Issuu on Google+

ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO PÚBLICO 5144 E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE

ANTÓNIO JORGE GONÇALVES


02 o Inimigo do Fascismo

oInimigoPúblico 23 de Abril de 2004

PÁGINAS VISTORIADAS PELA CENSURA PRÉVIA

PROF. HERMANO SARAIVA DESACONSELHA CULTURA PELA TELEVISÃO LISBOA, 14 DE DEZEMBRO DE 1968 Exmo. Senhor Professor Doutor José Hermano Saraiva, excelso Ministro da Educação Nacional, proferiu ontem uma douta palestra a atentos jovens estudantes dos liceus de Lisboa, na qual demonstrou à satisfeita audiência a perigosidade de usar a televisão para transmitir conhecimentos sobre qualquer matéria científica ou cultural. Segundo o Ministro da Nação, a televisão pode servir para divertir o povo trabalhador com narrativas de ficção todas semelhantes umas às outras, mas não terá nenhum êxito como difusora de conhecimento. “Quem quiser aprender irá sempre recorrer aos livros, nunca à televisão”, disse o emérito Professor. “Andam por

O

aí uns documentários históricos e geográficos completamente superficiais, que duram menos de uma hora e não contribuem em nada para o desenvolvimento intelectual.” Acrescentou ainda,

num sentido de ironia que caracteriza o Senhor Ministro, que “se esta ideia de usar a televisão para levar a cultura ao povo algum dia avançasse, qualquer dia ainda tínhamos – imaginem como

S

seria ridículo – um canal exclusivamente dedicado à divulgação da História.” No fi m, os alunos aplaudiram de pé e receberam a graça especial de poderem assistir a um episódio do “Bonanza”. NAJ

A PANTALHA DÁ-SE MAIS A ESPECTÁCULOS BREJEIROS COM VELHOS E ENFERMEIRAS

DR. OLIVEIRA SALAZAR CONFIRMA TABU E RECEBE DE PRESENTE LINDA CADEIRA 5 DE SETEMBRO DE 1968 ua Excelência o Presidente do Conselho de Ministros, em amena cavaqueira com alguns representantes da imprensa es-

trangeira em Portugal, presenciada por este vosso servo, agradeceu uma cadeira que pela ocasião lhe foi oferecida. O Dr. Salazar gabou a qualidade de construção da referida peça, dizendo que esta era

como o seu Governo, “feita para durar uma vida”, e recusou-se a tecer mais considerações sobre a sua permanência à frente do Conselho de Ministros. Orgulhoso da sua longevidade governativa, confirmou

a ideia de que é “tabu” falar da sua candidatura à Presidência da República. “Já fui ministro das Finanças, primeiro-ministro, o que poderia eu ganhar em vir a ser Chefe de Estado?” Palavras sábias de Sua Excelência, mas só o futuro dirá da sua propriedade. JN

ACHA QUE A METRÓPOLE TEM HIPÓTESES DE GANHAR O COLÓNIAS 1964?

EDGAR MASCARENHAS, 32 ANOS, ANOTADOR DE CONVERSAS SUBVERSIVAS EM ESTÁDIOS

Acho que sim. Mas para isso o Eusébio tem de se concentrar no jogo e deixar de entrar em tantos anúncios da Sanjo.

A RLINDA CASTRO, 22 ANOS, MODISTA DA SELECÇÃO DA M ETRÓPOLE Tenho dúvidas. O que me preocupa mais nisto tudo são os acessos aos estádios. No outro dia, por exemplo, fiquei atolada quando queria chegar ao Salazaraxia XXI, em Lourenço Marques.

JOÃO DAS ANTAS, 23 ANOS, PRESIDENTE DA MOCIDADE DRAGONENSE

Ai, o carago! Eu já disse várias vezes que enquanto o Vitinho Baía não nascer, a Metrópole não vai conseguir ganhar nada.

VALENTIM LOUREIRO, 25 ANOS, CABO MILICIANO Depende dos valores em causa. Dos novos valores do futebol, quero eu dizer.

MJC/NCS

TERRORISTAS ALENTEJANOS FORAM DETIDOS E ESPERAM O EXÍLIO

11 DE SETEMBRO DE 1973 A rede terrorista Al-Qaeva, que vinha desenvolvendo a sua actividade criminosa na província alentejana, foi desmantelada graças ao trabalho exemplar da nossa polícia. Após meses de investigação, foram detidos os cabecilhas deste grupo armado que reivindicava a construção de uma barragem no Alqueva. Os atentados terroristas começaram depois da recusa veemente do Presidente do Conselho, o Prof. Marcelo Caetano, em dialogar com a Al-Qaeva. Foi só então que o líder espiritual da rede, o camponês Nuno Lopes, mais conhecido pelo nome de guerra “Ossama-ó-quelinda-sama” apelou ao ataque a todos os símbolos do império português. Actualmente, a Al-Qaeva estava a preparar um ataque sem precedentes. A operação policial que deteve os dirigentes da rede clandestina alentejana aconteceu a tempo de impedir aquele que seria o maior atentado terrorista alguma vez cometido no nosso país. Os operacionais da Al-Qaeva passaram as últimas semanas a treinar duas cegonhas que, revestidas de explosivos, iriam chocar contra as duas torres da igreja matriz da Amareleja. TR

BENFICA GANHA TRANQUILAMENTE AOS 469 MINUTOS COIMBRA 12 ABRIL DE 1965 O Sport Lisboa e Benfica ganhou ontem à Académica de Coimbra num jogo a contar para a 21.ª jornada do Campeonato Nacional de Futebol. O jogo, disputado no Estádio Municipal de Coimbra, foi equilibrado, tendo a equipa da casa demonstrado algum ascendente sobre o SL Benfica, nomeadamente ao nível de remates à baliza, cantos e posse de bola. Depois de uma primeira parte sem golos, a Académica entrou melhor no segundo tempo, tendo Mário Wilson aberto o marcador. No entanto, após festejar o golo, gesto considerado pouco patriótico pelo árbitro, uma vez que o Benfica é o maior sím-

bolo nacional, Mário Wilson seria expulso, bem como outros cinco colegas seus que estavam por perto e deram apoio moral aos festejos de Mário Wilson. O SL Benfica viria a empatar no último minuto do jogo, através de uma grande penalidade convertida pelo próprio árbitro. Porém, após mais duas expulsões do lado da Académica, o Benfica marcaria mais dois golos que lhe dariam a vitória, já no período de descontos, respectivamente nos minutos 467 e 469, por intermédio de mais duas grandes penalidades mais uma vez convertidas pelo árbitro, que realizou uma excelente exibição, tendo marcado um hat-trick. O presidente da Académica de Coimbra, Aristides Mota, protestou a actuação do árbitro, tendo sido rapidamente levado por agentes da PIDE/DGS para os balneários, onde seria fuzilado e o seu corpo atirado para uma vala comum e coberto de cal viva. VE/AM

JOVEM JORGE RITTO NOMEADO EMBAIXADOR RABAT, 23 SETEMBRO DE 1968 O jovem diplomata Jorge Ritto foi nomeado embaixador de Portugal em Marrocos, país que conhece bastante bem por motivos pessoais, uma vez que é um conhecido amante da cultura árabe. Aos 32 anos, o embaixador, um dos homens mais cultos e elegantes da nossa sociedade, deixa no nosso país uma multidão de admiradoras, algo que o próprio admitiu ao repórter social do INIMIGO PÚBLICO no aeroporto da Portela, onde aguardava o avião para Tânger com o seu sobrinho Adelino. De referir que antes de partir para as suas novas funções, Jorge Ritto deu uma pequena festa na sua casa de Cascais, para a qual foram apenas convidados os amigos mais chegados do diplomata, como Carlos Cruz, apresentador do conhecido programa Zip Zip. Quanto aos rumores de um possível desgaste do glorioso Conselho, Jorge Ritto mostrou-se optimista, lembrando que “o melhor deste Regime patriótico é que ainda é uma criança.” VE/AM


“AVENTAL FASHION” LEVA DONAS DE CASA A SONHAR LISBOA, 18 DE OUTUBRO DE 1951 As donas de casa portuguesas acorreram em massa à 13.ª edição do “Avental Fashion”, este ano subordinado ao tema “Nódoas Difíceis”. Por este certame passaram as mais recentes tendências da moda em aventais, bem como as arrojadas propostas para a próxima estação Primavera/Verão. Os desfiles das marcas “Aventalândia”, “O Rei do Avental” e “Modas Dona Natércia” destacaram-se pela criatividade, audácia e glamour, numa singela combinação de cores, cortes e texturas. Segundo os principais criadores, as mulheres que queiram estar na moda deverão optar pelo branco ou tons pastéis evitando, a todo o custo, o vermelho, que continua completamente demodé. Os aventais estampados ou bordados à mão constituem também uma excelente opção de estilo para a mulher moderna. Uma das novidades deste ano foi o avental de cerimónia, em dourado ou lantejoulas, destinado às ocasiões domésticas especiais. Depois dos desfi les, o público do “Avental Fashion” foi convidado a participar num colóquio onde se revelaram e experimentaram as mais inovadoras técnicas de remoção de nódoas difíceis. O mais importante evento de moda nacional encerrou as suas portas pelas 16 horas, a tempo de as esposas portuguesas regressarem a seus lares para preparar o jantar. À saída do certame, eram indisfarçáveis os sorrisos estampados nos rostos. “É de perder a cabeça! Até tive tonturas!”, exclamou a dona Leonilde Matias, de 52 anos, que gastou todo o dinheiro que o marido lhe dera num avental estampado com ursinhos, “que combina lindamente” com uma blusa que comprou na Baixa. PC

S

23 de Abril de 2004 oInimigoPúblico

VINHÁRIO EXIBE DIVERTIDOS ÉBRIOS EM SITUAÇÕES HILÁRIAS

o Inimigo do Fascismo 03 habitat natural. As visitas estão condicionadas aos horários dos ébrios, mas as escolas podem fazer marcações para as crianças lá passarem a noite numa actividade que se vai chamar “A Experiência do Lagar”. A decoração de interiores modernista está particularmente feliz nos pavilhões dedicados ao Ciclo Lúdico do Vinho que começa com o Pavilhão do Penalty e o Festival das Sopas de Cavalo Cansado e segue para os pavilhões do Copo de Três, do Gregório, da Cirrose Hepática, do Pode Encher e do Só Mais um Pró Caminho. Termina em apoteose com o espectáculo de cor e som “Ao Menino e ao Borracho Mete Deus a Mão por Baixo” e o sarau de natação no inesquecível Tanque Alvarinho. Para os petizes, há diverso material de propaganda ilustrado com a mascote do certame, o Pipas, uma barrica folgazona de verde tinto minhoto que, ora em porta-chaves, ora em chapéus para a bola, se apropria da frase do Dr. Bertillon: “O alcoolismo combate-se pelo consumo do vinho.” A Exposição do Mundo Português espera três milhões de visitantes e será a demonstração cabal de que o Império não faz distinções entre os seus filhos dilectos: tanto abraça o branco como abraça o tinto. MB

CASA PIA JÁ TEM CARRINHA PARA SEU USO

LISBOA, 23 DE JUNHO DE 1940 erá hoje inaugurada a monu ment a l Exposição do Mundo Português pelo Presidente do Conselho, acompanhado pelo Director do Secretariado de Propaganda Nacional e por um representante do Grémio dos Armazenistas de Vinhos de Santa Marta de Penaguião, que traz um tonel e sete garrafões. A presença deste último dignatá-

rio parece confirmar a notícia avançada pelo INIMIGO PÚBLICO na sua última edição: o tema “Império” foi considerado pouco apelativo para os turistas e optou-se definitivamente pela temática vitivinícola. A Expo 40, como já é carinhosamente tratada pelos lisboetas, é um acontecimento sem paralelo na História de Portugal, tanto no passado como no futuro, pois será certamente impossível

organizar um evento idêntico nos próximos cem anos. Custou a perfeita loucura de 35 mil contos, fora derrapagens, estende-se por mais de 500 mil metros quadrados e revolucionou urbanisticamente uma zona degradada da capital, o Mosteiro dos Jerónimos. A jóia da coroa da Exposição do Mundo Português é, sem dúvida, o Vinhário. Aqui se pode provar de todos os vinhos nacionais e observar alguns ébrios no seu

LISBOA, 28 DE NOVEMBRO DE 1972 A secular instituição lisboeta recebeu, enfim, das mãos do Sr. Presidente do Conselho, uma magnífica carrinha, cuja marca omitiremos para evitar a publicidade, que passará a transportar os moços casapianos em todas as deslocações que necessárias forem. A cerimónia de entrega da carrinha decorreu em Belém, no salão nobre da instituição, com pompa e circunstância. Na festa estiveram mesmo presentes embaixadores, médicos, políticos, apresentadores de televisão e um futebolista. Tudo aponta para que a carrinha venha a ser conduzida por um petiz casapiano, prestes a entrar na maioridade, de seu nome Silvino. LFB

AMERICANO KENNEDY APOSTA TUDO NO SEGUNDO MANDATO WASHINGTON, 21 DE NOVEMBRO DE 1963 O Presidente norteamericano John F. Kennedy está apostado em profundas reformas domésticas e na política externa se conseguir um segundo mandato. Kennedy compromete-se a acabar com a Guerra Fria, derrotando o comunismo, pacificar o Médio Oriente, o Sudoeste Asiático e a América Latina, depor o ditador cubano Fidel Castro, fazer a ponte entre os dois Hemisférios para acabar com a pobreza e a exploração do Terceiro Mundo, colocar um homem, uma mulher e um koala em Marte antes do final do século, descobrir a cura para o cancro, disponibilizar apoio médico e social gratuito para todos os americanos e ser fiel à mulher. Kennedy começará a trabalhar neste programa mal regresse da sua viagem a Dallas, marcada para amanhã. MB

SOARES EXPULSO DA ALIANCE FRANÇAISE PARIS, 5 DE SETEMBRO DE 1969 Mário Soares, conhecido dirigente oposicionista exilado em França, tem andado num corrupio de agitações conspirativas contra o regime português. Textos, panfletos, manifestações, entrevistas, encontros com dirigentes europeus. Mas Soares, professor na Sorbonne, sofreu agora um duro golpe: foi expulso da Aliance Française por falta de aproveitamento. À nossa reportagem, Soares comentou: “Il est injuste. Il me font cela parce que je suis un combatant par la liberté et le régime m’a persecuté même hors des portes. Je vais apeller a les hautes instances internacionales et ils veront avec combien de paux il se fait une canoe.” MP


04 o Inimigo do Fascismo RTP É LÍDER DE AUDIÊNCIAS COM NATURALIDADE LISBOA, 31 DE DEZEMBRO DE 1969 De acordo com a Marco Teste-Audimetria, as audiências televisivas no mês de Dezembro confirmaram a tendência dos últimos 12 anos: a RTP é a estação preferida dos telespectadores portugueses. Mais uma vez, a Radiotelevisão Portuguesa obteve a liderança no share, alcançando valores na ordem dos 100 por cento. Para os leitores menos familiarizados com os termos técnicos, isto significa que, entre todos os portugueses que viram televisão, 100 por cento escolheram a RTP. Programas como “TV Rural”, “Teleteatro”, “Concurso Nacional de Cozinha e Doçarias Portuguesas”, “Isabel Wolmar Show” e “Mira Técnica” terão contribuído decisivamente para tão esmagadores resultados que, de acordo com a Marco Teste, também se devem, em parte, ao facto de esta ser a única estação televisiva em Portugal. PC

ESTRANGEIROS COMPRAM “CONVERSAS EM FAMÍLIA” LISBOA, 12 DE JUNHO DE 1968 O estrondoso sucesso do programa “Conversas em Família”, escrito, produzido, realizado, censurado e apresentado por Sua Excelência, o Professor Marcelo Caetano, já ultrapassou as fronteiras nacionais. A inovação e o dinamismo do formato, que consiste em colocar o orador sentado num cadeirão a falar de frente para a câmara, entusiasmou várias televisões estrangeiras, que já fazem fila para o comprar. A Globo será uma das primeiras felizardas, tendo já contratado o jovem actor António Fagundes, que fará a dobragem em brasileiro, das palavras do Professor Marcelo. Na tentativa de evitar os possíveis plágios, a RTP resolveu registar o formato, impedindo que, no futuro, uma outra televisão venha a atingir picos de audiência com as conversas de um qualquer Professor Marcelo. PC

oInimigoPúblico 23 de Abril de 2004

OPERAÇÃO “PIDE ESPERANÇA” COMEÇA A DAR FRUTOS

JOVEM SAUDITA IMPRESSIONA JÚLIO ISIDRO LISBOA, 2 DE FEVEREIRO DE 1974 úlio Isidro, um dos grandes ícones do pequeno ecrã, ficou impressionado com a tenacidade de um jovem saudita – acabado de licenciar-se em Inglaterra – que fez questão de vir até Portugal só para participar no seu programa. “Pensei que não havia ninguém no mundo mais apaixonado por aeromodelismo do que eu!” – disse-nos um entusiasmado Isidro, apesar de ter perdido dois dos seus modelos preferidos. Na verdade, o jovem – de seu nome

J

A NOSSA REPORTAGEM CAPTOU MAIS UM POPULAR BAFEJADO PELA SORTE LISBOA, 9 DE MARÇO DE 1959 Polícia Internacional e de Defesa do Estado continua a dar provas da sua infinita solidariedade para com os mais desfavorecidos lançando, através da Radiotelevisão Portuguesa, uma mega-operação sugestivamente intitulada “PIDE Esperança���. O objectivo desta operação é a recolha de fundos para fazer face às carências mais urgentes de vários portugueses que já tiveram a honra de conhecer as instalações da PIDE. É o caso do senhor António Silva, um funcionário público que, na sequência de

A

é baratas.”. O vencedor de cada programa receberá uma fabulosa refeição quente e um espectacular copo de água, e habilita-se ainda a concorrer na grande final, onde terá de superar o medo de morte natural por subnutrição, alimentação estragada, falta de medicamentação e assistência médica, maus-tratos, tortura, trabalhos forçados e insalubridade. Para os interessados em concorrer a “Tarrafal Factor”, a produção do programa deixa o convite: “É muito fácil participar, basta inscrever-se no PCP ou ter mais de duas cópias do jornal “Avante!” em casa, e habilita-se à aventura da sua vida, aqui no Tarrafal!”. FHF

para a primeira emissão: “Numa primeira fase, os concorrentes serão desafiados a ultrapassar o seu medo do espancamento, fobia aliás comum a todos os candidatos a este programa. As provas vão subindo de dificuldade, e as fobias a ultrapassar nas fases seguintes serão a de estar duas semanas sem dormir por ter alguém a queimar-nos cigarros nas costas de cada vez que fechamos os olhos, e a fobia de ter as unhas dos pés arrancadas por um alicate. É incrível, as coisas de que as pessoas têm medo. Eu

inspectores da polícia política. Segundo uma destas testemunhas, “o indíviduo em questão tropeçou e caiu num cinzeiro gigante cheio de cigarros acesos, que lhe deixaram marcas no corpo todo”. Graças à “PIDE Esperança”, o senhor Joaquim conseguiu reunir uma verba suficiente para adquirir uma caixa de ferramentas que, embora não resolva propriamente o seu problema, “lhe vai dar muito jeito”. Foi com os olhos marejados de lágrimas que os dois homens agradeceram ao País e, muito especialmente, aos promotores desta comovente iniciativa: “Obrigado PIDE”! PC

um divertido interrogatório policial perdeu, inexplicavelmente e de uma vez só, o emprego e a capacidade de andar, além de ficar gago e com o cabelo todo branco. Através da “PIDE Esperança”, o senhor António pôde pedir ajuda aos portugueses que, numa manifestação de puro altruísmo, depositaram na sua conta a quantia necessária para comprar uma tinta para o cabelo, daquelas que só saem após 5 lavagens. Também o senhor Joaquim Alberto, reformado, deveu à caridade nacional a solução de um problema de pele que lhe terá surgido durante uma amena conversa com dois

TARRAFAL FACTOR ESTREIA DOMINGO LISBOA, 18 ABRIL DE 1971 primeiro reality show da televisão portuguesa promete cenários exóticos e desafios arrepiantes. “Tarrafal Factor” é uma co-produção RTP/DGS, gravada na paradisíaca Ilha de Santiago, em Cabo Verde, e desafia semanalmente seis concorrentes a superarem os seus medos e fobias. O produtor-executivo do programa, Rosa Casaco, levantou a ponta do véu e revelou algumas das surpresas reservadas

O

Laden Osama – apesar de ter controlado com muito pundonor as pequenas aeronaves, excedeu-se na refrega e acabou por levá-los a chocar contra uma antena dos estúdios do Lumiar. A nota dramática em nada desmoralizou Júlio Isidro, que confortou o rapaz. Laden Osama disse apenas que programas como o de Júlio eram a prova de que cristãos e muçulmanos podem entender-se e conviver em harmonia. E partiu, depois de abraçar Isidro e dizer: “Nunca o esquecerei. Foi você quem me lançou”. LFB

SARAMAGO CONDECORADO PELO SEU PRIMEIRO LIVRO LISBOA, 3 DE SETEMBRO DE 1969 Mi nistério do Ultramar atribuiu esta tarde uma condecoração por mérito literário a um escritor de meia-idade não muito conhecido, de seu nome José Saramago, pelo patriotismo demonstrado na sua publicação “Ensaio sobre a Palidez”. Neste glorioso trabalho literário, o autor apresenta, de forma romanceada, a resolução do problema colonial de forma pacífica. “O que aconteceria se em vez dos movimentos terroristas combaterem de

O

forma anti-patriótica a nossa grande Nação, houvesse uma espécie de eleições e grande parte da população votasse no branco?” perguntou Saramago na apresentação do livro, que decorreu a semana passada nas instalações da maior empresa portuguesa de ar condicionado, a FNAC. O escritor exortou também todos aqueles que fogem cobardemente para o estrangeiro a ficar em Portugal e a construir “uma nação valente e imortal” e a pedirem desculpas ao Governo pela sua atitude egoísta e mesquinha. NAJ

EIS QUE SURGE A NOTÁVEL TORRADEIRA ATÓMICA PORTO, 1 DE ABRIL DE 1964 Instituto Tecnológico Nuclear tem entre mãos um projecto promissor, que poderá vir a revolucionar os pequenos almoços das famílias portuguesas! Trata-se de uma nova torradeira que funcionará a energia atómica, e que permitirá igualmente fazer deliciosas tostas mistas ou só de queijo. O engenho será constituído por uma grelha contendo isótopos radioactivos, nomeadamente rénio187, iodo-125 ou, claro, o urânio-238. A torradeira será extremamente prática, pois funcionará de três modos distintos. No

O

primeiro, por emissão de partículas alfa, as torradas serão aquecidas directamente em cima da grelha. Este modo é o que mais se assemelha a uma torradeira tradicional, com a diferença de que alguns pico-segundos serão suficientes para fazer uma torrada! Mas, para além disso, e como o decaimento radioactivo pode ser acompanhado pela emissão de raios gama, alguns pãezinhos que estejam num raio de cerca de dois metros da torradeira serão também transformados em torradinhas, como resultado dessa radiação incidente. Se bem que levará mais tempo! DM


CARDEAL CEREJEIRA ENTOA ODE À AZINHEIRA COVA DA IRIA, 13 OUTUBRO DE 1948 ua Eminência o Cardeal Patriarca Cerejeira revelou hoje aos fiéis reunidos na Cova da Iria um novo hino religioso intitulado “Fátima Vila Serena”, em cujos versos a azinheira é a árvore que reúne “todo o simbolismo devoto dos portugueses”. Referindo-se à árvore sobre a qual a Virgem

S

apareceu aos Três Pastorinhos, o Cardeal Cerejeira entoou ele próprio os versos em questão: “À sombra de uma azinheira/ Que já não sabia a idade/ Jurei ter por companheira/ Fátima a tua vontade”. O Cardeal acredita que, no futuro, todos os fiéis plantarão uma azinheira nos seus quintais, e que a árvore “jamais poderá ganhar outra interpretação”. VS

23 de Abril de 2004 oInimigoPúblico

o Inimigo do Fascismo 05

MENINO GANHA PRÉMIO “PESSOA”

SALAZAR SEDUZIDO POR VIDA PARLAMENTAR LISBOA, 3 DE SETEMBRO DE 1921 Sr. Deputado Oliveira Salazar visitou ontem o parlamento, naquela que foi a sua primeira participação nos trabalhos da República depois de ter sido eleito pelo Centro Católico de Guimarães, mas regressou algumas horas depois a Coimbra, justificando que “tinha

O

uma coisa ao lume que só fica cozinhada lá para 1926”. O Sr. Salazar revelou-se “excitado com a espantosa vida parlamentar, que é sem dúvida o melhor da vida portuguesa”. “Aliás, quando terminar esta coisita que tenho a refogar, gostava de regressar para ficar a maior quantidade de anos possível a desfrutar a vida parlamentar”, disse ainda. VS

GAGARIN E A CADELA LAIKA SÃO A MESMA PESSOA MASSACHUSSETS, 13 DE ABRIL DE 1961 m russo mesmo de Moscovo, Iuri Gagarin, gabou-se ontem de ter estado 48 minutos em órbita. Assim caiu finalmente a máscara ao autoproclamado “programa espacial soviético” depois dessa farsa que foi terem passeado um canídeo subversivo pelo espaço sideral em 1957. O INIMIGO PÚBLICO pode confirmar

U

que o comunismo é um monumental embuste, já que o tal indivíduo Gagarin e a cadela Laika são, na verdade, uma e a mesma pessoa. Um estudo divulgado ao fim da manhã aqui no Massachussets comprova isso mesmo e aponta três coincidências comprometedoras: as duas missões partiram da base de Baikonur, são ambos oficiais do Exército Vermelho e Laika e Gagarin nunca foram vistos juntos. MB

EUSÉBIO NO REAL MADRID ESTRADA DA LUZ, 8 DE AGOSTO DE 1966 usébio acaba de se transferir para o Real Madrid por uma soma a rondar os 80 contos. O Benfica vê assim partir a sua jóia da coroa, depois de ter sido obrigado a vender Coluna ao Manchester United, Torres ao Galatasary, Simões à Juventus e José Augusto ao AC Milan. Foi um Eusébio feliz que interpelámos no Aeroporto

E

da Portela já de malas aviadas para a sua nova aventura profissional: “Depois do Mundial tive convites da Europa e do Japão, mas não gosto de sushi. Prefiro juntar-me aos galácticos e ser uma constelação.” O futebol português volta a não conseguir segurar um dos seus maiores valores depois da cedência, por atacado, dos 5 Violinos do Sporting ao Inter de Milão, em 1951, por 15 contos (3 contos por violino). MB

LISBOA, 23 MARÇO 1956 o menino José António, da Escola Primária n.º 28, à Ajuda, foi atribuído o primeiro

A

lugar no concurso “Fernando Pessoa” promovido pelo Ministério da Instrução Nacional entre a mocidade e destinado a premiar a melhor redacção dedicada

ao tema “O amor dos pais”. É com satisfação que publicamos a obra premiada, desejando ao mimoso talento as mais estremes felicidades na carreira das letras. GFR

OS PAIS E AS MÃES

Certas pessoas gostam muito de mim. Quem gosta muito de mim é o meu pai e a minha mãe. A minha professora também gosta muito de mim. Muitas pessoas não percebem porquê. O que se percebe. Não percebem, como é óbvio, porque não são o meu pai. Também não são a minha mãe. O meu pai e a minha mãe gostam muito de mim porque são os meus pais. É isso que muitas pessoas não percebem. É natural que o meu pai goste de mim porque é natural os pais gostarem dos filhos. O que algumas pessoas não percebem é que a minha mãe não é meu pai e também gosta de mim à mesma. Não percebem que é natural as mães gostarem muito dos filhos. É óbvio. Não insistamos, pois, nesse assunto. Os meus pais e as minhas mães gostam muito de mim. Nem de outra maneira podia ser. Pois. Há quem diga que alguns pais não gostam dos filhos. É, obviamente, porque são pais maus. Certas mães também são mães más. Certos filhos também são maus filhos. Ora, nem todos os pais podem ser como a minha mãe. Nem todas as mães podem ser como o meu pai. Portanto, nem todos os filhos podem ser como eu. Se todos os pais fossem como a minha mãe, eu era filho deles todos. Ora, isso não pode ser. Se todos os filhos fossem como eu, todos os pais e todas as mães gostavam muito de mim. Ora isso também não pode ser. Alguns pais e algumas mães gostam muito de mim, e outros pais e outras mães gostam mais dos filhos deles. A minha professora não é meu pai mas também gosta muito de mim. Pode-se concluir que não sendo meu pai, será minha mãe? Não. Eu costumo dizer que mãe só há uma. São os meus pais. A minha professora não é os meus pais. Chama-se Fernanda e não é casada com os meus pais. Então, porque é que gosta de mim? É óbvio. É porque eu sou pequenino. Quando for grande, quero mandar no Expresso. José António, 8 anos

MANOEL DE OLIVEIRA TERMINA A CARREIRA

LISBOA, 4 DE MAIO DE 1964 Um grupo representativo dos cineastas portugueses, reunido de emergência na Gulbenkian, decidiu promover uma quotização para financiar o veterano realizador Manoel de Oliveira. Oliveira tem fi lmado pouco, mas ainda assim merece uma referência incontestável como pioneiro da nossa cinematografia. Recentemente, por altura de uma indisposição gástrica, terá confessado a amigos que se sentia nas últimas e gostava de deixar uma obra final, como testamento para os vindouros. António Cunha Telles, produtor da corrente conhecida como Cinema Novo, soube dessa vontade do mestre portuense e decidiu mobilizar cineastas mais novos, de modo a providenciar os meios para que Oliveira faça, com dignidade, um derradeiro fi lme. Um dos cineastas presentes, Fernando Lopes, declarou: “Temo que o Manoel tenha poucos anos à sua frente. Acho que lhe devemos esta obra de despedida”. MP

GENERAL SPÍNOLA LANÇA-SE NA ASTROLOGIA COM LIVRO 12 OUTUBRO 1973 O General António de Spínola, depois de vários anos na Guiné onde frequentou diversos “workshops” de ocultismo e astrologia com os indígenas, acaba de publicar o seu mais recente sucesso literário: “Portugal e o Futuro”. Apesar do título, o livro debruça-se essencialmente sobre o futuro de Portugal, tentando adivinhar qual o rumo do País e o das suas principais figuras. Em poucos dias o livro vendeu milhares de exemplares, ultrapassando mesmo o “Interrogue-se a Si Mesmo Com Uma Faca de Cozinha – Breve Iniciação à Tortura”, das Edições Pidescas. LCA/NCS


06 o Inimigo da Revolução Fernando Rosas diz que se está a perder o espírito de Abril BAIRRO ALTO, 26 DE ABRIL DE 1974 ernando Rosas, director do jornal “Luta Popular”, mostra-se preocupado com o rumo que a revolução pode tomar, passado que está apenas um dia desde o golpe militar. “Infelizmente, hoje já é dia 26 de Abril, o que faz com que o espírito do dia de ontem já se comece a perder e as forças contra-revolucionárias de extrema-direita comecem a fazer ouvir a sua voz,” referiu o jovem miltante anti-fascista. “O que devia ter sido feito era declarar todos os dias do ano 25 de Abril, bem como tatuar a data e um cravo vermelho na testa de todos os portugueses, para que se lembrassem do glorioso dia de ontem mal se levantassem da cama e se olhassem ao espelho. Mas isso não aconteceu e é com pena que tenho de dizer que hoje, 26 de Abril, Portugal está pior do que antigo regime,” concluiu, enquanto batia com um sapato num retrato de Salazar. VE/AM

F

oInimigoPúblico 23 de Abril de 2004

Diário de um ex-revolucionário DOMINGO De regresso de uma visita de inspecção ao nosso corpo expedicionário na Mesopotâmia, encontro o país (o nosso) à beira da guerra civil por causa das celebrações dos 30 anos da Abrilada. Dirijo-me imediatamente à residência do chefe do Governo para esclarecer um lamentável equívoco para o qual eu inadvertidamente contribuí. Tudo começou quando, na minha qualidade de Presidente da Comissão comemorativa do evento, recebi uma convocatória do ministro Morais Sarmento para uma reunião urgente com os publicitários. O ministro tinha acabado de sair do dentista e estava com mais dificuldade do que é costume em pronunciar os “érres”. “Já falei com o pimeigo-ministo”, diz-me o jovem político, “e achamos necesságuio mais publicidade às comemogações do 25 de Abil. O que é que os meus amigos acham que se pode fazeg?” Sugeri imediatamente uma campanha de “outdoors” e anúncios na imprensa, para sublinhar os magníficos progressos registados no nosso país devido à evolução positiva verificada na revolução desde que o actual Governo subiu ao poder. “A evolução da gvolução”, concorda entusiasticamente Morais Sarmento, “parece-me pogueiro. A evolução da

gvolução, gande slogan. Gande ideia! O que é pciso é sublinhag os aspectos positivos da evolução paga que as pessoas esqueçam o lado mais gvolucionário da gvolução”. Despedimo-nos cordialmente, mas antes o ministro ainda insiste com o publicitário: “Não se esqueça. Gvolução, evolução. Pcebe? Evolução, gvolução!”. Pelos vistos, o publicitário não percebeu nada.

TERÇA A prisão do Dr. Valentim Loureiro e mais de uma dúzia de alegados cúmplices na corrupção do futebol levantame algumas inquietações, sobretudo se for verdade – como garante um dos advogados – que muitas outras detenções se irão seguir. A questão, mesmo que a prisão de todos os elementos ligados ao desporto-rei seja um contributo para o prestígio nacional, sobretudo em vésperas do Euro 2004, é que a impraticabilidade da coisa parece evidente. Onde meter toda essa gente, já que as nossas prisões não estão ao nível adequado, encontrando-se cheias de pequenos traficantes de droga, arrumadores de automóveis, locutores de TV, e outros indesejáveis? A solução, parece-me, será adiar a gigantesca rusga no sub-mundo do futebol para depois do Euro, quando as vastas instalações dos novos estádios se encontrarem desocupadas e inúteis. Os detidos poderão ser encaminhados para os magníficos estádios, e o público, mediante o pagamento de um bilhete a preço simbólico que reverterá para o Ministério da Justiça ou uma Organização Não-Governamental à sua escolha, será encorajado a comparecer em grande número afim de atirar pequenos objectos contundentes aos árbitros e dirigentes. Depois do futebol, esse é indiscutivelmente o desporto mais apreciado entre nós. GFR


23 de Abril de 2004 oInimigoPúblico

o Inimigo da Revolução 05

Isabel do Carmo exige fim de toda e qualquer depilação LISBOA, 28 JUNHO DE 1974 camarada-revolucionária Isabel do Carmo distribuiu ontem folhetos na Baixa pombalina apelando ao fim da depilação feminina ou masculina como forma de libertação contra “a opressão dos tiranetes da moda e do jugo clerical sobre as mulheres e os homens emancipados”. A líder deste movimento revolucionário fez o favor de subir as escadas do edifício deste jornal (já que todos decretamos que o elevador não funcionará mais - de forma a poupar a energia para que as fábricas e os operários possam produzir riqueza para Portugal) e entregou-nos em mão este folheto, o que muito agradecemos. Na redacção do INIMIGO logo duas jornalistas se mostraram unidas na mesma luta com Isabel do Carmo, mostrando um sovaco bem cabeludo, e apelando às outras jornalistas para que deixassem crescer os pêlos debaixo das axilas, pernas e corpo em geral. A revolucionária explicou às dezenas de pessoas que se juntaram – incluindo pessoal auxiliar, porteiro e telefonista – que esta causa demonstra “no quotidiano” a força da revolução. “Em França, todas as mulheres livres de esquerda têm na axila o seu emblema. E nos países democráticos do Leste a venda de lâminas está mesmo proibida a mulheres”, afirmou a camarada Isabel do Carmo a quem enviamos, desde aqui, votos revolucionários e muitas felicidades para as viagens que fará por todo o país em defesa desta causa. O camarada gráfico do jornal dispensou-lhe mesmo o seu lanche de pão com marmelada para que a revolucionária prosseguisse a jornada bem nutrida e revigorada. A ele também o nosso agradecimento. NC

A

C

PORTO. 6 DE JUNHO DE 1974 O chefe da secção de hóquei em patins do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, disse ontem que acabou a hegemonia de Lisboa no hóquei em patins, depois dos azuis-e-brancos terem vencido por 4-3 o Oeiras, em jogo disputado nos arredores da capital. “Até agora os clubes de Lisboa puderam contar sempre com o Livramento, o Ramalhete e com o favor das arbitragens, mas a revolução vai-nos ajudar a acabar com esta ditadura de vitórias do Benfica e do Sporting no hóquei em patins”, afirmou o desconhecido dirigente. NC

TV Rural actualiza o seu formato LISBOA, 11 DE JUNHO DE 1975 O conhecido programa TV Rural, baluarte dos valores do antigo regime, vai adoptar um formato diferente, mais adequado à nova realidade revolucionária. Assim, as próximas emissões do programa serão gravadas em várias cooperativas agrícolas e antigos latifúndios ocupados pelos seus trabalhadores. Em vez do reaccionário engenheiro Sousa Veloso a ensinar métodos passadistas de cultivo do trigo, iremos ver estudantes de Agronomia politicamente empenhados, de braço dado com militares e trabalhadores agrícolas, explicando técnicas avançadas de ocupação de terras, organização de pequenas comunidades e educação sexual. Serão explicados também as bases do cultivo de espécies vegetais mais diversificadas, como as papoilas e a cannabis. Esta nova série de emissões será também dobrada em alemão, para servir os interesses dos camaradas que se têm instalado no Alentejo em espontâneas manifestações de solidariedade internacionalista com a reforma agrária. JN

Brecht recebido com reservas em Lamego LAMEGO, 8 DE ABRIL DE 1975 ontinua a brava campanha de dinamização cultural que tem levado às paragens mais recônditas a arte moderna e o ânimo revolucionário. A Quinta Divisão esteve esta semana em Lamego, onde uma companhia do Seixal levou à cena, no coreto, a peça «A Resistível Ascensão de Arturo Ui», do dramaturgo alemão Bertolt Brecht. A representação mobilizou setenta e duas pessoas, que se acotovelaram para assistir a esta metáfora hitleriana que tem enorme pertinência no momento em que se quebram as grilhetas do fascismo. A récita durou quatro horas e meia e foi falada em alemão. No final, reacções muito díspares. A octogenária Ti Guilhermina, por exemplo, considera que o «efeito de distanciação» não foi convenientemente trabalhado, tendo o propósito

Pinto da Costa diz que acabou o fascismo de Lisboa no hóquei

revolucionário das didascálias sido atenuado de forma algo reaccionária. «Uma leitura do ensaio seminal de Walter Benjamin teria resolvido esse percalço», adiantou. Toino, o maluco, por sua vez, considera que a cena central desta obra, que decorreu ao som de Kurt Weil em gaita-de-beiços, mostrou como a música é feita pelo povo e com o povo. Disse ainda que se sentia esclarecido, motivado, empenhado e pronto a combater pela sociedade socialista. Levou também a mão aos testículos. Mais controversa foi a intervenção do lavrador Zé Nabo, que afirmou que a companhia não tinha levado em conta a investigação de Artaud sobre a máscara nem equacionava de modo adequado a questão do orgasmo em Reich. «Já para não referir Althusser», condescendeu. Porém, imperou a confraternização operária, e houve chouriços para todo o elenco.MP

Benfica optimista LISBOA, 3 DE MAIO DE 1974 O maior clube português, justamente conhecido por todo o mundo como O Glorioso, não parece estar preocupado com a Revolução que ontem desmantelou um regime com o qual o clube surge normalmente associado. O INIMIGO PÚBLICO foi ao Estádio da Luz, justamente conhecido como A Catedral, falar com o presidente do SL Benfica, o glorioso Dr. Borges Coutinho, que se mostrou optimista. “O glorioso Sport Lisboa e Benfica, fundado pelo não menos glorioso Cosme Damião sob inspiração divina, ganhou até à data 23 Campeonatos Nacionais e 14 Taças de Portugal, para não falar de 3 Taças Ribeiro dos Reis e 2 Taças dos Clubes Campeões Europeus, todas elas conquistadas com o talento e dedicação dos atletas e dos adeptos deste glorioso clube e não com a ajuda da gloriosa União Nacional. Por isso, olhando para a total hegemonia do Benfica no futebol português, não tenho motivos para estar preocupado, pois não acredito que algum outro clube em Portugal possa desafiar a posição do Benfica. O glorioso Benfica vai sempre ser campeão nacional, seja em ditadura, em democracia ou em oligarquia,” concluiu. VE/AM

Jovem Elsa Raposo abandonada pelo primeiro namorado MACAU, 23 DE MARÇO DE 1975 Elsa Raposo, uma adorável criança de 6 anos de idade, filha do Coronel José Santos Raposo e de Maria de Lurdes, actualmente a viver na região autónoma de Macau, foi abandonada pelo seu primeiro namorado, uma criança de ascendência chinesa chamada Pedro Choy que quando crescer quer ser especialista em Zen Shiatsu ou acupunctura. Pelo que a pequena Elsa afirmou à revista da escola, terá ficado “devastada com a atitude do Pedro, a quem eu sempre amei de todo o coração e de quem esperava um compromisso sério”. Contactado pelo INIMIGO PÚBLICO, o jovem Pedro Choy explicou “os primeiros amores de escola são sempre transitórios, ficando apenas bonitas recordações, como o primeiro beijo”. Entretanto, em declarações bombásticas à revista da escola, Elsa Raposo afirmou que o ex-namorado a maltratava, espetando-lhe agulhas por todo o corpo e obrigando-a a ver “Os Jovens Heróis de Shaolin.” VE/AM


04 o Inimigo da Revolução José Mário Branco grava Unplugged na Lisnave TRAMAGAL, 23 DE JULHO DE 1975 José Mário Branco, o conhecido cantor de intervenção, vai dar no próximo dia 1 de Maio, para comemorar o Dia Internacional do Trabalhador, um concerto nas instalações da Lisnave, sendo o concerto gravado e posteriormente editado como “Unplugged in Lisnave”. O muito aguardado álbum terá no alinhamento algumas das canções mais famosas de José Mário Branco, como “José Mário, O Proletário”, “Mujahedin do Lenine”, “Tio Sam no Vietnam”, “Terrorismo no Baptismo”, “O Meu Marido é Membro do Partido”, “Moderados Enforcados”, “Vou Fazer a Lide ao PIDE”, “Tortura na Ditadura”, “Napalm da Mão”, “Freitas do Amaral Para O Tarrafal”, “UNITA Sodomita”, “Revisionista na Minha Lista”, “Soares Pelos Ares”, “Otelo a Martelo”, “Karl Marx com Antrax”, “Iniciativa Privada Degolada” ou “Saramago, Meu Amado”. De referir que a primeira parte do concerto vai ser assegurada por Vasco Gonçalves, que vai apresentar um Best Of dos seus discursos. VE/AM

PCTP/MRPP prevê que EUA vão fazer parte da China BORBA, 12 DE ABRIL DE 1975 O Camarada e Grande Educador da Classe Operária Arnaldo Matos informou ontem à tarde os trabalhadores de uma exploração agrícola ocupada de Borba que os Estados Unidos da América, em 2004, irão integrar a República Popular da China. Os trabalhadores receberam a notícia com agrado, deram vivas ao Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado e mataram um porco preto para celebrar a derrota do imperialismo. Na mesma ocasião, o Camarada Arnaldo Matos apontou as linhas gerais do programa do PCTP/ MRPP para o Período Revolucionário em Curso: colectivização dos bigodes, obrigatoriedade da fatiota verde-merda, proibição das missas campais e simplificação da sigla do Partido de PCTP/MRPP para PCT/MRPP. MB

Revolucionários do Iraque saúdam golpe em Portugal BAGDAD, 26 MAIO DE 1974 O líder do Conselho Revolucionário do Iraque, Saddam Hussein, enviou um telegrama aos camaradas do MFA saudando a “libertação do povo face às garras de um tirano ditador que apenas tinha como objectivo perpetuar-se no poder, enriquecer toda a sua família e os capitalistas poderosos em seu redor”. Numa declaração que engloba a solidariedade do seu presidente, Ahmed Hassan Bakr, os iraquianos desafiam desde já “os irmãos portugueses a mudarem de atitude perante Alá, aderindo ao Islão e a recusarem a carne de porco, entre as quais o presunto serrano”. NC

oInimigoPúblico 23 de Abril de 2004

Versão light da Constituição trai espírito de Abril CASCAIS, 29 MARÇO DE 1976 Constituição da República portuguesa de 1976 foi totalmente reescrita por Maria Berkeley Vasconcellos Burnay D’Orey e Sá, uma escritora pop, amiga de Snu Abecassis e frequentadora da pastelaria “Mexicana” aos sábados de manhã. A edição light do texto constitucional, “Vai Onde Te Leva a Constituição”, é uma iniciativa dos próprios legisladores e tem o objectivo de fazer com que mais de quatro cidadãos portugueses – incluindo os deputados – o leiam do princípio ao fim. Depois da versão pop da Constituição Albanesa, “Para Ti, uma Albânia Nova”, esta versão aligeirada da Constituição da República Portuguesa promete ser um sucesso editorial e terá uma cinta a vermelho e verde com uma modesta declaração: “Um Livro que Resolverá Todos os Seus Problemas de Amor e Amizade”. A escritora realizou o seu trabalho na passada quinta-feira à noite, na varanda de uma discoteca da capital, e fez algumas ligeiras recriações dos artigos originais. Aqui ficam duas, a título de exemplo. Logo no artigo 1.º, o texto constitucional passa a ter seguinte formulação: “Portugal é uma República soberana (com capital em Cascais), baseada na dignidade do Lourenço e da Constança,

A

Ó MAROCAS , TU CORTA-ME NESSAS CALORIAS! e empenhada na sua manutenção numa sociedade com classes”. O artigo 4.º, referente à cidadania, fica redigido desta forma: “São cidadãos portugueses todos

aqueles que vão uma vez por semana à Bica do Sapato e que tenham fantasias sexuais em montes alentejanos com tipos ligados à publicidade”. NCS

6-PIDES-6, na primeira corrida do PCP/MFA

temente o “Inspector Rosa Casaco”, no que se prevê como uma demonstração da bravura e das tradições do povo português. Para além disso, Álvaro Cunhal vai dar a alternativa ao estreante Carlos Carvalhas, que se inicia assim na gloriosa festa brava. O INIMIGO PÚBLICO deseja-lhe muitas felicidades. “Espero que o povo que vai assistir se divirta,” declarou o consagrado Álvaro Cunhal ao correspondente tauromáquico do nosso jornal. “Para além disso, espero que a faena me corra de feição, de preferência fazendo os meus característicos passes de muleta e terminando com uma gloriosa “veronica”. Se isso acontecer, será um privilégio cortar duas orelhas e uma nádega ao PIDE que me cair em sorteio, troféus que dedicarei à minha amada Odete Santos, que estará na tribuna de honra a atirar-me cravos.” VE/AM

LISBOA, 3 DE AGOSTO DE 1974 O INIMIGO PÚBLICO sabe que, no âmbito das comemorações da Revolução que libertou Portugal da longa noite fascista, vai-se realizar no próximo domingo a primeira Grande Corrida de Toiros PCP/MFA, a ter lugar na histórica praça de toiros do Campo Pequeno, ao Campo Pequeno. No grandioso espectáculo taurino, os consagrados Vasco Gonçalves, Álvaro Cunhal, Otelo Saraiva de Carvalho e Major Tomé vão lidar seis magníficos PIDEs de raça pura. Neste autêntico conflito de estilos, vão digladiar-se a força de Álvaro “Espartaco” Cunhal, a subtileza de Vasco

“Ordoñez” Gonçalves, a bravura de Otelo “Ortega Cano” Saraiva de Carvalho e a coragem de Major “Manolete” Tomé, num confronto que se adivinha épico. Para lidar e bandarilhar, vão ter à disposição, da reconhecida ganadaria PIDE/DGS, o “Inspector Tavares”, com 54 anos e 75 quilos, o “Inspector Basto”, com 42 anos e 68 quilos, o “Sub-Inspector Cunha Santos”, com 61 anos e 80 quilos e o “Inspector Rosa Casaco”, com 50 anos e 62 quilos, cuja bravura é por todos reconhecida. Para abrir a festa brava, o grupo de forcados da Lisnave vai apanhar valen-

Desodorizante revolucionário para o Verão quente 27 DE JULHO DE 1975 Aproveitando a vaga de calor que tem caracterizado este Verão, uma conhecida marca de desodorizantes apresentou um produto de características revolucionárias, mostrando que mesmo as empresas capitalistas podem estar atentas às necessidades do povo. O reclame do novo desodorizante, ontem estreado na RTP, no intervalo comercial antes do discurso do camarada Vasco Gonçalves, mostra imagens de RGA’s, reuniões de trabalhadores e manifestações de rua, com os participantes sempre de braços levantados. O locutor explica então as vantagens do produto: “Se a tua companheira se libertou da opressão e deixou de rapar as axilas, mostra a tua solidariedade revolucionária e oferece-lhe o novo (nome do produto). Porque a reacção ao calor não passará”. O reclame termina com um casal sorridente que segura duas embalagens do desodorizante nos seus punhos erguidos. Apesar de tão vanguardista, é possível que este produto não chegue a ser comercializado, dado que os trabalhadores da multinacional que o fabrica ocuparam ontem as instalações fabris e estão a votar – de braço no ar - o saneamento dos seus gerentes e administradores. JN

MLEJ, FCHAC e VRUM barrados em RGA LISBOA, 5 DE AGOSTO DE 1975 Manhã agitada no anfiteatro da Faculdade de Direito de Lisboa. Numa concorrida RGA foram apresentadas várias propostas de moção sobre o momento político actual, tendo estado presentes algumas tendências da esquerda estudantil. O MLMP, que abriu a sessão, teceu alguns considerandos que foram fortemente contestados pelo delegado castrista do PBM. Este foi imediatamente secundado nas críticas pelo guevarista LPRE e pela coligação composta pelo PHTR e o CGMD/FLOC. O maoísmo fez-se ouvir numa alocução indignada do representante do MRF(L). A facção titista LOPJ preferiu manter o silêncio, mas os trotskistas do DRAC abandonaram a sala, seguidos do movimento dissidente PML-ML. Por sua vez, o grupo albanês PEFM nem esteve presente. Três alunos, entretanto, foram impedidos de entrar no anfiteatro, sob acusação de radicalismo pequeno-burgu��s de fachada socialista. Não foram por isso ouvidas as teses do MLEJ, do FCHAC e da plataforma cívica VRUM. MP


23 de Abril de 2004 oInimigoPúblico

o Inimigo da Revolução 03

Todos ao salão paroquial para aprender etiqueta revolucionária! NISA, 27 DE SETEMBRO DE 1975 amaradas! Todos ao antigo salão paroquial nisense, actual Salão de Bilhar Nisense, para vitoriar as Brigadas de Dinamização Cultural do Movimento das Forças Armadas que esta semana visitam Nisa! O MFA envia o 2.º Tenente de Artilharia Pereira para explicar a Revolução ao campesinato que, ano e meio depois do 25 de Abril, ainda não percebeu o que se passa. As palestras versarão temas que contribuam para a educação das massas oprimidas pelos latifundiários fascistas e forças reaccionárias em geral do Alto Alentejo e Beira Baixa. Camaradas! O 2.º Tenente Pereira vai projectar acetatos para, de forma simples e acessível, explicar que o MFA acendeu a luz sobre a longa noite fascista e que o Estado Novo sofreu complicações cardíacas e sucumbiu na Ala Geriátrica da História! Cada trabalhador deverá transportar consigo papel e lápis para aprender a escrever correctamente “unicidade sindical”, “centralismo democrático”, “deriva burguesa” e outras expressões bem divertidas! As crianças poderão dar uma voltinha de chaimite ao campo da bola e as trabalhadoras casadoiras terão ao dispor mancebos de duas companhias do Regimento de Lanceiros para levar para o pinhal! No segundo dia, as Brigadas de Dinamização Cultural dinamizarão a vida afectiva nisense com projecções ao ar livre de “Couraçado Potemkine”, “A Greve”, “Outubro” e “O Último Tango em Paris”. Camaradas! O 1.º Cabo Pinto lerá as legendas através de um megafone e os Soldados Reis e Vilaça andarão pela plateia para explicar o desenrolar da trama! Quem mesmo assim não perceber, toma nota e pergunta no fim. O quadro programático do MFA para Nisa também inclui lições de etiqueta revolucionária à mesa. Por exemplo: talheres de carne e peixe é fascizante; comer tudo à colherada é que é igualitário. Outro: levantar a mão

C

CEIFEIRINHA GOSTOU DE OUVIR FALAR SOBRE OS MODOS DAS GENTES direita é reaccionário a não ser que seja para fazer um manguito aos fachos. Outro ainda: a partir de agora a bandeira nacional é hasteada de pernas para o ar para que o vermelho fique na vanguarda do mastro! Aos primeiros vinte a chegar será oferecido um guia prático para conhecer melhor a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Por exemplo: os Camaradas

sabiam que na URSS não há prostituição, nem homossexualidade, nem General Spínola? E que qualquer cidadão russo pode pedir ao Secretário-Geral do PCUS Brejnev para ir a sua casa cozinhar um churrasco (sujeito a marcação)? Camaradas! Viva a Aliança Povo/MFA! Viva o Conselho da Revolução! Viva o Sporting! MB

MFA anuncia retoma e garante paridade com países de Leste em dois anos LISBOA, 10 DE MARÇO 1975 Movimento das Forças Armadas anunciou ontem que a Revolução agora iniciada constitui o primeiro passo para que os portugueses possam finalmente usufruir da qualidade de vida dos povos-irmãos da Europa de Leste. A primeira medida será a do congelamento de salários para melhor distribuição da riqueza pelos mais pobres, bem como o aumento da gasolina para que os detentores de automóveis paguem mais impostos. O Governo que em breve iniciará funções promete que a retoma da economia portuguesa “já está a caminho, pá”. “Julgamos que em dois anos, pá, e com a expansão das forças soviéticas para o lado de cá do Muro de Berlim, pá, tudo ficará mais planificado e o grau de riqueza aumentará, pá”, disse o camarada Otelo ao INIMIGO enquanto partilhava connosco uma cerveja fresca (bebida pela mesma garrafa) e um prato de pipis (também conhecidos por caracóis) na cervejaria Juvi,

O

A RETOMA DO MFA AUMENTO DE IMPOSTOS CONGELAMENTO DE SALÁRIOS SUBIDA DA GASOLINA RESTRIÇÕES ÀS BAIXAS MÉDICAS AUMENTO DA PRODUTIVIDADE NACIONAL DIMINUIÇÃO DOS FERIADOS FALAR MUITO EM RETOMA da Póvoa de Santo Adrião. O camarada Otelo assinalou também ao nosso jornal que “empresariado, proletariado, camponeses e marinheiros tornarão este país mais rico e próspero rapidamente, pá”. Quanto às dúvidas que se possam instalar nos capitalistas, o coronel foi sucinto: “Em geral, os bons capitalistas queixam-se pouco e trabalham muito. Vamos invadir as fábricas para fazer o teste. Os que não se queixarem é porque são bons e fazem novas fábricas noutros

sítios, pá” disse o coronel. Este líder do MFA deu-nos também uma informação de que no grupo revolucionário há quem defenda a nacionalização de todos os bancos do país, mas ele discorda: “Acho muito mal, pá. Isso vai contra uma certa ideia romântica da revolução, pá, em que nós somos os Robins dos Bosques e eles são os capitalistas-ricos que temos de roubar, pá. Se nacionalizam a banca, não podemos assaltar os bancos porque estamos a roubar o dinheiro do povo, pá. Por mim, deixava os capitalistas reaccionários ficar com os bancos e entretanto a gente organiza uma malta para ir gamar uns contos às agências do país todo, pá”. Entretanto, o camarada Otelo nem pôde dormir. Num esforço revolucionário, o camarada só teve tempo para ir ao quartel mudar de t-shirt de forma a poder encontrar-se com umas amigas revolucionárias no Forte de S. Julião da Barra para lhes dar instruções revolucionárias. Em seguida deslocar-se-á de jipe a 100 à hora para mais uma reunião do MFA. NC

Países africanos eufóricos mal podem esperar por paz e prosperidade LUNDAS, 13 DE JUNHO DE 1974 Reagindo à notícia de um golpe militar na metrópole que teria derrubado o regime, José Eduardo dos Santos, um dos líderes do movimento de guerrilha MPLA, afirmou o seu contentamento ao INIMIGO PÚBLICO, declarando que “com a democracia em Portugal estou seguro de que todos os territórios coloniais terão finalmente a sua independência, à semelhança do que se tem passado com as colónias de outros países europeus, levando as nações africanas a afirmarem a sua democracia, bem como a inaugurarem um período de paz e prosperidade económica sem paralelo neste continente explorado durante séculos, um período que, estou certo será conhecido como o “Século de Ouro” africano, assistindo a um reflorescer da cidadania, das artes e da qualidade de vida, com governos esclarecidos que respeitem a alternância democrática e dotem as respectivas populações de todas as infra-estruturas essenciais a países modernos. Por isso, garanto que o último quartel do século XX assistirá ao esplendor dos países africanos, uma época em que aproveitaremos os nossos recursos naturais e humanos de maneira a ofuscar em prosperidade económica os decadentes países europeus que sempre nos exploraram. Leiam os meus lábios: vem aí a democracia, a paz e a prosperidade!” VE/AM

N’Dalatando não se entende com Maquela do Zombo AEROPORTO DA PORTELA, 14 DE MAIO DE 1975 A discórdia, o insulto fácil e até algum pugilato estão a marcar o relacionamento entre as diversas associações que se vão formando mal os retornados aterram em Lisboa. O primeiro sinal de que algo ia mal no antigo Reino do Congo foi dado pela Federação dos Amigos do Quitexe que ameaçou ir à cara à Associação de Amizade Quitexe / Quitoxe (já rebaptizada Associação de Amizade Só Pelo Quitoxe). Tudo terá origem na disputa de um embondeiro entre as fazendas Carmona e Paiva Couceiro, em 1923, que está por resolver até hoje e isto apesar de os interessados viverem presentemente em Mem Martins e Ermesinde. Também a União dos Abandonados do Malanje quer explicações da Liga de Espoliados do Bengo e da Cooperativa dos Tramados do Cuando Cubango sobre uma alegada aproximação aos Colonos Endrominados no Chimacongo com vista a fundir esforços com Quibocolo. O INIMIGO PÚBLICO sabe que isto não passa de um boato posto a circular pelos Cidadãos Auto-Mobilizados do Bié que, como se sabe, mantêm um conflito antigo com os Bombeiros Voluntários de Massamá. O pior, no entanto, ainda estava para vir quando a Comissão dos Surripiados do N’Dalatando criticou com veemência os Ultramarinos Subtraídos de Maquela do Zombo. A escalada verbal culminou esta semana num episódio que fez temer o pior quando o Presidente da primeira chamou “pacaça do Banza Congo” à esposa do Tesoureiro dos segundos. Numa nota mais positiva, a Secretaria de Estado dos Retornados anunciou que, quem o desejar, pode regressar às colónias, porque já não há perigo. MB


02 o Inimigo da Revolução Lamentável equívoco leva Cónego Melo a lançar granada BRAGA, 22 DE AGOSTO DE 1976 (DE “O BOLETIM DO SENHOR”) Um lamentável erro ocorrido na liturgia do passado domingo na Sé de Braga, por certo provocado pelos escravos da extrema-esquerda no Norte do país, levou o cónego Melo a lançar uma granada de mão por cima dos fiéis, em vez do habitual turíbulo que se agita suspenso do tecto daquele espaço religioso, perfumando-o com incenso. “Não faço a mínima ideia como aconteceu. Tenho a certeza de que preparei a missa com o turíbulo, mas quando dei por mim já estava a atirar o dispositivo explosivo pelo interior da catedral”, lamentou-se o cónego Melo. Por felicidade, a granada atravessou um vitral da sé e foi explodir, numa triste coincidência, em cima dos funcionários da Comissão Nacional de Eleições que transportavam as urnas de votos para o escrutínio presidencial de Junho próximo. VS

Ainda não está escolhida a senha para o 25 de Abril LISBOA, 22 DE MARÇO DE 1974 Falta pouco mais de um mês para o 25 de Abril e ainda não está escolhida a música que servirá de senha para o avanço dos militares. Conscientes da extraordinária operação de marketing que a revolução lhes proporcionará, as editoras discográficas digladiam-se, multiplicando as formas de assédio às emissoras nacionais. Para resolver o impasse, a Rádio Renascença e o Rádio Clube Português pediram aos seus ouvintes que escolhessem a canção/senha do 25 de Abril. “Hoje há Conquilhas”, da Banda do Casaco; “Ora Zumba na Caneca”, da Tonicha; “Era uma Casa Muito Engraçada”, dos Mini-Pop e “Waterloo” dos Abba são, até ao momento, as músicas mais solicitadas pelos portugueses. Com menos votos, encontram-se os temas “E Depois do Adeus” e “Grândola”, este último em versão remix. Ao ver recusada “A Lenda de El-Rei Sebastião”, José Cid, do Quarteto 1111, fez saber que está disposto a compor uma canção de propósito para a ocasião, com estreia mundial programada para o dia 25 de Abril. Alguns elementos do MFA exigem a possibilidade de votar mais de uma vez neste concurso, chegando a fazer algumas ameaças: “Se não ganhar a Madalena Iglésias, não entro na revolução. Aviso já!” Na impossibilidade de gerar um consenso entre os ouvintes, as rádios pediram opinião à Censura. “Por mim, passava o “Chiquitita” dos Abba. É tão bonito! Vêm-me sempre as lágrimas aos olhos quando ouço aquilo!”, foram as palavras de um censor anónimo. Os organizadores da revolução deixam o aviso: se, nos próximos dias, não for encontrada a senha, temos de adiar o 25 de Abril. PC

oInimigoPúblico 23 de Abril de 2004

Jovem que roubou os móveis da Faculdade de Direito acusado de desvio revolucionário LISBOA, 11 DE MARÇO DE 1975 osé M. D. Barroso, o jovem que foi notícia na semana passada por ter liderado a brigada que procedeu à apropriação pelo povo do mobiliário da Faculdade de Direito de Lisboa, foi ontem acusado de “desvio revolucionário grave” pelo Comité Central do MRPP. Em causa está o facto de o jovem Barroso ter oferecido à namorada um cadeirão de couro Chesterfield retirado do gabinete de Marcelo Rebelo de Sousa, afilhado do ex-presidente do Conselho de Ministros Marcelo Caetano e ideólogo do semanário “Expresso”, onde, sob a capa da democracia, se abrigam alguns colaboracionistas do regime deposto pelos bravos capitães de Abril. Ouvido em Tribunal Revolucionário, o suspeito disse que a acusação não passa de uma “cabala cripto-fascista”, negando qualquer favorecimento à sua companheira, que está referenciada como pertencendo a uma das famílias que exploraram o campesinato nas planícies alentejanas. O jovem garantiu estar a ser a vítima de uma “maquinação burguesa” urdida pelo fascista Marcelo, que não se conforma por ter visto devolvido ao povo o sumptuoso cadeirão, cujo preço estimado de custo chega para pagar três meses de salários em atraso aos trabalhadores da Sorefame, que prosseguem a sua luta revolucionária pelo controle dos meios de produção. “Foi ele quem andou a distribuir fotocópias em stencil pela calada da noite e foi ele quem pichou os muros da faculdade com a frase ‘Eu sei do que falo: o cadeirão do Marcelo não é para cus sem calo’”, defendeu-se o militante do MRPP. A defesa do jovem Barroso foi, no entanto, completamente posta de rastos pela exibição de fotografias onde a namorada do suspeito aparece sentada no cadeirão em poses próprias de uma pequeno-burguesa endinheirada. Mais grave ainda foi o facto de o camarada Arnaldo de Matos ter reconhecido nas fotografias o “reaça” Pedro Lopes, líder do

J

O ESTUDANTE DIZ QUE ESTÁ A SER VÍTIMA DE UMA CABALA CRIPTO -FASCISTA MID (Movimento Independente de Direita). Testemunhas afiançaram que Durão e Lopes foram vistos juntos numa tourada no Campo Pequeno, com a agravante de Durão estar de gravata. Durão negou saber fazer nós de gravata, mas depois de pressionado pelo Grande Timoneiro

acabou por fazer um nó Windsor perfeito numa gravata que foi emprestada por um misterioso homem de pêra. Entusiasmado, o jovem preparava-se para cometer o sacrilégio de ensinar a fazer o reaccionário nó americano, mas foi defenestrado pelos comandos revolucionários do MRPP. MS

Camarada, vais ao Zeca In Rio?

LENINE SOUSA FERREIRA, 28 ANOS, JOVEM EDUCADOR DO POVO. Sim. Comprei o bilhete para os dez dias. Na verdade, só me interessa ir ver o Zeca a tocar congas na Tenda Marxismo Africano, o Zeca acústico no Palco MFA e, no último dia, o Zeca And Friends no Palco Principal.

GUGA SANTOS, 21 ANOS, JOVEM

FERNANDO C AVALHAL , 36 ANOS,

RUDOLFO ATHAYDE, 22 ANOS,

ALTERNATIVO

JOVEM BURGUÊS

MEMBRO DA ORGANIZAÇÃO

Não, a minha onda é mais o Super Bock Super Mário Branco.

Vou esperar que ponham à venda as bobines e depois vejo em casa com calma.

TERRORISTA

BRIGADA MADALENA IGLÉSIAS Vou, sim senhor. Vou lá para o meio do mosh meter uma bomba. MJC/NCS


NUNOGONÇALVES SARAIVA ANTÓNIO JORGE


24abril