Issuu on Google+

PROPOSTA DE TRABALHO Curso: Técnico Superior de Segurança no Trabalho (nível VI) – b-learning Módulo: Psicossociologia do Trabalho

Acção Nº: 8

Formador: Marta Serra

Data: 07/11/2013

Tema Prevenção do Stress no local de trabalho Objectivos Saber elaborar um programa de prevenção de stress aplicado a uma situação de trabalho específica.

Enunciado do Trabalho Vários estudos referem a função de motorista de autocarros urbanos como uma ocupação profissional de alto risco, no que toca ao desenvolvimento de stress. Imagine que é um Técnico de Segurança no Trabalho numa grande empresa de Transportes Públicos. No início deste ano, na Reunião Anual da Empresa, foram apresentados os resultados de um Diagnóstico Global da Empresa, respeitante ao ano de 2013, realizado por uma empresa externa. Estes resultados revelaram que os trabalhadores (essencialmente motoristas) demonstram ao nível psicológico, forte sentimento de fadiga, tensão e sobrecarga mental. Apresentam ainda perturbações do sono, que são particularmente referidas pelos motoristas, de turnos que iniciam muito cedo. Nesse sentido, foi-lhe pedido pela Direcção da empresa, o planeamento de um Programa de Prevenção de Stress para os colaboradores desta empresa para o ano de 2014.

Mod.For.075.00

1/ 2


Resultados:

- Sujeitos a elevadas exigências e conflitos devido ao contacto diário e constante com os passageiros, a pressão temporal e segurança (condução segura de acordo com as regras rodoviárias). - Detêm baixa autonomia (poder fortemente restrito) e suporte. Trabalham isoladamente dos colegas e superiores, e frequentemente reclamam sobre “não conhecer a gestão de topo”. - Queixas elevadas aos fatores físicos da cabine, com a constante abertura das portas estão sujeitos a poeiras, aragens, mudanças de temperatura, ar frio, ruído, maus cheiros, calor e ar quente. Há, ainda, elevado nível de vibrações e forçada posição de sentado (incomodidade da posição de sentado e postura corporal). O assento do condutor, e as outras componentes da cabine, a grande maioria das vezes têm fraca ajustabilidade. - Grande exposição a assaltos e violência, sobretudo durante os turnos noturnos. - Vários problemas relacionados com os períodos de pausa: Insuficiente duração (ex. 15 minutos de pausa para almoço); São poucos (ex. um período de pausa durante um dia de trabalho); Surgem após um longas horas de trabalho; São de baixa qualidade pois acontecem no fim da linha do autocarro ou em locais mal definidos pela empresa.

Pontos essenciais que devem constar no vosso Programa: - Objectivos - Público-alvo - Intervenção (propostas de melhoria, duração, orçamento…)

Mod.For.075.00

2/ 2


PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE STRESS

O Programa de prevenção de Stress nos locais de trabalho destina-se não só a identificação e correção de fontes de stress, mas a uma efetivação de medidas preventivas que possam eliminar as procedências e comportamentos, tanto organizacionais, estruturais, como funcionais dos postos de trabalho em causa. Erradicando assim as raízes dos problemas de stress, definindo as melhores estratégias de forma a promover o melhor desempenho profissional e satisfação pessoal do trabalhador no posto de trabalho em causa. O incremento dos custos com as medidas pode vira a ser compensado não só com o melhor desempenho do trabalhador, diminuição de baixas médicas, acidentes de trabalho, multas, e também imagem da empresa junto dos clientes.

Objetivos - Erradicação das fontes de stress. - Reformulação de políticas organizacionais instituídas pela empresa. - Formação Profissional adequada aos Trabalhadores em causa e supervisores. - Formação dos quadros superiores relativamente às causas e consequências do stress no trabalho Os objetivos visam a resolução de um problema específico no entanto existe a necessidade de formação dos quadros superiores para os fundamentos do stresse e como lidar com esta situação, na gestão funcional e estrutural da empresa.

Público-alvo - Motoristas de autocarro Urbano- demonstram ao nível psicológico, forte sentimento de fadiga, tensão e sobrecarga mental. Apresentam ainda perturbações do sono, que são particularmente referidas pelos motoristas, de turnos que iniciam muito cedo

Mod.For.075.00

3/ 2


Plano de Intervenção

1- Formação: O plano de formação para motoristas: Deve incidir sobre relações interpessoais gestão de conflitos, atendimento e comportamento em público. Plano de formação de mobilidade e ginástica, exercícios de mobilidade e alongamentos de melhoramento de circulação sanguínea. Plano de Formação para os quadros Superiores e motoristas: Gestão de Stress esta formação deve ser conjunta para que tanto os motoristas tanto os quadros superiores e de gestão de frota, possam compreender diretamente como lidar e compreender as realidades distintas entre as diversas atividades, aumentar as relações interpessoais dentro dos trabalhadores da empresa. 2- :Trabalhador – Local de trabalho – autocarro. a. Cabines. i. Criação de cabines de proteção de proteção com a existência de uma janela ajustável de forma a poder assegurar a segurança dos Motoristas principalmente nos períodos noturnos, também permitem uma maior estabilidade das condições ambientais. b. Assentos i. Assentos reguláveis em posição várias posições de forma a permitir o melhor ajuste do condutor ii. Assentos com suspensão independente, permite a amortização de choques mecânicos derivados da estrada, e regulável de modo que o condutor possa escolher a melhor estabilidade do assento iii. Assentos ergonómicos com ajuste lombar e de apoio de cabeça de preferência eletrónicos e com memorização de várias posições. c. Volante i. Diâmetro inferior a 50 cm ii. Regulável em altura, profundidade e angulo iii. Material que permita boa adesão d. Painel de instrumentos i. Mod.For.075.00

Facilmente legíveis e visíveis com diâmetros visualmente acessíveis de 4/ 2


qualquer ponto ii. Dispostos de acordo com a utilização e com marcação visual facilmente legível iii. Controlo de botões de fácil acesso e entendíveis, sistemas de segurança e emergência facilmente localizáveis e de identificação fácil. e.

Pedais i. Facilmente calcáveis e pequenos ii. Angulo de inclinação igual e angulo inferior a 25º

f. Menete de Mudanças i. Ergonómica, e acessível em qualquer posição ii. Caixa de mudança curtas e de fácil entrada, de preferência com caixa semiautomática g. Instalação de sistema de comunicação direta com central em sistema de mãos livres, e de acesso direto ao supervisor

3- Horários; pausas e Turnos. a. O Horário de trabalho diurno não deverá ser superior a 8 horas b. O Horário semanal não deverá ultrapassar as 40 horas c. O tempo máximo de condução contínuo deverá ser de 4 horas d. As pausas deverão ser de 20 minutos no mínimo ao final de 2 horas de trabalho, e o motorista deverá sair do autocarro sendo aconselhado a fazer alguns exercícios de forma a evitar problemas de circulação e. Pausa para almoço nunca inferior a 60 minutos f. Um motorista não deverá fazer mais de 4 horas extraordinárias num dia de trabalho e consecutivas, e remuneradas como tal g. O descanso semanal deverá ser no mínimo de 24 precedidas do descanso diário. h. Os turnos deverão ser consecutivos e em turnos de 4 horas i. As tarefas deverão ser atribuídas de forma regular e de forma mensal j. Os turnos deverão ser rotativos de forma sequencial

Mod.For.075.00

5/ 2


4- Gestão organizacional a. Supervisor fixo e com um grupo de motoristas no máximo de 20 i. Reuniões mensais com cada motorista, para conhecer a sua opinião sobre o trabalho, satisfação estado d o veículo etc. ii. Permitir formação e estruturar progressões de carreira iii. Criar um sistema de medicina de trabalho adequado á especificidade da função de motorista. iv. Permitir aos motoristas e a qualquer funcionário da empresa, como dependentes diretos a utilização dos serviços de forma gratuita, através da criação de um cartão personalizado. v. Por duas pessoas num autocarro, em vez de uma, em trajetos de elevado risco e em turnos noturnos. vi. Facilidade de acesso aos funcionários da empresa à direção da empresa, se possível criação de um dia (semanal) para a receção de funcionários pela direção da empresa,

5- Orçamentação: Embora existam custos iniciais elevados, estes serão facilmente compensados pelo menor numero de baixas por acidentes de trabalho, diminuição de problemas internos, diminuição de produtividade, gastos de combustível, e principalmente satisfação dos clientes, traduzindo uma melhor imagem da empresa, já que são os motoristas os rostos da empresa, se a sua satisfação aumentar logicamente que os clientes serão melhor recebidos.

Mod.For.075.00

6/ 2


Prevenção do stress