dois dias após ter fumado um único cigarro um indivíduo passa a ter necessidades da droga no organismo. A manifestação da dependência à droga ocorre por causa das adaptações que o organismo faz para recebê-la na busca por manter seu equilíbrio químico e funcional. Com o decorrer do tempo, as pessoas tendem a necessitar de um novo cigarro em um curto período, ou seja, em um prazo de duas horas o organismo já deixa o indivíduo inquieto, irritado e ansioso fazendo com que busque a calmaria no cigarro. Deixar de fumar não é fácil. Segundo pesquisas, somente 3% dos fumantes conseguem abandonar o vício e o restante pode até conseguir parar durante um período, mas após esse volta a fumar. Acredita-se que a melhor forma para abandonar o vício é deixá-lo de uma só vez e não gradualmente como muitos fazem.

Álcool Patrícia Lopes

Cafeína Patrícia Lopes Equipe Brasil Escola

A cafeína é um composto químico, classificado como alcalóide, pertencente ao grupo das xantinas, além de atuar sobre o sistema nervoso central, aumenta a produção de suco gástrico, decorrente da alteração metabólica ocasionada pela mesma. Devido ao estímulo do sistema nervoso, a cafeína favorece o estado de alerta. A cafeína é a droga mais consumida no mundo e é encontrada em uma grande quantidade de alimentos, como chocolate, café, guaraná, cola, cacau e chá-mate, é possível encontrá-la também em alguns analgésicos e inibidores de apetite. O valor nutricional da cafeína está ligado apenas ao efeito excitante. Em excesso, a cafeína pode ocasionar alguns sintomas como irritabilidade, agitação, ansiedade, dor de cabeça e insônia. Devido ao estímulo acima mencionado que esta droga proporciona alguns efeitos comprovados, como aumento da atenção mental, aumento da concentração, melhoria do humor, diminuição da fadiga. Segundo estudos dez gramas, em média, de cafeína é uma dose letal para o homem, e em uma xícara de café são encontrados cem miligramas de cafeína.

Equipe Brasil Escola

O principal agente do álcool é o etanol (álcool etílico). O consumo do álcool é antigo, bebidas como vinho e cerveja possuíam conteúdo alcoólico baixo, uma vez que passavam pelo processo de fermentação. Outros tipos de bebidas alcoólicas apareceram depois, com o processo de destilação. Apesar de o álcool possuir grande aceitação social e seu consumo ser estimulado pela sociedade, ele é uma droga psicotrópica que atua no sistema nervoso central, podendo causar dependência e mudança no comportamento. Quando consumido em excesso, o álcool é visto como um problema de saúde, já que esse excesso pode estar ligado a acidentes de trânsito, violência e alcoolismo (quadro de dependência). Os efeitos do álcool são percebidos em dois períodos, um que estimula e outro que deprime. No primeiro período pode ocorrer euforia e desinibição. Já no segundo momento ocorre descontrole, falta de coordenação motora e sono. Os efeitos agudos do consumo do álcool são sentidos em órgãos como o fígado, coração, vasos e estômago. Em caso de suspensão do consumo, pode ocorrer também a síndrome da abstinência, caracterizada por confusão mental, visões, ansiedade, tremores e convulsões.

Álcool: droga social bastante consumida em todo o mundo.

Café: fonte de cafeína.

Apesar de ser utilizada para solucionar problemas cardíacos, ajudar pessoas com depressão nervosa decorrente do uso de álcool, ópio, a cafeína é uma droga que causa dependência física e psicológica, uma vez que para estimular o cérebro utiliza os mesmos mecanismos das anfetaminas, cocaína e heroína. Os efeitos da cafeína são mais leves, porém manipula os mesmos canais do cérebro, uma das razões que pode levar as pessoas ao vício.


26 de Fevereiro de 2013

-

Ano XX - Nº 01

Brigadeirão Ingredientes

6 gemas 2 latas de leite condesado A mesma medida (da lata) de leite 6 colheres de chocolate em pó 1 colher de margarina

Chocolate granulado para decorar

Modo de Preparo 1. Em um liquidificador ou batedeira coloque as gemas, o leite condesado, o leite, o chocolate em pó e a margarina 2. Bata tudo até obter uma mistura homogênea 3. Em uma forma para pudim, untada com margarina, depeje a mistura e leve para assar em banho-maria por cerca de 50 minutos 4. Retire do forno, deixe esfriar, desenforme e decore com chocolate granulado

Tempo de preparo: 50min BOM APETITE!

JORNAL A CIDADE

Página 03

Intitulamos “droga” qualquer substância e/ou ingrediente utilizado em laboratórios, farmácias, tinturarias, etc.; um pequeno comprimido para aliviar uma dor de cabeça ou até mesmo uma inflamação, é uma droga. Contudo, o termo é comumente empregado a produtos alucinógenos ou qualquer outra substância tóxica que leva à dependência como o cigarro e o álcool, que por sua vez têm sido sinônimo de entorpecente. As drogas psicoativas são substâncias naturais ou sintéticas que ao serem penetradas no organismo humano, independente da forma (ingerida, injetada, inalada ou absorvida pela pele), entram na corrente sanguínea e atingem o cérebro, alterando todo seu equilíbrio, podendo levar o usuário a reações agressivas.

O que leva uma pessoa a usar drogas?

Pesquisas recentes apontam que os principais motivos que levam um indivíduo a utilizar drogas são: curiosidade, influência de amigos (mais comum), vontade, desejo de fuga (principalmente de problemas familiares), coragem (para tomar uma atitude que sem o uso de tais substâncias não tomaria), dificuldade em enfrentar e/ou aguentar situações difíceis, hábito, dependência (comum), rituais, busca por sensações de prazer, tornar (-se) calmo, servir de estimulantes, facilidades de acesso e obtenção e etc.

Drogas Naturais

PIADINHAS

Maconha: uma das drogas mais populares, a maconha é consumida por meio de um enrolado de papel contendo a substância. É feita a partir da planta Cannabis sativa. Existe a variação chamada Skunk, com um teor de THC bastante elevado, bem como o Haxixe. Ópio: droga altamente viciante, o Ópio é feito a partir da flor da Papoula. Os principais efeitos são sonolência, vômitos e náuseas, além da perda de inteligência (como a maioria das drogas). Opiáceos: codeína, heroína, morfina, etc. Psilocibina: é uma substância encontrada em fungos e cogumelos, a Psilocibina tem como principal efeito as alucinações. Também é utilizada em pesquisas sobre a enxaqueca. DMT – Dimetiltriptamina: A principal consequência do seu consumo são perturbações no sistema nervoso central. Utilizada em rituais religiosos. Cafeína: é o estimulante mais consumido no mundo – está no café, no refrigerante e no chocolate. Cogumelos Alucinógenos: alguns cogumelos, como o Amanita muscaria podem causar alucinações.

Facebook:

https://www.facebook.com/ acidadesjrpardo?ref=ts&fref=ts


26 de Fevereiro de 2013

Como entender o uso de drogas entre adolescentes?

Todas as drogas têm em comum a capacidade de alterar o estado mental do usuário, seja proporcionando uma sensação de prazer e conforto ou reduzindo a timidez e aumentando a sociabilidade de quem a usa. Em geral, todas também causam dependência química e psicológica, transformando o usuário ocasional em viciado, que acaba dependendo do consumo da droga para manter suas atividades normais.

Como evitar o uso de drogas - Não à drogas

O álcool, o tabaco e a maconha são exemplos mais comuns de drogas obtidas diretamente de plantas. A cocaína e o crack, por exemplo, são adquiridos de uma pasta refinada a partir das folhas de coca, vegetal encontrado originalmente na América do Sul. Outras sustâncias, como ecstasy e o LSD, são produzidas diretamente em laboratório.

Flhos e as drogas e como Evitar as drogas e não ser um Usuário de drogas.

Nem todas as drogas são proibidas por lei. Álcool e tabaco, apesar das crescentes restrições que vêm sofrendo na maior parte dos países, são vendidos e consumidos normalmente no Brasil. A legalidade destas drogas elimina os riscos adicionais que correm os usuários de outras drogas: a ausência de segurança.

Diga não às drogas Comportamento de um usuário de drogas - Os efeitos das drogas

Como a maior parte das drogas é clandestina e obtida por meios ilegais, é difícil ao usuário ter certeza da qualidade do produto. Por conta disso, além dos problemas normais já causados pela substância pura, muitas vezes ocorrem complicações de saúde por causa do consumo de substâncias tóxicas junto com a

-

Ano XX - Nº 01

droga.

Como prevenir o uso de drogas pelos jovens?

É muito difícil convencer alguém a não fazer algo que lhe dá prazer - e a droga, antes de qualquer outra coisa, é algo que oferece prazer imediato. Por causa disso, fazer terrorismo com histórias macabras ou exagerar na descrição dos efeitos das drogas só piora as coisas: a maioria dos jovens são melhor informados sobre drogas do que os próprios pais, mesmo quando não são usuários.

Tudo sobre a maconha e seus efeitos / Tudo sobre a cocaina e seus efeitos.

Para o psiquiatra Flávio Gikovate, a prevenção passa necessariamente por um tipo de educação não apenas aberto ao diálogo, mas também à independência. “O tipo de educação que se vê hoje cria adolescentes fracos. E um ser imaturo, sem paixão, que não consegue enxergar a vida com seriedade, é altamente predisposto à influência do meio”. Portanto, a pre veção ao uso de drogas começa muito antes.

O Craque e seus efeitos

Mas este “meio” não são apenas os amigos, embora a pressão do grupo seja um fator importante, ainda mais nesta idade: “Os exemplos que o adolescente tem em casa também contam muito. Muitos deles ouvem discursos que os incentivam à responsabilidade e ao auto-controle, por exemplo, mas vêem os pais comendo compulsivamente, bebendo, ou fazendo coisas irresponsáveis. Isto não significa que os pais estejam sendo levianos ou mal intencionados, mas é importante que os pais observem a coerência entre o que dizem e o que fazem”.

Onde e como recuperar um usuário de drogas Clínicas de recuperação contra o uso de drogas no brasil

JORNAL A CIDADE

Incentivar os filhos a terem uma vida saudável e produtiva, portanto, é a melhor forma de mantê-los longe das drogas e de outros tipos de de pendência, como a do consumo, do jogo e tantas outras. Dar-lhes suporte afetivo e cuidar de sua auto-estima são tarefas muito mais complexas, mas também mais eficazes tanto para evitar o problema das drogas, quanto para formar adultos mais corajosos e conscientes de si mesmos.

Legislação brasileira quanto ao uso de drogas - Tratamento para viciado em drogas

LEI N° 9.294/96, DE 15 DE JULHO DE 1996. Dispõe sobre as restrições ao uso e à propaganda de produtos fumígeros, bebidas alcoólicas, medicamentos, terapias e defensivos agrícolas, nos termos do § 4° do art. 220 da Constituição Federal. Lei nº 6368, de 21 de outubro de 1976. Dispõe sobre medidas de prevenção e repressão ao tráfico ilícito e uso indevido de substâncias entorpecentes ou que determinem dependência física ou psíquica, e dá outras providências; Decreto nº 78.992, de 21 de dezembro de 1976. Regulamenta a Lei 6368, de 21 de outubro de 1976; Decreto nº 85.110, de 2 de setembro de 1980. Institui o Sistema Nacional de Prevenção, Fiscalização e Repressão de Entorpecentes, e dá outras providências; Portaria Ministerial nº 333, de 24 de maio de 1981. Aprova o Regimento Interno do Conselho Federal de Entorpecentes - CONFEN; [Revogado (Rev. 579, 12.11.91 - DOU, 13.11.91)]. Lei nº 7560, de 19 de dezembro de 1986. Cria o Fundo de Prevenção, Recuperação e de Combate às Drogas de Abuso - FUNCAB. Dispõe sobre os bens apreendidos e adquiridos com produtos de tráfico ilícito de drogas ou atividades correlatas, e dá outras providências; Decreto nº 95.650, de 19 de janeiro de 1988. Regulamenta a Lei nº 7.560, de 19 de dezembro de 1986, que criou o FUNCAB, e dá outras providências; A par dos citados textos legais, deve acrescentar-se as disposições constitucionais introduzidas na Carta Magna de 1988, sobre a matéria (art. 5º, XLIII e LI - tráfico ilícito; crime inafiançável; pas-sível de extradição; art. 144, § 1º, II - prevenção e repressão ao tráfico; art. 227, § 3º, VII - dependente; menores; art. 243 - plantas psicotrópicas; culturas; expropriação das terras; e parágrafo único - tráfico ilícito; bens confiscados); Lei dos Crimes Hediondos (Lei nº8072/90) estabelece regras com aplicação na matéria de drogas. * A atual legislação, posicionando-se em relação a antigas controvérsias, optou pela definição de que as normas penais incriminadoras sobre drogas são nomas penais em branco, ou seja, carecendo de

complementação legal ou administrativa para as suas integrações e existências. Dentro desta realidade, são especialmente relevantes as portarias emanadas da Divisão Nacional de Vigilância Sanitária de Medicamentos, da Secretaria Nacional de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, listando as substâncias e especialidades farmacêuticas proscritas ou controladas. Ainda como portarias relevantes da DIMED, cite-se a Portaria nº27, de 24 de outubro de 1986, e a Portaria nº28, de 13 de novembro de 1986. LEI nº147, de 25 de abril de 1991. Dispõe sobre a obrigatoriedade do ensino sobre drogas entorpecentes e psicotrópicos e sobre AIDS/CIDA, a nível de 1º e 2º graus e nos cursos de formação de professores. (Não é Federal) LEI nº 8.257,. de 26 de novembro de 1991. dispões sobre a expropriação das glebas nas quais se localizem culturas ilegais de plantas psicotrópicas e dá outras providências. DECRETO nº577, de 24 de junho de 1992. Dispõe sobre a expropriação das glebas onde forem encontradas culturas ilegais de plantas psicotrópicas e dá outras providências. DECRETO LEGISLATIVO nº162, de 1991. Aprova o texto da Convenção de Viena contra o Tráfico Ilícito de Entorpecentes, e de Substâncias Psicotrópicas, de 20 de dezembro de 1988. LEI 9.017, de 30 de março de 1995. Dispõe sobre normas de controle de insumos e substâncias químicas que podem se utilizadas para a elaboração da cocaína e outros entorpecentes ou afins. INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 26, de 19 de fevereiro de 1988. Disciplina o recolhimento de receitas do Conselho Federal de Entorpecentes - CONFEN, do Ministério da Justiça. VERIFICAR EXISTÊNCIA. DECRETO nº 98.961, de 15 de fevereiro de 1990. Dispõe sobre expulsão e estrangeiro condenado por tráfico de entorpecentes e drogas afins. DECRETO-LEI nº 891, de 25 de novembro de 1938. Aprova a Lei de Fiscalização de Entorpecentes. DECRETO nº 54.216, de 27 de agosto de 1964. Promulga a Convenção Única sobre entorpecentes. DECRETO-LEI nº 753, de 11 de agosto de 1969. Dispõe sobre a fiscalização de laboratórios que produzam ou manipulem substâncias ou produtos entorpecentes e seus equiparados, de firmas distribuidoras ou depositárias das referidas substâncias, distribuição de amostras desses produtos e dá outras providências. PORTARIA nº 17, de 18 de agosto de 1971 (Ministério da Saúde). Proíbe a importação da semente de Cannabis sativa e suas variedades. DECRETO nº 76.248, de 12 de setembro de 1975. Promulga o Protocolo de Emendasda Convenção Única sobre Entorpecentes, 1961. DECRETO nº 79.388, de 14 de março de 1977. Promulga a Convenção sobre Substâncias Psicotrópicas. DECRETO nº 79.455, de 30 de março de 1977. Promulga o Acordo Sul-americano de Entorpecentes e Psicotrópicos. (Revogado pelo Dec. 1243 de 15.09.94, DOU de 16.09.94). RESOLUÇÃO NORMATIVA nº 10, de 1978 (Ministério da Saúde). Estabelece normas

Página 04 técnicas básicas relacionadas com a prescrição, produção e emprego de medicamentos. LEI nº 6.815, de 19 de agosto de 1980. Define a situação jurídica do estrangeiro no Brasil, cria o Conselho Nacional de Imigração e dá outras providências. RESOLUÇÃO nº 1, de 5 de agosto 1981. Regula o funcionamento e a ordem dos trabalhos do Conselho Federal de Entorpecentes. RESOLUÇÃO nº 2, de 5 de agosto de 1981. Delega competência ao Conselho Federal de Entorpecentes para autorizar e analisar divulgação de textos, cartazes e atividades afins, com o propósito de evitar interesse pelo uso de drogas. DECRETO nº 86.715, de 10 de dezembro de 1981. Regulamenta a Lei nº 6.815, de19 de agosto de 1980, que define a situação jurídica do estrangeiro no Brasil, cria o Conselho Nacional de Imigração e dá outras providências.

RESOLUÇÃO nº 3, de 14 de setembro de 1982. Estabelece normas à concessão de subvenção social à entidade que se dedique ao tratamento de dependentes de substâncias entorpecentes. RESOLUÇÃO nº 3, de 9 de agosto de 1988. Aprova a Política Nacional na Questão das Drogas. RESOLUÇÃO nº 4, de 1988. Fixa as diretrizes básicas para aprovação de projetos na área de Prevenção a serem apoiados pelo CONFEN. RESOLUÇÃO nº 11, de 30 de agosto de 1988. Estabelece normas operacionais do Fundo de Prevenção, Recuperação e de Combate às Drogas de Abuso - FUNCAB. LEI nº 7.960, de 21 de dezembro de 1989. Dispõe sobre a prisão temporária. DECRETO nº 154, de 26 de junho de 1991. Promulga a Convenção Contra o Tráfico Ilícito de Entorpecentes e Substâncias Psicotrópicas.

A Droga Vindo do Frances, ‘drogue’ (droga) é uma substancia muito utilizada por jovens e adultos de hoje em dia (infelizmente). Muitos acabam experimentando a Droga por influencia de colegas e em alguns casos acabam viciando, porém, em algumas pessoas, nem todas elas, mais sim a grande maioria. Tipos de Usuários Droga significa ‘coisas secas’, que proporcionam alteração de estados e fazem mal a saúde. Existem quatro significados para seus usuários: -Os experimentadores: que usam raramente; -Os usuários ocasionais: usam em ocasiões que adquirem vontade; -Os habituais: usam sem dependência; -Os dependentes: que dependem da droga como continuação de vida; Tipos de Drogas Sobre as drogas , há várias desvantagens como a perda de boa condição física e até mesmo, proximidade da morte. Existem também duas definições sobre drogas: as naturais (tabaco) e as sintéticas (remédios feitos em laboratórios), que podem também seres classificadas como Drogas Licitas e Drogas Ilicitas. O Mal das Drogas Ao serem utilizadas, as drogas transformam o comportamento de usuários e proporcionam sensações paranóicas (loucuras). Podem ser utilizadas via oral, injeções, inalações entre outras. Nos consumidores, existe a chamada toxicomania, certo desejo nocivo por uma droga utilizada diariamente e repetitivamente, isso gera com que as pessoas se sintam obrigadas a usá-las instantaneamente, ao aumento da dose a cada uso, tornando assim a pessoa dependente psicologicamente, e às vezes, fisicamente. Se você for entrar nessa ou já está por dentro, saia imediatamente ou procure ajuda enquanto há tempo, pois o final sem dúvida nenhuma é trágico. Veja alguns nomes de Drogas: Tabaco, LSD, Maconha, Haxixe, Heroína, Éter, Cola de Sapateiro entre muitas outras que surgem todos os dias.

Acesse e anuncie Jornal A Cidade contato@acidadejornalerevista.com.br

Facebook: h t t p s : / / w w w . f a c e b o o k . c o m / acidadesjrpardo?ref=ts&fref=ts



Edição 01