Page 1

JORNAL CIDADE PAISAGEM A SERVIÇO DE PIQUETE E REGIÃO

Ano XXII - nº 324 - Piquete, abril 2013 - Preço R$2,00 - Distribuição gratuita promocional

Veja nesta edição

Editorial

Teoria e prática A Prefeita Ana Maria de Gouveia, Teca, compareceu no dia 22/04/2013, à Câmara Municipal de Piquete, a convite desta, para explanar sobre os 100 primeiros dias de seu governo junto à Prefeitura da cidade. Louvável a aquiescência ao convite. Afinal, isto demonstra boa vontade e, sobretudo, o cumprimento de uma promessa de campanha em governar com plena transparência dos atos administrativos realizados pelo seu governo. Sabíamos que a situação da Prefeitura vinha se deteriorando ao final do último mandato, por conta dos desvios de atenção à administração, provocados pelas várias tentativas da cassação do ex-prefeito Otacílio, o que acabou se consolidando em maio do ano passado. Inegáveis os desgastes provocados por tais tentativas e o tempo perdido em combatê-las. Não podemos ignorar o aspecto emocional que envolveu as partes interessadas. Isto foi muito prejudicial para a administração. A cidade, em consequência, ficou tão ansiosa à mercê de uma expectativa alheia aos seus objetivos, que o foco da administração acabou transferindo quase que totalmente à luta para evitar a cassação. Isso não é justificação, é fato. Mas já é passado. Vamos ao que nos interessa. Apesar das primeiras palavras da prefeita Teca, que afirmou não focar em sua explanação a situação em que encontrou a Prefeitura, o desenvolvimento da mesma acabou girando em torno disso. Foi demonstrada a situação de cada secretaria, como ela se encontrava e o que será necessário para colocar a casa em dia. A prefeita citou várias providências já tomadas e disse que somente poderá cumprir as metas de seu governo a partir de 2014. É um quadro difícil, mas não tão assustador o quanto se pensa. Basta analisarmos o seguinte: a dívida em um primeiro momento estava em

R$1.400.000,00, depois passou para R$2.000.000,00 e depois para R$3.000.000,00. Segundo o que foi dito pela prefeita Teca, 60% dela já estão equacionados ou pagos. Ora, se em menos de 4 meses ela conseguiu pagar mais de 60% da dívida, é sinal de que as coisas não estavam tão ruins. Considerando que a cidade possui arrecadação irrisória, considerando que a prefeita afirmou que já tem os recursos para 2 meses de pagamentos de funcionários, considerando que parte do antigo hospital da FPV está sendo reformado, e considerando ainda que foram dispendidos recursos para atender a vida vegetativa da cidade, há que se perguntar: de onde veio o dinheiro para o pagamento? Além do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e arrecadações da fonte 1 (recursos próprios), o que mais engordou os cofres da Prefeitura para o pagamento da dívida citada? Sabemos que havia muitos convênios, e estes são pagos pelo governo federal ou pelo estadual. Esses convênios compuseram o montante da dívida? Esta é uma pergunta. Quando a informação é conflitante com a realidade, naturalmente surgem questionamentos, e transparência não pode suscitar dúvidas. O cidadão quer ouvir algo bem simples como: recebi tanto, gastei tanto e sobrou ou faltou tanto, aqui estão os comprovantes. Pronto! Somente isso! O povo também quer limpeza, atendimento educado nas repartições públicas e compreensão para os seus deslizes. Não é isso que todos querem, Inclusive os dirigentes? Nossa prefeita tem um trabalho gigantesco pela frente. Seria muito bom que a maioria da população que não lhe concedeu o voto estivesse ao seu lado para o bem-estar da cidade. É um trabalho de conquista e de liderança. É o rigor com justiça, o coletivo acima do individual e o trabalho em conjunto. Enfim, a teoria transformada em prática.

Coluna da Sueli .................................................................................................. 02 Coluna da Abigayl .............................................................................................. 03 Atrativos turísticos em Piquete precisam oferecer segurança ......................... 03 Coluna da Dóli .................................................................................................... 04 EC Vila Esperança completa 55 anos ............................................................... 04 Nossas Epidemias ............................................................................................... 05 Educação de qualidade e apoio total aos estudantes e professores ................. 05 População subestima a gravidade da dengue ................................................... 06

“Mimos Vó Rosa” completa um ano e prepara muitos mimos para sua mãe. Confira. pag 06

06 de julho. Vem aí o X Festival do Costelão Fogo de Chão de Piquete

Local - Clube Terrana, 13 h. Ingressos antecipados pelo tel 3156 3498.

RABELO IMÓVEIS Sala Comercial - Aluga - Rua Portugal, Bairro Caixa D’agua. Casa: Sala; Coz.; copa; 3 quartos; 1 banheiro; área de serviço com um banheiro; quintal; garagem; ponto comercial com um banheiro. End.: rua Capitão José de Brito.(008) Casa: sala, coz, copa, 5 quartos, banheiro, área de serviço, 3 pontos comerciais em baixo, quintal com possibilidades de contruir nele, totalizando uma área de aproximadamente 800,00m². Endereço: parte terrea (pontos comerciais) - Rua do Piquete; parte superior (casa) - Rua Doutor Oliveira Braga - Centro - Piquete.(005) Casa: Sala; Cozinha; 2 Quartos; 1 banheiro; Quintal. End.: Rua Tomé Serafim - Centro Piquete Cód 009 Sítio: 12,4 alqueires; Casa sede: Sala, 2 quartos, Banheiro; Cozinha c/ fogão à gás e alenha; Chalé com dois quartos e um banheiro; Churrasqueira; Churrasqueira p/ Costela de Chão; Sauna; Casa de caseiro: sala, cozinha, dois quartos e banheiro. End: Tabuleta. Cód 011. Casa: Aluga: Sala, Cozinha, Banheiro, 3 quartos, quintal e garagem. End.: Rua Capitão José de Brito - Vila Esperança - Piquete. Rabelo Imóveis-CRECI 85547-R Dr Oliveira Braga, 41, térreo Piquete/tel: 3156-4837 ou 8147-7575


Ed. no 324 - abril 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

Será o sinal do fim dos tempos? Um papa que dá adeus ao mundo sem maiores explicações de seu ato; um pastor evangélico que é eleito presidente da comissão de Direitos Humanos mesmo após ter afirmado absurdos de homossexuais e afrodescendentes; um presidente do Senado eleito e empossado com mais de 2 milhões de assinaturas repudiando o fato. Nestes dois últimos casos, quem seriam os maiores culpados, eles ou seus pares que neles votaram? Na Venezuela, Hugo Chavez é velado sob o choro incontido do povo e de alguns de seus colegas; e o pior, seu herdeiro político é eleito para dar continuidade ao Chavismo. Em que pese o talento de compositor e cantor, Chorão, cuja mulher vem à Tv, pedindo aos governantes a atenção imediata e providências urgentes para que a juventude não termine como ele, numa fatal overdose, é sepultado como um exemplo para essa mesma juventude. Continuando, eis que dois jovens, até agora, sem explicações concretas e plausíveis, resolvem, abalar os E.U.A e o resto do mundo com bombas em panelas de pressão, causando a morte de 3 pessoas e mutilação em outras tantas. Enquanto isso, a China, do outro lado sofre terremoto de grandes proporções mas com repercussão internacional, que não chega um terço a dos ataques de Boston, cuida de centenas de mortos e milhares de feridos. O que não faz o prestígio dos americanos diante do mundo? E lá na Bolívia, doze brasileiros que, por acaso, são corinthianos, assim como poderiam ser, palmeirenses, santistas, flamenguistas etc, sofrem o pão que o diabo amassou, por conta da ineficiência e pouco caso das autoridades brasileiras, que abrem os braços aos bolivianos ilegais, aos refugiados haitianos no Acre, a um Batisti tratado a pão de ló, e outros mais, fazendo do Brasil a casa da mãe Joana. Bom, voltemos a Piquete, não sei se espontaneamente ou pela própria iniciativa dos Srs. Vereadores convocando, a Srª Prefeita que vai a Câmara expor o que fez, o que não fez, porque deixou de fazê-lo nos 100 primeiros dias de seu governo. Assisti pela internet, no facebook, e ouvi de pessoas que lá estiveram alguns comentários. Como sempre, a falta de dinheiro é o problema da Prefeita que, segundo diz, encontrou cofres vazios, dívidas, e quer saná-

las para depois começar a governar. E a cidade? Como fica? Sabemos que os problemas são muitos, mas, já diziam os antigos quem não deve nada tem. É preciso ter criatividade, principalmente no que diz respeito à geração de novos empregos. Por que não acionar a Imbel, sob nova direção, pois sabemos que sem a mesma e suas atividades Piquete vai empobrecendo cada vez mais, sem perspectivas de melhora. Procurar dar incentivo aos que geram empregos (fabriquetas, comércio, trabalhadores autônomos), pois, caso contrário, os recursos pagos à Prefeitura serão cada vez mais reduzidos e o retorno aos munícipes será inviável. É preciso separar o que é dívida e o que se recebe para tocar uma cidade, senão “a vaca vai pro brejo”. Pensei que ela viria com todos seus secretários à Câmara ao expor seus problemas. Uma que seria a oportunidade do povo conhecê-los, uma vez que a maioria não é daqui, e outra que seus secretários teriam autonomia de falar o que fizeram e por que não fizeram,sendo dela as considerações gerais , pois mesmo vindos de fora são de sua extrema confiança, já que ela vetou o projeto de um vereador que propunha ficha limpa para todos, dizendo ser isto incumbência da União. O que não pode é cada vez mais se procurar serviços fora da cidade, inclusive de itens indispensáveis, o que, com certeza, irá gerar desemprego num lugar, onde sabemos, serão raríssimas as oportunidades, em especial para os jovens. É preciso também que os vereadores estejam atentos aos pagamentos feitos pela Srª Prefeita, “in loco” ou através do Portal da Prefeitura Municipal, o que dá oportunidade também para que todos que o acessem fiquem por dentro das dívidas, quantos e quanto recebem os que fazem parte do Executivo, afinal, o poder emana do povo e é ele quem o sustenta.

Aciap em ação

Parabéns aos associados aniversariantes do mês de maio 01 ............................................................................................ Terezinha Ribeiro R. de Freitas 05 ....................................................................................................... Luciano Ramos da Silva 07 ................................................. Vandistela Ribeiro da Silva (Vandy Comércio LTDA ME) 09 ........................................................................ Vera Lúcia Santos Vezaro ( Padaria Vezaro) 10 ......................................................................................... Therezinha de Freitas F. da Silva 11 ............................................................................................. Aiko Sakashita (Mami’s Shop) 13 ................................................................. Aparecido Claudio Caracanha ( Distac Tecidos) 14 ........................................................................ Domingos Sales Ramos (Sávio Auto Peças) 22 ........................................................................ Mariomar A. da Silva ( Terrana Dance Bar) 28 ................................................................................ Julie Domingues (Secretária da Aciap)

José Américo v eículos , a g ar antia gar de ótimos ne gócios!

Em Tempo: 1- Vocês sabiam que 9 entre 10 gestantes de nossa cidade têm filhos através de cesárias? 2- Ano de 2014, ano do centenário do Esporte Club Estrela. Aguardem. Sueli Villar Torino

JORNAL CIDADE PAISAGEM CNPJ - 04.441.411/0001-73 - End: Rua Cel José Mariano,228 - CEP 12 620-000 - Piquete-SP Tel.: (12) 31563498 - jc.paisagem@yahoo.com.br Proprietários: ....................................................................................................... Ireana Ferreira de Melo Silva e Arany Norberto da Silva Redator: ................................................................................................................................................................ Paulo Roberto da Silva Diagramação: ....................................................................................................................................................... Paulo Roberto da Silva Gráfica: ................................................................................................................... Jornal Guaypacaré Ltda. CNPJ 45.383.528/0001-25 Tiragem: ......................................................................................................................................................................... 1.500 xemplares Periodicidade: ......................................................................................................................................... Mensal - Circulação Regional A editoria não é responsável por artigos assinados nem solidária com os conceitos emitidos nos mesmos. Fundado em 15 de novembro de 1990 por Claudinei de Barros Magalhães

Pag 02

Oração ao Divino Espírito Santo Ó Divino Amor, laço sagrado unido ao Pai e ao Filho, Espírito todo-poderoso, fiel consolador dos aflitos, penetrai nos abismos do meu coração, e nele fazei brilhar a vossa luz esplendorosa. Nele espalhai o vosso doce orvalho, para que cesse a sua grande aridez. Enviai os raios celestiais do vosso amor até ao mais profundo da minha alma, para que, penetrando nela, eliminem todas as minhas debilidades e negligências. Ámem.

Por FIBE

Santo Agostinho


Ed. no 324 - abril 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

“Guerreiros da Saúde” merecem meus elogios.

Mentes sem sol O ser humano vem à Terra para agregar valor. O mundo deve ser melhorado até que o próprio homem considere que esteja bom. Minha avó materna, Adelaide de Souza Alves, dizia que quem se recusa a ganhar o pão com trabalho não merece a luz do sol. Por isso, desde criança, associo as cabeças que teimam em lutar contra a corrente da edificação do mundo e do progresso da humanidade a mentes sombrias, obscuras, sem sol. As mentes sem sol, ao contrário do que se possa imaginar, não se mantêm improdutivas – produzem muito, dificultando o caminhar do homem sobre a Terra. Quando no ginásio, nossos professores nos mostravam marinheiros com escorbuto e pessoas com bócio (papeira, tireomegalia), ficávamos admirados ao aprender que a falta da vitamina C e do iodo produzia aquelas deformidades; e que a simples ingestão de alimentos como os cítricos e a batata andina, que os europeus não conheciam, podia solucionar o problema do escorbuto; e que o acréscimo de iodo ao sal de cozinha tornava o ser humano livre do bócio. A adolescência é a primavera da vida. Nela, o corpo brota, rebrota e floresce. A diferença é que a primavera da natureza volta todos os anos. E a adolescência não volta. Os médicos alertam para o perigo do uso de remédios e alimentos indiscriminadamente. A falta que houve no escorbuto e no bócio, aqui pode virar excesso. Adolescentes que estão com o corpo encharcados de hormônios são induzidos por mentes obscuras a usar pílulas anticoncepcionais e pílula do dia seguinte sem nenhum critério médico. Também, nas academias de ginástica, adolescentes são levados a ingerir superalimentos para apressar o desenvolvimento dos músculos – até destinados a cavalos -, o que tem conduzido muitos deles aos leitos dos hospitais. O mesmo se diga em relação às drogas. A folha de coca que os índios mascam para suportar o ar rarefeito é misturada com

Pag 03

substâncias perigosas como o formol e a acetona. E o organismo que recebe esta mistura fica completamente desestruturado. À medida que o tempo passa, os costumes se modificam. Também os brinquedos das crianças. É possível que os meninos de hoje não saibam rodar um pião ou manejar um bilboquê. Mas a pipa (pandorga ou papagaio) resiste. As crianças adoram empiná-las. Pois não é que mentes obscuras fazem questão de apresentar o cerol às crianças; e até o preparam para vender aos metros? Pessoas já morreram pelo corte de artérias e veias do pescoço. São dezenas e dezenas de aves amputadas; e motociclistas precisando acrescentar mais um acessório às motos para evitar acidentes. Outra atividade que as mentes sem sol teimam em passar às novas gerações são os balões com chama. Em vez de programar festas com lanternas coloridas para enfeitar praças e alegrar crianças, jovens e adultos, criaturas de mente obscura, na calada da noite, soltam balões que, se caírem em matas e depósitos de combustíveis, podem provocar grandes incêndios e causar muitas mortes. Campanhas são deflagradas todos os anos, mas as mentes obscuras são cegas e surdas. Minha avó Adelaide dizia que a maior ofensa que se pode endereçar a um ser humano é chamá-lo preguiçoso. Hoje, a sociedade se preocupa em garantir oportunidade de trabalho para as pessoas com deficiência para que elas se sintam parte do processo de edificação do mundo. O trabalho é um hino à vida. O preguiçoso é, então, apenas um entulho que podemos esquecer em um canto qualquer. Minha querida vovó e madrinha, ruins mesmo são as mentes sem sol que desencaminham as novas gerações e não deixam o mundo ficar pronto.

Abigayl Léa da Silva

QUITANDA MINEIRA “ A Q u i t a n d a d a Ve r a ” Variedade em hortifrutigrangeiros, frios, laticínios, massas e congelados. Venha conferir!

R. Luiz Arantes Junior, 314 - Piquete. Tel (12) 3156-1610

Ontem (25/04), acordei indisposto, com a região respiratória congestionada, dor na garganta e tosse. Resultado de uma gripe incubada. Resolvi passar pelo “Hospital” de Piquete. Quando cheguei ao Pronto Atendimento, percebi que o mesmo não estava lotado. Os ponteiros do relógio marcavam 7h 30min. Preenchi a ficha e recebi o comunicado da recepcionista para aguardar minha vez. Deste momento, até ser chamado, esperei (aproximadamente) 30 minutos. Ao entrar, não demorou muito para que a doutora Leila Aguiar me atendesse. Fez as perguntas de praxe sobre os sintomas e começou a anotar as informações. Em seguida, examinou minha garganta e escutou meus pulmões. Antes de medicar, foi cautelosa, pois ao constatar a frequência de minha tosse e a formação de secreção, solicitou um Raio X do tórax. Fui encaminhado ao setor de radiologia. Havia outros pacientes aguardando o mesmo procedimento. Esperei mais ou menos, 1h 30min. Quando fui chamado, o técnico pediu que encostasse o peito na máquina, e assim o fiz. Após tirar o Raio X, aguardei mais 15 minutos para pegá-lo, a fim de que a médica pudesse analisá-lo. Voltei ao consultório e a doutora olhou o exame e disse que não havia indícios de pneumonia. Passou a mão no receituário e descreveu os medicamentos que deveria tomar. Saí do hospital pensando que os três remédios ficariam um absurdo na farmácia. E, ao mesmo tempo, imaginei o quanto sofrem aqueles que não têm condições de subsidiar o que é prescrito. Para minha surpresa, os três medi-

camentos custaram R$ 32,00. Eu sei, perfeitamente, que há pessoas que não dispõem de tal quantia para gastar com farmácia, pois lutam para viver e colocar alimentos dentro de casa, mas – ainda sim – considero razoável o valor da receita (consciência médica). Cheguei em casa e comecei a tomar os remédios. Pensei que, talvez, não fossem ajudar em minha reabilitação – mas hoje (26/04), acordei bem melhor. Estou me recuperando graças a Deus e ao atendimento que recebi. Com esse relato, quero deixar bem claro uma coisa: Em momento algum permiti que qualquer privilégio fosse dispensado a meu favor por ser vereador - haja vista que esperei um bom tempo, do momento em que entrei até a hora em que saí. Portanto, quero parabenizar os profissionais que me atenderam. Sei, perfeitamente, que a saúde precisa caminhar muito ainda para se chegar a um atendimento ágil, preciso e eficiente. Faltam recursos, faltam médicos, faltam equipamentos, faltam remédios...; mas com todas as dificuldades que existem, nossos profissionais da saúde estão fazendo o impossível para atender bem a população. É preciso criticar quando as coisas não vão bem e apontar soluções, mas é dever elogiar quando vemos profissionais guerreiros tentando exercer bem o ofício com inúmeros obstáculos. Por enquanto, os profissionais da saúde de Piquete merecem os meus elogios.

Rodrigo Nunes

ATRATIVOS TURÍSTICOS EM PIQUETE PRECISAM OFERECER SEGURANÇA Em 2003, atuei como subsecretário de Turismo de Piquete, uma vez que o município ainda não tinha Secretaria para a pasta. O prefeito da época era o “Carlinho Sessão”. Na oportunidade, elaborei um projeto para se criar infraestrutura adequada em pontos turísticos do município constantemente visitados por moradores e visitantes frequentam. Está previsto no projeto locais como: balneário do Mané Bastos, Cachoeira do Jaracatiá (conhecida por Mendanha), Poço do Zuza, Trilha para o Marins, entre outros. Sei, perfeitamente, que são terrenos particulares; por isso fiz questão de estabelecer parcerias do Poder Público com o Privado. Inclusive, na ocasião, conversei com os proprietários das áreas e os mesmos se disponibilizaram a ajudar com a viabilização do projeto. Posso falar sobre o assunto com conhecimento de causa, pois trabalhei oito anos direto como Guia de Turismo e conheço muito bem os atrativos de Piquete. Sei dos pontos críticos, dos riscos e dos perigos que cada um, por sua natureza, oferece. É preciso criar regras para que se frequentem determinados locais em períodos de temporada e, mesmo assim, com um controle extremamente rigoroso. Estabelecer limites de pessoas no local; colocar cordas e pontos de apoio para oferecer trânsito seguro aos turistas/banhistas; contratar salva -vidas e monitores ambientais; proibir bebidas alcoólicas nessas áreas, assim como cobrar taxas para a manutenção do ambiente. Antes de tudo, há necessidade de se preparar um “RIMA” (Relatório de Impacto do Meio Am-

biente), uma vez que as áreas serão estão muito degradadas. No período de estudo das áreas, fiz prever no projeto a proibição – por tempo determinado – de turistas nos mencionados locais. Por que o projeto não vingou? Bom, cheguei a comprar uma “briga ideológica” ferrenha com o prefeito e com a advogada da Prefeitura. Eles diziam que a água é patrimônio da humanidade e que não poderiam proibir ninguém de frequentar cachoeiras e nelas nadar. Conversei com os proprietários e os mesmo aceitaram a proibição. Acontece que houve uma força política muito grande – da parte do prefeito – para que não se proibisse. O medo dele era a imagem política, pois, infelizmente, em seu entendimento as pessoas diriam que prefeito estava proibindo as pessoas de ter lazer. Não consegui aplicá-lo. Entendo que, enquanto as pessoas continuarem frequentando cachoeiras e balneários livremente, sem limites, onde, ilusoriamente, parece que tudo pode, continuaremos sofrendo com a perda irreparável de nossos irmãos. Não dá para esperar acontecer o próximo acidente ou a próxima morte para que se tomem providências. Como profissional do turismo, com especialização em turismo de aventura e ecoturismo, afirmo: o poder público tem responsabilidade sim em cuidar desses locais, oferecendo segurança a quem frequenta e em parceria com o poder privado. Meu projeto está à disposição do município!

Rodrigo Nunes


Ed. no 324 - abril 2013 o Ed. 304 - agosto 2011 Ed. non321 - janeiro 2013

Senhor Editor

JORNAL CIDADE PAISAGEM

Carta do Leitor

Um ano que termina para outro começar sinaliza uma transição que não se realiza em corte abrupto, ainda que se prenuncie o fim dos tempos a partir de calendários maias ou, de outras culturas, invocados como palavras definitivas e “verdades” dadas como absolutas. Premonições à base de mitologias possuem códigos próprios, de interpretação reservada aos preparados para tal, como sacerdotes e feiticeiros e magos, por exemplo. A estes fica preservado o direito da guarda dos documentos, o sigilo necessário e as chaves da interpretação. Provavelmente, os documentos do famoso calendário maia se referissem ao fim de um ciclo que, como todos os ciclos, contém simbolicamente signos ocultos ou não vulgarmente perceptíveis, já que se incluem em mistérios narrativos somente “traduzíveis” por iniciados. A leitura de “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Caroll, dedicada ao leitor infanto-juvenil, é uma belíssima introdução ao mundo mágico que nos rodeia e acompanha para discernir conceitos e interpretações. Não fosse o autor um filósofo e professor de matemática, lúcido e provocador! Ele nos leva à busca, à indagação, ao espírito crítico e às interpretações. Abrenos um leque de possibilidades. Assim, pode-se perceber que o fim de um ciclo pode encerrar um objeto de foco oculto, ou declarado, para abrir outro que leva embutida uma ideia a ser expandida sob outras representações no ciclo seguinte. Até porque, de modo geral, os símbolos dos calendários representam-se em formas circulares. E o círculo não tem começo, nem fim. Mas tem um centro. Assim, ao final de 2012 a observação do que poderia ter sido dado, mas como não se deu para a perspectiva das reações imediatas, gerou uma euforia incontida e a febre do consumo ardeu vertiginosamente. Os estoques de cerveja e refrigerantes se esgotavam rapidamente, como as gôndolas dos supermercados e as bancas dos produtos em geral. Lembrei-me das aulas de um ilustre professor comentando as reações populares à declaração de paz no fim da Segunda

Guerra Mundial. Dizia ele que se exacerbou o espírito do amor e da euforia geral, o índice de natalidades explodiu nas estatísticas – foi o chamado “baby-boom”. A geração dos “babyboomers” nos Estados Unidos está hoje em idade provecta e engrossa as fileiras da direita. São os que em grande parte se associam ao “Tea Party” (Partido do Chá), de linha conservadora, favoráveis à intervenção nas guerras que se sucedem no Oriente Médio sob a égide de religião, nas linhas dos radicais, fundamentalistas invocadores dos interesses teocráticos contra os opositores liberais que ameaçam as forças imperialistas ávidas de poder, petróleo e espaço vital. Espaço esse, não visto assim pelos habitantes das áreas de intervenção, mas entendido pelos norte-americanos como de seu direito geopolítico de potência máxima. Assim são as lutas políticas no Egito e na Síria, por exemplo. Aprofundar essa questão demanda tempo e conhecimento. Não só porque dão um quadro das disputas espaciais, inclusive virtuais, em nome da globalização, e que são produtos das guerras no Afeganistão, Irã, Iraque, Israel e Palestina. Particularmente, estimulantes-base das pesquisas ligadas ao fator bélico, além dos quadros comerciais e monetários. Entender a complexidade do mundo tal como se apresenta requer um bom modelo educacional. Não é sem motivos, portanto, o desenvolvimento do campo educacional nos Estados Unidos e no investimento tecnológico. Uma boa escola, voltada para essa complexidade, e através das diferentes disciplinas, ciências sociais, humanas e exatas, oferece ferramentas para os alunos desenvolverem sua própria capacidade de pensar. Quanto mais ferramentas à disposição, possibilidades mais amplas para se tomar decisões e se inserir, liberando o potencial próprio de cada um. Não sem manter as costas voltadas para o entendimento comum, o que é relativamente fácil de teorizar, mas difícil de concretizar

Dóli de Castro Ferreira

QUITANDA SÃO MIGUEL

Aceitamos os cartões Master Card, Eletronic, Maestro, Diners ClubRede Shop e Visa. Aceitamos cheques para 30 dias. Temos convênio com o Sindicato dos Químicos.

Pag 04

55º aniversário do Esporte Clube Vila Esperança

Aconteceu no dia 21/04, às 09 h 30 min, o Torneio Início em comemoração ao 55º aniversário do Esporte Clube Vila Esperança e o 3º Torneio Manoel Espíndola. A equipe campeã do Torneio Início foi o time do Palermo, vencendo nas penalidades máximas a equipe do União Bandeirantes. No dia 28/04 começou a 1ª rodada do Torneio Manoel Espíndola: às 10 h Esporte Clube Vila Esperança X União Esperança (1x1); às 13 h 15 min Palermo X Real Master (5x1) e às 15 h 15 min, Esperança do Vila X Chuteira Cansada (6x1). Os próximos jogos serão realizados aos domingos, pela manhã e à tarde. A abertura do Torneio Início contou com a presença da Prefeita Municipal, Teca Gouvêa, o Vereador Carlos Ávila; o Secretário de Esporte e Lazer, Sr Ricardo Alexandre (Pico); a Monitora de Esportes a Sra Regina Rédua; o Secretário da Agricultura, Sr José Victor; o Subsecretário de Turismo, Sr José Carlos (Zecão); o Subsecretário de Patrimônio Sr João Pedro e um grande publico que compareceu para prestigiar o evento.

Ao comemorarmos o aniversário do Esporte Clube Vila Esperança, não poderíamos nos esquecer do saudoso Sr Manoel Espíndola, que se dedicou de corpo e alma ao clube, tanto na categoria adulta quanto na categoria infantil. Hoje, quem colabora comigo é o Sr Edivaldo (Chumbinho), com os adultos e as crianças da Escolinha de futebol. Dia 11 de maio terá início o Campeonato Dente de Leite, às 14 h, no Campo do Estrela, e demais categorias, com a denominação “Bom de bola e bom na escola”. Serão aproximadamente 300 crianças de Piquete participantes desee campeonato. Esse Campeonato foi organizado pela Secretaria de Esporte e Lazer. Há mais de vinte anos que não se realizam Vereadores da esq p/ dir: Fernando, Moita, Negão, campeonatos dessa categoria em Piquete. Esta Heloizio, Fátima, Carlos, Cidinha, Caco e Rodrigo. foi uma esperança que ficou no coração das crianças de Piquete: um dia ter um campeonato para elas, que agora será uma realidade, com o apoio da administração Piquete para todos.

Por Moita do PT

Assembléia de Deus Ceifeiros de Cristo Nós, da Igreja Assembléia de Deus, Ceifeiros de Cristo, convidamos você e sua família para estarem conosco todas as quintas-feiras e domingos a partir das 19 h 30 min, na R Cel Pederneiras, 93, centro. Deus tem nos dado grandes vitórias e soluções para nossos problemas. E Êle quer fazer assim com você também. Basta tão somente tomar uma atitude: visite-nos. Deus te abençõe! Você sabia? Jesus Morreu na cruz por você.

Rua Comendador Custódio, 221

Esdras Martins


Ed. no 324 - abril 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

Nossas epidemias Nos dias de hoje, provavelmente uma das palavras que mais escutamos nas ruas é EPIDEMIA. Isso porque estamos vivenciando um período de epidemia de dengue em várias cidades de nosso país e, infelizmente, neste ano não está sendo diferente na nossa cidade, que, de fato, possui casos de dengue. O trabalho de prevenção é árduo. Nos anos anteriores (exceto 2012) eram realizadas campanhas de limpeza nas ruas e para que os cidadãos tirassem de seus quintais os famosos entulhos, que propiciam a procriação do mosquito transmissor da doença. Quando cobramos do poder público a limpeza de terrenos e ruas, como muito foi cobrado este ano da Prefeitura, e de fato houve uma demora na execução desses serviços, estamos exercendo a cobrança de nossos direitos, mas e nossos deveres? Devemos ser responsáveis minimamente pelo interior de nossas residências e se for o caso, de nossas propriedades, como terrenos baldios, carros abandonados, entre outros. Esses dias comecei a observar o nosso rio pela ponte ao lado da Barateira e pude ver carcaças de

Não deixe isto acontecer,

computadores, monitor, sacos plásticos aos montes e também varias garrafas pet. Será que esses cidadãos que lançaram esses objetos acham que a correnteza do rio vai sumir com eles, como num passe de mágica? Será que pensam que ninguém da sua família podem sofrer qualquer tipo de problema de saúde por conta disso? Creio ser bem complexo esse assunto, mas, como disse acima, todos nós temos direitos mas também temos deveres e devemos cobrar dos responsáveis e aceitarmos ser cobrados de nossos deveres também. Hoje estou ouvindo um carro de som da Prefeitura passar pelas ruas falando a respeito da limpeza e de combate à dengue. Creio que essa ação foi colocada em prática um pouco além do tempo, mas nunca é tarde para nos conscientizarmos. Quando coloquei no enunciado “Nossas epidemias”, não pensei somente na dengue, que, felizmente não ocorre todos os meses do ano. Pensei acima de tudo na EPIDEMIA DAS DROGAS, que, infelizmente, vivenciamos no nosso dia a dia. Na próxima edição do Jornal Cidade Paisagem falaremos mais sobre esse fato, que vem acima de tudo destruindo famílias e hoje se trata de um problema de saúde publica. Forte abraço a todos.

Pag 05

Educação de qualidade e apoio total aos estudantes e professores VEREADOR FERNANDINHO TRABALHANDO POR VOCÊ!

A educação é um direito de todos e um dever do Estado; isto garantido por lei através da nossa carta Magna, a Constituição Federal, porém na realidade não é isso que acontece. Nos municípios, a população estudantil sofre com a falta de investimento em suas escolas na infraestrutura, e, principalmente, no apoio didático. O estado de São Paulo é considerado o mais forte da federação, e nem por isso nossos jovens conseguem obter condições de qualidade no seu aprendizado. Por exemplo, temos escolas em que falta até merenda escolar, jovens não possuem o ensino técnico, ou nem mesmo o passe escolar para viajar de uma cidade para outra para conseguir sua graduação. A juventude clama por políticas públicas que vão direto aos seus anseios e pede de nós, políticos, atitude para apoiar suas necessidades. Sonho com uma educação igualitária em que o filho do pobre tenha as mesmas condições do filho do rico, uma educação em que os professores os mestres que praticam a verdadeira arte de ensinar tenham condições dignas de atender os jovens e possam ser reconhecidos financeira e profissionalmente. Isso não é utopia não! Como estou vereador,

neste mandato estarei sempre à frente dos interesses dos alunos, dos professores e da comunidade de Piquete. Quero e vou lutar por uma escola pública de qualidade, quero que Piquete tenha escola profissionalizante, passe escolar para os jovens universitários que necessitam estudar em outras cidades. Não podemos ficar de braços cruzados esperando o tempo passar e não trabalhando para o desenvolvimento das futuras gerações. Por isso estou buscando recursos junto ao Governo Federal e ao Estadual para que Piquete possa participar ativamente do futuro de nossos jovens. A solução é apoiar os estudantes, os professores e todos que amam a educação. Quero que meu mandato seja de todos que querem uma Piquete melhor e desenvolvida. Então fica assim: “Eu ORO POR VOCÊ E VOCÊ ORA POR MIM”. Aproveito este espaço para cumprimentar a todas as mães, principalmente a minha ( Bp. Pastora Rose ) por este mês tão louvável em que se comemora o dia das mães. FERNANDO MOTTA (Fernandinho) Vereador líder do PR Acesse: www.fernandopiquete.com.br

Vereador Carlos Avila

pois... A Associação dos aposentados e Pensionistas de Lorena e Região informa que os médicos Richard M Moussallen (Urologista), Fábio Antônio Pereira (Clínico Geral) e a Dra Márcia A. Pereira Freire (Psicóloga) atenderão em seu consultório situado à Rua do Piquete, 29, Centro, Piquete. Para agendar a consulta basta ligar para o nº (12) 3156 1749 ou comparecer pessoalmente ao endereço citado.


Ed. no 324 - abril 2013

JORNAL CIDADE PAISAGEM

Nem todos os estudantes são fissurados em tecnologia Enquanto isso, muitos estudantes não aguentam ficar sem seus celulares e acabam distraindo-se nos sites de redes sociais durante os estudos Uma pequena minoria de estudantes universitários não usa e-mail, e alguns ficam confusos com a variedade de tecnologias disponíveis nas universidades. Enquanto isso, muitos estudantes não aguentam ficar sem seus celulares e acabam distraindo-se nos sites de redes sociais durante os estudos. Estas são algumas das conclusões de um estudo sobre como a geração atual de estudantes utiliza a tecnologia. O estudo foi encomendado pelo Conselho de pesquisas Econômicas e Sociais da Europa (ESRC). A pesquisa, liderada pelo Dr. Christopher Jones, da Open University, pesquisou e entrevistou mais de dois mil alunos do primeiro ano de cinco universidades inglesas. "Nossa pesquisa mostra que o argumento de que há uma ruptura geracional entre a geração atual de jovens que estão imersos em novas tecnologias e as gerações mais velhas que estão menos familiarizadas com a tecnologia é falho," diz o Dr. Jones. "As diversas formas que os jovens usam a tecnologia mostram que o argumento é simplista demais e que uma nova ge-

ração única, muitas vezes chamada de 'geração net', com níveis elevados de tecnologia, não existe," complementa o pesquisador. Além disso, o estudo mostrou que os estudantes, mesmo tendo uma grande exposição à tecnologia, muitas vezes não têm um conhecimento aprofundado dos softwares que eles próprios usam. Distração tecnológica A distração gerada pelas tecnologias foi muito citada nas entrevistas, e bem aceita pelos estudantes usuários das tecnologias segundo o Dr. Jones, "alegremente aceita". A maioria afirma ter desenvolvido maneiras de lidar com as distrações enquanto estuda, variando de desligar a fonte de distração, até fazer pausas nos estudos para acessar as redes sociais. Segundo os pesquisadores, há poucas evidências de que os estudantes entrem hoje nas universidades com demandas de novas tecnologias que os professores e as universidades não consigam atender. Vários alunos relataram surpresa inicial ou confusão com a variedade de tecnologias que estavam disponíveis na sua universidade, mas poucos acham que isso gere dificuldades a longo prazo. Fonte: SIS SAÚDE

Confiram nossos “mimos” para comemorarem o Dia das Mães e um ano da “Mimos Vó Rosa” junto a Piquete.

Pag 06

População subestima a gravidade da dengue, alertam gestores de saúde A secretaria tem orientado as famílias a fixarem um dia na semana para inspecionar suas casas Quase 30 anos depois de a dengue ter se instalado no Brasil e apesar de todo o conhecimento sobre o ciclo do mosquito transmissor — o aedes aegypti —, a doença ainda é um problema de saúde pública. Até meados de março já foram registradas 132 mortes e mais de 714 mil casos da doença em todo o país. Em 2012, no mesmo período, as notificações chegaram a 190 mil. Para os gestores da saúde, a população subestima a gravidade da doença. Segundo Gilsa Rodrigues, coordenadora da vigilância epidemiológica da Secretaria de Saúde do Espírito Santo, estado que registrou a maior incidência da doença na Região Sudeste, com 1.171 casos até o fim de março, "não tem quem não saiba o que é e o que deve fazer para prevenir". — Mas as pessoas ainda estão subestimando o poder dessa doença, ela mata", alertou Gilsa Rodrigues. Aqui no Espírito Santo, mais de 70% dos focos são encontrados nos domicílios, um dado que nos faz refletir sobre a responsabilidade do cidadão. A secretaria tem orientado as famílias a fixarem um dia na semana para inspecionar o quintal e a laje, verificar se a caixa d'áqua está coberta, eliminar todas as possibilidades de o mosquito depositar os ovos. Segndo a pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz, Denise Valle, um modelo de combate à doença que deve ser seguido é o adotado em Singapura, no Sudeste Asiático. — Singapura conseguiu praticamente zerar a epidemia de dengue basicamente com uma campanha de mobilização, estimulando as pessoas a eliminar os criadouros uma vez por semana. Cerca de 16 mil voluntários [para uma população de cerca de 5 milhões de pessoas], durante seis finais de semana seguidos, ficaram estimulando e orientando a sociedade a eliminar todos os criadouros. Eles conseguiram eliminar a epidemia no pico, o que é muito difícil. Baseado nisso, o Instituto Oswaldo Cruz

lançou a campanha 10 Minutos contra a Dengue, para que as pessoas façam a limpeza dos principais criadouros do mosquito em suas casas. O instituto ainda lançou vídeos explicativos pra informar a população sobre o ciclo da doença e como evitá-la. Para Maria Aparecida Araújo, diretora da Vigilância Epidemiológica da Bahia, não dá pra responsabilizar só um setor pelas epidemias de dengue. — Muitas vezes, os agentes não têm acesso às casas, o município não tem coleta de lixo adequada, não tem água encanada, o que leva a um armazenamento de água algumas vezes perigoso. O superintendente de Vigilância em Saúde do Paraná, Sezifredo Paz, constatou que todas as cidades que tiveram epidemia no estado tinham problemas com o manejo inadequado de resíduos sólidos e dos materiais recicláveis, como copos plásticos e garrafas PET. Segundo ele, a troca de gestão também contribuiu para agravar a situação. — Constatamos que 70% dos municípios do Paraná onde houve epidemia tiveram mudança de prefeito. O prefeito que assumiu em janeiro já encontrou um quadro ruim. Para Simone Mendes, coordenadora de Dengue e Febre Amarela do Tocantins, a mudança de comportamento é lenta. — Ainda há muita coisa a ser feita para que as pessoas se conscientizem. Temos que continuar fazendo mobilizações. Informação tem que ter o tempo todo. Em dezembro de 2012, o Ministério da Saúde anunciou o repasse de R$ 173,3 milhões para ações de qualificação das atividades de prevenção e controle da dengue. Em 2011, foram R$ 92,8 milhões. O ministério também orienta os agentes de saúde a visitarem as residências a cada dois meses para checar se há focos do mosquito e para alertar a população sobre os riscos da doença.

Fonte: SIS SAÚDE

TECA VAI À CÂMARA No dia 22/04/13 tivemos a honra da visita de nossa Prefeita Ana Maria de Gouvêa (Teca) ao Legislativo para apresentar o relatório dos 100 dias de seu governo, fato este que não ocorria há 40 anos. Houve grande participação do povo superlotando as dependências da Casa de Leis. Todos puderam fazer perguntas e obtiveram respostas que, espero em Deus, tenham sido satisfatórias O Senhor é meu Pastor e nada me faltará. (salmo 23) Maria Aparecida de A. Félix–Cidinha do PSF-Presidente da Câmara Municpal de Piquete

Jornal Cidade Paisagem  

Edição nº 324

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you