Page 252

A T E N Ç Ã O / 231

na velocidade de apresentação . das pistas o rendimento da criança caiu consideravelmente e ocorreram erros que chegaram a atingir até 50% algumas vezes. Modificando-se o teste, entretanto, no sentido de instruir a criança a avaliar em palavras o tom de rosa tdizendo “pálido” ou “escuro”) ao mesmo tempo que dava a resposta motora apropriada, aumentou muito a exatidão da discriminação entre os dois tons, diminuindo em conse­ qüência o número de erros. A inclusão da fala da própria criança possi­ bilitou a distinção entre os aspectos diferenciais, tornou mais seletiva a sensibilidade, e fez com que as respostas ficassem muito mais estáveis. Outras investigações que Homskaya publicou (1958) lançaram luz sobre alguns dos mecanismos internos desta influência organizadora da fala da própria criança, e assinalaram uma nova abordagem na análise de seu pa­ pel na estrutura das formas superiores de atenção voluntária. Indicadores fisiológicos dc atenção O processo de atenção pode ser observado não apenas durante o comportamento organizado, seletivo. Reflete-se também em indicadores fi­ siológicos precisos, que podem ser usados para estudarmos a estabilidade da atenção. Quando analisei o funcionamento da primeira unidade funcional do cérebro — a unidade responsável pelo tono cortical — indiquei que todo fenômeno de alerta é acompanhado por todo um grupo de sintomas que indicam um aumento geral no nível de prontidão ou tono do orga­ nismo. Estes sintomas incluem as familiares alterações na atividade car­ díaca e na respiração, constrição dos vasos sangüíneos periféricos, o apa­ recimento de um reflexo psicogalvânico e a ocorrência de fenômenos de dessincronização (depressão do ritmo alfa), e são observados todas as vezes em que a atenção é atraída por um estímulo ou por alguma forma de atividade. Os resultados de trabalhos recentes exigem a suplemcntação desta lista de fenômenos bem conhecidos com alguns outros: mudanças no potencial lento do eletrencefalograma conhecidas agora geralmente pelo termo “ondas de expectativa” introduzido por Grey Walter, o aparecimento de numerosos pontos corticais sincronicamente funcionantes (Livanov, 1962; Livanov et al., 1967), e, finalmente, mudanças na alternância periódica normal das ondas lentas e na relação entre as frentes ascendente e descendente das ondas alfa, descritas em primeiro lugar por Genkin (1962; 1963; 1964). Todos esses fenômenos são de caráter generalizado e assumem a forma de ativação, independentemente de terem sido evocados pela mudança de sono para vigília, por uma alteração elementar na intensidade ou pela

A. R. Luria - Fundamentos de neuropsicologia  
A. R. Luria - Fundamentos de neuropsicologia  
Advertisement