Page 1

Visita de estudo à Serra da Boneca e ao Aterro Sanitário Trabalho elaborado por: Inês Rocha Nº15 José Rocha Nº19 Mónica Silva Nº22 8ºB Professora Joana Oliveira Ciências Naturais


Índice Introdução……………………………………………………………………...……2 O Aterro Sanitário………………………………………………………...……......3 O transporte do lixo………………………………………………………………………….3 A triagem……………………………………………………………………………………...3 Tipos de plástico……………………………………………………………………………..4 A prensa.……………………………………………………………………………………...4 O lixo não reciclável.…………………………………………………………………………4 A compostagem………………………………………………………………………………5 O Biogás………………………………………………………………………………………6 A utilização do biogás……………………………………………………………………….6

O Parque Eólico da Serra da Boneca……………………………………….…..7 Os parques eólicos………………………………………………………………….……….7 Os aerogeradores……………………………………………………………….…………...7

Conclusão………………………….………………………………………………...…….8

Página 1


Introdução

Neste trabalho iremos relatar os acontecimentos e aprendizagens adquiridas durante a viagem de estudo ao Aterro sanitário e ao Parque eólico da serra da Boneca II. Com esta visita de estudo aprendemos os diversos processos de triagem que acontecem num aterro sanitário, que existem vários tipos de plástico, a maneira como a energia é gerada nos aerogeradores, que aparentou ser um processo mais complicado do que aquele que esperávamos e com muito mais maquinaria complexa e ainda várias outras coisas de que falaremos no restante trabalho.

Página 2


O aterro sanitário  O transporte do lixo O transporte do lixo para o aterro é feito por camiões que carregam uma grande quantidade de lixo para os centros de triagem caso este tenha sido recolhido de ecopontos e para a prensa caso tenha sido recolhido num contentor de lixo normal.

 A triagem A triagem é feita numa espécie de tapete rolante por operários que atiram para certos contentores certos tipos de lixo, como foi referido na introdução existem vários tipos de plástico, cada um deles é dirigido para um contentor diferente tal como o papel e os materiais metálicos não magnéticos, isto porque no fim da linha existe um íman com grande força de atração que apanha os materiais metálicos magnéticos. As embalagens de vidro são diretamente enviadas para indústrias recicladoras.

Fig.1 – Uma estação de triagem do lixo.

Página 3


 Tipos de plástico Existem 7 tipos de plásticos diferentes que são todos devidamente separados na estação de triagem: Os PET (Garrafas de água e sumos) Os PEAD (Higiene e detergentes) Os PVC (Tubos) Os PEBD (Sacos) Os PP (Caixas de CD’s) Os PS (Iogurtes, caixas de ovos) Os Outros (Todos os restantes)

 A prensa A prensagem é feita numa prensa onde apenas papel e cartão são colocados, um tapete rolante dirige-o para a zona onde é prensado numa espécie de cubos de lixo para ocupar menos espaço.

 O lixo não reciclável O lixo não reciclável e/ou sem utilização depois de reciclado

é

depositado

diretamente no aterro que é o local onde se elimina este tipo de lixo, depositando-o de forma controlada acima ou abaixo do solo. Fig.2 – Lixo depositado debaixo do solo.

Página 4


 A compostagem A compostagem é um processo completamente natural em que a intervenção do Homem apenas o pode acelerar e controlar. O processo de compostagem é o seguinte: Pequenos troncos e ramos de árvores são colocados no fundo de um compostor para os resíduos poderem arejar. A seguir, matéria-prima é colocada alternadamente no compostor, produtos verdes seguidos de produtos castanhos, e assim sucessivamente. Entenda-se por produtos verdes, restos de matéria orgânica (restos de comida, ervas, folhas e flores). Entenda-se por produtos castanhos palha, feno, carumas e árvores secas. Com intervalos regulares as pilhas de materiais são revolvidas no compostor de forma a garantir uma decomposição uniforme. São também regados com água, os

materiais

não

podem

estar

nem

completamente

molhados

nem

completamente secos caso contrário dificulta a decomposição natural. Após 3 a 4 meses o produto estabiliza e assemelha-se a terra, tem no entanto o nome de composto. A nível industrial esta massa é dividida em 2 tipos. O composto propriamente dito de dimensão mais reduzida e outro produto que tem o nome de mulching.

Página 5


 O biogás Fig.3 – A criação de biogás.

Nesta imagem podemos ver como se forma o biogás que é utilizado na produção de energia, explicando o seu processo de formação: Matéria orgânica é depositada no alimentador do biodigestor, no biodigestor, as bactérias, o calor, o baixo teor de oxigénio e a elevada quantidade de água fazem com que se liberte gás metano (produto principal) que pode ser utlizado para a produção energética, e como subproduto as sobras de matéria que são utilizadas como fertilizante.

 Utilização do biogás O biogás é utilizado como substituto do gás natural por ser um recurso renovável. A produção da energia é feita em geradores, o biogás é um combustível relativamente eficiente já que um metro cúbico do mesmo equivale a cerca de 0,65 litros de gasolina. Página 6


O parque eólico da Serra da Boneca

 Os parques eólicos Para a instalação de aerogeradores e construção de parques é feito um estudo para se certificarem de que em 10 a 12 anos o parque terá gerado a mesma ou mais quantidade de dinheiro que foi gasto na sua construção e manutenções. O estudo deve-se também de se certificar de que os aerogeradores não afetam nem a fauna nem a flora local. O parque eólico da serra da boneca II pode produzir energia para milhares de casas com a existência de vento, sem ele as centrais termoelétricas passam a ser as principais produtoras de energia.

 Os aerogeradores Os aerogeradores marcam a paisagem das zonas mais ventosas de Portugal, nesta visita de estudo fomos á serra da boneca onde está localizado um dos vários parques eólicos de Portugal. Um aerogerador transforma a energia eólica em energia elétrica. Existem vários modelos de aerogeradores que podem gerar diferentes quantidades de energia dependendo do comprimento das pás, da altura do aerogerador e da quantidade de vento.

Página 7


Conclusão Neste trabalho pudemos concluir que: No aterro sanitário o lixo passa pela estação de triagem antes de ir para uma indústria recicladora apropriada devidamente separado (no caso do vidro e de certos plásticos), antes de ir para a prensa (no caso do papel e do cartão), ou antes de ser devidamente isolado. Aprendemos que daquilo que nos parece inútil se podem fazer novos produtos, e que até de dejetos de animais se pode produzir uma quantidade de energia considerável, mais limpa que os combustíveis derivados do petróleo. No parque eólico a energia é produzida de uma forma completamente limpa através dos aerogeradores que captam o vento, quando este existe, e o transformam, através de um gerador em energia elétrica. Aprendemos que um parque eólico não pode ser construído sem um estudo aprofundado do local, este estudo deve certificar-se de que a sua construção não afetará nem a fauna nem a flora da região e que o parque se sustentará a si próprio como já foi explicado.

Página 8

Relatório grupo 3  

aterro sanitario, parque eolico

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you