Page 244

Capítulo

10

Atenção

Estrutura psicológica Toda atividade mental humana organizada possui algum grau de direção e de seletividade. Entre os muitos estímulos que nos atingem, só respondemos àqueles poucos que são especialmente fortes ou que parecem particularmente importantes e correspondem aos nossos interesses, intenções ou tarefas imediatas. Entre o grande número de movimentos possíveis, escolhemos somente aqueles que nos capacitam a atingir o nosso objetivo imediato ou a realizar um ato necessário; também, entre o grande número de traços ou suas conexões armazenados em nossa memória, só escolhemos aqueles poucos que correspondem à nossa tarefa imediata e nos capacitam a executar algumas operações intelectuais necessárias. Em todos esses casos pode variar muito consideravelmente a proba­ bilidade de que determinados estímulos atinjam a nossa consciência, de que determinados movimentos surjam em nosso comportamento, ou de que traços particulares apareçam em nossa memória. Restringé-se o círculo de sensações, movimentos ou traços de memória possíveis, torna-se desigual e seletiva a probabilidade de aparecimento de certas impressões, movi­ mentos ou traços de memória: alguns deles (essenciais ou necessários) começam a dominar, enquanto outros (não-cssenciais ou desnecessários), são inibidos. O caráter direcional e a seletividade dos processos mentais, base sobre a quai se organizam, geralmente são denominados atenção em psicologia. Com este termo designamos o fator responsável pela escolha dos elementos essenciais para a atividade mental, ou o processo que mantém uma severa vigilância sobre o curso preciso e organizado da atividade mental. Sc bem que os fatos concernentes à atenção tenham sido descritos sem alterações substanciais ao longo de toda a história da psicologia, come-

A. R. Luria - Fundamentos de neuropsicologia  
A. R. Luria - Fundamentos de neuropsicologia  
Advertisement