Page 1

PO RT FO LI O


“want everything we do to be beautiful. I don’t give a damn whether the client understands that that’s worth anything, or that the client thinks it’s worth anything, or whether it is worth anything. It’s worth it to me. It’s the way I want to live my life. I want to make beautiful things, even if nobody cares.” SAUL BASS


ATENテァテグ! AS PAGINAS QUE SE SEGUEM PODEM PROVOCAR orgasmos inesperados, POr ISSO POR FAVOR TENHA CUIDADO COM O TRABALHO APRESENTADO.


As letras aparecem à nossa volta, no dia-a-dia, em estilos muito variados e em contextos muito diversos. Fisicamente, elas aparecem sobre superfícies diferentes, em muitos materiais e são geralmente reproduzidas através de uma vasta gama de processos técnicos. Estamos tão habituados a vê-Ias ao nosso redor que, por vezes, tornamo-nos cegos a elas. Este projecto está orientado para fazer-vos olhar, ver e pensar sobre aquilo que, possivelmente, vos passa despercebido.


TIPO GRA FIA E CON TEX TO Neste trabalho era necesario REALIZAR uma recolha fotogrรกfica de tipogrรกfia na rua, objectos com histรณria e forma de letra que na nossa opiniรฃo fossem consideradas interessantes a nivel do contexto histรณrico e social.


Cada letra é uma forma em si mesma, uma forma que pode servir como uma ilustração, um ícone como um recipiente, ou como uma ponto focal gráfico, independemente do seu significado como unidade alfabética. Especialmente quando aplicada em escalas em formas diferentes. Letras podem ser expressivas quando usadas isoladamente, como contorno, ou como contentor de outros objectos. O actrativo da forma indivual também pode ser alcançado através da sua representação parcial, cortado, explodido quadriculado, invertida horizontal e verticalmente. A forma da letra possuiu uma relação intrínseca com

qualquer tipografia que a acompanhe. Essa integração herdade unifica o design de toda a composição. Para esta proposta procurei explorar o máximo de abordagens tipográficas diferentes de forma a ilustrar como a abordagem visual, o grafismo e o peso, ilustram toda a uma intenção muda por parte de quem as criou, onde a contextualização é quase sempre intuitiva e fácil de identificar. Procurei ter igualmente em atenção a composição gerla de todas as fotografia juntas e como estas ficariam , uma vez aglutinadas entre si. Acho que esta proposta foi muito interessante porque deu nos a olhar mais atentamente para tipografia.


No projecto anterior foi NOS pedido para observarem diferentes estilos de letra, bem como as suas diferentes aplicações. Neste projecto tivemos de investigar as possibilidades expressivas da tipografia, mas considerando as letras individualmente como formas gráficas e como elas, em conjunto, podem criar imagens e transmitir diferentes emoções.


BAI RRO TI PO GRA FI CO Da lista de bairros ou locais propostos, TIVEMOS de escolher qual serIA o alvo do MEU projecto. Depois, a partir de uma grande variedade de tipos de letra, escolheR exemplos que melhor identifiquem o conceito que propUS. A imagem gráfica terá a forma resultante da mistura, fusão ou sintetização de letras existentes que observEI. TIVE de considerar a escala entre as letras e como elas se fundem ou entrelaçam para um resultado final satisfatório.


Através de Papel, tesoura, régua, tintas e pincéis, cola, fita-cola, etc poderia utilizar qualquer técnica ao meu dispor: colagem, fotocópia, desenho/pintura, etc tinhamos de criar um poster ou composição sobre locais propostos pelo professores que foram os seguintes: Foz do Douro, Praça dos Leões, Bairro da Pasteleira, Cais da Ribeira, Matosinhos Sul, Rotunda da Boavista, Porto de Leixões e São Bento. Esta proposta tem como objectivo a escolha e a combinação de diferentes tipos de letra e estilos, para a elaboração de um composição ilustrativa de um conceito associado

Pesquisa de tipografias e seleccão para a construção do poster do bairro.

a um determinado bairro ou local da cidade. O Bairro escolhido foi a Praça dos Leões. A partir de um grande variedade de tipos de letra foi necessário escolher o que melhor se identificasse com o conceito proposto. A imagem gráfica é a resultante mistura, fusão e sintetização de letras existentes que se recolheu. O Conceito escolhido foi ponto de partida, a ilustração transmite o movimento na praça, representado pelos Leões como é obvio, jactos de tinta que representam a água da fonte e uma pessoa(Gomes Teixeira) que lhe tiraram o nome da praça.


O texto não é um elemento periférico na criação gráfica, é antes um elemento básico e fundamental, tanto no que diz respeito à mensagem, como do potencial gráfico de qualquer projecto. Ao ler um parágrafo, não lemos letras individuais, nem sequer as palavras individuais. O olho percorre cada linha de texto lendo grupos de palavras. No tratamento do texto existem factores que influenciam a facilidade de leitura e algumas regras estéticas.


ES PA ÇAR E ALI NH AR


O texto não é um elemento periférico na criação gráfica, é antes um elemento básico e fundamental, tanto no que diz respeito à mensagem, como do potencial gráfico de qualquer projecto. o ler um parágrafo, não lemos letras individuais, nem sequer as palavras individuais. O olho percorre cada linha de texto lendo grupos de palavras. No tratamento do texto existem factores que influenciam a facilidade de leitura e algumas regras estéticas.

Esta proposta é um projecto de dois exercícios, no primeiro exercício, é fornecido uma frase em que as letras são cortadas individualmente, e há uma reconstrução da frase com o objectivo de ajustar o espaçamento entre estas. No segundo exercício é fornecido um texto, o qual teremos que cortar as palavras e alinha-lo numa folha à esquerda e noutra justificado. Este exercício familiariza-nos

com característica tipográficas como o Kerning, traking, espaço entre palavras, leading, largura da coluna, dentes de cavalo, rags, viúvas, órfãos e ligaduras.


Maquete Final


TI PO GRA FIA & LAY OUT

Neste Projecto TIVE DE aplicar conhecimentos tipográficos específicos, bem como testar capacidades de composição e criatividade. NecessitEI de escolher cuidadosamente o tipo de letra, o layout do texto, cor, formato, etc.


Neste projecto concebi a capa, contra capa e lombada do MEU livro favorito. Para o interior EscolhI o tipo de letra, margens, etc da página de rosto, página de abertura de capítulo e de uma dupla página de texto.

Com a pesquisa realizada começei a pensar nas ideias principais que absorvi do livro para possivelmente usar na capa do livro. Inicialmente começei por dividir o livro em 3º partes: Apresentação das personagens e proposta de assalto; história de cada personagem da quadrilha; e por fim concretização do assalto onde tudo corre mal.Para representar isto graficamente utilizei 3 rectângulos onde encaixei o titulo do livro. Depois intersectei um raio no meio dos 3 rectângulos que é o resultado da acumulação de todos males realizados pelas personagens que se reflectiu no dia do assalto. Primeiro começei por desenhar a fonte do título do

livro manualmente baseado no cartaz de Saul Bass: Burn After Reading, tentando encaixar o titulo dentro dos 3 quadrados correctamente. Fiz um scan ao que tinha realizado e fiz uns pequenos testes no photoshop. Até que me surgiu a ideia de vectorizar o que eu tinha realizado e acrescentei mais umas coisas ao meu trabalho. O meu trabalho estava a ganhar um rumo mas eu queria uma capa que fosse mais manual, então quando fiz as ilustrações que iam encaixar com o resto do meu trabalho aproveitei e voltei ao trabalho manual, onde voltei a redesenhar o meu trabalho só quecom um ar mais manual.


As imagens apresentadas são a evolução da capa que passou do digital para o manual a par de ilustrações realizadas por mim.


PRO JEC TO HY PER LI NK O projecto consiste na investigação, recolha e estudo de conteúdos teóricos (textos, entrevistas, etc) através da navegação na internet (através de hyperlinks). TINHA DE SE centrar no tema design gráfico e mais especificamente tipografia. O resultado final do projecto deverá ser apresentado à turma como parte dinamizadora de uma aula.


Neste trabalho tivemos de investigar e descobrir o que é mais revelador e interessante na página em nos encontramos. Não nos podiamos limitar aos links que encontramos lá, utilizamos um motor de busca (ex: google.com) para aprofundarmos a nossa pesquisa.

Não podiamos investigar apenas os links do grupo anterior, pois podiamos seguir qualquer link deixado em aberto por qualquer grupo. A apresentação era uma parte fundamental deste desafio, e tinha de ser visualmente interessante.

Fedra Serif


Estará a internet a provocar uma ruptura nos padrões tradicionais do processo de ensinar e aprender? O tempo dos mestres, dos gurus, do saber centralizado e da dicotomia professor/aluno está a ser desafiado pela própria participação destes na rede. Aqui, aprender e ensinar acontecem ao mesmo tempo. O “hiperlink” veio subverter a hierarquia.

Imagens representadas são: Revista Dot Dot Dot , e uma fonte tipografica Fedra Sans realizadas por Peter Billak.


I DEN TI DADE DE EV EN TO A tendência cada vez mais orientada para o visual é uma marca patente da sociedade contemporânea, somos uma geração de leitores movidos pelo hedonismo, pela pressa e pelo imediatismo. A motivação à leitura e compreensão de uma mensagem varia – diferentes arranjos gráficos provocam reacções diversas. Essa reacção determina o sucesso do trabalho do designer.


Desenvolvimento de propostas para a identidade visual e materiais de divulgação gráfica de um ciclo de cinema dedicado à obra do realizador norte-americano David Fincher.

No cartaz procurei mostrar o lado negro do David Fincher que é transferido para os seus filmes através de manchas pretas de tinta e através da tipografia representar o movimento que existe na fita do filme e da mudança de frames por segundo, decidi também dar um lado de divirtimento usando um metodo de colagem de fotocopias e tapando os olhos do realizador e desenhando uma barba aparentemente postiça. A razão para utilizar tipográfia toda a mão foi porque queria mostrar o lado sujo e negro dos filmes do Fincher. No desdobravel realizei uma construção de texto simples e bem estruturada. No interior obviamente usei o mesmo conceito do cartaz através de pinceladas pretas a fazer de suporte dos titutlos dos filmes e fotografias a preto e branco, na programção também utilizei as pinceladas. A nivel de tipografia usei a Myriad Pro Semicondesada para o texto corrido e Myriad Pro Semicondesada Bold. A nivel de dobragem do desdobravel fiz dobrado em 4 partes

e outro desdobravel mais reduzido dividido 4 partes verticalmente com uma dobragem horizontal. No desdobravel realizei uma construção de texto simples e bem estruturada. No interior obviamente usei o mesmo conceito do cartaz através de pinceladas pretas a fazer de suporte dos titutlos dos filmes e fotografias a preto e branco, na programção também utilizei as pinceladas. A nivel de tipografia usei a Myriad Pro Semicondesada para o texto corrido e Myriad Pro Semicondesada Bold. A nivel de dobragem do desdobravel fiz dobrado em 4 partes e outro desdobravel mais reduzido dividido 4 partes verticalmente com uma dobragem horizontal. Nas t-shirts aproveitei uma parte do meu cartaz para construir as t-shirts escolhi esta parte porque é a parte do cartaz que brinca com o realizador e que na minha opinião é dos elementos que marca mais quem vé o meu trabalho. Para seguir o conceito coloquei a citação com a tipografia pintada manualmente.


Evolução dos Trabalhos, utilizei essencialmente a parte manual combinada com o digital.

5FS  2VB "MJF O  4FY 4FW   F 4BC 5F( O  ' BN F 4FH JHI   U 5FS 1BO $MVC  JD   2VJ ;PE 3PPN  JB   4FY 5IF D  $  4BC 5IF VSJPV T$ 4   5IF PDJBM/ BTFP  (JS F U XP G#FO . MX VTJD JUIUI SL KBNJO  #V F WJE UUP FPT %SBHP O $ O  PN 5BUUP NF SDJB P  MT* * * ***


Cartaz FInal


Desdobravel


Iplson, T-shirt


FOR MA E CON TE Ú DO A partir de uma das canções dos Joy Division, desenvolvI uma banda visual ou clip gráfico original – sequência de palavras e imagens impressas, aberta a todas as possibilidades de experimentação e criação gráfica, organizadas numa sucessão ordenada de páginas, através da qual é desenvolvida uma ideia, um tema ou uma metáfora que acompanhe, amplifique ou mesmo antecipe a recepção da própria música.


O objectivo deste trabalho era mostrar ou dar a entender que com imagens bem colocadas e estruturadas aliadas com tipográfia dar o movimento e musicalidade da banda joy division. A nivel estético variei bastante o estilo por vezes tinha partes que eram mais digitais, e por outro manuais(tintas,cola, lapis de cera, pastel, fotocópias) O que procurei bastante foi ter uma linha variada de estilos que era seguida

pelo livro em completo. Por fim o que queria mostrar que o manual e o digital podem-se unir para criar algo decente. A nivel de tipografia tentei procurar fontes que fossem caracteristicas do estilo da banda.Inicialmente pensei apenas usar tipografia desenhada manualmente mas como tinha vários estilos uns virados mais para o digital e outros para o manual utilizava os que se encaixava melhor para cada página.

Onde procuramos ideias para um design? Poder-se-á utilizar a mesma aproximação para todos os desafios? Como a utilização da tipografia, cor, fotografia, escala e materiais podem influenciar a mensagem? Neste projecto será pedido que explores de forma criativa a relação entre o conteúdo de uma mensagem e a forma visual que o expressa.


Algumas paginas da maquete do livro


Existem milhares de tipos de letras. Muitas são variações das outras. Mas, ainda assim, existem centenas de tipos originais que datam desde o séc. XV (da invenção da tipografia), até ás fontes digitais do presente.


POS TER TI PO GRÁ FI CO


Criar um póster com o propósito de publicitar o tipo de letra. Cada aluno vai escolher um tipo de letra e investigar o seu designer, o período no qual foi criada e as características que a distingue das outras. O design deve ilustrar as qualidades formais da letra, fazendo referênciaao seu contexto histórico e evocando o carácter do seu design.

A proposta tem como objectivo criar um póster com o propósito de dar a conhecer 3 tipos de letra do mesmo tipografo. Cada aluno escolheu um designer, tipografo, e escolheu 3 tipos de letra, investigou sobre o seu período e características que as distinguem das outras. O póster ilustra as qualidades formais da letra, fazendo

contexto histórico e evocando o carácter do seu design. O designer escolhido foi Peter Billak e as tipografias foram a Fedra Serif, a Ferdra Sans e a Eureka.


GRE LH AS E PA GI NA ÇÃO


O design envolve o estudo das relações, tanto formais como conceptuais, que existem entre elementos visuais. Trabalhar com tipografia implica estudar relações entre letras, entre palavras, entre linhas, entre colunas, entre diferentes tipos de texto, entre texto e imagem, entre espaço e mancha e entre forma e conteúdo. A Paginação é a consideração global destas relações num determinado espaço – a página..

Este exercício tem como objectivo o estudo de grelhas e como estes podem ser utilizados, o estudo de métodos de ordenação e organização visual e o estudo do papel que a tipografia detem na paginação. É um exercício

As grelhas foram originalmente criadas para suportar o trabalho tipográfico dos jornais. A grelha de colunas providencia uma estrutura vertical de suporte para o texto. A grelha modular, através da introdução de uma estrutura horizontal, adiciona uma maior flexibilidade e potencial criativo ao acto de paginar, mas sem sacrificar o controlo e a organização.

manual que pretende construir um layout de uma duas páginas de um revistas. É escolhido um artigo e composto a sua apresentação e organização dos elementos que o compõe, textos, fotografias, legendas etc.


“It’s not about knowing all the gimmicks and photo tricks. If you haven’t got the eye, no program will give it to you.” DAVID CARSON


João Fonseca 12209 2’3C

project annual portfolio  

portofolio de todos os trabalhos realizados em na cadeira de projecto do 2ºano 2010/2011