Page 1

Jornal Comunitário do Bairro Jardim Nicéia

Nicéia Bauru Ano IV Vitor Moura/Voz do Nicéia

Nicéia no pódio! Vitor Moura/Voz do Nicéia

Processo de regularização do bairro por usucapião é paralisado (p.3)

Edição nº13 Setembro de 2012

Nas competições de atletismo, a criançada do bairro faz bonito, sobem ao pódio e colecionam medalhas (p.4)

Lixo ainda é problema no bairro Giovani Vieira/Voz do Nicéia

Falta de conscientização ambiental e de fiscalização ainda são desafios para os moradores do bairro (p.6)

Acesse o jornal também na internet: www.vozdoniceia.wordpress.com


2 Setembro de 2012 Editorial

Voz do Nicéia

O bairro do Nicéia recebeu um novo golpe nesse último mês. Depois de duas sessões na 2ª vara de Bauru, o processo de legalização por usucapião foi paralisado até segunda ordem. O motivo; durante o tempo de espera, cinco dos moradores envolvidos no processo faleceram. Assim sendo, se faz necessária a convocação de seus herdeiros diretos, o que pode levar algum tempo. Até a presente data, não foram estabelecidos novos prazos para a retomada do processo. A demora em processos judiciais não é nenhuma novidade. O problema, inclusive, é apontado como um dos principais motivos para a descrença da população em órgãos oficiais. A alta demanda por processos e a burocratização excessiva podem ser apontadas

como algumas das causas dessa demora. No entanto, os anos de demora de um processo não devem, de forma alguma, impedir que a população corra atrás de seus direitos. No caso do bairro, por exemplo, ainda existem alternativas a serem exploradas. O processo de regulamentação pelo Cidade Legal, por exemplo, ainda existe e já se encontra em fase avançada. A arquiteta Natasha Lamônica da Seplan acredita que a regulamentação deve ser alcançada nos próximos dois anos. Mas nada disso foi conquistado sem luta. Não é hora de desistir! Somente com a mobilização de todos, com cobranças efetivas ao Poder Público é que construiremos o bairro que todos desejam. Equipe Voz do Nicéia

Horário de ônibus Unip / Makro Horário de saída do Unip/Makro - Dia útil 06:12 06:48 07:29 08:11 08:45 09:27 10:02 10:46 11:23 12:09 12:47 13:33 14:10 14:55 15:29 16:11 16:41 17:25 17:58 18:41 19:16 19:48 20:20 20:50 22:03 22:30 23:05 Sábado 05:56 06:20 09:12 09:48 12:52 13:26 18:22 19:36

06:59 10:21 14:06 20:46

07:30 11:02 14:40 21:56

08:04 08:39 11:42 12:15 15:54 17:08 23:06

Domingo/Feriado 06:50 07:58 09:06 10:14 11:22 12:30 13:38 14:46 15:54 17:02 18:10 19:18 20:26 21:34

Maria Cristina de Oliveira Compotas de doces 9737-3417

Câmpus /CTI: Horários saída do Campus - CTI - Dia útil 06:20 06:40 07:20 07:40 08:20 08:40 09:02 09:39 10:00 10:30 11:00 11:20 12:16 12:36 12:56 13:16 13:33 13:56 14:26 14:56 15:26 16:20 16:26 17:16 17:36 18:00 18:22 18:36 18:56 19:36 20:00 20:36 21:00 21:26 22:00 22:27 23:05 Sábado Horário saída: Câmpus - CTI 06:25 07:17 07:45 08:10 08:35 09:30 10:20 11:15 12:32 13:00 13:25 14:17 15:10 16:02 18:40 19:33 20:25 21:18 23:03

MERCADO SOLUÇÃO Rua 4-14 3203-0543

Cícera Pompeu Borda Chinelos Rua: Francisco V. dos Santos, 1-80

Nicéia Jornal comunitário bimestral do bairro Jardim Nicéia, em Bauru-SP Projeto de Extensão Universitária Expediente Jornalista responsável Angelo Sottovia Aranha MTB-12870 Reportagem Adriana Salgado Aline Pádua Alisson Lopes Ana Navarrete Bárbara Figueiredo Beatriz Haga Carolina Seiko Giovani Vieira João Paulo Monteiro Lydia Rodrigues Souza Mariana Duré Monique Nascimento Thais Perregil Willy Delvalle Edição João Paulo Monteiro Vitor Moura Fotografia Giovani Vieira Lydia Rodrigues Mariana Duré Vitor Moura Diagramação e Edição de Arte João Paulo Monteiro Edição Geral Angelo Sottovia Aranha Coordenação do projeto João Paulo Monteiro Vitor Moura FAAC - Unesp Bauru Departamento de Comunicação Social Endereço: Av. Engenheiro Luiz Edmundo Carrijo Coube, 14-01 Vargem Limpa - Bauru/SP vozdoniceia.wordpress.com jornal.vozdoniceia@gmail.com Tiragem: 1000 exemplares Impresão: Fullgraphics Distribuição Gratuita


Voz do Nicéia

Setembro de 2012

3

Tapa aqui, descobre ali Processo é paralisado por falta de depoimentos de alguns moradores Vitor Moura/Voz do Nicéia

Ana Navarrete

E não foi dessa vez que saiu algum resultado da ação movida pelos moradores do Jardim Nicéia. Durante os dias 21, 23 e 30 de agosto, às 14 horas, na 2ª vara cível do Fórum de Bauru, estavam previstas as tão esperadas audiências do processo de USUCAPIÃO movido por um grupo de moradores do bairro. Porém, o que aconteceu nos dois primeiros Para quem não se recorda, o USUCAPIÃO é uma forma de aquisição da propriedade imóvel, conseguida de maneira legal através de declaração feita por um juiz por sentença, ocorrendo devido a posse ininterrupta por determinado período de tempo, nas condições estabelecidas pela Lei. As regras quanto ao Usucapião estão previstas no nosso Código Civil, nos artigos 1238 ao 1244.

dias paralisou o processo até segunda ordem. A Equipe do "Voz do Nicéia" esteve no Fórum no dia 23 e acompanhou todos os depoimentos dos moradores que tentam, de forma privada, conseguir a legalização das terras pelo processo de USUCAPIÃO. Todos os moradores que foram convocados a darem seu testemunho foram ouvidos. O juíz questionou o tempo de permanência de cada morador no bairro e de que maneira conseguiram suas residências. Alguns moradores afirmaram possuirem uma carta de doação da ex-proprietária das terras, outros alegaram que ganharam de conhecidos e parentes. Os advogados da outra parte, que representa a família Madureira, afirmaram ao jornal que, na verdade ,"todos estão do mesmo lado, esperando que o

processo seja finalizado e que as terras sejam doadas aos moradores o mais rápido possível". Após ouvir todos os presentes, o juíz convocou outros cinco moradores que não compareceram durante o primeiro e o segundo dia de audiência para saber o motivo da falta. Ao juiz foi informado, e ele aceitou como verdade, que esses cinco moradores haviam falecido durante o tempo de espera para o andamento do processo. Por esse motivo o processo foi paralisado sem data para retornar. O advogado dos moradores Dr. Rubim Slobodtikov informou que até os moradores se organizarem e encaminharem os documentos, o processo ficará paralisado; "O próximo passo seria conversar com os herdeiros dos falecidos ou familiares mais próximos, que provavelmente darão continuidade ao

processo para que eles possam me enviar seus documentos (cópias do RG e CPF), e assim, remarcar a audiência para dar continuidade ao processo. Sem esses novos documentos, o processo fica "congelado", afirma o advogado. Até agora apenas um herdeiro entrou em contato com o advogado e encaminhou os documentos. Para Rubim, "o juiz entendeu que todos os recursos precisam ser movidos para esses herdeiros se manifestarem. Os advogados da família Madureira pediram um prazo final ao juiz, porém, esse prazo ainda não foi dado". O advogado afirma que na sua opinião, "o juiz agiu com sabedoria para não ferir o direito de nenhum herdeiro". Os moradores que não compareceram são Iraci Correia, João Florentino da Silva, José Carlos Moreira, José Wilson de Abreo e Severino Cavalcanti de Barros. Para os herdeiros e familiares próximos das pessoas citadas, que desejam dar continuidade ao processo, é necessário que entrem em contato com o advogado Dr.Rubim Slobodticov pelo telefone (14)3018-0804. O número da ação de USUCAPIÃO movida pelos moradores do Jardim Nicéia é 599/2006 - 6a vara cível. Qualquer morador pode ir lá acessar os documentos do processo.


4

Voz do Nicéia

Setembro de 2012

Lydia Rodrigues/Voz do Nicéia

Nicéia no pódio Crianças do bairro fazem bonito no esporte e colecionam medalhas Aline Pádua Carolina Seiko Lydia Rodrigues

As olimpíadas de Londres terminaram recentemente com festa dos atletas brasileiros, trazendo na bagagem um total histórico de 17 medalhas. Agora as atenções do universo dos esportes se voltam para o nosso país que será sede da Copa do Mundo em 2014 e receberá as Olimpíadas no Rio de Janeiro em 2016. E aqui no Nicéia também tem muita gente colecionando medalhas. As crianças do bairro participam de um projeto de atletismo com apoio da Dona Joana da Silva, pre-

sidente da associação de moradores, em parceria com o Cabo Alcides dos Santos Gonçalves. Alcides é professor de educação física e trabalha em projetos integrados da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel) de Bauru. O garoto Guilherme Prado Garcia, 10 anos, revira a casa tentando achar as medalhas que estavam guardadas numa caixa. Ele segue os passos do irmão Mateus que começou há mais tempo no atletismo. "Um dia ganhei segundo lugar, quase primeiro, mas o moleque correu mais que

Daniely já conquistou 13 medalhas e não tem preguiça de levantar cedo para competir

eu!”, conta animado Guilherme trazendo as medalhas para mostrar. Há um ano participando do atletismo, Daniely Martins de Souza, de 9 anos, ainda Divulgação/Associação dos Moradores do bairro

As medalhas providenciadas pelo Cabo Alcides são doadas de outras competições oficiais

sente aquele friozinho na barriga antes das competições. A mãe dela, Priscila, nos contou que a menina acordou várias vezes durante a noite antes de uma competição de corrida com medo de perder o horário. Animada com o esporte, Daniely não tem preguiça de acordar às 6 da manhã para ir ao treino. O projeto desenvolvido no Nicéia faz parte do programa da Associação Comunidade-Êxodo (Acaê) que também atende crianças nos bairros Parque Jaraguá e Jardim Petrópolis. Segundo o Cabo Alcides, o objetivo do projeto é formar uma equipe competitiva no futuro. “Depois do juvenil muitos deles passaram a ser atletas competitivos, começaram a disputar jogos regionais, jogos abertos”, conta.


Voz do Nicéia

5 Divulgação/Associação dos Moradores do bairro

Cabo Alcides comenta também que a proposta é estabelecer um treinamento regular com as crianças do Nicéia. Para isso, o projeto pretende utilizar a pista de treinos da Unesp e estabelecer parcerias para custear uniformes, condução e alimentação dos pequenos atletas durante o treinamento. Mas para quem gosta de futebol, bem perto do Nicéia fica a Unesp, que desenvolve o projeto Futebol Escola. Vitor Hugo Ferreira Soares participa aos sábados, jogando nas quadras da UNESP. Essa foi a opção que sua mãe encontrou já que Vitor queria ir para uma escolinha de futebol

Setembro de 2012

Um dos esportes preferidos pelas crianças é o atletismo, disputado no campo do Oriente, no Jardim Petrópolis

particular. Ele participou do I Festival de Futebol Integração do projeto Futebol Escola da UNESP em julho deste ano. Para quem gosta de espor-

tes, a UNESP oferece uma série de modalidades, todas gratuítas. Atletismo, handebol, vôlei, academia, aikidô, karatê, futebol, equoterapia e natação

são praticados na Praça de Esportes. Para mais informações, basta entrar em contato com o Departamento de Educação Física, no 3103-6082. Divulgação/Associação dos Moradores do bairro

Lydia Rodrigues/Voz do Nicéia

Lydia Rodrigues/Voz do Nicéia


6

Voz do Nicéia

Setembro de 2012

Giovani Vieira/Voz do Nicéia

Por um Nicéia mais limpo Falta de consciência ambiental e de fiscalização ainda são desafios Adriana Salgado Bárbara Figueiredo Giovani Vieira

Se não bastassem os transtornos do canteiro das obras das galerias de água que se arrastam há meses, os moradores do Jardim Nicéia também convivem também com o entulho, mato e lixo irregular em terrenos baldios. Não é difícil encontrar em uma das seis ruas da comunidade um terreno ou um espaço vazio que virou um depósito de sofás velhos, pneus, material de construção e lixo doméstico; todos espalhados irregularmente. De acordo com a aposentada Aparecida Lopez, muitos de seus vizinhos ignoram as placas informando que é proibido jogar lixo em determinado local, instaladas pela Associação de Moradores. “Isso é falta de educação e respeito, porque muitos moradores do bairro passam por aqui e jogam um monte de coisa. Assim fica difícil de cuidar”, contesta a moradora. O motorista Pedro Antônio Caetano mora em frente ao canteiro de obras central do bairro e diz que o problema existe há muito tempo. Para ele, falta conscientização dos moradores. “Não tem explicação para jogarem lixo nas ruas. Se a pessoa não tem lixeira em casa, ela pode colocar uma sacola no portão e o caminhão do

lixo vai pegar. Também colocaram algumas lixeiras coletivas no bairro, mas o pessoal prefere jogar no chão a andar mais um pouco”, esbraveja. O mato alto dos terrenos baldios também incomoda a família da costureira Miriam da Silva. “Vem barata, aranha para dentro de casa. Tenho uma filha de quatro anos que já achou escorpião aqui em casa”, pontua. Segundo a moradora, o problema é mais grave na Rua 6, pois a situação do mato alto se junta ao de pouca iluminação. Como proceder A prefeitura diz disponibilizar serviços, como capinação e limpeza de áreas públicas, de graça. Gisele Cantador, agente de administração do Departamento de Ações e Recursos Ambientais da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, explica que “os trabalhos incluem o roço com auxílio de tratores, podas do gramado, limpeza de guias e sarjetas, remoção de detritos da via pública, limpeza do passeio público, podas das árvores, jardinagem e remoção dos resíduos gerados na limpeza”. Para solicitar tais serviços, o morador deveria ligar para o número 3235-1038 ou enviar a sua solicitação para o email dara@bauru.sp.gov.br. No entanto, nossa equipe tentou

Terrenos baldios viram depósito de lixo irregular

entrar em contato com a Prefeitura por meio desse telefone e não obteve resposta, apenas o email foi respondido. Mais problemas Dona Joana Miguel flagrou um de seus vizinhos realizando uma poda de árvore ilegal e jogando galhos em um terreno baldio. Quando tentou acionar a delegacia do meio ambiente, avisaram-na que ela teria de ir até o local, na Vila Falcão, para entrar com um boletim de ocorrência. “Poxa vida, já estou ajudando o trabalho deles, porque, na verdade, eles que deveriam estar fiscalizando

e não estavam”, desabafa Joana, indignada, “eu entrei com a denúncia, passei os dados de quem passou a poda e eles nem sequer vieram investigar”, completa. Apesar da sujeira vista no bairro, também existem moradores que acreditam na mudança de comportamento da comunidade. A dona de casa Margarete Soares cuida da frente de sua casa com o máximo de cuidado. “Todos os dias eu pego os papéis, as garrafas plásticas. Eu penso que o cuidado com a nossa casa deve começar de fora para dentro”, conta a moradora.


Voz do Nicéia

Setembro de 2012

7

As eleições estão chegando, e já é hora de decidir em quem votar. A equipe do Voz do Nicéia quer saber se os moradores estão por dentro das propostas políticas e o que acham que precisa ser resolvido no bairro.

Beatriz Haga Mariana Duré

"O que você espera do candidato em que irá votar??"

"Precisa implantar aqui um posto de saúde. Tem mãe que sai às 5 horas da manhã, atravessa a escuridão pra pegar senha no posto do Geisel ou do Jardim Europa" Cássio Sales Nunes dos Santos, 28 anos

Mariana Duré/Voz do Nicéia

"Falta sair a escritura das casas, asfaltar, fazer benfeitorias aqui dentro do Nicéia. Os vereadores ganham 7, 8 mil reais e não fazem nadinha pela gente" Luis Carlos da Silva, 76 anos

Mariana Duré/Voz do Nicéia

Mariana Duré/Voz do Nicéia

Mariana Duré/Voz do Nicéia

"Seria bom se eles focassem mais nos bairros carentes. Por exemplo, aqui não tem nada para as crianças e os idosos fazerem, uma creche, um parquinho" Sueli Aguiar, 30 anos

"Eu espero que asfaltem o bairro, principalmente por causa do ônibus. Aqui tem pessoas deficientes, crianças de colo, e pra subir fica difícil né, principalmente com essa terra" Elaine de Castro Assunção, 31 anos

Mariana Duré/Voz do Nicéia

"A gente acompanha as propostas dos políticos todos os dias. Eles precisam colocar mais médicos nos hospitais, porque a gente já tem que andar um monte pra chegar, e às vezes ainda perde a viagem" Simone Felipe, 33 anos, e sua mãe Sebastiana Aparecida Felipe, 52


Voz do Nicéia

Setembro de 2012

Monique Nascimento/Voz do Nicéia

8

Perfil Monique Nascimento

Mural

Há seis anos a vida de José Carlos, o Pelé ou Pelézinho, mudou completamente. Naquela época ele trabalhava como pintor em prédios na Avenida Duque de Caxias, comandando 18 outros funcionários. Foi quando, ao tentar atravessar a rodovia Marechal Rondon, foi atropelado. Um carro surgiu inesperadamente de trás de um caminhão. Na tentativa de fazer uma ultrapassagem, o veiculo acertou Pelé em cheio. O motorista parou para prestar socorro. Havia um posto da polícia rodoviária próximo, então a

nheiro do seguro por causa do acidente, seu cunhado avisou que havia uma casa para vender no Jardim Nicéia. “Eu gosto muito de churrasco e quando ganhei o seguro meu cunhado me disse que tinha uma casa aqui pra vender. Então ele me aconselhou: aplica seu dinheiro, senão vai tudo em carne queimada!”, lembra. Logo, Pelé se mudou do Jardim Aviação para o Nicéia, onde mora até hoje. Ele diz que foi complicado se adaptar no início; “foi difícil no começo, já que não tinha muita amizade por ser novo aqui”. Mas com o tempo foi se acostumando com o lugar e fazendo novos companheiros; “todo mundo é amigo, tenta apoiar os outros, é gostoso morar aqui”.

Confira aqui as fotos da ação de cidadania no bairro, realizada pela Igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério no Ipiranga do Jardim Nicéia. Os presentes puderam cortar o cabelo e realizar medição de pressão de graça.

CONCURSO CULTURAL NICEIA POR ELE MESMO

O Jornal Voz do Nicéia está promovendo um concurso cultural com o tema: O Nicéia por ele mesmo. Para participar, é simples, basta enviar um texto, desenho ou foto que retrate como o bairro é para você. Os trabalhos selecionados serão publicados aqui, no nosso Mural. Participe você também! Envie para o nosso email, o jornal.vozdoniceia@gmail.com ou entregue para um dos integrantes da nossa equipe!

ajuda não demorou a chegar. Depois disso, foram dois meses na UTI e mais seis meses em fisioterapia, durante o processo de recuperação. Mesmo assim, os movimentos do lado direito do corpo de Pelé nunca mais foram os mesmos e ele já não podia mais trabalhar como antes. Na tentativa de conseguir sua aposentadoria, contratou um advogado, mas o caso nunca foi para frente. Nesse meio tempo ele foi perdendo muitas chances. Ainda pintor, Pelé faz bicos, mas diz que sua esposa, Maria de Lurdes, é quem contribui com a renda de casa trabalhando como doméstica; “se minha mulher não fosse à luta, eu passaria fome”. Quando recebeu o di-

Voz do Nicéia 13 Setembro 2012  

Jornal Comunitário Voz do Nicéia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you