Issuu on Google+

GUIA DE PARTICIPAÇÃO

Uma introdução para crianças e jovens

Rio+twenties


GUIA DE PARTICIPAÇÃO

Uma introdução para crianças e jovens

Rio+twenties


Aviso Legal O conteúdo desta publicação não necessariamente reflete as opiniões oficiais da Conferência de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas ou outras instituições das Nações Unidas. Nem a Rio+twenties, nem qualquer pessoa envolvida na elaboração, ou organização agindo em nome da Rio+twenties é responsável pelo uso das informações contidas neste guia de participação. Direitos Autorais © Rio+twenties, Brussels, 2011 Guia de Participação Rio+20 é uma publicação aberta, sujeita aos termos do Creative Commons Attribution License (http://creativecommons.org). Esta publicação pode ser reproduzida na íntegra ou em partes e em qualquer forma de serviço coletivo e educacional, sem permissão especial dos detentores dos direitos autorais, se reconhecida o a fonte original do texto. A logomarca da Rio+20 é propriedade das Nações Unidas e as Nações Unidas possui todos os direitos sobre seu uso. Citação Rioplustwenties, 2011. Guia de Participação Rio+20 - Uma introdução para crianças e jovens. Bruxelas Autores Este guia de participação foi escrito por Ward Claerbout, Sebastien Duyck, Michaela Hogenboom, Saba Loftus, Ivana Savic e Ben Vanpeperstraete. Editores executivos Saba Loftus e Ben Vanpeperstraete Editor de texto Brendan Coolsaet Versão em Português Este Guia de Participação foi traduzido para o Português por uma equipe de voluntários Brasileiros composta por: Camila Argôlo Godinho, Claudia Labate, Emanuel Antônio, Evelyn Araripe (Viração), Heloisa Garcia, João Mello, João Felipe Scarpelini (Change Mob), Juliana Mercuri, Lúcia Helena Pereira Scarpelini (Change Mob), Michelly Aragão, Safira de La Sala (Change Mob), Mariana Kz (Cala Boca Já Morreu). Revisão da Tradução para o Português Camila Argôlo Godinho e Lúcia Helena Pereira Scarpelini (Change Mob) Coordenação da Tradução para o Português João Felipe Scarpelini (Change Mob) Por favor, imprima este guia de acordo com os mais altos padrões ambientais e sociais.


Agradecimentos Este guia de participação foi iniciado pelos membros do comitê Rio+twenties da Rio+20. Este projeto não teria acontecido sem o conselho, apoio e contribuição de muitos jovens ativistas. Agradecimentos especiais: Nicolo Wojewoda (IT)—Road to Rio, LloydRussel Moyle (UK)—IFM-SEI, Lisa Develtere (BE), Kiara Worth (SA), Gabe Van Wijck (NL)—DNYC, Felix Beck (DE)—DBJR, Rachel Ray Butler (US)—Rapid Response, Anna Collins (UK)—GCCA, Bernadette Fischler (AT)—WAGGGS, Mitch Lowenthal (US)—SustainUS, Sophie Manson (UK)—Young Friends of the Earth Europe, Tan Mei Jia—EcoSingapore, Leela Raina (India)—Indian Youth Climate Network, Juliana Russar (BR)—Adopt a negotiator and Diana Vogtel (UK)—350.org. Também reconhecemos às milhares de pessoas ao redor do mundo que contribuíram para o progresso do desenvolvimento sustentável em suas áreas, incluindo os milhares de jovens. Vocês são uma constante fonte de inspiração e fortalecimento. Rio+twenties é agradecida pelo apoio financeiro fornecido pelo Programa Youth in Action

Crédito das imagens UN Photo/Michos Tzavaros (p.6) – Flickr Creative Commons/woodleywonderworks (p.22) – Flickr Creative Commons/SustainUS (p. 28, 32, 37, 50, 58) – R.Hart’s “Ladder of Participation” (adaptation) (p.34) – British Council’s Global Changemakers (p. 39) Young Friends of the Earth Belgium (p.62) – Flickr Creative Commons/David Shankbone (p.72) As fotos usadas neste guia de participação são de propriedade dos autores e os autores detém todos os direitos sobre seu uso.

Rio+twenties Para mais informações: www.rioplustwenties.org info@rioplustwenties.org


Contents Introduzindo a Conferência de Desenvolvimento Sustentável da ONU������������������������������������������������������������������������������������������������� 10 Desenvolvimento Sustentável���������������������������������������������������������������������������10 Rio+20������������������������������������������������������������������������������������������������������������������14 Objetivos����������������������������������������������������������������������������������������������������������14 Temas���������������������������������������������������������������������������������������������������������������16 Economia Verde�����������������������������������������������������������������������������������������16 Principais datas e reuniões������������������������������������������������������������������������17 Governança�������������������������������������������������������������������������������������������������18 Processo�����������������������������������������������������������������������������������������������������������21 Atores���������������������������������������������������������������������������������������������������������������22 Dicas e truques�����������������������������������������������������������������������������������������������24 O Grupo de Crianças e Jovens���������������������������������������������������������� 28 Visão e Missão�����������������������������������������������������������������������������������������������������30 Filiação������������������������������������������������������������������������������������������������������������������30 Parceiros de Organização����������������������������������������������������������������������������������31 Estrutura���������������������������������������������������������������������������������������������������������������32 O Espaço da Juventude���������������������������������������������������������������������������������32 Forças tarefas para definições políticas ������������������������������������������������������32 Força Tarefa em Economia Verde����������������������������������������������������������32 Força Tarefa em Governança�������������������������������������������������������������������33 Força Tarefa em Objetivos ����������������������������������������������������������������������33 Grupos de trabalho����������������������������������������������������������������������������������������34 A Equipe Facilitadora��������������������������������������������������������������������������������34 O Grupo de Trabalho de Comunicação�������������������������������������������������34 Grupo de Trabalho de Ação Jovem��������������������������������������������������������34 Grupo de Trabalho de Crianças��������������������������������������������������������������35 Processo de tomada de decisão������������������������������������������������������������������������35 Durante a CDS�������������������������������������������������������������������������������������������35 Através da lista de e-mails�������������������������������������������������������������������������36


O que você pode fazer…������������������������������������������������������������������� 40 O que é participação?�����������������������������������������������������������������������������������������40 Formas de participação��������������������������������������������������������������������������������������41 Você quer ser um jovem articulador?����������������������������������������������������������42 Dicas e truques em articulação jovem���������������������������������������������������������44 Você quer ser um ativista?�����������������������������������������������������������������������������45 Dicas e truques para jovens ativistas�����������������������������������������������������������46 Você quer fazer parte da mídia?�������������������������������������������������������������������49 Dicas e Truques Para Jovens Comunicadores��������������������������������������������50 Você quer ser um facilitador?�����������������������������������������������������������������������51 Dicas e Truques para Facilitadores��������������������������������������������������������������52 Você quer ser um apoiador?�������������������������������������������������������������������������53 Você é um estudante universitário?�������������������������������������������������������������53 Dicas e Truques para Apoiadores����������������������������������������������������������������55 Catalizar a ação local?������������������������������������������������������������������������������������56 Dicas e Truques para Catalizar Ações Locais!�������������������������������������������57 Antes do Rio+20������������������������������������������������������������������������������� 60 Buscar participantes��������������������������������������������������������������������������������������������60 Promover a Rio+20����������������������������������������������������������������������������������������60 Entre em contato com o seu Conselho Nacional de Juventude ������������61 Tentar contatar sua delegação oficial ����������������������������������������������������������61 Participar dos encontros de regionais e nacionais de juventude�������������63 Não esqueça a papelada!������������������������������������������������������������������������������������63 Credenciamento e registro����������������������������������������������������������������������������63 Pré-registro��������������������������������������������������������������������������������������������������64 Credenciamento�����������������������������������������������������������������������������������������66 Visto�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������66 Financiamento�������������������������������������������������������������������������������������������������67 “��������������������������������������������������������������������������������������������������������� 68


Durante a Rio+20����������������������������������������������������������������������������� 70 Envolvimento com a Conferência Rio+20�����������������������������������������������������71 Da sua casa������������������������������������������������������������������������������������������������������71 De fora da conferência ��������������������������������������������������������������������������������73 Mantenha contato��������������������������������������������������������������������������������������73 Networking�������������������������������������������������������������������������������������������������74 Ações�����������������������������������������������������������������������������������������������������������74 Dentro da conferência Rio+20 �������������������������������������������������������������������76 Intervenção Oral����������������������������������������������������������������������������������������76 Acompanhamento das negociações��������������������������������������������������������78 Espaços de negociação – o lobby������������������������������������������������������������78 Participação nos workshops e oficinas de educação����������������������������79 Realizando um evento paralelo����������������������������������������������������������������80 Dicas e Truques para Realizar Eventos Paralelos �������������������������������������81 Margem de Manobra��������������������������������������������������������������������������������������82 O que Fazer e Não Fazer ?���������������������������������������������������������������������������83 “��������������������������������������������������������������������������������������������������������� 84 Depois da Rio+20����������������������������������������������������������������������������� 86 Por que precisamos acompanhar?�������������������������������������������������������������������86 “��������������������������������������������������������������������������������������������������������� 88 Abreviações �������������������������������������������������������������������������������������� 90


Padrões de consumo desiguais já são evidentes nesse processo. Como juventude, que constitui 60% da população mundial, temos direito a 22 minutos do tempo oficial ao longo do processo. É justamente aí que a mudança deve se iniciar” —Wagaki Mwangi Fala durante a Cúpula da Terra de 1992

8 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Introducing the UN Conference on sustainable development

Capítulo 1

Introduzindo a Conferência da ONU sobre

desenvolvimento sustentável

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 9


Introduzindo a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável Desenvolvimento Sustentável é uma expressão que tem sido atrelada com frequência a todas as “boas” práticas de desenvolvimento e meio ambiente. Como seu conceito tem uma longa história, será apresentado um panorama histórico para que se compreenda o contexto do objetivo que queremos atingir. Somente e então, poderemos conhecer mais a fundo a Conferência Rio+20.

Desenvolvimento Sustentável Durante as décadas de 50 e 60, ficou claro que o meio ambiente estava se deteriorando rapidamente em todo o mundo. Em 1962, Rachel Carlson, em seu livro “A Primavera Silenciosa” introduziu a ideia de desenvolvimento atrelado com desenvolvimento econômico, proteção ambiental e bem estar social. Seis anos mais tarde foi iniciado um debate sobre sustentabilidade ambiental na Conferência da Biosfera da UNESCO. No próximo ano, em 1969, aconteceu o primeiro Dia da Terra (Earth Day) em São Francisco, EUA, e desde então esta se tornou uma celebração anual. No mesmo ano, a organização Amigos da Terra (Friends of Earth) foi criada, marcando um momento de ebulição dos movimentos em defesa do meio ambiente. Dois anos mais tarde, nasceram o Greenpeace e o Instituto Internacional para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (International Institute for Environment and Development). Como conseqüência, importantes acontecimentos ocorreram em 1971 a OECD adotou o princípio do poluidor pagador e, no ano seguinte, a Conferência da ONU sobre o Homem e Meio Ambiente aconteceu em Estocolmo, Suécia, estabelecendo o Programa das Nações Unidas para o Meio 10 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Introducing the UN Conference on sustainable development

Ambiente (PNUMA) (UNEP - United Nations Environmental Programme). O Clube de Roma publicou seu “Limites do Crescimento” que previa consequências catastróficas se a mesma intensidade e modelo de desenvolvimento tivesse continuidade. Em 1976, pela primeira vez, a relação entre meio ambiente e ocupação do território pelo homem foi mencionada em uma Conferência das Nações Unidas. Entretanto, o termo “desenvolvimento sustentável” foi introduzido apenas anos mais tarde por Eva Balfour e Wek Jackson na Estratégia de Conservação Mundial da IUCN publicada em 1980. Em 1987, “Nosso Futuro Comum”(conhecido como Relatório de Brundtland”) definiu desenvolvimento sustentável como “o desenvolvimento que garante as necessidades do presente sem comprometer a habilidade das futuras gerações de garantir suas próprias necessidades”. Em 1990, o Instituto Internacional do Desenvolvimento Sustentável foi estabelecido e a Reunião da Cúpula das Nações Unidas para Crianças reconheceu o impacto dos aspectos ambientais para as futuras gerações. Estes temas foram abordados, conjuntamente, na Reunião da Cúpula da Terra (Earth Summit), que ocorreu em 1992. A Reunião da Cúpula da Terra é o nome popular dado à Conferencia de Desenvolvimento e Meio Ambiente das Nações Unidas, que ocorreu em 1992, no Rio de Janeiro, Brasil. Aproximadamente 170 governos participaram com mais de 2400 representantes de ONGs. A Reunião da Cúpula da Terra resultou nos seguintes documentos, que estão hoje entre os mais importantes documentos sobre desenvolvimento sustentável de nosso tempo: • Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento: princípios que enfatizam a coordenação de questões econômicas e ambientais; • Agenda 21: medidas globais para a proteção do meio ambiente do planeta garantindo, ao mesmo tempo, crescimento econômico; • Princípios da Floresta: preservação das florestas e monitoramento dos impactos em terras com uso florestal; Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 11


• Convenção de Combate à Desertificação (CCD): que propoem uma abordagem participativa envolvendo comunidades locais no combate à desertificação em ecossistemas específicos; • Convenção em Diversidade Biológica (CBD): este acordo internacional tem o objetivo de conservar a diversidade biológica, o uso de seus componentes de maneira sustentável e para o compartilhamento, de maneira justa e igualitária, entre todas as pessoas envolvidas, dos benefícios advindos do uso de seus recursos genéticos. • Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Globais do Clima (UNFCCC - UN Framework Convention on Climate Change): esta convenção tem objetivo de fornecer um sistema de ações para desacelerar as mudanças climáticas causadas pelo homem em dimensões administráveis. As Convenções de Diversidade Biológica, Combate à Desertificação e Mudanças Climáticas são frequentemente apelidadas de “as três Convenções do Rio”. A UNFCCC é a mais famosa entre todas, e foi a que gerou o Protocolo de Kyoto. Em 1997, os países preocupados com as alterações climáticas encontraram-se em Kyoto, Japão, e estabeleceram o compromisso de reduzir suas emissões de gases do efeito estufa (GEE) com base nas emissões de 1990. A meta de redução global é de 7% até 2012, marco do fim do primeiro período de compromissos. Infelizmente, os EUA (maior emissor per capita) não ratificaram o Protocolo até hoje. A Reunião da Cúpula da Terra também deu início à nova comissão operacional do Comitê Econômico e Social das Nações Unidas (UN Economic and Social Committee – ECOSOC), denominada Comissão de Desenvolvimento Sustentável (CDS) a qual possui a tarefa de monitorar o progresso internacional com relação ao desenvolvimento sustentável, fornecer orientações políticas, e coordenar ações junto às Nações Unidas para atingir as metas da Agenda 21. Dez anos mais tarde, em 2002, a Conferência Rio+10 aconteceu em Johannesburg, África do Sul, e teve como principal produto o Plano de Implementação de Johannesburg (Johannesburg Plan of Implementation – JPOI). Este documento teve o objetivo de fornecer maiores orientações para a 12 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Introducing the UN Conference on sustainable development

operacionalização do desenvolvimento sustentável por meio do avanço de três áreas prioritárias: • Erradicação da pobreza • Alteração dos padrões de consumo e produção. • Produção e proteção de recursos naturais básicos.

Objetivos e temas da Rio+20 Os temas da Rio+20 • Uma economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza (GESPDE), em suma: economia verde (veja página 16). • A estrutura institucional para desenvolvimento sustentável (IFSD), em suma: governança (veja página 18). Os objetivos da Rio+20 • Assegurar a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável. • Avaliar o progresso atual e as lacunas na implementação das resoluções das Cúpulas de Desenvolvimento Sustentável • Abordar desafios novos e emergentes.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 13


Finalmente, o desenvolvimento sustentável emergiu como um dos mais proeminentes paradigmas do desenvolvimento nas últimas quatro décadas. O conceito tem como propósito uma abordagem holística, englobando diversas dimensões como econômica, ambiental, social e desenvolvimento participativo em uma única estrutura. Ao longo dos anos mais recentes, pudemos ver o crescimento da institucionalização do desenvolvimento sustentável no âmbito internacional.

Rio+20 Em 2009, a Assembleia Geral das Nações Unidas (UN General Assembly UNGA) decidiu “organizar, em 2012, a Conferência de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas no mais alto nível possível, incluindo os líderes de Estado e Governos ou outros representantes, e neste sentido, aceita com gratidão a oferta do Governo Brasileiro de hospedar a Conferência” (parágrafo 20 da resolução A/RES/64/236). É nossa esperança que o resultado seja “voltado para o futuro e orientado por ações” e produza um “documento político e focado”.

Objetivos Os objetivos da Rio+20 abordam um vasto terreno em termos de debates políticos e possíveis resultados. O primeiro objetivo é garantir a renovação de compromissos políticos para o desenvolvimento sustentável. Contra o cenário de numerosas crises, houve apenas um tímido comprometimento para o desenvolvimento sustentável e as negociações mais relevantes parecem atrair poucos Líderes de Estado (com exceção da décima quinta Conferência das Partes da UNFCCC - COP15 - em Copenhagen). Assim, recentemente, o comitê da Rio+20 identificou que este é o objetivo mais importante da Rio+20. O segundo objetivo é a avaliação do progresso até o momento e as insuficiências remanescentes na implementação dos resultados das maiores 14 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Introducing the UN Conference on sustainable development

cúpulas do desenvolvimento sustentável. O raciocínio implícito a isto é que tanto a Agenda 21, quanto a Declaração do Rio ofereceram muitas políticas para a comunidade internacional, que em sua maioria continua relevante hoje. O maior desafio para atingir o progresso tem sido a implementação efetiva, e a Conferência Rio+20 precisa trazer novas orientações sobre isso. O último objetivo é analisar desafios novos e emergentes. O Secretário Geral da Conferência, Mr. Sha Zukang, destaca alguns novos e emergentes desafios que devem ser levados em consideração: • Empregos verdes e inclusão social; • Acesso à energia, eficiência e sustentabilidade; • Segurança alimentar e agricultura sustentável; • Gestão da água; • Cidades sustentáveis; • Manejo de oceanos; e • Aperfeiçoamento da resistência e preparação para desastres.

A transição para uma economia verde requer uma noção mais apurada de bemestar [...] que leve em consideração nossas limitações sociais e planetárias” —contribuição do MGCY para o rascunho do documento da Rio+20 Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 15


Temas Economia Verde

Não existe uma definição consensual sobre o que é uma economia verde. Aqueles a favor de uma “economia verde” focam primeiramente na intersecção entre meio ambiente e economia. Existem dilemas com frequência entre os objetivos ambientais e econômicos e a economia verde; os tomadores de decisão querem reconhecer e fortalecer sinergias entre os dois conceitos. Aqueles que se opõe ao conceito de “economia verde” não hesitam em enfatizar a necessidade clara de enquadramento de economia verde em certo contexto especificamente do Desenvolvimento Sustentável e Erradicação da Pobreza. Portanto, economia verde não pode e não deve substituir o conceito de Desenvolvimento Sustentável. Não iremos apoiar nenhuma perspectiva e é decisão do leitor decidir-se sobre sua escolha, e recomendamos a leitura sobre o assunto (existe um vasto material disponível na internet). Assim existem diferentes pontos de vista sobre economia verde. No entanto, de uma maneira geral, os seguintes elementos emergiram até o momento:

1. Reduzir, reutilizar e reciclar, incluindo fazer toda a produção verde, vista por muitos como uma cura para uma economia doente, e também reconhecida como uma visão liberalista de Mercado. Sinônimo de “lavagem verde” e “ganância verde”;

16 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Introducing the UN Conference on sustainable development

Principais datas e reuniões 24/dez/2010

Nova Iorque, Estados Unidos

Assembleia Geral da ONU adota a resolução convocando a Rio+20

16-18/maio/ 2010

Nova Iorque, Estados Unidos

Primeiro comitê preparatório

11-12/jan/2011

Nova Iorque, Estados Unidos

Primeira reunião Intersessional

7-8/mar/2011

Nova Iorque, Estados Unidos

Segundo comitê preparatório

7-9/set/2011

Santiago, Chile

Reunião preparatória regional da América Latina e Caribe

7-9/out/2011

Cairo, Egito

Reunião preparatória regional da região Árabe

19-20/out/2011

Seoul, Coréia

Reunião preparatória regional da Ásia

20-25/out/2011

Addis Abeba, Etiópia

Reunião preparatória regional da África

01/nov/2011

Diversas localidades

Prazo final de colaborações no documento de compilação

1-2/dez/2011

Genebra, Suíça

Reunião preparatória regional da Europa (incluindo América do Norte)

15-16/dez/2011

Nova Iorque, Estados Unidos

Segunda reunião Intersessional

25-27/jan/2012

Nova Iorque, Estados Unidos

Discussões iniciais sobre o documento de

19-23/ mar/2012

Nova Iorque, Estados Unidos

Negociações (informais) no rascunho do documento final

26-27/ mar/2012

Nova Iorque, Estados Unidos

Terceira reunião Intersessional

30/abr - 4/ mai/2012

Nova Iorque, Estados Unidos

Negociações (informais) no rascunho do documento final ( a ser confirmado)

13-15/jun/2012

Rio de Janeiro, Brasil

Terceiro e último comitê preparatório

16-19/jun/2012

Rio de Janeiro, Brasil

“Conferência do meio” informal

20-22/jun/2012

Rio de Janeiro, Brasil

Conferência das Nações Unidas pelo Desenvolvimento Sustentável (UNCSD/ Rio+20)

compilação (rascunho zero)

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 17


2. Economia de Ecossistemas e Biodiversidade (The Economics of Ecosystems and Biodiversity - TEEB), uma abordagem adotada para demonstrar como ferramentas e conceitos da economia podem ajudar a sociedade a incorporar valores da natureza em tomadas de decisões feitas em todos os níveis. O objetivo do TEEB é fornecer uma ponte entre a ciência multidisciplinar da biodiversidade e a arena das políticas nacional e internacional bem como de governos locais e no setor de negócios; 3. Des-crescimento ou uma abordagem crítica ao sistema econômico, baseado num conceito conhecido como “dura sustentabilidade”; 4. Crescimento distributivo, que busca olhar para Consumo e Produção Sustentável de modo simplório.; 5. Transição Global, mudanças incrementais com o fortalecimento de instituições chave no sistema financeiro, baseada na identificação, entre outros, de um número de princípios de documentos prévios das Nações Unidas. Os resultados podem variar de compreensão comum, visão compartilhada para um roteiro prático e um banco de ferramentas. Governança

A discussão sobre a Estrutura Institucional para o Desenvolvimento Sustentável olha sob um prisma radical a melhoria do atual sistema de governança para o Desenvolvimento Sustentável. O principal desafio é entender como instituições chave para o Desenvolvimento Sustentável podem trabalhar, em conjunto com outras instituições financeiras (IFIs), bancos multilaterais (MDBs) e o resto do sistema das Nações Unidas na definição dos objetivos do desenvolvimento sustentável. Os debates focam principalmente no papel das instituições em diferentes pilares (econômico, ecológico e social), bem como em sua inter-relação. Isto pode incluir questões na tomada de decisões, implementação ou responsabilização (ou prestação de contas). Varia desde o aperfeiçoamento de instituições já existentes, criação de novas instituições ou aumento dos esforços para que diferentes instituições trabalhem juntas. A discussão também engloba âmbitos locais, nacionais e internacionais. 18 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Introducing the UN Conference on sustainable development

Principais grupos de negociação • ALBA: ALBA é a sigla em Espanhol para Alinaça Bolivariana para as Américas, uma coalização de oito países de esquerda da América Latina. Os países da ALBA defendem uma alternativa à estrutura capitalista liberal, incluindo as discussões sobre desenvolvimento sustentável. • Grupo Asiático: Grupo de estados asiáticos das Nações Unidas, não são muito coordenados, em geral. • União Africana (UA): A UA é a maior organização política regional e inclui todos os países da África à exceção do Marrocos. Em processos internacionais a União Africana defende os interesses gerais do povo Africano. • BASIC: Grupo que reune Brasil, África do Sul, Índia e China. Esse grupo de países emergentes se manifestou de forma bastante organizada durante as negociações climáticas em Copenhagen. • União Européia (UE): A UE reune 27 membros que discutem seus posicionamentos conjuntamente antes de participar de negociações internacionais. Trata-se de um bloco bastante sólido de países, mais capaz de apresentar pontos comuns do que a maioria das outras coalizões. • Grupo dos 77: O G77 é o maior grupo de negociações, reunindo 131 países em desenvolvimento do Hemisfério Sul. Por conta da variedade de seus membros, o G77 raramente promove pontos específicos, além dos interesses gerais dos países em desenvolvimento. Dependendo do tópico, a China também pode integrar as negociações como parte do grupo. • Grupo da América Latina e Caribe (GRULAC): inclui 33 países localizados na América Latina. Por conta das grandes diferenças políticas e econômicas entre seus membros, esse grupo

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 19


está perdendo força. • JUSSCANNZ: Esse grupo inclui a maioria das nações desenvolvidas do Hemisfério Norte que não integram a União Européia, incluindo Austrália, Canadá, Noruega, Japão, Suíça, Nova Zelândia e Estados Unidos (a sigla JUSSCANNZ vem da combinação da primeira letra dos nomes em inglês da maioria desses países). Os posicionamentos deste grupo, entretanto, são menos integrados do que os da União Européia. • Países Menos Desenvolvidos (LCDs): Este grupo compreende os países com os menores Índices de Desenvolvimento Humano e menores receitas. Esses países estão localizados principalmente na África, mas também alguns da Ásia, Pacífico e Caribe. • Liga do estado Árabe: A Liga é uma organização política que promove os interesses dos seus 22 membros, do Norte da África ao Oriente Médio. • Organização dos Países Exportadores de petróleo (OPEP): é principalmente um bloco de comércio que defende os interesses de seus 12 membros (localizados no Oriente Médio, África e América Latina). Como a economia dos países da OPEP dependem em grande parte na receita do petróleo, OPEP tem, com frequência, uma posição conservadora em relação à cooperação internacional para o desenvolvimento sustentável. • Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento: Este grupo é composto por países insulares que enfrentam desafios similares na área do desenvolvimento sustentável. Esses países estão localizados principalmente no Pacífico, no Caribe e ao redor da costa Africana. A maioria deles são também membros da Aliança dos Pequenos Estados Insulares, participantes de variados processos de discussão da ONU. Nota: Alguns grupos de países existem somente para os processos de negociação sobre um determinado tópico. 20 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Introducing the UN Conference on sustainable development

Processo Inicialmente, a resolução da Assembleia Geral previa três reuniões preparatórias para a Rio+20. Contudo, ao final da segunda reunião preparatória, o número de dias gastos preparando para a cúpula cresceram rapidamente. A tabela na página 17 mostra um panorama dos eventos mais importantes para a Rio+20. Note que o cronograma ainda está em execução pode sofrer alterações. Para outros eventos e atualizações, por favor, sigam o site oficial da Rio+20: http://www.uncsd2012.org Outros eventos não oficiais estão sendo (ou serão organizados) pelo movimento da sociedade civil. Estes irão ocorrer paralelamente ao cronograma oficial e podem influenciar potencialmente o resultado final.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 21


Atores Podemos dividir os principais atores da Rio+20 nos seguintes grupos chave: • Membros de Estado: A ONU possui 193 membros; porém nem todos os países têm poder de barganha igualitária. Para aumentar a influência destes Estados, estes serão agrupados para defender interesses comuns. Alguns grupos estão bem estabelecidos, outros, no entanto, atuam de forma colaborativa. Muitos países são membros de mais de um grupo ou aliança. Por exemplo, Algéria é ao mesmo tempo membro do Grupo dos 77 (G77), da União Africana (AU) e da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP)(Organisation of Petroleum and Exporting Countries - OPEC). O Brasil por exemplo é membro do G20, do Mercosul, entre outros. • Sistema da ONU e outras Organizações Intergovernamentais: Além dos estados, estruturas do Sistema ONU irão atender a Rio+20 como observadores. Enquanto eles terão lugares em salas de consultas, eles não poderão negociar diretamente. No geral, essas estruturas tomam forma de organizações formadas por tratados, convenções ou programas especializados. Isso inclui as três convenções do Rio (UNFCCC, CCD, CBD), Organização Internacional do Trabalho (ILO), a Organização de Alimentos e Agricultura (FAO), O Programa das Nações Unidas pelo Meio Ambiente (UNEP), Organização Científica e Educacional da ONU (UNESCO), o Banco Mundial, Organização Mundial de Comércio (WTO) dentre muitas outras. • Sociedade Civil: Outro grupo de atores é a sociedade civil. As Organizações não governamentais (ONGs) são uma parte importante da sociedade civil e espera-se que milhares de ONGs participem da conferência Rio+20. Similarmente às funções do Sistema da ONU, elas participam das negociações e podem, algumas vezes, intervir por meio de Grupos Principais, porém nem os Grupos, nem as ONGs podem negociar diretamente. Dentre estas ONGs existe uma variedade de formato, organização, objetivos, táticas, visões, etc., e sua única similaridade é que não são governamentais.

22 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Introducing the UN Conference on sustainable development

Jovens Delegados Oficiais Alguns países incluíram delegados jovens em suas delegações oficiais. Quanto mais a juventude estiver representada e quanto maior sua legitimidade, melhor. Em geral, há limites para as possibilidades de atuação dos jovens delegados e delegadas oficias, por conta disso, uma boa alternativa é aliar a presença desse representante com o trabalho de outros jovens de seu país. Atualmente são poucos os países que contam com um delegado jovem delegação jovem, temos agora uma ótima oportunidade para mudar esse cenário. Você pode aproveitar esse momento e cobrar de seu governo, que inclua no processo de composição da delegação oficial a seleção de um delegado jovem. Em alguns casos, declarações de apoio de profissionais da ONU, podem colaborar nessas negociações. Bélgica, Alemanha, Holanda e Suécia são exemplos de países que tem tradição na inclusão de um representante jovem em sua delegação oficial. Esses países podem ser apresentados como referência no diálogo com as autoridades do seu país. Jovens Delegados da Alemanha, por exemplo, tem um mandato estipulado pelo Conselho Nacional de Jovens da Alemanha com o apoio do Ministério do Meio Ambiente do país. Isso significa que os dois delegados jovens da Alemanha representam cerca de 5.5 milhões de crianças, adolescentes e jovens tanto na delegação nacional quanto no MGCY. O governo alemão tem, além disso, um sistema especialmente pensado para aumentar a participação de jovens em países em desenvolvimento: eles dão apoio à participação de dois delegados da África nas negociações. No geral a juventude dos países do Hemisfério Sul são sub representados em negociações internacionais. Aumentar o número de jovens representantes desses países é crucial, uma vez que vindos de países em desenvolvimento e emergentes, eles contribuem uma visão importante para o desenvolvimento sustentável no cenário global. O governo alemão deu um passo ousado ao ampliar a participação da sociedade civil de regiões sub representadas fortalecendo, ao mesmo tempo, a participação da sociedade de seu próprio país. Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 23


Dicas e truques • Entre em contato com a delegação do seu país no processo que culminará na Rio+20 e também no que acontecerá após a Cúpula. • Procure encontrar formas de reunir contribuições de jovens e crianças durante os próximos meses. Dessa forma mais jovens estarão envolvidos e engajados e a participação nos processos da Rio+20 se torna mais representativa. • Procure encontrar maneiras de garantir a continuidade da conversa entre os representantes jovens a fim de promover uma participação significativa e possibilitar a troca de conhecimento. • Faça uso da sua figura como um delegado oficial para o benefício do movimento juvenil. Você com certeza vai ter acesso a informações e reflexões únicas. Seja tranparente com sua delegação a fim de não ultrapassar limites indevidos. • Dê uma olhada no ‘Guia das Nações Unidas para Jovens Delegados’, que você encontra em http://bit.ly/ youthdelegateguide • Para mais dicas e dúvidas entre em contato com os Parceiros da Organização do MGCY (veja o próximo capítulo) ou escreva para o departamento de juventude da ONU youth@un.org .

24 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Introducing the UN Conference on sustainable development

• Grupos de Interesse (Também conhecidos como Grupos Principais ou Majoritários, em inglês, Major Groups): A Agenda 21 determinou os 09 principais grupos da sociedade que são afetados pelo Desenvolvimento Sustentável. São eles: Negócios e Indústria, Criança e Juventude, Fazendeiros, Povos Indígenas, Autoridades Locais, ONGs, Comunidade Cientifica e Tecnológica, Mulheres e Trabalhadores e Sindicatos. Todos estes grupos têm seu próprio ponto focal (Parceiros Organizacionais) e sua maneira de operar. Os jovens são representados pelo Grupo da Criança e Juventude. Para mais informações, veja o capítulo 7. Este nove grupos representam apenas uma parte da sociedade civil que estarão presente na Rio+20 e ser um membro destes não é pré-requisito para atender à Conferência. Alguns atores da sociedade civil não encontram valor agregado em associar-se a um dos Grupos de Interesse específicos e disseminam suas próprias táticas independentemente ou em outras coalizões. • Bureau ou Secretariado: A Conferência Rio+20 é organizada por um Bureau e Secretariado dedicado. O Bureau é composto por representantes dos principais grupos regionais com o objetivo de facilitar a Conferência. O Bureau orienta o Secretariado durante as preparações na Conferência, bem como em suas diferentes sessões. O Secretariado dá suporte à Conferência e ao Bureau com atividades que variam desde organização cotidiana, redação de documentos base até estabelecimento de relacionamento entre os vários atores. • Mídia: Enquanto a mídia não participa do processo, é crucial que exista a comunicação sobre o que está acontecendo na Conferência com o mundo de fora.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 25


A maneira mais fácil de corromper um jovem é instruí-lo a ter maior estima por aqueles que pensam como ele, do que pelos que pensam diferente dele” —Friedrich Nietzsche The Dawn of Day

[INSERT QUOTE]

26 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


The Major Group for Children and Youth

CapĂ­tulo 2

O Grupo de Interesse de

Crianças e Jovens

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 27


O Grupo de Crianças e Jovens Crianças e Jovens são os principais atores morais no que se refere ao Desenvolvimento Sustentável. A participação efetiva deles é, portanto, um pré-requisito para o Desenvolvimento Sustentável. O Grupo de Crianças e Jovens é a principal plataforma para a participação da juventude no processo da Rio+20. Este capítulo trará um panorama geral sobre o mesmo.

O Grupo de Crianças e Jovens (Major Group on Children and Youth, MGCY) é um dos nove grupos da sociedade civil reconhecido pela Agenda 21. Este é a representação da juventude na Rio+20. Por isso, o MGCY tem cadeira oficial e possibilidade de fala limitada durante a Conferência. Internamente, é definido como um guarda-chuva sob o qual todas as organizações juvenis, redes e jovens têm a oportunidade de se reunir, participar, defender e agir para alcançar a sustentabilidade. Concretamente, o MGCY se encontra online, através de diferentes listas de e-mail e em um sítio de internet público (http://www.uncsdchildrenyouth.org/). Quando membros se encontram em um mesmo território (em Nova Iorque, ou no Rio), há reuniões pelo menos uma vez ao dia, geralmente pela manhã, a fim de tomar as principais decisões e planejar com antecedência o(s) próximo(s) dia(s). O MGCY, de certa forma, é uma “faça-o-cracia”. Enquanto projetos menores serão impulsionados por poucas pessoas com a energia e capacidade de mobilizar outros jovens e de fato fazer acontecer, atividades com consequências no longo prazo (estratégia) serão discutidas, consultadas e decididas dentro de um grupo maior. Isto é crucial para assegurar a transparência e responsabilidade. Uma das nossas maiores forças é que nós somos capazes de trabalhar juntos sem interesses pessoais em jogo.

28 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


The Major Group for Children and Youth

Mas por favor fique atento de que há a possibilidade de pessoas tentarem te influenciar, pois a voz da juventude é muito forte. Tome cuidado com o que você fala, o que você replica e lembre-se de que estamos construindo relacionamentos – e os governos não são os inimigos/oposição, mas sim os nossos parceiros para conseguirmos uma mudança. Seja persuasivo, esteja preparado, informe-se e crie uma mudança positiva. Você pode encontrar mais informações sobre como este Grupo funciona aqui: http://www.youthcaucus.net/about/Processes-and-Procedures.

Objetivos do MGCY São objetivos do Grupo de Interesse de Crianças e Jovens (Major Group for Children and Youth - MGCY): • Ampliar a total participação de crianças e jovens na Rio+20 e nos processos relacionados à Cúpula. • Abrir espaço para diálogo, colaboração, participação e diversidade dentro do MGCY. • Encorajar, promover e fortalecer o papel da sociedade civil na Rio+20. • Reunir esforços para ser um ator engajado e com credibilidade no processo da Rio+20.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 29


Visão e Missão A visão do Grupo de Crianças e Jovens é a participação avançada dos jovens em todos os níveis: local, nacional, regional e internacional, na proteção do meio ambiente e na promoção do desenvolvimento social e econômico. A missão do Grupo de Crianças e Jovens é de garantir que os interesses das crianças e jovens sejam levados em consideração nos processos de planejamento e tomada de decisão, e que a juventude, em particular, participe significativamente no processo da Rio+20.

Filiação O MGCY é uma coalizão internacional de crianças e jovens que têm dois tipos de filiação: membro individual (abaixo de 30 anos de idade) e o membro coletivo (organizações lideradas por crianças ou jovens). A filiação é adquirida por meio da adesão aos princípios e políticas da MGCY, e pela inscrição na principal lista de discussão (rioplus20youthspace@googlegroups.com). Um membro pode sair do grupo se desligando da lista de 30 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


The Major Group for Children and Youth

discussão e a filiação individual no MGYC termina automaticamente quando o membro passa a ter trinta anos de idade. Uma filiação organizacional ativa pode continuar indefinidamente contanto que tenha um representante participando da rede. Qualquer membro que não esteja cumprindo as obrigações estipuladas abaixo pode correr o risco de ser removido do Grupo. O critério para filiação será alterado temporariamente para a Rio+20. Como a ONU decidiu que o Grupo de Crianças e Jovens será o mecanismo para que a juventude se envolva com a Rio+20, qualquer jovem envolvido com qualquer processo ou programa da ONU (ex: UNFCCC, UNEP, CBD, CCD, ...) será automaticamente considerado um membro (a não ser que não queira). Assim como qualquer jovem com menos de 30 anos de idade, automaticamente pode ser considerado membro do MGCY contanto que se escreva na lista de e-mail. Todos os novos membros tem os mesmos direitos e obrigações dos demais membros do MGYC.

Parceiros de Organização Cada um dos 09 Grupos de Interesse tem os seus próprios Parceiros de Organização (Rio+20 Organizing Partners – OPs). Os Parceiros de Organização não lideram nenhum dos Grupos de Interesse, mas servem como um apoio institucional e buscam facilitar o funcionamento do seu Grupo. Isso significa que eles não são os lideres do grupo, mas os indivíduos que mantém a comunicação fluindo entre o grupo e a Secretaria. Rio+Twenties, a organização por trás deste guia, é um dos Parceiros de Organização para o Grupo de Interesse de Crianças e Jovens. Para conhecer a lista de parceiros de organização e contatos, por favor visite http://bit.ly/OPcontact

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 31


Estrutura O MGCY é estruturado nos seguintes grupos. A comunicação dentro desses grupos é feita principalmente por ferramentas livres na internet, como o Google Groups e Skype.

O Espaço da Juventude http://groups.google.com/group/Rioplus20YouthSpace A lista de e-mail do Espaço da Juventude da Rio+20 é o principal espaço de comunicação. Esse é um grupo para jovens de todo o mundo para compartilhar informações e discutir sobre a Conferência em Desenvolvimento Sustentável da ONU (Rio+20). Por favor junte-se à lista para receber todas as atualizações, informações compartilhadas e discussões gerais.

Forças tarefas para definições políticas Por meio de diferentes forças tarefas para definições políticas,a opinião dos jovens é formada e compilada acerca de tópicos como economia verde ou o futuro do quadro institucional para o desenvolvimento sustentável. A primeira contribuição para as forças tarefas foi esboçar a posição do MGCY sobre as principais questões temáticas, que foi submetido para a Secretaria no dia 1 de Novembro de 2011, para inclusão no Documento de Compilação. Força Tarefa em Economia Verde

http://groups.google.com/group/green-economy-youth Este grupo trabalha com Economia Verde no Quadro de Desenvolvimento Sustentável e Erradicação da Pobreza (GESPDE, veja página 15).

32 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


The Major Group for Children and Youth

Somos a próxima geração de tomadores de decisão e queremos ação e mudança” —Declaração de Bandung, Conferência Tunza de Juventude do PNUMA 2011 Força Tarefa em Governança

http://groups.google.com/group/rio-20-youth-IFSD Este grupo trabalha com o Quadro Institucional em Desenvolvimento Sustentável (IFSD, veja página 18). Força Tarefa em Objetivos

http://bit.ly/Rio-Youth-Objectives_Taskforce Este grupo trabalha com os três objetivos da Rio+20, isto é, garantir a renovação de comprometimentos políticos, avaliar o progresso até o momento e as lacunas de implementação, e direcionar os desafios novos e emergentes.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 33


Grupos de trabalho O Grupo (MGCY) organiza suas ações por meio de uma série de grupos de trabalho, que são coordenados por uma equipe facilitadora. Os grupos de trabalho lidam com tudo que não é “ação política”. A Equipe Facilitadora

http://groups.google.com/group/facilitation-team A Equipe Facilitadora do MGCY é um grupo de jovens de todo o mundo que tem tempo, capacidade e comprometimento de colaborar ativamente nas preparações para a Conferência em Desenvolvimento Sustentável da ONU (Rio+20). Ela coordena todas as atividades do MGCY e se reúne a cada duas semanas por meio de uma ligação on-line para rever o progresso dos grupos de trabalho e das forças tarefas. Por favor, junte-se a esta lista, apenas se você tiver algumas horas livres por semana para as tarefas de acompanhamento (filiação passa por moderação). O Grupo de Trabalho de Comunicação

http://groups.google.com/group/Rioplus20YouthComms Este grupo de trabalho, lida com todas as questões internas e externas de comunicação e fornece uma voz unificada de crianças e jovens para o MGCY. Grupo de Trabalho de Ação Jovem

http://groups.google.com/group/rio20-youth-mobilisation Este grupo de trabalho é orientado para a ação e lida com tudo, desde projetos de grande escala até projeto básicos, campanhas e/ou ações criativas que a juventude estão realizando, tanto dentro quanto fora do centro de conferência no Rio.

34 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


The Major Group for Children and Youth

Grupo de Trabalho de Crianças

http://groups.google.com/group/rio20-working-group-on-children?hl=en Como a voz das crianças são frequentemente menos ouvidas que a dos jovens, este grupo de trabalho tenta melhorar a participação das crianças e empoderá-las para que se engajarem no processo da Rio+20.

Processo de tomada de decisão O MGCY delibera anualmente durante as reuniões do CDS, reuniões preparatórias como a Reunião Preparatória Intergovernamental (IPM sigla em inglês) e as Reuniões de Implementação Regional (RIMs - sigla em inglês), e por listas de discussão por e-mail. As listas de discussão serão os principais meios de comunicação para todos os processos de tomada de decisão e envolvimento ali. Diferentes processos de tomada de decisão serão seguidos de diferentes eventos, como estipulado abaixo. Durante a CDS

• O Grupo se reúne diariamente se não for decidido o contrário; • A reunião é chamada pelas Parceiros de Organização (OPs); • Qualquer membro do Grupo pode propor um tópico para a pauta pelo menos 30 minutos antes da sessão. • O MGCY decide por consenso baseado nos seus princípios. • Qualquer decisão que seja realizada por consenso deve ser implementada pelos membros do Grupo de maneira unificada, com todos os membros totalmente comprometidos com a decisão que foi tomada; • Em situações/ocasiões raras onde o debate inclusivo não resulte em consenso, a PO pode tomar uma decisão executiva para garantir que processos cruciais sejam concluídos.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 35


• Decisões podem ser tomadas a respeito das atividades e processos relacionados à própria CDS, no entanto decisões mais estratégicas com consequências de longo prazo podem ser formuladas no CDS e devem ser decididas online. Através da lista de e-mails

• Todas as decisões que precisam ser feitas no decorrer do ano, e decisões de longo prazo, serão enviadas para o MGCY por meio da lista de discussão de e-mails. • Um esboço da proposta será enviado para a lista de discussão de e-mails e aberta para comentários por pelo menos 2 semanas, se não decidido ao contrário. Todos os membros do Grupo terão a oportunidade de expor suas considerações relacionadas à decisão com os OPs; • Uma segunda proposta será circulada considerando os comentários levantados anteriormente por pelo menos uma semana. Se não houver nenhum questionamento ou discordâncias, a proposta é vista como adotada. • Prazos mais curtos para a tomada de decisão podem ser organizado baseados nas exigências externas de urgência.

36 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


The Major Group for Children and Youth

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 37


Participação cidadã é como comer espinafre: por princípio ninguém é contra, porque faz bem pra você. Participação da sociedade é uma ideia aplaudida vigorosamente por praticamente todo mundo. Entretanto, os aplausos são reduzidos a tímidas palmas quando se promove de fato a esse princípio” —Sherry R. Arnstein Degraus para a Participação Cidadã

38 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

CapĂ­tulo 3

O que vocĂŞ pode fazer...

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 39


O que você pode fazer… Nesta seção nós vamos explorar brevemente o que significa participação, e como ela pode ser exercida pelos jovens. Nós daremos uma visão geral das diferentes maneiras que os jovens podem exercitar a participação e transformar isso em um papel relevante. Essas funções servem de inspiração e as pessoas podem escolher uma, combinar várias ou incluir outras possibilidades de atuação não apresentadas aqui.

O que é participação? A participação pode ser manifestada de muitas formas, e você pode assumir diferentes papéis quando se engajar no processo. A participação de todos é valiosa, porque cada um de nós contribui diferentemente, baseado nos nossos interesses e capacidades. Para a Rio+20, os jovens e as crianças são oficialmente reconhecidos como partes interessadas no processo, mas para assegurar uma participação significativa e ser levado a sério são necessários determinação e trabalho. Os Jovens querem ir além de serem vistos como « representantes de brincadeira », e serem vistos como significantes, confiáveis e ativos atores no processo de influenciar mudanças. No Brasil não existe o costume de integrar jovens em delegações oficiais para conferências ou reuniões internacionais, apesar deste pleito existir desde 2002. A participação do jovem é comumente confundida como uma oportunidade de viagem ou diversão e raramente é analisada com seriedade pelo governo ou pela própria sociedade civil. Exatamente por existir grande desconfiança perante à validade e credibilidade desta participação é que os jovens precisam estar preparados técnica e conceitualmente para participar e contribuir com o processo. 40 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

Formas de participação Existem várias formas de participar e cabe a você qual a melhor forma de se engajar. Todos os papéis são valiosos e a colaboração entre todas essas funções é a de extrema importância. Nós temos que trabalhar conjuntamente para fortalecer e apoiar um ao outro. Abaixo, nós temos algumas sugestões de como você pode querer se envolver e algumas histórias que esperamos que venham a inspirá-los. Tenha coragem de criar a sua própria forma de participação. Nós elaboramos algumas questões que vão te ajudar a decidir como participar e então se seguirá uma breve introdução sobre esta forma de participação, bem como algumas dicas de jovens de diversos lugares do mundo. Nós também incluímos histórias e entrevistas que irão te dar uma ideia do que queremos dizer.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 41


Você quer ser um jovem articulador? Você está interessado em estar ativamente envolvido na formulação política e se dedicar ao desenvolvimento e defesa de ideias específicas para serem inseridas nos documentos finais da Conferência? Você tem boa memória? Você acha fácil se aproximar de estranhos e fazer novos amigos? Você consegue falar de uma maneira articulada, persuasiva, amigável e com conhecimento? Se não... você está disposto a apreender? O MGCY fornece contribuições formais (e portanto oficiais) para o processo e é aberto para a participação de jovens nas suas atividades. Se seu objetivo é defender o posicionamento das crianças e jovens este Grupo será seu ponto focal durante o processo. Durante as reuniões preparatórias, entre sessões, sessões informais e a Rio+20 haverá espaço para o MGCY fazer intervenções formais. Essas oportunidades são geralmente raras e o tempo disponível será limitado, variando de um a três minutos. É extremamente importante desenvolver formas efetivas e colaborativas para escrever as declarações que serão lidas durante as intervenções. “Lobby” é o que o MGCY faz para tornar seus posicionamentos mais efetivos. Nós temos participantes em todas as negociações e consultas que acompanham se os outros Grupos ou Estados Membros concordam ou não com os nossos posicionamentos. Então os lobbistas têm a atribuição de abordá-los de uma maneira amigável e discutir os principais pontos da nossa agenda. Esses são baseados na nossa versão do « primeiro rascunho/ draft zero », ou seja do documento principal que será debatido na reunião e tem legitimidade porque foram preparados considerando as colaborações feitas por milhares de organizações e indivíduos com menos de trinta anos ao redor do mundo. Fazer articulações ou “lobby” é quando você se aproxima de delegações oficiais durante coquetéis, jantares e nos saguões e corredores do local da conferência para apresentar seus pontos de vista. 42 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

Entrevista com o jovem articulador Mitch Lowenthal Membro da delegação SustainUS na CDS-19 Qual foi sua experiência mais marcante na CDS-19? Mitch: “Na CDS-19, tivemos a oportunidade de influenciar negociações de maneira positiva. Através de conversas regulares com os delegados e com o Presidente do meu tópico de discussão, eu consegui criar um relacionamento que possibilitou ao MGCY um espaço maior de fala. Como resultado disso propusemos diretamente uma emenda sobre os direitos das crianças e jovens dentro da temática de manejos de resíduos que foi aprovada pelos delegados desta área.” Houve algo que o desapontou na CDS-19? Mitch: “O fato do evento não ter gerado nenhum documento. Também achei que dois minutos para nove Grupos Principais compartilhar ao final de cada sessão de negociações foi um tempo muito curto para falar sobre os assuntos.” Pra você qual o maior desafio para as negociações internacionais? Mitch: “Acho que o maior desafio é o tempo. Estamos vivendo um momento em que as coisas podem se completar instantaneamente. A modernização da comunicação facilita o rascunho um só texto que incorpore os comentários de delegados desde o início. Quando os delegados chegam para sua participação eles não deveriam ter que perder tempo lendo linha a linha de textos que poderiam ter sido compartilhados anteriormente. Pompa e formalidades devem vir em segundo plano e o diálogo real deve vir primeiro. Isso economizaria tempo e recurso das delegações. Deixar os processos de negociação mais eficientes, colabora para diminuir frustrações e melhorar a diplomacia” Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 43


Dicas e truques em articulação jovem • Baseie sua argumentação numa posição compartilhada pelo Major Group para maior impacto e para fortalecer a voz da juventude. • Utilize os momentos formais de sugestão anteriores à Conferência. • Desenvolva pontos de convencimento concretos baseados nas posições da juventude que sejam coerentes com o momento da negociação oficial. • Uma vez criado um texto de negociação, utilize-o como base para aterações. • Mapeie os principais personagens dentro da sua área de discussão e organize reuniões informais com eles. • Entre em contato com a delegação do seu país. • Considere negociar com a delegação do seu país a sua inclusão na delegação oficial. • O Fórum de Juventude Europeu desenvolveu um guia sobre ONGs juvenis nas reuniões na ONU que pode ser útil também. Você pode baixar o guia aqui: http:// bit.ly/EuropeanYouthForumNGOGuide

44 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

Isso pode ser amedrontador em um primeiro momento, mas é apenas dividir suas ideias, emendas e sugestões com a delegação. Portanto, você precisa estar preparado para responder questões acerca das razões deles incluírem seus pontos na política deles. Importante lembrar que para ser persuasivo, além de coragem é preciso ter conhecimento. Você não pode abordar um ministro ou até mesmo um presidente sem ter argumentos suficientes para defender a tese do seu grupo. O MGCY realiza oficinas para aqueles que são novos lobbistas ou articuladores e recentemente (no CDS-19) criou sistemas de suporte e de apoio através de mentores.

Você quer ser um ativista? Você está interessado em pressionar os Governos utilizando técnicas de criatividade ou de mobilização? Você gosta de organizar e executar campanhas? Você é capaz de apresentar mensagens categóricas de forma divertida? Ou você está interessado em tentar?

TH YOU

Com poucas mensagens chaves, jovens podem colocar muita pressão na comunidade internacional para que esta aja.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 45


Através da escrita de cartas, de campanhas políticas, pela organização de manifestações, de marchas nas ruas, greves e ocupações, jovens podem influenciar a maneira como as pessoas pensam sobre as questões relacionadas ao desenvolvimento sustentável; você pode compartilhar a mensagem claramente e demonstrar um ponto importante de uma maneira muito divertida. O ativismo pode conduzir a formas mais criativas de comunicação e produzir discursos poderosos que darão o tom da Rio+20. Jovens têm o poder de colocar a ênfase de volta no cenário amplo, no que é realmente tudo sobre: nosso futuro sustentável. Ações criativas e demonstrações pacíficas são excelentes modos de por pressão nos tomadores de decisão e energizar o processo.

Dicas e truques para jovens ativistas • Seja criativo! • Humor pode ser essencial para o sucesso de uma ação de impacto. Nas negociações sobre clima, por exemplo, um dos jovens presentes pediu a mão do Presidente do Protocolo de Kyoto em casamento porque “verdadeiro amor requer real comprometimento” • Não-violência deve ser a base para o desenho de qualquer ação. • Nota: Ações que aconteçam dentro do espaço da Conferência precisam ser aprovadas pelo Secretariado. Consulte os Parceiros Organizadores (OPs) para isso, eles são o elo de ligação entre a juventude e o Secretariado.

46 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

Juventude quebra Recorde Mundial do Guiness Pela equipe do Sri Lanka do programa de Global Changemakers da British Council A juventude quebrou o Recorde Mundial do Guiness de “Maior Mosaico Humano”. Mil e quinhentos (1500) participantes de todo Sri Lanka soletraram a palavra Juventude! O evento foi muito mais do que somente a quebra do recorde mundial. Jovens de diferentes etnias e religiões se reuniram, num espírito de união, fortalecendo a ideia de que são todos Sri Lankaneses, orgulhosos por estabelecer um novo recorde mundial em território Sri Lankanês. Foi uma celebração da juventude. A juventude Sri Lankanesa mostrou união e força. Atualmente, mais de 3 bilhões de pessoas no planeta tem 24 anos de idade ou menos. 90% dessas pessoas habitam países em desenvolvimento, onde enfrentam problemas de falta de acesso à educação e à saude, altas taxas de desemprego entre outras questões. O evento foi idealizado por cinco pessoas, num chat, mas teve a ajuda de 150 voluntários em sua organização, foi seu comprometimento e entusiasmo que fez esse evento se concretizar. Veja fotos da ação aqui: http://youth-is-the-word.weebly.com/yforce.html

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 47


O Projeto Adote um Negociador Por Leela Raina – Adote um Negociador Estou convencida de que os jovens são a chave para deter a mudança climática por que: “Quem poderia ser melhor para decidir o futuro do que aqueles que irão herdá-lo?” Eu acredito que nós, os jovens, somos capazes de fazer a diferença onde parece impossível. E a nossa contribuição-chave é no campo das mídias sociais, na era do facebook, twitter e blogs. Quando eu comecei a comunicar meus pensamentos para o mundo eu nunca teria pensado sobre as respostas que eu recebi e a influência que as minhas palavras tinham em políticas e na política no mundo real. Como parte da GCCA- Campanha Global para Ações Climáticas, uma aliança de mais de 200 ONGs ambientais, tornei-me uma “observadora” para a Índia. Minhas tentativas de traduzir a essência das negociações em uma linguagem leve e divertida, fez com que a mensagem ficasse mais interessante. A resposta que tive foi incrível! Alguns negociadores e oficiais do governo comentavam no blog, assim como pedaços de meus posts foram reproduzidos pelas grandes mídias como o The Guardian e a NPR, ajudando que as informações sobre as negociações alcançasse um número maior de pessoas. Você não tem que participar de um grande movimento de jovens para se tornar um ativista. Você só tem que agir, e a sua ação se tornará um movimento em si! [...] Então escreva, utilize blogs, comente e se envolva no que quer que você tenha interesse e habilidade. Esta é uma oportunidade importante de lutar pela Terra e para o nosso futuro. Aproveite este momento!

48 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

Você quer fazer parte da mídia? Você tem interesse em jornalismo? Ou ama twittar? Gosta de escrever sobre a sua opinião acerca das coisas? Ama falar sobre as coisas ou compartilhar notícias? Você está estudando Marketing? Jornalismo? Tem um blog? Você quer criar repercussão online? Quer começar debates? Você quer fazer o processo mais compreensível para jovens/crianças/adultos que estão fora do processo? É o seu objetivo colocar pressão nos negociadores? Qualquer que seja sua inclinação…essa área é bastante aberta. Enquanto a mídia tradicional tende a se limitar a alguns artigos de jornais, comunicados para imprensa, entrevistas, rádio e televisão. As novas mídias têm rapidamente aumentado e se popularizado e hoje em dia há muitas oportunidades para jovens comunicadores. Se você está interessado em comunicação você pode ajudar a tornar o processo mais transparente e compreensível. Você pode compartilhar notícias das salas de conferências com o resto do mundo ou promover o debate público ou agir como um fiscal dos negociadores. Tudo isso é possível de ser feito! Nós acreditamos que você tem o que é preciso! E se você também acredita... vá com tudo.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 49


Dicas e Truques Para Jovens Comunicadores • Identifique a sua audiência! • Utilize tanto mídias tradicionais como novas mídias. • Bloggueiros, maximizem seu alcance! Procure por websites dispostos a fazer posts cruzados ou que republiquem seu blog, e da mesma forma também possam postar no seu site. • Estabeleça contato com mídias tradicionais com antecedência ao evento que você irá reportar. Além de uma nota de imprensa, uma aproximação pessoal com um e-mail ou telefonema aumentarão suas chances de sucesso. • Crie e mantenha relacionamentos com jornalistas.

50 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

Você quer ser um facilitador? O MGCY facilita o envolvimento dos jovens. Contudo, para isso realmente acontecer, significa que um pequeno grupo de jovens fortemente comprometido deve servir ao movimento como um todo e criar um espaço para a “voz dos jovens”. Eles trabalham dentro do Grupo preparando para as Comissões e Conferências durante meses (e até anos) antes. Eles normalmente investem tempo e energia para organizar uma série de reuniões internas, processos e estruturas e assim construir um forte movimento. Eles também promovem o que jovens estão fazendo ao redor do mundo, organizam oficinas para empoderar aos novos jovens, desenvolver habilidades dos membros do MGCY assim como treinamentos sobre tópicos específicos. Eles usam suas habilidades e capacidades para construir, nos bastidores uma forte, mais consistente e unificada voz da Sociedade Civil jovem. Facilitação, treinamento e um bom fluxo de informações são aspectos desta tarefa. Facilitadores são preocupados em criar unidade e participação a fim de permitir maior impacto e uma voz mais forte. Mas não é porque eles têm feito isso há bastante tempo que isso significaria que novas pessoas não são bem-vindas. Como nós somos jovens, esse grupo está constantemente mudando e evoluindo para garantir que o movimento não morra quando os atuais facilitadores saírem.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 51


Dicas e Truques para Facilitadores Você pode se tornar facilitador se você... • Está disposto a se comprometer com pelo menos 6 horas por semana. • Acredita no empoderamento de indivíduos para uma participação significativa • Está disposto a promover redes colaborativas • Está interessado em esforçar-se para uma representação equilibrada e em querer exceder seu alcance com consistência. • Sabe os seus limites, mas está preparado para tomar posse e fazer as coisas acontecerem no tempo certo. • É capaz de trabalhar em um time diversificado, que independentemente entende a importância da colaboração, da consulta e do consenso. Você é um facilitador se você... • Está trabalhando para construir um modelo de organização que permita que novas pessoas participem do processo • Organizar atividades de capacitação e promover participação significativa dentro do processo. • Oferecer habilidades para grupos de jovens trabalhando. • Assumir um papel de liderança mesmo que ele aconteça nos bastidores. • Agir como ponto focal ou coordenador para o MGCY´s Task Force (Força Tarefa do MGCY´s), etc. • Evite assumir ou controlar as coisas.

52 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

Você quer ser um apoiador? Infelizmente, nem todos de nós poderemos e estaremos dispostos a comparecer na Conferência em si. Nas Conferências da ONU anteriores, haviam muitas organizações que fizeram um bom uso de seus escritórios em casa, tanto para assuntos logísticos, arrecadação de fundos, e para pesquisa. Você pode ser “a coluna vertebral” para aqueles que estarão presentes durante a conferência, e ser parte de algo maior de modo remoto. Participações fora do local da reunião também trazem resultados positivos em termos de sustentabilidade, já que menos pessoas viajando resulta em uma pegada de carbono mais baixa, mas você precisa pensar maior que isso. Seu papel é envolver organizações locais, que é algo vital para o nosso sucesso global. Você está está atuando na base da sua comunidade, e a sua responsabilidade é prover informações da base para o topo.

Você é um estudante universitário? Você está estudando um assunto relevante? Por que você não compartilha o seu conhecimento? Grupos de estudantes e jovens pesquisadores podem ajudar a criar posições para os jovens que são mais concretas, valorizadas e pesquisadas. Ter estudantes durante o processo de escrever os rascunhos dos documentos políticos e de declarações, por exemplo, é um recurso valioso para as negociações. Seus recém adquiridos conhecimentos e sua visão podem ajudar a aumentar a qualidade das contribuições da juventude. A participação de especialistas jovens no processo também ajuda na capacitação, proporcionando-lhes a experiência de aplicar seus conhecimentos no “mundo real”.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 53


Rede de Resposta Rápida - por Rachel Ray Butler Nas preparações para as negociações climáticas em Copenhagen, a Coalizão Energy Action, a Coalizão dos Estudantes de Sierra, e a SustainUS recrutaram juntamente uma lista de ativistas para Respostas Rápidas [...] que estariam nos Estados Unidos durante a conferência de Copenhagen. Deixamos claro no processo de inscrição que nós estávamos procurando um alto grau de comprometimento. Respondentes Rápidos não só atuariam eles mesmos, mas também espalhariam a palavra através de suas redes em casa e encorajariam outros a tomarem atitudes também. [...] Em Copenhagen, começamos a segunda fase do plano: recrutar pessoas da Delegação Jovem dos Estados Unidos para se comprometerem a ligar para a lista de Respondentes Rápidos a cada 2-3 horas com atualizações. Permanecendo em contato com os Respondentes Rápidos nos Estados Unidos, nós poderíamos retransmitir atualizações das negociações e uma ação para espalhar através das nossas redes em casa, dando aos Jovens dos Estados Unidos na conferência mais poder e ajudando a influenciar as negociações. Durante as negociações, uma pequena equipe central de liderança se encontrava diariamente para determinar a atualização e ação do dia, escrever um script, e recrutar os Jovens dos EUA em Copenhagen para trabalharem no banco de telefonemas para Respostas Rápidas. Nestes bancos telefônicos de Respostas Rápidas, os Jovens dos EUA em Copenhagen se reuniriam, aprenderiam sobre as ações e atualizações do dia, dividiriam a lista de chamadas [...] e ligariam para as centenas de Respondentes Rápidos com base nos Estados Unidos. Através do plano de telefonemas que cruzavam o Atlântico, os Jovens dos EUA podiam gerar milhares de ações que colocariam pressão na administração do governo Obama [...] fortalecendo as nossas redes e construindo poder como Jovens dos EUA para longo curso.

54 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

Dicas e Truques para Apoiadores • Mobilize a sua comunidade. • Envolva as organizações locais no processo. • Forneça a informação de baixo para cima fazendo uso efetivo das listas de e-mails já existentes • Tire vantagem do seu fuso horário para nos dar uma vantagem! Você pode ajudar com elaboração de declarações ou pesquisando, enquanto o grupo presente fisicamente está dormindo. • Esteja disponível para respostas rápidas ou pesquisas durante a conferência. • Promova a participação de cidadãos. • Garanta que sua equipe se sente apoiada e que eles não estão sozinhos.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 55


Você quer catalizar ações locais? Você se preocupa com o planeta e as pessoas nele? Você acha que conhece outras pessoas que possam estar interessadas? Você está disposto a aumentar a conscientização? Você pode aumentar a conscientização entre os seus amigos, vizinhos, vila ou cidade. Mobilizar e chamar atenção são atos de extrema importância para fazer da Rio+20 um sucesso. Essa é provavelmente a maior e melhor coisa que você pode fazer para ajudar na preparação. Isso é algo que poucos jovens estão fazendo. E uma vez que você mobiliza seus amigos, sua escola, seu bairro ou seu clube, você se torna um herói local. Suas ações locais combinadas com alguns fóruns online podem ser usadas para aumentar o envolvimento de um amplo e diverso grupo de pessoas que pode contribuir com através de feedback e sugestões. Isso pode ser utilizado diretamente no processo da Rio+20. Nós não podemos fazer isso sem o seu trabalho na sua região. Precisamos da sua energia, das suas ideias; você tem um papel muito importante para fazer o governo saber que todos se preocupam e que há pressão local para que eles executem os acordos.

56 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


What you can do...

Dicas e Truques para Catalizar Ações Locais! • Envolva seus amigos e crie uma equipe. • Pense sobre formas divertidas de aumentar a conscientização. • Faça parceria com outro município, estado, bairro ou cidade em outro lugar do mundo. Isso trará uma dimensão extra de diversão. • Compartilhe as suas histórias online. • Uma mensagem inspiradora e mobilizadora é muito efetiva. • Mantenha curto e simples!

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 57


Uma mudança é provocada porque pessoas comuns fazem coisas extraordinárias”

—Barack Obama Presidente dos Estados Unidos da América

58 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Before Rio+20

CapĂ­tulo 4

Antes da Rio+20

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 59


Antes da Rio+20 Preparação é a chave. Embora possa parecer massante e entediante, quanto melhor preparado você estiver, mais facilmente atingirá o seu objetivo na Rio+20. Esse capítulo tenta dar algumas dicas sobre como melhorar sua preparação.

Buscar participantes Uma importante tarefa na preparação para a Rio+20 é alcançar outros jovens e o público em geral

Promover a Rio+20 Falar sobre a Rio+20 na padaria, na escola, no comércio e durante as viagens no transporte público. Tornar-se um promotor da Rio+20 é uma opção que você pode considerar. Convencer as pessoas da necessidade urgente do desenvolvimento sustentável não somente como conceito, mas também como um modo de vida. É importante mobilizar a maior quantidade de jovens possível, mas também atrair apoiadores. Nós precisamos mostrar que nós não somente nos importamos, mas também agimos! Estimular a conscientização da nossa comunidade, cidade, país e região sobre a Rio+20, sobre as mudanças que você faz e que você quer ver, é possivelmente uma das coisas mais valiosas que você pode fazer para ajudar. A Rio+20 não deveria ser mais uma cúpula, deveria ser nossa cúpula. O tempo agora não é mais para falar, mas para agir.

60 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Before Rio+20

Entre em contato com o seu Conselho Nacional de Juventude Tentar descobrir se outros jovens no seu país ou região que estão envolvidos na Rio+20. Alguns países têm conselhos nacionais de juventude, e se seu pais tiver um, faça contato. Os conselhos de juventude abrangem um grande grupo de jovens para apoiar as atividade que precedem e durante a Rio+20. Muitas organizações de jovens nacionais ou regionais têm planos de divulgar campanhas na Rio+20 ou facilitar a participação dos jovens. A internet seria uma maneira de localizar quem está envolvido. Mas se não há envolvidos, você poderia fazer o papel de começar a ação. No Brasil, assim como a Secretaria Nacional da Juventude (SNJ), e o Conselho Nacional de Juventude (CONJUVE) nós temos vários grupos locais, regionais e nacionais se preparando para a Rio+20. Alguns destes grupos contam com bastante experiência como é o caso da REJUMA, os Coletivos Jovens de Meio Ambiente, o GT de Juventude do FBOMS, entre muitos outros que estão trabalhando para mobilizar jovens e criar uma massa crítica para a Rio+20. Vale a pena conferir o trabalho destes grupos e se informar sobre onde eles estão e como você pode se envolver com eles. Também vale a pena se envolver a lista de e-mails nacional de Jovens para a Rio+20 juvrio20@googlegroups.com

Tentar contatar sua delegação oficial Antes da Conferência existem vários encontros e discussões. Os delegados oficiais dos Estados Membro são cruciais nessas negociações. Tente saber quem são eles pois eles têm acesso a várias fontes e informações recentes e são as pessoas mais importantes para pressionar e articular. Nós entendemos que não é fácil descobrir quem faz parte da delegação. Mas as listas de participação do CDS-18 e CDS-19 são um ponto de partida. Faça com que esses delegados saibam que você estará envolvido, que possivelmente participará da Rio+20 e que você se importa! No Brasil a delegação oficial é formada pelo Itamaraty juntamente com o setor de Relações Internacionais do Ministério do Meio Ambiente. Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 61


Conselho Nacional de Jovens Holandeses - www.njr.nl O Conselho Nacional de Jovens Holandeses (The Dutch National Youth Council) tem uma grande experiência com envolvimento de jovens em assuntos sociais e políticos no mundo todo. Eles endorsam representantes jovens, eleitos oficialmente, a participar de conferências internacionais, como a Rio+20. Cada representante jovem tem um mandato de 2 anos. O representante junior participa de conferências da ONU com aprovação de uma ONG e o representante sênior (que foi junior no primeiro ano) geralmente é parte da delegação oficial. Isso é feito para garantir a continuidade e a qualidade da contribuição do grupo à juventude. Diferente de outros países, na Holanda, representantes jovens coletam opiniões da juventude sobre tópicos relacionados às negociações e têm discussões em profundidade com outros interessados durante o ano. Além disso, eles procuram oportunidades de entregar essas recomendações para tomadores de decisão em todos os níveis. O delegado jovem tem a responsabilidade de envolver jovens locais em negociações através de conferências jovens, oficinas, palestras e participando de atividades de divulgação através de mídias (sociais). Há um grupo ativo de jovens trabalhando em desenvolvimento sustentável dentro do Conselho Nacional de Jovens Holandeses. Representantes jovens compartilham seu conhecimento e trabalham juntos com eles em suas contribuições. O que eu seu conselho de juventude está fazendo?

62 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Before Rio+20

Se aproximando da delegação do seu país você pode usar os principais pontos de lobby definidos pelo seu Grupo para fortalecer suas demandas. É a maneira mais efetiva de agregar os nossos posicionamentos na agenda internacional.

Participar dos encontros de regionais e nacionais de juventude Em algumas regiões encontros preparatórios serão organizados por jovens e para jovens. Estes encontros geralmente pretendem preparar a juventude da região ou do país para a Conferência e refletir sobre as condições locais de desenvolvimento sustentável. Além disso, nesses encontros, são definidos os pontos que serão objeto de lobby. Esses encontros ajudam muito a preparar para a Conferência e nós te recomendamos a comparecer a esses encontros se possível. Se não há nenhum encontro preparatório organizado na sua região poderia ser interessante que você o organizasse, se tiver tempo e recursos disponíveis. Para a lista de encontros de Grupos de Crianças e Jovens consulte www.youthcaucus.net

Não esqueça a papelada!

Credenciamento e registro Há muitas maneiras de envolver-se sem estar credenciado para comparecer à conferência, mas se você quiser estar dentro, você precisará de credenciamento. É necessário realizá-lo ANTES de sua chegada ao Brasil. O Credenciamento significa que você será registrado na base de dados da ONU e terá acesso aos espaços de negociação. Há vários tipos de credencial: delegados da sociedade civil, delegado governamental, credenciais de imprensa, e credenciais de organizações intergovernamentais. Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 63


Note que a ONU não emite credenciais individuais, mas sim para Estados e organizações. Dependendo dos status da sua organização, ela necessitará ser credenciada ou registrada. Pré-registro

As ONGs que podem pré-registrar seus representantes se dividem em duas categorias: 1. ONGs que possuem status consultivo no Conselho Econômico e Social (ECOSOC), incluindo aquelas que estão no sistema por serem parte da lista da Comissão de Desenvolvimento Sustentável; 2. ONGs que foram credenciadas para a Cúpula Mundial de Desenvolvimento Sustentável em 2002. O prazo para o pré-registro é 20 de Maio de 2012. Quando o pré-registro estiver completo, cada representante designado receberá uma carta de confirmação por e-mail. Essa carta serve como um convite oficial para a Conferência e pode ser usada para obter o visto para o Brasil (confira também a próxima página). O registro é válido para Conferência e para o Terceiro Comitê Preparatório. Uma vez que o pré registro se encerra, registros no local pelos representantes de ONGs não credenciadas não serão aceitos. Representantes de organizações credenciadas que não podem participar da Conferência não poderão ser substituídos por outro representante da mesma organização. Para iniciar o processo de registro, confira este link: http://bit.ly/UNCSDRegistration

64 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Before Rio+20

Dicas e Truques – Como se preparar • Conduza sua própria pesquisa sobre a Conferência. Sugerimos que procure sobre os temas e objetivos. Tente descobrir quem fez o quê, tanto a nível nacional quanto internacional. Para aprender mais, organizar o seu tempo. • Junte-se a grupos de discussão relevantes e contribua para os debates • Seja corajoso! Lembre-se de que uma vez você comece… ficará mais fácil! • Não tenha medo de fazer perguntas! • Aprenda com experiências de outras pessoas. • Ler documentos da ONU não é a experiência mais emocionante, mas, uma vez que você os leu, muitas coisas farão mais sentido. Leia o máximo que puder. • Pense de forma prática. • Seja a mudança que você quer ver no mundo! • Faça um plano de ação. Pense criticamente, estrategicamente e criativamente. • Estabeleça suas metas e objetivos. • Promova seu trabalho.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 65


Credenciamento

A Secretaria da Rio+20 possibilita o credenciamento para a RIO+20, à organizações que não estão em nenhuma das duas categorias de acesso ao pré-registro. Essas organizações necessitam preencher um questionário de credenciamento como um novo grupo. A Secretaria vai avaliar todos os pedidos, apresentá-los à Assembleia Geral para credenciamento de novas organizações. O prazo final para credenciamentos desse grupo é 20 de fevereiro de 2012. Uma vez que o credenciamento seja aprovado, a organização pode pré-registar seus representantes até o prazo geral de 20 de Maio de 2012. O questionário de credenciamento está disponível neste link: http://bit.ly/ UNCSDAccreditation

Visto Dependendo da sua nacionalidade, você pode precisar de um visto para entrar no Brasil. Nós incentivamos que você pesquise sobre esta necessidade antes da Conferência. Você pode contatar o consulado brasileiro no seu país. Uma lista das missões diplomáticas e consulados brasileiros pode ser obtido no: http://www.itamaraty.gov.br/o-ministerio/o-brasil-no-16 As autoridades brasileiras prometem facilitar o procedimento de acesso para todos os participantes. Não hesite em dizer no posto diplomático brasileiro que você comparecerá à RIO+20 e se você já tem sua credencial, leve-a com você ao consulado.

66 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


Before Rio+20

Financiamento Se você não pode imaginar a Rio+20 sem estar fisicamente presente, então você precisa pensar em financiamento. O Rio de Janeiro é caro e algumas regiões podem ser consideradas perigosas. Acomodação segura pode ser seu maior gasto. Por isso o levantamento de recursos é importante para o evento. Antes de você começar a levantar recursos, faça uma estimativa do custo da sua participação. Você pode elaborar uma proposta e enviar para potenciais doadores. Entre em contato com organizações filantrópicas ou de caridade, empresas, universidades, ou mesmo de pessoas que possam prover parte ou todo o montante que você precisa. Pergunte a seus amigos, família e conhecidos para que te ajudem a encontrar as pessoas certas para conversar sobre o tema, e busque outras idéias online. Contribuições em itens não devem ser descartadas: você pode perguntar numa agência de viagem se te providenciariam a passagem para o Rio. Organizar eventos para arrecadar dinheiro também pode ser uma opção. Esteja preparado para gastar muito tempo e energia em levantar dinheiro para financiar sua viagem. Lembre-se, a menos que você peça, você nunca vai saber a resposta, mas arrecadar recursos pode ser um processo decepcionante se você não começar com antecedência ou se você não se planejar.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 67


O envolvimento da juventude de hoje em processos de tomada de decisão, relacionadas ao meio-ambiente e ao desenvolvimento, assim como na implementação de programas é crítico para o sucesso à longo prazo da Agenda 21” —Agenda 21 Capítulo 25.1

68 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


During Rio+20

CapĂ­tulo 5

Durante a Rio+20

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 69


Durante a Rio+20 Inciada a Rio+20, você provavelmente vai querer contribuir para a construção da história. Este capítulo lhe fornecerá alguns elementos para que você possa escrever esta história da melhor forma

Ao longo do tempo, tem se reconhecido que nem os governos, nem o sistema das Nações Unidas têm os recursos humanos, vontade política, imaginação ou ideias necessárias para orientar muito do que precisa ser feito. Sendo assim, a participação de ONGs e dos Grupos Principais têm crescido enormemente e você tem um grande papel a desempenhar - independentemente de você ir ou não a Rio+20. Uma vez iniciada a Rio+20, você perceberá que há milhares de outros jovens, com idéias, prioridades e estratégias próprias. O MGCY é um dos mais vibrantes em termos de contribuições e táticas. Embora seja importante respeitar as estratégias dos outros joven, e pontos de vistas diferentes dos seus, é igualmente importante encontrar formas de se destacar. Neste capítulo, vamos dar algumas dicas em como estar engajado durante a Rio+20, e aprofundar um pouco mais sobre as atividades que podem ser desenvolvidas durante a conferência.

70 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


During Rio+20

Envolvimento com a Conferência Rio+20 Você precisa se perguntar: “onde eu estou sendo mais útil? É dentro da conferência? Ou no Rio, fora dos portões? Ou em casa?” Qualquer uma das opções é válida, valiosa e importante. Você pode contribuir da sua forma para fazer deste evento um sucesso. Existem inúmeras maneiras de participar significativamente e a maioria não exige que você esteja fisicamente no Brasil. Não importa se você está presente no local da conferências ou não, no Rio ou não, os fatores chaves de sucesso para o seu envolvimento são os mesmos: estar preparado; levar seus amigos e outras pessoas à sua volta com quem trabalha e ter atitudes; seja corajoso! Por fim, qualquer que seja a forma que você optar por participar, por favor, considere unir-se ao MGCY. Você pode encontrar todas as informações sobre como ingressar na página http://www.youthcaucus.net/rioplus20

Da sua casa Durante a conferência em si, há muita coisa que você pode fazer, mesmo se você não estiver disposto ou impossibilitado de estar no Rio de Janeiro. Participar de uma conferência internacional pode ser caro e ter um alto impacto ambiental. Há três impactos principais que você pode gerar ao estar em sua casa: Primeiro, você pode aumentar a conscientização em sua comunidade sobre o que está acontecendo na conferência, auxiliar e, traduzir os resultados das discussões para o público entender. Este é um papel fundamental para prevenir que outros atores (governos.) apresentem resultados muito fracos. Segundo, você pode apoiar os ativistas presentes na conferência a impulsionar e pressionar os diversos tomadores de decisão. Se um determinado país está bloqueando o progresso, por que não organizar manifestações espontâneas e pacíficas em um maior número de cidades possível em todo o planeta? Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 71


‘Cancun em Bruxelas’ convergência da juventude ‘Cancun em Brussels, a convergência de jovens por justiça climática’ foi criado como um espaço alternativo para jovens ativistas que queriam estar envolvidos nas negociações do clima, mas que não estavam presentes, fisicamente, no México. De 29 de novembro à 12 de dezembro de 2010, este espaço reuniu mais de 100 jovens provenientes de toda Europa. Todos os dias um programa de atividades com workshops, treinamentos, ações e debates com políticos europeus foram organizados pelos participantes. As atividades foram divididas por temas diários dentro do tópico de justiça climática e como seria possível se envolver no tema. Toda manhã um briefing (resumo) político sobre o que estava acontecendo em Cancun era entregue por um time de pessoas que acompanhavam as negociações e atividades da juventude em Cancun. Isso manteve o link entre os dois eventos, nos ajudou a entender o que estava acontecendo em Cancun e em várias ocasiões foi possível reagir com mensagens e ações em Bruxelas. Nossas razões para organizar este evento foram muitas. Não menos importante foi garantir que além de estarem presentes, os jovens tivessem voz e impacto nas negociações. Isso também significou que nós poderíamos apoiar e destacar o trabalho da juventude e sociedade civil nas negociações ecoando a voz do grupo para o mundo exterior. Finalmente, usamos este momento para construir e fortificar o momento jovem para justiça climática em longo prazo, criando uma plataforma alternativa para jovens e ativistas de diversas organizações na Europa e com diferentes históricos e tipos de experiências se unirem para trabalhar e agirem, com tempo para discussão face a face para compartilhar experiências e crenças, tudo isso com diversão e disposição de conhecerem uns aos outros. Veja o blog em www.cancun-brussels.org 72 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


During Rio+20

Estas ações locais são realmente importantes para aumentar a pressão sobre os atores certos e fazê-los “sentir o calor”, onde quer que estejam. Em terceiro lugar, lembre-se que os jovens dentro e fora do centro de conferência no Rio vão utilizar a internet como a principal ferramenta de coordenação e planejamento do fórum. Isso significa que você pode contribuir tanto quanto aqueles que estão no Rio. Outra forma de engajamento seria também organizar um evento nacional ou regional, a fim de proporcionar um espaço para que jovens ativistas de uma região possam se reunir em uma localidade próxima e agir conjuntamente. Veja a caixa de texto para um exemplo muito concreto de tal convergência.

De fora da conferência Nem todos nós que estaremos no Rio, ficaremos no interior da negociação principal. Mesmo se você estiver credenciado para entrar no centro de conferência, você também poderá passar algum tempo fora com o grupo mais amplo da sociedade civil. Será divertido e emocionante, uma experiência que não se esquecerá rapidamente. Mantenha contato

Caso você esteja fora do centro de conferência, certifique-se de estar constantemente atualizado sobre o que está acontecendo, e se as ONGs de dentro vão precisar do seu apoio. Além disso, muitas coordenações e organizações entre jovens durante a conferência se darão on-line. Isto significa que mesmo quando você estiver fora, você ainda poderá acompanhar o que está acontecendo e dar a sua contribuição para as atividades que ocorrerão dentro (por exemplo, contribuir para a elaboração de posicionamento, discursos, etc.).

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 73


Networking

As ruas de fora do centro de conferência e dos outros centros do evento são os melhores lugares para se relacionar e conhecer uma ampla variedade de instituições e organizações. Aproveite esta oportunidade para aprender sobre elas, entender seus problemas, prioridades e métodos. Compartilhe. A sociedade civil é mais forte quando os diferentes grupos (camponeses, jovens, grupos religiosos, ONGs, sindicatos) se unem em torno de uma mesma causa. Mudança coletiva significa cooperar com os outros grupos. Significa ter forças distintas e buscar diferentes métodos. Quando as políticas de defesa e as campanhas de sensibilização são coordenadas, elas têm maiores chances de fazer impacto sobre o processo. Ações

Ações de publicidade ou mídia espontânea (“Flash-Mobs” ou encenações rápidas) são formas muito criativas de expressão visual utilizadas pelos jovens. Ao prepará-las, identifique o público-alvo da ação (negociadores, seguidoresdas ONGs, meios de comunicação) é fundamental que seja planejada antes da ação em si (cada público pode exigir uma abordagem diferente /localização /tempo para a ação). Ao planejar qualquer tipo de ação, pense sobre todos os fatores potenciais que poderão influenciar no seu sucesso. Considere como usar o seu potencial ou reduzir a capacidade de interferência em suas ações.

74 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


During Rio+20

Arte no Rio+20 - Por Anna Collins, GCCA Arte pode mudar a forma de uma pessoa, ou uma sociedade toda, pensar sobre algo. Arte e criatividade têm o poder de atingir pessoas de forma inovadora e estimulante. Muitos dos princípios envolvidos em projetos de arte comuns são os mesmos princípios usados para gerar mudanças sociais. Ambos envolvem pessoas trabalhando para criar algo novo ou para fazer algo melhor ou mais bonito. No passado, grupos de jovens tiveram um “Espaço Artístico” em conferências da ONU em que podiam se reunir e fazer arte para ser utilizada na conferência e além, isso poderia ser replicado na Rio+20. Aqui está uma lista das ferramentas mais comuns que os jovens usavam nas conferências da ONU durante os últimos anos e todas elas foram colocadas juntas em um Espaço de Arte. Banners: Talvez a forma mais simples de comunicar, mas muito importante. Pense cuidadosamente sobre a mensagem que você colocar no seu banner, mantenha-o simples e entendível. Stencils (Estêncil): são uma ótima forma de reproduzir uma imagem múltiplas vezes, perfeito para fazer camisetas, bandeiras e diretamente em paredes. Músicas/Cantos: Nunca subestime o poder de uma boa música ou cântico – eles podem durar anos e se espalhar rapidamente. Bonecos/Máscaras: podem ser facilmente criados para comunicar de forma divertida. Bonecos podem interagir uns com outros como em um teatro ou sozinhos e comunicar com clareza. Contação de histórias / Teatro: Essa técnica simples é um ótimo jeito de compartilhar informações complexas de forma simples e atraente. Basta pensar em uma pequena peça, ou algumas cenas para improvisação que motivem a audiência nas ruas a refletir sobre os diferentes temas da Conferência e como eles se relacionam com a vida cotidiana. Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 75


Se você fizer uma ação de sensibilização por exemplo, o papel dos meios de comunicação serão fator chave: pense em como obter interessados em sua mensagem e como ajudá-los a escrever uma boa história sobre isso (por exemplo, dar-lhes uma oportunidade para uma foto com uma boa mensagem, clara e visível). Se você sentir que a polícia possa interferir sobre suas ações ou planos, entre em contato com alguém que seja capaz de intermediar com antecedência. Certifique-se de equilibrar o custo-benefício que suas iniciativas possam produzir tanto para você, mas também para os outros grupos em torno da ação. Às vezes, uma grande ideia pode ser muito difícil de ser colocada em prática ou têm custos que podem não justificar a sua implementação. Todas as outras dimensões dependem da problemática que você está trabalhando e a criatividade do seu grupo. As regras de como elas podem ser conduzidas são diferenciadas. Existem vários agentes envolvidos: principalmente o Secretariado das Nações Unidas (gestão da conferência), a segurança da ONU e as forças de segurança policial anfitriã de cada país. Não há informações ainda sobre a forma como isso ocorrerá, no Rio.

Dentro da conferência Rio+20 Muitos jovens serão credenciados para a conferência, representando uma ONG, como parte da imprensa ou como delegado jovem oficial de uma delegação nacional. Embora a cor de seu crachá possa demonstrar o que você vai fazer, ainda há uma gama de possibilidades à sua disposição: do lobby às delegações, ao fortalecimento das bases políticas ou tornando o processo mais transparente. Intervenção Oral

Há poucas oportunidades para a sociedade civil falar. Estas oportunidades estão espalhadas entre os diferentes Grupos Principais. As intervenções nos permitem fazer declarações e levantar questões.

76 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


During Rio+20

Você precisa ser tematicamente orientado. Discursos nobres e generalidades não serão de interesse” —Jan-Gustav Strandenaes Sua eficácia depende muito da flexibilidade do processo e do tempo da participação. Outras intervenções feitas durante as sessões das reuniões são, provavelmente, decididas pelo Bureau ou pelo presidente da sessão em curso. Os discursos do MGCY refletem a “perspectiva dos jovens” sobre os temas da Conferência. Eles têm como objetivo encontrar um equilíbrio sutil entre uma mensagem “jovial” e um forte argumento que confirma o jovem como ator legítimo. Vale uma nota para os brasileiros: Não estamos acostumados com este tipo de protocolo. Conhecemos processos de negociação e debate democráticos, em que para falar, se expressar basta levantar as mãos. Isso não ocorre dentro do Sistema das Nações Unidas. Para falar é preciso ter uma licença especial. Dentro de cada Grupo, uma única pessoa recebe o direito de fala e cada sala de reunião é equipada com microfones e apenas aqueles sentados à frente do microfone têm direito à fala. Além disso as falas são cronometradas, por isso é tão importante se escrever o que será falado e ser claro, objetivo e impactante. Para os brasileiros também é difícil entender que uma pessoa, ao falar, irá representar a voz de todos, sem que esta pessoa tenha passado por uma forma democrática de eleição. Portanto, neste sistema, os líderes emergem ou são apontados. Conhecer as “regras do jogo” é vital para conseguir participar e colaborar com estes processos. Neste aspecto, apesar de sermos muitos, estamos em grande desvantagem: poucos falam fluentemente a língua oficial, poucos conhecem as regras e procedimentos adotados. Por isso a nossa organização é ainda mais importante.

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 77


Acompanhamento das negociações

A fim de influenciar as negociações, é fundamental que você tenha as últimas informações sobre a direção que a discussão está tomando, quem queremos apoiar, ou o que precisa ser feito para interferir. Por isso, é crucial acompanhar as negociações e discussões. Assim, para área prioritária, é preciso se manter a par das diferentes posições dos governos. Existem inúmeras maneiras para se manter informado, contanto que nós possamos facilmente extrair as informações necessárias e que alguém esteja cobrindo todas as negociações, então estaremos bem. Espaços de negociação – o lobby

Uma das melhores maneiras para que sua posição seja atendida é convencer os delegados entre as sessões. Há uma abundância de oportunidades para trocar opiniões com os diferentes delegados, como nas recepções e eventos ou simplesmente nos bares, cafés e lanchonetes. Reuniões com delegações nacionais permitem normalmente debates de maior franqueza e profundidade do que nas trocas que podemos ter em outros contextos. O que os jovens conseguirão verdadeiramente, dependerá em muito da relação de confiança e se a delegação nacional faz-se comprometida com suas proposições. Comunicar anteriormente que você está interessado na reunião da delegação é importante. Melhor ainda, marcar uma reunião com sua delegação nacional antes da data da conferência. Entrar em contato com o chefe da delegação pode ser o melhor caminho para debater as questões globais. Ao se aproximar do delegado sobre

78 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


During Rio+20

questões específicas, certifique-se de encontrar a pessoa responsável que esteja trabalhando sobre o tema e que você acha que é importante. Se não, talvez o delegado que você acaba de conhecer possa redirecioná-lo. Também o “coordenador da delegação” do governo (a pessoa que organiza a agenda de todos dentro da delegação nacional) também pode ser uma boa pessoa para procurar. Uma vez que você encontrar o delegado certo, é basicamente como fazer um discurso de vendas. Idealmente, você deve convencer os delegados por que sua proposta política melhoraria seu país e seus interesses do que a sua posição atual. Mantenha os pontos chaves simples e objetivos. Certifique-se de transmitir a mensagem principal e reforçar, dando uma cópia impressa com sua(s) emenda(s) ou referindo-se a outras fontes influentes ou idioma previamente acordado. Além disso, ter uma língua comum (nacional) pode ser um trunfo. Finalmente, não veja no lobby a única possibilidade, tente construir uma relação de respeito mútuo com os delegados. Exercite o acompanhamento junto ao plano de ação: como você está disposto a seguir com a delegação durante os dias seguintes e mais importante do que isso, na fase de implementação. Delegações governamentais são geralmente interessadas em saber qual o papel que a sociedade civil nacional quer desempenhar a longo prazo. Participação nos workshops e oficinas de capacitação

Os workshops e as oficinas oferecem oportunidades de realizar discussões menos políticas e com maior carga de conhecimento técnico. Alguns deles podem ser muito técnicos e nem sempre valem a pena ter um representante jovem. No entanto, são bons espaços para construir relações fora do calor das discussões principais. Além disso, a participação de representantes da sociedade civil será bem mais acolhida se puderem partilhar experiências e conhecimento. É, portanto, uma boa oportunidade para aumentar a credibilidade dos jovens, assim como proporcionar algum tipo de especialização, desde que estes representantes sejam bem escolhidos. É também uma boa estratégia de defesa e promoção para a inclusão de representantes da juventude / a inclusão Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 79


de uma voz da juventude (planejamos usar intervenções gravadas quando não podíamos participar de oficinas de capacitação) é uma boa maneira de destacar a vontade de envolvimento constante. Realizando um evento paralelo

Eventos paralelos são normalmente uma alternativa ao evento oficial (possivelmente durante o almoço ou após o processo oficial). Se bem organizados, eles podem ser uma adição poderosa para qualquer estratégia de defesa dos direitos, assim como eles são uma boa forma de envolver discussões ou mostrar as melhores práticas. O processo em torno da preparação de um evento paralelo também pode desempenhar um papel muito útil em mobilizar equipes em torno de um projeto particular (que pode contribuir para a criação de um grupo temático). Os jovens também, geralmente em posição de destaque, podem demonstrar seu pensamento criativo, facilitando a realização destes eventos, por isso, não hesite em brincar com a estrutura dos espaços e mobílias para os debates - forma diferente do que as clássicas apresentações seguidas de perguntas e respostas do PowerPoint. O impacto em eventos paralelos pode aumentar com a presença de pessoas chave. No entanto, muitas vezes têm um impacto limitado em termos de envolvimento com as delegações,. Se você tem interesse em realizar um evento paralelo, coloque-o como prioridade pois o prazo para apresentar propostas é um dos primeiros a terminar, Primeiro é preciso apresentar um pedido de reserva de lugar de acordo com o cronograma específico e em seguida, providenciar convites para todos / e fazer o planejamento concreto do evento paralelo. A única coisa que você poderá fazer antes da apresentação do pedido, é construir uma coalizão por de trás dele, para que possa ser apresentado em nome de um grupo maior, aumentando assim suas chances de ter o evento paralelo aceito.

80 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


During Rio+20

Dicas e Truques para Realizar Eventos Paralelos • Selecione seu tópico ou tema e crie um título atraente • Encontre uma organização disposta a patrocinar o evento paralelo e resgistre-o com o Secretaria da Conferência. • Decida sobre o formato, encontre palestrantes e um moderador. • Se você tiver fundos suficientes, você deve organizar uma recepção após o evento paralelo. • Anuncie seu evento paralelo via listas de e-mail, folders ou convites em pessoa. • Garanta que o equipamento estará lá, e providencie credenciais para aqueles vindos de fora. • Promova seu evento! • Dê uma olhada neste guia também: http://bit.ly/Sideevent_guide • Consultas sobre eventos paralelos podem ser enviadas para: side_events@uncsd2012.org

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 81


Em algumas reuniões maiores, alguns atores (país anfitrião, os EUA, a UE ...) podem ter alugado uma pequena parte do local em que acontece a reunião e ter seu próprio programa lá. Uma alternativa para a criação do seu próprio evento paralelo, seria entrar em contato com a organização e verificar se eles permitiriam tal evento de jovens no espaço. Se aceito, o prazo seria mais flexível do que o oficial da ONU.

Margem de Manobra As regras de procedimento apenas influenciam parcialmente a reunião. Como sociedade civil, o espaço de participação depende de diferentes pessoas e fatores. A consequência disto é que o espaço de participação é baseado em negociações sutis entre os diferentes atores. A aplicação das regras (por exemplo, quantas vezes pode falar em um grupo de trabalho) frequentemente não dependem de regras formais, mas da decisão de um pequeno grupo de pessoas. Influenciar positivamente a estas pessoas (como o Presidente da sessão) pode resultar em grandes avanços em termos da participação da sociedade civil.

82 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


During Rio+20

O que Fazer e Não Fazer ? • O que Fazer e Não Fazer ? • Tente se focar em um assunto específico. É muito difícil seguir o curso inteiro das ações. • Venha preparado. Certifique-se de que você leu todos os documentos relevantes e tenha certeza de que você sabe todas as suas posições políticas de cor. • Reuniões Inter-governamentais é tensa para todos nós. Construa uma rede de apoio e seja tolerante com pessoas que podem lhe irritar, mas que na verdade estão lutando pelo mesmo que você, ou similar. • Imprima cartões de visita • Crie amizades e seja amigável • Seja educado e lembre que os delegados de um país (mesmo que defendam uma visão oposta) ainda são pessoas. • Divirta-se! • Não tente falar com representantes de governos quando estiverem fazendo suas falas • Não perturbe a reunião em si

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 83


Seja a mudança que você deseja ver no mundo”

84 |

—Mahatma Gandhi

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


After Rio+20

CapĂ­tulo 6

Depois da Rio+20

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 85


Depois da Rio+20 Uma vez que você retorne do Rio, você terá aprendido muito, conhecido uma porção de pessoas que pensam como você e esperamos que esteja cheio de energia para continuar trabalhando para um planeta melhor. A Conferência Rio+20 não pode resolver todos os complexos problemas que nosso mundo vem sofrendo, mas esperamos que possa contribuir significativamente. Por isso, é necessário uma estratégia de continuidade para a fase Pós-Rio+20.

Por que precisamos acompanhar? Se os resultados da Rio + 20 são bons ou ruins, o acompanhamento será de extrema importância. Mudanças em busca da sustentabilidade no mundo real é o que queremos ver. Portanto, vamos seguir o que foi determinado até que os resultados passem a ser devidamente alcançados. Promessas não são suficientes, precisamos manter os tomadores de decisão responsáveis e elevar o nível de cobrança se os resultados forem insuficientes. Além disso, nós, como a geração mais jovem devemos nos manter comprometidos para que nossa sociedade tenha um estilo de vida mais sustentável. Como o acompanhamento será, vai depender dos resultados da conferência, das realidades locais, mas particularmente do papel que desempenhamos no processo. Você pode optar por se concentrar principalmente em exercer pressão sobre os tomadores de decisão ou tentar estabelecer um diálogo sobre a implementação dos resultados. Além disso, você pode se concentrar em espalhar a idéia dentro de sua comunidade, por exemplo, tendo um programa educacional sobre o assunto ou organizando um evento.

86 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


After Rio+20

Nós podemos salvar o nosso planeta - por WAGGGS Em 2010, países membros da ONU se comprometeram a apoiar a educação para mudança climática. A Associação Mundial de Meninas Escoteiras e Bandeirantes (WAGGGS) usaram esta decisão para desenvolver orientações sobre como responsabilizar os governos e garantir que eles ajam, como prometeram. A associação recomendou alguns passos para montar um projeto de defesa nacional, com base em decisões oficiais tomadas na cúpula da ONU. 1. Decida o que você deseja focar e defina suas metas. 2. Investigue como jovens e organizações de juventude dentro do seu país podem se envolver para influenciar os tomadores de decisões e alcançá-los. Uma voz unida pode conduzir a uma voz mais forte. 3. Identifique o departamento governamental mais apropriado e faça o contato para questionar em como seu governo pretende dar continuação às decisões tomadas no Rio. Tente agendar uma reunião. 4. Certifique-se de que você está preparado. Se você vai encontrar uma pessoa importante e você sabe que não terá muito tempo para falar, pratique antes o seu discurso. 5. Seja parte da solução. Mostre como você ou o a sua organização de jovens seriam um parceiro valioso para implementar os resultados. 6. Leve exemplos (discrição de projetos, fatos e figuras, fotos), provando que você já está colocando suas sugestões sobre desenvolvimento sustentável em prática. Seja paciente e persistente, as mudanças às vezes acontecem devagar. Isso poderá exigir muita persistência para atingir suas metas, mas valerá à pena! Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 87


Além disso, você pode concentrar o seu tempo e energia em traduzir os resultados de uma política muito complicada em linguagem adequada para o dia-a-dia. Se os resultados são altamente lamentáveis porque você não mobiliza o maior número possível de jovens (digital ou localmente) para fazer uma declaração clara de que não podemos mais aceitar as decisões como antes eram feitas. Lembre-se que enquanto nós temos um monte de esperanças para a Rio 20 ... não é o fim. Nenhum evento pode mudar tudo e os pequenos passos que cada um de nós dá temum impacto. Sabemos que nem todos os nossos desejos para este evento se tornarão realidade. Mas sabemos das experiências passadas que, com dedicação, trabalho duro e muita diversão podemos fazer a diferença. Podemos influenciar positivamente os resultados e podemos, juntos, criar uma mudança concreta.

Junte se a nós e venha defender a mudança agora! Este pode ser o começo de algo melhor...”

88 |

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


After Rio+20

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 89


Abreviações ALBA AOSIS AU CBD CBDR CCD CSD CSG CSOs DSD ECOSOC EU FAO G77 GDP GEF GESDPE GRULAC HLS 90 |

Bolivarian Alliance for the Americas / Aliança Bolivariana para as Américas Alliance of Small Island States / Aliança dos Pequenos Estados Insulares African Union / União de Países Africanos Convention on Biological Diversity / Convenção sobre Diversidade Biológica Common but Differentiated Responsibilities / Responsabilidades comuns mas diferenciadas UN Convention on Combating Desertification / Convenção da ONU de Combate à Desertificação Commission on Sustainable Development / Comissão de Desenvolvimento Sustentável Conference Secretary General / Secretário Geral da Conferência Civil Society Organisations / Organizações da Sociedade Civil Division of Sustainable Development, part of UNDESA / Divisão de Desenvolvimento Sustentável, UNDESA Economic and Social Council / Conselho Económico e Social European Union / União Européia UN Food and Agriculture Organisation / Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura Grupo dos 77 Gross Domestic Product / Produto Interno Bruto Global Environmental Facility / Fundo Mundial para o Meio Ambiente Green Economy in the context of Sustainable Development and Poverty Eradication Group of Latin America and Caribbean Countries / Grupo de Países da América Latina e do Caribe High Level Segment / Seguimento de Alto Nível

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


After Rio+20

IEG International Environmental Governance / Governança Ambiental Internacional IFIs International Financial Institutions / Instituições Financeiras Internacionais IFSD Institutional Framework on Sustainable Development / Quadro Institucional para o Desenvolvimento Sustentável IGOs Intergovernmental Organisations / Organizações Intergovernamentais ILO International Labour Organisation / Organização Internacional do Trabalho Informal informals termo utilizado para sessões de negociação que não tem um orçamento reservado. Inter alia entre outras coisas JLG Joint Liaison Group / Grupo de Articulação Conjunta JPOI Johannesburg Plan Of Implementation / Plano de Implementação de Joanesburgo JUSSCANNZ Japão, EUA, Suíça, Canada, Australia e Nova Zelândia LDCs Least Developed Countries / Países Menos Desenvolvidos MDG Millennium Development Goals / Metas de Desenvolvimento do Milênio MEAs Multilateral Environmental Agreements / Acordos Ambientais Multilaterais MGCY Major Group for Children and Youth / Grupo Principal de Crianças e Jovens NCSD National Council for Sustainable Development / Conselho Nacional de Desenvolvimento Sustentável NGOs Non Governmental Organisations / Organizações Não Governamentais NSDS National Sustainable Development Strategy / Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável. ODA Official Development Assistance / Oficial de Assistência ao Desenvolvimento OECD Org. for Economic Cooperation and Development / Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 91


OPEC RIMs SIDS UN UNCED UNCSD TF UNDESA UNDG UNDP UNECA UNECE UNECLAC UNESCAP 92 |

Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico Oil Producing and Exporting Countries / Países Produtores e Exportadores de Petrólio Regional Implementation Meetings / Encontros de Implementação Regional Small Islands Developing States / Pequenos Países Insulares em Desenvolvimento United Nations / Nações Unidas United Nations Conference on Environment and Development (First Earth Summit in Rio in 1992) / Conferência da ONU sobre Desenvolvimento e Meio Ambiente (Primeira Cúpula da Terra no Rio de Janeiro em 1992). UN Commission on Sustainable Development Trust Fund / Fundo Fiduciário da Comissão da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável UN Department of Economic and Social Affairs, Conference Secretariat / Departamento da ONU para Assuntos Econômicos e Sociais, Secretariado da Conferência United Nations Development Group / Grupo de Desenvolvimento das Nações Unidas United Nations Development Programme / Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas United Nations Economic and Social Commission for Africa / Comissão Econômica e Social das Nações Unidas para a África United Nations Economic and Social Commission for Europe / Comissão Econômica e Social das Nações Unidas para a Europa United Nations Economic and Social Comission for Latin America and the Caribeean / Comissão Econômica e Social das Nações Unidas para a América Latina e o Caribe United Nations Economic and Social Commission for

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth


After Rio+20

Asia and the Pacific / Comissão Econômica e Social das Nações Unidas para a Asia e o Pacífico UNESCWA United Nations Economic and Social Commission for Western Asia / Comissão Econômica e Social das Nações Unidas para Ásia Ocidental UNEP United Nations Environmental Programme / Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) UNEP GC United Nations Environmental Programme’s Governing Council / Conselho de Governos do PNUMA UNESCO UN Educational, Scientific and Cultural Organisation / Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura UNFCCC UN Framework Convention on Climate Change / Convenção das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas UNGA United Nations General Assembly / Assembleia Geral das Nações Unidas UNICEF United Nations International Children Emergency Fund / Fundo Internacional Emergêncial da ONU para a criança UNRES 64/236 UN (General Assembly) Resolution calling for Rio+20 / Resolução da (Assembléia Geral) da ONU convocando para a Rio+20 WSSD World Summit on Sustainable Development (“Earth Summit 2002” in Johannesburg) / Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável (“Cúpula da Terra 2002” em Joanesburgo) WTO World Trade Organisation / Organização Mundial do Comércio

Rio+20 Participation guide - An introduction for children and youth

| 93


Guia de Participação Rio+20 - Uma introdução para crianças e jovens

Rio+twenties

www.rioplustwenties.org info@rioplustwenties.org

www.creativecommons.org


Guia de Participação na Rio+20 (para impressão)