Issuu on Google+

JORNAL CIDADE PAISAGEM A SERVIÇO DE PIQUETE E REGIÃO

Ano XXI I- nº 327- Piquete, julho de 2013 - Preço R$1,00 - Distribuição gratuita promocional

Papa F rancisco e o jovem Francisco “Eu peço a vocês que sejam revolucionários, que vão contra a corrente; sim, nisto peço que se rebelem contra essa cultura do provisório que, no fundo, crê que vocês não são capazes de assumir responsabilidades, amar a verdade. Eu tenho confiança em vocês, jovens, e rezo por vocês. Tenham a coragem de “ir contra a corrente”. Tenham a coragem de ser felizes!” Papa Francisco Tenho receio de escrever editoriais impregnados de emoção, pois eles devem ser curtos, objetivos e ter a principal função de direcionar o leitor para a reflexão de determinado tema. A vinda do Papa Francisco ao Brasil para participar da Jornada Mundial da Juventude foi o tema do editorial escolhido para este mês. Ele, o Papa, muito cativante, nos tocou profundamente com suas atitudes e pensamentos, o que tornou difícil a racionalidade do editorial. Pensei em desistir do tema, mas meu espírito não se aquietou e aqui estou a escrever sobre essa pessoa que conseguiu transmitir uma liderança calcada em cima de proposições que, sem dúvida, refletem o momento em que vivemos. De tudo o que falou, uma coisa me saltou aos olhos: a epígrafe acima. Em um primeiro momento, ela pode sugerir um incitamento por parte da maior autoridade religiosa do ocidente, aos jovens, para uma rebelião, talvez até inconsequente. Muitos podem assim pensar, principalmente nossas autoridades. Estas sempre dizem que os jovens são o futuro da nação. Até quanto eles acreditam nisto? Afinal, não é comum ver jovens no poder. Tenho tentado alcançar o significado dessa afirmação há muito tempo e sempre me pergunto: por que devem lutar os jovens? Por que pintar a cara, destituir presidentes ou reivindicar justiça social? Penso que são coisas efêmeras e basta uma notícia bombástica para que tudo caia no esquecimento. O que mudou no Brasil após as manifestações que assistimos há pouco mais de dois meses? Acredito que a única mudança aconteceu

Veja nesta edição Coluna da Sueli .................................................................................. 02 Coluna do Carlos................................................................................ 03 Coluna da Abigayl .............................................................................. 04 Coluna da Dóli .................................................................................... 07 Conversa com o dono do parque: “a culpa é do senhor amadorismo” .................................................. 07

Paler mo alermo mo:: campeão do 3º T or neio Manoel Tor orneio Espíndola 2013 pag 04 na esfera governamental, que fez de tudo para ganhar tempo com a finalidade de elaborar novas estratégias para combater o novo tipo de manifestação provocada pela nova arma das massas: as redes sociais. Em um segundo momento, analisando melhor as palavras da epígrafe, destaco a parte inédita do pensamento: “sim, nisto peço que se rebelem contra essa cultura do provisório...” , pois todas as outras questões citadas acima possuem esse caráter, o da “cultura do provisório”.. O que há de inédito então? Implícita nessas palavras, talvez esteja a maior rebelião que os jovens devem promover para terem, realmente, um lugar de destaque e voz ativa em sua comunidade: a qualidade da educação. Isto não significa uniformes bonitos, material didático farto ou instalações luxuosas. Qualidade em educação deve sugerir conhecimento, raciocínio, interpretação e disciplina para aprender. Sala de aula deve ser o foco principal e a essência da educação. O resto é “cultura do provisório”.

X Festival do Costelão Fogo de Chão de Piquete: mais uma vez, sucesso total!

Francisco Máximo: 80 anos pag 08

Histórico de Manoel Espíndola pag 02

Piquete recebe Arlindo Chinaglia/PT Chinaglia/PT,, líder de Gover no na Câmara dos Governo Deputados pag 08

RABELO IMÓVEIS Sala Comercial : Aluga - Rua Portugal, Bairro Caixa D’agua. Casa: Sala; Coz.; copa; 3 quartos; 1 banheiro; área de serviço com um banheiro; quintal; garagem; ponto comercial com um banheiro. End.: rua Capitão José de Brito. Casa: sala, coz, copa, 5 quartos, banheiro, área de serviço, 3 pontos comerciais em baixo, quintal com possibilidades de contruir nele, totalizando uma área de aproximadamente 800,00m². Endereço: parte terrea (pontos comerciais) - Rua do Piquete; parte superior (casa) - Rua Doutor Oliveira Braga - Centro - Piquete. Casa: Sala; Cozinha; 2 Quartos; 1 banheiro; Quintal. End.: Rua Tomé Serafim - Centro Piquete. Casa: Sala, Cozinha, 2 quartos, banheiro, quintal e garagem. End.: Rua Mestre Targino Cunha - Vila Duque - Piquete. Casa: Sala, Cozinha, 2 quartos, 2 banheiros, quintal, garagem, edícula. End.: Travessa Nuno José de Oliveira - Vila Celeste - Piquete. Sítio: 12,4 alqueires; Casa sede: Sala, 2 quartos, Banheiro; Cozinha c/ fogão à gás e à lenha; Chalé com dois quartos e um banheiro; Churrasqueira; Churrasqueira p/ Costela de Chão; Sauna; Casa de caseiro: sala, cozinha, dois quartos e banheiro. End: Tabuleta. Cód 011 Rabelo Imóveis-CRECI 85547-R Dr Oliveira Braga, 41, térreo Piquete/tel: 3156-4837 ou 8147-7575


Ed. no 327 - julho 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

A fúria de um povo: contra quem e contra o quê? Claro, sabemos, contra a falta de transparência no uso do dinheiro público, contra a impunidade de bandidos e assassinos, contra os políticos corruptos e sem caráter ou ética, contra os gastos públicos cada vez maiores e sem objetivos, contra a falta de tudo a que o povo brasileiro tão sofrido tem direito, como transporte, estradas, saúde e educação de boa qualidade. Mas, nada justifica o que fizeram no Leblon, bairro do Rio de Janeiro, onde passamos o último mês de junho. Bairro pacato, residencial, tem entre seus moradores muitos idosos, pessoas em cadeiras de rodas acompanhadas de suas enfermeiras, que transitam pelas calçadas como numa cidade pequena onde todos se conhecem. Pessoas amigas, moradoras há muito tempo do lugar que ficou conhecido pelas novelas de Manoel Carlos, onde era evidente a beleza e o charme daquele pedaço da zona sul. E entre tanta gente, é possível cruzar com artistas como Antônio Fagundes, Suzana Vieira, Zeca Camargo e outros, escritores, pintores e jornalistas conhecidos em meio ao povão, tamanha tranquilidade do bairro. O pecado do bairro foi acolher entre seus moradores o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, eleito com mais de 60% (sessenta por cento) dos votos, até pouco querido e respeitado pelos cariocas. São pra lá de justas as manifestações contra ele após a divulgação do uso de helicópteros, e, providências contra isso já foram tomadas pela Justiça e pela FAB (Força Aérea Brasileira). Então, era preciso destruir o bairro por esse motivo? Bancos, lojas, vidraças, sinais de trânsito foram depredados e tornaram-

se ruínas em poucas horas. Mas, o que dizer dos saques nas lojas, supermercados, em todo lugar que lhes desse lucro, o que fez o movimento dos protestos perder todo seu objetivo. Com isso, os vândalos mostraram a que vieram: ao roubo, a anarquia e à destruição. Quem estará atrás de tudo isso? Até os mais experientes chefes da segurança estão perplexos e sem ação contra eles e contra ninguém, pois não há líderes com que possam negociar, o que dificulta o desentrave da situação, cada vez mais perigosa. Com tais atitudes, os meios de segurança serão mais drásticos pondo em risco a vida de todos. Mas, que “há algo de podre no Reino da Dinamarca”, não se discute, mas somente quando não restar pedra sobre pedra, saberemos o quê. Em tempo: 1- Enquanto o povo clama por transparência, aguardamos o balancete da Festa do Peão, especialmente quanto foi arrecadado com o estacionamento cobrado nas vias de acesso ao Recinto de Festas durante a mesma. 2- A Liga Piquetense de Combate ao Câncer agradece a todos que enviaram ou compraram doces em sua tradicional barraca, nos permitindo uma arrecadação de R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos reais) em uma só tarde. 3- Parabéns à Escolinha Pirralhos sob coordenação do Sabará, que prestou homenagens aos jovens da Jornada Mundial da Juventude no Campo do Estrela. 4- Está chegando 2014, ano do centenário do Esporte Club Estrela. Prestigiem, divulguem, ele faz parte de nossa história. Suely Villar Torino

JORNAL CIDADE PAISAGEM CNPJ - 04.441.411/0001-73 - End: Rua Cel José Mariano,228 - CEP 12 620-000 - Piquete-SP Tel.: (12) 31563498 - jc.paisagem@yahoo.com.br Proprietários: ....................................................................................................... Ireana Ferreira de Melo Silva e Arany Norberto da Silva Redator: ................................................................................................................................................................ Paulo Roberto da Silva Diagramação: ....................................................................................................................................................... Paulo Roberto da Silva Gráfica: ................................................................................................................... Jornal Guaypacaré Ltda. CNPJ 45.383.528/0001-25 Tiragem: ......................................................................................................................................................................... 1.500 xemplares Periodicidade: ......................................................................................................................................... Mensal - Circulação Regional A editoria não é responsável por artigos assinados nem solidária com os conceitos emitidos nos mesmos. Fundado em 15 de novembro de 1990 por Claudinei de Barros Magalhães

Pag 02

Aciap em ação

Parabéns aos associados aniversariantes do mês de agosto 03 ................................................................... Liomar Tavares Nsaif (Dowo Modas) 09 ............ João Vinicius Pinto de Araújo ( S C C Contábil Contabilidade Serviços) 11 ........................................ Beliza Rebeca Alves da S G Rabelo ( Rabelo Imóveis) 13 ....................................................... Piedade Guimarães Costa (Bazar Tend Tudo) 14 ......................................... Sueli de Oliveira Paula (Restaurante e Pizzaria Kully) 15 ........................................ Alessandro dos Santos Goulart (Quitanda São Miguel) 16 ................................ Claudinei de Barros Magalhães (Comercial da Construção) 19 ....................................................... Paulo Sérgio Costa (Paulinho da Imobiliária) 24 ......................................................... Ronilza Aparecida da Silva (Algodão Doce)

Histórico de Manoel Espíndola Manoel Pedro Espíndola, mais conhecido como Seu Por Moita Mané, nasceu do PT no dia 18 de dezembro de 1931 e faleceu em 24 de janeiro de 2004, filho de Dona Benedita Maria de Jesus e de José Pedro Espíndola. Estudou na Escola Agrícola e Industrial em Piquete, onde se formou Professor. Trabalhou na Fábrica Presidente Vargas, hoje IMBEL, como Mestre Geral no 4º Grupo até se aposentar. Foi casado com Maria Aparecida Porto Espíndola por 48 anos, com a qual teve 4 filhos: Paulo Celso, Lucimara, Edmara e Luciana. Hoje tem 10 netos: Kellen, Glauber, Alan, Meneska, Ana Carolina, Matias Neto, Letícia, Ruan, Renan, Gabriela e 6 bisnetos: Eloá, Maria Júlia, Maria Eduarda, Maria Luiza, Manuely e Nicola. Desde muito jovem começou a trabalhar pelo bem-estar dos jovens de Piquete. Elegeu-se 2 vezes Vereador nesta cidade e em uma dessas vezes foi eleito Presidente da Câmara. Muito jovem, começou a jogar bola no time do Bambuzinho, que era sua grande paixão. Começou a ver a necessidade de as crianças e os jovens terem alguém para deles cuidar, orientá-los e ensinar-lhes a prática do futebol. Começou a ajudar no Vila Esperança, como voluntário, até que fundou a Escolinha do Vila Esperança onde havia vários times conforme a idade. Ali naquele bairro e naquela escolinha colocou sua vida e seu coração para ajudar e ensinar os jovens. Trabalhou no Vila Esperança por 45 anos, sem receber nada em troca até que suas forças o impediram de continuar e várias vezes ele me falava que gostaria muito de retornar, mas a sua saúde era frágil e a doença o impedia, por isso não foi possível. Mas eu, sua filha Edmara, esta que escreve sobre meu pai, digo que só quem o conheceu pode dizer sobre o valoroso trabalho que ele fez no Vila Esperança. Fui criada dentro dos gramados daquele campo e até joguei em um time feminino de futebol, o primeiro time feminino de Piquete

que teve o privilégio de ter meu pai como técnico que enfrentou tudo e todos pelo time. Todos que chegavam querendo jogar e treinar ele recebia com muito carinho. Muitos não tinham nem chuteiras, e meu pai, com o seu suor dava um jeito, pois não tinha ajuda financeira de ninguém. Algumas pessoas o entristeciam muito tirando os jogadores do time dele e levando para outros times. Mas, o que mais o entristeceu foi quando tiraram o nome do Vila Esperança do time dele e Seu Mané teve de mudar o nome para Escolinha Manoel Espíndola. Até hoje, quando venho aos gramados do Vila Esperança, tenho lembrança do meu pai indo atrás das crianças que iam ao lago, saindo atrás dos jovens para os aconselhar na rua a pedido dos pais, pegando a enxada para capinar o campo e também pintando o campo de branco. Ele era o primeiro a chegar e o último a sair. Quem não se lembra dos gritos do Seu Mané na beirada do campo, de como defendia seu time? Que garganta ele tinha! Lembro uma vez na final no Campo do Estrela, que um senhor do outro time foi brigar com meu pai e os jogadores pararam o jogo e foram defendê-lo e diziam que ninguém brigava com o Seu Mané, ninguém gritava com o Seu Mané. Esse momento eu recordo direitinho e não esqueço aquele gesto de amor dos jogadores com meu pai. Lembro-me também da bicicleta vermelha na qual ele carregava os sacos de uniforme dos jogadores que ele lavava e passava. Nos dias de desfile na cidade, Seu Mané caprichava, reunia todos em minha casa para lanchar e se arrumar e depois desciam para o desfile com meu pai todo orgulhoso. Quero agradecer em nome da minha família a homenagem que está sendo feita ao meu pai Manoel Espíndola, em nome da minha família. Meu pai ficaria muito feliz em ver a quadra pela qual tanto lutou e a arrumação do Vila Esperança. Sei que aqui tem um pedaço dele e que a semente que ele plantou no coração de cada criança, adolescente e jovem certamente floresceu.


Ed. no 327 - julho 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

BALANCO PATRIMONIAL - VILA SAO VICENTE DE PAULO CNPJ/CPF: 46.696.696/0001-33 I.E.: ISENTO - DEZEMBRO/2012 Folha: 1 ATIVO 1 ....................................... ATIVO .......................................................................................... 164.080,09 1.01 .................................. ATIVO CIRCULANTE. ................................................................... 66.412,78 1.01.01 ............................. DISPONIBILIDADES ...................................................................... 25.555,16 1.01.01.01 ........................ CAIXA GERAL .............................................................................. 10.650,40 1.01.01.01-0001 ............... CAIXA GERAL. ............................................................................. 10.650,40 1.01.01.02 ........................ BANCOS CONTA MOVIMENTO .................................................... 14.904,76 1.01.01.02-0005 ............... CAIXA ECONOMICA FEDERAL. .......................................................... 0,05 1.01.01.02-0010 ............... BANCO DO BRASIL SA CC 194/9. ............................................... 11.877,77 1.01.01.02-0011 ............... BANCO DO BRASIL SA CC 237/6. ................................................. 2.912,12 1.01.01.02-0013 ............... BANCO DO BRASIL SA CC 443. ....................................................... 114,82 1.01.02 ............................. DIREITOS REALIZAVEIS A C. P ................................................... 40.857,62 1.01.02.05 ........................ APLICACAO FINANC.RENDA FIXA .............................................. 14.687,92 1.01.02.05-0002 ............... APLICACAO NO FUNDO DE INVEST. .......................................... 14.687,92 1.01.02.07 ........................ APLIC EM CADERNETA DE POUPANCA ..................................... 26.169,70 1.01.02.07-0001 ............... APLIC CADERNETA DE POUPANCA. .......................................... 26.169,70 1.04 .................................. ATIVO NAO CIRCULANTE ............................................................ 97.667,31 1.04.03 ............................. IMOBILIZADO ................................................................................ 97.667,31 1.04.03.01 ........................ BENS E DIREITOS EM USO ......................................................... 97.667,31 1.04.03.01-0001 ............... MAQUINAS E EQUIPAMENTOS. .................................................... 4.274,50 1.04.03.01-0002 ............... MOVEIS E UTENSILIOS. ................................................................ 5.336,00 1.04.03.01-0005 ............... VEICULOS DE PASSAGEIROS. ................................................... 88.056,81

BALANCO PATRIMONIAL - VILA SAO VICENTE DE PAULO CNPJ/CPF: 46.696.696/0001-33 I.E.: ISENTO - DEZEMBRO/2012 Folha: 2 PASSIVO 2 ....................................... PASSIVO....................... ............................................................ 164.080,09 2.01 .................................. PASSIVO CIRCULANTE............ ................................................. .. 7.418,13 2.01.03 ............................. OBRIGACOES TRABALHISTAS....... .................................. .......... 7.369,48 2.01.03.01 ........................ FOLHA DE PAGTO.DE EMPREGADOS.. .................. .................... 4.422,85 2.01.03.01-0001 ............... SALARIOS A PAGAR.............. ..... .................................................. 4.422,85 2.01.03.02 ........................ FOLHA DE PAGTO.DE AUTONOMOS... .................. ........................ 222,50 2.01.03.02-0001 ............... RENDIMENTOS A PAGAR........... ..... ............................................... 222,50 2.01.03.04 ........................ ENCARGOS SOCIAIS A PAGAR...... .................. ........................... 2.724,13 2.01.03.04-0001 ............... FGTS A RECOLHER............... ..... ..................................................... 390,30 2.01.03.04-0002 ............... INSS EMPREGADOS A RECOLHER.... ..... ....................................... 539,95 2.01.03.04-0003 ............... INSS EMPRESA A RECOLHER....... ..... ......................................... 1.669,77 2.01.03.04-0004 ............... CONTRIB.SINDICAL EMPREGADO.... ..... ......................................... 36,16 2.01.03.04-0006 ............... CONTR.CONFEDERATIVA EMPREGADO. ..... .................................. 87,95 2.01.04 ............................. OBRIGACOES TRIBUTARIAS ............................................................ 48,65 2.01.04.03 ........................ IMPOSTOS E CONTR.S/RECEITAS... .................. ............................ 48,65 2.01.04.03-0008 ............... PIS A RECOLHER S/ FOLHA PAGTO. ..... .......................................... 48,65 2.06 .................................. PATRIMONIO LIQUIDO............ ................................................. 156.661,96 2.06.01 ............................. CAPITAL SOCIAL................ .................................. ...................... 14.271,67 2.06.01.01 ........................ CAPITAL SOCIAL................ .................. ...................................... 14.271,67 2.06.01.01-0003 ............... PATRIMONIO SOCIAL............. ..... ............................................... 14.271,67 2.06.10 ............................. LUCROS OU PREJUIZOS ACUMULADOS ................................142.390,29 2.06.10.01 ........................ LUCRO/PREJUIZ.ACUM.EXER.ANTER. .................. ................... 48.307,12 2.06.10.01-0001 ............... LUCRO/PREJUIZO ACUM EXERC ANTE ..... .............................. 48.307,12 2.06.10.06 ........................ SUPERAVIT/DEFICIT ACUMUL. 2008 .................. ....................... -3.661,56 2.06.10.06-0012 ............... RESULTADO DO EXERCICIO........ ..... ........................................ -3.661,56 2.06.10.08 ........................ SUPERAVIT/DEFICIT ACUMUL. 2010 .................. ....................... 64.077,95 2.06.10.08-0012 ............... RESULTADO DO EXERCICIO........ ..... ........................................ 64.077,95 2.06.10.09 ........................ SUPERAVIT/DEFICIT ACUMUL. 2011 .................. ....................... 16.887,49 2.06.10.09-0012 ............... RESULTADO DO EXERCICIO........ ..... ........................................ 16.887,49 2.06.10.10 ........................ SUPERAVIT/DEFICIT ACUMUL. 2012 .................. ....................... 16.779,29 2.06.10.10-0012 ............... RESULTADO DO EXERCICIO........ ..... ........................................ 16.779,29 Reconhecemos a exatidao do presente Balanco Patrimonial, encerrado em 31 de dezembro de 2012, somando tanto no Ativo como no Passivo, a importancia supra de R$ 164.080,09 (Cento e Sessenta e Quatro Mil Oitenta Reais e Nove Centavos). CLAYTON BATISTA ELEODORO DA SILVA PRESIDENTE SEM VINCULO EMPREGATICIO CPF: 028.465.408-61 - RG: 14.246.813

Contador: LUIZ CLAUDIO DE MOURA CPF: 050.422.988-51 - CRC: 1SP162765/O-0

DEMONSTRACAO DE SUPERAVIT/DEFICIT ACUM. - VILA SAO VICENTE DE PAULO CNPJ/CPF: 46.696.696/0001-33 I.E.: ISENTO - DEZEMBRO/2012 Folha: 3 ( +/- ) Saldo Inicial do Periodo............................................................................. ................. 129.272,56 ( + ) Ajuste Credor Anterior................................................................................. ............................ 0,00 ( - ) Ajuste Devedor Anterior................................................................................ ........................... 0,00 ( + ) Correcao Monetaria do Saldo Inicial.................................................................... .................... 0,00 ( + ) Reversoes de Reservas.................................................................................. ........................ 0,00 ( +/- ) Resultado Liquido do Periodo......................................................................... .............. 16.779,29 ( - ) Transferencias para Reservas........................................................................... ...................... 0,00 ( - ) Dividendos ou Lucros Distribuidos...................................................................... ..................... 0,00 ( - ) Parcelas de Lucros Incorporados ao Capital............................................................. ............... 0,00 ( = ) Superavit ou Deficit Acumulado ...................................................................................... 146.051,85

Pag 03

Significados de uma só palavra Certo tempo atrás fui buscar em um dicionário o significado de uma palavra usada em diversos momentos, LEALDADE. Alguém sabe o significado de lealdade? Como todos sabem, sou amante de futebol e várias vezes durante jogos ouvimos alguns comentários: “ Uma entrada por trás é desleal”. Automaticamente me surgiu uma dúvida após essa lembrança. Talvez uma entrada de frente seria leal então? A resposta é, obviamente, NÃO. No dicionário, a palavra lealdade é descrita da seguinte maneira: s.f. Consideração aos preceitos que dizem respeito à honra, à decência e à honestidade. Que honra com seus compromissos com retidão e responsabilidade; probidade. Característica daquilo ou de quem se pauta nessa probidade. (Etm. leal + dade). Antes de ver esse significado, pensava que lealdade era ser fiel a uma pessoa , por exemplo, fazer exatamente o que ela quer, da maneira que ela quer, isto é, não ter personalidade própria e, pior, ser passivo. Defeitos todos nós temos, eu tenho vários, porém me considero altamente leal, não

no sentido de ir pelas ideias alheias e sim por sempre honrar com meus compromissos e não ser desleal com qualquer pessoa. Honestamente, não entendo como pode uma pessoa ser agradável, buscar se relacionar com alguém e ao mesmo tempo agir de maneira desleal, denegrindo e buscando situações para derrubar o próximo. De fato, é muito complexa essa palavra, talvez pessoas simples entendam seu significado e outras do mais alto grau de conhecimento não tenham essa capacidade. Em tempo... Certamente temos que comemorar a vinda de turistas a Piquete na festa do peão, principalmente no dia do último show, porém, entendo ser a entrada franca nada mais que uma hipocrisia pelo fato de que um pai de família que levasse um filho à festa, entrando de graça, teria que pagar, por exemplo, R$4,00 por um crepe ou talvez por uma cocada, ou então R$5,00 por um refrigerante até mesmo R$8,00 por um lanche de calabresa. Além de tudo, pelo que presenciei, 90% das barracas não eram de piquetenses e os lucros, fruto de preços altos, foram embora da nossa cidade Vereador Carlos Ávila

Suítes e chalés com tv, internet e wi-fi. Salão de jogos, brinquedoteca, playground, jardim com redes, salão de festas e garagem coberta e TV por assinatura.

No dia 06 de julho, a Pousada Vale das Colinas comemorou dois anos de atividades com um saboroso coquetel oferecido aos hóspedes daquele dia. Agradecemos a todos os que contribuíram para o nosso sucesso. www.pousadavaledascolinas.blogspot.com Av Luiz Arantes Junior, 340, Centro, Piquete. Tel (12) 3156 2132

Quitanda Mineira “ A Q u i t a n d a d a Ve r a ” Variedade em hortifrutigrangeiros, frios, laticínios, massas e congelados. Venha conferir!

Reconhecemos a exatidao da presente Demonstracao de Lucros ou Prejuizos Acumulados CLAYTON BATISTA ELEODORO DA SILVA PRESIDENTE SEM VINCULO EMPREGATICIO CPF: 028.465.408-61 - RG: 14.246.813 META ASSESSORIA (12)3153-4026

Contador: LUIZ CLAUDIO DE MOURA CPF: 050.422.988-51 - CRC: 1SP162765/O-0

/ SOFOLHA SOLUCOES CORPORATIVAS - SFCONTABIL 53.2013 EMPRESA 069

R. Luiz Arantes Junior, 314 - Piquete. Tel (12) 3156-1610


Ed. no 327 - julho 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

Pag 04

AP ar te do Leão Par arte

Aqui, o leão da fábula é o Governo do Planeta. Nossos esforçados professores, quando nos apresentavam a fábula, seja em exercício de tradução ou já na língua materna, nas aulas de Moral, não deixavam dúvida: na história da humanidade, é sempre o mais forte que dita as regras e, consequentemente, fica com a maior parte. Antes das Grandes Guerras, houve associações de países, ligas de comércio, até sacros impérios. Mas foi a partir da Liga das Nações que os países do mundo começaram a ser encurralados em torno de um poder central. Hoje, o poder central atende pelo nome de Organização das Nações Unidas (ONU) e seu centro de controle é o Conselho de Segurança. O Conselho de Segurança é o cérebro do Leão. É ele que decide o que é melhor para o Planeta. Qual país pode ter armas nucleares e armas químicas. Decide até qual país pode ser país como é o Estado Palestino atualmente. E como foi o caso dos países criados a régua e esquadro depois do armistício. O grande argumento do Cérebro do Leão é o Poder de Veto. A advocacia dos países pode levantar centenas de razões para seu pleito, mas, se o Leão não estiver de acordo, os argumentos se desfazem como plumas ao vento. Não há contraditório. O carimbo da decisão é a Pata do Leão. A Pata do Leão são as sanções. São implacáveis as unhas do felino: bloqueios, embargos, empréstimos com juros escorchantes e garantias aniquiladoras. A Boca do Leão, com seus poderosos dentes, reduz tudo a dependência. E as vísceras do Leão evoluíram em apenas um órgão: o Estômago, que acumula a riqueza do mundo. E que representa a Cauda do Leão? É o fluxo da história de ricos e pobres, de senhores e servos, de opressores e oprimidos. O Leão movimenta a Cauda para o lado que lhe convém. E a Humanidade tem de dizer amém. Gandhi, o Mahatma, percebeu que era inútil enfrentar o Leão. Com sua resistência pacífica conseguiu a independência da Índia.

O mesmo fez Nelson Mandela, submetendo-se a 27 anos de prisão para restituir a África do Sul ao seu povo. Os países que querem crescer têm que ser muito discretos. Ficar quietinhos dentro de casa e não dar palpites. Infelizes são os países que têm riquezas naturais como o Brasil. Foi só querer aparecer e levou uma casca de banana. Mesmo com a ajuda da mãe natureza que castigou os Estados Unidos com uma seca descomunal, o Brasil começou a sua marcha a ré. No campo das disputas internas, o caso sírio é exemplar. Bashar Al-Assad se julga dono do exército que foi montado com o esforço do povo sírio. Disputa com revolucionários que não mostram a própria cara. E o povo sírio morre ou sofre como refugiado em condições precárias. Enquanto isso o Leão cochila. Existe alguma arma que possa vencer o Leão? A arma é um Legislativo honesto que crie Leis que favoreçam todo o povo, que acabe com a miséria, que faça o conjunto da sociedade ir subindo degrau por degrau. A arma é um Judiciário atento que julgue com isenção todos os réus que cheguem às cortes em todas as instâncias. Bashar al-Assad não poderia ter sido julgado com uma corte síria, sem que nenhum estrangeiro pudesse dar palpite? Eu, cidadã brasileira sem nenhuma expressão na sociedade nacional peço aos eleitores que não brinquem na hora de votar, ponham nas assembleias homens capazes. Denunciem todas as injustiças para que o cidadão comum se sinta protegido. Eu, cidadã brasileira sem expressão alguma na sociedade nacional não quero que o Brasil tome assento no Conselho de Segurança. Não quero que o Brasil seja cúmplice do Leão. Abigayl Léa da Silva

Aqui se faz bons negócios. Confira!

Aceitamos os cartões Master Card, Eletronic, Maestro, Diners ClubRede Shop e Visa. Aceitamos cheques para 30 dias. Temos convênio com o Sindicato dos Químicos.

Rua Comendador Custódio, 221

Paler mo or neio alermo mo:: campeão do 3º T Tor orneio Manoel Espíndola 2013

Filha do Sr Espíndola, Sra Edmara, filha do Sr Manoel Espíndola faz a entrega de troféu de campeão à equipe do Palermo

O Sr Marcelo faz à entrega do troféu para o goleiro menos vazado do campeonato: Julinho do União Bandeirante.

O Sr Alan, neto do Sr Manoel Espíndola, faz a entrega do troféu à equipe vice-campeã, União Bandeirantes.

Agradecimentos à Prefeitura Municipal de Piquete, através da Secretaria de Esporte e Lazer, pela organização e apoio recebido. Se Deus quiser, ano que vem estaremos iniciando o torneio no mês de março, com término no mês de maio de 2014. Obrigado a todos que participaram do torneio. Aproveito a oportunidade para desejar um feliz dia dos Pais a todos os pais piquetenses. Saúde e felicidade a todos. Vereador Moita do PT


Ed. no 327 - julho 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

Pag 05


Ed. no 327 - julho 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

Em Piquete, duas lojas para melhor atendê-los com qualidade, conforto e comodiade: é só ligar. Drogaria Cidade Paisagem Av Luiz Arantes Júnior, 29, ao lado do supermercado Xeroso. Tel 3156.4368 e 3156 3403

Drogaria Mirante do Vale Agora, com Farmácia Popular, onde seus medicamentos saem de graça. Leve sua receita,CPF e RG. Rua do Piquete, 35, centro. Tel 3156 1352 e 3156 4650

Pag 06

Oferecemos ainda: Aplicação de injetáveis Aferição da pressão arterial Aviamento de sua receita com segurança e responsabilidade Atendimento em sua residência Tudo, gratuitamente.


Ed. noo 307 327 - novembro julho 2013 2011

JORNAL CIDADE PAISAGEM

CONVERS A COM O DONO DO P ARQUE: CONVERSA PARQUE: “A CULP A É DO SENHOR AMADORISMO ” CULPA AMADORISMO” Conforme prometido, publico o resultado da conversa que tive com o proprietário do Parque de Diversão (que esteve presente na “Festa do Peão 2013” em Piquete), senhor Roberto. Antes de mais nada, quero deixar bem claro que peço a Deus, todos os dias, sabedoria para não cometer injustiças no exercício de meu mandato como vereador, assim como em minha vida, de maneira geral. Permiti que o senhor Roberto apresentasse a sua versão. Ele me falou que há mais de 15 anos participa da festa em Piquete e que jamais sujaria o nome de sua empresa. Confirmou que a oferta, ou seja, a promessa de o parque ser de graça para as crianças da rede pública municipal de ensino partiu dele. Aqui ficou uma coisa muito bem esclarecida: a prefeita não pediu e não prometeu - A OFERTA PARTIU DO SENHOR ROBERTO. Quem o conhece (segundo o próprio), sabe que em anos anteriores, o parque sempre ofertou um dia para as crianças especiais, assim como para os alunos da escola pública. Continuando o relato, o proprietário do parque evidenciou que na QUARTA-FEIRA (10/07), NO PERÍODO DA NOITE, encontrou-se com o então secretário de Obras do município, senhor JOÃO PEDRO. Roberto disse que falou para João Pedro que não poderia servir o município na data proposta, uma vez que tinha assumido compromisso com a Festa de São Lourenço. Solicitou que o secretário de Obras avisasse a prefeita. O senhor João Pedro, por sua vez, falou que Roberto poderia ficar tranquilo que ele avisaria. (ROBERTO AINDA FEZ QUESTÃO DE EVIDENCIAR QUE ESSA CONVERSA SE DEU NO EXATO MOMENTO EM QUE ELE SAÍA DE SEU ESCRITÓRIO, QUANDO JOÃO PEDRO IA AO SEU ENCONTRO). O senhor Roberto mais uma vez reconheceu o erro de sua parte de não ter comunicado diretamente a prefeita, pois confiou na palavra do senhor João Pedro. Aqui ficou o segundo fato esclarecido: A COMUNICAÇÃO NÃO CHEGOU ATÉ A PREFEITA; PORTANTO, PARA ELA ESTAVA TUDO ACERTADO. Quando a informação chegou até o locutor da noite, senhor JOSÉ CARLOS (ZECÃO), o mesmo apenas obedeceu a ordem de comunicar o fato – a partir daí, com o perdão da palavra, “danou-se”, pois uma informação mal dada é irreversível. E aproveito o “gancho” para falar que quando publiquei o artigo fazendo a defesa da prefeita é porque não estava errado – A CABEÇA DELA FOI COLOCADA A PRÊMIO POR TERCEIRO. Quando mencionei o erro do parque, reconheço que estava movido pela revolta em defesa do sentimento sagrado das crianças e também porque o encarregado do parque se justificou demais, dando todas as impressões de que estava mentindo. Mas, ao ouvir o proprietário do parque hoje, reconheço

Carta do Leitor

Senhor Editor

O assunto de hoje é a exclusão. Particularmente em nossa região, a do Vale do Paraíba, de fortes raízes no escravismo, seja como zona de passagem para os territórios de mineração, seja para a agricultura cafeeira. O uso dessa mão de obra foi importante para escravizar em número elevado, primeiramente os indígenas, depois os negros africanos , que aqui foram aportados, principalmente procedentes da África Ocidental, dos portos de embarque nos chamados tumbeiros. As Américas do lado do Atlântico contaram com elevados contingentes de africanos dedicados à lavoura do café, da cana-de-açúcar e de outras atividades a que eles foram direcionados por suas aptidões e preparo, seja físico, seja técnico. Muitos grupos de negros para aqui trazidos eram mineradores, conheciam e sabiam trabalhar metais, artesãos, agricultores, e até alguns que já praticavam a escravidão relativamente aos subjugados. E estes os comercializavam com os traficantes de escravos de várias procedências que aportavam a costa da Guiné, da Guiné-Bissau e a de Angola. Aportados aqui, foram separados de seus companheiros de origem ou de família para se evitar revoltas organizadas. Após a libertação do jugo, ocuparam territórios de exclusão, pela pobreza generalizada e falta de atendimento social que, nas áreas urbanas, coincidiam com os terrenos de menor valor imobiliário e menos serviços de infraestrutura. Era assim o bairro da Raia aqui em Piquete, lugar de marginalizados pelas condições econômicas e excluídos pelo quesito de cor – os negros que aí se instalaram com as alforrias, e, depois, com a emancipação completa do 13 de maio de 1888, prenunciando a República. Isabel assinou a lei Áurea, princesa que passou a ser vista como A Redentora, o que levou muita gente a cultuá-la, propondo até sua beatificação. Arraigou-se no imaginário público que o ato da princesa fora uma rebeldia, uma forma de piedade, um abuso aproveitado pela ausência do pai, Dom Pedro II, que ela substituía temporariamente. Mas documentos recentes levantados no Museu Imperial de Petrópolis demonstram a princesa e o imperador já convencidos ter chegado o fim da escravidão e do próprio governo monárquico. Outros tempos de ideias avançadas passaram a admitir o cruzamento racial. Pois bem, até uma política de branqueamento vicejou. O bairro da Raia tem uma rua com o nome 13 de maio, homenageante ao ato da princesa. No bairro, e por extensão na cidade, durante a primeira metade do século 20, a data era comemorada jubilarmente. Os brancos, principalmente os classificados como da elite senhorial e seus herdeiros, não freqüentavam a Raia, a não ser para contratar serviços e algumas visitas para cooptar Vereador Rodrigo Nunes “amigos” ou afilhados para serviços domés-

que a IMAGEM DO PARQUE TAMBÉM FOI COMPROMETIDA POR TERCEIRO. Reconheço também que o SENHOR ZECÃO APENAS CUMPRIU UMA ORDEM. Agora: antes que digam que a culpa é de João Pedro e que a corda arrebenta para o lado mais fraco, FAÇO QUESTÃO DE DIZER QUE A CULPA NESSA HISTÓRIA É DO “AMADORISMO” DE TODOS. INFELIZMENTE, NOS DIAS DE HOJE, SÃO RARAS – RARÍSSIMAS – AS PESSOAS DE PALAVRA EM QUEM SE PODE CONFIAR. AMADORISMO DA PREFEITA QUE ACREDITOU NA PALAVRA E NÃO FEZ TUDO “PRETO NO BRANCO”; AMADORISMO DO DONO DO PARQUE QUE ACREDITOU EM JOÃO PEDRO E ACHOU QUE O RECADO SERIA TRANSMITIDO; AMADORISMO DE JOÃO PEDRO QUE “TALVEZ” TENHA SE “ESQUECIDO” DE DAR UM RECADO TÃO IMPORTANTE COMO ESSE PARA EVITAR TODO O TRANSTORNO; AMADORISMO DO ZECÃO QUE, COMO LOCUTOR OFICIAL NÃO FOI CHECAR SE PODIA MESMO TRASMITIR A INFORMAÇÃO... Nossa, como profissional de comunicação social, observo uma série de ruídos (interferências) na comunicação deste fato e isso me preocupa muito com relação ao que acontece no dia a dia da prefeitura. Para concluir: atendi o dono do parque porque precisamos ouvir a todos e jamais devemos ignorar a versão do outro. CONSIDERO LAMENTÁVEL QUE A PREFEITA NÃO QUEIRA ATENDER O DONO DO PARQUE, POIS COMO SERVIDORA Nº1 DO MUNICÍPIO, DEVERIA DAR O EXEMPLO PARA SE CHEGAR A UM ENTENDIMENTO, A FIM DE QUE A CIDADE E O POVO NÃO SEJAM MAIS PREJUDICADOS POR CONTA DE SENTIMENTOS PESSOAIS MESQUINHOS. RETIRO AQUI, PUBLICAMENTE, A MOÇÃO DE REPÚDIO QUE MENCIONEI. O DONO DO PARQUE SE COLOCOU À DISPOSIÇÃO PARA ATENDER A CIDADE. DISSE QUE, APÓS A FESTA DE SÃO LOURENÇO (QUE TERMINA DIA 12 DE AGOSTO), PODE VIR PARA PIQUETE – DESDE QUE A PREFEITA QUEIRA E ACEITE QUE O PARQUE ENTRE NA CIDADE. ROBERTO FALOU QUE SE A PREFEITA AUTORIZAR, ELE VIRÁ EM AGOSTO; OU NO DIA DAS CRIANÇAS OU À HORA EM QUE A PREFEITA SOLICITAR. MAS DESSA VEZ, FICA A DICA - QUE NÃO SERIA NECESSÁRIA DAR: - SE O FATO NÃO TIVESSE OCORRIDO: SENHORA GESTORA PÚBLICA (PREFEITA); SENHOR EMPRESÁRIO (ROBERTO); SENHORES SECRETÁRIO MUNICIPAIS – “ACABEM COM O AMADORISMO E FAÇAM TUDO POR ESCRITO – PRETO NO BRANCO”; ANTES QUE O AMADORISMO ACABE COM VOCÊS.

Pag 07

ticos. Era comum aos negros convidarem brancos dados como ricos para batizar os filhos, na esperança de que os padrinhos os acolhessem e encaminhassem. A cooptação envolvia recebê-los para morar em suas casas e trabalhar sem remuneração – apenas sustentados. O que não impediu que, como em mão dupla, negras domésticas fossem tornadas “madrinhas” de filhos dos brancos, aos quais, muitas vezes, amamentavam e deles cuidavam. Muitas delas eram bem recebidas pelos familiares e amigos. Essas, de fato, eram segundas madrinhas (mamãs), pois as nominais eram senhoras da estirpe das famílias das crianças apresentadas ao batismo. A partir dos meados do século 20, uma nova mentalidade se desenvolveu. Alguns negros se impuseram na vida nacional e local, a Raia foi reurbanizada e hoje não se apresenta mais como território de exclusão. Mas, as marcas podem ser identificadas e as atas da Câmara têm referências de valor sobre o tema. Assim como os papéis das ocorrências policiais e os tratos jurídicos. Outro território de exclusão em Piquete foi a Vila Barão, dado como local de instalação da zona de meretrício da cidade. Ali é que habitavam as “mulheres da vida”, aquelas que, consideradas sem prestígio, as prostitutas, poderiam morar e receber suas visitas. Território controlado, segundo dizem, por um chefe plenipotenciário, possuidor até de suas almas – o chamado “Barão”. Seria ele o referente para a que a Vila recebesse o apelido ou o nome que detém. Entretanto, sempre imaginei que, pelas evidências, a expressão “Barão” se originasse do títular do Império, o Barão da Bocaina, de várias referências à constituição do município de Piquete em obras variadas. Entre essas, a instalação da Fábrica de Pólvoras, do Ramal Férreo e do Sanatório Militar. Ele era fazendeiro com propriedade aqui, e em São Francisco dos Campos de Jordão, em área de litígio da fronteira São Paulo-Minas. O Barão marcou sua presença em nosso território municipal, em posições de destaque. Já aquelas mulheres, excluídas social e geograficamente, marcaram a paisagem negativamente. Evitava-se até olhá-las quando apareciam em algum local. Atualmente, o “Morro do Moisés” ou do “Querosene” é visto sob o rótulo da exclusão, alegando-se que parte da comunidade sofre, vitimada pela marginalidade, pelo desemprego pelas mazelas sociais. Local que na geografia piquetense é denominado Alto da Boa Vista, sob a invocação de Santa Mônica na capelinha que visitei em dia festivo. Tudo isso é fonte para refletirmos nesse tempo de mudanças que o Brasil pretende expressar sob a égide da inquietação social generalizada. Dóli de Castro Ferreira


Ed. no 327 - julho 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

Francisco Máximo: 80 anos Francisco Máximo Ferreira Neto - o Chico Máximo - completou 80 anos no último dia 21/07. Parentes e amigos o surpreenderam com um aconchegante encontro na casa da Senhora Heloisa Soares, que ele considera seu segundo lar. Meio acanhado, com uma quase infantil timidez, mas com grande alegria no coração, Chico disse que nessa longa caminhada acha que obteve mais acertos do que erros. Com certeza, Chico, com seu jeito de menino travesso e com sua seriedade profissional, você acertou muito mais. Professor, sempre buscou transmitir a im-

portância e o valor do conhecimento para a vida. Intransigente em seus ensinamentos e em suas correções, nunca mediu esforços para ensinar seus alunos que aprender é preciso. Amigo, nunca retraiu seus ombros para o consolo nas horas mais difíceis de seus conhecidos. Basta isso, Senhor Francisco Máximo, para termos a certeza de que seus acertos sufocaram seus desarranjos que seus amigos creditam à natureza humana. Resta-nos agradeçê-lo por sua existência e desejar que permaneça entre nós por muito tempo ainda. Fotos: Laurentino G. Junior

Pag 08

Piquete recebe Arlindo Chinaglia/PT Chinaglia/PT,, líder de Gover no na Câmara dos Deputados Governo

No dia 22 de junho de 2013, o respeitado e atuante Deputado Federal Arlindo Ghinaglia, líder de Governo na Câmara dos Deputados ,esteve presente em nossa região. Depois de se reunir com alguns prefeitos na Cidade de Queluz, onde discutiu as necessidades dos municípios de pequeno porte, Arlindo veio até a Cidade de Piquete se confraternizar com alguns líderes da região. Esteve no Sítio da Tia Irene, no Bairro São José, local conhecido como palco de grandes discussões e encontros de líderes da cidade de Piquete e região. Estavam presentes autoridades como o Prefeito Municipal de Cachoeira Paulista, João Luiz do Nascimento Ramos, Vereadores Zinha e Fátima Bueno de Cachoeira Paulista, Vereador Heloízio dos Marins/ Piquete e várias lideranças comunitárias que puderam conversar e conhecer de perto um homem íntegro, competente, seguro e muito alegre, que,

de forma muito simples, permaneceu ouvindo e orientando os assuntos discutidos. Aproveitando a ocasião, foi levantada por Dona Irene Nogueira e demais representantes do bairro São José a necessidade de telefone fixo para zona rural de Piquete, sendo este um assunto pertinente para o qual há anos se busca solução. Esse momento foi marcado com um almoço acolhedor, e, é claro, oferecendo a Arlindo Chinaglia nosso aperto de mão e compromisso de divulgar ainda mais seu trabalho. Arlindo se despediu com um olhar focado nas necessidades de um povo que luta e vive na esperança de algo simples, contínuo, humano e respeitoso. Irene e Adriana agradecem a todos que estiveram presentes nesse dia tão especial para nosso município e região, e em especial, ao amigo Carlos Kubota, sendo este o grande responsável pelo dia.

Coerência marca trajetória política O médico Arlindo Chinaglia, de 63 anos, está cumprindo seu quinto mandato consecutivo de deputado federal. Na última eleição, ele recebeu 206.410 votos em 632 dos 645 municípios de São Paulo, sendo um dos mais votados do Estado de São Paulo. Sua seriedade e liderança são reconhecidas por seus colegas do Legislativo e instituições de vários segmentos da sociedade, tanto que, em 2012, pelo 15º ano consecutivo Chinaglia foi escolhido como um dos parlamentares mais influentes do Brasil. A escolha é feita pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) há 17 anos, levando em consideração a atuação anual de deputados e senadores. Arlindo Chinaglia tem sido indicado um dos “cabeças do Congresso” pelo DIAP, por sua capacidade de diálogo com todos os setores da vida pública do país. Essa característica o levou ainda a presidir a Câmara dos Deputados entre 2007-2008, período em que foi considerado o parlamentar mais influente do Brasil. No cargo, o deputado destacou-se pelo intenso ritmo das deliberações no plenário, com votações de importantes temas como o Plano de Aceleração do Crescimento, a Super-Receita, o Fundeb, entre outros. O deputado já havia tido uma atuação de extrema relevância na legislatura anterior, como líder da bancada do PT (2004) e líder do governo (2005-2006) na Câmara dos Deputados. Segundo seus colegas, é bom orador e um articulador privilegiado, respeitado pela situação e pela oposição devido à clareza

de seus argumentos e à firme defesa dos seus pontos de vista. E isso o levou a assumir este ano a liderança do Governo de Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados. Sua trajetória política teve início no movimento estudantil. Foi presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo e vice-presidente da Federação Nacional dos Médicos. Foi ainda presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Estado de São Paulo. Fundador do Partido dos Trabalhadores, Arlindo Chinaglia foi também presidente estadual do partido, além de secretáriogeral do PT nacional e deputado estadual. Formado em Medicina pela Universidade de Brasília (UnB), é especializado em saúde pública e radiodiagnóstico. O deputado federal Arlindo Chinaglia (PT-SP) assumiu uma nova tarefa no início de 2012: foi escolhido pela presidenta Dilma Rousseff como líder do governo na Câmara dos Deputados. O parlamentar tem, como uma de suas tarefas, a responsabilidade de articular no Legislativo a votação de matérias importantes para a continuidade do desenvolvimento do país. Chinaglia tem desempenhado com eficiência o cargo e é prestigiado por seus colegas por causa do perfil de bom negociador e de experiente articulador. O reconhecimento vem desde 2005, quando o deputado ocupou o posto de líder do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na Câmara. No ano anterior, havia sido líder da bancada. Adriana Aparecida de Almeida Piquete, 22 de junho de 2013.


Cp 327 julho 2013