Page 1

Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Educação para a Saúde (7.° Ano)

Competências essenciais • Saber diferenciar as capacidades motoras. • Saber identificar a resistência aeróbia. • Saber aplicar a frequência cardíaca. • Identificar os fundamentos da CRLD. • Saber identificar a respiração e as suas dificuldades. • Saber controlar a dor abdominal. • Saber as vantagens da CRLD. • Conhecer o funcionamento corporal.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Completa as frases com os termos correctos: execução, estímulo, músculos, pulso, coração, orgânica, nervosa, muscular, cerebelo, bolbo raquidiano. 1. A força rápida é a capacidade de superar uma resistência com a máxima rapidez de .

3. Na CRLD, a impulsão é feita pela perna de apoio, lançando o praticante para a frente e para cima, com a ajuda dos braços e do tronco.

2. A velocidade de reacção é a rapidez de movimento para responder a um .

4. Na CRLD, a movimentação dos braços é feita lateralmente, num balanceamento rítmico, com a flexão pelos cotovelos.

3. A flexibilidade tem influência na melhoria da execução técnica, na prevenção de lesões e no relaxamento dos .

5. Outras formas de saberes que estás a entrar em esforço anaeróbio, em plena CRLD, é através do ritmo respiratório, isto é, pela respiração ofegante.

4. A resistência é a qualidade física mais ligada à estrutura .

6. Uma das vantagens da CRLD é a de desenvolver o remate à baliza.

5. A força é uma capacidade física e está ligada à estrutura e .

7. A CRLD deve ser praticada após as refeições.

6. O controlo do ritmo cardíaco pode ser feito colocando a ponta dos dedos no peito, sobre o , no pescoço e no . 7. Os orgãos internos do corpo são dirigidos pelo . 8. Os movimentos do corpo são regulados pelo .

II

2. Na CRLD, o contacto do pé no solo é feito inicialmente pela ponta do pé, a que se segue o contacto total.

8. O aumento dos glóbulos vermelhos no sangue transporta mais oxigénio. 9. A frequência cardíaca é o número de batimentos do coração, contados durante 15 segundos, e multiplicando o número obtido por 4. 10. Durante a CRLD a inspiração e a expiração pela boca torna-se progressivamente predominante.

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F).

11. A força rápida é a capacidade dos músculos resistirem à fadiga, durante um tempo relativamente prolongado, sem perderem a eficácia da acção.

1. Após a corrida de resistência de longa duração, deves controlar o esforço, através da frequência cardíaca, se estás entre 150 e 170 b.p.min.

12. A resistência de força é a capacidade de superar uma resistência com a máxima rapidez de execução, contracção da musculatura, no menor tempo possível. 1


III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

uma das questões que se segue. 1. São capacidades motoras: O conhecimento das regras de um desporto. Uma boa arbitragem. A resistência, a força, a velocidade. 2. Qual o objectivo da corrida de resistência de longa duração? O desenvolvimento da velocidade. Proporcionar o cansaço. A formação cardíaca, muscular e respiratória. 3. Como deve ser feita a corrida de resistência de longa duração? Depressa no início e devagar no fim. Com intensidade moderada. Apoiando apenas a ponta dos pés no solo. 4. A velocidade é influenciada pela: estrutura nervosa, muscular e óssea. estrutura nervosa, muscular e orgânica. estrutura nervosa e orgânica. 5. Na realização de um esforço de longa duração, a água é importante para: aumentar a temperatura corporal. manter a temperatura corporal. diminuir a temperatura corporal. 6. Após a CRLD, sem parar ou andar, e em ritmo constante, se terminares com 164 b.p.min, o que deves fazer na próxima sessão?

10. Durante a CRLD, o António teve de controlar a respiração ofegante. O que terá feito o António? Aumentou o ritmo da corrida e executou uma expiração profunda pela boca, seguida de uma inspiração não forçada pelo nariz. Diminuiu o ritmo da corrida e executou uma expiração profunda pela boca, seguida de uma inspiração não forçada pelo nariz. Diminuiu o ritmo da corrida e executou uma inspiração profunda pelo nariz, seguida de uma expiração não forçada pela boca. 11. Durante a CRLD, o Vitorino teve de ultrapassar a dor abdominal. O que terá feito o Vitorino? Pressionou, várias vezes com a mão, o lado do abdómen dolorido e diminuiu a respiração com expirações curtas. Pressionou, várias vezes com a mão, o lado do abdómen dolorido e aumentou a respiração com fortes e prolongadas inspirações. Pressionou, várias vezes com a mão, o lado do abdómen dolorido e aumentou a respiração com fortes e prolongadas expirações. 12. O corpo humano quando está em repouso e em jejum necessita de energia. Esta quantidade é denominada de: Metabolismo suprabasal. Metabolismo basal. Acção dinâmica específica dos alimentos. 13. O ritmo de crescimento, quer na estrutura, quer nas funções do organismo é: Igual. Desigual. Igual, mesmo entre companheiros da mesma idade.

Aumentar o tempo da corrida. Manter o ritmo da corrida. Diminuir o tempo da corrida.

14. Os músculos esqueléticos são formados: por glicogénio. por células.

7. Após a CRLD, sem parar ou andar, e em ritmo constante, se terminares com 144 b.p.min, o que deves fazer na próxima sessão? Manter o ritmo da corrida.

15. Para existir movimento, é essencial obter energia, que é fornecida através:

Aumentar o ritmo da corrida.

do metabolismo basal.

Diminuir o tempo da corrida.

dos ossos e articulações.

8. Após a CRLD, sem parar ou andar, e em ritmo constante, se terminares com 184 b.p.min, o que deves fazer na próxima sessão?

dos alimentos e do oxigénio. 16. Para um movimento ser bem sucedido, é necessário eliminar:

Aumentar o tempo da corrida.

as fibras nervosas.

Manter o ritmo da corrida.

as fibras motoras.

Diminuir o ritmo da corrida.

as contracções supérfluas.

9. Há alterações ou modificações, resultantes do treino da CRLD:

2

por fosfocreatina.

17. Em qualquer exercício novo, os impulsos, numa primeira fase, dirigem-se para o córtex cerebral e para a sua:

O aumento das cavidades do coração.

totalidade.

A diminuição das cavidades do coração.

parte específica do movimento.

O aumento das paredes do coração.

automatização.


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Educação para a Saúde e para a ocupação dos tempos livres (8.° Ano)

Competências essenciais • Conhecer o funcionamento corporal. • Compreender os fundamentos do exercícios físico e do repouso. • Saber identificar a CRLD, o controlo cardíaco, a frequência cardíaca e os efeitos no organismo.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho!

12. Os resíduos do sangue venenoso são explidos durante a expriação e a .

Completa as frases seleccionando o termo correcto aplicado a cada questão: boca, oxigénio, bolbo raquidiano, células, respiratório, húmido, músculos, anaeróbia, cerebelo, musculares, transpiração, técnico, vital, pé, no final, por 4, débito de oxigénio, miosina, miofibrilhas, muscular, respiratória.

13. Para existir movimento é essencial obter energia, a qual é fornecida através dos alimentos e do .

I

14. Os músculos esqueléticos são formados por . 15. A resistência anaeróbia é a capacidade de realizar um esforço sem .

1. A proteína enzimática é importante no processo da via aeróbria e na via .

16. A frequência é o número de batimentos do coração contados durante 15 s e multiplicando o número obtido .

2. O glicogénio é sobretudo abundante nas células hepáticas e . 3. Os orgãos internos do corpo são dirigidos pelo .

17. A CRLD deve ser feita depressa no início e devagar .

4. Os movimentos do corpo são regulados pelo .

18. O objectivo da CRLD é a formação cardíaca, e .

5. O movimento do corpo é possível pela contracção dos .

19. Cada fibra muscular é constituída por um grande número de .

6. A coordenação motora tem por finalidade a eficiência do ponto de vista .

20. Cada miofibrilha é composta por dois tipos de filamentos, alternadamente, pelas proteínas actina e .

7. A intensidade da CRLD, também pode ser controlada através do ritmo . 8. Numa primeira fase, no período de crescimento, o objectivo é a construção do próprio organismo, isto é, estamos a edificar o esqueleto, os músculos, a energia . 9. A corrida de resistência de longa duração deve ser feita apoiando com predominância o tarso do pé (calcanhar) e, de seguida, o desenrolar de todo o . 10. Durante o exercício físico intenso, a respiração vai tornando-se progressivamente predominante pela . 11. Em repouso, a respiração faz-se pelo nariz, em que o ar é filtrado, aquecido e torna-se .

II

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 1. Qual é o pré-requisito essencial, na ocupação dos tempos livres, para a qualidade de vida? O treino diário. O exercício físico. O descanso, através de um sono de 5 horas. 2. A prática regular do exercício físico auxilia: a subida da tensão arterial. os neurónios a serem mais activos. o atrofiamento físico. 3


3. O exercício físico intenso e regular, sem um adequado repouso, provoca no organismo:

13. O ritmo de crescimento, quer na estrutura quer nas funções do organismo, é:

bem-estar.

igual.

perda de rendimento.

desigual.

aumento da capacidade física.

igual, mesmo entre companheiros da mesma idade.

4. Para obtermos adequado benefício do exercício físico, é fundamental juntar de forma adequada:

14. Para o exercício físico, o músculo está dependente dos vários sistemas orgânicos, em especial:

o exercício físico e o treino fraco.

do muscular.

o exercício físico e o repouso adequado.

do respiratório.

o exercício físico e o descanso, através do sono de 6 horas.

do circulatório e do respiratório.

5. A importância do repouso reside no tempo de recuperação para que seja restituída ao organismo a energia necessária. Assim, durante a recuperação é importante: a alimentação equilibrada. o descanso, através do sono de 5 horas. ambas estão correctas. 6. O exercício físico deve ser realizado:

15. Para um movimento ser bem-sucedido, é necessário eliminar: as fibras nervosas. as fibras motoras. as contracções supérfluas. 16. Em qualquer exercício novo, os impulsos, numa primeira fase, dirigem-se para o córtex cerebral e para a sua:

logo após a refeição.

totalidade.

pela manhã, em jejum.

parte específica do movimento.

após o tempo de digestão.

automatização.

7. A falta do exercício físico pode favorecer: o desenvolvimento do corpo. a degeneração do corpo. o atrofiamento das ideias. 8. O exercício físico deve ser praticado: de 3 a 4 vezes por semana, 30 minutos por sessão. de 1 a 2 vezes por semana, 60 minutos por sessão. 1 vez por semana, 90 minutos. 9. O exercício físico tem por objectivo: a libertação da agressividade, quer física, quer emocional.

17. Uma das vantagens da CRLD é a melhor irrigação do músculo cardíaco. A que se deve esta situação? À diminuição da rede de capilares, que provoca um maior fluxo de sangue no músculo. Ao seu aumento da rede de capilares, que provoca um menor fluxo de sangue no músculo. Devido ao engrossamento do músculo, surge um aumento da rede de capilares, que provoca um maior fluxo de sangue no músculo. 18. Na realização de esforços de longa duração, a água é importante para: provocar mais temperatura sanguínea.

combater o repouso.

manter a temperatura corporal.

combater hábitos desportivos.

relaxar os músculos.

10. O exercício físico deve ser praticado: todos os dias da semana.

19. A corrida de resistência de longa duração deve ser um esforço de intensidade:

regularmente e de forma progressiva.

máxima.

de forma competitiva, é a motivação fundamental.

forte. moderada.

11. O glicogénio, principal fonte indirecta de energia, é abundante: nos ossos. nas células musculares.

1. Qual é a importância do tempo de repouso?

nas articulações.

2. Quais são os órgãos mais importantes no trabalho muscular?

12. O corpo humano quando está em repouso e em jejum, necessita de energia. Esta quantidade é denominada: metabolismo suprabasal. metabolismo basal. acção dinâmica específica dos alimentos. 4

III Responde às seguintes questões:

3. Qual é a importância do pequeno almoço? 4. Será que o uso do tabaco pode prejudicar a prática desportiva? Justifica! 5. Será que as bebidas alcoólicas dão mais força e se torna possível obter um rendimento desportivo mais elevado? Justifica.


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Educação para a Organização desportiva e para o desporto (9.° Ano)

Competências essenciais • Saber identificar a organização desportiva. • Saber identificar os fundamentos do desporto de rendimento e do desporto de recreação. • Saber identificar os fundamentos do treino. • Saber identificar as leis biológicas de treino. • Saber identificar as fontes de energia. • Compreender as alterações decorrentes do treino. • Diferenciar termos desportivos e lesões desportivas.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Completa as frases, com os termos correctos: acidental, desportiva, intensivo, hematoma, brusco, tendão, irregular, associação, não profissional, Liga. 1. A fractura da tíbia é considerada uma lesão . 2. A cãibra é considerada uma lesão

.

3. A dor muscular é originada quando um músculo não está preparado para suportar um esforço . 4. A contractura pode ser resultante do treino

.

5. A ruptura muscular ocorre quando há uma abertura de algumas fibras musculares e, seguidamente, a formação de um . 6. A distensão muscular é originada pela inflamação de um tendão ou de um músculo, aquando da realização de um esforço . 7. A tendinite é provocada pelo excesso de treino regular e prolongado sobre um . 8. Os Clubes de futebol de um determinado distrito organizam-se numa .

II

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F). 1. O treino geral tem por objectivo a formação específica. 2. O treino específico tem por objectivo a eficácia da técnica individual em cada desporto. 3. Pela conjugação do treino geral com o treino específico, é possível chegar ao momento da forma desportiva. 4. O treino regular intensivo provoca no músculo esquelético uma hipertrofia, ficando mais grosso. 5. As Associações juntam-se para unificar a modalidade desportiva numa organização chamada Federação. 6. O nadar ou correr nos tempos livres, gerido pelo próprio praticante, é uma actividade informal. 7. O desporto de rendimento tem por objectivo alcançar a alta performance, o recorde. 8. O desporto de recreação tem por objectivo a ocupação dos tempos livres, lazer. 9. O factor dominante, no desporto de rendimento, é o prazer, a criatividade, a satisfação. 10. O factor dominante, no desporto de recreação, é a vitória, os resultados desportivos, campeonatos ou taças.

III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

uma das questões que se segue. 9. A modalidade de ténis de mesa é uma actividade formal, organizada, . 10. O futebol ou o basquetebol é uma actividade formal, organizada, profissional em que os campeonatos principais são organizados por uma .

1. Qual é o pré-requisito fundamental para se ter rendimento em competição? O treino diário. O exercício físico. A pausa no treino. 5


2. Para que ocorram alterações orgânicas, como deve ser a carga funcional?

11. Qual é a fonte de energia solicitada para desenvolver a velocidade de base?

Intensidade média.

Energia aeróbia.

Intensidade forte.

Energia anaeróbia aláctica.

Intensidade fraca.

Fosfocreatina (PC).

3. Sempre que se verifica uma interrupção do treino, mais ou menos prolongada, todas as alterações do organismo originadas pelos esforços: podem perder-se. podem manter-se.

12. Na prova de 100 metros, em natação, qual é a fonte de energia mais solicitada? Energia aeróbia. Energia anaeróbia láctica. Energia anaeróbia aláctica.

retornam ao ponto inicial. 4. O esforço de intensidade forte leva a um rápido aparecimento dos seus efeitos, mas quando se deixa de fazer esse tipo de esforço, os efeitos no organismo: desaparecem rapidamente. mantêm-se. desaparecem tardiamente. 5. Os esforços de intensidade fraca levam a um tardio aparecimento dos seus efeitos, mas quando se deixa de fazer esse tipo de esforços os efeitos no organismo: desaparecem rapidamente. mantêm-se. desaparecem tardiamente. 6. Um atleta de futebol tem no organismo adaptações diferentes das de um atleta: de futebol. de lançamento de peso. ambas estão erradas. 7. Um atleta tem classe quando:

a ATP-PC, respiração anaeróbia aláctica. a glicolítica, ácido láctico. a partir de 5 minutos, a oxidativa é predominante. 14. Na realização de um esforço de longa duração, a água é importante para: aumentar a temperatura corporal. manter a temperatura corporal. diminuir a temperatura corporal. 15. O Pedro faz CRLD, pelo menos três vezes por semana. O Carlos nunca faz nem pratica nenhuma actividade desportiva. Provavelmente, o coração do Carlos bate o mesmo por dia que o do Pedro. o coração do Pedro bate menos vezes por dia que o do Carlos. coração do Carlos bate menos vezes por dia que o do Pedro.

tem características físicas e psíquicas para um dado desporto que vai praticar.

16. Por que razão a corrida de resistência de longa duração é um esforço aeróbio?

tem uma característica muito pessoal que dá à sua movimentação no terreno de jogo.

Porque os músculos trabalham com défice de oxigénio.

tem características físicas e psíquicas para qualquer desporto.

Porque os músculos trabalham com oxigénio em quantidade suficiente.

8. Um atleta encontra-se no estado de condição quando:

Porque os músculos trabalham com dióxido de carbono e água.

atinge o apogeu do rendimento numa determinada actividade desportiva. atinge a forma numa determinada actividade desportiva. encontra um óptimo equilíbrio fisiológico, para determinada actividade desportiva. 9. O treino regular e intensivo provoca alterações no coração com: o aumento das suas paredes. a diminuição das suas paredes. uma recuperação mais lenta. 10. O treino regular e intensivo favorece alterações no sistema respiratório como: a abertura de todos os alvéolos. a diminuição da amplitude torácica. ambas estão correctas. 6

13. Para realizar a prova de 5000 m, a fonte de energia mais solicitada é:

IV Responde às seguintes questões:

1. Qual é a importância do tempo de repouso? 2. Qual é a consequência do treino regular na circulação sanguínea? Justifica. 3. Os pulmões sofrem alterações com o treino regular. Quais são? 4. Quais são as alterações no coração provocadas pelo treino regular? 5. Quais são as principais diferenças entre Educação Física Escolar e o desporto de rendimento? 6. Quais são as principais diferenças entre o desporto de rendimento e o desporto de recreação?


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Futebol (7.°/8.°/9.° Anos)

Competências essenciais • Saber identificar as origens do futebol. • Saber identificar o jogo: golo, marcação do campo, equipa. • Saber identificar as regras: início do jogo, juízes e acção disciplinar, reposição da bola em jogo, livre directo e indirecto, grande penalidade.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Completa as frases com os termos correctos: colectivo, fora-de-jogo, The Football Association, laterais, baliza, meio-campo. 1. No ano de 1863, em Londres, é fundada 2. O futebol é um desporto 3. O campo é limitado pelas linhas linhas de .

.

2. O futebol é considerado um desporto: radical. olímpico. americano. 3. Na tua opinião, o que deve fazer o árbitro? Inventar regras, quando não as sabe.

. e pelas

4. O campo é dividido em duas partes iguais pela linha de . 5. O árbitro assistente deve auxiliar o árbitro, assinalar as bolas fora e o .

Modificar a decisão, quando os jogadores protestam. Cumprir as leis do jogo. 4. Quando se realiza o lançamento lateral? Quando a bola sai pela linha de baliza. Quando a bola sai pela linha lateral. Quando a bola sai pela linha de fundo.

II

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F). 1. O futebol é praticado por duas equipas, cada uma delas com onze jogadores de campo, mais cinco suplentes. 2. Uma equipa vence o encontro quando, no final do jogo, obtém o maior número de pontos. 3. Na marcação da grande penalidade, os jogadores devem estar entre a bola e o guarda-redes.

5. Quando se realiza o pontapé de baliza? Quando a bola sai pela linha de baliza, tocada em último lugar pelo guarda-redes. Quando a bola sai pela linha lateral, tocada em último lugar por um jogador atacante. Quando a bola sai pela linha de baliza, tocada em último lugar por um jogador atacante. 6. Quando se realiza o pontapé de canto?

4. A grande penalidade marca-se no local da falta.

Quando a bola sai pela linha lateral.

5. O início do jogo é realizado com pontapé de saída, no círculo central, por dois jogadores da mesma equipa.

Quando a bola sai pela linha de baliza, tocada em último lugar por um jogador que defende ou pelo guarda-redes.

III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

uma das questões que se segue. 1. Como se chamava às partidas do jogo com bola, na Grã-Bretanha, entre 1060 e 1510?

Quando a bola sai pela linha de baliza, tocada em último lugar por um jogador atacante. 7. Fora da grande área, com que parte do corpo podem os jogadores jogar?

“Hurling over country”.

Todo o corpo.

“Hurling over goals”.

Todo o corpo, excepto os braços/mãos.

“Dribling game”.

Todo o corpo, excepto os braços e a cabeça. 7


8. Quando é que o árbitro marca uma grande penalidade? Quando um defesa comete uma falta grave dentro da sua grande área. Quando o guarda-redes toca a bola com as mãos dentro da sua grande área. Quando uma equipa marca o golo na própria baliza. 9. O que deve fazer o árbitro, quando um jogador, fora da grande área, comete uma falta intencional grave sobre um jogador isolado? Assinalar livre directo. Assinalar grande penalidade.

17. Quando é considerado golo? Sempre que a bola ultrapasse a linha de baliza, entre os postes e por baixo da barra. Sempre que a bola toque a linha de baliza e volte para dentro do campo. Sempre que a bola toque nos postes ou na barra e volte para dentro do campo. 18. Quando o árbitro não levanta um dos braços na marcação de um pontapé livre, este é: directo. indirecto. ambas estão erradas.

Ambas estão erradas. 19. O pontapé de saída é realizado: 10. Dentro da grande área, todos os jogadores podem jogar: com qualquer parte do corpo. com qualquer parte do corpo, excepto com a cabeça e os braços.

No círculo central, por dois jogadores adversários. No círculo central, por dois jogadores da mesma equipa. Pelo guarda-redes na pequena área.

com qualquer parte do corpo, desde que seja o guarda-redes. 11. Quando um jogador, fora da grande área, joga a bola com a mão, o árbitro deve assinalar:

IV Observa a figura, que corresponde a um campo de

futebol de sete, e preenche a respectiva legenda.

a marcação da grande penalidade. a marcação de livre indirecto ou directo. 5

ambas estão correctas. 12. Pode resultar golo de um pontapé de canto? Directamente.

3 4

Só indirectamente. Ambas estão erradas.

1

7

13. Pode resultar golo de um pontapé de saída?

6

Directamente. 8

Indirectamente.

9

Ambas estão erradas. 14. Pode resultar golo de um lançamento lateral? Directamente. Indirectamente.

1. 2.

Ambas estão erradas. 3. 15. Para que serve o pontapé de saída? Para se dar início ao jogo. Para a reposição da bola em jogo após uma falta.

4. 5.

Ambas estão correctas. 6. 16. Qual é o objectivo do jogo de futebol?

8

2

Marcar golo na baliza contrária.

7.

Evitar que a bola entre na baliza da equipa adversária.

8.

Ambas estão correctas.

9.


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Futebol (9.° Ano)

Competências essenciais • Avaliar as acções decorrentes do jogo: ataque e defesa, desmarcação, progressão com bola, remate com êxito, técnica ofensiva e defensiva, marcação H x H, acção defensiva colectiva.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 1. O jogador e a equipa que estão de posse da bola encontram-se: à defesa. ao ataque. nem à defesa nem ao ataque.

6. Quando um jogador, na posse da bola, não tem condições para rematar com êxito à baliza, deve: proteger-se da bola e do seu adversário directo. fintar ou simular até obter uma posição adequada de remate. criar linhas de passe menos ofensivas. 7. A passagem de uma equipa da situação de ataque para a de defesa é um período básico da: técnica ofensiva. técnica defensiva.

2. Quando um jogador perde a posse da bola, deve iniciar de imediato: a desmarcação.

táctica. 8. A finta é um princípio da:

a marcação.

técnica ofensiva.

as acções atacantes.

técnica defensiva. táctica.

3. Quando uma equipa se encontra ao ataque, protecção e na conservação da posse da bola, deve assegurar: a marcação dos seus adversários. a possibilidade de sofrer golo. o equilíbrio espacial do jogo. 4. Um jogador, após ter realizado um passe para um companheiro, deve: correr para junto do companheiro com bola.

9. Na realização da marcação H x H sobre um jogador adversário com bola, qual é a técnica defensiva mais utilizada para a recuperação da bola? Fazer falta, empurrando o jogador adversário. Fazer o desarme. Deve fazer-se a marcação H x H só quando uma equipa está a perder. 10. Para uma acção defensiva colectiva ter sucesso é importante:

marcar o adversário directo.

uma inferioridade numérica.

desmarcar-se.

uma superioridade numérica. uma igualdade numérica.

5. O remate deve ser feito com ângulo favorável para permitir marcar golo. Quando se deve realizá-lo?

11. Qual é o objectivo da marcação H x H sobre o jogador adversário com bola?

Sempre que a baliza estiver ao seu alcance.

Uma paragem no contra-ataque.

De qualquer lugar do terreno de jogo.

A manutenção da posse da bola.

Só quando o guarda-redes estiver fora da área.

O ataque organizado. 9


12. O desvio da trajectória da bola pelo guarda-redes é um princípio da: técnica ofensiva.

16. Qual é o objectivo da acção defensiva individual? A marcação H x H sobre o jogador adversário sem bola. A marcação H x H sobre o jogador adversário com bola.

técnica defensiva. táctica.

Fazer as “dobras”. 13. Observa a figura A. Qual será a melhor atitude do jogador com bola? Passar a bola ao companheiro de equipa (n.° 4). Fazer a progressão e penetrar para rematar. Passar a bola ao companheiro de equipa (n.° 6).

17. Observa a figura B. Qual será a melhor solução para o prosseguimento da jogada pelo jogador n.° 2? Deve realizar a “tabelinha” com o jogador n.° 1. Deve rematar à baliza. Deve passar a bola ao jogador n.° 3. 18. Observa a figura B. Qual seria a melhor solução para o jogador defensivo, opositor directo do atacante n.° 2, no início do passe? Manter a mesma atitude da figura. Deslocar-se, para interceptar o passe por antecipação ou tentar o desarme.

Bola

4

6

Deslocar-se, para fazer a marcação ao jogador n.° 1.

5

Fig. A 14. Qual é o objectivo da marcação individual ou H x H (homem a homem)?

Marcação a dois jogadores influentes de uma equipa.

3

Fazer a troca de posição para realizar a cobertura de um atacante.

1

Marcar o adversário para onde quer que este se movimente. Fig. B 15. Numa acção ofensiva colectiva para se ter sucesso é importante: uma inferioridade numérica. a manutenção da posse de bola. a criação de situações que possibilitem o remate com êxito.

10

Bola

2


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Voleibol (7.°/8.°/9.° Anos)

Competências essenciais • Saber identificar as origens do voleibol. • Saber identificar o jogo: tipo de desporto, pontuação, marcações do campo, objectivo do jogo. • Saber identificar as regras: equipa de arbitragem, serviço, marcação do ponto, faltas, rotação da equipa.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Completa as frases com os termos correctos: válida, rede, jogada, linha central, ténis. 1. O voleibol foi inspirado no 2. O campo é dividido ao meio por uma

III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

uma das questões que se segue. 1. Em que país surgiu o voleibol? Na Inglaterra.

.

Nos Estados Unidos da América. .

3. Uma equipa marca ponto todas as vezes que ganhe uma .

Na Alemanha. 2. O voleibol é um jogo desportivo: misto.

4. Sempre que a bola cair sobre as linhas laterais, a jogada é considerada .

individual.

5. Durante uma jogada, um jogador não pode tocar na rede ou ultrapassar a .

3. Quem dirige o jogo?

colectivo.

Um árbitro e dois juízes de linha. Dois árbitros auxiliados por um marcador.

II

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F).

Dois árbitros auxiliados por um marcador e dois juízes de linha.

1. O voleibol é um desporto colectivo. 2. Um “set” termina sempre que uma equipa obtém quinze pontos. 3. O quinto “set” termina sempre que uma equipa obtém 25 pontos. 4. Uma equipa vence o encontro quando ganha três “sets”. 5. O serviço é feito na zona de serviço, sem calcar a linha de fundo.

4. Uma equipa de voleibol é constituída por doze jogadores. Quantos podem estar em campo? Cinco jogadores. Seis jogadores. Oito jogadores. 5. A Lídia faz parte da equipa “A” e fez o serviço correctamente. A equipa “B”, ao terceiro toque, passou a bola para o campo da equipa “A”, que não conseguiu fazer a recepção, deixando-a cair no solo, dentro dos limites do campo. Qual é a atitude do primeiro-árbitro? A equipa “A” perde ponto e os jogadores rodam. A equipa “B” ganha o serviço, marca ponto e os jogadores rodam. A equipa B marca ponto e os jogadores não rodam.

11


6. O serviço é válido quando a bola: passa por baixo da rede sem a tocar directamente.

IV Observa a figura – campo de voleibol de quatro – e

preenche a respectiva legenda.

é levantada para a execução. passa pelo lado de fora das varetas.

6

7. Os jogadores de uma equipa rodam quando: fazem o serviço e ganham a jogada.

5

ganham o serviço. ambas estão erradas. 8. Numa jogada, excepto no bloco, um jogador pode dar:

1

apenas um toque na bola. dois toques alternados na bola.

4

dois toques consecutivos. 9. Quando a bola é enviada contra a rede, pode ser recuperada:

2

com um toque. dentro do limite dos três toques. perde ponto. 10. A finalidade do jogo é: enviar a bola por cima da rede.

1.

impedir que a bola toque para além das linhas laterais e do fundo.

2.

enviar a bola por cima da rede, fazendo-a tocar dentro do campo adversário.

3.

11. A bola pode ser batida:

4.

com qualquer parte do corpo. somente com os dedos (toque de dedos). somente com os antebraços. 12. Um “set”, excepto no quinto, termina sempre que uma equipa obtém: 15 pontos, com uma vantagem mínima de um ponto. 17 pontos, com uma vantagem mínima de dois pontos. 25 pontos, com uma vantagem mínima de dois pontos.

12

5. 6. 7.

3


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Voleibol (9.° Ano)

Competências essenciais • Avaliar as acções decorrentes do jogo: ataque e defesa, recepção ao serviço, atitude de expectativa, contra-ataque, cobertura, finalização da jogada, defesa alta, protecção.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 1. O início de uma jogada é feito através: do passe por cima. do serviço. da manchete. 2. O início da jogada, quando é bem executada, com força, é considerado uma acção: defensiva. ofensiva. de segurança. 3. Que tipo de recepção deve dominar um jogador? Um ofensivo e outro defensivo. Um ofensivo e outro de segurança. Um ofensivo e outro de força. 4. Em que tipo de serviço pode ser utilizada a recepção em toque de bola por cima, toque de dedos? Num serviço ofensivo. Num serviço de força. Num serviço de segurança. 5. No momento do serviço, que tipo de atitude devem tomar os jogadores contrários?

7. Numa movimentação ofensiva, o gesto técnico mais aconselhável para um companheiro finalizar a jogada em remate em salto é: o serviço tipo segurança. o passe por cima, toque de dedos. a atitude de expectativa. 8. O passe por cima, toque de dedos, pode ser realizado: em apoio. em segurança. em apoio e suspensão. 9. O objectivo do passe por cima, toque de dedos, de costas é: uma mudança lenta de direcção do ataque. iludir a defesa adversária. ambas estão correctas. 10. Para planear e realizar a melhor solução, no momento da finalização da jogada, é preciso ter: sucesso no remate em salto para uma zona fixa do campo. o domínio visual da bola. ambas estão correctas. 11. Na finalização da jogada, em remate em salto (ténis), a direcção do remate deve ser:

Atitude normal.

sempre a mesma.

Atitude de expectativa.

dentro do possível variável.

Nenhuma atitude especial.

ambas estão erradas.

6. No jogo de voleibol, a primeira acção a desenvolver numa movimentação ofensiva é:

12. Na movimentação defensiva, a primeira acção táctica que deve funcionar é a:

a finalização da jogada.

cobertura.

o contra-ataque.

defesa do campo.

a protecção ao ataque.

defesa alta, bloco. 13


13. Na defesa alta, os braços devem estar em extensão, na direcção da bola, com as mãos firmes e as palmas dirigidas para: a frente, dedos unidos para envolver a bola. trás, dedos afastados para envolver a bola. a frente, dedos afastados para envolver a bola. 14. A cobertura da defesa alta, protecção ao bloco, deve ser feita: por um jogador defesa. pelo jogador que faz a defesa alta, bloco. por toda a equipa.

16. Na figura A, o jogador n.° 4, durante um “set”, utilizou sempre a mesma estratégia na realização do contra-ataque (2.° toque), passe alto, em condições jogáveis para o jogador n.° 3. No entanto, à terceira jogada, a finalização começou a não ter êxito. O que deve fazer o jogador n.° 4 para a equipa ter sucesso? Passar a bola para o campo contrário. Variar a jogada, entre o jogador n.° 3 e n.° 5, com o passe de costas. Passar a bola em condições jogáveis para o jogador n.° 2. 17. Na figura B, o jogador n.° 3 faz a defesa alta, bloco individual. O que deve fazer o jogador n.° 2?

15. Na figura A, a bola de serviço é dirigida ao jogador n.° 2. A velocidade e a trajectória da bola possibilitam ao jogador fazer a recepção em manchete-passe, em condições jogáveis. Para quem deve dirigir a bola?

Defender o campo, próximo da linha de fundo. Deslocar-se para perto da acção, para realizar a protecção ao bloco. Ambas estão erradas.

Para o jogador n.° 3 ou n.° 5, para finalizar a jogada.

Rede

Para o jogador n.° 4, para que este inicie o contra-ataque, passe alto.

6

3

9

Para o campo contrário. Rede

2

3

4 5

7

8

Fig. B

4

2 5 Fig. A

18. Na figura B, a equipa do jogador n.° 9 está a finalizar a jogada. Que tipo de atitude deve assumir o jogador n.° 9? Defender o campo, próximo da linha de fundo. Deslocar-se para próximo da acção, atrás do companheiro de equipa n.° 6, para realizar a protecção ao ataque. Ambas estão erradas.

14


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Basquetebol (7.°/8.°/9.° Anos)

Competências essenciais • Saber identificar a origem do basquetebol. • Saber identificar o jogo: objectivo do jogo, terreno de jogo, duração do jogo, pontuação. • Saber identificar as regras: equipa de artitragem, início do jogo, infracção em relação à bola e à marcação do terreno de jogo, falta pessoal, falta antidesportiva e técnica, cinco faltas, quatro faltas por equipa, reposição da bola em jogo.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

2. O início do jogo é realizado pelo árbitro, dentro do círculo central, através do lançamento de bola ao:

Completa as frases com os termos correctos: adversária, colectivo, quatro, cada, substituir, suplementar.

ar, entre dois jogadores contrários.

1. O basquetebol é considerado um desporto .

ar, entre todos os jogadores.

2. O objectivo do jogo, no basquetebo, é meter a bola no cesto da equipa . 3. A duração do encontro (jogo) é de períodos de 10 minutos . 4. Se no final do tempo regulamentar, se verificar uma igualdade pontual, o jogo continua por um período de 5 minutos, ou quantos forem necessários. 5. Qualquer jogador pode ser substituído ou um companheiro de equipa.

solo, entre dois jogadores contrários.

3. Um jogador, ao fazer a recepção da bola parado, pode seguidamente realizar: três apoios e iniciar o drible antes do quarto apoio. três apoios e lançá-la antes do quarto apoio. dois apoios e passá-la antes do terceiro apoio. 4. Durante quanto tempo pode um jogador estar parado, com a bola nas mãos, sem a bater? 3 segundos. 5 segundos. O tempo que quiser.

II

Das afirmações que se seguem, diz quais as verdadeiras e quais as falsas:

5. Para que serve a área restritiva?

1. Uma equipa de basquetebol é constituída por 10 jogadores, 5 em campo e 5 suplentes.

Para fazer funcionar a regra das cinco faltas.

2. Um lançamento livre convertido vale dois pontos.

Para fazer funcionar a regra dos cinco segundos.

3. A função dos três árbitros é dirigir o jogo. 4. Um lançamento de campo convertido vale um ponto. 5. O drible realizado com as duas mãos ao mesmo tempo é considerado falta pessoal.

Para fazer funcionar a regra dos três segundos.

6. Das três situações seguintes, qual é a que consideras falta pessoal? Driblar com as duas mãos ao mesmo tempo. Realizar três apoios com a bola nas mãos. Tocar no adversário portador da bola.

III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

uma das questões que se segue. 1. Em que país foi criado o basquetebol?

7. As faltas pessoais, que não são penalizadas com lançamento livre, marcam-se:

Na Inglaterra.

na linha final.

Na Alemanha.

na linha lateral.

Nos Estados Unidos.

ambas estão correctas. 15


8. Quando um defesa empurra um jogador atacante, no momento do lançamento, e, mesmo assim, a bola entra no cesto, o árbitro deve marcar:

15. O objectivo do jogo é: introduzir a bola no cesto da equipa adversária. evitar que a bola entre no cesto da equipa adversária.

falta pessoal, com direito a expulsão do jogador defesa. falta pessoal, com direito a dois lançamentos livres.

ambas estão certas. 16. A duração do jogo é de:

falta pessoal, com direito a um lançamento livre.

4 períodos, de 13 minutos cada. 4 períodos, de 10 minutos cada.

9. O árbitro deve realizar o lançamento de bola ao ar, sempre que: um cesto é válido. há dupla falta.

4 períodos, de 8 minutos cada. 17. Quando o lançamento de campo é realizado dentro da linha de 6,25 metros, como finalização atacante:

ocorra uma falta técnica.

vale 1 ponto. vale 2 pontos.

10. Das situações seguintes, é considerado violação em relação à bola: jogar a bola fora do campo, quando esta toca o solo sobre a linha lateral.

vale 3 pontos. 18. A equipa de arbitragem é constituída por: 2 árbitros e o cronometrista.

driblar, agarrar a bola e voltar a driblar.

2 árbitros e o marcador.

permanecer mais de três segundos, sem bola, na área restritiva da equipa adversária. 11. Das situações seguintes, é considerado violação, em relação às marcações do terreno de jogo:

2 árbitros, o marcador e o cronometista.

IV Observa a figura (campo de basquetebol) e preenche a

respectiva legenda.

permanecer com a bola nas mãos, parado, mais de cinco segundos. passar a bola da zona de ataque para a sua zona de defesa (linha de meio-campo).

10

9

uma equipa, em acção atacante, possuir a bola e não a lançar durante 24 segundos.

5 3

12. Quantas faltas tem de cometer um jogador para abandonar o terreno de jogo?

6

Cinco faltas pessoais ou técnicas.

7

Seis faltas pessoais. 13. A regra que permite ao árbitro penalizar uma equipa com dois lançamentos livres, para cada falta pessoal cometida em qualquer ponto do campo é:

1.

quando uma equipa atinge a quinta falta pessoal ou técnica, num período de jogo.

3.

quando um jogador atinge cinco faltas pessoais, num período de jogo.

4.

14. Após a execução dos dois lançamentos livres pela falta antidesportiva ou pela falta técnica, a bola é reposta em jogo pela equipa que:

2.

5. 6. 7. 8.

cometeu a falta pela linha final. cometeu a falta pela linha lateral. sofreu a falta na linha central, fora do campo. 16

2

4 1

Cinco violações em relação às marcações do terreno de jogo.

quando uma equipa atinge oito faltas pessoais ou técnicas, num período de jogo.

8

9. 10.


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Basquetebol (9.° Ano)

Competências essenciais • Avaliar as acções decorrentes do jogo: ataque e defesa, movimentação ofensiva, posição fundamental ofensiva, desmarcação, leitura do jogo, condições para os lançamentos, movimentação defensiva, marcação H * H.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 1. Para conseguir a posição fundamental ofensiva é importante associar a recepção da bola: à defesa H * H. à rotação imediata sobre o pé-eixo. ambas estão correctas.

6. Um jogador atacante, com bola, na observação do jogo, deve ver a sua posição em relação: ao cesto, à bola e aos companheiros de equipa. à bola, aos companheiros de equipa e aos contrários. ao cesto, aos companheiros de equipa e aos contrários. 7. Em situação de jogo, o drible deve ser utilizado, em especial: quando se pode passar a bola. quando se pode lançar a bola ou passá-la.

2. Quando não é possível a recepção da bola com as duas mãos, o contacto inicial deve ser feito: pela aproximação do jogador com bola. através da mão-alvo. ambas estão erradas.

quando existe espaço livre. 8. A eficácia do lançamento pode influenciar o resultado de um jogo. Durante a sua execução, um jogador deve: fixar o olhar na tabela, nos lançamentos longos. fixar o olhar no aro, nos lançamentos próximos deste.

3. A posição fundamental ofensiva, bem dominada, facilita a execução:

concentrar-se, equilibrar-se e fixar o olhar no aro ou na tabela.

da marcação H x H. da desmarcação. do passe ou do lançamento. 4. A participação colectiva de uma equipa nas fases do jogo só é possível quando todos os seus elementos: têm consciência das suas funções. fazem deslocamentos na direcção do cesto. realizam desmarcações na direcção do cesto. 5. Um jogador, para criar e seleccionar as estratégias do jogo mais adequadas, deve habituar-se: a fazer o drible após a recepção da bola e rotação. a pedir a bola. a analisar o jogo de forma consciente.

9. Antes de um lançamento, o jogador observa a situação de jogo para realizá-lo e deve fazê-lo quando: os companheiros estão longe do cesto. o seu adversário directo dificulta a progressão. um companheiro de equipa está perto da zona do cesto para fazer o ressalto ofensivo. 10. Quando uma equipa se encontra na situação de defesa, que tipo de estratégia deve assumir, para impedir uma acção ofensiva? Deve utilizar a marcação H x H. Deve utilizar a marcação, com todos os seus elementos, ao atacante com bola. Não deve fazer nenhuma marcação especial a qualquer jogador atacante. 17

JL789DD-02


11. No acto do lançamento, um jogador defesa, na marcação H x H, deve:

16. A função da defesa à zona é: jogar com atenção à bola.

deixar fazer o lançamento sem dificultar.

jogar com atenção a um adversário.

fazer a elevação dos braços superiormente, perto do jogador atacante.

preocupar-se com o ressalto ofensivo.

tocar no adversário no momento do lançamento. 12. No ressalto defensivo, a posição do defesa deve ser: entre o jogador lançador e o jogador atacante, sem bola. entre o atacante, sem bola, e o cesto.

17. Na figura, qual é o defesa que está a fazer a defesa H x H? O defesa n.° 5. O defesa n.° 3. O defesa n.° 4.

entre o atacante, com bola, e o cesto.

1

13. A função do ressalto defensivo é:

2

10

deixar fazer o lançamento. obter a posse da bola para realizar o contra-ataque, movimentação ofensiva.

6

4

3

5

ambas estão correctas.

7

8

9

14. O jogador atacante, sem bola, tem de libertar-se da pressão defensiva através: do bloqueio defensivo. da criação de linhas de passe. da marcação H x H. 15. Quando uma equipa perde a posse da bola, deve de imediato: assumir uma atitude atacante. recuar para o seu meio-campo, sem perder de vista a bola, e defender H x H. ambas estão correctas.

18

18. Na figura, qual é o jogador que está em melhor posição para receber a bola do n.° 6? O jogador n.° 8. O jogador n.° 10, se fizer deslocamento na direcção do círculo da linha de lançamento livre. O jogador n.° 9.


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Andebol (7.°/8.°/9.° Anos)

Competências essenciais • Saber identificar a origem do andebol. • Saber identificar o jogo: tipo de jogo, equipa, objectivo, golo. • Saber identificar as regras: atitude disciplinar, início do jogo, guarda-redes, faltas, lançamento livre de 7 m e de 9 m, reposição da bola em jogo.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Completa as frases, com os termos correctos: alemão, olímpico, golo, adversária, dois árbitros.

III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

uma das questões que se segue. 1. Em que país começou a ser praticado o andebol? Em Inglaterra.

1. O andebol de sete é considerado um desporto . 2. O andebol, na variante de onze, é um jogo tipicamente . 3. Em andebol, o objectivo do jogo é meter a bola na baliza da equipa . 4. Quando a bola passa totalmente a linha de baliza, entre os postes, e por baixo da barra é considerado . 5. O jogo é dirigido por

.

Na Alemanha. Na Rússia. 2. O andebol é considerado um desporto: colectivo. individual. misto. 3. Quantos jogadores constituem uma equipa de andebol de 7? 5 jogadores de campo e 5 suplentes. 7 jogadores de campo e 5 suplentes. 7 jogadores de campo e 2 suplentes. 4. Como se exprime o árbitro durante o jogo?

II

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F). 1. Uma equipa vence o encontro quando, no final do jogo, obtém o maior número de golos. 2. Quando o árbitro indica uma exclusão, o jogador fica fora de jogo durante dois minutos.

Tem sempre razão e exprime-se por gestos. Raramente tem razão e exprime-se falando em tom moderado. Ambas estão erradas. 5. O jogo de andebol de sete inicia-se: com bola ao solo. com lançamento de baliza. com lançamento de saída.

3. Quando o árbitro desqualifica um jogador, deve mostrar o cartão amarelo. 4. O lançamento livre de sete metros marca-se no local da falta. 5. Na marcação do lançamento livre de 7 metros, os jogadores podem estar entre a bola e o guarda-redes.

6. Num jogo de andebol, o que é a área de baliza? É o local onde os jogadores, defesas, podem defender. É o local onde só pode permanecer o guarda-redes. É o local onde os atacantes se colocam para rematar. 19


7. Em que situação pode o guarda-redes sair da área de baliza?

15. O que deve fazer o árbitro em caso de bola presa? Expulsão dos dois jogadores.

Com a bola e regressar com ela.

Bola ao ar entre eles.

Sem a bola e entrar novamente com ela.

Exclusão dos dois jogadores.

Sem a bola e regressar sem ela. 16. Se um defesa passa a bola intencionalmente para a sua própria área de baliza, ficando nesta, ou saindo pela linha de saída baliza, o árbitro deve:

8. O que deve marcar o árbitro, se um defesa passar a bola intencionalmente ao seu guarda-redes, encontrando-se este na área de baliza?

marcar lançamento livre de 9 m.

O lançamento livre de 9 m.

marcar lançamento livre de 7 m.

O lançamento livre de 7 m.

deixar seguir o jogo.

Deve deixar seguir o jogo, com lançamento de baliza. 9. O que deve marcar o árbitro, se um defesa entrar na sua área de baliza para impedir que um atacante faça o remate?

IV Observa a figura – andebol de 5 – e preenche a respec-

tiva legenda.

O lançamento livre contra o atacante. O lançamento livre de 7 m. 9

O lançamento livre de 9 m a favor do atacante. 10. O que deve o árbitro marcar quando, após um remate, a bola bater no guarda-redes e sair pela linha de saída de baliza? O lançamento de reposição em jogo pela linha lateral.

8

11. No andebol de sete, onde deve ser marcada qualquer falta que não seja cometida entre a linha dos 9 m e a dos 6 m? Na linha lateral.

6

3

1. 2.

No próprio local. Na linha de meio campo. 12. No andebol de sete, onde deve ser marcada qualquer falta que seja cometida entre a linha de 9 m e a de 6 m, que não dê direito a lançamento livre de 7 m?

3. 4. 5.

No próprio local. Na linha de 6 m.

6.

Na linha de 9 m. 7. 13. No andebol de sete, onde é a posição dos jogadores na marcação de um lançamento livre de 9 m?

8.

Os atacantes podem estar entre a linha de 6 m e a de 9 m.

9.

Os defesas devem estar na linha de 6 m. Em qualquer lugar. 14. Como deve ser feita a reposição da bola em jogo pela linha lateral? Com os dois pés fora da linha lateral. Com, pelo menos, um dos pés a calcar a linha lateral. Com um pé dentro e o outro fora do campo. 20

1

4

O lançamento livre de 9 m. O lançamento de baliza.

7

5

2


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Andebol (9.° Ano)

Competências essenciais • Avaliar as acções decorrentes do jogo: ataque e defesa, movimentação ofensiva, contra-ataque, desmarcação, circulação da posse de bola, movimentação defensiva, marcação individual, posição de base. Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 1. O contra-ataque tem por objectivo: surpreender a equipa adversária. não dar tempo a que a outra equipa organize a acção ofensiva. a mudança de função da situação de ataque para a defesa. 2. Em geral, o contra-ataque parte do guarda-redes: devido à aglomeração dos jogadores adversários entre a linha de 6 m e a linha do meio-campo. pelo facto de ser o guarda-redes que se encontra desmarcado. pela sua situação numa acção atacante. 3. Quando a situação do jogo não permite ao guarda-redes iniciar o contra-ataque, este deve: passar a bola a um companheiro marcado. passar a bola a um companheiro desmarcado e em posição favorável, para partir para a defesa. passar a bola a um companheiro desmarcado, para partir para o contra-ataque apoiado.

6. Quando uma equipa não consegue vantagem numérica no contra-ataque apoiado, deve procurar: finalizar a jogada. organizar e construir a acção ofensiva a meio-campo, através da circulação da bola. driblar, até conseguir uma situação de superioridade numérica, para rematar. 7. Na organização ofensiva, o jogador com bola, quando está marcado pelo adversário directo, deve resolver a situação através: da finta para finalizar. do passe para um companheiro de equipa marcado. do drible. 8. Na organização ofensiva, o jogador sem bola deve: procurar linhas de passe mais ofensivas. fazer deslocamentos na direcção do jogador com bola. colaborar na acção defensiva. 9. Uma equipa encontra-se na situação de defesa quando: só um elemento tem a posse da bola. não tem a posse da bola.

4. No contra-ataque apoiado, os jogadores, que não têm a posse da bola, devem: fazer marcação aos adversários. desmarcar-se através de fintas ou mudanças de direcção. esperar que o jogador com bola chegue à baliza contrária. 5. No contra-ataque apoiado, o jogador de posse da bola deve progredir na direcção da baliza através do: drible sem vantagem numérica.

a bola está fora do terreno de jogo. 10. Quando o jogador na situação de defesa está próximo do jogador atacante, com bola, deve: elevar superiormente os braços, em direcção à bola. agarrar o adversário. recuar para o seu meio campo. 11. Quando um jogador defende, na marcação ao adversário directo com bola, deve:

passe a um companheiro marcado, em posição mais ofensiva.

impedir somente o passe.

passe a um companheiro desmarcado, em posição mais ofensiva.

dificultar somente as suas desmarcações.

impedir o drible, o passe ou o remate à baliza.

21


12. Na movimentação defensiva é importante a atitude de base, para realizar: com rapidez, os deslocamentos frontais, laterais e de recuo. o bloco aos remates adversários.

16. Observa a figura A. O jogador n.° 1 com bola, passa a bola ao n.° 3. Qual será a melhor atitude deste jogador? Rematar, mesmo com oposição do jogador adversário. Driblar e passando pelo companheiro n.° 5, este faz o bloqueio ofensivo e remata em salto.

ambas estão erradas. 13. Quando uma equipa se encontra na situação de ataque: todos os elementos têm posse da bola. a bola encontra-se no seu meio campo e na posse de um elemento da equipa contrária.

Driblar e passando pelo companheiro n.° 5, que utiliza a linha de passe para o jogador número 2. 17. Observa a figura B. Qual será a melhor atitude do jogador com bola, número 2?

a bola está na posse de um companheiro de equipa, no seu meio campo. 14. Na acção defensiva, um jogador deve seguir alguns princípios para ter êxito, através: do enquadramento entre o braço com a bola e a baliza. do enquadramento entre a baliza e o guarda-redes. do enquadramento entre o atacante e o companheiro de equipa. 15. Observa a figura A. Qual será a melhor atitude do jogador com bola?

6

5 3

2

4

1 Fig. B Driblar e rematar em salto. Passar a bola ao companheiro de equipa n.° 3. Passar a bola ao companheiro de equipa n.° 4.

6 4

5

3 1

Bola

Fig. A Passar a bola ao n.° 4. Passar a bola ao n.° 2. Passar a bola ao n.° 5.

22

2


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Atletismo (7.° Ano)

Competências essenciais • Identificar as diferentes actividades atléticas. • Saber as regras das competições.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

13. Na posição inicial do lançamento do peso, a mão que faz a pega deve estar flexionada, no punho, e o peso deve estar em contacto com o pescoço e o maxilar inferior.

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F).

14. No lançamento do peso, após um ensaio, a saída do círculo deve ser feita pela parte anterior do diâmetro traçado – zona de queda.

1. Actualmente, na corrida de velocidade, a partida é feita com a ajuda dos “blocos de partida”. 2. Numa prova de velocidade, um atleta não pode, do princípio ao fim da prova, sair do seu corredor.

15. No lançamento do peso, um ensaio é considerado nulo quando o peso está fora da posição inicial, isto é, do contacto com o pescoço e o maxilar inferior, no momento de empurrar.

3. Numa corrida de estafetas, uma equipa é constituída por quatro elementos, que devem percorrer trajectos desiguais. 4. A corrida de estafetas é considerada uma competição individual. 5. Na corrida de estafetas, uma equipa pode ser eliminada sempre que a passagem do testemunho seja feita dentro da zona de transmissão. 6. Na partida para uma corrida de barreiras, se o número de apoios até à primeira barreira é par, deve colocar-se, no segundo “bloco” de partida, o pé da perna de impulsão. 7. No salto em comprimento, um ensaio é considerado nulo se a chamada for feita para além dos limites da tábua de chamada – linha de chamada. 8. No salto em altura, na técnica de costas, a chamada ou impulsão é feita com o pé do lado de dentro, em relação à fasquia. 9. No salto em altura, um atleta é eliminado depois de dois derrubes consecutivos. 10. No salto em altura, é considerada tentativa nula quando o atleta toca no colchão para além do plano dos postes. 11. No lançamento da bola, esta deve ser agarrada pelos dedos polegar, indicador e médio. 12. No lançamento da bola, é considerada falta, sempre que a bola seja lançada por cima da cabeça.

II

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 1. Na corrida de velocidade, os blocos de partida devem ser colocados de modo a que: o primeiro “bloco” se encontre a dois pés da linha de partida. o primeiro “bloco” se encontre a três pés e meio da linha de partida. o primeiro “bloco” se encontre sobre a linha de partida. 2. Na corrida de velocidade, a partida é feita à voz do juiz de partida. A ordem correcta é: aos seus lugares, “tiro” de partida. aos seus lugares, prontos e “tiro” de partida. ambas estão erradas. 3. Numa prova de velocidade, é importante ultrapassar a linha de chegada com rapidez, através da: inclinação do tronco e da cabeça à frente. oscilação dos braços à frente. preparação de um salto para a frente. 23


4. Numa prova de velocidade, um atleta pode ser desclassificado na partida:

11. Na prova de barreiras, um atleta pode derrubar as barreiras:

primeira “falsa partida”.

com as mãos.

segunda “falsa partida”.

com a perna de ataque.

terceira “falsa partida”.

ambas estão correctas.

5. A corrida de velocidade de 60 metros é uma prova de: longa duração e de intensidade moderada.

12. Numa corrida de estafeta, o testemunho tem de ser passado:

média duração e intensidade fraca.

na pré-zona.

curta duração e de intensidade máxima.

na zona de transmissão.

6. Numa corrida de estafeta, os elementos de uma equipa transmitem, entre si, um objecto que é chamado de: pau.

depois da zona de transmissão. 13. Na corrida de estafeta, se o testemunho cair, no momento da sua transmissão, este tem de ser apanhado:

testemunho.

pelo atleta que o transportava.

ambas estão erradas.

pelo atleta que faz a recepção.

7. Das várias técnicas de salto em comprimento, as mais utilizadas são: a técnica de costas.

por quem estiver mais próximo do testemunho. 14. A figura A representa três ensaios (saltos). Diz qual é a marca do salto válido.

a técnica de extensão.

A marca de 3,50 m.

ambas estão correctas.

A marca de 4,00 m.

8. No salto em comprimento há vários métodos para calcular a distância da corrida de balanço à tábua de chamada:

A marca de 3,75 m.

3,50 m 3,75 m

o da corrida inversa e o da corrida directa. o da corrida inversa, o das tentativas e o da corrida directa. o da corrida inversa, o das tentativas e o matemático. 9. No método da corrida inversa, deve fazer-se o início da corrida para o salto, colocando na marca:

4,00 m

Fig. A

15. A figura B representa três ensaios (lançamentos). Diz qual é a marca do lançamento válido.

o pé livre, no salto ou voo.

A marca A.

o pé de impulsão.

A marca B.

os dois pés paralelos.

A marca C. B

10. No lançamento da bola, a execução do arremesso deve ser feita pela acção enérgica do braço lançador:

A

para a frente, por cima da cabeça. para a frente, lateralmente. de baixo da cintura, para a frente.

C

Fig. B

24


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Atletismo (8.° Ano)

Competências essenciais • Identificar as diferentes actividades atléticas. • Saber as regras das competições.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho!

13. No salto em altura, na técnica de costas, a corrida de balanço tem uma trajectória curva na parte final.

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F).

14. No salto em altura, na técnica de costas, a chamada ou impulsão é feita com o pé do lado de dentro, em relação à fasquia.

I

1. A corrida de velocidade de 60 metros é uma prova de longa duração e de intensidade moderada.

15. No salto em altura, um atleta é eliminado depois de dois derrubes consecutivos.

2. Numa prova de velocidade, um atleta pode ser desclassificado na partida, à terceira “falsa” partida.

16. No salto em altura, é considerada tentativa nula quando o atleta toca no colchão, para além do plano dos postes.

3. Numa prova de velocidade, um atleta não pode sair do seu corredor do princípio ao fim da prova.

17. Para saltares em altura, deves fazer a chamada ou a impulsão com um pé.

4. Na partida, a primeira impulsão é realizada com a perna da frente.

18. No lançamento do peso, sem balanço, a posição inicial do atleta deve ser de lado, com o braço livre na direcção da zona de saída, parte posterior do círculo.

5. Os elementos de uma equipa de estafeta transmitem, entre si, um objecto chamado de testemunho. 6. Numa corrida de estafetas, uma equipa é constituída por quatro elementos, que devem percorrer trajectos desiguais.

19. No lançamento do peso, sem balanço, na fase inicial as pernas devem estar afastadas na parte anterior do círculo, um pé ao centro e o outro perto da antepara.

7. A corrida de estafetas é considerada uma competição individual.

20. No lançamento do peso, após um ensaio, a saída do círculo deve ser feita pela parte anterior do diâmetro traçado – zona de queda.

8. Na corrida de estafetas, todos os elementos da equipa devem valorizar o espírito de grupo. 9. Na corrida de estafetas, todos os elementos da equipa têm de correr, da partida até à chegada, dentro do corredor sorteado. 10. Na partida para uma corrida de barreiras, se o número de apoios até à primeira barreira é par, deve colocar-se, no segundo “bloco” de partida, o pé da perna de impulsão. 11. No salto em comprimento, um ensaio é considerado nulo se a chamada for feita para além dos limites da tábua de chamada, linha de chamada. 12. Se dois participantes tiverem, no final do concurso de salto em comprimento, o mesmo melhor salto, são classificados pelas suas segundas melhores marcas e assim sucessivamente.

II

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 1. Na corrida de velocidade, a partida é feita à voz do juiz de partida: aos seus lugares, “prontos” e “tiro” de partida. aos seus lugares e “tiro” de partida. aos seus lugares e “prontos”. 2. Numa prova de velocidade, os atletas têm de correr durante a corrida: dentro dos limites do seu corredor sorteado. em qualquer lugar. sobre as linhas que limitam os corredores. 25


3. Numa corrida de estafeta, o testemunho tem de ser passado: na pré-zona. na zona de transmissão. depois da zona de transmissão. 4. Na corrida de estafeta, se o testemunho cair, no momento da sua transmissão, este tem de ser apanhado:

12. No lançamento do dardo, o engenho é agarrado: pelo punho, parte “encordoada”. numa das extremidades para o lançamento rotativo. ao meio, para ter mais estabilidade no momento do lançamento. 13. No lançamento do dardo, o engenho tem de ser projectado:

pelo atleta que o transportava.

lateralmente.

pelo atleta que faz a recepção.

por cima do ombro.

por quem estiver mais próximo do testemunho.

ao meio, para ter mais estabilidade no momento do lançamento.

5. Na corrida de barreiras, cada barreira deve ser: passada. saltada. ambas estão erradas. 6. No método da corrida inversa, deve fazer-se o início da corrida para o salto, colocando na marca:

14. A figura A representa três ensaios (saltos). Diz qual é a marca do salto válido. O salto A. O salto B. O salto C.

os dois pés paralelos.

A B C

o pé livre no salto ou voo. o pé de impulsão. Fig. A 7. O triplo-salto é uma sucessão de três saltos. A ordem correcta é: chamada com o pé esquerdo, esquerdo e direito. chamada com o pé esquerdo, direito e esquerdo. chamada com o pé direito, direito e direito.

15. A figura B representa três ensaios (lançamentos). Diz qual é a marca do lançamento válido. A marca A. A marca B.

8. No triplo-salto, um ensaio é considerado nulo sempre que um concorrente faz:

A marca C. C

a seguinte sucessão: chamada com o pé direito, direito e esquerdo.

A

um toque no solo durante o salto, com a perna “morta”. a seguinte sucessão: chamada com o pé esquerdo, esquerdo e direito. 9. No lançamento do peso, a técnica mais utilizada é: a técnica de lado, lateral. a técnica de costas. a técnica de rotação. 10. Um lançamento ou ensaio é considerado nulo sempre que o engenho (peso): cai dentro da zona de queda. no momento de lançamento se encontra fora da posição inicial (pescoço e maxilar inferior). seja lançado o mais longe possível. 11. Um lançamento ou ensaio é considerado nulo sempre que o engenho (dardo): cai dentro da zona de queda. faz uma marca na zona de queda com a ponta metálica. faz uma marca na zona de queda com a zona “encordoada”. 26

B

Fig. B


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Atletismo (9.° Ano)

Competências essenciais • Identificar as diferentes actividades atléticas. • Saber as regras das competições.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Completa as frases com os termos correctos: provas combinadas, olímpico, luta, vencedor, Hércules, lutador, organizada, estádios. 1. A palavra atleta significa

4. A corrida de estafetas é considerada uma competição individual.

.

2. Nos primeiros Jogos Olímpicos da Antiguidade, em 776 a. C., realizou-se a primeira corrida atlética . 3. Nos primeiros Jogos da Antiguidade, Corobeu de Élida, na corrida do “stade” saiu . 4. O comprimento da primeira corrida atlética organizada, de 192, 27 m, terá sido fixado por . 5. Na Antiguidade, o pentatlo era constituído por cinco provas: a corrida do estádio, o salto em extensão, o lançamento do disco, o lançamento do dardo e a . 6. Durante o século XIX, foram modificadas as regras do atletismo, primeiro nas universidades e, mais tarde, pelos organismos internacionais e . 7. O calendário oficial de provas de atletismo é constituído por competições, que se realizam dentro e fora do . 8. O atletismo de hoje pode ser dividido em: corridas, saltos, lançamentos e .

II

3. Numa corrida de estafetas, uma equipa é constituída por quatro elementos, que devem percorrer trajectos desiguais.

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F). 1. a partida da corrida de velocidade, a primeira impulsão é realizada com a perna da frente. 2. Os blocos de partida devem ser colocados de modo a que o primeiro “bloco” se encontre a dois pés da linha de partida.

5. Na corrida de estafetas, todos os elementos da equipa devem valorizar o espírito de grupo. 6. Na corrida de estafetas, uma equipa pode ser eliminada sempre que a passagem do testemunho seja feita dentro da zona de transmissão. 7. Na estafeta 4 * 60 m, todos os elementos da equipa têm de correr, da partida até à chegada, por dentro do corredor sorteado. 8. Na partida para uma corrida de barreiras, se o número de apoios até à primeira barreira é par, deve colocar-se, no segundo “bloco” de partida, o pé da perna de impulsão. 9. No salto em comprimento, um ensaio é considerado nulo se a chamada for feita para além dos limites da tábua de chamada, linha de chamada. 10. Se dois participantes tiverem, no final do concurso de salto em comprimento, o mesmo melhor salto, são classificados pelas suas segundas melhores marcas e assim sucessivamente. 11. No salto em altura, na técnica de costas, a corrida de balanço tem uma trajectória curva na parte final. 12. No salto em altura, na técnica de costas, a chamada ou impulsão é feita com o pé do lado de dentro, em relação à fasquia. 13. No salto em altura, um atleta é eliminado depois de dois derrubes consecutivos. 27


14. No salto em altura, é considerada tentativa nula quando o atleta toca no colchão, para além do plano dos postes. 15. Para saltares em altura, deves fazer a chamada ou a impulsão com um pé. 16. No lançamento do peso, a técnica de costas é a mais utilizada e foi criada pelo americano Parry O’Brien. 17. Na posição inicial do lançamento do peso, a mão que faz a pega deve estar flexionada, no punho, e o peso deve estar em contacto com o pescoço e o maxilar inferior. 18. No lançamento do peso, após um ensaio, a saída do círculo deve ser feita pela parte anterior do diâmetro traçado, zona de queda.

7. Na corrida de velocidade, a partida é feita à voz do juiz de partida; a ordem correcta é: aos seus lugares, “prontos” e “tiro” de partida. aos seus lugares e “tiro” de partida. aos seus lugares e “prontos”. 8. Na corrida de velocidade, os blocos de partida devem ser colocados de modo que: o primeiro “bloco” se encontre a 3 pés da linha de partida. o primeiro “bloco” se encontre a 3 pés e meio da linha de partida. o primeiro “bloco” se encontre a 2 pés da linha de partida. 9. Numa prova de velocidade, é importante ultrapassar a linha de chegada com rapidez através da: indicação do tronco e da cabeça à frente.

III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

uma das questões que se segue. 1. Quais são as corridas planas realizadas dentro do estádio?

oscilação dos braços à frente. preparação de um salto. 10. Na prova de barreiras, um atleta pode derrubar as barreiras:

100 m barreiras e marcha desportiva.

com as mãos.

100 m, 200 m e 400 m.

com a perna de ataque.

Corrida pelo campo.

ambas estão correctas.

2. Quais são as corridas com obstáculos realizadas dentro do estádio? 800 m e 10 000 m. Lançamento do peso e salto em altura. 100 m barreiras e 400 m barreiras. 3. Quais são as provas realizadas totalmente fora do estádio? Marcha desportiva. 3000 m obstáculos.

11. Na corrida de barreiras, cada barreira deve ser: passada, se possível sem a tocar. saltada, se possível sem a tocar. derrubada, intencionalmente. 12. Numa corrida de estafeta, o testemunho tem de ser passado: na pré-zona. na zona de transmissão. depois da zona de transmissão.

Corrida pelo campo ou “corta-mato”. 4. Numa prova de velocidade, um atleta pode ser desclassificado na partida, à: primeira falsa partida.

pelo atleta que o transportava.

segunda falsa partida.

pelo atleta que faz a recepção.

terceira falsa partida.

por quem estiver mais próximo do testemunho.

5. Numa prova de velocidade, os atletas têm de correr durante a corrida: dentro dos limites do seu corredor sorteado. em qualquer lugar. sobre as linhas. 6. A corrida de velocidade de 60 m é uma prova de:

28

13. Na corrida de estafeta, se o testemunho cair, no momento da sua transmissão, este tem de ser apanhado:

14. Na corrida de estafeta, os elementos de uma equipa transmitem, entre si, um objecto que é chamado de: teodolito. testemunho. anemómetro. 15. Das várias técnicas de salto em altura, a mais utilizada é:

longa duração e de intensidade moderada.

a técnica de costas.

média duração e de intensidade fraca.

a técnica do rolamento ventral.

curta duração e de intensidade máxima.

a técnica de “tesoura”.


16. Como sabes, as fases do salto em altura são quatro. A ordem correcta é: corrida de balanço, chamada, queda e voo. corrida de balanço, voo, queda e chamada. corrida de balanço, chamada, voo e queda. 17. No salto em comprimento, a partir de 1816, foi introduzida uma característica, que veio clarificar o resultado e que foi designada por: corrida de balanço.

23. No triplo-salto, um ensaio é considerado nulo, sempre que um concorrente faz: a seguinte sucessão: chamada com o pé direito, direito e esquerdo. um toque no solo, durante o salto, com a perna “morta”. a seguinte sucessão: chamada com o pé esquerdo, esquerdo e direito. 24. No lançamento do peso, o deslizamento na técnica de costas é feito: pela impulsão da perna do lado da mão lançadora.

tábua de chamada.

na vertical, através da extensão total das pernas.

linha de partida. 18. No salto em comprimento, as técnicas de voo mais utilizadas são: a técnica de “tesoura” e a de “costas”.

em movimento rasante da perna livre para trás, na direcção do lançamento. 25. Um lançamento ou ensaio é considerado nulo sempre que o engenho (peso):

a técnica de “extensão” e a de “tesoura”.

cai dentro da zona de queda.

a técnica de “rotação” e a de “extensão”.

no momento de lançamento, se encontra fora do lugar inicial, pescoço e maxilar inferior.

19. No salto em comprimento, para calcular a distância da corrida de balanço à tábua de chamada, o método mais utilizado é o:

é lançado o mais longe possível. 26. No lançamento do peso, a técnica mais utilizada é: a técnica de lado, lateral.

da corrida inversa.

a técnica de costas.

das tentativas.

a técnica de rotação.

da sorte. 20. No método da corrida inversa, deve fazer-se o início da corrida para o salto, colocando na marca:

27. A figura B representa três ensaios (lançamentos). Qual dos lançamentos é válido? O lançamento A.

os dois pés paralelos.

O lançamento B.

o pé livre no salto ou voo.

O lançamento C. C

o pé de impulsão. A

21. A figura A representa três ensaios (saltos). Diz qual é a marca do salto válido. A marca de 3,50 m. A marca de 4,00 m. B

A marca de 3,75 m. Fig. B 3,50 m 3,75 m

Fig. A

4,00 m

28. No lançamento do dardo, para um ensaio ser válido, o engenho (dardo) tem de ser projectado: lateralmente. por cima do ombro. por movimento rotativo.

22. No triplo-salto, a ordem do salto é a seguinte: corrida de balanço, chamada com o pé esquerdo, esquerdo e direito.

29. Um lançamento ou ensaio é considerado nulo sempre que o engenho (dardo): faz uma marca na zona de queda.

corrida de balanço, chamada com o pé esquerdo, direito e direito.

faz uma marca na zona de queda, com a ponta metálica do dardo.

corrida de balanço, chamada com o pé direito, esquerdo e esquerdo.

faz uma marca na zona de queda, com a zona encordoada do dardo. 29


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Ginástica artística (9.° Ano)

Competências essenciais • Conhecer as origens e a evolução da ginástica. • Identificar as diferentes actividades gímnicas. • Identificar os fundamentos gímnicos.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Completa as frases com os termos correctos: barra fixa, solo, obrigatória. 1. Guts-Muths foi o impulsionador da educação física . 2. Actualmente, a ginástica artística feminina faz parte do calendário olímpico, nas competições de salto de cavalo, paralelas assimétricas, trave olímpica e no . 3. A ginástica artística masculina faz parte do calendário olímpico desde os primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, em Atenas (1896), nas competições de solo, argolas, cavalo com arções, salto de cavalo, paralelas e .

4. A ginástica artística é uma modalidade: olímpica, só para sexo masculino. olímpica, para ambos os sexos. não olímpica. 5. Na competição da ginástica artística as equipas são constituídas por: 3 elementos no máximo. 4 elementos no mínimo e no máximo de 6. 3 elementos no mínimo e no máximo de 5. 6. Na competição individual, geral, de ginástica artística só podem participar: 24 melhores ginastas do concurso de qualificação. 8 melhores ginastas de cada prova da competição por equipas.

II

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 1. Quem é considerado o “pai” da ginástica artística?

36 melhores ginastas da competição por equipas. 7. A prova feminina de exercícios no solo é realizada:

Guts-Muths.

num espaço quadrangular 10 x 10 m.

Jahn.

com acompanhamento musical.

Jean J. Rousseau.

com acompanhamento do treinador.

2. Quem fundou, em Berlim, em 1811, o primeiro ginásio ao ar livre?

8. As competições da ginástica artística podem ser: por equipas e individual por aparelho.

Basedow.

individual geral e individual por aparelho.

Jahn.

individual, geral, individual por aparelho e por equipa.

Guts-Muths. 3. Qual foi o motivo da interrupção da actividade de Jahn, na Alemanha, de 1820 a 1842?

9. Na ginástica artística, as provas iguais para ambos os sexos são:

Económico.

salto de cavalo, exercícios no solo.

Político.

argolas e cavalo com arções.

Profissional.

paralelas e trave olímpica. 31


10. A ginástica artística é praticada:

15. Na prova de salto de cavalo, a ordem de salto é:

somente pelo sexo masculino.

apresentação ao júri, corrida de balanço, pré-chamada e chamada de recepção no solo.

somente pelo sexo feminino.

apresentação ao júri, corrida de balanço, pré-chamada, voo e recepção no solo.

por ambos os sexos. 11. Na competição feminina, a ordem das provas é a seguinte:

apresentação ao júri, corrida de balanço, pré-chamada e chamada, voo e recepção no solo.

salto de cavalo, exercícios no solo, trave olímpica e paralelas.

16. Na prova de salto de cavalo, o salto deve ser realizado:

barra fixa, paralelas assimétricas, trave olímpica e exercícios no solo.

com o apoio de uma das mãos no aparelho. com o apoio das duas mãos no aparelho.

salto de cavalo, paralelas assimétricas, trave olímpica e exercícios no solo.

sem o apoio das mãos no aparelho.

12. Na competição masculina a ordem das provas é a seguinte:

17. Na prova de salto de cavalo, o aparelho está colocado:

exercícios no solo, trave olímpica, cavalo com arções, salto de cavalo, paralelas assimétricas e barra fixa.

no sentido da corrida de balanço. transversalmente em relação ao sentido da corrida de balanço.

exercícios no solo, argolas, cavalo com arções, salto de cavalo, paralelas e barra fixa.

obliquamente em relação ao sentido da corrida de balanço.

exercícios no solo, paralelas assimétricas, salto de cavalo, barra fixa, paralelas e argolas.

18. Na prova de salto de cavalo, durante o salto é importante o olhar:

13. Qual é o fundamento que está representada na figura A?

mantido só para a chamada no trampolim.

A roda.

mantido e dirigido para a frente.

A rodada.

mantido só para a recepção no solo.

A roda a uma mão. 14. Qual é o fundamento gímnico que está representada na figura B?

III Ordena correctamente as imagens dos fundamentos

gímnicos, apresentados nas figuras A e B.

Salto entre mãos no plinto transversal.

Figura A –

Salto de eixo no plinto transversal. Salto de eixo no plinto longitudinal.

Figura B –

Fig. A

1

2

3

4

5

6

Fig. B

1 32

2

3

4

5

6


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Ginástica acrobática (9.° Ano)

Competências essenciais • Conhecer as origens e a evolução das actividades acrobáticas. • Identificar as actividades acrobáticas.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Completa as frases com os termos correctos: musical, grega, colectivo, individuais, rotações. 1. A palavra acrobata é de origem

.

2. A ginástica acrobática pode ser de carácter individual e . 3. O exercício individual, ou tumbling, é composto por um encadeamento rápido de elementos acrobáticos em . 4. Na ginástica acrobática, os exercícios de pares são compostos por encadeamentos de elementos com um companheiro, com acompanhamento .

4. Na ginástica acrobática, em exercícios de pares, a competição pode ser de: pares mistos. pares masculinos e pares femininos. ambas estão correctas. 5. A figura A apresenta um exercício de trios. Como se chama o ginasta n.° 2? Volante. Intermédio. Base. 6. A figura A apresenta um exercício de trios. Como se chama o ginasta n.° 3? Intermédio. Base. Volante.

II

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 3 1. Na ginástica acrobática, a competição pode ser:

2

individual e de pares. individual e de grupo. 1

individual, de pares e de grupo. 2. Na ginástica acrobática, os exercícios de grupo podem ser: de 3, para o sexo feminino.

Fig. A 7. Na ginástica acrobática é um factor importante:

de 3, para o sexo masculino.

os rolamentos.

de 4, para o sexo feminino.

as mudanças de direcção. a escolha dos companheiros.

3. Na ginástica acrobática, o ginasta que é transportado chama-se:

8. Na ginástica acrobática, os “montes” podem ser:

o “base”.

lateral e de frente.

o “volante”.

latereal, de frente e à retaguarda.

o “monte”.

lateral e à retaguarda. 33

JL789DD-03


9. Na ginástica acrobática, na forma de suporte aos ombros, o “base” deve sergurar o volante: na parte superior dos gémeos. pelos calcanhares. pela ponta dos pés. 10. A figura B representa um exercício: de trios. de grupo. Fig. B

de pares.

III Ordena correctamente as imagens dos exercícios de

pares, apresentadas nas figuras C, D e E. Figura C – Figura D – Figura E –

Fig. C

1

2

3

4

2

3

4

2

3

4

Fig. D

1 Fig. E

1 34


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Trampolins (9.° Ano)

Competências essenciais • Conhecer as origens do trampolim. • Identificar as actividades dos trampolins.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

7. No duplo minitrampolim, o ginasta deve realizar: quatro elementos técnicos por série. dois elementos técnicos por série.

Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada uma das questões que se segue. 1. O trampolim surgiu, pela primeira vez, num colégio: francês.

os elementos técnicos por série que quiser. 8. No minitrampolim, na competição individual, o ginasta tem de executar:

inglês.

um exercício.

português.

dois exercícios.

2. No trampolim apareceu, pela primeira vez, nos Jogos Olímpicos de: Los Angeles.

três exercícios. 9. No minitrampolim, na competição por equipas, as equipas são constituídas por:

Sydney.

três elementos no máximo.

Barcelona.

três elementos, no mínimo, ou de quatro, no máximo.

3. As competições com trampolim, nos três aparelhos, podem ser de carácter individual e por equipas:

quatro elementos no máximo. 10. No minitrampolim, a ordem do salto é a seguinte:

para alguns aparelhos.

apresentação, corrida de balanço, pré-chamada e queda.

em ambos os sexos.

apresentação, corrida de balanço, pré-chamada, chamada, voo e queda.

só para o sexo masculino. 4. Como caracterizar o trampolim?

apresentação, corrida de balanço, chamada e voo.

É um desporto regional. É um desporto radical. É um desporto olímpico.

11. A figura A representa um exercício de minitrampolim com saída ventral. Como se chama o salto?

5. No trampolim (cama elástica), as competições podem ser de carácter: individual e por equipas. individual e sincronizada. individual, por equipas e sincronizada. 6. No trampolim (cama elástica), uma série é constituída por: 8 elementos técnicos.

Fig. A

10 elementos técnicos.

salto em extensão.

5 elementos técnicos.

salto de carpa de pernas afastadas e em extensão. salto com pirueta vertical. 35


12. A figura B representa um exercício de minitrampolim com saída ventral. Como se chama o salto?

Fig. B salto em extensão. salto de carpa de pernas afastadas e em extensão. salto engrupado.

III Ordena correctamente as imagens dos exercícios de

pares, apresentadas nas figuras C, D e E. Figura C – Figura D – Figura E –

Fig. C

1

2

3

4

5

6

2

3

4

5

6

2

3

4

5

6

Fig. D

1

Fig. E

1 36


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Badminton (7.°/8.°/9.° Anos)

Competências essenciais • Saber as origens do badminton. • Saber identificar o jogo: tipo de jogo, terreno de jogo, objectivo do jogo, pontuação. • Saber identificar as regras: serviço, função do árbitro, faltas.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho! I

Completa as frases com os termos correctos: laterais, raqueta, penas, badminton, serviço, ténis, House, pares.

4. Antes de realizar o serviço, o jogador deve manter o contacto com a superfície de campo, em posição estática. 5. No serviço, o impacto no volante deve ser feito abaixo da cintura.

1. O jogo da poona, trazido da Índia, por oficiais ingleses, está na origem do .

6. O serviço é válido sempre que o volante toque na rede.

2. Da primeira vez que se jogou a poona, em Inglaterra, foram utilizadas raquetas de .

7. Quando um jogador faz o serviço e não ganha a jogada, perde o direito ao serviço.

3. No primeiro jogo, foi também utilizado um volante improvisado de .

8. No final do 1.° e 2.° sets, os jogadores não trocam de campo.

4. O nome pelo qual actualmente é conhecido vem do facto de o seu primeiro jogo ter sido realizado, em 1873, em Badmington .

9. É considerada falta quanto o volante é tocado no campo adversário.

5. O badminton é considerado um desporto de .

10. É considerada falta quanto o jogador realiza dois toques sucessivos.

6. O badminton pode ser praticado individualmente e em .

III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

7. O campo é rectangular e dividido ao meio por uma rede, suspensa em dois postes, colocados sobre as linhas .

1. O objectivo do jogo de badminton é fazer passar o volante por cima da rede, fazendo-o tocar:

8. O campo é limitado por duas linhas laterais e duas linhas de .

uma das questões que se segue.

no nosso campo. no campo do adversário. na rede e cair no nosso campo. 2. Um jogador marca ponto quando:

II

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F).

faz o serviço. ganha a jogada sem ter realizado o serviço. faz o serviço e ganha a jogada.

1. O jogo individual masculino é jogado aos 11 pontos. 3. Um set individual feminino é jogado: 2. O jogo é dirigido por uma equipa de arbitragem. 3. A função dos dois juízes de linha é, unicamente, verificar se o volante toca dentro do campo.

aos 9 pontos. aos 15 pontos. aos 11 pontos. 37


4. Um encontro de badminton é disputado:

9. Antes de dar início ao jogo, o árbitro deve fazer o sorteio com:

em 2 sets vitoriosos. à melhor de 3.

uma moeda.

à melhor de 5.

uma raqueta. um volante.

5. Quando um jogador tem uma conduta incorrecta e persistente, o árbitro principal deve:

10. Quando um jogador faz o serviço correctamente e ganha a jogada, marca ponto e continua a fazer o serviço:

à primeira atitude, marcar-lhe uma falta. à segunda atitude, expulsá-lo.

na mesma área de serviço.

à primeira atitude, adverti-lo.

do outro lado da área de serviço. 6. O serviço é considerado válido quando o jogador que o recebe se coloca:

em qualquer área de serviço.

na diagonal oposta, dentro do campo de serviço. na diagonal oposta, fora do campo de serviço.

II

em qualquer um dos campos de serviço.

Observa a figura, campo de jogo de singulares, e preenche a respectiva legenda.

7. Quando o volante está em jogo, um jogador faz falta sempre que:

1. 2.

invade o campo contrário ou toca na rede. toca as linhas laterais do seu campo.

3.

toca as linhas laterais ou a linha central do seu campo.

4. 5.

8. Durante o jogo, é considerada falta quando o volante: cai sobre as linhas internas do campo. cai sobre as linhas externas do campo. cai fora das linhas externas do campo.

1

2

5

3

38

4


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Ténis (8.°/9.° Anos)

Competências essenciais • Saber identificar as origens do ténis. • Saber identificar o jogo: tipo de desporto, objectivo do jogo, pontuação. • Saber identificar as regras: serviço, faltas.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho!

2. O ténis pode ser praticado individualmente e em pares.

Completa as frases com os termos correctos: Grécia, Wimbledon, Davis, encordoada, madeira, Italiana, fechado, mão, Seul, rede.

3. Um set termina quando um jogador faz 6 jogos, com um jogo de vantagem.

I

1. A origem do ténis remonta ao século V a. C., no Egipto e na Pérsia e, mais tarde, na . 2. No século XI, nos mosteiros franceses, era praticado um jogo, chamado jeu de paume, em recinto . 3. O jeu de paume consistia em bater a bola e fazê-la passar sobre uma .

4. Sempre que um jogador ganha um ponto, verifica-se a mudança de serviço. 5. Quando a bola ressalta sobre a linha de fundo considera-se “bola fora”.

III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

uma das questões que se segue. 4. No jeu de paume, a bola era batida com

.

5. O aparecimento da raqueta, no século XIV, foi uma invenção . 6. As primeiras raquetas eram totalmente de

.

1. Inicialmente, o ténis chamava-se sphairistike, palavra de origem grega que significa: a arte de manusear a raqueta. a arte de bater a bola. a arte de lançar a bola.

7. Em 1550, surgiu a raqueta

.

8. Em 1877, foi organizado um campeonato de ténis, que é actualmente um dos maiores acontecimentos do ténis mundial, denominado de campeonato de .

2. O nome ténis derivou da palavra francesa tenez, palavra que os jogadores diziam: no momento de lançar a bola. no momento do serviço. sempre que batiam a bola.

9. Em 1900, para consagrar os encontros disputados entre as equipas de Inglaterra e dos Estados Unidos, foi instituída a Taça . 10. Depois de uma longa ausência dos Jogos Olímpicos, em 1988, foi novamente integrado no calendário olímpico, nos Jogos de .

3. Na disputa de um jogo, quanto vale o primeiro ponto? 30 pontos. 15 pontos. 40 pontos. 4. No ténis, o objectivo do jogo é fazer passar a bola por cima da rede: fazendo-a ressaltar na zona de serviço.

II

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F). 1. O ténis é considerado um desporto de raqueta.

fazendo-a ressaltar no campo adversário. fazendo-a ressaltar no campo adversário, fora do alcance do jogador contrário. 39


5. Num jogo, sempre que a contagem seja de 40-40 ou vantagem nula, um jogador, para ganhar o jogo, tem de atingir:

9. O segundo serviço deve ser realizado: no mesmo sítio do anterior. no lado contrário da linha de fundo.

um ponto.

no lado contrário, dentro da zona de serviço.

dois pontos alternados. 10. Em caso de empate no 1.° set, 6 igual, deve fazer-se o tie-break (quebra-empates) e vence o set o primeiro jogador que conseguir obter:

dois pontos sucessivos. 6. Um jogador ganha ponto quando: a bola ressalta no campo adversário, antes de ser devolvida com êxito.

os 7 pontos, com dois de vantagem.

o jogador adversário executa o batimento em “vólei”.

os 7 pontos, com um de vantagem.

os 6 pontos, com dois de vantagem.

o jogador adversário bate a bola mais de uma vez num só lance.

IV Observa a figura, campo de jogo de singulares, e

preenche a respectiva legenda. 7. Na execução de um serviço, sempre que não for válida a primeira tentativa, o jogador tem direito:

1.

à segunda, no lado contrário.

2.

à segunda, no mesmo lado. 3.

à segunda, dentro da zona de serviço.

4.

8. No início do jogo de ténis, o primeiro serviço é executado do lado direito do campo e a bola tem de passar a rede:

5. 6.

ao longo das linhas laterais, para ressaltar no campo contrário.

7.

na diagonal, para ressaltar no campo contrário. 8.

ambas estão erradas.

8

4 3

6 7

1 2

40

5


Escola E. B.

Apreciação:

Ano lectivo

/

.º Período

Nome N.º

Ano

Turma

Professor Encarregado de Educação

Avaliação teórica – Hóquei em patins

Competências essenciais • Identificar a origem e evolução da modalidade. • Saber identificar o jogo: tipo de jogo, golo, objectivo do jogo. • Saber identificar as regras: juízes, acção disciplinar, início do jogo, infracção às regras do jogo, penalização, bola fora, golpe duplo.

Antes de responderes, lê atentamente o enunciado das questões. Bom trabalho!

4. Se, num livre directo, a bola entrar directamente na baliza, o golo é válido.

Completa as frases com os termos correctos: colectivo, arredondados, golo, Kent, suplentes, Mundo, stick, adversária.

5. Um golpe livre directo pode ser feito caminhando com a bola em direcção da baliza.

1. O hóquei em patins, como modalidade desportiva, tem a sua origem no condado de .

6. Na execução do golpe de saída, o jogador pode fazêlo directamente à baliza adversária e obter golo se a bola não tocar em nenhum jogador.

I

2. Em 1947, Portugal foi pela primeira vez campeão do . 3. O hóquei em patins é um jogo

.

4. O hóquei em patins é praticado por duas equipas, cada uma delas com cinco jogadores em campo e cinco . 5. Os jogadores utilizam patins de rodas e um .

7. Se um jogador defensor joga a bola com a mão, dentro da sua área de baliza, o jogo recomeça, com marcação de uma grande penalidade, contra a equipa do infractor. 8. Na marcação de um livre directo, todos os jogadores, excepto o guarda-redes e o jogador que vai marcá-lo, devem estar colocados 5 m atrás da linha da bola.

6. A pista ou rinque é rectangular, com tabelas de madeira e de cantos .

III Assinala a opção correcta, com uma cruz (*), para cada

7. O objectivo do jogo é marcar golo na baliza .

1. A regulamentação do hóquei em patins está ligada ao torneio:

uma das questões que se segue.

de Barcelona. 8. É considerado golo sempre que a bola ultrapassa a linha de .

de Montreux. de Bruxelas.

II

Das afirmações que se seguem, indica as verdadeiras (V) e as falsas (F). 1. Se um jogador comete uma infracção na sua meia pista, mas fora da área de grande penalidade, o árbitro dá a ordem de golpe duplo. 2. Na marcação de uma grande penalidade, a bola está em jogo ao apito do árbitro. 3. O piso da pista de rinque deve ser de cimento ou de asfalto.

2. O jogo de hóquei em patins é dirigido por: um árbitro. dois árbitros. um árbitro, ajudado por dois cronometristas. 3. Quando o árbitro tem de advertir um jogador, penaliza-o, mostrando um cartão: vermelho. amarelo. branco. 41


4. Durante o jogo, uma equipa pode fazer a substituição: de um só jogador.

10. Na marcação de uma grande penalidade, os jogadores, à excepção do guarda-redes e do jogador que a vai marcar, devem estar colocados:

de um jogador e do guarda-redes.

a 5 m do local da bola

dos jogadores que necessite.

para trás da meia pista. a 3 m do local da bola.

5. O início do jogo é feito através: do golpe de saída, por dois jogadores, da mesma equipa.

11. O local da pista que dá direito à marcação de um livre directo é:

do golpe de saída, entre dois jogadores adversários.

dentro da área de grande penalidade.

do golpe duplo.

num local previamente assinalado no campo.

6. Quando um jogador comete uma falta grave, o árbitro deve mostrar-lhe: o cartão amarelo.

na meia pista do jogador infractor.

12. Se, na marcação de um livre indirecto, um jogador marcar golo directamente na baliza adversária, o árbitro deve:

o cartão vermelho.

considerar o golo válido.

o cartão azul.

considerar o golo nulo e recomeçar o jogo com um golpe duplo no canto mais próximo.

7. Sempre que um jogador passar a bola da área de ataque para a sua área de defesa, linha de antijogo, o árbitro deve:

considerar golo nulo e recomeçar o jogo com um golpe duplo no canto mais próximo da linha de baliza.

deixar continuar o jogo. penalizar a equipa infractora com a marcação de grande penalidade. penalizar a equipa infractora com um livre indirecto.

IV Observa a figura e preenche a respectiva legenda.

1. 2.

8. Quando dois jogadores adversários disputam a bola e, por acção do ricochete, a bola sai da pista pela tabela lateral, o árbitro deve recomeçar o jogo: com um golpe duplo, no canto mais próximo da saída da bola. com um golpe duplo, marcado a 70 cm da tabela. com um livre directo, no canto mais próximo da saída da bola. 9. Quando um jogador vai marcar um livre indirecto, os restantes jogadores têm de estar: todos a 3 m da bola.

3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

na meia pista contrária. a 3 m da bola, se pertencem à equipa infractora.

3 2 5 1

10 9 8

42

7

4

6

Testes teóricos  

Testes de Educção Física

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you