Issuu on Google+


O projeto, de autoria do vereador Mario Covas Neto (PSDB), precisa ser aprovado em segunda votação antes de ser encaminhado ao prefeito Fernando Haddad, que pode vetálo ou sancioná-lo. Os pontos referentes à infração continuariam sendo computados na CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Em nota, o vereador justificou a proposta sob o argumento de que o projeto "objetiva, simultaneamente, a educação do motorista e a compreensão da Prefeitura", que, "ao abrir mão do dinheiro da multa, passa a entender que nem sempre o cidadão infringe a lei porque quer." Hoje, o motorista que descumpre o rodízio é multado em R$ 85,13 e recebe quatro pontos na carteira.

TESTE PARA LIVRO DE FÁBULAS

A

Câmara Municipal de São Paulo aprovou na noite dessa quarta-feira (3), em primeira votação, o fim da

cobrança de multa para motoristas que descumprirem o rodízio municipal de veículos. Pela proposta, em vez de pagar multa, o motorista receberá uma advertência por escrito, livre de encargos financeiros. A multa só será paga no caso de reincidência em período anterior de 12 meses.

A segunda votação da proposta deve ocorrer na semana que vem, caso não haja um acordo entre as lideranças partidárias para votar a proposta em outro momento. A proposta foi apresentada pela bancada do PSDB. A votação que aprovou a medida foi simbólica, isto é, apenas as lideranças partidárias votaram, seguindo orientação das siglas. Nome do Aluno


TESTE PARA LIVRO DE FÁBULAS A Câmara Municipal de São Paulo aprovou na noite dessa quarta-feira (3), em primeira votação, o fim da cobrança de multa para motoristas que descumprirem o rodízio municipal de veículos. Pela proposta, em vez de pagar multa, o motorista receberá uma advertência por escrito, livre de encargos financeiros. A multa só será paga no caso de reincidência em período anterior de 12 meses. O projeto, de autoria do vereador Mario Covas Neto (PSDB), precisa ser aprovado em segunda votação antes de ser encaminhado ao prefeito Fernando Haddad, que pode vetálo ou sancioná-lo. Os pontos referentes à infração continuariam sendo computados na CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Em nota, o vereador justificou a proposta sob o argumento de que o projeto "objetiva, simultaneamente, a educação do motorista e a compreensão da Prefeitura", que, "ao abrir mão do dinheiro da multa, passa a entender que nem sempre o cidadão infringe a lei porque quer." Hoje, o motorista que descumpre o rodízio é multado em R$ 85,13 e recebe quatro pontos na carteira. A segunda votação da proposta deve ocorrer na semana que vem, caso não haja um acordo entre as lideranças partidárias para votar a proposta em outro momento.

A proposta foi apresentada pela bancada do PSDB. A votação que aprovou a medida foi simbólica, isto é, apenas as lideranças partidárias votaram, seguindo orientação das siglas. Nome do Aluno


TESTE PARA LIVRO DE FÁBULAS A Câmara Municipal de São Paulo aprovou na noite dessa quarta-feira (3), em primeira votação, o fim da cobrança de multa para motoristas que descumprirem o rodízio municipal de veículos. Pela proposta, em vez de pagar multa, o motorista receberá uma advertência por escrito, livre de encargos financeiros. A multa só será paga no caso de reincidência em período anterior de 12 meses. O projeto, de autoria do vereador Mario Covas Neto (PSDB), precisa ser aprovado em segunda votação antes de ser

encaminhado ao prefeito Fernando Haddad, que pode vetálo ou sancioná-lo. Os pontos referentes à infração continuariam sendo computados na CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Em nota, o vereador justificou a proposta sob o argumento de que o projeto "objetiva, simultaneamente, a educação do motorista e a compreensão da Prefeitura", que, "ao abrir mão do dinheiro da multa, passa a entender que nem sempre o cidadão infringe a lei porque quer." Hoje, o motorista que descumpre o rodízio é multado em R$ 85,13 e recebe quatro pontos na carteira. A segunda votação da proposta deve ocorrer na semana que vem, caso não haja um acordo entre as lideranças partidárias para votar a proposta em outro momento. A proposta foi apresentada pela bancada do PSDB. A votação que aprovou a medida foi simbólica, isto é, apenas as lideranças partidárias votaram, seguindo orientação das siglas. Nome do Aluno


Nossas fábulas