Page 1


A paginação original foi respeitada, assim como todas as demais informações do livro, a fim de que o leitor/estudante possa utilizar este trabalho como uma referência segura.

Para melhor manuseio da obra, as referências bibliográficas foram colocadas nos rodapés das próprias páginas a que pertencem em vez de permanecerem no final de cada capítulo como na estrutura original.

O livro segue na íntegra, com as propagandas e páginas em branco, para a apreciação de todos e todas. Boa leitura! Pastor Joel comunidadecristaagape@yahoo.com.br


10. Como o Arrebatamento está relacionado com os sinais dos tempos?.....................................35

Parte 3 Quais São os Sinais de Que a Tribulação Parece Estar Próxima? 11. Que "objetos" e "atores" Deus está usando para montar o cenário profético? ..................... 42 12. Por que Israel é o "super-sinal" do fim dos tempos? ...............................................................47 13. Como Jerusalém é um sinal dos tempos? ............................................................................... 53 14. Como os esforços para reconstruir o templo judeu são um sinal dos tempos? ......................56 15. Como o Império Romano reavivado e a União Europeia são um sinal dos tempos? .............. 57 l 6. Como a Rússia é um sinal dos tempos? ................................................................................... 58 l 7. Como a globalização política, económica e religiosa e o surgimento do Anticristo são um sinal dos tempos? ....................................................... 59 18. A Babilônia é um sinal dos tempos? ........................................................................................ 62

Parte 4 Quais São as Passagens Bíblicas Mais Mal Interpretadas Relativas aos Sinais dos Tempos? 19. O que significa "não passará esta geração sem que tudo isto aconteça"?.............................. 65


20. Como as guerras, os terremotos, as fomes e os falsos cristos se relacionam aos sinais dos tempos?............................................................... 67 21. O declínio moral da sociedade moderna é um sinal dos tempos?........................................... 67 22. O aumento recente e rápido do conhecimento é um sinal dos tempos?................................ 68 Conclusão....................................................................................................................................... 71 Leitura Recomendada ................................................................................................................... 73 Notas.............................................................................................................................................. 75


Sobre Esta Série A série A Verdade Sobre foi criada para dar aos leitores um resumo de assuntos e problemas específicos da profecia bíblica. Visando seu uso em consultas rápidas ou em períodos breves de tempo, os livros foram escritos no formato de perguntas e respostas. As perguntas seguem uma sequência lógica de modo que o leitor tenha mais interesse pelo assunto e pelas questões envolvidas. Os volumes são completos, mas não exaustivos, e podem ser usados em conjunto ou como estudos específicos. Cada livro é completamente documentado e contém uma bibliografia adicional para quem quiser se aprofundar mais em determinado assunto. A perspectiva teológica apresentada nas séries é a do pré-milenismo e pré-tribulacionismo. Reconhecemos que essa não é a única opinião aceita pelos evangélicos, mas cremos que é a perspectiva mais aceita e de maior destaque. Também estamos convencidos de que o prémilenismo, e especialmente o pré-tribulacionismo, é a melhor explicação para o plano profético de Deus revelado na Bíblia. O estudo da profecia e suas questões difíceis é um empreendimento detalhado e complexo, mas não está além de nossa compreensão e resolução. Ele está sujeito a erro, má interpretação, e confusão. Tais possibilidades não devem, no entanto, levar qualquer cristão a fugir do estudo da profecia nem da participação em debates honestos e pacíficos sobre ela. O objetivo desta série é dar uma ferramenta precisa e coerente a todos que desejam entender melhor as Escrituras. Se você estiver disposto


Os Sinais dos Tempos _______________________________________________________________________________ 9

a garimpar, as recompensas dessa busca serão grandes e a satisfação aumentará à medida que você crescer no conhecimento e no amor de nosso Senhor Jesus Cristo e de Sua Palavra.


______________________________________________________________________________ 10


Introdução Existe alguma relação entre a profecia bíblica e os acontecimentos sobre os quais você lê, ouve e vê nos jornais diários? Você pode estar certo de que há uma relação! Do mesmo modo como vemos sinais ao lado da estrada quando viajamos, indicando o que esperar mais adiante, também a Bíblia fala sobre os sinais dos tempos para nos indicar os acontecimentos do futuro. Como integramos a Palavra de Deus a cada área da nossa vida, também devemos incluir a relação entre a profecia bíblica e os acontecimentos mundiais. O plano profético de Deus para a humanidade está dentro do programa e do horário previamente estabelecidos. A história e os acontecimentos atuais caminham para um final em que o programa de Deus será plenamente cumprido. Com o retorno de uma parte significativa dos judeus à Terra Prometida e o subsequente estabelecimento de Israel como nação em 1948, o plano de Deus está se aproximando mais e mais de sua complementação. Raramente passa um dia sem que a mídia relate algum evento relacionado àquela pequena nação no Oriente Médio - Israel. Tal ênfase está de acordo com o que a Palavra de Deus disse que iria acontecer. Israel é o super-sinal dos tempos, o que torna significativos muitos outros desdobramentos históricos e acontecimentos mundiais. A Guerra do Golfo no início da década de 90 fez com que muitas pessoas perguntassem sobre como os acontecimentos atuais estavam relacionados à profecia bíblica. O Dr. John Walvoord observou que "esses eventos


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 12

não foram precisamente o cumprimento daquilo que a Bíblia prediz para o futuro. Em vez disto, eles poderiam ser a arrumação do cenário para o ato final da história que conduz à Segunda Vinda de Cristo."1 Mesmo não sendo o cumprimento específico de profecias, os acontecimentos recentes não são insignificantes em relação ao plano determinado de Deus para a história. "Embora os acontecimentos tenham produzido conclusões prematuras de que o mundo já está no tempo do fim, eles tiveram um efeito benéfico sobre o estudo da profecia", afirma o Dr. Walvoord. "Muitas pessoas investigaram as Escrituras, alguns talvez pela primeira vez, para descobrir o que a Bíblia diz sobre o fim dos tempos."2 O próximo evento na cronologia profética é o Arrebatamento da Igreja, que abrirá as cortinas para a Tribulação, um período de sete anos que é a contagem regressiva para a volta de Jesus Cristo ao planeta Terra. Os sinais dos tempos estão se cumprindo - você os vê e os reconhece? Está preparado para interpretá-los nos termos do plano profético de Deus para a história? Ao vermos a mão de Deus operando na história, concluímos que vivemos em uma época grandiosa e oportuna. Maranata!

1

John F. Walvoord, Prophecy: 14 Essential Keys to Understanding the Final Drama (Nashville: Thomas Nelson Publishers, 1993), p. 1. 2 Idem


PARTE 1

A Bíblia Oferece Sinais do Fim dos Tempos? 1. Como a Bíblia usa termos como "fim dos tempos"? Existem várias expressões bíblicas diferentes que parecem referir-se ao fim dos tempos. Nós vamos examinar cada frase e determinar seu significado e sua referência. Alguns cristãos leem na Bíblia sobre os "últimos dias", o "fim dos tempos", etc., e costumam pensar que todas estas expressões sempre se referem à mesma coisa. Este não é o caso, assim como nas nossas próprias vidas há muitos finais: há o fim da jornada de trabalho, o fim do dia segundo o relógio, o fim da semana, o fim do mês, e o fim do ano. Só por ser usada a palavra "fim", isso não


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 14

significa que ela se refere sempre à mesma hora. A palavra "fim" é restrita e precisamente definida quando modificada por "dia", “semana", "ano", etc. Portanto, na Bíblia o "fim dos tempos" pode referir-se ao fim da atual era da Igreja ou pode referir-se a outras épocas. A Bíblia ensina que esta era atual terminará com o Arrebatamento, seguido pela Tribulação, a qual terminará com a Segunda Vinda do Messias à terra. Então, devemos distinguir os "últimos dias" da era da Igreja e os "últimos dias" da Tribulação de Israel. Veja o quadro seguinte, que classifica e distingue as passagens referentes ao fim da era da Igreja e os "últimos dias" de Israel: A Bíblia fala claramente sobre os últimos dias ou o fim dos tempos, mas nem sempre se refere ao mesmo peUso Bíblico de "Últimos Dias" Israel "últimos dias" Deuteronômio 4.30; 31.29 Jeremias 30.24; 48.47 Jeremias 23.20; 49.39 Daniel 2.28; 10.14 Isaías 2.2 Ezequiel 38.16 Miquéias 4.1 Atos 2.17 "último dia" João 6.39,40,44,54; 11.24; 12.48

"fim dos anos" Ezequiel 38.8

Igreja "últimos tempos" 1 Timóteo 4.1

"últimos dias" 2 Timóteo 3.1 Hebreus 1.2 Tiago 5.3 2 Pedro 3.3 "fim dos tempos" l Pedro 1.20 Judas 18 "última hora" l Pedro 1.5 l João 2.18


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 15

ríodo de tempo. A referência contextuai capacita o leitor a saber se a Bíblia está falando dos últimos dias relacionados a Israel ou ao fim dos tempos referentes à Igreja.

2. Existem sinais do fim da atual era da Igreja? Não seria adequado dizer que há sinais do fim da era da Igreja. Ao invés disto, a Bíblia indica qual será a condição da Igreja, o curso geral desta era, e então adverte sobre algumas tendências da última parte da era da Igreja. Aspectos específicos serão identificados e discutidos na Parte 2.

3. Existem sinais relacionados ao Arrebatamento? O Arrebatamento é um evento sem sinais; logo, não há e nem aparecerão sinais dos tempos que indiquem que o Arrebatamento está próximo. Isto é verdade porque o Arrebatamento é iminente, o que significa que pode acontecer a qualquer momento.3 É impossível um evento eminente ter sinais. Se há sinais relacionados a um evento, então eles indicam que ele está perto ou distante e, portanto, não pode acontecer até que os sinais estejam presentes. Sendo assim, sinais teriam que preceder o evento, o que implicaria que o evento

3

Para maiores informações sobre o Arrebatamento como um evento iminente veja Thomas Ice e Timothy Demy, A Verdade Sobre o Arrebatamento (Porto Alegre: Actual Edições, 1999), pp. 33-36.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 16

não poderia acontecer a qualquer momento antes dos sinais aparecerem. Já que o Arrebatamento é descrito no Novo Testamento como um evento que pode acontecer a qualquer momento (l Coríntios 1.7; 16.22; Filipenses 3.20; 4.5; l Tessalonicenses 1.10; Tito 2.13; Hebreus 9.28; Tiago 5.79; l Pedro 1.13; Judas 21; Apocalipse 3.11; 22.7,12,17,20), então ele não pode estar relacionado a nenhum sinal. Mas, como demonstraremos mais tarde, isto não quer dizer que não haja sinais dos tempos relacionados a outros aspectos do plano de Deus.

4. Existem sinais relacionados ao plano divino do fim dos tempos para Israel? Sim, existem muitos sinais relacionados ao programa divino do fim dos tempos para Israel. No entanto, devemos ter cuidado com a maneira como os relacionamos a nós hoje durante a era da Igreja. Já que os crentes de hoje vivem na era da Igreja, que terminará com o Arrebatamento da Igreja, sinais proféticos relacionados a Israel não são cumpridos nos nossos dias. Ao invés disto, o que Deus está fazendo profeticamente nos nossos dias é preparando o mundo ou "montando o cenário" para a hora em que Ele começará Seu plano relacionado a Israel, que envolverá o cumprimento dos sinais e dos tempos. Um indicador importante de que provavelmente estamos próximos do começo da Tribulação é o fato evidente de que a nação de Israel foi reconstituída depois de quase 2000 anos.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 17

5. O que significa "montar o cenário"? A atual era da Igreja não é uma época em que a profecia bíblica está sendo cumprida. A profecia bíblica está relacionada com um período depois do Arrebatamento (o período de sete anos da Tribulação). Porém, isto não quer dizer que durante a atual era da Igreja, Deus não esteja preparando o mundo para esse período futuro - na verdade, Ele está. Mas isto não é "cumprimento" específico de profecia bíblica. Portanto, mesmo que a profecia não esteja se cumprindo na nossa época, isto não quer dizer que não podemos identificar "tendências gerais" na atual preparação para a Tribulação vindoura, principalmente porque ela acontecerá logo depois do Arrebatamento. Chamamos esta abordagem de "montagem de cenário." Assim como muitas pessoas separam a roupa na noite anterior para usá-la no dia seguinte, Deus está preparando o mundo para o cumprimento certo da profecia no futuro. O Dr. John Walvoord explica: Mas se não há sinais para o Arrebatamento em si, quais são as fontes legítimas que levem a crer que o Arrebatamento esteja próximo desta geração? A resposta não é encontrada em nenhum dos eventos proféticos previstos antes do Arrebatamento mas no entendimento dos eventos que seguem ao Arrebatamento. Assim como a história foi preparada para a primeira vinda de Cristo, ela está sendo preparada para os eventos que levam à Sua Segunda Vinda... Sendo assim, isto leva


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 18

à conclusão inevitável de que o Arrebatamento pode estar inevitavelmente próximo.4

A Bíblia fornece profecias detalhadas sobre os sete anos da Tribulação. Na verdade, Apocalipse 419 oferece um esboço detalhado e ordenado dos participantes e eventos principais. Com base em Apocalipse, o estudante da Bíblia pode harmonizar as centenas de outras passagens bíblicas que falam da Tribulação num modelo claro do que será o próximo período de tempo no planeta Terra. Com esse modelo para nos guiar, podemos ver que Deus já está preparando ou montando o cenário para o mundo, no qual o grande drama da Tribulação se desdobrará. Assim, esse período futuro lança sobre a nossa época uma sombra de expectativa, de tal forma que os eventos atuais oferecem sinais discerníveis dos tempos.

6. Quais são as diretrizes para entender os sinais dos tempos? Só porque pode haver sinais legítimos em nossa época que indicam o retorno de Cristo, isto não quer dizer que toda conclusão e especulação que surge é legítima. Inclusive, há muitas especulações absurdas de que certos acontecimentos atuais estão relacionados à profecia bíblica. Para alguns, quase tudo que acontece é uma indicação de que o retorno do Senhor está próximo. Especulações absurdas são muito normais hoje em dia, e

4

John F. Walvoord, Armageddon, Oil and the Middle East Crisis, revised (Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1990), p. 217.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 19

geralmente não estão baseadas numa abordagem bíblica apropriada aos assuntos. É por isso que precisamos definir algumas diretrizes para disciplinar nossos pensamentos para nos protegermos da especulação extrema e infundada. Existem pelo menos três passos básicos que devem ser seguidos antes de desenvolver-se uma abordagem apropriada para entender os sinais dos tempos. O especialista em profecia Dr. Ed Hindson chama esses três itens de fatos, suposições, e especulações.5 O Dr. Hindson diz: No nosso esforço para entender tudo isso, permita-me sugerir um paradigma simples: Fatos - Existem os fatos claramente declarados da revelação profética: Cristo voltará para os Seus; Ele julgará o mundo; haverá um tempo de Grande Tribulação na terra no final dos tempos; o conflito final será vencido por Cristo; e assim por diante. Esses fatos básicos são afirmados claramente nas Escrituras. Suposições - A profecia factual só nos revela certas coisas e nada mais. Além disso só podemos supor. Se estas suposições estiverem carretas, irão nos levar a conclusões válidas; caso contrário, levarão a especulações ridículas. Por exemplo, supõe-se que a Rússia invadirá Israel nos últimos dias. Se isto é verdade ou não, depende da legitimidade da interpretação da profecia de Magogue em Ezequiel (Ezequiel 38-39). Especulações - Estas especulações são conjecturas calculadas, baseadas em suposições. Em muitos casos elas não têm nenhuma base profética. Por exemplo, a Bíblia HÍ7 que o número do Anticristo é "666" (Apocalipse 13:18). Devemos tentar supor o que isto significa. Supõe-se que esse seja um número literal que aparecerá nas coi-

5

Ed Hindson, Final Signs: Amazing Prophecies of the End Times (Eugene, OR: Harvest House Publishers, 1996), pp. 3637.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 20

sas nos últimos dias. Quando um evangelista famoso viu o número 666 em parte das placas de automóveis em Israel há alguns anos atrás, especulou que a "marca da Besta" já tinha chegado à Terra Santa. O maior perigo que corremos em tentar interpretar a profecia bíblica é supor que nossas especulações são verdadeiras e, assim, pregá-las como fatos. Isto geralmente tem causado muito embaraço e muita confusão. Por exemplo, quando Benito Mussolini chegou ao poder em Roma na década de 1920, muitos crentes especularam que ele podia ser o Anticristo, que governaria o mundo a partir da cidade das sete colinas nos últimos dias. Alguns até especularam que Adolf Hitler, que subiu ao poder mais tarde na Alemanha, era o Falso Profeta. Outros tinham certeza que o Falso Profeta era o papa, que também estava em Roma. Já é tempo em que estudantes sérios da profecia bíblica devem estar convictos daquilo que é fato, do que é suposição e do que é especulação.6

Sendo assim, quando abordarmos o estudo das profecias bíblicas e tentarmos relacioná-las aos eventos atuais, devemos primeiro ter certeza de começar com uma interpretação apropriada do texto bíblico antes de tirar conclusões sobre as quais especular. É lógico que, se tivermos uma interpretação incorreta de uma passagem, então a conclusão ou as suposições que tirarmos serão necessariamente erradas (a não ser que sejamos ilógicos e, assim, incoerentemente tropeçarmos na conclusão certa). Por exemplo, se estamos estudando de qual área do mundo o anticristo virá, devemos começar com a interpretação correta das passagens bíblicas que falam sobre o assunto. Depois de reunir os dados bíblicos correta-

6

Ed Hindson, Final Signs: Amazing Prophecies of the End Times (Eugene, OR: Harvest House Publishers, 1996), pp. 3637.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 21

mente, tiramos conclusões, ou como o Dr. Hindson as chama: suposições. Então, podemos concluir que o anticristo surgirá do Império Romano restabelecido. Já que 2 Tessalonicenses 2.6-9 indica que ele não será revelado até depois do Arrebatamento, não seríamos capazes de especular legitimamente quem ele pode ser no conjunto das possibilidades atuais. Podemos usar tal interpretação e suposição para excluir um suposto candidato vindo de um lugar como o Japão, se alguém apresentasse esta especulação. Opiniões legítimas sobre os sinais dos tempos devem começar com: 1) interpretação bíblica sadia; 2) suposições ou conclusões apropriadas tiradas da interpretação, e 3) especulação, apenas quando for coerente com estes dois primeiros fatores. Somente depois de seguir esta abordagem é que podemos concluir que qualquer acontecimento atual é um sinal do retorno de Cristo.

7. Qual a diferença entre uma abordagem válida dos sinais dos tempos e "exegese de jornal"? E comum para os críticos daqueles que acreditam haver sinais do retorno de Cristo em nossa época, rejeitar tal ideia como sendo "exegese de jornal. " Com isto, os críticos querem dizer que ideias humanas, não a Bíblia, são a verdadeira fonte de tais crenças, porque elas surgem do estudo de manchetes de jornal ao invés de exegese (i.e., interpretação correta) do texto bíblico. Isto é verdade?


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 22

Em alguns casos isto tem sido verdade, mas nem sempre. Se a pessoa foi primeiro às Escrituras, derivou delas um modelo fiel dos eventos do fim dos tempos e há coerência verdadeira com o que é relatado nos jornais, então isto pode ser válido. Mas, se a pessoa está realmente tentando adequar a Bíblia às notícias atuais, então isto está errado e pode ser corretamente denominado de "exegese de jornal". Alguns estudiosos de profecia ensinam incorretamente que a profecia bíblica está sendo "cumprida" na nossa época. Observamos nas questões 4 e 5 que esse não é o caso, exceto em relação ao restabelecimento do atual Estado de Israel. No entanto, apoiamos a ideia de que há sinais dos tempos relacionados ao fato que Deus está preparando o cenário para um tempo de cumprimento futuro, depois do Arrebatamento, durante a Tribulação. Logo, é exagero falar que a profecia está sendo cumprida na nossa época, mas não é errado falar que há sinais que demonstram que Deus está preparando o cumprimento. É comum algumas pessoas que ensinam profecia utilizarem uma passagem bíblica, geralmente uma que será cumprida durante a Tribulação, e encontrarem uma semelhança entre esta profecia e algo que está acontecendo atualmente. O fato de algo ser semelhante, no entanto, não significa que é igual. Por exemplo, alguns anos atrás eu (Thomas) lembro-me de ler em Isaías 24.5a que a "terra está contaminada por causa dos seus moradores,..." Eu tinha ouvido falar muito no começo da década de 70 sobre como a terra estava poluída. Então sugeri para alguns amigos que esta era uma profecia de eventos que acontecem na nossa época. Eu tirei a conclusão baseado na ideia de "poluição", sem considerar o contexto bíblico de Isaías 24.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 23

Qual é o contexto de Isaías 24? Ele faz referência aos eventos que acontecerão durante o período futuro da tribulação. Estamos vivendo no período da Tribulação hoje? Não! Portanto, o que porventura estava aconte-


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 24

cendo nos eventos daquela época não era um cumprimento, nem estava relacionado a Isaías 24 ainda que eu acreditasse que havia uma semelhança. Se você examinar a maioria das abordagens usadas hoje em dia que associam o cumprimento de profecias relativas à Tribulação com eventos dos nossos dias, descobrirá que elas usam enfoques semelhantes e, por isso, cometem erros idênticos. Como já observamos, não é necessário ter um cumprimento real para que um acontecimento seja um sinal dos tempos. Isto é possível porque pode haver preparação para o cumprimento. A preparação não é o cumprimento de uma profecia, mas indica que Deus está preparando o cenário para cumprir tal profecia no futuro próximo. Tal preparação para o cumprimento é um sinal dos tempos. O Dr. Walvoord faz eco a tal convicção sobre a atual montagem do cenário em preparação para o cumprimento: "... em nossa época, ... Deus tem agido com Israel de maneira a montar o cenário, como nunca antes, exatamente para este cumprimento que é previsto para o período logo após o Arrebatamento da Igreja... Mais profecias foram cumpridas ou preparadas para o cumprimento em nossa época do que em todos os séculos desde o primeiro de nossa era."7

7

John F, Walvoord, The Return of the Lord (Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1955), p. 16.


PARTE 2

Quais São os Sinais do Fim da Era da Igreja? 8. Qual é a natureza profética da era da Igreja? Salvo algumas exceções, a era da Igreja não é um período de cumprimento profético. Pelo contrário, a profecia será cumprida depois do Arrebatamento, em relação à ação de Deus com a nação de Israel nos sete anos da Tribulação. A atual era da Igreja, em que os crentes vivem hoje, não tem uma cronologia profética específica, como Israel e sua profecia das setenta semanas de anos (Daniel 9:14-27). No entanto, o Novo Testamento dá características gerais que descrevem a era da Igreja. Até mesmo profecias específicas cumpridas durante a era da Igreja estão relacionadas ao plano profético de


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 26

Deus para Israel e não diretamente para a Igreja. Por exemplo, a destruição profetizada de Jerusalém e seu Templo em 70 d.C. é relativa a Israel (Mateus 23.28; Lucas 19.43-44; 21.20-24). Portanto, não é contraditório que as preparações proféticas relacionadas a Israel já estejam acontecendo com o restabelecimento de Israel como nação em 1948, apesar de ainda estarmos vivendo na era da Igreja. A era da Igreja não é caracterizada por eventos proféticos historicamente verificáveis, exceto seu início no Dia de Pentecostes e seu fim com o Arrebatamento. Mas o rumo geral desta era foi profetizado e pode oferecer uma visão panorâmica do que se pode esperar durante esta era.

9. Qual é o curso da era da Igreja? O curso da atual era da Igreja é dado aos crentes em três conjuntos de passagens no Novo Testamento. É necessária uma compreensão destas passagens para entender os sinais dos tempos.

Mateus 13 As parábolas de Mateus 13 explicam o curso da atual era da Igreja. Na verdade, já que Mateus 13 descreve a era atual na sua relação com o reino, as parábolas abrangem o período de tempo entre as duas vindas de Cristo - a primeira e a segunda vinda dEle. Isto inclui a


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 27

Tribulação, a Segunda Vinda, o julgamento final depois do Arrebatamento, mas também um resumo importante da nossa era atual. Como Mateus 13 descreve esta era? O Dr. J. Dwight Pentecost resume a descrição assim: Podemos resumir o ensinamento do rumo da era ao dizer: (1) a palavra será semeada durante toda a era, e (2) uma palavra falsa também será semeada; (3) o reino assumirá grandes proporções externas, mas (4) será marcado por corrupção doutrinária interna; porém, o Senhor adquirirá para Si (5) um tesouro especial dentre Israel, e (6) da Igreja; (7) a era terminará em julgamento com os injustos excluídos do reino a ser estabelecido e os justos preservados para desfrutar da bênção do reino do Messias.8

Apocalipse 2-3 A próxima passagem principal que dá um resumo do curso desta era é encontrada na apresentação das sete igrejas de Apocalipse 2-3. A perspectiva de Apocalipse 2-3 refere-se ao programa da Igreja e não ao do reino. Por isso, sua perspectiva engloba desde Pentecostes até o Arrebatamento, como é indicado pela frase muito usada: "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas" (Apocalipse 2.7, 11, 17, 29; 3.6, 13, 22). Estas sete igrejas históricas do primeiro século oferecem um padrão dos tipos de igrejas que existirão durante a história da Igreja. Apocalipse 1.19 indica uma divisão de três partes do Livro de Apocalipse. "Escreve, pois, as coisas que viste, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas."

8

J. Dwight Pentecost, Manual de Escatologia (São Paulo: Editora Vida, 1998), p. 175.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 28

• Apocalipse 1: corresponde às "coisas que viste", a visão que descreve o Cristo ressurreto. • Apocalipse 2-3: corresponde às "coisas que são", que abrangem a era da Igreja. • Apocalipse 4-22: corresponde às "coisas que hão de acontecer depois destas", que abrangem a Tribulação, a Segunda Vinda, o Milénio, e o estado eterno. Fica claro, com base na divisão de Apocalipse feita acima, que as sete igrejas de Apocalipse 2-3 estão relacionadas à atual era da Igreja. Que lições estas sete cartas às igrejas em Apocalipse nos ensinam sobre a era da Igreja? G. H. Pember, estudioso de profecia de uma geração passada, diz: Logo, parece evidente que as igrejas selecionadas devem ter sido escolhidas por causa do seu caráter representativo. E, levando também em consideração a ordem em que estão colocadas, provavelmente podemos ver nestas Sete Cartas - além da sua aplicação literal - um propósito duplo, que afeta todas as igrejas do povo de Deus na terra. Pois, em primeiro lugar, se as observarmos como um todo, provavelmente podemos detectar nelas amostras de todo tipo de circunstância, tentação, ou provação que Deus em Sua presciência previu em relação ao futuro dos crentes. Assim Ele pode, por meio delas, aconselhar, confortar, exortar, ou advertir qualquer um dos Seus próprios discípulos a qualquer hora durante o decorrer do período da Igreja. E, em segundo lugar, se consideradas na ordem em que são dadas, demonstrarão que preveem as principais fases sucessivas pelas quais a Igreja nominal tem que passar, desde o tempo da visão até o fim da Era.9

9

G. H. Pember, The Great Prophecies of the Centuries Concerning the Church (Miami Springs, FL: Conley & Schoettle Publishing Company, 1984 [1909]), pp. 494-95


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 29

Estudiosos da Bíblia como Pember acreditam que as sete igrejas "apresentam um retrato profético dos sete períodos históricos em que a Igreja visível se desenvolverá." Isto foi denominado de "método de interpretação histórico-profético."10 Tal abordagem sugere que a era da Igreja passará por sete estágios, oferecendo assim um esboço profético geral começando com Éfeso e concluindo com Laodicéia. A mensagem profética é transmitida por meio do assunto contido em cada carta e "[d]os próprios nomes das Igrejas mencionadas... e [d]o período da história da Igreja em que parecem encontrar seu cumprimento."11 Pember explica os nomes da seguinte maneira: Éfeso = relaxamento. A perda do amor no fim dos tempos apostólicos. Esmirna = amargura; ou mirra, um unguento usado especialmente para embalsamar os mortos. A época das Dez Grandes Perseguições. Pérgamo = uma torre. Grandeza terrena da Igreja Nominal, com a ascensão de Constantino. Tiatira = aquela que não se cansa de sacrifícios. As igrejas católicas, com seu sacrifício da missa eternamente repetido. Sardes = renovação. Os resultados da Reforma. Filadélfia = amor fraternal. A reunião dos que creem que o amor de Cristo é uma ligação mais forte que qualquer vínculo a uma denominação. Esta reunião claramente envolve preparação para o retorno do Senhor.

10

Arnold G. Fruchtenbaum, The Footsteps of the Messiah: A Study of the Sequence of Prophetic Events (San António, TX: Ariel Press, 1982), p. 38. 11 Pember, Great Prophecies, p. 496.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 30

Laodicéia = o costume ou julgamento do povo. O período em que as pessoas acham que podem julgar o que é certo, e então abandonam completamente a Palavra de Deus. Por isso, elas são rejeitadas pelo Senhor Jesus.12 Um esboço comum dos aspectos proféticos das sete igrejas é dado pelo Dr. Arnold Fruchtenbaum da seguinte forma: 1. Éfeso [30-100 d.C.] Igreja Apostólica 2. Esmirna [100-313] Perseguição Romana 3. Pérgamo [313-600] Era de Constantino 4. Tiatira [600-151 7] Idade Média 5. Sardes [1517-1648] Reforma 6. Filadélfia [1648-1900] Movimento Missionário 7. Laodicéia [1900-Presente] Apostasia13

Se esta abordagem for válida, ela indica claramente que a história está na época final (laodicense) da era da Igreja. Pember tenta justificar esta opinião com a seguinte explicação: Uma vez mais, se olharmos para a Sétima Carta, escrita para a Igreja dos laodicenses, perceberemos que ela descreve características que, segundo outras passagens bíblicas, marcarão os últimos dias da nossa era. Pois aqueles a quem se dirige insistem, de fato, em reter uma certa forma de piedade, mas sem considerar sua significância, nem sentir seu poder. Eles são egoístas e complacentes às vésperas do julgamento. E o Senhor, que está prestes a rejeitá-los, retirou-se do seu meio, e só está esperando um pouco à porta, antes de fazer a última proposta aos crentes individuais, e proclamar a última advertência.14

12

Pember, Great Prophecies, p. 497. Fruchtenbaum, Footsteps, p. 36. 14 Pember, Great Prophecies, p. 496. 13


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 31

"Mas, se isto for verdade, uma questão naturalmente surge", observa Pember: "Por que o Senhor escolheu uma forma tão peculiar para Sua revelação?"15 Ele oferece a seguinte resposta: Porque Ele não queria que o significado profético das cartas fosse compreendido facilmente, até que os Últimos Dias chegassem. Pois, ao mesmo tempo em que esses dois capítulos sempre foram muito úteis para repreensão, correção, instrução, e exortação, suas previsões dificilmente seriam descobertas, nem suspeitadas, até que estivessem praticamente cumpridas. E então, por sugerir eventos que teriam que acontecer primeiro, jamais fariam os crentes dizer: "Meu Senhor tarda em vir." E, por outro lado, quando, no Fim, o Espírito revelasse o significado, Ele traria assim a profunda convicção da proximidade da Vinda a todos que nelas meditassem com reverência. Há ainda outra razão para o mistério nesta forma de profecia. Porque, pela própria natureza da questão, tais previsões não podem ser diretas e literais, como são as profecias de eventos específicos do quarto capítulo em diante, podendo oferecer apenas uma percepção vaga das coisas vindouras, apesar de proverem um esboço suficientemente nítido, uma vez descoberta a chave interpretativa. Finalmente, devemos observar, que nesta profecia, como na das Sete Parábolas, uma fase que já começou pode ter continuidade, ainda que em certos aspectos reduzidos, muito tempo depois da sua época de predominância, e isto até a vinda do Senhor. Existe uma indicação clara de que esse será o caso de Pérgamo - pois o Senhor ainda não lutou contra os balaamitas com a espada da Sua bocai, o caso de Tiatira - pois o remanescente deve conservar o que tem até que Ele venha; o caso de Sardes - pois

15

Pember, Great Prophecies, p. 497.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 32

é advertida que se não for vigilante, Ele chegará como um ladrão; o caso de Filadélfia – pois ele lhe promete que está vindo em breve e manda conservar o que tem, para que ninguém leve sua coroa. Realmente, as igrejas Nominais, nos últimos dias, como nos primeiros, provavelmente acolherão comunidades, que, juntas, terão todas as características mencionadas nos dois capítulos; então cada carta reterá seu valor diretamente prático até o fim, Mas, nesta época, a fase predominante será a Laodicense.16

16

Pember, Great Prophecies, p. 497-499.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 33

Tal compreensão de Apocalipse 2-3 indicaria que a Igreja já passou por suas diversas fases e agora está preparada para o Arrebatamento acontecer, como sempre, a qualquer momento. No entanto, apenas a conclusão geral de que estamos na era final é válida, já que o período laodicense pode continuar por centenas de anos como aconteceu com a era de Tiatira.

Os Últimos Dias da Igreja Seja qual for o significado de Apocalipse 2-3, o Novo Testamento fala claramente sobre os últimos dias da Igreja. Como foi explicado na Parte l, várias epístolas do Novo Testamento falam sobre a situação do Cristianismo no final da era. É interessante observar que quase todos esses comentários vêm das epístolas escritas logo antes da morte de cada apóstolo (i.e., durante os últimos dias dos diversos apóstolos), escritas como se eles quisessem enfatizar os perigos latentes durante os últimos dias da Igreja. A seguir temos uma lista das sete passagens principais que lidam com os últimos dias da Igreja: l Timóteo 4.1-3; 2 Timóteo 3.1-5; 4.3-4; Tiago 5.1-8; 2 Pedro 2.1-22; 3.3-6; Judas 1-25. Todas estas passagens enfatizam vez após vez que a grande característica do fim da era da Igreja será a apostasia. O Dr. Pentecost conclui: Esta condição no final da era coincide com a situação dentro da Igreja de Laodicéia, diante da qual Cristo deve se apresentar e pedir admissão. Por causa da sua negação (da igreja) não é de se admirar que a era é chamada de "era maligna" nas Escrituras.17

17

Pentecost, Manual de Escatologia, p. 181.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 34

O Novo Testamento retrata a condição dentro da igreja nominal no fim da era com um sistema de negações. • Negação de Deus – l João 2.22-23; II Timóteo 3.4-5; Tito 1.16 • Negação de Cristo – l João 2.18-23; 4.3; Judas 4; Atos3. 13-14 • Negação do Retorno de Cristo – II Pedro 3.3-4 • Negação da Fé – II Timóteo 4.1-2; Judas 3 • Negação da Sã Doutrina – II Timóteo 4.3-4 • Negação da Vida Santa – II Timóteo 3:1-7 • Negação da Liberdade Cristã – l Timóteo 4.3-4 • Negação da Moral – l Timóteo 3.1-8,13; Judas 18 • Negação da Autoridade – II Timóteo 3.418

O Dr. Lewis Sperry Chafer, fundador e primeiro presidente do Seminário Teológico de Dallas, caracterizou os últimos dias da Igreja da seguinte maneira: Uma parte muito extensa das Escrituras refere-se aos últimos dias da Igreja. A referência é a um tempo específico no fim, mas completamente dentro da era atual. Apesar desse período curto vir logo antes da Grande Tribulação e ser até certo ponto uma preparação para ela, esses dois períodos de apostasia e confusão - apesar de incomparáveis na história - são totalmente separados um do outro. As Escrituras que descrevem os últimos dias da Igreja não consideram as condições políticas ou mundiais mas estão restritas à Igreja em si. Estas Escrituras retratam os homens desviando-se da fé (l Tm 4.1-2). Haverá uma manifestação de características que pertencem a homens não-regenerados, apesar de professarem "uma forma de piedade" (cf. 2 Tm 3.1 -5). A indicação é que, de-

18

Extraído de Pentecost, p. 181.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 35

pois de negar o poder do sangue de Cristo (cf. 2 Tm 3.5 com Rm 1.16; l Co 1.23-24; 2 Tm 4.2-4), os líderes destas formas de piedade religiosa serão homens não-regenerados de quem não poderia proceder nada mais espiritual do que isto (cf. l Co 2.14).19 O curso óbvio dos últimos dias da Igreja consiste em advertências constantes para o crente estar alerta para desvios doutrinários, conhecidos sob o nome genérico de apostasia. Tal característica dá ao crente hoje um sinal claro do fim dos tempos.

Conclusão Apesar de não termos profecias específicas sobre a atual era da Igreja, vimos que três conjuntos de passagens oferecem uma visão geral do rumo desta era. Todos os três indicam que a apostasia caracterizará o Cristianismo durante a época em que acontecerá o Arrebatamento. Esta característica comum dá aos crentes de hoje um sinal geral dos tempos.

10. Como o Arrebatamento está relacionado com os sinais dos tempos? Em suma, o Arrebatamento não está relacionado com os sinais dos tempos. Isto porque o Arrebatamento da Igreja acontecerá a qualquer momento sem ser precedido de sinal algum. Já que nenhum sinal está ligado

19

Lewis Sperry Chafer, Systematic Theology, 8 Vols. (Dálias: Dálias Seminary Press, 1948), vol. IV, p. 375.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 36

de forma alguma a esse evento iminente, é impossível descobrir ou ligar sinais específicos à hora do Arrebatamento. Isto quer dizer que, com relação ao Arrebatamento, os crentes devem estar sempre esperando pela volta do Senhor, não por sinais. Qualquer pessoa que sugerir que o Arrebatamento acontecerá numa data específica só pode estar fazendo tal previsão baseada em elementos especulativos derivados de alguma outra fonte, ou de má interpretação das Escrituras. Apesar de não haver sinais relacionados especificamente à proximidade do Arrebatamento, isto não quer dizer que não há sinais gerais relacionados a outros aspectos do plano de Deus que são valiosos para o crente hoje. Entre os que acreditam que o Arrebatamento ocorrerá antes da Tribulação (a opinião dos autores), observamos três abordagens básicas de interpretação dos eventos atuais e dos sinais dos tempos. As três classificações estão relacionadas à maneira em que o intérprete associa as profecias para Israel e para a Igreja. Veremos uma variação de (1) livre; (2) moderada; (3) rigorosa.

A Abordagem Livre A interpretação livre é caracterizada por aqueles que às vezes tomam profecias escritas para Israel e sugerem que estão sendo cumpridas hoje - durante a era da Igreja. Às vezes, relacionam profecias sobre a Tribulação como sendo realizáveis ou já realizadas na atual era da Igreja. Tal abordagem mistura o plano de Deus para Israel com Seu plano para a Igreja em áreas específicas de cumprimento profético. Esta interpretação não segue a interpretação literal que ensina a separação de Israel


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 37

da Igreja. Os crentes atuais não podem estar na era da Igreja e na Tribulação ao mesmo tempo. Um exemplo desse tipo de interpretação seria aquele que marca datas para o Arrebatamento ou indica que um evento atual cumpre profecias relacionadas à Tribulação futura ou à Segunda Vinda. No início da década de 1980 um famoso estudioso de profecia disse que Isaías 19 previu o assassinato do presidente do Egito Anuar Sadat. Isto é impossível, pois Isaías 19 se refere a eventos que acontecerão na Tribulação. Já que não estamos na Tribulação agora, este evento não poderia ter sido profetizado. Isto é uma mistura imprópria da profecia de Deus para Israel aplicada à Igreja, sendo teologicamente incoerente para quem acredita que o Arrebatamento acontecerá antes da Tribulação.

A Abordagem Rigorosa Vamos analisar agora a terceira interpretação, para que a segunda, que apoiamos, possa ser comparada com a primeira e a terceira. Alguns pré-tribulacionistas são rigorosos em manter uma distinção entre o plano profético de Deus para Israel e Seu plano para a Igreja. Eles tendem a dizer que eventos atuais não têm praticamente nenhuma importância hoje, já que o único evento que um verdadeiro crente da era da Igreja deve esperar é o Arrebatamento. A interpretação rígida afirma que o estabelecimento de Israel como nação em 1948 pode não ser o começo do que foi profetizado para os últimos dias. Eles tendem a pensar que realmente não podemos saber sobre a importância destas coisas até depois do Arrebatamento. Portanto, eventos atuais não indicam "sinais dos tempos" de


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 38

forma significativa. Alguns até ensinam que Israel poderia ser tirado da terra e isso não afetaria a profecia, já que não podemos confirmar que os acontecimentos atuais são uma preparação para o cumprimento bíblico. Esta interpretação não especula sobre como os eventos atuais estão relacionados à profecia, e geralmente


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 39

critica aqueles que tentam relacionar a Bíblia e os eventos atuais. Intérpretes rigorosos têm muitos seguidores nos meios académicos do dispensacionalismo, provavelmente por causa da preocupação com o estrago que a interpretação literal da profecia pode sofrer quando especulações impróprias são utilizadas.

A Abordagem Moderada A segunda abordagem sobre como a profecia está relacionada a Israel e à Igreja é a interpretação moderada, a perspectiva que preferimos. Os moderados mantêm claramente uma distinção entre o plano de Deus para Israel e para a Igreja. A atual era da Igreja é descrita profeticamente somente por tendências e características gerais, não pelo cumprimento de eventos específicos, como acontecerá com a profecia depois do Arrebatamento. Por isso, não há sinais ou eventos atuais que indiquem a proximidade do Arrebatamento, que é uma possibilidade iminente durante a era da Igreja. No entanto, eventos atuais podem ter relevância profética. Os moderados não marcam datas nem pensam que um evento atual cumpre profecias relacionadas à Tribulação ou ao Milénio. Mas eles tendem a pensar que é válido fazer um modelo ou cenário de como as coisas serão depois tio Arrebatamento, já que as Escrituras dão um retrato claro e detalhado do período da Tribulação. Baseados nesse modelo, podemos ver a preparação e a montagem do cenário para esses eventos se encaixando cada vez mais através dos acontecimentos atuais. Já que não são sinais do Arrebatamento, e sim a montagem do cenário para eventos que levam à Segunda Vinda, nossa expectativa do Arrebatamento aumenta. O posicionamento de participan-


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 40

tes e eventos relacionados ao plano de Deus para o mundo durante a Tribulação futura lança sombras cada vez maiores sobre a atual era da Igreja, intensificando assim a expectativa do Arrebatamento iminente que deve acontecer antes de qualquer evento da Tribulação começar. O Dr. Walvoord explica: Estas situações importantes que são reais hoje, e que não existiam há cinquenta anos, apontam para a conclusão de que o próprio Arrebatamento pode estar muito próximo, porque o cenário já foi montado para eventos que seguirão o Arrebatamento. Todas as áreas da profecia se unem para testemunhar que a história está preparando nossa geração para o fim dos tempos. Em cada área da profecia pode-se preparar uma lista cronológica de eventos proféticos importantes. Em cada lista, com relação à Igreja, às nações, ou a Israel, os eventos da história indicam claramente que o mundo está posicionado e preparado para o Arrebatamento da Igreja e o início da contagem regressiva para o Armagedom.20

Conclusão Apesar de nenhum sinal dos tempos estar relacionado especificamente à hora do Arrebatamento, isto não quer dizer que não haja sinais relacionados ao plano profético geral de Deus, especificamente à Sua preparação do mundo para o período da Tribulação, que começará depois do Arrebatamento. Esta abordagem foi ilustrada desta forma: se vemos sinais de que o Dia das Mães está chegando (a Tribulação) então a Páscoa está ainda mais próxima (o Arrebatamento).

20

Walvoord, Armageddon, p. 219.


PARTE 3

Quais São os Sinais De Que a Tribulação Parece Estar Próxima? E m cada geração desde a ascensão de Cristo houve crentes que achavam que havia motivo para o Seu retorno enquanto estavam vivos. Mas quase todas estas expectativas eram derivadas da crença de que estavam passando pelos eventos da Tribulação. Somente nos últimos 200 anos é que os intérpretes começaram a voltar para uma compreensão literal, futurista da Tribulação. Assim, embora muitos tenham crido que a volta de Cristo estava próxima, a base de tal conclusão nem sempre foi a mesma no decorrer da história da Igreja. Israel ter-se tornado uma nação em 1948 é um fato histórico incontestável e indica que Deus está preparando algo na história atual que nunca aconteceu antes.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 42

11. Que “objetos” e “atores” Deus está usando para montar o cenário profético? Os "objetos" e "atores" relacionados à próxima onda de atividade profética - a Tribulação - são baseados em três divisões principais da profecia futura: a Igreja, as nações e Israel. Ao mesmo tempo que o próximo evento para a Igreja verdadeira - o corpo de Cristo - é a ascensão da terra para o céu no Arrebatamento, os incrédulos deixados para trás na igreja organizada como instituição passarão para a Tribulação e formarão a base de uma super-igreja apóstata que o Falso Profeta usará para auxiliar o governo mundial do Anticristo (Apocalipse 13.17-18). O Dr. Walvoord fornece uma lista profética relacionada à Igreja, descrevendo eventos que são preparativos para o cumprimento futuro.

• Lista Profética da Igreja 1. O surgimento do comunismo mundial possibilitou a divulgação mundial do ateísmo. 2. O liberalismo solapa a vitalidade espiritual da Igreja na Europa e também na América. 3. O movimento para uma super-igreja começa com o movimento ecuménico. 4. Apostasia e negação aberta da verdade bíblica são evidentes na Igreja. 5. O caos moral torna-se cada vez mais evidente por causa do abandono total da moralidade cristã.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 43

6. A propagação do espiritismo, do ocultismo, e do envolvimento com demónios começa a preparar o mundo para a hora final de Satanás. 7. Jerusalém se torna o centro de controvérsia religiosa para árabes e cristãos, enquanto os judeus do mundo pretendem fazer da cidade o centro ativo do judaísmo. 8. Os verdadeiros crentes desaparecem da terra para encontrar Cristo no céu no Arrebatamento da Igreja. 9. A contenção do mal pelo Espírito Santo termina. 10. A super-igreja combina as principais religiões como instrumento para o Falso Profeta que auxilia a ascensão do Anticristo ao poder mundial. 11. O Anticristo destrói a super-igreja e exige adoração como ditador mundial divinizado. 12. Os crentes desse período sofrem perseguição intensa e são martirizados aos milhares. 13. Cristo retorna à terra com os crentes que estavam no céu durante a Tribulação e acaba com o domínio das nações na batalha de Armagedom.21

Uma lista semelhante dos eventos proféticos pode ser feita para a preparação profética e as profecias a serem cumpridas no plano de Deus para as nações. Walvoord oferece a seguinte lista:

• Lista Profética para as Nações 1. O estabelecimento das Nações Unidas deu início a um importante primeiro passo para o governo mundial. 2. A reconstrução da Europa depois da Segunda Guerra Mundial possibilitou seu papel futuro no restabelecimento do Império Romano.

21

Walvoord, Armageddon, p. 219-221.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 44

3. Israel foi restabelecido como nação. 4. A Rússia torna-se um poder mundial e alia-se aos países árabes. 5. O Mercado Comum e o Banco Mundial demonstram a necessidade de alguma regulamentação internacional da economia global. 6. A China Comunista torna-se um poder mundial. 7. O Oriente Médio torna-se a zona de perigo mais importante no mundo. 8. A chantagem do petróleo desperta o mundo para a nova concentração de riqueza e poder no Mediterrâneo. 9. A Cortina de Ferro cai e uma nova ordem emerge na Europa. 10. A Rússia declina como poder mundial e perde sua influência no Oriente Médio. 11. Um clamor mundial pela paz segue o tumulto contínuo causado pelos altos preços do petróleo, pelos incidentes terroristas, e pela confusa situação militar no Oriente Médio. 12. Dez nações criam uma Confederação Mediterrânea unida - começa o último estágio do quarto império mundial profético. 13. Numa dramática jogada de poder, um novo líder mediterrâneo derrota três nações da confederação e assume o controle do poderoso grupo de dez nações. 14. O novo líder mediterrâneo negocia um acordo "final" de paz no Oriente Médio (quebrado três anos e meio mais tarde). 15. O exército russo tenta invadir Israel e é milagrosamente destruído. 16. O líder mediterrâneo se proclama ditador do mundo, quebra seu acordo de paz com Israel, e se declara Deus.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 45

17. O novo ditador mundial profana o templo em Jerusalém. 18. Os terríveis julgamentos da Grande Tribulação são derramados sobre as nações do mundo. 19. Uma rebelião generalizada ameaça o governo do ditador mundial enquanto exércitos do mundo todo convergem sobre o Oriente Médio. 20. Cristo retorna à terra com Seus exércitos celestiais. 21. Os exércitos do mundo se unem para resistir à vinda de Cristo e são destruídos na batalha de Armagedom. 22. Cristo estabelece Seu reinado milenar na terra, dando fim ao tempo dos gentios.22

Assim como está fazendo com a Igreja e as nações, Deus está movendo Seu povo escolhido - Israel - para a posição correta quanto ao cumprimento futuro. O Dr. Walvoord descreve o seguinte:

• Lista Profética para Israel 1. O sofrimento intenso e a perseguição de judeus em todo o mundo levam à pressão em favor de um Estado independente na Palestina. 2. Os judeus voltam para a Palestina e Israel é restabelecido como nação em 1948. 3. A nova nação sobrevive apesar de grandes obstáculos. 4. A Rússia emerge como importante inimiga de Israel, mas os Estados Unidos auxiliam Israel. 5. A sobrevivência heróica e a força crescente de Israel fazem dele uma nação estabelecida, reconhecida no mundo inteiro.

22

Walvoord, Armageddon, p. 222-223.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 46

6. As proezas militares de Israel são eclipsadas pela capacidade dos árabes de fazerem uma guerra diplomática por controlarem grande parte das reservas de petróleo do mundo. 7. A posição árabe é fortalecida pela sua riqueza crescente e pelas alianças entre a Europa e os principais países árabes. 8. O isolamento crescente dos Estados Unidos e da Rússia em relação ao Oriente Médio torna cada vez mais difícil que Israel negocie um acordo de paz satisfatório. 9. Depois de uma longa luta, Israel é forçado a aceitar um tratado de paz do novo líder da Confederação Mediterrânea de dez nações. 10. O povo judeu celebra o que parece ser um acordo de paz duradouro e final. 11. Durante três anos e meio de paz, o judaísmo é reavivado e os sacrifícios e as cerimónias tradicionais são reinstituídos no templo reconstruído em Jerusalém. 12. O exército russo tenta invadir Israel mas é destruído misteriosamente. 13. O novo ditador mundial profana o templo em Jerusalém e começa um período de intensa perseguição aos* judeus. 14. Muitos judeus reconhecem o desdobramento dos acontecimentos proféticos e declaram sua fé em Cristo como Messias de Israel. 15. No massacre de judeus e crentes que resistem ao ditador mundial, algumas testemunhas são preservadas divinamente para levar a mensagem por todo o mundo. 16. Cristo retorna à terra, recebido alegremente pelos judeus crentes como seu Messias e Salvador.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 47

17. O reinado de mil anos de Cristo na terra a partir do trono de Davi finalmente cumpre as promessas proféticas para a nação de Israel.23

Os diversos itens acima constituem individualmente sinais específicos de que o programa divino dos tempos finais está prestes a entrar em ação; além disso, o fato de que todas as três correntes de profecia estão convergindo pela primeira vez na história constitui um sinal em si. É por isso que muitos estudiosos de profecia acreditam que estamos no fim da história. O Dr. Walvoord conclui: O mundo hoje é como um cenário sendo montado para uma grande apresentação. Os atores principais já estão nos bastidores aguardando seu momento na história. Os principais objetos já estão nos seus lugares. O grande drama profético está prestes a começar... Todos os desdobramentos históricos necessários já aconteceram.24

12. Por que Israel é o "super-sinal" do fim dos tempos? O plano de Deus para a história sempre avança de acordo com o que Ele está fazendo com Israel. Então, o fato de Israel ter sido e continuar sendo reconstituído como nação é profeticamente significativo, tão importante que isto faz de Israel o "super-sinal" de Deus no fim dos tempos. Se Israel não tivesse se tornado uma nação novamente seria impossível que os even-

23 24

Walvoord, Armageddon, p. 223-225. Walvoord, Armageddon, p. 227.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 48

tos do fim dos tempos ocorressem, já que tantos acontecem naquele pequeno país ou são relativos a ele. No entanto, Israel voltou a existir como nação e assim todos os aspectos da profecia bíblica também estão sendo preparados para o grande final da história. Existem dezenas de passagens bíblicas que preveem um reagrupamento de Israel de volta à sua terra no fim dos tempos. Mas é um erro comum juntar todas estas passagens em um só período de cumprimento, especialmente com relação ao moderno Estado de Israel. O Israel moderno é profeticamente significativo e cumpre a profecia bíblica. Mas os leitores da Palavra de Deus precisam ter cuidado em distinguir quais versículos estão sendo cumpridos nos nossos dias e quais referências aguardam cumprimento futuro. O estudioso hebreu-cristão, Dr. Arnold Fruchtenbaum explica: O restabelecimento do Estado judeu em 1948 não só abalou a teoria amilenista, mas também incomodou boa parte da teoria pré-milenista. Por incrível que pareça, alguns pré-milenistas concluíram que o atual Estado de Israel não tem nada a ver com o cumprimento de profecia. Por alguma razão o presente Estado de Israel não se encaixa no esquema deles, sendo assim o Estado atual se torna um mero acidente da história. Em que base eles podem rejeitar o Estado de Israel desta maneira? A questão que preocupa tantos pré-milenistas é o fato de que além dos judeus terem voltado sem crer na pessoa de Jesus, a maioria daqueles que voltaram sequer é constituída de judeus ortodoxos. Na verdade a maioria é de ateus e agnósticos. Deste modo, Israel realmente não se encaixa em todas as passagens bíblicas que lidam com o retorno,


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 49

pois a Bíblia fala de uma nação regenerada, e o atual Estado de Israel não se enquadra nesta descrição. Com base nisso, o presente Estado israelense é rejeitado como cumprimento de profecia. O verdadeiro problema, no entanto, é deixar de ver que os profetas falaram sobre dois retornos internacionais. Primeiro, é necessário um reagrupamento em incredulidade como preparação para o juízo, ou seja, o juízo da Tribulação. Depois viria um segundo reagrupamento mundial em fé como preparação para a bênção, ou seja, as bênçãos da era messiânica. Quando se percebe que a Bíblia fala de dois agrupamentos, é fácil ver como o atual Estado de Israel se encaixa na profecia.25

• Primeiro agrupamento mundial em incredulidade Em 1948 quando o Estado moderno de Israel nasceu, ele não só se tornou um importante acontecimento preparatório mas também começou um cumprimento real de profecias bíblicas específicas sobre um agrupamento internacional de judeus incrédulos antes do julgamento da Tribulação. Tal previsão é encontrada nas seguintes passagens do Velho Testamento: Isaías 11.1112; Ezequiel 20.33-38; 22.17-22; 36.22-24; Sofonias 2.1-2 e Ezequiel 38-39 preveem tal preparação. As passagens seguintes falam do reagrupamento de Israel em preparação para um juízo futuro que removerá a incredulidade do seu meio. • Ezequiel 20.33-38: "Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, com mão poderosa, com braço estendido e derramado furor, hei de reinar sobre vós; tirar-vos-ei dentre os po-

25

Fruchtenbaum, Footsteps, p. 65.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 50

vos, e vos congregarei das terras nas quais andais espalhados, com mão forte, com braço estendido e derramado furor. Levar-vos-ei ao deserto dos povos, e ali entrarei em juízo convosco, face a face. Como entrei em juízo com vossos pais no deserto da terra do Egito,


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 51

assim entrarei em juízo convosco, diz o Senhor. Far-vos-ei passar debaixo do meu cajado e vos sujeitarei à disciplina da aliança; separarei dentre vós os rebeldes e os que transgrediram contra mini; da terra das suas moradas eu os farei sair, mas não entrarão na terra de Israel; e sabereis que eu sou o Senhor."

•Ezequiel 22.17-22: "Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, a casa de Israel se tornou para mim em escória; todos eles são cobre, estanho, ferro e chumbo no meio do forno; em escória de prata se tornaram. Portanto assim diz o Senhor Deus: Pois que todos vós vos tornastes em escória, eis que eu vos ajuntarei no meio de Jerusalém. Como se ajuntam a prata, e o cobre, e o ferro, e o chumbo, e o estanho, no meio do forno, para assoprar o fogo sobre eles, a fim de se fundirem, assim vos ajuntarei na minha ira e no meu furor, e ali vos deixarei e fundirei. Congregar-vos-ei, e assoprarei sobre vós o fogo do meu furor; e sereis fundidos no meio de Jerusalém. Como se funde a prata no meio do forno, assim sereis fundidos no meio dela; e sabereis que eu, o Senhor, derramei o meu furor sobre vós."

Sofonias 1.14-18 é uma das descrições mais detalhadas do "Dia do Senhor", que normalmente chamamos de período da Tribulação. Sofonias 2.1-2 diz que haverá um reagrupamento mundial de Israel antes do dia do Senhor. •Sofonias 2. l-2: "Concentra-te e examina-te, ó nação que não tens pudor, antes que saia o decreto, pois o dia se vai como a palha; antes que venha sobre ti o furor da ira do Senhor, sim, antes que venha sobre ti o dia da ira do Senhor."


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 52

• Segundo agrupamento mundial em fé Muitas passagens na Bíblia falam do reagrupamento de Israel, em fé, no fim da Tribulação, juntamente com a Segunda Vinda de Cristo, em preparação para o começo do Milénio. Estas referências não estão sendo cumpridas pelo atual Estado de Israel. Algumas das citações incluem: Deuteronômio 4.29-31; 30.1-10; Isaías 27.12-13; 43.5-7; Jeremias 16.14-15; 31.7-10; Ezequiel 11.14-18; Amós 9.14-15; Zacarias 10.8-12; Mateus 24.31 e muitas outras. • Ezequiel 11.14-18: "Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, teus irmãos, os teus próprios irmãos, os homens do teu parentesco, e toda a casa de Israel, todos eles são aqueles a quem os habitantes de Jerusalém disseram: Apartai-vos para longe do Senhor; esta terra se nos deu em possessão. Portanto, dize: Assim diz o Senhor Deus: Ainda que os lancei longe entre as nações, e ainda que os espalhei pelas terras, todavia lhes servirei de santuário, por um pouco de tempo, nas terras para onde foram. Dize ainda: Assim diz o Senhor Deus: Hei de ajuntá-los do meio dos povos, e os recolherei das terras para onde foram lançados, e lhes darei a terra de Israel. Voltarão para ali, e tirarão dela todos os seus ídolos detestáveis e todas as suas abominações."

• Amos 9.14-15: "Mudarei a sorte do meu povo Israel: reedificarão as cidades assoladas, e nelas habitarão, plantarão vinhas e beberão o seu vinho, farão pomares e lhes comerão o fruto. Plantá-los-ei na sua terra, e, dessa terra que lhes dei, já não serão arrancados, diz o Senhor, teu Deus."


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 53

• Mateus 24.31: "E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus."

O fato dos últimos cinquenta anos terem visto um reagrupamento mundial e o restabelecimento da nação de Israel, que agora está preparada no lugar certo para a revelação do anticristo e o começo da Tribulação, é a grande indicação de Deus de que todas as outras áreas do desenvolvimento mundial são profeticamente significativas. Walvoord diz: Dos vários fenômenos peculiares que caracterizam a geração atual, poucos eventos podem ter a mesma importância na área de profecia bíblica que o retorno de Israel à sua terra. Isto constitui uma preparação para o fim dos tempos, o cenário para a vinda do Senhor para Sua Igreja, e o cumprimento do destino profético de Israel.26

Israel, o "super-sinal" de Deus no fim dos tempos, é uma indicação clara de que o tempo está se esgotando a cada hora que passa. Você está pronto para o encontro nos ares?

13. Como Jerusalém é um sinal dos tempos? As Escrituras não só ensinam que Israel será reconstituído no fim dos tempos, mas também mais espe-

26

John F. Walvoord, Israel in Prophecy (Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1962), p. 26.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 54

cificamente que Jerusalém será restaurada e desempenhará um papel importante durante a Tribulação. Assim, a amai ocupação de Jerusalém por judeus israelenses, que aconteceu em 1967, é outro sinal preparatório do fim dos tempos.27 O fato de Deus estar restaurando Israel à Terra Prometida e também de ter unificado toda a cidade de Jerusalém sob controle judaico, prepara o cenário para o cumprimento, durante o período da Tribulação, de dezenas de profecias que acontecerão em relação a Jerusalém. Se os judeus não estivessem no controle de Jerusalém, estas profecias não poderiam ser cumpridas. Mas eles estão de fato no controle da antiga cidade, o que indica que Deus está preparando o mundo para o cumprimento dos eventos previstos. O livro de Zacarias está focalizado em Jerusalém. Os capítulos 8-14 nos dão muitas profecias sobre Jerusalém. Zacarias 8.7-8a diz: "Eis que salvarei o meu povo, tirando-o da terra do Oriente e da terra do Ocidente; eu os trarei e habitarão em Jerusalém..." Isto será cumprido durante o Milénio. Mas antes de Jerusalém chegar a este destino abençoado, ainda enfrentará muitos dias turbulentos. A Bíblia prevê que durante a Tribulação Jerusalém será vista por todas as nações como fonte dos problemas do mundo: "Eis que farei de Jerusalém um cálice de tontear para todos os povos em redor, e também para Judá, durante o sítio contra Jerusalém. Naquele dia farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem se ferirão gravemente; e contra ela, se ajuntarão todas as nações da terra." (Zacarias 12.2-3).

27

Para maiores informações ver Thomas Ice e Timothy Demy, A Verdade Sobre Jerusalém na Profecia Bíblica. Desta mesma série. (Porto Alegre: Actual Edições, 1999).


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 55

"Um cálice de tontear" e "uma pedra pesada" não são figuras positivas que descrevem Jerusalém. E hoje em dia já vemos muitas vezes, quando algo acontece em Jerusalém, que o mundo inteiro critica os judeus de Jerusalém. O cenário está sendo montado! A famosa batalha de Armagedom acontecerá no fim da Tribulação relacionada à reação internacional contra Jerusalém: "Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém; e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres forçadas; metade da cidade sairá para o cativeiro, mas o restante do povo não será expulso da cidade. Então sairá o Senhor e pelejará contra essas nações, como pelejou no dia da batalha. Naquele dia estarão os seus pés sobre o Monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; o Monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; metade do monte se apartará para o norte, e a outra metade para o sul. Fugireis pelo vale dos meus montes, porque o vale dos montes chegará até Azai; sim, fugireis como fugistes do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá; então virá o Senhor meu Deus, e todos os santos com ele" (Zacarias 14.2-5).

O Dr.Walvoord declara o fato de que Jerusalém é um sinal preparatório do fim dos tempos quando diz: As profecias sobre Jerusalém deixam claro que a Cidade Santa estará no centro dos acontecimentos mundiais no fim dos tempos... ...o conflito entre Israel e os árabes palestinos chamará cada vez mais a atenção para Jerusalém... Em todas es-


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 56

tas situações Jerusalém é a cidade que se deve observar, enquanto a cidade de destino profético se prepara para desempenhar seu último papel. A situação mundial mais e mais se encaixa nos moldes indicados na profecia. Muitas evidências demonstram que o cenário e os atores estão prontos para a apresentação final, na qual Jerusalém terá o papel principal.28

14. Como os esforços para reconstruir o templo judeu são um sinal dos tempos? A Bíblia indica que até a metade da Tribulação (provavelmente antes disto) haverá um templo reconstruído em Jerusalém (Daniel 9.27; Mateus 24.15-16; 2 Tessalonicenses 2.3-4; Apocalipse 11.1-19). Para que isto aconteça, os judeus primeiro precisavam reocupar a terra de Israel e a cidade de Jerusalém. Israel tornou-se uma nação em 1948, a Cidade Velha de Jerusalém foi capturada pelos israelenses em 1967, e esforços crescentes estão acontecendo para reconstruir um templo judeu no Monte do Templo em Jerusalém.29 O templo da Tribulação só tem que estar lá até a metade desse período de sete anos para que o Anticristo possa profaná-lo. No entanto, a cada ano que passa, mais os judeus em Israel querem reconstruir o templo e preparam-se para esta possibilidade. Esta preparação é um sinal, em nossos dias, da crescente proximidade da volta do Senhor.

28

Walvoord, Armageddon, p. 105,106. Para maiores informações sobre esforços recentes para recontruir o templo judeu veja Thomas Ice e Randall Price, Ready to Rebuild: The Imminent Plan to Rebuild the Last Days'Temple (Eugene, OR: Harvest House Publishers, 1992). Thomas Ice e Timothy Demy, A Verdade Sobre o Templo dos Últimos Dias (Porto Alegre: Actual Edições, 1999). 29


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 57

15. Como o Império Romano reavivado e a União Europeia são um sinal dos tempos? As Escrituras ensinam que o Anticristo subirá ao poder a partir de uma federação de nações relacionadas de certa forma ao Império Romano de dois mil anos atrás. J. Dwight Pentecost explica: Quando nos voltamos para as profecias de Daniel 2 e 7 e a Apocalipse 13 e l 7 e outras passagens paralelas, descobrimos que no fim dos tempos, durante o período da Tribulação, a forma final do poder mundial gentílico é uma federação de dez nações separadas, os dez dedos ou dez chifres. Parece que líderes europeus estão defendendo o que Daniel profetizou centenas de anos antes de Cristo, quando disse que a forma final da potência mundial romana seria uma federação de Estados independentes que elegem um homem para assumir a autoridade sobre eles e ao mesmo tempo mantêm sua própria autoridade soberana. Quanto mais esforços vermos na Europa para a criação de um mercado comum e uma federação de nações, mais perto estará a vinda do nosso Senhor.30

É preciso ser totalmente ignorante com relação aos atuais acontecimentos mundiais para não admitir que, através dos esforços da União Europeia, as peças do quebra-cabeças estão se encaixando de novo. Isto está acontecendo, assim como todos os outros eventos necessários da profecia, na hora certa para que tudo esteja

30

J. Dwight Pentecost, Prophecy For Today: The Middle East Crisis and the Future of the World (Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1961), p. 226.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 58

pronto para o período da Tribulação vindoura. Hal Lindsey, que popularizou a profecia, nos diz: Há uma geração atrás, ninguém sonhava que um império, formado pelas nações que eram parte da antiga Roma, poderia ser reavivado. Mas hoje, com a Europa perto de uma união verdadeira, vemos o possível cumprimento desta outra profecia vital que trata da volta do nosso Senhor Jesus Cristo.31

16. Como a Rússia é um sinal dos tempos? Juntamente com os eventos da Tribulação, Ezequiel 38-39 ensina que haverá uma invasão em Israel por uma união liderada por "Gogue, da terra de Magogue, o príncipe de Rôs, de Meseque e Tubal" (Ezequiel 38.2). Gogue parece ser a Rússia moderna. Parceiros de união na invasão são a Pérsia [atual Ira], Etiópia, Pute [Líbia], e Gômer e Togarma [provavelmente a atual Turquia] (Ezequiel 38.5-6). Chuck Missler conclui: "Todos os aliados de Magogue [Rússia] são facilmente identificados e todos são muçulmanos."32 O crescimento da Rússia no século vinte como potência militar e sua aliança com essas nações que invadirão Israel sob a liderança de Gogue, mais uma vez, junto com todos os outros fatores profeticamente significativos, são um sinal de que o cenário está montado, o que indica a proximidade do retorno do nosso Senhor. O atual urso russo faz parte da profecia dos últimos dias, por isso

31 32

Hal Lindsey, Planet Earth-2000 A.D. Will Mankind Survive? (Palos Verdes, CA: Western Front, 1994), p. 221. Chuck Missler, The Magog Invasion (Palos Verdes, CA: Western Front, 1995), p. 121.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 59

deve ser observado como sinal dos tempos. Mark Hitchcock, um especialista na invasão de Gogue, concorda: A Rússia é um urso ferido e faminto e está mais perigosa do que nunca. Vladimir Zhirinovsky está ganhando poder na Rússia, e a base do seu plano político é uma enorme campanha militar no Oriente Médio. O cenário está sendo montado. Os eventos de Ezequiel 38-39 são mais iminentes que nunca. A consumação da história pode começar a qualquer momento. Só falta abrir as cortinas.33

17. Como a globalização política, econômica, e religiosa e o surgimento do Anticristo são um sinal dos tempos? Os eventos atuais estão cooperando como nunca, para preparar o caminho para o crescimento da globalização e o aparecimento do personagem infame conhecido historicamente como Anticristo. A Bíblia indica (Apocalipse 13.12-17) que a Besta (outro nome do Anticristo) expandirá seu reino a partir da sua base europeia para o mundo durante os últimos três anos e meio da Tribulação. Hoje, preparativos estão sendo feitos para a globalização futura e o governo do Anticristo.

• Globalização Somente nos últimos cinquenta anos a globalização se tornou uma opção realista para a humanidade a ní-

33

Mark Hitchcock, After the Empire: Bíblical/Prophecy in Light of the Fall of the Soviet Union (Wheaton, IL: Tyndale House Publishers, 1994), p. 156.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 60

vel prático. Apocalipse 17-18 indica que o império global do Anticristo estará centrado em assuntos políticos, económicos e religiosos. Muitos que rejeitam a Bíblia e o plano de Deus para a história acreditam que a solução final para os problemas políticos, econômicos e religiosos do mundo só têm respostas globais. Eles estão certos... se a Bíblia estiver errada. Mas é claro que as Escrituras são verdadeiras, e então eles estão errados. O Dr. Ed Hindson comenta sobre as motivações por trás do crescimento do impulso global moderno: Todas as tentativas anteriores de estruturar uma ordem global, sem exceção, caíram na dura realidade do orgulho, da arrogância, ganância, avareza, e autodestruição do homem. A Liga das Nações fundada por Woodrow Wilson não conseguiu impedir a Segunda Guerra Mundial, e as atuais Nações Unidas enfrentaram dificuldades desde seu início. Mas parece haver algo dentro da comunidade internacional que nos impele em direção a um sistema mundial unificado. Muitos temem que a força que nos impulsiona é o próprio Satanás.34

O impulso em direção à união religiosa global nunca foi mais forte do que atualmente. As chamas foram alimentadas nas últimas décadas pela popularidade crescente do pensamento da Nova Era, que invadiu todas as áreas da sociedade americana, inclusive a igreja evangélica. O Dr. Charles Ryrie diz: A Super-lgreja das Religiões Mundiais está chegando: poderosa, mundial, e invencível - durante três anos e meio.

34

Hindson, Final Signs, p. 151.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 61

O progresso em direção à união organizacional tem altos e baixos, mas o movimento está progredindo gradualmente. A despeito do que acontecer com as organizações ecuménicas, não ignore o que está acontecendo no âmbito teológico. O universalismo e a revolução em nome da Igreja estão tomando conta do mundo teológico. A união organizacional e a heresia teológica podem ser comparados a dois corredores. Um pode passar do outro temporariamente, dividindo a liderança entre si. Mas à medida em que se aproximam da linha de chegada eles dão as mãos, e da união de suas forças surgirá a Super-lgreja. O cenário está montado. O roteiro está escrito. Os objetos estão no lugar. Os atores estão nos bastidores. Logo as cortinas se abrirão!35

• O Anticristo O mundo está sendo claramente preparado para o surgimento do Anticristo na Europa, como a Bíblia exige. Enquanto muitos itens podem ser citados como evidência desta preparação, nenhum é mais surpreendente que o surgimento de uma sociedade sem papel-moeda, de dinheiro eletrônico que facilitará o cumprimento da "marca da besta" durante a Tribulação: "A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita, ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis" (Apocalipse 13.16-18).

35

Charles C. Ryrie, The Best Is Yet to Come (Chicago: Moody Press, 1981), pp. 124-25.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 62

Em que outra época na história, além da nossa, esta profecia poderia ser implementada com sucesso? Está ficando cada vez mais evidente que o sistema de dinheiro eletrônico que se desenvolve atualmente se tornará o instrumento através do qual o Anticristo alcançará o controle de todos que compram e vendem, dependendo de serem seguidores de Jesus Cristo ou do líder europeu e, assim, de Satanás. É óbvio que qualquer líder que quiser controlar a economia do mundo tiraria vantagem do poder que um sistema de dinheiro eletrônico tem como instrumento para implementar o controle total... ...Assim, certamente, a futura sociedade de dinheiro eletrônico é um dos sinais de que a profecia está sendo cumprida.36

18. A Babilônia é um sinal dos tempos? A Babilônia é retratada em toda a Bíblia como o centro do reino humano em oposição a Deus, a Israel e ao plano divino para a história. Não é de se admirar que muitas passagens bíblicas falem do papel da Babilônia como inimiga de Deus no fim dos tempos (Apocalipse 14.8; 17-18). "Quais são os sinais específicos que podem servir de indicadores do programa de Deus para o mundo no fim dos tempos?", pergunta o Dr. Charles Dyer. "O terceiro sinal é a reconstrução da Babilônia."37. A Babilônia está sendo reconstruída hoje? Sim, está!

36

Thomas Ice e Timothy Demy, The Corning Cashless Society (Eugene, OR: Harvest House Publishers, 1996), pp. 85-87. Charles H. Dyer, The Rise of Babylon: Sign of the End Times (Wheaton, IL: Tyndale House Publishers, 1991), pp. 208209. 37


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 63

O Dr. Joseph Chambers viajou para o Iraque, logo depois da Guerra do Golfo, e testemunhou em primeira mão a reconstrução da Babilônia por Saddam Hussein. "Eu andei por aquelas ruínas e vi várias vezes os tijolos antigos de Nabucodonosor com os tijolos de Saddam Hussein em cima e trabalhadores erguendo muros e mais muros e prédios e mais prédios", declara o Dr. Chambers. "Cada detalhe da Palavra infalível de Deus está sendo cumprido."38 O plano profético de Deus inclui a restauração de muitos dos antigos inimigos de Israel que mais uma vez, mas pela última vez, atacarão o povo de Deus. O Dr. Chambers diz: O único cumprimento bíblico na nossa geração que ultrapassou a reconstrução da antiga Babilônia é o reagrupamento de Israel na sua terra dada por Deus. A Babilônia representa para o sistema mundial o que Israel representa para as ideias bíblicas e para o cristianismo. O clímax de todas as eras é iminente.39

O atual ressurgimento da antiga Babilônia constitui outro sinal dos tempos que ajuda a preparar o cenário. Mais uma vez, esse desdobramento, depois de milhares de anos, acontece juntamente com todos os outros eventos necessários para o cumprimento das profecias da Tribulação vindoura.

38

Joseph Chambers, A Palace for the Antichrist: Saddam Hussein's Drive to Rebuild Babylon and Its Place in Bible Prophecy (Green Forest, AR: New Leaf Press, 1996), p. 66. 39 Joseph Chambers, A Palace for the Antichrist: Saddam Hussein's Drive to Rebuild Babylon and Its Place in Bible Prophecy (Green Forest, AR: New Leaf Press, 1996), p. 19.


______________________________________________________________________________ 64


PARTE 4

Quais São as Passagens Bíblicas Mais Mal Interpretadas Relativas aos Sinais dos Tempos? 19. O que significa “não passará esta geração sem que tudo isto aconteça”? Hal Lindsey, no seu livro marcante A Agonia do Grande Planeta Terra, ensinou que Cristo retornaria nos quarenta anos após o restabelecimento de Israel. Esta conclusão foi baseada em sua interpretação de Mateus 24:34:


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 66

"Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as folhas brotam, sabeis que está próximo o verão. Assim também vós: quando virdes todas estas cousas, sabei que está próximo, às portas. Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que tudo isto aconteça" (Mateus 24.32-34). Lindsey especula o seguinte: Qual geração? Obviamente, no contexto, a geração que veria os sinais - o principal deles sendo o renascimento de Israel. Uma geração na Bíblia é algo em torno de quarenta anos. Se esta for uma dedução correta, então em aproximadamente quarenta anos depois de 1948, todas estas coisas deveriam acontecer. Muitos estudiosos que estudaram a profecia bíblica por toda a vida acreditaram nisto.40

Quarenta anos depois de 1948 é 1988, mas uma década inteira já se passou depois disso e o Arrebatamento não aconteceu. Acreditamos que uma interpretação melhor é classificar "esta geração" como uma referência àqueles que veem os eventos da Tribulação de sete anos, especialmente o "abominável da desolação" (Mateus 24.15), como sinal da Segunda Vinda, não do Arrebatamento. Se esta interpretação for verdadeira, não importaria a duração de uma geração, porque os sinais não durariam mais que sete anos. Além disso, podemos tirar de outras passagens a mesma conclusão sobre o restabelecimento de Israel como sinal da proximidade do retorno do Senhor (veja a Questão 12).

40

Hal Lindsey, A Agonia do Grande Planeta Terra (São Paulo: Editora Mundo Cristão, 1973), p. 50.


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 67

20. Como as guerras, os terremotos, as fomes, e os falsos cristos se relacionam com os sinais dos tempos? Muitos eruditos e estudiosos de profecia diferem nas suas interpretações de Mateus 24.3-14. Um grupo acredita que esses versículos descrevem a história da era da Igreja atual até o início da Tribulação em Mateus 24.15ss. Se esta interpretação for verdadeira, isso implicaria que guerras, terremotos, fomes, e o aparecimento de falsos cristos estariam aumentando constantemente à medida em que nos aproximamos do período da Tribulação. Então, esses itens seriam sinais dos tempos. Nós acreditamos que guerras, terremotos, fomes e falsos cristos correspondem melhor aos quatro primeiros julgamentos dos selos de Apocalipse 6, que acontecerão na primeira metade da Tribulação de sete anos. Isto implicaria que Mateus 24.15ss. refere-se à segunda metade da Tribulação conhecida como a Grande Tribulação. Portanto, guerras, terremotos, fomes, e falsos cristos durante qualquer parte da era da Igreja não constituem sinais dos tempos indicando um retorno breve de Cristo.

21. O declínio moral da sociedade moderna é um sinal dos tempos? Não acreditamos que o declínio geral da moralidade da sociedade (que não podemos negar) seja um si-


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 68

nal específico do fim dos tempos. Como foi observado nas questões 8 e 9, foi predito que tal declínio ocorreria dentro da Igreja como parte da apostasia. Mas não conhecemos uma passagem que prediga tal declínio para a sociedade como um todo. Também pode-se observar que é difícil quantificar esse declínio. Não importa quão ruim esteja a situação, ela sempre pode piorar um pouco. Então é impossível saber especificamente quão ruim o nível deva estar para que se torne um sinal profético.

22. O aumento recente e rápido do conhecimento é um sinal dos tempos? Com base em Daniel 12.4, muitos mestres de profecia acreditam que logo antes do retorno de Cristo o mundo veria um aumento na velocidade do transporte, juntamente com uma explosão de informação. "Tu, porém, Daniel, encerra as palavras e sela o livro, até ao tempo do fim; muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará" (Daniel 12.4). Ninguém discutiria o fato de que o século vinte realmente testemunhou um aumento exponencial tanto na velocidade dos meios de transporte quanto no acúmulo de conhecimento. Seriam estes fatos um sinal em nossa era de que o fim estaria próximo? Será que é isto mesmo que Daniel está dizendo em Daniel 12.4? Outra interpretação possível da passagem é dada pelo Dr. Charles Ryrie na famosa Bíblia Anotada quando


Os Sinais dos Tempos ______________________________________________________________________________ 69

diz: "À medida que o fim se aproxima, as pessoas viajarão incessantemente à procura de informações sobre o futuro."41 Se esta for uma interpretação correta da passagem, ela não seria um sinal dos tempos. Significaria que muitos judeus durante a Tribulação estudariam o livro de Daniel para tentar descobrir o que está acontecendo. Então, a abrangência se limitaria ao período futuro da Tribulação e a passagem não poderia ser aplicada à nossa era. Não parece haver qualquer base textual real para a primeira interpretação. O significado das palavras e a gramática hebraicas não apoiam esta interpretação. A segunda interpretação traduz melhor o sentido da passagem, especialmente quando a primeira metade do versículo é relacionada com a segunda, como é o caso. Então, Daniel deve preservar o livro até os últimos tempos, quando um grande esforço para estudar o texto produzirá um aumento no entendimento do livro.

41

A Bíblia Anotada (São Paulo: Editora Mundo Cristão, 1991), p. 1094.


______________________________________________________________________________ 70


Conclusão O plano de Deus para o futuro é definitivo, bem definido e empolgante. Não vivemos num mundo de acasos. A profecia significa que certas coisas realmente acontecerão, enquanto outras possibilidades são eliminadas. Vivemos no mundo de Deus, sob Seu controle, seguindo na direção preestabelecida por Ele. Temos um esquema que nos ensina o que esperar no futuro. É por isto que, à luz da profecia bíblica, o Dr. Walvoord afirma: Pela primeira vez na história todos os fatores estão presentes para o cumprimento da profecia relacionada às tendências religiosas e aos eventos do fim dos tempos. Somente na nossa geração o reavivamento de Israel, a formação de uma igreja mundial, o aumento do poder da religião muçulmana, o aumento do ocultismo e a difusão mundial da filosofia ateísta estiveram presentes ao mesmo * tempo, compondo um cenário dramático para o cumprimento final da profecia. Com relação à religião mundial, o caminho para o Armagedom já está bem preparado, e aqueles que irão para sua destruição bem poderiam ser membros da nossa geração atual.42

A Bíblia ensina claramente que os crentes devem estar alertas e esperando o cumprimento da profecia bíblica. A profecia é importante! Ela nos ajuda a por as circunstâncias atuais na perspectiva correta e nos dá esperança para o futuro, porque é a história escrita com

42

Walvoord, Armageddon, p. 120.


A Verdade Sobre ______________________________________________________________________________ 72

antecedência. Para o crente, que espera a vinda de Cristo para Sua Igreja no Arrebatamento, todo dia é um dia de esperança. A Bíblia afirma, e os sinais indicam - o Senhor Jesus Cristo voltará!


Leitura Recomendada 1. Benware, Paul N. Understanding End Times Prophecy: A Comprehensive Approach. Chicago: Moody Press. 1995. 2. Chambers, Joseph. A Palace for the Antichrist: Saddam Hussein's Drive to Rebuild Babylon and Its P/ace In Bible Prophecy. Green Forest, AR: New Leaf Press, 1996. 3. Dyer, Charles H. The R/se of Babylon: Sign of the End Times. Wheaton, IL Tyndale House, 1991 4. ————. World News and Bible Prophecy. Wheaton, IL: Tyndale House, 1991. 5. Fruchtenbaum, Arnold G. The Footsteps of the Messiah: A Study of the Sequence of Prophetic Events. Tustin, CA: Ariel Press, 1982. 6. Hindson, Ed. Final Signs: Amazing Prophecies of the End Times. Eugene, OR: Harvest House, 1996. 7. Hitchcock, Mark. After the Empire: Bible Prophecy in Light of the Fall of the Soviet Union. Wheaton, IL: Tyndale House Publishers, 1994. 8. Hodges, Zane C. Power to Make War: The Career of the Assyrian Who Will Rule the World. Dallas: Redención Viva, 1995. 9. Hunt, Dave. Cup of Trembling: Jerusalém and Bible Prophecy. Eugene, OR: Harvest House, 1995. 10. ————.Quanto Tempo nos Resta? Porto Alegre: Chamada da Meia-Noite, 1996. 11. Ice, Thomas e Demy, Timothy. A Verdade Sobre Jerusalém na Profecia Bíblica. Porto Alegre: Actual Edições, 1999. 12. ————. A Verdade Sobre o Ano 2000 e as Previsões da Volta de Cristo. Porto Alegre: Actual Edições, 1999. 13. ————. A Verdade Sobre O Templo dos Últimos Dias. Porto Alegre: Actual Edições, 1999. 14. ————. The Corning Cashless Society. Eugene. OR Harvest House, 1996. 15. Ice, Thomas e Price, Randall. Ready to Rebuild: Plan to Rebuild the Last Days Temple. Eugene. House, 1992. 16. LaHaye, Tim. The Beginning of the End. Wheaton, IL: Tyndale House Publishers, 1991.


17. LaLonde, Peter e LaLonde, Paul. Racing Toward... The Mark of the Beast. Eugene, OR: Harvest House, 1994. 18. Lindsey, Hal. A Agonia do Grande Planeta Terra. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 1973. 19. ————. Planet Earth - 2000 a.D. Will Mankind Survive? Palos Verdes, CA: Western Front, 1994. 20. ————. The Final Battle. Palos Verdes, CA: Western Front, 1995. 21. Larsen, David L. Jews, Gentiles, and the Church: A New Perspective on History and Prophecy. Grand Rapids: Discovery House Publishers, 1995. 22. Missler, Chuck. The Magog Invasion. Palos Verdes, CA: Western Front, 1995. 23. Pentecost, J. Dwight. Manual de Escatologia. São Paulo: Editora Vida, 1998. 24. ————. Prophecy for Today: The Middle East Crisis and the Future of the World. Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1961. 25. Ryrie, Charles. The Best Is Yet to Come. Chicago: Moody Press, 1981. 26. Walvoord, John F. Major Bible Prophecies: 37 Crucial Prophecies that Affect You Today. Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1991. 27. ————. Armageddon: Oil and the Middle East Crisis. Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1974, 1976, 1990. 28. ————. Israel in Prophecy. Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1962. 29. ————. Prophecy: 14 Essential Keys to Understanding the Final/Drama. Nashville: Thomas Nelson, 1993. 30. ————. The Return of the Lord. Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1955. 31. ————. The Prophecy Knowledge Handbook. Wheaton, IL: Victor Books, 1990.


Notas (transportadas para as pรกginas correspondentes)


Notas (transportadas para as pรกginas correspondentes)


Notas (transportadas para as pรกginas correspondentes)


A Verdade Sobre os Sinais dos Tempos  

Esta obra está disponibilizada aqui, na íntegra, onde a paginação original foi respeitada, assim como todas as demais informações do livro,...

Advertisement