Page 1


MANIFESTO ELEITORAL A Lista S – Somos Académica, Somos Lisboa - é candidata aos órgãos sociais da Associação Académica de Lisboa, para o mandato 2017/2018, tem como principal objetivo unir a Academia de Lisboa em torno da afirmação da maior académica do país. Sob o lema “Somos Académica, Somos Lisboa”, pretendemos colocar a Política Educativa e a Intervenção Académica como os eixos estratégicos e prioritários da atuação da Associação Académica de Lisboa no panorama regional e nacional. Conscientes das preocupações e interesses dos cerca de cem mil estudantes representados integrando todas as realidades e subsistemas da rede de Ensino Superior – do ensino público ao ensino privado, do politécnico ao universitário - a Associação Académica de Lisboa é a única estrutura na capital capaz de dar voz aos estudantes de Ensino Superior. Temos por isso, no panorama nacional, uma responsabilidade acrescida de sermos os principais impulsionadores do debate político contribuindo, de forma construtiva, para um ensino superior mais justo e inclusivo. Uma estrutura com 32 anos de história possui, invariavelmente, um dever institucional perante a cidade e a região de Lisboa que lhe confere o direito de intervenção pública constante sobre matérias que direta e indiretamente tenham implicações na vida dos estudantes da academia. A Associação Académica de Lisboa deve por isso ser vista como a principal parceira da cidade na dinamização da academia contribuindo no dia-a-dia para uma aproximação clara da cidade e da região às reais necessidades dos estudantes do ensino superior. O alargamento do espaço de atuação da Associação Académica de Lisboa é outro dos principais eixos estratégicos da candidatura, que pretende em áreas como o desporto, a responsabilidade social, a formação e o recreativo dinamizar e mobilizar a academia lisboeta em torno da AAL e seus associados. No plano financeiro, urge realizar uma reorganização financeira da AAL reestruturando o seu passivo com o único objetivo de tornar a Associação Académica de Lisboa financeiramente sustentável em toda a sua atuação, permitindo a redução do peso dos eventos recreativos na tesouraria da AAL credibilizando novamente a estrutura na sociedade civil. Internamente, temos o dever intrínseco de colaborar, de forma constante, com as associações de estudantes federadas, apoiando-as no trabalho que desenvolvem diariamente ao longo do ano, realizando iniciativas conjuntas e tornando, sempre que possível, a Associação Académica de Lisboa mais forte pela força e reconhecimento das associações que a compõem. Lista S - Somos Académica, Somos Lisboa!

2


EQUIPA Direção Nome João Pedro Vila Viçosa Louro

Cargo

Curso

IES

Presidente

Mestrado em Gestão e Políticas Públicas

ISCSP

Daniela Dos Santos Gonçalves Bruno Emanuel da Conceição Coucello João Tito Freitas Gouveia José Rodrigo Salvador Simões

Vice - Presidente

Ricardo Jorge Alves Rodrigues Catarina Simões da Silva Maria Nuno Miguel da Silva Pinheiro Carlos André Anacleto de Sousa Cristiana Godinho Ferreira de Matos Francisco Samir Santana Hirgee António Luís Leão de Sá Coelho Ana Soraia da Silva Leite Rui Luís Pereira Serrinha Inês Costa Mestre

Vogal

Vice - Presidente Vice - Presidente Tesoureiro

Licenciatura em Eng. Máquinas Marítimas Licenciatura em Geologia

ENIDH

Mestrado em Design e Cultura Visual Licenciatura em Sist. e Tec. de Informação

IADE - UE

FCUL

NOVA IMS

Licenciatura em Gestão de Org. Desportivas Licenciatura em Gestão

ULL

FCUL

Vogal

Mestrado em Gestão de Informação Licenciatura em Design e Produção Gráfica Licenciatura em Anatomia Patológica Licenciatura em Fisioterapia

Vogal

Licenciatura em Gestão

NOVA SBE

Vogal

CTeSP em Desenvolvimento para Disp. Móveis Licenciatura em Farmácia

ISTEC

Vogal Vogal Vogal Vogal

Vogal Vogal

Rui Vieira de Castro Sousa

Suplente

Rita Filipa Freitas Ferraz

Suplente

Licenciatura em Rel.Públicas - Com. Empresarial Licenciatura em Gestão Turística Licenciatura em Enfermagem

3

ISG

ISEC ESTeSL ESSA

ESTeSL ESCS ESHTE

ESESFM


Mesa da Assembleia-Geral Nome Filipe Frade Brígida

Sofia da Silva Domingues Paulo Bernardo de Amorim Maciel Emanuel José de Freitas Pinheiro Henriques Sara Domingues Diogo

Cargo

Curso

IES

Presidente

Licenciatura em Gestão de Informação Licenciatura em Relações Internacionais Licenciatura em Execução de Música Licenciatura em Gestão Hoteleira

NOVA IMS

Suplente

Mestrado Integrado em Psicologia

ISPA

Cargo

Curso

IES

Presidente

Mestrado Integrado em Medicina Licenciatura em Enfermagem Licenciatura em Gestão de Informação Mestrado em Ensino da Música Licenciatura em Administração Pública

FML

Vice - Presidente

Secretário Suplente

ISCSP

ESML ISEC

Conselho Fiscal Nome Maria Inês de Oliveira Borges Catarina Tavares Carvalho Filipe António Pinheiro Almeida Pedro Ricardo Alves Leal Helder Alexandre Casimiro de Jesus

Vice - Presidente Secretário

Suplente Suplente

4

ICS UCP NOVA IMS

ESML ISCSP


POLÍTICA EDUCATIVA E INTERVENÇÃO ACADÉMICA Como estrutura representativa de 38 Associações de Estudantes de várias faculdades, institutos, escolas e universidades privadas e públicas da Grande Área Metropolitana de Lisboa, espera-se da Associação Académica de Lisboa uma atuação preponderante na política educativa e intervenção académica, onde o compromisso de uma ação constante e ativa nos diversos espaços em que a AAL marca presença esteja assumido, quer seja na representação estudantil e institucional, nas suas diversas vertentes, quer na sociedade em geral, com especial foco na cidade que a acolhe, a si e aos seus estudantes, diariamente. Assim, justifica-se a necessidade de assumir como princípio chave desta candidatura o reforço na política educativa, reinventando esta estrutura no verdadeiro sentido de atender rigorosamente àquilo que são as necessidades e interesses dos estudantes de Lisboa. Propomo-nos a aproximar a Académica dos cerca de 100.000 estudantes que representa, construindo uma presença que, visivelmente, possa interagir diariamente com as suas vidas académicas, marcando uma posição fortalecida em conjunto com as suas Associações. Sendo a maior estrutura representativa de estudantes a nível nacional, a AAL tem todas as condições para que, com a sua força motriz, seja o principal impulsionador do diálogo com todos os agentes sociais e políticos, a nível regional e nacional, reforçando como tal a necessidade premente da discussão de temas como a afirmação da binariedade no Ensino Superior e a reflexão sobre o seu financiamento, bem como a Revisão do Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo - temas que a AAL tem vindo já a trabalhar e que pretendemos continuar a potenciar. Mais do que nunca, portanto, torna-se essencial formar e consolidar a Associação Académica de Lisboa enquanto força representativa dos estudantes, transcendendo até a componente que à região diz respeito: através de uma ação interventiva proactiva e responsável, a AAL deve ser capaz de contribuir fortemente em momentos de discussão que se revelem profícuos e do interesse dos alunos do Ensino Superior a nível nacional nomeadamente através da presença nos Encontros Nacionais de Direções Associativas e Encontros Nacionais de Académicas. É de reforçar que, em qualquer destes momentos, é inegável que a Académica deve saber prestar o maior auxílio e apoio possível aos Associados que representa, não só através da afirmação de posições que vão ao encontro das suas necessidades, mas também dispondo de meios que permitam às AAEE’s participar igualmente no debate para a Política Educativa. Para fazer Política Educativa de forma sustentável e responsável, torna-se ainda essencial que a Associação Académica de Lisboa tenha a capacidade de ouvir as reivindicações, necessidades, interesses e opiniões daqueles que lhe dizem respeito. Por isso mesmo, torna-se igualmente pertinente criar espaços propícios para tal - seja a partir do acompanhamento dos associados, dos estudantes, dos jovens, de figuras de Ensino Superior, ou junto de grupos parlamentares.

5


Moção de Estratégia Global 2018 A “Lista S - Somos Académica, Somos Lisboa” entende que as posições políticas da Associação Académica de Lisboa devem resultar de um esforço concertado em conjunto com as diversas AAEEs federadas, e não apenas de um grupo fechado de dirigentes da estrutura, onde posições ideológicas ou políticas possam afetar a visão da AAL em relação a certas temáticas. Assim, defendemos a revitalização dos espaços privilegiados de diálogo sobre política educativa, como o Conselho de Política Educativa (CPE) e a recente Comissão de Trabalho criada, por forma a que o debate possa ser aprofundado, possibilitando assim a criação de posições sólidas e consistentes entre a Direção da AAL e os seus Associados. Por tudo isto, e seguindo também a intenção de fomentar e dinamizar o debate político, bem como reforçar a postura interventiva da Associação Académica de Lisboa e as suas convicções, pretendemos igualmente reunir num só documento as posições e opiniões para e da estrutura relativamente a temas que se consagrem como prioridade na agenda de 2018. AAL e os seus Associados | Proximidade Não há dúvida que a Associação Académica de Lisboa será tão forte quanto for a participação das suas associações federadas na vida da AAL. Todavia, entendemos que a AAL tem o dever institucional de participar na vida de cada uma das instituições que representa assumindo uma presença constante nas iniciativas e atividades dos seus associados. Assim sendo, assumimos o compromisso de articular a agenda da Associação Académica de Lisboa com a agenda e calendarização das atividades dos associados porque, efetivamente, a vida de cada uma das estruturas deve ser partilhada existindo, deste modo, uma única agenda.

6


FORMAÇÃO FormAAL 2018 | Formação de Dirigentes Associativos O FormAAL é um projeto de cariz formativo, levado a cabo pela primeira vez no mandato 2016/2017, e destina-se aos dirigentes associativos das associações federadas na Associação Académica de Lisboa. Tem como principal objetivo a formação dos dirigentes associativos, contribuindo para potenciar e aprimorar o trabalho que realizam diariamente. Acreditamos que a capacitação, novas ferramentas e técnicas, a troca de experiências e ideais são a base para dirigentes associativos participativos, interessados, críticos e inovadores. Este projeto envolverá a realização de workshops de Soft Skils, plenários de temas gerais ao associativismo e fóruns de discussão. Workshops e outros momentos de formação Para o mandato que se avizinha propomo-nos a manter os moldes do projeto mas com algumas melhorias, como por exemplo: organização dos workshops por graus de aprendizagem, mais fóruns de discussão e momentos de convívio/team building. Para além disso, e como a formação é um processo constante, propomo-nos a organizar algumas sessões formativas, que foquem necessidades pontuais e gerais dos associados, ao longo do mandato. (p.e. Sessão de Esclarecimentos sobre o IPDJ).

7


COMUNICAÇÃO AAL Face à necessidade de evidenciar a marca da Associação Académica de Lisboa perante o meio envolvente - Instituições de Ensino Superior, AAEE’s e estudantes - é imperativo estipular uma estratégia sólida para a AAL, enquanto a única estrutura representativa, capaz de vingar no distrito de Lisboa e a nível Nacional. Este processo passa por estipular objetivos da marca, delinear uma estratégia de ação para meios, digital e eventos - reconstruir a imagem da Académica através da difusão de ações junto dos seus associados. De um modo geral, entendemos que o novo projeto de comunicação para a Associação Académica de Lisboa tem que passar pelo posicionamento da marca “Estudantes do Ensino Superior de Lisboa” como principal foco de representatividade da AAL. No âmbito da comunicação, temos como principal foco construir uma presença constante da AAL em todos os momentos durante o mandato e que se prolonguem e tenham a devida relevância, num prazo de cinco a dez anos, mediante o panorama cultural da importância do associativismo a nível nacional. Os objetivos passarão, essencialmente, pela proximidade às IES, AAEE’s e Estudantes, proliferação da marca da Associação Académica de Lisboa e reformulação de conteúdos de exposição interna e externa. A estratégia contemplada é a de representar a AAL nos associados e vice-versa e a elaboração de uma campanha AAL, que marque a posição desta estrutura federativa entre o seu target. Redes Sociais No que diz respeito às Redes Sociais, a estratégia passará por uma reestruturação e uniformização das redes através de uma nova linguagem visual e de um planeamento mais detalhado e organizado da colocação de publicações, mediante os “insights” das redes sociais. Site da Associação Académica de Lisboa Queremos promover uma reestruturação do site e a inserção de pontos e ferramentas importantes para as AAEE’s, nomeadamente, um Login que dá acesso a documentos importantes e métodos de credenciação em eventos como SAL, RAC e os ENDA’s. AAL no Campus O contacto com as AAEE’s através da continuidade do programa AAL no Campus é sem dúvida alguma algo que deve ser preservado com a introdução de um selo federativo que dentro das IES identifique as AAEE’s como associadas da AAL e a presença constante da marca AAL em todos os eventos organizados pelos seus associados.

8


Vídeo Institucional da AAL Comprometemo-nos a elaborar um vídeo institucional da AAL, onde se façam representar os seus associados as suas respetivas Instituições de Ensino Superior, testemunhos sobre a AAL e os seus eventos de maior importância que seja promovido em cerimónias solenes nas IES.

9


SociAAL Criado no sentido de coordenar o trabalho que se desenvolve na Academia a nível de ação e responsabilidade social, o SociAAL deve assumir-se como um dos pilares de ação da Associação Académica de Lisboa, pelo que acreditamos que existe um enorme potencial para dinamizar, ainda mais, este conceito/tema. Por considerarmos que a intervenção social tem uma importância extrema nos dias de hoje, é fundamental consciencializar os estudantes, apostando em ações de solidariedade social. Sendo o SociAAL um intermediário entre os estudantes da Academia e a sociedade que os rodeia, pretendemos continuar a criar os meios necessários para que a solidariedade seja um conceito-chave na vida da AAL. O Projeto SociAAL surge, ainda, como uma forma de dar aos estudantes de Lisboa a oportunidade de valorizar o seu percurso no Ensino Superior, através da participação em projetos de voluntariado, de solidariedade e cidadania e de Workshops SociAAL desenvolvidos nesse âmbito. Para isso, e para dar essa chance aos Associados da AAL, pretendemos estabelecer parcerias para que possamos ter um papel ativo nas atividades de cariz social. Além disto, e não menos importante, comprometemo-nos a honrar os compromissos assumidos no mandato anterior, a dar continuidade aos projetos já iniciados e a apoiar as Associações Federadas, em todas e quaisquer atividades que desenvolvam neste campo.

10


ESPAÇO ÁGORA O Espaço Ágora surge em 1996, no Cais do Sodré, enquanto sede da Associação Académica de Lisboa e com o objetivo de responder às necessidades dos estudantes do ensino superior, criando um local que estimulasse o convívio académico e que proporcionasse condições de estudo e serviços à academia lisboeta. Em 1999 transita para as atuais instalações, onde, com o passar dos anos, os seus objetivos basilares começam a ser deturpados, vendo muitos dos seus espaços e serviços adstritos aos estudantes serem substituídos gradualmente por pequenas empresas arrendatárias, dada a necessidade de tornar o espaço autossustentável. Recentemente, as sucessivas direções da AAL têm demonstrado a sua dedicação em reerguer o Espaço Ágora, tornando-o autossustentável a nível financeiro, existindo ainda muito trabalho necessário para devolver este espaço à comunidade académica. Como tal, e por considerarmos que este espaço deve ser direcionado para toda a comunidade académica, proporcionando as melhores condições possíveis, pretendemos revitalizar o Espaço Ágora executando um projeto focado em três vertentes. Primeiramente a requalificação do espaço, focada na reparação e melhoria das condições existentes, e na manutenção contínua das instalações, tornando-o mais apelativo e capacitado para acolher todos os intervenientes da academia. Simultaneamente, pretendemos uniformizar e promover a imagem do espaço, associando definitivamente a imagem da AAL ao Espaço Ágora e proporcionando um ambiente mais próximo dos estudantes. Concluídos estes dois objetivos, tencionamos reorganizar o espaço garantindo a sua rentabilização e otimizar o uso do mesmo, assumindo os seus objetivos basilares de servir a academia. Como tal, objetivamos a abertura de espaços dedicados aos estudantes, com as condições indispensáveis para os receber.

11


RECREATIVO A AAL nos dias de hoje é promotora de alguns dos eventos recreativos mais importantes da capital. Com um nível de exigência cada vez mais elevado, muito nos apraz dizer que todas as atividades académicas, organizadas sob a orientação da Associação Académica de Lisboa, remete para o lema “de estudante para estudante”. A Semana Académica de Lisboa e a Recepção ao Caloiro de Lisboa são dois dos eventos que pretendem dar aos estudantes e também à cidade de Lisboa momentos de índole recreativa e cultural, bem como um conjunto de espaços onde seja possível desfrutar de um agradável, saudável e descontraído convívio entre todos aqueles que participam nestes eventos. O percurso académico de cada estudante vai para além das atividades curriculares do dia-a-dia. A vertente cultural e recreativa na formação e vida académica é de grande importância. Assim, propomo-nos a promover e dinamizar não só as atividades já emblemáticas na cidade de Lisboa como também fazer delas ainda mais atrativas e simbólicas.

12


DESPORTO O Desporto na Associação Académica de Lisboa tem sido um tema esquecido, desde que a Secção Autónoma para o Desporto da AAL (SAD/AAL) se separou da estrutura, em 2004, e foi então, fundada a ADESL. Para o mandato 2017/2018, uma das nossas grandes bandeiras, é a revitalização do Desporto na AAL. Verificámos que praticamente todos os nossos associados estão presentes, quer a nível individual ou coletivo, no desporto universitário, e a Associação Académica de Lisboa não tem uma palavra no panorama desportivo. O desporto não é só uma forma de competição, é sim uma forma de proporcionar momentos de companheirismo e união. São estes valores que procuramos transmitir às nossas associações e aos nossos estudantes. Além disto, nunca é demais lembrar que, se por um lado a prática de desporto é essencial para que os estudantes possuam hábitos de vida saudáveis, por outro, é o escape ideal para que possam libertar o stress que acaba por marcar a vida académica. Somos adeptos do ideal “Mente sã em corpo são” e, por isso, faremos questão que, no próximo mandato, a prática desportiva seja um marco na vida dos estudantes e da AAL. Aproveitando o facto da nossa própria cidade de Lisboa se candidatar a Cidade Europeia do Desporto (para 2021), este é o ano ideal para apostarmos no Desporto e ajudarmos a CML nas suas iniciativas.

13


FINANCEIRO Fazer da Associação Académica de Lisboa uma estrutura financeiramente sustentável tem sido um dos principais compromissos assumidos dos últimos dois mandatos. E nós não seremos indiferentes a este objetivo. A decisão tomada há dois anos de levar a cabo um Processo Especial de Revitalização (PER) foi um passo decisivo para a resolução do passivo da Associação Académica de Lisboa e para a sua estabilidade económico-financeira, e pretendemos continuar o trabalho feito até agora. Com a consciência de ter uma estrutura como a Associação Académica de Lisboa financeiramente estável como pedra basilar para a atuação da mesma nas suas áreas de intervenção, cremos, com a maior seriedade e responsabilidade, continuar o processo especial de revitalização financeira consolidando o passivo da Associação Académica de Lisboa. Apesar de no último mandato ter sido um desafio acompanhar o Processo Especial de Revitalização, acreditamos que através de uma gestão ainda mais séria e controlada, nomeadamente no que toca a despesas nos eventos recreativos, que são ainda e até à data, o sustento financeiro da Associação Académica de Lisboa, podemos continuar a cumprir o PER da melhor maneira. Pretendemos também, que esta tão grande dependência financeira dos eventos recreativos, Recepção ao Caloiro de Lisboa e Semana Académica de Lisboa, se torne mais pequena, ou até mesmo nula através da criação de novas parcerias que visem ajudar a AAL neste sentido. Mais do que nunca, a AAL precisa de estabilidade na estrutura para assim se libertar dos erros do passado e completando um processo demorado, difícil, mas essencial para o futuro na maior associação académica do país, alcançar um patamar há muito desejado.

14


Lista S - Plano Eleitoral  

Plano Eleitoral da Lista S concorrente à Associação Académica de Lisboa.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you