Page 1

Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto Newsletter 18 JULHO 2019

EB de Silvares bicampeã do projeto Educação Gamificada

Ouro e prata nas Olimpíadas

da Química Júnior

Caminhada da EB 1 e do JI das Atalaias

Parlamento dos Jovens 2019

EB Serra da Gardunha na Sessão Nacional

Grupo de Voluntariado e alunos de EMRC visitam lares 1


Domínios de Autonomia Curricular (DAC) - 6.º D EB Serra da Gardunha Sabias que um litro de óleo lançado no ambiente, pode poluir a água consumida por uma pessoa até aos 40 anos? Somos os alunos do 6ºD e, ao longo do ano letivo, levamos a cabo um projeto intitulado “Do óleo ao sabão, no combate à poluição”. O nosso trabalho nasceu, partindo de uma frase que muita gente conhece: “A maré não está para peixe”. Num segundo momento, depois de alguma pesquisa, concluímos que tudo o que não fica em terra, vai parar ao mar, incluindo o óleo. As nossas professoras desafiaram-nos, então, a encontrar uma solução. E se cada um de nós pudesse ser um promotor da proteção do planeta? Na sequência disso, começamos por organizar uma campanha de recolha de óleo alimentar com a elaboração de um cartaz. Com o óleo recolhido, decidimos reutilizá-lo, produzindo sabão. Foi assim que a ideia ganhou asas. Em cada aula, havia um grupo de alunos que trabalhava no laboratório, onde desenvolvia competências no âmbito da literacia científica (pesar, medir, registar, organizar, decantar, filtrar, fazer sabão, …), bem como competências de segurança (uso de material de proteção). O restante grupo procedia à embalagem do sabão produzido. A nossa iniciativa continuou… Apresentamo-la aos pais e encarregados de educação da nossa turma e de outras turmas, mediante a projeção de um pequeno filme que ilustra as diferentes fases do nosso trabalho. No âmbito dos Dias do Agrupamento, a restante comunidade, no espaço em frente à Câmara Municipal, também teve conhecimento do nosso trabalho, tendo sido feita a sensibilização para a nossa causa. Não queremos parar. Gostaríamos que este propósito continuasse. As nossas pequenas atitudes diárias poderão ajudar a salvar o planeta. 2


Olimpíadas da Química Júnior EB Serra da Gardunha e EB de Silvares

OURO REGIONAL No sábado, dia seis de abril, a Universidade da Beira Interior, através do seu Departamento de Química, organizou a 15ª edição regional das Olimpíadas da Química Júnior, atividade que conta com a colaboração da Sociedade Portuguesa de Química. O Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto participou com cinco grupos de alunos: dois grupos da Escola de Silvares, das turmas 8.º A e 9.º A, e três grupos da Escola Básica Serra da Gardunha, alunos das turmas 8.º B e C; 9.º B, C e D. Os alunos, a exemplo dos anos anteriores, tiveram um bom desempenho. Este ano o grupo constituído por Ana Leonor Ramalhete (8.º B), Madalena Filipe (9.º B) e Francisco Paulo (9.º D) alcançou o primeiro lugar - medalha de ouro - e viram assim o seu empenho e dedicação recompensados. No final da tarde, depois da divulgação dos resultados e entrega dos prémios, todos os participantes foram presenteados com um lanche e a atuação da Encantatuna - Tuna Académica Feminina da Universidade da Beira Interior. Este evento permitiu aos alunos uma aproximação entre a escola e o ensino superior, assim como a divulgação da Química como ciência.

PRATA NACIOIONAL Dia vinte e sete de abril, o Departamento de Química da Universidade de Aveiro acolheu mais uma edição da Final das Olimpíadas de Química Júnior, atividade dinamizada pela Sociedade Portuguesa de Química. Durante a manhã, os alunos foram submetidos a uma prova teórica e de laboratório, aplicando, dessa forma, os conhecimentos adquiridos na disciplina de Físico-Química. Antes da divulgação dos resultados e consequente entrega de prémios, os participantes ainda foram presenteados com um Espetáculo de Química, dinamizado pela Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro. A EB Serra da Gardunha, que tem vindo a afirmar o seu trabalho nesta área, alcançou, este ano, a medalha de prata na fase nacional, vendo, assim, os alunos (que já havia ganho a fase regional) o seu empenho e dedicação de meses nessa área recompensados. Este evento permitiu, ainda, aos alunos uma aproximação entre a escola e o ensino superior, bem como a divulgação da Química como ciência. Parabéns aos vencedores!

A todos os participantes os nossos parabéns!

O Grupo de Físico-Química do AEGX

O Grupo de Físico-Química do AEGX

3


Let´s celebrate! AEGX Em abril e maio os/as alunos/as do AEGX foram desafiados a pôr à prova as suas habilidades artísticas e capacidade de soletração em Inglês nos concursos Easter Egg Contest, Spelling Bee e My Favourite Room in a Shoe Box/ My Favourite Place at School in a Shoe Box. Felicitamos todos os participantes, em especial aqueles que se destacaram em: My favourite room in a shoe box 1st Mafalda Correia e Marta Nogueira 6ºB 2nd Joana Correia 5ºD 3rd Sara Amaral 5ºD Menções honrosas: Bernardo Correia 5ºD e Martim Fernandes 5ºC My favorite place at school in a shoe box 1st Mariana Esteves 6ºB (gym) 2nd Matilde Pissarra 6ºE (classroom) 3rd João Felix (staffroom) Easter Egg Contest Mariana Gonçalves, 6th B Matilde Pissarra 6th E Spelling Bee Guilherme Matos 5th D Mafalda Correia 6th B Os/As alunos/as também tiveram oportunidade de experimentar jogos em Inglês e conviver de uma forma relaxada e divertida quando responderam ao desafio Game time! Agora é tempo de férias, mas o Inglês está no ar… vamos ver filmes, cantar, ler e jogar! 4


REPORTAGEM

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS: SALVAR OS OCEANOS por Lucas Sousa (9.º E) SESSÃO ESCOLAR Foi no dia 21 de janeiro de 2019, poucos dias depois da votação da lista vencedora (lista C, com 54 votos) que os 31 deputados que passaram à tomada de posse se reuniram para um debate onde iriam escolher as medidas a levar para a sessão distrital e os 4 deputados para defender as mesmas, tendo sido esses mesmos deputados por ordem de votação os seguintes: Madalena Filipe (Porta Voz), Rita Mesquita, Lucas Sousa e Margarida Pires (Suplente). SESSÃO DISTRITAL No dia 18 de fevereiro saímos da nossa escola rumo à Covilhã um pouco inquietos e nervosos, mas, acima de tudo, extremamente orgulhosos por representar a escola a nível do nosso distrito. Nesta sessão estiveram presentes doze escolas, cada uma com 3 deputados efetivos e 1 deputado suplente, perfazendo um total de 48 deputados entre efetivos suplentes. Para além disso, esteve também presente uma aluna da nossa escola, Joana Rolo Estrela, como presidente da mesa. Durante a sessão o projeto base aprovado foi o da escola secundária Amato Lusitano, porém, as deputadas eleitas para o defender foram Rita Lucas e Ana Pedro da escola secundária Frei Heitor Pinto e Madalena Filipe e Rita Mesquita da escola básica Serra da Gardunha, sendo a porta voz escolhida para representar o distrito na sessão nacional a deputada Rita Lucas. SESSÃO NACIONAL Após tanto tempo de trabalho e preparação, finalmente chegou a altura tão esperada. Nos dias 6 e 7 de maio tivemos a oportunidade de representar a nossa escola e o nosso distrito na sessão nacional.

5


1.º dia Quando chegámos à assembleia por volta das 14:15 horas, os deputados do nosso distrito foram encaminhados para a 2.ª comissão, onde debateram na especialidade e na generalidade o seu projeto de recomendação com os projetos dos círculos dos Açores, de Faro, de Bragança, de Lisboa, do Porto e de Vila Real, sob orientação de Maria Augusta Santos, deputada eleita pelo círculo de Braga, e José Luís Ferreira, do Partido Ecologista Os Verdes. Enquanto os deputados debatiam, os repórteres tiveram uma visita guiada pelo palácio de São Bento, com especial atenção para a Sala Dos Passos Perdidos, e, acabada a visita guiada, tivemos uma formação com o intuito de nos dar algumas dicas sobre como fazer uma boa reportagem com três alunos de Ciências da Comunicação da Universidade Nova de Lisboa. A nossa colega Joana Estrela, que fez parte da mesa da sessão, foi encaminhada juntamente com os colegas da mesa para receberem indicações sobre a sua tarefa. Terminado o trabalho nas comissões, fomos encaminhados para a sala do senado, onde assistimos a um momento cultural, uma comédia sobre a “Geração Facebook” protagonizado por Sara Barradas, Flávio Gil, Inês Morais e Rodrigo Paganelli. Depois do momento cultural, fomos encaminhados para o refeitório dos monges onde jantámos e tivemos tempo para conviver um pouco até sermos direcionados para o autocarro para rumar à pousada da juventude do parque das nações, onde pernoitámos e nos preparámos para mais um dia de trabalho. 2.º dia No dia 7 de maio pelas 9:30 da manhã regressámos á Assembleia da República cheios de vontade de continuar o trabalho do dia anterior. A sessão no plenário foi aberta pelo presidente da Assembleia da República Eduardo Ferro Rodrigues que passou depois a palavra a Alexandre Quintanilha, presidente da comissão de educação e ciência que por sua vez passou a palavra para Alexandra Leitão, sendo que todos eles aproveitaram este discurso para recordar a importância deste projeto e desta temática para além de apelarem ao nosso interesse por práticas de cidadania ativas. Após a abertura do plenário seguiu-se o período de perguntas aos deputados da Assembleia da República Pedro Pimpão (PSD), Susana Maduro (PS), Fernando Barbosa (Bloco de Esquerda) e Ana Rita Peça (CDS/PP). 6


Às 11:30 horas começou o debate da recomendação à Assembleia da República sobre o tema, durante o qual os deputados puderam debater as dezoito medidas propostas pelas quatro comissões para esta sessão. Enquanto decorria o debate de recomendação, os repórteres tiveram a oportunidade de participar numa conferência de imprensa com o Dr. Alexandre Quintanilha, Presidente da Comissão de Educação e Ciência, onde pudemos fazer perguntas sobre a temática. Concluída a conferência de imprensa, chegou-se a hora de almoço e mais uma vez, dirigimo-nos ao refeitório dos monges onde pudemos mais uma vez recuperar energias e conviver um pouco com os nossos colegas. Após o almoço retomou-se o debate de recomendação onde foram votadas e escolhidas as dez medidas a apresentar na Assembleia da República. Sem dúvida que estas dez medidas foram o fruto de um grande e longo trabalho desenvolvido por milhares de alunos não só de Portugal e não só dos participantes da sessão nacional, mas sim de toda a gente que abraçou este projeto e trabalhou para tentar construir um mundo melhor. A sessão foi encerrada pela coordenadora do Grupo de Trabalho Parlamento dos Jovens da Comissão de Educação e Ciência, Margarida Balseiro Lopes, que agradeceu e elogiou a participação dos jovens deputados no projeto, e, após o seu discurso, a pedido de uma jovem deputada, foi orgulhosamente cantada “A Portuguesa” o nosso hino, que serviu como despedida dos deputados da sessão nacional do parlamento dos jovens de 2019. Acabou assim mais uma sessão nacional do Parlamento dos Jovens que vai certamente deixar saudades e sem dúvida despertou um bichinho nos participantes para serem cidadãos ativos na luta por um mundo melhor, algo que este projeto tem vindo a conseguir há muitos anos. sistema Biomatrix water. 6. Aumentar a utilização de energias renováveis nos transportes, substituindo as baterias de lítio por baterias de iões de flúor, e realização de estudos rigorosos do impacte ambiental e que se fiscalize a concessão às empresas estrangeiras da extracção do lítio no norte de Portugal por forma a evitar a destruição de mais de 20 mil km de paisagem e a poluição dos rios com o processo de extração. 7. Incluir nos Planos Municipais para o Ambiente e na Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas medidas concretas que promovam a mobilidade suave e eléctrica, como a mudança do tipo de bateria e a produção e comercialização de energia proveniente de fontes não poluentes e renováveis, como a hidroeléctrica, solar e eólica. 8. Legislar a instalação de um detetor de descargas ilegais nos navios petroleiros e, consequentemente aumentar o patrulhamento da Zona Económica Exclusiva Portuguesa. 9. Criação por parte do Governo de uma política de incentivos para as empresas que promovam a utilização e consumo de produtos biológicos. 10. Aplicação de taxas, por extensão e dimensão da malha, às redes utilizadas pelos pescadores, com aplicação de sanções sempre que as redes não forem recolhidas do mar após a faina.

RECOMENDAÇÕES À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

Os deputados à Sessão Nacional do Parlamento dos Jovens/ Básico recomendam à Assembleia da República a adoção das seguintes medidas: 1. Incentivos e benefícios fiscais às empresas que substituam o embalamento dos seus produtos de plástico por materiais recicláveis e biodegradáveis, alternativos aos convencionais, e às pessoas e às empresas que utilizam transportes públicos ou veículos menos poluentes. 2. Criação de um serviço público de limpeza de praias para refugiados não detentores de qualificação, de forma a integrá-los, providenciando um salário como remuneração daquele serviço, em parceria com programas de acolhimento existentes. 3. Investir na investigação científica de cianobactérias autóctones, como a Ideonella Sakaiensis, capazes de consumir os resíduos de plástico presentes no oceano sem perturbar os ecossistemas marítimos. 4. Em conjunto com a “técnica do cerco”, utilizar a Técnica da Biorremediação, que consiste no desenvolvimento de métodos de tratamento de águas contaminadas, nomeadamente o derrame de petróleo, efluentes (industriais e domésticos), solos contaminados, diversos segmentos industriais e lagoas urbanas. 5. Implementação do 7


Aurora Numa bela tarde de verão, a Gotinha Aurora estava muito feliz. Descansava na sua nuvem, branca como a neve, fofa como o algodão e, acima de tudo, muito aconchegante. Para a Gotinha, ela era o seu querido lar. Um dia tudo mudou!... De repente, aproximou-se uma grande tempestade - uma nuvem deve ter ficado irritada por algo que a incomodou. Esta foi contagiando outras, incluindo a da gotinha e, sem saber a razão, foi expulsa e foi cair perto a um oásis lindíssimo, que mais parecia o paraíso. Aqui, a água brilhava, quando os raios de sol lhe tocavam e o vento massajava as folhas das palmeiras muito levemente. No entanto, tudo aquilo era novo para a nova habitante. Saíra, pela primeira vez, da sua nuvem e não sabia o que fazer. Entretanto, avistou um camelo. Parecia muito idoso, pois a pele estava enrugada e as pernas, que pareciam palitos, faziam-no tremer. Foi falar com ele: – Bom dia, Sr. Camelo!... Será que me poderia ajudar?! – Bom dia! Claro que posso!- respondeu tossindo. – E precisas de ajuda em quê? – Eu vivia numa nuvem e era muito feliz e, para surpresa minha, um dia veio uma trovoada e acabei por cair aqui. Gostaria tanto de voltar para lá! – contou Aurora tristemente. – Gotinha, isso é perfeitamente normal! – exclamou. – Tu caíste devido a um processo chamado PRECIPITAÇÃO. – Soletrando lentamente a palavra. – Isto acontece, quando uma nuvem está muito carregada ou fica irritada. – Pois… uma nuvem ficou irritada! – recordou Aurora. – Por isso, caíste! – Continuou. – Para voltares à tua nuvem, tens de ir ao oceano e mudares de estado físico. – Para quê?! – Então, Gotinha?!... Não conheces o ciclo da água?!... – Ciclo do quê?!... – Da água! – respondeu rindo. – O ciclo da água é a mudança “alternada” desta no planeta. – Muito obrigado por me ajudares! Como te posso agradecer? – Não é preciso! Tu também já me ajudaste bastante. – Ajudei no quê?!... – Na minha sobrevivência! – esclareceu alegremente.

– Sem ti, eu já tinha partido há muito tempo! Nós, os animais, necessitamos muito da água, embora eu não precise de muita. – Mas… se eu sou assim tão importante, porque é que não me queres contigo?! – Ora, gotinha – esclareceu mais uma vez – existem vários tipos de animais, como deves saber. Cada um deles necessita de diferentes quantidades de água para sobreviver. Os hidrófilos vivem permanentemente na água, como por exemplo, o peixe; os higrófilos vivem em sítios com muita humidade como o caracol, a rã, o sapo…; os mesófilos necessitam de uma quantidade moderada. São eles os humanos, os cães, os gatos, as formigas. Por último, há o grupo do qual eu faço parte, ou seja, os xerófilos, que precisam de muita pouca água para sobreviver. Alguns destes até passam a vida sem beber água como os camelos, os ratos, os cangurus, entre outros. – Isso é mesmo muito interessante! – disse comovida a gotinha que estava a prestar muita atenção àquela explicação. – Mas chega de conversa e vamos ao que interessa! Vou-te guiar até onde puder para chegares ao oceano. Aí será mais fácil voltares a casa. Andaram, andaram, andaram… Quando estavam quase a chegar ao destino, uma cobra esfomeada apareceu. O camelo correu o mais depressa que as suas pernas velhas e cansadas lhe permitiram e a gota assustadíssima saltou para uma das suas bossas. Entretanto a fadiga apoderou-se dele e, antes que a cobra apanhasse a sua nova amiga, lançou-a o mais longe possível, para que se salvasse. – Camelo! Nãooooooooo… – Gritou Aurora – Não te preocupes comigo! Foge! Promete-me que vais conseguir! Eu sou apenas um velho cansado, o meu tempo chegou ao fim... Segue em frente… De lágrimas nos olhos, ela prometeu e continuou a sua viagem. Passado algum tempo, avistou finalmente o oceano. O vento, o sol e o silêncio, que habitavam aquele lugar aprazível, ajudaram-na a chegar a casa. O sol transformou-a em estado gasoso e, assim, chegou finalmente a casa – a sua linda nuvem. A ajuda dos amigos foi fundamental! Carlos Santos (8.º E - DAC) 8


MEGAS de Atletismo AEGX consegue 6 lugares no pódio distrital e aluno vai ao Nacional Decorreu no dia 13 de março no complexo desportivo da cidade da Covilhã, o evento desportivo MEGAS em atletismo, com corrida de longa duração, velocidade, saltos e lançamentos. Destacamos as excelentes participações dos alunos atletas do AEGX, que obtiveram seis lugares de pódio. Para todos eles, que foram acompanhados pelos professores Rafael Lourenço, Domingos Gonçalves e António Ferraz, os nossos parabéns. Destacamos ainda a vitória em salto em comprimento (no escalão de infantis B) do aluno do 7.º E Tomás Matos, com apuramento direto para o NACIONAL, a realizar em Faro nos dias 5 e 6 de abril.

Campeã distrital de Andebol Escola Básica Serra da Gardunha

Vice-campeã distrital de Futsal Escola Básica de Silvares

A equipa de Andebol (infantis B Masculinos) da Escola Básica Serra da Gardunha sagrou-se campeã distrital do Desporto Escolar, após vitória na Escola Básica João Franco por 26-24.

A equipa de Futsal (infantis B Masculinos) da Escola Básica de Silvares obteve o 2.º Lugar na final distrital, realizada na Escola Básica Pêro da Covilhã, no passado dia 5 de junho.

9


Visita de estudo a Aveiro EMRC - 6.º ano No dia 02 de abril de 2019, realizou-se uma visita de estudo a Aveiro para os alunos de EMRC do 6ºano (Gardunha e Silvares). Quando chegámos fomos fazer um passeio de moliceiro pela ria de Aveiro e de seguida pelo centro histórico de Aveiro, onde os alunos aproveitaram para comprar umas recordações. Tivemos um almoço bastante recheado e com muita partilha e brincadeira! Fomos a seguir à praia da Barra, em que, para além de podermos respirar o ar do mar ainda houve alunos que sentiram a temperatura da água. Por fim, visitámos o Lugar dos Afetos (Eixo – Aveiro), onde foram realizadas atividades alusivas aos valores e afetos. Foi um dia cheio de VALOR! Um grande bem haja aos Professores que nos acompanharam! A Prof.ª Elsa Domingos

Encontro Diocesano Interescolas de EMRC No dia 4 de abril de 2019, a nossa escola participou, com os alunos do 5.º ano, no XXII Encontro Diocesano Interescolas de EMRC. Este ano o Encontro realizou-se no Fundão e contou com cerca de 700 alunos de EMRC da nossa Diocese. O tema deste ano foi “EMRC – Cuidar da Casa Comum”. Os alunos gostaram muito! Esteve um dia de sol maravilhoso! Foi um dia diferente e com muito convívio e divertimento à mistura. Para além disso, cada escola teve a oportunidade de plantar três árvores, deixando, no local, um símbolo alusivo ao tema com a identificação da escola. Um muito obrigado aos Professores que nos acompanharam.

10


Visita ao Lar da Misericórdia e Centro Comunitário Grupo de Voluntariado No passado dia 12 de junho, os alunos do Grupo de Voluntariado da nossa escola, acompanhados pelas Professoras Elsa domingos e Teresa Paulo, deslocaram-se ao Lar de Idosos da Misericórdia do Fundão para mais uma tarde de convívio e partilha com os idosos. A visita aconteceu no período da tarde e comtemplou algumas atividades de entretenimento. Foram apresentadas algumas canções e atividades alusivas aos Santos Populares. Depois disto, os alunos ofereceram ao Lar um vaso enfeitado com muitas quadras alusivas aos santos populares, que foi feito pelos alunos, no clube de voluntariado. Foram momentos de muita partilha e carinho. No dia 14 de Junho, à tarde, alunos do 6.º, 7.º e 8.º anos, acompanharam a Professora Elsa Domingos, numa visita ao Centro Comunitário das Lameiras – Silvares. Foram realizadas algumas atividades alusivas aos Santos Populares, tendo sido oferecido um vaso enfeitado com muitas quadras populares. Houve muito convívio e animação! Um grande bem haja às Professoras Márcia Dias e Rosário Caramelo que gentilmente nos acompanharam. A Prof.ª Elsa Domingos

11


Visita de estudo a Penafiel EMRC - 7.º ano No dia 13 de junho de 2019, realizou-se uma visita de estudo a Penafiel para os alunos de EMRC do 7.º ano (Gardunha e Silvares). Na parte da manhã visitámos o maravilhoso Santuário do Sameiro, em Penafiel. Tivemos um almoço bastante recheado e com muita partilha. A tarde foi passada no parque de diversões “Magikland”. Houve muito convívio e diversão. Foi um dia cheio de VIDA! Sabemos como o valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis…

12


JI de Silvares Projeto Xistinhos Quentinhos Durante a Semana do Agrupamento, no âmbito do Projeto "Xistinhos Quentinhos”, as turmas 7 e 8 do Jardim de Infância de Silvares desenvolveram algumas atividades com a comunidade Educativa: reboco interior e exterior do protótipo, elaboração de pasta de papel e exploração de barro.

13


JI de Silvares organiza Marchas de Santo António Se esta rua fosse minha No âmbito do Projeto Educativo, subordinado ao tema Se esta rua fosse minha uma pequena mostra das crianças do JI de Silvares nas Marchas de Sto. António, pelas ruas da vila e festa de final de ano letivo no espaço

exterior

da

Junta de Freguesia.

14


Projeto Atira o barro à parede

Jardim de Infância e EB 1 do Telhado No dia 14 de junho, na Casa do Barro, decorreu a apresentação do Projeto “Atira o Barro à Parede”, um projeto sobre o universo do barro e da cerâmica no Concelho do Fundão, do qual o J.I. e a EB1 do Telhado fizeram parte em parceria com a Casa do Barro/ Junta de Freguesia do Telhado e a Câmara Municipal do Fundão. Esta iniciativa, que aproximou a Casa do Barro à comunidade com a dinamização de diversas atividades relacionadas com barro, levou os alunos a visitarem a exposição, onde puderam observar a construção de um forno revestido de papel com barro para cozer as peças de barro, com recurso a lenha. As Docentes: Madalena Cruz e Ivone Gama

15


Ciência na Escola - as cores da Terra! Prémio Ilídio Pinho Na escola básica do Telhado desenvolve-se, este ano, um projeto no âmbito do concurso Ciência na Escola, promovido, como sempre, pela Fundação Ilídio Pinho, este ano em articulação com o poder central. Selecionado na fase de desenvolvimento, este projeto, “Vamos Atirar o Barro à Parede?”, pretende comprovar e valorizar a terra que pisamos todos os dias, dando-lhe uso em utilidades do dia-a-dia, valorizando-o como um recurso sustentável e economicamente atraente; além disso, pode ser uma opção estética agradável! Sim, a terra que temos à nossa porta, nos nossos caminhos nos campos, nos quintais, pode ser a base de materiais de construção ecológicos, eficazes, economicamente viáveis e esteticamente valorizados. Não é do conhecimento dos nossos alunos mas é da lembrança de muitos professores e das comunidades locais o uso dos adobes de barro, da construção em taipa, em tabique; e é ainda utilizada a argila nas telhas! Essa resiste aos plásticos e metais. Também na pintura das casas e dos muros dos quintais foram utilizados materiais como a cal e os óxidos que hoje estão abandonados, em prol de substâncias mais resistentes aos elementos naturais mas, ao mesmo tempo, muito mais agressivas em termos ecológicos. Apostámos em tintas fabricadas com base nas diferentes tonalidades dos solos. Do processo constou a observação dos solos, a recolha de amostras, a experimentação (dissolução e permeabilidade), o envio de amostras ao laboratório da Faculdade de Engenharia da UBI, para aferição da resistência aos elementos naturais, o fabrico de tintas, a pintura de murais na escola do Telhado e na escola Serra da Gardunha. Também a comunidade foi chamada a colaborar, relembrando tradições e dizendo se estão dispostos a experimentar o novo produto. As cores da terra podem muito bem ser uma nova forma de colorir o nosso mundo! António Melo (coordenador do projeto) 16


Na Semana do Agrupamento Jardim de Infância e EB 1 do Telhado Durante toda a semana decorreram atividades conjuntas entre os alunos do JI/EB1 do Telhado, docentes de turma, docente do Ensino especial e docente de educação física, assim como com a localidade. Assistimos a três peças de teatro da autoria de António Torrado - O papagaio, O Trono de 4 patas e Zé das Moscas -, representadas pelos alunos do 6.º ano, sob a orientação da professora Sílvia Salvado. Participação em atividades propostas pela casa

Participação em Jogos dinamizados pelo professor de Educação

do Barro do Telhado (pintura e desenho em

Física: “A brincar também se aprende.”

placas de barro).

Dinamização de atividade cultural e recreativa, pelas ruas da aldeia e Lar do Telhado: os alunos, acompanhados ao acordéon pelo professor Rui Alves, cantaram a canção “Se esta rua fosse minha” (que também dá título ao projecto do Pré-Escolar). 17


Atividades no Jardim Pedagógico: tratar, cuidar, observar.

As divisões da casa EB 1 das Tílias - Inglês curricular

18


Agri-Urban/ Desperdício alimentar Zero 7.º A - Escola Básica de Silvares

A turma A do 7.º ano aceitou o desafio, no ano letivo 2017/18, para desenvolver ações no âmbito do projeto Agri-Urban, visto que a EB de Silvares é parceira da CM do Fundão por possuir a única cantina escolar do concelho não concessionada, cozinhando diariamente os almoços de mais de 100 alunos e servindo anualmente cerca de 20.000 refeições. A turma realizou a pesagem dos alimentos não consumidos na cantina durante o 3.º período do ano letivo 2017/18 e o 1.º período do 2018/19 com a finalidade de combater o desperdício alimentar. E a redução do desperdício aconteceu, quando os dados foram apresentados à Comunidade Escolar no início deste ano letivo e foi realizada sensibilização para a mudança junto de pais e filhos e se verificou a diminuição no final do 1.º período. A mesma sensibilização foi realizada e o projeto Agri-Urban/ Desperdício alimentar Zero apresentado pelos alunos junto de outras escolas. A 27 de novembro de 2018 - UrbAct Infoday, no auditório da CCDR Alentejo (Évora) foram apresentadas as seguintes conclusões relativamente à escola-piloto EB de Silvares: procedeu-se à afixação de cartazes sensibilizando a uma nova forma de alimentação - desperdício alimentar, azeite de alecrim, molho vinagrete; notou-se nos alunos uma maior sensibilização para os cuidados da alimentação; menos quantidade servida, sendo a repetição a melhor opção; melhoramento técnicas de confeção - uma maior quantidade de legumes, sem quaisquer produtos processados; os dados referem que 22% das compras são de cadeia curta (dados maio até setembro 2018); em novembro, todas as hortaliças, frutas e legumes eram exclusivamente de cadeia curta; a introdução dos produtos biológicos certificados ainda é difícil; uma maior diversidade de saladas, um aspeto ainda mais apelativo recorrendo-se ao cruzamento de cores e texturas dos alimentos; maior variedade de frutos apresentados; de 180g por aluno nos meses de maio e junho para cerca de 94g nos meses de outubro e novembro; média de desperdício diária em kg diminuiu, verificando-se uma menor quantidade de desperdício, com a sobremesa/ fruta, a apresentar um valor bastante residual e de pouca relevância (cascas e aparas de fruta não poderão ser contabilizadas). Como complemento ao projeto Agri-Urban, orientado pelo professor Jorge Andrade (grupo de ação local/ escola), com a ação dos professores Fernando Machado e João Paulo Braz, em DAC, os alunos reativaram a horta pedagógica e fabricaram queijo. Acompanhou também o trabalho da turma o Diretor de Turma. 19

AGRI-URBAN/ DESPERDÍCIO ALIMENTAR ZERO

O projeto Agri-Urban/ UrbAct visa a partilha entre onze cidades europeias de boas práticas, conhecimentos e competências para uma sustentabilidade comum, gerando inovação, criatividade e oportunidades para o comércio local e os jovens, conduzindo mudança para cidades melhores. Focado em providenciar soluções locais para problemas locais, tem como principais objetivos, no município do Fundão, estimular a economia local, proporcionar uma melhor qualidade alimentar às crianças e aos jovens, influenciar a estratégia de produção agrícola e aprender e partilhar a nível europeu. No Fundão, foi criado um grupo de ação local para assumir o desafio de implementar uma estratégia para a rede pública, isto é, tornar as refeições escolares mais sustentáveis e com produtos biológicos. Este grupo estabeleceu cinco etapas: levantamento da oferta e da procura – conhecer a oferta local e a sua capacidade de responder às necessidades das cantinas (produtos, quantidades, regularidade de fornecimento,…); escolha da escolapiloto, a EB de Silvares, com preparação das refeições na escola com a introdução de produtos biológicos (10%) e de produção local (80%) e estratégias para reduzir o desperdício alimentar; alimentação saudável/ de produtos hortícolas em todas as escolas do concelho; sensibilização e formação/ capacitação para defesa e proteção dos pequenos produtores e da economia local; e criação de APP de produtos locais, um modelo inovador que suporte os circuitos curtos de comercialização, estimulando os produtores locais a produzirem alimentos para fornecerem às cantinas.


FABRICO DO QUEIJO

Escolas do Queijo

Ordenha (manual ou mecânica)

7.º A - Escola Básica de Silvares

Coagulação

Os alunos fabricaram queijo de cabra, um produto local, no âmbito do projeto concelhio Escolas do Queijo. Em DAC, realizaram trabalhos práticos relacionados com esta temática do queijo e a fermentação láctica: pesquisa sobre o fabrico do queijo artesanal, construção de um PPT e apresentação à turma; fabrico de queijo; construção de uma apresentação sobre as raças autóctones de gado ovino e caprino de Portugal; atividade experimental e elaboração do respetivo relatório sobre a fermentação láctica; fabrico do iogurte. construção do rótulo do queijo; planificação e elaboração de uma embalagem para o mesmo; construção de cartazes ilustrativos da produção do queijo, para serem utlizados na comercialização do queijo de cabra na feira do queijo na Soalheira e deste modo representar o trabalho desenvolvido no nosso Agrupamento.

Adicionam-se algumas bactérias ao leite que irão consumir a lactose e produzir ácido láctico. Este ácido irá reagir com as caseínas, provocando a sua coagulação. A restante coagulação do leite tem de ser feita por um processo não bacteriano, que não influencie o sabor do produto, e que permita a libertação do soro. Por isso, é tradicionalmente usada a flor do cardo, que contém enzimas capazes de coagular as caseínas do leite. Alternativamente, é também usada uma enzima encontrada no estômago dos borregos. Prensagem O preparado é depois apertado, de modo a expulsar o soro que ainda contém, ajudando simultaneamente a determinar a forma final do queijo. Maturação O queijo é deixado a secar e a maturar. A duração deste processo depende do tipo de queijo, e neste período o sabor é apurado, em parte pela atividade das bactérias inicialmente introduzidas. Leandro Antunes

Este projeto tem como objetivo não só conhecer as técnicas de produção de queijo como também levar a conhecer e compreender

PROCESSO DE FABRICO DO QUEIJO

os processos biológicos e físico-químicos envolvidos no processo, O nosso queijo Cabralita é um queijo feito com leite de permitindo adquirir aprendizagens essenciais na área das disciplinas cabra da Serra da Estrela.

Como fizemos o nosso saboroso queijo? 1.º - Aquecemos o leite à temperatura de aproximadamente 35º C. 2.º - Adicionámos o cardo ao leite para este coalhar . 3.º - Colocámos a coalhada no acincho. 4.º - Prensámos a coalhada para tirar o soro. 5.º - Começámos o processo mais demorado e trabalhoso, que é a cura e a salga. 6.º - Nesta etapa, uma das tarefas a que tivemos de dar mais importância foi a limpeza do queijo. 7.º - Embalámos o queijo em vácuo e colocámo-lo dentro da caixa. 8.º - E chegámos junto do público para lhe vender o nosso saboroso queijo.

curriculares envolvidas nos DAC.

Francisco Russo Pedro Gil

20


RAÇAS AUTÓCTONES DE CAPRINOS E BOVINOS

O que aprendemos… No Âmbito deste projeto abordámos, por um lado, aspetos relativos às etapas de produção do queijo artesanal, por outro adquirimos alguns conhecimentos relativos aos processos bioquímicos envolvidos no processo de formação do queijo que irão ser úteis à compreensão da matéria das aluas de CN e FQ. Aprendemos termos/conceitos, como fermentação, temperatura ótima, pH, fatores abióticos, enzima, processos de separação de substâncias de uma mistura, espécie/raça autóctone. Aprendemos que… a. A Fermentação é o processo que permite alguns seres vivos muito simples, como certos fungos e bactérias, obter energia a partir dos nutrientes (sem intervenção do oxigénio). b. A reação química de fermentação láctica pode ser resumida por: Glicose → 2 Ácido lático. c. O processo de fermentação do leite pode ser feito por microrganismos que consomem a lactose (um açúcar) e libertam ácido láctico. Esse ácido vai provocar a alteração do pH e a coagulação de algumas proteínas. Por outro lado, estas bactérias originam substâncias que contribuem para o aroma e sabor finais do queijo. d. No nosso caso, utilizámos uma enzima coagulante, isto é, uma substância orgânica que acelera as reações químicas (neste caso de coagulação do leite). e. Para o fabrico do queijo, o leite teve de ser aquecido a uma temperatura de 35oC, temperatura ótima para o desenvolvimento das bactérias/de atuação da enzima coagulante. f. Durante a prensagem o ancinho serviu como filtro, permitindo a separação do soro (fração liquida da mistura) do coágulo (porção solida), por outro lado permitiu moldar o queijo. g. Durante a maturação do queijo, foi importante garantir condições ambientais (temperatura, humidade e ventilação) adequadas, de modo a evitar a proliferação de fungos (bolores). h. O leite utilizado foi de uma raça de cabra autóctone, isto é, uma raça que ocorre naturalmente na nossa região e que está perfeitamente adaptada às condições climáticas da mesma. 21

Bravia

Serrana

Charnequeira

Bordaleiro da serra

Campaniça

Leandro Domingos


Horta pedagógica 7.º A - EB de Silvares Os alunos retomaram a horta pedagógica, projeto abandonado há alguns anos. Os trabalhos de preparação do terreno e plantação de hortícolas tiveram início no final do 2.º período como forma de ocupação dos tempos livres, nomeadamente das aulas de substituição. No 3.º período continuaram as tarefas na horta no âmbito dos Domínios de Articulação Curricular, realizando a rega e a monda necessárias às diferentes culturas. Já começaram a recolher frutos do seu trabalho, nomeadamente favas e alfaces, que, depois de devidamente acondicionadas, foram entregues e utilizados como acompanhamento dos pratos elaborados na cantina nessa semana.

22


Semana do Agrupamento EB 1 de Silvares Ao longo da Semana Aberta do nosso Agrupamento, os alunos do 1º Ciclo da Escola de Silvares realizaram diversas atividades abertas à Comunidade. Durante alguns dias tiveram expostos os trabalhos efetuados ao longo do ano na disciplina de DAC (Domínio de Autonomia Curricular) em que o tema foi “Gardunha Serra Mãe”. Aqui puderam observar os trabalhos de pesquisa efetuados sobre a fauna e a flora da Serra da Gardunha, trabalhos plásticos (fantoches, pinturas, jogos, maquetes), cartazes, registos escritos, etc… Na tarde do dia 17 de maio, os alunos desafiaram pais e familiares para participar com eles num ateliê de Expressão Plástica, onde em grupo, realizaram diversas obras de arte! Foi verdadeiramente um momento único e de cumplicidade, favorecendo os laços entre escola e a família. Como somos uma escola inclusiva e de afetos, realizamos diversas atividades conjuntas com o Departamento de Educação Especial da nossa Escola. Foi nos lida pela professora de Educação Especial a história “Jardim Encantado” e finalmente concluímos com um desfie e recital de poesia intitulado “As únicas flores somos nós!”. Foram momentos mágicos! Turmas 1º CEB de Silvares

23


Dia mundial da Criança EB 1 de Silvares No dia 31 de maio, comemorámos o Dia da Criança na nossa escola com muita alegria, partilha e boa disposição. Durante o período da manhã, demos largas à nossa imaginação e realizámos atividades de pintura e de modelagem. Fizemos as nossas criações artísticas o melhor que conseguimos! No período da tarde, e em colaboração com a Professora de Educação Especial da nossa escola, tivemos uma sessão de cinema com pipocas na nossa biblioteca escolar. Vimos um filme infantil (A Minha Vida de Courgette), relacionado com os Direitos das Crianças / Maus tratos na infância. Para finalizar, brincámos e partilhámos com os nossos colegas, alguns dos nossos brinquedos que trouxemos de casa. Vivam as crianças! Turmas 1º CEB de Silvares

Caminhada JI e EB1 das Atalaias No dia 17 de maio, o JI e a EB1 das Atalaias realizaram uma caminhada, inserida na semana do agrupamento. Esta atividade contou com a participação da Junta de Freguesia das Atalaias e familiares das crianças. A boa disposição de todos os participantes e a beleza da natureza circundante, contribuíram para estimular o gosto pelo exercício físico e hábitos de vida saudável. A manhã decorreu assim num clima de sã convívio com desejo de voltar a repetir. 24


Visita a Valverde del Fresno JI e EB1 das Atalaias No dia 14 de maio, fomos até Valverde del Fresno, participar na assinatura de um protocolo de cooperação entre esta localidade espanhola e o Município do Fundão. A nossa escola foi convidada, em virtude de o poeta Eugénio de Andrade ter nascido na Póvoa de Atalaia e a sua família do lado materno, ser natural de Valverde del Fresno. Fomos no autocarro da Câmara do Fundão, com o técnico municipal, Pedro Silveira, que orientou toda a nossa visita. Quando lá chegámos, depois de uma viagem longa, fomos diretamente para a escola local, onde nos esperavam muitos alunos e professores. Sentámo-nos e houve discursos do Vereador da Cultura local e da Dr.ª Alcina, que representou o Município do Fundão. De seguida, começamos por a ler a biografia do poeta, e declamamos vários poemas. Depois, foi a vez dos alunos espanhóis dizerem poemas em castelhano e para finalizar, lemos o poema “Os amigos”, com oferta de várias lembranças à escola local. Entretanto, dirigimo-nos para o auditório, onde começámos por ver uma atuação de danças tradicionais, vídeos de alunos sobre o vocabulário local, acabando por se celebrar a assinatura do protocolo, entre os dois municípios. No seguimento, visitámos a biblioteca municipal e de seguida, procedeu-se à inauguração da praça Eugénio de Andrade. Para descansar um pouco, chegou a hora do almoço, onde comemos muito bem. Para finalizar, depois do almoço, estivemos a brincar num parque infantil e voltámos para a nossa escola. Foi muito educativa esta viagem a Valverde del Fresno. Os alunos do JI e da EB1 das Atalaias 25


Tratamento de lixos e utilização racional dos recursos naturais Geografia, Ciências Naturais e DAC Workshop e visita à Resistrela No passado mês de abril teve lugar na BECRE da Escola Básica de Silvares (dia 2) e da Escola Básica Serra da Gardunha (dia 3) uma palestra/Workshop sobre “Tratamento de Lixos e Desenvolvimento Sustentável”, dinamizada por uma técnica da Empresa Resiestrela, que gere e explora o sistema multimunicipal de triagem, recolha seletiva, valorização e tratamento dos resíduos sólidos urbanos da Cova da Beira. Esta atividade foi promovida, em articulação, pelas disciplinas de Geografia, Ciências Naturais e DAC (8.º A e 8.º D), realizando-se em várias sessões de 45 minutos onde participaram os alunos de todas as turmas dos 8º e 9º anos. Nestas, foram esclarecidos sobre os métodos para desenvolver e melhorar o sistema de gestão e valorização de todos os resíduos sólidos urbanos e aprimorar o sistema de recolha seletiva para reduzir a quantidade de resíduos destinados a aterro e para valorizar e tratar todos os resíduos passíveis de serem separados, como o vidro, o papel, o cartão, o plástico e os metais. Puderam ainda participar num jogo sobre reciclagem, tendo sido vencedores, com 90 pontos, os alunos Catarina Martins, Diogo Leandro, Francisco Araújo, João Pires, Madalena Filipe e Nuno Aguilar, da Turma B do 9.º ano. Esta palestra foi complementada com uma Visita de estudo/Trabalho de campo ao CTRSU (Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos), em Peroviseu, da empresa Resiestrela, por parte dos alunos das turmas de 8.º ano, no dia 4 de abril. Aí tiveram oportunidade de observar o Aterro Sanitário, o Centro de Triagem e de Compostagem e a central de produção de energia elétrica a partir do Biogás. Estas atividades, desenvolvidas em parceria com a Resiestrela, procuraram sensibilizar os alunos e toda a comunidade educativa para a importância da separação dos lixos e para a utilização racional dos recursos naturais, por forma a contribuir para o não esgotamento dos mesmos e assegurar que as gerações futuras tenham um Meio Ambiente mais limpo e equilibrado, promotor de um modelo de desenvolvimento económico e social sustentável, conducente à realização humana e à preservação do Planeta.

26


Dia Mundial da Água O Dia Mundial da Água celebra-se anualmente a 22 de março. O Grupo de Geografia também assinalou essa efeméride no nosso Agrupamento, promovendo no átrio principal do Agrupamento, em articulação com a DAC da Turma E do 8.º ano, uma exposição de trabalhos realizados pelos alunos da disciplina de Geografia do 9.º ano, que visavam alertar as populações para a importância da água e para a urgente necessidade de preservação e poupança deste recurso natural tão valioso. Com o mesmo objectivo, os alunos elaboram e distribuíram a toda a comunidade educativa panfletos de sensibilização, na EB de Silvares e na EB Serra da Gardunha. Ainda no âmbito da comemoração do Dia Mundial da Água, deslocou-se à escola sede do Agrupamento, no dia 25 de março, uma técnica de saúde pública do Centro de Saúde do Fundão, onde dinamizou várias ações de educação ambiental de 45 minutos sobre distribuição e consumo de água no concelho do Fundão. Os alunos presentes (turmas BCDE do 9.º ano e 8.º E), para além de contarem com preciosas informações sobre o consumo sustentável da água, tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas acerca da qualidade da água que consomem em suas casas e da que corre nos fontanários do nosso concelho.

Dia Mundial da Meteorologia O Dia Mundial da Meteorologia (23 de março) foi assinalado pelo Grupo de Geografia, com a promoção, na BECRE da EB Serra da Gardunha, de uma Aula Aberta, cuja dinamização ficou a cargo de um convidado muito especial, o Dr. Manuel Costa Alves, meteorologista albicastrense de renome nacional e internacional. A temática de fundo desta lição especial foi “Conhecer a Atmosfera para Compreender as Alterações Climáticas”, focando-se nas causas e consequências das alterações climáticas e na interação direta com os alunos presentes (turmas 7.º A, 7.º B, 7.º D, 7.º C, 7.º E e 8.º E). Estes alunos tiveram a oportunidade única de questionar um perito na matéria, bem como aplicar os conhecimentos até aqui adquiridos nas aulas formais. A apresentação do ilustre convidado demonstrou ainda, que muitos dos fenómenos climáticos estão documentados na sabedoria popular e na literatura. Assim, não faltaram as referências literárias, que foram da Romagem de Agravados, à tragicomédia de Gil Vicente, aos contos do norte-americano John Steinbeck (Travels with Charley). Veja-se a quadra que a seguir se transcreve e que reproduz, de modo exemplar, o ciclo da água: Contaste um segredo ao rio O rio o levou ao mar Não tarda que a terra o saiba Da nuvem que anda no ar. 27

Ainda para assinalar esta efeméride e sensibilizar a comunidade educativa para a importância da meteorologia no Mundo atual e para o fenómeno das alterações climáticas, esteve patente, na BECRE da EB Serra da Gardunha, uma exposição composta por trabalhos realizados pelos alunos das turma do 7.º ano da disciplina de Geografia e por instrumentos meteorológicos e matérias informativos cedidos pelo IPMA, delegação de C. Branco.


Semana da Europa Os grupos de Geografia e História do 3ºCiclo e o Clube Europeu do Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto, desenvolveram entre o dia 6 e o dia 10 do passado mês de maio um conjunto de atividades integradas na Semana da Europa. Durante essa semana esteve presente na BECRE e átrio principal da Escola Básica Serra da Gardunha e da Escola Básica de Silvares uma exposição de trabalhos alusivos à União Europeia, realizados pelos alunos do 7.º ano e do Clube Europeu do Agrupamento, bem como diversos materiais cedidos pelo Centro de Informação Europeia Jacques Delors (CIEDJI), de Lisboa. Os alunos puderam também realizar vários jogos e passatempos relacionados com a União Europeia. O Clube Europeu dinamizou uma Aula Europa na Escola Básica do 1ºCiclo, onde, através de atividades lúdico didáticas, promoveu o gosto pelo conhecimento do espaço europeu e pela cidadania europeia. Houve ainda lugar à realização de uma palestra, onde participaram todas as turmas do 7º ano e a turma C do 9ºano de escolaridade, intitulada “Geração Europa”, dinamizada pelo Mestre em Ciência Política, Hugo Lopes. No dia 9 de maio comemorou-se o aniversário da “Declaração Schuman”, proclamada por Robert Schuman a 9 de maio de 1950, que assinala o dia da Europa. Essa comemoração iniciou-se com o Hino da Europa (Hino da Alegria, 9ª Sinfonia de Beethoven), tocado pelos alunos da Turma B do 7º Ano, ao qual se seguiu o hastear da bandeira da UE, na Escola Básica Serra da Gardunha. Estas atividades contribuíram para dar a conhecer os pressupostos que estiveram na origem da institucionalização do dia 9 de maio como dia da UE, que abriu caminho para a consolidação da Paz, Democracia, Solidariedade e Desenvolvimento na Europa, assim como disponibilizar materiais passíveis de serem consultados/visionados informalmente pela comunidade educativa, de modo a alargar os conhecimentos acerca dos valores, das políticas, das instituições e programas da UE. 28


Se esta rua fosse minha - o património local: um olhar sobre o Castelejo JI e EB 1 de Castelejo Os temas "Se esta Rua fosse Minha" e “O Património Local – Um olhar sobre o Castelejo” acompanharam-nos durante o ano letivo que agora está no seu término. Em qualquer dos temas a comunidade escolar esteve fortemente envolvida, concretizando-se a construção de uma casinha no espaço de recreio escolar, onde os alunos, do maior ao mais petiz, se deliciam em múltiplas brincadeiras. O pátio ganhou mais cor, alegria e vida com as tropelias das crianças. Para comemorar o fim deste ano letivo foram realizadas várias atividades tendo em conta o reviver das tradições locais: desfile pelas ruas ate ao recinto de Santa Luzia acompanhado pelo ribombar dos BOMBOS; animação com jogos, insuflável, pintura facial, balões, jogos e outras brincadeiras; merenda partilhada (numa recriação das merendas de Santa Luzia); entrega de pastas e respetivos diplomas aos finalistas. Tudo isto foi possível graças à atitude cooperante da Junta de Freguesia, tendo sempre mostrado disponibilidade para ajudar a concretizar os projetos desenvolvidos na escola. Por tal facto, expressamos os nossos agradecimentos à Junta de Freguesia, bem como, à Irmandade Santa Luzia e a todos os que, de alguma forma, contribuíram para o enorme êxito deste dia!

29


Grupo de Educação Visual e Educação Tecnológica Fotografias de algumas realizações deste 3º período, expostas na Escola Básica de silvares e na Escola Básica da Gardunha. Ação Escola SOS Azulejo 2019

Colaboração de Educação Visual com o grupo de Educação Física. Desporto – Violência 0

DAC 6.º A – Matemática, Ciências Naturais, Inglês, Português, Educação Visual e Educação Tecnológica

Maqueta de casa com legendagens em Inglês, em articulação com EV e ET

30

Exposição de trabalhos de Educação Visual


Cartazes “Mega Fixe Manuais Escolares�

Estruturas com molas de madeira

31


Reforçar a Cidadania no nosso dia a dia Escola Básica de Silvares O dia 17 de maio foi dedicado ao reforço da Cidadania no nosso AEGX. Todos os dias, no nosso dia a dia, deparamo-nos com situações diferentes e exigentes da nossa intervenção. Normalmente, não ficamos indiferentes à injustiça ou agressividade e reagimos no sentido de nos defendermos ou ajudarmos alguém a defender-se. De facto, não podemos ser indiferentes ao que se passa à nossa volta, nem podemos ficar à espera que outros resolvam os problemas. É claro que devemos estar informados e esclarecidos para agirmos de maneira a conseguirmos pensar na melhor hipótese de resposta para uma determinada situação. Os cidadãos / cidadãs são pessoas em múltiplas situações de vida onde os semáforos são necessários! No pára arranca das decisões, há que respeitar as cores: vermelho – parar, olhar, observar; amarelo – pensar, reflectir, debater, procurar respostas e verde – agir com ponderação. Na maior parte das vezes, para melhor pensarmos, precisamos de conversar e trocar ideias sobre diferentes assuntos, avaliar perspectivas diversas (as minhas, as dos outros e as nossas). Foi com este objectivo que os alunos do 2º Ciclo e do 3º Ciclo da Escola Básica de Silvares se reuniram para ouvir, pensar e falar. Enquanto os alunos do 2º Ciclo reflectiram sobre o que é isto de sermos cidadãos, os direitos e as responsabilidades; os alunos do 3º Ciclo avaliaram o tipo de cidadãos que podemos ser e a importância do conhecimento e das emoções na construção de uma sociedade melhor. No final, numa vila do interior com alunos com familiares de tantos lugares do mundo, percebemos que nós somos luz! Ainda que às vezes precisemos de nos revitalizar para que a nossa luz não se apague (ou precisemos mesmo de ajuda para voltarmos a acender a nossa luz), todos podemos espalhar energia positiva através dos nossos atos democráticos e humanistas. O caminho é o conhecimento e a sensibilidade! 32


My favourite place at school in a shoe box

Espanhol Concurso de Leitura Oral

Leitura de poemas no âmbito da Semana da Leitura

33


Semana do Agrupamento - sala de Espanhol

34


Semana Aberta do Agrupamento Educação Inclusiva – EB Serra da Gardunha Deixa a tua Marca foi o lema lançado pelo Departamento de Educação Inclusiva, na Semana Aberta do Agrupamento, a toda a Comunidade Educativa. Através da pintura de mandalas, alunos do 1º ao 9º ano de escolaridade, professores, técnicos e assistentes operacionais deixaram a marca da sua diferença num belo mural representativo da diversidade. Durante esta semana, entre outras atividades, a turma de 4º ano da EBSerra da Gardunha, duas turmas da EB1 das Tílias e uma turma da EB1 de Aldeia de Joanes visitaram e realizaram atividades na sala do CAA (B) onde alguns dos seus colegas completam aprendizagens. Esta foi mais uma das já habituais visitas que muito têm contribuído para a sensibilização da importância da diversidade numa escola inclusiva.

s

st

g

r eg e t s

te con

Ea

35

ola

Esc

ica Bás

de

are Silv


Se esta rua fosse minha... Jardim de Infância do Castelejo Findo mais um ano letivo, e no âmbito da temática "Se esta Rua fosse Minha", aqui ficam alguns registos do exterior da nossa escola, que ganhou mais cor e alegria e faz as delícias, do mais pequenino…ao maior! Um agradecimento à Junta de Freguesia, sempre colaborante às nossas solicitações! Contamos com mais melhorias do recinto no próximo ano!...

CEA - 2.º ciclo Escola Básica Serra da Gardunha

36


CEA - 2.º ciclo Escola Básica de Silvares

EB de Silvares sagra-se campeã da Educação Gamificada do concelho do Fundão Decorreu no dia 29 de maio, às 14h30, na Sala da Imprensa do Casino Fundanense, no Fundão, a segunda Olimpíada de Educação Gamificada do concelho do Fundão. Esta olimpíada é um torneio de conhecimentos sobre Português e Matemática que faz uso de uma aplicação para tablets para transformar os conteúdos escolares em jogos com o objetivo de motivar os alunos pela aprendizagem. Durante o evento, a equipa melhor classificada ao longo de seis rondas em cada escola do concelho do Fundão – AE Fundão, EB Serra da Gardunha, EB de Silvares e Externato Santiago de Carvalho – competiu pelo título de campeã do concelho. Estiveram presentes no torneio final a Coordenadora do projeto, Dr.ª Karina Moutinho, a Dr.ª Alcina Cerdeira, Vereadora da educação da Câmara Municipal do Fundão, e a Dr.ª Cândida Brito, Diretora do AEGX. A equipa vencedora foi do 7.º A constituída pelos alunos Afonso Aguamel, Beatriz Ladeira, Dinis Gonçalves, Leandro Antunes e Leandro Domingos, tendo vencido o torneio pelo segundo ano consecutivo a Escola Básica de Silvares, à semelhança dos alunos de 9.º A no ano letivo 2017/18. As quatro equipas participantes na final receberam um troféu e a equipa vencedora, inclusive o seu professor, que foi convidado pela equipa, recebeu um smart watch como prémio e a escola um iPad. Esta iniciativa foi organizada pela Gardunha 21, os municípios do Fundão e de Gouveia e financiada pela iniciativa Portugal Inovação Social.

Edição, paginação e grafismo: prof. Paulo Baptista 37


Último dia de aulas, no Parque do Convento Atividades promovidas pelo Departamento de Expressões

Paddy paper sobre os Oceanos DAC - 8.º A

38

Profile for Joaquim Fonseca

Newsletter Nº 18 AEGX  

Jornal do AEGX

Newsletter Nº 18 AEGX  

Jornal do AEGX

Advertisement