Page 131

110 / F U N D A M E N T O S DE N E U R O P SIC O LO G IA

Eles também refletem um aspecto essencial (mas de maneira alguma o mais importante) do funcionamento das zonas secundárias do córtex tem­ poral humano. A importância de tais zonas reside no fato de que elas são o aparelho fundamental para a análise e a síntese dos sons da fala, que representam a qualidade que diferencia a audição humana daquela dos animais. A fala humana, que é organizada em um sistema fonêm ico de lin­ guagem, utiliza sons de um tipo especial, e agudeza de audição, por si só, não basta para diferenciar entre eles. Os sons da fala constituem um sistema no qual apenas certas características são essenciais para a dife­ renciação do significado de palavras, enquanto outras não possuem esse papel. Para uma pessoa que fala russo, não importa se a palavra “mais” é pronunciada com um “a” breve ou longo: o significado da palavra não é absolutamente afetado. Por outro lado, se alguém falando alemão pro­ nunciasse “Satt” como “Saat”, “Stadt” como “Staat” ou “Hütte” como “Hüte”, o significado da palavra seria completamente diferente. O mes­ mo é válido a respeito de certas consoantes que diferem em suas caracte­ rísticas fricativas; essas distinções não são de nenhuma importância em russo ou em alemão, mas em inglês as palavras “Vine” e “W ine” têm significados completamente diversos. Os sistemas fonêmicos de diferentes línguas diferem muito considera­ velmente, e aspectos encontrados em algumas línguas não existem em outras. Talvez os melhores exemplos sejam aqueles de dureza ou brandura (de­ signada pelo símbolo ’ ), ou de acento e ausência de acento na língua russa, na qual as palavras Pyl’ e Pyl e Byl e Byl’, bem como as palavras Byl e BU’ ou Z ám ok e Zam ók, têm significados bastante diferentes, en­ quanto que tais diferenças entre sons são desprovidas de significado, e conseqüentemente não são encontradas, em línguas européias ocidentais. Por outro lado, características tais como o grau de abertura da vogal, que altera o significado de palavras na língua francesa, na qual as pa­ lavras “Le”, “ Les” e “Lait” correspondem a sons diferentes e conseqüente­ mente possuem significados diversos, não seriam notadas por um russo, em cuja língua esses sons não seriam diferenciados. Essas diferenças são ainda mais claras em certas línguas caucasianas (o georgiano, por exemplo), nas quais elementos de aspiração, imperceptíveis em línguas indo-européias, alteram o significado de palavras. Por exemplo, as palavras “Kari” = porta e “K ’ari” = vento, e “Puri” = pão e “P’uri” = búfalo fêmea, são pronunciadas dc forma bastante diferente. As características fonéticas das línguas ditas tonais, que são completamente estranhas a línguas oci(Iciiliiin, uru) i^tmlmcnlc di^nim dc nodi: cm chinún, por exemplo, im pa­ lavras m. — comprar e m' = vender soam para nós exatamente da mesma forma, vomo também ocone com as palavras vietnamitas ta — eu, tá =

A. R. Luria - Fundamentos de neuropsicologia  
A. R. Luria - Fundamentos de neuropsicologia  
Advertisement